VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Altamiro Borges: A PF e o juiz Moro não vão vazar nada sobre a lista de brasileiros em paraísos fiscais?

09 de fevereiro de 2016 às 17h47

Moro faz diferença

Faz a diferença para os ricaços brasileiros

A lista dos brasileiros em paraísos fiscais

por Altamiro Borges, em seu blog

No final de janeiro, no curso da provocativa fase “Triplo X”, da Operação Lava-Jato — que teve como único intento incriminar o ex-presidente Lula –, a Polícia Federal apreendeu uma lista com os nomes de centenas de ricaços brasileiros que remeteram grana para paraísos fiscais espalhados pelo mundo.

As planilhas, com os registros das contas offshore e de seus respectivos donos, estavam armazenadas nos computadores da filial nacional da empresa panamenha Mossack Fonseca.

A notícia atemorizou muitos sonegadores e foi encarada como um tiro pela culatra.

Eles temeram os famosos — e seletivos — vazamentos da PF.

Para seu alívio, porém, nada vazou e a imprensa simplesmente já esqueceu a lista.

Na ocasião, a expectativa entre os investigadores era de que as planilhas da Mossack detalhassem um esquema de evasão de capitais e lavagem de dinheiro não apenas dos suspeitos de corrupção na Lava-Jato, mas também em outras áreas.

“A Mossack é bem mais ampla que o caso Lava-Jato. A empresa não só apresentou indícios de aparecer em outras investigações já deflagradas como provavelmente vai se descobrir muita coisa. Não podemos descartar que surjam provas para outras investigações”, afirmou o delegado Igor Romário Paula, que esteve à frente das ações da Polícia Federal na operação.

A Mossack é conhecida mundialmente como uma “fábrica de laranjas”.

Fundada no Panamá em 1977 e com filiais em 40 países, ela é especialista na abertura de offshore.

A partir dos grampos telefônicos feitos pela Polícia Federal, a força-tarefa concluiu que a empresa oferece diversos serviços ilícitos, como a venda de “laranjas” e de empresas offshore com a finalidade de ocultar a real titularidade dos proprietários brasileiros.

Também há indícios de que ela facilitaria a abertura de contas no exterior.

Em decisão proferida sobre a 22ª fase da Lava-Jato, o juiz Sergio Moro alegou que a Mossack serviu a “agentes envolvidos no esquema criminoso da Petrobras, que a usaram para lavagem de dinheiro”.

Ainda na ocasião, o coordenador da força-tarefa em Curitiba, o carrasco Deltan Dallagnol, fez as suas midiáticas ameaças: “Aconselharia os donos dessas offshore a procurar espontaneamente o Ministério Público, tendo em mente o que aconteceu na Lava-Jato. Quem procurou primeiro obteve acordos melhores”.

Pela legislação brasileira, manter valores no exterior não é crime, mas donos de recursos acima de US$ 100 mil são obrigados a comunicar à Receita e ao Banco Central.

No submundo do crime da lavagem internacional de capitais, as empresas offshore são abertas exatamente com o objetivo de ocultar dinheiro sem procedência, preservando a identidade de seus verdadeiros donos.

Desde o final de janeiro, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal, tendo à frente o juiz Sergio Moro, já permitiram o vazamento de um bocado de factoides — sempre com o objetivo de incriminar Lula e outros petistas.

Nesta ação seletiva, que visa atrair os holofotes da imprensa com propósitos nitidamente políticos, os ricaços com contas em paraísos fiscais — entre eles, banqueiros, ruralistas, industriais, barões da mídia e estrelas globais — podem dormir tranquilos.

Nada vai vazar — a exemplo do que já ocorreu com as contas do HSBC na Suíça e com os fraudadores da Operação Zelotes!

Leia também:

Quando Serra, Paulo Preto e Delson Amador serão ouvidos pelo MP paulista? 

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora online e receba na sua casa!

 

10 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Bacellar

11/02/2016 - 15h42

Meio trilhão apenas contestados no Carf.
Oq é meio trilhãozinho com o dólar nessa cotação gente? Maldade do povo isso…

Responder

Marat

10/02/2016 - 22h08

Moro nada mais que que um caudatário do Tio Sam. Ele difere muito pouco de um William Waack da vida!

Responder

Julio Silveira

10/02/2016 - 09h01

Perguntar não ofende. Como não confio mais em ninguém, e como os vazamentos são seletivos, e havendo neste caso segredo, não haveria a possibilidade de haverem nela pessoas ligadas a serviço público e principalmente a essas investigações? Pergunto por que acho estranho usarem lanternas com pilhas fracas numas coisas e holofotes com gerador e Alto falantes em outras.

Responder

FrancoAtirador

09/02/2016 - 20h26

.
.
Descobriram por que não tem Nenhum Tucano Denunciado na Justiça Federal do Paraná:
.
Toda vez que um Delator falava em PSDB, o Escrivão da Polícia Federal escrevia: “PÇDB” .
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    09/02/2016 - 20h35

    .
    .
    “O Direito não é o que o Juiz diz.
    Se não se decide por Princípio,
    ficamos à mercê do Arbítrio,
    pedindo o reconhecimento de direitos
    como se eles fossem um favor.”
    .
    Lênio Streck
    Jurista Brasileiro
    .
    (https://youtu.be/WFgqFHBTQIw)
    .
    (http://justificando.com/2015/08/31/sergio-moro-vs-lenio-streck-quem-ganhou-o-debate-no-ibccrim)
    .
    .
    OLJ (OC/PPP): 2 ANOS DE ILEGALIDADES
    .
    Já se passaram dois anos desde que a Operação Lava Jato iniciou as investigações no Paraná,
    sob o Comando de um Único Juiz, Sergio Fernando Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba.
    .
    Nesse Período, os Métodos Utilizados pelos Procuradores do Ministério Público
    e pela Polícia Federal Paranaenses, na Coleta de Depoimentos e de Indícios de Provas,
    foram repetidamente Questionados por Inúmeros Juristas Brasileiros e Estrangeiros.
    .
    Também foi Objeto de Contestação, por boa parte da Classe Jurídica no Brasil e no Exterior,
    o Uso Indiscriminado do Instrumento da Prisão Preventiva – por Prazo Indeterminado –
    como forma de Coerção, para Obtenção de Confissões, mediante Delações Premiadas.
    .
    Além do mais, vieram constantemente à tona Práticas Irregulares e, mesmo, Ilegais,
    por parte de Agentes Policiais e de Membros da Procuradoria Regional da República,
    como Vazamentos à Mídia de Inquéritos Judiciais que tramitam em Segredo de Justiça
    e Manipulações de Transcrições com Adulterações ou Omissões de Declarações Orais.
    .
    “O Problema não é a delação, mas o Modo como tem sido Obtida.
    Para sair da Preventiva, que Ainda Não Foi Julgada, é preciso dizer algo.
    Mais: é preciso uma Confissão que Agrade a Hipótese do Investigador.
    É uma Falha que Gera Nulidade Absoluta do Processo”,
    afirmou o Professor de Direito Constitucional da PUC­-SP, Pedro Estevam Serrano.
    .
    “A Lava Jato já é um Enunciado Performativo. Virou uma Marca. Ou uma Série de TV.
    Está se criando um Clima com o Objetivo de Constranger qualquer Tribunal Superior
    que venha a reconhecer alguma Irregularidade ou Nulidade nos Processos
    em Favor dos Acusados”,
    disse o membro da Academia Brasileira de Direito Constitucional, Lenio Streck.
    .
    (http://jornalggn.com.br/noticia/lava-jato-completa-dois-anos-sob-questionamentos)
    .
    .

Mauricio Gomes

09/02/2016 - 18h49

Mas isso não é importante, o que interessa mesmo para a força-tarefa de CÚritiba é saber quantos cisnes há no lago do sítio em Atibaia e quais verduras a mulher do Lula plantou na horta de lá. Vai que isso faz parte de um plano de dominação comunista do Brasil….melhor deixar os ricaços sossegados curtindo o carnaval, na edificante companhia de bicheiros e mafiosos de todo calibre.

Responder

FrancoAtirador

09/02/2016 - 18h12

.
.
LUXEMBURGO: (http://abre.ai/listao-mundial-da-sonegacao_luxemburgo)
(https://www.bourse.lu/instrument/searchresults?searchtype=securities&libelle=GLOBO)
.
SUÍÇA: (http://stf.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/19152322/carta-rogatoria-cr-11239-si-stf)
.
.
HOLANDA: Um Cínico Paraíso Fiscal
.
Vicenç Navarro *, via Other News, na Carta Maior
.
Como bem indica o estudioso economista David Hollanders,
a Holanda é um exemplo clássico e ilustrativo sobre o que é um paraíso fiscal.
.
Ele aponta, em um de seus estudos, que há 12 mil empresas
(que fazem circular um total de 4 bilhões de euros)
que possuem uma sede postal na Holanda,
que incluem 80% das cem maiores empresas do mundo
e 48% das maiores companhias que aparecem na revista Fortune.
.
…um papel crucial no trabalho de transformar a Holanda num paraíso fiscal
onde as maiores empresas europeias (incluindo algumas espanholas)
e norte-americanas evitam pagar seus impostos nos países onde se realiza
a produção, a distribuição ou o consumo dos seus produtos.
.
A política impositiva desse país está desenhada
para atrair as companhias multinacionais,
que estabelecem suas sedes na Holanda.
.
As vantagens fiscais e subsídios públicos, assim como seu tratamento favorável
às rendas do capital, são bem conhecidas no mundo financeiro e empresarial.
.
Isso explica que existam muitas companhias que estabelecem sua sede na Holanda
(desde a mineira canadense Gold Eldorado à estadunidense Starbucks, a lista é enorme).
.
Na verdade, algumas dessas companhias possuem na Holanda
somente um endereço postal, sem sequer um edifício de referência…
.
* Catedrático de Economia Aplicada na Universidade de Barcelona.
Professor de Ciências Políticas e Sociais na Universidade Pompeu Fabra de Barcelona
e professor de Políticas Públicas na The Johns Hopkins University (Baltimore, EUA).
.
Tradução: Victor Farinelli
.
(http://cartamaior.com.br/?/Editoria/Internacional/Holanda-um-cinico-paraiso-fiscal-/6/35439)
.
.
Não por Mera Coincidência, os Filhos Sem-Nome do Roberto Marinho
.
abriram Empresas Off-Shore, de Fachada, em Nome de Sócios-Laranjas,
.
com endereços em Caixas Postais, como a GLOBO OVERSEAS na Holanda.
.
(http://www.bloomberg.com/research/stocks/private/relationship.asp?personId=4804642)
.
(http://imgur.com/NNGNO3A)
(https://plus.google.com/109700291939804220828/about)
(http://www.gbrdirect.co.uk/AvailableProducts.aspx?code=33215456&country=NL&name=Globo%20Overseas%20Investments%20B.V.)
(http://pt.slideshare.net/VeraluciaPereiradaSilva/sonegacao-globo)
.
(http://www.viomundo.com.br/denuncias/representacao-a-rodrigo-janot-pede-apuracao-de-denuncias-contra-cbf-extensao-da-investigacao-a-fpf-e-a-offshore-da-globo.html)
.
(https://www.bourse.lu/Bourse/site.do?&urlStaticFile=%2FEN%2FPUB%2FBDL%2FListeEmetteur%2FListeEmet&so_timeout=0&report=Emetteurs_BdL&mode=loadFile&format=PDF&numObj=&crystal=new)
.
.

Responder

Deixe uma resposta