VIOMUNDO

Diário da Resistência


Dr. Rosinha: 2022, o golpe continua em movimento
Foto: Reprodução de redes sociais
Arapuca

Dr. Rosinha: 2022, o golpe continua em movimento


21/02/2022 - 13h50

2022: o golpe continua em movimento.

Espero estar errado, mas tenho que a eleição deste ano será uma das mais tensas, agressiva e violentas da história do Brasil. Bolsonaro é golpista e nunca negou e não será neste último ano de governo que desistirá da tentativa de consolidar o – golpe – que vem construindo desde antes de estar no governo.

Por Dr. Rosinha*

Terminados os dois primeiros meses de 2022 e nada é diferente dos dois primeiros meses de 2021: a pandemia retoma fôlego; o ministério da saúde continua recomendando e se pudesse, receitaria cloroquina para todo o mundo, não só o Brasil; os hospitais e UTIs continuam com alta ocupação dos leitos; o número de óbitos dando sinal de que vai permanecer alto; os negacionistas continuam negando a ciência; e, Bolsonaro continua construindo o golpe, a miséria e a fome.

Agravante em relação aos dois primeiros meses do ano passado: a pandemia acomete mais crianças e aumenta o número de mortes dos demais jovens, porque não se vacinaram, ou não fizeram todas as doses.

Se janeiro e fevereiro de 2021 têm muita semelhança com os deste ano, os próximos meses serão bastante distintos.

A primeira novidade: foi noticiado que os governos de São Paulo e Rio de Janeiro adiaram o carnaval de março para abril, dia 21, dia de Tiradentes. O feriado nacional pela luta da independência vai virar samba. Será que vão colocar o herói no samba?

Os mesmos governantes que negam políticas públicas de caráter social – saúde, educação, habitação, transporte, etc. –, demagógica e autoritariamente, agora, para não perderem votos, decidem quando o povo pode comemorar a festa.

Este ato significa falta de coragem para decidir que o carnaval tem que ser cancelado e a resposta às famílias que dependem economicamente do mesmo é garantir-lhes renda que cubra suas necessidades.

Relevante é que neste 2022 será avaliada a Lei 12.711, conhecida como Lei de cotas.

A Lei prevê a reserva de 50% das vagas das universidades e institutos federais de Ensino Superior a estudantes de escolas públicas. Também estipula, dentro dessa reserva, o percentual que será destinado aos de baixa renda, pretos, pardos, indígenas e com deficiência.

Quando sancionada, em 2012, previa em seu artigo sétimo que, após 10 anos de vigência, ocorreria uma revisão.

Há silêncio sobre este tema. São poucas as pessoas que gritam a favor da Lei. Se a revisão for deixada ou confiada a Câmara dos Deputados e ao Senado é quase certo que perderemos este direito. Há que se organizar para defender a Lei.

Na esfera cultural há também dois fatos importantes e que exigem mobilizações: 2022 é o centenário da Semana de Arte Moderna e 100 anos da morte de Lima Barreto.

A Semana de Arte Moderna ocorreu em São Paulo, mas não é de São Paulo. A Semana entrou para a história, não só das artes, mas da política brasileira.

Num governo que nega a cultura popular e busca introduzir uma plataforma cultural nazista, o centenário da Semana de Arte Moderna é uma oportunidade de debater e retomar o significado da cultura no desenvolvimento da solidariedade, do humanismo e na conquista da liberdade.

Lima Barreto, considerado um escritor maldito, contribuiu denunciando o racismo e as condições de vida do povo negro. É oportuno fazer uma relação entre Lima Barreto e a defesa das cotas. Defender sua produção literária e relacioná-la com a atual realidade.

Ano passado Bolsonaro tentou no dia da independência dar um passo a mais rumo ao golpe de Estado. A reação popular e institucional inibiu-o, mas não o fez retroceder. Este ano, com a “comemoração” do bicentenário da independência, pode ocorrer nova tentativa.

É necessário, no meu ponto de vista, duas coisas: a mais importante nos precaver contra nova tentativa de golpe. Bolsonaro promete, se perder as eleições, não aceitar a derrota e o Sete de Setembro, vésperas das eleições, é propício para ações autoritárias de preparação para completar a derrocada do que resta de democracia.

Segunda questão, como é ano eleitoral seria didático debatermos, sem hipocrisia, que independência temos e que Brasil queremos, ou seja, um debate sobre soberania nacional.

E por fim, mas não é o fim, teremos eleições. Todas as pesquisas de opinião dão Lula como vencedor, algumas no primeiro turno e todas no segundo. Mas, o que parece dado, não está dado.

Espero estar errado, mas tenho que a eleição deste ano será uma das mais tensas, agressiva e violentas da história do Brasil. Bolsonaro é golpista e nunca negou e não será neste último ano de governo que desistirá da tentativa de consolidar o – golpe – que vem construindo desde antes de estar no governo.

Foi freado o ano passado, estacionou, mas continuou organizando-o tanto que tem armado seu povo – milícias, setor de segurança privada, policias militares, “esportistas” de tiro e de caça – e, dia a dia, constrói o discurso de que se perder, será por fraude e não sairá do Palácio.

*Dr. Rosinha é médico pediatra, militante do PT. Pelo PT do Paraná, foi deputado estadual (1991-1998) e federal (1999-2017).  De maio de 2017 a dezembro de 2019, presidiu o PT-PR. De 2015 a 2017, ocupou o cargo de Alto Representante Geral do Mercosul. 





6 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Sandra

22 de fevereiro de 2022 às 23h07

Estava com medo porque as machetes da mídia golpista só falam que Lula caiu e o Genocida subiu na pesquisa CNT/MDA. Mas segundo Marcos Coimbra do Vox Populi subida de Bolsonaro nas tem relação com queda de Moro. Vamos que vamos porque a luta só começou.
Lula no Primeiro Turno!
‘Hasta la victoria, siempre’

Responder

Zé Maria

22 de fevereiro de 2022 às 04h46

Eleição Presidencial
Pesquisa CNT/MDA

LULA LIDERA COM 42,2%
DAS INTENÇÕES DE VOTO

DESAPROVAÇÃO AO
PRESIDENTE BOLSONARO
ATINGE 61,4%.

Eis o Cenário:

LULA = 42,2%
Bolsonaro = 28%
Ciro = 6,7%
Moro = 6,4%
Doria = 1,8%
Janones = 1,5%
S. Tebet = 0,6%
F. D’Ávila = 0,3%
Brancos/Nulos = 6,2%
Indecisos = 6.0%

Avaliação do Governo de Jair Bolsonaro.

Negativa (Ruim/Péssimo) = 42,7%
Positiva (Ótimo/Bom) = 25,9%
Regular:= 30,4%
Não sabe/Não respondeu = 1%

(DES)APROVAÇÃO de BOLSONARO
Em relação ao Desempenho Pessoal do Presidente

DESAPROVA = 61,4%
Aprova = 33,9%

Margem de Erro = 2,2%

Responder

Riaj Otim

21 de fevereiro de 2022 às 17h27

só mesmo esquerdistas condena uma pessoa para lutar para ficar no poder e poder aumentar a quantidade de milionários

Responder

    marcio gaúcho

    22 de fevereiro de 2022 às 15h43

    Caro Mito Jair!
    Deixe de ser trouxa, burro e ignorante. O Jair Messias é uma pessoa desprezível e desprezada, inclusive pela sua próprias família, pois os Bolsonaros somente estão, aparentemente, unidos porque luta pela mesma causa: proteger e aumentar o patrimônio imobiliário, esconder as falcatruas e manter o poder em Rio das Pedras, no Rio de Janeiro. Continue seguindo essa ignóbil e indecente figura, que a sua decepção futura será cada vez maior. Talvez, somente o suicídio acabe com o seu sofrimento e decepção com a vida.

João de Paiva

21 de fevereiro de 2022 às 15h54

O discurso do pânico, do medo e do terror, ou seja, a narrativa oficial da “pandemia de Covid-19”, ditada pelo WEF/FEM. caiu de podre e a variante ômicron deixou claro se trata de uma cepa pouco patológica, mas muito contagiosa. A ineficácia e insegurança das terapias gênicas (à base de mRNA ou DNA recombinante) são incontestáveis: há milhares de casos de pessoas que sofreram ou sofrem efeitos colaterais graves, seqüelas muito graves (tromboses, amputações, miocardites, o pericardites, encefalites, convulsões, AVC ) e muitas mortes em decorrência da inoculação dessas terapias experimentais.

Mas infelizmente muitos médicos e acadêmicos ainda fazem côro com essa narrativa. Sabem que estão errados, mas não admitem.

Responder

Iago Melo

21 de fevereiro de 2022 às 14h17

Ele vai vandalizar e usar a violência contra o povo e adversários.
E pode acontecer o que aconteceu no Chile. Faltar ônibus, trem, metrô etc no dia do 2 turno ou no 1 turno mesmo.
É um governo militar disfarçado, as vezes, nem tanto e subordinado aos EUA.
Certamente usaram mentiras na globo para prejudicar a oposição. Pois a globo tem muito alcance ainda.
E não descarto a PM intimidando os eleitores.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding