VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Maister da Silva: Bolsonaro promove eugenia social sem precedentes no Brasil
Denúncias

Maister da Silva: Bolsonaro promove eugenia social sem precedentes no Brasil


02/04/2020 - 15h56

O corte entre o que deve viver e o que deve morrer

Por Maister F. da Silva*

A discriminação praticada pelo governo Bolsonaro tem dado força ao apartheid social durante a crise do coronavírus.

Todavia, apesar de ser de uma situação que atinge milhões de brasileiros das periferias e favelas brasileiras, as declarações do presidente criam uma cortina de fumaça que confundem a população e dão a entender que sua defesa pelo não isolamento é uma defesa dos pobres e trabalhadores.

Caracterizado pelos mecanismos de discriminação produzidos e operados pelas estruturas e instituições públicas e privadas que o reproduz e fortalece, o apartheid social está inscrito na operação do sistema social e funciona, até certo ponto, à revelia dos indivíduos.

O Brasil durante sua história enfrentou diversas pandemias e crises, no entanto, apesar de termos evoluído muito e sermos reconhecidos mundialmente por ter o maior, mais amplo e um dos melhores sistemas de saúde pública do mundo, não conseguimos ter uma estrutura social includente.

A desigualdade que se perpetua fortalece o apartheid social que vivemos.

A opção do estado brasileiro em não fazer testes em massa menospreza a realidade das periferias, favelas e comunidades carentes do país, onde a estrutura de saúde e saneamento são precárias e, portanto, uma vez disseminado o vírus, de difícil controle posterior.

Uma tragédia anunciada!

Segundo dados publicados pelo IBGE em outubro de 2019, o Brasil conta com 55 milhões de pessoas vivendo na pobreza, ou seja, aproximadamente ¼ da população do país.

Segundo o Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento, no Brasil, mais de 100 milhões de brasileiros não tem acesso à rede de esgoto e 35 milhões não tem acesso à água.

O governo, ao não levar em conta dados como esse para enfrentar o vírus no campo da saúde pública, atua de forma discriminatória tratando de forma diferenciada esses segmentos populacionais, introduzindo em nossas cidades e em nossa sociedade, pela via da política pública, “um corte entre o que deve viver e o que deve morrer”, o que pode configurar-se em uma eugenia social sem precedentes no país.

*É militante do Movimento dos Pequenos Agricultores

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - A mídia descontrolada e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

a.ali

02 de abril de 2020 às 17h45

bem antes, inclusive da campanha, ele já não esbravejava contra os 30 milhões de pobres ? que dão despesas ? é a chance que queria e, como no inicio do texto, se aproveita fazendo de conta que está preocupado com os mais pobres e, assim, acabar c/o isolamento e como temos um povo de raciocinio lento e outro tanto assassino, está na medida, o quadro!

Responder

a.ali

02 de abril de 2020 às 17h43

bem antes, inclusive da campanha, ele já não esbravejava contra os 30 milhões de pobres ? que dão despesas ? é a chance que queria e, como no inicio do texto, se aproveita fazendo de conta que está preocupado com os mais pobres e, assim, acabar c/o isolamento.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.