VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Milícias destroem patrimônio público e Alckmin conta com a mídia para culpar estudantes
Denúncias Falatório

Milícias destroem patrimônio público e Alckmin conta com a mídia para culpar estudantes


02/12/2015 - 13h52

Coronel-001

Como ficou a Escola Estadual Coronel Sampaio, em Osasco, após ser invadida por homens encapuzados e armados

por Conceição Lemes

Sorocaba, 27 de novembro, sexta-feira.

Oficiais de Justiça tentam, sem sucesso, entregar a notificação de reintegração de posse aos estudantes, que ocupam 21 escolas contra a“reorganização” do governo Geraldo Alckmin (PSDB).

Nas 48 horas seguintes, duas são invadidas por pessoas encapuzadas e armadas, que cortam a luz elétrica, ameaçam os alunos, roubam equipamentos e destroem o patrimônio público de ambas, quebrando vidros das janelas, portas, carteiras, máquinas.

Na madrugada de sábado, 28, isso acontece na Escola Estadual Mário Guilherme Notari, no Jardim Luciana Maria. Na noite de sábado, na EE Guiomar Camolesi Souza, no Jardim Maria Eugênia. À força, os estudantes  desocupam  as duas escolas.

O site Sorocaba de Verdade denuncia

Mais grave do que isso é o motivo que levou os estudantes a deixarem as escolas estaduais Mario Guilherme Notari, no Jardim Luciana Maria, e Guiomar Camolesi Souza, no Jardim Maria Eugênia: invasão da escola por bandidos que nada têm a ver com o movimento de resistência ao fechamento de escolas por parte do Governo do Estado e o constrangimento a que foram submetidos por profissionais da educação e “lideranças” dos bairros. Outras 19 escolas seguem ocupadas pelos alunos

Osasco, 30 de novembro, segunda-feira.

modus operandi utilizado em Sorocaba é aplicado na Escola Estadual  Coronel Sampaio, em Osasco, na Grande São Paulo.

O site O Mal Educado denuncia:

 “ATAQUE À E.E. CORONEL SAMPAIO EM OSASCO!! ESSA É A ESTRATÉGIA DE “GUERRA” DO GOVERNO?

Logo após o Governo declarar que iniciaria uma “guerra” contra o movimento dos estudantes, começam ataques violentos contra as ocupações mais afastadas das câmeras da grande mídia. Em Osasco, a E.E. Coronel Sampaio foi invadida e destruída por pessoas estranhas. A Polícia Militar estava no local e jogou bombas nos estudantes, mas não impediu que os invasores ateassem fogo no colégio.

(…)

O que aconteceu? Na manhã dessa segunda-feira, a Diretoria de Ensino de Osasco convocou a comunidade escolar para uma reunião para incentivar a desocupação da E.E. Coronel Sampaio. Logo em seguida, à tarde, um grupo de pessoas de fora invadiu a ocupação e começou a quebrar toda a escola, roubando muitos materiais. Aterrorizados, muitos dos estudantes que estavam ocupando o prédio saíram. Logo em seguida chegou a PM jogando bombas dentro da escola.

Os estudantes que permaneceram tentavam se reunir no pátio para decidir o que fazer, quando a escola foi novamente invadida pelos fundos e incendiada – e a PM estava presente o tempo todo! Tentando ajudar os outros alunos, dois estudantes ficaram feridos, um cortado pelos pedaços de vidro no chão, outro que passou mal devido ao medo e a fumaça. Um estudante conseguiu recuperar um tablet que fora roubado e trouxe de volta à escola.

São Paulo, 1º dezembro, terça-feira.

Sai no Diário Oficial do Estado de São Paulo (DOSP) o decreto 61.671/2015, do governador Geraldo Alckmin, oficializando a “reorganização” escolar, que fechará 94 escolas e desestruturará  outras 782. Curiosamente não traz a assinatura do secretário da Educação, Herman Voorwald, nem a lista das escolas atingidas.

Ao mesmo tempo, a Secretaria Estadual de Educação põe escancaradamente em prática outra estratégia de “guerra” do governo tucano contra os estudantes.

Ela foi acertada no domingo 29, na reunião reservada do chefe de gabinete de Voorwald, Fernando Padula Novaes, com 40 dirigentes de ensino do Estado, e que vazou. “A gente vai brigar até o fim e vamos ganhar e vamos desmoralizar [quem está lutando contra a reorganização]”, Padula arrotou.

Ao arrepio da lei, inclusive contrariando decisão do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (T-SP), manda a PM  invadir escolas. Além disso,  para mobilizar a comunidade espalha mentiras. Por exemplo, a de que os alunos irão perder o ano. Chega ao cúmulo de orientar  pais e mães a fazerem matrícula em escolas ocupadas, para gerar tensão.

O alvo “inaugural” desta outra estrategia é a Escola Estadual Maria, na Bela Vista, zona central da capital.

Jornalistas Livres acompanhou toda ação desde cedo:

* No início da manhã, Fernando Padula foi pessoalmente à Maria José pressionar os estudantes. Ridícula a sua “performance” como tiozão legal, compreensivo (veja no vídeo abaixo).  Mais falsa que nota de R$ 3. Não convenceu.

*Em seguida, um bando, tendo à frente o diretor da escola, Vladimir Teofilo Fragnan Filho, arrombou o cadeado do portão do colégio e invadiu o prédio, que vem sendo mantido e cuidado pelos alunos.

* À porta, a Polícia Militar (PM) assistiu toda essa movimentação, como se não estivesse acontecendo nada.  O spray de pimenta ficou apontado só para os alunos.

* Na sequência, orquestrados pela diretoria de ensino na sua chamada “guerra” contra as escolas ocupadas,  a Polícia Militar e um bando de civis invade a escola e expulsa os jornalistas (veja no segundo vídeo abaixo).  A ação é truculenta. Na tentativa de desocupar, policiais espirram spray de pimenta em crianças e adolescentes.

* E, aí, a covardia das covardias. O diretor da Escola Estadual Maria José, Vladimir Teofilo Fragnan Filho, deu um tapa rosto de uma estudante de 16 anos que protestava contra a “reorganização escolar”.  Um colega foi socorrê-la e acabou espancado por policiais que escoltavam o diretor. Acompanhados da mãe da menina, os dois jovens fizeram Boletim de Ocorrência (BO) na 5ª DP, para denunciar diretor e PMs por lesão corporal.

Diante da leitura do BO e das imagens destes vídeos, a pergunta óbvia: Se o governo Alckmin agiu com tamanha truculência, em plena região central da capital, o que não será capaz de fazer nas escolas das “quebradas”?

Barbárie - BO-002

CONEXÃO SOROCABA-OSASCO-BELA VISTA SP

A esta altura, outras perguntas são inevitáveis:

— O que aconteceu em Sorocaba tem a ver com o que ocorreu em Osasco e Bela Vista, na capital paulista?

A resposta é sim, claro.

— O que une os ataques de grupos armados a escolas ocupadas em Sorocaba e Osasco?  

Como o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) vetou a reintegração de posse das escolas ocupadas e o uso da PM nessas ações, aparentemente a “solução” foi criar milícias de cunho fascista para expulsar a garotada.  Há indícios de digitais tucanas nelas.

Vejamos.

Barbárie -- roney - devolve a minha escola1. Na semana passada, o Movimento Ação Popular, ligado à juventude do PSDB, criou no Facebook a página Devolve a Minha Escola, cujo objetivo  é combater as ocupações nos colégios. Administra-a Roney Glauber (na foto ao lado, com Alckmin). Ele trabalha no Diretório do PSDB em Guarulhos e  preside  Juventude tucana Guarulhos.

Além da página no Facebook, integrantes do Movimento da Ação Popular  têm visitado escolas ocupadas para pressionar os alunos, revela a revista Fórum.  Quando percebem que não vão conseguir, fazem ameaças.  “Tudo bem, se não vai sair por bem, vai sair por mal”, disseram a uma manifestante  da capital.

2. Tudo indica que aí eles já iniciavam os preparativos para a “guerra” contra as escolas ocupadas, deflagrada por Fernando Padula, chefe de gabinete do secretário da Educação de São Paulo,em reunião reservada, cujo áudio vazou.

3. Coincidentemente, nessa reunião do domingo, Padula apresentou de forma solene um militante do Movimento Ação Popular, que frequentemente comparece nas manifestações pelo impeachment da presidenta Dilma. Seria o próprio Roney? Como apenas o áudio vazou, não dá para ter certeza.

4.O fato é que o movimento fascista contra as escolas ocupadas se intensificou na já famosa reunião de domingo, quando foram divulgadas por Fernando Padula e Valéria Volpato as estratégias do governo Alckmin contra os movimento dos estudantes.

Ouvir Padula contar que as placas de carros estacionados próximos às escolas estavam sendo fotografadas para saber se eram de integrantes da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Estado de São Paulo) deu náuseas. Me fez voltar aos tempos da ditadura militar, quando professores, alunos, funcionários eram vigiados.

Barbárie - Coronel4-0035. Curiosamente, o chefe de gabinete do Secretário da Educação (ao lado, de terno) chegou  à Escola Estadual Coronel Sampaio, em Osasco, logo após o ataque armado de destruiu o colégio. Teria sabido antes?

No caso da Maria José, a PM e um bando de civis (acompanhava o diretor) partiram para cima da garotada pouco depois de Fernando Padula ir embora. Teria partido dele a ordem para a PM invadir a escola?

6. Estranhamente, tanto em Osasco quanto na Bela Vista a Polícia Militar do governo Alckmin assistiu passivamente às agressões aos estudantes  e às escolas e nada fez. Pelo contrário. Na escola da Bela Vista, os estudantes levaram spray de pimenta no rosto. Seriam ordens  superiores?

CONLUIO CRIMINOSO DA GRANDE MÍDIA COM O GOVERNO PAULISTA 

Como era de esperar, os telejornais desde ontem cedo apontavam para os alunos como responsáveis pelo vandalismo, livrando a cara do governo Alckmin.

No caso de TV Globo, isso começou no Bom Dia São Paulo e culminou no Jornal Nacional. O conluio mídia/tucanos, como sempre.

Ao mesmo tempo, abriu os microfones para o chefe de gabinete do secretário da Educação conjeturar sobre haver “movimento político por trás”.  Ele quis incriminar

PT, PCdoB, movimentos sociais de esquerda… Nada de novo.

Só que não é necessário contratar nenhuma força-tarefa para se descobrir que os ataques de vandalismo às escolas ocupadas não partiram de alunos. Destruí-las não lhes interessa nem aos seus apoiadores.

A quem então interessa detonar uma escola?

A quem interessa fazer com que os estudantes desocupem uma escola?

Será essa a tática “de guerra” do governo em ação, para colocar a população contra a luta justa e digna dos estudantes?

Sugiro que o governador Alckmin procure os responsáveis  por estas arbitrariedades e truculências, nas próprias hostes tucanas, talvez alguns mercenários.

Diante tudo isso:

* Por que o Ministério Público do Estado de São Paulo demorou tanto para intervir e, assim, proteger crianças e adolescentes? Estava esperando uma morte para cumprir o seu papel constitucional de defender a sociedade? Nessa terça 1, finalmente, MP começou a se movimentar.

* Cadê os Conselhos Tutelares para proteger crianças e adolescentes de agressões e abusos?

* Os ataques  não seriam a materialização da volta de um eventual “acordo” entre o PCC e o governo Alckmin para impedir a continuidade do movimento?

Assim como Alckmin, os traficantes estão gostando nenhum pouco das escolas ocupadas. Primeiro, porque os alunos proíbem o uso de drogas nelas. Segundo,  porque aumenta o policiamento nas escolas, atrapalhando os “negócios”.

Há, portanto, uma tragédia anunciada e não dá para silenciar diante de tantas barbaridades.

Mais do que nunca quem realmente defende Estado de direito e a democracia só pode estar de um lado neste momento: o dos estudantes que ocupam as escolas.

A propósito: por trás dessa barbárie toda não estaria também o truculento Saulo de Castro, secretário de Governo de Alckmin? É aquele mesmo Saulo de Castro, que desacatou deputados e foi denunciado ao Ministério Público. Esse cidadão é conhecido pelo estilo trator e pela truculência.

PS do Viomundo:  Segundo o site Não fechem minha escola já são 231 escolas ocupadas. Até o momento, 2 de dezembro às 13h52, contabiliza 116 mil curtidas. Já o site do grupo pró-Alckmin, o Devolve minha escola, tem apenas 1.600.

Leia também:

Giannazi: Alckmin está usando todo o aparto policial do Estado contra crianças e adolescentes 





21 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Heloísa Coellho

04 de dezembro de 2015 às 11h24

A PM é que tão corajosa contra adolescentes desarmados, parece muito pouco eficente contra as milícias. Por que será? Sinto que sempre pode haver algo de podre na permanência durante mais de vinte anos de um mesmo partido no Governo do Estado de São Paulo. Esse projeto de poder deve ter limite. É chegada a hora da alternância democrática, para se faxinarem os inevitáveis erros de uma permanência tão longa de um mesmo grupo no governo.

Responder

Gerson

03 de dezembro de 2015 às 20h38

Desculpem, mas isso é apenas um pequeno reflexo de um Estado que vota a quase 20 anos consecutivamente no PSDB, e ainda reelegeram o Alckmin em primeiro turno (no Paraná reelegeram o Beta Richa no primeiro turno) . Queriam o quê? Flores da PM do Alckmin? Diálogo com o governo? Santa ingenuidade Batman.

Responder

Arthur

03 de dezembro de 2015 às 10h49

Apenas Alckmin sendo Alckmin, com a ajuda da mídia. Só falta falar que os estudantes não apanharam, estavam dando cabeçadas nos porretes da PM.
http://youtu.be/RhgCbi9iYaU

Responder

jose neto

03 de dezembro de 2015 às 02h00

Tucanos predadores: Nomes: Alckmin, Serra, FHC (o mais velho) surrupião, Aécio das Furnas e das drogas!

Responder

Mari

02 de dezembro de 2015 às 18h29

Numa das escolas que foi invadida e depredada por ‘pais’ e PMs, houve no dia anterior ao ataque uma reunião na igreja Achiropita. Que nojo dessa igreja católica paulista que apoia e ajuda a articular esse tipo de ação.

Responder

Helio Eduardo

02 de dezembro de 2015 às 18h28

BANDO DE COVARDES, MACHÕES DE FARDA..CONSEGUE-SE VER O ÓDIO EM SUAS CARAS DE CÃES DE GUERRA! ÓDIO CONTRA UMA GAROTADA QUE É TUDO O QUE ELES NUNCA FORAM,: CORAJOSOS! É REVOLTANTE E DÁ NOJO VER ISSO. E SOBRE ISSO A MÍDIA CANALHA, COVARDE E OMISSA NADA FAZ…NEM ABANA O RABO PARA AS PESSOA, OS JOVENS E SUAS FAMÍLIAS E COMUNIDADES!!!
ONDE ESTÃO OS PAIS DESSES GAROTOS???
ONDE ESTÁ OS CANALHAS DOS DIREITOS HUMANOS E OS QUE DEFENDEM O ECA…
ONDE A CANALHA, COVARDE E OMISSA DA MÍDIA?
ESTADO DE EXCEÇÃO COMO NA DITADURA??!!
ONDE ESTÃO OS BATEDORES DE PANELAS??? Ahhh, ESQUECI-ME QUE OS FILHOS DELES ESTÃO EM ESCOLAS “DESCENTES”, PARTICULARES, NÉ? E OS FILHOS DESSES “CÃES DE GUERRA”, TAMBÉM ESTUDAM EM ESCOLAS PARTICULARES? QUE ORGULHO ESTES CARAS ESTÃO DANDO A SEUS FILHOS!! E AÍ, E SE ALGUM DELES LEVOU PORRADA, VÃO BATER NELES TAMBÉM?

Responder

    aurelio

    02 de dezembro de 2015 às 23h38

    e pessual enquantos os estudante a panha mais os bandido não pode a panhar da policia porque logo aparesse quem o defenda e pune os policias serar que os aluno e pior que os manjinais e concordo convocer

Urbano

02 de dezembro de 2015 às 17h58

Para os bandidos da oposição a favor do Brasil combalido e nas mãos dos isteites, o que importa é fazer a entrega da encomenda…

Responder

abolicionista

02 de dezembro de 2015 às 17h44

Vladimir Teofilo Fragnan Filho, vamos guardar esse nome. Um canalha desses logo poderá ocupar um cargo graúdo nesse partideco fascista chamado PSDB.

Responder

    abolicionista

    02 de dezembro de 2015 às 17h49

    Vamos puxar a ficha do agressor. Achei o nome do infeliz numa reportagem do G1. Curiosamente, dando uma desculpa esfarrapada para uma turma que estava sem professor:
    .
    “Sem professor”
    .
    “Após fazer a apresentação do Caderno do Aluno, a secretária circulou por algumas salas da Escola Estadual Marina Cintra, na Região Central de São Paulo, para conversar com professores e alunos.
    .
    Em uma das salas que visitou, os alunos da 8ª série estavam sem professor, o que causou uma saia justa para a secretária. Na mesma hora, o diretor da escola, VLADIMIR TEOFILO FRAGNAN FILHO, apressou-se em explicar que havia faltado o monitor da aula de informática e que os alunos estavam aguardando o início da aula seguinte.
    .
    ‘Aqui na escola, além das cinco aulas diárias obrigatórias, os alunos têm uma aula de informática, que seria uma sexta aula, mas o monitor não veio hoje”, disse Fragnan Filho. “Ele deverá começar na segunda que vem.’ ”
    .
    http://g1.globo.com/Noticias/Vestibular/0,,MUL1004443-5604,00-ESTUDANTES+DE+SP+TERAO+CADERNO+DO+ALUNO+PARA+ACOMPANHAR+AULAS.html

Alberto

02 de dezembro de 2015 às 17h12

Atitude de fascista!

Qualquer líder do PSDB que ocupar a Presidência, será um caos, muito maior do que estamos vivendo atualmente, porém, o Alckimim é o pior deles. Trata-se de um sujeito falso e extremamente perigoso. Massacra a população enquanto mantém aquele sorriso de monalisa!

O Alcimim na Presidência significará retrocedermos à Itália do Benito Mussolini. Acredito que o Alckmim será ainda pior.

Responder

Leo V

02 de dezembro de 2015 às 16h59

Parabéns pela matéria Conceição lemes.

Excelente síntese e informações do que tem ocorrido nos últimos dias.

Responder

Nelson

02 de dezembro de 2015 às 16h45

Para os órgãos da mídia hegemônica e seus comentaristas – supostos entendidos em tudo -, isso não é ditadura.

Para eles, os governos eleitos neste modelo burguês, que tentam nos convencer de que é democracia, podem tudo. Podem ferrar o povo, à vontade, este este tem que sofrer quietinho, não pode tugir nem mugir.

Responder

Mauricio Gomes

02 de dezembro de 2015 às 16h40

Nojo desse canalha autoritário e fascista. E mais ainda dos membros do MP e do judiciário que nada fazem para proteger esses alunos das SS Alckmistas. Da imprensa vendida não dá pra esperar nada diferente mesmo….

Responder

Liberal

02 de dezembro de 2015 às 16h09

Os black-blocks não enganam mais ninguém.

Sabemos todos à quem reportam.

Brasileiro está cansado de ser enganado!

Responder

Andre

02 de dezembro de 2015 às 15h40

Vale a pena ler o texto da Raquel Rolnik. Só quem presa pela escola pública ocupa!!!

https://raquelrolnik.wordpress.com/2015/11/19/ocupe-escolas-publicas/

Responder

FrancoAtirador

02 de dezembro de 2015 às 14h38

.
.
Generalckmin vai à Redação da Mídia FasciPaulista e Ameaça Suspender o Jabá.
.
Frias manda retirar do ar Reportagem da TV Folha com [email protected] do #OcupaEscola.
.
(http://jornalggn.com.br/noticia/folha-retira-do-ar-video-sobre-ocupacao-das-escolas)
.
.

Responder

    abolicionista

    02 de dezembro de 2015 às 17h15

    Caro Franco. Que coisa vergonhosa, não? Eu francamente não consigo perdoar um jornalista que se submete a isso, para mim todos os jornalistas que trabalham no PIG são corresponsáveis por esses crimes, bem como os PMs que agem como cães da Gestapo a mando de Geraldo Alckmin. Não consigo aceitar a desculpa de que estavam apenas cumprindo ordens. Eichmann usou a mesma desculpa. Todo ser humano é eticamente responsável por seus atos. Aliás, é uma das primeiras coisas que ensino aos meus alunos. Muitos dos grandes crimes da humanidade foram cometidos por gente que estava “apenas cumprindo ordens”.

    FrancoAtirador

    02 de dezembro de 2015 às 23h05

    .
    .
    Pois é, Caro Abô.
    .
    Muito Triste ver o País Inteiro Enfeitiçado
    por uma Máfia Monopólica de Mídia Jabá,
    inclusive Professores de Escolas Públicas.
    .
    De Escolas Particulares e Colégios Militares
    nem se fala, são Soldados dos Mercados.
    .
    .

FrancoAtirador

02 de dezembro de 2015 às 14h13

.
.
FREIKORPS
.
De Cérebros Lavados
Homens Desalmados
No Quartel Militar.
Chamam-se Soldados
Mas são Robôs Armados
Treinados Para Matar.
.
.

Responder

FrancoAtirador

02 de dezembro de 2015 às 14h00

.
.
A Resposta é só uma:
(http://imgur.com/TDQqit2)
pbs.twimg.com/media/CVOm9D3WcAE6xkb.jpg
https://twitter.com/linobocchini/status/672064338295955456/photo/1
.
.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding