VIOMUNDO

Altamiro Borges: A PF e o juiz Moro não vão vazar nada sobre a lista de brasileiros em paraísos fiscais?

09 de fevereiro de 2016 às 17h47

Moro faz diferença

Faz a diferença para os ricaços brasileiros

A lista dos brasileiros em paraísos fiscais

por Altamiro Borges, em seu blog

No final de janeiro, no curso da provocativa fase “Triplo X”, da Operação Lava-Jato — que teve como único intento incriminar o ex-presidente Lula –, a Polícia Federal apreendeu uma lista com os nomes de centenas de ricaços brasileiros que remeteram grana para paraísos fiscais espalhados pelo mundo.

As planilhas, com os registros das contas offshore e de seus respectivos donos, estavam armazenadas nos computadores da filial nacional da empresa panamenha Mossack Fonseca.

A notícia atemorizou muitos sonegadores e foi encarada como um tiro pela culatra.

Eles temeram os famosos — e seletivos — vazamentos da PF.

Para seu alívio, porém, nada vazou e a imprensa simplesmente já esqueceu a lista.

Na ocasião, a expectativa entre os investigadores era de que as planilhas da Mossack detalhassem um esquema de evasão de capitais e lavagem de dinheiro não apenas dos suspeitos de corrupção na Lava-Jato, mas também em outras áreas.

“A Mossack é bem mais ampla que o caso Lava-Jato. A empresa não só apresentou indícios de aparecer em outras investigações já deflagradas como provavelmente vai se descobrir muita coisa. Não podemos descartar que surjam provas para outras investigações”, afirmou o delegado Igor Romário Paula, que esteve à frente das ações da Polícia Federal na operação.

A Mossack é conhecida mundialmente como uma “fábrica de laranjas”.

Fundada no Panamá em 1977 e com filiais em 40 países, ela é especialista na abertura de offshore.

A partir dos grampos telefônicos feitos pela Polícia Federal, a força-tarefa concluiu que a empresa oferece diversos serviços ilícitos, como a venda de “laranjas” e de empresas offshore com a finalidade de ocultar a real titularidade dos proprietários brasileiros.

Também há indícios de que ela facilitaria a abertura de contas no exterior.

Em decisão proferida sobre a 22ª fase da Lava-Jato, o juiz Sergio Moro alegou que a Mossack serviu a “agentes envolvidos no esquema criminoso da Petrobras, que a usaram para lavagem de dinheiro”.

Ainda na ocasião, o coordenador da força-tarefa em Curitiba, o carrasco Deltan Dallagnol, fez as suas midiáticas ameaças: “Aconselharia os donos dessas offshore a procurar espontaneamente o Ministério Público, tendo em mente o que aconteceu na Lava-Jato. Quem procurou primeiro obteve acordos melhores”.

Pela legislação brasileira, manter valores no exterior não é crime, mas donos de recursos acima de US$ 100 mil são obrigados a comunicar à Receita e ao Banco Central.

No submundo do crime da lavagem internacional de capitais, as empresas offshore são abertas exatamente com o objetivo de ocultar dinheiro sem procedência, preservando a identidade de seus verdadeiros donos.

Desde o final de janeiro, a Polícia Federal e o Ministério Público Federal, tendo à frente o juiz Sergio Moro, já permitiram o vazamento de um bocado de factoides — sempre com o objetivo de incriminar Lula e outros petistas.

Nesta ação seletiva, que visa atrair os holofotes da imprensa com propósitos nitidamente políticos, os ricaços com contas em paraísos fiscais — entre eles, banqueiros, ruralistas, industriais, barões da mídia e estrelas globais — podem dormir tranquilos.

Nada vai vazar — a exemplo do que já ocorreu com as contas do HSBC na Suíça e com os fraudadores da Operação Zelotes!

Leia também:

Quando Serra, Paulo Preto e Delson Amador serão ouvidos pelo MP paulista? 

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR
10 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Bacellar

11/02/2016 - 15h42

Meio trilhão apenas contestados no Carf.
Oq é meio trilhãozinho com o dólar nessa cotação gente? Maldade do povo isso…

Responder

Marat

10/02/2016 - 22h08

Moro nada mais que que um caudatário do Tio Sam. Ele difere muito pouco de um William Waack da vida!

Responder

Julio Silveira

10/02/2016 - 09h01

Perguntar não ofende. Como não confio mais em ninguém, e como os vazamentos são seletivos, e havendo neste caso segredo, não haveria a possibilidade de haverem nela pessoas ligadas a serviço público e principalmente a essas investigações? Pergunto por que acho estranho usarem lanternas com pilhas fracas numas coisas e holofotes com gerador e Alto falantes em outras.

Responder

FrancoAtirador

09/02/2016 - 20h26

.
.
Descobriram por que não tem Nenhum Tucano Denunciado na Justiça Federal do Paraná:
.
Toda vez que um Delator falava em PSDB, o Escrivão da Polícia Federal escrevia: “PÇDB” .
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    09/02/2016 - 20h35

    .
    .
    “O Direito não é o que o Juiz diz.
    Se não se decide por Princípio,
    ficamos à mercê do Arbítrio,
    pedindo o reconhecimento de direitos
    como se eles fossem um favor.”
    .
    Lênio Streck
    Jurista Brasileiro
    .
    (https://youtu.be/WFgqFHBTQIw)
    .
    (http://justificando.com/2015/08/31/sergio-moro-vs-lenio-streck-quem-ganhou-o-debate-no-ibccrim)
    .
    .
    OLJ (OC/PPP): 2 ANOS DE ILEGALIDADES
    .
    Já se passaram dois anos desde que a Operação Lava Jato iniciou as investigações no Paraná,
    sob o Comando de um Único Juiz, Sergio Fernando Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba.
    .
    Nesse Período, os Métodos Utilizados pelos Procuradores do Ministério Público
    e pela Polícia Federal Paranaenses, na Coleta de Depoimentos e de Indícios de Provas,
    foram repetidamente Questionados por Inúmeros Juristas Brasileiros e Estrangeiros.
    .
    Também foi Objeto de Contestação, por boa parte da Classe Jurídica no Brasil e no Exterior,
    o Uso Indiscriminado do Instrumento da Prisão Preventiva – por Prazo Indeterminado –
    como forma de Coerção, para Obtenção de Confissões, mediante Delações Premiadas.
    .
    Além do mais, vieram constantemente à tona Práticas Irregulares e, mesmo, Ilegais,
    por parte de Agentes Policiais e de Membros da Procuradoria Regional da República,
    como Vazamentos à Mídia de Inquéritos Judiciais que tramitam em Segredo de Justiça
    e Manipulações de Transcrições com Adulterações ou Omissões de Declarações Orais.
    .
    “O Problema não é a delação, mas o Modo como tem sido Obtida.
    Para sair da Preventiva, que Ainda Não Foi Julgada, é preciso dizer algo.
    Mais: é preciso uma Confissão que Agrade a Hipótese do Investigador.
    É uma Falha que Gera Nulidade Absoluta do Processo”,
    afirmou o Professor de Direito Constitucional da PUC­-SP, Pedro Estevam Serrano.
    .
    “A Lava Jato já é um Enunciado Performativo. Virou uma Marca. Ou uma Série de TV.
    Está se criando um Clima com o Objetivo de Constranger qualquer Tribunal Superior
    que venha a reconhecer alguma Irregularidade ou Nulidade nos Processos
    em Favor dos Acusados”,
    disse o membro da Academia Brasileira de Direito Constitucional, Lenio Streck.
    .
    (http://jornalggn.com.br/noticia/lava-jato-completa-dois-anos-sob-questionamentos)
    .
    .

Mauricio Gomes

09/02/2016 - 18h49

Mas isso não é importante, o que interessa mesmo para a força-tarefa de CÚritiba é saber quantos cisnes há no lago do sítio em Atibaia e quais verduras a mulher do Lula plantou na horta de lá. Vai que isso faz parte de um plano de dominação comunista do Brasil….melhor deixar os ricaços sossegados curtindo o carnaval, na edificante companhia de bicheiros e mafiosos de todo calibre.

Responder

FrancoAtirador

09/02/2016 - 18h12

.
.
LUXEMBURGO: (http://abre.ai/listao-mundial-da-sonegacao_luxemburgo)
(https://www.bourse.lu/instrument/searchresults?searchtype=securities&libelle=GLOBO)
.
SUÍÇA: (http://stf.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/19152322/carta-rogatoria-cr-11239-si-stf)
.
.
HOLANDA: Um Cínico Paraíso Fiscal
.
Vicenç Navarro *, via Other News, na Carta Maior
.
Como bem indica o estudioso economista David Hollanders,
a Holanda é um exemplo clássico e ilustrativo sobre o que é um paraíso fiscal.
.
Ele aponta, em um de seus estudos, que há 12 mil empresas
(que fazem circular um total de 4 bilhões de euros)
que possuem uma sede postal na Holanda,
que incluem 80% das cem maiores empresas do mundo
e 48% das maiores companhias que aparecem na revista Fortune.
.
…um papel crucial no trabalho de transformar a Holanda num paraíso fiscal
onde as maiores empresas europeias (incluindo algumas espanholas)
e norte-americanas evitam pagar seus impostos nos países onde se realiza
a produção, a distribuição ou o consumo dos seus produtos.
.
A política impositiva desse país está desenhada
para atrair as companhias multinacionais,
que estabelecem suas sedes na Holanda.
.
As vantagens fiscais e subsídios públicos, assim como seu tratamento favorável
às rendas do capital, são bem conhecidas no mundo financeiro e empresarial.
.
Isso explica que existam muitas companhias que estabelecem sua sede na Holanda
(desde a mineira canadense Gold Eldorado à estadunidense Starbucks, a lista é enorme).
.
Na verdade, algumas dessas companhias possuem na Holanda
somente um endereço postal, sem sequer um edifício de referência…
.
* Catedrático de Economia Aplicada na Universidade de Barcelona.
Professor de Ciências Políticas e Sociais na Universidade Pompeu Fabra de Barcelona
e professor de Políticas Públicas na The Johns Hopkins University (Baltimore, EUA).
.
Tradução: Victor Farinelli
.
(http://cartamaior.com.br/?/Editoria/Internacional/Holanda-um-cinico-paraiso-fiscal-/6/35439)
.
.
Não por Mera Coincidência, os Filhos Sem-Nome do Roberto Marinho
.
abriram Empresas Off-Shore, de Fachada, em Nome de Sócios-Laranjas,
.
com endereços em Caixas Postais, como a GLOBO OVERSEAS na Holanda.
.
(http://www.bloomberg.com/research/stocks/private/relationship.asp?personId=4804642)
.
(http://imgur.com/NNGNO3A)
(https://plus.google.com/109700291939804220828/about)
(http://www.gbrdirect.co.uk/AvailableProducts.aspx?code=33215456&country=NL&name=Globo%20Overseas%20Investments%20B.V.)
(http://pt.slideshare.net/VeraluciaPereiradaSilva/sonegacao-globo)
.
(http://www.viomundo.com.br/denuncias/representacao-a-rodrigo-janot-pede-apuracao-de-denuncias-contra-cbf-extensao-da-investigacao-a-fpf-e-a-offshore-da-globo.html)
.
(https://www.bourse.lu/Bourse/site.do?&urlStaticFile=%2FEN%2FPUB%2FBDL%2FListeEmetteur%2FListeEmet&so_timeout=0&report=Emetteurs_BdL&mode=loadFile&format=PDF&numObj=&crystal=new)
.
.

Responder

Deixe uma resposta