VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Denúncias

Jorge Vianna: “Há uma campanha em curso para os juros subirem”


12/04/2013 - 19h17

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



39 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Pensamento único: Dilma e a volta do dragão da inflação - Viomundo - O que você não vê na mídia

15 de abril de 2013 às 20h55

[…]  Jorge Vianna: “Há uma campanha em curso para os juros subirem” […]

Responder

Leandro Fortes: Tucano é acusado de tráfico de órgãos - Viomundo - O que você não vê na mídia

14 de abril de 2013 às 14h30

[…] Jorge Vianna: “Há uma campanha em curso para os juros subirem” […]

Responder

Sérgio Reis

14 de abril de 2013 às 11h56

Os 10 países onde MAIS se trabalhou em um ano para pagar impostos em 2011:
1. Brasil: 2.600 horas
2. Bolívia: 1.080 horas
3. Vietnã: 941 horas
4. Nigéria: 938 horas
5. Venezuela: 864 horas
6. Bielorrússia: 798 horas
7. Chade: 732 horas
8. Mauritânia: 696 horas
9. Senegal: 666 horas
10.Ucrânia: 657 horas
Isto é um DADO, que ilustra um FATO – não é minha OPINIÃO!

Responder

    FrancoAtirador

    14 de abril de 2013 às 15h51

    .
    .
    O sistema tributário só vai ser verdadeiramente justo

    no dia em que as Corporações Econômicas foram proibidas

    de repassarem os impostos para os preços dos produtos

    o que faz com que os trabalhadores assalariados paguem

    os tributos que deveriam ser recolhidos pelas empresas.
    .
    .

    Alemao

    14 de abril de 2013 às 17h17

    Cuma? Não acredito que realmente vc ache que isso seja matematicamente possível.

    FrancoAtirador

    14 de abril de 2013 às 19h25

    .
    .
    Com o escalonamento de alíquotas é possível.
    .
    .

Mauricio Dias: Fux, Toffoli, Gilmar Mendes, intérpretes perfeitos da omissão de Gurgel - Viomundo - O que você não vê na mídia

14 de abril de 2013 às 00h13

[…] Jorge Vianna: “Há uma campanha em curso para os juros subirem” […]

Responder

Malú

13 de abril de 2013 às 19h17

O PIG quer que a Dilma faça aqui o que a bruxa fez lá na Inglaterra. Tomatada no PIG!

Responder

Messias Franca de Macedo

13 de abril de 2013 às 16h58

… Esse neonazista continua se escalando para participar dos programas do PIG, sobretudo o ‘Painel’ [do William Waack]; o ‘Entre Aspas’ da ‘Mônica Saia Justa’; dos comentários do ‘Alexandre Faz Gracinha Para o PIG’; “do cafezinho” do ‘Fatos &$ Distorções’ da Cristiane Lôba de Raiva’; Das “análises imparciais” do “imortal” (sic) Merdal Pereira [“da ‘grobonews’”!] &$ dos demais ‘assassinos de reputações a soldo dos Civitas’!…

… República da [eterna] OPOSIÇÃO AO BRASIL… AVARENTA, sanguessuga, LACAIA, ABJETA, GOLPISTA/TERRORISTA de meia-tigela, ABESTADA, ALIENADA, ALOPRADA, indecorosa, AÉTICA, traidora, despudorada, impunemente fascista, histriônica, MENTEcapta, néscia, antinacionalista, corrupta… ‘O cheiro dos cavalos ao do povo!’ (“elite estúpida que despreza as próprias ignorâncias”, lembrando o enunciado lapidar do eminente escritor uruguaio Eduardo Galeano)
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Messias Franca de Macedo

13 de abril de 2013 às 16h58

“ESCUTA [MAIS] ESSA [DESGRAÇA]“!

######################

PITBULL DOS BANCOS JÁ ADOTA DISCURSO SOCIOPATA

Economista Alexandre Schwartsman diz que, “para começar o jogo”, a taxa de juros deveria subir quatro pontos; o desemprego, na sua visão, deveria saltar dos atuais 5% para 7,5%; apesar de tudo isso, o analista de conjuntura econômica (ex-Santander) diz não ser sádico; afinal, ele merece ou não uma tomatada?
(…)

FONTE: http://www.brasil247.com/pt/247/juros/98825/Pitbull-dos-bancos-j%C3%A1-adota-discurso-sociopata.htm

##############

Cadeia é pouco!…

… República da [eterna] OPOSIÇÃO AO BRASIL… AVARENTA, LACAIA, ABJETA, GOLPISTA/TERRORISTA de meia-tigela, ABESTADA, ALIENADA, ALOPRADA, indecorosa, AÉTICA, traidora, despudorada, impunemente fascista, histriônica, MENTEcapta, néscia, antinacionalista, corrupta… ‘O cheiro dos cavalos ao do povo!’ (“elite estúpida que despreza as próprias ignorâncias”, lembrando o enunciado lapidar do eminente escritor uruguaio Eduardo Galeano)
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Fabio Passos

13 de abril de 2013 às 14h29

Ha uma minoria de miliardarios que esta acostumada a fazer fortuna sem sequer precisar trabalhar… o parasitismo rentista estaincomodado com a reducao dos juros. Querem continuar mamando nas tetas do Estado mesmo que isso cause o comprometimento da infra-estrutura, da saude, educacao e crescimento do nosso pais.
O PiG e a maquina de propaganda que defende os interesses destes vagabundos e idiotiza parte de nossa classe media.

Responder

    H. Back™

    14 de abril de 2013 às 11h34

    “(…) fazer fortuna sem sequer precisar trabalhar…(…)”
    Nada mais verdadeiro do que isso! Quem trabablha não tem tempo de ganhar dinheiro.

João/PR

13 de abril de 2013 às 14h27

O Senador Wellington Dias, em aparte em torno dos 17 min do video matou a questão. Há defensores dos rentistas que querem a alta dos juros sim! O resto é balela (alta do tomate, da farinha de mandioca e de outros produtos, alta sazonal – que passa).

Responder

FrancoAtirador

13 de abril de 2013 às 13h29

.
.
Manchete da Revista Veja,
repercutida no Jornal Nacional
da Rede Globo de Televisão:

!!! BOIMATE CAUSA INFLAÇÃO ESTRATOSFÉRICA !!!

Responder

    FrancoAtirador

    13 de abril de 2013 às 13h30

    .
    .
    Memória

    Mídia Bandida, há 30 anos

    O CASO BOIMATE

    UMA ÁRVORE QUE DÁ FILÉ AO MOLHO DE TOMATE !

    E ALGUÉM ACREDITOU NISSO !!!

    Wilson da Costa Bueno*, no Portal do Jornalismo Científico

    Os jornais e revistas ingleses gostam de ” descobrir” fatos científicos no dia 1º de abril.

    A maior revista brasileira ” comeu barriga” e entrou na deles.

    Conheça a história do ” boimate”, “uma nova fronteira científica”.

    O “fruto da carne”, derivado da fusão da carne do boi e do tomate, batizado com o sugestino nome de boimate, constituiu-se, sem dúvida, no mais sensacional ” fato científico” de 1.983, pelo menos para a revista Veja, em sua edição de 27 de abril. Na verdade, trata-se da maior “barriga” (notícia inverídica) da divulgação científica brasileira.

    Tudo começou com uma brincadeira – já tradicional – da revista inglesa New Science que, a propósito do dia 1º de abril, dia da mentira, inventou e fez circular esta matéria.

    A fusão de células vegetais e animais entusiasmou o responsável pela editoria de ciência da Veja que não titubeou em destacar o fato. E fez mais: ilustrou-o com um diagrama (aqui incluído) e entrevistou um biólogo da UPS, para dar a devida repercussão da descoberta.

    Para a revista, “a experiência dos pesquisadores alemães, porém, permite sonhar com um tomate do qual já se colha algo parecido com um filé ao molho de tomate. E abre uma nova fronteira científica”.

    O ridículo foi maior porque a revista inglesa deu inúmeras pistas: os biólogos Barry McDonald e William Wimpey tinham esses nomes para lembrar as cadeias internacionais de alimentação McDonald´s e Wimpy´s. A Universidade de Hamburgo, palco do “grande fato”, foi citada para que pudesse ser cotejada com “hamburguer” e assim por diante. Mas nada adiantou.

    A descoberta do engano foi feita pelo jornal O Estado de S. Paulo que, após esperar inutilmente pelo desmentido, resolveu “botar a boca no mundo” no dia 26 de junho.

    O espírito gozador e , mais surpreendente às vezes até irado do brasileiro, no entanto, não deixou por menos. Durante o intervalo entre a matéria da Veja e o desmentido do Estadão, cartas e mais cartas chegaram às redações.

    Um delas que, maliciosamente, assinou “X-Burguer, Phd, Capital”, lembrava que no Brasil já haviam sido feitas descobertas semelhantes: o jeribá, cruzamento de jabá com jerimum, ou o goiabeijo, cruzamento de gens de goiba, cana-de-açúcar e queijo, e adiantava que seus estudos prosseguiam para criação do Porcojão ou Feijoporco, cruzamento de porcos com feijões que ele esperava dar como contribuição à tradicional feijoada paulista.

    Domingos Archangelo escreveu ao Jornal da Tarde uma carta colérica contra a “a violação das leis naturais”. Segundo ele, “do alto dos meus 76 anos, não posso ficar calado ante tal afronta às leis divinas. Boi nasceu para pastar, para puxar os saudosos carros do interior e para nos oferecer sua saborosa carne. E tomate, além das notórias qualidades que se lhe imputam na cozinha, serve também para ser arremessado à cabeça de quem perpetra tal monstruosidade e, também, dos que dão guarida e incentivam tais descobertas”.

    Francisco Luís Ribeiro, outro leitor da Capital, relata outros cruzamentos, além do boimate, que deram certo e cita experiências para “cruzar pombo-correio com papagaio, para o envio de mensagens faladas”.

    Finalmente, com o objetivo de pôr fim ao caso que já divertia as redações, a revista publicou, na edição de 6 de julho, ou seja, depois de dois meses, o desmentido: “tratou-se de lastimável equívoco”.
    E justificou-se, explicando que é costume da imprensa inglesa fazer isso no dia 1º de abril e que, desta vez, havia cabido à revista entrar no jogo, exatamente no “seu lado mais desconfortável”.

    (http://www.jornalismocientifico.com.br/jornalismocientifico/artigos/jornalismo_cientifico/artigo11.php)

    FrancoAtirador

    13 de abril de 2013 às 15h37

    .
    .
    DE MENTIRINHA EM MENTIRINHA É QUE SE FAZ UM MENTIRÃO

    COMO A MÍDIA BANDIDA CONSTRÓI UM FACTÓIDE

    REUTERS
    sexta-feira, 12 de abril de 2013 17:24 (!!!)
    O GLOBO/G1
    12/04/2013 17h27 – Atualizado em 12/04/2013 17h27 (!!!)

    “BC e Fazenda afinam discurso e sinalizam alta do juro em abril”

    (http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRSPE93B05O20130412?pageNumber=2&virtualBrandChannel=0&sp=true)
    (http://m.g1.globo.com/politica/noticia/2013/04/bc-e-fazenda-afinam-discurso-e-sinalizam-alta-do-juro-em-abril-1.html)

    VALOR ON LINE/O GLOBO
    12/04/2013 – 17:24
    “Mercado (SIC) consolida aposta de alta da Selic após Mantega e Tombini”

    (http://oglobo.globo.com/economia/mercado-consolida-aposta-de-alta-da-selic-apos-mantega-tombini-8099351)

    O GLOBO/G1
    12/04/13 – 10h37 Atualizado: 12/04/13 – 18h26 (!!!)

    “Juros futuros sobem após declaração de Mantega; Bolsa cai”
    “Mercado (SIC) já aposta em alta da Selic na semana que vem”

    (http://oglobo.globo.com/economia/juros-futuros-sobem-apos-declaracao-de-mantega-bolsa-cai-8094394)
    .
    .
    E A MENTIRINHA DO MILLENIUM CONTINUA A TENTAR PRODUZIR EFEITOS

    O GLOBO/G1
    12/04/13 – 18h49 Atualizado: 12/04/13 – 19h00

    “Vilão da inflação, em 13 dias,
    buscas no Google com a palavra tomate crescem 525%”

    RIO – Depois de se tornar o grande vilão da inflação e virar meme na internet, o tomate ganhou popularidade nas redes sociais e nas buscas do gigante Google. Entre a última semana de março e a segunda semana de abril, pesquisas que incluem a palavra “tomate” cresceram 525%, segundo levantamento feito no Google Trends, ferramenta que mede a tendência de busca, ao longo do tempo no site.

    Em 12 meses, o pomodoro (maçã-de-ouro), como os italianos chamam o fruto, registrou alta de 122,13%, conforme o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado pelo IBGE, ajudando o grupo Alimentação e Bebidas a pressionar para cima o indicador. Esta foi a segunda maior variação entre os alimentos e só perde para a farinha de mandioca, que subiu 151,39% na mesma base de comparação. No período, o IPCA subiu 6,59% — a meta de inflação do governo é de 4,5%, com margem de tolerância de dois pontos para baixo e para cima, ou seja, no limite, até 6,5%.

    A inflação deixou de ser assunto apenas de economistas e caiu na boca do povo. Nestes 15 dias citados, embora Goiás seja o maior produtor do fruto, com mais de 67 mil toneladas por ano, segundo a Federação de Agricultura do Estado de Goiás (Faeg), o estado brasileiro que mais fez buscas com a palavra tomate foi a Bahia, seguida de Sergipe e Minas Gerais. “Tomate”, “molho de tomate”, “preço do tomate”, “extrato de tomate”, “tomate seco” e até “festa do tomate” são alguns dos termos cujas pesquisas explodiram no período.

    No fim dos anos 1970, o chuchu ficou sob os holofotes com a iniciativa do então ministro da Fazenda Mário Henrique Simonsen, de tentar retirar o legume da lista de itens pesquisados para compor o índice de inflação, dada a alta dos preços do produto.

    Site para boicotar preços altos
    Em São Paulo, cansado da alta dos preços, o publicitário Danilo Corsi e seus amigos criaram o site BoicotaSP (www.boicotasp.com.br). A intenção é que os paulistanos e turistas divulguem no portal os estabelecimentos que tenham aumentado de forma abusiva os preços do cardápio.
    — A gente viu que tem uma série de preços fora da realidade. Durante uma conversa, pensamos em criar um local em que a gente poderia marcar os estabelecimentos com preços caros e este foi o pontapé inicial.
    Em menos de cinco dias após o lançamento, o site já conta com 73 mil visitações diárias. Segundo Corsi, foi necessário fazer upgrade no servidor para suportar a demanda. Até o momento, há 40 locais publicados mas outros 700 a liberar.
    Em uma das reclamações, um usuário citou o preço de uma uma picanha descrita como “aperitivo” no cardápio de um tradicional restaurante localizado na Avenida Pedroso de Morais. O preço da porção de 500 gramas bate os R$ 78.

    Já no Rio de Janeiro, o aumento da cesta de alimentos está tirando o sono dos proprietários de restaurantes e bares, que vêm lançando mão de vários recursos para evitar o repasse aos clientes. Diminuir ingredientes, trocar produtos e até mesmo deixar de fazer pratos tradicionais do cardápio durante alguns dias da semana estão entre as alternativas adotadas.
    A variação acumulada mostra que quase 70% dos produtos mais utilizados nas refeições brasileiras ficaram mais caros, aponta o IPCA.

    Preços tendem a cair
    Os preços dos alimentos são fortemente sazonais em virtude do clima. Segundo Alex Agostini, economista chefe da consultoria Austin Rating, pela análise histórica de comportamento deste grupo, a expectativa é que os preços entrem em processo de declínio, em particular, por conta do fim da temporada de chuva e respectiva regularidade da oferta.
    — Porém, em virtude da manutenção do nível de emprego e o aumento real da renda nos últimos anos, o recuo padrão observado nos anos anteriores, que é da ordem de 5% em relação à média no segundo trimestre e de 45% no terceiro trimestre, neste ano poderá ser mais brando. Em alguns casos, como o tomate, o recuo será maior, porém amenizado por uma queda menor em outros legumes e hortaliças.

    (http://oglobo.globo.com/economia/vilao-da-inflacao-em-13-dias-buscas-no-google-com-palavra-tomate-crescem-525-8100866)


    “Tomate a peso de ouro: alta de 122,13%
    em 12 meses [encerrados em março]”
    .
    .
    A VERDADE ESCONDIDA ENTRE MENTIRINHAS E MEIAS-VERDADES:

    “O tomate é apontado como o grande vilão da inflação de alimentos, que chegou a 13,48% nos últimos 12 meses.
    Contudo, o vegetal não foi determinante para a alta do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), já que o seu peso na cesta de consumo é pequeno.
    Os alimentos como um todo foram responsáveis por 60% da alta de 0,47% do IPCA em março, mas o tomate contribuiu com apenas 0,02% do resultado de março.
    No mês passado, o vegetal teve um peso de 0,33% do orçamento da família brasileira.”

    “Embora felizes com os preços, os produtores não tiveram motivo para comemorar a produtividade de seus pomares.
    O excesso de chuvas e pragas afetou seriamente a colheita.
    A produtividade dos tomates que estão sendo colhidos por Balduino é de 250 caixas por mil pés.
    Em safras anteriores, esse rendimento foi de 350 a 400 caixas por mil pés.
    ‘Mesmo com o preço lá em cima, perdi muito por causa da broca e da mosca branca’, explicou.
    Com a queda da produtividade, os preços dispararam e alçaram o tomate à condição de vilão número 1 da inflação no Brasil [pela Mídia Bandida].
    Contudo, esse movimento está arrefecendo.
    Levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) mostra que os preços do tomate na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) recuaram 48,50% no atacado e 46,17% ao produtor nas duas últimas semanas.
    A caixa que chegou a ser negociada a R$ 108,75 ao consumidor (ou R$ 85,47 ao produtor) já é vendida a R$ 56,00 (ou R$ 46 ao produtor).”

    12/04/2013
    Valor Econômico, via Clipping Planejamento

    “Capital do tomate” vê produção cair pela metade

    Autor(es): Por Tarso Veloso | De Goianápolis, Anápolis e Corumbá de Goiás

    Depois de plantar tomate por mais de 15 anos em Goianápolis, cidade no interior de Goiás conhecida como a capital do tomate, Adair Balduino Ribeiro se deparou com preços muito acima da média para a caixa do produto neste início de ano.
    O movimento de alta começou no fim de 2012 e atingiu seu ápice na Semana Santa.
    Balduino chegou a receber até R$ 100 pela caixa de 22 quilos de tomate de mesa, enquanto a média para o mesmo período é de R$ 35.

    Neste início de ano, período conhecido como “época das águas”, a produtividade é menor e os custos mais elevados, o que normalmente diminui a oferta e pressiona os preços do fruto.

    Embora felizes com os preços, os produtores não tiveram motivo para comemorar a produtividade de seus pomares.
    O excesso de chuvas e pragas afetou seriamente a colheita.
    A produtividade dos tomates que estão sendo colhidos por Balduino é de 250 caixas por mil pés.
    Em safras anteriores, esse rendimento foi de 350 a 400 caixas por mil pés.
    “Mesmo com o preço lá em cima, perdi muito por causa da broca e da mosca branca”, explicou.

    Com a queda da produtividade, os preços dispararam e alçaram o tomate à condição de vilão número 1 da inflação no Brasil [pela Mídia Bandida].
    Contudo, esse movimento está arrefecendo.
    Levantamento do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea) mostra que os preços do tomate na Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) recuaram 48,50% no atacado e 46,17% ao produtor nas duas últimas semanas. A caixa que chegou a ser negociada a R$ 108,75 ao consumidor (ou R$ 85,47 ao produtor) já é vendida a R$ 56,00 (ou R$ 46 ao produtor).

    Sérgio Pereira Lima plantou 60 mil pés de tomate e perdeu completamente sua produção devido ao excesso de chuvas, broca e mosca branca. Tentando aproveitar a alta dos preços, imediatamente começou o plantio em outra área para tentar aproveitar a fase. A colheita na Fazenda Santa Rita começa em junho e vai até setembro.

    O ciclo do tomate é curto. Os produtores compram as mudas com 30 dias de estufa e as plantam. Após cerca de 70 dias, elas dão os primeiros tomates. Depois da primeira colheita, as plantas aumentam a produção e continuam produzindo por 45 a 80 dias, dependendo da época. Depois disso, as plantas são retiradas e a área recebe uma outra cultura. A fim de eliminar as pragas do local, os produtores nunca plantam tomate duas vezes seguidas na mesma área.

    A broca, principal causa de prejuízos na lavoura, está presente durante todo o ano, mas sua incidência cresce na época de chuvas. A praga que atende pelo nome científico de “Neoleucinotes Elegantalis” é de difícil controle devido ao seu hábito noturno. O inseto bota seus ovos durante a madrugada. Eles são depositados nos frutos ainda pequenos, em formação. Após a eclosão, que leva em torno de quatro a cinco dias, ocorre a penetração da larva no vegetal, o que faz apodrecer seu interior, apesar da boa aparência externa.

    O atual período de chuvas já é considerado crítico no Estado de Goiás. Em 2011 e 2012, os prejuízos devido ao clima e as pragas foram grandes. Por esse motivo, diversos produtores abandonaram o plantio em detrimento da soja e milho. “É uma atividade muito difícil. Uma hora o preço está bom. Na outra, não paga nem os custos da produção. Não existe segurança para produzir”, disse Balduino. O tomate não está incluído na Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM) do governo (ver matéria abaixo).

    De acordo com dados da Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), a área cultivada com tomate em Goianápolis caiu mais que a metade em apenas três anos. Em 2010, a área ocupada com o fruto na região foi de 2,5 mil hectares. No ano passado, o cultivo se restringiu a 1,1 mil hectares.

    Após a alta nos preços, produtores que haviam abandonado a cultura em 2012 voltaram a destinar uma área de suas propriedades para o tomate. Portanto, a expectativa é que, a partir de junho, o preço da caixa caia consideravelmente. Muito produtores começaram a plantar em fevereiro e março e esperam colher a partir de maio os primeiros tomates. A expectativa dos produtores é de que o preço da caixa de 23 quilos chegue a R$ 15.

    Motivo de piada nas redes sociais e alvo da revolta (SIC) de consumidores, o tomate é apontado como o grande vilão da inflação de alimentos, que chegou a 13,48% nos últimos 12 meses. Contudo, o vegetal não foi determinante para a alta do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), já que o seu peso na cesta de consumo é pequeno. Os alimentos como um todo foram responsáveis por 60% da alta de 0,47% do IPCA em março, mas o tomate contribuiu com apenas 0,02% do resultado de março. No mês passado, o vegetal teve um peso de 0,33% do orçamento da família brasileira.

    Excluindo o grupo alimentos, o IPCA foi de 0,25% no mês e 4,5% no acumulado dos últimos 12 meses. O índice acumulado em um ano alcançou 6,59%, acima do teto da meta de inflação. A alta no preço do tomate nos 12 meses encerrados em março foi de 122%.

    (https://conteudoclippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2013/4/12/capital-do-tomate-ve-producao-cair-pela-metade)

J Souza

13 de abril de 2013 às 13h16

Com o PIB em queda, o aumento dos juros neste momento seria o “suicídio” eleitoral do PT…

Até mesmo porque a inflação também está em queda. E todo mundo sabe que quando PIB e inflação começam a cair juntos é prenúncio de recessão!

O Eduardo Campos vai saber na próxima semana se vai ou não ser candidato a presidente!

O futuro da Dilma, do PT e do Eduardo Campos está nas mãos do Tombini e dos demais diretores do Banco Central!

P.S.1: As capas das revistas de oposição ao governo – Veja e Época – às vésperas da reunião do COPOM não são mera coincidência. E não tem dinheiro da SECOM que mude isto!

P.S.2: No Senado, poucos são os senadores que precisam ser ouvidos: Requião, Aloysio Nunes, Jorge Vianna, Kátia Abreu e, se muito, mais uma meia dúzia.

Responder

Vlad

13 de abril de 2013 às 12h46

Os hipócritas do stablishment sempre tem que achar um culpado.
As forças ocultas, os comunistas, o PIG, azelite, um “dilmenor”.
Como se a caneta não tivesse dono.

Não sei como vcs suportam a si mesmos.

Responder

Messias Franca de Macedo

13 de abril de 2013 às 11h43

A ALTA DOS JUROS A QUEM INTERESSAR POSSA!…

#####################

… O Brasil paga 900 bilhões de juros aos agiotas internacionais, contra 71,7 bilhões investidos na Educação, a disparidade é grande; um aumento de 1% nos juros significa 90 bilhões no bolso das elites genocidas internacionais. é isso que a nossa mídia conservadora defende. se o Brasil suspendesse o pagamento desses juros e investisse esse dinheiro em Educação, Saúde, Moradia, Empregos e ,lógico,na regulamentação dessa mídia traidora golpista, encontraria o caminho do desenvolvimento.

Por Emilio Kelvin – comentário postado em
http://altamiroborges.blogspot.com.br/2013/04/a-natureza-da-crise-economica.html

Repúlica de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

    Luiz Carlos

    13 de abril de 2013 às 12h25

    É engraçado que quando os juros estavam altos, a própria mídia reclamava dizendo que eram os mais altos do mundo.
    O que o P.I.G. não se conforma é :
    A dívida externa que era impagável, foi paga no governo do PT.
    Os juros que eram altíssimos, foram reduzidos no governo do PT.
    Os impostos que eram enormes, foram reduzidos no governo do PT.
    A exclusão social que era um a vergonha nacional, foi atenuada no governo do PT.
    A seca que era o flagelo do Nordeste, está sendo combatida pelo governo do PT.
    O mercado consumidor cresceu e os gargalos herdados pelo PT de governos anteriores, como aeroportos, saneamento básico, rodovias, portos, ferrovias, saúde, educação, estão sendo equacionados pelo PT, não é o ideal, mas é mais que o que foi feito em governos anteriores.
    Agora eles querem que o neoliberalismo, que acabou com a Europa, com suas medidas amargas e inócuas voltem ao Brasil.
    O único intuito é favorecer os organismos financeiros, verdadeiro “câncer” das economias mundiais.

Messias Franca de Macedo

13 de abril de 2013 às 11h33

AINDA SOBRE TOMATE$ A$$A$$INO$ (SIC)

##############

TERRORISTA, VEJA PRODUZ SEU SEGUNDO CASO BOIMATE

Em 1984, o jovem repórter Eurípedes Alcântara caiu numa pegadinha de primeiro de abril e acreditou numa reportagem de uma revista científica sobre o cruzamento genético entre o boi e o tomate; o caso “boimate”, levado às páginas de Veja, se consagrou como a maior “barriga” jornalística de todos os tempos, mas não impediu que Eurípedes se tornasse diretor de redação da revista da Abril; nesta semana, Veja diz que a presidente Dilma “pisou no tomate” e que o alimento virou piada nacional; tabelinha entre Abril e Globo é mais um momento baixo do jornalismo brasileiro, em sua campanha para disseminar terrorismo, pedir juros altos e combater o PT

(…)
Na reportagem, Veja mal disfarça seu lobby pelos juros altos. “Com a inflação não tem conversa. Ela só entende uma coisa: aumento dos juros, corte de gastos do governo e aperto no crédito – todas medidas impopulares”. No seu Boimate 2.0, Veja aproveita também a oportunidade para fazer um elogio rasgado em relação a Margaret Thatcher, que “cortou os gastos e elevou os juros”. Prestes a ser enterrada, Margaret Thactcher ainda hoje é um das figuras públicas mais odiadas da Inglaterra e a polícia britânica discute como conter protestos em seu funeral.
(…)
Sobre Veja, Eurípedes e seu segundo caso Boimate, nada a fazer a não ser atirar tomates na publicação. Que, aliás, já estão bem mais baratos.
FONTE: http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/98804/Terrorista-Veja-produz-seu-segundo-caso-Boimate.htm

Uma oposição pelo amor de Deus!

… República da [eterna] OPOSIÇÃO AO BRASIL… GOLPISTA/TERRORISTA de meia-tigela, ABESTADA, ALIENADA, ALOPRADA, indecorosa, AÉTICA, traidora, despudorada, impunemente fascista, histriônica, MENTEcapta, néscia, antinacionalista, corrupta… ‘O cheiro dos cavalos ao do povo!’ (“elite estúpida que despreza as próprias ignorâncias”, lembrando o enunciado lapidar do eminente escritor uruguaio Eduardo Galeano)
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

    Lafaiete de Souza Spínola

    13 de abril de 2013 às 12h51

    Não nos esqueçamos que foram os ditadores argentinos que estupidamente contribuíram, mais que qualquer outro fator, para insuflar o falso prestígio dessa senhora Margaret Tatcher, com a tal guerra das Malvinas.

J.Carlos

13 de abril de 2013 às 10h39

O senador descobriu a pólvora! Os rentistas fazem campanha pelo permanente e estratosférico aumento dos juros todos os dias, há décadas, mas parece que só agora Viana descobriu!

Responder

Simas Sampaio

13 de abril de 2013 às 08h21

Exato, companheiro. E, os líderes dessa campanha sórdida para elevação dos juros que a presidenta Dilma conseguiu reduzir estão no Banco Central do Brasil. Tombini é o nome dele: golpista, inimigo do povo, direitista, rentista, comprado pelos banco. Acorda PT! A inflação é invenção do PIG.

Responder

Engenheiro Social

13 de abril de 2013 às 04h03

Está claro qual é a estratégia da oposição, por trás da pressão geral do PIG para aumento dos juros: provocar uma desaceleração da economia, o que poderia levar a uma recessão, com o consequente aumento do desemprego. A ÚNICA EXPERANÇA DA OPOSIÇÃO NUMA POSSÍVEL VITÓRIA EM 2014 PASSA PELA SITUAÇÃO ECONÔMICA, ASSIM, Á PERMANECER O CENÁRIO ECONÔMICO ATUAL, A OPOSIÇÃO E O PIG SABEM QUE A CHANCE DE VITÓRIA É MUITO PEQUENA, PRA NÃO DIZER MUITO DIFÍCIL. A única saída é, então, mais do que torcer, pressionar o governo pra tomar medidas rescessivas.

Responder

Ronaldo Silva

12 de abril de 2013 às 22h06

Acho que os psdbestas não vão gostar deste pronunciamento.

Responder

    Alemao

    13 de abril de 2013 às 06h37

    Pelo jeito vc não assistiu ao vídeo.

    Ronaldo Silva

    13 de abril de 2013 às 16h22

    Por mais jeito ainda…vc faz parte da categoria que citei. rs

Guto Lenartovich

12 de abril de 2013 às 21h44

Somente “almas ingênuas” acreditam que essa gritaria está relacionada à inflação. O motivo da gritaria é, naturalmente, aumentar os juros. Ou seja, aumentar os ganhos parasitários – os ganhos com juros – às custas dos lucros do setor produtivo, dos salários, do Tesouro e do Estado.

Segundo o Tesouro Nacional, em seu Relatório Mensal da Dívida Pública Federal de fevereiro, nada menos que 70,91% dos títulos federais lançados no mercado estão na mão de bancos, entidades controladas por bancos ou “não-residentes” no país.

Basicamente, os detentores privados de títulos públicos federais são:
I) “instituições financeiras”: R$ 510,32 bilhões (27,38%);
II) “fundos de investimento”: R$ 468,63 bilhões (25,14%);
III) “não-residentes”: R$ 266,61 bilhões (14,30%);
IV) “seguradoras”: R$ 76,22 (4,09%).

TOTAL: R$ 1 trilhão e 321 bilhões em títulos públicos federais.

Para ajudar no “combate a inflação”, conseguiram elevar o tomate à categoria de indicador econômico.

Precisa desenhar?

Responder

    Evandro

    13 de abril de 2013 às 13h04

    Fonte: Página 14
    https://www.tesouro.fazenda.gov.br/images/Texto_RMD_Fev_13.pdf
    Agiotas pagam muito bem a mídia mercenária

    FrancoAtirador

    13 de abril de 2013 às 18h27

    .
    .
    É de se ressaltar que, apesar de ter havido alguma redução na rentabilidade das aplicações em Títulos Públicos Federais (TPFs), os índices de remuneração da Dívida Pública Federal (DPF) continuam nas alturas, principalmente aqueles atrelados ao IPCA (IMA-C) e ao IGP-M (IMA-B), que no mês de fevereiro atingiram, respectivamente, 30,1% e 21,6% ao ano.

    Estes dados concretos, fornecidos pelo próprio Tesouro Nacional no “Relatório Mensal da DPF” ‘linkado’ pelo comentarista Evandro, ratificam o comentário do Guto Lenartovich que afirma que “essa gritaria toda” não está relacionada à preocupação cívica com o aumento da inflação, mas sim em fazer pressão para que, o quanto antes, haja elevação dos juros, já que a remuneração dos TPFs pela taxa SELIC (IMA-S) caiu para 8% ao ano.

    Portanto, em matéria de inflação, se algum interesse há dos rentistas da Mídia Bandida, é que aumentem os preços para elevar ainda mais os rendimentos dessas aplicações em Títulos da Dívida Pública atrelados ao IPCA e ao IGP-M.

    Outro elemento estatístico bastante relevante, expresso no Relatório do Tesouro, é que 35,51%, ou seja, mais de 1/3 dos TPFs estão vinculados precisamente aos índices de preços,
    enquanto os títulos remunerados por taxa flutuante (SELIC) tiveram participação na proporção de 23% do total da DPF, em fevereiro de 2013.

    Como não poderia deixar de ser, neste Neocapitalismo extorsivo vigente no Brasil e, como de resto, em todo o Planeta, porquanto globalizado,
    a ganância dos ‘mercadistas’, isto é, dos agentes financeiros apátridas, que são os detentores ou administradores desses Títulos Públicos da DPF, é insaciável.


    .
    .
    Mas é aqui que está o furo da bala: *ANBIMA*

    A Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais- ANBIMA é quem realmente manda na Economia do Brasil:
    .
    .
    5.2 Rentabilidade dos Títulos Públicos Federais

    O Índice de Mercado Anbima (4) – IMA, criado pela Anbima (5) em parceria com o Tesouro Nacional, afere a rentabilidade da carteira teórica formada por títulos públicos em circulação no mercado.
    É considerado um parâmetro eficiente para avaliar a evolução da rentabilidade dos títulos públicos, imprimindo maior dinamismo aos mercados primário e secundário da dívida mobiliária federal.
    Os dados apurados em fevereiro apontam um decréscimo de 0,2 ponto percentual do índice IMA-S, referente aos títulos vinculados à Selic,
    e um decréscimo de 1,8 ponto percentual para o índice Geral.
    Também se apurou uma redução de 1,1 ponto percentual na rentabilidade dos títulos prefixados, representados pelo IRF-M.
    Os títulos atrelados ao IGP-M, representados pelo IMAC, apontam uma redução de 4,5%.
    Houve um decréscimo de 3,7 pontos percentuais dos títulos vinculados ao IPCA, representados pelo IMA-B.

    (4) IMA – Índices de renda fixa calculados com base na evolução do valor de mercado de carteiras compostas por títulos públicos.
    O IMA geral é o resultado da ponderação das variações de cada índice;
    o IRF-M é composto por títulos prefixados (LTN e NTN-F);
    o IMA-C, por títulos atrelados ao IGP-M (NTN-C);
    o IMA-B, por títulos atrelados ao IPCA (NTN-B);
    e o IMA-S, por títulos atrelados à Taxa Selic (LFT).

    Para mais informações sobre os índices IMA acesse:
    (http://www.andima.com.br/publicacoes/arqs/edesp_ima_tpf.pdf)

    (5) Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais [*ANBIMA*].
    .
    .

Rodrigo Leme

12 de abril de 2013 às 20h31

Admiro esse senhor, por não ter medo do ridículo ao falar tanta bobagem.

Responder

    Ricardo JC

    12 de abril de 2013 às 21h09

    Eu também te admiro. Cinismo neste nível não é para qualquer um.

    Ronaldo Silva

    13 de abril de 2013 às 16h24

    Vc tem razão, esse aí consegue ultrapassar o lulipe.

    Francisco

    13 de abril de 2013 às 09h09

    Em assim sendo, vocês ambos são admiraveis…

    Ramalho

    13 de abril de 2013 às 13h25

    Concordo com você.

Mario Nhardes

12 de abril de 2013 às 20h11

“Eles acreditavam em um Brasil medíocre,
e porque acreditavam,
ele existia”

Por empréstimo e pequena alteração de texto de Clarice Lispector

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.