VIOMUNDO

Diário da Resistência


Denúncias

Cacique: ‘Justiça não vê nosso lado, pensa que somos animais’


04/06/2013 - 16h06

Mais de 13 anos de luta. Estudo antropológico confirma que, de fato, as terras são dos terena

A outra face da história: Indígenas relatam o terrorismo que estão vivendo no conflito da fazenda Buriti, em Sidrolândia, mS 

por Karina Vilas Bôas, da FETEMS, recomendado por Sérgio Souza Júnior 

Nos últimos dias, o Brasil parou e voltou os seus olhos para Mato Grosso do Sul, por causa do conflito entre indígenas e forças policiais na fazenda Buriti, município de Sidrolândia. Muito se noticiou a respeito, mas poucos veículos de imprensa realmente retrataram a dor e o terrorismo que os terena estão vivenciando.

Por isso os movimentos sociais se uniram e tiveram a ideia de lançar a “outra face da história”. Após conseguirmos colher vários materiais, estamos retratando um pouco dessa grande história de luta pela terra em um Estado latifundiário, onde a concentração de riqueza nas mãos de poucos faz com que a desigualdade seja cada vez maior.

A fazenda Buriti está em área reivindicada pelos índios em um processo que se arrasta há 13 anos. A terra indígena Buriti foi reconhecida em 2010 pelo Ministério da Justiça como de posse permanente dos índios da etnia terena. A área de 17,2 mil hectares foi delimitada, e a portaria foi publicada no Diário Oficial da União.

Mas até hoje a Presidência da República não fez a homologação. O relatório de identificação da área foi aprovado em 2001 pela presidência da Funai (Fundação Nacional do Índio), mas decisões judiciais suspenderam o curso do procedimento demarcatório.

Nessa sexta-feira (31), um dia após o confronto com a Polícia Federal e Militar, o clima na área das 9 aldeias em Sidrolândia era de muita tensão,aviões sobrevoando a área o tempo todo, avisos de que as forças policiais poderiam retornar. Essa é a realidade que está sendo vivida por cerca de 3.800 indígenas.

Os terenas resolveram voltar para as terras da fazenda Buriti e continuar a luta pelos seus direitos, principalmente por causa do assassinato brutal de Oziel Gabriel, 35 anos, que levou um tiro no estômago e das 28 pessoas que ficaram feridas.

Detalhe importante: o indígena guerreiro, como Oziel é chamado pela comunidade, foi morto fora da terra invadida, onde estava acontecendo o confronto propriamente dito. Ele foi assassinado em terra homologada, o que mostra claramente que a tentativa de reintegração foi desastrosa.

As entrevistas dessa reportagem foram concedidas na aldeia 10 de maio, que fica ao lado da fazenda Buriti, onde se encontram as mulheres e crianças dos guerreiros que permanecem na área de conflito. Também é o local das reuniões das lideranças indígenas com a comunidade.

Os relatos deixam claro que a “tentativa” de retomada de posse da fazenda Buriti foi um desastre. Todos os indígenas contam a mesma história, sem mudar uma vírgula. “A polícia chegou e foi uma verdadeira guerra. Eles chegaram atirando, descendo bala, com muito gás lacrimogêneo e violência. Não teve diálogo, eles nem conversaram”, afirma um dos caciques que está com medo de se identificar, pois foi uma das lideranças presas no dia do confronto.

Segundo o cacique, Genilson Samuel, a luta continua, pois após 13 anos eles não tinham outra saída. “Essa luta nós decidimos que não vai parar, o sangue que correu aqui nessas terras, a vida que eles levaram do nosso irmão está doendo, não vai sarar, ficou para sempre no nosso coração, não há justiça que tire essa dor, tá sangrando por dentro. A Justiça não vê o nosso lado, pensa que somos animais, nós temos direito a terra, está comprovada que é nossa e vamos continuar lutando por ela”, afirma.

Para o indígena, Alberto Terena, a situação é de muita revolta. “Nós estamos em busca do direito do povo, eu luto e dou minha vida por este direito, nós estamos sendo massacrados, temos a carta declaratória que comprova que a terra é realmente nossa, nessa questão parece que o Estado brasileiro não que nos enxergar. Nós estamos pedindo um pedacinho da grandeza desse nosso país, tem espaço para todos neste Brasil, inclusive para o agronegócio, o que queremos é nosso por direito e vamos continuar lutando, resistindo. É o nosso povo que precisa continuar a sua história pelas novas gerações, nós queremos o nosso território demarcado”, disse.

O cacique, Basílio Jorge, que foi machucado no confronto, denuncia que o poder público os trata como animais, bichos e que não têm respeito. O indígena assassinado, Oziel Gabriel, era sobrinho de Basílio. “Eu cheguei à área da retomada no momento da guerra, já estava pipocando a coisa. Nossos parentes disseram que o delegado desceu do carro e já foi metendo bala. Não teve diálogo, não teve conversa. Não procuraram saber se íamos sair ou não. Após uma hora e pouco de tensão, recebemos a notícia do outro grupo que meu sobrinho tinha recebido um tiro no estômago e isso é muito triste”, declara.

Já a professora terena, Amélia Firmino, relatou o seu sentimento como mulher e mãe, que está fazendo de tudo para proteger as crianças e os anciões dos conflitos. “Nós estamos sofrendo muito, tem muita dor, é uma ferida que se abriu e não vai cicatrizar. A perda desse irmão não é uma derrota, ele não foi morto em vão, nós vamos, em sua memória continuar a nossa luta pelos nossos direitos e estamos aqui, na aldeia 10 de maio, ao lado da fazenda Buriti, protegendo as nossas crianças e os nossos anciões, para que eles não sofram tanto com este conflito ”, ressalta.

Karina Vilas Bôas é assessora de Comunicação da FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) 

Leia também:

Padre Ton: Para o índio é pena de morte, para o capitalista, roda da fortuna





14 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Alexandre

24 de setembro de 2013 às 19h36

A teoria falsa de Darwin que jamais deixará de ser apenas uma teoria furada e louca vem causando danos a humanidade pois ensina as crianças na escola que são animais e como tais polígamos, feroses, violentos, predadores, cruéis,tais teorias falsas faz pessoas enveredarem pelos caminhos da prostituição do álcool, drogas, fumo e dos crimes. Salmos82:6 Deus ensina que somos essencialmente seres divinos, Eclesiastes 12:7 animais tem apenas corpo e alma, logo tem inteligência, sabedoria,conheciento e são ferramestistas, veja na internet :” I corvo inteligente”, O almático corvo faz anzol de arame com o bico e pesca alimento no tubo, mas não tem entendimento; assim age a falsa ciência baseada na alma; Jó 32:8 entendimento é espiritual, racionalidade é espírito e não alma, a verdadeira ciência é espiritual e não almática que fica só no conhecimento; Salmos 8:5,6 filho de peixe é peixinho, I coríntios 10:7 e 11;7 somos a imagem e semelhança dele; Gênesis 1:26,31 Deus criou os animais no 5º dia, o homem no 6º porque não é animal; unhas são só para defesa, caninos são moedores; Gn. 2;19 e DEU AO HOMEM ENTENDIMENTO (PODER) DE DOMINIO sobre os animais. Salmos 104:30 todos os seres foram cortados de uma mesma rocha mas o espírito enviado a cada um é que faz a sua espécie particular; animais são polígamos, humanos são monógamos pois suas almas se ligam, I Corintios 6:17- se fundem num só espírito; Marcos 10:1,12 é um ser monógamo e na monogamia está a felicidade. I Cor. 15:38,57 Uma é a carne do animal e outra a carne humana; Daniel 4:30,34 Do rei Nabucodonosor foi tirado o espírito, e só com corpo e alma ele foi comer vegetais porque a dentição humana é reta; Darwin ensina: Provérbios 30:20 a moça sai por ai como égua no cio e (Jeremias 5:8) e o rapaz sai por ai como jumento desejando a mulher do próximo e encontra a morte. João 14:23, Rom. 8:9, I Cor. 3:16,17; 6:19, Hebreus 3:6,Tiago 4:5, Efésios 2:22, I Pedro 2:5 O Homem é o santuário de Deus, o templo, a casa de pedra viva onde Deus habita e só precisa acordar para isso. I Timóteo 6:20 Ó Timóteo, guarda o depósito (espírito) que te foi confiado, tendo horror aos clamores vãos e profanos e às oposições da falsamente chamada ciência, a qual professando-a alguns, se desviaram da fé. A ciência é falsa pois é dirigida pela alma, que faz experimentos, cria teorias falsas e enganos mas tudo sem entendimento.Jó 32:8 O espírito é um tesouro; MT 13:44 Este espírito é um tesouro, é Deus em nós, mas não se sobrepõe ao livre arbítrio do homem; 2 Coríntios 4:7 Temos, porém, este tesouro em vasos de barro, para que a excelência do poder seja de Deus, e não de nós. I Timóteo 6: 3,4,20 quem não se conforma com as sãs palavras de Cristo e sua doutrina que é segundo a piedade, é soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas. “Que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma? Que daria um homem em troca de sua alma?” (Marcos 8:36-37). Sexo é um portal da vida, quem atravessa o portal requer almas e se compromissa com elas eternamente; I Corintios 7:27 Por isso se estás ligada a mulher, não se separe, mas se estás separado não se ligue. I Corintios 7:10,11 Aos casados mando, não eu mas o Senhor, que a mulher não se aparte do marido, Se, porém, se apartar, que fique sem casar, ou que se reconcilie com o marido; I Corintios 7: 38. 1º o Espírito, 2º a Alma e 3º o Corpo, esse é o pódium. I Co 9.24 “ Não sabeis vós que 3 correm no estádio mas só 1 leva o prêmio ? Apocalipse 2:7 o prêmio está reservado ao vencedor. Gênesis 8:21 O princípio bíblico é que não se devem ensinar mentiras destrutivas às crianças nas escolas, mas verdades verdadeiras, Provérbios 22:6 “Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele”. CF art. 5º VIII A falsa teoria darwiniana é muito mais que uma teoria, convicção filosófica, política, é uma crença, concepção religiosa pagã, diabólica que insurge-se contra a democracia, que priva a humanidade de sua verdadeira importância,priva de seu real valor. Provérbios 22:14); A adúltera ( a animália do Darwim) come, limpa a sua boca, e diz: não pratiquei iniqüidade. Jeremias 5:8,34 (O animal do Darwim) Como cavalos bem dotados, levantam-se pela manhã, rinchando e desejando a mulher do seu próximo; Proverbios 6:27 Se inteirados de nossa divindade desde criança, o mundo seria muito melhor pois o espírito é uno, ofender o próximo é ofender a si mesmo, pedir divórcio é como seccionar o próprio corpo, a monogamia traz felicidade. Prov.20:27 O espírito do homem é a lâmpada do Senhor, a qual esquadrinha todo o mais íntimo do coração

Responder

Mardones

05 de junho de 2013 às 09h00

Existe um outro lugar do mundo onde o governo desrespeita os direitos humanos elementares: Israel.

Lá, como um rolo compressor, áreas palestinas são invadidas e ocupadas por moradias e empresas israelenses sob o olhar de todo planeta.

Milhares de palestinos são privadas de sobrevvência.

Aqui no Brasil, os índios vivem situação semelhante.

PSDB e PT ‘ocuparam’ o poder central com juramento falso à Constituição.

‘Justiça’ tupiniquim à parte, os financiamentos de campanha pela gigantes do agronegócio são o motor dessa campanha contra os povos indígenas e seus direitos constitucionais.

Lá como aqui, o governo só fará algo quando a comunidade internacional forçar ou… quando houver muitas mortes.

Até lá, Dilmas, Joaquins e cia ltda seguirão cegos, mudos e surdos. E o agronegócio em marcha.

O resto é balela.

Responder

Érica Batista

04 de junho de 2013 às 23h52

Muito triste. Uma vergonha

Responder

    geovana

    11 de agosto de 2013 às 16h38

    Comcordo pois cada um e o que e

Fabio Passos

04 de junho de 2013 às 23h06

Nao tenho duvida.
O cacique esta corretissimo.

O racismo da sociedade invasora e genocida e explicito ainda hoje.

O governo da Presidenta Dilma precisa admitir que fez merda e fortalecer a FUNAI.

Se a preocupacao nao for por valores humanos, ja que o governo e “pragmatico”… que seja para evitar a vergonha internacional de oferecer carta branca aos assassinos de populacoes indigenas.

Responder

LJSpósito Oliveira

04 de junho de 2013 às 20h00

Tweter! Houve alguma moderação de Francisco ao falar, julgo que por imaturidade ou falta de conhecimento,em genocídio militar de índios?

Responder

Maíra

04 de junho de 2013 às 19h47

Então, Francisco e todos, tentar ligar a Copa com questão de índio é que é pura manipulação. É exatamente o que o pessoal dos partidos emergentes faz. Eles, que estão encastelados no sul e sudeste do país, usam os indígenas pra se promover. Quando morre o índio, a culpa é de quem atirou porque cumpria o mandado judicial, não de quem mandou o índio se expor e correr risco desnecessário. Oreru nhamandú tupã oreru.

Responder

LJSpósito Oliveira

04 de junho de 2013 às 19h39

Meu caro Júlio Silveira. Você fala muito bem e oportunamente sobre “critério nas demarcações”. As demarcações vem sendo instrumento de política eleitoreira, parecendo mais voltada para interesses estrangeiros. O mesmo Governo, que tornou inimigos os fazendeiros que fizeram o progresso de Roraima (subsolo rico em minerais raros e de interesse de ONGs)trabalhando sob o estímulo do próprio Poder Central, agora mostra-se amigo do fazendeiro no Sul e Centro-Oeste. O Marechal Rondon já se mostrava angustiado com a sorte dos Terenas, no início do Sec XX. No livro “Índios – Cinco Séculos de Agonia:SOS Rondon”,trato desse assunto abordando a indignidade dos Governos e do Vaticano, desde 1492. Demorou para explodir um barril de pólvora em hibernação, desde o descobrimento da América.

Responder

Urbano

04 de junho de 2013 às 18h10

Genilson, com a nossa justiça de boston, em se tratando pobre, até cara-pálida dança…

Responder

Padre Ton: Para o índio é pena de morte, para o capitalista, roda da fortuna - Viomundo - O que você não vê na mídia

04 de junho de 2013 às 17h21

[…] Cacique Genilson: ‘Justiça não vê nosso lado, pensa que somos animais’ […]

Responder

Francisco

04 de junho de 2013 às 16h53

Há mais de três meses venho dizendo na Rede: o PT vai acabar matando índio. Pistolagem de aluguel.

Paga essa desgraça de indenização pro latifundiário e RESOLVE esta bagaça LOGO!!!!

Depois resolve com o TCU. Os vinte anos que esta enrolando o índio, enrola o TCU.

Demorou.

A abertura da Copa vai ser um momento lindo…

A Comissão da Verdade vai atestar o genocídio indígena do Regime Militar.

Aquele pátio em volta do Maracanã entupido de índio…

E eu no meio.

Não posso fazer nada, sou socialista.

E socialista não mata comunista.

Responder

    LJSóòsito Oliveira

    04 de junho de 2013 às 19h19

    Caro Francisco. Concordo com tudo, menos com a impropriedade de “genocídio militar de índios”. O militar das três Forças sempre esteve ao lado do índio, lutou ao lado do índio nos Guararapes, e, por toda nossa História, foi respeitado e muito bem aceito pelo índio.

    LJSpósito Oliveira

    04 de junho de 2013 às 19h56

    Aonde foi parar o comentário que fiz sobre “genocídio indígena do regime Militar? Concordei com ele, menos com essas palavras, uma vez que o Militar sempre esteve ao lado do Índio, lutou ao seu lado nos Guararapes, e sempre foi por ele considerado amigo.

Julio Silveira

04 de junho de 2013 às 16h51

Respeito muito nossos indigenas, mas há que se ter critério nessas demarcações. Tem sido dito muita coisa sobre a forma como tem sido concedido terras para os indios, de tal forma que estão até importando indios de outros paises para receberem terras aqui. O Brasil e os Brasileiros, inclusive indigenas, não podem permitir que façam daqui uma casa da mãe Joana. Devemos ser justos mas não bestas.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding