VIOMUNDO

A história do procurador que vaza para a Época denúncias contra Lula

22 de fevereiro de 2016 às 14h09

douglas

A história do Procurador Douglas Kirchner

SEG, 22/02/2016 – 12:30

ATUALIZADO EM 22/02/2016 – 13:26

do Jornal GGN

Jornal GGN – Antes de se tornar personagem nacional, atuando em parceria com a revista Época em casos envolvendo o ex-presidente Lula, o procurador Douglas Kirchner foi aprovado em um concurso em 2012 e alocado no Ministério Público Federal de Rondônia.

Lá envolveu-se em problemas religiosos-amorosos.

O procurador é fiel de uma seita em Porto Velho, a Igreja Evangélica Hadar, acusada de explorar crianças e adolescentes, obrigando os menores a vender sanduiches em vias públicas, de madrugada, a realizar serviços de faxina no templo.  Em agosto de 2014 a seita foi denunciada àDEPCA (Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente) (http://migre.me/t3ORW).

Na última semana de julho de 2014, Douglas foi denunciado ao Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher, acusado de agressões físicas contra sua esposa, Tamires Souza Alexandre.

Segundo o GNotícias, da gospel.com.br, após o casamento, ambos foram residir no alojamento da igreja. Quando tentou se separar de Douglas, ele e uma pastora da igreja espancaram a moça com cipó e cinto. Depois, Tamires ficou em cárcere privado, só podendo se alimentar depois que os outros comessem. Foi obrigada a dormir no chão, com ventilador e sem cobertor, tendo adoecido por conta disso (http://migre.me/t3P5U).

Segundo o portal Rondônia ao Vivo, em uma das ocasiões a esposa teria ficado dois dias sem comer e, depois, foi trancafiada no alojamento da igreja. Mais tarde, conseguiu fugir e foi dormir na rua, sendo acolhida na casa de pessoas que a encontraram (http://migre.me/t3Paq). Era um crime previsto na Lei Maria da Penha.

No dia 8 de setembro de 2014, o Procurador Geral da República Rodrigo Janot dispensou Douglas do cargo de substituto eventual do Procurador-Chefe da Procuradoria do Estado de Rondônia (http://migre.me/t3Peg). Em seguida, Douglas foi removido para o Distrito Federal.

Apenas um ano depois, em 5 de outubro de 2015, a corregedoria nacional do Ministério Público instaura um processo administrativo contra ele. O crime cometido por Douglas foi transformado em “infração disciplinar” e submetido a julgamento pelo CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público). O processo ainda não chegou ao fim. Não o impediu de ocupar cargos relevantes no Ministério Público do Distrito Federal.

Nesse ínterim, Douglas mantém suas pregações religiosas, participando de eventos públicos da sua igreja, como o seminário “Casamento gay e marxismo cultural”.

Nele, Douglas explica que o erro não está nas instituições, mas no pecado. Investe vigorosamente contra os princípios da igualdade, o “abominável princípio” que tenta igualar pessoas nos aspectos econômicos, sociais e biológicos. Sustenta que o feminismo é uma invenção do ideal agnóstico das esquerdas. E compara o casamento homossexual à pedofilia e aos homens que fazem sexo com os animais.

 Leia também:

Advogados de Lula denunciam procurador que vaza para a Globo mas dificulta a defesa 

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR

 

20 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

FrancoAtirador

28/02/2016 - 16h00

.
.
Conselho Nacional do Ministério Público – CNMP
.
ATA Nº 1/2016 – PLENÁRIO
(http://www.cnmp.gov.br/portal_2015/images/sessoes_plenario/ata_um_16.pdf)
.
Ata da 1ª Sessão Ordinária
do Conselho Nacional do Ministério Público,
realizada em 26/01/2016.
.
(Publicada no Diário Eletrônico do CNMP, Caderno Processual, de 23/02/2016, págs. 1/13)
.
5) PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR N.º 1.00162/2015-03
.
Relator: Conselheiro Leonardo Henrique de Cavalcante Carvalho
.
Requerente: Corregedoria Nacional do Ministério Público
.
Requerido: Membro do Ministério Público Federal
.
Objeto: Processo Administrativo Disciplinar.
Prática de agressões e cárcere privado.
Membro do Ministério Público Federal.
Referente à RD n° 1178/2014-81.
.
Deliberação: O Conselho, por unanimidade, decidiu pela prorrogação do prazo,
por mais 90 (noventa) dias, nos termos propostos pelo Relator (*).
.
Ausente, justificadamente, o Conselheiro Cláudio Portela.
.
(*) “Na sequência, os Conselheiros Antônio Duarte, Corregedor Nacional em exercício,
e Leonardo Carvalho levaram a julgamento, extrapauta,
a Sindicância n.º 0.00.000.000853/2015-36
e o Processo Administrativo Disciplinar n° 1.00162/2015-03,
com vistas à prorrogação de prazo por 30 (trinta)
e 90 (noventa) dias, respectivamente”
.
(http://www.cnmp.gov.br/portal_2015/images/sessoes_plenario/ata_um_16.pdf)
.
.

Responder

Hell Back

27/02/2016 - 14h16

Realmente. Parece que retrocedemos no tempo e fomos parar na Idade Média que ficou conhecida como Idade das Trevas.

Responder

carlos

24/02/2016 - 09h05

Este é o preço que nós, cidadãos, pagamos pela covardia e o entreguismo de FHC e Lula em não ter cumprido a promessa de campanha de 2002 de abrir a caixa preta do judiciário. Foi omisso e leniente com a mídia e com o império de cortesãos barnabés togados que é nossa “justiça”. Agora senta e chora porque para arrumar o estrago só zerando tudo e criando algo totalmente novo o que, nas atuais circunstâncias, só por meio de uma guerra civil. Continuarmos pagando em média salários de mais 100 mil reais em média para juiz é uma baerração, e não duvidem da inteligencia do povo brasileiro, nós não podemos financiar drogas e outras mazelas mais ao invés de financiarmos educação saúde ficar discutindo se maconha é legal ou não isso é história pra boi dormir. temos um crime cometido pelo judiciário que avalisou o crime de lesa-Pátria

Responder

Urbano

23/02/2016 - 18h04

Os bandidos da oposição ao Brasil têm plena alergia à honestidade, nuns a coisa é de dna, noutros apenas puerperal…

Responder

José Milton

23/02/2016 - 14h13

Desde infância que ouço a afirmativa que todo promotor se acha deus e os juízes já tem certeza que já o são. Nesta regra, com raríssimma e honrosíssima exceção? pode escarafunchar este negócio medievalesco chamado judiciário brasileiro que encotrarás coisas muito piores.

Responder

Mário SF Alves

23/02/2016 - 12h21

Esse é mais um que apenas por ser de “extrema direita” acha que já achou.
Decerto foi aprovado no concurso público do MPF dos governos desenvolvimentistas de 2003 até o dia de hoje. Difícil é saber se foi uma vitória honesta ou desleal à base de enxurradas de Ritalina.
___________________
Que se esqueçam os vira-latas e se cuide dos mineiros que desde Tiradenters até agora tanto contribuiram para a resistência que fará do do Brasil Um País de Todos os seus filhos.

Responder

Mau

23/02/2016 - 08h37

Mais um fanático do “Estado Evangélico”

Responder

Marat

22/02/2016 - 22h29

Direitistas doentes e fanatizados… Essa corja sustenta o PSDB!

Responder

Elcio Vaz

22/02/2016 - 19h20

Não está faltando alguma coisa nesses concursos públicos? Será possível uma pessoa com esses interesses e comportamentos estar em cargo tão importante na República?
Alguma análise está faltando nesses concursos, psicológica, psiquiátrica, comportamental … não sei… mas está faltando.
Isso tira até a nossa esperança no futuro, vendo pessoas tão jovens com essa mentalidade.
É triste, muito triste.

Responder

    Adair Alves de Barros

    23/02/2016 - 09h36

    Não está faltando nada não, simplesmente normalmente quem passa nesses concursos são componentes da classe média e classe alta, haja vista que infelizmente devido a classe de trabalhadores não ter muito tempo para se dedicar aos cursinhos de preparação para esses concursos, os “coxinhas” por não fazerem absolutamente NADA na vida até a conclusão da faculdade tem todo o tempo do mundo para estudar, mais o din-din da família para sobreviver, é que passam nesses concursos, daí esse bando de sem noção política, loucos para aparecer na mídia é que são aprovados.

Marco André

22/02/2016 - 18h27

A Igreja Católica não condenava seus membros criminosos… Os transferiam de paróquia.
O MPF também.
PS. Assistam o fantástico “Spotlight”.

Responder

Márcio Gaspar

22/02/2016 - 18h15

É como venho comentando sobre quem é que compõe os cargos de relevância de poder no judiciário. São concurseiros que se dedicam boa parte do tempo decorando leis e apostilas para passarem em concursos de promotor e juiz. Não sabem nada de princípio de Justiça ou Direito, não conhecem filosofia, sociologia ou direitos humanos. Esses concursos deveriam exigir experiência prática dos candidatos para poderem ingressar e, após, deveriam ter aulas e aulas sobre direitos humanas, filosofia e sociologia. Poderiam exigir que os candidatos possuem mestrado ou doutorado em direito, que tivesse como tema a justiça e direitos humanos. O PT soube muito bem formar lideranças de base, mas esqueceu o topo. Esse topo de pessoas que compõe o judiciário, pessoas que vem de grupos sociais, em sua maioria, que quer ver o pensamento de esquerda bem longe. O republicanismo do PT o engoliu e vai liquidá-lo. Infelizmente.

Responder

Nelson

22/02/2016 - 15h35

Amigo. Aparece cada cabeça a se arvorar paladino da moralidade e dos bons costumes!

Se esse procurador estivesse a fazer o trabalho que realmente cabe a um procurador, não seria brindado com uma exposição positiva por parte da mídia. Pelo contrário, teria, possivelmente, seu passado e vida pessoal vasculhados e expostos por essa grande mídia como forma de chantageá-lo e demovê-lo de continuar com suas investigações.

Mas, como a grande mídia protege a grande podridão dos donos do poder e dos seus asseclas, ela esconde as peripécias do Sr Kirchner.

Responder

Mauricio Gomes

22/02/2016 - 15h12

Mais um “herói” para a galeria dos coxinhas fascistas. No panteão nazifascista e corrupto, já figuram “ilustres” personagens como o japonês da federal, a musa do impeachment, BolsoASNO, o procurador-fundamentalista e torturador, o juizeco fascista de CÚritiba, Eduardo CÚnha, DEMÓstenes Torres, Paulinho da Farsa e o ex-presidente que comprou a reeleição, a mídia e o silêncio da amante. Quem serão os próximos nessa infame lista?

A propósito, como um psicopata como esse que acha que igualdade é um “abominável princípio” que tenta igualar pessoas nos aspectos econômicos, sociais e biológicos, que sustenta que o feminismo é uma invenção do ideal agnóstico das esquerdas e que compara o casamento homossexual à pedofilia e aos homens que fazem sexo com os animais pode ainda ser procurador e liderar uma caçada ao Lula? Realmente o Brasil está doente, e os vetores dessa doença estão dentro da (in)justiça, do MP e da PF. Não há ninguém que possa jogar esse louco numa jaula?

Responder

Francisco

22/02/2016 - 15h08

E esse cara, sem voto, governa o Brasil.

Vamos falar português: se o nome do presidente da República fosse Brizola, esse sujeito estaria afastado do cargo, fazendo tratamento psicológico.

Mas não, está governando o Brasil. Sem voto.

A oitava economia do planeta é governada por um fedelho desequilibrado emocional. E sem voto.

Lula e Dilma conseguiram uma proeza: colocar esse (e outros) Jim Jones no poder e me fazer desprezar o PT.

Estou à procura de um partido nacionalista gerido por pessoas de fibra e que saibam o que é “presidencialismo”.

Se possível um partido socialista, mas meu foco é na palavra “fibra” (culhões).

Responder

Mauricio Gomes

22/02/2016 - 15h03

Esse procurador-fascista-golpista tem que ser internado em uma manicômio, pelas suas “credenciais” trata-se de um psicopata de ultra-direita e um fundamentalista religioso de deixar MALAfaia no chinelo. Pobre Brasil, infestado por maçons, evangélicos fundamentalistas e amantes da ditadura…..

Responder

FrancoAtirador

22/02/2016 - 14h32

.
.
Ôu, Mái Gódi! MARIA DA PENHA NELE! (http://www.compromissoeatitude.org.br)
.
.
CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO (CNMP)
.
PORTARIA Nº 65, DE 4 DE AGOSTO DE 2015 (DOU 05/08/2015 – S2 – P54)
.
(http://www.jusbrasil.com.br/diarios/97481298/dou-secao-2-05-08-2015-pg-54)
.
http://www.cnmp.mp.br/portal_2015/images/Corregedoria/Portarias_-_2015/portaria_65.pdf
http://www.cnmp.mp.br/portal_2015/images/Corregedoria/Portarias_-_2015/portaria_65_2.pdf
http://www.cnmp.mp.br/portal_2015/images/Corregedoria/Portarias_-_2015/portaria_65_3.pdf
http://www.cnmp.mp.br/portal_2015/images/Corregedoria/Portarias_-_2015/portaria_65_4.pdf
.
.
Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP)
PLENÁRIO
.
PORTARIA Nº 1, DE 26 DE AGOSTO DE 2015 (DOU 28/08/2015 – S2 – P49)
(http://www.jusbrasil.com.br/diarios/98849647/dou-secao-2-28-08-2015-pg-49)
.
O CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, por intermédio do Conselheiro abaixo firmado, nos autos do Processo Administrativo Disciplinar CNMP nº 1.00162/2015-03, no uso de suas atribuições conferidas pelo art. 130-A, § 2.º, III, da Constituição da República e pelo art. 88 e seguintes do Regimento Interno do CNMP; e
.
CONSIDERANDO que o Corregedor Nacional, no uso das suas atribuições previstas no art. 18, inciso VI, 77, inciso IV, e 89, § 2º do RI/CNMP, determinou a instauração de Processo Administrativo Disciplinar em face do Procurador da República, DOUGLAS IVANOWSKI KIRCHNER, a partir das informações constantes da Reclamação Disciplinar CNMP nº 0.00.000.01178/2014-81;
.
CONSIDERANDO que os fatos noticiados nestes autos configuram, em tese, a incursão do membro no artigo 240, inciso V, alínea d da Lei Complementar 75/93;
.
resolve:
.
Instituir Comissão Processante com a finalidade de DELEGAR aos Promotores de Justiça Luis Gustavo Maia Lima, Fábio Barros de Matos e Bernardo de Urbano Resende, do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios para, sob a Presidência do primeiro, a competência necessária para promoverem a realização de diligências, nos termos do art. 89, § 1º, do RI/CNMP, procedendo a oitiva de todas as testemunhas, colheita de documentos, interrogatório do processado, bem como elaboração de relatório final e parecer conclusivo.
.
O prazo de conclusão do Processo Administrativo Disciplinar tem seu início a partir da publicação da Portaria nº 65, de 4 de agosto de 2015, nos termos do art. 90 do RICNMP.
.
LEONARDO CARVALHO
.
ANEXO
ROL DE TESTEMUNHAS:
1. Tamires Souza Alexandre
2. Eunice Batista Pitaluga
3. Greyce Kelly de Souza Gomes Diogo,
4. Maria das Mercês Ribeira,
5. Valdenira Freitas Neves
6. Alline Lima Costa Sarges
7. Aline Rodrigues Dantas Sicherol
.
.
LEI COMPLEMENTAR Nº 75, DE 20 DE MAIO DE 1993 (DOU de 21.5.1993)
.
Dispõe sobre a organização, as atribuições e o estatuto do Ministério Público da União.
.
TÍTULO III
Das Disposições Estatutárias Especiais
[…]
CAPÍTULO III
Da Disciplina
[…]
SEÇÃO III
Das Sanções
[…]
Art. 240. As sanções previstas no artigo anterior serão aplicadas:
[…]
V – as de demissão, nos casos de:
[…]
d) incontinência pública e escandalosa
que comprometa gravemente, por sua habitualidade,
a dignidade da Instituição;
.
(http://www.jusbrasil.com.br/topicos/11304091/alinea-d-do-inciso-v-do-artigo-240-lc-n-75-de-20-de-maio-de-1993)
(http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/lcp/lcp75.htm)
.
.
Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP)
.
ATA Nº 20/2015 – PLENÁRIO
(http://www.cnmp.gov.br/portal_2015/images/sessoes_plenario/Ata_20_Sesso_Ordinria_1.pdf)
.
CERTIDÕES DE JULGAMENTO
20ª SESSÃO ORDINÁRIA – 27/10/2015
.
1) PROCESSO ADMINISTRATIVO DISCIPLINAR N.º 1.00162/2015-03
.
Relator: Conselheiro Leonardo Henrique de Cavalcante Carvalho
.
Requerente: Corregedoria Nacional do Ministério Público
.
Requerido: Membro do Ministério Público Federal
.
Assunto: Processo Administrativo Disciplinar. Prática de agressões e cárcere privado.
.
Membro do Ministério Público Federal. Referente à RD n° 1178/2014-81.
.
Deliberação: O Conselho, por unanimidade, decidiu pela prorrogação do prazo,
por mais 90 (noventa) dias, nos termos propostos pelo Relator.
.
Ausente, justificadamente, o Conselheiro Esdras Dantas.
.
.
Processo Administrativo Disciplinar CNMP nº 1.00162/2015-03
.
(http://www.cnmp.gov.br/portal_2015)
.
(https://goo.gl/Lw5cWw)
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    22/02/2016 - 14h35

    .
    .
    Esse é o Tipo Clássico de ‘Informante’ da Rede GLOBO.
    .
    .
    Agora, convenhamos que, quando ‘Exorcistas’ desse Naipe
    .
    galgam os mais Altos Cargos no Ministério Público Federal,
    .
    as Fogueiras estão acesas para queimar Pessoas Vivas no País.
    .
    .
    É a Barbárie, de Terno e Gravata, com Requinte de Crueldade.
    .
    .

    Mário SF Alves

    23/02/2016 - 13h10

    Esse é o Tipo Clássico de ‘Informante’ da Rede GLOBO.
    .
    .
    Agora, convenhamos que, quando ‘Exorcistas’ desse Naipe
    .
    galgam os mais Altos Cargos no Ministério Público Federal,
    .
    as Fogueiras estão acesas para queimar Pessoas Vivas no País.
    .
    É a Barbárie, de Terno e Gravata, com Requinte de Crueldade.
    .
    __________________________________________
    Pode já ser a verdade!
    Y Que venga el toro!

Deixe uma resposta