VIOMUNDO

Em manifesto, 857 feministas: “Avanços precisam continuar”

26 de setembro de 2014 às 00h03

Alipio Freire defende fortalecer a presidenta Dilma Rousseff e aprofundar a democracia.  Foto: Marcelo Camargo/ABr

Matéria atualizada em 1 de setembro, às 13h51, para acrescentar o apoio de mais 123 feministas à reeleição de Dilma

Nova atualização em 3 outubro, às 21h42, para incluir mais 125 apoios

por Conceição Lemes

Semana passada, Luana Tolentino, aflita, mandou um torpedo: “O que acha de as feministas fazerem um manifesto de apoio à reeleição de Dilma?”.

Em seguida, outro: “A gente tem de lutar pra que os avanços na vida de milhões de brasileiros e brasileiras, iniciados com Lula, continuem!”.

No terceiro, ela mesma já havia decidido encarar o desafio: “Avançar mais é preciso!”

Os leitores do Viomundo já conhecem Luana, através de vários seus que publicamos, como este e este.

Luana já foi empregada doméstica. Certa vez a patroa deixou-lhe apenas pão mofado para o café. Mas ela batalhou e virou o jogo. 

Hoje Luana é professora, historiadora, ativista dos movimentos Negro e Feminista. 

Luana enviou um e-mail para cerca de 40 feministas no intuito de que, juntas, construíssem o documento.  De início, apenas três responderam positivamente: Ana Pimentel, Maria Katiana e Tica Moreno.

“O texto do documento foi elaborado de maneira coletiva, a muitas mãos (risos). Em alusão ao número do PT, escolhemos 13 ações/programas da gestão da Presidenta que merecem destaque, principalmente no que se refere à conquista de direitos e à autonomia feminina”, conta Luana.

Em seguida, as quatro partiram para a coleta de assinaturas: “Inicialmente, pensei em 50. Ana, mais ousada, retrucou: ‘Acho que deveríamos ter 100 assinaturas’. Ao final, chegamos a 857 nomes!”

Assinam a carta mulheres de várias regiões do Brasil, dos mais diversos setores, ocupações e idades, como: Regina Silvado (dona de casa e bordadeira), Eleonora Menicucci (ministra da Secretaria de Políticas para Mulheres), Laina Crisóstono (Rede Ecumênica de Juventude e da Aliança de Batistas do Brasil) e Tânia Lima (Yalorixá da Bahia).

Também: Selma Vital (professora da Yale University), Maria Katiana (Assentamento Rural Arizona, no interior do Rio Grande do Norte), Mariana Moreira (ativista do Movimento LGBT), Francy Silva (doutoranda e ativista do movimento negro),  Margareth Rago (professora de História da Unicamp), Telia Negrão (jornalista, Coletivo  Feminino Plural de Porto Alegre) e Fátima Oliveira (médica e escritora).

“Minha maior alegria foi ter conseguido, com a ajuda de todas, reunir tantas mulheres com o mesmo objetivo”, diz. “Uma vitória do trabalho e do esforço coletivo.”

A seguir, o manifesto.

FEMINISTAS APOIAM DILMA

Historicamente, o Feminismo, enquanto movimento social, político e intelectual, tem exercido um papel importante na luta pela emancipação feminina, e consequentemente, na construção de uma sociedade mais justa e democrática.

Muitas das conquistas sociais e políticas que desfrutamos hoje são resultado também da atuação de diferentes gerações de mulheres que, organizadas em movimentos ou de forma solitária, denunciaram as diversas formas de opressão que recaem sobre o sexo feminino, reivindicaram direitos e exigiram mudanças radicais na estrutura violenta, excludente, racista, machista, homofóbica e autoritária ainda presente na sociedade brasileira.

Seguindo os passos das que nos antecederam e de nossas contemporâneas, nós, mulheres feministas, de várias partes do Brasil e do exterior, de diversas etnias e segmentos, entendemos que não podemos nos eximir de participar ativamente do momento político atual.

Estamos certas de que a candidata Dilma Rousseff representa a melhor alternativa para a continuidade do ciclo de avanços e progressos que vive o país desde o ano de 2003. Por isso, através deste manifesto, expressamos o nosso apoio à sua reeleição à Presidência da República e os principais motivos que justificam o nosso apoio:

1) Apoiamos Dilma porque ela jamais desistiu de lutar por um país melhor, mesmo diante dos mais ferozes obstáculos: ditadura e machismo. Dilma, como todas nós, sonha com um país onde as pessoas tenham, no mínimo, igualdade de condições e de oportunidades para enfrentar as lutas diárias da vida;

2) Apoiamos Dilma pelo seu olhar privilegiado às mulheres brasileiras, através do fortalecimento da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres e do desenvolvimento de inúmeras ações voltadas para a garantia de autonomia social e econômica feminina. Pela sua ousadia no enfrentamento da violência sexual e doméstica, tendo como exemplo a criação do Projeto “Mulher, Viver sem Violência”, que integra serviços públicos de segurança, justiça, saúde, assistência social, acolhimento, abrigamento e orientação para trabalho, emprego e renda.

Destacamos ainda o fortalecimento da Lei Maria da Penha e dos vários instrumentos que facilitam as denúncias, como o “Disque 180” e o “Click 180”, aplicativo gratuito para celular  que mantém o anonimato da denunciante e garante que a mulher possa acessá-lo sem que o agressor perceba;

3) Apoiamos Dilma pelo seu compromisso com a superação do racismo no Brasil, através das ações da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial – SEPPIR. Temos como exemplo a sanção à Lei de Cotas, em 2012, que garante que 50% das vagas de universidades federais sejam destinadas à alunas e alunos afrodescendentes e oriundos de escolas públicas. Neste ano, de 2014, Dilma também sancionou a Lei 12.990/2014, que reserva 20% das vagas em concursos públicos para a população negra;

4) Apoiamos Dilma pelo seu compromisso público em lutar pela criminalização da homofobia e lesbofobia e pelas conquistas da população LGBTTT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros) como a instituição da política de saúde integral LGBTTT. Em seu governo, avançamos na luta contra as expressões de ódio e de intolerância e por um país onde possamos conviver harmonicamente com todas as pessoas, independentemente de gênero, raça, orientação sexual ou credo;

5) Apoiamos Dilma porque nos últimos quatro anos avançamos na estratégia de desenvolvimento econômico com inclusão social.

Destacamos que: enquanto nos países europeus as medidas de gestão da crise provocaram altos níveis de desemprego, no Brasil 5 milhões de novos postos formais de trabalho foram criados, houve o aumento real de salários e a inflação manteve-se sob controle; as concessões de energia elétrica foram renovadas com redução da tarifa, desonerando o contribuinte; os investimentos em infraestrutura foram ampliados, através da realização de obras hidrelétricas, ferroviárias, de portos e de aeroportos; a renovação das concessões de energia elétrica vieram junto à redução das tarifas; e, principalmente, com a descoberta do pré-sal, 75% de seus royalties serão destinados para a educação e 25% para as saúde. Esta é a força de uma presidenta que em seu governo demonstrou que o país está preparado para um novo ciclo de desenvolvimento econômico e social;

6) Apoiamos Dilma por seus esforços em aprofundar os programas sociais iniciados no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Acompanhamos de perto várias famílias beneficiadas pelo Bolsa Família. O Programa propicia autonomia econômica para milhares de mulheres, uma vez que 93% das beneficiadas são do sexo feminino. O Bolsa Família tem também papel crucial no combate à fome, que sempre foi um fantasma a assombrar a população brasileira. Órgãos da ONU destacaram que, desde a sua implantação, a taxa de desnutrição no Brasil caiu de 10,7% para menos de 5%, a pobreza no país foi reduzida de 24,3% para 8,4% e a pobreza extrema caiu de 14% para 3,5% nos últimos 12 anos. A fome deixou de ser um problema estrutural, e em breve será apenas uma lembrança remota;

7) Apoiamos Dilma pela sua bravura ao apoiar uma Emenda Constitucional em favor das trabalhadoras domésticas. De uma vez, trabalhou para tirar o trabalho doméstico de sua invisibilidade e garantiu mais direitos e segurança social para uma categoria de trabalhadoras composta majoritariamente por mulheres negras e com baixos rendimentos. A autonomia econômica das mulheres é política que tem que ser continuada e aprofundada, para que possamos garantir nossa renda, nosso sustento e nossa liberdade;

8) Apoiamos Dilma porque o “Mais Médicos” ampliou o atendimento médico a 50 milhões de brasileiras e brasileiros. Além disso, essa iniciativa também garantirá a abertura de mais 11 mil vagas nos cursos de medicina e formação de mais de 12 mil especialistas nos próximos anos, segundo as prioridades sanitárias do país. Trata-se do maior programa de provimento médico já elaborado no Brasil. Esta medida – que foi corajosamente implementada por este governo – é central para o fortalecimento do Sistema Único de Saúde.

9) Apoiamos Dilma em função da extensão de programas, como o PROUNI,  FIES e o PRONATEC, à população do campo. Hoje, muitas agricultoras e agricultores têm a oportunidade de cursar o ensino superior e se capacitar através de cursos técnicos, o que era praticamente impossível há algumas décadas;

10) Apoiamos Dilma porque hoje a agricultura familiar é reconhecida por alimentar o país e o ambiente rural é visto como lugar de vida e produção.

O Programa Nacional de Documentação das Trabalhadoras Rurais levou cidadania, identidade e voz a um milhão de mulheres no campo, que hoje têm carteira de identidade, o que garante que atualmente 70% dos títulos de terra estejam em nome das mulheres. Junto com o Programa de Fomento às Atividades Produtivas Rurais, as mulheres conquistaram maior autonomia e renda no campo, melhorando suas vidas e a de suas famílias.

11) Apoiamos Dilma porque pudemos ver o avanço da educação no país: pelo fortalecimento do Pro-infância, importante programa que repassa recursos aos municípios de todo país para construção de creches e aquisição de mobiliário e equipamentos para a educação infantil de qualidade; pela expansão dos Institutos e das Universidades Federais, que promove uma educação diferenciada da formação básica e tecnológica em lugares cujo acesso ao conhecimento era limitado; pela implantação de escolas federais nas pequenas cidades, que é, a olhos vistos, uma grande oportunidade de transformação para a comunidade envolvida, estimulando o desenvolvimento de toda a região; pela criação do Programa Ciência Sem Fronteiras, que permite a mobilidade de estudantes brasileiros para diversos países conveniados, oferecendo bolsas de estudos no exterior;.

12) Apoiamos Dilma pela sua coragem em instalar a Comissão Nacional da Verdade, a exemplo de diversos países sul-americanos. A presidenta, que resistiu bravamente à ditadura, deu um passo a frente em defesa da liberdade e do aprofundamento da democracia em nosso país;

13) Apoiamos Dilma porque, ao sancionar a “Lei da Profilaxia da Gravidez”,  os hospitais do SUS passaram a ser obrigados a prestar serviço multidisciplinar à mulher vítima de violência sexual, incluindo o uso da pílula do dia seguinte, que tem se mostrado eficaz na prevenção de morte materna ao evitar, ainda, abortos clandestinos.  O atendimento a vítimas inclui, também, o diagnóstico e tratamento de lesões e a realização de exames para detectar doenças sexualmente transmissíveis.

Apoiamos Dilma porque, em 2002, iniciamos a nossa caminhada na Presidência da República em busca de um Brasil radicalmente democrático. Desde então, nos dedicamos dia e noite para que o Brasil não seja mais um país de pessoas invisíveis e que se posicione frente às desigualdades sociais, políticas e econômicas.

Muito já caminhamos nesses últimos 12 anos, mas sabemos que precisamos caminhar ainda mais para construir, de fato, uma sociedade mais justa e igualitária para todas e todos que nela convivem. Para que este caminho não seja interrompido, seguiremos votando por mais mudanças e por mais futuros. Votamos, mais uma vez, Dilma Rousseff para Presidenta da República do Brasil!

Assinam: 

1. Luana Tolentino – CNPq – Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico

2. Ana Pimentel – Fundação Oswaldo Cruz

3. Tica Moreno –  Socióloga, Marcha Mundial de Mulheres

4. Ministra Eleonora Menicucci – Secretaria de Políticas para Mulheres/PR

5. Maria Otilia Bocchini – Professora, ECA – USP

6. Regina Silvado – Dona de casa, Bordadeira

7. Tatau Godinho – Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres/PR

8. Urivani Rodrigues de Carvalho- CCMN/Santos – Casa de Cultura da Mulher Negra de Santos – CCMN/Santos

9. Alzira Rufino – Presidenta da CCMN/Santos – Casa de Cultura da Mulher Negra de Santos

10. Constancia Lima Duarte – Professora, UFMG

11. Margarete Aparecida de Oliveira  NEIA – Núcleo de Estudos Interdisciplinares da Alteridade/UFMG

12. Rafaela Rodrigues — Mestre em Direito Constitucional, PUC-Rio

13. Schuma Shumaher – Pedagoga, Escritora

14. Talita São Thiago Tanscheit – Mestranda em Ciência Política, UERJ

15. Mariana Moreira – Ativista do Movimento LGBT

16. Janaína Leitte – Prefeitura Municipal de Sabará/MG

17. Sandra Caldeira – USP, Movimento pela Humanização do Parto e Nascimento

18. Cristina Soares – Prefeitura Municipal de Belo Horizonte/MG

19. Gláucia Fraccaro – Doutoranda em História Social, UNICAMP

20. Sueli Pinto Silva – Movimento Popular pela Moradia

21. Laile Ribeiro de Abreu – Grupo de Pesquisa Mulheres em Letras/UFMG

22. Alessandra Soares Muniz – Jornal Mulier

23. Cristiane Felipe Côrtes Professora – CEFET-MG

24. Thálita Motta – Artista-pesquisadora, performer

25. Etiene Martins – Jornalista, Revista Raça Brasil

26. Fátima Péres – Jornalista

27. Thaís Consuli – Estudante

28. Francy Silva – Doutoranda em Literatura, PUC-MG

29. Maria Katiana Barbosa da Silva – Assentamento Rural Arizona – São Miguel do Gostoso/RN

30. Mariana de Souza Novaes Gomes Teixeira – Professora, Université de Poitiers/França

31. Laina Crisóstono – Rede Ecumênica de Juventude e da Aliança de Batistas do Brasil

32. Solange Andreia Soares – Secretaria de Educação do Distrito Federal

33. Cláudia Gomes Pereira – Pesquisadora, UFOP

34. Patricia Rameiro – Mestranda, UFPA

35. Beatriz Fontes Jacinto – UFABC

36. Vanessa Prates – Mãe, Historiadora

37. Roberta Resende – Mestranda em Política Social, UFF

38. Alcilene Cavalcante – Professora, UFG

39. Thalita Rody – MMZMLM – Movimento de Mulheres da Zona da Mata e Leste de Minas Gerais

40. Débora Sampaio – Gestora de Recursos Humanos

41. Ceiça Ferreira – Pesquisadora de Cinema, UnB

42. Cyntia Mesquita Beltrão – Psicóloga

43. Queza Soares – Doutoranda, UFSC

44. Luana Simões Pinheiro – IPEA – Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas

45. Selma Vital - Yale University/EUA

46. Gabriela Rietjens Grapiglia – UFRGS

47. Nalu Faria — Sempreviva Organização Feminista, Marcha Mundial de Mulheres

48. Simone Soleira – Coordenadora de Infraestrutura

49. Gabriella Ramires de Souza – UNISO/Sorocaba

50. Laiz Perrut Marendino – UFJF

51. Arlene Ricoldi – Fundação Carlos Chagas

52. Elizabeth Ferreira – Funcionária Pública

53. Mary Zanandrea – Mãe, Funcionária Pública

54. Kamila Teixeira  – Doutoranda em Política Social, UFF

55. Clarice Maia Scotti – Designer Gráfica

56. Anete Rodrigues Anjos – Professora, Advogada

57. Kátia Mendes – Conselheira Tutelar da cidade de Campinas/SP

58. Ellen Machado Rodrigues – Médica Sanitarista

59. Fernanda Aguiar Cruz – Socióloga

60. Hígna Anthoanelle Souza – Estudante, UEMG

61. Nívia Maria Barbosa – Advogada

62. Poliana Oliveira – Historiadora, Advogada

63. Lia Padilha Fonseca – Ministério da Saúde

64. Rosemery Gomes – Militante de Economia Solidaria

65. Bárbara Eliodora – Marcha Mundial das Mulheres

66. Daiana Costa Silva Falcão  – Secretaria Estadual de Educação de São Paulo

67. Marcia Rangel Candido  – Coletivo Rosa dos Ventos

68. Priscila Borges – Estudante de Teatro, UNIRIO

69. Paola Bettamio – Advogada

70. Rayssa Rosa Quadra – Estudante, UFV

71. Amanda Mendonça – Doutoranda em Educação, UFF

72. Cláudia Gomes Dias Costa Pereira – Professora

73. Maria Aparecida Abreu – Professora, UFRJ

74. Marcela Batista – Produtora de áudio visual

75. Mariana Nô Xavier – UESC – Universidade Estadual de Santa Catarina

76. Lidiane Freyre – Militante de Economia Solidaria

77. Suzane Bastos Cruz – Estudante, UESC

78. Rosemery Gomes – Militante de Economia Solidária

79. Aline Souza da Conceição –  Estudante, UNEB

80. Jana Leal – Marcha Mundial de Mulheres

81. Tatiana Oliveira – Doutoranda em Ciência Política, UERJ

82. Carolina Basílio Santos – Estudante, UEMG

83. Karine Belarmino – Mestranda em Ciência Política, UERJ

84. Jessika Martins Ribeiro – Graduanda em Ciências Sociais, UFRRJ

85. Norma Pinheiro Andre – Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro

86. Carla Bezerra – Secretaria Nacional de Juventude

87. Viviane Carvalho Lopes – Estudante, UESC

88. Ana Carolina Radd – Mestranda, UFF

89. Laiz Perrut Marendino – Coordenadora do Diretório Central dos Estudantes, UFJF

90. Jordanna Castelo Branco – Mestre em Educação, UFRJ

91. Kamila Teixeira – UFF

92. Francielle Ferreira Silva – Estudante, UESC

93. Liliane Oliveira – Marcha Mundial das Mulheres

94. Fabiola – Assessora Parlamentar

95. Júlia Severiano de Sousa – Estudante, UFV

96. Carina Scaldini – Jornalista

97. Karen Belarmino – UFRJ

98. Renata Carvalho Silva – Economista

99. Wanessa Aparecida Lopes da Silva – UFV

100. Bianca Lessa – Assistente Social, Juizado de Violência Contra a Mulher de São Gonçalo/RJ

101. Adrielle Saldanha – Conselheira Nacional de Juventude

102. Clarisse Paradis – NEPEM – Núcleo de Estudos e Pesquisas da Mulher/ UFMG

103. Viviane Victor Afonso – Assistente Social, UFF

104. Alana Moraes, Antropóloga, Sorbonne Nouvelle (Paris 3)

105. Cássia Gonçalves de Souza – Socióloga

106. Ingrid Figueirêdo – Estudante de Direito, UFRJ

107. Mariana Lima –  Estudante de Teatro, UNIRIO

108. Marcella Barcellos – Estudante de Pedagogia, UFF

109. Teresa Chaves – Estudante, UFV

110. Laysla Silva Araújo Dias – UFMG

111. Roseli Conceição da Silva – UNIME

112. Natália Leão – Socióloga, UFMG

113. Railsa Conceição da Silva – Estudante, UESC

114. Alana Crisse de Almeida Costa – UNIME

115. Sônia Tamara Nery Guimarães –UESC

116. Marina Cardoso de Melo – UFV

117. Jamile Paiva de Castro – Professora

118.  Vércia Gonçalves Conceição – Cantora, Professora

119. Rita de Cássia Freire os Santos – Professora

120. Juliana Marques Lima – Psicopedagoga

121. Verbênia Almeida dos Santos – Filósofa, Professora

122. Bruna de Araújo Cunha – Professora

123. Flávia Gomes Costa – Professora

124. Lucivânia Nascimento dos Santos – Professora

125. Júlia Fitaroni Moreira Dias – Estudante, UFV

126. Musa Ramalho Oliveira – Estudante, UESC

127. Tamiles Silva de Oliveira – Estudante, UESC

128. Mirelle Ernestina de Melo Figueiredo – Estudante, UESC

129. Natalice Ferreira dos Santos – Estudante, UESC

130. Iasmin de Carvalho Melo – Faculdade Madre Thais

131. Cinthia Nunes Silva –  Professora, Esteticista

132. Dalva Maria Soares – Professora

133. Cláudia Gomes Dias Costa Pereira – Professora

134. Clícia Nunes Silva- Cabeleireira

135. Rayane de Oliveira Nobre – Estudante, UFV

136. Nahendi  Almeida  Mota – Estudante, UESC

137. Alecilda Alves Oliveira – UFU

138. Marina de Paulo – UFV

139. Amara Sampaio de Oliveira – UESC

140. Laylla Sousa Rodrigues- Professora

141. Cíntia Fortaleza – Economista

142. Cinthia Maritza dos Santos Ferraz Machado – Professora

143. Iara Pelegrini – Psicopedagoga

144. Héllade Xavier Guimarães – Economista

145. Maria José Xavier Guimarães – Professora

146. Cristina Marinho Guimarães – Professora

147. Cláudia Marinho Guimarães – Comerciante

148. Cristiane Marinho Guimarães – Professora

149. Gabriela Anjos Alves – Operária

150. Karine Marinho Guimarães – Cozinheira

151. Carolina Anunciação  – Bióloga, Sanitarista

152. Inês de Carvalho César Coutinho – Dona de Casa

153. Mariana Fernanda Nogueira Duarte Daniel – Advogada

154. Ivanir Fátima Costa – Secretaria Estadual de Educação de Minas Gerais

155. Julia de Oliveira Bastos – Marcha Mundial de Mulheres

156. Isadora Rabelo Nunes – Marcha Mundial de Mulheres

156. Fernanda Castillo – Jornalista

157. Fernanda Goulart Lamarão – UFRJ

158. Greace Kelly Souza de Oliveira – Professora

159. Fernanda Ribeiro de Oliveira – Auxiliar de Cartório

160. Daniela Valverde – Bancária

161. Emanuelli Carvalho dos Santos – Partido dos Trabalhadores

162.  Ana Teresa Iamarino – Mãe, Cientista Social

163. Ires Brito – UNEB

164. Morgana Ingles – Engenheira Química

165. Patricia Domingues – UNICAMP

166. Ananda Lima Hassan – Vendedora

167. Regina Crisóstono – Enfermeira

168. Larissa Andreghetti dos Santos – Agricultora, Pastoral da Juventude de Foz do Iguaçu/PR

169. Nadine Borges -- Presidente da Comissão da Verdade/Rio de Janeiro

170. Mariana Bertol Leal – USP

171. Ana Silveira – UFRJ

172. Luciane Quintanilha Falcão – UFRJ

173. Marizete Rente Lage – Assistente Social da Fundação Leão XIII

174. Georgia Maria Lage Campos – Assistente Social

175. Margareth Alves Dallaruvera - Presidenta Saserj/ Conselheira Nacional CNAS

176. Marlene Alencar – Assistente Social da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro

177. Mariana Borges Martins da Silva – Northwestern University

178. Angela Santi – UFRJ

179. Lidiane Freire – Coordenação Nacional de Economia Solidária, Rede Xique Xique

180. Sandra Regina Freire Pequeno – Coletivo de Mulheres PT/RN, Fórum Potiguar de Economia Solidária

181. Liliane Oliveira – UFBA – Universidade Federal de Bahia

182. Joanna Paroli – PT/BA

183. Léa Marques – Assessoria CUT

184. Rosane Silva – Secretaria Nacional da Mulher Trabalhadora/CUT

185. Martha Kiss Perrone – Atriz

186. Táli Pires de Almeida – Assessoria CUT

187. Roberta Martins, UFSC

188. Clarissa Cunha – Vice-Presidenta do PT/RJ

189. Vanusa Maria de Melo – Projeto “Do cárcere à Universidade” (UERJ)

190. Estela Willeman – Faculdades Duque Caxias

191. Célia Alves Passos – Sindicatos dos Químicos de São Paulo

192. Elisabete Maria da Silva – Sindicatos dos Químicos de São Paulo

193. Marilane Oliveira Teixeira – UNICAMP

194. Elaine Blefari – Sindicatos dos Químicos de São Paulo

195. Alessandra Rodrigues Cruz – Sindicatos dos Químicos de São Paulo

196. Aparecida Pedro – Sindicatos dos Químicos de São Paulo

197. Maria Aparecida do Carmo – Secretaria de Políticas Sociais da Confederação do Ramo Químico

198.  Lucineide Varjão Soares – Presidenta da Confederação Nacional do Ramo Químico

199. Rosemeire Gomes de Brito - Sindicatos dos Químicos de São Paulo

200. Jaqueline Souza da Silva – Sindicatos dos Químicos de São Paulo

201. Rosana Fernandes – Direção Executiva da CUT

202. Patricia Rodrigues – Socióloga – USP, Militante da Marcha Mundial das Mulheres

203. Deise Recoaro – Secretaria de Mulheres da Contraf/CUT

204. Dilma Gomes da Silva – Secretária da Mulher Trabalhadora da CUT/MS

205. Ivanilda Figueiredo –  Professora Universitária

206. Adriana Mota – Socióloga

207.  Ivanila – PUC-Minas

208. Gisele Cittadino - PUC-Rio

209. Rosane M. Reis Lavigne – Defensora Pública/RJ.

210. Luanna Tomaz de Souza – Professora da UFPA, Presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB-PA

211. Claudia Bonan – IFF/Fiocruz

212. Caroline Bernardo – Marcha Mundial das Mulheres

213. Georgia Bello – Advogada, Militante dos Direitos Humanos das Mulheres

214. Ranúsia dos Santos – Socióloga

215. Milene Veloso – Professora, UFPA

216. Eunice Guedes – Professora, UFPA

217. Milene – Professora, Psicologia.

218. Luanna Tomas – Estudante de Direito, UFPA

219. Ana Lúcia Silva – Psicóloga, Pesquisadora da UFRJ

220. Cecília Maria Bacellar Sardenberg – Antropóloga, Professora da UFBA

221. Jacy Curado – Professora, Psicóloga

222. Ana Laura Becker Aguiar – Analista Técnica de Políticas Sociais do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

223. Tássia Rabelo – Membro do Diretório Nacional do PT, doutoranda em Ciência Política IESP-UERJ

224. Amanda Paiva Quaresma – Engenheira Florestal, Militante do Levante Popular da Juventude

225. Flavia Azevedo – Jornalista

226. Ana Laura Becker Aguiar – Analista Técnica de Políticas Sociais

227. Pâmella Nowaski Lugon – Faculdade de Medicina, UFRJ

228. Cecília Teixeira Soares – Psicóloga, Pesquisadora em Gênero e Violências

229. Lidiane Ferreira Gonçalves – Consultora em Políticas de Saúde da Mulher e Direitos Sexuais e Reprodutivos

230. Flávia Azevedo -- Jornalista

231. Irina Karla Bacc – Lésbica, UnB

232. Marli Melo do Nascimento  – Secretaria de Mulheres – CNM/CUT

233. Deise Recoaro – Secretaria de Mulheres da Contraf/CUT

234. Luzenira Linhares Alves – Presidenta do Sinttel-PB;

235. Raimunda Audinete Araujo – Secretária de Formação da Fittel – Federação Interestadual dos Trabalhadores em Telecomunicações

236. Maria Goreth Leal Cabral – Filiada e Militante do PT/João Pessoa

237. Marília Pereira Maia – Filiada e Militante do PT/PB

238. Sonia Lacerda

239. Marlise Matos – Coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre a Mulher (NEPEM) da UFMG

240. Mirelly Cardoso – Diretora Executiva União Nacional dos Estudantes (UNE)

241. Lays Gonçaves – Diretora de Mulheres da União Nacional dos Estudantes (UNE)

242. Tânia Gerbi Veiga – Coletivo de Mulheres de São Paulo.

243. Maria Ozaneide de Paulo – Secretária de Mulheres da Cut/Ceará

244. Marta Vanelli  – CNTE/SC – Conselho Nacional dos Trabalhadores em Educação de Santa Catarina

245. Fátima Aparecida da Silva – CNTE/MS – Conselho Nacional dos Trabalhadores em Educação do Mato Grosso do Sul

246. Selene Michelin – CNTE/MS – Conselho Nacional dos Trabalhadores em Educação do Mato Grosso do Sul

247. Marilda de Abreu Araújo  – CNTE/MG – Conselho Nacional dos Trabalhadores em Educação DE Minas Gerais

248. Ísis Tavares Neves  – CNTE/AM Conselho Nacional dos Trabalhadores em Educação do Amazonas

249. Maria Antonieta da Trindade – CNTE/PE Conselho Nacional dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco

250. Iêda Leal de Souza – CNTE/GO – Conselho Nacional dos Trabalhadores em Educação de Goiás

251. Berenice Jacinto D’Arc  – CNTE/DF – Conselho Nacional de Educação do Estado de Goiás

252. Candida Beatriz Rossetto – CNTE/RS – Conselho Nacional de Educação do Rio Grande do Sul

253. Claudir Mata Magalhães – CNTE/RO – Conselho Nacional de Educação de Rondônia

254. Rosana Sousa Nascimento – CNTE/AC – Conselho Nacional de Educação do Acre

255. Lirani Maria Franco – CNTE/PR – Conselho Nacional de Educação do Paraná

256. Maria Madalena Alexandre Alcântara – CNTE/ES – Conselho Nacional de Educação do Espírito Santo

257. Paulina Pereira Silva de Almeida – CNTE/PI – Conselho Nacional de Educação do Piauí

258. Veroni Salete Del’Rei – CNTE/PR – Conselho Nacional de Educação do Paraná

259. Maria da Penha Araújo – CNTE/PB – Conselho Nacional de Educação da Paraíba

260. Francisca Pereira da Rocha Seixas  – CNTE/SP – Conselho Nacional de Educação de São Paulo

261. Marilene dos Santos Betros –  CNTE/BA – Conselho Nacional de Educação da Bahia

262. Beatriz da Silva Cerqueira  – CNTE/MG – Conselho Nacional de Educação de Minas Gerais

263. Rosilene Correa Lima – CNTE/DF – Conselho Nacional de Educação do Distrito Federal

264. Suzane Barros Acosta – CNTE/RS – Conselho Nacional de Educação do Rio Grande do Sul

265. Ana Cristina Fonseca Guilherme da Silva – CNTE/CE – Conselho Nacional de Educação do Ceará

266. Antonia Benedita Pereira Costa – CNTE/MA – Conselho Nacional de Educação do Maranhão

267. Rosimar do Prado Carvalho  – CNTE/MG – Conselho Nacional de Educação DE Minas Gerais

268. Claudia Ferreira – CACES  – Centro de Atividades Culturais, Econômicas e Sociais

269. Mäe Nalva de Oxum, ACIYOMI/PA – Associação Afro- religiosa e Cultural Ilê Iyaba Omi do Pará

270. Juliana Miranda  – Advogada

271. Rithianne Barbosa – Secretária do Núcleo de Mulheres da União Estadual de Estudantes Secundaristas do Rio de Janeiro

272. Tânia Sena – Enfermeira, Professora

273. Priscila Kelly de Alencar – Secretária Estadual da Juventude do PT da Paraíba

274. Ludmila Queiroz – Secretária Estadual de Combate ao Racismo do Rio de Janeiro

275. Elizangela Pinto – Movimento de Mulheres do Nordeste Paraense.

276. Renata Nonato – Militante do Movimento Fora da Ordem

277. Ana Fialho – Servidora Pública

278. Maira Daniel – Professora de Sociologia

279. Anne Karolyne – Executiva Nacional do PT

280. Ara Brasil – Secretaria Estadual da Juventude do PT da Bahia

281. Adriana Ramos – IBMEC Rio de Janeiro

282. Danielle Ferreira – Executiva da União Nacional dos Estudantes

283. Regina Miki – Advogada

284. Bruna Brezolim – Secretária Estadual da Juventude do PT/SC

285. Telassim Lewandowski – Secretária Estadual das Mulheres do PT/RS

286. Roberta Fontana – Socióloga

287. Kakau – Executiva Nacional da Juventude do PT

288. Fátima Lima – Antropóloga, UFRJ

289. Júlia Borges – Levante Popular da Juventude

290. Cristiane Cabral – USP

291. Michelle Morais de Sá e Silva – Doutora em Educação Comparada Internacional

292. Eleandra Koch – Cientista Social, Servidora Pública Federal

293. Claudia Prates  – Marcha Mundial das Mulheres

294. Janaina Oliveira – Secretária Nacional LGBT do PT

295. Luna Martins  – Historiadora, Funcionária Pública

296. Conceição Aparecida Pereira Rezende – Setorial Nacional de Saúde

297. Andréia Uliana Teodoro – Assistente social

298. Danielle Brigida – Coletivo Nacional LGBT

299. Bel Sá – Coletivo Nacional LGBT

300. Mitchelle Meira – Coletivo Nacional LGBT

301. Natalia Cindra – Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia, UFRJ

302. Antonia Pereira Martins – Pedagoga

303. Alda Maria Valende – Psicóloga

304. Mariana Kreimer Melucci – Advogada

305. Denise Arcoverde – Grupo Origem

306. Ana Cleide – Psicóloga, Professora da UFPA

307. Marcia Nina Bernardes – PUC-Rio

308. Analine Specht – Marcha Mundial das Mulheres

309. Lorena Kellen Fernandes Sousa – Estudante de Enfermagem, UFES

310. Carolina Estevam – Artes Visuais, UFES

311. Paola Pelacani – COMJUV-ES

312. Lízia De Boni-  ENEGRECER

313. Rita de Boni – Marcha Mundial das Mulheres

314. Catarina Tose Fermo – Kizomba

315. Lais Lima Resende – Kizomba

316. Samira de Souza Sanches – Marcha Mundial das Mulheres

317. Rosalina Amorim – Sindicato dos Bancários e Bancárias do Pará

318. Odinea Gonçalves – Sindicato dos Bancários e Bancárias do Pará

319. Erica Fabíola – Sindicato dos Bancários e Bancárias do Pará

320. Tatiana Oliveira – Sindicato dos Bancários e Bancárias do Pará

321. Lorena Abrahão – Sindicato dos Bancários e Bancárias do Pará

322. Raimunda Barreto – Secretaria Estadual de Mulheres CUT/PA

323. Amanda Teixeira –  1° Diretora de Movimentos Sociais da UNE

324. Larissa Passos – 1° Diretora LGBT da UNE

325. Rose Nascimento – Diretora de Mulheres da UBES

326. Aline Kelly Lopes da Silva – Juventude Petista

327. Bruna Rocha – Estudante, UFBA

328. Isis Garcia Marques – CUT/RS

329. Carla Viviane Paulino- Professora de História no Colégio Suíço Brasileiro de Curitiba

330. Larissa Gould de Assis – Jornalista

331. Maria José Favarão – Professora, Vereadora de Osasco/SP

332. Rose Janeri – Professora, Núcleo Educação e Movimento

333. Débora Dias  - Professora, Núcleo Educação e Movimento

334. Sueli Peixinho – Coordenadora do Núcleo Educação e Movimento

335. Sônia Sueli – Professora

336. Tatiana de Souza – Manicure

337. Viviane Macedo – Publicitária

338. Raquel de Paula Santos – Associação dos Moradores do Rochdalle – Osasco/SP

339. Deise Cristina da Rocha – Mãe, Recepcionista

340. Bruna Souza – Coletivo O Estopim

341. Silvinha Forato – Coletivo O Estopim

342. Lourdes Simões – Macro PT/Campinas

343. Clareana Cunha – Coletivo O Estopim/Conjuve

344. Marta Rodrigues  – Secretária Estadual de Mulheres do PT/BA

345. Maria del Carmen Puga – Deputada Estadual/BA

346. Tânia Maria Nogueira Santos  – Secretaria de Mulheres do PT/BA

347. Sandra Gama  – Coordenação Estadual  – EDP

348. Deise Oliveira  – Coordenadora da Casa Abrigo – BA

349. Ana Vilas Boas  – Secretaria de Mulheres do PT/BA

350. Ana Uchôa  – Associação de Mulheres com Transtornos Mentais – Papo de Mulher

351. Vânia Ribeiro Gomes – CUT/BA

352. Antonisa Vale – CMP

353. Marli Carrara – União de Luta por Moradia

354. Rita Rodrigues da Silva – Secretaria de Mulheres do PT /BA

355. Fátima Rita Freire – Secretaria de Mulheres do PT/BA

356. Neuza Santos - Secretaria de Mulheres do PT/BA

357. Delian Gomes  – Secretaria de Mulheres do PT/ BA

358. Liliane Fonseca  – Secretaria de Mulheres do PT/BA

359. Amanda Nogueira Santos da Cunha – Marcha Mundial de Mulheres

360. Analice Nogueira Santos Cunha

361.  Nogueira Santos Cunha  – Diretório Central de Estudantes UFS

362. Elizângela Alcântara – Movimento de Mulheres da Ilha de Vera Cruz/BA

363. Jucélia Nogueira  – Sindicato de Trabalhadores Rurais Laje/BA

364. Nádia Silva de Deus  – Sindicato de Agentes Comunitários de Saúde

365. Maria da Luz -Coordenadora do Centro de Referência para Mulheres de Santo Amaro/BA

366. Gabriela Santos – Coordenadora do Curso de Direito da UNEB/ Jacobina

367. Uiara Araújo  – Marcha Mundial de Mulheres

368. Nathália Melo Freitas – Marcha Mundial de Mulheres

369. Katússia Almeida – Marcha Mundial de Mulheres

370. Elza Costa Pinto – Associação de Mulheres de Castelo Branco/BA

371. Tânia Lima  – Yalorixá

372. Sandra Tavares Santos Simões – ssociação de Mulheres da Boca do Rio/BA

373. Luciana Ferreira

374.  Suzane Bastos Cruz - UESC

375. Márcia Eulaine Lima Novaes

376.  Pereira Lima Novais

378. Amenaide Lima Novais

379. Antonia Juliane Novais Maciel

380. Itamara Jesus dos Santos

381. Andréia Santos Fernandes

382. Priscila Silva de Figueiredo – Coletivo Feminista Laudelina de Campos Melo

383. Mariele Marinho

384. Fátima Cristina Santos Oliveira

385. Adriana Santos Nascimento

386. Neide de Araújo Silva

387. Yasmin Araújo Ribeiro Nascimento

388. Janice Monteiro de Jesus

389. Nádia Pereira Barroso Almeida

400. Helena Vidal de Almeida

401. Edineia dos Santos

402. Maria de Fátima Santos Góes

403. Jacidalva Anunciação Góes

404. Josemaire Anunciação Góes de Ataide

405. Gabiela Barros Pinto - Coletivo Feminista Laudelina de Campos Melo

406. Valéria Soares Martins – Coletivo Feminista Laudelina de Campos Melo

407. Suy Barros

408. Sintia Ferreira

409. Solange Farias – CUT/BA

410. Jouse Cruz

411. Mab Caroline

412. Elaine Araújo

413. Renata Virgens

413. Edjane Alcântara

414. Maria Lúcia Santos Pereira  – Movimento de População em Situação de Rua

415. Sandla Barros

416. Carmen Maria Oliveira – Associação de Mulheres Amigas de Cruz das Almas/BA

417. Rafaela Fonseca

418. Verônica Silva Santos

419. Vera Carvalho – Secretária Estadual de Mulheres da CUT/BA

420. Núbia Santana de Jesus – Sindicato de Trabalhadores Rurais de Laje/BA

421. Fernanda Amaral – Marcha Mundial de Mulheres

422. Eleonora Mascia

423. Iara Magalhães

424. Janice Pereira Pascoal – Marcha Mundial de Mulheres

425. Sônia Lima - Marcha Mundial de Mulheres

426. Elisa Macedo Lessa

427. Igna Lucila Rocha

428. Zilda Pereira – Yalorixá

429. Priscila Aguiar

430. Rosane Santos

431. Elisa Galo

432. Maria do Carmo Guimarães

433. Mayara Silva

434. Elisângela Gomes – Marcha Mundial de Mulheres

435. Fabiana Paranaguá – Marcha Mundial de Mulheres

436. Aparecida Borges

437. Raisa Pinto

438. Maiara Melo

439. Osmira Bahdra

440. Letícia Soares Azevedo

441. Luciana Ferreira

442. Isabel Dielle Pio

443. Morena Carvalho

444. Salma Gonçalves

445. Ana Carolina Lima

446. Ana Clara Lima

447. Yohnara Rocha Prefeita de Ourolândia – BA

448. Ildene de Souza Santos

449. Islane Almeida

450. Tereza Nolasco

451. Aline Andrade Pinto

452. Telma Carvalho

453. Lícia Maria – Cooperativa de Mulheres de Paripe/BA

454. Railda Matos

455. Girlene Almeida – Associação de Mulheres com Transtornos Mentais – Papo de Mulher

456. Ivone Nogueira

457. Zildete Oliveira – Marcha Mundial de Mulheres

458. Jailde Nascimento Souza

459. Milena Lima

460. Tânia Lessa

461. Juçara Carneiro Lima

462.  Patrícia Rodrigues

463. Poliana Falcão Ribeiro

464. Lígia Falcão Robeiro

465. Elza Sena Borges

466. Jamile de Jesus Cardoso

467. Cleide Ferreira

468. Cellma Oliver

469. Cirlene Santana – CMP

470. Telma Azevedo

471. Alzineide dos Santos

472. Corcina Alves dos Santos

473. Márcia Darze

474. Thayane Souza – Associação de Moradores de Jardim Mangabeira

475. Cristina Vasquez

476. Fátima Vieira

477. Sara de Moura Pontes

478. Jaqueline Oliveira Lopes Pereira

479. Milena Falcão

480. Mayra Dias

481. Geisa Fradique – Marcha Mundial de Mulheres

482. Adriana Melo

483. Raimunda Silva de Melo

484. Marisabel Mello – Pedagoga

485. Conceição Dantas – Marcha Mundial das Mulheres

486. Rejane Medeiros- Centro Feminista 8 de Março – Mossoró/RN

487. Claudia Lopes - PT/RN

488. Tereza Freire- Bandeira Lilás

489. Isolda Dantas – Secretaria de Cultura Mossoró

490. Adriana Vieira – Batucada Feminista

491. Lidiane Samara — presidente- DCE/UERN

492. Andrea Barbour

493. Aline Almeida Feitosa – UESC

494. Nilda Rosa dos Santos – Administradora

493. Millena Taísa Silva dos Reis - Estudante e Professora de Espanhol

494. Carolina Peterli – Estudante de Relações Internacionais, PUC-Rio

495. Maria Fernanda Marcelino – Marcha Mundial das Mulheres

496. Sonia Coelho – SOF – Sempreviva Organização Feminista, Marcha Mundial das Mulheres

497. Laís Costa - Marcha Mundial das Mulheres

498. Miriam Nobre – Marcha Mundial das Mulheres

499. Regina Orsi – Historiadora

500. Claudiamari dos Santos – Marcha Mundial das Mulheres

501. Professora Josete – Professora da Rede Municipal de ensino Curitiba/Marcha Mundial das Mulheres

502. Professora Marlei – Professora da Rede Estadual de Ensino do Paraná/Marcha Mundial das Mulheres Paraná

503. Bruna Oliveira – Economia Solidária Economia Feminista/PR

504. Raylane - Presidenta CONJUVE/DF

505. Luciana de Melo Guedes

506. Stella Bruna -  Advogada

507. Andréia Pereira – Administradora

508. Bianca Santana – Jornalista, Casa de Lua Organização Feminista

509. Yasmin Ferraz – Secretaria de Formação da JPT/BA

510. Neusa Cadore – Deputada Estadual/BA

511. Nega Evangelista – Conselho Estadual de Políticas para as Mulheres da Bahia

512. Ila Barauna – Advogada

513. Anisia Marques – Coletivo Enegrecer

514. Luana Soares – CONEN – Coordenação Nacional das Entidades Negras

515. Maria Santana – Movimento de Humanização do Parto e Nascimento

516. Rebeca Benevides – Fórum Baiano LGBT

517. Jeane dos Anjos – Coletivo Kiu!

518. Lorena Pacheco – DCE/UFBA

519. Ara Brasil – Secretária da Juventude do PT

520. Danielle Ferreira – 3ª Vice-Presidenta da UNE

521. Beth – MST – Movimento dos Trabalhadores Sem Terra

522. Mãe Jaciara – CEN – Coletivo de Entidades Negras

523. Rafaela Correia – 1ª Secretária da ABES

524. Vera Lúcia Barbosa – Secretária de Políticas para Mulheres do Estado da Bahia

525. Luana “Cigarra” Malheiro – Frente Estadual de Drogas e Direitos Humanos

526. Fernanda Silva - Prefeita de Uruçuca/BA

527. Marcela Regina Ribeiro dos Santos.  Diretora de Combate ao Racismo da UNE e Secretária de Formação do Coletivo Nacional de Juventude Negra ENEGRECER.

528. Louise Caroline Lima e Silva – Cientista Política, Professora (ASCES/PE)

529. Elba Ravane Alves Amorim – Advogada, Professora (FMN/PE)

530. Katherine Lages – Jurista, Professora (ASCES/PE)

531. Eneida Guimarães dos  Santos – Mestre em Sociologia,

532. Ana Laura Lobato – Antropóloga.

533. Bárbara Sordi – Mestranda em Psicologia, UFPA

534. Flavia Timm, Psicóloga

535. Júlia Lanz Monteiro – Estudante de Jornalismo, Militante da Juventude do PT/RS

536. Nazaré Cruz, Estudante de História, CONEN/PA – Conselho Nacional das Entidades Negras

537. Adriana Elisa Macedo. Psicóloga, Conselheira do Conselho Regional de Psicologia

538. Katia Souto – União Brasileira de Mulheres

539. Bruna Santo Silveira , Médica, Casa de Lua

540. Natália Doria – Diretora de Mulheres da União Estadual dos Estudantes Livre/RS

541. Bruna Almeida – Kizomba/RS

542. Ana Julia Bonzanini Bernardi – Centro de Estudos Internacionais sobre o Governos

543. Joice Regina Braun Alvarenga – Secretária Geral do Diretório Acadêmico de Direito Universidade Feevale.

544. Paola Loureiro Carvalho – Coordenadora Executiva do Programa Rio Grande do Sul Mais Igual

545. Fernanda Willers – Marcha Mundial das Mulheres

546. Isadora Dias Vargas – PUC- RS

547. Sirlanda Selau, Advogada, Marcha Mundial das mulheres

548. Marieli Bottega de Moura- presidente do DCE UNIJUI

549. Evelise Gonçalves Sousa – Marcha Mundial das Mulheres

550. Potira Webber Goncalves – Kizomba

551. Paula Cervelin Grassi – Marcha Mundial das Mulheres

552. Carina Portal de Oliveira - UFRGS

553. Cláudia Castanho Dutra – Advogada

554. Ediana Khron – Kizomba

555. Ariely de Castro Silva- Assistente Social, Marcha Mundial das Mulheres

556. Cynara Baum – Jornalista

557. Sylvia Severo –Marcha Mundial das Mulheres, Ativista de Diretos Humanos

558. Luna Martins – Professora, Marcha Mundial das Mulheres

559. Manoela Sfalcin – Pedagoga

560. Valda Patrícia Neves de Souza da Silva – Marcha Mundial das Mulheres

561. Vanessa Gil – Professora de Sociologia

562. Tamires de Oliveira Garcia – Movimento Estudantil da PUCRS e Pesquisadora INCT-InEAC e FUNDEP

563. Maria do Carmo Duarte de Bittencourt – Fórum Estadual de Direitos das Mulheres do Rio Grande do Sul

564. Lana Falk – Analista de Políticas Públicas

565. Laura Cavalheiro Brizola – Juventude do PT de Novo Hamburgo/ RS

566. Gabriela Piardi dos Santos – Advogada

567. Janaina Santos- Presidenta COMDIM-Esteio/RS

568. Cristina Pasqualetto Rodrigues – Jornalista

569. Raquel C. Pereira Duarte – Advogada

570. Telia Negrão – Jornalista, Coletivo Feminino Plural de Porto Alegre

571. Thays Carolyna Pires Mazzini Bordini – PUC-RS

572. Dielly Morgana Lopes – Marcha Mundial de Mulheres

573. Ana Cláudia Pinheiro Oliveira – Marcha Mundial de Mulheres

574. Eliane Silveira – Jornalista

575. Isabelle Azevedo Ferreira – Jornalista/ Marcha Mundial das Mulheres

576. Lizia De Boni- Coletivo Nacional de Juventude Negra- Enegrecer

577. Adelle Azevedo Ferreira – Secretária de Juventude do PT/ Fortaleza

578. Simone Schaffer- Marcha Mundial das Mulheres

579. Fernanda Bestetti de Vasconcellos – Socióloga, Pesquisadora em Segurança Pública, Administração da Justiça Penal e Conflitos de Gênero

580. Beth Cardoso – Agrônoma, Mulheres da Articulação Nacional de Agroecologia

581. Vanessa Schottz – Nutricionista – UFRRJ, Mulheres da Articulação Nacional de Agroecologia

582. Dora Feital – Pedagoga, Centro de Tecnologias Alternativas da Zona da Mata

583. Liliam Telles – Engenheira Florestal, GT Gênero e Agroecologia

583. Priscila Ladeira – Licenciada em Educação Infantil

584. Anne Karolyne – Executiva Nacional do PT

585. Ara Brasil - Secretaria Estadual da Juventude do PT/BA

586. Danielle Ferreira – Executiva da União Nacional dos Estudantes

587. Maria Júlia Montero , Marcha Mundial das Mulheres

588. Regina Célia Martins Salomão Brodbeck – Professora, UFJF

589. Betina Saruê – Mestranda em Ciência Política – USP

590. Thais de Souza Lapa – Consulta Popular

591 – Margareth Rago – História Unicamp

592 – Fátima Oliveira – médica e escritora

593. Didice Godinho Delgado – assistente social

594. Rosangela Rigo — militante feminista e Secretária Adjunta de enfrentamento à Violência contra as Mulheres da SPM/PR

595. Neusa Cadore - Deputada Estadual PT/BA

596. Ivete Garcia - assessora parlamentar

597. Anita Lucas de Oliveira - médica e Coordenadora de Políticas para as Mulheres de  Novo Hamburgo – RS

598. Elizabeth Bertolino – Assistente Social

599. Mara Feltes, CUT/RS e CONTRACS, trabalhadora pública

600. Maria helena Oliveira, SEMAPI, trabalhadora pública

601. Regina Abraão , SEMAPI, trabalhadora pública

602. Clarice Cristine Ferreira Menezes, Pesquisadora, Marcha Mundial das Mulheres

603. Maíra Neiva Gomes - Doutoranda em Direito pela PUC Minas

604. Adriana Vidal – professora da PUC-Rio

605. Gisela Resende Garcia – Socióloga, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

606. Aline Felipe Ribeiro de Araujo – Advogada

607. Maria José Ribeiro de Araujo – Professora

608. Bárbara Peixoto de Oliveira - CONTRAF/CUT

609. Izabel Rodrigues - Marcha Mundial das Mulheres

610. Cláudia Schulz - Midialivrista
611. Camila Paula Silvestre – Marcha Mundial das Mulheres

612. Marillia Rodrigues – Coordenadora Estadual da Paratodas/RS

613. Eva Karoline Bertoletti Vieira – Universidade Federal do Pampa

614. Cecília Santos – Tradutora

615. Veluma Lara – Estudante de Artes Cênicas, UnB

616. Suely Oliveira, Psicóloga – Secretaria Estadual de Mulheres do PT/PE

617. Débora Ferreira – Professora Universitária, Utah/EUA

618. Célia Cassis – Jornalista

619. Laura Bannach Jardim – FAMED – UFRGS

620. Maria Luiza Saraiva Pereira - Professora Universitária

621. Larissa da Cruz Carvalho - graduação em História, USP

622. Ana Luíza Teixeira Nazário, acadêmica de Direito na PUC-RS

623. Maria Lucia da Silveira – doutora em Sociologia, Marcha Mundial das Mulheres e Casa de Lua

624. Nara Bernardes - Professora e pesquisadora aposentada da PUCRS

625. Zahidé Muzart - Editora Mulheres

626. Tânia Regina Oliveira Ramos – Professora Universitária  – UFSC

627. Mara Coelho de Souza Lago - Instituto de Estudos de Gênero, Revista Estudos Feministas, UFSC

628. Vera Caputo, tradutora, Save Editora

629. Miriam Grossi – Co-coordenadora do Instituto de Estudos de Gênero da UFSC

630. Lívia Oliveira Vasconcelos – graduanda em Ciências Sociais, Unesp/Araraquara

631. Nilceli Magalhães – Professora aposentada

632. Cristina Scheibe Wolff – Revista Estudos Feministas, UFSC

633. Maria Elisabeth Goidanich - professora – UFRJ

634. Lenise Santana Borges - Profa Adjunta I da PUC/GO, Co-fundadora do Grupo Transas do Corpo

635. Marcia Bauer – militante feminista de Porto Alegre/RS

636. Justina I. Sponchiado – Santa Catarina

637. Anna Paula Uziel

638. Eliane Ferreira de Cerqueira Lima, blog “Literatura em vida 2″ , NIELM/UFRJ

639. Fátima Lima antropóloga professora da UFRJ

640. Sheila Sabag – professora

641. Ida Schwartz

642. Ariella Kreitlon Carolino – socióloga, mestranda em planejamento urbano e regional (FAU-USP), Consulta Popular

643. Simone Holanda – Elo Feminista

644. Leticia Grala – doutoranda PPGAS/UFSC

645. Julia Garcia de Souza – Marcha Mundial das Mulheres, Bahia

646. Marília Lopes - Estudante – FURG

647. Giselle Guilhon Antunes Camargo – escritora, professora, pesquisadora, UFPA

648. Stefanie Liz Polidoro – atriz, Cia Sopro, Caxias do Sul

649. Juliana Terribili – Psicóloga, Marcha Mundial das Mulheres

650. Juçá Fialho Vazzata Dias – Professora UNIESP – Faculdade de Florianópolis

651. Cristiane Da Ros – doula e educadora perinatal, voluntária em grupo de apoio à gestante

652. Wânia Pasinato, socióloga. Consultora CEPIA e Onu Mulheres

653. Maria de Lourdes Borges - professora de Filosofia da UFSC e Instituto de Estudos de Gênero

654. Kelli Grala Dias – Jornalista

655. Maíra Streit – Jornalista

656. Flávia Bigai Coleta – Consulta Popular

657. Alice Inês de Oliveira Silva – Professora UFV

658. Elizabeth Bueno da Silva, Médica Veterinária e Professora

659. Larissa Costa – Bióloga, Marcha Mundial das Mulheres

660. Rachel Furtado - estudante do ensino médio e vestibulanda

661. Jimena Maria Massa – Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades, UFSC

662. Heide Furtado – Museóloga, IBRAM

663. Luzinete Simões Minella – Profa. Universitária, Universidade Federal de Santa Catarina

664. Camila Roseno – Professora e Militante da Marcha Mundial das Mulheres

665. Camila Durães Zerbinatti – Violoncelista e Professora

666. Julia Guimaraes Lechtman - Atriz

667. Laura Fonseca - Professora da UFSM e Coordenadora do Grupo de Pesquisa Gênero, Políticas Públicas e Serviço Social

668. Suzi Alves Camey - Diretora do Instituto de Matemática da UFRGS

669. Maria Elena Pereira Silva – Secretaria de Mulheres do PT/BA

670. Natali Gonzales, estudante de Jogos Digitais, bolsista do Prouni

671. Marisa Barletto – Núcleo Interdisciplinar de Estudos de Gênero/UFV

672. Rosemeire Reis - Artesã Autônoma

673. Erika Vasconcelos Florentino - estudante de medicina, Marcha Mundial das Mulheres e Consulta Popular

674. Glória Maria Arreguy Maia - Artista Plástica, formada na Escola Guignard/UEMG

675. Erlinda Silva Parris – Educação para a Saude

676. Maria Aidê Malanquini - Jornalista e professora de artes cênicas. Levante Popular da Juventude/ES

677. Clara Arreguy – jornalista e escritora – Brasília

678. Antonieta de Sant´ana – Fotografa, Centro Vivo da Memória Contemporânea CHICA

679. Myriam Andrea – artesã

680. Taíris Rodrigues da Rocha - Graduanda em História

681. Iolanda Toshie Ide- Professora aposentada da Unesp, Militante da Marcha Mundial de Mulheres

682. Rosemeire Pereira - Educadora Popular

683. Rachel Rêgo e Furtado - Estudante

684. Suzana Santos Stigger – Terapeuta, Faculdade da Terra de Brasília

685. Ione Alvares Torres – Blogueira

686. Tereza Cristina Gonçalves dos Santos – jornalista

687. Maria Gaia - Bancária da CAIXA, Diretora da FETEC/CN

688. Margarida Paredes – CRIA. ISCTE-IUL

689. Jézica Neres Fonseca – Assistente Social – UNESPAR/ Campus Paranavaí

690. Patrícia Franco - Assistente Social, UNESPAR- Campus Paranavaí.

691. Rita Daiane de Oliveira – Assistente Social, UNESPAR- Campus Paranavaí

692. Glória Aguiar – Professora de Yoga

693. Marcela Menezes Costa –  Militante do PT em Ribeirão das Neves (RMBH/MG), Coletivo O Estopim/MG

694. Simone Cristina Pereira – Estudante

695. Patrícia Castro –  Bolsista do PROUNI (Curso de Ciências Contábeis), Moradora do Residencial Alterosa (Projeto Minha Casa Minha Vida)

696. Kátia Goular – Pedagoga

697. Claranda Barreira – Cientista Social

698. Larissa Goes – Estudante de Jornalismo

699. Roberta Araújo – Mãe, Funcionária Pública

700. Camila dos Reis Alves – Estudante de Engenharia Civil

701. Ana Luisa Afonso Guimarães – Contadora

702. Dandara Tonantzin Silva Castro – Militante do Movimento Estudantil

703. Maria Amelia Schmidt Dickie -- Antropologa, Florianópolis, SC

704. Lurdinha Rodrigues – Socióloga,  Coordenadora Geral da Diversidade da SAIAT/SPM/PR

705. Aparecida Gonçalves –  Secretária Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres SEV/SPM/PR

706. Cela Menezes – Coletivo Mulheres Pés no Chão – UFMG

707. Isabella Reges Silva de Oliveira – Estudante de Comunicação Social na UFMG, Membra do Núcleo PTUFMG

708. Márcia de Cássia Gomes – PT/MG

709. Louise Caroline Lima e Silva – Cientista Política, Professora e membro do Diretório Nacional do PT

710. Elba Ravane - Advogada, Professora e membro do Diretório Estadual do PT/PE

711. Katherine Lages – Jurista, Pesquisadora e Professora.

712. Alexandra Silva Montes –  Université Paris – Sorbonne

713. Marcia Vaitsman – Artista, doutoranda.

714. Josineide de Meneses Silva – Antropóloga

715. Luciana Carlos Geroleti - Bancária

716. Vic Barros - Presidenta da UNE

717. Barbará Melo –  Presidenta da UBES

718. Tamara Naiz -Presidente da ANPG

719. Maria das Neves –  Estudante de História da UFAM

720. Manuela Braga – Pernambucana, Vice-Presidenta Nacional da UJS

721. Andressa Cecchin, Coordenadora Geral UBM-PR, Estudante de HistÓria da Unioeste

722. Andressa Versa -Estudante secundarista, militante da UBM e da UJS

723. Natalia Gonçalves – Estudante de Ciências Sociais da UFBA.

724. Diliene Nogueira – Professora de Filosofia

725. Thais Loureiro – Estudante de Arquitetura, UNIVALI

726. Gloria Silva –  Estudante secundarista

727. Maria de Fátima (Fafá)  – Ciências Sociais na UFSC

728. Daiane Correia – Estudante de Biologia, Diretora de Jovens Feministas UJS/AL

729. Raiza Lima – Pedagoga

730. Andressa Eulália – UFJ/ES

731. Lenna Roberta Sousa Lima – Geografia, UFPI

732. Maiara Oliveira dos Santos –  Estudante de Ciência Política e Sociologia da UNILA

733. Jessica Lawane –  Diretora de Mulheres da Ues/DF.

734. Fabiola Loguercio – Estudante secundarista

735. Thays Campos – Presidenta da UJS São Luís/ MA.

736. Jaine Santos – Vice presidenta da UBES/MA

737. Francieli Teixeira – Diretora da UGES

738. Beatriz Matos – Diretora da UBES.

739. Vitória Davi –  Diretora da UMESPA.

740. Thays Franklin – Presidenta do Grêmio Estudantil Castro Alves, presidenta da UES

741. Francis Been – Militante da UBM.

742. Ana Caroline – Ciências Sociais, UFRGS

743. Susy B.O – Mc, Estudante de Filosofia da UEM

744. Martina Naffin Ritter – Presidenta do Grêmio Estudantil Machado de Assis

745. Tatiane Cassiano – Pós-Graduanda em Metodologia do Ensino Superior e EAD

746. Izabela Marinho – Estudante de gestão pública, IFPR

747. Isadora Aguiar –  História do CESMAC

748. Estrella Rojas – Engenharia Agronômica, IFPR

749. Etiene Corso – Coordenadora do Coletivo Feminista da UJS/Guarapuava

750.  Monica Alves – Estudante de Ciências Contábeis, IFPR

751. Janaine de Fátima Zdebskyi –  Psicóloga, Estudante de História da UFSC

752. Camila Cristina Lanes da Silva –  Presidenta da UPES

753. Bruna Bueno – Estudante de Farmácia do IFPR, Militante da UJS/Palmas

754. Mayara Angelica RebellI – Estudante de Direito

755. Luisa Rafaela Lourenço – Diretora de Comunicação da UPES

756. Elys Maryna Zioli – Presidenta da UPE

757. Poliana Cristina Silva –  Estudante, Diretora de Mulheres UMES-SJP

758. Vitória Morigi –  Estudante, Diretora de Meio Ambiente UMES-SJP

759. Agatha Pereira –  Estudante, Diretora de Cultura UMES-SJP

760. Barbara Ravenna – Estudante de enfermagem

761. Daniele Fernandes –  Diretora de jovens feministas UJS

762. Bruna Brelaz –  Diretora de Jovens Feministas da UJS/AM

763. Luiza Lafeta – Presidente da UJS/MG

764. Fatima Carvalho – Estudante de geografia da UFMG

765. Laura Eli

766. Antonieta Gonçalves – Diretora de formação. UJS/Betim

767. Alecilda Oliveira - Pós-graduanda pela UfU

768. Tailine Rodrigues –  Estudante de arqueologia UFPI

769. Isadora Cortez –  Jornalista, estudante de Direito FACID

770. Marta Morais – Estudante de biologia IFPI

771. Dayana Dias – Diretora de ME Secundarista da UJS/PI

772. Emelly Facundes –  Estudante do curso de História da UFPE, Diretora de mulheres da UJS/PE

773. Carina Santos – Diretora DCE/UFF –  Coordenadora coletivo de jovens feministas UJS/RJ.

774. Thalia Batista – Estudante de Comunicação Social UFT

775. Gabrielle Oliveira – Membra do.Comitê Estadual do PCdoB

776. Tatielly Pinto – Estudante de Publicidade e Propaganda da UFRGS

777. Juliana Santos – Diretora de Mulheres da Umes/Betim

778. Milena Fernanda – Diretora de Mulheres do.Grêmio Afonso Pena.

779. Nayele Luiza - Diretora do Coletivo Feminista UJS/Betim

780. Karoline Araújo Vidal – Diretora Municipal de Jovens Feministas de Fortaleza

781. Ingrid Almeida – Diretora da UMES/Manaus

782.  Dayane Estevo –  Diretora da UEE/AM

783.  Dhyene Vieira –  Diretora de Organização da UJS/Manaus, Estudante de História da UFAM.

784. Bárbara Nisus – Estudante de Ciências Sociais da UFFS, diretora de jovens feminista da UJS/Chapecó

785. Irla Stefany – Coletivo Jovens Feministas UJS/Betim

786. Carolina Dias – Estudante Secundarista, Direção UMES/Betim

787. Lara Silva – Diretora do Grêmio Escola Estadual Conselheiro Afonso Pena

788. Brenda Caroline – UNEMAT

789. Débora Marcilio – Gastronomia, UNIC

790. Marisa Brandão  – Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Padre José Delgardes

791. Gabriela Marques Melo – Diretora do Coletivo de  Jovens Feministas Belém/PA

792. Alecilda Oliveira – Vice-presidenta da ANPG

793. Isabella Silva Ferreira – Estudante secundarista e vice presidenta da UBES/ES

794. Larissa Correa Nunes da Silva – UNIVAG

795. Letícia Resende –  Estudante de Relações Internacionais, Coordenadora de Assistência Estudantil DCE/UFU

796. Lorena Fernandes –  Estudante de Filosofia da UFU, Coordenadora DCE/UFU

797. Laiz Cristina Diniz – UJS Uberlândia.

798. Andressa Brito –  Estudante de Veterinária, Coordenadora Geral DCE/UFU

799. Ana Beatriz Miranda –  Estudante de Teatro, Coordenadora de Cultura e Extensão DCE/UFU

800. Fátima Carvalho –  Estudante de Geografia, Vice-presidenta Sudeste da UNE.

801. Laiz – Estudante de Química, UFU

802. Serena Malta – Biotecnologia UFU/UJS Uberlândia

803. Fernanda Carvalho – Biotecnologia, UFU

804. Katia Mocelin – Administração UFU, Coordenadora DCE/UFU.

805. Mariane Borges – Química UFU, DCE/UFU

806. Ana Gabriela Vilarinho, Educação Física UFU, Coordenadora DCE/UFU

807. Mariany Mundim Teixeira –  Escola Estadual Messias Pedreiro, UJS Uberlândia

808. Vanessa Cavalcanti –  Veterinária, DCE/UFU

809. Ana Carolina Rabelo –  Pedagogia UNOPAR/ UJS Uberlândia

810. Nelize Matias - Química FACIP/UFU

811. Luzia da Silva Gomes – Estudante de Economia, Militante UJS/PI

812. Priscila Coelho – Estudante de Psicologia da FSA, Diretora Estadual da UJS/PI

813. Juliane Silva Rocha Oliveira –  Direito UNIPAC, UJS/Uberlândia

814. Aline Lara Nascimento Cruz – Direito UNITRI, UJS/Uberlândia

815.  Maria Hortência Pinheiro – UFBA.

816. Marianna Dias – Pedagogia, UNEB.

817. Kamila Piovezzan Fiuza – Psicologia,  UNIVAG

818. Kymberlly Clara de Moraes Lopes – UNIVAG

819.   Sarah Cavalcante – Estudante de Jornalismo da UFC, Presidenta da UJS/CE

820. Flavia Leticia Vieira Rodrigues – Estudante de Biologia,  IFPI

821. Yaskarah Lauanny Vandergeld – Estudante de FísicaUFPI, Coletivo LGBT UJS/PI

822. Marcia Maria –  Graduanda em Pedagogia

823. Ellifas de Saboia –  Estudante de Geografia, Membro da Direção Estadual da UJS/PI

824. Eurides Sousa – Estudante de pedagogia UFPI

825. Fernanda Goldan – Estudante de Geografia, UFPI

826. Tati Seixas – Economia UFPI, Diretora de Projetos da UBM/PI

827. Priscila Rafaela –  Estudante de Administração IEST

828. Amanda Mello – Estudante de Engenharia Florestal da UFRPE

829. Thiara Milhomen - Estudante de Letras da UFRPE

830. Ingrid Ivonoska – Presidenta da UJS/Recife, Estudante de Letras

831. Sandreia Barroso – Geógrafa, Professora, Diretora da CTB/PI

832. Melka Pinto – Estudante de Enfermagem da UPE, Presidenta da UNE/PE

833. Andressa Ribeiro –  Presidenta do DCE da UPE, Estudante de Enfermagem da UPE

834. Bruna Patrinny Sousa de Almeida – Militante da UJS/Amapá

835. Ana Livia – Estudante secundarista, militante da UJS/Valença do Piauí (primeiro voto)

836. Raquel Cardoso – Diretora DE assuntos Estudantis do C.A de Ciências Sociais UFC

837. Andreia Duavy – Vice-presidenta do D.A de Arquitetura da UFRRJ, Coletivo Feminista Elza Monnerat

838. Kamila Fontenele – Estudante de Biologia, IFPI

839. Veluma Lara – Estudante de Artes Cênicas, UnB

840. Lucy Aparecida Marçal  – Psicologa

841. Doralice Marçal, Professora de Português

842. Vera Lucia Marçal – Pedagoga

843. Rosangela Marçal  – Secretária

844.  Selma Suely Marçal – Secretaria

845. Tatiana Aline de Souza Carvalho –  Marcha Mundial das Mulheres

846. Robisnayara Nunes Barbosa –  Marcha Mundial das Mulheres

847. Lourivânia Soares – Jornalista

848. Cleidneia Bastos – GT de Mulheres da Bacia do Jacuípe/ BA

849. Marinalva Gomes da Silva Lourenço

850. Eliane de Araujo Cavalcanti – Diretório Municipal de Olinda e Diretório Regional/PE.

851. Suzineide R. Medeiros – Bancária

852. Tereza Souza -Bancária

853. Sandra Trajano – Bancária

854. Manuella Silva – Bancária

855. Ana Lúcia Gomes – Bancária

856. Milena Prado – Economista do Dieese

857. Magdála Almeida – Funcionária Pública Estado/PE
[A produção de conteúdo exclusivo só é possível graças à generosa colaboração de nossos leitores-assinantes. Torne-se um deles. Clique aqui]

Leia também:

Na propaganda eleitoral, Serra distorce números sobre gastos na Saúde

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR
15 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Cláudio

04/10/2014 - 20h13

Dilma eleita logo no primeiro e definitivo turno.

Com Dilma, a verdade vai vencer a mentira assim como a esperança já venceu o medo (em 2002 e 2006) e o amor já venceu o ódio (em 2010). ****:D:D . . . . ‘Tá chegando o Dia D: Dia De votar bem, para o Brasil continuar melhorando!!!! ****:L:L:D:D ****:D:D . . . . Vote consciente e de forma unitária para o seu/nosso partido ter mais força política, com maioria segura. . . . . ****:L:L:D:D . . . . Lei de Mídias Já!!!! ****:L:L:D:D ****:D:D … “Com o tempo, uma imprensa [mídia] cínica, mercenária, demagógica e corruta formará um público tão vil como ela mesma” *** * Joseph Pulitzer. ****:D:D … … “Se você não for cuidadoso(a), os jornais [mídias] farão você odiar as pessoas que estão sendo oprimidas, e amar as pessoas que estão oprimindo” *** * Malcolm X. … … … Ley de Medios Já ! ! ! . . . … … … …:L:L:D:D

Responder

renato

02/10/2014 - 10h16

É só MULHER que pode assinar.
Onde acho uma lista para assinar.
Por que me deixaram de fora..
Sou Homem mas estou do lado das meninas.

Responder

FrancoAtirador

01/10/2014 - 15h49

.
.
Pérolas de Feliciânus…

(http://imgur.com/e7TnEFu)
jornalggn.com.br/sites/default/files/u16/perolas_de_feliciano.jpg
(http://jornalggn.com.br/noticia/perolas-de-feliciano)

Responder

FrancoAtirador

01/10/2014 - 14h34

.
.
PS: Com o adendo à reportagem,
a Conceição pulou para 704.
.
.
!!! DILMA VANA = 13 = NO 1º TURNO !!!
.
.

Responder

    FrancoAtirador

    01/10/2014 - 15h46

    .
    .
    í! Agora, já está em 716!
    Daqui a pouco chega em 1000!
    .
    .

Ana

27/09/2014 - 09h40

É muito engraçado os argumentos dos Anti PT é sempre ” Temos que tirar a Dilma olha a porcaria que o Brasil está” ou “Pior que tá não fica” (Experimenta votar no Aécio pra ver se não fica) e nunca tem um embasamento do olha ta ruim por isso, ta ruim por aquilo. O PT roubou muito? Roubou, mas todos roubaram, e no mínimo eles foram até hoje os únicos que se preocuparam de verdade com a classe trabalhadora, com os pobres, com os que realmente precisam. Mas os anti PT nunca vão conseguir reconhecer nem os 13 argumentos acima e nem outros que podemos usar, afinal o egoísmo deles é tão grande que acreditam que ajudar os mais necessitados é dar esmola.
Entre a Dilma e uma candidata que tem o Malafaia ao seu lado, eu não tenho qualquer dúvida de que a Dilma seja a opção mais sensata.

Responder

Urivani Carvalho

26/09/2014 - 19h44

Parabéns, aqui a gente se vê.

Responder

Rogério Maestri

26/09/2014 - 14h51

Eu gostaria de saber da opinião das feministas do comentário jocoso de Marina chamando a Dilma de gorda!
.
Pelo que eu saiba isto é um comentário de uma pessoa que vê a mulher como objeto!

Responder

[email protected]

26/09/2014 - 14h13

Moçada, desde o início da campanha a #UJSfeminista esta com Dilma publicamente. Temos diversos quadros femininos e feministas que ocupam espaços estratégicos nos movimentos sociais como as Presidentas da UNE, UBES e ANPG. Além de uma infinidade de presidentas de DCE´s, CA´s e Grêmios Estudantis. Fazemos questão de assinar este manifesto!Só não o fizemos anteriormente porque não fomos contactadas. Viva a unidade do movimento feminista! Vamos juntas reeler Dilma. Principal tarefa do movimento feminista hoje! Maria das Neves (Diretora de Jovens Feministas da UJS)
(11)95289-1214

Responder

Elias

26/09/2014 - 12h45

Muito legal esse passo a passo descrito por Conceição Lemes sobre a movimentação de Luana Tolentino. Elaborar o documento com 13 acões/programs da gestão Dilma (13 em menção ao número do PT). E também se vê no texto de Conceição como a luta vai se propagando. Coleta inicial de 50 assinaturas que depois parte pra 100 e chega a 592 nomes. Isso é militância. O PT deve pegar o exemplo de Luana Tolentino que outrora já foi seu. Aplausos às feministas e ao manifesto: Feministas Apoiam Dilma.

“O meu relógio anda sempre a para frente. A história também.” Oswald de Andrade, em Serafim Ponte Grande.

Responder

FrancoAtirador

26/09/2014 - 10h21

.
.
Só mesmo a Luana Tolentino

para tirar a Mulherada

do conforto do Balcão da Pia…
.
.
PS:

Prezada Jornalista Conceição Lemes.

Incluindo a sua assinatura, são 593.
.
.
E acrescente à lista, por conta e risco meus,

pois que não possuo procuração para tanto,

a escritora e jornalista Milly Lacombe,

que fez o seguinte manifesto Pró Dilma Vana:
.
.
Por que vou votar em Dilma (http://t.co/mb8rCTDV6M)

Por Milly Lacombe*, no Blog da <-MILLY

Não foi uma escolha sem conflito ou dor, mas ela está feita.

Tenho bons motivos para criticar a administração de Dilma até aqui,
mas talvez tenha ainda mais motivos para dar a ela uma nova chance.

Como críticas precisaria falar da total falta de cuidado em relação aos temas LGBT, do pouco caso com índios e com as reformas agrária e política (ainda que dependam muito do Congresso), e do descuido com temas que envolvem direitos da mulher.

Outras críticas passam pela falta de uma política mais agressiva de proteção ao meio-ambiente, que é esquecido sempre que o governo se curva aos interesses de usineiros e mineiros e de qualquer corporação que, em nome do lucro, viola nossas reservas naturais.

Também me incomoda a veneração ao sistema bancário e ao agronegócio, que nunca ganharam tanto como com Lula e Dilma e que, ainda assim, os desprezam.

Já o que eu desprezo é o absurdo, injustificável e crescente lucro de bancos privados num mundo de desigualdade gritante e alarmante.

Ou seja, alguns dos valores que seriam mais caros a uma mulher “de esquerda” foram solenemente ignorados durante essa primeira administração, talvez porque a verdade é que o PT faz uma administração de direita com valiosos programas sociais.

Mas quando esses motivos para não votar em Dilma me vêm à cabeça
e começo a olhar em volta em busca de alternativas vejo de um lado Aécio Neves
representando os mais podres e tortos valores de uma elite apodrecida e decadente,
e, do outro, Marina Silva, cuja história de vida é das mais tocantes e edificantes,
mas mulher cercada por xiitas evangélicos.

Claro que entre Aécio e Marina não há nem como pestanejar:
nada poderia ser mais triste e retrógrado para o Brasil do que a eleição
de alguém com as características de um playboy careta e conservador
que concorre por um partido caduco.

Mas como parece que dessa tragédia neoliberal já escapamos, entre Dilma e Marina,
não posso optar pela mulher que, além de amparada por extremistas religiosos,
tem em seu plano de governo a autonomia do Banco Central e um limite de tempo para as cotas.

Mas mesmo que nada disso estivesse na balança, bastaria que eu olhasse para trás para entender como o Brasil mudou durante os anos Lula/Dilma, ainda que tenha deixado de crescer nos últimos quatro.

Se a ideia é fazer uma análise justa, não tem como deixar de levar em conta
as mais de 40 milhões de pessoas que saíram a linha da pobreza,
ou o Bolsa-Família — projeto que a ONU não cansa de elogiar —
ou o PROUNI e as cotas, ações que colaboraram para que o Brasil
diminuísse de forma gigantesca a desigualdade.

Muita gente que critica as administrações de Lula e Dilma
nem sabe do que se tratam esses programas
(preferindo ecoar por aí apenas alguns preconceitos eternizados pela elite a respeito deles),
como eu também não sabia quando votava em candidatos concorrentes ou anulava.

Mas uma rápida busca pela Internet é capaz de mostrar como cada um dos programas sociais citados mudou a cara do Brasil e a vida de tanta gente (é necessário fazer a busca porque esse tipo de informação não chega até a gente via mídia de massa, e também lembrar que o Brasil é muito mais do que Rio e São Paulo).

Tenho que falar da lei da doméstica, que acabou com os abusos feitos com o trabalhador do lar e deu a essa galera dignidade e autonomia.

Depois, seria também limitado deixar de analisar que a economia mundial
travou em anos recentes (porque o capitalismo agoniza e esperneia,
mas esse é assunto para ouro texto), com quase toda a Europa e os Estados Unidos patinando,
e que o Brasil, que não foi afetado pela crise de 2008, agora seguiu o ritmo.

'Ah, mas a China cresceu'.
Cresceu porque não leva em conta direitos trabalhistas básicos
e, por isso, passou a ser uma espécie de Disneylândia do empresariado mundial.

São centenas de escândalos que envolvem milhares de homens, mulheres e crianças vivendo em condições de escravidão para alimentar a fúria capitalista que exige produtividade e lucro.

Basta outra rápida busca pela Internet para ler coisas assombrosas a respeito de como vivem muitos trabalhadores por lá.

Crescer desse jeito desumano não deveria nos interessar.

E embora a figura de Marina e sua jornada humana sejam sedutoras se analisadas isoladamente, depois de ler os programas de governo de Dilma e de Marina acho que Dilma ainda tem um projeto social sólido para o Brasil,
e que Marina (que declarou recentemente que o sistema de cotas não pode se estender por mais de dez anos) talvez acabe fazendo mais conchavos com o empresariado do que fizeram Dilma e Lula, e esse tipo de situação não me interessa – e interessa menos ainda ao Brasil.

Faltou, claro, tocar na corrupção, assunto espinhoso.
Quando falamos em “corrupção” tendemos a associar a prática a políticos,
ignorando que sem o corruptor não há corrupção.

Também tendemos a não considerar coisas,
tipo sonegação fiscal, como desvio de grana pública.

Então, acho importante que definamos corrupção
antes de sair dando pitaco e atirando pedras.

Corrupção é qualquer prática que desvie verba pública,
ou dinheiro que deveria chegar ao povo
e a projetos sociais — vamos bater o martelo assim.

Então: molhar a mão de um fiscal é corrupção.
Sonegar é corrupção.
Dar uma cervejinha para o guarda na estrada é corrupção.

Para que falemos de corrupção, portanto,
é preciso que não lavemos as mãos.

Quantos de nós pratica a corrupção?
Quantos de nós cresceu sabendo que, no Brasil,
era só dar um jeitinho para a coisa andar?
Quantos de nós já demos esse jeitinho?

A corrupção está tão infiltrada no sistema e no dia-a-dia
que é no mínimo ingênuo achar que um partido no poder
seria capaz de eliminá-la em três administrações.

Se nós não a eliminamos de nossas vidas, como exigir que um governo,
em alguns anos, elimine uma prática que é esporte no Brasil há 500?

Com o perdão do clichê, aqui é o que disse Gandhi:
é preciso ser a mudança que gostaríamos de ver no mundo.

Ou isso ou parar de apontar o dedo;
uma regra básica de moralidade:
julgar os outros pelo mesmo padrão moral com que julgamos a nós mesmos.

E se por um lado é legítimo que se punam os responsáveis pelo Mensalão,
é também importante lembrar que há inúmeros “mensalões” na história do Brasil
e que apenas aquele conhecido como “do PT” foi condenado.

É necessário que façamos a pergunta: por quê?

Muitos dos que gritam que a corrupção apenas piorou, sem se dar ao trabalho de checar se piorou mesmo (tecnicamente, segundo medição internacional, melhorou um pouco nos últimos anos), se esquecem de analisar que foi durante uma administração Petista que o Mensalão foi julgado e condenado.

Não poderíamos apenas chamar isso de Estado de Direito?

Não deveria servir para aplacar o medo de que o PT implantaria uma ditadura no Brasil?

Que tipo de ditadura é capaz de ter um sistema judiciário tão independente que, sem interferência, julga e condenar líderes da situação?

Nem precisamos voltar muito a fita para saber que antes as coisas não se davam assim (e que em alguns Estados ainda não é assim).

Em 1997, a Folha de S.Paulo levantou o caso da compra de apoio para que alguns deputados votassem a favor da reeleição presidencial.

Apesar da confissão dos deputados e da fartura de provas, na época o Procurador Geral da República não enviou denúncia ao STF e o escândalo nunca foi investigado devidamente;
FHC seguiu solene para ser reeleito.

O mensalão mineiro, também conhecido como mensalão tucano e mais antigo do que o do PT, não teve até agora um condenado.

As estranhíssimas reformas dos não menos estranhíssimos aeroportos rurais de Claudio e Montezuma, em Minas, feitas com grana pública nem comentadas mais são.

O escândalo das denúncias de corrupção na construção do metrô nessa São Paulo comandada há 20 anos pelo PSDB, um rombo aos cofres públicos que segundo a revista Isto É ultrapassou 400 milhões de reais, tampouco rende condenações.

Não vou sequer falar do helicóptero dos amigos de Aécio, os Perrela, apreendido com meia tonelada de pasta base de cocaína e esquecido depois de alguns dias.

Você ainda quer saber de quem era essa cocaína?

Eu também, mas provavelmente jamais saberemos porque as investigações já não andam.

Por que esses escândalos não seguiram sendo apurados?

A quem interessa acobertar absurdos assim?

Mas é claro que muita coisa ainda tem ser feita.

É preciso que tenhamos uma lei dos meios que acabe com o monopólio na imprensa — esse que faz com que duas ou três famílias sejam donas de quase todo o arsenal midiático brasileiro –, que se amplie o sistema de cotas, que voltemos a crescer, que a qualidade do ensino melhore, que a lei contra a homofobia seja aprovada, que se execute a reforma política e uma reforma carcerária, que olhemos de frente para o racismo e o combatamos, que os índios sejam levados a sério, que aborto seja tratado pelo que é: um caso de saúde pública, que se estabeleça uma política ambiental sólida e pioneira, que se corrija ainda mais a desigualdade, que consigamos atender essas 40 milhões de pessoas que, saídas da miséria, vão exigir cada vez mais mudanças e direitos e justiça (não se tira 40 milhões de almas da pobreza impunemente).

Precisa mudar muito mais, não há como pensar diferente se somos a sétima economia do mundo vivendo com serviços e infraestrutura de país subdesenvolvido.

Mas também não há como negar quanto já foi feito.

Então, depois de matutar e ler e analisar decidi dar meu voto de confiança
a quem já executou tantas mudanças e fez o Brasil andar para frente.

*Milly Lacombe é Escritora e Jornalista/Cronista.

(http://blogdamilly.com)
.
.

Responder

    Elias

    26/09/2014 - 14h51

    “Só mesmo a Luana Tolentino
    para tirar a Mulherada
    do conforto do Balcão da Pia”

    Já disse que admiro seus posts. Só um porém sobre o texto acima. “Conforto do Balcão da Pia”, não existe. Nada mais maçante do que lavar louça. Eu sei porque ajudo minha mulher nesse item entre outros. Risos e um abraço.

    FrancoAtirador

    27/09/2014 - 23h02

    .
    .
    Pois é, meu caro Elias. Compreendo sua indignação.

    Para mim, porém, sempre foi um momento oportuno,

    importante, para meditação e reflexão política.

    Creio que, neste aspecto, assiste razão a Einstein:

    É uma questão específica de Relatividade do Tempo…

    Um abraço camarada e libertário.
    .
    .

Romanelli

26/09/2014 - 08h37

Fora de pauta para um chamamento aos homens de bem

EU ACUSO !!!

Acuso a SABESP e TODAS as companhias de saneamento de cobrarem, mas de não limparem nossos rios desde a década de 70 ..de não canalizarem nossos esgotos ..de poluírem nossos mananciais.

Acuso-as de não darem manutenção na rede, de fazer com que 30% da água tratada se perca.

Acuso as PREFEITURAS de permitirem a invasão CRIMINOSA dos MAL ditos movimentos populares e das obras SEM planejamento ..acuso os fiscais, engenheiros, arquitetos e técnicos diversos que receberam ou deram propina pra se fazerem de rogados.

Acuso o GOVERNO FEDERAL de estar PASSIVO e leniente diante desta insofismável catástrofe climática MUNDIAL.

..acuso-o de ser IRRESPONSÁVEL diante desta insegurança hídrica anunciada há ANOS

..acuso-o de estar desorientado diante do imponderável ..de não nos construir reservatórios e aquedutos que nos ligassem e regulassem de Leste a Oeste e de Norte a Sul.

Acuso nossos empresários do AGRONEGÓCIO que se valem de pivotantes, que desprezam técnicas gotejantes, eles que se servem fartamente da natureza enquanto negam à ela a chance de poder se reerguer.

Acuso as empresas intensivas no uso de água que coletam-na límpida e a devolvem fétida e opaca.

Acuso TODA nossa classe política, de todos os Ps, esta que acompanhada de suas súcias e parentes se preocupa muito mais com suas contas correntes do que garantir-nos deste recurso imprescindível à sobrevivência.

Acuso, acuso sim, de dedo em riste.

Inclusive acuso boa parte da população que passa sua vida desperdiçando desde líquido e deixando ao vizinho o dever de se conter em exageros e desperdícios.

Bem, dito tudo isso, acuso o MP e JUSTIÇA que esperam burocrática e preguiçosamente sob suas togas e estabilidades, que um mal maior aconteça.

Afinal, BANDO de FDP (Fiéis Depositários da Pátria), quem efetivamente vai começar a arregaçar as mangas e convocar o exército, a Petrobrás e demais empresários pra que eles comecem o quanto antes a nos construir, em TEMPO RECORDE, de aquedutos que recomponham, nem que minimamente, os reservatórios de TODA REGIÃO SUDESTE ?

Será que teremos que esperar as “consultas” públicas da Marina, os laudos do Ministério do 1/4 de Meio Ambiente, as reuniões da Dilma com a sua meia centena de ministérios, os técnicos americanos do Aócio, ou a opinião dos palpiteiros da ONU pra nos acudir, hein ?

Pelo amor de deus, o que estes grupos de IMPRESTÁVEIS e inservíveis brasileiros estão esperando ? Será que eles acham que a população, COM SEDE e IMUNDA, diante duma crise SEM precedentes, fedendo, vai querer saber de quem é a culpa ?

http://www.youtube.com/watch?v=xzh0j4xt7io

Responder

Mailson

26/09/2014 - 07h00

NEM QUE A VACA TUSSA!

Hoje é o dia da mobilização nacional em favor das conquistas trabalhistas. Veja nesta matéria onde estarão ocorrendo (local e hora) manifestações (pacíficas) em diversas cidades brasileiras. Veja se vai ocorrer na sua.

http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/2014/09/e-hoje-mobilizacao-nacional-dos.html

Responder

Deixe uma resposta