VIOMUNDO

Deputados pedem inclusão de Cemig e Lista de Furnas no mensalão tucano

13 de fevereiro de 2014 às 16h56

Os deputados petistas Adelmo Leão, Padre João, Rogério Correia e Pompílio Canavez pouco antes de protocolar ofício na PGR

por Conceição Lemes

Nesta quinta-feira, os deputados estaduais Rogério Correia, Pompílio Canavez e Adelmo Leão e o deputado federal Padre João, todos do PT de Minas, protocolaram na Procuradoria Geral da República (PGR), em Brasília, pedido (na íntegra, abaixo) para a inclusão da Cemig na Ação Penal 536, o mensalão tucano, e análise da Lista de Furnas, a partir da denúncia feita em janeiro de 2012 pela procuradora Andrea Bayão, do Ministério Público Federal no Rio de Janeiro.

O ofício é dirigido ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, com cópia para o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF) e relator do processo do mensalão tucano.

Canavez e Correia são, respectivamente, líder e vice-líder do bloco parlamentar de oposição Minas Sem Censura (MSC). Atualmente, é composto pelo PT, PRB e PMDB. Leão é vice-presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

“A Cemig não pode ficar de fora do relatório do doutor  Janot. O esquema de corrupção foi até maior do que na Copasa, Comig e Bemge”, afirma o deputado Rogério Correia. “Na campanha de 1998, a Cemig repassou à SPMP&B R$ 1,6 milhão [em valores daquela época] para a campanha publicitária A energia do bem. Só que, na verdade, o recurso foi para o caixa 2 da campanha dos tucanos. O relatório do delegado Zampronha comprova claramente que nunca houve a produção da suposta campanha publicitária. A gráfica envolvida é uma gráfica fria, composta de laranjas do Eduardo Azeredo e do Cláudio Mourão.”

Zampronha é Luís Flávio Zampronha, delegado da Polícia Federal, autor de dois relatórios muito importantes.

Um é o do mensalão tucano, encaminhado ao ministro Joaquim Barbosa, do STF, em 4 de julho de 1998 (na íntegra, abaixo).

O outro foi feito para Ação Penal 470, ficou pronto em 2011, mas nunca foi colocado nos autos da AP 470, apesar de suas conclusões   contradizerem a tese do mensalão petista.

Estranhamente Joaquim Barbosa “guardou-o” no inquérito 2474, mantendo-o sob sigilo absoluto de justiça durante quase sete anos. Tem provas que poderiam inocentar alguns réus AP 470, entre os quais Henrique Pizzolato, ex-diretor de Marketing do Banco do Brasil.

Mourão foi secretário de Administração de Azeredo na Prefeitura de Belo Horizonte [1990-1992] e no governo de Minas Gerais [1995 a 1º de janeiro de 1999]. Depois, o coordenador financeiro da  malsucedida campanha pela reeleição de Azeredo ao governo do Estado.

Mourão fez um documento (na íntegra, abaixo), onde relata toda a operação envolvendo dinheiro para a campanha: dos financiadores aos beneficiários.

A lista do Mourão é o mensalão tucano, denunciada pelo controvertido lobista Nílton Monteiro, atualmente preso na Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem, MG.

A Lista de Furnas, também denunciada por Nilton Monteiro, é de 2002 e diz respeito à eleição de Aécio Neves ao governo de Minas e à tentativa de eleger o sucessor de Fernando Henrique Cardoso ao Planalto, José Serra.

No início da semana, Aécio disse que a denúncia contra Azeredo não é problema do PSDB.

“É problema do PSDB, sim. O  desvio de recursos públicos foi para campanha tucana e aliados em todos os níveis: deputados,senadores e governador”, diz Rogério Correia. “O próprio Aécio recebeu  R$ 110 mil,que hoje significariam em torno de R$ 400 mil.”

Aécio nega ter recebido. O procurador-geral diz que a lista é autêntica, não foi forjada.

De público, há três confissões de gente que diz ter recebido os valores atribuídos a elas na lista: a  do ex-deputado federal Roberto Jefferson, a do deputado estadual Antônio Júlio (PMDB-MG) e a de um outro deputado que estava na lista e confidenciou o recebimento ao jornalista Ricardo Noblat. Noblat não deu o nome do deputado.

“É do DNA do senador Aécio Neves trair. Alckmin e Serra já experimentaram do veneno. Agora o Azeredo e também o deputado Pestana estão experimentando”, observa Rogério Correia. ”Pestana foi trocado por Pimenta da Veiga, o avô do mensalão, que será o candidato ao governo de Minas imposto pelo chefe.”

Pestana é o deputado federal Marcus Pestana, presidente do PSDB mineiro.

“Vivemos num estado de exceção. O governo de Minas vive para o objetivo eleitoral do senador Aécio Neves (PSDB) chegar à Presidência da República. Nada que possa discordar dele e da política do governo mineiro pode ser denunciado ou investigado”, acusa Rogério Correia.

“No início do meu mandato, tucanos em conluio com a revista Veja, procuraram me vincular a denúncias falsas sobre a Lista de Furnas. Tentaram inclusive me cassar. A cassação só não ocorreu porque os movimentos sociais populares e a própria bancada do Minas Sem Censura reagiram.”

“A perseguição continua através da prisão do lobista Nilton Monteiro”, denuncia o deputado. “O objetivo maior da prisão do Nílton é desacreditar a Lista de Furnas e o mensalão tucano, duas pedras no sapato dos tucanos. A recente detenção do jornalista Marco Aurélio Carone segue a mesma lógica.”

Não é à toa que Rogério Correia leu com muita atenção as 84 páginas do relatório do procurador-geral Rodrigo Janot, que se manifesta pela condenação do deputado federal Eduardo Brandão de Azeredo (PSDB) e sugere pena de 22 anos de reclusão e 623 dias-multa ao ex-presidente do PSDB.

Viomundo – O que achou do relatório do procurador-geral da República?

Rogério Correia — É muito preciso. Pelo que pude entender, baseia-se no inquérito do delegado Zampronha [Luís Flávio Zampronha, delegado da Polícia Federal], que conta detalhadamente o que foi o mensalão tucano. Não é um documento do “ouvi dizer, por isso vou condenar”. É um documento com provas contundentes de caixa 2 e desvio de dinheiro público.

Viomundo – Quais os pontos fortes do relatório?

Rogério Correia — Destacaria dois. Primeiro: as provas. Ali, há  farta documentação comprobatória. No documento do doutor Janot, não se estabelece nenhuma teoria do domínio de fato de culpar alguém “por achar” que é culpado.

Segundo: a comprovação do uso de recursos públicos na campanha eleitoral de 1998. Demonstra, portanto, crime de improbidade administrativa, além do de corrupção.

Viomundo — O procurador-geral diz que a lista do Cláudio Mourão, a do mensalão tucano, não é uma montagem, a assinatura é do próprio Cláudio Mourão. Mas  Janot deixou de fora a Lista de Furnas. Ela não teria relação com o mesmo esquema de uso de recursos públicos? A Lista de Furnas também não foi denunciada por Nílton Monteiro?

Rogério CorreiaSão dois momentos distintos e que causam muita confusão.

A Lista do Mourão é de 1998, foi o mensalão tucano. Foi a campanha de reeleição de Eduardo Azeredo, financiada com recursos públicos. Foram gastos mais de  R$ 100 milhões em dinheiro da época, uma verdadeira fortuna.

A Lista de Furnas, também denunciada por Nilton Monteiro, é de 2002 e diz respeito à eleição de Aécio Neves. Esse caso de corrupção irrigou, através de processos licitatórios fraudulentos em Furnas e empresas que fizeram “caixinha”, a campanha tucana daquele ano não só em Minas, mas também em São Paulo, Bahia e outros estados.

A Lista de Furnas nem sequer foi julgada. Protocolei hoje ofício ao doutor Rodrigo Janot, com cópia para o ministro Luís Roberto Barroso, do STF, para que levem para o Supremo Tribunal Federal  a Lista de Furnas, pois ela possui o nome de 156 políticos, entre os quais o senador Aécio Neves e o governador Geraldo Alckmin.

A Lista de Furnas já teve sua veracidade comprovada pelo Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal (na íntegra, abaixo). E posteriormente o caso de corrupção foi atestado pelo relatório de 2012 da doutora Andrea Bayão, na época procuradora do Ministério Público Federal no Rio de Janeiro (na íntegra, abaixo).

Viomundo — O que na sua avaliação o procurador-geral deixou de fora do relatório e que é importante?

Rogério Correia – O caso Cemig [Companhia Energética de Minas Gerais].

Para levantar recursos para a campanha de 1998, a SMP&B, do Marcos Valério, promoveu o Enduro da Independência e obteve recurso, a título de patrocínio, da administração direta e empresas públicas de Minas Gerais, como Copasa, Bemge, Loteria Mineira, Comig. Apenas uma pequena parte foi gasta com o Enduro. O grosso foi repassado, segundo o próprio Cláudio Mourão, à campanha do Azeredo e aliados.

A corrupção na Cemig foi até maior do que na Copasa, Comig e BEMGE. Ela repassou à SPMP&B R$ 1,6 milhão [ em valores da época] para a campanha publicitária A energia do bem. Só que, na verdade, o recurso foi para o caixa 2 da campanha dos tucanos, como comprova documento que obtive da própria direção da Cemig.

Esse valor foi pago à SMP&B em 21 de outubro de 1998. Já no dia seguinte, 22 de outubro, a empresa de publicidade repassou esses recursos, através de DOC’s bancários para cabos eleitorais de Azeredo, inclusive candidatos a deputado e deputados eleitos.

Foi um procedimento de segundo turno, um desespero tucano na tentativa de evitar a derrota anunciada nas eleições.

O relatório do delegado Zampronha comprova claramente que nunca houve a produção da suposta campanha publicitária. A gráfica envolvida é uma gráfica fria, composta de laranjas do Eduardo Azeredo e do Cláudio Mourão.

A Cemig, portanto, não pode ficar de fora do relatório do doutor  Janot até porque é uma estatal que já sofreu na mão dos tucanos através do processo de privataria.

A Cemig foi praticamente doada ao Banco Opportunity, de Daniel Dantas. Ela só foi resgatada por ação judicial, após CPI na Assembleia Legislativa, durante o governo Itamar Franco. Aliás, precisamos creditar essa façanha ao ex-presidente Itamar Franco, que se fez valer de seu governo para resgatar a Cemig para os mineiros.

Viomundo — Que mais provas existem nesse sentido?

Rogério Correia — Eu já tinha as cópias dos DOC’s  feitos no dia 22 de outubro de 1998 para os cabos eleitorais. Cópias que me foram entregues por Nílton Monteiro, o mesmo denunciante da lista do Mourão. Sabedor disso, eu enviei um ofício para a Cemig solicitando a confirmação desse repasse para a SMP&B. A Cemig me respondeu afirmativamente, reafirmando inclusive o valor R$1,6 milhão. São provas documentais.

No relatório do Zampronha, há também provas testemunhais de deputados que confirmam o recebimento desse recurso, alegando ser ele proveniente da campanha de Azeredo.

Viomundo — Tanto o Azeredo quanto o presidente do PSDB de Minas, o deputado federal Marcus Pestana, disseram que o procurador Rodrigo Janot baseou-se numa lista de um falsário para fazer a sua denúncia. O que acha dessa reação deles?

Rogério Correia — O próprio doutor  Janot coloca muito bem essa questão. O PSDB de Minas segue aquele velho ditado: ele rouba e grita “pega, ladrão!”.

A denúncia de Nilton Monteiro é cheia de provas, de documentos comprovadamente autênticos. Ou seja, não há para onde fugir. A única forma, então, é tentar desqualificar o denunciante. É o que fizeram comigo quando tentaram cassar o meu mandato, fizeram com Nílton Monteiro e agora fazem criminosamente com o jornalista que publicou as denúncias e está preso, infartado na prisão. Há aqui uma utilização do aparato do Estado de Minas Gerais para coibir aqueles que denunciam os esquemas tucanos.

Viomundo – E do senador Aécio Neves dizer que a denúncia contra Azeredo não é problema do PSDB?

Rogério Correia — É problema do PSDB, sim! O desvio de recursos públicos foi para campanha tucana e aliados em todos os níveis: deputados,senadores e governador. O próprio Aécio recebeu  R$ 110 mil,que hoje significariam em torno de R$ 400 mil.

É do DNA do senador Aécio Neves trair. Alckmin e Serra já experimentaram do veneno. Agora o Azeredo e também o deputado Pestana estão experimentando. Pestana foi trocado por Pimenta da Veiga, o avô do mensalão, que será o candidato ao governo de Minas imposto pelo chefe.

Viomundo – E da Folha de S. Paulo tentou comparar o deputado Eduardo Azeredo com o ex-presidente Lula?

Rogério Correia — Comparação indevida! Aliás, os dois esquemas de caixa 2 têm uma diferença crucial. No caso tucano, foi dinheiro público na veia. Lula não foi indiciado e não foi réu. Segundo os autos, com provas testemunhais e documentais, Azeredo comandou a quadrilha e de tudo cuidou. Com domínio do fato.

Viomundo –  O senhor não teme novas retaliações?

Rogério Correia — Eu fico sempre atento. Mas não existe a menor possibilidade de eu e o Minas Sem Censura deixarmos de fazer as denúncias.

Em tempos recentes, já houve duas tentativas de retaliação contra mim. Uma, quando Nilton Monteiro foi preso. Segundo ele, ofereceram-lhe um acordo de “delação premiada”, que me incriminasse como o “criador” da Lista de Furnas, que posteriormente foi comprovada verdadeira.

Agora, segundo o jornalista Marco Aurélio Carone, a mesma estratégia de “delação premiada” foi utilizada pelo promotor André Luiz de Pinho, na tentativa de incriminar a mim, aos deputado Sávio Souza Cruz (PMDB) e Durval Ângelo (PT) e ao nosso candidato ao governo, o ministro Fernando Pimentel, como já foi publicado pelo Viomundo.

Assim, estou sempre à espera de novas retaliações, mas não vou me furtar de fazer essas denúncias e prosseguir para que seja feita justiça nesse caso.

*********

OFÍCIO AO PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA, RODRIGO JANOT


***********

Mensalão tucano – Relatório do delegado Luís Flávio Zampronha, da Polícia Federal by conceicaolemes

**********

A LISTA DO CLÁUDIO MOURÃO: MENSALÃO TUCANO 

 

**********

Lista de Furnas – Perícia do Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal by conceicaolemes

*********

Lista de Furnas – Denúncia da procuradora Andrea Bayão, do MPF-RJ by conceicaolemes

Leia também:

‘Ordens superiores’ impedem visita a preso em MG: ‘Segurança do Estado’

“Segredo no inquérito 2474 vai na contramão da Lei da Transparência”

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR
35 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Taiguara

17/02/2014 - 09h57

Os Black Blocs desistiram de Minas. O Estado já está quebrado.

Responder

Sagarana

16/02/2014 - 08h12

Essa “lista de Furnas” é um fraude grosseira!

Responder

FrancoAtirador

15/02/2014 - 23h44

.
.
Consulado dos EUA já tem endereço definido em Belo Horizonte-MG

Previsão é de que sede seja inaugurada em 2016.


O Governador de Minas Gerais, Anastasia (PSDB)
o Prefeito de BH, Lacerda (PSB)
e a embaixadora dos EUA, Liliana Ayalde


a cônsul dos EUA em Minas Gerais, Abigail Dressel,
e Merry Miller que ocupou o posto até o ano passado


Com a assinatura da locação, o prédio, que tem vista panorâmica da cidade em todos os seis andares, vai começar a passar por adaptações para receber a equipe do consulado.

De acordo com Liliana Ayalde, os principais ajustes serão feitos para atender as exigências de segurança e administração dos representantes americanos. A expectativa é de que tudo esteja pronto até o começo de 2016.

Segundo o governador, o novo consulado será “um foco de negócios, amizade e cultura”.

De acordo com ele, a nova sede instalada no estado significa um forte laço com os americanos.

“Minas Gerais, cada vez mais, se internacionaliza”, disse.

Também estiveram presentes na cerimônia a cônsul Abigail Dressel e o presidente da construtora responsável pelo prédio alugado.

G1/GLOBO.
.
.

Responder

Antônio

15/02/2014 - 20h31

Nóis sofre mas nóis se vinga. Veja esta marchinha chamada Baile do Pó Royal. Vamos cantá-la no carnaval.

http://youtu.be/zRofK5TIBxQ

Responder

Fernando

15/02/2014 - 19h33

É fundamental a atuação de Rogério Correia. temos de qualquer maneira acabar com esta gangue do Aécio tomando conta de MG. O estado está cada vez menos democrático, mais violento (em termos de arbitrariedades executadas pela justiça e polícia) e se afundando, sem crescimento da economia, o mercado publicitário ( do qual posso falar porque sou fornecedor de trilhas sonoras para agência de publicidade) está totalmente em crise, porque a dominação de Aécio e Andreia Neves se faz usando as verbas publicitárias do estado como moeda de dominação e controle de imprensa. A cidade administrativa de Aécio gasta mais com água, luz e manutenção do tudo que estado gastava antes com aluguéis para as secretarias. A arte em MG está estagnada sem nenhuma atividade criativa de importância nos últimos 12 anos ( a era Aécio). O “competente administrador” Antônio Anastasia entrega um estado falido, com agricultura em crise, a TV a beira de fechar, e ainda tem gente repetindo que ele é um bom “gestor”… KKK só se for na gestão de fabricar m…

Responder

t tonucci

14/02/2014 - 23h59

“Coletiva” do Senador Aécio Neves em Minas; nada sobre o helicoptero que é o “hit” do carnaval em BH e muito menos sobre o mensalao tucano. Essa imprensa de Minas!!!

Responder

Messias Franca de Macedo

14/02/2014 - 21h04

MARCOS VALÉRIO É CONDENADO… NO MENSALÃO DO DEMoTUCANO EDUARDÃO! Fonte: Jornal Folha de São Paulo

#################

Valério e Tolentino são condenados no mensalão mineiro, diz MP

O ex-publicitário Marcos Valério e Rogério Tolentino, seu ex-sócio e ex-advogado, foram condenados no julgamento por corrupção pelo mensalão mineiro, durante o governo de Eduardo Azeredo (PSDB). A informação da condenação foi divulgada pelo Ministério Público Federal.
(…)
O esquema, conhecido como mensalão mineiro, desviou verbas públicas e arrecadou ilegalmente recursos para a campanha eleitoral de Eduardo Azeredo (PSDB-MG) em 1998, que à época tentava a reeleição para o governo de MG e perdeu a disputa para o ex-presidente Itamar Franco. O esquema é tido como embrião do mensalão petista, julgado pelo STF (Supremo Tribunal Federal).
Na semana passada, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, enviou ao STF documento em que sugere que Azeredo seja condenado no processo do mensalão mineiro a 22 anos de prisão por lavagem de dinheiro e peculato(desvio de dinheiro público).
Segundo o procurador-geral, Azeredo teve “participação direta, efetiva, intensa e decisiva” nos crimes e, “além de beneficiário dos delitos cometidos, também teve papel preponderante em sua prática”.
Para Janot, “há elementos probatórios absolutamente suficientes para afirmar com a segurança devida que Eduardo Brandão de Azeredo participou decisivamente da operação que culminou no desvio de R$3,5 milhões, aproximadamente, R$9,3 milhões em valores atuais”.
(…)

FONTE: http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2014/02/13/barroso-critica-stf-por-falta-de-criterio-ao-dividir-processos.htm

Responder

Aroldo

14/02/2014 - 16h46

Ainda sobre o “mensalão” PTista, está na FOLHA DE SÃO PAULO:

Gilmar Mendes pede ‘vaquinha’ para reaver R$ 100 milhões do mensalão

SEVERINO MOTTA
DE BRASÍLIA
14/02/2014 13h09

Após receber um ofício do senador Eduardo Suplicy (PT-SP) cobrando explicações sobre as suspeitas levantadas contra as doações para petistas condenados no processo do mensalão, o ministro Gilmar Mendes enviou uma carta ao parlamentar e sugeriu a realização de uma vaquinha para ressarcir “pelo menos parte dos R$ 100 milhões subtraídos dos cofres públicos”.

No documento, Mendes diz ter certeza que Suplicy “liderará o ressarcimento ao erário” e comenta que o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, que conseguiu num único dia arrecadar R$ 600 mil, poderá emprestar sua “expertise” para colaborar na recuperação do dinheiro desviado pelo mensalão.

“Não sou contrário à solidariedade a apenados. Ao contrário, tenho a certeza que Vossa Excelência liderará o ressarcimento ao erário público das vultuosas cifras desviadas (…) Quem sabe o ex-tesoureiro Delúbio Soares com a competência arrecadatória que demonstrou – R$ 600 mil num único dia, verdadeiro e inédito prodígio!– possa emprestar tal expertise”, diz trecho da carta.

MULTAS

Na carta, o ministro destacou trecho do artigo 5º da Constituição dizendo que “nenhuma pena passará da pessoa do condenado”. Para ele, assim como a pena de prisão, a pena de multa é intransferível e restrita ao condenado.

Ou seja, tal como pessoas solidárias aos condenados não podem passar alguns dias por eles na cadeia, também não poderiam pagar as multas impostas pela Justiça. “[A campanha de doações para o pagamento da multa] em última análise sabota e ridiculariza o cumprimento da pena– que a Constituição estabelece como pessoal e intransferível– pelo próprio apenado”.

Mendes ainda reclama da falta de transparência no sistema de arrecadações e diz que todos os dados devem ser analisados pelo Ministério Público e pela Receita Federal.

Diz ainda que sites usados para as arrecadações são hospedados no exterior, o que dificultaria ainda mais a fiscalização das “doações moralmente espúrias” e destinadas a “contornar efeitos de decisão judicial”.

Responder

    Christiano Almeida

    14/02/2014 - 23h16

    O que quer dizer: “… XLV – nenhuma pena passará da pessoa do condenado, …”? Como leigo posso assim dizer: Já que fui condenado a pagar (pecúnia) tal pena, esta não poderá ser transferida para outra pessoa. Nada impede-me de através de doações que eu a quite. É isto, Gilmar Dantas, ops, Gilmar Mendes!

Regina Braga

14/02/2014 - 15h39

Lista de Furnas e Cemig é como o terremoto que aconteceu em BH-3.2…só é publicado no R7.Mas o povo, não fica sabendo,que turma abafadinha!

Responder

Antonio

14/02/2014 - 12h56

A política em Minas é ainda mais reacionária e funesta que a de SP.

A voz da oposição aos tucanos em SP é audível, a de Minas é quase um silêncio ensurdecedor.

Responder

    Taiguara

    17/02/2014 - 08h51

    Não existe mais Minas Gerais. Em seu lugar insttalou-se a República Anti Democrática do Aocioquistão.

RONALD

14/02/2014 - 11h13

A justiça só condena petistas.
Para ver como a justiça no BRASIL é totalmente tendenciosa, vejam o roberto jefferson livre leve e solto, não vai ser preso e nem condenado a pagar multa.
Para os tucanos paulistas e mineiros tudo é permitido.
Para os amigos tudo, para os inimigos a forca.

Responder

Mancini

14/02/2014 - 11h01

Azenha, Conceição,

Tomo a liberdade de reinserir comentário meu publicado agorinha no post ‘Ordens superiores’ impedem visita a preso em MG: ‘Segurança do Estado’. Como se trata de matéria correlata, achei perAzenha, Conceição,

Que a velha e podre mídia blinde todo esse descalabro é de se entender.

Agora, o que não entra na cabeça de ninguém é o silêncio da Agência Brasil, TV Brasil e muitos blogs.

E mais, o CNJ, o Conselho Superior do MP Federal – MP este que usa peças apontadas por Carone e Nilton Monteiro na acusação a Azeredo, a Secretaria Nacional de Direitos Humanos, o Ministério da Justiça, demais órgãos nacionais e internacionais.

O Carone virou o ‘gauche’ da história e o seu Novo Jornal, não obstante estar hospedado fora do país, não responde desde sábado(8/2)!

Disse outro dia que se essa velha mídia dedicasse apenas 1% do tempo que gastou na trágica morte do cinegrafista já estaria de bom tamanho. Hoje vejo que bastaria 0,1%.

Recebi um link de um vídeo, na verdade um áudio, postado ainda em dezembro de 2013. Tudo leva crer que se trata do Nilton Monteiro, também preso. Muito nervoso, em pouco de 30 minutos ele relata todas as barbaridades que sofreu e vem sofrendo; e principalmente, dá o nome de muita gente, muita gente mesmo, de Minas, de SP, do Brasil, envolvidos na corrupção do psdb-dem.

Ainda em janeiro publiquei um resumo do desenrolar desses acontecimentos em http://refazenda2010.blogspot.com.br . No corpo do artigo há um link para um pdf que corrobora para as considerações explanadas no áudio do Nilton Monteiro em https://www.youtube.com/watch?v=nmmh6afbVnY .

Creio ser importante ler a descrição do vídeo.tinente.

Segue:

Responder

    Mancini

    14/02/2014 - 11h18

    Houve uma trucagem ao fim do primeiro parágrafo, achei PERTINENTE. Desculpem.

Fabio Sp

14/02/2014 - 09h00

Nos valores dos repasses, quase no fim dos documentos, vejo que foram repassados 75.000,00 para o PSDB/PSN e

R$ 880.000,00 para o PT?!?!? Como se explica isso?

Responder

    Roger Miguel

    14/02/2014 - 09h28

    Meu caro,

    A lista de Furnas é autentica, ou seja, já teve sua veracidade comprovada pelo Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal.

    Isso quer dizer que não há adulteração ou maquiagem nas assinaturas e que o registro em cartório é verdadeiro.

    Com esta comprovação da veracidade da lista, a tese levantada pelo PSDB de que a lista é falsa cai por terra.

    Porém, em um segundo momento, quem produziu a lista terá que provar que aquilo que está escrito ali é verdade !!! Essa pessoa terá que provar que repassou esses valores para os partidos. O cara pode escrever que deu 1 bilhão de reais para o PT…porem, ele terá que provar.

    Mourão foi secretário de Administração de Azeredo na Prefeitura de Belo Horizonte [1990-1992] e no governo de Minas Gerais [1995 a 1º de janeiro de 1999]. Depois, o coordenador financeiro da malsucedida campanha pela reeleição de Azeredo ao governo do Estado.

    Por isso o desespero Tucano !!!

    Entendeu agora, ou quer que eu desenhe para você ?!?

    renato

    14/02/2014 - 22h11

    Leitura para final de semana.

    PT o Partido dos Covardes de MG

    15/02/2014 - 05h07

    Reparem: não tem nenhum deputado federal do PT de Minas acompanhando os colegas estaduais além do padre João. Tudo uns covardes!!!! Se cagam de medo do Aecim, da Grobo e da Foia de SP…Eles são os culpados de Minas ter virado uma terra de ninguém, onde a corrupção grassa e ninguém tem coragem de nada…O PT VIROU UM PARTIDO DE COVARDES, porque agora só pensam nos “carguim” deles e da familinha deles…

Fabio Sp

14/02/2014 - 08h58

“Vivemos num estado de exceção. O governo de Minas vive para o objetivo eleitoral do senador Aécio Neves (PSDB) chegar à Presidência da República.”

Até parece que o deputado vive para alguma coisa mais que reeleger a Dilma Roussef…

Hipócrita!!!

Responder

    Roger Miguel

    14/02/2014 - 09h19

    Pois eh…Fábio,

    Mas TODOS os poderes de estado, em nível federal funcionam livremente e não tem qualquer restrição de atuação.

    Diga-me qual CPI foi instalada em MG ou em SP contra os governos locais ?
    Nenhuma !!!
    Por que ???
    Porque não há, nesses dois estados, uma democracia vigente.

    Para você que finge não ver, a situação no AECIOQUISTÃO é a seguinte:

    O MP em MG foi sufocado.
    A ALMG foi cooptada.
    A imprensa em MG não publica um linha sequer contra o governo Tucano.
    As policias civil e militar são usadas como instrumento de repressão e força.
    A justiça em MG faz vistas grossas para os crimes Tucanos.

    E você vem nos dizer que a situação em MG é a mesma do BR…
    Vai plantar coquinho, meu jovem !!!

    Contra o governo federal:

    O MP é acionado até pelo fato da Dilma fazer um pronunciamento usando roupas vermelhas.
    O Congresso, comandado pelo PMDB, a todo momento poem a faca no pescoço da Dilma.
    A imprensa brasileira todo dia inventa uma crise e tenta o golpe a todo custo.
    A justiça…bem, o STF produziu essa excrescência chamada de Ação Penal 470.

    Vê se acorda !!!

    MG e SP são estados dominados pelo crime…e os principais bandidos não usam armas de fogo.

claudia Dornelles

14/02/2014 - 08h11

Aos poucos está vindo à tona o mensalão tucano! Infelizmente ainda é reduzida a parcela dos brasileiros que tem acesso á mídia mais imparcial.
A mídia comercial impera no Brasil e defende os privilegiados!

Responder

Bode do Lula

14/02/2014 - 07h38

Espera mais um pouco que estão chegando mais

================

http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,estatal-e-citada-em-denuncia-de-propina,1130119,0.htm

Responder

alexandre de melo martins

13/02/2014 - 22h08

a assembleia tem poder de inquirir os juizes e procuradores do estado e até de demiti-los, por que a assembleia não o faz, uma vez que o clamor publico é gritante e a midia bandida não poderar calar?

Responder

    Roger Miguel

    14/02/2014 - 09h08

    Que assembleia ?

    Aquela que tinha um piloto de helicóptero como funcionário ?
    Piloto esse que trafegava com 450 kg de cocaína ?
    Cocaína esta que estava em uma aeronave de um deputado estadual ?
    Caso este que foi devidamente arquivado ?

    Se a ALMG não dá bola para um fato grave como esse, dentro do seu quintal…ela vai correr atrás de coisas, em outros poderes ?!?

    A ALMG é igual a ALSP…20 anos de Tucanato do poder, nesses dois estados deu nisto: alinhamento irrestrito do poder legislativo com as falcatruas dos outros poderes !!!

    MG e SP são estados falidos, em todos os sentidos e em todos os poderes.

Marat

13/02/2014 - 22h04

Conceição, parabéns, e parabéns aos (poucos) corajosos que enfrentam a máfia pessedebista, cujos tentáculos estão na imprensa e no judiciário!

Responder

abolicionista

13/02/2014 - 21h57

Os tucanos serão julgados no dia de São Nunca. Essas ações do PT são apenas uma tentativa de fazer pressão, de denunciar a arbitrariedade da justiça brasileira e de sua balança quebrada. Mas a “justiça” efetiva, essa está no bolso dos tucanos. Sempre esteve, aliás, pelo menos desde a era FHC e o seu engavetador geral da república. O PSDB é pior do que a máfia, ele hoje consegue reunir o que há de pior no país.

Responder

Heitor

13/02/2014 - 19h47

Precisa pedir esta inclusão?
O procurador é tão mal informado assim?
Ou será que estes relatórios ainda estão “perdidos”, digo “esquecidos” em alguma gaveta?

Responder

Silvestre

13/02/2014 - 19h29

Engraçado que na lista do Cláudio Mourão foi mais dinheiro para o PT do que para o PSDB. Como faz nesses casos?

Responder

    Tião Macalé

    13/02/2014 - 20h27

    Engraçado é que a “justiça” só julga e condena o PT, né Silvestre.
    Engraçado é que a “justiça” demora uma eternidade para indiciar os Tucanos, isso quando o faz, né Silvestre.
    Engraçado é que a mídia finge que nada disso está acontecendo, né Silvestre.
    Engraçado é que tem um jornalista que está sendo torturado na prisão em MG e imprensa e finge que não vê, né Silvestre.
    Engraçado é que o Aécio consegue, sempre, se livrar de TODOS os processos aos quais ele está envolvido, né Silvestre.
    Engraçado é que o Aécio gasta uma fortuna de dinheiro, para censurar os comentários negativos feitos a ele e ninguém o questiona por isso, né Silvestre.

    São tantas coisas engraçadas, né Silvestre, que eu estou aqui a pensar…

    Seria o Silvestre mais um palhaço ?!?

    J Tavannes

    14/02/2014 - 18h16

    Tião, o Silvestre não vai responder, pois o que ele sabe fazer bem é o que o papagaio de mídia faz, repetir, repetir, repetir, repetir….

    Bode do Lula

    13/02/2014 - 21h23

    O petismo já foi julgado por todos os casos passados e futuros, agora é vez só dos mensaleiros mineiros minieros

    Almerindo

    14/02/2014 - 20h13

    MENSALEIROS MINEIROS NÃO!!!!!! DO PSDB !!!!!!!!!

    Alto lá!!!!!!!!!

Deixe uma resposta