VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Lelê Teles: Bolsonaro, um dos “filhos” da mídia brasileira


10/12/2014 - 15h49

Jair-Bolsonaro

O QUE DISSE BOLSONARO QUANDO DISSE O QUE DISSE?

por Lelê Teles, via e-mail

Ouçamos isso primeiro, com atenção.

A Hidra tem inúmeras cabeças, os gregos as contaram lá na antiguidade.

Alguns desmiolados na grande mídia, pretendendo agradar os patrões bilionários, decidiram chocar um ovo da velha Hidra que estava perdido por aí, sentaram-se sobre ele – revezando – e o aqueceram até que o monstrinho ganhou vida e ganhou as ruas.

Agora não há quem o detenha.

Outro dia, Noblat se queixou quando o seu filho, o repórter comediante Guga Noblat, foi atacado pela fera durante uma passeata.

Tarde demais.

Agora, Noblat se queixa novamente ao ouvir o caricato deputado carioca falar em estuprar. Seus leitores o chamaram de petralha.

Tarde demais.

Como jornalista, Noblat ajudou a chocar o monstro. Agora, como pai, viu que colocou a vida do filho em risco. E como avô, percebe também que sua netinha está a perigo. Há parlamentar fazendo, abertamente, apologia ao estupro.

Noblat pede a cassação de Bolsonaro, mas tá pensando nos dele, nos de casa, quando teve que pensar no Brasil ele pouco se lixou.

Voltemos a Bolsonaro, uma das cabeças da besta policéfala, cujo filho vai à manifestações com pistola na cinta.

Ouçamos o que disse o monstrengo na noite de ontem à Maria do Rosário, sua colega de parlamento: “há poucos dias, ‘tu’ me chamou de estuprador no Salão Verde, e eu falei que não ia estuprar você porque você não merece”.

Com isso, o deputado não disse apenas que poderia estuprar alguém, disse sobretudo que estupraria alguém que merecesse.

Para Jair, há mulheres que merecem ser estupradas. E ele afirma que sabe distinguir bem, quando olha para uma mulher, as que merecem e as que não merecem o estupro.

O que ele merece?

Cassá-lo por quebra de decoro é justo e é um imperativo. Mas arrancar uma cabeça não vai matar o monstro. Há Lobões, Mervais, Jabores, Mainardis, Azevedos, Waacks… todos mergulhados no pântano a alimentá-lo.

A Hidra de Lerna, quem não o sabe, tinha o corpo de dragão e sete cabeças de serpente, que sempre se regeneravam ao serem cortadas.

O monstro era tão horrendo que só o seu hálito já matava. Habitante do pântano, exalava um odor mortífero e aterrorizante.

Hércules, e apenas Hércules, conseguiu matá-la.

No entanto, mesmo sabendo que temos um trabalho hercúleo pela frente, é sabido que não temos nenhum Hércules por essas paragens.

E agora, quem poderá nos salvar?

Palavra da salvação.

PS do Viomundo: Lelê vai ao encontro do que temos dito repetidamente, que uma mídia de extrema-direita produz “heróis” da extrema-direita.

Leia também:

Abaixo-assinado que pede cassação de Bolsonaro chega a 90 mil adesões

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - A mídia descontrolada e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


24 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Cunha

13 de dezembro de 2014 às 08h04

Uma mídia canalha vai fazer você amar a quem te oprime e odiar o oprimido

Responder

José Souza

12 de dezembro de 2014 às 15h16

Lelê, esse cara não é um dos filhos da mídia brasileira. Ele é, sim, um dos filhos da puta. Essa sim, a mídia brasileira.

Responder

SECUNDINO AIRES

12 de dezembro de 2014 às 15h08

A grande “FAMIGLIA” midia. capitaneada pela globosta, abril, folha, estadão e outras da mesma laia. produz em seus porões mal cheirosos, pessôas deste tipo. esse bolsonaro é o maior bandido, sem carater e promiscuo. produto genuíno produzido por essa organização batizada de grande midia.triste retrato, todas foram vencidas pela vontade (voto) do povo, que vê em suas atitudes na televisão e jornais verdadeiro acinte a ordem e ao bom convívio. triste retrato destas organizações maldosas.

Responder

Arkano Zero

12 de dezembro de 2014 às 14h49

Lelê Teles, meu querido, faltou expor o óbvio: a manifestação do deputado é uma confissão de culpa – ele afirma ser um estuprador. Ora, quando aquelas palavras monstruosas são proferidas, ele assume que é useiro e vezeiro do estupro ou, ao menos, simpatiza com a prática do crime.

Responder

walter rodrigues

12 de dezembro de 2014 às 09h48

Ué. O Bolsonaro não é um daqueles deputados adeptos da castração química aos estupradores? Então…….!

Responder

    SECUNDINO AIRES

    12 de dezembro de 2014 às 15h10

    devia-se sim castrar a língua deste FDP.

Francisco

11 de dezembro de 2014 às 14h54

Taí um bom teste pro PT, cassar o Bolsonaro,será que consegue?

Responder

Carlos N Mendes

11 de dezembro de 2014 às 13h12

Como é que é?!? A mídia patronal brasileira pare o monstro e é o povo que tem que matá-lo? O mais honesto que podemos fazer como povo é devolver a paternidade dessa hidra a quem a criou – uma semana de lockout midiático. Ninguém assiste TV, ninguém liga o rádio, ninguém entra no site da Veja, por 7 dias. No oitavo, inumdamos suas cauxas postais de protestos com nome e sobrenome desses criminosos: Frias, Marinhos, Mesquitas, Waacks, Sheherazades. Se nada mudar, que continuemos sendo o que sempre fomos – vítimas conscientes. Nós mereceremos.

Responder

Mardones

11 de dezembro de 2014 às 11h35

A mídia gesta as bestas citadas nesse artigo. E a SECOM financia essa mídia.

Só resta mesmo movimentação população contra esse pessoal.

Responder

Muhamad

11 de dezembro de 2014 às 10h18

Bolsonaro é um dos FDP da direita.

Responder

mauro ramos

11 de dezembro de 2014 às 10h15

Quem primeiro deu notoriedade a esse monstro foi o senhor Marcelos Tas,no cqc,lembram-se??

Responder

Flavio Wittlin

11 de dezembro de 2014 às 08h02

Tese bem telúrica: uma mesma alma pode repetir-se em corpos diferentes. Através dos séculos. Bolsonaro, Marine Le Pen e Tiagnibok hoje; Plinio Salgado, Mussolini e Hitler ontem. Alma perversa, deve ser combatida diuturnamente.
Assim na vida, como na morte.

Responder

MariaP

11 de dezembro de 2014 às 07h41

Parabéns Nassif….grrrrrrrrrrrrrrrande jornalista….a nação agradece.

Responder

Marcos

11 de dezembro de 2014 às 02h36

Como dizem os espanhóis… CRIA CUERVOS! (Y te sacarán los ojos!)

Responder

Edgar Rocha

11 de dezembro de 2014 às 00h30

Não há mais saída. Desistam. A crise é sistêmica e pandêmica. Teremos que enfrentá-la.

Ninguém, mas ninguém até agora fez menção ao ato gravíssimo cometido pelo parlamento americano no dia 08/12. Aprovaram uma certa Resolução 758 que permite o envio de armas e soldados para o território ucraniano. Segundo o post do site OUTRAS PALAVRAS “Pilger: À sombra de uma Terceira Guerra Mundial?”, o mundo está agora a um passo de um novo conflito mundial, talvez nuclear, e toda a imprensa internacional ajuda a acobertar a escalada do conflito dando suporte para justificativas à tão desejada Terceira Grande Guerra (desejada pelo Império ocidental, claro) forjando factoides e encobrindo fatos, tal como a nossa imprensa faz aqui. Falta apenas incluir nas provocações diretas a China, para a declaração de Guerra se tornar inevitável. Alguns vão dizer que é alarmismo do jornalista. Por favor, leiam o texto antes. A referida Resolução é praticamente uma declaração de Guerra à Rússia. O máximo que se ouviu, segundo o autor, foi o prognóstico pra lá de atenuante de um suposto reinício da Guerra Fria. Pelo que li é bem mais que isto.

Segue o link:
http://outraspalavras.net/capa/pilger-a-sombra-de-uma-terceira-guerra-mundial/

Responder

Mario

11 de dezembro de 2014 às 00h21

TSE aprova contas de Dilma e Gilmar ataca o Blog (do Nassif)
qua, 10/12/2014 – 22:53
Atualizado em 10/12/2014 – 23:44
Patricia Faermann
“Essa gentalha que vive alimentando esse mundo de intrigas, usando de poder institucional para atacar essas pessoas”, disse Gilmar, nitidamente irritado

Jornal GGN – O Tribunal Superior Eleitoral aprovou as contas de campanha de Dilma Rousseff, com ressalvas, por unanimidade. Depois de o vice-procurador-geral da República, Eugênio Aragão, e a defesa desbancarem as teorias dos técnicos da Asepa (Assessoria de Exame de Contas Eleitorais e Partidárias), Gilmar Mendes sustentou que foram graves as irregularidades cometidas, criticou o MPE e o jornalista Luis Nassif, e defendeu os técnicos.

Mas votou a favor da aprovação.

Antes de iniciar o julgamento das contas, ocorreu a discussão sobre o recurso de Aragão contra a redistribuição do processo ao ministro Gilmar Mendes. Neste momento, tanto o presidente do TSE, Dias Toffoli, quanto Gilmar, extrapolaram em críticas às informações de que a distribuição teria sido dirigida. Toffoli também criticou veementemente a falta de um ministro na sessão – uma vez que a presidente ainda não indicou o ministro substituto da Corte.

“Certamente quem lucrou foram os blogs sujos, que ficaram prestando um tamanho deserviço. Há um caso que foi demitido da Folha de S. Paulo, que criou uma coluna ‘dinheiro vivo’. Chegou a se criar um golpe de impeachment paraguaio. Um blog financiado por dinheiro público, meu, seu e nosso! Precisa ser contado isso para que se envergonhe. Um blog criado para atacar adversários e inimigos políticos! Mereceria do Ministério Público uma açao de improibidade, não solidariedade”, expressou, candente, Gilmar.

A referência ocorreu depois de o ministro direcionar as críticas a Aragão, sobre a sua iniciativa de entrar com pedido de que a redistribuição do processo a Gilmar fosse revista. “Também, como vossa Excelência, eu raramente vi tamanha propelia em matéria processual. Sem dúvida nenhuma leitura extravagante do regimento interno. Qualquer analfabeto jurídico sabe que há juizo. Falamos tanto em impeachment, deveriamos ter um impeachment contra a burrice”, jogou Gilmar a Aragão.

Com classe, o vice-procurador, por sua vez, apenas respondeu: “o Ministerio Público vai fazer uma muito breve exposição. Não dirá sobre o agravo regimental, porque foi desistido e, logo, não fará sustentação de um não agravo”, antes de defender seu voto.

Depois de quase duas horas de explanação, o ministro proferiu o seu voto: aprovou a contas de Dilma, com ressalvas. Como no início de seu discurso, Gilmar frisou a repercussão do noticiário das investigações da Operação Lava Jato.

“Em conclusão, estou me manifestando pela aprovação com ressalvas, considerando a porcentagem de irregularidades. Isso não confere chancela a eventuais ilícitos ligados a campanha eleitoral. Peço que sinalize bem, dentro dos limites constitucionais desta Corte, que foram verificados irregularidades que devem ser investigadas”, concluiu o ministro no voto.

Gilmar iniciou o seu voto, por volta das 20 horas da noite desta quarta-feira (10), frisando que a equipe técnica, por conta de sua estrutura, prazo curto e pequena quantidade de funcionários, não seria capaz de comprovar ilícitos, se eles existissem. “Algumas das possíveis fraudes dificilmente poderão ser identificadas, pelo requinte [das operações]”, disse. “Podem surgir falsidade ideológica, estelionato contra a campanha, lavagem de dinheiro e sonegação fiscal. Não estamos falando que houve, mas há o indicativo de irregularidades”.

Para argumentar, o ministro repassou as informações do pedido de impugnação solicitado pelo PSDB: o gasto que ultrapassou o limite, ainda que o PT tenha solicitado posteriormente para aumentar esse teto – “a Justica Eleitoral não pode transformar esse limite como mera modificacao formal”, disse Gilmar, criticando a manifestação do PGR; os erros para o uso do site Muda Mais; e os gastos com o uso do transporte oficial da aeronave para as campanhas.

Além disso, ressaltou, em diversos momentos, o trabalho “valorozo” da equipe de técnicos do Tribunal Superior Eleitoral, e retomou os argumentos utilizados pela Asepa, que sugeria a desaprovação contas de Dilma. Entre os pontos levantados no relatório estavam a utilização de gastos antes da primeira prestação de contas, mas com declaração ao final; a não prestação de contas pela presidente de doações dos diretórios regionais do PT e de parte de despesas; a falta de documentação fiscal necessária para parte das doações; divergências entre transferências diretas e o que foi declarado; e problemas referentes à prestação de contas com o transporte aéreo, como ausência de documentação.

Para Gilmar Mendes, o principal problema nas contas da candidata reeleita do PT foi a divergência entre as declarações feitas nas prestações de contas parciais e na final. “As contas prestadas parcialmente nao refletem o que foi gasto naquele momento”, disse o ministro, que caracterizou essa infração como grave.

A crítica ao vice-procurador-geral da República se manteve durante todo o voto de Gilmar Mendes. Criticou outros posicionamentos do representante do MPE, informando que o mesmo não seguiu os “princípios da proporcionalidade”.

Gilmar ainda concluiu: “[É preciso] sair dessa baixeza, dessa teorias conspiratórias, dessa gente atrasada, precisam olhar adiante. O Brasil não começou agora e nem termina agora. É preciso ter uma perspectiva histórica. E eu li horas e horas [os autos do processo], nem vou falar do meu trabalho, mas me reuni aos domingos com os tecnicos, horas e horas, para entender tudo. Essa gentalha que vive alimentando esse mundo de intrigas, usando de poder institucional para atacar essas pessoas”.

Mas, ao fim, aprovou com ressalvas. O voto foi seguido por todos os ministros.

Por Luis Nassif

Não vou responder a Gilmar pelas seguintes razões:

1. Ao contrário da sessão do TSE, esse blog preza a compostura e não se vale do espaço para disputas pessoais. Continuarei criticando Gilmar em todas suas posturas anti-republicanas (continuarei preservando o elogio solitário que fiz ao seu papel no CNJ, no mutirão carcerário), mas não exporei meus leitores a brigas de boteco. Respeito mais meu blog do que Gilmar respeita o TSE.

2. Como discutir com um Ministro do Supremo que, da tribuna de um poder institucional (o TSE) acusa um blog de se valer de poder institucional? Só falta Gilmar recorrer a algum jurista alemão para justificar esse contrassenso.

3. Finalmente, devido ao fato de que críticas de Bolsonaro e de Gilmar engrandecem os criticados.

Responder

JOSE CARLOS DE CAMARGO

10 de dezembro de 2014 às 21h20

Lelê: o Bolsonaro é apenas o Boneco-de-Ventríloquo da Direita Militar! Basta apenas ignorá-lo e ele some!

Responder

Andre

10 de dezembro de 2014 às 21h02

Nunca é tade demais para combater o fascismo. Quem podera nos salvar? nós mesmos: tendo coragem, sem se contaminar com o medo e o ódio, agindo com a racionalidade, denunciando, investigando e usando todos os meios institucionais e de auto-organização para combater o fascismo cotidianamente.E é preciso disciplina e responsabilidade, luta contra o fascismo não é carnaval.
Já disse e repito: a nova ultradireita é gramsciana. Tomaram o aparelho da imprensa – não só a grande imprensa, mas tem uma tropa de choque que age na internet ha muito tempo: a juventude não é atraida para o fascismo por causa do Globo, eles não lêem jornal e nem vêem jornais na TV, passam o dia inteiro no fuhrerbook. A ultradireita já tem largos setores religiosos na sua mão. A bola da vez são as Unversidades. Assim, conquistam a hegemonia na sociedade civil antes de conquistar o Estado.
É preciso fazer a luta contra hegemonica: usar a impresa livre, a internet, a universidade, as escolas para brigar pelos espaços que os fascistas estão utilizando.

Responder

Bacellar

10 de dezembro de 2014 às 19h51

Telesur en vivo:

http://www.telesurtv.net/#

Responder

renato

10 de dezembro de 2014 às 19h27

Ninguem mais.
A Chapolin morreu, a uns dias atrás.
Mas eu ouvi, pelas minhas paragens,
além montanhas, que havia um grande
HERÓI, chamado POVO.
E os canticos que se faziam, diziam..
O POVO unido jamais será vencido..
O POVO unido jamais será vencido..
O POVO unido jamais será vencido..

Responder

Lenilson Cacá

10 de dezembro de 2014 às 18h27

Há Deus. Sim há e Ele está vendo isso!

Responder

FrancoAtirador

10 de dezembro de 2014 às 18h11

.
.
Vem à memória a Máxima do Capitalismo Neoliberal “Too Big to Fail”:

“Corporações Econômico-Financeiras são Grandes Demais Para Falir”

e, por conseguinte, devem ser mantidas de toda forma em Funcionamento

pelos Governos dos Países Mundo afora, sempre às custas dos Trabalhadores.

Essa é verdadeiramente a Cabeça Imortal da Hidra de Lerna do Século 21,

que impede, inclusive, o Marco Regulatório da Mídia-Empresa no Brasil.

(http://abre.ai/banco-grande-demais-pra-quebrar)
(https://archive.org/details/Grande.Demais.Para.Quebrar)
(https://archive.org/details/Antes.do.Fim)
(http://abre.ai/too-big-to-fail_videos)
(http://pt.wikipedia.org/wiki/Too_Big_to_Fail)
(http://abre.ai/hidra-de-lerna)
.
.

Responder

Marat

10 de dezembro de 2014 às 18h11

O semideus Hércules ainda tinha a seu favor alguns deuses. Os jornsli$$$tas amestrados dos milionários são moneyteístas, todos tementes vassalos do Império do IV Reich, uma das maiores pragas da humanidade!

Responder

Marat

10 de dezembro de 2014 às 18h06

Para combater a hidra, temos que ter mais Hércules e menos Sereias!
Na impren$$$a quase que só temos desmiolados, do calibre da tripulação de Ulisses. Agora, que fujam dos ventos, e tentem levar a nau para um porto seguro!

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.