VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Paulo Teixeira: “Praticamente todo o governo de Goiás estava envolvido com quadrilha do Cachoeira”


11/05/2012 - 17h54

por Conceição Lemes

Nessa quinta-feira, o delegado da Polícia Federal Matheus Mella Rodrigues, coordenador da Operação Monte Carlo, prestou depoimento na CPI do Cachoeira.  Em sessão fechada, durante mais de oito horas, lançou luz sobre as relações da quadrilha do bicheiro Carlinhos Cachoeira com o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB).

“Praticamente todo o governo de Goiás estava envolvido com a organização criminosa comandada pelo Carlinhos Cachoeira”, relata-nos o deputado federal Paulo Teixeira (PT-SP), membro da CPI. “Extremamente poderosa, essa quadrilha controlava o aparato repressivo do Estado. Impedia ações contra si e conseguia fazer ações contra os seus concorrentes. Aí, valia tudo, até cárcere privado… Coisa de filme de Hollywood.”

“A organização tinha na sua folha de pagamento o comandante da PM, o comandante da Polícia Civil, o delegado geral, o comandante da PM em Goiânia, o corregedor da Polícia Civil, o diretor do Detran e influenciava o secretário de Segurança Pública”, prossegue Teixeira. “No plano político, influenciava  os secretários de Educação, Ciência e Tecnologia e a chefe de gabinete do governador.”

Não à toa o delegado Matheus Mella disse durante a sessão: “Goiás era um Estado todo tomado pela organização criminosa. Era um Estado que estava apodrecido”.

O DEM forçou o senador goiano Demóstenes Torres – “envolvido até à cabeça com a quadrilha de Cachoeira” — a se retirar do partido. E o PSDB, como fica nessa história, já que as evidências das relações íntimas de Perillo e do deputado federal Carlos Alberto Leréia com a quadrilha não param de crescer?

“O PSDB tem tentado ampliar o escopo dessa CPI, de modo que fique tão amplo que resulte no esquecimento do que foi feito”, avalia Teixeira. “A tática de dizer que o Cachoeira financiou a humanidade inteira e, assim, tirar o foco de onde está realmente o problema, vai desgastar ainda mais o PSDB e não vai funcionar. Não foi a humanidade inteira que esteve na folha de pagamentos de Cachoeira. Foram determinados políticos, determinados agentes públicos, determinadas autoridades.”

Viomundo – Deputado, afinal, o que evidenciou o depoimento do delegado que comandou a Operação Monte Carlo?

Paulo Teixeira – Tanto o governo de Goiás como praticamente todo o Estado estavam comprometidos com a organização criminosa do Carlinhos Cachoeira. Era aí que ela tinha grande penetração e presença para exercício da sua atividade principal, que é a organização do bingo eletrônico, bingo de cartela e jogo do bicho.

Ali, ela conseguia ter liberdade não só para explorar esse tipo de atividade como também tinha muita tranqüilidade para exercê-la. Se um concorrente quisesse se instalar lá, não conseguia. E aquele que não pagasse o percentual combinado para a organização, tinha a sua atividade reprimida pela polícia. Todo o aparato repressivo de Goiás estava comprometido com o esquema do Cachoeira.

É uma organização com forte estrutura formal, porque o dinheiro do jogo ilegal é lavado em empresas constituídas em nome de laranjas. Essa organização tinha procuração para operar a conta dessas pessoas.

A partir da mobilização de recursos que o Cachoeira conseguia no estado de Goiás, ele alavancou empresas farmacêuticas, a sociedade com o diretor da  Delta do Centro-oeste, a sociedade com o delegado de polícia de uma empresa de segurança chamada Ideal. Alavancou uma empresa de bingo eletrônico sediada nas Ilhas Virgens, fazia negócios na área de imóveis, em Miami, EUA.  Portanto, tinha conexão internacional.

Pelo depoimento do delegado Matheus Mella ficou demonstrado também que aconteceram várias reuniões de Carlinhos Cachoeira com o governador Perillo e o senador Demóstenes.

Viomundo – Quer dizer que o governador e o senador eram íntimos do contraventor?

Paulo Teixeira Exatamente. O delegado mostrou que o governador e o Demóstenes eram muito íntimos dessa organização criminosa.

O delegado também colocou às claras duas operações financeiras de Carlinhos Cachoeira que chegam próximas ao governador. Uma delas foi a entrega a um de seus assessores de caixa com R$ 500 mil reais, na sede do governo. A outra foi a venda da casa do governador que hoje é de Carlinhos Cachoeira. Segundo o delegado, o próprio Carlinhos Cachoeira participou da compra. Inclusive há cheques de membros da organização para aquisição dessa casa.

Essas operações precisam ter a investigação aprofundada, pois demonstram que, além de dominar o Estado, elas chegam muito perto do governador.

Viomundo – O senhor se surpreendeu com o esquema do Cachoeira?

Paulo Teixeira – Essa organização criminosa – a sua existência, o seu modus operandi, as pessoas envolvidas – parece coisa de filme de Hollywood.

Ela conseguia mover o Estado para proteger os seus membros. Foi o caso, por exemplo, de uma intervenção do Carlinhos Cachoeira junto ao procurador-geral do Estado de Goiás, pedindo para ele intervir no processo que apurava alguma irregularidade do delegado geral.  Há um telefonema em que Cachoeira pede ao Demóstenes para ajudar na transferência de policiais militares presos envolvidos com grupos de extermínio.

Logo, está muito longe do argumento de que era apenas jogo. Praticaram inúmeros crimes: cárcere privado, lavagem de dinheiro, remessa ilegal de dinheiro para o exterior e de corrupção ativa.

Não é uma organização ingênua. É uma instituição que prendia e arrebentava. Tentasse alguém deixar de pagá-los ou tentasse alguém montar um negócio perto, eles usavam o aparelho do Estado para reprimir as pessoas de maneira dura. E assim ficaram durante muitos anos com a proteção desse Estado.

Essa organização criminosa envolveu altas autoridades do Estado, operava com grande capacidade no Legislativo e no Executivo. Foi uma surpresa para todo o país.  A maior surpresa foi a de que aquele senador que vivia com dedo em riste em relação ao governo federal, que era o moralizador, está envolvido até a cabeça nesta organização.

Viomundo – O delegado Matheus Mella apresentou durante o seu depoimento uma lista com os nomes de 87 pessoas citadas em conversas grampeadas do Carlinhos cachoeira. Entre as citadas, a presidenta Dilma. Uma lista como essa não acaba se prestando aos interesses da quadrilha?

Paulo Teixeira – Não sei quem vazou essa lista, mas acho que foi um erro fazê-lo. Essa lista não deveria ter sido divulgada, pois mistura pessoas que foram apenas citadas – a presidenta Dilma, por exemplo, porque um membro da quadrilha sugeria ao senador Demóstenes se aproximar dela para entrar no Palácio do Planalto – com bandidos da quadrilha.

Viomundo – Mas o senhor não acha que o delegado se equivocou ao divulgar essa lista?

Paulo Teixeira – Era uma sessão secreta. Na minha avaliação, o erro foi de quem a divulgou. De qualquer forma, eu acho que a Polícia Federal terá de fazer uma segunda lista, corrigindo a primeira que saiu ontem na CPI, para separar o joio do trigo. Não podemos nos pautar por essa primeira lista divulgada.

O que nós temos de fazer agora é aprofundar as investigações e dar conta de que a democracia brasileira está fragilizada. O fato de essa organização ter todos esses tentáculos evidencia a fragilidade da democracia brasileira, porque o crime organizado, através de um processo de financiamento, conseguiu ir muito longe.

Viomundo – O delegado disse se há algum ministro do STF envolvido?

Paulo Teixeira – Ele não fez acusação a membros do STF nem do STJ.

Viomundo – Mas há pessoas do Judiciário citadas nessas operações?

Paulo Teixeira – Pelo que lemos e ouvimos até agora, servidores do Judiciário de Goiás foram mencionados.

Viomundo – E a presença na sessão de ontem dos advogados do senador Demóstenes e do Cachoeira, como é que o senhor explica?

Paulo Teixeira – Para nós, realmente foi uma surpresa. Nós não sabíamos da presença deles na sessão.

Agora vamos ter de analisar em que condições eles podem participar, porque o pior dos mundos, depois de todo esse trabalho até aqui, é a gente ter qualquer tipo de nulidade nesse processo.

Viomundo – Não é um paradoxo a sessão ser fechada à sociedade e aberta aos advogados do senador e do bicheiro?

Paulo Teixeira — Os advogados foram autorizados pelo presidente e pelo relator da CPI, que se escudaram numa decisão do Supremo que permite a presença do advogado de defesa nesses momentos. Apenas faltou a comunicação ao plenário.

Agora sabendo disso, nós temos de definir em que situações eles podem participar – para garantir o exercício do direito pleno de defesa – e em que situações não podem participar – porque isso enfraqueceria o processo. Mas isso é uma coisa que nós vamos tratar na próxima reunião administrativa.

Viomundo – Em relação a jornalistas e veículos, quais os delegados citou?

Paulo Teixeira – Ele mencionou um jornalista do Correio Braziliense e o Policarpo Jr., da Veja.

No caso da Veja, o delegado mostrou que o Policarpo sabia da relação do Cachoeira com o Demóstenes. Foram sete anos de relação entre o Policarpo e o esquema do Carlinhos Cachoeira. Uma coisa muito preocupante é que essa relação não era apenas de fonte, passou a ser uma relação digamos assim de cumplicidade.

A Veja, via Policarpo, conseguia as informações que lhes interessava, que eram obtidas através de espionagem política… Ao mesmo tempo, a Veja dava  à organização o que ela pedia. Por exemplo, a organização estava com dificuldades no Dnit, porque ali os interesses da Delta estavam sendo contrariados.  A revista então fez a matéria que derrubou o ministro dos Transportes e o superintendente do Dnit.

Viomundo – Uma relação de mão dupla?

Paulo Teixeira – Isso mesmo. O Policarpo obtinha informações da organização que eram fruto de espionagem política. Em contrapartida, a Veja dava notícias que interessavam à organização criminosa.

O Policarpo, é bom que se diga, sabia da natureza e da atividade desse grupo criminoso. Tanto que, em 2005, ele foi depor numa Comissão de Ética sobre o caso do deputado André Luiz. Nessa Comissão de Ética, ele disse que o deputado André Luiz tinha tentado extorquir o Cachoeira. O Policarpo apresentou inclusive gravações, o que demonstra que, de longa data, ele conhecia a atividade que o Cachoeira tinha. Foi um casamento de longa duração que só acaba agora, espero eu, com a elucidação desses fatos.

Viomundo – O delegado mencionou o número de telefonemas entre o esquema do Cachoeira e Policarpo?

Paulo Teixeira – Disse que foram 42 na Operação Monte Carlo.

Viomundo – E somando os telefonemas da Monte Carlo com os da Vegas?

Paulo Teixeira – Eu não tenho esse número.

Viomundo – O Policarpo vai ser chamado a depor na CPI?

Paulo Teixeira – Na minha opinião, ele extrapolou a sua atividade profissional. Ele ficou muito além do que é permitido. E nós temos de fazer a defesa do sistema democrático. Ele impõe limites ao político, ao empresário e ao jornalista. Liberdade de imprensa não é liberdade de prática criminosa. Liberdade de imprensa é uma luta pela liberdade e não pela prática do ilícito.

Leia também:

Dr. Rosinha: “Alguns segmentos da imprensa terão de ser investigados, sim”

Operação Monte Carlo atinge lobby parlamentar do amianto: Perillo, Demóstenes e Leréia

Depoimento de delegado contradiz informação de Roberto Gurgel





98 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Perillo admite ter nomeado pessoas indicadas por Demóstenes e Garcez « Viomundo – O que você não vê na mídia

12 de junho de 2012 às 17h16

[…] Paulo Teixeira: “Praticamente todo o governo de Goiás estava envolvido com quadrilha do Cachoeira… […]

Responder

Protocolado pedido de impeachment de Perillo « Viomundo – O que você não vê na mídia

12 de junho de 2012 às 09h50

[…] Paulo Teixeira: “Praticamente todo o governo de Goiás estava envolvido com quadrilha do Cachoeira… […]

Responder

Collor: “Mais uma tentativa de manipulação da opinião pública” « Viomundo – O que você não vê na mídia

23 de maio de 2012 às 00h03

[…] Paulo Teixeira: Quadrilha de Cachoeira dominava Goiás […]

Responder

Izidio

22 de maio de 2012 às 15h38

Não dá mais para suportar tanta desonestidade,tem sim que ferrar,revista, jornalista e todos os envolvidos.

Responder

Hospitais públicos paulistas não podem vender até 25% de seus leitos para planos de saúde « Viomundo – O que você não vê na mídia

15 de maio de 2012 às 20h09

[…] Paulo Teixeira: “Praticamente todo o governo de Goiás estava envolvido com quadrilha do Cachoeira… […]

Responder

Conselho Nacional de Saúde entende que SP pode perder recursos do SUS se Lei da Dupla Porta for aprovada « Viomundo – O que você não vê na mídia

15 de maio de 2012 às 02h25

[…] Paulo Teixeira: “Praticamente todo o governo de Goiás estava envolvido com quadrilha do Cachoeira… […]

Responder

Regina Braga

14 de maio de 2012 às 16h45

Aref…Teixeira! Se Goiás é um Estado mafioso, o que será do ninho tucano? Help,estou no olho do tucanardo!!!

Responder

Humberto Costa: “Nós não vamos proteger ninguém” « Osvaldo Palmeira

14 de maio de 2012 às 16h06

[…] Paulo Teixeira: “Praticamente todo o governo de Goiás estava envolvido com quadrilha do Cachoeira… […]

Responder

Humberto Costa: “Nós não vamos proteger ninguém” « Viomundo – O que você não vê na mídia

14 de maio de 2012 às 11h27

[…] Paulo Teixeira: “Praticamente todo o governo de Goiás estava envolvido com quadrilha do Cachoeira… […]

Responder

LUIZ FORTALEZA

13 de maio de 2012 às 21h28

Acho que toda SERRA tem uma CACHOEIRA…kkkk

Responder

João Paulo

13 de maio de 2012 às 20h20

Prezados Azenha e Conceição Lemes

No meu último comentário eu só coloquei maiúsculas para ressaltar os trechos do artigo 220 e do seu § 1°, cujas partes finais a Veja não publicou.

Responder

Cláudio

13 de maio de 2012 às 18h38

Só o (des)governo de Goiás ? Eu quero é mais ! Tem que prender e$$es criminoso$$ em estados abaixo da linha goiana (como na Di$$neylandia ‘brasileira’) ou onde fizeram ninho$$.

Responder

LUIZ FORTALEZA

13 de maio de 2012 às 13h25

Fui dar uma olhada no blog do jornalista da VEJA Augusto Nunes, passei mal. Que bloguezinho baixo nível, medíocre… aquilo é jornalista mesmo, ou é fuxiqueiro político?

Responder

    Gil Rocha

    13 de maio de 2012 às 18h54

    Fuxico político faz parte de
    alguns blogs progressistas por
    aí.
    Mas não vejo ninguém reclamando.
    Só o Viomundo se salva e é democrático.

    João Paulo

    13 de maio de 2012 às 20h18

    Mais uma manipulação da VEJA BANDIDA

    Eis o meu comentário no blog do Esquerdopata:

    O comentário do Zerm me chamou a atenção. Procurei verificar. O texto é mesmo da Constituição de 1988, mas a Veja, desonesta como não podia deixar de, manipulou o texto constitucional, deixando de incluir o que não lhe interessava.

    Transcrevê-lo-ei como se acha na Constituição e em maiúsculas, o que a Veja deixou de publicar.

    Art.220. A manifestação de pensamento, a criação, a expressão e a informação sob qualquer forma, processo ou veículo não sofrerão qualquer restrição, OBSERVADO O DISPOSTO NESTA CONSTITUIÇÃO.

    § 1°. Nenhuma lei conterá dispositivo que possa constituir embaraço à plena liberdade de informação jornalística em qualquer veículo de comunicação social, OBSERVADO O DISPOSTO NO ART. 5°, IV, V, X, XIII E XIV.

    § 2°. É vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.

    ———————————————————————————————————————————————-
    Prezados colegas comentaristas, confiram o texto constitucional que está na capa da Veja, com o que está na Constituição.

    Mário SF Alves

    13 de maio de 2012 às 20h06

    Ali, naquela coisa pensamento único, naquela gosma direito-extremista, anti-tudo-que-cheire-a-democrcia, de fato, não se admite a controvérsia. São radicalmente contra a opinião contrária. Azar o dele(s): vai(ão) continuar não sabendo nada sobre a importância da dialética. Se bem que, pensando melhor, para quem tem a primazia da força das armas (da cavalaria andante do poder econômico) sobre a força das idéias, dialética, pra quê?

abolicionista

13 de maio de 2012 às 12h39

Essa imprensa carcamana é um entulho do golpe militar. Já passou da hora de democratizarmos a imprensa brasileira.

Responder

    Gil Rocha

    13 de maio de 2012 às 23h18

    E como seria essa “Democratização”,
    da imprensa brasileira?

Bonifa

13 de maio de 2012 às 12h18

É jogo de muita paciência e argúcia o que deve ser jogado pelos parlamentares nessa CPMI. A todo momento se apresentam situações evasivas ou novas oportunidades para avançar que não podem ser perdidas. Tentações de desvios emocionais precisam ser contidas. Armadilhas de ilegalidade precisam ser desarmadas.
Tem razão a CPMI em recuar da insistência pela presença do Procurador. Se a CPMI puder obter por meios mais objetivos o que deseja, por que insistir na presença física de um homem que se mostra imerso em estado de pavor explícito a ponto de refugiar-se em teses irresponsáveis da imprensa politiqueira? Não convém expor-se ao risco de provocar a síncope pública de eminente autoridade, diante dos olhos perplexos da nação.
Devemos encarar objetivamente os fatos. E os fatos são os que se seguem: O Ministério Público, na pessoa da esposa do Procurador Gurgel e perante o delegado da PF que comandava as investigações, asseverou verbalmente que não havia razões para pedir ao STF a abertura de um inquérito contra o Senador Demóstenes, já que os indícios surgidos na Operação Vegas eram insuficientes para isso.
A mesmo posição vale também para os deputados, mas vamos nos ater ao Senador. Assegurou, porém, ao delegado, que esta posição do MP seria formalizada nos autos do processo.
Mas não fez a bendita formalização nem deu seqüência ao andamento do processo Vegas; talvez exatamente porque a presença de Demóstenes no interior do processo exigisse do Ministério Público, para dar continuidade ao mesmo, uma solicitação ao STF para a abertura de um processo em separado, visando averiguar a ligação do Senador com o bicheiro Cachoeira.E neste inusitado impasse, o processo Vegas nem andou nem ficou esperando por algo que o fizesse andar.
O processo ficou na penumbra da gaveta do procurador. Restou paralisado, o que não foi conveniente para a Justiça, porque possibilitou a todo o grupo criminoso que agisse e se expandisse confortavelmente por três longos anos, com incalculável prejuízo para a sociedade brasileira. Não fosse o acaso de um promotor de Goiás provocar a abertura da outra operação, a Monte Carlo, toda a questão Cachoeira & parlamentares ainda estaria no limbo. Estes são os fatos.
Se o Procurador, ou sua esposa, tivesse formalizado nos autos a posição de que não havia indícios fortes, o que teria acontecido? Ele teria enumerado os indícios fracos e explicitado, nos autos, porque julgava que eles seriam insuficientes. O processo então estaria perfeitamente instruído e seria enviado ao STF, para ser analisado ou arquivado.
Pois é justamente da notícia dessa inexistente formalização e suas inexistentes explicações que a CPMI precisa. E também, da explicação das razões pelas quais elas se tornaram inexistentes.
Se o Procurador fornecer estas explicações por escrito, mil vezes melhor será que sua augusta presença. ACPMI terá um documento com o qual poderá tomar providências, e evitará uma guerra de nervos e desgastes espetaculares que talvez menos resultado possa trazer.

Responder

    Mário SF Alves

    13 de maio de 2012 às 20h27

    Brilhante, Bonifa. Taí o estado da arte desse alucinante jogo de xadrez engavetador-geral pró-cachoeira versus interesse público e desenvolvimento socio-econômico no Brasil.

Cleverton Silva

13 de maio de 2012 às 10h40

Juan Arias, pig, demotucanos e similares, cansados e demais indignados com os governos Lula e Dilma, aí estão os corruptos e corruptores. Nomes dados aos bois. Cadê as manifestações de indignação contra a cachoeira de crimes e contra a privataria tucana?

Responder

lucia

13 de maio de 2012 às 10h18

Em todo o escândalo Cachoeira, uma questão me assombra, o silêncio da OAB, ABI, CUT, FIESP e toda a “sociedade civil organizada”.O crime organizado domina pelo menos um estado da União e a sociedade civil nada tem a dizer? A imprensa a serviço do crime organizado é recebida pelo ensurdecedor silêncio?

Responder

    Bonifa

    13 de maio de 2012 às 11h59

    É realmente espantoso. Para usar o linguajar do Merval, seriam todos meras “linhas auxiliares do antigovernismo radical”?

    ricardo

    13 de maio de 2012 às 14h42

    Por isso me pergunto se a quadrilha, que está sendo investigada, foi realmente desbaratada ou ainda permanece poderosa e influente.

Ze Augusto

13 de maio de 2012 às 01h55

Bomba: Cachoeira ligado à fabulosa doadora de R$ 8,25 milhões ao PSDB Nacional

Um diálogo entre dois altos membros da organização de Carlinhos Cachoeira mostra que ele teve negócios em parceria com o grupo empresarial de JC Gontijo.
A empresa é de José Celso Valadares Gontijo, que apareceu gravado no mensalão do DEM entregando pacotes de dinheiro (vídeo abaixo).
Ele é marido de Ana Maria Baeta Valadares Gontijo, …
a pessoa física que fez a maior doação de campanha do Brasil nas eleições de 2010:
R$ 8,25 milhões.
Tudo exclusivamente para a Direção Nacional do PSDB.

Documento e vídeo no link:

http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2012/05/bomba-cachoeira-ligado-fabulosa-doacao.html

Responder

Maria Dirce

12 de maio de 2012 às 22h19

A próxima sessão da CPI tem que estar aberta ao povo que os colocaram lá dentro.Senado e camara dos deputados é a casa do povo,por isso não tem como ser secreta.Se continuar fechada para o povo ver, as respostas a isso será nas urnas, o povo ta de olho!!!!

Responder

Cláudio

12 de maio de 2012 às 21h13

“um Estado todo tomado pela organização criminosa. Era um Estado que estava apodrecido”.”. Ao que tudo indica, não só o Estado de Goiás apodrecido. Se investigarem corretamente, podem descobrir outro Estado apodrecido, na região Sudeste, sustentado pelo PiG e sustentador do mesmo PiG.

Responder

Emilio

12 de maio de 2012 às 17h59

URGÊNCIA URGENTÍSSIMA.
#VejaComMedo agora é #VejaTemMedo. Na dúvuda põe os dois. O 1o estavva sendo bloqueado.O twitasso é prá já. 18:00 h.

Responder

Fabio Passos

12 de maio de 2012 às 15h49

A verdade que o PIG tenta esconder… estampada na cara:

http://www.redebrasilatual.com.br/revistas/71/imagens/RTRHG9V.jpg

Responder

Luís CPPrudente

12 de maio de 2012 às 15h44

Então foi o Gilmar Dantas que foi “às falas” com o presidente Lula! Hoje podemos entender porque o Gilmar Dantas fez isto, ele já era aliado do Demóstenes, que era aliado do Cachoeira que era aliado do Daniel Dantas, que era aliado do Nosferatu Cerra!

A CPI da Privataria Tucana não saiu, mas a CPMI do Cachoeira ainda vai chegar no que a Operação Satiagraha concluiu.

Responder

Robert silva

12 de maio de 2012 às 13h43

Momento reflexivo sobre panorama do RJ:

a construtora delta (q tocou a obra do maracanã) esta envolvida ate a alma com o sr cachoeira
no rj delta deita e rola!
rj=Lideres corruptos/sujos
toda favela=esgoto a céu aberto, tuberculose
saude publica do rj precaria, tb escola publica violencia policial, ocupação ilegal, poder paralelo (miliciano ou trafico), entre diversos problemas
quem defende p.aes e ka.bral ou é cabo eleitoral pago do governo, ou ingenuo fazendo isso p/ corruptos dessa natureza d graça mesmo
sergio cabral pai tb nao e boa gente nao
é metido a malandro como o seu filho
fruto nao cai longe da arvore nao
cabral pai foi aposentado como conselheiro do tribunal de contas do municipio do rjsalario = teto do limite constitucionalqual a contribuição do cabral pai em sua trajetoria profissional p/ a adm publica e/ou contabilidade q o habilitou a exercer e se aposentar em tal cargo?brasil 1 pais de tolospovo manso é povo otario
milhoes de reais em obras entregues por cabral a delta sem licitação!!! à delta de seu amigo q paga viagens a ele
obra de milhoes na estrada de friburgo, a qual por contrato deveria ser feita às custas da concessionaria da estrada (liderada por seus amigos da delta) e foi executada às custas do $$$ do povo, $$$ publico do estado do rj
e o vice presidente e lider do pmdb acha tudo normal!!!??!!!!!!!!
E uma porção de ingenuos acreditando q copa e olimpiadas sao capazes de trazer qq beneficio aos paises sede…beneficio so p/ empreiteiros e os corruptos de sempreladroes do $$$$$$$$ publico
sem mais

Responder

ana db

12 de maio de 2012 às 13h43

Gurgel tem responsabilidade do crime ter dominado Goiás.

Responder

Jurandir Alecio

12 de maio de 2012 às 13h41

É a inversão do que devia ser. O aparelho repressor existe para reprimir o crime, seja organizado ou não, mas em Goias o crime organizado controla o aparelho repressor.
A Globo, a Folha a Veja fazem apologia dos criminosos e atacam homens de bem, como fizeram a vida inteira com LULA E BRIZOLA.

Responder

    damastor dagobé

    12 de maio de 2012 às 16h47

    o Pinguim sempre quis ser prefeito de Gotham City…

Jairo Beraldo

12 de maio de 2012 às 13h32

“No plano político, influenciava os secretários de Educação(Thiago peixoto, que sempre se elegeu às custas de Iris Rezende), Ciência e Tecnologia(Mauro Netto Faiad, “jeri” uma escola de cursos de aprimoramento, que eu fiz há um ano atras e me foi negado o diploma do curso) e a chefe de gabinete do governador(com certeza o chefe desta, sr. Vilmar Rocha, ex-DEM, por ser desafeto(como o é M. Perigo) de Ronaldo Caiado e grande aliado do DEMóstenes, deve algumas explicações).”

Responder

Romanelli

12 de maio de 2012 às 12h39

Caro Azenha ..escrevi 2 comentários SEM ofensas ou qq tipo de agressão, apenas expondo meu ponto de vista e opinião ..percebi que outros depois deles foram liberados ..desculpe, mas há algo de errado?

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    12 de maio de 2012 às 19h33

    Acho que você foi lido como “spam”. abs

RicardãoCarioca

12 de maio de 2012 às 12h04

Depoimentos nessa CPMI às portas fechadas é combustível para a máquina de distorções do PiG. Por gentileza, algum jornalista que tiver acesso a algum político integrante dessa CPMI, por gentileza, indágue-o a respeito disso.

Responder

Bonifa

12 de maio de 2012 às 11h46

É lá e cá:

Escutas: Um ministro britânico acusado de conspirar com Murdoch
Le Monde.fr com AFP | 2012/12/05
A Comissão de Inquérito sobre as escutas do tablóide News of the World a cada semana traz novas revelações sobre as ligações entre o grupo de mídia de James Murdoch e o governo do Partido Conservador britânico.
Sabado, 12 de maio, foi a vez do ministro da Cultura, Jeremy Hunt, ser acusado de conivência com o grupo de Murdoch sobre a delicada questão da em torno da aquisição da BSkyB – satélite, em pleno escândalo das escutas. O Partido Trabalhista imediatamente pediu a demissão do ministro.
http://www.lemonde.fr/europe/article/2012/05/12/ecoutes-un-ministre-britannique-accuse-de-collusion-avec-murdoch_1700425_3214.ht

Responder

Luz

12 de maio de 2012 às 11h22

E para apimentar a relação leiam isso:

http://cloacanews.blogspot.com.br/2012/05/enfim-conexao-globo-cachoeira.html

http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/internautas-programam-tuitaco-contra-veja

Responder

FrancoAtirador

12 de maio de 2012 às 11h01

.
.
EXTRA! EXTRA!

CARTA CAPITAL NA CAPA DA VEJA!

http://img10.imageshack.us/img10/7079/cartacapitalnacapadavej.jpg

Responder

sonia

12 de maio de 2012 às 10h28

li que o Cachoeira ficará calado em seu depoimento. Bem faz ele. Por que vai falar? Em nosso país a lei protege quem infringe e penaliza quem quer seu cumprimento, como no caso dos professores que tem um piso em lei, mas os governadores não cumprem.Acaso algum será penalisado pela lei? KKK, quem sabe no dia de são nunca.
O Cachoeira deve estar morrendo de rir da comédia chamada CPMI e dos que aqui compram briga para acusar ora o PT ora a oposição. Acreditam que alguem sairá responsabilizado, sejam os corruptos ou corruptores? Ora, essas pessoas agem assim porque sabem que o crime e a contravenção compensam no Brasil. Por acaso Dantas, caciolola e outros tantos estão na cadeia? Deputado ou Senador tem algum? Por tudo que tenho lido e ouvido, essa rede de corrupção abrande os poderes da união ( executivo, legislativo, judiciário), seus tentáculos estão no primeiro, segundo e terceiro escalão tanto em nível federal quanto estadual até mesmo em autarquias e fundações que são administradas por CCS a serviço de diversos partidos.

Responder

Jaime

12 de maio de 2012 às 10h06

Cachoeira é um bicheiro, entre outras coisas, portanto, um contraventor. Atua na área de jogos ilegais, com desdobramentos por outras áreas menos iluminadas. Isso me lembra que uma vez queriam que Silvio Santos fosse candidato a presidente da república, ou seja, ao invés do Minha Casa – Minha Vida, teríamos Tua Sorte – Meu Lucro. Bom, mas o que queria dizer mesmo é que se pode ver da seguinte forma: o Silvio Santos representaria a Força, enquanto Cachoeira seria o Lado Negro da Força. Em qualquer dos dois casos, uma grande obra de ficção.

Responder

Carlos Lima

12 de maio de 2012 às 09h15

O que a Globo, o Estadão e boa parte da mídia dinossauro estão fazendo em relação a defesa da revista VEJA, é um suicídio desses veículos de comunicação, eles não tem mais a força de errolar a população, é notório que a VEJA está envolvida com o cachoeira na figura do POLI, é notório que a revista usou informações de escutas e gravações ou seja arapongagem ilegal do cachoeira para incorpar suas capas, nás gravções há até tentativa de golpe a um governo eleito pela população, ao que parece ao aliar liberdade de expressão e blindar a revista de punição, a grande mídia se entrega ao teor da lei constitucional, lá está claro que não é esse o serviço dos veículos de comunicação e ilegalidade não é liberdade de expressão. Venho a tempos batendo na tecla que o mundo mudou, as pessoas estudam mais e tem mais consciencia crítica e a grande mídia não acompanhou a essa evolução, bato na tecla também que governos não devem alimentar essa corja com publicidade, qualquer empreásio que não está em dia com suas obrigações legais são punidos e não podém receber e nem prestar serviço ao governo, essa gente comete todo tipo de ilegalidade e é regada com verbas publicitárias milhonárias que poderiam está sendo gasta em saúde e educação, para mim mídia partidária tem que ser tratada como partido político e fiscalizada pelos tribunais eleitorais, pois agem como partidos políticos e midía que se associam com bandidos contraventores devem ser tratadas como contraventoras e bandidas nos rigores da lei. Devender o indefensável é suicídio, portanto GLOBO, ESTADÃO e outras grande da imprensa esta auto cometendo eutanásia, estão se matando para defender um morto moral a revista VEJA.

Responder

Romanelli

12 de maio de 2012 às 07h40

OLHA,os representantes do governo e da oposição disseram a TODA SOCIEDADE que nós somos uns imbecis e que não podemos tomar conta do nosso país – isso apesar de os elegermos -, muito menos a termos acesso a CPMIs.

..então, com todo respeito, diante de tal DESRESPEITO e desconfiança, de humilhação mesmo, eu não tenho pq tomar a palavra do deputado como tendo sido fiel a verdade ..simples reciprocidade.

DESDE pequeno eu aprendi que quando alguns querem vender facilidades, eles criam dificuldades …será ?

agora sobre o caso, pra mim TODOS os citados devem esclarecimentos à sociedade ..e de forma respeitosa, não precisa ser no tapa ..e esta, a sociedade, em nenhum momento deve promover pré-julgamentos baseado em FUTRICAS ..precisamos aprender a acreditar nos fatos e a ignorar os BOATOS

Agora, Carlinhos Cachoeira dominava GOIAS ..só que dizem que ele era sócio da DELTA, e ela esta em quase todo país ..e pior, agora pelas mãos da JBS e BNDES (sob comando de Henrique LULA Meireles e DILMA, indiretamente) e tendo como presidente um ex-diretor da Camargo Correia (olha ela aí gente)

desculpe ..mas esta difícil viver num país aonde vc vota numas forças políticas ditas éticas e progressistas e leva outras tralhas como brinde (tipo Valdemar, Roberto Jeferson, Maluf, Sarney, Maluf, CAbral, Garotinho, themer etc) ..aqui, verdade, parece não composição, mas PARTILHA ..a propósito, qual seria a alternativa viável ? ..puts

..olha, alguém aqui sabe me dizer em qual lado da trama esta o mocinho ? .pois de bandidos eu já estou canso de ver em todo lado

..convenhamos, se vc se permite viver no chiqueiro, ter como amigo PORCOS, se sujar e deitar na lama, acasalar, imitar as práticas e hábitos, comer e grunhir como um porco ..convenhamos ..vc não vai agora querer me convencer de que não é porco só pra não fornecer o presunto, vai ?

ta dominado, ta tudo dominado

http://www.youtube.com/watch?v=0tCUhu5pgRk&feature=fvst

Responder

    Romanelli

    12 de maio de 2012 às 07h52

    noooossa, percebi que escrevi 2 x Maluf (bem, vai ver ele merece mesmo pelo “conjunto da obra” INACABADA e inimputada)

    ..mas acabei esquecendo do treco ROXO (gangrenado), do Collor, que agora posa de Paladino ao lado de deputados do PT (hummm) ..ele que tb quer tirar uma casquinha dizendo que o que foi dito dele pela revista à época da republica sertaneja era mentira

    ..ou seja, agora ele quer rever a história e ser comparado a algum “estadista” que teria sido deposto injustamente por qq golpe da “direita” ..só que ele ainda é a DIREITONA ..re re re)

    sei sei ..me engana que eu gosto ..pode falar que era invenção do câncer do irmão ..ahh sim, e aproveita me apaga a memória pra eu esquecer do PC, dos maços de dinheiro, da ELBA, da DINDA e cascatinha, da cunhada e dos LADAS, das macumbas e baixarias e, principalmente, da falta de ética e respeito que aquela família teve para com toda população brasileira (quem daqui lembra da TUNGA da poupança, hein?) que depois de esperar por 30 anos recebeu AQUILO como presidente

    “o tempo é o sr da razão” dizia ..aqui, na citação copiada, ele tinha razão ..sem duvida eu, hoje mais maduro, entendo muito melhor o que esta acontecendo e o que esta em jogo

    http://www.youtube.com/watch?v=JkhX5W7JoWI

    Gil Rocha

    13 de maio de 2012 às 02h26

    Belo comentário meu amigo.
    Apenas sinto dizer que isenção
    é oque menos vai encontrar por
    aqui.
    Eu vou querer ler os argumentos
    de alguns ao teu comentário.

    Gil Rocha

    13 de maio de 2012 às 02h32

    E mais um adendo.
    Se não fossem alguns destes,
    Sarney, Renan, Cabral, Valdemar,
    Themer, Maluf, etc.
    O PT ainda estaria bem longe do Planalto.
    O poder meu amigo, acaba com qualquer ideologia
    consciência e ideologia.

    abolicionista

    13 de maio de 2012 às 09h50

    Cuidado, dizer que ninguém presta é também dizer que todo mundo presta. De todo modo, a moralidade não é o melhor campo para essa discussão. Quem sabe agora vocês da direita também percebam a necessidade de uma reforma política?

    Gil Rocha

    13 de maio de 2012 às 21h37

    E quem disse que ninguém presta?
    Os nomes estão aí.
    Não generalizei nada, os partidos
    de oposição também está cheio de
    porcaria.
    Demóstenes é o exemplo mais recente.

Fabio Passos

12 de maio de 2012 às 02h26

Já foi comentado e vale a pena lembrar sempre:

O PIG trabalhou duro para tentar emplacar marconi perillo na presidência do Senado.

Já pensaram? Um funcionário de carlinhos cachoeira na presidência do Senado?
Por obra e graça do PIG… que agora descobrimos também ser sócio de cachoeira. Coincidência?

Será que os leitores de veja tem capacidade de compreender o quão grave é a situação? O crime organizado controlando a mídia, o senado… o stf(?!?)

Será que os leitores de veja estão com vergonha e raiva por terem sido tratados como imbecis pelo rupert civita?

Responder

    Roberto Locatelli

    12 de maio de 2012 às 08h05

    Para quem não se lembra do que o Fabio Passos está falando: no segundo semestre de 2009, o PIG e os demotucanos lançaram uma campanha “Fora Sarney”, querendo derrubar Sarney da presidência do Senado e substitui-lo por ninguém menos do que o então senador Marconi Perillo.

    Detalhe: poucos meses antes o então presidente do STF chamou Lula “às falas” pelo fato de a PF ter prendido Daniel Dantas. É claro que o “coroné” Gilmar não usou essas palavras. Referiu-se a um “estado policial” que estava perseguindo cidadãos de bem com maldosas escutas telefônicas. Alegou que uma conversa dele, Gilmar, com o nobre senador Demóstenes (hmmmm) haviam sido grampeadas. A Veja fez o maior estardalhaço.

    Gil Rocha

    13 de maio de 2012 às 00h56

    Não lembro de quererem
    colocarem o Perillo no
    lugar do Sarney não.
    Agora, o Sarney coitadinho.
    Um político com de um passado
    tão ilibado.
    Eu lembro e pra quem não lembra, o seu Sarney
    usava seu cargo para nomear e exonerar
    parentes em atos secretos.
    Tinha 11 processos no pelego, mas aí foi
    tudo devidamente arquivado com ajuda em
    massa de qual partido?
    E com ordem de qual presidente do Brasil?
    Livraram a cara até do Arthur Virgílio do PSDB
    que também tinha processo.
    E aí vem esse pessoal falar em ética e bandidagem?
    Mas faça-me um favor meus amigos, essa história de
    ética, bandidagem e blábláblá só servem quando eles
    não tem interesse algum.

    Roberto Locatelli

    12 de maio de 2012 às 08h19

    É isso mesmo, Fabio, a Veja não tem respeito pelos seus leitores.

    Uma coisa é ser de direita. Estadão é de direita, Folha também, e muitos órgãos de comunicação são de direita. Mas não tratam seus leitores como se eles fossem o Homer Simpson.

    Veja e Globo tratam, sim, seus leitores / espectadores como se eles fossem idiotas. Quem não se lembra do comício das diretas que a Globo noticiou como sendo “comemoração do aniversário de São Paulo”. Isso é, simplesmente, tentar enganar o público. E a bolinha de papel que, na Globo, ganhou efeitos especiais feitos no computador. Mas não deu certo, e a própria Globo torce para que ninguém mais se lembre daquela mentira.

    A Veja sabia, há muitos e muitos anos, que Cachoeira e Demóstenes eram parceiros do crime. E escondeu o fato. Aliás, fez pior, tornou-se parceira do crime também. Enganaram seus leitores. E, como diz o ditado, quem planta ventos colhe tempestades.

    É preciso que a CPI intime Policarpo (“Poli”, para os íntimos) a depor. E é preciso intimar também o chefão, Roberto Civita. O outro chefão, o Cachô, que já está atrás das grades, precisa ser incentivado a fazer delação premiada. Queremos saber TUDO.

    Fabio Passos

    12 de maio de 2012 às 16h27

    Exato, Locatelli.
    Os fatos mostram que civita despreza a inteligência dos leitores de veja.

    O piguinho está choramingando mas não foi capaz de apresentar um argumento sequer negando que rupert civita tratou os leitores de veja como imbecis.

    Ruiz

    12 de maio de 2012 às 08h20

    Leitores da Veja não são imbecis? Conheço muita gente que assina a Veja (não sei se lêem), conhecidos e até parentes.. Politicamente são imbecis sim.. não é de hoje que um imenso volume de provas desmascara a revista.. não só porque agora apareceu o Carlinhos Cachoeira que descobriram que a Veja é desonesta.. a visão, no mínimo parcial, da revista (e de vários outros elementos do PIG) já era do conhecimento de todos.. Veja faz sucesso porque alimenta o rancor e o preconceito… dos imbecis… crianças políticas, socialmente dementes que não enxergam as vantagens de uma sociedade justa e solidária..

    Fabio Passos

    12 de maio de 2012 às 16h40

    Ruiz,
    É uma obviedade. Foram tratados como imbecis pela veja durante anos.
    São fatos: A revista veja publicou “reportagens” a mando do crime organizado.

    Conheço leitores de veja que não são militantes do PIG.
    Estão com vergonha. Sentem-se humilhados pela comprovação da sociedade entre rupert civita & carlinhos cachoeira.

    Agora… tem também estes militantes do PIG que aparecem por aqui, orgulhosos da atuação da veja a serviço do crime organizado. Não temos de aceitar calados o comportamento destes vigaristas cínicos.

    Gil Rocha

    13 de maio de 2012 às 02h55

    Rancor e preconceito é?
    Amigo de uma olhada no que
    escreveu no seu texto, e me
    diga quem tem Rancor e Preconceito.

    Fabio Passos

    13 de maio de 2012 às 11h08

    Ruiz, o coitado do piguinho sempre se identifica com os imbecis enganados pelo rupert civita. rsrs
    piguinho tem esta necessidade de defender incondicionalmente o esgoto produzido pela veja.
    Mas se você questionar a razão… ele nega e foge. rsrs

Alexei

11 de maio de 2012 às 23h26

O Fábio não chamou ninguém de imbecil
Ele disse que a Veja “faz seus leitores de imbecis”, ou seja, trata seus leitores COMO SE FOSSEM imbecis.

Mas se a carapuça serve…… paciência.

Responder

    Fabio Passos

    12 de maio de 2012 às 00h12

    É isso mesmo, Alexei.
    Os leitores de veja estão transtornados com a situação. Talvez com dificuldade para ler devido aos olhos embotados de raiva… e o cérebro também embotado por anos de leitura do PIG. rsrs

    Na verdade nós estamos é defendendo a honra e a dignidade do piguinho e dos demais leitores da veja.

    rupert civita não tinha o direito de encher a cabeça de seus leitores com toda esta imundice do crime organizado travestido de “reportagens”.

    rupert civita precisa pagar por seus crimes contra a democracia brasileira.

    Gil Rocha

    12 de maio de 2012 às 01h20

    Isso não é argumento.
    Não concordo com vários comentários
    aqui, e nunca disse que ninguém é
    imbecil por ler certa revista ou blog.
    Mas isso é comum quando não tem argumentos
    a certos questionamentos que faço.
    Eu já estou acostumado.

    Fabio Passos

    12 de maio de 2012 às 02h37

    prezado piguinho,
    Você discorda que rupert civita tratou os leitores da revista veja como imbecis?
    rupert civita permitiu e a revista veja publicou “reportagens” que favoreciam o crime organizado… você acha que isso é respeito ao leitor?

    responda. seja homem… e não um filhotinho do PIG.
    Ou então pare de choramingar…

    Gil Rocha

    12 de maio de 2012 às 05h35

    Vou concordar sim quando a
    CPMI provar tudo isso.
    Provar e todos os indiciados
    forem julgados pela justiça.
    Mas enquanto a CPMI for fechadinha
    também não dá pra confiar demais.

    Fabio Passos

    12 de maio de 2012 às 13h26

    piguinho, está claro que você é claque do rupert civita, carlinhos cachoeira e de toda a bandalheira do PIG… um brasileiro que defende publicamente a corrupção. É devido a brasileiros como você que os colarinho branco assaltam o Brasil impunemente.

    Você não tem vergonha?
    Não acha que deveria explicar por que defende a quadrilha civita&cachoeira?

    Fabio Passos

    12 de maio de 2012 às 13h51

    piguinho, você ainda tem dúvida da associação da veja com o crime organizado?
    olha… parece que você está querendo dar razão ao rupert civita quando ele te ofende. rsrs

JORGE

11 de maio de 2012 às 22h56

Azenha

A entrevista do Deputado Paulo Teixeira é precisa. O Estado de Goiás realmente estava ou ainda está corroído pelo crime organizado.

Lembro das últimas eleições e, um fato curioso tomou-me a atenção, SIMPLESMENTE, NO COLÉGIO AGOSTINIANO ONDE VOTEI, não havia “santinhos” que não fossem do DEM/PSDB. Agora está explicado “OS AMIGOS DO ESTADO CORROMPIDO PODIAM ABARROTAR DE PROPAGANDA POLÍTICA OS LOCAIS DE VOTAÇÃO”.

No meu entendimento, como a eleição foi complexa e com uma imensidão de candidatos, o eleitor até mediano, PREFERIU UTILIZAR A COLA QUE ESTAVA ESPALHADA NOS LOCAIS DE VOTAÇÃO.

Portanto, A CORRUPÇÃO DOS AGENTES PÚBLICOS FOI DECISIVA NAS ELEIÇÕES DE GOIÁS.

Gostaria apenas de lembrar ao nobre deputado que a CPMI tem força CONSTITUINTE e, portanto, com o poder de legislar para a defesa do ESTADO DEMOCRÁTICO DE DIREITO, doa a quem doer.

Um abraço.

Responder

Nelson Menezes

11 de maio de 2012 às 22h32

O Estado de Goiais esta totalmente pelo crime organizado,a segurança publica,judiciario e legislativo,pasmem estavam já adrentrando nos poderes de Brasilia.

Responder

    luiz pinheiro

    12 de maio de 2012 às 13h34

    Já tinham adentrado há muito tempo, nos governos Roriz e Arruda. Perderam influência agora, no governo Agnelo, e então iniciaram uma campanha midiática – Veja, Globo, Bandeirantes, Folha Correio Brazilienese – para tentar incriminar o Agnelo. O Demóstenees chegou a pedir o impeachment do Agnelo no Senado. Não o faria se o Agnelo pertencesse à quadrilha. Há vários trechos das gravações da PF mostrando que eles tramavam derrubar o Agnelo, contando com as vantagens de ter o vice Tadeu Filipelli no comandio do GDF. Esse é o resumo da ópera, enquanto muita gente por aí acha que o Agnelo também estaria envolvido, o que é totalmente falso.

    Nelson Menezes

    12 de maio de 2012 às 15h38

    Luiz Pinheiro, quando me referi Que o estado de Goiais estava totalmente tomado pelo crime organizado e que esta organização já se adentrava no D.F,não quis dizer D.F Estado, mas sim o Governo Federal,e se for analizar todo o histórico a intenção era e é muito clara.

LUIZ FORTALEZA

11 de maio de 2012 às 21h33

E ainda dava uma bela reportagem no FANTÁSTICO para repercutir no BOM DIA BRASIL… GLOBO MALDITA…

AZENHA TIRA ESSAS LETRINHAS…HORRÍVEIS…

Responder

José

11 de maio de 2012 às 21h07

Sem novidade. Ou não era o esperado?

Responder

Fabio Passos

11 de maio de 2012 às 20h46

Na veia:
“Liberdade de imprensa não é liberdade de prática criminosa”

A revista veja tem de prestar contas da sua sociedade com cachoeira e pagar por seus crimes.
E não podemos pensar apenas no “poli”… um mero funcionário da quadrilha.
É evidente que todo este poder do cachoeira sobre a revista só poderia ser delegado por eurípedes alcântara e rupert civita.

Olha só o que o Nassif alertou:

“Esqueçam Policarpo: o chefe é Roberto Civita”
http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/esquecam-policarpo-o-chefe-e-roberto-civita

Responder

Eduardo Guimarães

11 de maio de 2012 às 20h07

Um detalhe: na conversa que tivemos pela manhã, achei o deputado um pouco mais peremptório. Espero que nada tenha mudado entre a manhã e a tarde. Pode, no entanto, ser apenas a minha leitura, já que os fundamentos são os mesmos…

Responder

    Jairo Beraldo

    11 de maio de 2012 às 20h28

    Vai haver deputado e senador com muito blábláblá, nhénnhénnhén e trolóló…mas que se faça levar os criminosos maiores às barras dos tribunais.

    Eduardo Guimarães

    11 de maio de 2012 às 20h36

    Sinto que o PT está muito mais disposto a ir pra cima do que muitos supõem. Aliás, já era hora…

Bonifa

11 de maio de 2012 às 20h01

Excelente entrevista e excelente matéria. Clareza meridiana e alta voltagem informativa; parabéns à Conceição Lemes. E parabéns ao deputado Paulo Teixeira e a seus pares na comissão. Até agora a CPMI está impecável, apesar dos solavancos que lhe são dados a todo momento por aqueles que se sentem por ela ameaçados.

Responder

    Gil Rocha

    11 de maio de 2012 às 20h30

    Desculpe, mas como você sabe que
    está impecável se ela é a portas
    fechadas?
    Eu não tenho essa certeza toda não.

    Eduardo Guimarães

    11 de maio de 2012 às 20h58

    É ridículo sugerir que Teixeira mentiu. Ele tinha dezenas de pessoas ao redor, boa parte das quais composta por oposicionistas. Cada uma, viu…

    Gil Rocha

    11 de maio de 2012 às 21h33

    Quem disse que ele mentiu?
    Eu não disse não.
    E o deputado “supôs” algumas coisas
    como dizer que o jornalista em 2005
    sabia da atividade de Cachoeira.
    E quem não sabia, ele trabalhava com a
    organização de loterias.
    Que eu saiba não era ilegal, até porque
    ele foi responsável até uma por uma aqui
    no RS.
    Agora, alguém me explica o porque
    da CPMI ser fechada se os componentes
    saem de lá e falam tudo que aconteceu.
    Porque ser fechada se já foi acompanhada
    até pelos advogados dos denunciados.
    Alguém aí sabe explicar?

    luiz pinheiro

    12 de maio de 2012 às 13h40

    O depoimento dos delegados foi secreto por requerimento da senadora Kátia Abreu, acatada pelo relator Odair Cunha, que previu que assim os delegados poderiam falar com mais, digamos, desenvultura.

    Fernando L. B. Vianna

    12 de maio de 2012 às 01h47

    Assino embaixo até a momento dos parabéns ao deputado Paulo Teixeira. Não vou ficar dando parabéns de graça a um monte de tranqueira que tem por lá e que a gente nem sabe direito como se tem portado. Aliás, fica a sugestão para a Conceição Lemes: entrevistar também os membros da CPI que são do DEM, do PMDB, do PSDB… Seria legal conhecer o que têm a dizer aos blogs – e, até mesmo, conhecer a sua reação a um pedido de entrevista para blog.

    Gil Rocha

    12 de maio de 2012 às 05h39

    Eu não dou parabéns a ninguém
    enquanto a CPMI for fechada.
    E que ideia é essa de oposição
    dando entrevista por aqui?
    Os caras só vão ser esculachados.
    Ou realmente acredita que os comentários
    seriam isentos e tudo o mais?

Gil Rocha

11 de maio de 2012 às 19h37

Essas sessões fechadas acabam nisso.
Vem vários deputados e falam uma coisa,
e na verdade a gente não sabe quem fala
a verdade.
E só para entender, se as sessões são fechadas
qual a lógica de os componentes vir a público
e relatar o que aconteceu nas sessões.
Aí cada qual vai dar a sua interpretação.
Eu queria saber de que vale esse sigilo todo
do relator e presidente da CPMI.

Responder

    Gil Rocha

    11 de maio de 2012 às 19h42

    O engraçado é como a entrevista que
    tem como título a relação de Cachoeira
    com governo de Goiás, e de repente o Policarpo
    e a Veja são introduzidos no assunto.
    Ai ai, quanta sutileza.

    Fabio Passos

    11 de maio de 2012 às 20h35

    Vida dura a do “piguinho”.

    Então o “poli” sabia muito bem da relação entre demóstenes e cachoeira… e mesmo assim a veja elogiava a ética do senador pilantra.

    A veja fez seus leitores de imbecis.
    Será muito interessante acompanhar civita tentando se explicar na CPI por sua sociedade com cachoeira.

    Gil Rocha

    11 de maio de 2012 às 21h25

    Olha, eu até entendo o desejo
    de vocês em ter a Veja na CPMI.
    Ela realmente acabou com alguns planos
    que já estavam bem articulados por alguns
    petistas.
    Isso sem falar no Collor que deve estar espumando,
    e com ele o PT precisa ter cuidado, afinal no Impeachment
    Veja e PT foram parceiros.
    Eu até acho possível que o Policarpo até
    deponha, mas vai ser só isso mesmo.
    E com uma CPMI a portas fechadas, pode se
    dizer qualquer coisa aqui fora.
    Será que é por isso que é fechada?

    Gil Rocha

    11 de maio de 2012 às 22h54

    E chamar alguém de imbecil
    porque tem opinião diferente
    não é como eu vejo a Democracia.
    Talvez isso seja legal nas Democracias
    chavistas e castristas, mas não aqui no
    Brasil.
    Eu posso dizer com certeza, que nunca vou
    ofender ninguém por pensar diferente.
    Mas isso é para poucos, muito poucos.

    Fabio Passos

    11 de maio de 2012 às 23h59

    Minha solidariedade a você piguinho e a todos os demais leitores de veja.
    Estou certo que os leitores de veja não sabiam que as “reportagens” desta revistinha vagabunda eram escritas pela quadrilha de carlinhos cachoeira.

    rupert civita não tem o direito de chama-los de imbecis.

    Isto não está correto. O patife deve ir a CPI prestar esclarecimentos.

    João Paulo

    13 de maio de 2012 às 20h32

    Sr. Gil Rocha, o pior é que a Veja faz os leitores de imbecis sim (não o estou chamando assim, não conheço o senhor, e não poderia tirar conclusões só por seus escritos). Veja que na capa em que ela colocou a frase ”a imprensa acende a luz”, está uma transcrição truncada do artigo 220 da Constituição de 1988, e do seu primeiro parágrafo. Ora, seria mais honesto, publicar o trecho todo do artigo, ainda que tivesse de fazer outra capa.

    É pelos pequenos gestos que se conhece as pessoas. Quem não é fiel nas pequenas coisas, jamais o será nas grandes.

Paciente

11 de maio de 2012 às 19h24

Somente para registrar: “Foi o caso, por exemplo, de uma intervenção do Carlinhos Cachoeira junto ao procurador-geral do Estado de Goiás (…)”.

Procuradores-gerais não são inalcançáveis. E não me parece que o procurador-geral do Estado de goiás tenha engavetado algum processo contra Cachoeira por três anos.

E ai, como faz? Convoca o procurador-geral de Goiás e o procurador-geral da República… não pode?

Responder

marilamar

11 de maio de 2012 às 19h19

Creio que todos os Desgovernadores do PSDB/DEM/PSD tem o mesmos modus-operandi em todos os Estados, porque a Policia Federal/ABIN nao fazem nada, pois aqui em SP, é uma vergonha a roubalheira, pois todas as Instituiçoes Publicas dos tres poderes estao envolvidos, mais a possivel associaçao com as facçoes criminosas.

Responder

Rasec

11 de maio de 2012 às 19h11

Mas está tão clara a divulgação dos nomes pra confundir! A sociedade não é burra, gente! Olha aí a lista dos citados nos telefonemas do Cachoeira! Ah tá! O povo sabe de tudo!

Responder

LUIZ FORTALEZA

11 de maio de 2012 às 19h10

Isso aí se fosse contra o PT, daria capas de revistas semanais, manchetes nos jornalões empresariais, e até reportagens de 30 minutos no JN da REDE GLOBO. Mas p q não fazem?

Responder

    Roberto Locatelli

    11 de maio de 2012 às 19h50

    Verdade, Luiz. Hoje estava ouvindo a rádio BandNews FM. Fiquei ouvindo por uns 40 minutos. Falaram de futebol, do Celso Daniel (para atacar o PT), depois notícias locais, depois mais futebol. Mas NÃO falaram da CPI. Estão tentando fazer uma “não-notícia”, do mesmo modo que tentaram com o livro “A Privataria Tucana”.

    Ah, se fosse com o PT, dava 30 minutos no Jornal Nacional todos os dias durante um ano, no mínimo.

    Yacov

    11 de maio de 2012 às 23h18

    È isso aí, Roberto. Na TUCANOLÂNDIA, a CPI é uma ‘não-notícia’, o livro A PRIVATARIA TUCANA é um ‘não-livro’, e o braZil é um NÂO PAÍS !!

    “O BRASIL PARA TODOS não passa na glOBo – O que passa na gloBo é um braZil para TOLOS”

    ANDRE

    14 de maio de 2012 às 00h08

    Vocês viram o Mercedes Benz do Perillo, já imaginaram um petista naquele carrão dizia logo: “aquele petista tá roubando”.

    Fabio Passos

    11 de maio de 2012 às 20h49

    Não demora vamos ter 30 minutos no JN da REDE GLOBO tentando livrar o rupert civita da cadeia…


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Blogs & Colunas
Mais conteúdo especial para leitura