VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Carlos Hetzel:  Risco no negócio com a Boeing é entregar controle da Embraer Defesa & Segurança
Denúncias

Carlos Hetzel: Risco no negócio com a Boeing é entregar controle da Embraer Defesa & Segurança


09/03/2018 - 12h11

BOEING E EMBRAER – O CAVALO DE TROIA DA AVIAÇÃO

por Carlos Des Essarts Hetzel, especial para o Viomundo

Em artigo que escrevi recentemente, informei que a venda da Eletrobrás representa um grande jogo e que, por trás, estaria a entrega da maior infraestrutura de telecomunicações ópticas por OPGW (Optical Ground Wire) da América.

Neste momento trago uma nova informação que acredito ser tanto ou mais agressiva e problemática para a Soberania Nacional: a já anunciada venda da Embraer para a multinacional estadunidense, Boeing.

Em relação à parceria comercial, acredito que seja vantajosa para as duas empresas, visto que seriam abertas “novas portas” em mercados hoje fechados, tanto para a multinacional, quanto para a Embraer.

O problema é que a multinacional Boeing poderá deter o capital majoritário, permitindo o acesso irrestrito a todas as atividades de desenvolvimento e inovação da Embraer.

Terá o domínio de tecnologias críticas, de conteúdos tecnológicos e industriais nacionais.

Além das tecnologias da divisão de aeronaves, setor responsável pela maior fatia do faturamento bruto da empresa, poderá ter o “poder de mando” sobre um setor vital para a Segurança Nacional, a Embraer Defesa & Segurança (EDS).

Explico.

A Embraer-EDS é responsável por vários projetos imprescindíveis e estratégicos para as Força Armadas.

No exército, o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras — o  projeto SISFRON.

Ele exerce vigilância e proteção das fronteiras terrestres do país, alcançando atualmente 650 quilômetros (Projeto piloto), mas que, na fase final, chegará a 16.886 quilômetros, faixa fronteiriça que separa o Brasil de 11 países vizinhos, compreendida em dez estados da Federação.

Ou seja, praticamente 30% de todo território nacional terá segurança de alto nível, através de diversos equipamentos, dentre eles radares (fixos e móveis), câmeras de longo alcance e sensores óticos.

É bom salientar que se trata de área responsável pela entrada da maior quantidade de armas, drogas e contrabando em geral, que hoje têm papel fundamental no “estado de guerra civil” em que se encontram diversos estados brasileiros.

Na área de satélites, temos a Visiona Tecnologia Espacial, empresa brasileira integradora de sistemas espaciais.

Criada por iniciativa do governo brasileiro em 2012, é responsável pela aquisição do satélite brasileiro SGDC-1,  que objetiva atender às diretrizes da Política Nacional de Desenvolvimento das Atividades Espaciais (PNDAE) e da Estratégia Nacional de Defesa (END).

É uma joint-venture entre a Telebrás, com 49% do capital, e a Embraer, detentora de 51%.

Na Força Aérea Brasileira, a Embraer Defesa e Segurança — EDS é a responsável pelo Programa Gripen E/F, o novo jato de combate multitarefa.

Trata-se de um projeto que envolve conhecimento científico de ponta, com um programa de transferência de expertise tecnológica entre Brasil e Suécia, com uma centena de engenheiros brasileiros recebendo treinamento e conhecimento, que trarão o “estado da arte do setor” para o Brasil.

Fazem parte deste acordo desenvolvimentos industriais para a produção do avião em território brasileiro, envolvendo diversos parceiros domésticos, empresas estratégicas de defesa (EED).

Como exemplo citamos a empresa Aero-Estruturas, AKAER:

“Reconhecida como uma System House brasileira e integrante do Grupo Embraer, especializada no desenvolvimento de soluções para missões críticas e tecnologias para apoio à tomada de decisão, tem como foco de atuação os mercados de Defesa e Segurança Pública, Tráfego Aéreo e mercado Corporativo”.

Participa também do programa P-3BR, no desenvolvimento do Sistema Tático de Missão (TMS) e, em parceria com a FAB e a [empresa sueca] SAAB, das atividades de transferência de tecnologia, desenvolvimento dos sistemas de suporte à missão, treinamento e simulação da aeronave Gripen E/F no Programa F-X2.

Na Marinha do Brasil, participa do desenvolvimento do Sistema Tático de Missão Naval, dos helicópteros do Programa H-XBR, que tem em seu escopo a interface de comunicação com o sistema de arma de helicópteros, mísseis anti-navio do tipo Exocet e todo o gerenciamento de informações transmitidas pelos diversos sensores instalados na aeronave, auxiliando o operador e piloto na tomada de decisões.

Este “Cavalo de Troia” da aviação poderá se tornar uma triste realidade, caso se concretize a negociação Embraer-Boeing sem salvaguarda e o cuidado de se preservar os valores e interesses nacionais.

Na verdade, poderá deixar o Brasil em situação de vulnerabilidade diante de um quadro de geopolítica mundial agressivo e corporativista e de uma guerra comercial mundial recém-iniciada pelo governo dos EUA.

Acredito ser necessário e imprescindível que as Forças Armadas atuem para impedir este crime de lesa-pátria.

Afinal, não podemos entregar para outro país domínios e conhecimentos tecnológicos em sistemas de satélites, aviação, sensores, linguagens de criptografias, anti-vírus, radares, tecnologias de propulsão, tecnologias de mísseis, armamentos teleguiados, etc, etc.

Não podemos desprezar uma infraestrutura sensível, ferramenta imprescindível para o desenvolvimento nacional.

Não podemos desconsiderar setores fundamentais para a garantia da Segurança Nacional.

A entrega de conhecimentos estratégicos e sensíveis, resultado de 70 anos de pesquisa e desenvolvimento de brasileiros, fere de morte vários preceitos e garantias constitucionais.

Além disso,  nos deixará ainda mais distantes do centro de poder mundial, pois sem domínio e expertise tecnológica, jamais faremos parte deste seleto grupo.

*Carlos Des Essarts Hetzel é tecnológo com especialidade em engenharia de transmissão e bacharel em direito com especialização em direito constitucional especial. 

 Leia também:

Requião denuncia: “Sob encomenda”, senador entrega os seus do Brasil aos EUA

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

lulipe

10 de março de 2018 às 18h50

Publiquem um artigo de alguém da área, por favor. É sociólogo dando opinião, graduado em Direito de sei lá o quê, daqui a pouco vão colocar lula dissertando sobre Literatura. Tenha santa paciência!!

Responder

    leonardo-pe

    11 de março de 2018 às 13h55

    Alem de ser um PASSA RECIBO(ADORADOR DA IMPRENSA E DO PSDB-SP),É BURRO! é por conta desse tipo de gente feito esse lulipe que o brasil caminha rumo a falência e depois a uma humilhação histórica.

Maria Thereza

10 de março de 2018 às 15h21

excelente alerta, uma vez que o que está aparecendo é a entrega da Embraer, fabricante de aviões. Suponho que os eua tenham tecnologia pra isso. Logo, seus interesses são outros.

Responder

fernando

09 de março de 2018 às 19h36

o rasil acabou essa que é a verdade!! eterna colonia e cu do mundo!!!

Responder

Julio Silveira

09 de março de 2018 às 17h44

Eu já estou entrando numa outra fase psicologica, já estou me preparando para exigir cidadania yanke de primeira classe.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.