VIOMUNDO

Diário da Resistência


Mello: Omissão do ministro da Justiça reforça o comportamento dos golpistas
Denúncias

Mello: Omissão do ministro da Justiça reforça o comportamento dos golpistas


17/03/2015 - 12h01

Captura de Tela 2015-03-16 às 10.52.13

segunda-feira, 16 de março de 2015

Ministro Cardozo, veja até onde sua omissão nos levou. Aonde mais nos levará?

do blog do Mello

A imagem que ilustra esta postagem foi colhida ontem, dia das manifestações daqueles que são contrários ao PT, ao governo, à democracia…

Bom, a pauta era variada e confusa (houve até uma mulher com um cartaz defendendo a fome e o direito de assassinar mulheres…).

Mas esta imagem, se não me engano do protesto de Jundiaí, SP, mostra bonecos representando o ex-presidente Lula e a presidenta Dilma enforcados.

Isto acontece graças à sua omissão, que se confirmou na coletiva que deu no final do dia, onde defendeu como pacíficas e democráticas palavras de ordem ofensivas e misóginas contra a presidenta, pregação de golpe militar e volta à ditadura, o uso ilegal de uma concessão pública (Globo) para insuflar a manifestação contra o governo, e até o ataque com bomba a uma sede do PT. Onde a democracia e a não violência aí?

Mas, volto à imagem. Ela me remeteu, em sentindo inverso, àquela do fascista Mussolini, pendurado de cabeça para baixo.

Só que aqui os fascistas é que penduraram bonecos de nossos presidentes, atrevida e IMPUNEMENTE.

Tudo isso graças a sua inoperância, sua omissão, sua covardia.

O que foi feito do policial federal que usou uma silhueta da presidenta como alvo e postou nas redes sociais?

O que foi feito com outros policiais federais que fizeram ataques à presidenta e campanha nas redes para o candidato por nós derrotado?

O que foi feito para punir os vazamentos seletivos da Lava Jato, com o claro objetivo de atingir o PT e criar obstáculos para a reeleição da presidenta Dilma?

Nada.

E essa impunidade reforça o comportamento dos golpistas. Agem com a certeza de que vão e podem contar com sua omissão covarde.

Agora, penduraram bonecos enforcados com as imagens de Lula e Dilma.

A prosseguir sua omissão, podem tentar o mesmo com as pessoas de verdade.

Como disse Machado de Assis, a ocasião faz o furto; o ladrão já nasce feito.

Há louco pra tudo. Até para tentar matar Lula ou Dilma, só para aparecer no Jornal Nacional.

À espera da ocasião.

Veja também:

Caio Castor: Protesto contra Dilma na Paulista foi muito além da classe média

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



32 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Octavio Pires

06 de agosto de 2015 às 19h15

Estes dias, vi um documentário sobre os traficantes que atuam no México e seu “modus operandi”. Entre eles, está o de pendurar corpos em viadutos, para chocar as pessoas. Aqui os coxinhas, por enquanto, estão pendurando bonecos. Se a sociedade apenas continuar a olhar com olhos de aflição para isso que esses “moços educados e filhos de família fina” estão fazendo, e não responder à altura, logo veremos corpos de verdade pendurados. Tomara que não seja um ente querido nosso. Por ingenuidade ou profissionalismo, estamos à toda evidência, beirando o abismo. E a Dilma e o PT são meros pretextos para esses atos de pura selvageria. Os ” KIm Catabosta” da vida estão cada vez mais ousados e atrevidos.

Responder

JC

18 de março de 2015 às 16h50

Ainda que tenha sido imensa a contribuição dos chamados blogs sujos para pôr o governo a serviço do povo brasileiro, artigos como esse a cada dia se fazem mais necessários a fim de que não se efetive o que poderá ser a maidanização do Brasil. Se um país como a Ucrânia tem despertado tanto a cobiça do ‘mundo ocidental’, por que as enormes riquezas e a importância geopolítica brasileiras não seriam tão ambicionadas? O que pode esperar o povo, o país, de um ministro como Cardozo, de comportamento no mínimo leniente às ameaças que pairam sobre o BraSil?
JC

Responder

Carlos Pinheiro

18 de março de 2015 às 15h16

Mello, você que tem mais acesso ao homem Cardoso, pergunte porque a Lava Jato está na 10ª fase e tudo o que não envolve o PT está debaixo do tapete. Trensalão, Suiçalão, compra da reeleição do FHC, Furnas, aeroporto do titio, helicóptero de coca em que fase estão??? Ou toda a PF, MPF e Justiça Federal estão ocupados com a Lava Jato e o restante assistindo à cobertura da Rede Globo??? Quebra meu galho, é só uma dúvida.

Responder

Lila Bello

18 de março de 2015 às 11h46

Mello, corretíssima a análise…Que sensação horrível ao ver aqueles bonecos enforcados…Pela falta de coragem, omissão e medo do ministro de Dilma. Esta manifestação golpista do dia 15 de março envergonhou e entristeceu a nós, cidadãos conscientes do progresso e melhora do país com os governos trabalhistas. Mudar o ministro da justiça torna-se essencial para colocar o Brasil em ordem. O próximo tem que ter coragem e não temer o PIG…A guinada ä direita de Dilma prejudica o país…A esquerda provou com suas manifestações do dia 13, que pode cuidar e ampliar os movimentos de rua em favor da democracia e colocar as agendas positivas da reforma política e da lei de médios, conquistando novos adeptos e influenciando o nosso congresso conservador. Ainda há tempo, entretanto a direita golpista nos espreita a cada dia…Um abraço, Lila.

Responder

maria do carmo

18 de março de 2015 às 07h45

A simulacao de Lula e Dilma enforcados, esse odio insano, orquestrado pelo psdb e midia, mesmo que tivessem motivos, que nao existem, ja ultrapassou todos os limites, ha de se dar um basta, quando politicos estimulam odio, e o fim, ministerio publico exercam suas funcoes, pois a provocacao chegou ao maximo o que estao esoerando , a reacao dos que elegeram Dima? … E subliminar, chegou-se a falar em vala comum, e outros absurdos nessa manifestacao que a midia seletiva escondeu. O que estao esperando? a reacao? …Ha de se dar um basta!

Responder

    Gerson

    18 de março de 2015 às 18h46

    O MTST queimou hoje bonecos representando Ministros de Estado. E nesse caso ….pode? ou essa indignação é apenas unilateral?

abolicionista

18 de março de 2015 às 00h41

Ué, lei de segurança nacional só vale para sentar a borracha na esquerda?

Responder

Vicente

17 de março de 2015 às 22h36

Nada de importante, mas quem escreve “presidenta” é petista ou analfabeto, ou ambos (isso é, as duas coisas, explico para os que escrevem presidenta…).

Responder

    abolicionista

    18 de março de 2015 às 11h25

    Sócrates, segundo consta, era analfabeto, e isso não o impediu de ser o pai da filosofia ocidental. Vamos parar com o preconceito? E qual a relevância desse comentário?

FrancoAtirador

17 de março de 2015 às 20h32

.
.
Por Anuência Tácita ou Expressa,
os 3 Poderes da República
e o Ministério Público Federal
Legitimaram os Atos Atentatórios
à Constituição Federal do BraSil.
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    18 de março de 2015 às 10h28

    .
    .
    Em 15 de Março de 2015, entrou em vigência no braZil
    .
    a Primeira Emenda à Constituição Norte-Americana,
    .
    amparada pela Jurisprudência da Suprema Corte
    .
    dos United States of America. Heil Hitler! Anauê!
    .
    .

Ralph Panzutti

17 de março de 2015 às 18h03

Esses seus comentários, estava na minha garganta a muito tempo. Ele não é só covarde é um traidor. Um Pinochet. A presidenta tem que demitir este homem. Toda essas denúncias seletivas é por conta deste sujeitinho. Nas próximas passeatas temos que colocar isto em pauta, sua demissão.

Responder

Adilson

17 de março de 2015 às 18h01

do blog do Marcio Valley

Passadas as marchas pró e contra o governo, é hora de nós, brasileiros e brasileiras, nos juntarmos para, sem coloração partidária, sem ressentimentos e sem rivalidades mesquinhas, promovermos ações políticas coletivas que estejam acima de qualquer suspeita de ambos os lados.

Tanto nas passeatas do dia 13, como nas do dia 15, era imenso o número de pessoas portando cartazes e faixas contra a corrupção. Trata-se, pois, de uma agenda política de todos os brasileiros. Que tal representantes de ambos os lados da disputa política, como, por exemplo, Lobão e Stédile ou FHC e Lula, demonstrarem que não se limitam à retórica emocional dos palanques? Que estão dispostos a abraçar uma causa objetiva e concreta que possui amplas possibilidades de produzir algum efeito positivo em nossa política?

A partir dessa repugnância à corrupção demonstrada por todos e dadas as informações que são reveladas a partir da Operação Lava-Jato, a primeira dessas ações concretas que merece ser abraçada parece ser o financiamento privado das campanhas políticas. E nem há necessidade de produção de projeto de emenda constitucional ou de lei de iniciativa pública. Já há uma interpretação jurisprudencial do Supremo Tribunal Federal prontinha para entrar em vigor. Basta apenas exigir que Gilmar Mendes cumpra o seu dever constitucional, como integrante do Poder Judiciário, de impedir ou mitigar os conflitos sociais. Juiz não existe para produzir questões, mas para resolvê-las.

Responder

Leo V

17 de março de 2015 às 17h17

Fascismo é o partido da nação em cólera. Leia esse trecho e veja como parece a descrição do dia 15:

“Um dos fascistas mais inteligentes do pós-guerra, Maurice Bardèche, explicou em 1961 que o fascismo «não tem um princípio fundamental» e «não tem uma clientela natural», e continuou: «Ele é uma solução heróica. […] Ele é o partido da nação em cólera. E principalmente […] dessa camada da nação que usualmente se satisfaz com a vida burguesa, mas que as crises perturbam, que as atribulações irritam e indignam, e que intervém então brutalmente na vida política com reflexos puramente passionais, quer dizer, a classe média. Mas essa cólera da nação é indispensável ao fascismo»”

http://passapalavra.info/2012/10/65171

Responder

Sertão/PE

17 de março de 2015 às 17h03

Esse Cardozo e um ministro bosta.

Responder

Caracol

17 de março de 2015 às 16h19

Os últimos doze anos contrariaram os 500 anos anteriores da história brasileira.
Contrariaram e muito.
Talvez nem tanto quanto durante Getúlio.
Mas contrariaram.
O PT no governo (não no Poder), Lula, Dilma et al contrariaram um bocado.
Parece que o PT, Lula e Dilma concluíram que este era o seu limite. Para eles, parece que mais do que isso não dá. Afinal, ao que parece, não temos a garra de um venezuelano, equatoriano, boliviano ou até mesmo de um argentino. Não. Nós gostamos é de shópingue, e isso o PT, o Lula e a Dilma de fato nos deram. Shópingue. Aquilo que nos tempos janistas eufemisticamente se chamou de “forças ocultas”, mais tarde de “conjuntura” e atualmente de “correlação de forças” apareceu agora sem a máscara de “brasileiro cordial” e apavorou, acovardou e petrificou os petistas, Lula, Dilma et al.
Pelo menos, fica aí mais uma geração para ver como é, de fato, a cara dos brasileiros.
Bom, é isso aí: somos um povo sem fibra e sem coluna dorsal, somos gelatina, cogumelos ou o que seja. E temos, no momento, um governo que nos representa.
No momento.
Vai ser o que eu sempre achei que era: um povo, uma comunidade. uma sociedade, nunca será mais do que aquilo que ela é.
É isso aí.
Bola pra frente e vamos ver no que dá.
Esse filme eu já vi várias vezes, eu tenho 500 anos de idade.
Só sinto pena de uma coisa: o MEU limite pessoal vai mais longe, nem que tenha que ser à base de porrada.
Mas eu vivo no Brasil, onde os brasileiros se orgulham de promover transformações (independência, proclamação de república, golpes de estado) sem derramamento de sangue (dos outros).
Então tá.

Responder

Daniel

17 de março de 2015 às 15h55 Responder

    Heldimar

    17 de março de 2015 às 16h50

    Também não pode, violência gera violência e é isso que a direita quer. radicalizar, quer o retrocesso, a volta da miséria!!!, mas convenhamos agora COM A AJUDA DA GLOBO o negócio ficando triste, especialmente, porque ela não quer pagar os impostos que sonegou!!!

El Cid

17 de março de 2015 às 15h53

Como fazer do limão uma limonada:

https://vimeo.com/122448406

Responder

Daniel

17 de março de 2015 às 15h50

Mas isso aqui pode, né?

http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc2109200004.htm

<a href="” rel=”nofollow”>

Responder

    Rodrigo

    17 de março de 2015 às 16h46

    Claro que pode. É democracia.

    Só não é democracia se os envolvidos forem “dos nossos”

Abissy

17 de março de 2015 às 15h21

Por que feminismo é igual a comunismo? Resposta:

“O movimento operário feminino propõe-se como tarefa principal a luta por conquistar para a mulher a igualdade econômica e social e não apenas igualdade formal. Fazer a mulher participar do trabalho social produtivo, arrancá-la da «escravidão doméstica», libertá-la do jugo degradante e humilhante, eterno e exclusivo do ambiente da cozinha e do quarto dos filhos: eis a principal tarefa. Será uma luta prolongada porque exige a transformação radical da técnica social e dos costumes. Mas terminará com a vitória completa do comunismo.” Vladmir Lênin – 7 de Março de 1920

Responder

Fabio

17 de março de 2015 às 14h45

O governo Dilma é covarde.
Assim sendo todos, começando pela presidenta são covardes.

Responder

alex

17 de março de 2015 às 13h30

Nós temos ministro da Justiça .. uai.. ãn .. não sabia!

Responder

Tio Osvaldo

17 de março de 2015 às 13h23

Vão ter ainda mais manifestações fascistas nas ruas?
Cadê a segurança de ir e vir? Não quero alguém me chutando na rua pq meu lenço é vermelho.
Socorro! O que estão fazendo com o Brasil!!!

Responder

    Fábio Braga

    17 de março de 2015 às 23h44

    Tio, então não saia de casa. Coloque um pijaminha, umas pantufas bem felpudas, um gorrihho de lã bem espessa e se esconda embaixo da cama. E só saia de lá depois que as manitestações terminarem!

Leo V

17 de março de 2015 às 13h21

Pro governo do PT Lei de Segurança Nacional e de associação criminosa é só pra movimentos e militantes de esquerda, não para os fascistas. Esses eles carregam no colo. Depois vão chorar.

Mauro Iasi

Um discurso lamentável e um espetáculo de servilismo.

Um dia depois das manifestações da direita a presidente Dilma se apressa em aparecer em um discurso e numa coletiva de imprensa para dizer que as manifestações são democráticas e que está aberta ao diálogo.
Vamos lembrar que em 2013 fomos tratados como vândalos e terroristas, o ministro da justiça, José Eduardo Cardozo, defendendo legislação que criminalizou e levou para a cadeia os manifestantes.
Para as demandas dos setores populares, nenhuma resposta, ou pior, a reafirmação que os ajustes são necessários e serão impostos aos trabalhadores, assim como a esperada reforma política será feita pelo Congresso.
Num ato falho cheio de significado Dilma afirmou que tem concordâncias e discordâncias com o que foi cobrado nas manifestações. Concorda com o combate à corrupção, discorda da crítica ao ajuste. Isto é, concorda com o ato da direita e deu uma banana para o ato governista de sexta feira.
Uma pessoa disfarçando o nervosismo e tentando parecer o que não é. Apenas uma nota positiva foi a defesa da luta contra a ditadura, mas se perde numa postura de rendição total à defensiva diante da ação das classes dominantes.
Só posso chegar a uma conclusão: protestar por transporte público, por moradia, contra a violência policial e contra os limites da chamada democracia representava é crime; defender a ditadura militar, a morte dos comunistas, o obscurantismo e a intolerância é uma ato de democracia. Para os primeiros, repressão brutal e cadeia, para os segundos o governo está aberto ao diálogo.
Lamentável. Um espetáculo de servilismo.

Responder

    Ralph Panzutti

    17 de março de 2015 às 18h14

    De fato. Ás vezes eu chego as mesmas conclusões que você, mas ao mesmo tempo me recuso a aceita-la. Não quero crer que que a nossa Presidenta e o nosso ex presidente tenham jogado a toalha e outros membros de PT. A alternativa está nas manifestações com os sindicatos unidos e movimentos sociais.

zequinha

17 de março de 2015 às 13h10

O ministro da justiça é um fracote sem sombra de dúvida, mas acho que o maior culpado nessa farra toda da direita é a própria Dilma. Ela poderia trocar este ou qq auxiliar q não esteja à altura e não o faz porque cumprem determinação dela. Agora ela jogou a militância, que a defende apesar de tudo, na cova dos leões e vai fazer omelete lá no programa da Ana Maria Braga. Até ficar sozinha e ser enxotada da presidência por seus “novos” amigos.

Responder

Euler

17 de março de 2015 às 12h39

Certíssimo o Mello. O Zé Cardozo é um banana, sem autoridade moral sequer para comandar a PF “republiTUcana”. Por essas omissões não apenas dele, mas da própria presidenta em relação à mídia golpista, que a Globo faz o que bem entende, em parceria com o juiz Moro, e fica por isso mesmo. Governo que não se faz respeitar acaba sendo tratado nas ruas como objeto de esculhambação.

Responder

JOACIL DA SILVA CAMBUIM

17 de março de 2015 às 12h21

Impressiona que a presidente ainda não tenha percebido que o seu ministro da Justiça é um fraco, medroso. Ele tem medo de desagradar aqueles que são permanentes críticos do governo: classe média alta, classe alta, empresários, banqueiros, latifundiários, grandes meios de comunicação e os inocentes que querem parecer politizado, ou da classe que não pertencem, mas que, na verdade, não passam de bonecos nas mãos dos seus próprios opressores.

Responder

Ana Salvador

17 de março de 2015 às 12h16

Penso que a omissão maior é de quem convida uma pessoa desse calibre para ser ministro.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.