VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Fórum mineiro desmascara secretária da Educação: Nunca construímos estratégia de volta às aulas com o governo Zema; nota
Professora Anelise da Silva, coordenadora do Fórum Estadual Permanente de Educação de Minas Gerais (Fepemg), sobre fala inverídica da secretária Julia Sant'Ana, durante entrevista coletiva: “Somos contra o retorno às aulas com base na consulta pública feita com a participação de 32.193 pessoas de 769 municípios de Minas Gerais, pois, 90,3% dos respondentes à consulta, são contrários ao retorno. Os pais e as mães já entenderam que conteúdo se repõe, vidas não'' Fotos: Studium Eficaz e reprodução de vídeo Comunicação do gover
Denúncias

Fórum mineiro desmascara secretária da Educação: Nunca construímos estratégia de volta às aulas com o governo Zema; nota


01/10/2020 - 20h30

FEPEMG rechaça fala da Secretária de Educação e diz que não concorda com a volta às aulas em 5 de outubro próximo

O Fórum Estadual Permanente de Educação de Minas Gerais (FEPEMG), vem a público, para contestar a fala da Secretária de Estado da Educação, Julia Sant´Anna, que durante coletiva de imprensa nesta quinta-feira (01/10/20) disse que o Fórum é uma das entidades junto às quais a Secretaria de Estado da Educação construiu a estratégia de retorno às aulas nos últimos meses.

A coordenadora do FEPEMG, professora Analise da Silva, afirma que essa informação não procede e que o Fórum, em momento algum, construiu estratégia de volta às aulas com o governo de Minas, via SEE.

“Somos contra o retorno às aulas com base na consulta pública feita com a participação de 32.193 pessoas de 769 municípios de Minas Gerais, pois, 90,3% dos respondentes à consulta, são contrários ao retorno. Os pais e as mães já entenderam que conteúdo se repõe, vidas não. O FEPEMG defende a volta às aulas quando houver vacina e cenário seguro de que a quebra do isolamento social não trará riscos à coletividade.”

Segundo a professora Analise, o vínculo da escola com as famílias e os estudantes pode ser mantido de outras formas sem a necessidade de avaliação e de registro de frequência.

“De acordo com o Conselho Nacional de Educação, o conteúdo de 2020 pode ser trabalhado em 2021 e, neste momento de pandemia da Covid-19, preservar a vida é o mais relevante.”

Nota Pública Fórum Estadual Permanente de Educação de Minas Gerais (FEPEMG)

Não ao retorno presencial antes que todas as condições sanitárias e de segurança estejam garantidas pelo Poder Público – Conteúdo escolar se recupera. Vida, não.

“Ninguém tem o direito de expor ao risco a vida de ninguém”.

O Governo do Estado de Minas anunciou para o dia 05/10/2020 o retorno presencial das aulas nas escolas da rede pública estadual e nos municípios que se encontram na “Onda Verde” de acordo com a classificação do “Programa Minas Consciente do Governo do Estado”.

Sabemos todos que Minas Gerais, bem como o país inteiro, vive uma situação de excepcionalidade atravessando uma crise humanitária que a pandemia, a maior dos últimos cem anos, só fez escancarar.

As enormes contradições de um país profundamente desigual ficaram muito evidentes impactando até o esforço de estabelecer atividades escolares não presenciais por meio remoto durante a pandemia.

Desde o início do distanciamento social, não foram realizados esforços e investimentos necessários para viabilizar, por exemplo, a conectividade, bem como, o fornecimento e oferta imediata de dispositivos e recursos computacionais adequados aos trabalhadores e aos estudantes, de maneira a garantir que tivessem acesso à internet como direito social, de modo a preservar a garantia social à educação conforme prevê a Constituição Federal de 1988.

O FEPEMG alertou para o fato, sabendo que as atividades remotas requerem mediação de tecnologia que, segundo levantamentos da própria Secretaria de Educação já demostraram, deixaram de fora mais de um milhão e 700 mil estudantes em Minas Gerais.

No entanto, sem oferecer estas condições mínimas para a realização destas atividades remotas, a resposta da SEE MG, para todo esse cenário de devastação em que está imersa a comunidade escolar, é a volta às aulas presenciais de maneira açodada, sem garantir as condições de segurança e preservação das vidas de estudantes, seus familiares, de trabalhadores em educação, uma vez que um possível retorno presencial das aulas influenciará, diretamente, a Comunidade Escolar como um todo, com repercussão em toda a sociedade.

Parece evidente a exposição ao risco de toda uma comunidade envolvida no processo escolar e sem nenhum diálogo com os atores e sujeitos que realizam na escola o encontro para a garantia de um direito fundamental: o direito à educação.

Essencial reconhecer a importância da escola para efetivação da garantia do direito.

Neste momento, é preciso que a escola mantenha o vínculo com toda a Comunidade Escolar, por meio do envio de atividades recreativas como filmes, acesso orientado a museus, artes plásticas, divulgação científica, uso de ferramentas de conversa para sabermos como estão e em que medida a escola pode contribuir para que a pandemia não repercuta em perda de saúde física, mental, emocional.

Entretanto, é, no mínimo inapropriado, dada a excepcionalidade da pandemia, propor o retorno presencial para a mesma escola do “chamado antigo normal” que, antes da pandemia, já não oferecia condições mínimas de atendimento, com ausências de materialidades básicas, como água, sabão, papel higiênico, como também, equipamentos sanitários e infraestrutura em geral.

Protocolos necessários para um possível retorno presencial das voltas das aulas absorvem as boas recomendações de epidemiologistas, cientistas e requerem planejamento, recursos e diálogo, mas, ainda assim, os processos que se realizam na escola não se resumem ao estabelecimento protocolar na qual as tarefas, as rotinas, as construções, as relações, as didáticas são como uma guia de passo a passo.

O Fórum Estadual Permanente de Educação de Minas Gerais (FEPEMG) foi uma destas instituições que elaborou consulta pública sobre protocolos de retorno presencial das aulas com 32.193 pessoas de 769 munícipios de Minas Gerais cujo resultado expressou preocupação com um retorno presencial das aulas nesse momento em que ainda há um grande número de infectados e a pandemia tem ceifado milhares de vidas e não há perspectiva imediata de uma vacina. https://neja.fae.ufmg.br/index.php/consulta-publica-2020/

Assim, somos contrários à autorização de abertura das escolas estando ou não o município na onda verde; à retomada presencial para estudantes do 3º ano, mesmo não sendo obrigatório para os discentes, pois estas medidas, além de não dialogar, desprezam os levantamentos e pesquisas que distintas organizações, fóruns, conselhos, sindicatos têm feito acerca do retorno presencial às escolas.

O estabelecimento de um possível retorno presencial das aulas, quando as condições sanitárias e de segurança permitirem e estiverem garantidas pelo Poder Público, dentro de uma perspectiva democrática, deve ser construído com muito diálogo, planejamento, possibilitando que educadores, educandos e famílias, enfim, os sujeitos desse processo, sejam ouvidos e considerados para prepararem coletivamente e com as condições necessárias, o retorno presencial para um dos mais importantes espaços de celebração da vida, da ciência, da democracia e da esperança: a escola.

Setembro de 2020 – Primavera

Fórum Estadual Permanente de Educação de Minas Gerais (FEPEMG)



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


1 comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

a.ali

02 de outubro de 2020 às 10h24

zema e sua turma ñ cansam e nem se contrangem em mentir!

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!