VIOMUNDO

Diário da Resistência


FrancoAtirador: MPF quer R$ 1 milhão por reportagem discriminatória em que Veja é acusada de falsificar depoimentos de dois antropólogos
Denúncias Falatório

FrancoAtirador: MPF quer R$ 1 milhão por reportagem discriminatória em que Veja é acusada de falsificar depoimentos de dois antropólogos


11/08/2015 - 14h29

veja

10/8/2015

Decisão do TRF-3 derrubou sentença que extinguia processo; Procuradoria pede indenização de R$ 1 milhão por reportagem discriminatória contra minorias étnicas

do MPF, sugerido pelo FrancoAtirador

A 26ª Vara Cível Federal, na capital paulista, terá que dar prosseguimento à ação civil pública que o Ministério Público Federal ajuizou contra a Editora Abril por danos morais coletivos. O processo se deve a uma reportagem discriminatória contra minorias étnicas publicada em maio de 2010 na revista Veja. A decisão é do Tribunal Regional Federal da 3ª Região, que acolheu um recurso do MPF e reverteu a sentença de primeira instância que declarava prescrita a ação.

O MPF propôs a ação em agosto de 2014, quatro anos após a publicação da reportagem “A farra da antropologia oportunista”. O texto da revista Veja baseou-se em informações distorcidas e expressões injuriosas para criticar o processo de demarcação de reservas destinadas a grupos indígenas e quilombolas. A Procuradoria pede que a Abril, responsável pelo semanário, seja condenada ao pagamento de indenização mínima de R$ 1 milhão por danos morais, valor que deve ser destinado aos povos tradicionais do Estado de São Paulo.

A sentença que extinguia o processo se baseou no prazo prescricional de três anos previsto no Código Civil para pedidos de reparação civil. No entanto, o desembargador federal Carlos Muta, do TRF-3, afirmou que o período máximo para o ajuizamento de ação civil pública em matérias que envolvem direitos coletivos é de cinco anos, conforme a Lei 4.717/65. “No caso dos autos, a ação para indenização pelos danos morais, supostamente ocorridos com a reportagem publicada na revista Veja do dia 05/05/2010, foi ajuizada em 21/08/2014. Portanto, não se encontra atingida pela prescrição”, escreveu o magistrado.

Reportagem – O texto da revista procurou caracterizar a criação de novas reservas como fruto do conchavo entre ativistas que sobreviveriam dos sucessos das demarcações, agentes públicos e antropólogos cujo trabalho não teria nenhum rigor científico, mas simplesmente viés ideológico de esquerda. Veja relata ter descoberto “uma verdadeira fauna de espertalhões” e utiliza vários termos depreciativos que incitam o preconceito contra as comunidades indígenas e outras minorias étnicas. Exemplo é a definição de Tupinambás como “os novos canibais”, associando-os a invasões, saques e outras práticas delituosas.

Com o objetivo de embasar a crítica às demarcações, a reportagem também distorceu as declarações de dois renomados antropólogos que se dedicam ao estudo das questões indígenas. O professor da Universidade Federal Fluminense (UFF) e ex-presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai) Mércio Pereira Gomes e o pesquisador da UFF Eduardo Viveiros de Castro teriam, segundo o texto, emitido opiniões contrárias à criação de novas reservas e aos critérios adotados. Após a publicação, ambos escreveram aos editores da revista, indignados com o fato de que as frases a eles atribuídas eram opostas ao que realmente pensam sobre o tema.

Para a procuradora da República Suzana Fairbanks Oliveira Schnitzlein, autora da ação e do recurso interposto, declarações de cunho racista e que promovem a discriminação contra minorias étnicas não podem ser toleradas a pretexto de liberdade de expressão/imprensa, direito fundamental que não se confunde com “o puro e simples discurso de ódio camuflado de reportagem jornalística”.

O número da ação é 0015210-17.2014.4.03.6100. Para acompanhar a tramitação, acesse http://www.jfsp.jus.br/foruns-federais/.

*****

O que escreveu Mércio Pereira Gomes à época:

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Resposta à matéria da VEJA “A farra da antropologia oportunista”

Mais uma vez a revista VEJA traz em suas páginas matéria cheia de injúrias aos povos indígenas brasileiros.

Não pode passar despercebido ao mais desavisado e ingênuo leitor dessa revista o ranço, o azedume de preconceitos e vícios jornalísticos apresentados sobre a questão indígena brasileira. Porém a factualidade do texto também está comprometida por desvirtuamentos de pesquisa, compreensão e análise que certamente intencionam provocar uma impressão extremamente negativa da questão indígena em nosso país.

Os autores da matéria “A farra da antropologia oportunista”, ao que tudo indica jornalistas jejunos no trato de tais assuntos, parecem perseguir uma linha editorial ou um estilo jornalístico em que a busca de objetividade possível é relegada ao interesse ideológico de denegrir as conquistas dos segmentos mais oprimidos do povo brasileiro e demonstrar o seu favorecimento aos poderosos da nação. Primam por um estilo sardônico, próprio de jornalistas que fazem de seu ofício a defesa inquestionável do status quo social e econômico brasileiro, aludem a supostos fatos a partir de evidências descontextualizadas e apresentam citações sem a mínima preocupação com comprovação.

Falta-lhes sobretudo compreensão histórica da questão indígena brasileira, do papel da antropologia e da condição contemporânea da ascensão dos povos indígenas no Brasil e no mundo. Empatia às causas populares e gestos positivos em relação à ascensão das camadas sociais mais oprimidas da nação são atitudes ausentes nesse tipo de jornalismo.

Ao contrário, estão do lado dos que consideram a nação um quintal a ser usado (e abusado) ao seu bel prazer. Um repertório acanhado, porém virulento, de asserções deslocadas do processo histórico tenciona incutir no leitor uma visão de que os povos indígenas – e também os descendentes de quilombolas – estão aí para surrupiar as riquezas da nação dos destemidos fazendeiros, madeireiros, mineradores e empreiteiros da nação. A continuar esse processo não sobrarão terras nem riquezas naturais para a continuada exploração econômica da nação!

Os antropólogos estariam a serviço de uma espécie de subversão da realidade empírica, afeitos à criação imaginativa de identidades étnicas e dispostos a reverter o processo histórico nacional. Nem os mais afoitos de nós sonham com tamanho poder!

Já os índios e quilombolas estão em marcha guerreira para varrer do país aqueles que dariam sustento e sentido à nação.

É demais.

Apresento aqui o meu repúdio a esse tipo de jornalismo.

Denego-lhe o falso direito jornalístico de atribuir a mim uma frase impronunciada e um sentido desvirtuante daquilo que penso sobre a questão indígena brasileira.

Portanto, conclamo os editores da VEJA a rever sua visão miópica e estigmatizada do processo histórico brasileiro. Fariam bem ao seus leitores se se concentrassem na busca de objetividade jornalística e numa compreensão humanista, científica e hiperdialética da história do nosso país.

Atenciosamente,

Mércio Pereira Gomes, antropólogo, professor da Universidade Federal Fluminense e ex-presidente da Funai

Leia também:

Antropólogo Eduardo Viveiros de Castro acusou Veja de inventar declaração





32 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Marat

15 de agosto de 2015 às 22h18

Para os porcos do PIG e para os Moros da justiça (com caixa baixa proposital!), o enriquecimento em tempo recorde FHC, seu “filho” com uma de suas odaliscas pigueanas, o incompetentíssimo governo tucano de SP, o governo criminoso tucano do PR etc., etc., etc. não quer dizer nada… Isso é o brazil…

Responder

Urbano

13 de agosto de 2015 às 12h13

Agora a criatura a ir pro buraco…

Responder

clodoaldo

12 de agosto de 2015 às 16h52

Eu já fui assinante desta p… de revista e posso dizer que ela sempre foi assim. Não é de hoje.

Responder

sergio ribeiro

12 de agosto de 2015 às 12h06

Foi uma das reportagens mais ridículas que já fizeram. As próprias citações sobre as áreas territoriais do Brasil são distorcidas. Da maneira como colocam, parece que o país praticamente inteiro seria ocupado por estas populações, o que é um absurdo lógico.
http://observatoriodaimprensa.com.br/imprensa-em-questao/como-demonizar-populacoes-vulneraveis/

Responder

IGNEZ RODRIGIUES GIL

11 de agosto de 2015 às 23h58

A ” Óia ” da Civita não tem jeito , mesmo.

Responder

FrancoAtirador

11 de agosto de 2015 às 23h36

.
.
(http://cartamaior.com.br/?/Editoria/Politica/Sem-regular-a-midia-governo-se-torna-refem-do-setor-privado/4/34215)
.
.

Responder

Cláudio

11 de agosto de 2015 às 21h13

:
.:. 21:13
… .
Ouvindo As Vozes do Bra♥S♥il e postando:
Valeu a pena ! ! ! ! Dá gosto ser o cantor do seu povo ! ! ! !
… .
* 1 * 2 * 13 * 4
*************
… .
Uns poemas (acrósticos) de autoria de Cláudio Carvalho Fernandes (poeta anarcoexistencialista) para Dilma Rousseff, a depenadora de tucanus, e Lula, o comedor de tucanus :
.:.
D uas vezes contra o espectro atro
I nscreveu já seu nome na história
L utando contra mídia venal & Cia e seu teatro
M ulher forte de mais uma vitória
A deixar tucanus na ó-posição de quatro ! ! ! ! de quatro ! ! ! ! de quatro ! ! ! ! DE QUATRO ! ! ! !
.:.
D ilma, coração valente,
I magem de todo o bem em que se sente
L ivre o amor maior pela brasileira gente
M uito humana e inteligente
A PresidentA do nosso Lula 2018 de novo Presidente
.:.
D ignidade
I ntegridade
L iberdade
M aturidade
A mabilidade
.:.

D ilma, de uma nação vitoriosa
I lustre brasileira lutadora
L uz de dedicação esplendorosa
M otivando a pátria gloriosa
A uma luta digna, vencedora.
::
L uz do povo brasileiro
U m digno e fiel lutador
L astreando com real valor
A honra do Brasil inteiro.
.:.
D ilma, os conscientes te agradecem
I nfinitamente por tua digna história
L utando por todos que reconhecem
M ais a vida no bem comum de fazer na glória
A grande pátria-nação que os brasileiros merecem
.:.
D ilma, coração valente,
I sso que a gente sente
L ibertar o ser plenamente
M antendo sempre presente
A humanidade inteligente
.:.
D ilma deu mais uma surra na ó-posição
I gual ao que Lula também já fez
L ivrando o povo brasileiro da infelicitação
M ostrando que o Brasil tem voz e vez
A o mundo todo dignificando sua população
.:.
L ula livrou 40 milhões da pobreza
U m feito memorável sem precedentes
L utando contra a mídia venal, teve a certeza
A bsoluta de estar ao lado dos brasileiros conscientes
.:.

D ilmais deu mais uma surra na ó-posição
I nstalada na grande mídia venal
L ula teve a sua participação
M andando o pig & Cia ao
A bismo na quarta eleição
.:.
D oar-se a seu povo é exemplo dignificante
I luminando a vida de outros seres lhanos
L ouve-se quem bem merece que se cante
M aravilhas de se acreditar nos humanos
A promover em cada ser o mais do ser em ser interessante
.:.
L ivrando da pobreza absoluta 40 milhões de brasileiros
U m feito sem igual que por si só já bastaria
L ula segue sendo no mundo um dos primeiros
A fazer de seu povo a eterna rima rica de sua poesia
… .
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
Ley de Medios Já ! ! ! ! Lula 2018 ! ! ! !
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

Valeu a pena ! ! ! ! Dá gosto ser o cantor do seu povo ! ! ! !

Responder

Fábio Brito

11 de agosto de 2015 às 20h47

Como Reagir???

Certos momentos na vida exigem que a gente pare, reflita, analise acuradamente e observe atentamente, o que ocorre à nossa volta e separemos erros e acertos.

Tudo isto através da nossa ótica de mundo, de desejos, de expectativas dos resultados que esperamos, ante as ações decididas para atingir o objetivo aguardado.

Feito isto, façamos tudo novamente, só que, agora, dentro da perspectiva daqueles que dominam a narrativa, que nos são OPOSIÇÃO. Devemos nos colocar de acordo com o ponto de vista deles. O que esperam de nós, como nos veem? Antecipar as ações dos que se opõem a nós, pode nos dar uma vantagem enorme em relação a tomar uma decisão acertada.

A sabedoria irá nos indicar a saída.

Quando nos encontramos encurralados, ameaçados de aniquilação, os passos a serem tomados tem que ser muito cuidadosos. Mas precisam ser rápidos e precisos.

Saber nossas forças e fraquezas e entender o que faz nossos opositores fortes e quais as fraquezas deles. Este é o cerne de tudo. Aquilo que poderá nos fazer capaz de sair da armadilha em que nos metemos.
Aquilo que vai nos permitir virar o jogo. A análise precisa do momento, sabendo quando agir, quando tomar a decisão precisa, e, como no Judô, utilizar a força do oponente para desestabilizá-lo e levá-lo ao chão, em definitivo. Um “ippon”.

No entanto, é necessário saber se temos coragem para tanto, porque a covardia a que podemos nos entregar, no momento decisivo, pode nos levar a uma reconfortante, mesmo que paradoxal, aceitação da aniquilação total.

Faço uma análise em meu blog sobre a situação política atual e sobre o GOLPE, iminente, agendado, deem uma olhada, deixem seu comentário, e se gostarem e puderem compartilhem. Obrigado.

“Quando me desespero, e me angustio, eu me lembro que durante toda a história o caminho da verdade e do amor sempre ganharam. Tem existido tiranos e assassinos e por um tempo eles parecem invencíveis, mas no final, eles sempre caem – pense nisso, SEMPRE.”
―Mahatma Gandhi

https://rebeldesilente.wordpress.com/2015/08/09/o-futuro-incerto-do-brasil-entre-o-golpe-juridico-midiatico-parlamentar-esperado-e-a-guerra-civil-possivel/

Responder

Luís CPPrudente

11 de agosto de 2015 às 20h21

A revista marginal da famiglia Civita tem que ser condenada por mais esta reportagem que agride a verdade e os direitos de uma minoria.

Responder

Felipe Souza

11 de agosto de 2015 às 20h08

O que me assusta realmente não é tanto o conteúdo de Veja. O que me assusta é saber que há aí uma relação dialética: de se imprimir todo tipo de preconceito, mentira e ideologia higienista com ares de jornalismo isento para leitores que ávidos, imploram por isso. Então, dá-se o ciclo do desejo/necessidade/vontade (leitores/editores). É uma extensão daquele tipo de consumo do capitalismo, mas que dentro da sua debilidade democrática e xenofobia histórica, pode implodir o próprio capitalismo.
Ou seja, os “verdadeiros trabalhadores” que assim sempre se definem, estão atirando no refém, no policial e no negociador, lhes escapadando o bandido. Tudo isso por puro ódio classista.

Responder

Helenita

11 de agosto de 2015 às 19h17

De fato, assim como os tribunais superiores estão dando cobertura aos desatinos do juiz moro, que tem arrestado bens de acusados, é adequado que a Justiça proceda ao arresto ou congelamento dos bens dessa revista criminosa, pois é urgente que seus membros sejam atingidos por suas acusações mentirosas.

Responder

FrancoAtirador

11 de agosto de 2015 às 18h42

.
.
VEJA FAZ A FARRA DO JORNALISMO CRIMINOSO
.
SOB PROTEÇÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL.
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    11 de agosto de 2015 às 18h44

    .
    .
    (http://racismoambiental.net.br/2010/05/06/a-farra-do-jornalismo-oportunista)
    .
    .

    FrancoAtirador

    11 de agosto de 2015 às 19h32

    .
    .
    (http://www.olhardireto.com.br/juridico/noticias/exibir.asp?noticia=Liminar_autoriza_veiculacao_de_materia_no_site_da_revista_Veja_Sao_Paulo&edt=0&id=26140)
    (http://www.stf.jus.br/arquivo/cms/noticiaNoticiaStf/anexo/rcl20985.pdf)
    .
    .

    FrancoAtirador

    11 de agosto de 2015 às 19h52

    .
    .
    STF considera o que os Repórteres de Revistas e Jornais de G.A.F.E.*
    .
    tão-somente exercitam um ‘Jornalismo Opinativo Crítico Impiedoso’
    .
    (http://www.conjur.com.br/2014-fev-20/jornalista-direito-critica-impiedosa-decide-celso-mello)
    .
    * G.A.F.E.= Globo+Abril+Folha+Estadão
    .
    .

    FrancoAtirador

    11 de agosto de 2015 às 21h44

    .
    .
    NA REALIDADE, É A PROMOÇÃO DO ÓDIO NA IMPRENSA
    .
    COLABORANDO PARA A BRUTALIZAÇÃO DA SOCIEDADE.
    .
    A Mídia-Empresa faz Incitação à Prática de Crimes Bárbaros.
    .
    .

Francisco de Assis

11 de agosto de 2015 às 18h14

.
Que vergonha alheia deste Ministério Público Federal. Levar 4 anos para promover uma ação como essa, PQP. Não duvido que tenham demorado tanto para exatamente prescrever, que tenham recorrido só para dizer que recorreram, e que tenham sido surpreendidos pelo julgamento do recurso. E que, agora, refeitos, estejam apenas tirando onda, antes de arranjar outro jeito de inocentar a veja, que é o aparelho excretor da burguesia marginal e corrupta.
.
É o mesmo MPF que, decorrido 1 ano, não sabe nem quer saber quem é o dono do jato do PSB, que se vendeu politicamente ao PSDB em troca de se abrigar no guarda-chuva protetor dos tucanos corruptos neste mesmo MPF, e também na Justiça e na polícia.
.
É o mesmo MPF do De Grandis, o engavetador de um caso de bandidagem tucana, QUE CONTINUA NAS SUAS MÃOS.
.

Responder

    FrancoAtirador

    11 de agosto de 2015 às 21h19

    .
    .
    No Ministério Público Federal, as Procuradorias Regionais da República
    .
    são divididas por Áreas de Atuação e subdivididas em Grupos Temáticos:
    .
    (http://www.prsp.mpf.mp.br/institucional/procuradores/institucional/procuradores/crime)
    (http://www.prsp.mpf.mp.br/institucional/procuradores/institucional/procuradores/tutela-coletiva)
    .
    .

Deurival Castro

11 de agosto de 2015 às 18h13

Os CIvitas, deveriam ter seguido os conselhos dos que disseram, que eles deveriam fazer o caminho de volta e retornarem pros EUA! de onde veio os antepassados. E que eles parem de cuspir no Brasil que os acolheu e lhes deu tanta prosperidade econômica.

Responder

roberto

11 de agosto de 2015 às 17h51

Eles já estão oferendo o panfleto terrorista com 99% de desconto. Acho que com mais essa paulada na moleira eles vão oferecer com 110% de desconto, ou seja, o sujeito recebe a revista junto com algumas moedinhas,como diz o Romário.
Como há alguns anos eles deram um cambalacho em um hotel de Brasília, se hospedando, comendo,bebendo ,não pagando a conta e fugindo, devem ter ainda alguma gordura dessas atividades, para queimar.

Responder

Marat

11 de agosto de 2015 às 17h39

Continuando…
Já está mais do que na hora de a veja ser julgada por juristas honestos, sérios e competentes, e pagar pelos seus crimes, e que isso possa servir de exemplo a um novo país que renasce das cinzas.
Que a veja pague por seus crimes, e nada mais!

Responder

Sidnei Brito

11 de agosto de 2015 às 17h39

Ainda bem que tem gente no MPF que não é aliado da Veja.
É um bálsamo ler uma notícia dessas após termos assistido a suspeita de que a canalhice que envolveu Romário possa ter nascido no MPF.
Aliás, alguém sabe dizer se o órgão já se manifestou sobre o assunto?

Responder

Marat

11 de agosto de 2015 às 17h37

As pessoas sérias e honestas, a despeito dos fariseus que abundam nas redações e no judiciário (com honrosas exceções!) precisam lutar para passar o Brasil a limpo, de verdade. Tem que por petista na cadeia? Sim Tem que por esquerdista ou ex-esquerdista adocicado na cadeia? Sim Contudo, muitos magistrados (inclusive do alto clero), jornalistas, empresários, traficantes etc., precisam tomar o mesmo rumo: Cana e/ou trabalhos comunitários em prol desta incipiente nação! Já está mais q

Responder

Antonio

11 de agosto de 2015 às 17h05

Qual é o dia em que a Abril vai entrar com o pedido de recuperação judicial.
Vamos fazer uma festa na porta da editora.

Responder

Arthemísia

11 de agosto de 2015 às 16h34

De acordo com o direito penal paranaense, proponho retirar essa porcaria de circulação antes do julgamento, bloquear todo o patrimônio da empresa antes do julgamento e mandar prender seus editores antes do julgamento. Quando for julgar, não esquecer a teoria do domínio do fato e decretar prisão perpétua para os donos da porcaria. O nome disso seria justiça; ou não?

Responder

Couto

11 de agosto de 2015 às 16h10

Acho difícil a Veja rever os seus conceitos. Somente uma justiça forte poderia botá-la nos trilhos.

Responder

Morvan

11 de agosto de 2015 às 15h42

Boa tarde.

A revista (vá lá que o seja) Veja é a cidadela impressa do ultrarreacionarismo brasileiro. Não tem conteúdo próprio (vide os vários Boimates, aqui, o próprio, aqui (crianças sendo “treinadas” para se tornarem ‘bolivarianas’) e aqui, O Caso do Canibalismo Fruto do Coletivismo!). É uma reverberadora do pensamento (?) fascista alhures. Constantino, Reinaldo Sterocrarius Rolabostus, Ricardo Setti e outros calunistas apenas fazem o seu ‘trabalho sujo’. Lula já peitou este coprólito, coisa que todos que forem por eles agredidos têm de ter coragem de o fazer.
Aqui, mesmo, no VOM, temos a reportagem da agressão soez à Profª Mariana Trotta, por parte deste poço de reacionarismo coprólito.
Por fim, parabenizar nosso companheiro FrancoAtirador. Sempre na luta.

Saudações “O Pré-Sal É Do Povo Brasileiro; Vamos Enfrentar Os Golpistas E Defender A PetroBrás; sem Controle do Judiciário, o Brasil será eternamente uma Fábrica de Golpes“,
Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

Responder

    FrancoAtirador

    13 de agosto de 2015 às 08h57

    .
    .
    Camarada Morvan!
    .
    Você acaba de caracterizar a Reincidência da Marginal,
    .
    pela Reiteração de Crimes contra a Honra da Pessoa.
    .
    Hasta la Victoria! Siempre!
    .
    .

Julio Silveira

11 de agosto de 2015 às 15h29

Já é um começo. Esses caras vão empilhar indenizações, vão acabar tendo de captar recursos nos States.

Responder

marcosomag

11 de agosto de 2015 às 14h38

Depois de ser humilhada em público pelo Romário, a VEJA leva mais esta “pancada”. Bem feito para ela!
Mas, creio que o que vai realmente fechar o hebdomadário sujo será a milionária indenização que o banco suíço vai exigir na justiça daquele país europeu. Indenização em francos suíços, que valem mais do que reais ou euros!
Voltando ao episódio Romário: a VEJA, ao tentar justificar o injustificável envolveu o nome da Polícia Federal na confecção de um documento falso! Mais do que suficiente para o Ministério da Justiça ir para cima e devassar a revista de esgoto. Mas, como o cargo de ministro da Justiça está vago, nada acontecerá.

Responder

abolicionista

11 de agosto de 2015 às 14h35

1 milhão é muito pouco! Até quando esses malditos ficarão impunes?

Responder

    Maria Amélia Martins Branco

    11 de agosto de 2015 às 16h40

    Também acho 1 milhão muito pouco, teria que ser arrestado os bens desses bandidos Civitta e dos jornaLIXOS desse panfleto pra pagar todas as indenizações por calúnias e infâmias ao longo de todos esses anos.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding