VIOMUNDO

Diário da Resistência


Nabil Bonduki: Mídia faz até isentos ficarem “enfurecidos” com IPTU
Denúncias

Nabil Bonduki: Mídia faz até isentos ficarem “enfurecidos” com IPTU


06/11/2013 - 00h14

por Luiz Carlos Azenha

Sete e meia da manhã. Saguão de um hotel em Vitória, no Espírito Santo. TV sintonizada na Band News. O apresentador destaca uma das manchetes: um promotor entrou com ação na Justiça para suspender o aumento no Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) aprovado pela Câmara Municipal de São Paulo.

O promotor fala. Só ele. O texto destaca o aumento “de até 80%” no IPTU de prédios comerciais paulistanos. Aumento “do prefeito Haddad”.  O fato de que isso é até 2016 fica perdido no meio do caminho. Assim como todas as outras nuances: os isentos, o desconto para aposentados, a situação fiscal da cidade, etc. etc.

Dias antes, conversando com o vereador petista Nabil Bonduki por telefone, ele havia afirmado: a mídia, notadamente emissoras de rádio e TV — nesta, especialmente programas popularescos como um vespertino da TV Bandeirantes — “inflou” o sentimento popular, de tal forma que mesmo os que não pagam IPTU — ou os que pagam muito pouco — ficaram, na palavra do vereador, “enfurecidos”.

Ao menos no papel, os isentos deveriam ser beneficiários de uma política de arrecadação voltada para produzir investimento público às custas dos impostos recolhidos de quem pode pagar, certo?

Nas contas do vereador Bonduki, no entanto, muitos não só não reconheceram isso, como passaram a reproduzir o discurso midiático de condenação generalizada a um imposto progressivo!

“Encontraram uma forma de desgastar politicamente o Haddad”, diz Bonduki. É uma novela que vai se arrastar pelo menos até a chegada dos carnês do IPTU aos domicílios paulistanos, no início do ano que vem.

Urbanista e professor universitário, Bonduki tem entre seus eleitores gente de classe média, da esquerda mas não apenas. Recebeu dezenas de mensagens enfurecidas. “Você me traiu, achei que pensava com a própria cabeça”, dizia uma delas, de um eleitor que lamentou o fato de Bonduki ter adotado a defesa do projeto de seu partido, o PT.

O vereador reconhece o impacto “mais forte” do aumento em alguns bairros do centro expandido de São Paulo. Esteve com moradores de Alto de Pinheiros, por exemplo. Um deles, aposentado, que mora com mulher e filha numa casa de 550 metros quadrados, num terreno de 700 metros quadrados, passará a pagar R$  17 mil por ano. Serão 10 parcelas de R$ 1.700 mensais de IPTU — hoje paga R$ 1.400.

Se o próprio Nabil reconhece que muitos de seus eleitores ficaram “enfurecidos”, o que faltou a mídia enfatizar sobre o aumento do IPTU, junto com a notícia mais importante, que é a do aumento em si?

Oferecemos a Nabil a oportunidade de listar:

— O IPTU é o único imposto sobre o qual a Prefeitura tem governabilidade e que independe do crescimento econômico. O Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), o Imposto Sobre Serviços (ISS) e o Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) não são regidos pelo município. Fora disso existiriam o pedágio urbano e a taxa do lixo, que tanta polêmica causou no governo de Marta Suplicy.

— O prefeito é obrigado por lei a atualizar o IPTU. O aumento médio da renda no período coberto pela atualização mais recente ficou entre 16% e 17%. O aumento nominal ficou, em média, um pouco acima, em 24%.

— Não é verdade que o governo federal tenha “abandonado” São Paulo. O dinheiro do Tesouro vem marcado especificamente para fazer corredores de ônibus, habitação e drenagem. A Prefeitura precisa de dinheiro para cumprir metas básicas, muitas das quais estiveram no foco das manifestações populares na cidade, a partir de junho: a construção de dois hospitais e 180 creches, por exemplo.

— A renegociação da dívida paulistana foi bem sucedida, mas para mantê-la consumindo, ainda, cerca de 13% de toda a receita. Outros 3% são destinados ao resgate compulsório de títulos precatórios. Acrescente-se a isso o fato de que São Paulo tem um grande número de funcionários públicos em época de aposentadoria. A folha de inativos cresce cerca de 15% ao ano. O subsídio ao transporte vai aumentar, já que para todos os efeitos está em vigor o congelamento de tarifas. A impressão de que o município nada em dinheiro, segundo Bonduki, é falsa.

— O IPTU é cobrado sobre o valor venal do imóvel, que convencionou-se representar 60% do valor de mercado. O aumento da faixa de imóveis isentos, de 90 para 160 mil reais, deixa cerca de 33% dos imóveis domiciliares, quase 1,1 milhão, livres do IPTU. Outros 500 mil não estão cadastrados, 400 mil em favelas. Como Haddad reduziu em 0,1% a alíquota em todas as faixas, outros 250 mil terão redução no IPTU. Esta parcela se concentra, obviamente, nos bairros mais pobres, que serão os principais beneficiários das obras pretendidas. Ele não disse, mas é uma forma de distribuição de renda na veia.

— A Câmara melhorou o projeto de Haddad. Além de reduzir o aumento proposto pela Prefeitura, isentou os aposentados que ganham até 3 salários mínimos mensais, deu desconto de 50% para os que recebem entre 3 e 4 salários mínimos mensais; e desconto de 30% para os que ganham entre 4 e 5 salários mínimos mensais. Os aposentados são os mais vulneráveis a uma valorização imobiliária refletida num imposto, valorização que não é acompanhada por aumento de renda.

— O fato de que 60% dos paulistanos hoje são proprietários de imóveis — e de que muitos inquilinos arcam com o IPTU do imóvel alugado — contribuiu com o impacto geral da medida, além, é lógico, da grande valorização imobiliária, fruto do “mercado especulativo” nos últimos 4 anos.

Nabil Bonduki nem de longe descarta as reclamações gerais, sejam de pessoas que votaram nele ou não. Pelo contrário. Ele acha que a especulação imobiliária refletida no aumento do IPTU pode tornar o imposto “fator de expulsão da população de baixa renda” de algumas áreas da cidade, uma gentrificação no estilo da que vimos e vemos em várias metrópoles do mundo.

O vereador reconhece que o impacto do aumento será maior naquelas famílias cuja renda não acompanhou a valorização imobiliária. Por isso, acha importante criar uma nova referência para futuros aumentos — a próxima lei será votada em 2017. Diz que a cidade precisa debater isso com profundidade, o que requer que seja informada devidamente sobre todos os ângulos da questão, todos os fatores acima citados e muitos outros.

Até agora o que se viu, no entanto,  foi “uma campanha da imprensa muito pesada”, diz o vereador. Campanha, destacamos.

[Quer conteúdo exclusivo como este, que independe de governos e partidos? Assine o Viomundo]

PS do Viomundo: A assessoria do vereador esclareceu detalhes sobre o caso citado, de Alto de Pinheiros, razão pela qual o texto original foi alterado.

Leia também:

Henrique Antoun rebate Eduardo Cunha: “Querem controlar as ruas”

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



104 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

A denúncia de Haddad contra o "terrorismo" midiático - Viomundo - O que você não vê na mídia

10 de novembro de 2013 às 00h44

[…] Nabil Bonduki: Mídia faz até isentos ficarem “enfurecidos” contra IPTU de Haddad […]

Responder

    manoel

    16 de novembro de 2013 às 10h40

    Para se ter ideia do absurdo, aqui na minha cidade distante 200km de S Paulo tem gente indignada com o aumento do IPTU do Haddad!Isto é que é um efeito do tal terrorismo midiático!

FrancoAtirador

09 de novembro de 2013 às 17h12

.
.

São Paulo, sábado, 08 de dezembro de 2001

TENDÊNCIAS/DEBATES

O IPTU deve ser progressivo?
SIM

IPTU: simples e justo

FERNANDO HADDAD

O projeto do novo IPTU segue princípios simples e justos.

Primeiro, o princípio da diferenciação: o imóvel não-residencial deve pagar proporcionalmente mais do que o imóvel para uso residencial.

Segundo, o princípio da progressividade: um imóvel de valor venal maior deve pagar proporcionalmente mais do que um imóvel de valor venal menor.

Os dois princípios combinados resultam no seguinte:

uma mercearia deve pagar um pouco mais do que uma casa de mesmo valor,
mas também deve pagar proporcionalmente menos do que um hipermercado.

Simples, justo e constitucional.

Terceiro, o princípio da moderação: enquanto nas cidades governadas pelo PFL (com o apoio do PSDB e do PPB), como Rio de Janeiro e Recife, foram aprovadas alíquotas para imóveis não-residenciais de, respectivamente, 2,8% e 2%, em São Paulo foi proposta a alíquota média de 1,5%.

Quarto, o princípio da isenção: como os dados do Ipea e do IBGE sugerem que a tributação no Brasil é regressiva, por causa da estrutura dos impostos indiretos, nada mais razoável do que isentar de impostos diretos sobre a renda e sobre a propriedade os que vivem do trabalho.

Que conta foi feita para chegar ao valor de R$ 65 mil, contra os R$ 40 mil propostos por Maluf na campanha eleitoral?

A resposta exige dois passos:

1) calculou-se a renda média de uma família que deveria estar isenta de Imposto de Renda, caso a tabela do IR fosse corrigida pela inflação desde o tempo em que o PSDB a congelou;

e 2) valendo-se dos critérios de financiamento de imóveis adotados pela Caixa Econômica Federal, estimou-se o valor venal do imóvel que aquela hipotética família poderia comprar.

Resultado do cálculo: R$ 65 mil.

Simples e justo.

Se há uns poucos imóveis que poderiam pagar, isso não se deve a um erro metodológico na escolha dos indicadores, mas ao fato de que a Planta Genérica de Valores (que define os valores venais dos imóveis) ainda não foi completamente realinhada para imóveis de médio valor.

Esses princípios estão sendo explicados à população, de quem temos recebido crescente apoio.

Enquanto isso, o movimento político de um grupo de empresários contra a proposta perde força.

Acho que o tiro de misericórdia foi dado quando esses empresários convidaram a Febraban (Federação Brasileira das Associações de Bancos) para integrar o grupo na mesma semana em que os bancos divulgavam seus resultados do terceiro trimestre.

Um desses bancos acusava, no seu balanço, um lucro de R$ 2,15 bilhões, em nove meses, contra a arrecadação anual de IPTU prevista para 2002 de R$ 1,75 bilhão.

Isso mesmo: o lucro de um único banco supera a arrecadação do imposto sobre a propriedade territorial e predial da quinta maior cidade do mundo.

A Febraban, sabiamente, fez que não recebeu o convite.

Numa conversa franca e desapaixonada, os empresários teriam que admitir três coisas:

1) o aumento do IPTU não pesa na planilha de custos das empresas (menos do que 0,1% do seu faturamento);

2) depois das duas últimas gestões municipais, a cidade não pode ser administrada sem um orçamento maior;

e 3) os R$ 400 milhões de recursos adicionais viabilizam investimentos que gerarão cerca de 16 mil empregos (40 empregos para cada R$ 1 milhão investido).

O resto é política.

Fernando Haddad, 38, advogado, mestre em economia, doutor em filosofia, professor de teoria política do Departamento de Ciência Política da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP, é chefe de Gabinete da Secretaria de Finanças e Desenvolvimento Econômico do município de São Paulo [na Administração da então Prefeita Marta Suplicy].

(http://www1.folha.uol.com.br/fsp/opiniao/fz0812200109.htm)
.
.
Para se situar no contexto do debate, à época, vide Lei nº 13.250/2001:

(http://ww2.prefeitura.sp.gov.br//arquivos/secretarias/financas/legislacao/Lei-13250-2001.pdf)
.
.

Responder

Capilé

09 de novembro de 2013 às 12h20

Para pensar:
“Caso acabemos com a classe média, só restarão 2 classes: os dirigentes e os pobres.”

Responder

heitor

08 de novembro de 2013 às 23h00

Quando um promotor ou um procurador se manifesta, devemos ficar com um pé atrás. Hoje um promotor paulista só faltou babar ao acusar a prefeitura de culpa no incêndio em uma academia em São Paulo. O judiciário brasileiro tem lado e cada vez mais evidente.

Responder

Wagner Iglecias: Novo é bom, mas não o novo do PT - Viomundo - O que você não vê na mídia

08 de novembro de 2013 às 20h25

[…] Nabil Bonduki: Mídia faz até isentos ficarem “enfurecidos” contra o IPTU de Haddad […]

Responder

Mariza

08 de novembro de 2013 às 18h00

Na verdade os paulistas amam de verdade o PSDB, nem procuram se informar de nada e mais os que são isentos estão furiosos, então cobrem deles também, para fazer valer a fúria.

Responder

felipe

08 de novembro de 2013 às 09h56

Eu não concordo com o aumento. Moro na saúde e já pago mto imposto.
O aumento vai pesar no meu orçamento doméstico. Além disso não tem meios para contestá-lo.
A prefeitura precisava ter um meio de estudar impostos absurdos.
Pago cinco mil reais de imposto. Em dez anos vou dar cinquante mil pra prefeitura…não me prestar serviço nenhum…

Responder

Jose Mario HRP

08 de novembro de 2013 às 06h33

Justiça obriga Alckmin a refazer ação contra cartel
Juíza aponta falhas em processo aberto contra empresa que revelou conluio em licitações de trens em São Paulo
Governador terá que reapresentar pedido de indenização incluindo empresas postas sob suspeita pela Siemens
MARIO CESAR CARVALHO
JOSÉ ERNESTO CREDENDIO
Folha de S. Paulo

Se quiser receber alguma indenização das empresas acusadas que formar um cartel para fraudar licitações do Metrô e da CPTM, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) terá que refazer a ação proposta em agosto contra a multinacional alemã Siemens.
Em decisão tomada na terça-feira, a juíza Celina Kiyomi Toyoshima, da 4ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo, mandou o governo refazer a ação, incluindo outras empresas acusadas de conluio.
O pedido original do governo só citava a Siemens e foi tratado como piada nos meios jurídicos. Advogados diziam que a Procuradoria-Geral do Estado criara com a ação uma anomalia semelhante à quadrilha de um homem só: era o cartel de uma empresa só.
Cartel é a ação de um grupo de empresas para combinar o resultado –e os valores– de uma concorrência.
“As sociedades que integram o cartel ou consórcios empresariais e que agiram em diversas licitações levadas a cabo pela CPTM e Metrô deverão integrar o polo passivo”, escreveu a juíza em sua decisão. “A integração de todas é indispensável, sob pena de se dar brecha a decisões conflitantes, caso haja propositura de futuras ações.”
A decisão manda o governo corrigir várias falhas apontadas na ação inicial. Ela não apontou os valores dos contratos sob suspeita, por exemplo, e sem isso é impossível calcular o eventual sobrepreço e a indenização devida.
A juíza também determina que o governo atribua valor mais realista à causa. Originalmente, ele dera à ação o valor de R$ 50 mil, quase nada se comparado aos bilhões de reais dos contratos que estão sob investigação no Cade.
A juíza diz ainda que o governo talvez tenha sido precipitado: “A falta de prova do envolvimento de cada um no suposto esquema de fraude-licitação sugere que tenha sido a ação prematuramente ajuizada, como bem sustentou o Ministério Público”.
O Ministério Público pediu que a Justiça rejeitasse a ação por inépcia. Segundo a Promotoria, não faz sentido pedir indenização à Siemens sem antes investigar as responsabilidades de cada empresa participante do cartel.
Em nota, a Procuradoria Geral do Estado disse que vai cumprir a decisão da Justiça, mas defendeu a ação. A Procuradoria argumenta que somente a Siemens é ré confessa no caso até agora, e afirma que outras medidas judiciais “serão propostas conforme a produção de provas” nas investigações sobre o cartel.
ÀS 11:50 LINKS PARA ESTA POSTAGEM
MARCADORES: ALCKMIN, CARTELÃO, CORRUPÇÃO, PROPINODUTO NENHUM COMENTÁRIO:

DO BLOG O ESQUERDOPATA.

Responder

Cibele

07 de novembro de 2013 às 23h18

Eita, todo dia tem coisa boa sendo feita pelo Haddad! Pra não sair do tema:

http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/comunicacao/noticias/?p=160795

Responder

Francisco

07 de novembro de 2013 às 19h25

Quem não gostar, individualmente, recorre à justiça.

Quanto aos quase isentos ou isentos que são contra o aumento do IPTU. Se tiverem ganho de causa, devem ser impedidos de utilizar ônibus no município de São Paulo.

Quanto aos ricos e abonados, já que passam a pagar o ônibus, que tal usá-lo?

Responder

Elias

07 de novembro de 2013 às 14h20

A casa do aposentado, que mora com mulher e filha em Alto de Pinheiros, 550 metros quadrados vale, no mínimo, 5 milhões de reais. 1% de 5 milhões são 50 mil reais. Ele passará a pagar 17 mil por ano. Por que? Por que em São Paulo, como em Nova York, o cálculo é feito pelo valor venal. Assim sendo, no caso do aposentado de Alto de Pinheiros, sua casa de 550 metros quadrados, pelo valor venal, vale 1 milhão e setecentos mil reais. Há quem defenda que se pague o IPTU calculando-se o real valor do imóvel. Mas aí é outra história. O caso é que a mídia instiga muita gente a chorar de barriga cheia. E é tão sórdida essa instigação que os de barriga vazia choram juntos.

Responder

ricardo silveira

07 de novembro de 2013 às 13h32

Infelizmente, discussões como as que se vê por aqui e em outros blogs não chegam, ainda, à maioria, vítimas da grande mídia. Esta atua para desestabilizar os governos progressistas. Estão se lixando para proprietário sem renda para pagar o imposto, sua defesa é justamente dos que podem pagar.

Responder

Fabio Passos

06 de novembro de 2013 às 21h18

Então o PiG e seus cãezinhos amestrados criticam duramente quem aumenta imposto para os ricos e diminui para os pobres?
Ótimo. É exatamente o que se espera destas oligarquias midiáticas corruptas: Defender os interesses da casa-grande.

Haddad tem o direito e o dever de esclarecer a população sobre quem defende justiça e distribuição de renda… e quem luta para manter os privilégios da “elite” branca.

Em 2014 o psdb-PiG será varrido do mapa.
E isto é ótimo para SP e o Brasil.

Responder

FrancoAtirador

06 de novembro de 2013 às 21h05

.
.
LEI MUNICIPAL 15.889/2013 É SANCIONADA PELO PREFEITO DE SÃO PAULO

Íntegra da Lei, com as Tabelas do IPTU 2014, em:

(http://ibet.provisorio.ws/download/LEI%20N%C2%BA%2015.889.pdf)
.
.

Responder

renato

06 de novembro de 2013 às 20h41

HADAD, foi citado por muitos jornais.
Porque não vai em rede Nacional e conta
o que esta acontecendo.
Avisa os programas de policia de São Paulo
que ele vai usar os espaços onde foi citado.
Não é o nome da prefeitura, é o nome de um
Prefeito do PT, não dá pra deixar barato..
Não é seu BABENA…

Responder

Vicente Jr.

06 de novembro de 2013 às 18h08

“Diz que a cidade precisa debater isso com profundidade”

Mas fugiu do debate…

Responder

lulipe

06 de novembro de 2013 às 17h10

Os isentos têm toda razão, até por que sabem que no futuro a sanha de aumentar impostos do Haddad pode muito bem atingi-los.Antes da campanha promete-se tudo de bom para a população, depois…..Esse PT!!!!!

Responder

Julia Rossi

06 de novembro de 2013 às 16h59

Haddad agiu certíssimo, de forma maquiavélica: tomou medidas necessárias e desagradáveis no início de seu governo. Parabéns!

Responder

Viomundo: Nabil Bonduki: Mídia faz até isentos ficarem “enfurecidos” com IPTU de Haddad | Cidade Aberta

06 de novembro de 2013 às 15h48

[…] Entrevista publicada no site Viomundo no dia […]

Responder

Apolônio

06 de novembro de 2013 às 15h40

Acho que, houve um erro de estratégia do prefeito. Dizem que a história é a mestra da vida. Ele sabia, ou algum conselheiro seu sabia, que iria enfrentar a fúria da grande mídia. Isto já se deu com Erundina e Marta. O prefeito tinha que ter um setor de comunicação eficiente. Hoje temos blogs, faces e outras redes mais. Tem que aproveitar as rádios comunitárias nos bairros e periferias. Tinha que se fazer uma campanha publicitária para esclarecimentos, antes de aumentar o IPTU. Hoje em dia, a comunicação tem que ser feita. Não se pode esperar nada da grande mídia. Ela, representa interesses dos mais abastados. Isto já estava escrito, foi um erro estratégico. O MP. também vai entrar nisso, como também o Judiciário. A batalha vai ser dura, com desgastes.

Responder

    André Guitar

    06 de novembro de 2013 às 16h38

    Concordo plenamente, aliás isso também serve pro governo federal que toda hora tem que ficar se explicando por conta das coisas que a velha mídia partidarizada noticia, uma comunicação direta com o povo, acorda PT.

    José X.

    06 de novembro de 2013 às 18h41

    “Acho que, houve um erro de estratégia do prefeito.”

    Não acho.

    Ele seria bombardeado de qualquer jeito pela mídia que recebeu milhões do Serra e do Alckmin, em compra de assinaturas, publicidade, etc.

    Enquanto não houver a famosa “Ley de Medios” a mídia tradicional vai deitar e rolar. Usar o controle remoto não adianta nada. Será que Dilma ainda não percebeu isso ? Aliás, pela troca de choque que a Folha de São Paulo andou contratando tudo indica que ela vai radicalizar *** ainda mais *** em 2014.

Carlos N Mendes

06 de novembro de 2013 às 15h24

Encontraram um jeito de desgastar o Haddad? Na verdade Haddad sabia muito bem o que o esperava. Não adianta ter razão, tem que PARECER ter razão. E cá entre nós, por mais que prefeituras tucanas tenham protelado esse aumento por anos, realizá-lo em uma única tacada é obra de suicida-masoquista. O sr. Haddad é sucifientemente inteligente para saber as consequências desse ato.

Responder

Cibele

06 de novembro de 2013 às 14h04

Quanto ao morador do Alto de Pinheiros, o valor seria de 1700 mensais ou anuais?

Responder

    Conceição Lemes

    06 de novembro de 2013 às 17h32

    Cibele, dez parcelas de R$ 1700, ou seja, R$ 17 mil por ano. atualmente, são dez parcelas de R$ 1400. bjs

    Cibele

    06 de novembro de 2013 às 17h47

    Nossa! Eles podem pagar, é claro, mas pensei que fosse mais barato. Obrigada, Conceição, pelo esclarecimento.

    FrancoAtirador

    06 de novembro de 2013 às 17h54

    .
    .
    Conceição.

    Qual é o Valor Venal desse Imóvel?
    .
    .

    Cibele

    06 de novembro de 2013 às 18h41

    Pelo tamanho e pelo bairro onde se encontra, deve custar muito, talvez mais de quatro milhões. Para ter esse valor de imposto…

    Cibele

    06 de novembro de 2013 às 18h46

    Custa quatro milhões pra mais, pode crer. Talvez cinco. Encontrei alguns anúncios, é por aí.

    FrancoAtirador

    07 de novembro de 2013 às 13h05

    Grato pela informação, caríssima Cibele.

    Supondo que a casa de 550m² e mais o terreno,

    que perfazem a área total do imóvel de 700m²,

    estejam avaliados em 4 milhões de reais,

    teremos que:

    os 17 mil reais que serão pagos de IPTU,

    no ano de 2014, em 10 parcelas de R$ 1.700,00),

    correspondem a uma alíquota efetiva de 0,425% (*)

    de imposto anual sobre o valor total desse imóvel.

    Isto é:

    menos de meio por cento de IPTU, por ano,

    sobre o valor total de um imóvel de 700m²,

    com 550m² de área construída sobre o terreno,

    situado no ‘bairro nobre’ Alto do Pinheiros

    na cidade de São Paulo.
    .
    .
    (*) Regra de Três Simples:

    R$ 4 milhões == 100%
    R$ 17 mil ===== Alíquota Anual IPTU

    Alíquota Anual IPTU = R$ 17 mil x 100% ÷ R$ 4 milhões

    Alíquota Anual IPTU = 0,425%
    .
    .
    Um abraço camarada e libertário.
    .
    .

    Cibele

    07 de novembro de 2013 às 21h16

    Caríssimo Franco Atirador

    Fazendo a conta do aumento do imposto para minha residência, vi que pagaremos uma porcentagem menor que essa. Era disso que eu estava falando, mas, para esses milionários que podem ter uma propriedade dessas, eu acho é pouco! Adoro!!! Por que não aumentou mais?

    Abração

    Rituska

    08 de novembro de 2013 às 15h57

    O texto deixa em dúvida se os atuais 1.400,00 são anuais ou mensais. Devidamente entendido, agora.

Antonio Victor

06 de novembro de 2013 às 13h48

A classe média brasileira é a mais hipócrita do mundo. Fala em justiça social, mas no fundo só pensa em si mesma. Depois da classe médica ter lutado bravamente para impedir que os pobres e desassistidos recebessem atendimento, seria querer demais que os paulistanos compreendessem as razões sociais do aumento do IPTU. O Brasil vive um período difícil socialmente, quando se levantam todas as forças do atraso, contra o partido que tirou o país da lixeira em que esteve por 500 anos.

Responder

    Lívia

    06 de novembro de 2013 às 20h10

    Falou pouco, mas falou tudo … Parabéns!

Fabio Passos

06 de novembro de 2013 às 13h41

Esta é exatamente a função do PiG: Adestrar a população a seguir os valores e defender os intereasses da “elite” branca e rica.

Resumindo: O PiG é uma máquina de propaganda que faz pé-rapado-burro-de-classe-média defender privilégio para a casa-grande.

Tem de tascar imposto nos ricos e reduzir imposto pago pelos pobres.
O caminho é esse mesmo.
Haddad está de parabéns!

Responder

    Rodrigo Leme

    08 de novembro de 2013 às 08h11

    Uau, fui promovido a rico!!!! Onde pego meu cheque?

    Fernando

    08 de novembro de 2013 às 16h26

    No comitê do PSDB

Gerson Carneiro

06 de novembro de 2013 às 13h37

Engraçado que nenhum dos que são contra o IPTU do Haddad grita contra os fiscais marajás do Kassab. Eita indignação seletiva! Parece a Dilma.

Responder

    Alemao

    06 de novembro de 2013 às 14h49

    E por acaso vc se esqueceu do sócio da mulher do Jilmar Tatto?

    Yacov

    06 de novembro de 2013 às 16h57

    E por acaso vc esqueceu do PROPINODUTO dos METRÔLHAS, do ROUBOANEL, DA DERSA, CDHU, MÀFIA DO ASFALTO, da EDUCAÇÂO, da SAÚDE, AREF SAAB HOURSSIEN, CONTROLAR ?!? Esqueceu que a pouco tempo o KASSAB também aumentou o IPTU, mas como o grosso do aumento recaiu sobre a periferia todo mundo ficou caladinho, e é até para corrigir essa aberração que o HADDAD está instituindo esse aumento escalonado ?!? A São Paulo TUCANALHA é MÁFIA das ELITES ENTREGUISTAS!!! É COSA NOSTRA !! Cosa di FAMIGLIA, CAPICCI !?!

    “O BRASIL PARA TODOS não passa no SISTEMA gloBBBo de SONEGAÇÃO – O que passa SISTEMA gloBBBo de SONEGAÇÃO é um braZil-Zil-Zil para TOLOS”

    Fernando

    08 de novembro de 2013 às 16h24

    É isso ai Alemão.
    O esquema foi construido nas gestões Serra/Kassab.
    Foi desmascarado na gestão Haddad.
    Mas o culpado é O PT pois a mulher do Jilmar Tatto é sócia de um dos fiscais pegos.É muito cotorcionismo

    Rodrigo Leme

    06 de novembro de 2013 às 16h34

    Ou do Antônio Donato?

    Tiao Macalé

    06 de novembro de 2013 às 21h09

    Rodrigo,

    Nonato ?!
    Nonato ?!

    Em São Paulo eu só me lembro de um…
    Um tal de Raimundo Nonato, que dizia sempre:
    “E o salário de professor de escola pública no Estado de Sum-Paulo…ohhh”

Ricardo

06 de novembro de 2013 às 13h21

Uma correção: o Imposto Sobre Serviços (ISS) é sim regido pelo Município.

Acho que estes trechos do texto são argumentos suficientes para que se aprofundasse o debate com a população ANTES de aprovar este modelo de revisão:

“Ele acha que a especulação imobiliária refletida no aumento do IPTU pode tornar o imposto “fator de expulsão da população de baixa renda” de algumas áreas da cidade, uma gentrificação no estilo da que vimos e vemos em várias metrópoles do mundo.”

“O vereador reconhece que o impacto do aumento será maior naquelas famílias cuja renda não acompanhou a valorização imobiliária. Por isso, acha importante criar uma nova referência para futuros aumentos”

Por que não discutir esta nova referência, então? Por que aprovar uma referência que pode ser prejudicial para parte da população e que pode intensificar o processo de gentrificação? Por que essa pressa para aprovar a proposta de qualquer maneira, sob quaisquer meios? Não poderia manter a atualização nos moldes anteriores e propor o debate de um novo modelo para o próximo exercício? Ou, ainda que se alegue urgência, não poderia aguardar o mínimo desenvolvimento do debate com a população?

Responder

Raphael

06 de novembro de 2013 às 12h11

a MIDIA faz ate os isentos ficarem enfurecidos COM O AUMENTO???

Por favor, gente, vocês não podem ser tão ingênuos… A mídia nao é a responsavel pelo “enfurecimento”!! Quem voces querem enganar??? Por favor parem de mentir de forma tão deslavada!! Tenham um pouco de dignidade. Quando começou a onda de protestos, o principal argumento era “não é pelos 20 centavos”. Nisso estava implícito toda a insatisfação do povo com o aumento de mais uma forma de arrecadação desproporcional ao nivel de investimentos e retorno ao povo. Agora vocês, com uma notável hipocrisia, vêm falar que a midia que provocou a reacao nas pessoas, e que essa é exagerada?? Patéticos. Nao sei se voces acham que alguem cai nessa tentativa babaca e dissimulada de manipulacao ou se voces de fato acreditam no que dizem. O brasil, em todas as esferas governamentais, arrecada muito dos contribuintes, mas todos sofremos com o mal aproveitamento desse recolhimento, seja no transporte, na saude, na seguranca. Quando aumentaram em um lado (os 20 centavos) o povo explodiu e deixou claro que quer que os corruptos paguem e saiam da politica, que os investimentos sejam feitos e de forma inteligente e que os recolhimentos sejam devidamente aproveitados. Agora, aumentaram de outro lado e a conversa continua sendo a mesma!! Todos os manifestantes se orgulharam de dizer que ate quem nao pegava onibus estava nos protestos apoiando a causa, mas agora quem nao sofreu o aumento do IPTU nao pode apoiar a causa?? Como assim? O “enfurecimento” se deve nao `a midia, senhores… se deve `a essa palhacada que fazem com o dinheiro que arrecadam da gente, seja no preço da passagem do onibus, seja no IPTU. Serio, voces precisam muito aprender a ver as coisas como um todo, como sao, se baseando em fato e ideias, e nao em bandeiras e “lados”. Toda discussao é a mesma merd a: o prefeito X propoe aumento e alguns sao contra. Pronto, automaticamente esses contra sao do lado oposto do prefeito. Caramba! Acorda!! A esquerda nao pode ter defeitos nao?? Nao pode errar? Aumentar o IPTU com toda robalheira, palhacada, descaso, falta de profissionalismo que existe nos governantes brasileiros é uma péssima ideia!!! Nao estamos pagando pelo IPTU, nem por melhores investimentos, nem porque a sociedade esta crescendo, estamos pagando pelo dinheiro que uma boa parte esta enfiando no bolso!! Se nao houvesse mais corrupcao e o povo visse de fato os resultados do dinheiro que da ao governo, ninguem reclamaria de pagar!! Por favor, comecem a pensar de forma sensata e sem discriminacao… parem de ser robozinhos “esquerda/direita”… ideias boas tem dos dois lados, defeitos tem dos dois lados… entao em vez de escolher um lado soh voces nao pensam em tirar proveito da parte boa de todos os lados? Pensa, gente… pensa.

Responder

    Zanchetta

    06 de novembro de 2013 às 12h43

    E vc gastando tempo querendo dizer a verdade para a tchurma por aqui! Parabéns pelo texto, mas, aqui, é perda de tempo!

    Antonio Carlos

    06 de novembro de 2013 às 14h58

    Claro!!! Nossa imprensa é um exemplo exuberante de jornalismo isento, imparcial e comprometido não apenas com a verdade, mas também com os interesses do povo brasileiro, acima de tudo. Nossa grande mídia é a maior aliada da população na luta contra os interesses e privilégios de poucos em detrimento de milhões. Veja, Folha, Estadão, Globo, Band e tantos outros são todos verdadeiros patrimônios do povo brasileiro, incansáveis guerreiros na luta diária para tornar este país melhor e mais justo, onde não apenas ricos tenham qualidade de vida, mas os pobres também. Sim, pq é claro e cristalino como água: os pobres são, indiscutivelmente, a principal preocupação da nossa grande e querida imprensa. No dia em que os pobres tiverem saúde, educação e qualidade de vida, tenho certeza que os herdeiros Marinho e Civita (dentre alguns outros) deitarão a cabeça em seus travesseiros de algodão egípcio e dormirão tranquilos, com a certeza de dever cumprido e a sensação de paz no coração por terem dado sua parcela de contribuição.

    A verdadeira manipulação é feita aqui, na blogosfera, por blogs sujos como o do Azenha, Miguel do Rosário, Leandro Fortes e tantos outros. Por isso devemos lutar contra esta sujeirada toda. Abaixo Viomundo, abaixo a blogosfera. Viva a Veja!! Viva a Folha!! Viva a Rede Globo!!!!!!!!!!!!

    nana

    06 de novembro de 2013 às 19h17

    Caro Antonio Carlos

    Não esqueça que estamos em tempos difíceis e deixe claro a ironia. É capaz da moça achar que você está falando sério…

    Abraço

Filipe

06 de novembro de 2013 às 12h02

O novo prefeito de Nova York vai aumentar os impostos para os mais ricos.

Por quê o Haddad não pode???

Na hora em que verem a atual administração melhor que as anteriores todos vão esquecer do aumento do IPTU.

Responder

    Raphael

    06 de novembro de 2013 às 12h28

    Porque aqui esse aumento serve pra cobrir o rombo feito pelos corruptos, pelos excessos e pelos abusos feitos ao dinheiro publico arrecadado… Isso tem que ser resolvido antes, porque nao faz sentido vc pedir mais dinheiro pra cobrir o rombo que vc mesmo ta fazendo, e ainda por cima continuar com a roubalheira…

    Filipe

    07 de novembro de 2013 às 13h58

    Serve para subsidiar a tarifa de ônibus, construir mais corredores de ônibus e ciclovias.

    Melhorar mais o transporte público com mais ônibus nas ruas, a criação da empresa municipal de transporte público. Sem esquecer saúde, educação, etc.

    Haddad não é Kassab, também não é Vacarezza (o prefeito pertence ao PT fora do campo majoritário).

    leandro

    06 de novembro de 2013 às 13h15

    Será??? Como esqueceram da Martaxa??

    Filipe

    07 de novembro de 2013 às 13h50

    Marta é considerada a melhor prefeita da história de São Paulo, apesar das taxas.

    Eunice

    06 de novembro de 2013 às 14h03

    Porque paulistano brega tem de guardar o dinheiro brega para ir a Orlando brega.Ora, bregas,!

    Eunice

    06 de novembro de 2013 às 14h04

    E comprar revistas bregas.E apenas olhar os anúncios.Pois são analfabetos funcionais, além de analfabetos políticos.

    pai

    07 de novembro de 2013 às 18h12

    Paulistano guarda dinheiro para fazer o que quiser.
    Liberdade cara. Até para ser brega como vc diz.
    O que vc quer da vida? Aonda acha que o Brasil deve chegar? Dá um exemplo de país ao qual ele deve se assemelhar?
    Eu gosto de ir para Orlando com meus filhos. Sai mais barato que ir para a Bahia, sem ter que passar na favela e correr risco de ser assaltado. Legal pensar um pouco em como sou maldito por ter nascido aqui. Viram esse video da internet? é engraçado:

    http://www.youtube.com/watch?v=mH00NqcqKLU

Rafael

06 de novembro de 2013 às 11h46

Essa reportagem cita que um cidadão paga R$ 1.700 por mês. Não seria por ano???

Responder

    Conceição Lemes

    06 de novembro de 2013 às 17h34

    Nao, Rafael. Serão dez parcelas de R$ 1700, ou seja, R$ 17 mil por ano. Atualmente, são dez parcelas de R$ 1400. abs

FrancoAtirador

06 de novembro de 2013 às 11h16

.
.
“Muitos inquilinos arcam com o IPTU do imóvel alugado”.

Em geral, os locadores, muitos inclusive proprietários de vários imóveis na cidade,

para eximirem-se do pagamento de IPTU repassam a obrigação aos locatários,

fazendo-a constar expressamente em cláusula específica no Contrato de Aluguel,

com base numa ‘frasezinha* sem-vergonha’ que foi incluída por algum latifundiário urbano

no final do inciso VIII do artigo 22 da Lei nº 8.245, de 18 de outubro de 1991,

a popularmente conhecida Lei do Inquilinato, que diz o seguinte:

“Lei nº 8.245/1991

Dispõe sobre as locações dos imóveis urbanos
e os procedimentos a elas pertinentes.

TÍTULO I
Da Locação
CAPÍTULO I
Disposições Gerais
SEÇÃO IV
Dos deveres do locador e do locatário

Art. 22. O locador é obrigado a:

VIII – pagar os impostos e taxas,
e ainda o prêmio de seguro complementar contra fogo,
que incidam ou venham a incidir sobre o imóvel,
SALVO DISPOSIÇÃO EXPRESSA EM CONTRÁRIO NO CONTRATO*”

(http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8245.htm)
.
.
Está mais que na hora de revogar essa injustiça

‘imposta’ por esse dispositivo da Lei Federal 8245/91.

O IMPOSTO PREDIAL E O TERRITORIAL SÃO, POR NATUREZA,

TRIBUTOS SOBRE A PROPRIEDADE OU A POSSE DOS IMÓVEIS

E NÃO SOBRE O USO, ainda que este possa ser considerado

para efeito de redução, acréscimo ou até de isenção.

Nesse sentido, o Código Tributário Nacional é taxativo:

“Lei nº 8.245/1991

Dispõe sobre o Sistema Tributário Nacional e institui normas gerais de direito tributário aplicáveis à União, Estados e Municípios.

TÍTULO III
Impostos

CAPÍTULO III

Impostos sobre o Patrimônio e a Renda

SEÇÃO I
Imposto sobre a Propriedade Territorial Rural [!!!]

Art. 29. O imposto, de competência da União, sobre a propriedade territorial rural tem como fato gerador a propriedade, o domínio útil ou a posse de imóvel por natureza, como definido na lei civil, localização fora da zona urbana do Município.

Art. 30. A base do cálculo do imposto é o valor fundiário.

Art. 31. Contribuinte do imposto é o proprietário do imóvel, o titular de seu domínio útil, ou o seu possuidor a qualquer título. [!!!]

SEÇÃO II
Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana [!!!]

Art. 32. O imposto, de competência dos Municípios, sobre a propriedade predial e territorial urbana tem como fato gerador a propriedade, o domínio útil ou a posse de bem imóvel por natureza ou por acessão física, como definido na lei civil, localizado na zona urbana do Município.

§ 1º Para os efeitos deste imposto, entende-se como zona urbana a definida em lei municipal; observado o requisito mínimo da existência de melhoramentos indicados em pelo menos 2 (dois) dos incisos seguintes, construídos ou mantidos pelo Poder Público:

I – meio-fio ou calçamento, com canalização de águas pluviais;
II – abastecimento de água;
III – sistema de esgotos sanitários;
IV – rede de iluminação pública, com ou sem posteamento para distribuição domiciliar;
V – escola primária ou posto de saúde a uma distância máxima de 3 (três) quilômetros do imóvel considerado.

§ 2º A lei municipal pode considerar urbanas as áreas urbanizáveis, ou de expansão urbana, constantes de loteamentos aprovados pelos órgãos competentes, destinados à habitação, à indústria ou ao comércio, mesmo que localizados fora das zonas definidas nos termos do parágrafo anterior.

Art. 33. A base do cálculo do imposto é o valor venal do imóvel.

Parágrafo único. Na determinação da base de cálculo, não se considera o valor dos bens móveis mantidos, em caráter permanente ou temporário, no imóvel, para efeito de sua utilização, exploração, aformoseamento ou comodidade.

Art. 34. Contribuinte do imposto é o proprietário do imóvel, o titular do seu domínio útil, ou o seu possuidor a qualquer título. [!!!]”

(http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l5172.htm)
.
.

Responder

    Alemao

    06 de novembro de 2013 às 12h38

    Oh filho de Deus! Vc é ingênuo mesmo não? Vc acha que o custo do aluguel não deve incluir os custos do proprietário, é isso?

    Ou vc como inquilino não quer arcar com o aumento do IPTU do imóvel que vc habita? Ah esses donos dos meios de produção!

    FrancoAtirador

    06 de novembro de 2013 às 18h29

    .
    .
    És Dono de Imobiliária, Germânico?

    Ou só Função Gratificada do Serra?
    .
    .

    ricardo

    06 de novembro de 2013 às 13h17

    Que falta que faz um manual de economia para algumas almas singelas.

    FrancoAtirador

    06 de novembro de 2013 às 18h30

    .
    .
    Manual do Milton Friedman?

    Não, Obrigado.

    Já tenho O Capital de Marx.
    .
    .

    ricardo

    07 de novembro de 2013 às 12h25

    Então leia o capital mesmo. Quem não tem cão caça com gato. Mas leia alguma coisa antes de escrever tolices sobre formação de preços no mercado de aluguel imobiliário.

    leandro

    06 de novembro de 2013 às 13h17

    Tá bom. Revoga isso e o proprietário aumenta o aluguel para cobrir o IPTU. Você realmente acha que todo aumento não é repassado para o consumidor final??

    FrancoAtirador

    06 de novembro de 2013 às 18h50

    .
    .
    Não acho nada.

    Tenho certeza absoluta que quem deve pagar

    o Imposto sobre Propriedade é o Proprietário.
    .
    .

    Eunice

    06 de novembro de 2013 às 14h08

    A questão do aluguel já é um escárnio com os inquilinos. Precisamos imediatamente votar uma nova lei do inquilinato pois esta já é lei do cão. Gianazzi do Psol recebe e coleciona reclamações em seu site. Estamos preparando mudanças, mas demora. Precisamos enjaular esses crápulas. Ou criar um sistema decente de habitação. Não esse arremedo.
    O engenho Velho não perdoa os escravos. José Lins do Rego e Fogo Morto estão muito atuais.

    FrancoAtirador

    06 de novembro de 2013 às 18h14

    .
    .
    Os Trôlhas Virulentos Representantes dos Latifundiários

    ficaram ensandecidos, por medo de perder mais essa mamata.

    Já perderam as mamatas do Serra e do Kassab na Prefeitura.

    Só falta esses Tucanalhas saírem do Governo do Estado,

    para definitivamente voltarem aos esgotos subterrâneos.
    .
    .

Avelino

06 de novembro de 2013 às 10h41

Haddad está num bunker da máfia, os mafiosos nada mais fazem do que defender um dos seus pontos.Imagine quando for SP Estado?!É outra guerra declarada.
Brasil nuca teve classe dominante, mas sim máfia dominante.

Responder

Romanelli

06 de novembro de 2013 às 10h41

Aliás, sobre este titulo INFELIZ ..quem sabe muitos “isentos” experientes, já perceberam que MUITO deste aumento irá dar no seu aluguel, dentista, advogado, médico, no seu pãozinho, roupa, combustível, escola e comércio, hein ?

ahhh, que saudade quando os ditos de esquerda eram tidos como a “elite pensante” do planeta ..a que ponto “nos reduzimos”, não ?

Responder

    Romanelli

    06 de novembro de 2013 às 10h46

    e então, a corrupção e desvio em UMA só secretaria bate em R$ 500 milhões .e o prefeito disse que mais 4 estão na mira

    caso os isentos pagassem IPTU de R$ 20/mês, o aumento de arrecadação não seria menor do que RE$ 360 milhões

    some isso aos desperdícios que sempre vivenciamos por falta de INFORMATIZAÇÃO, por exemplo

    ..ou adicione os papéis que políticos DEMAGOGOS trouxeram em duplicidade pro município, estes que poderiam ser muito bem repassados pro Estado ou Governo Federal (na saúde, distribuição de medicamentos, ensino etc)

    Acreça ainda os desperdícios que pagamos por causa dos cobradores

    e veja uma amostra de como a nosso população anda TONTA

    Romanelli

    06 de novembro de 2013 às 11h17

    EITA mundão pequeno, diria Mszaropi

    Jilmar Tatto é uma das vedetes do PT ..ele se consagrou depois de, em tempo recende, colocar fim à guerra que existia entre empresas de ônibus e perueiros no início do Governo de Marta ..meio que como um milagre diziam ..logo após o CAOS plantado no governo de Pita, diziam outros

    Agora os Tatto comanda a famosa “revolução” de Haddad, a potente e possante Secretaria dos Transportes paralisados ..uma que fora dos corredores puxadinho, de cara repetiu o mantra de TODAS as administrações passadas, de que pro transito da cidade melhorar, que a cidade precisa contratar um novo sistema BILIONÁRIO pros seus “EXCESSOS em número excessivo” de semáforos e cruzamentos sem sentido

    Pois bem, não é que agora foi revelado que sua mulher é sócia de um dos fiscais MILIONÁRIOS pegos pela Controladoria ..e que o mesmo fiscal é concunhado do Jilmar Tatto

    quem diria que até aqui a esquerda iria imitar a direita em se ter dum JILMAR a lhe criar constrangimento ?

    http://veja.abril.com.br/noticia/brasil/auditor-investigado-e-socio-da-mulher-de-jilmar-tatto

    ricardo

    06 de novembro de 2013 às 13h19

    Não há dúvida de que o povo, inclusive o “isento”, entende mais de economia do que o jornalismo oficial.

Mardones

06 de novembro de 2013 às 10h20

Realmente, a Band está firme e forte fazendo campanha contra o Haddad, pois tem saudades dos tucanos.

O fato é que o Prefeito não comunicou à população de forma apropriada quem e como o aumento do IPTU iria afetar.

É ridículo ver o Boechat fazer caras e bocas sobre esse assunto como se o prefeito estivesse roubando os pobres e matando o comércio da cidade.

Infelizmente, sem controle social da imprensa não há como escapar desse barulho seletivo. Aliás, adorado pela Dilma e seu tecnicismo.

Responder

Julio Silveira

06 de novembro de 2013 às 10h06

Um bom começo para o Haddad mostrar trabalho seria ele retomar aquele terreno publico doado pelo prefeito anterior a Globo.

Responder

Alemao

06 de novembro de 2013 às 09h45

Esse aumento é desleal porque leva em consideração apenas a valorização do imóvel, como se os salários dos moradores houvesse aumentado na mesma proporção.

O problema principal do país não está na falta de grana, e sim na precária administração de tudo que é público.

Responder

    Tiao Macalé

    06 de novembro de 2013 às 21h17

    A ironia paulistana…

    O paulistano culpa o prefeito Haddad por elevar o IPTU. Pois bem, olha só a contradição…rs
    – O IPTU subiu porque os imóveis se valorizaram.
    – Muito dessa valorização se deu pelo aumento do preço de venda do metro quadrado.
    – Esses imóveis, sobrevalorizados, contêm em seu preço o “custo-propina”.
    – Essa propina só surgiu e ganhou força pela conivência e a vista grossa do Serra e do Kassab.
    Assim, concluímos que a culpa do aumento do IPTU é, em grande parte, do Serra e do Kassab.

FrancoAtirador

06 de novembro de 2013 às 09h25

.
.
Convenhamos que essa Tabela publicada sem um cabeçalho que refira

que os índices nela constantes são relativos ao reajuste médio

do Valor Venal dos Imóveis* situados nos respectivos Distritos

e não ao percentual de aumento do IPTU propriamente dito

contribuiu para a confusão entre a população paulistana.
.
.
Agora, uma ótima notícia para os empresários e latifundiários urbanos:

Portal Terra

A Justiça de São Paulo acatou o pedido do Ministério Público paulista (MP-SP) e concedeu, nesta terça-feira, decisão liminar que impede o aumento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) na capital paulista, como estabelece a lei nº 711/2013.

De acordo com a ação movida pela Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo da capital, a aprovação da lei feriu o princípio de legalidade, já que o texto foi aprovado pelos vereadores em sessão extraordinária, um dia antes da realização de audiência pública.

(http://noticias.terra.com.br/brasil/cidades/justica-impede-aumento-do-iptu-em-sao-paulo,59c029a397a22410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html)

Leia também:

‘Estão fazendo um terror que não existe’, diz Haddad sobre IPTU
(http://migre.me/gyDD2)
.
.

Responder

    Romanelli

    06 de novembro de 2013 às 10h35

    assim como corrupto, assassino e ladrão, mesmo que confessando, filmados e grampeado, com provas claras e videntes não ficajm preso ..aposto que esta liminar cai rapidinho

    em tempo, o BRASIL acaba de constatar que 50 mil pessoas são mortas assassinadas todo ano, e 50 mil mulheres estupradas

    veja aonde estas regras FROUXAS estão nos levando

    Aliás, o próprio instituto que divulgou os dados disse que os assassinatos estão em 60 mil ano ..ocorre que tem muito desaparecido, ou morto que é dado como suicídio ou “causa desconhecida”

    francamente ..110 mil famílias destruídas todo ano e ainda tem gente com pudor de falar em CASTRAÇÃO química, acompanhamento com sensor remoto, RIGOR e diminuição da maioridade c/direito a prisão perpétua

    nós merecemos mesmo..

Zanchetta

06 de novembro de 2013 às 08h47

Como sempre, o PT adora o bônus de gastar o dinheiro e detesta o ônus de tirar dinheiro. Ele não é governo? Que pague por tributar…

Responder

Rodrigo Leme

06 de novembro de 2013 às 08h16

Mentira, mentira na cara dura. Eu quero ver UM link que mostre alguém contra o IPTU. O vereador petista joga com a confusão “contra o aumento nos moldes que foi proposto” x “contra o IPTU”.

O IPTU é talvez o único imposto que eu pago sem dor, é um dos mais justos que existe (IPVA tbm, pelos mesmos motivos), mas abuso tem limite. Não é pq é justo que deve ser abusado e servir ao especulador imobiliário. Eu moro praticamente na Penha e pago reajuste de Tatuapé, com reajuste como se eu fosse morador do alto do Tatuapé ou Jardim Anália Franco.

E esse site evitou até agora a discussão que o promotor trouxe à luz: a votação “pirata” do aumento, promovida por prefeitura e base aliada na calada da noite e ao arrepio de uma audiência pública que foi marcada para o dia seguinte da “pressa” dos vereadores em votar.

Responder

    Rodrigo Barros

    06 de novembro de 2013 às 10h16

    Eta classe média….

    Rodrigo Leme

    06 de novembro de 2013 às 11h39

    Tem gente que toma a trolha e sorri, tem gente que luta. Voce é grupo 1 pelo jeito.

    Romanelli

    06 de novembro de 2013 às 10h29

    o melhor imposto que tivemos foi a CPMF – o mais abrangente, menos “sonegável”, mais barato e MENOS REGRESSIVO ..era o unico que tributava até dinheiro do crime ..pena que a FEBRABAN e FIESP mentiram sobre ele, ou quando políticos começaram a enchê-lo de remendos, exceções e casualidades.

    Quanto ao IPVA, seria justo se não tivéssemos Pedágio, se NÃO pagássemos a Inspeção Veicular (hoje, o que esta aí não esta garantido), ou que não pagássemos seguro obrigatório, nem manutenção de asfalto embutida no IPTU ..ou que as sinalizações das vias estivessem em dia.

    Mas do jeito que esta, pra que quer serve mesmo ? Intuo que é pra pagar funcionalismo, pra pagar salários muito acima do que o limite constitucional, ou pra colaborar com os desperdícios públicos.

    Em tempo, fora que o IPVA é uma ducha fria pra se manter uma política ativa e altiva de, por exemplo, renovação e INOVAÇÃO da frota, desenvolvimento duma industria local etc

    leprechaun

    08 de novembro de 2013 às 11h40

    não, todos os impostos servem, em primeiro lugar pra pagar juros, serviços, etc etc das dívidas pública e privada, rotar o capital especulativo, 43% do nosso pib vai pro ralo da especulação….nenhum governo nem de esquerda nem de direita toca nessa assunto, todos pagam religiosamente

    pra desviar o foco jogaram a culpa da falta de dinheiro somente na corrupção e todo mundo acredita

leprechaun

06 de novembro de 2013 às 07h24

bem feito pro PT que não tem e não quer construir mídia alternativa, tem que apanhar mesmo

Responder

Gerson Carneiro

06 de novembro de 2013 às 07h05

O mais ridículo é ver o Datena e o Marcelo Rezende empenhados na campanha contra o Haddad. Ambos ignoram que seus telespectadores não moram em casas e bairros aonde eles, Datena e Marcelo Rezende, moram.

Responder

    Romanelli

    06 de novembro de 2013 às 10h38

    mais ainda em ver os ditos intelectuais de “esquerda” traírem seus princípios todo dia ao defenderem BANDIDOS aliados, racistas, sexistas, eugenistas, ou a terem que defender políticas públicas feitas às pressas e nas coxas.

Leandro

06 de novembro de 2013 às 06h37

O que ele esquece é que num país com carga tributária tão alta e serviços tão ruins, o povo não suporta mais aumentos. Se que aumentar a receita, corte despesas como toda família faz quando a coisa aperta.

Responder

    Adriano Almeida

    06 de novembro de 2013 às 08h11

    Ou você é um inocente útil, ou um influenciado por seus erros?

    neri, fernando

    06 de novembro de 2013 às 09h03

    Essa é a lógica que os bancos e as financeiras receitam para os outros … porque elas mesmo não cortam nada quando se apertam … correm para os governos para socorrê-las ou os chategiam com o rebaixamento dos seus titulos forçando que se venda patrimônio publico que elas intermediarão e com isso ganahrão mais dinheiro … por isso que nem dou atenção à divida de cartão de credito ou qualquer outra divida de pessoa juridica como banco ou similar quando o orçamento aperta … JÁ GANHAM ATÉ DEMAIS DE TODOS OS LADOS!!!!

    Leandro

    06 de novembro de 2013 às 11h40

    Quem decide socorrer banco é o governo federal. Com nosso dinheiro, vide pan-americano, da enorme carga tributária que pagamos. Algum esperto acha que não vai ser repassado aos preços?

    museusp batista neto

    06 de novembro de 2013 às 09h21

    Errado!! Para aumentar a receita tem que aumentar impostos existentes com critérios progressivos como faz agora com o IPTU e criar novos incidentes sobre atividades e rendas dos mais abastados. Todo mundo fala em reduzir despesas como se fosse simples. Cortar despesas significa reduzir serviços necessários aos cidadãos e, em alguns casos, gerar desemprego. Para começar vamos tratar de cobrar IPVA de aeronaves utilizadas por aqueles que estão pouco se lixando para o povo apertado e congestionado nas ruas. Por que helicóptero não paga IPVA e não faz inspeção veicular? Por que as incorporadoras que entopem a cidade de torres recebem incentivos fiscais? O poder público tem que COBRAR mais de quem pode pagar e GASTAR MAIS em beneficio de quem precisa de serviços públicos, gerando empregos.

    Raphael

    06 de novembro de 2013 às 12h23

    Na verdade se pode começar cortando despesas reduzindo o salário de todos eles, afinal, num país com o salário mínimo abaixo de mil reais, ter cargos publicos que recebem acima de 20 mil é no mínimo uma piada com a nossa cara. Se acabar com isso, com cartões de creditos, carrões, verba para 9028349052307 acessores, e obviamente a roubalheira escrota, garanto que já sobraria muito mais!! Voces parecem cegos, sabe… a corrupcao ta la, estampada e orgulhosa. Os abusos estao la, estampados e orgulhosos. A palhacada e o descaso estao la…. E voces estao aqui discutindo corte de despesas, aumento de 0,0000003% em nao sei onde! Por favor gente!! Metade do que é arrecadado é mal gasto, seja em excessos, seja roubado!! Esse é o primeiríssimo problema que deve ser resolvido!! Veja a cronologia da coisa:

    O governo arrecada do povo > O governo some com metade do dinheiro em excessos e roubo > Os investimentos nao sao como deveriam pq nao tem dinheiro > Povo insatisfeito com os investimentos cobra melhorias > Governo pra atender as melhorias aumenta a arrecadacao (volta ao primeiro passo).

    Onde esta o problema, gente?? Adianta resolver o quinto ou sexto passo?? Nao, né!!! Nao enquanto nao eliminarmos o passo 2!!
    Vamos ver sem ele:

    O governo arrecada do povo > O governo investe esse dinheiro corretamente e TODO onde o povo quer/precisa > O povo ve o resultado mas quer ainda mais > Governo entao aumenta a arrecadacao

    ……. Nao sejamos hipocritas, ok. A gente aqui discutindo sexo dos anjos e o problema principal la passando batido! Nego de esquerda nao discute os erros dos partidos de esquerda. Nego de direita nao discute os erros dos partidos de direita. Todo mundo faz vista grossa pros proprios erros e aponta o dedo pro erro dos outros. E a coisa vai descambando, povo ficando na miseria, politico roubando na cara dura (salario de 20 mil reais na situacao atual do pais, pra mim é roubo) e a galera ta aqui discutindo os superfulos de toda a situacao….

    leprechaun

    07 de novembro de 2013 às 09h11

    na verdade na verdade mesmo os salários nem são o grande problema, o problema maior é que o brasil paga 43% do pib em dívidas de todo tipo, quase um trulhão de reais pelo ralo que governos de “esquerda” ou “direita” pagam religiosamente sem contestar nada e ainda fazem uma enorme ginástica pra esconder esses números do povo, e vc preocupado com salarinhos de 20 mil reais ….

Romanelli

06 de novembro de 2013 às 06h30

O que se tem PROMETIDO é que não só haverá uma “readequação” do Mapa tributário, assim como tb se prevê um AUMENTO DA CARGA TRIBUTÁRIA de SP.

Um dos maiores problemas de SP é que devido a DEMAGOGIA e irresponsabilidade administrativas, prefeitos tem isentado MILHÕES de proprietários que sequer pagam UM CENTAVO por seus imóveis que são servidos por luz, coleta, escola, posto de saúde, asfalto, fazendo aqui com que muitos outros munícipes fiquem sobrecarregados com tamanho fardo.

..e aqui, ressalve-se, falamos de PROPRIETÁRIOS ..e não dos milhões de invasores e/ou locatários da cidade.

Nas últimas administrações as famílias sempre ficaram sujeitas a estas “readequações” que, INVARIAVELMENTE, pra maioria, não correspondem a evolução de suas rendas. (mesmo pq os que mais se beneficiaram nos últimos anos foram os de baixa renda que, aqui, são isentos)

Fora ainda que vez em sempre somos pegos de surpresa, hora pela aumento cavalar das taxas e multas municipais, da proposta de se pagar LUZ à parte, de termos que bancar a inspeção veicular e ainda recolhermos a taxa de lixo municipal (como foi com Marta).

De rotina mesmo temos o eterno DESCASO dos gastos com a CÂMARA, da corrupção que NUNCA é contida nos órgãos públicos municipais, dos problemas que se avolumam (transito, transportes, buracos) e das políticas públicas que quase NUNCA tem sequência e/ou cumprem do orçamento ou do cronograma.

Reitero, AUMENTO DE IMÓVEL trazido por especulação imobiliária (que esta sendo facilitada pela despolítica Federal) NÃO significa, não significa aumento de RENDA, muito menos de custo ou de despesa Municipais ..e o que se espera é que mais cedo ou tarde esta DERRAMA termine em desperdício ou no bolso do funcionalismo.

O IPTU NUNCA foi desenhado pra avaliar ganho imobiliário – isso é um ABSURDO !!! – e mesmo seu uso pra se fazer uma pretensa “justiça fiscal”, encontra duma série de limitações ..ainda mais nesta megalópole que é formada de ilhas de “fartura” cercada por um mar de favelas e problemas por todos os lados.

PIOR ainda que o que vemos de propostas NUNCA passam dumas porcas pinturas batizadas de faixas exclusivas destinadas a rodagem de ônibus lotado, barulhento, poluidor, dado em CARTEL e CARO – caríssimo por sinal – tudo, dizendo que estão revolucionando..

..ou mesmo da construção às pressas de ciclovias jogadas em áreas DESERTAS (vida Marginal Pinheiros e Radial Leste por ex) ..convenhamos, é muito pouco pro que se fez e pro que se esta propondo fazer ??!!

E nunca devemos nos esquecer, a PMSP esta conseguindo tb rever o total de sua divida (pra baixo), fato que promete diminuir seus gastos com despesas financeiras e dilatar seu prazo de pagamento.

pergunta – e o dia em que a BOLHA estourar ? Haddad vai diminui o IPTU ? oras vá …sem condição

Pra se ter uma noção da evolução do IPTU ..partindo do princípio que Marta teria deixado a casa “arrumada” (embora tenha perdido a eleição):

ano prefeito % IPCA

2005 Serra 5,0 (*) 5,7
2006 Serra -16,9 (*) 3,1
2007 Kassab 4,4 4,5
2008 Kassab 5,3 5,9

2009 Kassab 8,5 4,3
2010 Kassab 30,0 5,9
2011 Kassab 7,9 6,5
2012 Kassab 9,1 5,8

2013 Haddad 7,1 5,9 (estimado)

acumulado 70,6 58.9

(*) inclui Taxa de lixo

Responder

    Romanelli

    06 de novembro de 2013 às 06h35

    pra melhor visualizar
    .
    ano…..prefeito…..%…..IPCA
    .
    2005….Serra……5,0(*)…5,7
    2006….Serra….-16,9(*)…3,1
    2007….Kassab…..4,4……4,5
    2008….Kassab…..5,3……5,9
    .
    2009….Kassab…..8,5……4,3
    2010….Kassab….30,0……5,9
    2011….Kassab…..7,9……6,5
    2012….Kassab…..9,1……5,8
    .
    2013….Haddad…..7,1……5,9(estimado)
    .
    acumulado………70,6…..58.9
    .
    .
    nota – todas estas correções, em bota parte, nos imóveis comerciais, acabaram sendo repassadas aos serviços e produtos ajudando a fazer com que a cidade se tornasse uma das MAIAS CARAS DO MUNDO

    (*) inclui Taxa de lixo

    Romanelli

    06 de novembro de 2013 às 08h44

    alguns exemplos de desperdícios recentes

    KASSAB, pouco antes de sair, INUNDOU a cidade com umas latas de lixo presas aos postes ..de cara, qq munícipe que tem RAÍZES e conhece a cidade, de cara eles se perguntaram pra que de tanto gasto ? Afinal, pensavam, em pouco tempo, assim como ocorreu com as correntes do JANIO, vândalos as estruiriam, e o poder público sequer daria conta de recolher seus conteúdos.

    e advinha o que aconteceu ?

    E com Haddad, a coisa mudou, alguns se perguntam ?

    Bem, de início a cidade esta sendo TOMADA por CENTENAS de estruturas caríssimas de concreto (com direito a brasão da cidade)que estão sendo colocadas nas calçadas centrais dos principais corredores.

    ..a mensagem que pode ser lida é que “em breve o motorista de SP não irá perder mais a hora” pois ali serão instalados relógios ..e isso em tempo de celular, radio (esta novidade) etc

    mais ainda…

    Hoje já podemos ver que muitas faixas de pedestre estão recebendo ILUMINAÇÃO própria porém, porém com praticamente todas elas ainda sendo localizadas em locais impróprios, tipo, logo após uma curva.

    isso sem falar nos pontos de ônibus feito de vidro que estão se estilhaçando por todo canto

    ..e isso ainda sem falarmos no ABUSO que continua havendo com a instalação de tartarugas (em substituição às lombadas) estas que mais ATRAVANCAM, do que regulam os carros ..e enchem os bolsos das empresas que detém sua patente

    e então ..vocês acham mesmo que a coisa esta mudando ? ..e olhe que eu nem falei dos corredores que, do dia pra noite, em vias já insuficientes, tomaram de assalto cerca de 25, 33 a até 50% das já poucas faixas de rolamento ..tudo com direito a REDUÇÃO de frota e de linhas tb.

    Realmente gente, o pior que pode acontecer com uma cidade como SP é eleger políticos teóricos que não tem HISTÓRIA, compromisso, conhecimento ou vivência contemporânea com os problemas da cidade.

    em tempo – Janio, Covas, Erundina e Pitta eram de outros Estados, e foram enfiados por seus partidos, sendo que Pita nem 10 anos de cidade tinha e/ou conhecia o metrô

    Setubal, Maluf, Marta, Serra, Kassab e Haddad ou eram, ou moravam em bairros com estrutura de ELITE

    e hoje gente, hoje esta elite anda de HELICÓPTERO por cima desta megalópole

    de consolo mesmo só nos resta pensar que a VENEZUELA esta muito pior

    quem sabe aqui tb HADDAD resolva antecipar as comemorações do Natal pra nos animar ?

Erich

06 de novembro de 2013 às 05h59

O prefeito deve ir à TV esclarecer esse aumento o quanto antes. Não dá pra deixar a mídia corporativa ficar distorcendo os fatos ao seu modo.

Responder

Lucas F

06 de novembro de 2013 às 03h25

agora falta ao PT relembrar como é que se fala com “até os isentos”, essa parte da população que não vai ler este texto, aquela para a qual tem de se falar no boca a boca, organização de base, etc. Isso sim é “falar com as ruas”.

Responder

Adelson

06 de novembro de 2013 às 02h26

Algumas pessoas serão prejudicadas com o novo iptu paulistano, especialmente os aposentados do INSS, onde o parco valor do beneficio da aposentadoria, dos que ganham acima de 01 salario manimo, ano a ano, reduz o valor do beneficio, para voces terem noção da tamanha injustiça, em 2012 com a decretação do valor do novo salario minimo, mais de 200 mil aposentados do INSS, que ganhava mais de 01 minimo, passou a ganhar apenas 01 salario minimo, fiz um estudo, em que, um trabalhador se aposentou com 05 salarios minimos, em 15 anos, se a lei permitisse, ele estaria ganhando menos que 01 salario minimo, e chegaria a valores irrisorios, digamos 10%, e ladeira abaixo, atingindo menos de 1% do salario minimo, no serviço publico é o contrario, o funcionario se aposenta com salario integral, e nos casos dos policiais militares, quando se aposentam (vão para a reserva), se é capitão, receberá o beneficio de sua aposentadoria como fosse “MAJOR”, já o INSS, é ao contrario, o trabalhador quando se aposenta, tem redução de 40% do beneficio logo de cara, e com o tempo, só faz piorar, no proximo comentario colocarei detalhadamente os valores entre dois aposentados (celetista e estatutario), o salario igual que os dois tinha, o mesmo tempo de serviço, idade, e os valores de beneficio inicial que cada um receberá, e a evolução descendente do valor do beneficio da aposentadoria do aposentado do INSS, é de chocar, tamanha é a injustiça.

Responder

    Romanelli

    06 de novembro de 2013 às 07h03

    papo furado de quem NÃO entende do que esta falando

    Aqui em SP aposentados PROPRIETÁRIOS, que ganham até 3 SM, já são isentos a mais de década

    Aliás, eis aqui um dos problemas, eles que tem RENDA e se beneficiaram de poder dispor de um trabalho formal, por serem servidos com LUZ, varrição, coleta, manutenção de vias, posto de saúde e até FARMÁCIA popular (ABSURDO, pois isso deveria aber ao Governo Federal), por tudo isso eles não pagam nem R$ 20 por mês

MarcosLima

06 de novembro de 2013 às 00h28

Não sei porque o autor se admira.
Na copa passada o treinador, Dunga tratava a imprensa igualmente, sem privilégio para a rede Globo, os exprejudicados não gostavam e criticavam.
Quanto mais, uns isentos desinformados.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.