VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


“Em tempos de coronavírus, é absurdo manter em vigor a emenda que congelou investimentos no SUS”
Foto: Ascom/CNS
Blog da Saúde

“Em tempos de coronavírus, é absurdo manter em vigor a emenda que congelou investimentos no SUS”


20/03/2020 - 19h58

“É um absurdo que num momento de pandemia a EC 95 permaneça vigente”, diz presidente do CNS

O dinheiro perdido devido à EC 95/2016 (mais de R$ 22 bilhões) poderia estar sendo utilizado nas ações de enfrentamento ao cenário de pandemia estabelecido pelo novo coronavírus

Ascom Conselho Nacional de Saúde

Os dados foram apresentados por especialistas que participaram das últimas reuniões da Comissão de Orçamento e Financiamento (Cofin) do Conselho Nacional de Saúde (CNS).

De acordo com o estudo, a Emenda Constitucional 95/2016, apontada desde o início pelo CNS como uma medida gravíssima do governo, aprovada pelo Congresso Nacional, já tirou dos cofres públicos de 2018 até agora o valor de R$ 22,48 bilhões.

Bruno Moretti, Carlos Ocké, Érika Aragão, Francisco Funcia e Rodrigo Benevides são pesquisadores e especialistas responsáveis pelas informações que subsidiam esta matéria.

De acordo com o estudo, a perda nos anos de 2018 a 2020 foi de R$ 3,98 bilhões; R$ 13,58 bilhões; e R$ 4,92 bilhões, respectivamente.

Uma ação de inconstitucionalidade tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a emenda.

A expectativa do CNS é que os ministros do STF revoguem a medida, considerada prejudicial ao Sistema Único de Saúde (SUS). Se a EC 95 continuar vigente até 2036, como estabelece a mudança, o prejuízo ao país pode chegar a uma perda de R$ 400 bilhões.

De acordo com Fernando Pigatto, presidente do CNS, as autoridades responsáveis precisam se posicionar frente à necessidade pública.

O alerta foi dado pelo conselho antes mesmo da aprovação da medida, tanto que diversos especialistas e defensores do SUS batizaram a mudança constitucional de “EC da morte”, pela capacidade danosa que o congelamento de investimentos em Saúde é capaz de gerar à população brasileira.

“É um absurdo que num momento de pandemia a EC 95 permaneça vigente. O SUS combate o coronavírus, mesmo desfinanciado nos últimos anos. Exigimos o fortalecimento do SUS. É preciso agilidade do STF na revogação e o próprio Congresso Nacional pode agir para que possamos reverter esse quadro urgentemente. Não estamos falando somente de cifras, estamos falando da vida das pessoas”, disse.

Asfixia orçamentária crônica

O coordenador da Cofin do CNS, André Luiz de Oliveira, membro da mesa diretora do CNS e representante da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), defendeu que, além do STF, é necessária a “sensibilização dos parlamentares para revogarmos EC 95”.

Para ele, o país também precisa estar preparado diante do que intitulou de “pós-tsunami”.

Ou seja, ações em Saúde após a epidemia do novo coronavírus. “Depois dessa onda, como vamos lidar com a população?”, questionou, reafirmando a necessidade de financiamento para lidar com os danos pós-crise.

André, que também é médico, afirmou que, nesse momento, é fundamental que o SUS possa garantir condições mínimas de trabalho aos profissionais de Saúde.

“Estamos vivendo uma crise séria com o coronavírus em meio a um cenário de asfixia orçamentária crônica com a EC 95/2016. Se torna imperativo a revogação imediata dessa emenda. Precisamos de mais recursos para o SUS, para que a Saúde pública possa garantir atendimento de qualidade à população no nosso país”, disse.

Saiba mais

A Cofin do CNS segue se reunindo online para viabilizar possibilidades e soluções de enfrentamento à crise instaurada no país.

Veja outros dados sobre a EC 95, incluindo metodologias de cálculos, publicados pelo economista Francisco Funcia na Revista Eletrônica do Instituto de Direito Sanitário Aplicado (Idisa).

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Eugenio

22 de março de 2020 às 12h15

Quando meu irmão era criança, sem capacidade de formar um raciocínio completo, sem capacidade de avaliar consequências, mantinha a mania de introduzir o dedo nos furos que encontrava. Apesar de alertado, educado, continuava. Um dia, conseguiu a proeza de fechar um curto e levar um tremendo choque. Santo remédio, nunca mais teimou em ignorar avisos. A história se aplica à sociedade brasileira: sem capacidade de raciocínio (mais por preguiça do que por educação), sem avaliar consequências (vaidade e egolatrismo sem limites), aprovaram um Congresso que limitou verbas. Aplaudiram inclusive. Agora sofrem as consequencias. Por que não devemos flexibilizar? por pedagogia. O choque das mortes, em suas famílias, dos amigos, os ensinará. Não é crueldade, é entender que para tudo há consequencias, como devastar o ambiente, explorar pessoas, entre outras ações inconsequentes. A ética é que a inconsequência produz resultados que devemos suportar. Chega de infância, chega de cuidar de quem se recusa a pensar. Arquem as consequencias. Eu mesmo as sofrerei, porque faço parte desta sociedade. Bem feito dada minha incompetencia em convencer.

Responder

valdir carrasco

22 de março de 2020 às 12h01

Temer e Meireles assassinos, Boçalnaro e Guedes assassinos, congresso com maioria (mas não todos,claro) de assassinos, STF de assassinos……vocês que aprovaram e aceitam essa EC 95 tinham que morrer primeiro pois são vocês que tiraram recursos do SUS para sobrar para pagarem juros a banqueiros, são vocês todos, cafajestes, os culpados pelas milhares de mortes que o corona já começou a causar e também pela lamentável falta de medicamentos em farmácias de alto custo do sistema MEDEX no estado de São Paulo. Esses assassinos vagabundos tinham que ser fuzilados em praça pública, malditos. E o povo brasileiro, cheio de frouxos, nada faz para eliminar esses assassinos.

Responder

Jaderson Oliveira

22 de março de 2020 às 11h07

Brasil é um país insano.Faz coisas que até o demônio fica de boca aberta.

Responder

a.ali

21 de março de 2020 às 19h19

o STF deve estar bem sentado com sua bunda gorda sobre a pec da morte esperando que dê frutos…

Responder

Zé Maria

21 de março de 2020 às 16h05

Pelo que afirmou o Ministro da Saúde,
o desgoverno Bolsonaro/Guedes/Moro
resolveu esperar a tragédia acontecer.

Se não for feito mais nada para evitar
o Contágio Generalizado, a Situação
do Brasil será a pior do Mundo todo.

https://twitter.com/canalpeixebabel
https://github.com/peixebabel/COVID-19

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.