VIOMUNDO

Diário da Resistência


Com base no Código de Ética Médica, estudantes de Medicina da UFBA dizem sim à democracia, não ao fascismo
Blog da Saúde

Com base no Código de Ética Médica, estudantes de Medicina da UFBA dizem sim à democracia, não ao fascismo


26/10/2018 - 20h53

Dos estudantes da Universidade Federal da Bahia (UFBA), via whatsapp

Nós, estudantes de Medicina da UFBA, formados pelos preceitos de humanização, igualdade e fundamentados no Código de Ética Médica, somos a favor do Estado Democrático de Direito e contra quaisquer atos de preconceito, tortura e exclusão social.

Entendemos a saúde como um bem universal e que deve ser de acesso democrático, o trabalho como ferramenta de dignidade humana e a educação como solução transformadora para a sociedade.

Por isso somos contra o fascismo e a candidatura que ele representa.

Somos todos a favor da democracia. #ELENÃO

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Júlio

28 de outubro de 2018 às 15h39

É por isso que vão perder, repressão só serve para deixar mais transparente as verdadeiras intenções dos opressores

Responder

Eu

27 de outubro de 2018 às 22h21

Parabéns ao colegas e futuros colegas pela coragem de sua atitude. Não pelo fato de expor sua opinião, que deveria ser das mais básicas ações de qualquer cidadão, mas por fazê-lo em um momento onde isto pode custar muito caro, haja vista o que temos observado no País. E por tornarem-se futuros pontos fora da curva, em uma categoria cujo caráter oligárquico tomou um lado, o oposto a tais declarações de princípios. Preparem-se para passar uma vida profissional provando não serem parte de uma triste maioria que, por cegueira social ou oportunismo econômico, tem agido como capitães-do-mato. E bem-vindos à luta pela manutenção e melhoria do SUS, dura, difícil e ingrata, mas sempre meritória.

Responder

PAULO EDUARDO TRUGLIO ALVARENGA

27 de outubro de 2018 às 00h15

Louvável atitude dos colegas da Bahia. Seria de muito bom tom que meus colegas do estado de São Paulo recordassem as normas éticas que regem nossa profissão e se posicionassem de forma mais humana. É lamentável ver a enorme quantidade de médicos que se posicionam pró Bolsonaro e, portanto, a favor da tortura, do sofrimento, da exclusão e extermínio.

Responder

    MARCO RÊGO

    27 de outubro de 2018 às 14h23

    Além do Código de Ética Médica, há o Juramento de Hipócrates. Destaque-se o seu final: “não usarei os meus conhecimentos médicos para violar direitos humanos e liberdades civis, mesmo sob ameaça”. Parabéns meus caros alunos.

    Phellipe Henrique Morais

    11 de novembro de 2018 às 14h36

    Boa tarde doutor Paulo,sou seu paciente no hospital doutor arnaldo em mogi preciso falar com o senhor sobre meu afastamento medico feito pelo senhor,mas la me informarao q vc nao esta atendendo mais


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!