VIOMUNDO

Diário da Resistência


Alfredo Kaefer: Votou contra “oligarquia” do PT, é réu por fraudar sistema financeiro; falido, gerou onda de “frangos canibais” no Paraná
Denúncias Galeria dos Hipócritas

Alfredo Kaefer: Votou contra “oligarquia” do PT, é réu por fraudar sistema financeiro; falido, gerou onda de “frangos canibais” no Paraná


22/04/2016 - 04h57

Reprodução Facebook do deputado Kaefer

Por Luiz Carlos Azenha

Ele teve a fama de ser “o deputado federal mais rico do Brasil” por causa da declaração de patrimônio que fez à Justiça Eleitoral antes das eleições de 2014.

No entanto, àquela altura seu império empresarial estava falido.

No início de 2013, um episódio espantoso marcou os moradores de Capanema, no interior do Paraná, onde ficam granjas fornecedoras do Grupo Diplomata, de Alfredo Kaefer.

Galináceos famintos, logo taxados de “canibais”, passaram a ciscar livremente quando o empresário ficou sem dinheiro para alimentar cerca de 500 mil frangos em sua cadeia produtiva.

O mesmo aconteceu em Xaxim, Santa Catarina (ver vídeo no pé do post).

O jornalismo bovino não se deu ao trabalho nem de ler detidamente a declaração de patrimônio do tucano, que fornecia pista decisiva: lá está registrado que, dos R$ 108 milhões de patrimônio que Alfredo Kaefer declarou à Justiça Eleitoral, R$ 69 mi eram em créditos a receber pela transferência de ações à esposa Clarice.

Um indício de transferência de patrimônio para escapar dos credores.

OS REIS DO FRANGO

A família Kaefer é gaúcha, mas migrou para o Paraná. Dela fazem parte empresários de sucesso, como Velci e Roberto Kaefer, donos da Globoaves.

Eles enriqueceram com a expansão repentina das exportações brasileiras de carne de frango e a conquista de novos mercados.

Alfredo foi o único que enveredou pela política partidária, depois de uma história empresarial repleta de episódios obscuros.

Nos últimos meses, o deputado vestiu verde-amarelo para frequentar manifestações pró-impeachment.

Mais recentemente, depois que tornou-se líder do PSL no Congresso, ajudou a articular uma frente com outros partidos nanicos — PTN, PHS, PROS e PEN — para dar votos à iniciativa do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, de golpear Dilma.

No momento decisivo, 17 de abril, votou “pela liberdade, pela democracia, por um futuro melhor”, em honra do povo do Paraná e “das pessoas de bem que querem tirar uma oligarquia instalada nesse poder”.

Referia-se, logicamente, à oligarquia do PT.

Kaefer foi muito aplaudido e disseminou nas redes sociais fotos registrando suas aparições nas transmissões de várias emissoras de TV.

O auge da atuação parlamentar dele, ironicamente, veio quase junto com a falência empresarial.

FUGA RUMO À POLÍTICA?

Jacob Alfredo Stoeffels Kaefer é deputado federal em terceiro mandato.

Teve 82.554 votos em 2014. Declarou gastos de mais de R$ 4,7 milhões.

R$ 1 milhão foi em dinheiro pessoal doado à própria campanha. Outros R$ 700 mil vieram de empresas dos parentes da Globoaves. Outro milhão veio da Pluma Agro Avícola. A Dial Distribuição e Logística entrou com mais de R$ 1,2 milhão. Ou seja, o terceiro mandato foi majoritariamente bancado por gente muito próxima.

Mas pelo menos Kaefer conseguiu evitar o vexame de 2010, quando o Grupo Diplomata doou diretamente à campanha dele R$ 1,6 milhão, com registro na Justiça Eleitoral.

Causou mal estar entre os funcionários. Na época, ex-funcionários tinham descoberto que empresas do grupo tinham deixado de depositar no Fundo de Garantia — em alguns casos, desde 2009.

Fã de Fernando Henrique Cardoso, Alfredo chegou a fazer parte da Executiva Nacional do PSDB antes de mudar para o pequeno Partido Social Liberal (PSL), por se julgar desprezado pelo governador tucano do Paraná, Beto Richa, depois de se reeleger em 2014:

Foi uma decisão difícil. Sempre fui companheiro de primeira ordem do governador Beto Richa, desde os tempos em que era prefeito de Curitiba. Fui um dos articuladores para que disputasse a eleição para o governo do estado em 2010. Construí bases eleitorais no oeste, sudoeste e noroeste do estado que trabalharam com afinco para elegê-lo, e fui relegado a segundo plano assim que ele assumiu. Mesmo assim continuei dando total apoio ao seu governo. Em 2014 novamente trabalhei para que fosse reeleito e mais uma vez fui deixado de lado.

Se deixou de fazer parte de um partido importante, tornar-se líder do PSL deu a Kaefer um protagonismo inusitado. Foram dias em que ele, apesar de discreto, teve a maior projeção midiática de seus dez anos de Parlamento.

Por exemplo, o deputado paranaense teve o direito de discursar como liderança horas antes da votação em que foi aberto o processo contra Dilma.

Não desperdiçou a chance de detonar o PT:

Destruíram-se os fundamentos econômicos, em que o zelo fiscal foi totalmente abandonado, repercutindo a incerteza do mercado, que, como consequência, freou investimentos, cortou perspectivas, reduziu o consumo e a demanda, levando empresas a fazerem cortes, que refletiram em fechamento de negócios, comércios, fábricas e serviços, tendo como consequência a perda de milhares e milhares de empregos.

Para quem conhecia nos bastidores as agruras do empresário Kaefer, ficou no ar a sugestão de que ele estava atribuindo seu fracasso empresarial à má gestão econômica do PT.

Como veremos abaixo, não é exatamente o caso.

KAEFER COMO OLIGARCA

Oligarquia é “governo de poucos”. Se existe uma que dita as regras no Brasil, o deputado federal é certamente parte dela.

Em seu discurso na Câmara, o deputado condenou a gestão econômica de Dilma, mas o mesmo pode ser dito sobre a atuação dele como empresário.

Kaefer é réu no Supremo Tribunal Federal por crimes contra o sistema financeiro, dentre eles o de gestão fraudulenta.

Os crimes teriam sido cometidos em 2000, no governo FHC, portanto bem antes de o PT “falir” o Brasil.

Ele era presidente do conselho de administração da Sul Financeira e foi investigado por deixar de declarar ao Banco Central que a empresa de crédito tinha patrimônio de R$ 4,5 milhões e dívidas de R$ 72 milhões, com isso evitando a intervenção do BC.

Na mesma época, a Sul Financeira é suspeita de ter feito empréstimos a empresas do Grupo Diplomata com a intenção de mascarar dívidas.

Quando concorreu pela primeira vez à Câmara Federal, em 2006, Kaefer já era investigado pelos crimes acima descritos.

Diplomado, passou a ter foro privilegiado.

A ironia é que ele pode ter se utilizado do subterfúgio que o partido dele, o PSDB, atribui ao ex-presidente Lula.

Em agosto de 2007, ano do primeiro mandato de Kaefer na Câmara, o processo 2589, originário do Rio Grande do Sul, passou a tramitar no STF.

O deputado só se tornou réu em setembro de 2014, mais de sete anos depois, quando uma das acusações já tinha prescrito.

Trecho do relatório do ministro Luiz Fux, ao acatar a denúncia, diz:

 4. In casu, a denúncia imputa ao denunciado a suposta prática dos delitos de (i) prática de gestão fraudulenta, uma vez que, na condição de Diretor-Presidente do Conselho de Administração da SUL FINANCEIRA, autorizou a emissão de cartas-fiança para garantir a utilização de créditos tributários vendidos à LEWINSTON IMPORTADORA S/A, sem proceder aos devidos registros contábeis (art. 4º da Lei nº 7.492/86); (ii) induzir a erro e prestar informação falsa à repartição competente, em virtude da apresentação, por parte da SUL FINANCEIRA, de contrato de mútuo diverso daquele em que assumiu obrigações efetivas junto a terceiros para fins de saneamento patrimonial exigido pelo Banco Central (art. 6º da Lei nº 7.492/86); e (iii) tomada de empréstimos vedados, porquanto a SUL FINANCEIRA realizou operações de desconto de títulos à DIPLOMATA INDUSTRIAL E COMERCIAL LTDA, empresa cujo controle acionário era exercido pelo ora denunciado, bem como firmou empréstimo com a mesma DIPLOMATA INDUSTRIAL, valendo-se de pessoa jurídica interposta MRK REPRESENTAÇÕES COMERCIAIS LTDA, incorrendo os representantes legais da instituição financeira, o que inclui o denunciado, no delito do art. 17 da Lei nº 7.492/86.

5. O crime de prestação de informação falsa ao Banco Central, que teria sido praticado entre 2000 e 2001, já se encontra prescrito, considerado o lapso de mais de 12 anos decorridos desde os fatos narrados na denúncia, que é o prazo prescricional estabelecido no art. 109, III, do Código Penal para a pena máxima cominada em abstrato ao delito tipificado no art. 6º da Lei 7.492/86.

6. A denúncia preenche os requisitos formais do art. 41 do Código de Processo Penal, relativamente aos crimes de gestão fraudulenta (art. 4º) e concessão de empréstimo vedado (art. 17), todos da Lei nº 7.492/86 (Lei de crimes contra o sistema financeiro nacional).

Deveras, in casu:

a) ao contrário do que a defesa alegou em sua resposta preliminar, não se pode afirmar que o parlamentar foi denunciado meramente por ocupar a condição de sócio ou que estivesse destituído de qualquer poder de tomada de decisão na SUL FINANCEIRA.

Registre-se a segunda ironia: a defesa alega que Kaefer, por ser sócio da financeira, não era necessariamente sabedor ou autor das decisões da empresa.

Porém, ele corre o risco de ser alcançado pela mesma teoria do domínio do fato que levou petistas à cadeia no julgamento do mensalão.

O inquérito corre no STF há mais de oito anos, ainda sem solução.

O EMPRESÁRIO AFUNDA, O DEPUTADO SOBREVIVE

Em 2009, a financeira do deputado Kaefer foi oficialmente enterrada com uma dívida de R$ 100 milhões.

Ainda não ficou claro qual era exatamente a contaminação das outras empresas do grupo pela crise.

Houve atrasos no pagamentos de salários e de fornecedores, greves e protestos até que, em agosto de 2012, o Grupo Diplomata pediu recuperação judicial.

Kaefer causou um pequeno escândalo em 2014, quando alegou que precisava de “assistência judiciária integral e gratuita” para não pagar R$ 910 das custas de um processo.

Ao negar o pedido, a juiza Gabrielle Britto de Oliveira, de Cascavel, escreveu:

“Não é crível que o embargante [Alfredo Kaefer], com patrimônio declarado de mais de 100 milhões de reais, teria sua situação financeira abalada pelo pagamento das custas do processo. Seria, no mínimo, total falta de bom senso acreditar nisso. A fim de justificar o requerimento para concessão do benefício, o embargante alega que, na condição de avalista dos contratos de sua empresa, vem sofrendo diversas cobranças judiciais tendo que arcar com muitas custas processuais. Aduz, ainda, que a única renda que obtém é a do cargo público que ocupa e que o pagamento destas custas importaria em um desequilíbrio financeiro que atingiria a manutenção das necessidades da família”.

O fato é que as empresas do deputado já estavam falidas. O que no Brasil não significa, necessariamente, redução do patrimônio pessoal.

O impressionante é que Alfredo Kaefer se reelegeu assim mesmo.

O Grupo Diplomata teve a falência decretada oficialmente em Cascavel, no interior do Paraná, em dezembro de 2014.

A decisão do juiz Pedro Ivo Lins de Moreira, da Primeira Vara Cível, acompanhou parecer do MPE do Paraná e baseou-se em auditoria da Administradora Judicial Deloitte Touche Tohmatsu Consultores Ltda.

Segundo a sentença, a falência alcançou as seguintes empresas:

Diplomata S/A Industrial e Comercial, Klassul Industrial de Alimentos S/A, Attivare Engenharia e Eletricidade LTDA, Jornal Hoje LTDA, Paper Midia LTDA, União Alfa de Educação e Ensino Superior LTDA, Alfredo Kaefer & Cia LTDA, Super DIP Distribuição e Varejo LTDA, RCK Comunicações LTDA, DIP Petroleo Distribuidor de Combustíveis LTDA, Kaeman Agricola LTDA, Cizal Construções e Empreendimentos LTDA, Boa Vista Agropecuária LTDA, Electryx Serviços Eletricos LTDA, Sul Supercred Cia Securitizadora de Creditos Financeiros, West Side Shopping Center LTDA, Diplomata Oeste Avicultura LTDA, Diplomata Cascavel Cereais LTDA, Interagro Frigor, Ecco Nature Ambiental LTDA, Mineral Stone LTDA, KIT Trading Comercial Exportadora LTDA, Dip Card Administradora de Cartões de Crédito LTDA, DIP Flex Comércio de Combustíveis LTDA, Aeroporto Regional Oeste Paraná LTDA, Interagro Indústria e Comércio LTDA e Kaefer International Trading.

O juiz descreveu assim os principais dirigentes do Grupo Diplomata:

JACOB ALFREDO STOFFELS KAEFER: verdadeiro “controlador” do conglomerado. Ao que tudo indica, participou intensamente das principais operações societárias (inclusive as fraudulentas), que importaram confusão, dilapidação e desvio patrimonial. Enfim, não se comportou de acordo com a boa-fé, sobretudo quando criou, paralelamente, pessoas jurídicas para absorver as atividades das Recuperandas. Sua situação patrimonial atual, enquanto deputado federal “mais rico do Brasil” revela-se incompatível com a do empresário em situação de crise.

CLARICE ROMAN, na qualidade de companheira, sempre atuou ao lado do Sr. Alfredo, figurando, inclusive, como “testa-de-ferro” em algumas sociedades. Participou de várias operações que prejudicaram os credores. O mesmo pode ser dito com relação a FREDERICO AUGUSTO CECCATTO KAEFER e ALESSANDRA CENIRA CECCATO KAEFER, filhos do Sr. Alfredo Kaefer e, por isso, colocados na qualidade de sócios ou administradores de algumas sociedades, sendo induvidoso que conheciam todo o esquema. Além disso, suas autonomias patrimoniais podem estar sendo usadas para ocultar bens de seu genitor.

A falência do Grupo Diplomata foi decretada quando já corria no STF outro inquérito contra o deputado Alfredo Kaefer, que começou a tramitar na Corte em 22 de março de 2013.

Leva o número 3.678, está sob responsabilidade do ministro Marco Aurélio Mello e apura a acusação de “crimes contra o patrimônio”.

Kaefer teria praticado “ato fraudulento” com o potencial de prejudicar credores, “com fim de obter ou assegurar vantagem indevida para si ou para outrem”.

TERCEIRA IRONIA: O MORO DE CASCAVEL

Em outra ironia, Kaefer moveu uma queixa-crime contra o juiz Pedro Ivo, o Moro de Cascavel, assim que a falência de suas empresas foi decretada.

Segundo a defesa, o magistrado incluiu na sentença afirmações que seriam equivalentes a chamar o deputado de “indivíduo de má-fe, caloteiro, fraudador, manipulador desonesto, predador, empresário desonesto, ímprobo entre outras expressões”.

O Tribunal de Justiça do Paraná rejeitou a queixa por unanimidade.

Numa investigação paralela determinada pelo juiz, apura-se agora a venda, em 2009, da Sul Financeira ao BicBanco, pelo valor irrisório de R$ 1. Isso mesmo, um real.

No documento oficial de venda, datado de 30 de outubro de 2009, Alfredo Kaefer admite que a empresa tinha patrimônio líquido negativo superior a R$ 100 milhões.

Posteriormente, foi apurado que a financeira tinha uma carteira de R$ 30 milhões “a receber”.

Escreveu o juiz Pedro Ivo:

“Logicamente, a cessão de carteira gera relevante impacto nos ativos a serem transferidos para o BicBanco, que, por óbvio tinha plena ciência dos mesmos, já que não consentiria com prejuízos da ordem de mais de R$ 30 milhões de reais, sobretudo porque auditou as contabilidades e tinha plena ciência dos números envolvendo a Sul Financeira. Ninguém ‘adquire’ uma Instituição Financeira sem realizar todos os cuidados e diligências prévias”.

O que se busca saber é se o negócio de um real de alguma forma prejudicou os credores do Grupo Diplomata.

JORNAIS COMO INSTRUMENTO DE RECEBER DINHEIRO PÚBLICO

Desde 25 de outubro de 2010, a empresa RCK Comunicações — que controla três diários em Cascavel e Umuarama –, está cadastrada na Secretaria da Comunicação do Paraná para receber publicidade oficial do governo Beto Richa.

Há três aditivos que estenderam a vigência do contrato até 24 de setembro de 2015.

O juiz Pedro Ivo também enveredou pelo assunto.

Ele suspeita que as empresas tenham sido utilizadas para esconder dinheiro de credores.

No mês passado, o juiz condenou Emilio Martini, administrador das empresas de comunicação do deputado e presidente do Instituto Alfredo Kaefer, a devolver R$ 3 milhões à massa falida.

Trechos da sentença.

“Fica fácil perceber que o Grupo Kaefer se utilizava, sistematicamente, da sucessão empresarial como forma de enganar seus credores e driblar os óbices do inadimplemento, principalmente aqueles advindos de dívidas tributárias, pois grande parte da receita dos jornais advinha de contratos de publicidade com órgãos públicos”.

“Ora, em um grupo econômico operado por uma cúpula de aproximadamente 15 pessoas e cujas dívidas são superiores à 1,4 bilhão, dificilmente algum desses agentes poderá alegar ignorância ou desconhecimento da crise financeira”.

“Em breve resumo, viu-se que o requerido atuou e participou frente a gestão temerária e desastrosa, descurou-se dos atos da boa administração, violou os deveres decorrentes da socialidade e da boa-fé, não agiu de forma diligente e cuidadosa, desviou-se da função social e das finalidades da empresa, foi conivente com os encerramentos das firmas e com a criação de novos CNPJs em manifesta sucessão irregular, sonegou tributos, malversou recursos, participou de liberalidade, permitiu a promiscuidade patrimonial entre as empresas do grupo, fraudou credores e prejudicou terceiros. Fez tudo isso visando prestigiar, em última análise, interesses de particulares contrários à lei”.

Nada disso tirou o entusiasmo do deputado Kaefer pela campanha do impeachment. Ele participou de manifestações, vestiu verde e amarelo, posou para fotos nas ruas.

Na Câmara, passou a vestir uma faixa fechada com um botom do “impeachment já”. Compartilhou nas redes sociais fotos do “Tchau Querida” e do “Acabou a Boquinha”.

O ponto alto foi no 16 de abril.

Da tribuna, em nome do PSL, Kaefer denunciou o que chamou de “estelionato” de Dilma em 2014 e afirmou que a corrupção brasileira nasceu junto com o PT:

Mas há algo grave que não se destruiu no País, ao contrário, cresceu, multiplicou e evoluiu nesse passado recente, presente nos dias atuais, a corrupção que se instalou no Poder da República e que vem de longe, do berço do PT. Originou-se nas estruturas do partido para financiar, lá no começo de sua vida, a caminhada da busca ao Poder. Nesse Governo, os princípios do poder precedem ao Governo e, mais, precedem aos princípios do Estado que deveriam ser a essência da realização política. A corrupção evoluiu neste País a tal tamanho que desencadeou a maior ação policial e jurídica em curso na história, não a maior no Brasil, mas a maior da história mundial. A corrupção político-institucional e governamental serviu, sim, para financiar o poder, as campanhas, os apadrinhados, grandes corporações, amigos do rei e da rainha.

Talvez Kaefer tenha deixado escapar aqui um certo ressentimento, ao falar no financiamento das “grandes corporações”. Ele acredita que seus negócios foram prejudicados por empréstimos do BNDES a empresas concorrentes, sem que ele tivesse o mesmo acesso?

Indiferente ao repentino protagonismo do deputado na Câmara, o juiz Pedro Ivo continuou trazendo à tona as práticas do empresário Kaefer em Cascavel.

Na antevéspera do dia histórico, foi a vez do Moro de Cascavel condenar a filha do deputado, Alessandra, a devolver aos credores cerca de R$ 400 mil que recebeu indevidamente quando trabalhou no Grupo Diplomata.

Trechos da sentença batem duro no deputado por supostamente driblar os credores quando suas empresas estavam em recuperação judicial:

“O controlador do Grupo Diplomata tinha o hábito de (ab)usar de suas empresas para favorecer seu núcleo familiar. Um dos esquemas utilizados, era a nomeação, contra legem, de filhos para o exercício do cargo de conselheiro fiscal”.

“No contexto dos autos, resta muito claro que a eleição da ré para o cargo de conselheira fiscal serviu como disfarce a fraude contra credores espelhada em parte dos valores que o Sr. Jacob Kaefer desviava dos cofres da Diplomata S/A em prol de sua filha”.

“Em breve resumo, viu-se que a requerida: (i) além dos pró-labores, recebeu, injustificadamente, valores mensais cujo somatório alcança R$ 54.237,78; (ii) embora tenha prestado serviços até 2012, a forma de pagamento via pró-labore era ilícita porque (a) a ré nunca desempenhou a função de conselheira fiscal; (b) era meio de sonegação tributária; (c) os valores pagos a este título, além de remunerar os serviços prestados, serviam de doação na parte excedente, de modo a caracterizar fraude contra credores; (iii) reduziu o patrimônio da massa falida em R$ 45.050,23, pois teve seu veículo particular pago com recursos da empresa, em nítida confusão patrimonial e fraude contra credores”.

Aparentemente, nada disso desanimou o deputado — nem a mãe de Alessandra.

Clarice costuma postar provérbios no Facebook e, no dia em que foi aberto o processo de impeachment de Dilma no Congresso, caprichou:

“Um rei justo e honesto ajuda seu pais a crescer e viver em paz; o rei que quer ficar rico às custas do povo acaba destruindo sua nação.” Proverbios 29:4

“O mundo não é dos espertos. É das pessoas honestas e verdadeiras. A esperteza, um dia, é descoberta e vira vergonha. A honestidade se transforma em exemplo para as gerações do futuro. Um corrompe a vida; a outra enobrece a alma.”

Já o deputado, depois de ser um dos líderes nanicos da campanha contra Dilma na Câmara, parece voltado a promover “reformas estruturantes” no Brasil.

Ele tem grande interesse nas questões tributárias.

Vários projetos dele tratam disso.

Nas quatro propostas de emenda constitucional que apresentou, o deputado não nega suas raízes tucanas.

Uma delas propõe o fim do monopólio da União na operação de usinas nucleares — é a privataria do átomo.

Outra estabelece um teto para toda a arrecadação tributária nacional — 25% do PIB nacional do ano anterior.

Como se vê, de um lado o deputado Kaefer não é um grande fã da cobrança de impostos.

Por outro lado, das sentenças do juiz Pedro Ivo, o Moro de Cascavel, se depreende que o empresário Kaefer não gosta de pagar impostos.

Uma combinação perfeita para quem agora está engajado na construção da “ponte para o futuro”.

Abaixo, os “frangos canibais” em ação:

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



31 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

FrancoAtirador

23 de abril de 2016 às 10h05

.
.
Procuradores da República do Paraná
.
Elaboram Press Release Contra Lula
.
e fazem Circular na Mídia AntiPetista
.
para tentar Abafar Notícias do Golpe.
.
(http://revistapegn.globo.com/Revista/Common/0,,EMI160911-17157,00-COMO+FAZER+UM+PRESS+RELEASE+EFICIENTE.html)
.
.

Responder

Manu

23 de abril de 2016 às 00h13

http://www.brasil247.com/pt/247/poder/227758/ONU-golpe-coloca-em-risco-a-democracia-na-AL.htm

Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), braço da Organização das Nações Unidas (ONU) para o continente, condenou a tentativa de golpe no Brasil; em um comunicado, a Cepal diz que o Brasil precisa respeitar o resultado das urnas, sob o risco de desestabilizar a democracia em todo o continente; “A soberania popular, fonte única da legitimidade numa democracia, foi entregue a Lula e em seguida à senhora presidente Rousseff, através de um mandato constitucional”, disse; “Os eventos pelos quais passa o Brasil nos dias de hoje ressoam com força além de suas fronteiras e ilustram para o conjunto da América Latina os riscos e as dificuldades que a nossa democracia ainda está exposta”, ressalta o texto
22 DE ABRIL DE 2016 ÀS 21:55

247 – A Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), braço da Organização das Nações Unidas (ONU) para o continente latino-americano, condenou duramente a tentativa de golpe em curso no Brasil. Por meio de nota, a Cepal diz prestar total apoio a presidente Dilma Rousseff e conclama a sociedade brasileira a respeitar o resultado das urnas, sob o risco de desestabilizar a democracia em todo o continente. “A soberania popular, fonte única da legitimidade numa democracia, foi entregue a Lula e em seguida à senhora, presidente Rousseff, através de um mandato constitucional, que se traduziu em governos comprometidos com a justiça e a igualdade”, diz um trecho da nota. “Os eventos pelos quais passam o Brasil nos dias de hoje ressoam com força além de suas fronteiras e ilustram para o conjunto da América Latina, os riscos e as dificuldades que a nossa democracia ainda está exposta “, finaliza o texto.

“Conhecemos o esforço dos tribunais em perseguir e castigar a cultura de corrupção, que tem sido historicamente a parte mais opaca do vínculo entre interesses privados e as instituições do Estado. E a temos [Dilma] visto apoiando permanentemente essa missão, com a valentia e a honradez que é a marca de sua biografia, apoiando a criação de nova legislação mais severa e instituições repressivas mais fortes. É por isso que nos choca ver, hoje, antes de sentenças ou provas, servindo-se de vazamentos e de uma ofensiva midiática linchatória, que se tente demolir a sua imagem e o seu legado, ao mesmo tempo em que se multiplicam os esforços para reduzir a autoridade presidencial e interromper o mandato que os cidadãos lhes deram nas urnas”, diz o texto.

A presidente Dilma Rousseff, que discursou nesta sexta-feira (22) na sede da ONU durante evento sobre o clima fez uma ligeira referência ao processo de impeachment durante sua fala. mais tarde, em entrevista a jornalistas internacionais, ela disse estar sendo vítima de um golpe.

Veja aqui ou abaixo a íntegra da nota da Cepal/ONU

CEPAL manifiesta su preocupación ante amenazas a la democracia brasileña

La Secretaria Ejecutiva del organismo envió un mensaje público a la Presidenta Dilma Rousseff.

22 March 2016

CEPAL – BRASILIA

La Comisión Económica para América Latina y el Caribe (CEPAL) emitió un mensaje dirigido a la Presidenta Dilma Rousseff, respaldando la plena vigencia del Estado Democrático de Derecho y el ejercicio de las potestades del Poder Ejecutivo brasileño.

En una declaración pública, la Secretaria Ejecutiva del organismo de las Naciones Unidas, Alicia Bárcena, manifestó su preocupación por las amenazas a la estabilidad democrática y reconoció los avances sociales y políticos que ha experimentado Brasil en la última década.

A continuación el texto íntegro de la declaración de la alta funcionaria internacional:

Mensaje de Alicia Bárcena, Secretaria Ejecutiva de la CEPAL, a la presidenta Dilma Rousseff:

“Con honda preocupación hemos asistido al desarrollo de los acontecimientos políticos y judiciales que han convulsionado a Brasil en el curso de las últimas semanas. Nos alarma ver la estabilidad democrática de su patria amenazada.

La soberanía popular, fuente única de legitimidad en democracia, le entregó antes a Lula y luego a usted, Presidenta Rousseff, un mandato constitucional que se tradujo en gobiernos comprometidos con la justicia y la igualdad. Nunca, en la historia de Brasil, tantas y tantos de sus compatriotas habían logrado sortear el hambre, la pobreza y la desigualdad. Significativa es también para nosotros la huella determinante con la que sus gestiones reforzaron la nueva arquitectura de la integración de nuestra región, de la UNASUR a la CELAC.

Conocemos del esfuerzo de los tribunales por perseguir y castigar la cultura de prácticas corruptas que han sido históricamente la parte más opaca del vínculo entre los intereses privados y las instituciones del Estado. La hemos visto apoyando permanentemente esa tarea, con la valentía y honradez que es el sello de su biografía, apoyando la creación de nueva legislación más exigente y de instituciones persecutoras más fuertes.

Es por ello que nos violenta que hoy, sin mediar juicio ni pruebas, sirviéndose de filtraciones y una ofensiva mediática que ya ha dictado condena, se intente demoler su imagen y su legado, al tiempo que se multiplican los empeños por menoscabar la autoridad presidencial e interrumpir el mandato que entregaron en las urnas los ciudadanos.

Los acontecimientos por los que atraviesa Brasil en estas jornadas resuenan con fuerza más allá de sus fronteras e ilustran para el conjunto de América Latina los riesgos y dificultades a los que aún está expuesta nuestra democracia.”

Responder

José de Pindorama

22 de abril de 2016 às 22h55

Caros Comentaristas, boa noite!
Na minha modesta opinião, o que é mais grave nesse caso, não é a trajetória do Deputado — que foi minuciosamente compilada pelo Editor desse prestigioso blog. Sua trajetória é a de muitos, e não me surpreende. O que causa indignação, pra dizer o mínimo, são dois fatos gravíssimos: – o primeiro, o povo que bovinamente o elegeu; mesmo tendo acesso a informação, que não tinha em épocas anteriores. Qual o motivo e o que deseja, do Deputado, o povo que o elegeu?
O segundo ponto, é o de inflexão à nossa combalida Democracia. Como o aparato Judiciário, permite que esses senhores, de trajetória semelhante, possam ser elegíveis; e passam, após eleitos, a ocupar cargos eletivos sejam no executivo e no legislativo. Não são os ‘Guardiões da Constituição Federal’ ?
Esse é o ponto, o Judiciário, em todos os seus níveis, há de se destacar as raras exceções, está de costas para o povo e para a Justiça. A degeneração de uma instituição essencial para a Democracia, pode nos levar a uma ruptura do estado de direito, e, como nos ensina a história, quando as instituições não satisfazem as expectativas do povo, estará pavimentado, em todo o seu vigor, o caminho espinhoso da insurreição. O povo espera que o Judiciário cumpra o seu dever Constitucional, e, não se exima dele.

Responder

Anon

22 de abril de 2016 às 22h12

Se golpe passar, não vai ter Olimpíadas !

Oi gente, se o golpe passar pelo senado próximo dia 26/4 vamos protestar. Não vai ter Olimpíadas.
Não vamos permitir que o Tenebroso assuma e junto com o ChikunCunha recebam os dirigentes das outras nações durante os jogos.
Vamos protestar. O mundo estará aqui com as suas câmeras. Vamos mostrar ao mundo que não aceitamos que roubem nossos votos,
que não roubem nossos 54 milhões de votos.
Vamos ocupar os espaços, as ruas durante os jogos e as entradas dos estádios também. Se é para passar
vergonha como no último dia 17/4, vamos passar com moral. Mostremos ao mundo o que acontece aqui.

Os patrocinadores da rede Gloebels vão adorar.

Divulgue esta ideia. Propague através das redes sociais, vamos passar do milhão.

Alô sindicatos, cadê vocês? Estão esperando o quê? uma ponte para o futuro ou para o passado?

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de abril de 2016 às 22h11

O NINHO (DEMo)TUCANO ESTÁ CADA VEZ MAIS APODRECIDO

$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

PF diz que operador de propinas recebeu por obras do Estado

Estadão Conteúdo 22/04/2016 09h09

São Paulo – Ao mapear as movimentações financeiras da Andrade Gutierrez, a Lava Jato encontrou repasses de R$ 45 milhões feitos pela empreiteira para duas empresas de fachada ligadas a um dos acusados de operar propinas no esquema de corrupção na Petrobras que estão relacionados a três importantes obras do governo de São Paulo, durante as gestões dos tucanos José Serra (2007-2010) e Alberto Goldman (2010).
O dinheiro foi enviado para as empresas Legend Engenheiros Associados e SP Terraplenagem, ambas ligadas ao empresário Adir Assad, condenado pelo juiz Sérgio Moro a 9 anos e 10 meses de prisão por lavagem de dinheiro e associação criminosa ao utilizar as empresas de fachada para fazer o pagamento de ao menos R$ 40 milhões em propinas da Petrobras. Ao depor ao juiz Moro, Assad admitiu sua participação na Legend.
(…)
Ao todo, as contas contábeis da Andrade e de consórcios dos quais ela participa ligados às obras da Linha 2-Verde do Metrô de São Paulo, ao Rodoanel Mário Covas e ao Complexo Viário Jacu­Pêssego pagaram R$ 45 milhões entre março de 2008 e setembro de 2010 para empresas de fachada.
(…)
Jacu-­Pêssego
O consórcio SVM, do qual a Andrade faz parte, fez 15 pagamentos de 2009 a 2010 que somaram R$ 30,4 milhões à empresa de fachada SP Terraplenagem. O Consórcio teve apenas um contrato com a Dersa, para obras no Lote 1 do Complexo Jacu-­Pêssego, na capital paulista. O contrato foi feito em junho de 2009, dois meses antes do primeiro repasse do SVM à empresa de fachada.
Em relação às obras do lote 8 da Linha 2-Verde do Metrô de São Paulo, subtrecho das estações Tamanduateí e Vila Prudente, foram dois pagamentos do centro de custos da Andrade Gutierrez ligado ao empreendimento para a Legend, que não teve funcionários entre 2006 e 2012.
(…)
Já em relação às obras do trecho sul do Rodoanel, foi feito um pagamento da conta da Andrade relacionada ao empreendimento de R$ 1,08 milhão em 2009.

FONTE, pasme: http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2016/04/22/pf-diz-que-operador-de-propinas-recebeu-por-obras-do-estado.htm

Responder

Heitor

22 de abril de 2016 às 20h44

A história do Alfredo Kaefer mostra porque a maioria dos políticos são contra a Dilma e ao PT.
Muitos deputados misturam a atividade particular com a política. Ganham dinheiro com a corrupção e alavancam suas empresas. Depois quando já não ganham dinheiro fácil da corrupção não conseguem administrar suas empresas.
No Paraná tem a família do ex-deputado Alceni Guerra, praticamente falida, só esta na ativa porque é aliada do governador Beto Richa do PSDB.
Tem o Giacobo que é “sócio”de várias empresas que fazem loteamentos no sudoeste e oeste do Paraná, como deputado consegue acelerar as tramitações dos loteamentos e ganham muito dinheiro com venda de lotes por ironia com dinheiro do MCMV e financiamento da Caixa.
Tem o Padovan que é dono de várias empresas de máquinas agrícolas que também só vende devido ao financiamento subsidiado do governo federal.
Aliás aqui no Paraná todos falam que o senador Álvaro Dias é “sócio oculto” de uma das maiores fabricante de maquinário agrícola. Álvaro dias apesar do patrimônio pequeno declaro para a justiça eleitoral sempre financia a candidatura de vários deputados no Paraná, de algum lugar vem o dinheiro.
Pena que a Justiça Eleitoral aceita a declaração de rendas desses políticos que não faz frente ao padrão de vida que eles levam, aonde fica a receita federal que não investiga…

Responder

Sérgio Alberto Bastos da Paixão

22 de abril de 2016 às 20h26

No Brasil temos 35 partidos políticos com registro no TSE, e, pode chegar a 73 partidos! Cada vez que vejo na Internet e na TV um partido convidando as pessoas para se filiarem em seu partido por serem melhores, diferentes, competentes e com uma missão e uma ideologia aprimorada, eu pergunto: Hã?

Os partidos políticos no Brasil não passam de um amontoado de pessoas líderes de líderes de líderes, com a posição imediata de participarem dos pleitos eleitorais sem nada quererem dos seus partidos que não seja: tempo de TV e rádio, créditos do fundo partidário e pegar emprestado o prestígio dos líderes supra conhecidos.

Fico imaginando o que pensaram as pessoas que criaram e redigiram os programas partidários e seus objetivos, ideologias e prioridades. Quanta criatividade para que pareçam originais e justifique suas criações. Pura peça demagoga, já que em nossa Constituição e em leis como o ECA, já são contemplados com a obrigatoriedade do Estado, a totalidade do que conceitualmente prometem lutar.

Partidos políticos, como MDB e a Arena, dividiam opiniões em torno de questões programáticas. Hoje os partidos dividem as opiniões em torno do carisma e poder dos seus membros.

Os respectivos eleitores seguem as idéias de quem: Cristovam Buarque ou PPS ; Ronaldo Caiado ou Democratas; Alvaro Dias ou PV; Ana Amélia ou PP, Magno Malta ou PR; Lúcia Vânia ou PSB; Blairo Maggi ou PR; Romário ou PSB e todos os outros Senadores.Na minha opinião, os únicos Senadores que tem Partido são os Senadores Reguffe e Walter Pinheiro, que neste momento não são filiados a nenhum partido.

Lembrando que a Organização com registro partidário no TSE que mais parece um Partido, se revelou como uma organização para outros fins. PT saudações!

De duas, uma: ou somos um país tão diversificado e incapaz de coagular planos e idéias e grandes blocos, ou realmente nossos legisladores, querendo ser espertos e velhacos se tornaram ridículos e pequenos na inteligência e no apego aos interesses da nação.

Com o pouco que escrevi, aos pedaços, a questão que tenho é: qual a razão para não autorizarem através de uma lei as candidaturas avulsas, sem a obrigatoriedade da filiação partidária? Não venham me responder que é para fortalecer os partidos, ou trincados, ou trincados rachados.

Sérgio Alberto Bastos da Paixão

Responder

Belmiro Machado Filho

22 de abril de 2016 às 19h20

Este canalha não é um ladrão de galinhas, é um ladrão contumaz COM GALINHAS.

Responder

Cláudio

22 de abril de 2016 às 19h13

Cláudio (PoeTa anarcoexistencialista)

22/04/2016 – 19h13♥♥13♥♥

:
: * * * * 19:13 * * * * .:. Ouvindo A Voz do Bra♥♥S♥♥il e postando: Poemas para Dilma e Lula, os verdadeiros heróis (mártires) do povo brasileiro, além de José Direceu, Genoíno e tantos outros valorosos.
.:.
* 1 * 2 * 13 * 4
*************
… .
Uns poemas (acrósticos) de autoria de Cláudio Carvalho Fernandes (poeta anarcoexistencialista) para Dilma Rousseff, a depenadora de tucanus, e Lula, o comedor de tucanus :
.:.
D uas vezes contra o espectro atro
I nscreveu já seu nome na história
L utando contra mídia venal & Cia e seu teatro
M ulher forte de mais uma vitória
A deixar tucanus na ó-posição de quatro !!!! de quatro !!!! de quatro !!!! DE QUATRO!!!!
.:.
D ilma, coração valente,
I magem de todo o bem em que se sente
L ivre o amor maior pela brasileira gente
M uito humana e inteligente
A PresidentA do nosso Lula 2018 de novo Presidente
.:.
D ignidade
I ntegridade
L iberdade
M aturidade
A mabilidade
.:.
D ilma, de uma nação vitoriosa
I lustre brasileira lutadora
L uz de dedicação esplendorosa
M otivando a pátria gloriosa
A uma luta digna, vencedora.
::
L uz do povo brasileiro
U m digno e fiel lutador
L astreando com real valor
A honra do BraSil inteiro.
.:.
D ilma, os conscientes te agradecem
I nfinitamente por tua digna história
L utando por todos que reconhecem
M ais a vida no bem comum de fazer na glória
A grande pátria-nação que os brasileiros merecem
.:.
D ilma, coração valente,
I sso que a gente sente
L ibertar o ser plenamente
M antendo sempre presente
A humanidade inteligente.
.:.
D ilma deu mais uma surra na ó-posição
I gual ao que Lula também já fez
L ivrando o povo brasileiro da infelicitação
M ostrando que o Brasil tem voz e vez
A o mundo todo dignificando sua população.
.:.
L ula livrou 40 milhões da pobreza
U m feito memorável sem precedentes
L utando contra a mídia venal, teve a certeza
A bsoluta de estar ao lado dos brasileiros conscientes.
.:.
D ilmais deu mais uma surra na ó-posição
I nstalada na grande mídia venal
L ula teve a sua participação
M andando o pig & Cia ao
A bismo na quarta eleição.
.:.
D oar-se a seu povo é exemplo dignificante
I luminando a vida de outros seres lhanos
L ouve-se quem bem merece que se cante
M aravilhas de se acreditar nos humanos
A promover em cada ser o mais do ser em ser interessante.
.:.
L ivrando da pobreza absoluta 40 milhões de brasileiros
U m feito sem igual que por si só já bastaria
L ula segue sendo no mundo um dos primeiros
A fazer de seu povo a eterna rima rica de sua poesia.
… .
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
* * * * * * * * * * * * *
* * * *
Por uma verdadeira e justa Ley de Medios Já ! ! ! ! Lula 2018 neles ! ! ! !
* * * *
* * * * * * * * * * * * *
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

Responder

renato

22 de abril de 2016 às 17h51

Azenha como esta a chegada de documentos contra os que votaram contra
o BRASIL..
Onde fica mais facil acessar as novidades..
Parabens pelo serviço ao BRASIL..

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de abril de 2016 às 17h19

… Para quem quiser saber tudo e um pouco mais sobre o STF dos nossos tenebrosos dias…

***

A GRANDE DÚVIDA CONSTITUCIONAL DE QUE O SUPREMO FUGIRÁ

Por catedrático e impávido professor Warderley Guilherme dos Santos, cientista político e escritor

22 de abril de 2016 Segunda Opinião

(…)
Tenho escassa esperança de que o Senado, julgando o mérito do pedido de impedimento, aceite o óbvio: por nenhuma evidência atual ou histórica, e até biográfica, a presidente Dilma Rousseff jamais violou ou tentou violar as instituições representativas democráticas.
(…)
Tampouco acredito no discernimento do Supremo. Em matéria de extenso conflito social, só os ministros autoritários costumam içar bandeiras. Os liberais, como de hábito, se escafedem. Dirão todos, ou a maioria esmagadora deles que o rito foi respeitado e não lhes cabe apreciar o mérito da decisão congressual. O dedo do demônio golpista está precisamente neste detalhe.
(…)
A seriedade das instituições republicanas se dilui no despudor de um Legislativo que convive com a propaganda da tortura e na prolixidade capciosa dos tribunais de justiça. A república se esfarela e o amanhã promete ser violento.

FONTE [LÍMPIDA!]: http://insightnet.com.br/segundaopiniao/?p=306

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de abril de 2016 às 16h51

… Não estaria mais do que na hora de resgatarmos a ‘Campanha pela Legalidade’?…

Responder

Sérgio

22 de abril de 2016 às 14h23

O alvoroço da ratazanas.
Bichos escrotos: https://www.youtube.com/watch?v=diJMzgpbrI4

Responder

Sérgio

22 de abril de 2016 às 14h00

Nunca deixar de agradecer a você, Azenha, ao Nassif e tantos outros pelo trabalho incansável de vocês pelo Brasil e o nosso povo. Obrigado mesmo, de coração!
O problema é que meu estômago não aguenta mais!

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de abril de 2016 às 11h09

Obra de esgoto. E o esgoto transbordou, à vista de todos. Por Jari da Rocha

POR JARI DA ROCHA, COLABORAÇÃO PARA O TIJOLAÇO · 22/04/2016

(…)

FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.tijolaco.com.br/blog/obra-de-esgoto-e-o-esgoto-transbordou-vista-de-todos-por-jari-da-rocha/comment-page-1/#comment-278969

Responder

Sebastião

22 de abril de 2016 às 10h58

Azenha, que bom se você escrevesse um livro retratando a vida de todos os picaretas que votaram pelo impeachment.
Seria um manual para que todos tomassem o devido cuidado nas próximas eleições.
Seria um registro importantíssimo para guiar as intenções de voto do eleitorado que é sempre desinformado e esquecido.
Seria como “consultar o oráculo” para ver se o bandido está lá!
Fica a sugestão para um best seller.

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de abril de 2016 às 10h46

Erraclitus Fracus Golpista é outro Fascista que desaba

https://www.youtube.com/watch?v=nkIEsDuOvao

Responder

Lafaiete de Souza Spínola

22 de abril de 2016 às 10h17

Não se deixe ser mais um dos milhões que estão sendo manipulados pela grande mídia.

Não sou filiado ao PT nem a qualquer outro partido.

Tenho convicção de que para mudar o Brasil necessário se faz acabar com o SISTEMA que cria, por todo país, aberrações como essa tão bem apresentada pelo jornalista Luiz Carlos Azenha.

Você considera correta a entraga do poder aos inúmeros Cunhas que, como esse e tantos outros, dissimulam, manipulam e astuciosamente enganam?
Se queremos ter uma posição honesta, precisamos obter mais informações, diversificado-as, para não cairmos nas mãos espertas dos psicopatas.

SOBRE OS PSICOPATAS:

https://www.facebook.com/LafaieteDeSouzaSpinola/posts/613318985492180

Responder

    Lafaiete de Souza Spínola

    22 de abril de 2016 às 10h56

    O comentário acima foi publicado no Facebook. Ele pode ser lido, porém não abre a publicação do Viomundo.

    Quem me poderia esclarecer o motivo?

    Todos os outros abrem, normalmente!

    Conceição Lemes

    22 de abril de 2016 às 13h26

    Lafaiete, por favor, explique melhor o que está acontecendo. abs

Humberto

22 de abril de 2016 às 10h16

Cada eleitor tem seu REPRESENTANTE que merece!
Provavelmente, continuará a ser votado! Alguém duvida?

Responder

Euler

22 de abril de 2016 às 10h07

Um outro deputado canalha que merece algum tipo de investigação ou menção é Laudivio Carvalho, de Minas Gerais. Ele pertence à turma da bala. Foi eleito graças a um programa policial que realizava na Rádio Itatiaia, uma rádio tucana e golpista. O bordão repetido por ele era: “Lugar de bandido é na cadeia”. Tal como os demais apresentadores de programas policiais, fazia apologia do combate ao crime geralmente contra os pobres. Uma vez eleito deputado federal, ele se aliou logo de cara ao maior bandido que este país já conheceu, o atual presidente da Câmara. Votou em tudo que ele mandou. Desconfio que tenha recebido financiamento eleitoral do presidente da Câmara, dada à obediência que ele mantém a Eduardo Cunha. Inclusive no dia da votação do impeachment, o deputado falso-moralista votou “sim” como os demais colegas dele, repetiu a frase “lugar de bandido é na cadeia”, mas, não fez nenhuma menção ao bandidão que conduzia os trabalhos na Câmara de horrores. Ou seja, além de tudo, é um covarde, porque fala grosso contra bandidos pobres e afina e se alia aos bandidos ricos. Ao final da sua triste fala, ainda quis aparecer dizendo “Tchau querida” para a nossa presidenta. Um palhaço de rabo preso com os bandidões da Casa Grande.

Responder

renato

22 de abril de 2016 às 09h59

Eram estes homens que cuidavam de nossas LEIS..
Meu DEUS..
Cada vez aumenta mais a Contribuição de DILMA
para a Democracia no Brasil..
Viomundo, segue em frente..
Aqui na minha cidade, eles destruiram o PT, e o PCdoB.
Ao ponto de não termos ninguem de esquerda, na camara.
SANDRO ALEX…deputado feito atraves de radio da cidade, e
por sequencia o Prefeito que é seu irmão…MARCELO RANGEL.
A radio vem de seu pai Nilson de Oliveira..dono de radio.
E já estão articulando Deputado Estadual de direita…PAULICKI
para Prefeito,dono de lojas e lojas de moveis aqui na minha cidade
Mercado Moveis e se não me engano Financeira…..tambem
Nossa cidade é a cidade de ALIEL MACHADO, deputado que votou
contra EC, e foi, conforme ele< ameaçado, dizendo que em sua cidade
ele não ganharia mais nada, e não poderia andar nas ruas..
É CERTO POLITICO TER RADIO..?????
E PREFEITO FAZER PROGRAMA DE RADIO..???
Tudo que falei aqui, merece um olhar mais aprofundado.
Esta é a visão e ouvidos de um cidadão.

Responder

    FrancoAtirador

    22 de abril de 2016 às 10h13

    .
    .
    A Plenária na ONU já começou e o Presidente da França ácabou de Discursar.
    .
    Fala agora o Presidente do Peru e, depois dele, farão discursos os Presidentes
    .
    da Rep. Dem. do Congo e da Bolívia, para então discursar a Presidente Dilma
    .
    Cada Chefe de Estado tem tão-somente de 3 a 5 minutos para falar ao Plenário.
    .
    .

crazy horse

22 de abril de 2016 às 09h06

Vagabundo!!!!!

Responder

Joao Maria

22 de abril de 2016 às 08h56

Mais um ladrao, querendo derrubar a presidente honesta. Hipocrisia, enquanto apoia Moro na sua investida contra PT Lula/Dilma reclama do juiz de Cascavel, que usa a Lei contra ele.

Responder

Julio Silveira

22 de abril de 2016 às 08h49

Muitos canalhas que deveriam estar presos, tomando parte das eleições para presidência do PCC, estão livres no congresso, trabalhando pela derrubada da Dilma. Isso é só mais uma mostra da leniencia, morosidade e inoperância de nosso sistema judiciário, que possibilita esse tipo de impunidade e estímulo à criminalidade nos escalões realmente altos do crime.
Hoje está fácil para gente de índole criminosa bem relacionada dominar os poderes, e o Cunha é o exemplo mais cristalino de como essa máfia chegou lá.

Responder

marcio r

22 de abril de 2016 às 07h54

Vai pra cadeia este impune parlamentar? Rico vai preso? Politico vai preso?

Responder

Messias Franca de Macedo

22 de abril de 2016 às 07h20

[MAIS UM ESCÂNDALO À VISTA]

Tucanos negociam depoimento de Delcídio para aliviar Aécio. Alguém será preso?

A se confirmar o que diz o jornal ‘O Estado de S.Paulo’, estamos diante de um caso de reincidência de ilícitos. O que teria Rodrigo Janot a dizer sobre delatados combinarem a denúncia com o delator?

por Helena Sthephanowitz publicado 21/04/2016 13:00

Na quarta-feira (20), o jornal O Estado de S.Paulo deu uma nota cuja manchete foi “Tucanos negociam recuo de Delcídio em acusação contra Aécio” e que aqui vai resumida: a estratégia, com aval de Aécio Neves, presidente do PSDB, que vem sendo negociada nos bastidores entre membros do PSDB e pessoas ligadas ao senador Delcídio do Amaral, é que este recue das afirmações feitas por ele em delação premiada contra Aécio no caso de corrupção de Furnas e, se possível, aproveitar para que ele faça acusações públicas contra a presidente Dilma Rousseff às vésperas da votação do afastamento dela pelo Senado.
(…)
O que o procurador-geral da República, doutor Rodrigo Janot, tem a dizer sobre emissários do delatado Aécio Neves procurar o delator Delcídio para combinar depoimento? Como fica aquele papo de obstrução da Justiça, que chegou a levar à prisão preventiva do próprio Delcídio?

FONTE [LÍMPIDA!]: http://www.redebrasilatual.com.br/blogs/helena/2016/04/tucanos-negociam-nov-depoimento-de-delcidio-para-aliviar-aecio-e-ninguem-vai-preso-9167.html

Responder

FrancoAtirador

22 de abril de 2016 às 06h46

.
.
Hipocrisia Mesmo
é com a Phoderosa
Bancada BBB.
.
Ô, MáiGódi !
.
(https://twitter.com/palmeriodoria/status/723288333774917633)
.
.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.