VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Delegado desmascara farsa do grupo de Aécio contra jornalista: “Carone foi vítima de uma organização criminosa que operou em Minas para perseguição política”

11 de junho de 2018 às 20h15

Reprodução You Tube e Agência Brasil

por Conceição Lemes

Há 14 anos o jornalista Marco Aurélio Flores Carone, 65 , é uma pedra no sapato do tucanato mineiro, em geral, e do senador Aécio Neves, em particular.

Nascido em Visconde do Rio Branco, Zona da Mata de Minas, Carone é filho de políticos cassados pela ditadura militar: Jorge Carone Filho e  Nysia Coimbra Flores Carone.

Em 2005, ele criou o NovoJornal, um site jornalístico que tratava de política, economia e cultura.

Carone tinha o hábito de madrugar na redação, no Bairro Cruzeiro, centro de Belo Horizonte.

Em 20 de janeiro de 2014, como sempre, chegou por volta das 6.

Mas, diferentemente de outras manhãs, três viaturas da Policia Civil de Minas Gerais estavam na porta.

Ele mal começou a descer do carro, seis policiais lhe apontaram metralhadoras e um disse: “Você está preso!”.

Três dias antes, a juíza Maria Isabel Fleck, da 2ª vara criminal de Belo Horizonte, decretara a prisão preventiva do jornalista, a pedido do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG).

Entre outras alegações, dizia que o NovoJornal  era “utilizado para lançar ofensas à honra de autoridades públicas” (…), imputando inverdades àqueles que cumprem seus deveres funcionais” .

E como “exemplo” de sua justificativa citava reportagem denunciando o mensalão tucano.

Na decisão, a juíza reproduziu trecho da denúncia do promotor André Luiz Garcia de Pinho, da Promotoria de Combate ao Crime Organizado do MPMG.

Nele, o promotor tacha Carone de ser “membro de quadrilha”, e o NovoJornal de atuar “como verdadeiro balcão para intimidação e desmoralização das vítimas da quadrilha”.

Em coletiva de imprensa, o promotor André Pinho e o delegado César Matoso, da 2ª Delegacia de combate a crimes cibernéticos, acusaram o jornalista de falsificação de documentos, formação de quadrilha e lavagem de dinheiro.

CARONE FOI PRESO POR AÇÃO DIRETA DO GRUPO DE AÉCIO NO JUDICIÁRIO E NA POLÍCIA

No mesmo dia, o nome de Carone estava estampado em toda a mídia, como “achacador”, “falsário”, “integrante de quadrilha”.

Na verdade, o NovoJornal foi o único veículo em Minas que não se curvou à censura comandada com mãos de ferro por Andrea Neves durante os governos dos tucanos Aécio Neves (2003-2010) e Antônio Anastasia (2011-2014).

Carone foi preso por ação direta do grupo de Aécio no judiciário e na polícia.

Leia-se: o próprio Aécio, a então toda poderosa irmã, Andrea, e Danilo de Castro, secretário do governo de Minas de 2003 a 2014.

O encarceramento teve a ver com reportagens já publicadas, como as sobre as listas de Furnas e do mensalão tucano, reveladas pelo lobista Nilton Monteiro e comprovadamente verdadeiras.

Mas foi devido principalmente a denúncias que o NovoJornal iria publicar contra Aécio, então candidato à presidência da República.

Tanto que Carone só foi solto após o 2º turno da eleição de 2014.

Dos 9 meses e 15 dias de encarceramento, três meses foram na solitária, incomunicável.

O promotor André Pinho e o delegado César Matoso abriram dois inquéritos contra o jornalista.

Mas, como a função da verdade é aparecer, em 2 de maio de 2016 Carone obteve a primeira vitória.

A juíza Kenea Márcia Damato de Moura Gomes, da 12ª Vara Criminal de Belo Horizonte, mandou arquivar um dos inquéritos, pois nada se provou das denúncias do MPMG.

Abaixo, a última página da decisão da magistrada:

Agora, o segundo inquérito deve tomar um novo rumo.

O delegado Rodrigo Bossi de Pinho, que assumiu a a investigação após o afastamento de Matoso, concluiu-o e relatou-o, sem indiciar Carone.

Rodrigo Bossi é o chefe do Departamento Estadual de Fraudes da Polícia Civil de Minas Gerais.

Em 11 de maio de 2018, ele enviou o relatório sobre o caso à 2ª Vara Criminal de Belo Horizonte, que o remeteu ao juiz Haroldo André Toscano.

Doutor Haroldo ainda não decidiu, mas, em tese, se ele seguir o relatório, remeterá o inquérito à Procuradoria Geral de Justiça, para investigar as irregularidades da atuação do promotor.

O delegado Rodrigo Bossi desvendou uma farsa:

*Após a prisão de Carone, seu ex-genro procurou o promotor André Pinho e ofereceu-lhe a notícia crime de que a conta bancária de seu filho, neto de Carone, estava sendo utilizada para lavagem de dinheiro.

*Como contrapartida, o promotor forneceu uma certidão para ser utilizada no Juízo de Família na ação de divórcio contra a filha de Carone.

*Na certidão, André de Pinho adianta-lhe que iria representar por providência cautelar sigilosa de quebra de sigilo bancário do neto de Carone.

“Nada mais conveniente”, observa Bossi em sua conclusão (veja trechos abaixo).

Carone, prossegue o delegado, sofreu todo tipo de perseguição por denunciar os esquemas de corrupção nos governos de Minas.

Com base nas investigações, doutor Rodrigo Bossi tem plena convicção de que Carone foi uma das vítimas de uma organização criminosa que operou em Minas Gerais para perseguição política.

O chefe do Departamento de Fraudes da Polícia Civil de Minas ainda salienta: Carone é “único, autêntico, preso político pós-redemocratização” e que seu caso deveria ser apreciado pela Corte Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (OEA).

CARONE: “ALERTEI ANDREA DE QUE O QUE FAZIAM NO GOVERNO NÃO IA ACABAR BEM” 

Em entrevista exclusiva ao Viomundo após saber da sua absolvição no segundo inquérito, Carone fala sobre o comportamento da mídia, o alerta que fez a Andrea Neves anos atrás, os inquéritos, medidas que tomará contra os caluniadores. Veja a íntegra.

Viomundo – Como foi receber essas duas decisões? O que sentiu na hora em que as leu?

Marco Aurélio Carone — Na primeira, eu fiquei alegre, pois foi feita perícia que comprovou a inexistência de qualquer prática irregular. Na segunda, triste com o que ficou provado.

Viomundo – Você foi massacrado, ficou incomunicável três meses, quase morreu na prisão.  Essas decisões reparam toda a injustiça que sofreu?

Marco Aurélio Carone —  Pergunta difícil.

Viomundo – Como a mídia o tratou na ocasião?

Marco Aurélio Carone —  Como criminoso, principalmente porque a Andrea Neves colocou toda estrutura de imprensa do governo de Minas para distribuir notícias contra mim, informando que um falsário e chantagista tinha sido preso.  Até coletiva para rádio e televisão foi convocada.

Viomundo — Esse comportamento foi só da grande mídia?

Marco Aurélio Carone  — Não. Com exceção do Viomundo e de alguns pequenos blogs, a mídia alternativa também me tratou como bandido, criminoso. A Andrea tinha controle de quase tudo.

Viomundo — Andrea Neves teve participação direta na tua prisão. O que passou pela tua cabeça no dia em que a viu sendo presa?

Marco Aurélio Carone  — Lembrei do que tinha lhe dito lá atrás. Durante anos, diante das reclamações dela sobre as matérias do  Novojornal, alertei-a de que o que estavam fazendo no governo não ia acabar bem.

Viomundo – No livro Diálogo com ratos, o jornalista e escritor Geraldo Elísio conta que no dia 17 de janeiro 2014 Andrea foi ao NovoJornal e disse que se não parasse com as matérias contra o Aécio, você ia ser preso e o NovoJornal fechado. Ela chegou a ir à redação propriamente dita?

Marco Aurélio Carone – Não. O motorista dela me chamou e eu fui até a porta. Andrea estava dentro do carro.

Viomundo – Lendo agora os documentos sobre a sua prisão, me chamou a atenção o fato de a juíza Maria Isabel Fleck ter pedido a tua prisão preventiva no dia 17 de janeiro, justamente o dia em que a Andrea foi ao NovoJornal. Ou seja, a decisão já estava tomada. Ela tentou dissuadi-lo?

Marco Aurélio Carone – Tentou, claro. Falei que não tinha acerto, eu iria continuar denunciando o que tinha de ser denunciado. Eu não iria recuar um milímetro. Era minha obrigação como jornalista.

Viomundo – No dia da prisão, os policiais te levaram à redação para a busca e apreensão?

Marco Aurélio Carone – Não, eu fui preso descendo do carro, já me colocaram no camburão. Dali, fui para o Ceresp Gameleira. Depois, para a Nelson Hungria, penitenciária de segurança máxima em Contagem, região metropolitana de Belo Horizonte, de onde só saí, em 4 de novembro de2014.

Viomundo – Ou seja, a busca e a apreensão de computadores e documentos não foram na tua frente, mas com você já preso.

Marco Aurélio Carone – Isso mesmo. Fui preso no início da manhã e, segundo me informaram, a busca e apreensão aconteceram na parte da tarde.

Viomundo – Foram também à tua casa?

Marco Aurélio Carone – Sim. Segundo a minha filha levaram notebooks, computador. Jogaram as roupas no chão, levaram todos os documentos que acharam.

Viomundo – Com base em que pediram a tua prisão preventiva?

Marco Aurélio Carone — Minha prisão preventiva foi feita para manutenção da ordem pública e para não atrapalhar a instrução criminal. Essa foi a justificativa da juíza.

Viomundo – E por que dois inquéritos, já que aparentemente tratam de coisas semelhantes?

Marco Aurélio Carone – Na verdade, os dois têm o mesmo objeto, mas foram divididos para na condenação aumentar a minha pena. Eles foram abertos na porta do NovoJornal, às 6h da manhã, quando me prenderam.

Viomundo – Do que tratavam?

Marco Aurélio Carone — O primeiro foi aberto para apurar a origem dos recursos que mantinham o Novojornal.  Houve perícia na nossa contabilidade e quebra dos sigilos fiscal e bancário – meu e do NovoJornal.  Não havia nada irregular.

O segundo inquérito foi para apurar se ocorreu lavagem de dinheiro.

Viomundo – O promotor André Pinho e o delegado César Matoso estão nos dois inquéritos?

Marco Aurélio Carone – Sim, nos dois. O primeiro foi relatado pelo delegado Matoso e denúncia apresentada pelo promotor André Luiz.  O segundo, devido ao afastamento do delegado Matoso, foi concluído e relatado pelo delegado Rodrigo Bossi, sem oferecimento de denúncia.

O promotor e o delegado Matoso teriam que apresentar a denúncia em, no máximo, 20 dias após minha prisão. Eles só foram apresentar o primeiro inquérito no final de 2015 e a juíza rejeitou a denúncia.

O segundo inquérito foi concluído na metade de maio de 2018, com um relatório informando e denunciando que tinha sido uma farsa.

Viomundo – Você ficou preso durante 9 meses e 15 dias. Mas a prisão preventiva tem um prazo, não é?

Marco Aurélio Carone — A prisão preventiva, de acordo com a lei, não pode ultrapassar três meses.  Eu fiquei preso por 9 meses e 15 dias, como bem observou você. E como não tinha nada contra mim, o juiz Haroldo Toscano, da 2ª Vara Criminal, acabou me libertando por excesso de prazo.

Viomundo – Ou seja, tudo forjado para parecer crime comum, para esconder os motivos reais e não passar atestado de censura. Assim,  impedir que você fizesse outras matérias e, ao mesmo tempo, desqualificar tudo o que já tinha feito.

Marco Aurélio Carone – Sim, com certeza.

 

Viomundo — O que você pretende fazer agora com os responsáveis por tudo isso?

Marco Aurélio Carone – (silêncio)

Viomundo – Ou prefere surpreender?

Marco Aurélio Carone – Acho melhor…

Viomundo – Logo no início você disse que ficou triste com o que foi provado no segundo inquérito. Ficou triste por causa do envolvimento do teu ex-genro?

Marco Aurélio Carone – Sim, ele é pai do meu neto. É complicado.

Viomundo – O que pode dizer a respeito?

Marco Aurélio Carone — A vida traz muita surpresa.

Leia também:

Ajude o Viomundo a fazer jornalismo investigativo, clicando aqui

Apoie o VIOMUNDO

Crowdfunding

Veja como nos apoiar »

O lado sujo do futebol

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Entre os mais vendidos da VEJA, O Globo, Época e PublishNews. O Lado Sujo do Futebol é o retrato definitivo do que acontece além das quatro linhas. Um dos livros mais corajosos da história da literatura esportiva, revela informações contundentes sobre as negociatas que empestearam o futebol nos últimos anos. Mostra como João Havelange e Ricardo Teixeira desenvolveram um esquema mafioso de fraudes e conchavos, beneficiando a si e seus amigos. Fifa e CBF se tornaram um grande balcão de negócios, no qual são firmados acordos bilionários, que envolvem direitos de transmissão e materiais esportivos. Um grande jogo de bolas marcadas, cujo palco principal são as Copas do Mundo.

por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet.

Compre agora online e receba em sua casa!

 

10 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Hudson

14/06/2018 - 20h39

Os Neves já tinham agentes contra “facenils”…

Carone, Cancillier, Lula, Marielle…

É GOOOOOOO
OOOOOOOOOO
LLLLLLLLLL
PPPEEEEEEE
No BRASIL!

Responder

carlos

14/06/2018 - 18h56

Imaginar que esse drogado veio ao Ceará para se apresentar em programa de TV, pasmem para afirmar que era usuário de droga esse o belo exemplo que esse vagabundo tresloucado para o povo de minas e do Brasil.

Responder

Julio Silveira

13/06/2018 - 17h34

E não podemos esquecer do policial mineiro que denunciava o escroque reiteradas vezes e que foi encontrado morto, com pouca repercussão. Absurdo, por que ao se perceber um escroque em pele de cordeiro, nada pode ser desconsiderado ou tratado como coinscidencia quando se trata da morte de um denunciante, esta merecia um investigação profunda.
https://m.youtube.com/watch?v=PhhQ3kEnp2I
https://m.youtube.com/watch?v=S7pO0SjfNnA

Responder

João de Paiva

13/06/2018 - 10h39

Sobre Marco Aurélio Carone, do NovoJornal, já li matérias desabonadoras e elogiosas. Mas independentemente da lisura, ética e honestidade de MAC a perseguição política ele e a outros jornalistas, como o premiado Geraldo Elísio, pelo fato de apresentar denúncias – baseadas em provas documentais – contra Aécio Cunha, a irmã deste e o séquito de pessoas que participaram do governo e da burocracia judiciária de MG é evidente. Fica claro a partir do perspicaz trabalho de investigação e denúncia jornalística empreendido pelo Viomundo que nas gestões tucanas à frente do governo de MG que as organizações criminosas é que estavam no comando. Confirmando a praxe do PSDB, em MG, assim como em SP, PR, GO e no GF (nos mandatos de FHC), esse partido da direita golpista, oligárquica, plutocrata, escravocrata, cleptocrata, privatista e entreguista coopta e se associa à burocracia do sistema judiciário (polícias, ministério público e judiciário) para cometer crimes de Estado e perseguição/caçada aos adversários políticos.

Tanto Marco Aurélio Carone como Rodrigo Tacla Durán são figuras públicas pelas quais não devemos colocar as mãos no fogo, mas que até agora foram capazes de apresentar provas das gravíssimas denúncias que fizeram contra o tucanato e contra as ORCRIMs judiciárias e midiáticas.

Responder

robertoAP

12/06/2018 - 19h09

O Moro está mesmo envolvido com os piores políticos do país. Ladrões,fraudadores,achacadores,chantagistas,abusadores de autoridade, mentirosos, falsários.
Esse é o sem moral que prendeu o Lula. Um dia como no caso da corrupta Andrea, ele também ira em cana, sem a menor dúvida.
Tenho pena de quem um dia foi fã desse ídolo afundado na lama.

Responder

Carlos

12/06/2018 - 19h04

Leia: https://www.conversaafiada.com.br/economia/mau-dia-brasil-revela-o-pesadelo-da-casa-propria
O PT e um partido que luta pelos trabalhadores e pelos mais pobres.

Responder

O JUIZ

12/06/2018 - 10h42

Então, esse é o político que manda matar se delatarem.
Esse é o político amiguinho do moro.
Protegido do STF, que perdeu a moral e serventia após deixá-lo solto.
Já tem um cadáver em furnas esperando sua assinatura e logo terão outros se não prenderem o bandidão.
E aí moro, vai encarar ???
Claro que não, né seu covarde.

Responder

Luiz Antônio

12/06/2018 - 06h51

A justiça tarda mas não falha, os canalhas acabam se entregando de tanta canalhice, vivas a quem não se cala, não se deixa intimidar pelos corruptos, a verdade sempre vence!

Responder

Cláudio

12/06/2018 - 06h13

:
: * * * * 04:13 * * * * .:. Ouvindo As Vozes do Bra♥♥S♥♥il e postando: Poesia contra a distopia (Distopia = Ideia ou descrição de um país ou de uma sociedade imaginários (!??!!!????) em que tudo está organizado de uma forma opressiva, assustadora ou totalitária, por oposição à utopia. “Distopia”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, [consultado em 13-10-2016].) : Poema(s) acróstico(s) de autoria do PoeTa anarcoexistencialista Cláudio Carvalho Fernandes para o maior e melhor brasileiro de todos os tempos : Luiz Inácio LULA da Silva :

L ouvemos quem bem merece o mais pleno louvor:
U m homem simples, como as coisas boas da vida,
Í ntimo camarada, nosso irmão e amigo de valor,
Z elando sempre pelo bem da humanidade querida.

I nimigo dos maus, amigo dos bons, trabalhador
N ascido do povo que muito o ama e admira,
Á rvore de bons frutos, os de melhor sabor,
C onsciência plena de tudo que no mundo gira,
I magem perfeita do homem de si senhor,
O humano defensor de humana lira.

L uz de nossa gente, lutador incansável,
U m verdadeiro herói do povo brasileiro,
L úcido e consciente do mais admirável
A mor pelo ser humano e verdadeiro.

D igno e sincero, fraterno e muito humano,
A migo do povo, honesto e sempre lhano.

S eja o meu/nosso canto para te louvar,
I sso que a voz do povo já disse várias vezes:
L ula, o BraSil vive mais feliz só por te amar,
V itória da melhor sorte no número treze,
A fazer do brasileiro a humanidade a se ampliar.
::
Autor: Cláudio Carvalho Fernandes ( PoeTa anarcoexistencialista )
.:.
L uz do povo brasileiro,
U m digno e fiel lutador,
L astreando com real valor
A honra do BraSil inteiro.
.:.
L ula livrou 36 milhões da pobreza,
U m feito memorável, sem precedentes,
L utando contra a mídia venal, teve a certeza
A bsoluta de estar ao lado dos brasileiros conscientes.
.:.
L ivrando da miséria extrema 36 milhões de brasileiros,
U m feito sem igual, que, por si só, já bastaria,
L ula segue sendo no mundo um dos primeiros
A fazer de seu povo a eterna rima rica de sua poesia.
.:.

♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
* * * * * * * * * * * * *
* * * *
Por uma verdadeira e justa Ley de Medios Já pra antonti (anteontem. Eu muito avisei…) ! ! ! ! Lul(inh)a Paz e Amor (mas sem contemporizações indevidas, ou seja: SEM vaselina) 2018 neles/as (que já PERDERAM, tomaram DE QUATRO nas 4 mais recentes eleições presidenciais no BraSil) ! ! ! ! !
* * * *
* * * * * * * * * * * * *
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏
:: 👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏👏
::

Responder

MARCIO

12/06/2018 - 01h04

E essa mesma justiça de primeira instância de Minas vai julgar Aécio Neves. Com essa reviravolta no caso Carone será que o “Mineirinho” continua jogando em casa?

Responder

Deixe uma resposta