VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Fox News escapa de processo por fazer pouco caso da pandemia. Jornalista explica como “disputou” a mãe com a emissora
A emissora demitiu uma apresentadora do time B para dar satisfação à opinião pública. Reprodução
Denúncias

Fox News escapa de processo por fazer pouco caso da pandemia. Jornalista explica como “disputou” a mãe com a emissora


01/04/2020 - 14h15

O Washington Post compilou este vídeo dos apresentadores da Fox, antes e depois

O contágio de notícias falsas da Fox

A rede passou muito tempo pulverizando seus telespectadores com informações falsas sobre a pandemia de coronavírus

Por Kara Swisher*, no New York Times

Pode relaxar, Sean Hannity [o apresentador do programa de maior audiência da Fox News], eu não vou te processar.

Algumas pessoas estão sugerindo que pode haver motivos para uma ação legal contra a emissora que você controla — a Fox News — porque você e seus colegas divulgaram informações erradas sobre o coronavírus nos primeiros dias da crise nos Estados Unidos.

Alguns podem alegar que perderam entes queridos por causa do que foi transmitido.

Mas ações judiciais são uma má ideia.

Eis o porquê: acredito no direito garantido pela Primeira Emenda [da Constituição dos Estados Unidos], mesmo que alguns apresentadores da Fox tenham sido flagrantemente ruins quando se tratava de fornecer informações precisas sobre Saúde Pública.

E, mais ao ponto, quando tudo estiver dito e feito, minha mãe dará mais ouvido a seus filhos do que à Fox News.

Um de nós — meu irmão — é um médico de verdade e sabe do que está falando. E o outro é um aborrecimento persistente — este seria eu.

Na verdade, sou uma praga enorme.

“Vou bloquear o seu número, se você não parar”, minha mãe me disse por telefone da Flórida há várias semanas, depois de eu ter lhe enviado o décimo terceiro alerta sobre a propagação do coronavírus em todo o país.

Todos os gráficos enviados tinham linhas assustadoras e exibiam grandes luzes vermelhas piscantes: vá para casa e fique lá até a situação clarear.

Minha mãe ignorou minhas mensagens, então passei a ligar para garantir que ela tivesse informações precisas, nessas semanas críticas entre o final de fevereiro e o início de março.

Minha mãe tem mais de 80 anos e corre maior risco de morrer de infecção. Eu me preocupo muito.

Mas, ela não estava preocupada — e ficou claro o porquê.

Sua principal fonte de notícias é a Fox News.

Naquela época, ela estava me dizendo que a ameaça do Covid-19 havia sido exagerada pela grande mídia (note que a filha faz parte da mídia).

Ela me disse que não seria grande coisa. Ela me disse que era como uma gripe.

E, acrescentou: os democratas usariam o vírus para marcar pontos políticos.

Felizmente, mamãe não chegou ao ponto de afirmar que o coronavírus é um complô para prejudicar o presidente Donald Trump — uma teoria levada a sério por alguns da Fox News, no início.

Embora ela tenha ficado alternadamente chocada e simpática ao presidente — e muitas vezes dê a ele seu apoio — minha mãe não é superfã de Trump o suficiente para pensar que é uma vítima.

Mas ela continuava saindo com os amigos para ir a restaurantes e lojas e vivendo sua vida normalmente.

“Qual é o problema, Kara? Pare de me incomodar” — ela disse por telefone. “Você é quem vai ficar doente, se não parar de trabalhar tanto.”

E com isso ela seguiu para outro evento social, comigo incapaz de detê-la, a centenas de quilômetros de distância.

Desta vez, eu não poderia colocar a culpa nas mídias sociais. Não, o Facebook não foi a fonte de informações errôneas de minha mãe (na verdade, a empresa está tentando melhorar nessa área).

Não foi culpa do Dr. Google, que ao menos divulgou mais informações boas do que más. E minha mãe não usa o Twitter.

Em vez disso, foi a Fox, a Fox e nada além da Fox.

Muitos filhos de pais mais velhos passaram a se dar conta de que a Fox é o equivalente ao vício em açúcar dos idosos, misturado com uma série de rosquinhas carregadas de teorias de conspiração.

Às vezes, parece que a Fox News está comendo o cérebro da minha mãe.

Meu irmão, um médico que trabalha nas linhas de frente da pandemia em São Francisco, chamou a desinformação de “pensamento mágico e ignorância ilusória” , que persiste porque nenhum de nós quer acreditar no pior.

Ele acha que isso acontece quando se trata de informações desagradáveis sobre Saúde Pública.

“Se a mãe não quer que o coronavírus seja verdade, a Fox News facilita as coisas”, ele me disse. “É propaganda clássica”.

Acontece que os executivos da Fox News agiam diferente ​​nos bastidores.

Os escritórios foram higienizados e higienizados e os funcionários receberam instruções de segurança sobre o coronavírus.

Durante todo o tempo, a rede estava fazendo o oposto: pulverizando os espectadores com muito contágio de notícias falsas.

Como escreveu recentemente o colunista de mídia do Times, Ben Smith: “A Fox falhou com seus telespectadores e com o público em geral, de maneira reveladora e potencialmente letal. Em particular, Lachlan Murdoch não conseguiu afastar suas vozes mais importantes da adesão à linha inicial do presidente: que o vírus não era uma grande ameaça aos Estados Unidos”.

Lachlan é o principal executivo da empresa proprietária da Fox News, que assumiu o cargo de seu infame pai, Rupert Murdoch.

Foi o patriarca que colocou a mesa na Fox, e Lachlan é apenas um mordomo dos negócios da família, segundo Smith.

Bem, não completamente. Lachlan Murdoch demitiu uma jogadora do time B, a apresentadora da Fox Business, Trish Regan, depois que ela chamou a atenção da mídia dizendo que o coronavírus era apenas “outra tentativa de provocar o impeachment do presidente”.

Na coluna de Smith, a veterana de relações públicas da Fox, Irena Briganti, foi citada dizendo que a crise “evoluiu consideravelmente nas últimas semanas”.

Presumivelmente, foi uma tentativa de escapar de qualquer ação judicial, alegando que a história mudou — e a Fox, também.

Dado o crescente número de casos e mortes nos Estados Unidos, a Fox parou de minimizar a crise, um movimento que acompanha de perto a posição de Donald Trump.

A Fox também pode em sua defesa algumas falas de outro influente apresentador da emissora, Tucker Carlson.

Enquanto Hannity falava em farsa, Carlson ficou firme no campo de levar a sério a pandemia, instando Trump a agir.

Mas, então, Carlson era uma voz solitária na Fox, e suas visões mais fundamentadas não chegaram à minha mãe nos primeiros dias da pandemia.

Nisso, a Fox fracassou com minha mãe e com muitos outros fãs.

Embora seja possível brincar com o lema da emissora, “Justo e equilibrado”, é fundamental oferecer ao público informações decentes quando se trata de Saúde.

A Fox News finalmente passou a levar a sério o coronavírus, assim como Trump.

Convencidos pelas novas estimativas dos especialistas de que milhões de americanos podem ser infectados e centenas de milhares correm risco de morrer, Trump e a Fox voltaram atrás.

Para minha surpresa, com o agravamento da pandemia, minha mãe começou a ouvir outras fontes de informação, como seus filhos e outros meios de comunicação.

Ela está abrigada em casa há pelo menos duas semanas e não sai — exceto para comprar comida e talvez um sorvete. (“É a minha alegria diária”, ela me disse, e por isso não discuto.)

Foi quando Trump e Fox News começaram a falar sobre volta ao trabalho — mesmo que muito cedo — que os problemas com a Fox realmente tocaram minha mãe.

Agora, ela parece perceber que também tem responsabilidade como consumidora de notícias — apesar de permanecer acólita da Fox News.

Quando o vice-governador do Texas, Dan Patrick, apareceu na Fox em 23 de março, declarando que os idosos poderiam oferecer a própria vida aos jovens, para garantir o futuro econômico do país, ela não quis nem saber da ideia.

Ela olhou para os meus gráficos. Parou de pensar magicamente. E, acima de tudo, decidiu que ainda queria muito mais sorvete na vida.

“Eles são loucos? Isso é loucura ”, ela disse. “Eu não vou morrer por ninguém”.

Ela estava falando comigo, com certeza — mas também com você, Sean.

*Kara Swisher é editora de tecnologia do site Recode

Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - A mídia descontrolada e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


2 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

02 de abril de 2020 às 01h20

Do Rupert Murdoch dá pra dizer o mesmo que Leonel Brizola falava do Roberto Marinho:
Se a informação partiu dele, desconfie,
provavelmente há por trás interesses ocultos
que certamente não são para beneficiar o Povo.

Responder

a.ali

01 de abril de 2020 às 23h21

pois a fox “informada” feito o fascinora do bolsonazi…

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.