VIOMUNDO

Diário da Resistência


Pesquisador da UnB adverte: O fim da pandemia é trapaça; nenhum epidemiologista sério colocaria ‘a cara no fogo’ para defender esse crime
Blog da Saúde

Pesquisador da UnB adverte: O fim da pandemia é trapaça; nenhum epidemiologista sério colocaria ‘a cara no fogo’ para defender esse crime


30/04/2022 - 19h19

Revogar a ESPIN – Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional – é um blefe ilegal

Para o médico sanitarista e epidemiologista Heleno Corrêa Filho, a revogação da ESPIN (Emergência de Saúde Pública de Importância Nacional) pelo governo federal nesse momento é um blefe ilegal diante do número de casos de Covid-19 registrados no Brasil. Veja a seguir a análise da pandemia no País feita por ele.

Por Heleno Corrêa Filho, no portal do Centro Brasileiro de Estudos em Saúde (Cebes)

Em 27 de abril de 2022, o Brasil notificou 662.941 pessoas mortas por COVID-19 contados e oficialmente notificadas.

Também neste dia são estimados 303 mil casos ativos e um índice de testes abaixo da média dos países de todo o mundo. A taxa bruta de mortalidade por COVID-19 no Brasil é de 3,07 por mil habitantes. É superada pelo Peru (6,2), Romênia (3,4) e Hungria (4,8).

Enquanto outros países testam até 12,9 vezes cada habitante, no Brasil 296 pessoas são testadas uma vez a cada mil habitantes. Vietnam, Colômbia, Portugal, Argentina, e Ucrânia testam mais que o Brasil.

O Brasil testa mais que Burkina Fasso, Timor Leste, Nicarágua e o Haiti.

O Brasil está testando apenas 296 mil pessoas por milhão de habitantes comparados a Cuba (12,9 milhões/MilhãoH), Inglaterra (7,5 milhões/milhão H), Portugal (4,5 milhões/milhão H), França (4 milhões /milhão H) e Itália (3,5 milhões/ milhão H), EUA (2,9 milhão/milhão H), Argentina (777 mil/milhão H) e Índia (594 mil/milhão H).

Os casos novos incidentes de COVID-19 no mundo estão em alta na Europa.

O continente americano ainda não “percebeu” ou recebeu a 5ª “onda”, que já atingiu a Inglaterra e a Alemanha. Fonte: https://ourworldindata.org/coronavirus 

A letalidade ou risco de morrer por COVID-19 no Brasil após receber o diagnóstico confirmado é o mais alto do mundo – 2,9%. O risco médio (case-fatality rate) do mundo é 1,2%. A Alemanha tem 0,56%.

É possível visualizar uma “5ª Onda” de mortes mundiais por COVID-19 decrescendo a partir de meados de fevereiro de 2022. Fonte: JHU – COVID-19 Map – Johns Hopkins Coronavirus Resource Center (jhu.edu) [https://coronavirus.jhu.edu/map.html]  Coronavirus Resource Center (jhu.edu)

A Inglaterra registrou em maio de 2022 um pico de quatro mil mortes semanais por COVID-19, depois da regressão da mortalidade no continente americano em fevereiro do mesmo ano.

A China teve uma súbita mudança de sua situação de controle da COVID-19 e tomou providências, mesmo tendo número bruto de casos quatro vezes menor que a Inglaterra.

                                                           Mortes diárias no mundo

O Brasil não conseguiu distinguir os efeitos da regressão da 3ª e 4ª onda, e como um nadador desabituado a nadar em praia com maré alta “levou um caldo” de mortalidade no mês de março de 2022 do qual estaria se recuperando se não chegar aqui a 5ª onda, depois de contágio em abril e maio procedente da Europa e Ásia para o continente das Américas.

No Brasil, os índices RT (Número Reprodutivo Básico ou Taxa de Reprodução da Pandemia) chegaram abaixo de UM (1,0) em alguns estados e no Distrito Federal em janeiro e se mantiveram em 1,0 até recomeçarem a subir acima de 1,0 na segunda semana de abril de 2022, quando várias capitais de estados liberaram a população para deixar de usar máscaras, promover reuniões públicas de massa e até um “carnaval fora de época”, em 21 de abril de 2022.

Nessa mesma ocasião, o Ministério da Saúde desrespeitou o Código Sanitário Internacional e os acordos com a Organização Mundial de Saúde decretando o fim da Emergência Sanitária de Importância Nacional (ESPIN) por conta própria.

Nenhum sanitarista de responsabilidade mínima com formação de nível graduado e pós-graduado colocaria “a cara no fogo” para defender a revogação da ESPIN.

Por estes motivos é desnecessário escrever ou falar mais para explicar números e gráficos uma vez que a política brasileira de descontrole da Pandemia por COVID-19 se move por convicções e não por evidências.

É mais que um blefe. É internacionalmente ilegal e nacionalmente um crime continuado. Chega de “desargumentar”.

*Heleno Corrêa Filho é médico epidemiologista, pesquisador aposentado da Universidade de Brasília (UnB) e diretor do Centro Brasileiro de Estudos em Saúde (Cebes)





6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

02 de maio de 2022 às 21h40

Itália prorrogará uso obrigatório de máscara em locais fechados

O governo da Itália prorrogou até 15 de junho o uso “obrigatório de dispositivos
de proteção das vias respiratórias do tipo PFF2 para o acesso aos meios de
transportes, para os espetáculos abertos ao público que se desenvolvem
em locais fechados como salas de teatro, de concerto, cinemas, locais de
entretenimento e música ao vivo, além de eventos e competições
esportivas que sejam realizados em locais fechados”, diz o texto do Decreto.
A prorrogação também valerá para hospitais e asilos.

https://ansabrasil.com.br/brasil/noticias/italia/noticias/2022/04/28/italia-prorrogara-uso-obrigatorio-de-mascara-em-locais-fechados_1262071d-f3b8-4506-a87d-44d42f58daaa.html

Responder

Henrique Martins

01 de maio de 2022 às 14h21

https://www.cartacapital.com.br/politica/as-condicoes-de-marina-silva-para-apoiar-lula-nas-eleicoes/?utm_source=terra_capa&utm_medium=referral

Isso é conversa fiada da Marina. Ela é evangélica e como tal tem a mente lavada. Acredito até que no fundo está a favor de Bolsonaro. Poucas vezes se ouviu palavras delas sobre a destruição do meio ambiente que é a sua bandeira. Inclusive – pelo menos eu – nunca a vi criticar Bolsonaro. Era para essa mulher estar gritando dia e noite para defender o meio ambiente.

Responder

Almeid

01 de maio de 2022 às 13h53

A Inglaterra registrou quatro mil mortes semanais em “MAIO de 22”???

Responder

Henrique Martins

30 de abril de 2022 às 23h20

https://www.correiobraziliense.com.br/politica/2022/04/5004496-para-ser-presidente-tem-de-ganhar-em-minas-afirma-bolsonaro-em-uberaba.html

Viche. Então estás ferrado capitão porque aqui o senhor não ganha não. Se tem um cara que não é otário é o mineiro. Sabia????

Responder

Henrique Martins

30 de abril de 2022 às 23h08

https://www.diariodocentrodomundo.com.br/lula-propoe-moeda-para-america-latina-so-falta-o-putin-parar-a-guerra/

É Lula… Se você souber um mínimo de fração da verdade sabe muito bem que se Putin parar essa guerra a humanidade está no sal né companheiro………..

Responder

marcio gaúcho

30 de abril de 2022 às 22h11

Esse decreto do fim da pandemia no Brasil, emitido pelo Ministério da Saúde, se tivermos uma 5ª onda, poderá ser denunciado como “genocídio coletivo”, responsabilizando o presidente da república e o seu ministro da saúde? A ver, nos próximos meses…

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding