VIOMUNDO

Diário da Resistência


Jornais e agências internacionais pedem a Bolsonaro que ‘intensifique com urgência’ buscas de Dom Phillips e Bruno Pereira, desaparecidos no AM; íntegra
Bruno Pereira e Dom Phillips. Fotos Daniel Marenco/O Globo e reprodução Twitter
Denúncias

Jornais e agências internacionais pedem a Bolsonaro que ‘intensifique com urgência’ buscas de Dom Phillips e Bruno Pereira, desaparecidos no AM; íntegra


09/06/2022 - 15h22

Desaparecimento no AM: Editores de jornais e agências de notícias internacionais enviam carta a Bolsonaro

Publicações como ‘New York Times’, ‘The Washington Post’, ‘Wall Street Journal’ e Associated Press pedem que presidente intensifique as buscas pelo jornalista britânico Dom Phillips e pelo indigenista Bruno Pereira, desaparecidos desde domingo no Vale do Javari, no Amazonas.

Por g1

Editores de jornais, organizações e agências de notícias globais enviaram uma carta conjunta nesta quinta-feira (9) ao presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, pedindo mais esforços nas buscas pelo jornalista britânico Dom Phillips e pelo indigenista Bruno Pereira, desaparecidos desde domingo (5). Os dois percorriam um trajeto em barco no Vale do Javari, no oeste do Estado.

O documento é assinado pelos editores dos jornais “The Guardian”, “The Washington Post”, “New York Times”, “Wall Street Journal”, “Folha de São Paulo”, das agências de notícias Associated Press, France Presse e Bloomberg News e do Pulitzer Center, além de chefes e representantes de outros 18 veículos e organizações de comunicação e jornalismo.

“Como editores e colegas que trabalharam com Dom, agora estamos muito preocupados com relatos do Brasil de que os esforços de busca e resgate até agora têm recursos mínimos, com as autoridades nacionais demorando a oferecer assistência mais do que muito limitada. Dom é um jornalista respeitado globalmente com um profundo amor pelo Brasil e seu povo”, diz um trecho do documento.

Leia a carta na íntegra:

Escrevemos para expressar nossa extrema preocupação com a segurança e o paradeiro de nosso colega e amigo Dom Phillips, e Bruno Araújo Pereira, com quem Dom estava viajando. Dom é um jornalista respeitado globalmente com um profundo amor pelo Brasil e seu povo.

Como você saberá por inúmeras reportagens da imprensa, Dom e Bruno estão desaparecidos na Amazônia há mais de três dias. Suas famílias, amigos e colegas solicitaram repetidamente assistência de autoridades locais, estaduais e nacionais e serviços de emergência.

Como editores e colegas que trabalharam com Dom, agora estamos muito preocupados com relatos do Brasil de que os esforços de busca e resgate até agora têm recursos mínimos, com as autoridades nacionais demorando a oferecer assistência mais do que muito limitada.

Pedimos que você intensifique com urgência e recorra totalmente ao esforço para localizar Dom e Bruno, e que forneça todo o apoio possível às suas famílias e amigos.

Buscas

Desde o início da semana, associações locais vêm criticando autoridades responsáveis pelas buscas pela demora e pela falta de pessoal e de equipamentos adequados.

A Marinha, que realiza as buscas junto do Exército e da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas, alegou ter enviado aeronaves para ajudar no trabalho, mas a União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja), que também faz buscas, afirma que não houve nenhum sobrevoo na área até agora.

As buscas pelo indigenista Bruno Araújo Pereira e pelo jornalista inglês Dom Phillips continuam nesta quinta-feira (9), quando está prevista também a audiência de custódia de Amarildo da Costa de Oliveira, conhecido como “Pelado”, preso na quarta-feira (8) durante as investigações com munições de uso restrito, além de chumbinhos e uma substância entorpecente.

A polícia fez buscas na residência de Amarildo em função de denúncias anônimas sobre uma suposta participação no desaparecimento. Ele nega qualquer relação com o sumiço dos dois homens.

Dom Phillips, jornalista experiente que vive no Brasil há 15 anos e escreve para publicações como “The Guardian” e “Washington Post”, e Bruno Pereira, servidor de carreira da Fundação Nacional do Índio (Funai) e reconhecidamente defensor das causas indígenas, desapareceram na manhã de domingo (5) quando faziam, de barco, um trajeto entre a comunidade Ribeirinha São Rafael e a cidade de Atalaia do Norte, no Amazonas





1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Renato Pereira

10 de junho de 2022 às 16h15

Se interessaram menos pela morte da jornalista palestina do que agora pelo jornalista ingles.. Porquê?

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding