VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Ministério da Saúde diz que governo não desistiu de cubanos
Denúncias

Ministério da Saúde diz que governo não desistiu de cubanos


22/05/2013 - 19h03

do Blog Pragmatismo Político, por sugestão de Luciano Bezerra Gomes

El Pais e Portal Terra distorcem frase de ministro sobre médicos cubanos e causam polêmica. Suposta desistência estava gerando protestos nas redes sociais e sendo encarada por alguns como uma vitória do preconceito ideológico contra Cuba

Matéria publicada ontem pelo Terra e repercutida no El Pais anunciava que o ministro Padilha teria afirmado que o Brasil receberá mais médicos estrangeiros, mas dará preferências a países como Espanha e Portugal, cuja formação seria mais próxima a dos brasileiros.

Em contraponto, o ministro da Saúde teria dito que os médicos de Cuba e do Irã teriam tempo de formação não reconhecido no país. O Ministério da Saúde informa que Padilha se referiu apenas a Elam (Escola Latino-Americana de Medicina), em Cuba.

A frase dita pelo ministro e transcrita pela assessoria do ministro, diferente do que informava o Terra e o El Pais, foi a seguinte: “Descartamos buscar trazer médicos formados em universidades cujo tempo de formação não é reconhecida no próprio país, ou seja, não autoriza exercer medicina no próprio país. Um exemplo que acontece em Cuba, a Elam, ela tem um período de formação de quatro anos para programas internacionais e, depois o estudante tem que continuar fazendo internatos, estágios em Cuba pra poder depois atuar em Cuba, então, nós descartamos qualquer política de atração de profissionais médicos que sejam formados em universidades cuja formação não autoriza atuar no próprio país, isso também já foi descartado”.

Padilha também teria recomendado aos municípios brasileiros que vão receber esses médicos, que lhes deem as condições adequadas para realização de um bom trabalho, algo que os médicos brasileiros alegam ser um dos motivos para não aceitarem trabalhar em alguns lugares.

Em nota, o Ministério da Saúde afirma que “estuda as experiências de outros países para atração de médicos estrangeiros diante da dificuldade apresentada pelos prefeitos de contratar profissionais para trabalharem no interior e periferias de grandes cidades. Embora não exista definição sobre que modelo será adotado pelo Brasil, algumas possibilidades estão descartadas: a contratação de médicos de países cujo índice de profissionais é menor que o do Brasil; a validação automática de diplomas; além disso, só serão atraídos profissionais formados em instituições de ensino autorizadas e reconhecidas por seus países de origem. Dessa forma, exclui-se, por exemplo, médicos da Bolívia e do Paraguai, devido ao baixo índice de médicos por habitante, e da faculdade Escuela Latinoamericana de Medicina de Cuba (Elam), cujo tempo de formação não é reconhecido no próprio país”.

O suposto recuo estava gerando protestos nas plataformas de rede social e estava sendo visto por militantes de esquerda como uma vitória do preconceito ideológico contra Cuba. A medicina cubana é reconhecida mundialmente como de boa qualidade.

Leia também:

Pedro Saraiva: Sobre a vinda dos 6.000 médicos cubanos

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



27 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Mílton de Arruda Martins: Expansão dos cursos de medicina, com "elitização brutal", pode ter ajudado a concentrar médicos - Viomundo - O que você não vê na mídia

22 de julho de 2013 às 19h34

[…] Por má-fé, a imprensa transformou Elam em Irã e descartou totalmente a vinda dos cubanos. A restrição expressa era apenas à Elam, cujo curso de medicina dura quatro anos, o do Brasil, seis. […]

Responder

Gutemberg

08 de julho de 2013 às 05h56

O governo viu que ia meter os pés pelas mãos e voltou atrás. Entretanto, não pense o Padilhando (!!) que os médicos estão satisfeitos, vamos ficar em cima da aprovação do Ato Médico e da REVALIDAÇÃO. Se vierem sem revalidar o diploma, os médicos vão parar, greve! Além da medida ser inconstitucional, é politiqueira! Ou o governo faz o correto, ou os médicos vão parar o BRASIL. Eles erraram em considerar que nossa classe é burra, e o melhor, ainda nos uniram num sentimento que nunca foi visto na história da medicina do Brasil!

– Padilha, não fuja da situação. Assuma que o senhor liderava essa idéia estúpida de encher o Brasil de agentes cubanos!

Estamos atentos!

Responder

JOTACE

23 de maio de 2013 às 02h19

Caro Marcio H. Silva,

Quem se pela pelas fontes que citas é nosso governo que prestigia e assiste financeiramente a máfia, em prejuízo de uma imprensa livre e sadia. Para agradá-la, não há limites, como o faz Lula, mentor maior do atual governo: ele agora “escreve” para o New York Times. O mesmo jornal que acaba de receber um protesto pelo jornalismo que pratica assinado por grandes expoentes da liberdade dos povos como Noam Chomsky e Oliver Stone, por exemplo. Pareces esquecer que na WEB há blogs sérios onde existe a livre expressão, cujos responsáveis são jornalistas competentes, idôneos, muitos dos quais conhecem e por isso rejeitam, as esconsas práticas desses organismos da desinformação como os mencionados. Assim, fazem aqueles jornalistas o básico de todo trabalho de imprensa séria que é o de usar fontes idôneas, às vezes até de dentro daqueles organismos, analisar as informações, recolher notícias e cotejá-las nacional e internacionalmente conforme o caso. O maior cego é o que não quer enxergar, caro Márcio. Esse (des)governo que defendes, é o mesmo que trai o povo que confiou nas repetidas promessas de [email protected] que hoje como governantes ou congressistas, cinicamente delapidam seu patrimônio e entregam a soberania da nação e querem se reeleger novamente. Pra mim, é mais importante considerar que somos o segundo (ou o primeiro) país do mundo em número de hansenianos e que disso devemos cuidar, ao invés de estarmos batendo zabumba porque a Dilma figura numa lista carregada de segundas intenções como a segunda mulher mais poderosa do mundo. O que fizeram com a lepra no Brasil os governos que temos elegido e as celebradas associações médicas? Nada! Salvo o que fizeram alguns, uns pouquíssimos e devotados médicos e auxiliares, apenas mudaram por decreto (!) o nome da doença…E a brincadeira continua com esse desgoverno, para que Dilma, como Lula, receba também suas benesses, encha o peito com pedaços de lata, figure em outras listas do Primeiro (?) Mundo, e o país seja entregue aos piratas…Termino por aqui de uma vez o meu diálogo contigo, e sinceramente desejo que te voltes a favor dos excluídos e que são muitos em nosso BraSil…Cordialmente, Jotace

Responder

    xacal

    23 de maio de 2013 às 11h04

    Sei…sei…Jornalismo puro, amigo e conscientizador. Sei…sei.

    Mas como lidar com uma contradição: O editor deste blog trabalha em uma empresa de mídia PIG, que inclusive dá sustentação ideológica a um tipo de conservadorismo religioso nefasto?

    Assim como ele, o Rodrigo Vianna…

    E aí, Kemoçabe?

    Onde estará o Santo Graal da política? Você acredita mesmo nestas baboseiras de “trair o povo”, ou esta pontuação que fazes de eventos para diagnosticar todo o esforço estrutural que tem sido feito para que, em 12 anos, este país mude outros 500 de exploração?

    Você está à espera de alguma Cruzada?

    JOTACE

    23 de maio de 2013 às 15h46

    Caro xacal,

    Grato pela consideração de descer do teu pedestal de iluminado de Brasília e se comunicar com um simples comentarista como é o meu caso. Devo lhe dizer que, pelo menos ao que sei, sequer conheço pessoalmente qualquer integrante do Viomundo, nem do blog do Rodrigo Viana, do qual você também fala. Contudo, não escondo minha admiração pela conduta de patriotas, verdadeiros jornalistas que são e assim não manipulam, não forjam notícias nem omitem dados substantivos das matérias apesentadas. Não os condeno por trabalharem numa empresa que reconhece suas qualidades e à qual certamente prestam a excelência dos seus serviços. De minha parte te digo com toda a honestidade que não sou pago por ninguém para apresentar a minha opinião como brasileiro descontente com as bandalheiras que se passam no país com, pelo menos, o conhecimento e a leniência desses três governos petistas nos quais votei e de muitos congressistas do mesmo partido. Todos igualmente desrespeitosos dos seus deveres e que se comportam como desprezíveis anti-pátrias. Cordialmente, Jotace

    xacal

    23 de maio de 2013 às 22h59

    Ah, sim, então estamos resolvidos! É tudo uma questão moral (ou de caráter).

    Assim você resolve as contradições quando lhes são colocadas! Deve ser um lugar divertido este mundo no qual vives…

    Sem ironias, eu invejo quem enxerga a realidade em tons tão binários…Sofre menos!

    Ok, eu é que agradeço por me ungir com tamanha “fé do verdadeiro socialista”!

    Quanto a sua decepção com seus votos dados ao governos petistas, não se desespere…Quem sabe Barbosão venha aí, ou quem sabe a Joana D’Arc da Floresta, a proba e santa Marina?

    assalariado.

    24 de maio de 2013 às 11h44

    Caro Xacal, como é um partido que se diz socialista, administrar um Estado capitalista? Eu sei, eu sei, uma coisa é ser governo, outra coisa é estar governo. A questão que fica é: Sobre as suas 6 perguntas e suas réplicas que debatemos, no post viomundo: “Ministério da Saúde diz que governo não desistiu de cubanos”.

    Não podemos pensar parado, por isso, -(sua pauta de perguntas serve tanto para um governo de viés de esquerda, tanto para um de direita)-. Afinal, ainda estamos no modo de produção capitalista. Portanto, não socialista.

    Sobre partidos, os que temos são e estão aburguesados, dissociados dos assalariados que, ultimamente tenho dado prioridade a discutir mais a ideologia socialista -(de como caminhar dentro do capitalismo)-, digo mexer nas estruturas de Estado do capital rumo ao socialismo, entende?

    Então, o próximo passo é, construirmos a (HEGEMONIA DE ESQUERDA) na sociedade e no congresso nacional, para fazermos frente as barbeiragens do governo da vez frente ao capital. Como achar -(ou construir?)-, um partido disposto a fazer essa tarefa junto aos assalariados e nas bases da sociedade.

    Por outro lado, disse e repito não tenho dúvidas, temos que construir a (HEGEMONIA DE ESQUERDA) na sociedade, no Estado e sua instituições burguesas. Esta é a palavra mágica para as eleições de 2014.

    Abraços.

    assalariado.

    23 de maio de 2013 às 15h11

    Caro JOTACE, realmente, as atuações ambíguas do governo da governabilidade, suas práticas politicas e econômicas conflitantes, diria, são até contraditórias, para quem se diz ‘esquerda’. Ou será que eles estão e são coerentes o tempo inteiro e a militância vive viajando nas ideias. Vai em direção oposta aos interesses dos assalariados e do Brasil nação. Surfam nas mesmas ondas da social democracia no século 19. No quesito serviços públicos saúde, educação,… discursam povo e vomitam concessões.

    Abraços.

    JOTACE

    23 de maio de 2013 às 20h29

    É assim mesmo como você diz, Assalariado. E ainda, os iluminados de Brasília, entontecidos por servirem aos poderosos do dia, cobram a nossa gratidão pela mudança de 500 anos no Brasil! Que o digam, os flagelados do MST, milhares de família vivendo em barracos sujos, à beira das estradas, sem acesso à terra, e o agronegócio dos kátios recebendo, um atrás do outro, o mais formidável caudal de recursos… Abraço fraterno do, Jotace

    xacal

    23 de maio de 2013 às 23h11

    Bom, para começar, assalariado, é bom distinguir GOVERNO e PARTIDO!

    Acho que já superamos a noção de que governos repercutem a agenda do partido, ou que os partidos sejam meros aparelhos dos governos!

    Bom, neste sentido, as críticas a falta de ousadia petista podem até ser coerentes, mas não podemos perder de vista que todo partido que preza um ambiente interno democrático carrega suas contradições.

    Goste você ou não, a História e os fatos provam que o PT se tornou o que é porque alcançou o que nenhum outro partido alcançou.

    Se fôssemos diferentes, seríamos o pissol, e venhamos e convenhamos, a julgar pelas cagadas recentes (randolfe e gilmar dantas/ randolfe contra os blogs/ aliança com os DEMOS), de nada adiantou ficar nanico!

    Eu sugiro aos colegas comentaristas o Coletivo Gregório Bezerra, ou o PCO, se ainda existirem, claro!

    Se quiserem uma experiência menos “heavy”, tentem Santo Daime.

    ………………………………………………………….

    Por outro lado, o GOVERNO é um ente bem mais AMPLO, e que conjuga as contradições não só de um estrato ou setor da sociedade(como um partido) mas de TODA a SOCIEDADE, e por motivos óbvios, GOVERNOS e PARTIDOS têm funções bem diferentes.

    Ou será que deveríamos fechar o Congresso para agradar os humores da militância e sua sede de moralismo neoudenista!

    Em tempo: Fico lisonjeado com a alusão de que seria integrante do governo em Brasília, ou que me fosse dada alguma “outorga” para defendê-lo.

    Infelizmente, não é o caso!

    Xacal é policial civil do Estado do Rio de Janeiro, filiado ao PT desde 88, porém não mais militante orgânico.

    Não que eu me ache importante para declinar tais informações, mas é para lhes poupar o ridículo de falar sobre o que não sabem.

    Rótulos são para comida, meus caros…Vocês reclamam justamente das práticas que utilizam!

    Santa incoerência…

Hermann Hoffman: Os critérios para a vinda de médicos estrangeiros - Viomundo - O que você não vê na mídia

23 de maio de 2013 às 00h43

[…] Ministério da Saúde diz que não desistiu de médicos cubanos […]

Responder

juarez campos

22 de maio de 2013 às 23h37

Henrique, para ser advogado tem que passar no exame da Ordem. Para ser médico não tem exame. A corporação médica quer cobrar dos estrangeiros uma excelência que não é cobrada no Brasil. O povo brasileiro, principalmente do interior do país, que vc não conhece, não tem atendimento. A questão é simples, o Brasil tem que importar médicos que queiram trabalhar e não somente ganhar dinheiro e viver na cidade. Até parece pardal, só querem viver na cidade e nas grandes.

Responder

Rui

22 de maio de 2013 às 23h24

Ô povinho sem memória. Será que já esqueceram de como os dentistas brasileiros eram tratados em Portugal nos anos 90, quando estavam embriagados de hidromel da UE? Ou de como os espanhóis por tanto tempo trataram muitos brasileiros que lá chegassem, mesmo de passagem? Não prego revanchismo, mas um mínimo de amor próprio não faria mal. Estão na “pindaíba” e, para variar, vêm escapar em terras abaixo do equador. Quando melhorarem, esperem só para ver.
E, desculpem-me a franqueza, mas querer comparar os resultados da saúde cubana com a brasileira, é piada, e de péssimo gosto. Temos bons médicos? Sem dúvida, mas quem os pode pagar? Tão éticos são, que muitos cobram diferenciadamente, se o paciente (agora cliente) pede recibo ou nota fiscal.São dois preços. fica a dúvida: serão dois empenhos, dois compromissos, duas éticas? Ou mesmo dois juramentos: um de Hipócrates e outro dos hipócritas?
O problema é que na maioria dos países a medicina é profissão,mas aqui é título de nobreza com certidão de capitania hereditária. Exceções há, lógico, mas são cada vez menos comuns.

Responder

lidia virni

22 de maio de 2013 às 23h06

EU ME ENTREGARTIA DE OLHOS FECHADOS AOS CUIDADOS DE QUALQUER MÉDICO CUBANO, PELO QUE CONHEÇO DE EXPERIENCIAS EXCELENTES DE BRASILIEROS QUE LÁ SE TRATATARAM PAGANDSO MUITO MENOS DO QUE EM QUALQUER PAÍS CAPITALISTA E PELO CARINHO DE QUE SÃO ALVO NAS CIDADES BRASILEIRAS EM QUE JÁ ATUARAM.

Responder

    LEANDRO

    23 de maio de 2013 às 07h33

    Hugo Chavez pensava assim também.

    LEANDRO

    23 de maio de 2013 às 09h28

    Hugo chavez também pensava assim……

    xacal

    23 de maio de 2013 às 10h56

    E o leandro que não pensa, se entrega a quem?

    Ele, como bom classe mé(r)dia corre para o plano de saúde falido, ou para a consulta particular achando que tais medidas são símbolo da excelência privada sobre o setor público.

    Quando na verdade, é o dinheiro abatido no IRPF dele que alimenta este modelo segregador e exclusivista.

    O pior, que ainda assim, a medicina, de verdade, é horrorosa, mas disfarçada em salas bem decoradas, ou em instalações que mais parecem shopping centers!

    Este é o modelo ao qual se “entrega” o leandro e outros seres não-pensantes como ele!

    Nelson

    23 de maio de 2013 às 16h42

    O Xacal “foi no rim”, “deu no meio” do nosso comentarista que se “entrega” a futilidades e, por isso, não consegue enxergar o esforço do povo venezuelano para escapar a décadas e décadas de opressão, exploração e miséria. Um esforço monumental, personificado na figura ímpar que foi Hugo Chávez.

    Areje tua cabeça, meu caro Leandro. Leia algo além do recomendado pelo PIG e pelo amo do norte. Você descobrirá o quão dura mas também bela é a história de luta do povo latino americano para construir uma Pátria Grande a sua feição.

Luís Carlos

22 de maio de 2013 às 22h51

O governo federal da Presidenta Dilma está enfrentando situação como jamais havia sido feito. O Ministro Padilha está a frente dessa iniciativa. Esta é uma medida necessária e que somente um governo com compromisso e coragem ousa tomar, enfrentando coorporações poderosas e que sempre estiveram de costas para a população brasileira. As entidades médicas tem rebaixado o debate, com argumentos desqualificados e mistificações, objetivando confundir a opiniãompública e esconder seus reais motivos de contrariedade à iniciativa. Cuidado com informações veiculadas por veículos da grande mídia. Tentarão de todos as formas envenenar a população com informações completamente iverídicas. Parabéns a Presidenta Dilma e ao Ministro Padilha pela iniciativa corajosa e necessária.

Responder

Marcio H Silva

22 de maio de 2013 às 21h22

Eu sabia que era polêmica criada pelos espanhóis do El Pais e do Portal terra. Afinal eles querem uma reserva de mercado para seus jovens médicos desempregados. Uma porção de comentaristas aqui ficaram nervosos com o Governo à toa. Falei no meu comentário que deveríamos aguardar uma posição oficial. Agora fico imaginando, se uma porcaria de PIG estrangeiro faz criar uma cacetada de insatisfeitos, a curto prqzo, com uma suposta atitude do ministro ( que era falsa ), imagina o PIG nacional martelando mentiras durante 10 anos na cabeça do povo? vamos botar o pé no chão e ter muita calma nesta hora. Daqui pra frente, e até a próxima eleição, muitos tiros de canhão piguento serão dados. Vamos confiar somente em informações de fontes oficiais…….

Responder

    JOTACE

    22 de maio de 2013 às 23h02

    Caro Marcio H. Silva,

    De minha parte nenhum desejo de polemizar com você, até porque é sabido que o “El País” não pratica jornalismo, mas o crime. Contudo sua proposição de que até a próxima eleição confiemos somente em informações oficiais, é simplesmente hilariante. Pois estaria tentando transformar todos os brasileiros em ovelhas submissas a um governo que mente e desrespeita a todo dia o seu patrimônio e a soberania da nação. O ministro Padilha não desmente que já se encontra praticamente certa a importação quando se trata da vinda dos médicos portugueses e espanhóis, mas não é claro quanto ao que concerne aos cubanos, insinuando que examina a experiência de outros países para a atração de médicos estrangeiros. Participo do ponto de vista do Viomundo quando afirma que a medicina cubana é reconhecida mundialmente como de boa qualidade. Ponto de vista universal com pouquíssimas exceções motivadas simplesmente por razões de ordem política. Além do mais, é preciso que o governo leve a sério a existência de milhões de brasileiros que necessitam de, pelo menos, cuidados médicos básicos, essenciais. E reconheça a impossibilidade absoluta de dotar os municípios dos rincões brasileiros, principalmente das regiões Norte e Nordeste, da instrumentalidade que os doutores do asfalto exigem e que, se atendidos, nunca se dariam por satisfeitos. Os médicos de Cuba são os melhores nesse particular de trabalharem em condições adversas. Ademais não têm preconceitos, não são xenófobos nem racistas, como o desmontram à saciedade, a visão que a maioria do povo espanhol tem do Brasil, e o tratamento dispensado aos nossos irmãos brasileiros não só no aeroporto de Barajas, mas em todo o território da Espanha. Se tem dúvida neste particular, recomendo a leitura de um artigo de um profissional idôneo e altamente qualificado que é o Mauro Santayana e intitulado “A Xenofobia Espanhola e a Reciprocidade Brasileira”. Cordial abraço, Jotace

    Marcio H Silva

    22 de maio de 2013 às 23h52

    Caro Jotace, se não confiarmos somente nas informações oficiais, vamos confiar em quem? nas notícias da Globo? da Veja? da Folha? do estadao? do El país? hilariante é esta sua afirmação, me desculpe, hoje com a internet e acesso a links do Governo, podemos muito bem ter a informação na fonte. E concluindo porque também não quero polemizar, leio Santayana há muito tempo, e a matéria citada já foi repercutida no PHA, e finalizando, co nheço muito bem os Espanhóis, trabalhei com vários deles. Eles nos enxergam como colonias e inferiores, apesar de não termos sido colonizados por eles. Imaginam então como devem tratar nossos hermanos na América espanhola…..

Julio Silveira

22 de maio de 2013 às 21h00

Ainda bem, mas do jeito que esse governo anda, ainda espero mais para crer.

Responder

PauloH

22 de maio de 2013 às 20h57

Sempre lembrando que o correspondente de El País no Brasil, Juan Arias, quem escreveu tal matéria, é tucano até o tutano. Diria que ele é um zen-tucano, pela postura pouco agressiva se comparada aos congêneres nacionais, mas nem por isso menos tucano. Basta comparar as matérias de El País sobre o Brasil escritas por ele e as escritas por outros jornalistas. A diferença de tom e de viés é gritante. Juan Arias tem a Veja como fonte primária e já declarou, com todas as letras, que, para ele, “o melhor analista político do Brasil” atualmente é o Reinaldo Azevedo. Tá lá no blog dele (do Juan Arias), não sou eu que estou inventando.

Responder

Gerson Carneiro

22 de maio de 2013 às 20h55

Ministro disse “médicos da Elam de Cuba”. Por má-fé a mídia interpretou “médicos do Irã e de Cuba”.

Responder

    Lu Witovisk

    23 de maio de 2013 às 09h08

    Pois é. A baixaria é grande.

Bacellar

22 de maio de 2013 às 19h23

E o El Pais ainda enfiou o Irã no meio. Esse é o novo “jornalismo criativo”.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.