VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Durante discurso de Lula, petistas denunciam Globo
Denúncias

Durante discurso de Lula, petistas denunciam Globo


03/05/2014 - 18h12

Da Redação

Aos 21″30″ os petistas cantam o clássico refrão dos anos 80.

PS do Viomundo: A agência de notícias do PT, preguiçosa, reproduziu um vídeo de mais de 3 horas na rede! Nem parece que não sabem que o internauta gosta de vídeos curtos, com os melhores momentos. Ah, a preguiça! Ou ainda não descobriram que existem editores de vídeo gratuitos…

Veja também:

Aécio Neves e a censura em Minas Gerais

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



24 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Jorge Moraes

06 de maio de 2014 às 18h01

Os tucanos estão precisando tomar um banho. Embora estejam sumindo com a água, já passou da hora deles levarem o banho que merecem.

Responder

Urbano

05 de maio de 2014 às 15h56

Há quem conheça o caminho das pedras para as mesmas informações do desgoverno tungano e, por conseguinte, montar uma lista comparativa. O danoso ferrando henriqueaux e o aéreo never vão ao delírio…

Responder

cassio

05 de maio de 2014 às 13h25

Denunciar do jeito q foi não resolve. O governo tem condições legais para cancelar a concessão da Globo e não fez assim como não fará. Muito barulho por nada!

Responder

FrancoAtirador

05 de maio de 2014 às 11h10

.
.
Lula falou também do desempenho do Brasil no cenário mundial

que não saiu, não sai e nem sairá na Mídia Empresarial Tucana

O BRASIL DE LULA/DILMA 2014

ENTRE TODOS OS PAÍSES DO PLANETA

+ É a 7ª economia mundial
+ É o 2º maior país exportador de alimentos
+ É o 1º produtor e exportador de soja
+ É o 1º produtor e exportador de café
+ É o 1º produtor e exportador de açúcar
+ É o 1º produtor e exportador de suco de laranja
+ É o 1º produtor e exportador de carne bovina
+ É o 1º produtor e exportador de frango
+ É o 3º maior produtor de frutas
+ É o 1º fabricante de jatos regionais
+ É o 3º fabricante de aviões comerciais
+ É o 4º mercado de veículos
+ É o 7º produtor mundial de veículos
+ Tem a 4ª maior indústria naval
+ É o 2º maior produtor de minério de ferro
+ É o 9º maior produtor de aço
+ É o 4º maior produtor de cimento
+ É o 4º maior produtor de celulose
+ É o 1º em celulose de eucalipto
+ É o 9º maior produtor de papel
+ É o 7º maior fabricante de produtos químicos
+ É o 8º maior produtor de alumínio primário
+ É o 4º maior produtor de bauxita
+ É o 3º maior produtor de alumina
+ É o 5º maior produtor de têxteis
+ É o 4º maior produtor de confecções
+ É o 3º maior produtor de calçados
+ É o 2º maior gerador de energia hidrelétrica
+ É o 1º produtor de etanol e o 3º de biodiesel
+ É o 7º maior gerador de energia elétrica e 9º maior consumidor
+ É o 3º maior mercado de computadores pessoais
+ É o 5º em telefones celulares e o 5º em telefones fixos.
+ É o 4º país em usuários de internet e o 3º em número de servidores
+ É o 4º país em extensão de rodovias
+ É a 4ª maior força de trabalho (104 milhões)
+ É o 7º maior mercado de consumo do mundo
+ É o 5º em reservas internacionais (US$ 377 bilhões)

ENTRE OS PAÍSES DO G20 (20 MAIORES ECONOMIAS)

+ Teve o 9º maior crescimento do PIB em 2013 (2,3%)
+ É o 1º na proporção entre reservas e dívida de curto prazo (10 vezes)
+ É o 2º na proporção entre reservas e importações (18 meses)
+ Teve o melhor resultado primário médio entre 2008 e 2013 (2,54%)
+ É a 6ª menor dívida pública bruta em relação ao PIB (57,2%)
+ Tem o 4º maior investimento Educação (5,8% do PIB)
+ Tem o 9º maior investimento em Saúde (8,9% do PIB)

Transcrição de José Ricardo Romero,
em comentário no Viomundo.

(https://www.viomundo.com.br/opiniao-do-blog/em-vespera-de-campanha-pt-esboca-reacao-sera-eficaz.html)
.
.

Responder

    Edna Camboatá

    06 de maio de 2014 às 19h58

    Tudo fruto do trabalho do Partido dos Trabalhadores.

Julio Siveira

05 de maio de 2014 às 09h17

E para não dizer que não falei de flores, por o PT está tão leniente nesta questão do DARF?

Responder

Fernando

05 de maio de 2014 às 08h34

Tantas coisas estão nas mãos da iniciativa e privada. E todos não se sentem roubados por Bancos, empresas aéreas, de ônibus, a Supervia, telefônicas, eletricidade, gás, planos de saúde, pedágios, e tanta coisa mais, todos cobrando muito caro e tudo funcionando muito mal.

Responder

ANDRE

05 de maio de 2014 às 01h20

http://www.blogdacidadania.com.br/2014/05/se-dilma-deixar-oposicao-surfara-em-horario-eleitoral-exclusivo-ate-agosto/
Se Dilma deixar, oposição surfará em horário eleitoral exclusivo até agosto

Aos poucos, vai ficando claro por que a entrevista do ex-presidente Lula a blogueiros, no início do mês passado, provocou tanta comoção nos grandes meios de comunicação – Globo à frente. Sem essa entrevista, muito provavelmente a presidente Dilma não teria tomado as iniciativas que vem tomando no sentido de reagir ao bombardeio midiático.

O endurecimento do discurso da presidente – e, com sua anuência, de membros de seu governo, sobretudo de seus ministros – contra a oposição e seus candidatos à Presidência decorreu, claro, de números desfavoráveis apurados em pesquisas obscuras que, para quem as acompanha, sabe que forçaram a mão a favor da oposição ou contra a situação. Mas, em grande medida, decorreu também – e principalmente – da senha dada por Lula.

Dilma engajou-se na administração do país em 1º de janeiro de 2011 e acabou esquecendo do resto. Esqueceu-se de como a política pode ser eficiente em distorcer a realidade.

A presidente achou que a manutenção do bem-estar dos brasileiros em meio a uma hecatombe econômica mundial seria suficiente para mantê-la politicamente forte, mas deixou de contar com um fato: manter o bem-estar não significa aumentá-lo.

Como aumentar significativamente a qualidade de vida no país seria praticamente impossível em um momento em que o mundo se debate em desemprego e recessão no âmbito da maior crise econômica mundial da história, a falta da continuidade da melhora dessa qualidade de vida seria explorada politicamente com grande eficiência devido ao fato de a oposição dispor de máquina propagandística tão avassaladora quanto é a grande mídia.

Dilma acreditou no poder da realidade contra o poder da comunicação, a qual, ao longo de seu governo, relegou a segundo plano, dispondo-se, inclusive, a repetir os chavões dos grandes impérios de mídia com os quais respondem aos questionamentos sobre a absurda concentração de propriedade desses meios que vige no Brasil.

Dilma adotou a tese midiática do “controle remoto” como que fazendo uma oferta de paz àqueles impérios de comunicação. Algo como “Deixem-me governar que não incomodo vossos oligopólios, com os quais vêm enriquecendo tanto”. A presidente não entendera, pois, que a mídia não quer apenas ganhar dinheiro, mas também governar o país…

Por “controle remoto”.

Sem estratégia de comunicação, fazendo ar blasé para ataques reiterados dos adversários na mídia, acreditando que o massacre dos petistas condenados no julgamento do mensalão não a afetaria apesar de esses ataques criminalizarem o PT, partido ao qual a presidente é filiada, ela se manteve ocupada, “apenas”, em impedir que a sociedade sentisse os efeitos da crise internacional.

E conseguiu. Dilma conseguiu manter o país a salvo da crise. A vida dos brasileiros não só não piorou como ainda melhorou um pouco, ainda que bem menos do que durante a era Lula, que só viveu dois anos de uma crise que já dura quase seis.

Mas o que aconteceria se os brasileiros não soubessem a gravidade da crise econômica internacional? E se ela fosse tratada pelos meios de informação disponíveis aos brasileiros como “nada demais”, como um fato incapaz de justificar que o ritmo da melhora da qualidade de vida no país tenha diminuído?

Foi o que aconteceu. Vermos as críticas que temos visto tanto na grande mídia quanto nas ruas do país a uma política econômica que impediu que fôssemos contaminados pelo desemprego e pela queda da renda que se espalharam pelo planeta, chega a ser surreal.

Quando falam da inflação, parece que estamos no fim do governo Sarney, do governo Collor ou no fim do governo FHC, quando a inflação de dois dígitos deixava os salários e a renda das famílias na poeira. Nem parece que por mais de uma década seguida o Brasil mantém a inflação dentro da meta do Banco Central e que os salários têm dado um baile na inflação.

Nem parece, aliás, que há hoje no país uma empregabilidade altíssima inclusive para grande parte da mão-de-obra não especializada e que os salários estejam em níveis jamais imaginados ao longo das duas décadas anteriores à chegada do PT ao Poder.

Alguns dirão que Dilma acordou tarde demais e que já não haverá tempo para reagir, mas tal premissa não passa de desconhecimento da realidade do país, não passa de uma premissa fundada em torcida ou pessimismo exagerado.

A eleição presidencial de 2014 mais uma vez irá contrapor realidade e fantasia – ou realidade e efeitos especiais. O que vivenciamos de concreto hoje no país é uma coisa, o que a máquina propagandística de oposição está enfiando em algumas cabeças, é outra.

Ora, basta fazer o cidadão olhar ao seu redor, usar a memória para lembrar o passado e decidir se quer arriscar o que tem.

A máquina propagandística da oposição está vendendo um “Viaduto do Chá” aos brasileiros, acenando com melhoras que não virão e que, pelo contrário, em vez de melhoras serão pioras, pois quem acompanha a política conhece muito bem as plataformas de Aécio Neves e Eduardo Campos vendidas ao grande empresariado, de impor “medidas amargas” à ralé.

O fato é que o horário eleitoral na televisão e no rádio com o qual o PT e sua candidata esperam fazer os brasileiros pensarem, só começa daqui a mais de 90 dias. Até lá, o governo, sua titular, o partido dela e os aliados estarão literalmente amordaçados nos meios eletrônicos, enquanto que a oposição terá uma mídia que faz a sua vez nesses meios todo dia, de segunda a segunda.

A realidade hoje é que enquanto Dilma apanha todo dia nas tevês, nos jornais expostos em cada esquina e nas rádios, meios nos quais a grande massa se informa, a oposição aparece de forma heroica enfrentando “o poder”, inclusive reclamando de estar sendo prejudicada pela “máquina estatal” nas mãos dos adversários.

Na comunicação de massas, porém, só Dilma apanha. A economia estaria em frangalhos, a Petrobrás teria sido falida, a corrupção teria explodido e todos os problemas que são de responsabilidade de Estados e municípios, grande parte dos quais são administrados pela oposição, tornam-se responsabilidade da presidente da República.

Enquanto isso, alguém se lembra de uma única reportagem negativa para Aécio Neves ou Eduardo Campos? Até surgiram episodicamente na mídia, há vários meses, algumas denúncias contra o PSDB de São Paulo, como no caso dos trens superfaturados de Alckmin e Serra, mas Aécio e Eduardo são mantidos intocados e só aparecem no ataque, repetindo o que diz o noticiário.

Eis por que o recente pronunciamento de Dilma em cadeia de rádio e tevê deixou a mídia e a oposição de cabelo em pé. A presidente fez a única coisa que não pode fazer para que os planos dos adversários deem certo: deu a sua versão contra a versão esmagadora do noticiário.

Ora, censura só funciona se for para valer e a oposição midiática depende de Dilma continuar calada para poder fazer prevalecer sua versão da realidade, impedindo os brasileiros de refletirem sobre o que têm e o que estarão colocando em jogo em outubro próximo.

Desse modo, se Dilma não continuar falando – e muito – terá dois meses de exposição na tevê e no rádio para convidar o país a refletir, enquanto que a oposição, só neste ano, terá tido OITO meses. A oposição, assim, terá desfrutado de um horário eleitoral exclusivo na mídia eletrônica que terá sido quatro vezes maior do que o que terá tido a situação.

Em condições tão desiguais, a disputa ficará difícil para Dilma. A menos que ela continue falando, pois só a sua voz tem peso suficiente para não poder ser ignorada ou escondida. E mesmo que a cada fala sobrevenham os ataques, a militância terá argumentos e não vai dar para simplesmente tapar os ouvidos e não ouvir o que o outro lado tem a dizer.

Eis, portanto, a contribuição deste blog aos estrategistas da campanha da presidente Dilma Rousseff à reeleição.

Responder

A. R. Carvalho

05 de maio de 2014 às 00h38

Maravilha. Obrigado Viomundo.

Responder

Roberto

04 de maio de 2014 às 21h03

Lula voltou! Dilma vai pra cima.

Responder

abolicionista

04 de maio de 2014 às 11h12

Parece que o ministro das comunicações não apareceu… por que será?

Responder

Julio Siveira

04 de maio de 2014 às 09h23

Será que o PT paga por esse amadorismo em suas comunicação, que repercute até no governo?

Responder

Irineu

04 de maio de 2014 às 00h23

Azenha,
Parabéns!
Muito obrigado!

Responder

Fabio Passos

03 de maio de 2014 às 21h45

Derrotar o PiG-psdb, instrumentos da “elite” branca e rica para o controle e dominação da população , é fundamental para que o Brasil supere definitivamente o Apartheid Social.

É preciso cumprir a constituição e acabar com o monopólio da informação mantido pelas oligarquias midiáticas.

Em 2014 os candidatos do PiG-psdb serão arrasados na urnas.
Já passou da hora de implodir a casa-grande e mandar estes racistas pelos ares.

Responder

Luiz

03 de maio de 2014 às 20h36

Lula bate na mesma tecla de pensamento que eu. De que de uma forma ou de outra o PIG e seu clã criminalizou o PT a tal ponto de parte classe c repugnar o partido.

Planejamento concretizado do PIG !!!

Responder

lulipe

03 de maio de 2014 às 19h34

Por que não param de anunciar na Globo, o que será que impede o PT de cancelar a publicidade no tão famigerado “PIG”???

Responder

    Luís Carlos

    03 de maio de 2014 às 22h14

    O que será que impede a tão “competente” mídia “livre e privada” de viver sem mamar nas tetas do Estado?

    Nigro

    04 de maio de 2014 às 21h10

    Basta privatizar. Reduza-se o estado.
    O estado rouba o nosso pib. E desperdiça- inclusive em publicidade.

    Gozado, nunca vi propaganda da nasa ou das agencias governamentais americanas….

    Fernando

    05 de maio de 2014 às 08h26

    Nigro, nos EUA a presença do Estado na economia é imensa, só pessoas desinformadas acreditam no contrário.

    Por exemplo, o governo americano estatizou a seguradora AIG, a maior seguradora do mundo, por meio do Federal Reserve (Fed) com um empréstimo de US$ 85 bilhões, em troca, o governo ficou com 80% da empresa.

    Também Fannie Mae e Freddie Mac, as duas companhias foram estatizadas em 2008.

    Foram gastos bilhões dos contribuintes para socorrer grandes bancos privados falidos.

    O governo Obama socorreu a poderosa General Motors (GM).

    Através do complexo industrial militar o Estado subsidia boa parte da economia dos EUA.

    Quanto a propaganda, nos EUA a mídia de lá veste a camisa dos EUA, enquanto a nossa veste a deles, os nossos mídia são colonizados.

    Fernando

    05 de maio de 2014 às 08h28

    Também nos EUA o Estado subsidia o agronegócio.

    Valmont

    05 de maio de 2014 às 11h04

    Nigro, o ideário liberal americano, adaptado pelos imitadores tupiniquins, é minimizar o Estado para os pobres, a fim de maximizar as benesses para os ricos, na forma de subsídios, financiamentos e outras “graças”.

    A verdadeira “mão invisível” é a que faz passar a riqueza dos bolsos pobres para os ricos. A concentração de renda nos EUA já atinge níveis alarmantes.

    lulipe

    05 de maio de 2014 às 23h50

    Ela “mama” porque o estado oferece as tetas, meu caro inocente.A Globo como qualquer empresa privada busca lucro e vai atrás de onde ele vem com maior facilidade e em maior volume.Entendeu ou preciso desenhar???

    abolicionista

    07 de maio de 2014 às 15h45

    Sabe quanto os EUA gastaram na guerra do Iraque? mais de um trilhão, meu caro.

    O receituário liberal é um remédio que só serve pros outros. Gozado, né?

    abolicionista

    05 de maio de 2014 às 16h04

    Por que não estão interessados em provocar nenhum tipo de golpe de estado, é isso o que aconteceria, na visão da direção do PT, se Dilma peitasse de frente os interesses das elites que concentram o poder econômico no Brasil. Curto e grosso, medo do extremismo da direita.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.