VIOMUNDO

Tentando entender a onda verde que provocou o segundo turno

03 de outubro de 2010 às 21h54

Por Luiz Carlos Azenha

Houve onda verde, sim. E a onda verde, que pegou de surpresa a todos os institutos de pesquisa, é que está levando a eleição presidencial para o segundo turno.

Dito isso, é preciso tentar entender o que alimentou essa onda verde.

Sinceramente, não acredito que isso se deva apenas à sórdida campanha movida por religiosos católicos e evangélicos contra a candidata governista.

Isso jamais renderia a Marina Silva mais de 18 milhões de votos!

Por dados anedóticos, colhidos aqui e ali, é possível notar que Marina respondeu a uma aspiração dos jovens, que se mostraram fartos com a polarização PT/PSDB.

Se assim for, a proposta do presidente Lula de promover a campanha em seus termos, ou seja, num confronto bipolar, fracassou nas urnas neste domingo.

Os eleitores de Marina querem saber mais. Querem mais que as produções de alta qualidade do marqueteiro João Santana.

Quem é leitor do blog sabe que já tratei mais de uma vez da falta de politização da campanha no primeiro turno.

Foi uma opção do PT, que parecia acreditar que bastava propagandear os feitos econômicos do governo — o que foi feito com competência na campanha televisiva — para garantir a vitória em primeiro turno.

Marina Silva se projetou, em minha modesta opinião, justamente nesse buraco negro da falta de politização.

Outra observação necessária: um presidente com 80% de aprovação nas pesquisas conseguiu transferir pouco mais da metade disso para a sua candidata.

Reflexo, em minha opinião, da falta de politização que acompanhou a ascensão social de milhões de brasileiros para a classe média. Vários comentaristas já trataram disso. Seria o “fator Berlusconi”. Ou seja, uma ascensão social que promove um eleitorado conservador, cuja lealdade não reflete compromisso político com um projeto e muito suscetível às questões morais — o boato de que o vice de Dilma é satanista, por exemplo. O “melhorismo”  de Lula, na definição de Plínio de Arruda Sampaio, se assenta sobre bases mais frágeis do que se imaginava?

O segundo turno, em minha opinião, é resultado de um conjunto de fatores.

Sem qualquer sombra de dúvida, a mídia desempenhou um papel relevante, disparando balas de prata que reduziram sensivelmente a vantagem da candidata petista nas últimas semanas de campanha.

Acima de tudo, a mídia cumpriu a tarefa a que se propôs, de desviar o foco da eleição das questões econômicas para os escândalos.

Serra não recolheu os escombros, que cairam no colo de Marina Silva.

Acima de tudo, no entanto, é preciso colocar todos os pingos nos is dos erros na campanha da candidata governista:

1. Como todos sabíamos antecipadamente do papel que a mídia iria desempenhar em 2010, ninguém detectou o potencial explosivo dos negócios em torno de Erenice Guerra?

2. Por que a campanha de Dilma Rousseff não se antecipou aos boatos de forma didática, como Barack Obama fez nos Estados Unidos, criando um site específico para combatê-los?

3. Por que a campanha de Dilma não rebateu as promessas de José Serra e não politizou a campanha?

De qualquer forma, a votação expressiva de Marina Silva indica uma mudança significativa no quadro político brasileiro e, portanto, nos próximos 30 dias de campanha.

Acredito que a campanha de José Serra vai dar alguns passos em busca do centro político, representado agora pela “terceira via” de Marina. Ficará muito mais difícil, nestas circunstâncias, fazer agora a polarização politizada que o PT poderia ter feito durante a campanha do primeiro turno.

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR
690 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Joana

05/10/2010 - 18h53

E quem foi que satanizou para essa gente o PNDH3? claro que foram os demutucanos. Na época do FHC já houve o PNDH 1 e 2. Mas tava tudo bem. Agora, se o Lula faz, é satânico… isso é da tucanalha… eles ensinaram prá esses evngélicos – não todos, olhem o site abaixo. Um evangélico consciente que pensa. http://bloguilheu.blogspot.com/2010/10/eleicoes-p

Responder

Joana

05/10/2010 - 18h48

Pessoas… olhem o PHA, Conversa Afiada. O jatinho que a eco-capitalista usa vale 50 milhões de dólares… e tem um custo diário de 10 mil reais… quem está pagando? cadê a mocinha pobre, mal vestida, com cara de fome? na página do PHA há fotos do brinquedinho da Bláblárina. E também a biopirataria que ela fez com os índios para a natura. Há processos em andamento. E seu maridinho? envolvido em madeira ilegal no Pará… isso é ser verde-tucana.
Aliás, os tucanos queriam o Juiz Protógenes para vice de Marina. Claro que ele não aceitou e foi para o PC do B… e "muchas cozitas más"…

Responder

EFE

05/10/2010 - 14h05

A Falta que faz uma Única Pergunta. No debate da globo, se Dilma tivesse feito uma pergunta a Serra (e a Marina) sobre o aborto (e a união homosexual), só para explicitar sua posição sobre o assunto, hoje o Brasil seria muito mais feliz.
Foi um erro fatal fazer Dilma se esquivar de Serra nos debates.

Responder

Thiago

05/10/2010 - 11h17

Há muitos fatores, certamente, que levaram Marina aonde foi. Ela atende muito a um discurso da direita classe média, pois atua muito simbolicamente sobre as questões, mas, todos sabem que na prática não vem nada. A classe média adora fazer passeatas simbólicas pela natureza, para se livrar da culpa de destrui-la sem ter que fazer nada para acabar com a degradação. Marina é isso: uso uma sacola no supermercado em vez da sacola plástica e acho que fiz minha parte no Mundo. Se o Mundo for para o inferno, a culpa é dos outros.

Outro fator foi o discurso de se colocar como alguém diferente. Em meio aos escândalos, boa parte da direita que tem vergonha de votar no Serra, a viu como opção. Tenho amigos tucanos que adoraram a Marina. Mesmo entre o pessoal que votaria na Dilma, mas não tem a consciência política, isso foi fundamental. Para essas pessoas, o discurso da mídia de que, político é tudo igual, nenhum presta, etc… é muito verdadeiro. O discurso de Marina caiu como uma luva para essas pessoas.

Responder

Carlos

05/10/2010 - 08h57

Já foram julgados?

Responder

Tolerância Zero

05/10/2010 - 03h44

Azenha, acho o seguinte: a Marina é a reencarnação da Helouquisa Helena. Ambas fizeram suas carreiras políticas no PT, por anos a fio. Ambas cuspiram no prato que comeram, saindo candidatas à presidência por causa do suposto cacife amealhado na militância petista. Como o tempo é senhor da razão, a Helouquisa virou apenas uma vereadorazinha de meia tijela, e nas eleições de domingo não conseguiu se eleger, virando um zumbi político.
Se a Marina crente quiser salvar o pouco que restou de sua reputação, já que atrapalhou o processo de salvação do Brasil, iniciado por Lula, que pelo menos não atrapalhe mais. Se não se aliar à vanguarda do atraso serrista/demo, já fará um grande favor à democracia em nosso país. Também acredito que não houve onda verde coisa nenhuma, e que ela não é dona dos votos que conquistou. O apoio pessoal dela a este ou aquele candidato será irrelevante. Um apelo à militância: vamos trabalhar para eleger a Dilma no segundo turno, com uma expressiva votação!!!

Responder

ValmontRS

05/10/2010 - 03h42

"A falsa testemunha não ficará impune; e o que profere mentiras perecerá."

Responder

joao david

05/10/2010 - 00h30

Caro Azenha
Para mim, há um fator importante a ser melhor observado: a dimensão do "voto evangélico", que transferiu muitos votos pra Marina a partir de uma inundação de boatos sobre Dilma. Para entender o que estou dizendo, convido você a dar uma lida no meu post de hoje, "Eleições presidenciais: os evangélicos e o mar de boataria". Uma visão de dentro do território evangélico. http://bloguilheu.blogspot.com/2010/10/eleicoes-p
Grande abraço
João David

Responder

Beria

04/10/2010 - 20h27

Qual o SONHO do Aécio Neves? Ser PRESIDENTE em 2014. Isso acontecerá se o SERRA for eleito PRESIDENTE em 2010? Não, pois o SERRA com certeza sairá para a re-eleição… Isso posto, pergunto: alguém acredita que o AÉCIO irá se esforçar para ajudar ao SERRA???

Responder

    Paulo - Recife

    04/10/2010 - 22h51

    Não seja ingênuo, o Serra já acordou com o Aécio mandato de quatro anos, sem reeleição.

antonienko

04/10/2010 - 20h21

Número de abstenções é no mínimo,suspeito. Maior que os votos em Marina "Anti-Acre" Silva.

Responder

Fernando

04/10/2010 - 20h03

Obviamente, meu comentário não foi publicado. No site do Azenha existe total liberdade de expressão, desde que Lula seja preservado de qualquer crítica. Mas repetindo: a onda verde foi migração de votos da Dilma para Marina porque parte da classe média não aceitou o papel messiânico que Lula se atribuiu. Ele não é indispensável ao país como pensa que é, e nem tem a verdade. Não pode como presidente se comportar como membro de facção. Eu ia votar na Dilma e não engoli isso, como muita gente. Lula autoritariamente impôs uma candidata ao país e ao seu partido, uma espécie de gerente executiva. Marina, ao contrário, ao longo da campanha mostrou estatura de estadista. Dilma entra no segundo turno muito menor do que começou a campanha. Marina sai da disputa muito maior que entrou, e será decisiva no segundo turno. Ok, Azenha?

Responder

    Carlos A Gomes

    04/10/2010 - 20h46

    Dilma não precisa de Marina para ser eleita. Ela precisa dos votos que a Marina teve. Entre esses votos da Marina, muitos são de pessoas que votam no PT e na Dilma sem nenhum tipo de constrangimento. E só não o fizeram porque existia outra alternativa naquele momento da eleição. Só isso. Marina não consegue transferir voto pra ninguém.

    Marco

    04/10/2010 - 22h40

    Boa noite Fernando. Concordo em grande parte com sua análise, entretanto, permita-me discordar quanto àestatura de estadista da Marina: não explicitou em nenhum momento suas posições apenas se apresentou como uma terceira alternativa no modo de como "fazer uma omelete"

    Carlos

    05/10/2010 - 08h54

    "Eu ia votar na Dilma e não engoli isso, como muita gente. Lula autoritariamente impôs uma candidata ao país e ao seu partido"

    Contradição de tucano enrustido.
    Ia votar na Dilma antes de ela ter sido indicada – "imposta" – pelo Lula e aprovada pelo PT?

    Lula é LÍDER POLÍTICO, não religioso, nem se considera indispensável ou detentor da verdade. E como todo líder político, aponta caminhos, possibilidades… E aí vocês gostariam de vê-lo silenciado, né?

    Lucia Fernandes

    05/10/2010 - 10h10

    Fernando, concordo com tudo o que expôs. Divirjo apenas em uma coisa: jamais pensei em votar na Dilma. Simplesmente porque eu não sei quem é esse "factóide", palavra tão ao gosto petista. Ela foi criada pelo Lula. Não sabemos quem é. Não sabemos o que pretende. Portanto, como votar em uma ilustre desconhecida? A pedido do Lula? Será que isso é o suficiente para eleger alguém que vai comandar o país nos próximos quatro anos? Fica a indagação.

Ederlucas

04/10/2010 - 19h58

O Best Seller do momento
É um livro agourento
Que ninguém entende mas
Todo mundo quer ler
Ler pra ter cultura e como acabaram
com a censura
A mídia agora é o nosso Aiatolá
Ah, mas não se importe não
No final o bandido casa
com o mocinho
E o Best Seller vai pra
milésima edição … (raulzito)

Responder

Torquemada

04/10/2010 - 19h55

1 – Concordo que houve falta de politização, mas de parte dos eleitores da Marina e não apenas por culpa das campanhas.

2 – A perda de votos se deve, sim, ao affair Erenice e consequente escândalo feito pelo PIG, pois se o fato não refletiu nas pesquisas de imediato é porque certamente ficou ruminando na cabeça dos eleitores mais volúveis ou despolitizados.

3 – Junte-se a isso que de repente, não mais do que de repente a Marina passou a ser a queridinha da imprensa, de modo que foi o bastante para um monte de alienados políticos, daqueles que acreditam em duendes e em criaturas verdes, se bandearem para o lado da eco-capitalista.

4 – Só que agora acabou a bagunça de 4 candidatos e então a coisa se resume no “NÓS” ou “ELES”, de modo que os votos da futura gerente de marketing da Natura se resolverão da forma mais simples e espontânea possível, ou seja: Em favor daquele que tiver menor índice de REJEIÇÃO.

E o candidato quem tem o melhor índice de ACEITAÇÃO e o menor índice de REJEIÇÃO chama-se Dilma Vana Roussef !

Responder

Guilherme Milani, SP

04/10/2010 - 19h45

Aloysio Nunes, de arma em punho, assaltou o trem pagador em 1968. Portanto, seguindo a lógica da direita brasileira, o povo de SP, que sabe votar como ninguém (elegeu Tiririca com 1,3 milhões de votos, que lindo) mandou pro senado federal um verdadeiro BANDIDO. Resumindo: O pior terrorista é aquele que acredita e espalha boatos. Assassinato de reputação é como "morte morrida": Não tem volta!

Responder

Marcos Aarão Reis

04/10/2010 - 19h32

No essencial, Lula previu, e Dilma estava preparada, para uma eleição plebiscitária, mas Marina melou o plebiscito. Pois bem, agora não vai dar pra fugir da polarização. E vamo que vamo! Como sempre, sem medo de ser feliz.

Responder

Celso

04/10/2010 - 19h25

Marina não apresentou nenhum programa ou ideário que pudesse levar parte da população a votar na candidata. Ela representa uma parcela da população que mudou de status graças às políticas do governo Lula. Como se trata de uma população despolitizada e vem de estrato baixo da sociedade, acabaram por absorver todas críticas infundadas sobre o governo Lula, incluindo preconceito e a falsa impressão de governo corrupto. Essa população quer mais do ponto de vista pessoal. Vê na candidata a aspiração que deseja: ela se veste bem, educou-se, é próxima e bajulada por representantes de setores conservadores e ricos e é "politicamente correta", seja lá o que significa isso. Tem a cor e a cara dos brasileiros dos grandes centros que sempre estiveram à margem e procuram as igrejas para seus dramas pessoais. Há mais uma identificação na pessoa e a aspiração que desejam ao que ela representa politicamente. Não percebem que Marina é massa de manobra da direita e que o rancor é uma das faces de Marina, assim como a dissimulação.

Responder

Jussara Lou

04/10/2010 - 19h18

(continuação…)

Trago esta questão do grupo religioso Espírita que não vem sendo considerado nas discussões, apesar de ter perto de três milhões de adeptos e/ou simpatizantes, pois vejo como insidiosa essa manipulação feita pela Globo e também vejo (e respeito) o entusiasmo e alegria de muitos seguidores do Espiritismo, quando vêem suas crenças sendo divulgadas pela maior rede de TV brasileira, porém sem fazer uma análise crítica do significado mais profundo desse repentino interesse da emissora.
Uma teoria muito conspiratória? Pode ser, mas gostaria de ter interlocutores que me mostrassem que estou “viajando na maioneze” e que estou vendo “pêlo em ovo”, ou que “há algum coelho nesse mato” como diria minha mãe.
Abraço fraterno a todos aqueles que fazem este blog ser tão especial.
Jussara

Responder

    Ananda

    05/10/2010 - 00h53

    Jussara, já pensei nisso pois tenho amigos e tios espíritas que até gostaram da visibilidade que o espiritismo ganhou na TV e cinema. Me descreveram exatamente o que você falou, que a Globo incorporou uma novela aqui, outra ali, e agora assumiu pra valer a temática, inclusive nos filmes. Não acho sua teoria impossível em se tratando de Globo, já que os espíritas podem totalizar os 3 milhões que você falou, mas são muitas as pessoas que, mesmo tendo outra religião oficial, acreditam em espírito, em reencarnação e conceitos do espiritismo e assistem esses temas. Por outro lado, há jornalistas e atores espíritas na Globo, pode ser somente simpatia com o tema, sei lá. Quanto ao aborto, que o espiritismo não aprova, não creio que a Globo possa influenciar, pois na definição dos próprios espíritas, o espiritismo é uma fé raciocinada, que exige o uso da lógica e da razão para se compreender seus princípios. Isso não faz dos espíritas o tipo ignorante que se deixa conduzir ou se levar por qualquer coisa que leem, ainda mais boatos. Meus tios procuram sempre fonte e não é qualquer autor espírita que aceitam, mesmo entre os conhecidos. Eles discutem pra caramba, são críticos mesmo. E o espiritismo aceita o aborto quando a vida da mãe está sob risco, ou seja, não há radicalismo. Agora já vi espírita com medo de comunismo nas eleições de 2002 e de 2006. Ou seja, sempre tem os "fora da casinha" em qualquer lugar, com ou sem diploma, com ou sem religião, seja dessa ou daquela crença. Tomara que não sejam muitos.
    De qualquer forma, esse assunto ficou mal compreendido, creio que na primeira inserção do programa da Dilma, será esclarecido.

    Jussara Lou

    05/10/2010 - 01h39

    Grata, Amanda, por suas considerações.
    Infelizmente, uma grande parte dos espíritas no Brasil e principalmente os que moram fora do Brasil, não têm uma atitude tão crítica e raciocinada como os seus parentes e amigos.
    De qualquer forma é confortante saber que pelo menos uma outra pessoa percebeu que há alguma coisa estranha no ar.
    Abraço fraterno.

Jussara Lou

04/10/2010 - 19h17

Apesar de não ter acesso à TV Globo, mas por ser espírita, tudo isso me faz pensar que há algum interesse por trás dessas ações. No meu ponto de vista não é interesse da Rede Globo divulgar os princípios Espíritas, a menos que isso reverta em resultados financeiros e/ou outros para ela.
Assim, não me é difícil pensar que muitos dos que seguem a novela e a série, além dos programas de divulgação do filme de Chico Xavier, terminaram por ser influenciados pelas chamadas e reportagens distorcidas e manipuladas dos noticiários da emissora.
Depois de todos esses elementos acima citados, temos ainda a questão do aborto que é um assunto muito sensível entre os Espíritas, pois não o aprovamos por ser totalmente contraditório ao princípio da reencarnação, que é um dos fundamentos do Espiritismo.
Não quero aqui levantar nenhuma discussão sobre ser a favor ou contra o aborto, por considerar uma questão complexa e, em última instância, prezo sempre pelo respeito à liberdade de escolha (livre arbítrio) do indivíduo.
(continua…)

Responder

francisco.latorre

04/10/2010 - 19h17

eleitorado marinista..

[youtube mLcj3G6oe9M http://www.youtube.com/watch?v=mLcj3G6oe9M youtube]

..

Responder

Jussara Lou

04/10/2010 - 19h16

Olá, Azenha,

Com o único objetivo de contribuir para a avaliação dos últimos acontecimentos, gostaria de adicionar uma questão à discussão da influência dos grupos religiosos na campanha.
Menciona-se que dois grupos tenham sido influenciados sobre os boatos, especialmente sobre o aborto. Um grupo religioso que não é mencionado são os adeptos do Espiritismo.
Posso estar redondamente equivocada, mas desde o início do ano tenho sentido um certo desconforto vendo a Rede Globo usar de seus vários instrumentos para divulgar crenças Espíritas. Vejamos: produziram o filme sobre a vida de Chico Xavier e o divulgaram maciçamente; está no ar a novela “Escrito nas Estrelas”, que aborda princípios espíritas e junto com eles passam tantos outros tantos valores/crenças/idéias comuns que são veiculadas pelas novelas como frequentemente é denunciado na blogosfera; além disso, há a série “A Cura” que também trata de tema relacionado às crenças espíritas.
(continua…)

Responder

Eliana

04/10/2010 - 19h12

Azenha… todos erramos. Estou até agora de ressaca! Simplesmente não acreditava a medida que a eleição ia sendo apurada. Acho que foi uma somatória de fatores, mas muito mais a boataria e desinformação. Durante os debates ficava monitorando o debate pelo Observatório das Eleições onde iam aparecendo regiões do Brasil e msg vindas de twiter. O besteirol vindo dos jovens e da maioria esmagadora dos twiteiros era de arrepiar! Quase não acreditava que pudessem ter pessoas pensando aquilo… não levei a sério! Mas hj vejo que deveria ter levado a sério!
Hj, do alto da minha ressaca vejo que estas pessoas não só pensam como divulgam estas bobagens. Para ser sincera, nem quero reproduzir aqui o que li, mas podem fazer esta experiência em dia de debate! Acho que serve para balizarmos o que acontece em até 140 caracteres!
Um abraço e vamos, com outro olhar, para o 2º turno!

Responder

ruypenalva

04/10/2010 - 19h11

Tenho sérias dúvidas da capacidade de Marina transferir votos no segundo turno. No máximo ela transfere 20%. 50% do eleitorado dela já era de Serra e voltará para Serra e 30% ficará com Dilma. Marina não conseguiu transferir votos para os candidatos do PV a governador que não acompanharam sua votação, exceto no Rio (mas não foi por causa dela) e no DF, que, para ser sincero, desconheço as particularidades. O efeito Marina é mais psicológico e de uma certa maneira uma carteirinha para o eleitor evangélico.

Responder

Mário

04/10/2010 - 19h04

Mais do que o eleitorado da Marina, precisamos convencer esse povo do Norte/Nordeste a ir as urnas dia 31 de outubro, principalmente na Bahia.
Ranking das abstenções:

1º Maranhão – 23,97%
2º Acre – 22,71%
3º Alagoas – 22,11%
4º Bahia – 21,56%
5º Rondônia – 21,51%
6º Pará – 21,18%
7º Mato Grosso – 20,96%
8º Ceará – 20,05%
9º Amazonas – 20,03%
10º Piauí – 19,83%
11º Pernambuco – 19,41%
12º Tocantins – 18,49%
13º Paraíba – 18,48%
14º Minas Gerais – 18,43%
15º Mato Grosso do Sul – 18,13%
16º Goiás – 17,97%
17º Espírito Santo – 17,40%
18º Rio de Janeiro – 17,37%
19º Sergipe – 16,87%
20º Paraná – 16,46%
21º São Paulo – 16,44%
22º Rio Grande do Norte – 16,37%
23º Distrito Federal – 15,44%
24º Amapá – 14,88%
25º Rio Grande do Sul – 14,86%
26º Santa Catarina – 14,03%
27º Roraima – 13,98%

Responder

    Mauro

    05/10/2010 - 02h41

    Pena que os especialistas do PT não tenham a humildade de ouvir opiniões dos eleitores do PT, se os eleitores no nordeste fossem convencidos da importância de eles votarem talvez sua abstenção tivesse acompanhado a média nacional, mas como seria bom se tivesse acompanhado a média do sul do país onde o Serra conseguiu a maioria dos votos. No nordeste está o maior potencial de votos de Dilma.

Mauro Carneiro

04/10/2010 - 19h04

Azenha temos que levar em conta que o Presidente Lula e os burocratas do partido querendo eleger seu sucessor, interferiu em vários estados – Paraná, Minas Gerais, Maranhão. Nesses Estados não tivemos candidato a governador. No Paraná quiseram nos enfiar goela abaixo um latifundiário, em Minas um cavalo paraguaio e no Maranhão a fina flor da classe opressora. Isso gerou apatia na militância. Não houve no Paraná um candidato que atraísse votos para Dilma. Quem sabe agora sem ter o estorvo do Osmar consigamos incentivar e levantar a militância para levar Dilma a vitória.

Responder

    Carlos

    05/10/2010 - 09h02

    Palavreado de tucano enrustido semeando discórdia….

francisco.latorre

04/10/2010 - 18h56

aqui os eleitores marinistas..

[youtube mn_IWaBxCok http://www.youtube.com/watch?v=mn_IWaBxCok youtube]

Responder

Rafael Vilela

04/10/2010 - 18h52

Azenha,

Essas análises das razões para o segundo turno parecem se valer unanimemente da hipótese de urnas eletrônicas funcionando como deveriam. E se tiver havido fraude? Pode parecer teoria da conspiração, mas veja o que diz o site de um dos mais respeitados cientistas da computação deste país, Jorge Stolfi, professor titular da Unicamp:
http://www.ic.unicamp.br/~stolfi/urna/FAQ.html

Responder

antonio rodrigues

04/10/2010 - 18h37

Não foi "onda verde" nenhuma que derrubou a Dilma e nos com ela..
O povo brasileiro não esta nem ai para a natureza e a sua preservação.
As pessoas votaram na Marina pelo seu discurso moralista, direitista moderado, "Vou governar com os bons de todos os partidos".
Os emergentes, que a politica do governo Lula criou, são a própria cobra que o mordeu. Emergente sem uma politica de politização vira presa fácil para um discurso de direita. O cidadão que acabou de sair da pobreza, sem entender o porque, quer mais é se juntar aos ricos.

Responder

IV Avatar

04/10/2010 - 18h36

Essa de ignora o impacto do caso Erenice no progama de TV da Dilma foi de lascar.
Eu mesmo me esgoelei enviando emails para o PT colocar o Lula
E nada de Lula aparecer,
O programa continuou o tempo todo bem blazee, ignorando o que ocorria no mundo do eleitorado
Nada foi feito para conter a sangria provocada pelo terrrismo reliigioso a não ser na véspera da eleição, quando Dilma se reunião com lideranças cristãs

De forma que como não há mal que não venha pra bem dia 31 o eleitorado brasileiro estará sim, consciente do seu destino, de que rumo seguir, o que não ocorreu ontem, vi isso ao falar com os eleitores, totalmente por fora de tudo,

Então amigos e amigas, dia 31 é dia de plebiscito
SIM x NÃO para a política de Lula

Responder

Rafael, BHte

04/10/2010 - 18h32

Denúncias de escândalo na Casa Civil etc é assunto complexo q a maioria do nosso povo não alcança, apesar dos esforços didáticos dos neumanes e jabores, tb inúmeras palavras q são ditas num telejornal não são entendidas mas fala q a candidata fez trocentos abortos, q é atéia, q matou a sangue frio uns soldados do exército brasileiro, q era traidora da pátria, q é a favor de casamento gay etc q o estrago se alastra como incêndio! No último sábado tive q postar um contra-comentário num importante jornal espanhol pq um brasileiro imbecil postou lá q Dilma tá fichada na Interpol e esse 'privilégio' só têm os q possuem não sei quantos assassinatos nas costas! Louve-se o PT e PMDB em Minas não terem o usado o fato do candidato oficial ser abertamente gay e viver junto com outro homem. Essa 'informação' usada no esquema de boato como fazem com a Dilma poderia tirar-lhe inúmeros votos! O problema não é o sexo do candidato mas as mentiras da propaganda oficial: 'Minas avança nisso e naquilo' quando na verdade Minas continua a mesma porcaria na economia q sempre foi! Qdo secarem os minérios alugaremos os buracos para shows e raves e o vão entre as orelhas de alguns eleitores para o os bailes da 3ª idade… Minas parece q só avança mesmo é nos costumes, antes foi eleita uma vice-governadora lésbica assumida q depois tornou-se governadora! E a Marina q não quer casamento gay se fosse presidente? Como se relacionaria com Minas, como pode o cara ocupar o posto mais importante do estado e não ter o mesmo direito de ser casado como têm seus eleitores?!

Responder

    José Manoel

    04/10/2010 - 19h28

    Tá na hora de a Dilma botar os podres do Serra para fora se for usado golpe baixo, no segundo turno!!! Do pescoço para cima é bola!!!!!

Duarte

04/10/2010 - 18h32

Acho que não houve uma única causa. Há várias, mas cito 2:
1) O que explica a queda de Dilma é o voto religioso em primeiro lugar, "Erenice" em segundo. Por que alguém, despolitizado ou não, cogitou primeiro votar em Dilma e depois desistiu? São estes os 2 motivos visíveis.
2) Também identifico o voto BBB para ascensão de Marina, sobretudo entre os indecisos. Em geral jovens despolitizados, que escolhem o candidato pelo padrão Big Brother, escolhendo aquele com quem simpatiza mais, ou eliminando aqueles com quem simpatizam menos.

Responder

IV Avatar

04/10/2010 - 18h31

Este segundo turno foi bom pq o eleitor vai sair mais politizado deste plebiscito marcado para o próximo dia 31
SIM x NÃO para Lula
Claro que o Brasil vai dizer SIM!!!!

Responder

antonienko

04/10/2010 - 18h29

Taí, portanto:
Fernando Gabeira, o gay que odeia os gays,
Marina Silva, Ecologista que odeia o Acre, Amazônia, índios, …..,…..,….

Responder

    Juliana

    04/10/2010 - 19h43

    Olha a boataria aí!

PauloPalavra

04/10/2010 - 18h19

Cont… – A coisa tá feia pros tucanos!

A lógica é SIMPLES! Dos cerca de 20 milhões de votos válidos dados a Marina silva no 1° turno de 2010 (20% do eleitorado), 9 milhões são de EX TUCANOS que sempre detestaram o PT, mas tb não votam nunca mais no PSDB. Ou seja, serão 9% a mais de votos nulos! Dos 20% da marina sobrariam então cerca de 11%, dis quais cerca de 10 milhões iriam para dilma (dilma teria então cerca de 57% no 2° turno em 2010). De consolo, como erro estatístico, Serra levaria 1% dos votos da marina e ficaria com 33% no 2° turno. OBS: Estou considerando que os Debates entre dilma e serra dima vença, porém, Ó PIG se encarregaria de equilibrar com seus tradicionais factóides. Caso não consiga, a derrota tucana pode ser aind mais humilhante e repetir o que aconteceu com alkimico no 2° de 2006 quando ele teve menos votos que no 1° turno. Não seria nada impossível que serra fique abaixo dos 30% dos votos válidos. Aguardemos!!!

Responder

    Taques

    04/10/2010 - 19h19

    Realmente, "a coisa tá feia pros tucanos".

    Estão no segundo turno da eleição presidencial e nos dois maiores colégios eleitorais do país (SP e MG) venceram no primeiro turno.

    Tá feia, tá muito feia "a coisa" pros tucanos !!!

    Bonito tá pro Mercadante.

PauloPalavra

04/10/2010 - 18h18

Azenha , calma! Pense! Em 2006, no 1° turno, Lula obteve 48% do total dos votos válidos, já AlkimiCO, então candidato do PSDB, conseguiu 41% dos votos. Pois é. Lembra da heloísa H??? Ela conseguiu cerca de 7% dos votos e Cristovam Buarque 3% (ambos ex -petistas). E o que aconteceu no 2° turno em 2006??? Lula chegou a 61% dos votos válidos e Alkimico diminuiu para 38% dos votos (caiu 3%). Conclusão, os votos "DADOS" a heloísa H. e Cristovam (cerca de 10%) foram 100% para lula e lula ainda conseguiuu tirar 3% dos votos dados ao CHUCHU. Hj, no 1° turno de 2010, SERRA conseguiu "apenas" 32% dos votos válidos e Dilma com 47%. O desempenho de serra no 1° turno, é bem pior do que o do ALkimico em 2006 no mesmo período. São 9% a menos (cerca de 9 milhões de votos) e olha que serra e aécio tb, ambos do PSDB, venceram em 1°turno em SP e Minas respectivamente, tal como o PSDB vence hj. cont…

Responder

francisco.latorre

04/10/2010 - 18h17

sem falar que essa de manipular crente é tipicamente usamerika.

..

agora.. ver mais que modismo.. fazer ilação política.. nessa 'onda marina'.. é forcar a barra.

..

Responder

Cristiana Castro

04/10/2010 - 18h08

Onda verde estranha essa, né? Ninguém viu e ela atravessou o país inteiro ferrando com os vermelhos, salvando os azuis e não elegendo nenhum verde… Ô TSE,pó parar,né? A onda é verde mas a democracia é madura.

Responder

Rafael

04/10/2010 - 18h05

Temos que ter nesse momento um pouco de paciencia. Dilma fez uma votação melhor do que Lula em 2006. Contra Lula também houve a boataria sobre aborto, que ia acabar com a igreja e tudo mais. Fato é que serra fez uma votação bem menor que alkmim em 2006. Diferença de 8 milhões. Ficou claro que serra não esperava um segundo turno. Dilma tem 15 milhões de votos a mais que serra e agora no 2 turno a disputa é cara a cara melhor impossivel para Dilma desmascar serra e suas promessas falsas, que para mim é sinal claro de que não vão ganhar por isso fazem promessas falsas. A mídia ta empolgada com o segundo turno, mas não adianta daqui uns dias vao sair as pesquisas e vao mostrar Dilma bem a frente.

Responder

Corações e Mentes

04/10/2010 - 18h03

Onda verde-RELIGIOSA.

Responder

Rafael, BHte

04/10/2010 - 17h50

Os boatos foram mais decisivos e fizeram estragos maiores q as denúncias de corrupção. Poucos são os q lêem o 'contiudo jornalístiku' dos denunciantes e ainda se dispõem a votar mais à esquerda, no mais tudo é público quase cativo. Telejornal?! Ora, para a maioria é aquela chatura, aquela 'Voz do Brasil 2' q impede a novela de passar mais cedo! Jornais populares tratam de tudo de maneira rala e política é assunto proíbido.Agora boato meu filho, ah, isso sim detona uma 'reputation'! Veja, por exemplo, o caso q dizem foi inventado por um diretor para ferrar com um certo ator, o caso da cenoura, depois de de décadas até hoje inúmeras pessoas ainda se lembrarão! Não só li comentários em blogs do bem q davam notícias da mudança de opção de muitos após saberem de tal e qual boato no Pará, Pernambuco, Bahia etc. Em BH vi pessoalmente isso acontecer, 'saiu numa revista que a Dilma…'. Nosso povo tem a cabeça fraca, falta instrução,cultura e informação para formar opinião gosta de novela mexicana, onde as coisas são óbvias para não dificultar o entendimento. Alguns temas comovem de imediato como fazer mal a crianças (aborto), machucar pessoas (terroristas q são associados a Bin Laden ou semelhante), trair o país (Sobre guerrilheiros. Nem sabem o q foi a ditadura), não acreditar em Deus e por aí vai. Minha mulher q ajudou a debelar alguns desses incendios crê q a campanha de Dilma não se defendeu a tempo, a medida q iam surgindo, como a situação exigia!

Responder

Antonio Eduardo

04/10/2010 - 17h50

Dna. Marina em busca de vingança e do seu objetivo pessoal, tornar-se senhora do Acre aceitou e se aliou à direita e aos predadores da biodiversividade com um discurso empolgante mas vazio. Não resiste a um análise crítica, palavras soltas que fazem algum sentido nos ouvidos de uma população que mal sabe ler, quanto mais entender e avaliar.
No momento em que começou a dizer que deveria haver segundo turno, a máscara caiu e tive certeza que a maracutaia era muito maior. Maior a ponto de um canditato que estava em terceiro lugar, terminada a eleição era o senador mais votado no Brasil. De onde vieram estes votos? Penso que dos evangélicos, como a própria Marina o é. Os institutos de pesquisas ainda que alguns não trabalhem com seriedade não poderiam ter errado tanto. Penso que na semana que antecedeu as eleições, nas reuniões destas igrejas, foi dado o recado, votar neste e naquele. Só isto explicaria o fato do Alckimin ter sido reeleito depois do que fez no governo anterior.
No NE houve uma absteção muito grande o número de votos a favor da Dilma foi muito grande e um outro aspecto.
Hoje, São Paulo com nosso povo, sua maioria, é o estado mais atrasado do Brasil.
Sou da classe média e bastava conversar com qualquer um para ouvir opiniões absurdas sobre o atual governo e os elogios ao governo estadual.
Foi o povo de São Paulo que elegeu um mentiroso para governador e agora lhe deu uma votação estrondosa.
Eu tenho amigos que reclamam e muito, com razão, dos pedágios e no sábado dois deles afirmaram peremptoriamente que votariam no Serra e no Alckmin porque jamais votarão no PT.
Outros diziam não ter mêdo do Lula mas tinham medo da Dilma e do que ela poderia fazer. Esta é a conversa!
Ontem São Paulo em peso votou pelo Avanço do Atraso, um novo governo do PSDB e as primeiras notícias já mostram o Alckmin se mexendo para recurperar os antigos projetos de privatização do Metrô e das rodovias que irão continuar mais acelerados.
O mesmo paulista e paulistano que reclama do pedágio, da bandidagem na Controlar, da promessa não cumprida que a inspeção seria gratuíta, que reclama das filas para fazer a tal revisão é o mesmo paulista e paulistano que em sua maioria depositou mais de 1,3 milhão de votos em um palhaço ( no mau sentido) e reelegeu um governador medíocre.
Tão medíocre que foi escolhido vice pelo Covas para que o brilho da prima-dona não fosse empanado.
São Paulo Avante para o Atraso.
Poderiam substituir o lema na bandeira, este faz jus ao pensamento e as atitudes do povo deste estado.
É e foi a mesma atitude que na campanha do Collor a pretexto de eleger uma terceira via, inflaram a candidatura Covas para isolar o Brizola e entregar o poder ao Color.
Uma beleza de povo, uma vergonha!

Responder

Marco

04/10/2010 - 17h47

Creio que o apoio de Marina agora é insignificante. Marina não é a líder dos 20 milhões de votos que recebeu, muito menos o PV, um partido com muitos caciques e nenhum índio. Quem votou em Marina, guardadas as devidas e grandes proporções, o fez imbuído das mesmas razões de um eleitor do 'Tiririca". Um voto de protesto, de revolta, a busca de uma alternativa ou mesmo um achíncalhe e uma demonstração da insatisfação do quadro político atual.

Marina não tem esse poder que acham. (Príncipalmente a mídia). Mesmo se ela se pendurar na Dilma ou no Serra, a rigor isso não significará nenhuma transferência de voto. O eleitor da Marina não é ideológico. Votou nela por ser "diferente" e "novo". A graça disso já acabou ontem.

Mais importante que buscar o voto dos supostos 20 milhões de "verdes" , o PT precisa ir ao encontro dos milhões que se abstiveram. Esses sim uma base de eleitores muito maior e que poderá reolver o segundo turno com facilidade em favor da Dilma.

Espero que o PT não cometa a tolice de correr atrás da Marina. Será perda de tempo e votos.

Responder

Remindo Sauim

04/10/2010 - 17h44

Em tempos de coalizões, ficar sozinha é crime grave. Ou ela entra no jogo político ou some como a Heloísa Helena. A Marina está mais para o PT/PSB/PMDB do que para o PSDB/DEM. Mas quem é mesmo o eleitor de Marina? Alguma porcentagem é voto de protesto contra os outros dois candidatos, alguns são de esquerda e outros de direita, estes interessados na questão ambiental. Os votos de protesto provavelmente serão anulados no próximo turno e os outros provavelmente migrarão para os seus campos, só nos resta saber quanto para quem. Para a Dilma bastam 18% dos votos da marina e ela já chega nos 50%. O lado do Serra me parece muito mais difícil de conseguir. não perder nenhum voto e conseguir mais de 82% dos votos da candidadta verde.

Responder

Paulo - Recife

04/10/2010 - 17h41

Do arco que empurra a flecha,
Quero a força que a dispara.
Da flecha que penetra o alvo
Quero a mira que o acerta.

Do alvo mirado
Quero o que o faz desejado.
Do desejo que busca o alvo
Quero o amor por razão.

Sendo assim não terei arma,
Só assim não farei a guerra.
E assim fará sentido
Meu passar por esta terra.

Sou o arco, sou a flecha,
Sou todo em metades,
Sou as partes que se mesclam
Nos propósitos e nas vontades.

Sou o arco por primeiro,
Sou a flecha por segundo,
Sou a flecha por primeiro,
Sou o arco por segundo.

Buscai o melhor de mim
E terás o melhor de mim.
Darei o melhor de mim
Onde precisar o mundo.

Responder

francisco.latorre

04/10/2010 - 17h32

crentes. católicos. leblon. vila madalena. essa a 'onda'.

..

ô azenha..

essa operação 'assusta crente' lembra muito a operação 'assusta camponês' armada pelo ned-cia pra eleger o liberal-entreguista yeltsin. na rússia.

muita coincidência. não é coincidência.

..

Responder

    Saul

    04/10/2010 - 18h18

    Hahaha…tá comparando os evangélicos aos camponeses…quantos mais tiros no pé?

    francisco.latorre

    04/10/2010 - 19h06

    ô mané..

    se informa.

    a manipulação foi exatamente a mesma.

    e quem comparou evangélico a camponês?..

    aprenda a ler.

    ..

Camilo

04/10/2010 - 17h30

Nada mudou , nem o proprio LULA se elegeu no 1o turno , o numeros sao bem parecidos com 2002 e 2006 , tem uma fatia do eleitorado que aprova mas tem vergonha de votar no PT e é influenciado pelo PIG e chega na H acaba votando em uma 3a opção , mas no 2o turno entre o passado ruinoso dos tucanos e o avanço economico do PT acaba vontando no PT …

Responder

    Jairo_Beraldo

    04/10/2010 - 18h15

    Tomara Camilo. Isso funcionou com Lula, mas será que vai com Dilma? Tenho ouvido, que Lula se entusiasmou e perdeu a humildade. Pode ser…

M. Klimberger

04/10/2010 - 17h29

Há um dado que gostaria de passar a você, Azenha e aos comentaristas e que me parece o cerne dessa tal "onda verde": eu resido em Resende (RJ) em bairro proletário e tenho maioria de vizinhos evangélicos com um templo bem em frente a minha casa. Nos três últimos dias, eu que sempre fui muito cordial com meus vizinhos e acreditava no respeito deles, vi mudança profunda de atitude. Um cartaz da Dilma em minha porta foi arrancado com violência. Pessoas deixaram de me cumprimentar sem qualquer razão e criou-se clima de hostilidade que não tem justificativa contra quem havia até ajudado a edificação desse templo evangélico com material de construção e sempre havia sido bem tratado por todos, talvez em respeito a minha idade e o fato de ser jornalista com maior dose de estudo curricular na minha rua. Essa mudança doe-me profundamente e agora há pouco falando com um desses vizinhos, ouvi a frase "é que você apoiou essa satanista, adultera e assassina de criancinhas (aborto)"… A crueldade dessa atitude talvez explique alguma coisa. A campanha dos "pastores" teve papel importante e a campanha de Dilma não soube se posicionar para se contrapor a tempo a essa baixaria. Marina, por seu lado tem para eles a "qualidade" de ser "uma crente". Não sei como encarar meu amanhã pois meus vizinhos jogaram uma convivência positiva no vazio de um futuro que me angustia. Esse é um dado concreto e real e creio que ele se repetiu Brasil afora e agfora vai ter Serra ajoelhado diante de púlpitos e padres católicos e pastores dustribuindo DVDs, CDs e pregando contra Dilma as maiores barbaridades… O ateu Serra de 1964 vai virar o mais santo dos homens religiosos. É de uma tristeza profunda esse quadro.

Responder

    Julio Pegna

    04/10/2010 - 17h49

    Perfeito seu ponto de vista, Klimberger. O fator igreja deu a Marina mais de 7 milhões de votos, com absoluta certeza. O discurso verde nunca empolgou mais que 10 a 12%; Marina nem foi tão verde, Nem limpa foi!
    Outro fator que pesou, com certeza, foi a enorme abstenção nas regiões norte/nordeste. Só na Bahia foram mais de 20%, ou seja, menos um milhão e oitocentos mil votos. Destes, 62% iriam para Dilma …

    AlunoJ

    04/10/2010 - 18h33

    Na verdade as pessoas elas podem se redimir. E normalmente elas se convertem para o evangelhismo.
    Você deve ter olhado as suas atitudes perante aos seus "colegas" de igreja e vizinhos.
    Não deve ter se repercurtido por todo o Brasil, pois o povo que realmente é de Deus não faz isso.
    Você tem certeza que realmente foram os seus vizinhos que arrancaram a placa da Dilma? Ou está acusando-os injustamente, enquanto poderia ser um vândalo da rua? Pesquise,veja e debata. O povo só quer o melhor para ele.

Fefeo

04/10/2010 - 17h03

Acho que estão dando uma importancia desmedida a quem esta senhora marina vai indicar.

Responder

    Lucas Cardoso

    04/10/2010 - 18h07

    Ela teve vinte por cento dos votos. Isso é muita gente. De qualquer forma, não voto por indicação, e, principalmente, não voto no Serra nem se Deus aparecer pra mim como uma árvore em chamas. Acredito que a maior parte dos outros eleitores da Marina também não. Minha esperança era um segundo turno entre ela e a Dilma. Não aconteceu, então não há dúvida que a Dilma é a única opção sensata. Por falar nisso, companheiro, onde se arranja um daqueles broches com a estrelinha vermelha? :)

    Jairo_Beraldo

    04/10/2010 - 18h17

    Vai indicar seu próprio umbigo. Depois de voar em jatinho de U$50 mi, ela vai dar chance para alguém?

Rogério Marcus

04/10/2010 - 16h57

Verde Novo

Outubro é verde
Verde novo o azul-cadáver?
Verde novo o marrom-folha?
Verde novo morrer o país que nascia?

Qual vai ser o tom do verde?
Verde-azul hipocrisia?

Verde, observa tua raiz
Me diz que não vais com essa planta,
Que não se encanta com a gente mesquinha,
Que não és erva daninha.

Outubro é verde
Verde novo o azul-cadáver?
Verde novo o marrom-folha?
Verde novo morrer o país que nascia?

Verde, fala pra mim
Que não te prestas a qualquer jardim
Que não plantas o teu próprio fim
Que tua seiva não é veneno.

Verde, me diz
Se tua raiz se mistura no azul
De um cadáver que a custo enterramos
E que quer reviver nos teus ramos
Que quer tua seiva e tua cor.

Verde, me diz
Que não matarás a tua planta,
Que vais resguardar a tua flor.

Outubro é verde
Verde novo o azul-cadáver.
Verde novo o marrom-folha.
Verde novo morrer o país que nascia?

Responder

    Ariadne Jacques

    04/10/2010 - 18h23

    Rogério,

    A História sempre foi nossa madrasta, mas não há de sê-lo agora! Ainda temos a Esperança, lembra! Vamos lutar até o fim. Seu poema tingiu meu céu de vermelho!

Andre Paulo

04/10/2010 - 16h56

Partido verde e Katia Abreu (DEMO), tudo a ver????
Marina – soma todos os prós e contras, respira fundo mostra a tua cara!!!!
Tu estas muito mais perto do Lula

Responder

paulo gimenes

04/10/2010 - 16h45

Por que Marina ganhou no DF. Temos que analizar os pqs? Pq os Companheiros bancários estão em gréve? por que o funcionalismo federal esteve tanto em gréve? Por que os Correios esteve tanto em gréve? Por que os petroleiros entraram tanto em gréve? Por que faltou militância na rua? Onde está a militância? Aqueles que gastaram do seu bolso para eleger Lula desde 1989. Acredito que o projeto que DILMA defende é o melhor e que se for seguido acabaremos com a miséria, anafalbetismo e outras mazelas . Alguém quer o Serra. . Só os preconceituosos ou desinformados E ESTES SÃO POUCOS, MUITO POUCOS.
Agora tem que aprender a tratar os nossos. Não é privilegiar, é saber tratar, respeitar, conversar com aqueles que nos são caros.
Isso também ajudou mais a irresponsabilidade dos boateiros e outros viajantes

Responder

zinguinha2009

04/10/2010 - 16h44

Meu pai sempre dizia:
-”Enquanto existirem certas instituições religiosas e certos religiosos sempre haverá miséria”.
Caro Azenha, V.Sa. sabe melhor do que ninguém que a questão do aborto debatida no meio religioso foi apenas uma cortina de fumaça.
Em oito anos cerca de 24 milhões de brasileiros sairam da linha da pobreza e 31 milhões ascenderam à classe média.
É sabido que em países onde há estabilidade econômica e a população tem conforto material, só se buscam instituições religiosas para prestar culto racional a DEUS (o que é bíblico).
Em compensação, onde abunda a miséria, certas instituições religiosas (algumas SECULARES), tem um “mercado” infinito para comercializarem seus “carnês-do-baú” celestiais onde a prosperidade e a solução para todos os problemas está em quanto $$$$$ vc pode dar.
Sendo assim, como aceitar a continuidade de um governo que está prestes a “melar” o ganha-pão de certas instituições?

Responder

    Marcos C. Campos

    04/10/2010 - 17h26

    Não é bem assim que ocorre.

Paulo rauen

04/10/2010 - 16h36

Portanto, esse "movimento", sem a campanha dos deputados, perde muita força. E quem vendeu (e vendem mesmo e votam, não se iludam) o voto no primeiro turno, para repetí-lo, tende a querer mais grana e não vai ganhar. Aí, na maioria das vezes, ou vota em quem queria mesmo votar, ou vota contra aquele no qual votou no primeiro turno, por despeito. Potanto, sob este aspecto, o Serra perde. Então, se a Dilma conseguir somente manter os votos que teve no primeiro turno, estará eleita, pois além do Serra perder alguns votos que ganhou porque foram comprados, uma parte dos votos da Marina migrará naturalmente para sua candidatura. Logo, o grande esforço que terá que ser feito, não é nem buscar o apoio da Marina, que no meu entender não terá tanta capacidade de transferência de votos como querem fazer crer, mas conter a fúria da mídia golpista, que vai tentar por todos as formas massacrar a candiudata petista na tentativa de desmoralizá-la e fazê-la perder votos.

Responder

Paulo rauen

04/10/2010 - 16h36

Só que o fator econômico, traduzido na compra de votos, não vai atuar de forma tão decisiva no segundo turno. Primeiro, porque, como aqui a eleição decidiu-se no primeiro turno, os locais não vão depositar mais grana para eleger o Presidente. Segundo, porque quem faz os "esquemas" são os candidatos a deputado, que compram votos para si e "casam" com os votos dos candidatos a governador e a presidente.

Responder

    Jairo_Beraldo

    04/10/2010 - 18h19

    tem um pouco de fantasia aí, Paulo. Os eleitos vão para o front, para tentar eleger quem lhe dará vida boa.

Paulo rauen

04/10/2010 - 16h35

Só quem participa ativamente das campanhas têm boa noção disso. E aqui ninguém me tira da cabeça que a compra de votos, que se concretiza na véspera da eleição, reverteu a tendência das pesquisas. A coligação chama da tríplice aliança (DEM-PMDB-PSDB) dispunha de muito poderio econômico. Ângela Amin tinha só o tradicional nome da família e a herança política de várias batalhas nas urnas e s dois mandatos do marido, Esperidião, como governador.

Responder

Paulo rauen

04/10/2010 - 16h35

Tem um fator que ninguém leva em consideração na discrepância dos resultados finais em relação às pesquisas eleitorais. A compra de votos. Sim, isto mesmo. A compra de votos. Aqui em Santa Catarina as últimas pesquisas apontavam segundo turno e a vitória de Dilma sobre Serra a menos de 4 dias das eleições. Como se sabe, os votos no PT são mais ideológicos. Os da direita, além de ideológicos, existem os votos cooptados com a força da grana.

Responder

    Marcos C. Campos

    04/10/2010 - 17h33

    Parece que no Paraná também ocorreu. Dois candidatos a deputado estadual praticamente não fizeram campanha (na capital) e, apesar de terem os nomes sujos na praça politica depois do caso de fantasmas na As. Leg., se reelegeram. Como ? $$$

ratusnatus

04/10/2010 - 16h31

Mas não é que o Ciro tinha razão e o Lula estava errado.

Agora vai correr um risco desnecessário. Se tivesse o ciro junto, não teria risco.

Lula errou!

Responder

    Jairo_Beraldo

    04/10/2010 - 18h20

    Sempre coloquei isso. Porque PALOCCI e não CIRO? Foi muita segurança…agora a coisa tá feia.

Herbert Medeiros

04/10/2010 - 16h25

Caro Azenha

Penso também que não se possa, de todo, subestimar o significado simbólico da Marina na disputa política. Primeiro porque a presença da candidata do PV despolarizou o jogo político que muita interessava ao governo e sua candidata, mostrando que a política não se move ao gosto dos quereres de quem está no poder. Segundo, desfocou a discussão da campanha que estava centrada mais no aspecto econômico. Não se está a dizer que a simples presença da Marina na campanha contribuiu para aprofundar debates importantes no país. Nem na questão ambiental – ponto forte do curriculo da candidata – percebi consistência e proposições concretas. Algumas palavras de efeito como "Visão Estratégica das ações governamentais", "Transversalização para pensar a questão ambiental" e outras expressões foram seu lema da campanha.

É também preciso considerar que Marina mobilizou, talvez, uma fatia significativa do eleitorado de classes médias e alta: jovens universitários, profissionais liberais, servidores públicos com maior nível de renda, intelectuais e artistas sensíveis a causa ambiental. Com o discurso, ao meu ver, simplista sobre a necessidade de se governar o país, aliando desenvolvimento econômico com sustentabilidade ambiental, atingiu setores desse eleitorado que não viam em Dilma e Serra respostas a essas questões.

Quando digo que o discurso de Marina é simplista no tocante à relação entre crescimento econômico e meio ambiente é porque a mesma não apresentou ao longo da sua campanha caminhos, mesmo que pontuais, para equacionar esse dilema. Alguns pontos que não foram elucidados pela ex-ministra do Meio Ambiente: Quais parâmetros seriam conduzidos o agronegócio no país? Que ações integradas o governo tomaria para fiscalizar e controlar a produção de alimentos transgênicos? Que contrapartida o governo negociaria para que setores da atividade econômica incorporassem, de fato, à questão ambiental em suas agenda de negócios? Qual o sacrificio que esses setores fariam para se ter um país sustentável? Que dialogo manteria com a sociedade civil, empresas e governos para construir um pacto de sustentabilidade? E os povos indigenas como ficariam com suas terras? E a politica da reforma agrária se pautaria em que visão de sustentabilidade? Posso estar equivocado, mas as falas ambientalistas do PV é discurso para inglês ver.

Por fim, o fator Marina nessas eleições teve sim um ingrediente de votos dos setores religiosos conservadores que projetavam nela suas convicções religiosas, logo queriam varrer da campanha temas que consideravam como 'degradantes moralmente': aborto, casamento homoafetivo, descriminalização das drogas, bandeiras feministas etc. O ‘degratante’ pode até não ser dito explicitamente, mas ideologicamente a percepção sócial, cultural e histórica de muitos religiosos é essa.

Também não se pode negar que a Midia Mercantil, oportunista como sempre, montou na garupa da Marina para empurrar o Serra para o segundo turno. Já disse em outro momento e reafirmo, a Mídia tradicional, com seu conservadorismo, quer não só influenciar o modo de perceber temas importantes da sociedade, como, principalmente, quer ampliar seu 'fluxo de caixa'. Se o balanço contabil das empresas der negativo no fim do mês, as favas ética, manuais de redação, principios republicanos, democracia e outras 'verdades'.

Responder

    Marcos C. Campos

    04/10/2010 - 17h42

    Se o verdes tivessem as respostas a estas perguntas (do segundo paragrafo) sem apelar para tecnologias caras (como por ex. eletricidade a partir de energia solar) já seriam governo (maioria absoluta) na Alemanha, França e etc. Até eu votaria neles com prazer. O problema é que eles, bem como a esquerda não tem resposta pronta para isso.

    Aí é que está a questão do desenvolvimento sustentavel . Tecnologia avançada de baixo custo e alta produtividade ainda não existem em todas as áreas. Neste campo estamos apenas começando.

Antero Vaz

04/10/2010 - 16h22

Precisamos nos mobilizar para garantir o apoio do Tiririca.

Responder

Liz maria

04/10/2010 - 16h10

ERADICAR A IGNORÂNCIA DO POVO DE S. PAULO DE UMA BOA PARTE DO BRASIL….
ERRADICAR O PRECONCEITO….
ERRADICAR A MALICIA A MALDADE, A CALÚNIA….
ERRADICAR A VAIDADE POR PODERES…
ERRADICAR A INVEJA….
ERRADICAR A GANÂNCIA E AMBIÇÃO
ERRADICAR A FALSIDADE E HIPRCRISIA…
ERRADICAR A MENTIRA P/ SE PROMOVER
ERRADICAR O FALSO TESTEMUNHO…
ERRADICAR O FALSO MORALISMO…
ERRADICAR OS FALSOS CRISTÃOS QUE PROMOVEM A SEPARAÇÃO ENTRE AS PESSOAS E NAÇÕES
ERRADICAR A PEDOFILIA ENTRE OS DITOS RELIGIOSOS QUE É BEM PIOR DOQUE DIZER QUE NÃO TEM UMA RELIGIÃO…
ERRADICAR O EGOISMO…
ERRADICAR A FOME A MISÉRIA E A FALTA DE EDUCAÇÃO P/ OS QUE MAIS PRECISAM
ERRADICAR A FALTA DE CONHECIMETO E DE CULTURA
ERRADICAR A FALTA DE AMOR AO PRÓXIMO, A FALTA DE SOLIDARIEDADE E DE FRATERNIDAD e COMPAIXÃO..
ERRADICAR TUDO QUE É NOCIVO E INCIVILIZADO NUMA CAMPANHA ELEITORAL, TUDO QUE É MEDIOCRE, PEQUENO, SÓRDIDO QUE FOI APRESENTADO POR CERTOS CANDIDATOS P/ PODER GANHAR NOTORIEDADE E P/ GANHAR ALGUNS VOTINHOS A MAIS…
ERRADICAR A FALTA DE LIBERDADE DE EXPRESSÃO DE SE NÃO PODER MANIFESTAR A FAVOR DA VERDADE…
ERRADICAR É FALSA IMPRENSA QUE COLOCA INFORMAÇÕES DISTORCIDA SEM DÁ ESPAÇO P/ A PESSOA QUE ESTÁ SENDO INJURIADA …
Maria uma simples dona de casa que hoje se sente triste e indignada de ver tanta injustiça, tanta sujeira, só para ter seu instante de poder e de glória?…é deprimente…Obrigado Azenha por este espaço por poder abrir o coração e falar..mesmo que c/ isso não vá mudar nada…infelizmente!

Responder

Orsola Ronzoni

04/10/2010 - 16h10

Análise serena e bem fundamentada. Só faltou acrescentar a ela a existência de um líder extremamente popular dentro do partido. Esse fenômeno “é uma faca de dois legumes” como dizia o presidente do Corinthians de saudosa memória. Por um lado, escorado na sua fantástica popularidade, ele leva o partido à condição do mais importante do país mas, ao mesmo tempo o transforma em refém de seus humores, e nenhum dos seus filiados ousa contrariá-lo.
Alguns exemplos ilustram isso. Aloizio Mercadante, mesmo exercendo um papel de destaque dentro do PT, já se submeteu vexatoriamente à vontade do chefe: a decisão “irrevogável” no Senado, e agora se candidatando a governador de São Paulo, mesmo sabendo que levaria a mesma surra de 2006.
Marta Suplicy nesta campanha passou pelo constrangimento de fazer propaganda ao lado de Netinho, tudo porque o chefe exigiu. Quando apareceu na televisão ao lado de um notório espancador de mulheres, violentou-se e sujou o seu passado de luta a favor da mulher.
Por fim, o maior sapo já engolido pelos próceres do PT e pela sua aguerrida militância: Dilma Vana Roussef. Quem em sã consciência recebeu com entusiasmo a indicação dela para presidente? Uma arrivista que chegou ao PT há pouco tempo, e que em 1989 era aliada do mais notório desafeto do PT: Collor de Mello. Mas, de novo quem ousaria contrariar o capo. Ela pode ser eleita? Pode. Mas como irá se comportar o ex-presidente? E ela aceitará para sempre o papel de títere? Com a palavra o Zé Dirceu.

Responder

    Rafael

    04/10/2010 - 16h27

    Em que mundo tu vive?

    Orsola Ronzoni

    04/10/2010 - 19h08

    Num mundo real. Agora, tu pelo jeito vives no mundo quimérico da propaganda eleitoral do PT.

    Henrique I Martins

    04/10/2010 - 16h34

    Dilma aliada de Collor em 1989?

    Acho que você confundiu Fernando COLLOR de Mello com Alceu COLLARES, prefeito de Porto Alegre pelo PDT e aliado de Lula no segundo turno de 1989.

    Ou está querendo intrigar, mesmo.

    Orsola Ronzoni

    04/10/2010 - 19h05

    Tanto Alceu Collares quanto a Dilma Roussef ajudaram Leonel Brizola em 1980 a criar o PDT, depois que Brizola perdeu o PTB para o grupo de Ivete Vargas. O PDT aliou-se a Fernando Collor de Mello. Eleito governador do Rio defendeu Collor com unhas e dentes até o seu impeachment em 1992.
    Em 2001 Dilma virou a casaca e entrou no PT.
    Não é intriga meu caro, é história.

    Michel

    04/10/2010 - 21h26

    Desculpe , mas sou gaúcho e nas eleições para presidente em 89 o Brizola e todo o PDT do RS apoiou o Lula, tanto que elle levou uma surra histórica aqui no RS naquela eleição, a Dilma não existia politicamente, mas já tinha passado peloo governo do Collares que durou até 88 e também apoiou o Lula, não sei onde tiraste essa história.

    Orsola Ronzoni

    05/10/2010 - 10h36

    Na época dessa entourage Brizola estava distante do Rio Grande do Sul. Era governador do Rio de Janeiro. Foi um crítico severo da CPI que investigava o esquema de Paulo César Faria, o PC, e as vinculações com Collor. Afirmava que Collor de Mello estava sofrendo um golpe.

    Marcos C. Campos

    04/10/2010 - 17h57

    O Zé Dirceu seria um bom candidato do PT se não tivesse sido tão queimado pela midia. Mas acredito que Dilma pode representar um novo patamar (paradigma) também , assim como eleitoralmente Marina foi, se for bem explorado seu perfil de gestora compromissada com a inclusão social e outras bandeiras e reivindicações populares.

    Lula pisou feio tambem em MG. No segundo turno Helio Costa é capaz de fazer campanha para Serra. Mss isto tem que ser tratado como passado. Vamos olhar para frente.

Vantuil Barbosa

04/10/2010 - 16h05

Sempre acreditei que a igreja, seus pastores e padres pregavam a verdade, a boa nova, não a boataria, e ou o falso testemunho. Mais uma farsa que a internet derrubou.

Responder

Alexandre

04/10/2010 - 16h01

Espero que Dilma não caia na tentação de se aproximar do discurso conservador da direita religiosa, porque isto não lhe traria votos; ao contrário, iria apenas fazer com que ela fosse vista como falsa, da mesma forma que o Serra soou a todos extremamente falso quando tentou se aliar a Lula no horário eleitoral. É preciso, isto sim, colocar ideias e valores em primeiro plano nesta segunda fase da campanha, deixando um pouco de lado o discurso do continuísmo — que funciona até certo ponto e creio já ter esbarrado em seu limite natural. Os votos dos que optaram por Marina devem ser conquistados com base em ideais. E esta talvez seja a grande dificuldade da campanha no segundo turno, devido ao perfil de Dilma.

Responder

    Marcos C. Campos

    04/10/2010 - 17h48

    Apoiadíssimo.

Dinha

04/10/2010 - 15h53

Wladimir Pomar alertou sobre esse segundo turno há dez diaz aqui no Vi o mundo mesmo. Texto excelente que se liderança do PT tivesse lido e pensado sobre ele, não teríamos que voltar às urnas dia 31.

Responder

    José Manoel

    04/10/2010 - 19h31

    Esse era o momento do livro do Amaury Ribeiro Jr. ter sido lançado! Seria o caos para o Zé Caixão!!!!

henrique de oliveira

04/10/2010 - 15h53

Não considero que houve onda verde , o que houve foi que alguns idiotas pensaram em ferrar o Zé pedagio e acabaram ferrando a DILMA.
Marina não tem cacife nem paraser ministra pois se os verdadeiros eco-logistas tivessem feito um balanço de sua passagem pelo ministério do meio ambiente fariam campanha contra ela.
Se o BRASIL governado pelos demos-tucanos foi um desastre de trem já imaginaram com Marina , seria o fim do país.

Responder

    Armando do Prado

    04/10/2010 - 16h04

    Basta dizer que foi derrotada no Acre que sabem quem é marina.

Murilo Moreira

04/10/2010 - 15h49

Como professor do segundo grau a conversa a respeito de eleições é inevitável, e vejo claramente que ao contrário de quando eu estava me formando no segundo grau com 18 anos em 1993, o jovem de hoje é muito menos politizado, são alienados aos acontecimentos, entram em qualquer moda ou tendência, não analisam o passado da história e o pior pouco se importam com o que aconteceu no Brasil antes do governo Lula. A alienação das midias digitais esta cada vez mais deixando a jovem brasileiro num imenso vácuo de cidadania. É triste mas é a realidade, pois eu que sempre pensei que os jovens do futuro dariam o tom na política, estão se direcionando à tendências de extrema direita, por pura influência de outras pessoas que detém o poder da comunicação. Basta olhar pelo simples fato de que a candidata Marina que era do PT e assim como outros sairam do PT por falta de espaço interno e hoje posam de novidades e a juventude vai na onda. Penso que a Dima pode nunca ter sido eleita pra cargo nenhum, mas é a nossa melhor opção. Votar no Serra é colocar a extrema direita novamente no congresso, é colocar aqueles que esteveram lado a lado com a ditadura novamente no poder, e a unica polarização que esta ocorrendo é entre aqueles que querem essa gente de volta e aqueles que acreditam que o Brasil deve andar sem eles, mas nossa juventude cada vez mais alienada esta afundando na midia, infelizmente

Responder

    roseli

    05/10/2010 - 01h42

    Bom, nao sei vc, mas tenho 60 anos…Estamos brigando tanto na verdade para deixar um Brasil mudado e melhor para eles, (para minha filha em particular hehehe ) mas concordo com esse distanciamento deles do dia a dia das noticias (nem sei se isto é ruim pois noticiarios de Tv e jornais são lamentáveis….) só que sem se informarem mais a fundo quando precisam pegam só os tópicos no ar ou através de emais da Internet e dai vem com essas ….Dilma nao pode sair do Pais….
    ..é terrorista, etc
    Preocupante!!! Mas afinal o mundo e o Brasil é para eles….eles que tem que saber o que vao querer!!!!

Mauro

04/10/2010 - 15h49

Canal Viva, da Globo, começa a reprisar a novela Vale Tudo hoje, primeiro dia do segundo turno. Detalhe: Odete Roitman, considerada a maior vilã da história da teledramaturgia por mais vinte anos, tem aparência exatamente igual a da Dilma. Outro detalhe: a Globo está fazendo uma campanha pesada em várias mídias para divulgação da novela. Leia mais: http://www.adnews.com.br/lerrss.php?id=109104

Responder

D.O.P.

04/10/2010 - 15h47

Para antídoto aos boatos pseudo religiosos de nível mental infanto juvenil, além dos já sugeridos, que tal Dima e Lula aparecerem em programas do H.E., fotos, cartazes e santinhos ao lado dos aliados políticos de orientação cristã? Não só os evangélicos, comoos catrólicos.Aonde estão as pastorais? Que tal Crivella ao lado de Dilma e Luís Inácio nos santinhos e cartazes?
Á vitória, com Dilma, Brasileiras e Brasileiros de bem.

Responder

Maria - Recife

04/10/2010 - 15h46

Conheço inúmeras pessoas que votaram em Marina, mas que na realidade nem lêem jornais, não se aprofundam em nada e não estão nem aí pros interesses da coletividade ou da natureza. Consumistas desenfreados. Mas querem aparecer como o eleitor "cabeça", moderno, intelectualizado.
Não penso, sinceramente, que o discurso de Marina é tão coerente quanto todos os jornais querem apresentar. Acho, sim, que a mídia, como sempre, influenciou e criou uma imagem alternativa só objetivando a levar Serra ao segundo turno. E conseguiram. Como é fácil se deixar manipular e ainda pensar que são donos da própria opinião…
Quais as opiniões dela em relação ao aborto, homossexualismo, drogas? Ela sempre fala em plebiscito, não vai a fundo nas questões nem arrisca perder os dois lados que a apoiam: classe média que quer ser "cabeça" e evangélicos mais conservadores.

Responder

    Paulo

    04/10/2010 - 16h12

    Maria,
    Como você, resido no Recife (Casa Forte). Sou professor universitário (Ph.D.). Não me julgo mais "cabeça" do que ninguém. Junto com milhões de brasileiros, de pernambucanos particularmente, votei em Marina (visite minha página "Marina e Recife, tudo a ver", na internet desde o início do ano). Agora de manhã saí pela rua e vi alegria no rosto das pessoas. Alegria de quem derrotou a prepotência, a arrogância e o ódio. Acredito, sim, na possibilidade de uma economia pós carbono. Acredito, sim, na possibilidade do desenvolvimento sustentável. Questões como aborto, homossexualismo, drogas são importantes, mas não devem ser o carro chefe de uma proposta de país para o século XXI. Marina conseguiu quebrar o plebiscito e forçar a inclusão da questão do mundo pós carbono no debate eleitoral. Quando os apaixonados por Dilma esfriarem a cabeça e pensarem maior, pensarem no Brasil e na humanidade, reconhecerão a contribuição de Marina e dos que a acompanharam no primeiro turno. Abraços e muita felicidade prá você.

    Daniel

    04/10/2010 - 18h07

    Do que eu vi, quem votou na Marina votou pra levar pra segundo turno por se anti-PT ou por que tinha vergonha de votar de cara, no Serra. Conseguiram o que queriam: trazer de volta o fantasma do desmanche do Estado, da economia, da sociedade. Muito obrigado aos 20 milhões de pretensos "anteanados, engajagados e outros -ados, como desavisados". Vocês conseguiram colocar de volta o Brasil no rumo da decadência, tudo por conta de uma "onda" de modismos.

    Maria.

    04/10/2010 - 18h28

    Paulo,

    Talvez não tenha me feito entender bem: não disse que 100% (seria impossível) dos votantes de Marina são o descrito acima, longe disso, pois não acredito em generalizações. Quis apenas dizer que nem todos, como você, pensam nos outros e num mundo sustentável e que votam de forma consciente, ou seja, de acordo com suas crenças e sem influência dos "formadores de opinião". Saber que seu voto é pensado me faz feliz! Se todos votassem assim, então estaria mais conformada com os resultados. Mas não é o que acontece com a maioria.

    Falo das pessoas que converso e que pensam da forma que descrevi, e que me levaram a tirar uma conclusão dos votos dados a Marina no primeiro turno (assunto do post). Conclusão minha, claro. Não quis ser prepotente e nem tenho ódio. Só dei uma opinião que reflete o que observo.

    Quanto ao aborto, homossexualismo e drogas, não penso que devam ser carros-chefe de proposta de governo algum, nem concordei ou discordei de qualquer tema aqui, apenas me referi ao discurso de Marina como vazio e em cima do muro e citei exemplos. Por que não assumir opiniões que mostrem o que você realmente pensa? Medo de perder votos?

    Acho que devemos ser verdadeiros e, assim, obter apoio apenas daqueles que concordam com nossas ideias ou que as ache coerentes.

    No mais, não me acho uma apaixonada por Dilma, nem sou contra Marina, apenas não a acho coerente no discurso nesta eleição. Ela é uma pessoa com uma trajetória admirável, pela sua vida de dificuldades e que conseguiu, como Lula, derrotar a miséria que ronda nossa sociedade e mostrar que tudo é possível. Os sonhos ainda se realizam. Precisamos acreditar nisso.

    No mais, penso no Brasil e na humanidade, por isso votei e votarei em Dilma, pois acredito que ela prosseguirá com a inclusão social iniciada por Lula, e que me faz crer que temos chance de melhorar a vida das pessoas que realmente precisam.

    Adorei seu comentário, assim pude (espero) esclarecer o que quis dizer.

    Abraços e um mundo melhor para todos nós.

    Maria.

    Joana

    05/10/2010 - 19h04

    É isso mesmo, Maria. Para mim, Marina não diz nada. Ela foge com frases feitas, escorregadias. Eu não consigo lembrar uma ideia dela. Alguém lembra?
    E o que o professor falou acima também percebi. Os jovens e outros nem tão jovens só querem consumir, encher os ouvidos com MP3, 4 ou mil… são alienados e vortaram na Marina por modismo, para se sentirem chic.

allan

04/10/2010 - 15h44

Cabe registrar como pontos positivos que algumas figurinhas cairam em seus estados.

No Amazonas, Arthur Virgilio foi derrotado.

No Ceará, Pimentel derrotou o Tasso “tenho jatinho porque posso” Jereissati na segunda vaga para o Senado.

Em Pernambuco Marco Maciel (12%) e Raul Jungmann (8%) foram derrotados.

No Piauí, Mão Santa e Heráclito (Paulo Henrique Amorim agradece)

No Rio, César Maia, que ofereceu o Índio ao Serra e pretendia ocupar a extrema direita no Senado, perdeu.

E no Rio Grande do Sul foi Rigotto que caiu.

Responder

Carlos

04/10/2010 - 15h40

( Parte 1 / 2 )

►MINISTRO DO PLANEJAMENTO DE FHC ENTRE JANEIRO/1995 – MARÇO/1996, SERRA DEVE SER CHAMADO PELA DILMA A ESCLARECER FATOS RELATADOS POR ALOYSIO BIONDI NO ARTIGO ABAIXO; (*)

Um estranho modo de governar

A equipe FHC vem utilizando com extrema agilidade a "carta branca" que ela própria se deu. Em operação realizada na Bolsa de Valores de São Paulo, o BNDES entregou a seis bancos e corretoras 600 milhões de ações da Petrobrás _sem necessidade de os compradores desembolsarem um tostão. O preço combinado por 0,55% do capital de uma das maiores empresas do mundo foi de R$ 60 milhões, mas para pagamento somente daqui a um ano, com juros de 10% ao ano (extremamente simpáticos), mais a Taxa de Juros de Longo Prazo.
(…)
Íntegra em http://www.aloysiobiondi.com.br/spip.php?article6

Responder

    Carlos

    05/10/2010 - 09h51

    ( Parte 2 / 3 )

    ►A PARTIR DE 1996, DIVIDENDOS a) OBRIGATÓRIOS e b) SEM IMPOSTO DE RENDA NA FONTE….

    Petrobrás 2001 – Análise Financeira e Demonstrações Contábeis – pgs. 115/116

    Patrimônio líquido
    (…)
    (i) Dividendos
    (…)
    (…) A partir de 1º de janeiro de 1996, juros atribuíveis aos acionistas (….) são incluídos no cálculo dos dividendos obrigatórios. Os dividendos são pagos em reais. (…)
    (…)
    Lucros a distribuir referentes ao período de 1º de janeiro de 1994 a 31 de dezembro de 1995 estão sujeitos a imposto de renda retido na fonte de 15%. Lucros a distribuir referentes a exercícios a partir de 1º de janeiro de 1996 não estão sujeitos a imposto retido na fonte. (**)

    Carlos

    05/10/2010 - 09h51

    ( Parte 3 / 3 )

    ► MERA COINCIDÊNCIA QUE ALTERAÇÕES NO PAGAMENTO DE DIVIDENDOS (PELA PETROBRÁS) E NO RECOLHIMENTO DO IMPOSTO DE RENDA TENHAM OCORRIDO JUSTAMENTE NO MOMENTO DA VENDA DAS AÇÕES DA PETROBRÁS ?

    SERRA SABERIA EXPLICAR O QUE ACONTECEU? E SABERIA ESCLARECER OUTROS FATOS CITADOS POR BIONDI EM “UM ESTRANHO MODO DE GOVERNAR”?

    (*) Folha de S. Paulo, 06.02.1996
    (**) Assalariados em geral, classe média em especial, como se sabe, ama de paixão recolher IR na Fonte…

Jotaroberto

04/10/2010 - 15h24

O que queria eu na minha juventude? Um lider que quisesse mudar tudo. Nem precisava ser
coerente no discurso, bastava ser contra, sonhador, desafiador e forte.
Marina, mulher franzina, aparente fraqueza, discurso vazio (alguem se lembra de alguma
proposta sua?), como diriam, subiu nos tamancos e enfrentou as "feras". Mostrou
personalidade, independencia e força.
Polarizou os votos de uma outra mulher, que diziam, durona e autoritária (como se fossem
defeitos).
Dilma, coadjuvante de um governo exitoso, repleto de realizações e pela primeira vez, um
futuro verdadeiro à frente, aprovado pela quase totalidade do povo. O que fez?
Num script marqueteiro vazio e castrador, se mostrou como uma sombra de Lula. Acuada,
gaguejante, preocupada em não sair do script, e sem personalidade não desafiou o pior
inimigo, a volta do atrazo.
É hora de lembrar que Lula é ex-presidente, rasgar o script marqueteiro, subir nos
tamancos e mostrar em quem estamos realmente votando.
Não foi Deus quem tirou seu 1º turno. Foi humano e trabalha no marketing.

Responder

Marcelo de Matos

04/10/2010 - 15h23

Andou bem o Azenha chamando de "onda" a expressiva votação de Marina. O fenômeno parece mesmo uma onda – reação da água do mar que se encapela para, logo mais, dissipar-se. Parece algo circunstancial, não um movimento que veio para ficar. Não dá, por enquanto, para falarmos os verdes isso, ou os verdes aquilo. Não temos tradição de movimento ecológico, nem há consistência ou unicidade de ideologia no partido. O PV congrega cristãos e ateus, gente de esquerda e direita, lulistas e serristas, intelectuais e eleitores casuais, que estão, mas, não são do partido, conservadores e simpatizantes do movimento gay. É um amálgama de pessoas que dificilmente tomará o mesmo rumo em outras circunstâncias. Não podemos ficar culpando as religiões por esse fenômeno. Melhor é trabalhar para reverter essa onda. Em segundo turno costuma ganhar quem toma decisões rápidas e sai na frente.

Responder

MirabeauBLeal

04/10/2010 - 15h22

FALTARAM POUCO MAIS DE 3 MILHÕES DE VOTOS (3,1%)

PARA DILMA GANHAR NO 1º TURNO
.
DILMA LARGA COM VANTAGEM DE 15 MILHÕES DE VOTOS

A FRENTE DE JOSE SERRA
.
ELEIÇÕES 2010
PRESIDÊNCIA
RESULTADO (faltando apurar 1.698 votos)
Última atualização:
04/10/2010 13:10

Seções apuradas:
399.995 (100%)
Nº de eleitores:
135.804.433
Abstenções:
24.609.827 (18,12%)
Comparecimento
111.192.908 (81,88%)
Votos brancos:
3.479.332 (3,13%)
Votos nulos:
6.124.189 (5,51%)
Votos válidos:
101.589.387 (91,36%)
.
1 DILMA ROUSSEFF (PT)………46,91%…47.651.108

2 JOSÉ SERRA (PSDB)…………32,61%…33.131.867

3 MARINA SILVA (PV)…………….19,33%….19.636.335

4 PLÍNIO SAMPAIO (PSOL)……..0,87%……..886.816

5 JOSE M. EYMAEL (PSDC)……0,09%………..89.350

6 ZÉ MARIA (PSTU)………………..0,08%………..84.609

7 LEVY FIDELIX (PRTB)…………0,06%………..57.960

8 IVAN PINHEIRO (PCB)……….0,04%……….39.136

9 RUI PIMENTA (PCO)…………..0,01%……….12.206
. http://noticias.r7.com/eleicoes-2010/apuracao/
.
.
ÚLTIMA PESQUISA SENSUS ESTAVA CERTA: http://www.cnt.org.br/portal/img/arquivos/Relator
.
INDECISOS DE ÚLTIMA HORA LEVARAM ELEIÇÃO PARA O 2º TURNO.
.

Responder

    Carlos

    04/10/2010 - 16h09

    Ivan Pinheiro e Rui Pimenta perderam pro Levy Fidelix!?

ANTONIO ATEU

04/10/2010 - 15h22

o pt aburguesou a sua militancia.

Responder

Felipe Ferreira

04/10/2010 - 15h16

Na edição do "Jornal Hoje" desta segunda-feira, 4 de outubro de 2010, notei algo esquisito no gráfico ilustrativo da distribuição dos votos para presidência.
Enquanto a jornalista narrava vitória de José Serra em 8 estados, o mapa do Brasil mostrava em azul a sua vitória também em todo Sudeste. Mas ele só liderou em São Paulo. No placar final da Globo ficou assim:

Dilma 15 X 11 Serra.

Em Minas, Rio e Espírito Santo, minha terra, Dilma está na frente.

Para conferir, basta ir até a página do Jornal Hoje, o trecho no vídeo aparece aos 06:00 minutos:
http://g1.globo.com/videos/jornal-hoje/v/definica

Na página do G1 o resultado está correto:
http://g1.globo.com/especiais/eleicoes-2010/notic

Responder

bubu do brejo

04/10/2010 - 15h15

Sugiro que após uma extenuante procura de culpados, levantemos do nosso comodismo e desprezemos um pouco esta parafernalia eletrônica. Vamos à rua, olharmos uns aos outros, discutir, divergir, sermos tolerantes, principalmente sermos humanos, e assim elegemos Dilma, pois faltou sentimento nestas eleições quer dos candidatos quer dos eleitores

Responder

    Corações e Mentes

    04/10/2010 - 17h54

    Totalmente correto.Computador NÃO GANHA ELEIÇÕES.

Carlos

04/10/2010 - 15h07

Excelentes avaliações, algumas até conflitantes mas ainda assim complementares.

Destaco a do Marcos: "O aumento do salário mínimo prometido pelo Serra, o 13o. da bolsa -família, o aumento das aposentadorias etc, jamais tiveram qualquer reação por parte da campanha petista. Ninguém comentou a promessa não cumprida de Serra de que seria prefeito até o fim do mandato para dizer que todas suas promessas podem ser postas em dúvida. Ninguém comentou o mensalão do o PSDB em Minas onde NINGUÉM foi punido. A Dilma foi péssima nos debates, limitando-se a repetir, como um papagaio gago, as realizações do governo Lula. Jamais contestou algumas mentiras evidentes de Serra deixando-o falar o que quisesse como se nada pudesse atingi-la." (*)

Serra tem muita coisa a explicar sobre o período em que foi ministro de FHC, tanto no Planejamento quanto na saúde.

(*) "como se nada pudesse atingi-la", ou seja: Dilma permitiu-se uma certa soberba.

Responder

AFernando

04/10/2010 - 15h04

Quando começar o horário político eleitoral gratuíto na tv e nos rádios, deve-se apresentar uma entrevista, onde Dilma responderá as "dúvidas" dos eleitores.

Entrevistador: A Sra. acredita em Deus?
Como não acreditar? Ele está em tudo e em todo lugar. Eu tenho muita fé em Deus e como diz a Bíblia: “a fé é a expectativa certa de coisas esperadas, embora não vista”. Portanto, tenho fé em Deus e acredito nele porque a sua existência é claramente vista por meio da sua obra aqui na terra.

A Sra. apóia o Aborto?
Dilma: de forma alguma. Eu apoio à vida e sempre apoiarei.
A Sra. Disse a seguinte frase: "Nem Jesus me tira essa vitória"? Isso é uma grande mentira! Está escrito: "não deveis colocar o nome do senhor teu Deus em vão". Eu desafio a quem disse isso, mostrar o vídeo eu falando essa blasfêmia. Renunciarei no mesmo dia.
No seu governo quem vai mandar?
Dilma: Eu. Mais não é mandar e sim governar, porque governar se faz com a sociedade, por meio dos seus representantes eleitos, como também a sociedade organizada, servirá de consulta e parâmetros. Até mesmo a oposição serve de parâmetro, pois ninguém é infalível.
A Senhora na ditadura pegou em armas ou assaltou bancos?
Dilma: isto é outra grande mentira! Imagine só? A ditadura militar no Brasil foi muito cruel. Para vocês terem uma idéia uma simples musica levava o seu autor e o interprete a prisão e a sofrer severa tortura. Imagine, o que aconteceria a alguém que pegasse em armas contra o regime? Ou mesmo assaltasse bancos com fins políticos? Eu lhe digo com certeza, essa pessoa não estaria hoje entre nós. A não ser que fugisse do Brasil ou tenha se exilado em outro país. Portanto, se eu tivesse pegado em armas e feito guerrilha, com certeza eu não estaria aqui hoje disputando uma eleição, no meu país.
A Senhora é a favor do casamento entre gays?
Dilma: O Brasil diferentemente da maioria dos paises, TEM uma legislação favorável à união estável, onde não distingue se é homem e mulher ou se é do mesmo sexo, portanto o Estado tutela ou protege os direitos das pessoas, que estão nessa situação, como se casado fosse, portanto não vejo mais necessidade de mais nada. E não fui eu quem fez, foi a assembléia constituinte de 1988 e o código civil de 2002.
O seu adversário promete um salário mínimo de 600,00 reais e mais 10% de aumento para os aposentados e a senhora?
Dilma: Eu digo que pode ser até mais de 600,00 e mais de 10% para os aposentados. Tudo dependerá da economia e das contas públicas, agora uma coisa eu tenho certeza que se for possível será feito. Porque eu não posso ser é irresponsável de aumentar os salários para depois causar um grande desemprego, pois nem todo empresário poderá pagar e nem toda prefeitura pode. E ai como fica? Agora eu prometo: que farei um estudo minucioso junto com o congresso e a sociedade para a viabilização dessa proposta. Porque está no nosso programa de governo a recuperação do salário mínimo, como fizemos nesses últimos oito anos. O salário mínimo teve 87% de ganhos reais, além claros da correção inflacionária. Essa política no governo passado do meu adversário não existia, como não existiu no governo de SP o qual ele foi governador. Os servidores públicos do estado de São Paulo têm os menores salários do país. Se ele não fez no governo que ele acabou de governar, será que fará pelo o Brasil?

Responder

bubu do brejo

04/10/2010 - 15h02

Navegando por alguns sites progressitas, observei um discurso rancoroso por partes de alguns comentaristas, desrepeitosos com a candidata Marina.Quando nos insurgimos contra alguns meios de comunicação tidos como intolerantes, aparecem sempre alguns cantando loas à esta insurgência. Vamos fazer política com inteligência. O que é adversário hoje, amanhã poderá tornar-se teu aliado. Acredito que devamos cobrar da candidata Marina Silva coerência nas alianças que estão por vim. Torço que ela não coloque na lata do lixo toda a sua história.

Responder

Gleisson Neves

04/10/2010 - 14h53

Erradicar a pobreza kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Erradicar a pobreza kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Erradicar a pobreza kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Dá-lhe Dilma,a maga,profeta,avatar,deusa,milagreira…
Erradicar a pobreza,já vi muitas promessas de campanha,mas essa foi astronomica.
Tapem a boca da Dilma que ela vence no segundo turno porque tudo que ela diz, condena a si própria.

Responder

    Heberval Dias

    04/10/2010 - 15h18

    Te encomoda tanto que alguém possa tentar erradicar a pobreza? fica difícil para você viver num mundo sem "pobres", se algumas destas resposta forem sim acho que você deve ser americano e não brasileiro.

Heberval Dias

04/10/2010 - 14h53

Caros amigos, gostaria que os emails falsos que vocês receberem repassem para mim, como trabalho na área de segurança alguns medrosos não mandam os "falsos emails" para que eu possa descobrir a fonte. Agradeço a colaboração de todos.
email: ([email protected])
[Batalha do dia 04/10]

Responder

Marroni

04/10/2010 - 14h49

Composição dos votos da Marina

Verdes: Votos tradicionais do PV e simpatizantes. 8%
Religiosos: Orientação dos líderes religiosos conservadores somada aos boatos no subterrâneo. 6%
Esquerda Frustrada: Desiludidos com o governo Lula por não ter radicalizado os programas sociais e combatido os privilégios seculares. 1%
Modismo: – Para uma parte da classe média tradicional e seus filhos Marina é moderna, alternativa e "diferente" dos demais candidatos. 1%
Protesto: – Influência dos escândalos da mídia na percepção dos indecisos, eleitorado de natureza mais volátil. 3%
Total:19%

Pergunta: Por quê Marina perdeu no Acre?
Serra 52%
Marina 23%
Dilma 23%

Responder

    Neno Fogaça

    04/10/2010 - 15h38

    Não sei baseado em que tiraste esses percentuais, mas que fazem muito sentido. Isso, inclusive ajuda a desmistificar que a onda verde se deu somente em torno do nome da Marina (que poderia ser Renata, Fernanda, Maribel…). Realmente, para mim, foram vários fatores. Para justificar ainda mais tua teoria a diferença que faltou para encerrar já no primeiro turno a eleição foi de apenas 4% .

Armando do Prado

04/10/2010 - 14h33

Conheço alguns que votaram na Marina. Dois votariam desde o início na Marina . Dois iriam votar no Serra e apenas um estava indeciso entre Dilma e Marina. Optou por Marina porque entendeu mais o discurso mais politizado. Veja de cinco, nenhum votou no PV por questões de boatos ou Casa Civil. Precisamos quebrar paradigmas e entender de fato o que aconteceu. Entendo que tivemos sim incapacidade de liquidar a fatura no 1º turno e um pouco de "salto alto".

Responder

Renato

04/10/2010 - 14h31

Por que será que entre as 10 cidades com melhores IDH do Brasil, o Serra ganhou em 9? E entre as 10 com piores IDH, a Dilma ganhou em 9?

Responder

    sergio pinto

    04/10/2010 - 19h26

    Porque foi onde o governo federal mais atuou. Simples assim

Ivan Moraes

04/10/2010 - 14h20

Discordo da tal onda verde. Se fosse de fato uma onda, como já tivemos a vermelha tempos atrás, essa teria acontecido também nas eleições para governos estaduais. Se compararmos as eleições presidencais com a do estado de São Paulo, pex, veremos que neste estado a vitória do PSDB no primeiro turno aconteceu de forma bem apertada. O candidato do PV nesse estado não chegou nem a 5%. Isso é onda? Os verdes estaduais "amarelaram"… Não precisava ter os 20% de Marina, com 6 ou 7% do Fabio Feldman para "evitar a escolha plebiscitária" entre Alckmim e Mercadante levariam a eleição para um segundo turno. A onda evangélica influiu sim nessa eleição de primeiro turno, independente dos erros e acertos de Dilma e/ou Serra. E Marina, será que só foram acertos mesmo? Ela fez a sua autocrítica com a mesma franqueza e expontâneidade com que fez a crítica alheia? E seus votos seriam dessa magnitude se ao invés de ter sido do PT tivesse sido do DEM, pex?

Responder

Walter Decker

04/10/2010 - 14h14

Quanto ao fator religião, há um que ninguém ainda mencionou. Um fator que chega próximo de 3 MILHÕES de eleitores. Me refiro aos ESPÍRITAS. O filme “ Nosso Lar “ é o Blockbuster do ano. É baseado no livro principal do espírito do médico André Luiz, psicografado por Chico Xavier. É quase a bíblia dos espíritas brasileiros. Transformado em filme já foi visto por mais de 3 milhões de espectadores. Lembro bem que quando o filme “ Lula o Filho do Brasil “ foi o filme brasileiro indicado para concorrer a uma das cinco vagas para melhor filme estrangeiro no Oscar, Lembro que no dia vi dezenas de espíritas revoltados postando comentários no UOL e no IG. O pessoal ficou irado pela escolha do filme de Lula em detrimento de “ Nosso Lar “, o grande sucesso do ano. Tenho certeza que 90% dos espíritas não votaram em Dilma por causa disso. Teria algum espírita no blog pra dar sua opinião ou informações ? Volto a repetir que no Brasil existem hoje cerca de 3 milhões de espíritas.

Responder

    Luiz Fernando(Billy)

    04/10/2010 - 15h20

    Não sou um fervoroso praticante, mas é na doutrina espírita que me encontro religiosamente. Portanto, me considero espírita. Não assisti ao filme de Lula, mas assisti ao "Nosso Lar". Sinceramente, não acredito, que alguém votaria contra Dilma por uma questão como essa que citastes. Não quero acreditar que pessoas seriam tão mesquinhas a ponto de votar em um candidato em detrimento de outro por um motivo tão fútil. Onde trabalho tenho 4 colegas espíritas,todas assim como eu votaram em Dilma. Ademais, o filme cumpriu muito bem o papel de divulgar positivamente a doutrina espírita, que é tudo que um bom espírita poderia desejar.

    Maria

    04/10/2010 - 15h37

    Sou espírita e acho que escolher um candidato porque o filme preferido não foi indicado ao Oscar seria uma contradição à doutrina pregada pelo espiritismo. Vingança quando só nós mesmos teríamos a perder com determinadas escolhas políticas?
    No meu círculo de amizade tem várias pessoas espíritas e a maioria votou em Dilma. Então, nada a ver uma coisa com a outra.

duarte

04/10/2010 - 14h09

Gente, vcs é que são os especialistas, mas também nós aqui do lado do computador também podemos opinar. os 10% a mais que turbinaram a marina não tem dono, são ovelhas desgarradas, desgostosas com Dilma e serra. Marina não tem poder sobre eles, aliás ninguém repassa voto para ninguém. No segundo turno a coisa muda totalmente, temos um serra que não passa dos 30% e recebeu um presente de natal da marina antecipado. O percentual a ser conquistado são os 10% dos turbinados que saíram do controle da Dilma, outro fator importante foi a abstenção e votos nulos, cada eleição eles crescem cada vez mais.Nem marina, nem dilma nem serra tem controle de votos, eles estão com a gente. O importante é que Dilma chegue no eleitor mostrando a ele suas propostas, pena que semana que vem já tem baixaria nos jornais do quarteto fantástico. O ideal seria uma trégua, sem factóides, sem denúncias vazias e estes 30 dias fossem apenas de propostas.

Responder

CC.Brega.mim

04/10/2010 - 14h09

Faltou considerar a classe média!
aqueles que tem medo de perder seus pequenos privilégios
que preferem acreditar em um "novo caminho de sustentabilidade"…
http://vaiencarar.wordpress.com/2010/10/03/onda-v

Responder

Corações e Mentes

04/10/2010 - 14h08

Dilma vai perder para Jesus Cristo.O serra não vale nada,mas os crentes enxergam satanás em Dilma.Se o pt não souber tratar essa questão,a vaca vai pro brejo.

Responder

    Walter Decker

    04/10/2010 - 15h29

    Quanto ao voto dos evangélicos, me lembrei de um episódio que mostra como eles são influenciáveis. E não tem nada a ver com nível econômico. Aqui em Santos, no 1º semestre, a delegação do Santos F C foi fazer uma doação de brinquedos num lar espírita. Pois o evangélico Roberto Brum ( que deve ganhar uns 50 mil por mês, é do Paraná e não nasceu em favela como Romário, Adriano e outros ) convenceu Robinho e Neymar, também evangélicos, a não descer do ônibus e entrar no lar espírita, pois ali tinha “ coisa do demônio “, segundo o jogador. Absurdo total. Muita ignorância junta. Esse pessoal é que agora não vota na Dilma por ela também ser coisa “ do demo “. Haja !

AFernando

04/10/2010 - 14h04

Quando começar o horário político eleitoral gratuíto na tv e nos rádios, deve-se apresentar uma entrevista, onde Dilma responderá as "dúvidas" dos eleitores. Tipo:

Entrevistador: A Sra. acrédita em Deus?
A Sra. apóia o Aborto? Dilma: de forma alguma. Eu apoio à vida e sempre apoiarei.
A Sra. Disse a seguinte frase: "Nem Jesus me tira essa vitória"? Isso é uma grande mentira! Está escrito: "não deveis colocar o nome do senhor teu Deus em vão". Eu desafio a quem disse isso, mostrar o vídeo eu falando essa blasfêmia. Renunciarei no mesmo dia.
No seu governo quem vai mandar? Eu. Mais não é mandar e sim governar e governar se faz com a sociedade, por meio dos seus representantes eleitos, como também a sociedade organizada, servirá de consulta e parâmetros. Até mesmo a oposição serve de parâmetro, pois ninguém é infalível.
A Senhora na ditadura pegou em armas ou assaltou bancos? Dilma: isto é outra grande mentira! Imagine só? A ditadura militar no Brasil foi muito cruel. Para vocês terem uma idéia uma simples musica levava o seu autor e o interprete a prisão e a sofrer severa tortura. Imagine, o que aconteceria a alguém que pegasse em armas contra o regime? Ou mesmo assaltasse bancos com fins políticos? Eu lhe digo com certeza, essa pessoa não estaria hoje entre nós. A não ser que fugisse do Brasil e se se exilar em outro país. Portanto, se eu tivesse pegado em armas e feito guerrilha, com certeza eu não estaria aqui hoje disputando uma eleição, no meu país.
A Senhora é a favor do casamento entre gays? Dilma: O Brasil diferentemente da maioria dos paises, TEM uma legislação favorável à união estável, onde não distingue se é homem e mulher ou se é do mesmo sexo, portanto o estado tutela ou protege os direitos das pessoas, que estão nessa situação, como se casado fosse, portanto não vejo mais necessidade de mais nada. E não foi eu quem fez, foi a assembléia constituinte de 1988 e o código civil de 2002.
O seu adversário promete um salário mínimo de 600,00 reais e mais 10% de aumento para os aposentados e a senhora? Dilma: Eu digo que pode ser até mais de 600,00 e mais de 10% para os aposentados. Tudo dependerá da economia e das contas públicas, agora uma coisa eu tenho certeza que se for possível será feito. Porque eu não posso ser irresponsável de aumentar os salários para depois causar um grande desemprego, pois nem todo empresário poderá pagar e nem toda prefeitura pode. E ai como que fica? Agora eu prometo: que farei um estudo minucioso junto com o congresso e a sociedade para a viabilização dessa proposta. Porque está no nosso programa de governo a recuperação do salário mínimo, como fizemos nesses últimos oito anos. O salário mínimo teve 87% de ganhos reais, além claros da correção inflacionária. Essa política no governo passado do meu adversário não existia, como não existiu no governo de SP o qual ele foi governador. Os servidores públicos do estado de São Paulo têm os menores salários do país. Se ele não fez no governo que ele acabou de governar, será que fará pelo o Brasil?

Responder

    fabio sp

    04/10/2010 - 14h23

    Nossa, vc acha o brasileiro bobinho, né? Precisa tirar a entrevista do Youtube também.

    Seria como pedir para o Fernando Henrique falar que é católico e que foi coroinha de igreja.

    Pedro

    04/10/2010 - 16h51

    coloca o link do Youtube, que se for verdade eu voto no Serra. Agora se for mais uma mentira, tenha paciência!

    Paulo Silva

    04/10/2010 - 14h59

    Excelente Fernando. É isso aí, responder na lata, pão, pão queijo , queijo!
    E lutar pela legalização do aborto é uma questão que cabe aos segmentos da população interessados. Se for de interesse de amplos setores da populaçao, que se mobilizem, façam abaixo-assinados, proponham plebiscito. Uma candidata à Presidência da República deve se ater ao que tem no momento amparo legal no país. E considerar a necessidade de se estudar o problema real de várias perspectivas, já que é uma quetão que envolve aspectos de saúde, éticos, culturais, legais etcetcetc.
    Candidata à Presidência não tem que emitir achismos e opiniões meramente pessoais. Tiro no pé, é o que o inimigo mais deseja.

Rafael

04/10/2010 - 14h02

Como a Marina pode ter inserido politização se seu discurso é eminentemente a-político? Inseriu foi moralismo. E em cima do vácuo e de um "sentimento". Erra quem acha q os mais instruídos não votam com o coração. Mas o pior é que votam também com preconceito e com o fígado

Responder

Cristiana Castro

04/10/2010 - 13h59

Uma " onda verde" atravessando o Brasil de Norte a Sul, nas últimas semanas com uma constância no percentual de votos, em torno de 18%. Eu não acredito nisso. O que aconteceu,eu não sei mas, Marina não teve quase 20% dos votos e a soma dos votos nulos, brancos e abstenções é enorme. Precisamos correr atrás dos 5% que faltam,sem contar com esses 20% atribuídos a Marina.

Responder

Leila Brito

04/10/2010 - 13h59

ATENÇÃO!!! – VITÓRIA DE ALCKIMIN PODE IR POR ÁGUA ABAIXO
Resultado de SP pode mudar, diz TSE
Da Agência Brasil

A totalização dos resultados para o governo de São Paulo, que aponta Geraldo Alckmin (PSDB) eleito em primeiro turno com 50,63% dos votos válidos, pode mudar devido à situação de três outros candidatos que estão com o registro indeferido. É que os votos para esses candidatos tornaram-se nulos, mas, se a partir de amanhã (4), houver outra interpretação e os votos passarem a valer, a vantagem de Alckmin pode cair para menos de 50%.

Os candidatos que estão com registro negado são Mancha (PSTU), Igor Grabois (PCB) e Paulo Bufalo (P-SOL). O presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Ricardo Lewandowski, confirmou hoje (3), em entrevista coletiva, que a situação no estado é delicada e que o tribunal dará prioridade para resolver o impasse amanhã de manhã, quando os tribunais divulgarão a quantidade de votos dos candidatos que tiveram registro negado.

Responder

    Bruno

    04/10/2010 - 14h28

    Para isso acontecer, faz-se necessário que a soma dos votos deles chegue a 290 mil votos, o que é impossível.

    Além disso, a candidatura do Paulo Bufalo (o mais forte dos três) tende a ter o recurso também indeferido, já que eles tentaram mudar o vice para fugir da Lei Ficha Limpa (o cara usou o carro oficial para escoar gente de um acampamento ilegal). As campanhas do Grabois e do Mancha devem ser aprovadas, já que o problema se restringe apenas a diferenças nas assinaturas feitas no registro em comparação às da firma cartorial.

    Cristiana Castro

    05/10/2010 - 00h31

    Voto nulo é o caramba! Os votos são da legenda. O TSE só pode estar gozando com a cara da gente. Quer dizer que o sujeito sai para votar e o TSE resolve achar que os votos são nulos pq ele não gosta do candidato ( Ficha-Limpa é só isso ).? Tá aí a pressa para a tal valer para essas eleições. A soberania será exercida pelo TSE e não pela sociedade. Fim da linha mesmo. Igrejas, leis de última hora…

FatimaBahia

04/10/2010 - 13h56

Sugiro mudar o título do post por um "português" mais correto:

Tentando entender ONDA FUNDAMENTALISTA RELIGIOSA que provocou o 2º turno

Eu,da minha parte consegui esclarecer amigos e empregada evangélica e mostrei a elas a importancia de que multiplicassem a informação que lhe dei,acho que se cada um de nós fizermos isso com parentes,amigos e funcionários,já ajuda um tanto.Mas,o principal é que o malemolente diretório do PT e os novos militantes "blazé" do PT,se movam e façam algo concreto a respeito,caso contrário,estaremos chorando aqui n dia 1º/11.
Desculpem o "tom",mas ainda não me conformo dessa rasteira fundamentalistra que está decidindo os rumos dessa eleição e do nosso país.
Não estou criticando as religiões católica e evangélicas em geral,mas o uso político e criminoso que alguns representantes fizeram delas!

Responder

Marco

04/10/2010 - 13h47

Eu concordo com o Azenha em parte. É verdade que faltou debate político nessa eleição. O aumento do salário mínimo prometido pelo Serra, o 13o. da bolsa -família, o aumento das aposentadorias etc, jamais tiveram qualquer reação por parte da campanha petista. Ninguém comentou a promessa não cumprida de Serra de que seria prefeito até o fim do mandato para dizer que todas suas promessas podem ser postas em dúvida. Ninguém comentou o mensalão do o PSDB em Minas onde NINGUÉM foi punido. A Dilma foi péssima nos debates, limitando-se a repetir, como um papagaio gago, as realizações do governo Lula. Jamais contestou algumas mentiras evidentes de Serra deixando-o falar o que quisesse como se nada pudesse atingi-la. Dito isto, é preciso também reconhecer duas coisas. 1) O Serra só foi para o segundo turno por causa da Marina. Ele mesmo mostrou ser facilmente batível até mesmo na terra do Tiririca 2) A capacidade que teve a Marina para atrair votos dos descontentes com a bi-polarização da campanha. É verdade todo mundo é a favor do progresso com a conservação da natureza. Também é verdade que, inicialmente não passando dos 10%, a candidata não foi torpedeada por ninguém e pode fazer aquele discurso suave e vazio de que é a favor de tudo mas tudo tem que ser estudado. É por causa de tanto estudo para liberar ou não uma obra que foi demitida (com muito eufemismo) do ministério do meio ambiente que passou a funcionar bem melhor sem ela.
Finalmente, não acredito que o apoio de Marina possa mudar muita coisa. Se o Lula não transferiu muito mais que a metade de seu prestígio, dificilmente Marina faria isso. Basta que 1/5 de seus votos vá para a Dilma que ela ganha a eleição. O que pesará no 2o. turno é o comportamento do PT e de sua candidata. Acho difícil ela perder, mas se continuar perdendo voto bobamente…

Responder

    Antonio Silva

    04/10/2010 - 14h13

    Não dá pra culpar a Dilma (pra mim uma grata surpresa) pelo acuamento da campanha, o PT teria que destacar dirigentes do partido para agir como pitbull's desmentindo todas as mentiras do Zé caluniador .
    A Dilma pessoalmente teria que continuar a sua campanha propositiva
    Vocês viram alguma vez o Zé Eduardo Dutra na televisão rebatendo factóides lançados pela mídia tucana ? .
    Vocês viram o Guido Mantega ou o Henrique Meirelles desmentindo aquelas promessas absurdas do Zé caluniador sobre os aumentos do salário mínimo e dos aposentados ? .
    Por isto que eu digo e repito, o Lula teria que chamar URGENTEMENTE o vibrante Marco Aurélio Garcia e o Brizola Neto para atuarem na área de comunicação da campanha .

Fernando Gonzales

04/10/2010 - 13h45

Não sei porque meu comentario foi retirado, tem comentario de outros internautas muito mais comprometedores do que o meu. Não entendi esta? Não é meu o blog então só me resta a resignação.

Responder

Clovis

04/10/2010 - 13h45

Não foi a onda verde, foi a onda branca, a onda das ovelhas, aquelas ovelhas que um esperto toca com um galho para um lado e todas vão!!! São radicais religiosos que pensam que estão defendendo a doutrina do Senhor, e o resto que se fodam. Amem!!! São ovelhas que se alimentam de verdinha, ou seja, o Dolar!!!!

Responder

    Geysa Guimarães

    04/10/2010 - 14h54

    Clóvis:

    Concordo, ótima análise. Verde sim, mas dólar, de preferência.
    Mas não foi só isso não, grande parte da culpa é da campanha de Dilma – inclusive jornalistas – que não apontaram os contras em Serra e Marina – e olhe que não foi por falta de.

luiza

04/10/2010 - 13h34

Agora é hora de soluções ,das mais simples para nós que usamos a net(são aprox. 50 mil leitores do Azenha).
Vamos começar uma onda vermelha pela rede e espalhar email mostrando os números do brasil antes e o brasil pós os 8 anos de Lula, contra fatos não há argumentos
.Não há arguntos quando as comparações começarem a aparecer. isso deveria ter sido feito e mostrado no horário eleitora da Dilma. Não haverá necssidade de jogos sujos ,somente a verdade das realizações vai bastar. Somos aprox. 50 mil aqui e de todos os estados. Aqui pode vai começar a nova onda Vermalha!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

Fausto Ishiai

04/10/2010 - 13h34

Hoje, segunda-feira, uma nova etapa desta campanha presidencial se inicia. É esfriar a cabeça e seguir em frente. Em hipótese alguma podemos desqualificar a nossa candidata, Dilma desde o início buscou um debate qualificado e propositivo, não caiu na tentação de falsas promessas, do discurso fácil, e da demagogia barata. Não se vitimizou, não fez chantagem, não fez terrorismo, não fez teatro, não ridicularizou ninguém. Mesmo sendo alvo de tantas calúnias e baixarias não rebaixou o nível, munição para isso ela tinha e poderia destroçar o adversário, nas não as utilizou, porque não é assim que se constrói uma democracia. Fez análises comparativas dos governos FHC e Lula e fugiu de ataques pessoais. Podemos fazer críticas pontuais, erros são factíveis, porém duvido que alguém possa rotular a Dilma de hipócrita, bastava ela entoar um trechinho de um cântico evangélico qualquer, e milhões de votos estariam garantidos. E mais, Dilma não foi derrotada no primeiro turno, pelo contrário, teve quinze milhões de votos a mais que José Serra e o dobro da votação de Marina Silva, e só não levou já no primeiro, por motivos que todos sabemos, mas irá levar com certeza no segundo. Porque acredito nisso? Pelo simples fato de que a onda verde de última hora retirou votos da Dilma, e não do Serra, e é natural que esses votos retornem para ela novamente. Marina se tornou a opção dos votos desses eleitores que antes iriam para Dilma e não para o Serra, devemos ainda levar em consideração que as raízes petistas de Marina ainda são muito fortes. Os verdes de último instante, nada tem a haver com o PSDB e muito menos com o Serra. Dos oito anos do governo Lula, Marina participou sete, logo ela também foi governo e isto é um fato e não há como negá-lo. Mesmo quando ela deixou o Ministério do Meio Ambiente, Lula fez questão de agradecer a contribuição dela ao seu governo e ressaltou suas qualidades. Marina Silva até o sobrenome faz lembrar o nosso presidente. Percebe-se na ex-candidata uma ponta de ressentimento por não ter sido ela a escolhida pelo Lula, mas isso há de ser superado. Marina já demonstrou que tem peso político e deverá ser uma alternativa viável paras as próximas eleições. A sua candidatura descolada da imagem de Lula é legítima, o que não é legítimo é ela tentar negar o seu passado recente petista e se jogar no colo demo-tucano, isto soará falso e oportunista. Se ela assim o fizer, seja por mágoa ou vaidade, se apequenará na mesquinharia e estará desconstruindo a sua história…

Responder

Gunther Furtado

04/10/2010 - 13h32

Vejam só que continhas interessantes:
Abstenção->18,12%
Brancos->3,13%
nulos->5,51%
total->26,79%.
Ou seja->34.213.058 escolheram ninguém, e ganharam do Serra. O segundo turno deveria ser entre Dilma e Ninguém!!!
http://divulgacao.tse.gov.br/#

Responder

Marcelo

04/10/2010 - 13h21

Atenção comentaristas, o fator que foi decisivo para o revês do primeiro turno foi o religioso, no trabalho comecei ouvir boatos de evangélicos sobre ateísmo, satanismo, aborto e outros loucuras mais, não bastasse isto ví na casa de meus pais um revista muito bem editada e distribuida em igrejas evangélicas com o seguitnte título em vermelho!: a obra do anticristo PNDH3, onde em seu interior encontrava-se mil devaneios.
Eu que sou agnostico, vejo os boatos como boatos, mas para as pessoas humildes e sem nenhum ou pouco esclarecimento político observa tudo isto com o fimm do mundo, quase a descida de um anjo do apocalipse.
Ontem, vi relatos que me deixaram de triste a furioso, sobre "ela vai legalizar o aborto", "o vice dela é satanista", "ela vai queimar as biblias e fechar as igrejas" e muito mais.
Não é atoa que o Pr Silas Malafaia outro dia dedicou 10 minutos na tv de seu precioso tempo de pedir dinheiro aos fieis para difamar a Dilma e elogiar copiosamente o Serra.
Fé é o pior inimigo da razão.

Responder

    Alceste Pinheiro

    04/10/2010 - 13h39

    Nem por isso Lula deixou de ir para a televisão suplicar por voto para o bispo Crivela.

    José Manoel

    04/10/2010 - 19h35

    Acho que a Dilma falou m……….. em alguns momentos! Acho que foi por excesso de segurança de que iria ganhar no primeiro turno! Houve "salto alto", sim!!!! Que sirve de lição para o segundo turno!!!!! Não se ataca religião!!!!!

yuri

04/10/2010 - 13h16

Faltou "Política". O Lula pagou o preço por despolitizar a eleição. Ele tentou a "personalização". O voto "por benção" funcionou aonde sempre funciona, mas boa parte da população dos centros urbanos queria mais "política" e menos "personalização". A Dilma tinha "intenção de voto" que não se concretizou porque alguem ocupou seu espaço no debate político. Essa história de evangélico, span e outras é desculpa de marqueteiro. Boa parte da população queria mais POLITICA e menos beijinho em criança. O que Dilama ofereceu a eles? Números econômicos? A economia é apenas uma das alvancas da sociedade. Enfim, sobraram imagens, números e faltaram idéias e ideais. Dilma não mostrou sua "visão de mundo". Mostrou-se igual ao Serra. Apenas uma boa síndica do Condomínio. Marina surfou nesse vazio, entre os jovens e aqueles que captaram o "vazio" da Dilma, com um discurso mais idealista. Voltar-se, agora, à agenda da Direita (aborto, Deus etc) só piorará a coisa. Dará impressão de que Dilma abre mão de ideias por votos.

Responder

ricardo silveira

04/10/2010 - 13h16

Será que se o famoso livro ainda não publicado do jornalista Amaury faria alguma diferença no resultado do primeiro turno?

Responder

    Geysa Guimarães

    04/10/2010 - 14h56

    ricardo, você ainda bota fé no tal livro. Já larguei mão, deve ser feito cabelo de freira quando usava hábito : se existe, ninguém nunca viu.

ANNA

04/10/2010 - 13h15

Além de ser em menor número, como a maioria das Igrejas tradicionais protestantes. Se existe voto " teleguiado" pertence a uma maioria pentecostal e neo pentecostal em que os pastores são vistos como chefes os "donos" das Igrejas, ( quase "papinhas") e não admitem ser contrariados, lançando inclusive as malfadadas maldições "macumboevangélicas " sobre os que ousam enfrentá-los.

A mesma coisa acontece na ala direitista da Igreja católica, que repete os mesmos mantras e mentiras que fizeram dessa eleição um " fogaréu" de baixarias mentirosas espalhadas pela net.

Por falar nisso, vou postar um site que descontroi parte dessas mentiras, coisa que o PT deveria ter pensado antes da campanha,
http://www.quatrocantos.com/lendas/476_candidatur

Responder

ANNA

04/10/2010 - 13h13

E quanto ao voto evangélico:
A essa altura do campeonato não se pode " demonizar" todos os evangélicos, como se todos fossem esses "talibãs",
comandados.

Vi comentários que os presbiterianos espalharam essas bobagens pelas Igrejas.
Informo que os presbiterianos são a ala mais politizada dos evangélicos, e não existe essa história de pastor "recomendar" candidatos em púbitos.

Responder

    Rogerio

    04/10/2010 - 20h01

    hahahahaha.. minha sobrinha, filha de pastor presbiteriano: tio, não vota na Dilma. Ela é satanista!

José Vitor

04/10/2010 - 13h10

Ao contrário de muita gente, talvez a maioria, eu acho que a campanha do PT no 1º foi acertada: foi uma campanha limpa e ética.

Não deu certo por vários motivos, especialmente a campanha deslavada do PIG, bombardeando Dilma diariamente e protegendo Serra e Marina, e o conluio da campanha oposicionista com os setores religiosos mais reacionários.

Para o 2º turno é necessário muito mais firmeza nas ações no MPE e TSE contra o PIG e o obscurantismo religioso, e é preciso expor o desastre que foi o Serra na prefeitura e no governo do estado. Fora disso não vejo muito o que fazer. Não acredito em "politização" da campanha.

Eu só acho uma pena que dois candidatos ocos como Marina e Serra tenham colocado em perigo um projeto de governo que está trazendo o Brasil para a modernidade, reparando injustiças seculares. Enfim, fazer o que, é a vida, não há que esmorecer.

Responder

ANNA

04/10/2010 - 13h10

Na verdade acho que o " grande vencedor" dessa eleição foram os votos nulos, brancos e abstençoes : quase 30% .
além da chuva,muita gente preferiu " justificar" do que votar.

E é melhor o PT esquecer essa estória de " DIlminha paz e amor" .
Tem que responder e descontruir todos os factóides imediatamente.

Responder

    terezinha

    04/10/2010 - 14h03

    anna concordo com voce, achei que faltou defesa veemente na televisão da parte da campanha da Dilma. Era necessario que ela rebatesse as acusações e também as propostas do Serra sobre Bolsa Familia e salario minimo.O meu voto sempre foi da Dilma,mas sei de pessoas que mudaram o voto porque não viram Dilma tomar as atitudes acima citadas.Agora ela tem de ser mais política,mais firme e oferecer propostas mais atraentes para o povo.Virão mais acusações e ela terá que rebater e também mostrar os erros de Serra e Psdb.Dilma não é Lula, o povo não a conhece,ainda há muito preconceito contra mulher na presidencia.

Hudson Luiz

04/10/2010 - 13h06

Tentando entender os resultados do primeiro turno

Um segundo turno que parecia pouco provável até sábado acabará acontecendo. Alguns fatores nos ajudam a explicar isso.

Caso Erenice Guerra

Até parece que ela foi plantada dentro da Casa Civil por algum tucano!!! Sempre considerei a arrogância irmã da ingenuidade. Ou foi arrogância do PT imaginar que a eleição terminaria no primeiro turno e aí tanto faria quem sucedesse Dilma Rousseff na Casa Civil, ou então foi inocência demais.

Continue lendo no:
http://www.dissolvendo-no-ar.blogspot.com

Responder

    José Manoel

    04/10/2010 - 19h37

    Agradeça-se a "colaboração" da dona Erenice por termos esse segundo turno!!!!! Custa-me crer que ela não sabia das atividades dos filhos!!!!

Maurício

04/10/2010 - 13h05

Se isso for indicação de alguma coisa, minha empregada é evangélica fervorosa e ela votou na Marina. Mas hoje ela disse que vai votar na Dilma. Minha esposa votou na Marina também mais pela causa ecológica e agora volta na Dilma. E olhe que eu não dou palpite, acho que cada pessoa tem o direito de votar em quem quiser. Pelo jeito o grande problema do Serra é a rejeição e por isso acho que o PT tem que bater forte nele mostrando todas as falcatruas cometidas por ele e o PSDB nesses anos mesmo que não estejam comprovadas, ou seja, a mesma arma que ele usou contra a Dilma no primeiro turno. Se é guerra, então que seja.

Responder

Maria Ismeria

04/10/2010 - 13h01

Azenha, ainda não vi a lista de todos os deputados federais e estadual por São Paulo. Dá voce colocar no blog?
Obrigada
Maria Ismeria

Responder

Fátima

04/10/2010 - 13h00

Caro Azenha,

discordo da "onda verde". Fiz minha parte de militante, fui a um comitê do Mercadante pegar material e distribuí, na última semana, centenas de santinhos com "cola" do PT de ponta a ponta. Conversei também com dezenas de pessoas e uma parte expressiva delas disse que votaria na Marina. Dessas, nenhuma me apontou motivos ecológicos e, sim, sobretudo as da classe C, deram argumentos moralistas e religiosos. Só de uma vez, em um hospital público, na terça-feira passada, conversei com um enfermeiro, uma garota que acompanhava um paciente e uma senhora que acompanhava o marido para um exame e, quando comecei a defender a candidatura da Dilma, os três vieram com aquele boato absurdo do "nem Cristo tira minha vitória". Tentei, de todas as maneiras, fazê-las entender que era mentira mas estavam tão convictas que uma delas me disse que vira o debate da Record e que a Dilma "tinha dito isso" naquela ocasião (!!!!), acrescentando que ela estava "blasfemando contra Deus". Quase me senti impotente, pois por mais que eu argumentasse que era boato, que eu tinha visto o debate do começo ao fim e ela não havia dito isso, o enfermeiro e a garota permaneceram irredutíveis. Apenas a senhora que acompanhava o marido pareceu me ouvir mais e parou de dar argumentos absurdos, mas não sei se mudou sua posição. Outros me falaram que a Dilma era a favor do aborto. É uma coisa impressionante. Por isso acho que o PT tem que encontrar uma estratégia para se imunizar contra esses boatos pois certamente eles vão aparecer novamente. E vamos arregaçar as mangas e ir à luta para ganhar mais votos para a Dilma.

Responder

    Erivelto Prudencio

    04/10/2010 - 13h31

    Fátima,

    Concordo com vc. A bala de prata é exatamente esta. A queda de Dilma se deu muito no eleitorado evangélico, da Igreja Assembléia de Deus e outras denominações neo-pentecostais.
    A Dilma tem de ir nessas Igrejas, conversar com os pastores, gravar depoimentos e acabar com esses boatos já!

Carlos A Gomes

04/10/2010 - 12h53

Ontem, dia 3, eu conversava com a filha de um amigo meu que vota na Dilma. A filha me disse que não gostava do Serra, mas não conseguia gostar da Dilma porque ela era guerrilheira, que havia explodido um carro e por aí vai. Ou seja, ela só estava reproduzindo o que havia ouvido no colégio onde estuda, colégio de rico. Essa menina tem 15 anos de idade, tem um nível de escolaridade bem acima da média. Só pra vc ter uma idéia, ela fala e bem três idiomas. O pai é jornalista e é PT roxo. Fico me perguntando: se ela que vive nesse universo é capaz de pensar tais coisas e aqueles outros que não estão nesse nível?
Se a Dilma não criar uma campanha ou ação para esclarecer todos esses fatos (guerrilha, aborto, casamento gay, ateísmo, por aí vai) tudo isso ainda é capaz de gerar muito reflexo negativo.
Outra coisa, acho que ela precisa ser mais incisiva nos debates. Acho que ela precisa de certa dose de ironia na hora de debater com o Serra. A impressão que dá é que o Serra fez tudo de bom e o Lula apenas aproveitou a idéia. A impressão que dá é que o PT é corrupto e o PSDB é limpo. A impressão que dá é que o País não avançou em nada e que o Serra vem aí pra fazer o País avançar.
Está na hora de sair da defesa e partir pro ataque, com toque de bola, velocidade e iniciativa, como se preza um time que deseja ser campeão. Quem pretende vencer precisa saber impor o seu jogo. Dilma e o PT ainda estão devendo nesse tipo de atitude.
Acho que há respostas que precisam ser dadas e que ainda não foram dadas. Comparar durante os debates os governos.
É PRECISO SABER USAR ARGUMENTOS QUE TODOS ENTENDAM!.
Acho que a eleição, mesmo com a ampla vantagem que a Dilma conseguiu, ainda não está ganha. Acho que aqueles que votaram nela no primeiro turno também votarão no segundo, pelo menos essa é a tendência. Mas aí vem uma dúvida, ou melhor, duas:
1 – O eleitor que votou em Marina, cerca de 19 milhões, se distribuirá entre Dilma e Serra? Essa resposta é uma incógnata. Isso porque não se sabe, ao certo, o perfil de eleitor que votou em Marina. Certamente, muitos deles votarão em Dilma.

2 – A quantidade de abstenção foi grande neste primeiro turno. Caso essa abstenção seja bem menor no segundo ela pode fazer uma grande diferença. Pra que lado ninguém sabe.

Ou seja, agora estamos diante do imponderável.
Uma coisa é certa:
eu voto em Dilma. Pelo menos estou certo disso.

Responder

Rodrigo Ferrari

04/10/2010 - 12h53

Francamente, estou decepcionado é com este site, que não autoriza meu comentário por ser contra à opinião dominante por aqui.

Responder

    José Manoel

    04/10/2010 - 19h39

    Então não entra e não reclama!!!! Aqui não é lugar de gente do Serra.

Carlos.

04/10/2010 - 12h43

Foi ONDA MARROM! Eu volto a martelar: é lamentável que o futuro de um país como o nosso, que vem assumindo mais representatividade no mundo, seja decidido numa campanha em que o que pesa são calúnias, difamações e exploração da ingenuidade de pessoas por religiosos inescrupulosos. Isto parece mais eleição em Sucupira! Eu já não tinha religião, agora passo a ser inimigo das religiões. Perdi totalmente o respeito por qualquer uma delas. Onda verde coisa nenhuma! O que hopuve foi uma onda marrom, marrom lama, marrom m… e a candidatura da creacionista surfou nela. Aquela candidata magricelinha perdeu totalmente meu respeito por ter se prestado a papel tão infame de capitalizar os votos originados desta ONDA MARROM.

Responder

    José Vitor

    04/10/2010 - 13h59

    Também fiquei indignado com isso. E essa onda marrom é MUITO forte. A baixaria e a canalhice levaram a eleição para o 2º turno.

kali, a negra

04/10/2010 - 12h42

Os deputados eleitos por Tiririca

– Otoniel Lima, do PRB, cujo total de votos foi 95.971.
– Delegado Protógenes, do PCdoB, cujo total de votos foi 94.906
– Vanderlei Siraque, do PT, cujo total de votos foi 93.314

Graças ao palhaço o ínclito delegado foi eleito. Votei nele

Responder

    Marcos C. Campos

    04/10/2010 - 16h22

    Pelo menos o Tiririca serviu para alguma coisa !! Melhor que muito candidato por ai …

    Obrigado, Tiririca ! Você é gente boa …

    Vê se não apronta no Congresso …

    Apresente um projeto de lei garantindo espaço nas cidades com mais de 50 mil habitantes para os circos se instalarem. por ex.

    Lute pela causa circense / cigana já seria uma excelente luta. Abraços.

    PS. Tiririca, se deixar pior fica.

Fabio

04/10/2010 - 12h41

Creio que os votos da Marina vão se dividir em partes iguais. Mesmo que Serra abocanhe 2/3 dos votos da Marina, que pra mim representa um grupo de eleitores em cima do muro, pra não dizer covardes, banstando que Dilma consiga levar 1/3 desses votos, já é mais do que suficiente. Não pode é perder os votos que já teve no primeiro turno.

Responder

RICARDO RUIZ

04/10/2010 - 12h31

Azenha, boa tarde! Penso que o 2º turno foi "normal", haja vista a sacanagem feita contra Dilma na Net, PIG e entre os evangélicos! Aqui em casa, acreditamos que Dilma precisa de 5% dos votos da Marina e isso não considero que seja tão difícil de conseguir, já que o Serra tem uma grande rejeição no país todo…
Seria legal vc colocar como ficou a composição da Câmara de SP, pois se o PT e aliados são maioria, finalmente teremos as CPIs que os demo-tucanos tanto combateram nesses agora 20 anos de desgoverno do PSDB em São Paulo. Aos demais blogueiros, minha dica e pedido: NÃO DESISTAM, NÃO ABAIXEM A GUARDA, VAMOS ATÉ O FIM PARA ELEGER NOSSA CANDIDATA!!!! FALTA POUCO!!!

Responder

Denilson

04/10/2010 - 12h19

O que fará Marina?

A pessoa Marina, não o partido, pois o PV não tem esse peso. Não vai adiantar se esconder atrás do partido. Terá que tomar uma posição pessoal, se essa posição for acompanhar o desejo do partido, será omissão, que é pior!

Negará seu passado de lutas ao lado dos menos favorecidos e cairá no colo "luxuoso e cheiroso" da direita (acho que adorou o jatinho de 50 milhões!) ou terá dignidade (difícil, hein?).

Se optar pela primeira hipótese poderá até ter um futuro político razoável, visto que cairá nas graças dos conservadores pelo resto da vida e sempre terá votos e cargos à disposição. Porém, não tenho dúvida, não dormirá o sonho dos justos, atormentada que será pelos fantasmas de sua consciência!

Há uma diferença entre Marina e Heloisa Helena. Heloisa não caiu nos braços da direita, pelo contrário, por isso, está sendo dizimada. Marina pode cair e "sobreviver" politicamente.

Se fizer a segunda opção restará a dignidade e o caráter. Porém, seu futuro político será incerto.

Vejamos qual a estatura de Marina!

Responder

Joana Plaza

04/10/2010 - 12h19

Concordo: "Reflexo, em minha opinião, da falta de politização que acompanhou a ascensão social de milhões de brasileiros para a classe média. Vários comentaristas já trataram disso. Seria o “fator Berlusconi”. Ou seja, uma ascensão social que promove um eleitorado conservador, cuja lealdade não reflete compromisso político com um projeto e muito suscetível às questões morais — o boato de que o vice de Dilma é satanista, por exemplo. O “melhorismo” de Lula, na definição de Plínio de Arruda Sampaio, se assenta sobre bases mais frágeis do que se imaginava?"

Responder

antonio

04/10/2010 - 12h13

Históricamente o candidato que tem mais votos no 1º turno vence o 2º. Será que é melhor Dilma só "deixar o barco correr"?

Responder

Rogerio

04/10/2010 - 12h11

Porque a "onda verde" não carregou o candidato Fabio Feldman em São Paulo ? Isso teria levado o estado tranquilamente ao segundo turno. Mas isso não interessava. Porque a "onda verde" foi fabricada pelo PIG para trabalhar a alta rejeição ao candidato Serra, direcionando os votos para a Marina e embaralhando as eleições presidenciais.

Responder

    Denilson

    04/10/2010 - 13h53

    Fabio Feldmann saiu de 1% para mais de 5%, comprovando a onda verde (marolinha, no caso, mais houve!). O que não levou para o segundo turno foi o desempenho abaixo do esperado do Russomano (5% dos válidos, quando se esperava uns 10%, pelo menos).

João Carlos

04/10/2010 - 12h10

Pelo que entendi vários cristãos teriam votado contra a ex-Ministra Dilma com base em grosseiras mentiras divulgadas contra ela através de meras mensagens eletronicas.
Esses cristãos não se importam de votar com base em mentiras? Ou a mentira faz parte do cotidiano desses eleitores?

Responder

Fulano de Tal

04/10/2010 - 12h09

O voto que botou Serra no segundo turno NÃO FOI VOTO DE MARINA NEM DO PV. FOI VOTO DO BRASIL ARCAICO. Dilma tem que aprender a conviver com isso.
O Brasil da era Lula tem se modernizado apenas do ponto de vista econômico.
Mudar mentalidades leva gerações.
Minha dúvida é como as elites intelectuais que apóiam Marina, e que se acham vanguardas, os Caetanos, os Boffs, as Calcanhotos, lidam com o surfar nessa onda de atraso.
Vão ficar calados?

Responder

Antonio Silva

04/10/2010 - 12h05

A partir de agora, irei me abster de qualquer discussão política. Enquanto não houver um posicionamento contundente por parte das organizações sociais e do próprio PT, PDT e PCdoB contra a politicagem eleitoreira da porca mídia, Infelizmente, pois, é impossível continuarmos pedindo votos para a Dilma enquanto semanalmente a Revista Lixo e a Rede Lixo de alienação bombardeiam em seus veículos factóides contra a candidatura Lulista .

Responder

Exilado

04/10/2010 - 12h00

Azenha,
O que deu errado é que noite de São Bartolomeu foi mal organizada!

Responder

Marlise Leite

04/10/2010 - 11h58

Bom dia,

Minha opinião é a seguinte:

Marina cresceu especialmente entre os eleitores de maior escolaridade, como detalham as pesquisas de boca-de-urna.
Então, deduzo que creditar o grosso de seus votos a questões religiosas é totalmente falso.

Houve uma onda verde sim, e foi um fenômeno que a militância petista e seus simpatizantes parece ter dificuldade em aceitar, pois não concebem que possa haver movimentos espontâneos da sociedade em qualquer sentido que não seja o do oficialismo lulista.

Se, no segundo turno, o PT centrar seus esforços em blindar Dilma contra o imaginário dragão evangélico, pode perder a maioria dos votos dos eleitores de Marina, que não estão com os religiosos mas com os jovens (e mais os familiares que influenciam), nos colégios, faculdades, internet, redes sociais.

Responder

    Bruno

    04/10/2010 - 13h01

    Concordo contigo, Marlise. Convivo em meio escolarizado e a 'onda verde' foi considerável. Aqueles que não quiseram se comprometer com o José Serra e que não aceitaram as posturas da política do dia-a-dia do Lula acabaram migrando para a Marina.

    José A. de Souza Jr.

    04/10/2010 - 17h27

    Absolutamente de acordo. A questão é saber se a coligação da Dilma aceitará rever posições ambientais polêmicas legadas pelo governo Lula e "sequestrar" o discurso ambientalista para o campo progressista. Não creio, sinceramente. Perderemos novamente.

Cláudio

04/10/2010 - 11h58

Azenha, observei nas ultimas semanas que o programa eleitoral da Dilma não mostrava emoção, pois não apresentou imagem do povão nos comícios e a candidata parecia um pouco cansada. Por isso é necessário que os militantes esteja mais próximo dela com mais vibração.

Responder

Alice Matos

04/10/2010 - 11h54

Estou numa baita ressaca. Mesmo assim meu raciocínio deixa a "onda verde" de lado como realidade, pois no meu entender ela é uma máscara. A direitona unida foi competente em elaborou milimetricamente desaguar votos em Marina e em conquistar votos para ela para empurrar o Serra para o segundo turno. Fez isso de cálculo pensado no último mes de campanha. E foi vitoriosa.

Responder

    angela

    04/10/2010 - 12h23

    Por que vc não publica meus comentários????

    AFernando

    04/10/2010 - 12h38

    Exato! Serra não crescia, mesmo diante de uma enxurradas de denuncias, a rejeção a ele era enorme, portanto, vamos de Marina, disseram. Foi feito aquele fusca velho que se quer vender, dá uma garibada ali, outra acolá, pronto! está pronto para vender.

Svibra

04/10/2010 - 11h48

Na política, que a Marina viu por dentro, não existe esta história de vingança, sair magoada ou qualquer coisa do gênero. Marina claramente buscou o seu espaço pessoal e o das suas idéias e teve muito sucesso, ainda que os seus eleitores a apoiaram por razões muito diferente disto.

Nenhum serrista votou na Marina para forçar o segundo turno, isto não faz sentido, já que votando no proprio Serra teria o mesmo objetivo. O voto da Marina é muito mais um voto de protesto, ainda que não possa ser comparada ao Tiririca. Seus eleitores, no segundo truno, vão protestar como? Votando no Serra?? No máximo vão anular, mas acho que vão para a Dilma, pois até estes entenderão que "dos males o menor".

O Brasil não vai jogar no lixo esta única e verdadeira chance que tivemos na nossa história até hoje. A mídia pode fazer muito barulho e a igreja também, mas outras forças vão entrar em campo, inclusive a dos vitoriosos já eleitos no primeiro turno.

Responder

Luiz Jornaleiro

04/10/2010 - 11h45

Essa tal onda verde foi formada, em boa medida, por boatos mentirosos. A canditata Dilma tem obrigação de desmenti-los e processar todos os pastores, padres, jornalistas ou quem quer que seja que tenha afirmado, publicamente, que ela é a favor do aborto (incluindo na lista a esposa do candidato adversário). E processar agora, para que a Justiça prevaleça sobre a mentira, antes da decisão eleitoral. Para mim isso é de fundamental importância para ganhar (ou perder) a eleição.

Responder

Gil

04/10/2010 - 11h39

O grande vencedor das eleições foi o PIG … quando viram que o psdp(aulista) e o ex pfhcl atual enDEMOniado não iam dar conta do recado inflaram a candidatura da neo capitalista cosmético- evangélica (com inúmeros simpatizante na opus dei e na CNBBebe), que 'tá se achando um monte (será que ela achava que seria ela que iria pro segundo turno?!?!?!), e o segundo turno caiu do céu. Agora temo que Dilma não se eleja, Aécio vai ter que ser mais explícito no apoio, psdp(aulista) vai ser psdb, vão acabar de comprar o pv via gabeira e "pilatice" da neo capitalista cosmético- evangélica (com inúmeros simpatizantes na direita católica em geral …) e … Deus ajude o povo brasileiro (mas se ele quer isso que se dane)…

Responder

    Marcos C. Campos

    04/10/2010 - 16h27

    Gil, pensando assim voce terá que ir para a Argentina morar lá a partir de 1/1/11

Rafael

04/10/2010 - 11h37

Essa eleição está muito favorável para Dilma. Lula em 2006 fez no primeiro truno em torno de 46.000.000 e alkimim fz 40.000.000. Dilma fez 46.000.000 e serra 32.000.000 não motivo para muito panico. Dilma foi muito bem. Agora no segundo turno temos que triplicar a mobilização. Vai dar Dilma.

Responder

Denilson

04/10/2010 - 11h35

Não erremos novamente.

Em primeiro lugar é retomar o ânimo. Dilma teve 47% dos votos, falta só 3%!!!

A campanha do segundo turno já começou. Hoje recebi 2 e-mails, 1 sobre a "declaração" da Marilia Gabriela e outro sobre o aborto. Respondi aos dois. O primeiro com o desmentido da Marilia Gabriela e o segundo com os argumentos do Serra sobre o aborto em caso de estupro, veja aqui: http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=985 (para ele matar uma criança com 5 meses de gestação pode, desde que tenha sido gerada por estupro. Em sua hipocrisia, a vida dessa criança vale menos porque ela teve o azar de ser gerada por estupro!!!)

Respondam a TODOS esses e-mails de forma categórica, com os argumentos da verdade, mostrando o que Serra representa nessa eleição. Atenção, não responda apenas à quem lhe enviou o e-mail, responda a todos da lista!

Faça o mesmo no seu dia-a-dia, não deixe de argumentar com seus familiares, colegas de trabalho, pessoas na rua, etc…

Houve sim onda verde (vejam o crescimento do Fabio Felmann em SP), houve sim voto religioso, houve sim desgaste pelo caso Erenice. Precisamos ter isso bem claro, é preciso combater a tudo isso e, infelizmente, nos prepararmos para novos ataques da direitona desvairada!

Mas, reafirmo, quem teve 47% dos votos no primeiro turno não pode entrar no segundo turno desanimado, temendo a derrota. É isso que "eles" querem. Com Marina ou sem Marina venceremos!

Responder

Heberval Dias

04/10/2010 - 11h33

Azenha, ainda estou tentando entender o que houve, tá muito difícil engolir tudo isso, ainda não entendo o que houve com a militância.

Responder

Julia

04/10/2010 - 11h32

Meu grande medo é o próprio PT. Que campanha morna… Parece seleção brasileira quando entra para empate. O site do PT, pelo menos o do Rio, é extremamente ruim. Não informa nada. Queria saber qual o comitê mais perto da zona sul para conseguir material de campanha, não achei. E a lojinha está em "construção"…
Alguma tática foi muito errada. Sergio Cabral entrou com 66% e aqui Marina ficou com 31% (dIlma com 43%). Preocuparam-se em Lula puxar Cabral mas na verdade Cabral é que tinha que puxar Dilma. Quem são estes que votaram no Cabral e não votaram na Dilma? espero que o PT mude a tática, saia da retranca e jogue no ataque e seduza esses "verdes" de última hora. E pelo menos melhorem a comunicação pela internet, já que contar com uma imprensa séria é pedir demais…

Responder

D.O.P.

04/10/2010 - 11h31

O voto nas Marinas e Gabeiras também vem acompanahdo de uma parcela dos mais velhos, que, se não são Udenistas, realmente cansaram de política ( óbviamente ajudados pelo discurso subliminar do PIG de que “tudo está corrompido”)e votam no “novo” apenas por aparentar ser novo. Isso pode ser ás vezes até ralo a ponto de parecer físicamente novo. Ellegeu-se o presidente da república mais inepto das Américas (OK, houve Bush Jr……. .)em todos os tempos, só pela aparencia, Collor e sua cara de galã de Sétimo Ceu, mistura de Agnaldo Rayol com Moacir Franco.Marina pode ser mestiça, de origem pobre, mas não representa o novo, mera marionete que foi nessa eleição.
É preciso mostrar a esses 19 milhões o que a pura jeztão e o privatismo desenfreado fazem à vida humana. È preciso mostrar a eles como está o México, o que Menem fez com Los Hermanos, como está São Paulo, o que a ideologia neo-liberal fez com o mundo após as décadas de 80 e 90,tudo para que as famílias estado-unidenses de classe média pudessem ter a sua hipoteca de mansões de dois andares. Embora seja preciso também trazer à tona todas as alianças de Lula com os setores realmente produtivos do empresariado nacional .Trazer essas pessoas para falar no programa. É preciso voltar a por a ideologia na mesa, e aí sim vir com o melhorismo e mostrar os resultados desse 8 anos .Que melhor trunfo na manga na hora da luta do que o “testado e comprovado”?É preciso convencer a esses 19 milhões que , como diziam Assis,Baby e Moraes, está na hora dessa gente bronzeada mostrar o seu valor. E fazê-lo até o apito final do juiz, não querer dar olé, ou mesmo persistir na manutenção de Dilma numa redoma, quase que de maneira supersticiosa feito um Zagallo ou um Joel Santana.Ligar o alerta até as 17 h d odia da eleição, mesmo que as pesquisas estejam folgadas.Nunca o Brasil teve tanto a perder com um certo resultado de eleição.
Pra terminar:
1- Não descarto fraude não. O PT tem que botar a boca no traombone a qualquer indício.Tiraarm uma diferença grande demais no final ou o que foram aquelas pesquisas. Que tal dizer que vocÊ está me vencendo como tátic pra eu relaxara, dar olé?
2- Onde esteve a militnacia do PT. OK, na minha seção cheguei tarde, 4 h.Mas não tinha viv´alma.
À vitória ,Brasileiros de bem.

Responder

Claudia

04/10/2010 - 11h30

Primeira vez postando aqui mas leitora assídua desde que um amigo indicou-me o blog!
Estou até agora tentando entender o que "diabos foi" essa onda verde!!!!!
desde o início da semana passada observei conhecidos de longa data informando o voto em Marina. Pessoas que sempre foram anti-militares, anti-ditadura, anti-americanos, enfim, anti tudo!
Nas últimas semanas fui inundada por e-mails convidando-me a "marinar";"seja um Marineiro também" que vieram especialmente de dois amigos- homoafetivos- em união estável há mais de 5 anos.
Pois é, eles estavam me convidando a "marinar"! Logo eles!
Ontem a tarde fui abastecer o carro e perguntei as meninas da loja de conveniência, enquanto tomava um café em quem elas votaram…Resposta: Marina!
Esses são, deveriam ser pelo menos, os eleitores de Lula e, por princípio eleitores de Dilma.

Ontem eu dormi no Brasil e hoje…não tenho a mínima idéia em qual planeta acordei!

Responder

    vinicius

    04/10/2010 - 16h40

    Comigo aconteceu o mesmo. Um monte de amigos Marinaram.
    Não tenho a menor dúvida: a Marina foi a opção contra a polarização Dilma-Serra com grande auxílio da Mídia para levar a disputa ao segundo turno

    Valmont

    04/10/2010 - 16h57

    Realmente, 20 milhões de verdes tá parecendo Marte nos anos 60. :]]]

@rubsgama

04/10/2010 - 11h29

Parabéns Azenha.
Sua análise está muito melhor do que a média. Alguém precisava dizer a despolitização da campanha de Dilma.

Responder

D.O.P.

04/10/2010 - 11h29

Duas partes do meu comentário de 4 h atrás que não saíram ou houve algum problema que não sei:
O melhorismo faz parte. A meu ver o PT errou ao não fazer acompanhar ao melhorismo com a batalha ideológica sim. Um chamamento à reflexão à essa gente. Mas do que mostrar a esse 19 milhões que a dívida externa foi paga, de que TODOS os indicadores sociais tiveram melhoria definitiva, da conquista da Olimpíada e da Copa, da migração de um país dependente das fontes de energia do exterior a outro independente , se preparando para exportar mais derivados, após descobrir óleo aonde nenhum ser humano jamais o tinhafeito e com tecnologia exclusiva de mentes Brasileiras, devemos questioná-los. Não é isso que querem? Não é este pelo menos o início da velha lenda do “país do futuro”.Ou querem ter sempre algo para reclamar?Que se lembre a eles que o governo de lula foi também o governo de Dilma, chefe de casa civil, articuladora política. Além de mostrar aeles os resultados, colocar o programa de governo, a ideologia na mesa. Ir pro pau. Abrir a caixa de ferramentas e lutar o bom combate. O PT, com o que ainda tem de militnacia e know-how nisso, pondo em execução, acho muito difícil eles conseguirem virar o placar. Para trazer esses 19 milhões pra gente, é necessário conquistá-los, muitos deles já fomos nós.O verdismo da maioria deles é uma espécie de arroubo juvenil, de rebeldia de quarto de dormir, da eterna busca pelo “novo”, dos Gabeiras e Caetanos, seja o que eles (e só eles sabem o que é “novo”…….) digam que o é.

Responder

Luciana

04/10/2010 - 11h27

Interessante todo mundo fala que Marina tirou votos de Dilma, e sobre Michel Temer porque ninguém menciona. Este Senhor traz votos para Dilma? Michel Temer com sua simpatia e relevantes trabalhos sociais contribui para aumentar a votação da candidata? Michel Temer trouxe os votos da sua comunidade libanesa para o PT. Analisemos.

Responder

    Jairo_Beraldo

    04/10/2010 - 12h08

    Eu mencionei aqui neste espaço, quando escolheram o meliante para vice. Fui massacrado. Pior que isso, foi colocar Palocci na campanha. E bem no inicio, colocaram Zé Dirceu para coordenar as alianças nos estados. Aqui neste blog, dei o grito. ESCCONDAM o ZÉ! Parece que ouviram, mas deixaram ele andar por entre os parceiros. E o pior…desprezaram os parceiros, que como eu, votam democraticamente. Isso é radicalismo. Tudo conjunto da obra. E trabalhei mais que todos estes radicais pela eleição de Dilma no 1º turno. Mas vou continuar. Afinal, antes de ser eleitopr do Ronaldo caiado, sou anti-tucano. E Caiado é anti-Marconi.

    Cesar Augustos

    04/10/2010 - 12h26

    Luciana,

    me desculpe, mas que votos? Ele foi muito mal das pernas aqui no Rio, alias depois que foi pro PSOL nada conseguiu. Marina teve mais votos do Heloisa Helena em 2006, mais votos do que o Confuso Ex-Gabeira. E por falar em Heloisa Helena,perdeu mais uma.E pela fabulosa votaçao do Plinio Arruda, devemos aos votos do Sr. Michel Temer,ou seja meia duzia de votos.

Alexandre

04/10/2010 - 11h25

A ideia de que Marina roubou votos de Dilma por causa de uma suposta "onda verde", na qual todos de repente se tornaram atentos e sensíveis a questões ecológicas, é de uma ingenuidade que me faz chorar. Há que se considerar vários fatores aí; um deles é exatamente a onda de boatos sobre satanismo, aborto ou "nem Cristo me tira essa vitória". Pesou principalmente entre os mais pobres, que tendem a ser mais ferozes em questões religiosas. Outro fator a se considerar é a campanha difamatória da mídia, à qual a campanha petista não soube responder. O clima de "mar de lama" fez com que parte do eleitorado se deslocasse para um candidato que parecia pairar acima da baixaria da polarização. Porém, o aspecto ideológico ou programático pesou muito pouco; afinal, o discurso de Marina é desidratado, vazio, sem propostas concretas. Acho que a campanha petista é que errou — houve salto alto na reta final, em parte porque as pesquisas eram todas muito favoráveis; as que não o eram foram "demonizadas" (para usar um termo da última moda) como "manipuladas". É provável que tenham sido; mas também foram as que a mídia martelou com mais insistência, e isso tem um certo peso.

Responder

flavio marcio

04/10/2010 - 11h24

Concordo com o Azenha e faço auto-crítica de "teses" que defendi aqui a respeito do declínio da direita. Não percebi que ela pode estar se refazendo em outras bases, surpreendendo talvez até a si mesma. A onda verde, quem sabe, pode ser uma alternativa à sua mesmice. Para o 2o turno, por exemplo, Serra poderá contar com a orientação dos verdes direitistas, não só do PV (Sirkis, Gabeira, Marina?) mas até do PIG (Trigo, Abranches, Torloni) para vestir-se de "ecológico" e assim atrair os votos dados à Marina.
Agora, gostaria de acrescentar à análise instigante do jornalista um ponto nevrálgico: a prolongada ausência de ativismo coditiano por parte das forças progressistas. Há até participação dos militantes em reuniões partidárias ou sindicais, em comícios eleitorais e nos últimos tempos em debates virtuais nos blogs. Mas O MUNDO A GENTE MUDA A PARTIR DE ONDE A GENTE ESTÁ. Se não estivermos diuturnamente com o povo onde ele vive os seus dramas e suas alegrias, se não tivermos politizando-o ali onde ele está, a direita sempre poderá a dominar suas mentes e corações, pois não lhe faltam meios poderosos para isto.

Responder

JA-BH

04/10/2010 - 11h23

Acho que a Marina vai substituir o Índio na Vice do Serra e aí o bicho vai pegar mesmo!

Responder

    Marcos C. Campos

    04/10/2010 - 17h19

    Seria uma traição sem tamanho da Marina, digna de um Joaquim Silverio. Não acredito.

    Corações e Mentes

    04/10/2010 - 18h05

    Nesse caso,a minha mochila pra ir embora pro Paraguai,eu já vou deixar pronta.

Lana

04/10/2010 - 11h19

Minha maior curiosidade e preocupação neste segundo turno: Aécio e os votos de MG, segundo maior colégio eleitoral do país.

Aécio vai dar o sangue para eleger Serra e perder a oportunidade de se candidatar em 2014?
Aécio vai influir no voto dos mineiros?
Os mineiros seguiriam a orientação de Aécio para votarem em Serra?

Outra dúvida: Marina vai planar em que brisa? PSDB, PT ou vai procurar a zona de conforto da imparcialidade, da não aliança com nenhum dos dois projetos?

São Paulo, hein? Êta povo que gosta de sofrer!
Ou eu estou enganada e SP é mesmo essa maravilha que vimos na campanha do Alckmin e do Serra?
Com a palavra, paulistas e paulistanos.
Enfim… Alckmin já eleito e ajudando na campanha do Serra, olha o perigo.
Aliás, só SP não… PR e SC também.

Agora vejam: SP, MG, PR, SC são colégios eleitorais poderosos, não?

Penso que esse segundo turno vai ser muito difícil e se continuarmos nesse ôba-ôba de "Dilma é favorita e será a primeira presidenta do Brasil", muito provavelmente nos decepcionaremos ao final do dia 30/10.

Uma consideração:

A campanha difamatória, calunialista e mentirosa da internet (e-mails, blogs serristas, orkut, e afins) pode não ter sido a bala de prata na campanha da Dilma, mas foi o veneno que, apesar da ação lenta e silenciosa (não sairam nos jornais), foi letal para a vitoria da Dilma no primeiro turno. Soninha Francine, a segunda-dama de Serra foi eficaz no seu trabalho.

O QUE FAZER: rebater e desmentir os argumentos dos e-mails caluniosos e ir além. Mostrar quem é Serra e o que representa a interrupção do governo Lula e a volta do PSDB ao poder.

Pessoal, a gente terá que fazer muito mais do que ficar nos blogs sujos que a gente gosta, chamando a midia de PIG; o Serra de Vampiro e a Sandra Cureau de tiete do Serra.

Ou a gente se mobiliza de verdade ou a tal virada do Serra se concretizará.

Ontem, depois que vi o ***Boris Casoy já queimando a Dilma antes do resultado que apontava efetivamente o segundo turno e o Renato Machado praticamente saltitando de alegria, no Fantástico, previ que vem pedreira por aí.

***Boris Casoy tentando ordenar o debate entre os convidados no programa das eleições da Band, falou:
"Vou ter que dar uma de Dilma e começar a bater na mesa(esmurrar)"

Responder

Nelson Menezes

04/10/2010 - 11h18

Os partidos e candidatos ditos de esquerdas os( nanicos) bem como a marina da silva,preferiu em debates e nas propagandas gratuítas a optarem por detonar o governo LULA que está dando bons resultados para o Brasil eo seu povo, em detrimento ao retrocesso, a falencia a corrupção e ao entreguismo da Pátria à direitona ,então estes partidinhos (nanicos) não estão pensando no Brasil como um todo mas sim em seus propios umbigos, caso não acontece com as direitas que estão sempre coesas ao que mais lhes interessa O CAPITAL .

Responder

bubu do brejo

04/10/2010 - 11h17

Volto a insistir, deixemos a Marina gozar as suas conquistas e trazé-la para o nosso lado eh essencial, lembrando-a como ex-petista, o respeito e admiração que sentimos, porém cabe a ela, refletir se fica em cima do muro ou se liga nessa corrente para derrotar o discurso conservador do Sr. Serra. Por favor neste momento respeitemos a Marina e os quase 20 ( vinte milhões ) de votos. O Lula junto com os irmãos Viana do Acre, com certeza saberão como trazé-la para o nosso meio.

Responder

Danilo Morais

04/10/2010 - 11h16

Apesar de ter ficado boa parte de ontem como fiscal numa zona eleitoral onde votam estratos da classe média-baixa, no início da manhã e final da tarde passei por uma parte considerável dos locais de votação em que se concentram os eleitores mais pobres de Ribeirão Preto. Ouvi muito, mas muito mesmo, entre este eleitorado mais pobre, fiel de várias denominações evangélicas, dizer que tinha medo de votar em Dilma por três razões: 1) ela é favorável ao aborto; 2) ela teria dito "nem Cristo me tira a vitória" (uma mentira deslavada); e 3) ela é favorável ao casamento gay.

O terrorismo religioso, me parece, entre todas as táticas rasteiras utilizadas pela oposição (quebra de sigilo fiscal e bombardeio da casa civil), foi aquela mais eficaz para atingir o eleitorado de baixa renda, que dava a Dilma em SP uma vantagem, nas pesquisas, de aproximadamente 5 milhões de votos, que acabou revertida na reta final da eleição e fez toda a diferença para determinar o segundo turno.

Responder

malu

04/10/2010 - 11h14

Meus sobrinhos e amiguinhos, todos na faixa de 16 a 20 anos, são de classe média, playbozinhos analfabetos políticos e votaram na Marina porque houve uma onda de e-mails, falando da modernidade de ser PV. Eles não se interessam por política, não sabem sequer o papel de um vereador, mas acharam "legal" votar na Marina. Fazer o quê? Minha irmã e o marido, que votaram na Dilma (ele é um empresário muito bem sucedido) ficaram decepcionados, mas graças a Deus, hoje em dia o voto não é de cabresto. Conversei à noite com minha sobrinha e ela falou: que droga, vai ter eleição de novo, é muito chato. Eu falei: ué, você votou útil para o Serra ir para o segundo turno e agora reclama, Patricinha? Ela nem entendeu… a maioria dos eleitores jovens da Marina é isso. Ah, ela nem sabia que a Marina é evangélica, que a Dilma falou em aborto, essas coisas. Foi um voto meio Tiririca mesmo.

Responder

luiza

04/10/2010 - 11h11

Durante esse primeiro turno recebi muitos email sujos e mentirosos que denegriram a Dilma e suas idéias,acho que essa forma de divulgação negativa (uma onda pequena pela internete) também contribui para favorecer os indecisos.Não recebi nenhuma onda vermelha positiva em favor da Dilma(pela Net). PQ não se começa agora uma onda vermelha da Dilma pela Net através de email! No final tudo ajuda , e não é necessário escrever denegrindo o Serra basta mostrar as realizações excelentes do LULA e DILMA.

Responder

    angela

    04/10/2010 - 11h31

    Votos dos jovens que cansaram da polarização???Onde isso Azenha? Os "jovens" que votaram na Marina, não são tão jovens…conversei com vários, ouvi até : não voto na Dilma pq ela é feia e outras idiotices….o que pesou mesmo foram os votos travestidos de votos religiosos….aqui em BH um colégio muito conhecido de classe média alta, informou aos alunos do
    1° grau que a Dilma era assaltante de bancos e otras cositas mas….faltou competência nas leituras das pesquisas, sim.
    A militância petista cochilou, tb….mas onda verde só se for na casa do dono da Natura que é o negociador de apoio para o segundo turno…..e ele está muuuuuuuuuito ligado à marina….que Deus a proteja e Chico Mendes olhe por nós

    Denilson

    04/10/2010 - 11h41

    Eu já comecei hoje!

    Não só denegrindo Serra (é preciso sim!), mostrando quem realmente ele é, e a quem ele representa… isso é bem fácil, o próprio Estadão nos deu uma ajuda. E, também, e principalmente, mostrando as realizações do governo Lula no âmbito da justiça social.

    Ao ataque!!!!

Rafaelrss

04/10/2010 - 11h06

Na Sexta à noite perguntei a minha mãe sobre aquela conversa que ela tinha dito no trabalho sobre quem votar em quem, ela disse e quem Maioria iria votar em Marina presidente, Wagner Governador, Lidice e Pinheiro Senado….. se via claramente ali claramente que a questão não era por escolha de governo PT x PSDB x PV e sim por um fator que mais que o bolso chocava eles, a Fé ou a falta dela.

O mesmo posso dizer de meu irmão que trabalha em uma fabrica com mais de 500 funcionários, e a sua maioria chegava a mesmas conclusões, apenas de haver um divisão um pouco maior entre Marina e Dilma, mais diferente do que muitos questiona sobre os escândalos como Erenice, Sigilo da Receita e afins, segundo meu irmão se vc perguntasse quem é Erenice Guerra, no minimo iria dizer: Nuca vi mais gorda!! Lá uns vão votar na Dilma porque lula está pedindo, outros na Marina porque dizem Dilma ter pacto com o Diabo, seu vice é Maçom e por aí vai.

Responder

Rafaelrss

04/10/2010 - 11h06

Onda Verde? Não Religiosa.

Aqui em casa mesmo vi várias vezes minha mãe me perguntando e questionando com dúvidas sérias sobre questão religiosa envolvendo a Dilma principalmente ligada a satanismos, pacto com coisa e heresia com nem Jesus tirar essa vitória…

Esse boato era muito comum e ela sempre dizia que ouvia isso no Trabalho (imagem uma fabrica que tem mais de 100 funcionários discutindo isso na hora do almoço) na Igreja que ela freqüenta, onde sempre dizia ter irmão falando isso, ou na clínica publica onde ela faz fisioterapia, onde essas conversas era um assunto recorrente, principalmente se levando em conta que esse publico que minha mãe freqüenta é basicamente formado por classe C, D e E.

Simplesmente uma bomba anunciada onde o PT comeu bola e não se antecipou a isso.

Responder

Gerson Carneiro

04/10/2010 - 11h05

Marina fez o papel do Peru na copa de 78.

Responder

    vinicius

    04/10/2010 - 16h50

    Concordo, mas não fez sozinha.
    A imprensa inflou a Marina no último instante para levar Serra ao segundo turno.
    Resta saber se Marina terá meios para levar seu novo partido a se posicionar ou ficaram em cima do muro.
    Para quem tanto fala em COERÊNCIA, espero que ela, e o PV, tenha posição muito bem definida para o segundo turno.

Marcelo de Matos

04/10/2010 - 11h00

O UOL anunciou que Serra irá mudar o slogan para o segundo turno. Vão deixar de lado aquele "O Brasil pode mais". "A campanha tucana ganhará um tom mais "positivo", reforçando motes na linha "Serra É do Bem", em confronto com a ideia de que o PT oferece ameaça à democracia brasileira".

Responder

Marcos L Mucheroni

04/10/2010 - 10h59

Pois é meu amigo Azenha, sou o Mucheroni de Bauru, li com tristeza que a Marina envergonhava a Ecologia Nacional, talvez o MinC seja um orgulho para alguns, para mim ele é a vergonha. Mas agora terão que pedir os 20 milhões de voto dela.
Deviamos ter respeito com uma pessoa com a história dela, tive sempre e agora tenho mais ainda, ela manteve o nível.
abraços:

Responder

    Valmont

    04/10/2010 - 16h31

    Até parece que os 20 milhões de votos são propriedade da Marina. Nada mais equivocado.
    Muitos desses milhões de votos caíram no colo da Marina por ação deliberada dos demotucanos e do PIG.

Luciana

04/10/2010 - 10h59

Marina Silva não ficará com Dilma Roussef. Foi um projeto para demonstar que não foi pacifica sua saída do Ministério do meio Ambiente, e com certeza ela vai apoiar José serra. Aí será um complicador e não podemos esquecer que ela é evangélica.A questão do aborto, que vitima mulheres pobres, a candidata Dilma posicionou-se de maneira apressada e não fez o debate e explicações que o tema delicadíssimo rquer.Ela desconsiderou a marginalidade e as mortes que ocorrem.Estou preocupada infelizmente a situação de Dilma se complicou.O presidente Lula deveria ter acertado este incendio.Deveriam ter considerado a hipótese quew Marina Silva é uma das fundadoras do PT e que magoada causaria este tormento, não levou mas influenciou para a não vitória de Dilma.Os técnicos de plantão não entendem de povo.Tem muita gente boa que ajudou a fundar o partido e está magoada com os neo petistas.Plinio é um deles.

Responder

Armando do Prado

04/10/2010 - 10h58

E sem esquecer a abstenção. Altíssima no norte e nordeste, e por definição eleitores de Dilma.

Responder

bubu do brejo

04/10/2010 - 10h58

Corraboro com o texto, inclusive sinto isto aqui no Ceará, onde a onda verde deu-se principalmente entre os jovens. O lado interressante é que todos os que contactei antes das eleições e pós resultados confirmaram como opção para o segundo turno : Dilma.

Responder

PAULO GODOY

04/10/2010 - 10h57

Azenha,

Depois do resultado de ontem (infelizmente ainda não deu), comecei a refletir sobre o pleito e talvez tenha encontrado algumas respostas para os acontecidos:
Em primeiro lugar, Marina realmente mostra que a polarização entre duas ideologias não deveria ser o cerne desta eleição.
Em segundo lugar temos uma sociedade ainda presa a alguns paradigmas religiosos.
Em terceiro lugar devemos ter tranquilidade porque pela complexidade enontrada na hora de votar provavelmente temos muitos votos perdidos para a Dilma.
E por último não foi o Serra quem conseguiu ir para o segundo turno, foi o inflamento da campanha da Marina que levou o dito para o segundo turno.
Espero realmente que nesta próxima fase todos nós nos conscientizemos que teremos que fazer muito mais porque agora a "grande" mídia vai querer bater mais forte.

Abraços

Responder

José Vitor

04/10/2010 - 10h55

Marina foi recebeu o voto de protesto que sempre existe. Também recebeu o voto das pessoas despolitizadas, que "querem fazer alguma coisa", mas "não confiam nos políticos tradicionais". Esse voto despolitizado existe em todas as classes, mas principalmente na classe média. Vejam a votação dela em SP: por volta de 20%. Mas nunca que esse percentual é um voto orgânico, embasado na realidade política de SP. Marina é uma personalidade levemente folclórica em SP.

Acho que o terrorismo eleitoral da campanha do Serra não lhe trouxe muitos votos novos, nem retirou muitos votos da Dilma, mas sim acabou afetando os indecisos, que foram em peso, na última hora, para Marina.

Apenas para demonstrar que a votação de Marina foi um fenômeno adventício, oportunista, basta considerar a derrota da oposição nas eleições para governador, e especialmente a flagrante derrota na Câmara e no Senado.

Resumindo, não acho que a análise do Azenha corresponda à realidade. Não houve "falta de politização" da campanha da Dilma, já que os votos de Marina foram votos desinformados e despolitizados. A

Responder

    angela

    04/10/2010 - 12h22

    Muito boa sua análise…aqui em BH acontece a mesma coisa….basta ver a vitória do
    Aécio, que foi péssimo governador e que elegeu outro péssimo governador

    Valmont

    04/10/2010 - 16h26

    Pois é justamente neste ponto que eu concordo com Azenha. A campanha de Dilma se tornou muito monótona ao repetir excessivamente as realizações do governo Lula. Pouco explorou as contradições dos adversários, especialmente o maior deles, o PIG. Manteve-se muito na defensiva, nas cordas. De certa forma, isto pareceu uma fuga ao verdadeiro debate político-ideológico.

    Quantos aqui reclamaram da falta de uma atitude mais firme do PT? Faltou sangue nas veias e sobraram sorrisos forçados.

    O q eu discordo é em relação à atuação das organizações religiosas. Do meu ponto de vista, ela tem sido muito forte e articulada nesta eleição e resulta do confronto ocorrido desde a discussão do PDH.

    vinicius

    04/10/2010 - 17h03

    Concordo com a análise do José Vitor. O voto em Marina não é politizado. É voto de jovens, moderninhos, bacanas e, principalmente, um empurrão de última hora para ajudar a levar a eleição para segundo turno.
    Se um empurrão fosse dado antes das trÊs últimas semanas, a Marina tiraria o segundo lugar do Serra.
    A equipe do Serra cometeu muitos erros, exceto deixar para o final o empurrão na Marina.
    Marina se encantou com os Verdes quando saiu do PT e agora se ilude com a votação que obteve.

Nelson Menezes

04/10/2010 - 10h51

Reforma eleitoral urgente! a dificuldade de votar nestas eleições foi a quantidade de legendas juntamente com a de governador e presidente,os jovens as pessoas de baixa escolaridade e até no meu caso que só tenho o ensino médio, não temos paciencia deficar aguardando o tempo todo ou fazendo cola para escolher os nossos candidatos.

Responder

José Luiz Neto

04/10/2010 - 10h50

Azenha,
Não há "onda verde"… não houve "onda verde" nessa eleição. São pouquissimos. Muitos são os regiosos crentes e carismáticos. Mais de 20 milhões de seguidores fiéis de seus pastores e da palavra de Deus. Fundamentalistas.
O que há é uma "onda religiosa". O que houve foram pastores botando medo nos fiéis quanto à Dilva. Criança de 6 anos, de familia que conheço pessoalmente, me dizia no início do mês: Vou votar na Dilma porquê ela é do Lula. E me disse no sábado, dia 2: Não voto na Dilma porquê ela não acredita em Deus. São presbiterianos.
O que houve foi uma campanha nas igrejas evangélicas de todo o pais, capitaneada pela Igreja Presbiteriana, orientando o voto dos eleitores de Deus para a candidata evangélica, Marina.
E os votos são do povo de Deus, dirigidos para o candidato de Deus. Esses votos não pertecem á Marina.

Responder

Jota Sales

04/10/2010 - 10h50

Vejam bem: Não foi o serra que cresceu. Basta Dilma manter sua votação. Os votos de Marina serão "pulverizados". Algo como 33 x 33 x 33 (Dilma, Serra e nulos). Os votos que ela tirou de Dilma voltam para Dilma.

Responder

Luiz Nunes

04/10/2010 - 10h49

Caro Azenha,

Cada vez mais, acredito que o PT tem que entrar de sola na campanha para o segundo turno. O PIG virá com tudo para cima, descaradamente. Eles não vão perder essa oportunidade. A ala religiosa brasileira também. Então a campanha tem que ter um tom mais agressivo, desconstruir as pseudo-propostas do Serra e desmascarar ou esses moralistas de direita travestidos de pastores do povo.

Outra coisa importante: A Marina deveria olhar para a história recente e entender que o papel dela é o mesmo desempenhado pela Luiza Helena, que está condenada, hoje, ao esquecimento, se bobear ela não ganha nem como vereadora. Foi usada e descartada como sempre. O mesmo espera por Marina Silva. Se ela tiver senso, que pense um pouco agora, nesse momento decisivo.

Responder

Edemar Motta

04/10/2010 - 10h47

Caro Azenha,

É sempre um prazer ler seus textos. Sempre primorosos, o que não significa alinhamento automático com eles. Simploriamente e relembrando o Cacareco, acho que Marina foi o Tirirca do Brasil e não terá mais nenhuma importância doravante.

Seu discurso vazio e a atuação de seus parceiros do desideologizado Partido Verde pulverizarão seu eleitorado no próximo turno. Claro, a direitona tudo fará para amealhar esses votos eco-ético-religiosos, utilizando seus conhecidos métodos.

Aguardarei o segundo turno pronto para votar na Dilma e com uma grande curiosidade: quem paga o super-jatinho?

Responder

Marcelo de Matos

04/10/2010 - 10h47

Esta talvez seja a segunda-feira mais macambúzia que já vivi. Um post do Fernando Rodrigues, porém, fez com que eu afastasse parte do banzo: “No 2º turno, quase sempre vence quem sai na frente”. Mas o subtítulo ainda coloca um pouco de pedregulho na nossa empada: “mas o segundo turno entre Dilma e Serra tem características únicas”. Fernando explica: “Nada mais sem conteúdo do que a frase “segundo turno é outra eleição”. O fato é que o segundo turno é a mesma eleição. Os exemplos históricos demonstram que na maioria das eleições para governador ou para prefeito em cidades grandes o vencedor do segundo turno é exatamente o candidato que terminou na frente a disputa no primeiro turno. Sim, claro, viradas ocorrem. Mas são raras”. Ufa, ainda bem! Nada como uma injeção de ânimo quando a gente está “down”.

Responder

Úrsula

04/10/2010 - 10h47

Penso que Marina não terá nenhum peso no segundo turno. O voto dela é daqueles que preferem ficar em cima do muro até o último minuto. Daqueles que não querem assumir um postura política diante do voto. E para os movimentos de esquerda, Marina se tornará um nada se apoiar Serra. Mas acho que a campanha da Dilma errou sim em deixar a Marina solta, sem mostrar suas contradições. Que avião era aquele que ela estava voando? Aquilo é ecologicamente sustentável? Não me venha passar baton de beterraba na boca e sair de jatinho por aí. Simplicidade nenhuma, e um poder econômico, do qual ainda se sabe pouco, por trás da campanha dela.

Responder

    Alex

    04/10/2010 - 11h29

    Gente.. gente: a Marina tá se lixando pra esquerda. Ontem, na coletiva, ao falar em ouvir as bases, o eleitor e blá blá blá a Marina já deu o recado: vou fechar com quem as "bases e o eleitor" sinalizarem. Ou seja, com o PSDB.
    O PT não pode contar de jeito nenhum com a neutralidade de Marina, simplesmente pq ela não vai existir. Tem que ir pra luta ou bao-bao.

    José Vitor

    04/10/2010 - 12h39

    —————————————————–
    "Gente.. gente: a Marina tá se lixando pra esquerda. "
    —————————————————–
    Também acho isso. Se ela alguma vez foi de esquerda, isso agora é passado.

ZILA A DAL COL

04/10/2010 - 10h46

Azenha parabéns, muito ampla a sua análise. Na questão religiosa eu concordo com muitos comentaristas. Certas categorias evangélicas tem por estrutura demonizar criminosmente, digo, CRIMINOSAMENTE pessoas, costumes, leis, coisas, situaçoes, etc. Isto cala profundamente no imaginário social. A sociedade precisaria amadurecer no quesito religião. Dilma poderia buscar assessoria eficaz neste quesito. Os verdadeiros demônios e criminosos com seu discurso demonizador estão no comando destas categorias religiosas e sabem onde manipular seus seguidores menos esclarecidos, ou seja, no medo instalado no imaginário desde muito tempo.

Responder

João Carlos

04/10/2010 - 10h45

Se Marina é isso tudo que dizem, como é que foi tão mal votada no Acre, seu Estado, onde ela é bem conhecida?

Responder

    Aracy_

    04/10/2010 - 14h12

    Quem a conhece de verdade não a compra.

Se Nagao

04/10/2010 - 10h44

A onda verde se verdadeira seria ideológica e portanto seria a politização da campanha eleitoral o que não ocorreu. O discurso da Marina é a repetição de chavões e bordões da chamada política ecológica, sem proposta concreta.
Os quase 20% dos votos dados a Marina tem as mais diversas motivações, teve o voto dos que apoiam efetivamente a candidata, teve o voto dos que não queriam a Dilma, nem os candidatos dito de esquerda e nem o Serra e teve o voto dos que acharam "moderno" votar na Marina.
A Marina empolgada e iludida já estava e continua a ser usada pela direita, depois do 2º turno será descartada e esquecida.

Responder

Luciana

04/10/2010 - 10h43

Acho que a campanha de Dilma tem um viés machista, ela deveria demonstrar sua independência e não ficar o tempo todo tutelada por Lula. Tenho certeza também que o presidente Lula utiliza por diversas vezes expressões agressivas, jeito agressivo que mais assusta do que conquista votos. Eu recebi vaários emails contra os candidatos, maus um me tocou emocionalmente foi sobre o irmão da candidata Dilma, o cidadão bulgaro Luben e sobre sua luta para tentar sair da Bulgária por ser perseguido político e depois tentativa de receber sua legitima parte da herança que o pai que se tornou rico no Brasil deixou.Matéria"Dilma Roussef vira motivo de orgulho na Bulgária".O vice sem comentários, horrível.

Responder

Armando do Prado

04/10/2010 - 10h43

Concordo que demorou demais a reação em relação à questão Casa Civil. Não se soube traduzir em votos o enorme apoio do presidente Lula. Fizemos pouco, pois até Serra Rubnei usou Lula e nosso campo se comportou como se a vitória de Dilma no 1º turno fosse favas contadas.
Agora, mais que tudo mostramos dificuldades ao perdermos SP, PR e MG. Aí deixamos de liquidar a fatura no 1º turno. Precismos entender de uma vez por todas porque sempre perdemos em SP. Não é aborto, agronegócio, internet, Marina e PV que nos tirou a vitória, mas nossa prórpria dificuldade de vencer principalmente em S.Paulo, ou então porque ninguém identificou a estrondosa vitória de Aloisio Nunes????

Responder

Armando do Prado

04/10/2010 - 10h43

Azenha, concordo que a campanha sórdida não teve reflexo no resultado e que faltou sim politização no campo democrático. Mas discordo que houve "onda verde", jovens no PV ou fenônemos Marina. Simplesmente, Marina repetiu o que ocorreu com Heloísa Helena em eleição anterior. O PT despolitizou a campanha entendendo que bastava erguer os resultados de Lula para vencer no 1º turno. Faltou responder rapidamente às acusações e sinais daquilo que o PIG usaria como bala de prata.

Responder

Dejair Brasil

04/10/2010 - 10h41

Há! Meus amigos. Agora vamos ficar na mão dos "crentes", então?!. Respeito todas as religiões, sou católico praticante com todas minhas obrigações. Mas não ganhamos no primeiro turno por vários erros na campanha. Sem essa de "onda religiosa". Vamos para a rua, sem vergonha de ser feliz. Moro no Paraná, mas sou gaúcho. Foi lá no meu estado, mais politizado (é o resto do Brasil que acha), que a Marina levou um laço. Foi lá que ela teve a menor votação, proporcional do Brasil, apenas 11,2%. Para o segundo turno tem que ser a frete quente, que vem do sul. Como diz o gaúcho, "a luta continua e não vamos se entregar pros homi".

Responder

Thiago

04/10/2010 - 10h40

Uma análise bem mais razoável a sua, Azenha. Em outros blogs que costumo visitar, o consenso é que os 19 milhões que votaram em Marina consistem de religiosos ignorantes "que não acreditam em Darwin" (como se Darwin fosse alguma divindade em quem se deve ter fé). O voto em Marina foi substancialmente o voto dos jovens que não engolem a bipolarização PT/PSDB e procuravam uma nova forma de política que, é necessário dizer, é incipiente em Marina. Mas era o que estava disponível.

Responder

Rodrigo

04/10/2010 - 10h33

O aborto e o casamento gay levaram ao 2° turno.

Quem souber trabalhar com isso no PV vai levar a eleição.

Se o PT segurar o PNDH-3, vai ter que soltar a presidência. Não vai dar para carregar os dois juntos.
Pelo menos não no Rio de Janeiro.

E olha que aqui foram 2,6 milhões de votos para a Marina.

Responder

Nelson Menezes

04/10/2010 - 10h32

Já postei aqui ,afirmando e reafirmando que comentários na internete não não ganha eleições.

Responder

Fernando Souza Jr.

04/10/2010 - 10h32

Azenha, concordo contigo. Minha mulher (eleitora do Lula em 4 eleições seguidas), minha sogra, meu cunhado, colegas do meu trabalho, vizinhos, nenhum deles é evangélico ou frequenta igreja e tods votaram na Marina: conheço muita gente de classe média que votou na Marina, que estava querendo dar esse recado de que o Brasil não é só PSDB x PT, tem 20% do eleitorado que quer ouvir outra(s) coisa(s), nem que seja o discurso meio vazio e sem norte da Marina. Pesou também a questão da imagem, pois a Marina conta com aquela ideia em torno dela de ser meio ingênua, com uma história de vida bonita, etc. O Serra é o vampiro e acabou, todo mundo conhece. Dilma teve consolidada essa coisa de que é uma dama de ferro, e se mostrou muito engessada nos debates, nas entrevistas. O melhor momento da Dilma na campanha foi quando ela foi Dilma mesmo: na resposta à reportagem vergonhosa da Folha em São Gonçalo, onde demonstrou convicção, força e honestidade. Mas foi um momento, infelizmente, de exceção.

Responder

    Denilson

    04/10/2010 - 11h06

    Em quem sua esposa, sogra, cunhado e vizinhos votam agora? É hora de trabalhar para trazer esses votos pra Dilma, ou, no máximo, anulá-los. Na minha opinião é isso que vai dar a vitória da Dilma no segundo turno. Minha esposa também votou na Marina, mas agora, vota na Dilma. Em casa, 100% dos votos da Marina vão pra Dilma, eh, eh, eh…

    Fernando Souza Jr.

    04/10/2010 - 14h52

    Na minha casa também, todos vão para a Dilma, ninguém vota no Serra.

Aldo

04/10/2010 - 10h31

Marina veio para ficar.

Com 1 minuto na TV, fez 20 milhoes de votos proprios

Com 5 minutos em 2014, sera eleita sucessora de um desgastado governo tucano ou petista.

Responder

    Carlos.

    04/10/2010 - 11h22

    Com um minuto no horário eleitoral, páginas da veja, da ex-folha, do estadão, cbn, pastores, padres… Você acha que a acreana recebeu tantos votos por conta de um minuto na televisão? Alo-o!

    André LB

    04/10/2010 - 11h59

    Pelo seu raciocínio, Heloísa Helena deverá ter, em 2014, uns 60 milhões de votos. Se Marina (se é que vai ser candidata em 2014) chegar perto de ameaçar o candidato da direita, será bombardeada pela mídia, e galhos e crucifixos não servem como um bom abrigo antiaéreo.

    Malu

    04/10/2010 - 13h50

    Só duas perguntinhas:
    Por que Marina ficou em terceiro lugar no Acre, onde nasceu, cresceu, aprendeu a fazer política, justamente no estado pelo qual ela é senadora?
    Por que Marina, com sua "onda verde" não conseguiu mais do que 4% de votos para o candidato a governador de seu partido em São Paulo, além da derrota acachapante de Gabeira no Rio?
    A "onda verde" foi uma vitória da cítrica campanha para levar Serra ao segundo turno.
    Plim-plim!

    José Manoel

    04/10/2010 - 19h42

    Aí volta o Lula e liquida com eles!!!!!!

Carlos.

04/10/2010 - 10h31

Aquela acreana já está falando embromation tão bem quanto qualquer tucano…

A candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, que alcançou quase 20% dos votos válidos e terminou em terceiro lugar na eleição, defendeu uma discussão interna no partido para decidir se a legenda apoiará Dilma Rousseff (PT) ou José Serra (PSDB) no segundo turno.

Em pronunciamento na noite deste domingo em São Paulo, ela pediu que o partido faça uma reunião plenária que incorpore, além dos militantes, "os núcleos vivos da sociedade", refererindo-se a intelectuais e artistas, entre outros segmentos. "Façamos a discussão no partido, mas que esses núcleos vivos sejam ouvidos", afirmou.
http://www.rondonoticias.com.br/?noticia,85821,ma

Responder

Remindo Sauim

04/10/2010 - 10h31

Também acho que não tem nada a ver com religiosos a votação da Marina. O verde está na moda e uma parte da população preferiu dar um aviso que está de olho na ecologia. A escolha do vice do PV também foi uma escolha correta, pois o assim trouxe alguns votos mais a direita para a candidata do Partido Verde. A novidade da Marina como candidata a presidência também lhe rendeu alguns milhões de votos.

Responder

Julio Silveira

04/10/2010 - 10h30

Acho que a Dilma deveria trabalhar tambem no convencimento daqueles que se abstiveram, que afinal de contas foram em numero bastante avantajado.
Outra sugestão, que ela confrontasse todos os e-mail que denigrem sua imagem de forma clara e transparente, como um que cita a candidata como objeto de ação de alimentos na justiça, por exemplo, cada baixaria que fosse plantada a Dilma deveria alem de buscar reparação deveria expor o nivel de seus oponentes "democratas".
O Brasil precisa de fato e de transparencia, nesse quesito devemos fazer um esforço para desmistificar mitos verdes, azuis ou de qualquer cor, já que necessitamos entender que qualquer gestão boa de governo é obrigação não mérito, mas também devemos zelar pela continuidade daquilo que nos é favoravel.
Não cair em esparelas feitas pela propaganda em completa dessintonia com a realidade, onde a incompetencia já comprovada é camuflada e vendida como a pilula dourada do rejuvenescimento.

Responder

Cris

04/10/2010 - 10h28

Estou arrasada, achei que hoje estaria em lágrimas emocionada com a vitória de Dilma…lamentável
Sou evangélica e sei que esses emails falsos fizeram uma grande onda de horror, na minha casa por mais que eu argumentasse não adiantou, o Michel Termer é tido como satanista, a Dilma e o PT são vistou como aqueles que "liberam geral" alguns preceitos da Bíblia e isso pesou…Agora ver a Marina apoiando o Serra será para mim o anti cristo, terei certeza que estaremos vivendo o apocalipse !!!!! Ingrata, infiel, desonesta…isso é o que ela é !

Responder

Marcos V. Alves

04/10/2010 - 10h28

Eu vejo muita gente aí se iludindo que o voto de Marina vai em sua maioria para Dilma… Não se iludam, o voto em Marina, hoje, está mais próximo de Serra. Bastava o Serra dizer algo para a Marina ecoá-lo, mas com uma roupagem mais pessoal, de um modo que, ainda não entendo muito bem, desautorizava o Serra como autor do comentário e dava uma certa superioridade moral ao que era dito. Concordo com quem disse que a Marina cativava porque era novata – é a paradoxal esperanca de, simultaneamente, mudanca e de continuísmo tão típico das classes médias.

Acho que falta tanto a Dilma como a Serra essa confianca verdadeira e pétrea no que se está dizendo, esa conviccão quase serena que os evangélicos têm de que tudo o que pensam é correto pois é endossado por Deus. Sou Dilmista e detesto o evangelismo (apesar de ter amigos evangélicos e respeitar suas conviccões), mas convenhamos: Dilma, como candidata, é construída pelo Lula. Serra já está aí no jogo de poder há muito tempo e por cinismo, e por suas atitudes erradas na campanha, demonstrou ao povo não ter essa confianca, demonstrou não ter conviccão de nada, a não ser de que valia qualquer coisa para ganhar a eleicão ou pelo menos levá-la ao segundo turno. A Marina, que sempre ficou na sombra, aparece como a frágil e doce, mas firme, menininha, com conviccões pétreas e inabaláveis. Mais uma vez, a campanha ficou reduzida a marketing, efetivamente…

Responder

    Daniel

    04/10/2010 - 13h02

    Não é necessária a maioria dos votos da Marina. 30% deles são mais que o suficiente para a Dilma ganhar. Acho mesmo que estes 6 ou 7% que migraram para Marina como "voto de luxo" (salvo erro grosseiro de todos as pesquisas, o que não pode ser descartado) voltarão. E 51 ou 53% dos votos totais (55% dos válidos?) são suficientes. Gostaria de poder prever como será a abstenção no segundo turno, também… acho que isso influenciou mais o resultado que os votos na Marina.

José Manoel

04/10/2010 - 10h27

AZENHA! A EQUAÇÃO É SIMPLES: SE A DILMA PEGAR 3% DOS 20% DA MARINA, ESTARÁ ELEITA! TENHO ABSOLUTA CERTEZA DE QUE METADE DOS VOTOS DELA NÃO IRÃO PARA O SERRA, MAS, DEIXO BARATO; SÓ 3% CHEGAM! O NEGÓCIO FOI O "SALTO ALTO" QUE AFETOU A CAMPANHA. SE HOUVESSE UM POUCO MAIS DE HUMILDADE, NÃO HAVERIA SEGUNDO TURNO!!! ERA ISTO!!!!! CONTRA FATOS NÃO HÁ ARGUMENTOS!!!!!!!

Responder

    Gersier

    04/10/2010 - 10h38

    Não houve salto alto em nenhum momento,ao contrário,a Dilma sempre pregou que os resiultados das pesquisas refletiam um momento específico.Lembram que uma repórter da globo fez uma pergunta a ela e a resposta foi "não sou louca de responder essa pergunta,porque eleição se ganha depois da apuração".

    Daniel

    04/10/2010 - 13h05

    Da Dilma, acho que não houve salto alto. Menos ainda da parte do Lula. Mas acho que o partido e a militância perderam parte da vontade de fazer campanha cedo demais. Exatamente aquilo que chamam de "salto alto" no futebol, em que falta de medo de perder é tão prejudicial quanto o pânico de não ter como ganhar.

Regi

04/10/2010 - 10h26

O que está agora em jogo não é o governo Lula/Dilma pois assentado em bases sólidas, mas a credibilidade das propostas e para onde irão os votos de Marina, diferencial no 2º turno.
Seu eleitorado, descolado e descompromissado com a campanha, abriga muitos ex-tucanos já que reconhecem o governo tucano abaixo da crítica quando comparado com o governo Lula e assim, adotaram uma posição muito cômoda ao não se comprometerem com a vitória deles (tucanos).
Assim penso a composição do eleitorado de Marina.
Mas tem um custo este posicionamento.
E caso o PV da Marina apóie serra, ela deverá ser responsabilizada pela entrega da Petrobrás, bem como o pré-sal ao estrangeiro.
Será responsabilizada pelo inferno em que o País se transformará com mais um governo tucano que tanto mal fez e fará ao País, independentemente do suporte do PIG que o tucano terá.
Será responsabilizada pelo desemprego que virá na medida em que a plataforma dos tucanos sempre foi o estado mínimo.
E, só assim, os "descolados" do PV aprenderão a votar com responsabilidade, olhando para as conquistas que os brasileiros tiveram com Lula/Dilma.
Conquistas reais no governo Dilma/Lula, como reais foram os anos sombrios dos tucanos.
Porque uma coisa é a propaganda do PIG favorável aos tucanos, e o mundo real com o povo desempregado.
Desempregados, na praia de Ipanema/Rio, fumando uma verdinha.
Marina tem que cair na REAL, porque um vacilo levará o partido dela ao limbo e sem nenhuma credibilidade, em razão da falta de compromisso com o povo brasileiro e o Brasil, com S.
Realidade que fatalmente virá caso apóie os tucanos e sua maneira elitista de governar apenas para poucos.
Está nas mãos dela o destino do PV.
E aí Marina, entrega ou compromisso com o BraSil?
Esta fatura será cobrada dela, para o bem ou para o mal.
E sem subterfúgios porque está marcada para sempre como "a que entregou o Brasil para o estrangeiro".

Responder

marcio gaúcho

04/10/2010 - 10h24

Serra tentou comprar os eleitores ao oferecer salário mínimo de R$ 600,00 e aumento das aposentadorias em 10% para 2011. Dilma não rebateu essa proposta indecorosa e inviável, claramente eleitoreira, pois se efetivada provocaria um desajuste macroeconômico de consequências irreparáveis, como desemprego e inflação. Muitos eleitores acreditaram nessa promessa demagoga, que não foi combatida e esclarecida desde o início. Duvido que Serra, se eleito for, implementará essa medida. Os patrões que votam nele não iriam gostar nadinha. É político, mas não é bobo!

Responder

gustavo

04/10/2010 - 10h20

Esqueçam Marina. a máscara vai cair e o PV vai rachar no 2º turno.
e a eleição voltará ao que sempre foi. LULA vs FHC.
essa é a base do trabalho agora.

Responder

Denilson

04/10/2010 - 10h19

Vamos desmascarar os hipócritas:

Serra legalizou o aborto:
http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=985

A parte mais interessante é essa:

"Eu sou contra o aborto, mas… (cuidado com este "mas"!) eu não posso me furtar a oferecer a uma adolescente estuprada o aborto a que ela tem direito (sic!) e assim, vê-la morrer em um aborto feito em fundo de quintal"

Pois é, gente. Para Serra, matar uma criação com até 5 meses de gestação, pode!!! Não importa se foi um estupro ou não, a vida da criança é inocente de qualquer forma!!!!

HIPÓCRITA!!!!

Responder

@marisps

04/10/2010 - 10h17

Se eu falar o que penso a respeito da Marina aqui serei censurada. Resta dizer que a meu ver o que foi realmente significativo pra levar a eleição pro segundo turno foi uma combinação de ignorância e fanatismo religioso. Aliás características que sempre andam juntas e podem acometer "fiéis" de quaisquer religiões. Aqui não foi exclusividade de evangélicos não; católicos também se deixaram levar nessa onda. Padres, pastores, e outros tipos de líderes religiosos ajudaram a fazer o servicinho sujo. Por medo do inferno não perceberam que o diabo mora nas igrejas. Esqueceram também que ingratidão contradiz os princípios cristãos.Tenho dúvidas se quem se deixa levar assim merece algo melhor que o PSDB e o "coiso" como presidente da república.

Responder

Paulo

04/10/2010 - 10h13

Por favor, acho que eu estava em outro país, mas me digam três propostas concretas que a Marina apresentou para o país. Não vale o lenga-lenga ecochato de cuidar do bagre, da perereca e das fadas da floresta, ok? Quero saber o que ela disse sobre como aumentar a oferta de energia para as industrias e não interromper o crescimento; sobre a criminalidade; olimpíadas e copa do mundo; sobre educação; carga tributária. Vocês ouviram alguma coisa, eu não!

Responder

    Gersier

    04/10/2010 - 10h51

    Fiz uma pergunta mais simples a um que votou na marina por achar interessante as propostas dela.
    Disse a ele,me aponte uma dessas propostas que já não esteja sendo implantada pelo atual Governo.Claro que ele não soube responder.

Владимир Ильич Ленин

04/10/2010 - 10h13

Perfeito Azenha…

Comentario mais realista que vi depois do pleito… É isso ai!!!

Responder

Emília

04/10/2010 - 10h12

Azenha, não foi a onda verde somente, foi a ONDA EVANGÉLICA que acreditou em muita coisa que disseram de Dilma. Os evangélicos tem muita forçã e em todos os recantos do Brasil. A Dilma tem que esclarecer bem esse eleitor que é muito extremista em vários assuntos, principalmente o aborto. O povo se interessa pelo meio ambiente, mas nem de longe foi o grande motivo do crescimento da Marina. Convivo com evangélicos diariamente e sei que muitos pastores fazem da Dilma um demônio terrorista. Eu mesmo, que não sou militante de partindo nenhum, tentei esclarecer pra muitos evangélicos, mas por dúvida, foram pra Marina. E tudo isso aqui no sertão do Ceará, imagine nos grandes centros que não se importam nem um pouco com a onda verde como você diz, que para mim é apenas modismo, pois entre ganhar dinheiro e cuidar do meio ambiente, o primeiro ganhar disparado. Investigue Azenha que você vai me dá razão, a onda foi evangélica.

Responder

    Rafael

    04/10/2010 - 14h52

    Parabéns Emilia, a Sra deve ser um mar de paciência, tentando esclarecer evangélicos.

Carlos Alberto

04/10/2010 - 10h11

Não vamos subestimar o voto dito "religioso", a meu ver muito mais preconceituoso do que verdadeiramente religioso, engordado pela campanha difamatória de certas igrejas e ampliado pela mídia. Na minha cidade, onde Dilma ganhou com mais de 50%, o que ouvi na fila de votação foram coisas do tipo: vou votar no Serra porque "a Dilma falou que pode mais que Jesus(sic) "ou "dizem até que ela vai liberar o casamento gay". Ou seja, por aqui a campanha de desinformação da mídia e das "igrejas" deu muito certo e não adiantou nada a Dilma falar na Biblia ou ler trechos do Evangelho. Que fazer? Politizar a campanha desde o início mostrando as verdadeiras diferenças ideológicas entre os candidatos e seus projetos de país. Já chega de vacilo e embromação.

Responder

Maria Di Lascio

04/10/2010 - 10h10

Ninguém está considerando o impacto das 2 promessas lançadas pelo Serra na reta final da campanha: R$ 600,00 para o salário mínimo e 10% de aumento para TODOS os aposentados. Imaginem o rombo que estas promessas iriam causar no orçamento se fossem concretizadas. Imagine a crítica da imprensa PIG se fosse o PT o autor das propostas?

Responder

Cecília

04/10/2010 - 10h05

Nem Deus tira a vitória Serra/Marina !!!

Responder

    Marcelo de Matos

    04/10/2010 - 14h57

    Óia! Num duvida.

Rafael

04/10/2010 - 10h05

Temos, como sociedade, de ter muito cuidado com os evangélicos, essa gente é perigosa e vai transformar o Brasil numa Arábia Saudita neopentecostal.

Responder

mario silva

04/10/2010 - 10h03

Vamos apartir de hoje ganhar VOTOS!!!!… SERRA é uma ameaça….. Acho que vamos ter muitas emoções…. no final iremos ganhar…

Responder

Bonifa

04/10/2010 - 10h03

Desculpe, Azenha, mas jovem não fica farto com polarização. Eles simplesmente não entenderam as duas posições políticas em jogo e preferiram votar para salvar o planeta. Se tivessem entendido, de bom grado votariam para salvar o planeta e também o Brasil.

Responder

    Gunther Furtado

    04/10/2010 - 11h34

    Concordo que a polarização não explica o voto dos jovens na Marina mas acho que os jovens não entenderam a diferença entre os dois por que as campanhas foram tocadas pelos marqueteiros baseadas em risco mínimo. Política passa longe! A questão que me pergunto é a seguinte: será que estes moços (Dilma e Serra) conseguem sair da embalagem com que os magos da propaganda os envolveram?

Cláudia

04/10/2010 - 10h01

CONTINUANDO…
O que o PT fez para instrumentalizar os brasileiros das classes ascendentes contra o discurso hegemônico e demonizante da elite brasileira? Nada! O que o PT, conduzido por um popularíssimo Lula, o animal político mais bem preparado da história deste país, fez para enfrentar assertivamente a imprensa golpista nos últimos oito anos? Nada! E a derrota de Dilma em 31 de outubro, absolutamente factível, será o preço a pagar por estes erros.
A despeito do que aconteça em 31 de outubro, espero sinceramente que possamos (a esquerda, os movimentos sociais) rediscutir o projeto petista sobre novas bases. E, quem sabe, não mais deixar esse projeto à mercê de Deus.

Responder

Cláudia

04/10/2010 - 10h00

Tenho uma filha que cresceu brincando com bandeirinhas nos comícios do PT. Em 2007, pouco depois de ingressar no curso de Ciências Sociais da USP, por força da consistente formação política à esquerda, abandonou irremediavelmente o Partido dos Trabalhadores. Com um discurso crítico à despolitização do partido que os pais dela ajudaram a construir, votou em Plínio.
Ao ler o seu texto, Azenha, lembrei do que minha filha vem falando nos últimos quatro anos: o PT e os petistas, em nome da governabilidade, não são capazes de fazer a autocrítica. E me deu um tristeza profunda…

Responder

    Denilson

    04/10/2010 - 11h50

    Diga a ela: "Por isso temos que virar as costas ao PT e entregar esse país pra velhas raposas??? Em nome dessa lisura devemos ficar olhando nosso país ser delapidado?"

    Claro que os avanços tiveram um custo, talvez até alto, mas daí a abandonar o caminho é covardia! E, também, não deixa de ser hipocrisia! Sinto muito por sua filha.

    À luta!!!

    Cláudia

    04/10/2010 - 13h38

    Denilson, acredite, também sinto. Mas isso não nos impede de fazer a autocrítica e discutir com maturidade a despolitização da campanha, a falta de um projeto que agregue consciência política aos brasileiros pobres que ascenderam socialmente, a ausência de estratégias assertivas para combater com eficácia e eficiência o modelo de comunicação que dá às elites a supremacia no controle das massas…

    Não quero mais viver essa sensação de que, a despeito dos avanços sociais dos governos petistas, seguimos reféns da elite perversa e raivosa, o tempo todo a cooptar os incautos, a mistificar o fazer político, a ditar o futuro. Ganhando ou perdendo, precisamos rever alguns projetos, discutir estratégias para consolidar a democracia e não ficarmos eternamente a um passo do golpe, sempre, sempre à espreita. A autocrítica talvez nos ajude. Pensemos nisso.

    Denilson

    04/10/2010 - 14h26

    Concordo plenamente. Porém, esse é o momento de agregar, de chamar para nosso lado quem quer um projeto democrático para o país, não de fazer a autocrítica, que deve ser feita sim, após o fechamento das urnas. Como atingir a plena democracia sem esses sobressaltos? Tenho certeza que, pra começar, não é devolvendo o poder ao PSDB.

Carlos

04/10/2010 - 09h58

Marina revelará, enfim, o que significa "planejamento estratégico abrangente"…

Responder

    José Vitor

    04/10/2010 - 12h47

    —————————————————————-
    Marina revelará, enfim, o que significa "planejamento estratégico abrangente"…
    —————————————————————-
    Ela deve estar usando o "gerado de lero-lero versão 2.0".
    Procurem, isso existe mesmo. :)

Fernando Souza Jr.

04/10/2010 - 09h57

Azenha, concordo contigo. Minha mulher (eleitora do Lula em 4 eleições seguidas), minha sogra, meu cunhado, colegas do meu trabalho, vizinhos, nenhum deles é evangélico ou frequenta igreja e tods votaram na Marina: conheço muita gente de classe média que votou na Marina, que estava querendo dar esse recado de que o Brasil não é só PSDB x PT, tem 20% do eleitorado que quer ouvir outra(s) coisa(s), nem que seja o discurso meio vazio e sem norte da Marina. Pesou também a questão da imagem, pois a Marina conta com aquela ideia em torno dela de ser meio ingênua, com uma história de vida bonita, etc. O Serra é o vampiro e acabou, todo mundo conhece. Dilma teve consolidada essa coisa de que é uma dama de ferro, e se mostrou muito engessada nos debates, nas entrevistas. O melhor momento da Dilma na campanha foi quando ela foi Dilma mesmo: na resposta à reportagem vergonhosa da Folha em São Gonçalo, onde demonstrou convicção, força e honestidade. Mas foi um momento, infelizmente, de exceção.
Acho que o segundo turno é bom porque o PT vai ter de sair da toca, não dá mais para depender só do Lula, esta é a verdade. É preciso sim politizar a campanha, é preciso abrir o horário eleitoral mostrando o que foram os anos FHC e o que foram os anos Lula. É preciso contrapor. E é necessário a Dilma cativar a militância, buscar os votos evangélicos, buscar o eleitor de classe média que votou na Marina, é preciso ouvir o que essas pessoas querem para o Brasil. Conquistar esse voto de classe média das regiões metropolitanas é fundamental agora.
E acho, por último, que precisa acabar com essa demonização da Marina que parte do PT e da blogosfera progressista vem fazendo nas últimas semanas. Tenho certeza que ela, pessoalmente, tem muito mais afinidade com o projeto do Lula do que com o projeto do Serra. O Lula precisa ligar urgentemente para ela e evocar os anos de amizade e as afinidades ideológicas, não dá para ficar marcando essa touca.

Responder

jairo b dos santos

04/10/2010 - 09h57

O "Escrevinhador" Rodrigo Vianna ainda alertava que o PIG não ganha mais eleições, mas ainda tem uma parcela pequena da sociedade onde o PIG tem penetração que podem levar a eleição a um 2º turno. Uma vitória de Dilma no 1º turno, seria o último prego no caixão da mídia golpista, com o 2º ganham uma sobrevida. Mas nem tudo é noticia ruim. Lula conseguiu derrotar Tasso Jereissati no Ceará, Arthur Virgilio no Amazonas, Cesar Maia no Rio e Marco Maciel em Pernambuco, candidatos da oposição ao senado. A irônia, mas também uma boa notícia: Os candidatos que levaram as eleições para o 2º turno em 2002, 2006 e 2010 foram dos quadros do PT. 2002, Garotinho; 2006, Heloisa e Cristovão e agora em 2010, Marina. Sem falar do governadores eleitos já em 1º turno. Que sirva de alerta, não deve-se relaxar até o final da campanha. Agora todo empenho na vitória de Dilma.

Responder

Claudio Cordovil

04/10/2010 - 09h56

Acredito que a "demonização da Política" sistematicamente promovida pela mídia levou ao crescimento da candidatura Marina, supostamente desgarrada de tudo que existe de velho na política brasileira. Foi um voto de protesto dos jovens. No entanto, não podemos esquecer que a base do PV é tucana. E que o discurso econômico neoliberal (PSDB) vê a natureza como uma "externalidade", algo que não conta. O processo eleitoral brasileiro é repleto de contradições, da qual Marina é um curioso exemplo. A propósito, por que a votação de Marina em seu estado natal foi tão ridícula? Acaso os acreanos sabem algo que desconhecemos?

Responder

Pedro

04/10/2010 - 09h56

Eu concordo com o Azenha. Faltou politizar o debate. Em nenhum momento se fez a comparação entre Lula e FHC, número com número. Em nenhuma ocasião a campanha da Dilma bateu no PSDB. É preciso enfatizar agora a eleição de uma mulher para a presidência; é preciso resgatar o passado guerrilheiro da Dilma, para angariar os votos da esquerda. É preciso falar que, mais que a religião, sem o bolso cheio não se faz nada neste país. A questão econômica é o ponto central. Tem que falar o desastre do governo do PSDB, com as privatizações, salário mínimo ridículo, risco brasil lá em cima… ou seja, Dilma não levou no primeiro turno porque a campanha foi mal conduzida. Não houve firmeza, faltou politização. É preciso repensar a estratégia. E tem outra vantagem: o adversário é o Serra, que é um cara desagregador, antipático e arrogante. Fica mais fácil enfrentá-lo. Está tudo nas mãos do PT.

Responder

Gerson Carneiro

04/10/2010 - 09h53

Os evangélicos votaram na Marina e definiram o segundo turno.
É a prova de que na Casa do Senhor existe Satanás.

Responder

    Marcelo de Matos

    04/10/2010 - 10h51

    Calma Gerson. Não podemos discriminar ninguém. Muitos evangélicos apoiam Dilma, que deverá se eleger. Mesmo que ela não ganhe, nem tudo está perdido. O PT cresceu muito e outras eleições virão.

Luiz

04/10/2010 - 09h49

Alguém se perguntou a quem interessou a "greve dos bancários" justamente neste momento, quando se sabia que seria jogado, pela população, no colo de Dilma por ser do "partido dos trabalhadores" que se caracterizou por "fazer greves"?
Quem articulou um movimento que mexeu com todos os estados da federação? E para prejudicar justamente os bancários já que beneficiou um partido (PSDB) que sempre tentou destruir os direitos trabalhistas?

Responder

    Fabio

    04/10/2010 - 11h14

    cara.. vc entrou em uma parte do X da questão que eu observei e pouca gente observou. Essa greve é uma baita de uma furada. Não tem a mínima visão, a população mal sabe o real motivo da greve, a Febraban está entrando com propagandas inclusive num blog banguela de direita pra poder mostrar seu "bom mocismo", e além do mais está sendo numa data terrível, ninguém vai negociar nada no meio das eleições. Eu to achando que tem caroço nesse angu. Tenho parente bancário, que apoia a greve porém estão todos com um pé atrás. Vamos ver o desenrolar disso… só achei estranho a mídia ainda não explorar esse fato contra a Dilma. Pode ser questão de tempo já que o Nosferatu ganhou folego agora né.

    Luiz

    04/10/2010 - 12h46

    Nem precisava explorar. Quem sofre com a greve dá resposta imediata e justamente fizeram isso na votação.

ruypenalva

04/10/2010 - 09h49

Volto a repetir:
Dilma deixou de vencer no primeiro turno culpa do programa televisivo, que privilegiou o estético ao extático, o polido ao político. Ficou no blá-blá-blá, como se nada estivesse ocorrendo e não reagiu, não politizou, não defendeu a candidata, sacou Lula do programa precocemente. O segundo turno é Dilma com certeza.

Responder

ValmontRS

04/10/2010 - 09h44

No segundo turno, Necromancer não terá tábua de salvação. Grande parte do eleitorado de Marina votará em Dilma.

Mas é necessário combater a mentira com muita veemência. Esta foi a principal aliada do Filhote de Gepeto.
Em que pese a existência de criaturas dispostas a acreditar no primeiro spam que recebem, a mentira jamais poderá ser o fundamento de uma vitória duradoura. Enganam-se alguns apenas por algum tempo.

Como se sentirão aqueles que tiveram o seu voto logrado por panfletos caluniosos, quando descobrirem o embuste de que foram vítimas?

Como deve se sentir um religioso quando se descobrir um agente da MENTIRA?

O povo brasileiro não pode mais continuar sendo manipulado pela falsidade. Apesar do PIG, a VERDADE tem que prevalecer.
Concordo com você, Azenha. O PT foi tímido e medroso neste primeiro turno. Fugiu demais ao embate político que lhe seria fácil vencer. Faltou confiança e sobrou medo.

Responder

@VandenCardoni

04/10/2010 - 09h43

(continuação…)
Prova disso é que a maioria dos votos perdidos pela Dilma não migraram para o Serra e sim para uma candidatura "alternativa" estimulada pela própria direita. O discurso do PV está pautado nas questões ecológicas e ambientais, porém do ponto de vista político-ideológico ele é uma icógnita e vazio, que se alinha ao discurso da Agenda Pós-moderna, do neopragmatismo, a nova direita. Creio que, passadas as eleições, independente de quem as ganhe no segundo turno, a Marina se dará conta a quem e ao quê ela realmente serviu. A hora dela agora é de gozar da notoriedade proporcionada pela efêmera vitória, que ao contrário do que muita gente pensa, não se traduzirá num capital eleitoral futuro. A Heloisa Helena de hoje, que não conseguiu se eleger senadora, é um exemplo para a Marina.

Responder

Raquel

04/10/2010 - 09h43

Acho que a votação expressiva de Marina, mais do que uma manifestação contrária à bipolaridade PT x PSDB, é reflexo de um estado de amadurecimento ainda incipiente da população. Uma boa parcela da população votou em Marina para se eximir de responsabilidade, sem prever que, na verdade, estaria beneficiando Serra. Claro que isso não se aplica a todos os eleitores de Marina, mas acredito que a uma boa parcela. Se alguém perguntar a eles o que Marina pensa de outros temas que não o aborto e o meio ambiente, não saberão dizer.

Responder

@VandenCardoni

04/10/2010 - 09h43

Creio que o maior feito da oposição foi ter conseguido levar a eleição para o segundo turno. Fora isso, só teve o que lamentar. Partidos como o PSDB, DEM e PPS tiveram redução de seus representantes na Câmara e no Senado. Porém esse "grande" feito, na minha opinião, deve-se muito mais a campanha difamatória e imparcial promovida pela imprensa e aos erros cometidos pela campanha do PT do que propriamente ao desempenho dos candidatos da oposição. (continua…)

Responder

paulo

04/10/2010 - 09h41

Não é somente isso, no meio dos votos da Marina tem muita gente que acredita na imprensa golpista, TODAS AS PESSOAS QUE CONHEÇO QUE VOTARAM NA MARINA, o fizeram por que não SIMPATIZARAM com a FEIURA E A CARA FEIA DA DILMA, e a maioria das pessoas que conheço que votaram na MARINA… SÃO MULHERES.

OU SEJA, MUITAS MULHERES VOTARAM NA MARINA POR NÃO SE SIMPATIZARAM COM A CARA FEIA E COM O ESTILO DE DILMA.

DILMA PRECISA SUAVIZAR SUA IMAGEM.

Responder

Antonio

04/10/2010 - 09h40

Lamento discordar,

Quem votou verdadeiramente na Marina por causa da opção do partido verde, não tem condições politicas de votar no PSDB, ao contrário seria o absurdo de envocar a memória de Chico Mendes para pedir votos para o PSDB.
A Marina cresceu verdadeiramente alimentando a campanhã sordida de boatos religiosos sem fundamento,
afinal a Marina não politizou o debate, mas soube surfar a campanha conservadora que sem discurso usou e absou
da mentira e desinformação.
Agora Marina, PV, ou preservam seu patrimonio politico, ou vendem ao grande capital

Responder

Eudes H. Travassos

04/10/2010 - 09h39

Bem, em minha opinião o efeito Marina ou onda verde tem dia certo da sua existência, se deu exatamente quando Dilma é atingida mesmo que de raspão pelo escândalo Erenice Guerra e seu filhinho o tal Israel Guerra. Aquele fato mexeu tanto no brilho da campanha de Dilma como causou forte abalo moral em sua figura e na campanha., Dilma ficou sem moral até porque foi ela mesma quem insistiu com Lula para ser substituída pela dita cuja.
Sequência no post a baixo:

Responder

Eudes H. Travassos

04/10/2010 - 09h38

Assim ficou fácil para o Pig construir uma candidatura com princípios morais esplêndidos baseado num determinado cristianismo, que além de defender com naturalidade conceitos conservadores que ainda permeiam na cabeça dos indivíduos brasileiros como negação ao aborto, ao casamento religioso de pessoas do mesmo sexo, ou seja, o discurso da igreja católica num país de católicos, ainda se mostra uma vencedora por ter vindo dos seringais e hoje ser o que é.
Neste instante sai de cena a eco-capitalista e entra a direita cristã travestida de o último condão que pode proteger honra, a ética na politica nacional.
Penso ter sido este o que motivou a Onda Verde.
Finalizo dizendo que quanto mais calada ficar esta Erenice melhor será para Dilma, se bem que ela já falou de mais e podem requentar o que disse no último dia do segundo turno.
Sua palavra hoje é bem pior do que a do FHC atrapalhando o Serra
Dá pra ganhar, mas não será fácil, não é Lula e as pessoas não veem projeto e sim candidatos.

Responder

Carmine

04/10/2010 - 09h35

Marina traíu o povo brasileiro, os excluidos, os pobres, a sua origem, a sua luta.Traíu a si mesma.Juntou-se ao pior e vai vender-se neste 2º turno colocando em risco todos os avanços conquistados no Governo Lula, governo no qual ela teve participação, diga-se de passagem, ou seja, mais uma vez traidora.Coloca em risco a Democracia, pois tucanos no poder é a mentira no poder, é a imprensa elitista no poder, que manipula informações, que condena sem provas, que utiliza depoimentos de bandidos e publica em 1ª página, que nunca questionou os péssimos governos tucanos no estado de São Paulo.Graças a Marina, o 2º turno.Graças a Marina os Golpistas respiram aliviados.

Responder

    Claudio Cordovil

    04/10/2010 - 10h05

    Concordo, Carmine, em gênero, número e grau.

Fernando Gonzales

04/10/2010 - 09h32

Meus amigos, eu ja fui membro ativo em igreja evangélica, sei que la dentro as pessoas são fiéis aquilo que o pastor e anciãos dizem, pra eles é como se Deus estivesse falando, é uma lavagem cerebral só. Todas as igrejas evangélicas pregam que o PT é o diabo, não é brincadeira, quando eu fui diacono por dez anos em uma igreja evangélica, sempre tinha alguém correndo nos corredores avisando todos os fiéis que quem vota no PT não esta com Deus, é sério, muito sério esta lavagem cerebral. existe uma explicação plausivel e eu como membro ativo que era me dei conta na hora, a grande maioria das igrejas evangélicas tem origem nos EUA e na Europa e assim como a igreja Católica, elas pregam que o PT é do mal. As igrejas evangélicas pregam que não devemos reagir ao sistema e deixar para Deus a solução, ou seja, deixem os EUA e Europa tomarem conta do mundo, a unica salvação é quando Deus voltar, isso é corriqueiro nas igrejas de origem fascista.
Toda a favela tem igreja evangélica e por isso eles tem uma massa votante gigantesca que não deve ser despresada, quem despresou esta massa, como a igreja católica, se deu mal. Acho que o PT vai ter de buscar esta gente, vai ter que trabalhar muito ou pode dar com os burros n'agua.
A Marina é uma surpresa sim, o que o PT desconsideirou foi o grande capital que esta apostando tudo nela, ela vai convenser o grande eleitorado a votar no Serra, não pensem que não, não é onda verde, é onda capitalista que esta investindo muitos milhões de dólares na Marina e vão dar muito mais agora no segundo turno, esta muito perigoso ficar acomodado achando que os votos da Marina Silva serão automaticamente da Dilma, este pode ser um erro fatal.
– Muitos que votaram na Marina vieram do serra e jamais vão votar na Dilma
– Outros tantos que votaram na Marina são evangélicos, podem ter seu voto mudado a favor de Dilma
– E alguns milhões são verdes, estes são melhores para a Dilma…tem que trabalhar com eles.

Se a Dilma pegar 50% destes dois ultimos ta com a eleição ganha, pois acho que são 90% dos que votaram na Marina.

Responder

    Marta Oliveira

    04/10/2010 - 10h19

    Não concordo com você, sou evangélica, sempre votei no PT e continuo fiel aos meus princípos políticos. O líder da minha denominação inclusive desmentiu boatos a respeito de Dilma, demonstrando o apoio pessoal dele. Então você deveria falar do que você viveu dentro da sua denominação e não generalizar os evangélicos.
    O pior é ver a Marina "certinha" Silva se vender da forma que está acontecendo. Derrotada, comemorando um segundo turno que ela não disputará. Sou evangélica sim! Voto PT! Voto Dilma!

Oscar

04/10/2010 - 09h30

Eu acredito que Marina influiu bastante, mas temos que nos lembrar que os votos brancos e nulos´será o fiel da balança. Acredito que o serra apostou mais nos possíveis votos inválidos do que necessariamente nos votos de Marina. Tanto que este candidato ligou para GM para que a obrigatoriedade dos dois documentos permanecesse. A GLobo também apostou nisso, quando em seu programa matinal, a Ana Maria Braga, supostamente prestando serviços de cidadania, ensinava mais suas telespectadoras a votarem em branco ou nulo. Mesmo não assitindo esta mixórdia de programa, pude notar isto nos diferentes lugares onde trabalho. Minha aluna da suplência, em diferentes escola, me relataram isto de forma espontânea. Se mantida sua votação mais uma parte dos votos brancos e nulos a Dilma pode ser eleita. Contudo, se a metade dos eleitores de marina votarem em Dilma, a mesma será eleita. Enfim eu acretido nisto.

Responder

Pedro Ayres

04/10/2010 - 09h28

Antes de mais nada, algo tem que ficar bem claro, essa história de onda verde, azul ou bicolor, longe de ser a constatação de um fenômeno político, mais parece um projeto do Albert Einstein Institution, do Gene Sharp, adotado pelo complexo golpista NED-IRI-Departamento de Estado e CIA sob o nome de “revolução das cores”. Talvez até seja uma crítica ou uma denúncia sobre esse tipo de identidade. O que não seria nada demais, pois, há pouco na Colômbia, a “onda verde” também fez a sua aparição, não como uma válida e justa alternativa ao poder oligárquico, mas, como forma de evitar fissuras na estrutura política montada pelo império desde o genocídio da Unión Patriótica.
É evidente que as semelhanças são bem fortes, desde o uso político de alguém que há muito era visto como um defensor da Natureza e do ser humano ao estilo do seringueiro Chico Mendes, até a banalização de uma ecologia sem projeto. Tanto que a questão agro-ecológica e a necessidade da proibição de agro-tóxicos como insumos agrícolas, não produziu nenhuma drástica medida enquanto o Ministério do Meio-Ambiente esteve nas mãos da Marina Silva. Foi com a sua colaboração que o “brasilianist” carioca de Harvard perpetrou um projeto de exploração da Região Amazônica, que se for aplicado, só em fotos e filmes antigos se conseguirá ver a Amazônia, tal o caráter predador desse projeto.
Se a tudo isso juntarmos o deslavado apelo ao que há de mais retrógrado em termos de conservadorismo religioso, não só veremos o claro perfil de um projeto político antinacional, como será possível se identificar a tentativa de criação de uma futura liderança política de direita. Assim, talvez só nas verdes samambaias de plástico se possa ver o que a ex-ministra do Meio Ambiente chama de verde. Agora, para irritação de gente como o Palocci e outros liberais, a luta terá que ser politizada ao máximo entre os dois modelos – o neoliberal e o nacionalista, caso contrário não se terá obtido nenhum avanço, embora até se possa vencer o segundo turno.

Responder

    Ananda

    04/10/2010 - 12h21

    Concordo plenamente. Não existe onde verde de fato. Isso foi um escudo modista para a estratégia da direita, que soube também capitalizar resultados da ignorância sob aparência religiosa que avassala nosso país e se infiltrou no discurso reacionário da Marina. Educação intensificada e politização tinham que ser meta desde o 1º dia do Governo Lula.

Paulo Ribeiro

04/10/2010 - 09h28

Azenha, na realidade faltou raça da nossa militância. Subestimamos o adversário, deixamos o PIG bater á vontade por acharmos que a vitória já estava garantida. Agora, mais do que nunca, é hora de irmos à ruas e lutar pelas conquistas do do governo Lula. O inimigo se fortaleceu e não podemos permitir que cresça ainda mais. É fundamental estar preparado para tudo e contra todos. Serra é uma ameaça que precisa ser evitada à todo custo. Nem que tenhamos que manchar as mãos de sangue.

Responder

fabio sp

04/10/2010 - 09h23

Aguardem uma declaração bombástica de MARCOS (mãe dinah) COIMBRA sobre as eleições.

Responder

Bete

04/10/2010 - 09h20

Infelizmente, eu vejo que muitas pessoas não votaram na Dilma por conta dos email falsos que circularam na internet.
E o PV me decepcionou, com Marina e Gabeira.

Responder

    Nivaldo Rizzi

    04/10/2010 - 09h39

    Azenha está certo na análise!
    No segundo turno DILMA tem que politizar o discurso e mostrar a diferença que existe de "visão de país" dos partidos que apoiam Serra. Dizer da concepção que está por traz de políticas de inclusão social com desenvolvimento econômico nacionalista e soberano. Esta é uma das questões. A outra é que o PT tem que olhar o comportamento de "neopetistas" tipo Eunice Guerra e filhos que, sem formação política alguma, confundem público com privado. O LULA sabe disso e já expressou em uma entrevista no IG "Elenice perdeu a oportuniodade de ser uma exemplar funcionária pública". O PT tem que fazer, depois das eleições, uma "depuração ideológica" interna. DILMA terá muito trabalho neste segundo turno.

Jorge Vázquez

04/10/2010 - 09h18

No me modo de ver, e nem sou brasileiro, mas moro aqui há 8 anos, ficaram claros alguns fatos:

– Lula, se projetando como o grande lider da política brasileira, escolheu Dilma e errou. Ontem ficou evidenciado o poder dele, já que Dilma obteve os mesmos votos que ele em 2002 e 2006. Porém, ficou evidente que sua candidata era Marina, grande vencedora. Marina saiu do governo e PT não por se tocar após 6 anos de Ministra, que o governo não ligava muito a questões ambientais e sim por não ter sido a favorita do Lula para sucedé-lo

– A militância do PT sumiu e esse votos foram para Marina (mas os votos evangélicos). O personalismo do PT jogou contra nesse ponto. Agora, a procurar moviilizar às bases, no que acho que será um pouco mais difícil que em 2006.

– Não adianta jogar toda a culpa nos jornalões porque há 8 anos fazem esse jogo sujo com o governo. Muito se falou aqui que nos últimos 15 dias algo aconteceria nesse ponto e aconteceu: cadê o liderança da campanha? e os marquteieros? Não souberam responder à altura, subestimaram e agora vão para o segundo turno numas das eleições mais ganhas da historia. Lembrem o ridículo da campanha televisiva do Serra.

– O eleitor histórico do PV, maioria, votará no Serra, pq, antes que nada, é classista e detesta a massa pobre que voto o PT no nordeste o que o pobre agora compartilhe o mesmo shopping que ele. São os mesmos cara que se diz progressista, mas é contra cotas "por ser uma outra forma de discriminação" e os grandes problemas- como os ambientais- é para "esclarecidos", embora o maior contato que eles têm como a natureza é no horti fruti do supermercado (de produtos orgânicas, claro).

– O voto evangélico da Marina, será da Dilma na grande maioria. Só resta o voto que de esse miltante do PT que foi para Marina, um voto castigo, porque sentiu-se que sua participação já não e significativa para os dirigentes do partido.

– O PSBD, analisando friamente, retrocedeu no Congresso e virou um partido paulista e só. Esta com cheiro de vai se fracionar é duvidoso que o grande ganhador da chapa, Aecio, se arrisque em apoiar a Serra, que conta com mais de um 40% de imagem negativa. Aecio já demonstrou que joga para ele e não para o partido. Vejo ele com mais canais de comunicação com Lula que com o partido. Isto é: não acho que apoie a candidatura de Serra além da declaração formal

– Tudo depende, também, da cintura enorme de Lulapara negociar com os governadores locais que vão somar muitos, muitos votos.

Responder

Otaciel de Oliveira

04/10/2010 - 09h13

DILMA CONTRA DEUS

Conversei nesse instante com a mulher que vende bombom no caminho da cantina. A mulher falou na declaração que a Dilma teria dado de que "nem Deus faria ela perder a eleição no primeiro turno". Tentei mostrar o absurdo dessa afirmativa por um candidato num país religioso como o nosso.Não consegui convencer a mulher da estupidez dessa informação. Não dá para responder aos boatos usando simplesmente a internet.

Por isso a equipe da Dilma deve reservar alguns minutos no programa eleitoral gratuito sob o título "os boatos do dia" e desmenti-los todos, principalmente aqueles que aparecem na internet. Ou faz isso ou a Dilma perde a eleição.

Responder

PAULO ANGELO (MG)

04/10/2010 - 09h09

Os analistas da campanha da Dilma terao de debruçar sobre os resultados, zona por zona, a fim de detetar de onde partiram os votos para Marina, além dos dados macro das regioes metropolitanas. Pelo que eu percebí modestamente em B. Horizonte, cidade onde o Lula nunca perdeu uma eleiçao, é que o eleitorado do PT mais intelectualizado e sensível 'a problemas éticos, foi muito influenciado pelos ataques da mídia.
Infelizmente nao sou capaz de dimensionar o número desses eleitores, o que certamente analistas do PT serao capacitados em faze-lo. Quanto aos votos dos evangélicos, e mesmo de alguns católicos, eles existiram de fato, e também terao de ser analisados. Há que se avaliar ainda o "conteúdo" das mensagens da Marina, mesmo paracendo aos bloguistas desse site, nos quais me incluo, que eram vazios e generalizados, mas que de alguma forma podem ter sensibilizado os eleitores da Marina. No mais é arregassar as mangas porque teoricamente é muito difícil perder uma eleiçao com essa imensa diferença sobre o "coiso".

Responder

Marcos Oliveira

04/10/2010 - 08h57

Não acho que foi erro não ter politizado a campanha, rebatendo as acusações de Serra. Isto faria mais eleitores a votarem na Marina.

Mas agora é só entre a Dilma e Serra. Agora não há mais motivos para não rebater as críticas e falsas acusações.

Responder

mario silva

04/10/2010 - 08h52

Gente, estamos em uma nova eleição. Vamos ganhar os votos que foram para Marina e aqueles que foram anulados. Dilma, começa, no mínimo, com 40% no segundo turno. Agora é a nossa vez, como militante, sair as ruas para convencer os indecisos, que são muitos.

Acredito que o PT errou, assim como cada um de nós. Vamos individualmente agir…. para que Dilma vença no segundo Turno. Não será fácil, eu sei, mas iremos vencer…. é só acreditar.

Temos que trabalhar principalmente com os evangélicos…. sou um deles (voto no PT)…. passaram filme sobre abordo…. acusou o PT por patrocinar a lei….. a verdade o aborto já está legalizado desde 1998 por José Serra – Ministro da Sáude – FHC.

Responder

    Claudio Lopes

    04/10/2010 - 10h19

    Dilma já começa com 46,9.

Pedro

04/10/2010 - 08h45

"2. Por que a campanha de Dilma Rousseff não se antecipou aos boatos de forma didática, como Barack Obama fez nos Estados Unidos, criando um site específico para combatê-los?"

Falei isso inúmeras vezes. Até um e-mail para a campanha mandei. Mais nada. Salto alto? Subestimaram o perigo?

A unica reação foi http://www.dilma13.com.br/noticias/entry/golpe-ba

Ridiculo, tinha que ser uma estrutura como o http://fightthesmears.com/

Responder

asdf

04/10/2010 - 08h42

Da mesma forma q heloisa helena serviu ao propósito conservador na eleção de 2006, a candidata do pv assumiu o posto em 2010. Com o mesmo modus operandi, a imprensa de direita a apoiou na esperança exitosa de um segundo turno; a classe média mais reacionária aderiu com ímpeto ao seu discurso contra a esquerda no poder. E do mesmo modo o deslumbre com uma suposta nova liderança que a lançaria como opção para assumir papel de protagonista ficou patente no discurso da candidata. O q causa pena é sua falta de percepção e mediocridade. A mídia de direita só usou-a para propósito específico. Vencida a etapa, ao final do processo, será relegada ao limbo, como foi a antiga candidata do psol. Esqecida, sem conseguir se reeleger para mais nada, é lembrada apenas esporadicamente em vídeos no youtube na cena em q perde um dente. Deve estar imaginando até hoje o que aconteceu de errado. Onde a dialética materialista (sic) falhou. Já deveria saber que para os oportunistas a história reserva a lata de lixo. Mas o deslumbre, em ambas, foi e continua sendo maior.

Responder

Marcelo de Matos

04/10/2010 - 08h41

Precisamos parar de procurar culpados: Erenice Guerra, o PT de São Paulo, os marqueteiros, a falta de “politização” da campanha, etc. Dilma conseguiu um feito histórico para uma debutante na política. A gaúcha de BH, porém, não foi uma má escolha de Lula. Limitado por assassinatos de reputação perpetrados pela mídia contra Dirceu, Genoino (que nem se reelegeu), Palocci, entre outros, Dilma era a escolha mais óbvia. A candidata ainda não havia sofrido os ataques que veio a sofrer na campanha, como a exploração de um perfil de guerrilheira junto às comunidades religiosas. Não sei se politizar a campanha surtiria melhor efeito. O eleitorado optou por jogadores de futebol, atores, repórteres policiais e líderes populistas: Marques (do Atlético mineiro), Romário, Wagner Montes, Tiririca e Garotinho foram os mais votados. Isso mostra o baixo grau de politização do eleitorado. O resultado ficou dentro dos limites do possível, dadas as campanhas rasteiras da mídia que a candidata teve de enfrentar. E houve saldo positivo: temos o Senado mais petista da história desse país.

Responder

    Daniel

    04/10/2010 - 13h15

    Acho que é necessário lembrar que a visibilidade dos candidatos a deputados estadual e federal foi próxima de zero. Isto tem acontecido sempre e é um erro. Prova disso, é que Tiririca foi exposto (e negativamente!) por apenas uma semana e foi o mais votado em SP.

Luís Henrique - MG

04/10/2010 - 08h41

Optaram pela TV.
Você não via gente na rua, militância na rua. Apenas televisão e internet não ganham eleição.
Escrevo do leste de Minas, Coronel Fabriciano, e aqui não se via, sequer, panfletos de Dilma. Até as tradicionais bandeirinhas eram escassas.
No caso de Minas, outro fator relevante foi o acordo espúrio entre Pimentel e Aécio. O último detonou o primeiro. Bem feito, pois Pimentel achou que Aécio iria apoiá-lo para o Senado. Ganhou uma banana e Itamar foi eleito.
Outro fator foi a tal unificação do palanque. O PT nacional impediu a candidatura própria, mas não utilizou o palanque de Hélio DESISTE Costa. Dilma esteve aqui 2 ou 3 vezes. Deu no que deu.
E nem vou levar em consideração a campanha dos evangélicos e católicos, pois prefiro não comentar para evitar que meu comentário não seja publicado. Pois a vontade é de ……………………….
De qualquer forma: vamos à luta porque o segundo turno já começou.

Responder

Paula Souza

04/10/2010 - 08h40

José Serra já é presidente do Brasil. Nós só esperaremos 30 dias para que ele receba a faixa oficial. Porque ?
1-Uma camada da sociedade brasileira é extremamente preconceituosa, mas muito hipócrita para se auto avaliar e reconhecer isso.
2-O discurso religioso foi quem levou todos esses votos para Marina. Basta saber que o brasileiro votou a favor da legalização das armas sem nunca portar uma.Ou seja há uma parcela da população brasileira que vota através de fofocas e boatos, como também baseado em supostos preceitos bíblicos que ele nunca põem em prática na sua vida diária é só olharmos o mundo a nossa volta.
3-Boa parcela da população brasileira não é politizada e isso não tem a ver com escolaridade ou diploma e sim com vivência, observação do mundo a sua volta e capacidade de gerir as próprias decisões.Quando falo em politizada não me refiro a política dos políticos e sim aquela que rege nossa vida comum, nossas relações desde as mais simples até as mais complexas.
4-Essa parcela do eleitorado não politizada que não é capaz de perceber o mundo ao seu redor continua lendo o Globo, A Folha, A Veja, O Estadão e assistindo as emissoras de TV que pertencem a anos as mesmas famílias e acreditando piamente que são exemplos de imprensa séria e isenta.
5-Essa parcela do eleitorado é conservadora: conserva a corrupção, a miséria, a desigualdade social o retrocesso social e político do Brasil e nós sociedade pensante pagamos a conta sem comermos o prato.

Responder

Rafael

04/10/2010 - 08h38

Acredito que Dilma fez certo o modo de campanha. Fomos para 2 turno não por merito do serra, mas por causa da Marina. Agora serra vai ter que bater de frente com Dilma que é o que o psdb sempre tentou evitar escalando marina para disputa. Marina deve permanecer neutra. E Dilma não levou por pouco no 1 turno. Se marina tivesse feito 13% de votos já daria Dilma. É questão de tempo e Dilma será eleita.

Responder

Carlos.

04/10/2010 - 08h37

Eu acho que devemos pensar um pouco além: a religião levou a elição para segundo turno e já existe uma forte bancada evangélica no Congresso. Uma hora destas eles, os pastores e alguns padrs, estarão decidindo uma eleição. Se algo não for feito, corremos o risco de em alguns anos nos tornarmos uma espécie de república islâmica, só que cristã. Pastores e padres se uniram e deu nisso, uma parte mais que considerável da votação desta senhora deve ter saído diretamente de pessoas que seguiram orientação de religiosos. Já não nos bastava a mídia a querer decidir os destinos do país, agora temos também pastores e padres a fazer o mesmo. Por favor, tire a foto desta senhora da página inicial, coloque a foto de algum peixe de água doce. A visão da imagem desta senhora me provoca repulsa.

Responder

Djay Pariz Campos

04/10/2010 - 08h37

Seria uma delícia fazer barba, cabelo e bigode como se diz.. Paciência, não deu vamos a luta.
A bola passou triscando a trave.Quase levamos no primeiro turno, foi por muito pouco.
Sempre vai aparecer os erros isso é natural e bom para descer do salto.
Esse fenômeno do terceiro candidato tirar votos sempre existiu.
Quem despolitizou foi a imprensa, não esqueçamos disso.

Responder

paulo toledo

04/10/2010 - 08h22

A música que melhor reflete o efeito Marina. Ontem e amanhã. http://www.youtube.com/watch?v=WnxqklQH88E&fe

Responder

Marcelo Ramos

04/10/2010 - 08h15

Análise boa. Discutia eu com minha esposa, sobre para quem vão os votos da Marina. Como você notou, Azenha, a Marina recebeu principalmente os votos de uma parcela da população que votou pela ética. Como é ainda novata, e recebeu elogio da mídia, a imagem da Marina puxou o voto ético. Mas a meu ver, a maioria do voto que foi para Marina no 1º turno, vai para Dilma no segundo; ou seja, votar em Marina é um voto mais próximo de Dilma do que de Serra. E não creio que a Marina farjá campanha para Serra. Tanto em referência à artigo que você publicou aqui, quanto por lógica, se Marina declarar apoio à Serra é suicídio político.

Responder

Fausto

04/10/2010 - 08h14

Fazer análise do que aconteceu é muito bom. Serve para reavaliar as estratégias para a nova fase da campanha. Muito do que se tem escrito aqui tem lógica e deve mesmo ter sido responsável pelo resultado das urnas que, concordo, foi muito positivo para Dilma uma vez que ea precisou enfrentar não apenas adversários políticos mas, uma guerra suja e várias condições adversas criadas por seus rivais e rivais de Lula. Mas, o fato não menos importante é se tentar antever o futuro. Para mim Marina Silva continuará disputando as eleições. Serra tem uma rejeição grande, não é carismático e como bem já demonstrou PHA nunca saiu da casa dos 30%. Ele é o candidato da mídia e esta por sua vez conhece as dificuldades dele como ninguém. Portanto usarão a imagem de Marina para tentar eleger Serra. Vamos ver em que se falará daqui pra frente. Quem será mais citado, Serra ou Marina? A mídia vai misturar tudo numa embalagem só. A não ser que Marina decida apoiar Dilma o que eu, francamente, não acredito. Uma vez traíra sempre traíra. Além disso, Marina está visivelmente embriagada com a fama. Já deu sinais de que quer mais. Ao dizer que o partido deve decidir sobre o apoio no segundo turno mas, deve ouvir "os núcleos vivos da sociedade" já aparece a mistura de ambientalista com Gilberto Gil a fazer discurso. A mídia por sua vez já disse que ela se referia "aos intelectuais, artistas e outros seguimentos". Intelectuais e artistas são aqueles do manifesto do largo São Francisco. Lembram? Portanto, caberá a nós, os zumbis sociais, o trabalho duro.

Responder

dalva godoy coelho

04/10/2010 - 08h10

Vou escrever poucas palavras, QUE DECEPÇÃO, e tenham certeza que os votos da TRAIRA irão quase todos ao MAIOR MENTIROSO da historia, o PT ficou nesse de não confrontar e deu nisso não fez uma unica acusação contra esse canalhae tambem não mostrou o que deveria mostar contra a TRAIRA, vão perder e esses crápulas voltarão para acabar de vender o BRASIL.

Responder

Luís Carlos

04/10/2010 - 08h07

Azenha e demais leitores.

O PT vai perder o segundo turno se não dialogar com as pessoas que votaram na Marina Silva. Quase vinte milhões de indivíduos não se sentem confortáveis em dar continuidade ao governo Lula e não se sabe porque. Marina Silva faz o jogo de cena dos políticos que saem com capital político de eleições mas o PT ao invés de pensar em alianças deve saber o que desejam os dezenove milhões de eleitores que votaram na candidata porque eles serão o fiel da balança. Será um segundo turno duríssimo, o PSDB elegeu em primeiro turno candidatos a governador nos dois maiores colégios eleitorais, MG e SP, no Paraná outro governo do PSDB e em SC a vitória do DEM, seu aliado.

Responder

tamára

04/10/2010 - 08h07

Infelizmente a religião e a ignorância caminham de mãos dadas. Dilma foi mais uma vítima.

Responder

Rudá Ricci

04/10/2010 - 07h54

Azenha,
Entendo que queira politizar, mas o voto dos jovens na Marina já estava computado quando tinha 10% de intenção de votos. A onda foi evangélica, não tenha dúvidas. Minas Gerais, em especial, contribuiu, com o PT saindo esfacelado destas eleições e com a vitória de Marina em Belo Horizonte (à frente de Dilma e Serra). Vivemos o primeiro movimento nacional importante da onda evangélica que fará deste segmento religioso o mais importante em nosso país nos próximos dez anos.

Responder

    Dimitri

    04/10/2010 - 08h34

    Concordo com o Rudá. E tem mais, esse voto na Marina é o voto da classe média e tem muito pouco de politização – com exceção de alguns colegas de universidade, que votam ideologicamente e já tinham se definido por Marina faz tempo, no meu círculo social todos os que "mudaram" o voto para Marina demonstraram claramente uma antipatia com relação à Política, e principalmente sustentaram o discurso "eco-capitalista" que, de certo modo, assim como a evangelização, já assumiu nos tempos atuais em todo mundo um "mantra" de wishfull thinking das classes médias conservadoras. Para mim, nada mais natural o crescimento de Marina que tem uma terceira via bem centrista, conciliadora e baseada num utopismo romântico bem a calhar para o eco-capitalismo pragmático de fundo – daquilo que vc mesmo já falou, Azenha, os grupos urbanos que andam de 4×4, não se preocupam com o seu esgoto doméstico caindo no Tietê, e dão todo o apoio para os movimentos internacionalistas de proteção à Amazônia. Esse eco-capitalismo, como já foi dito por um sociólogo inglês (que agora me foge o nome) é de fato o canto conservador e moralista de uma classe média eterna.

    Renato

    04/10/2010 - 14h39

    Os evangélicos são 30 milhões de pessoas. E eles não votam na Dilma e nem em Serra.

marcelisoares

04/10/2010 - 07h53

Marina foi a bala de prata. Ela foi usada e está deslumbrada achando que tem poder.

Responder

    Danilo

    04/10/2010 - 08h57

    Duas horas após o final da votaçã o Merval Pereira da globo news(se não me engano) fez um comentário dizendo que na verdade o problema daMarina era a demora dela em liberar as liçenças ambientais , o que seria um problema segundo as empreiteiras. Quer dizer, assim que viram que não precisavam mais dela deram um pé na bunda dela.

    Gersier

    04/10/2010 - 11h34

    Como laranja que foi,expremeram o suco e a bucha será jogada na lata do lixo,inclusive da história.Alguém aí viu o PIOG* falar sobre a ex heroina heloisa helena outra pobre coitada deslumbrada?
    Vez por outra gosto de acrescentar o O de ordinária nas iniciais do PIG.

Rodrigo Ferrari

04/10/2010 - 07h53

Precisamos evitar análises simplistas. Essa tal onda verde deve ser entendida dentro de um contexto específico. O que ela resultou de concreto, além do segundo turno nas eleições presidenciais? Levando-se em conta que, numa eleição, ganha quem tem mais votos, o que restou dessa onda verdade foi um belo capital eleitoral e de barganha para a candidata Marina. Essa onda verdade rendeu aos verdes alguma vaga no Senado? Quantos deputados a mais eles conseguiram? Além de Gabeira, fragorosamente derrotado nas urnas, alguém do PV conseguiu chegar aos 20% de votos nas eleições pra governador? O que é essa tal onda verde? Para mim foi um fenômeno cultural, não político. Equivale à eleição de Tiririca, só que em outros termos: tanto quem votou no palhaço quanto quem votou na ex-seringueira fizeram-no por estarem descontentes com o que aí está. Você fala em conteúdo, mas pergunto: será que os eleitores da Marina conhecem de fato sua trajetória, suas origens, suas ideias? Aliás, o que ela pensa, defende, faz? Você fala em conteúdo – que coneúdo tem Marina? Tive o desprazer de assistir a todos os debates a que essa mulher foi, inclusive aquele que o SBT fez no Nordeste. Não há nada que se salve. Tudo para ela é um grave problema, muitos dos quais ela já sentiu na pele. Soluções, nenhuma. Marina não era uma candidata. Era uma problematizadora.

Responder

    Janes Rodriguez

    04/10/2010 - 09h39

    Rodrigo, você foi perfeito na análise. E acrescento: Marina representa um retrocesso sem precedentes na luta feminista e solicalista. Com essa fala despolitizada, sem conteúdo, ela foi muito, muito, muito sacana com Dilma a quem inveja, e com as milhões de mulheres que apanham todos os dias porque essa sociedade entende que o corpo feminino é um corpo que pode ser domesticado, oprimido, espancado, estuprado e assassinado. Essa foi, também, a grande contribuição de Marina: fazer retroceder as lutas pela cidadania LGBT e feminista.

    PauloPalavra

    04/10/2010 - 09h42

    Muito bom texto!

José Medida

04/10/2010 - 07h48

Não concordo com a idéia de que falttou politização na campanha por parte da candidatura Dilma. Os eleitores de Marina não votaram com uma causa política, mas com uma causa emocional, motivada justamente pela falta de politização destes eleitores. Qualquer um, até com má vontade de ouvir a ladainha da Marina, entenderia que aquele discurso ambienatalista é facilmente encontrável num folder da Natura ou num saco plástico do Walmart. . Onde a politização, e ainda por cima: ambientalista? As pessoas que votaram em Marina agora vão dizer a nós outros que votamos na Dilma o que querem para o país: um páis do qual nós possamos nos orgulhar, com crescimento econômico, a criação de mais vagas de emprego, democratização do acesso a informação, numa palavra: inclusão social, econômica e também política, ou o retorno a condição de país servil, que se envergonha de sí mesmo e admira os falidos emblemas dos Estados Unidos e da Europa decrépita. Foi dito por muitos, didaticamente, votar em Marina é votar em Serra, e também já foi dito pelo presidente do PV que o partido que ele lidera apoiaria Serra no eventual 2º turno. E agora ilustres eleitores "politizados" da Marina para onde vamos?

Responder

Grigório Cavalcante

04/10/2010 - 07h47

A propósito de Marina seria incoerente, a esta altura ela declarar apoio a Dilma. Por outro lado, caso fique neutra passará a impressão de falta de personalidade e corre o risco de virar fenômeno de uma eleição só. Resta como lição não subestimar o voto urbano e o voto religioso (este é fiel e cego). Aqui em Pernambuco, os dois estaduais mais votados contaram com o voto regiligioso e um dos mais votados para federal sequer fazia campanha na tv, mas com a força do voto fundamentalista chegou a uma enorme votação.

Responder

    Nadja

    04/10/2010 - 08h27

    Grigório
    Exatamente. Vi uns 15 votos de Dilma se perderem para "irmã". Contribuiu para isso a interpretação dos pastores nas Igrejas sobre a questão do aborto e da união civil entre pessoas do mesmo sexo, a boataria que Dilma falou que "nem Cristo tirava essa eleição dela…" As pessoas nem sabia quais as bandeiras do PV, falavam do pecado do homossexualismo sem nem saber quem é gabeira. O voto de cabresto voltou como novo modelito.
    O voto fundamentalista aliada ao terrorismo religioso fez um estrago danado.

    E a exceção do Pr. Clayton Colins os outros são os famosos "quem?" para mim.

Carlos.

04/10/2010 - 07h46

A Cinderela Acreana não manda nada, os votos não são dela, são do PIG 1 e PIG 2 – Partidos da Imprensa e da Igreja Golpista. A esta altura o PIG, em coro com o PV, já deve estar cantando: "Mas na manhã seguinte não conta até vinte, te afasta de mim, pois já não vales nada, és página virada, descartada do meu folhetim." Marina foi o Tiririca da eleição presidencial. Eu simplesmente não suporto ver a imagem dela na TV. Pode-se dizer tudo, menos que ela tenha sido inocente útil. Coloco em seus ombros muito da responsabilidade pelo risco do país sofrer um retrocesso à Idade Média -quando a Igreja obscurantista e os nobres mandavam no mundo.

Responder

    mariazinha

    04/10/2010 - 10h18

    Muito bem. Penso da mesma maneira e , onde tiver o nome marina, para mim, será ligado a retreocesso e traição.

Roberto Locatelli

04/10/2010 - 07h44

Os erros do PT vêm de longa data. O principal foi não organizar a classe trabalhadora. Ao contrário, o partido retirou-se das lutas populares desde a década de 80.

O segundo erro foi não enfrentar a mídia golpista. Dessa forma, sem estar organizada em sindicatos, movimentos e associações, as quais aumentam a consciência política da população, os eleitores serviram de massa de manobra. O perigo é grande. Serra pode, sim, vencer no segundo turno.

Responder

    Regina

    04/10/2010 - 09h27

    O grande problema foi o já ganhou de todos, só considerando na véspera das eleições, o perigo do erro na hora do voto. A votação, em termos do totais de voto e não dos votos válidos, do Serra foi de 24%, abaixo do que as pesquisas finais davam, da Marina foi de 14%, um pouquinho acima, da Dilma que foi surpreendente, foi de 35%, onde as pesquisas davam 47%, que era a pior do DataFolha. As abstenções foram de 18% e a soma de brancos nulos e as abstenções foram de 26,70%. Não me lembro da média em outras eleições, mas essa eu achei muito grande. Houve problema pra se achar as zonas eleitorais, várias trocadas, a confusão dos documentos onde até o P. H. Amorim teve problema. Não foi atoa que o Serra ligou para o G. Mendes pedir vista. Eles sabiam que aí estava a chance de a Dilma e o Pt perder votos. O Pt só foi acordar, um pouco, na véspera quando o estrago já estava dado. Mas também acho que tem que se politizar mais essa campanha. E pode ter certeza, a direita tem planos mirabolantes pra esse segundo turno.

    José Medida

    04/10/2010 - 11h37

    E digo mais, ao se afastar da luta o PT, através do seu viés sindicalista a CUT e congêneres, se imiscuiu no governo, exercendo cargos em orgãos da administração direta, indireta e nas estatais. Trabalho na Petrobras a 23 anos e, parafraseando o presindente Lula, "nunca antes na história" eu ví tanto sindicalista exercendo cargo de gerente, coordenador, supervisor, e chefetes afins, sem contar que o sindicato passou a indicar cargos que eles pudessem controlar por fora, para viabilizar as ações entre amigos " tudo pelo sindical", isto é, tudo pela locupletação sindical.

Grigório Cavalcante

04/10/2010 - 07h44

Azenho, não acho que Marina será decisiva no segundo turno. O decisivo será mobilizar o chamado voto de opinião (pois este ainda existe) e votou em sua maioria em Marina, pois não queria votar no Serra, e foi influenciado pelo discurso udenista da imprensa. Por outro lado, o voto em Dilma foi também prejudicado, por incrível que pareça, pelo pragmatismo dos seus aliados na corrida pelos mandatos. Aqui em Pernambuco, esperava-se mais votos em Dilma. Mas a tal onda verde foi maior do que se esperava, contudo, concentrou-se nas grandes cidades. No segundo turno este eleitorado precisa ser conquistado e não o apoio de Marina.

Responder

paulo toledo

04/10/2010 - 07h42

A música que melhor reflete o efeito Marina. Ontem e amanhã.
<object width="480" height="385"><param name="movie" value="http://www.youtube.com/v/WnxqklQH88E?fs=1&amp;hl=pt_BR"></param><param name="allowFullScreen" value="true"></param><param name="allowscriptaccess" value="always"></param><embed src="http://www.youtube.com/v/WnxqklQH88E?fs=1&amp;hl=pt_BR&quot; type="application/x-shockwave-flash" allowscriptaccess="always" allowfullscreen="true" width="480" height="385"></embed></object>

Responder

Thiago Leal

04/10/2010 - 07h40

Galera.

Talvez nosso problema esteja no fato de que a polarização nos tenha aglomerado. Nos juntamos, o que é ótimo por um lado, mas, por outro, nos cercamos de um ambiente que basicamente só dizia o que queríamos ouvir.

A velha mídia virou "o outro", " o estranho", "o alienígena". Pensamos que bastavam nossos próprios anticorpos para seus venenos. Mas quem mais está vacinado nessas 400.001 seções eleitorais?

A velha mídia… ora, é admirável que o Azenha tenha 50 mil leitores por dia. Mas quantos leem a Veja por dia? Quantos veem o JN por dia? Quantos não olham a banca e os portais da Folha, do Estado e do Globo por dia? Quantos não vão para a missa durante a semana, para o culto? E, principalmente!, quantos procuram se informar, se politizar por… qualquer unidade de tempo que se queira atribuir?

O salto era alto, e quanto mais alto, maior o tombo.

Temos aí menos de um mês para levantarmos do chão.

E digo mais:

Ganhando ou não esta eleição.

Acho mais proveitoso nos acostumarmos a trabalhar com as piores projeções, para não relaxar, como acabou de acontecer. Não há absolutamente nada que garanta qualquer repasse decisivo dos votos de Marina em Dilma. Precisamos trabalhar nisto.

Responder

Grigório Cavalcante

04/10/2010 - 07h40

Azenha, vamos aos fatos: O PT subestimou o voto urbano e relgioso. O primeiro buscou nas últimas semanas e por pouco Marina não venceu Dilma em Recife, por exemplo, apesar de tantos investimentos do governo Lula. Por outro lado, acho que a estratégia de marketing de Dilma errou ao apanhar em silêncio e preferir reprisar guias eleitorais nas últmas semanas. A campanha eleitoral, atualmente, é decidida na tv. A grande mídia investiu em Marina, pois ao contário do PT, percebeu que o voto de grife não votaria nem em Dilma nem em Serra. O voto do modismo é perigoso e somado ao fundamentalismo reliogioso (evangélicos e a turma do pe. Marcelo) podem dar a vitória a Dilma. Acho, sinceramente, que o apoio de Plínio seria mais simbólico do que o de Marina no segundo. Considero um erro o PT procurar Marina, pois ela de ambientalista não tem nada, ela personificou o voto de grife (que no segundo tende a se dividir), o voto regilioso (que votará em Serra) e o voto indeciso das grandes cidades (que deve migrar em sua maioria para Dilma).

Responder

    Edemar Motta

    04/10/2010 - 09h43

    Concordo, buscar o Psol, o Pstu. Marina não apoiará Dilma, provavelmente por questões pessoais e também religiosas. Serra promete-lhe um ministério e liquida a fatura com votos do púlpito e da juventude 'ética' e 'ambientalista' e a moça retoma naturalmente sua vida política..

    Nunca entendi a passividade do PT ante os ataques recebidos. Nunca vi uma publicação do partido rebatendo a ignomínia. Nunca soube de um congressista na tribuna rebatendo as aleivosias. Nunca soube de uma iniciativa do PT fiscalizando a atuação de seus quadros para evitar pequenos ou grandes 'negócios'. Carta Capital e computadores não chegam às massas, o que chega é televisão, especialmente as de sinal forte e boas antenas. Deixaram tudo a cargo de Lula, foi demais.

    O perigo de retrocesso é grande. Senhores profissionais, mais empenho, por favor.

almeida

04/10/2010 - 07h40

Chegamos ao final da primeira etapa do processo eleitoral e com ela vieram algumas surpresas. As duas as quais destaco são a ausência da bala de prata e principalmente a onda verde que existiu em torno de Marina Silva e que foi decisiva para levar as eleições para o segundo turno.
Durante a maior parte do tempo, a candidata da base governista esteve à frente da corrida eleitoral e os seus oponentes pareciam assistir a um show de produção de marketing que conduziria Dilma para a vitória mais expressiva desde a chegada do regime democrático no Brasil. Mas Salvador e Rio de janeiro Marinaram, o Acre Serrou e assim a vitoria que parecia se configurar deu lugar ao desenho de um segundo turno com cara de nova eleição.
Quem errou? Quando errou? O PT errou feio em 2010, muito mais que o PSDB em 2002. O governo de FHC saiu com a popularidade claudicando, Lula com recordes de popularidade e geração de empregos. Assim, onde está o erro? Penso que o erro está na capacidade de comunicação do PT, em não ter conseguido neutralizar a “central de boatos” que foi montada pelo candidato de oposição.O PT se preocupou apenas em difundir os feitos do governo Lula mas sem falar diretamente com os aposentados, a classe média e os jovens.
Marina soube se beneficiar disso.Serra também. A primeira apresentou-se como via alternativa aos projetos políticos do PT e PSDB, figurou como baluarte da ética e da sustentabilidade e comportou-se como politicamente correta. Muitos que votaram em Marina a usaram como válvula de escape para se isentarem do debate político plebiscitário ao qual se falava.Muitos eleitores, inclusive militantes do PT ficaram balançados, outros migraram seus votos para ela. Já Serra fez jus a sua historia de covardia desde os tempos da UNE. Silenciou, agiu no submundo da política e sobretudo, usou o eleitor de Marina para realizar seu projeto pessoal de ser presidente.E conseguiu.Mentiu para os aposentados e para a classe trabalhadora, disseminou idéias de cunho religioso e instigou o fanatismo religioso para se eleger.Conseguiu.
Nesse contexto quem se beneficiou foi o PV. Saiu de mero coadjuvante para ser um partido forte na base governista, seja Dilma ou Serra eleitos.Nunca um partido teve tanta importância na decisão de uma eleição como agora. Ou melhor, nunca o voto declarado de uma candidata teve tanto peso na decisão do processo eleitoral.
O voto declarado de Marina em Dilma ou Serra representara um vetor para a população que acreditava nela como terceira via. Os religiosos em especial aguardam com grande expectativa a declaração de seu voto.”Dilma e Serra são iguais “ disse ela.E agora? O que dizer?Penso que o silencio de Marina irá custar mais caro ao PT. E de fato se ela defende a idéia de plebiscito para questões polemicas como o aborto e a legalização das drogas, certamente vai jogar no colo da população a responsabilidade dessa decisão.
Marina dirá que deu a oportunidade do Brasil discutir mais propostas e se gaba de ter quebrado seu plebiscito. Na verdade, devolveu a eleição plebiscitária, entre o PT e PSDB e ajudou a ressuscitar uma legenda quase morta, e que ela ajudou a tirar do poder em 2002. Foi de encontro ao PT , legenda que ajudou a fundar e talvez a afundar.E agora tem tudo para ficar em cima do muro, como sempre fez.Um muro que ela mesma construiu. O muro do plebiscito que ela tanto disse ter combatido. Marina a engenheira do muro de Berlim brasileiro.

Azenha se der publica ai meu texto…

Responder

    Marcia Oliveira

    04/10/2010 - 09h28

    Não, a Bahia deu a Dilma 63 por cento de votos válidos e elegeu Wagner no primeiro turno.

    Quem "marinou" foi a classe média alta que não queria votar em Serra.

dukrai

04/10/2010 - 07h40

Dilma vai para o 2º turno com 47% dos votos e o PV, como foi colocado aqui, vai rachar. "os dirigentes" da máquina já aderiram ao Serra e a esquerda que saiu do PT junto com a Marina vai apoiar a Dilma. obs: a Marina já declarou que a decisão do partido vai ser tomada em plenária, aí o racha sai mesmo.

Responder

regismesquita

04/10/2010 - 07h39

Azenha,

um candidato tem que criar uma identidade. Digo isto porque o Alckmin foi destroçado pelo Lula quando perdeu tempo vestindo boné das estatais, o que não era a "cara" dele.
A Dilma perdeu sua identidade com grande parte do país quando tomou atitude de se mostrar muito ligada a esta direita evengélica.
Grande parte do eleitorado da Marina ainda vê nela a ecologista, portanto moderna. Esta ainda é a identidade dela.
Ao focar os últimos dias de campanha em se mostrar "cristã" a Dilma perdeu o foco e perdeu muitos, muitos votos. Digamos assim: ela perdeu sua modernidade.

Abraço,

Regis

Responder

Marcelo de Matos

04/10/2010 - 07h38

Marina Silva e Barack Obama nem tinham nascido quando Monteiro Lobato publicou “A onda verde” e “O presidente negro”, duas obras de pequena espessura que compuseram um único volume. A onda verde, porém, nada tinha a ver com política: a metáfora referia-se à expansão dos cafezais. A atual onda verde, sim, refere-se à expansão do PV. Seria possível, porém, fazer a transfusão do prestígio de Marina no tucano Serra? Primeiro seria necessário descobrir qual é o Rh dos verdes. O PV é um de nossos partidos mais heterogêneos: tem gente de centro, direita, esquerda, cristãos, ateus, tucanos, lulistas, conservadores e partidários do movimento gay. Tal como o café que precisa ser batido na peneira e escolhido antes do ensacamento, o PV terá de passar por uma seleção. Mas, a essas alturas, não haverá rejeito, da mesma forma que tanto o café arábica, como o robusta, vão para a xícara e fazem a alegria dos consumidores.

Responder

Aracy_

04/10/2010 - 07h28

Marina Traíra se acha, mas o no. de abstenções foi bem superior ao no. de votos depositados nela (24.606.719 x 19.635.906). Se metade do pessoal das abstenções sair de casa para votar em Dilma no 2o. turno, já será ótimo.
Sem falar que a Traíra tomou um olé no AC.
Em tempo: os verdes do interior paulista que conheço são tucanos enrustidos. Classe média metida.

Responder

Conceição

04/10/2010 - 07h25

Faltou mobilização. Fica-se sentado frente a um PC e acha que isso é campanha. Moro na Tijuca, no Rio de Janeiro, não vi, nem um dia, um movimento pró Dilma. Procurei material de campanha e não encontrei. Tem gente mandando demais no PT sem saber o que fala.Tenho certeza que houve urnas fraudadas, a turma da direita não dorme em serviço. Precisa ser esperto para descobrir isso? A maioria que troquei e-mail não votaria na Dilma. Fiz inúmeros desmentidos e os falsos moralistas preferiram acreditar nas mentiras.
Vamos à luta. Vamos ganhar essa eleição.
Abaixo a hipócrita da Marina. O negócio é atacar…

Responder

Almeida Bispo

04/10/2010 - 07h19

É bem pior do que politização – ou a falta dela, Azenha. Marina disparou no Rio de Janeiro, a capital do funcionalismo público aposentado e dependentes. E principalmente em Brasília, a capital do funcionalismo público por excelência. O velho corporativismo classe média anacrônico contrariado com a divisão do bolo. Em meu Estado, na minha vizinhança conheço funcionários do Estado que tiveram os salários dobrados nos últimos quatro anos – todos eles. De sete nesta condição, apenas dois disseram vagamente que votaria no candidato à reeleição que os conduziu a ganhar o dobro.
O esquema foi o seguinte (e lá vem teroia da conspiração): Vendo que não coneguia atrair esse eleitorado, ao menos de primeira, a direitona incluiu Marina para ser "a novidade" e, ao menos ganhar sobrevida para o segundo turno. Deu certo.

Responder

Gerson Carneiro

04/10/2010 - 07h18

A razão (se é que tem razão nisso) da tal "onda verde" é a mesma que elegeu Tiririca, Romário e Garotinho.

Responder

Taques

04/10/2010 - 07h17

"Houve onda verde, sim. E a onda verde, que pegou de surpresa a todos os institutos de pesquisa, é que está levando a eleição presidencial para o segundo turno."

Êeeeeepaaaaa !!! Todos não !!! Quem acompanhou o Datafolha, tão "elogiado" neste espaço, não teve surpresa alguma.

Agora, pra quem acredita no Vox Populi do Marcos Coimbra …

Responder

JOSE DANTAS

04/10/2010 - 07h07

Tudo tem uma razão de ser.

O presidente Lula apostou todas as fichas na sua aprovação enquanto governo e cometeu muitas bobagens politicamente falando.

Curiosamente aqui no nosso estado, o Lula e a Dilma apareciam nas fotos de um monte de candidatos, todos pegando carona da popularidade do presidente e nenhum deles pediu votos para a Dilva, que também não pisou o solo do estado durante a campanha e muito menos o Lula, chegando ao ponto de na nossa cidade de Campina Grande, com mais de 200.000 eleitores a candidata petista ser a terceira mais votada.

Essa é a versão sem paixões da campanha petista em nosso estado, gostaria de conhecer como a campanha foi feita nos demais.

O fator religioso, com os boatos sobre aborto e aquele que plantaram sobre uma declaração da Dilma de que "nem Jesus lhe tiraria a vitória" foi determinante para o fraco desempenho da candidata em nossa região.

Responder

Otaciel de Oliveira

04/10/2010 - 06h57

RESPONDENDO AO COMENTÁRIO DA ANA E DE OUTROS APAVORADINHOS

Ana, a Marina vai ficar em cima do muro. Provavelmente ela não vai apoiar o Serra nem a Dilma, porque ela está de olho em 2014. Não há motivo para pânico, embora a grande tarefa neste momento seja a de conquistar os votos dos jovens que se encantaram com o "programa" da Marina.

Estou vendo muita gente apavorada como se o mundo tivesse acabado. Eu não estou assim não e quem mora no Brasil e acessa diariamente a internet sabe quão suja foi a campanha do Serra. O que a campanha da Dilma precisa é rebater de pronto todas as acusações e ilações que vem por ai. Mas agora ficou mais fácil identificar a fonte: são os eleitores e a equipe do Serra. Precisamos explorar melhor a relação promíscua entre Serra e certos magistrados do TSE. Precisamos reconquistar os votos dos evangélicos desmintindo os boatos que circularam na internet, no horário eleitoral gratuito.

Agora, a militância precisa se engajar melhor na campanha da Dilma. Eu não vi praticamente adesivos nos carros de Fortaleza. Também não vi gente usando botões, crachás ou bonés no dia 3 de outrubro. Portanto, vamos encher os carros de adesivos. Devemos usar botões, crachás, e o que for permitido, durante a campanha do segundo turno.

O segundo turno começou ontem à noite, com as entrevistas e o blá, blá, blá de sempre. Veja a pergunta mais inteligente do Senhor Boris "Gari" Casoy a quem estava sendo entrevistado: "vocês acham que o segundo turno começa do zero?"
E o que os apavoradinhos do blog do Azenha acham? Vai começar tudo do zero?
Outros comentários: não existe diferença entre os programas dos dois candidatos.
E eu respondo: não existe uma ova. É exatamente esta diferença que precisa ficar bem clara nos próximos dias. O PT precisa, como disse o Azenha, politizar a campanha.

Primeiro, vamos relaxar. Depois, começar a trabalhar imediatamente. Gozar, só depois do resultado do segundo turno.

Uma outra coisa: um voto em branco é meio voto para a Dilma. Basta dizer que se todos os eleitores da Marina resolvessem votar em branco ou anular seus votos, a Dilma seria eleita com cerca de 57% dos votos válidos.

Portanto, minha gente, vamos relaxar e trabalhar duro. Temos menos de 4 semanas pela frente.

Lembrem-se: Lula conquistou o seu primeiro e segundo mandato no segundo turno. Portanto, mãos à obra.

Responder

Eli

04/10/2010 - 06h54

Gente, claro que os boatos pesaram. E muito! Somente uma, de todas as pessoas que me disseram que votariam em Marina, e não foram poucos, votou por afinidade. A maioria, das pessoas que conversei, votou contra: a lesbica, o satanista, aquela que aprovará o casamento gay (pasmem: isso obrigaria um pastor evangélico a realizar um casamento homossesexual!!) e ainda aquela que disse que nem Cristo tiraria a vitória de suas mãos.
Os evangélicos, maioria absoluta probre e, como pobres cospiram no prato que comem, já que, são os principais beneficiários dos programas sociais do governo. O "bolsa familia" perdeu para o "pacote satânico". Extremamente triste estou.

Responder

D.O.P.

04/10/2010 - 06h38

O voto nas Marinas e Gabeiras também vem acompanahdo de uma parcela dos mais velhos, que, se não são Udenistas, realmente cansaram de política ( óbviamente ajudados pelo discurso subliminar do PIG de que “tudo está corrompido”)e votam no “novo” apenas por aparentar ser novo. Isso pode ser ás vezes até ralo a ponto de parecer físicamente novo. Ellegeu-se o presidente da república mais inepto das Américas (OK, houve Bush Jr……. .)em todos os tempos, só pela aparencia, Collor e sua cara de galã de Sétimo Ceu, mistura de Agnaldo Rayol com Moacir Franco.Marina pode ser mestiça, de origem pobre, mas não representa o novo, mera marionete que foi nessa eleição.
É preciso mostrar a esses 19 milhões o que a pura jeztão e o privatismo desenfreado fazem à vida humana. È preciso mostrar a eles como está o México, o que Menem fez com Los Hermanos, como está São Paulo, o que a ideologia neo-liberal fez com o mundo após as décadas de 80 e 90,tudo para que as famílias estado-unidenses de classe média pudessem ter a sua hipoteca de mansões de dois andares. Embora seja preciso também trazer à tona todas as alianças de Lula com os setores realmente produtivos do empresariado nacional .Trazer essas pessoas para falar no programa. É preciso voltar a por a ideologia na mesa, e aí sim vir com o melhorismo e mostrar os resultados desse 8 anos .Que melhor trunfo na manga na hora da luta do que o “testado e comprovado”?É preciso convencer a esses 19 milhões que , como diziam Assis,Baby e Moraes, está na hora dessa gente bronzeada mostrar o seu valor. E fazê-lo até o apito final do juiz, não querer dar olé, ou mesmo persistir na manutenção de Dilma numa redoma, quase que de maneira supersticiosa feito um Zagallo ou um Joel Santana.Ligar o alerta até as 17 h d odia da eleição, mesmo que as pesquisas estejam folgadas.Nunca o Brasil teve tanto a perder com um certo resultado de eleição.

Responder

D.O.P.

04/10/2010 - 06h37

O melhorismo faz parte. A meu ver o PT errou ao não fazer acompanhar ao melhorismo com a batalha ideológica sim. Um chamamento à reflexão à essa gente. Mas do que mostrar a esse 19 milhões que a dívida externa foi paga, de que TODOS os indicadores sociais tiveram melhoria definitiva, da conquista da Olimpíada e da Copa, da migração de um país dependente das fontes de energia do exterior a outro independente , se preparando para exportar mais derivados, após descobrir óleo aonde nenhum ser humano jamais o tinhafeito e com tecnologia exclusiva de mentes Brasileiras, devemos questioná-los. Não é isso que querem? Não é este pelo menos o início da velha lenda do “país do futuro”.Ou querem ter sempre algo para reclamar?Que se lembre a eles que o governo de lula foi também o governo de Dilma, chefe de casa civil, articuladora política. Além de mostrar aeles os resultados, colocar o programa de governo, a ideologia na mesa. Ir pro pau. Abrir a caixa de ferramentas e lutar o bom combate. O PT, com o que ainda tem de militnacia e know-how nisso, pondo em execução, acho muito difícil eles conseguirem virar o placar. Para trazer esses 19 milhões pra gente, é necessário conquistá-los, muitos deles já fomos nós.O verdismo da maioria deles é uma espécie de arroubo juvenil, de rebeldia de quarto de dormir, da eterna busca pelo “novo”, dos Gabeiras e Caetanos, seja o que eles (e só eles sabem o que é “novo”…….) digam que o é.

Responder

D.O.P.

04/10/2010 - 06h36

Todavia, a meu ver, o fato descrito pelo Azenha no texto evidencia coisa nova, e realmente preocupante. E também essencialmente simplorista. Recentemente conversei com um colega de trabalho sobre eleição.Tem 30 anos, é um menino de inteligencia aguda, quanto à parte técnica, científica, das coisas. Perguntei em quem ele ia votar. Esperava uma Marina que fosse, mas não. Pam, recebi as palavras “voto nulo” pela cara. Aquela cantilena de adultos jovens de classe B e C que persiste há 25 anos, refletindo no ficha limpa Nada contra a idéia em si, mas apenas ao maniqueísmo hipócrita , na propagação da desesperança nas instituições, e, principalmente, a despolitização.

Há que se entende. Essa gente, Nélson Motta e Gabeira á frente, acredita no fim da história, no fim do racismo no Brasil, , e numa suposta obsolescencia das instituições, daí alguns de seus hinos, “polícia pra quem precisa de polícia”(mas se estiverem numa fria, vão chamá-los com certeza) e uma das páginas mais infelizes da MPB, a música do a meu ver, injustamente supervalorizado e estereótipo do menino mimado Cazuza que fala de “ideologia, quero uma pra mim”, ou algo semelhante.Dão a impressão de que, atendendo-se a agenda de meio-ambiente, e liberando a maconha, todo o resto estará OK.Nem verdes realmente são, a maioria deles.A esmagadora maioria nem sabe o que é o Conama ou uma licença ambiental. Aliás, é uma mazela dos governos Lula isso. É tempo de se começar a ganhar algumas batalhas contra as Monsantos,os caçadores de patente da Amazônia, as madeireiras da vida. Mas a grande sacada é a seguinte. Essa gente somos nós também. Tem que ser visto e entendido assim. A esses é hora de atrairmos. É nosso papel convencer a esse pessoal o quanto desgarrados da realidade estão.

Responder

D.O.P.

04/10/2010 - 06h34

Não caiamos na armadilha da hora da raiva de culpar o povo ou “eles”. O povo somos nós & eles. Somos todos. E alguns deles já fomos nós, como Caetano ou Gullar, tão cultos, tão mais cultos que o “povo”, mas talvez por isso, mais tolos e manobrados ainda.
Então o simplorismo foi um dos fatores determinantes?
Como se já não se estivéssemos carecas de saber disso?Desde o som 3-em-1”luxuoso” de Luís Inácio ou mesmo as lorotas sobre a primeira filha dele (hoje em dia militante do PT, ao contrário da filha – essa sim escondidona feitoum ob- de Fernando II, o dependente), ou os aloprados, agora temos um evento desses, de natureza pseudo-religiosa.Os eleitorados evangélico e “verde” ( o que é isso no Brasil?) terão que ser tratados com muito cuidado nestes 30 dias. Marina tem que apoiar Lula de qualquer jeito. Provávelemente terá que se fazer política, goste-se ou não. Não se fez com o PMDB? Que se faça outra vez. A dor será infinitamente maior caso não se olhe para esse fato AGORA. Mas vejam também que há simplorismo em camadas sociais outras que, por terem mais acesso a cultura, supostamente não se renderiam a expedientes banais, tais como o neo-macarthismo despertado pela bobeira atroz da Dilma comedora de criancinhas e assaltante de banco.Mas essa fatia udenista-lacerdista, fã de sandra cavalcanti e eternamente desejosa de coronéis urbanos que os protejam da insegurança de descobrir que cada um vale sómente o que vale, sem colas, pistolões, berços, etnias, religiões ou o que seja. E que se subimos socialmente, devemos lutar para que outros também o façam.

Responder

Paulistana

04/10/2010 - 06h14

continuação
É sabido que somente 25% das pessoas entendem todas as frases de um discurso ou entrevista.
A comunicação foi muito falha, mal dirigida e e sem clareza (exatamente nesse ponto reside a força da Marina, que repete os mesmos chavões de fácil assimilação pelas mentes medianas).
O PT precisa urgentemente adequar o discurso da Dilma pro eleitor médio, ou nao conseguirá convencer os 19% da Marina.
Sinceramente, vendo os erros das campanhas tanto da Dilma como do Mercadante, tenho minhas dúvidas se alguma coisa mudará pro segundo turno. Estou muito desanimada, especialmente por SP

Responder

Paulistana

04/10/2010 - 06h06

A meu ver Marina só ganhou força por fraquezas da campanha do PT, vi dois problemas sérios, um deles muito bem colocado como n. 3 pelo Azenha. É totalmente incompreensível Dilma a não ter apontado as mentiras e contradições do zé no confronto direto, ao mesmo tempo que desmentisse as acusações de forma clara e no ato da acusação. Sua defesa vinha sempre tarde, em entrevistas, e em frases muito elaboradas pra compreensão da maioria dos eleitores.

Houve também um excesso de zelo tão grande em se distanciar das baixarias do zé, que ser perdeu totalmente o contato com a disputa, FCH/Serra era "o governo anterior" ou "eles" ou ainda"o meu adversário", se referindo ao zé.
Era como se Dilma disputasse sozinha (continua..)

Responder

Amereno

04/10/2010 - 05h16

Concordo com sua análise, a maioria dos jovens não aguentam nem a Dilma e muito menos o Serra ( não é ao PSDB qu eles rejeitam,é só olhar a votação que "o picolé de Xuxu teve em SP" e o "neto do Tancredo" em MG), mas o Serra já se contradisse inúmeras vezes durante a campanha, a Dilma na minha opinião é fraca, vacilou nos debates, tentou fazer uma campanha sem politização. Eu acho que a Dilma se ganhar no segundo durmo, será mais por defeitos do adversário do que por suas qualidades.

Responder

calic64

04/10/2010 - 04h57

Azenha, estou muito preocupado com a possibilidade de fraude. Ou todas as pesquisas (incluindo a Datafolha, suspeitíssima) foram manipuladas ou foram feitas sob critérios incorretos, ou podemos estar diante de uma fraude e não estamos vendo. Não acredito nessa "Onda Verde". Trabalho em TI há anos e sei que existem meios de alterar a totalização, caso não exista um controle sério sobre os desenvolvedores dessas aplicações.

Responder

Jarir Almansur

04/10/2010 - 04h49

Brilhante texto. A mlhor de todas as afirmações com a qual concordo, é que o Lula não promoveu revolução, apenas a evolução de milhares de pessoas para a classe conservadora. Pessoas que chegaram hoje à classe 'C' e 'B' agem e pensam como conservadoramente como tál. Os que até ontem eram vítmimas dos 'esquadrões da morte' hoje são a seu favor. Faltou nesses últimos anos a reforma da Constituição, das comunicações, das universidades.

Responder

WILSON GOMES

04/10/2010 - 04h33

Azenha, concordo em parte com sua análise:

A onda verde, que supostamente sustentou os votos de Marina, deverá agora ser encarada de forma relativa, para o segundo turno. Ocorre que muito além de representar apenas o voto ECOLOGICO, Marina certamente concentrou o voto dos evangélicos, já que ela mesma é evangèlica. Para obter sucesso no segundo turno será essencial trabalhar o apoio desta força emergente de evangélicos, com aproximação dos pastores e comunidades afins. Além das comunidades católicas, as quais em parte rejeitaram a candidata.

No mais, fora regiões em São Paulo, Paraná, Santa Catarina,Pará, Mato Grosso, Goiás e alguns pontos do Rio Grande do Sul, o Brasil inteiro aderiu à onda vermelha, ou seja, Dilma Roussef.

O foco nos evangélicos, mais que na ecologia, será fundamental para a vitória.

Apenas como indício, veja a nova distribuição de deputados federais e senadores. O senado AVERMELHOU e a câmara também, em grande parte atingida pela onda VERMELHA. Isso indica dificuldades quase intransponiveis para o tucano.

Responder

Leonardo Câmara

04/10/2010 - 04h29

Prezado Azenha,

Sinceramente eu começo a ter uma visão um pouco diferente ou talvez complementar. As pessoas pouco politizadas não entenderam bem a diferença entre as propostas dos candidatos. Então, por via das dúvidas, empurram a eleição para o segundo turno.

Não é possível que as pessoas que foram beneficiadas pelo governo Lula queiram votar contra o Lula. Penso que é uma coisa psicológica, algo como, não vamos fazer isso com tanta pressa.

O Lula tem de parar com esse papo de que qualquer que seja o próximo governo não há espaço para muitos retrocessos. Há sim, e muito. As pessoas precisam saber disso com todas as letras.

A eleição de Serra é um retrocesso. Dilma tem que parar de tergiverssar, ela tem de encarar o Serra e mostrar a diferença do legado dos seus legados. Tem de dizer o que ela fez no governo e que o Serra em São paulo não fez nada, e também não fez nada como ministro. Só conversa mole.

Tem que dizer que eles vão acabar com o Bolsa família, com a petrobras, como os empregos, Banco do Brasil, Caixa etc. Vai voltar a fome, o arrocho e o desemprego. Esse povo que votou na Marina e no Serra não gosta de terrorismo? Então é hora de eles saberem como a realidade pode ser aterrorizante com Serra.

A gente tem horror a esses caras porque os conhece bem. Os menos politizados também têm de saber quem eles são!

Responder

    Virginia

    04/10/2010 - 09h08

    Concordo com você. Também estou chocada com os resultados das urnas. O Brasil mudou e mudou prá melhor. Favoreceu uma multidão de gente que não podia votar contra. Basta viajar pela Belem Brasília, pela BR101, andar nas periferias das cidades, no comércio. Supermercados cheios, ruas intransitáveis com tantos carros, gente muito mais feliz. Empregos sobrando. E um resultado absurdo desses. Também acho que agora é a hora de falar rasgado, com todas as letras das ameaças enormes que o sr. Serra trará, se nós tivermos a infelicidade de tê-lo como presidente. Será tudo o que foi feito em 8 anos jogado ao léu. Estou muito triste.

maconheiro

04/10/2010 - 04h23

Marina conquistou os votos das menininhas dos Shoppings , afinal , Partido Verde é uma grife !

Responder

Avelino

04/10/2010 - 04h23

A juventude de hoje, muitos votam no Plinio, como muitos de nós, votamos no PT, no passado.

Responder

Adilson

04/10/2010 - 03h50

Azenha,

Com as vênias de estilo, não creio que a Marina será o fiel da balança no 2º turno, pois partindo dessa premissa ao Serra caberá se apresentar como defensor do meio ambiente desde menino ou assumir o seu DNA privatista. No meu sentir qualquer uma das duas opções que o Serra adotar, o mesmo irá perder. Pois é inconcebível que o Serra consiga convencer alguém que sempre foi preocupado com o meio ambiente, tampouco o Serra vai ganhar eleição, dizendo que irá privatizar as empresas públicas.
Ouvi muita gente dizer que iria votar na Marina, porque não votava no Serra e não simpatizava com a Dilma, todavia esse tipo de voto é burro, pois a Marina não tinha a mínina condições de chegar num 2º turno. A grande questão é: depois que os idiotas que votaram na Marina inocuamente, irão votar em quem ou irão anular seus votos?

Responder

Marcio H Silva

04/10/2010 - 03h31

Não concordo. Houve sim uma polarização religiosa da igreja. Isto aconteceu bem próximo a mim, aqui no RJ, com parentes e amigos que votaram na Marina devido a questão do boato do aborto e Igreja. Concordo quando voce fala da falta de politização da campanha da Dilma. Ela está muito engessada pelos seus marqueteiros. Ela tem que soltar o Dilmão que há dentro dela e voar na jugular do serra. Terá mais credibilidade junto ao seu eleitorado e os que estão em dúvida vão se decidir por ela. Ela agindo desta forma fará o Serra tremer e amarelar nos debates, afinal o cara tem um grande telhado de vidro. E tendo segundo turno, finalmente conheceremos as propostas dos candidatos. Qual a proposta do Serra? ainda não apresentou nada com sustância. A discussão é sadia e sedimenta a convicção do eleitor.

Responder

Ana

04/10/2010 - 03h02

Concordo com a análise, ficou parecendo que relaxaram na campanha confiando basicamente na Vox.

Não é bem assim, e olha, sem ser suspeita pra dizer, posso confirmar que há/houve sim um movimento religioso-político contra a Dilma e certas propostas que ela apresenta e apóia.
É preciso considerar que a massa religiosa é sim grande e quando bem manipulada reflete em expressões gritantes, exemplo disso é a contribuição fundamental para o segundo turno.

O fato é que estamos num momento delicadíssimo; Marina pode definir quem será o novo governante do País.

E isso me preocupa.

Responder

Daniel

04/10/2010 - 02h58

Azenha, não concordo muito que a Marina cresceu por uma despolitização…ja que ela também não apresentou nenhuma proposta concreta, talvez menos ainda que os dois principais candidatos.

Responder

@gssaraujo

04/10/2010 - 02h51

Azenha,
não acho que a Marina será o fator decisivo. Foi uma votação grande, mas não tão surpreendente. Há vários elementos que me fazem crer que ela não é fator decisivo no 2o turno. Vejamos.
1) A mídia pro-Serra já vinha enaltecendo a Marina e clamando por onda verde para provocar 2o turno. A entrelinha deste movimento é reconhecer que apostar só no Serra não era suficiente. A Marina trazia algo que o Serra não poderia arrecadar.
2) O que é esse algo? É o voto descontente com o governo Lula, mas que também não vota no Serra. Se votasse, estaria lá, no Serra.
3) Marina foi do PT por décadas. Há, portanto, alguma afinidade, ainda que resvalada, entre os eleitores da Marina e os de Dilma. Não há transferência tranquila, evidentemente. Mas (vide item 2), também não há transferência tranquila para o Serra. Sendo assim, o fato da Marina ter sido do PT e ter saído oportunisticamente nesse último ano para o PV é bastante significativo. Ela não sai na reforma da previdência (quando se forma o Psol) e nem com o mensalão. É uma saída eleitoreira. Isso fragiliza muito sua liderança diante de seus eleitores. São, vamos dizer assim, free riders, atiradores a esmo (o esmo, bem entendido, era um afastamento do PT e uma negação do Serra, como disse no item 2).
4) Pragmaticamente, pelos itens acima, Marina pessoalmente não tem liderança para, em declarando apoio a um ou outro candidato, arrastar com ela seus fiéis seguidores. Pelo único fato de que não existem os tais fiéis seguidores. Sua candidatura foi oportunista; os votos também, já que a seguiram pelo vácuo dos dois principais candidatos. Quer dizer, quem votou na Marina, pode tender para Dilma ou Serra, mas não vai seguir a orientação da Marina, se é que ela vai dar alguma.
5) O PV não existe organicamente. Ela, Marina, sai como um PT que precisa "avançar para o século XXI"… O PV está aí faz tempo, e coligado com o PSDB E DEM. Portanto, o PV também não vê Marina como liderança (imagina se ela declara voto em Dilma, o PV acompanha? creio que não). E a população, que foi na Marina pelo vácuo, tampouco vê o PV como partido a dirigir suas opções.
6) Por último, mas não menos importante. O desempenho da Dilma foi ESPETACULAR. É a primeira eleição da candidata. Veja só: Lula, em 2006, passou ao 2o turno com algo em torno de 48% e somente 7% (SETE !) acima do Alckmin. Certo, tinha mensalão, aloprados, mídia contra… Mas isso Dilma também teve. E era o Lula, o carisma, o líder, figura presente em todas as eleições presidenciais desde 1989 e opositor direto do FHC, que então saia do governo com menos (ou perto) de 20% de aprovação. A Dilma tem 47%, 14% a mais que o 2o candidato. A diferença, claro, é que Marina não é Heloísa Helena ! Mas veja só: Dilma sai de um patamar SUPERIOR ao de Lula em 2006 ! Quer dizer, o desempenho dela FOI EXCEPCIONALMENTE BOM.
7) O que ocorreu foi que ela, apesar de ter tido uma trajetória de votação ascendente desde o início do ano, alavancou-se em demasia. A oposição apostou na enlouquecida idéia de que poderia ser herdeira do governo Lula ! O próprio Lula advertiu os adversários: disse que a estratégia era ruim porque, quando ele – Lula – viesse dizer que sua candidata era Dilma, a oposição ia ficar sem ter o que dizer, já que havia elogiado o governo situacionista. Então, a campanha só começou mesmo quando a mídia – e o Serra, e a Marina – começaram de fato a fazer o papel de oposição. E, quando isso aconteceu, um mês atrás, a campanha de Dilma não acreditou que daria tempo para baixar aqueles números inflacionados. Quer dizer, a oposição só entrou em campanha, como oposição, há 1 mês, e a Dilma não entrou em campanha até agora!!!!!
Concluo…
O 2o turno está em aberto. E não depende em nada nem da Marina, nem do PV. Dilma tem uma vantagem duas vezes maior que o Lula em 2006. Mas tudo depende dela entrar em campanha pra valer.
Abs, Gisele.

Responder

    Lucio

    04/10/2010 - 03h15

    Nã esquecer de fazer um comparativo dos resultados obtidos pelo governo Lula de 2002 a 2006 e de 2006 a 2010.

    Marcio Leandro

    04/10/2010 - 06h26

    Gostei muito de seu comentário, acrescento que o segundo turno tem tudo favorável a uma vitória apertada de Serra.

    PauloPalavra

    04/10/2010 - 09h47

    òtima análise!

    ValmontRS

    04/10/2010 - 13h32

    Parabéns pelo comentário, Gisele!
    Perfeito.

O_Brasileiro

04/10/2010 - 02h51

Os marqueteiros podem ser bons diretores de filme, mas são péssimos analistas políticos, e ainda piores estrategistas… pelo menos nessa campanha!
O que aconteceu com Lula em 2006, se repetiu com Dilma em 2010. Vejam os números! São muito, muito parecidos.
PT 47, 48%. PSDB 30,33%. Os outros uns 10-12%. Ai vem os "indecisos", que não são tão indecisos assim!!!
Foram esses "indecisos" que migraram para o simpático Alckmin em 2006, e para Marina em 2010, mesmo sendo Marina uma chata e com propostas genéricas, sem conteúdo!
O futuro dos brasileiros está nas mãos dos próprios. Quem sou eu para julgar os 52% que acham que o Brasil não está melhor…

Responder

Sérgio

04/10/2010 - 02h50

Eu sou otimista. Acho que a Dilma ganha traquila o 2o turno. Com 40 por cento de rejeiçao não tem como o Serra ganhar.
Gente, a gente vai ganhar não com o apoio da "grande" mídia, mas apesar dela. Nós estamos ganhando sendo bombardeados por ela. Isso é um grande feito. Mas está claro que prioritariamente a Dilma vai ter que mudar a lei das telecomunicações. Não se pode viver mais refém das mentiras da velha mídia. Chega desse abuso. Basta! Outra coisa , começar a reestrurar a educação o mais rápido possível para que um povo muito bem educado crie asas , liberte-se através do conhecimento desse obscurantismo que boa parte da população se encontra. E , claro banda larga acessível para todos.
Senão, como o PHA disse, aí vem convervadorismo cego e Berlusconi, se as pessoas começarem a melhorar de vida sem instrução. Os votos da Marina já são um reflexo disso né.
Viva a Dilma.

Responder

    Maria Cláudia Cabral

    04/10/2010 - 10h17

    Estou de acordo com a última parte de seu comentário. As pessoas começaram a melhorar de vida, mas ainda sem instrução são massa de manobra fácil para pastores evangélicos igualmente ignorantes ou mal intencionados, discursos vazios ou feitos à base de programação neurolinguística.

    Ou elegemos o próximo mandato o mandato da educação/cultura no centro das políticas sociais ou em breve voltaremos à idade média.

    Os votos de Marina apontam para isso.

Zeca Moraes

04/10/2010 - 02h35

Azenha, infelizmente creio que o problema foi a falta de politização de nossa juventude, e das "antiga" e "nova" classes-médias. Não há como notar tantos à nossa volta que se recusam a uma discussão política, e que vivem em um permanente estado de semi-consciência política, escolhendo, como antes, por preconceitos e simpatias, e não por programas.
Creio que nossa tarefa agora será termos arrazoado que os atinja, e irmos ao corpo-a-corpo. E dessas tarefas, a mais difícil, de longe, será arranjar aquele arrazoado. Como discutir com quem se recusa a reconhecer outra argumentação que não a mais primariamente subjetiva?

Responder

    ValmontRS

    04/10/2010 - 13h16

    O difícil é destruir preconceitos forjados e alimentados diariamente pela grande mídia.
    Um exemplo muito eloquente da ilusão que o PIG produz nas pessoas é o João Pedro Stedile, do MST.
    O cramunhão pintado em carregados tons de vermelho nas capas de Veja e nas telas da Band e Gloebo é absolutamente diferente do ser humano admirável que pode ser visto no YouTube.
    Faça a experiência. Pesquise e verá.
    Eles conseguiram criminalizar o MST e o PT. Colaram o estigma da corrupção a essas organizações sociais de uma forma tão profunda na mente da classe média que muitas pessoas já associam a palavra petista a tudo o que é ruim.
    Eis a mentira fundamental e a mais difícil de ser combatida.
    A mentira veiculada em poucos segundos exige muitos anos de trabalho para recuperar uma reputação assassinada.

Elvys

04/10/2010 - 02h27

Azenha, fiz esse comentário com o Eduardo Guimarães. Penso uma coisa sobre a expressiva votação da Marina: parte considerável foi um voto de protesto.Essa história de influência religiosa teve peso?Concordo em parte; pessoas próximas, evangélicos de difentes igrejas, declararam voto na Dilma (fiquei espantado);na última semana, algumas lideranças vieram à público em defesa da petista; o tempo é que não pode ter sido suficiente. Muitos acostumaram a malhar as igrejas evangélicas e menosprezar seus seguidores, tratando-os como uma massa facilmente manipulável (existe um fundo de verdade nessa forma de pensamento, mas as coisas começam a mudar).Em minha modesta opinião, pesou o voto da classe média, parte insatisfeita com Lula, parte seduzida pelo discurso verde e juntando aqueles que não votam em Serra de jeito nenhum.Acredite ou não, conheço petistas e diretores de sindicatos ligados à CUT, que pensavam seriamente em votar na Marina! E digo mais: parte de funcionários públicos – inclusive funcionários de bancos públicos federais (BB, CEF) já demonstravam essa intenção. Quanto à classe média, eu arrisco dizer que o apelo ambiental pesou na decisão nessa camada da população.Preocupação com questões ambientais são válidas sem dúvida alguma.Mas perdem sentido se não vier junto com inclusão social, redução das desigualdades sociais, etc. O que realmente preocupa no PV, é quem está por trás realmente da campanha, quem captou o espírito de parte da população e direcionou a campanha nessa direção.Comecei a refletir sobre essas questões após dois posts, um do Azenha – porque o PV não se manifesta sobre a situação ambiental da cidade de São Paulo – e outro do PHA em relação ao jatinho usado por Marina em sua campanha.Meu pensamento é que questões religiosas ou de ordem moral, questões ambientais da campanha verde escondem interesses que tem a ver com a soberania de nosso País e o uso de nossos recursos naturais e nosso patrimônio genético.Se for verdade isso ou parte, Marina manchou de forma séria sua biografia. Espero que não pense que sou leviano. Em relação ao segundo turno, meu palpite é que a posição da Marina é de neutralidade, pois parece que ela sonha com vôos mais altos em 2014. De uma certa forma, favorece a Dilma. Vamos torcer.

Responder

kalango Bakunin

04/10/2010 - 02h20

na minha humilde opinião

1/3 dos votos da marina vieram de pessoas com vergonha de votar no serra, é o caso de um dos meus irmãos, antigo esquerdista que quando ficou rico virou a casaca, mas não teve coragem de votar no serra

outra parte é de jovens idealistas/ambientalistas, que jamais votarão no serra, como minha querida filha caçula, que votou na marina, mas vai votar na Dilma

a última parte é da comunidade evangélica/católica que é reacionária por natureza; eles continuarão votando no serra

mas existem ainda os jovens esquerdistas que votaram no psol e que não votarão no serra; creio que a maior parte escolherá a guerrilheira

será muito difícil a demotukanaria ganhar no 2o turno

se apenas 25% dos votos da marina migrarem para a Dilma, o macuco estará no embornal

mas a partir de agora é que vamos ver a baixaria de verdade

o que houve até agora é pinto, comparado com a urubuzada que vai aparecer

Responder

Maria

04/10/2010 - 02h12

AInda tenho que digerir muita coisa, mas tentarei não agir como mais uma marqueteiraa / técnica de seleção. Acho algumas coisas estranhas, por ex. em SP- poucos dias atrás Aloisio esta em 3o lugar p/ senado e de repente, vem na frente? SP não estaria blindado em termos de lisura? Os TRE não me passam segurança, principalmente depois dos fatos de Brasília e de SP (mídia, juizes e procuradores) – não são só as urnas. A coligação e , especialmente, o PMDB, até que ponto podemos falar do entusiasmo deste? A polarização podia ser a meta do Lula, mas quem a trouxe para a cena foi Serra, FHC, PSDB e DEM. Acho que a propaganda trouxe uma Dilma que surpreendeu a muita gente e que deu fôlego para que ela enfrentasse os debates. Politização: está na hora de vermos um confronto não só entre os candidatos mas entre os candidatos e os vices juntos falando dos programas e perspectivas de cada coligação. Está na hora do compromisso. Não podemos nos iludir com promessas fáceis: o compromisso é de todos de cada coligação. Porque a parti daqui, fracassos e sucessos vão ter que ser divididos. Será que alguma emissora vai bancar um debate desses?

Responder

    @bete111

    04/10/2010 - 02h47

    Como reverter a situação,será que dilma é ainda maioria?

Angela

04/10/2010 - 01h56

Apesar de que o povão não conhecia a DILMA ele ficou em primeiro lugar com muitos votos à frente.
O problema é que quase ninguém no Brasil conhecia DILMA, o que facilitou a disseminação de boatos e calúnias.

O povo quer conhecê-la melhor, e isso acontecerá agora.
Tinha um maluco na fila de votação dizendo que se a Dilma ganhasse quem ia governar é o Zé Dirceu.

Tem doido pra tudo.

Responder

Marina

04/10/2010 - 01h42

Gostei muito da análise. Concordo!

Responder

Angela Liuti

04/10/2010 - 01h31

Os jovens querem "ética". Sabia que Marina estava crescendo por causa da tendência eleitoral dos meus flhos. Fiquei observando. Após as denuncias da "empresário" pela Folha, repercutida pela globo e PSDb à exaustão, senti voltar o ranço da rapaziada pelo mensalão do PT. Perguntei para o meu filho mais velho se ele sabia quem era Azeredo. Claro que não sabe.Porque a imprensa não pauta azeredo, nem arruda, nem a alston. Mas pauta negativamente o PT.Tb joguei sujo, mostrei a eles a entrevista do presidente do PV anunciando que num segundo turno iria apoiar o serra.Votaram no Plínio, mas não me deram o braço a torcer. A Marina e o Plínio representaram para eles o novo na forma d e fazer política. Embora marina tenha lá suas relaçõescom o capital. Porém cabe aos dois ex candidatos a responsabildiade pelo segundo turno, considerando que os jovens progressistas não votam no serra.

Responder

    FRANK MORA

    04/10/2010 - 02h25

    Se me permite ,assino em embaixo. É isso!

    Mauro

    04/10/2010 - 02h29

    Não dá para dizer, se eles roubam por que não posso roubar também? O PT que me desculpe mas eles estão se encaminhando para se igualar ao PSDB e ao DEM com essa atitude burra de deixar acontecer escândalos no governo. Tem que investigar a vida do cara antes e ver se é ladrão ou não, lugar de ladrão é na cadeia e não no PT. Votei na Dilma e no Mercadante e estou de cabeça inchada neste momento, mas se eles forem colecionar ladrões de carteirinha prefiro votar em outro partido.

    Lucio

    04/10/2010 - 02h43

    Interessante é identificar que canais transmitiram essa "informação sobre Marina". Quem afinal disse aos jovens que "Marina representava a ética"? O horário eleitoral do PV não foi, tampouco o de Serra? A Folha e Veja , sem um canal que os reverbere, não tem penetração suficiente nesse eleitor que deu seu voto à Marina.A juventude está longe de ser público alvo das igrejas e seu proselitismo. Sobrou a Globo. Sempre ela.

    Edemar Motta

    04/10/2010 - 10h14

    A Globo é o líder do Pig, não jornais e revistas. É ela que passa nas casas muitas e muitas horas, martelando do neném à avó, do classe média alta ao mais humilde favelado (observe a proliferação de antenas de tv nos barracos e nas periferias pobres).

    E não perde tempo. Há pouco vi, de relance, a Ana Maria Braga preocupada com o 'elevado índice de desemprego no Brasil'. Nesse horário, quem vê televisão? Aposentados, crianças, jovens e, claro, desempregados.

    Espero que Dilma vença e providencie de cara duas coisas: uma Ley de Medios e uma excelente TV chapa branca para concorrer de verdade, inclusive disputando mercado publicitário, com as privadas.

    Se isso não for feito, retrocederemos, hoje ou amanhã.

Volnei João Meller

04/10/2010 - 01h30

É preciso não esquecer que Serrra era o favorito para estas eleições. Portanto é demasiado simplista achar que o resultado da Dilma seja uma derrota. Acho que boa parcela dos eleitores de Marina estão no campo ideológico de Dilma e, por isso mesmo, tem agora a responsabilidade de avançar naquilo que consideram uma vitória: o resultado de Marina. De outra forma, Serra mostrou-seumaliderança frágil para avançar além do teto histórico do PSDB, isto é, tem baixa capacidade de agregação a um projeto para a atual conjuntura brasileira. Por outro lado enterro político de boa parcela dos protagonistas do "moralismo hipócrita" Demo-Tucano coloca na agenda a reforma política na qual novos protagonismos de Aécio, Beto Richa, Kassab, Cabral, Eduardo Campos, Ciro Gomes, Tarso Genro, Jackes Vagner são um contraponto importante ao "status quo" tucano paulista. Ademais mesmo importante, a vitória de Alckmim já dá sinais de fadiga…Assim devemos analisar a situação com reflexão e não com o fígado….

Responder

Tilda

04/10/2010 - 01h23

sim, noto que os jovens e os moderninhos votaram nela.

Responder

Nilva

04/10/2010 - 01h22

O rapaz é estudante do terceiro ano do segundo grau, comprou recentemente seu primeiro computador, a crédito. O pai é vigia (conseguiu carteira assinada há três anos) e a mãe é diarista. Ele atualmente não trabalha regularmente. Nos fins de semana, atua como assistente de som em bailes na região dos Jardins. É o típico emergente da nova classe C.

João (vamos chamá-lo assim) afirma que o governo Lula "acostuma mal os vagabundos" com o Bolsa Família. A mãe sempre votou em Marta, mas o pai costuma odiar qualquer petista. "Meu velho não quer saber do casamento gay em São Paulo, nem eu", sentencia, alisando a sobrancelha.

Responder

Nilva

04/10/2010 - 01h20

cont. artigo Mauro Carrara
Mauro Carrara*
Conforme costume antigo, costumo visitar velhos amigos em dias de eleição. Perambulo pela cidade à procura do "espírito" da eleição, pois, sim, cada uma tem o seu, das barbadas aos prélios mais renhidos.

Desde cedo, notei certa tendência de defecção nos redutos "progressistas". Havia nos fundos do Tucuruvi um jovem negro, em trajes de grife surfe, distribuindo discretamente santinhos de Kassab. Vejam bem, ele não fazia campanha para um candidato à vereança, mas para o majoritário. Só.

continua…

Responder

Augusto

04/10/2010 - 01h19

O Serra sozinho não se sustenta. O discurso dele de hoje já indica a manutenção da atitude autoreferente. A campanha dele foi e será sempre na primeira pessoa, o que resultou em uma debandada de votos e apoios, que migraram para a Marina para não votar na Dilma. Uma parte da votação da Marina vem dos que rejeitam a Dilma e não votam no Serra. Esses tendem a anular o voto no segundo turno. E não são poucos, principalmente no Rio e em São Paulo. O PT deve concentrar forças: na conquista dos que realmente votaram na Marina por seus própriosr méritos e suas propostas. Além disso, trabalhar melhor o apoio da ala religiosa e terminar a limpeza dos assuntos pendentes de investigação dentro do governo. Outro ponto importante é sair da defensiva e partir para a sinceridade, mostrando a verdadeira face do candidato oponente.

Responder

Nilva

04/10/2010 - 01h19

78% dos que votaram em Marina votarão no Serra. Afora as questões religiosas que, para mim foram combinadas, O Serra nas católicas e a Marina nas evangélicas, gostaria de postar uma análise de 2008 feita pelo Mauro Carrara.

Política| 06/10/2008 | Copyleft
O "ESPÍRITO" DA ELEIÇÃO
Como Kassab ultrapassou Marta em São Paulo
O jornalista Mauro Carrara escreve sobre uma reveladora experiência de rua no domingo da eleição na maior cidade do país. "Já são 18h20… Alguém grita do interior da casa: "o Kassab está ganhando". Os três jovens urram de prazer. Está se iniciando a longa noite até o segundo turno".

Responder

Edmilson

04/10/2010 - 01h11

Olha, Azenha, eu respeito seus argumentos, mas discordo em parte. Acho que a boataria contra Dilma entre evangélicos e católicos foi sim a principal causa dessa onda verde. Exemplo: aqui no RJ, o que explicaria os 34% de votos de Marina em Nova Iguaçu (o site da Folha permite esse tipo de consulta)? E os 29% em Belford Roxo? Os 34% em Nilópolis? Os 36% em Mesquita (do Prefeito petista Messias)? E os 28% em Duque de Caxias (do queridíssimo prefeito tucano Zito – Serra teve 16% lá)? 30% em Queimados? Todas estas cidades ficam na Baixada Fluminense e tem muitos evangélicos, assim como a populosa e pobre São Gonçalo, do outro lado da Baía, que deu a Marina 34% dos votos.

Responder

    Mauro

    04/10/2010 - 02h41

    Mas será que toda essa porcentagem é de evangélico? No Brasil a média declarada de evangélicos, e olha que evangéçico não costuma esconder sua religião, é de menos de 20%, será que não tem aí também pessoas que consideram a ética na administração algo imprescincdível para um presidente? Será que o PT não se tornou um partido de velhos como eu? Os eleitores do PT em sua maioria são de meia idade ou estou errado? O PT cometeu erros, é fato! O PT não ouve o povo mais, é fato! O PT acha que ouvir o povo é fazer pesquisa de opinião e caiu do cavalo na hora da eleição, é fato! O PT precisa ser mais humilde e dar mais voz à sua base, procurar mais o povo e os jovens!

Ivan

04/10/2010 - 01h10

Agora que faltaram 3,2 pp. para confirmaro que pareceia certo, tudo parece claro, tudo parece fácil saber, tudo se entende, tudo se sabe .
Diz-se de tudo menos duas coisas: 1 – Foi do povo a idéia e decisão de aceitar os boatos contra a Dilma e nela não votar. Optaram pela Marina com mil justificativas para isso, todas baseadas em coisas incertas, no preconceito, na mentira e no cinismo. Esse mesmo povo que tantos benefícios, indiferentemente da classe social, do tipo de governo do qual a Dilma não apenas participou, como também foi muito responsável. Foi escolha de um povo que não se ama, que gosta de complicar, que prefere ouvir palavras vazias de sentido a enxergar a realidade estampada em seus olhos. 2 – Esse discuso de a ou sobre a política dessa Marina Silva é mais uma bestialidade sordidamente inventada e que não diz absolutamente nada. Afinal, que troco tivemos ou tiveram aqueles que nela votaram dessa conversa de ser contra a polarização? Que propostas claras e detemrinantes ela ofereceu contra a continuidade? Ora, muitos de nós arriscaram um futuro de sucesso e de conquistas por causa desse papo de terceira via, de uma verdura sustentável que não traz um linha sequer de como vamso tirar milhões da miséria plantando mais árvores? Essa juventude que ficou verde de repente passou pela agruras que aqueles que viram a ditadura em pleno vigor, Collors, FFHHCC entre outros passaram? Essa gente precisou lutar pela liberdade e por mais justiça social?
É muito simples agora, entender o que essa gente quer dizer. Isso é fácil. Difícil é equalizar essa aberração numa proposição minimamente intelegível.
É preciso deixar bem claro. Esses 19,3 milhões de votos vão custar muito caro para todos os brasileiros, pois seu beneficiário é pessoa apaixonada pelo poder e pouco adepta dos esforços pelos quais temos lutado todos os dias acordando bem cedo, coisa da qual ele não compactua. Esses 18 milhões de votos vão virar 19, 3 anos de atraso e de auto decepção. Esses 19, 3 milhões de votos são 19, 3 milhões de mensagens que juntas dizem uma única coisa: "nós trocamos a construção de um país mais justo e mais livre por uma conversa sem pé nem cabeça"; "nós trocamos crianças de barriga cheia, 14 milhões de empregos, casas para gente pobre, riqueza para o país e para todos, um futuro para nossas crianças…trocamos tudo isso e mais algumas coisas por um discurso que não quer dizer absolutamente nada". Mais, nós trocamos o sangue das pessoas que morreram nas masmorras da ditadura, o suro do nosso trabalho, o talento de nossos estudantes e a sabedoria que nossos velhso no transmitiram por uma conversa de uma pessoa que era pobre como a gente e agora anda de jatinho e se comporta como aquels dos quais agora se aproximou, que é falar muito e não dizer absolutamente nada".
Azenha, o PT pode ter errado nessas coisas todas aí que você apontou. Mas nós temos aí 19, 3 milhões de votos de uma gente que preferiu o nada à realização, o nada à alta auto-estima, o nada a uam vida de sucesso e satisfação, o nada ao real. 19, 3 milhões de votos são prova de que é possível trocar o sorriso de uma criança que não tinha o que comer e morava numa caverna por conversa mole.
No fim de tudo, tantos blogs, tantas pesquisas, tantas boas intenções se resumem a conversa mole. Esse país vai voltar para os braços do seus verdadeiros donos. E eles são diferentes desse 50 milhões que viram esse país florescer nesses últimos anos: eles terão aprendido a lição, quando retomarem, o poder vão providenciar para que nunca mais o povo tenha a chance que teve hoje e desperdiçou. E vou deixar bem claro pra todo mundo aqui: eles descobriram o caminho: é só disseminar bastanet conversa mole. Está provado que 19,3 milhões estão dispostos a ouvir. Para quem não acredita, basta ver o que disse o beneficiário desse segundo turno hoje, depois que soube que sua estratégia foi bem sucedida.

Responder

    FRANK MORA

    04/10/2010 - 02h42

    Ivan, meu brother. Acho que tens razão, porém , se me permite, queria dizer-te ou lembra-lo que a DILMA foi a candidata mais votada de todos os tempos. Vamo nessa, cara ! é 13 e confirma novamente e quantas vezes mais precisar!

    Mauro

    04/10/2010 - 02h57

    Não acho que se possa desclassificar os votos da Marina dessa forma, eles tem que ser entendidos de forma diferente. Se você olhar direito o PT perdeu uma faixa importante de eleitores que é o eleitor jovem, o PT não tem mais candidatos jovens, o PT está se justificando com os escândalos tentando dizer o seguinte eles roubam também então também tenho o direito de roubar e essa premissa é errada. O PT sempre pregou a honestidade e isso foi o que angariou muitos votos ao partido, inclusive o meu, e agora no poder está colocando gente de baixo nível no poder e se envolvendo nos escândalos que sempre criticou. Sinceramente me envergonho do mensalão mas votei na Dilma, mas isso é uma decisão pessoal e pode haver muitos desses que votaram na Marina que no segundo turno votará em branco ou nulo, só o tempo dirá. Mas se os votos Brancos e Nulos forem muito altos no segundo turno o PT pode fechar pra balanço e começar a mandar os ladrões embora pois o partido ficará melhor. Vamos votar na Dilma e torcer para que não tenha sobrado mais nenhum ladrão no governo para dar mais escândalos.

    ValmontRS

    04/10/2010 - 12h24

    Muito bem, Ivan!
    Gostei do desabafo.
    É necessário protestar contra essa atitude alienada e pequeno-burguesa de certas pessoas.
    A realidade brasileira não passa nas telas do sulmaravilha.
    É necessário sair da frente da tv para enxergar e entender o mundo real.

Henderson Sousa

04/10/2010 - 01h05

Não vejo apenas como uma onda verde. Alguns institutos davam 26 pontos ao Serra.
Vamos ao segundo turno mais fortes.

Uma indagação: é verdade que o neto do Brizola não foi eleito?

Responder

    Janes Rodriguez

    04/10/2010 - 02h19

    Não, em compensação o Romário foi. E o Garotinho, ladrão comprovado, fez mais de 600 mil votos. E depois querem nos dizer que a Erenice é corrupta e que por causa da "ética" não votaram na Dilma? Vão se catar.

    Edemar Motta

    04/10/2010 - 10h25

    Tiririca com treze vezes mais votos que Protógenes Queiroz. Não dá para explicar só pelo lado da ética. Dá vontade de chorar.

lucila

04/10/2010 - 00h59

ainda acho que tanta abstenção não convence… quem confia nessa urnas? quem confia nesse TSE????
Enfim, vamos arregaçar as mangas e eleger Dilma!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

Gilson

04/10/2010 - 00h55

(continuação)
você não acha um exagero mais de 6 milhões de votos nulos, 6 % dos votos? não estaria aí a falta dos 3 ou 4 % dos votos que a pesquisa apontou e faltaram para a Dilma?
As pessoas votam nulo, mas não numa grande quantidade como essa. Os eleitores preferem votar em branco e não anular.

Responder

Fábio Venâncio

04/10/2010 - 00h54

Continuo insistindo que o voto em Marina foram de pessoas que não gostam do Lula e do PT ,tem vergonha de votar em Serra e não tiveram a coragem para votar na Dilma.
Foram varios fatores que ajudaram a Marina (Serra) a ter quase 20% dos votos ,entre eles a campanha da imprensa ,os boatos e calúnias contra a Dilma , o ódio que muitas pessoas tem pelo PT ,a campanha dos evangelicos e de determinados grupos de católicos ,tudo isso influenciou.
Não pesem que o voto em Marina é ideológico também ,porque ela tem propostas melhores ou diferentes ,ou outro motivo qualquer ,o povo não olha para essas coisas ,muitos decidiram o voto de ultima hora ,muita gente diz que não gosta ou detesta política.O brasileiro ainda é muito ignorante politicamente ,um dos povos menos politizados do mundo.Muitos votam e não sabem explicar o porque votaram em A ou B ,ou porque não votaram.

Responder

Ricardo Oliveira

04/10/2010 - 00h54

Posso falar pelo ocorrido aqui em Pernambuco. A Marina cresceu não em função de suas propostas com viéis de crescimento sustentável, mas por conta da campanha pesada de pastores que, na última hora, (re)forçaram a campanha difamatória contra a Dilma. Sendo assim, podemos dividir os votos da Marina em dois segmentos: (1) aqueles que tem ciência e quer um crescimento sustentável (maioria desses eleitores, por sinal) e (2) aqueles que se deixam influenciar por pastores e líderes religiosos. Há de considerar também que um número considerável dos eleitores do grupo (1) não votam no Serra. Considerando que esse fenômeno se repetiu no país, é hora de ir para o enfrentamento contra essa campanha difamatória, caracterizar a campanha adversária como entreguista, privatista e inescrupulosa. Falta pouco! Metade do caminho foi percorrido, figuras importantes do lado deles foi abatido: Maciel, Tasso e Virgilio. Agora é sacramentar a vitória no segundo turno!

Responder

JOÃO PROTA

04/10/2010 - 00h50

Caro Azenha,

A tal onda verde foi proveniente de uma série de fatores. Os boatos mal intencionados disseminados nas igrejas evangélicas e católicas ajudaram bastante, bem como o voto daqueles que ficaram constrangidos em votar em Serra, mas tinham preconceito de votar em Dilma, candidata de Lula.

Temos que reconhecer. Mais uma vez a estratégia do medo, da boataria, do preconceito, da acusação sem direito de resposta, levou a eleição para o segundo turno.

Creio que Marina, assim como Heloisa Helena, vai sucumbir à vaidade e se aliará ao Serra, podendo vir, caso a legislação assim permita, a figurar como vice do rapaz.

A meu ver, Dilma não deve entrar no jogo das mesquinharias políticas da direita, deve sim responder aos boatos e eventuais denúncias com a altivez de quem participou ativamente do maior processo de transformação da sociedade brasileira. Mas não pode abrir mão de aprofundar a discussão sobre o que a gestão de Lula já fez e o que poderá ser feito.

Responder

Gilson

04/10/2010 - 00h49

(continuação)
As pessoas mais simples se atrapalhavam e a maior parte deles votavam em Dilma;
Houve uma grande quantidade de votos nulos, mais de 6 milhõs, pode ter certeza que não era protesto, era erro no votar;
Próximo turno, serão dois ou um voto, votos nulos diminuirão muito, pode ter certeza;
Minha esposa viu uma pesquisa que apontava que os eleitores da Dilma 10% iriam erra seu voto. Acho que está aí nosso problema;
Eleitores do Serra e Marina são da classe média chorona, superinfluenciada pela mídia e pelos padres e pastores, se acham intelectuais, mas são vítimas de tudo isso;
Azenha, você não consegueria pesquisar isso da eleição de 2006, acho que tivemos o mesmo problema

Responder

Gilson

04/10/2010 - 00h49

Azenha,

acho importante os seus apontamentos, mas faltou você pesquisar uma coisa. O analfabetismo e o problema das urnas eletrônicas para as pessoas mais pobres:
não acho que as pesquisas mentiram, a Dilma estava na frente e continuou.
O problema dos votos da Dilma é que existe uma grande parcela de seu eleitorado que não sabe usar direito a urna eletrônica;
Os eleitores tinham que votar em 6 candidatos, são muitos números e candidatos;

Responder

brotas

04/10/2010 - 00h47

Acho que azenha tem todo o direito de fazer essa análise desabafo. A falta de politização da campanha estava na cara. Bonito o programa. Não passava disso. Sem alma política. O PSDB e a mídia captaram bem isso e inflaram marina. O caldo de cultura já estava dado.
O PT saiu bem, mas a liderança eleitoral de Lula saiu chamuscada sim. A luta está aí. BEm mais difícil agora!

Responder

A. R. Carvalho

04/10/2010 - 00h47

Cientista político faz análise para o segundo turno

A candidata Dilma Rousseff, terá palanques muito mais fortes do que o seu concorrente, o tucano José Serra, na disputa eleitoral no segundo turno. Serra só vai contar com apoio forte e significativo em três estados, Paraná, São Paulo e Minas Gerais, avalia o cientista político Marco Antonio Carvalho Teixeira, professor da Fundação Getúlio Vargas. "Em Minas, ele precisará contar ainda com a adesão de corpo e alma do ex-governador Aécio Neves (eleito senador), o que é de se esperar com certa reserva", ressalva Teixeira. Nos demais Estados, observa o cientista, candidatos apoiados por Dilma e o presidente Lula tiveram muito melhor desempenho.

Nos Estados onde haverá segundo turno, Serra, mais uma vez, também enfrentará dificuldades para ver seus aliados oporem-se à liderança do Presidente Lula. Novamente, o presidente jogará seu peso político em favor dos candidatos apoiados pelo Palácio do Planalto que estarão na segunda fase da disputa. "É o caso do Pará, onde o PSDB quase ganhou no primeiro turno, mas a Dilma venceu no Estado. Lá, o candidato do PSDB deve evitar um embate direto com Lula, que é muito forte", diz o cientista. O Presidente ainda terá uma presença muito forte no Nordeste no segundo turno, lembra Teixeira.

Outro problema a ser enfrentado pelo candidato tucano é perda de palanques de importantes aliados derrotados nessa eleição, como Tasso Jereissati, no Ceará, Marco Maciel e Jarbas Vasconcelos, em Pernambuco, e Arthur Vírgilio, no Amazonas."Ele não terá palanque nenhum no Ceará, por exemplo", constata Teixeira.

A realização do segundo turno deveu-se muito mais à performance de Marina Silva, que venceu no Distrito Federal e ficou em segundo lugar no Rio de Janeiro, do que ao desempenho de Serra, observa professor. Para ele, foi um um desempenho "muito mais pessoal" de Marina do que próprio PV. "É esperado o apoio do PV a Serra, mas a Marina tende a ficar neutra nessa disputa. Ela saiu há pouco do PT fazendo muitas críticas, mas também atacou Serra. Se houver essa sua neutralidade, Dilma será beneficiada", prevê Teixeira.

Responder

Jean

04/10/2010 - 00h43

Vou fazer uma pergunta que não tem nada a ver com o conteúdo do texto: como você consegue escrever um comentário grande e ele ser aprovado? Escrevi um comentáro 3x menor que o seu e recebi uma resposta instantânea: "o seu comentário está muito grande, melhor dividi-lo em partes menores" É sério! Ate desanimei em escrever de novo.
Abraços,
Jean

Responder

    chanceLer

    04/10/2010 - 09h10

    Já aconteceu comigo Jean. Deve ser falha no sistema.
    Talvez, tenha dado sorte. abs.

Manoel

04/10/2010 - 00h39

Da campanha da Dilma eu só não gostei quando começaram a sofrer ataques e o time ficou quase todo na defesa. Achei isso ruim.
Mas, mesmo com a popularidade do Lula na casa dos 80%, entendo que não é fácil ir para o ataque se valendo apenas do horário político, sendo que do outro lado bombas eram lançadas diariamente pelo adversário mor e sempre repercutidas com grande intensidade por Folha, Estadão, Veja e Globo.
Não foi uma campanha igual. Porque mesmo a Dilma tendo o apoio do Lula, a mensagem só chega ao destino final via esses meios de comunicação e na maioria das vezes chegou de forma desfarorável à candidata.
Foi a guerra da desinformação. E quando viram que o seu candidato não levaria ao segundo turno por si só, trataram de apresentar a Marina como terceira via e sua "onda verde", onde muita gente embarcou.
Outro detalhe, abstenção na casa dos 18% que coisa absurda.
Seções apuradas: 399.418 (99,85%)
Abstenções: 24.573.000 (18,11%)

Responder

    Mauro

    04/10/2010 - 03h16

    Na eleição passada foi algo em torno de 15% segundo a Record News, os eleitores que leem jornais e revistas não passa de 15 milões segundo um analista na Cultura (acho eu), mas pasme 70% dos eleitores se informa pela televisão e o número que só se informa pela televisão é altíssimo. Sem um canal de televisão federal que pegue em todo o território nacional o povo vai estar na mão da REDE GLOBO. E pasme, segundo pesquisa mundial sobre a credibilidade da televisão em nível mundial o Brasil é o segundo país onde amis telespectadores acreditam no que é veiculado na televisão, ou seja se aparece na televisão é porque é verdade para o telespectador brasileiro (não é pesquisa da globope, é mundial)

    Se Nagao

    04/10/2010 - 09h56

    Manoel,
    Olhe para a eleição de 2006, foi muito parecido. A abstenção foi bastante próxima.
    A grande(?) imprensa repetiu eleições anteriores e nós não aprendemos.
    A grande(?) imprensa vai continuar a fazer o seu jogo, é a sua sobrevivência.
    Quanto mais mal informada e sem escolaridade, a população vai ser manipulada.

Ananda

04/10/2010 - 00h38

Azenha,
Ouvi de uma amiga que se filiou ao PV exatamente esse papo de estar cansada da polarização PT e PSDB, só que ela, assim como outras pessoas que conheço do PV, atuam desde o 1º dia de campanha propagando baixarias pela internet. Destaco que recebi deles todas as difamações grosseiras feitas sobre Dilma, além dos insultos grotescos feitos ao Lula, desde sempre. Então que mudança é essa que buscam se trazem o pior ranço da direita até na forma de fazer militância política? Até acredito que buscam algo novo quanto à propostas, embora haja uma ilusão quanto ao discurso verde, a meu ver, nada novo mas eco repaginado. E não dá para ignorar a força da mídia nessa história, que simultaneamente insuflou Marina na mesma proporção em que depreciou Dilma. Os militantes verdes não percebem o quanto de incoerência tem essa bandeira, pois não toleram mais PT e PSDB, acreditam muma política limpa feita somente com aliados ideológicos, mas não condenam a aliança PVxPSDB nem criticam a ideologia de direita, contrária à bandeira verde e ao novo que buscam.

Responder

pap

04/10/2010 - 00h35

ola

A impressão que dá é que o PT deixou escapar a vitoria no primeiro turno por questão de dias.Talvez, se a eleição fosse na semana
passada, era dilma na cabeça no primeiro turno.

Todavia, creio numa vitoria de dilma no segundo turno com margem folgada – 60 a 70% dos votos validos.

O problema, na minha opinião são os 30 milhoes de potenciais votos não convertidos – abstenções, brancos e nulos. Esses,
nao tem como fazer tratativas ou alianças. Tem que buscar.

Serra deve no maximo herdar alguma coisa, e fica com no maximo uns 35%

Tudo isso que escrevi é chutologia e paupitologia de botequim, mas, na minha opinião nao deve fugir muito disso, ou seja , uma
vitoria de dilma no segundo turno.

Responder

Marcelo C

04/10/2010 - 00h34

Azenha, a "onda verde" não é verde; os brasileiros em geral não têm consciência ecológica. Não se pode esquecer dos ataques midiáticos ferozes e de que a candidatura Marina foi "inflada". A estratégia da elite de lançar Marina para dividir o eleitorado de Dilma deu certo (ponto de atenção: a grana violenta injetada em Marina, visto que as forças que a apóiam são as mesmas que querem Serra na presidência). Só que se Mariana e seu partido apoiarem Serra no segundo turno, boa parte desse eleitorado que tirou a eleição de Dilma no primeiro turno vai cair na real e a candidata e seu PV serão desmascarados. Não sei se vale a pena o PT tentar aliança com Marina e o PV, eles estão jogando o jogo da elite, do PIG e do demotucanato.

Responder

Zé Duarte

04/10/2010 - 00h30

Teve pesquisa que afirmava que poderia haver segundo turno. Foi apontada, por este blog e outros ditos progressista e imparciais como sendo golpista. Agora que o resultado oficial provou que o segundo turno é uma realidade, este blog será coerente e dirá que os institutos que afirmavam que não haveria segundo turno são uma fraude ou que são comprados? fica o questionamento.

Responder

    Lucio

    04/10/2010 - 03h40

    Queria poder enxergar com essa simplicidade de raciocínio. Essa história teve início, meio e fim.E nenhuma dessas fases foi obra do acaso. Não se pode desprezar todos os suspeitos episódios envolvendo as pesquisas no curso dos acontecimentos.Assim fica fácil. É tudo o que a mídia quer. Seria dar a eles o prêmio maior ao desprezar que houve sim ações orquestradas e muito – não se enganem – muito bem planejadas. Essa gente é bem mais organizada do que se pode imaginar.Eles tem projeto e nele não entra a dita " vontade do povo".

Evanildo da Silveira

04/10/2010 - 00h25

Agora, eu pergunto: o que eu vou dizer lá em casa? Acreditei nas pesquisas do Vox Populi, do Sensus, no arrependimento de Montenegro do Ibope. Acreditei nos milhares de artigos de Marcos Coimbra, que provavam por A + B que a vitória de Dilma no primeiro turno era inevitável. Acreditei nas análises de Ricardo Guedes, que a um dia da eleição dava 2,5% de chance estatística de haver segundo turno (10% estourando, se fosses levados em conta fatores políticos). E quem estava certo era o Datafolha! – que eu execrei e dei como morto, com a credibilidade ao rés do chão. Acreditei em você, Nassif, que dava como morta a velha mídia e como favas contadas a vitória de Dilma (da qual já começo a duvidar). Ao contrário do que a blogosfera de esquerda propagou – e eu acreditei – a velha mídia não está morta. Você, infelizmente, não acabou com a Veja. A Folha e o Estadão continuam influenciando a opinião pública, sim. Certo está o Rodrigo Vianna, que nunca duvidou da força da velha mídia e previu que a bala de prata seria a questão religiosa. Se quisermos derrotar a velha mídia – nem sei se é possível isso – devemos deixar de lado esse misto de arrogância e ingenuidade, que nos leva a menosprezar o poder dela. Ela continua poderosa e poderá derrrotar a nós e a Dilma. Mais humildade, por favor.

Responder

    ValmontRS

    04/10/2010 - 11h54

    Lei de Murphy, Evanildo. Se há uma chance de ocorrer o evento, ele ocorrerá. E é necessário estar preparado para ele.

    Você tem toda razão quanto ao nosso excesso de confiança e ingenuidade. É necessário trabalhar muito mais, afinal eles têm o poder econômico e a grande mídia ao seu lado.

    Eu sempre tive a percepção de que a luta contra a ditadura midiática não começou ontem e não terminará amanhã com a vitória de Dilma. Muito trabalho há de ser realizado até que consigamos avanços reais na democratização deste país. A batalha será dura, exigirá muita militância e passará necessariamente pelo enfrentamento da grande mídia e suas mentiras.

    Não há mais como adiar esse embate.

Fernando

04/10/2010 - 00h25

Continuando sobre a oratória da Dilma.
Sou especialista na área de logística e no último debate, assisti a Dilma dar uma aula para a Marina, que por sinal não entendeu nada e ficou na retórica falando em ver os sistema como um todo. O que quero dizer, conteúdo a Dilma tem, mas, falta oratória, o seu melhor momento (qdo não pareceu um robo) foi qdo deram risada dela ao citar os financiamentos, ela foi rápida na resposta e mostrou boa oratória.
Dilma, precisa se soltar, precisa ter prazer ao falar, se para isto ela precisa ser provocada, como um lutador antes de subir ao ringue, que assim seja. Agora os debates serão mais dificeis, Serra é do mal, e usando a linguagem do final desta campanha, se existe algo que ele sabe fazer é fingir ser um anjo na frente das cameras, ele tem boa oratória (sem conteúdo, mentirosa, por exemplo vive prometendo reduzir impostos e não fez nada em São Paulo), mas, no confronto direto, não importa o que vc é, e sim o que vc consegue mostrar ser.

Responder

    Avelino

    04/10/2010 - 04h21

    Caro Sr Fernando
    Dilma começa a se soltar no 3º ou 4º bloco de qualquer debate. Se o debate tivesse mais alguns blocos, a Dilma se incendiaria.
    Nos primeiros ela fica presa, apreensiva, gagueja. Nos últimos, o olhar dela se transforma, não há mais gaguejos, respostas curtas, claras e politizadas.
    Saudações

Luu

04/10/2010 - 00h24

Acho que esse efeito pós-eleição pode acontecer, é importante dar atenção a esta chamada `terceira via` é mto voto…
claro alguns votos na minha opinião, principalmente os votos de quem eu escutei votar na Marina foram um `protesto de direita` que achou o Serra mto fraco… esses são os preocupantes. Mas teve o outro efeito sim…

…Já o Roberto Guimarães (FGV) vê o avanço de Marina Silva nas pesquisas como um indicativo de que a população brasileira possa estar mais atenta à discussão. "Acredito que a campanha de Marina esteja influenciando, sim, a população, e que as ideias pregadas por ela vão causar um impacto depois da eleição. Os brasileiros irão exigir mais do governo nesse assunto." !!!!!!!!!!!

Responder

    ValmontRS

    04/10/2010 - 11h33

    O crescimento de Marina na reta final se deveu muito à canalização dos votos roubados da Dilma, tanto pelas calúnias midiáticas quanto pela boataria subterrânea. Marina foi indicada como uma "saída" para aqueles eleitores que não sabiam para onde ir, quando sua candidata foi colocada como "assassina de criancinhas, soberba, anti-Cristo, etc. Marina foi a alternativa à anulação do voto (os padres aqui diziam: "não anulem, votem Serra ou Marina").
    O estigma da corrupção, criado e alimentado pela grande mídia em relação ao PT, influiu muito no voto da juventude classe média. Plínio e Marina exploraram isto (atitude deplorável).
    Portanto, não creio que tenha ocorrido realmente uma opção consciente fundada nas proposições "verdes". Foi apenas uma derivação provocada e canalizada deliberadamente pela grande mídia, que tangeu essa parcela desnorteada do eleitorado como um lote de gado para o reduto de Marina.

regina gonçalves

04/10/2010 - 00h16

Discordo em parte da sua análise. Acho sim, que o caso Erenice abalou a candidatura Dilma , mas a diferença foi o voto de modismo na candidatura Marina. Não acredito que os votos em Marina migrem para Serra. Não podemos esquecer a alta rejeição do Serra junto ao eleitorado.

Responder

    Armando do Prado

    04/10/2010 - 10h49

    Serra corre o risco de repetir Alckmin de 2006, ou seja, terminar com menos votos. O problema passou pela lerdeza em perceber e corrigir o episódio da Casa Civil. Lamentável o que aconteceu.

Bertold

04/10/2010 - 00h15

Toda eleição tem suas "surpresas" e esta não foi diferente. Bom usei aspas porque entendo que a tal de onda verde foi exatamente o elemento decisivo para a eleição não ser liquidada no primeiro turno. De certa forma não foi surpresa na medida que quase todas as pesquisas captaram isso, uns mais outros menos. O erro foi de prognostico quanto aos seus reais efeitos. Agora não resta dúvidas de que os 6,3 milhões de votos que Dilma haveria de perder para não ganhar no primeiro turno se confirmou. E também agora a tarefa é consolidar a votação deste primeiro turno e trabalhar com mais seriedade, profissionalismo e garra e ir atrás dos votos que perdeu na última semana que entedeno que foi bem mais do que os 6,3 milhões. Por último, só mais uma coisinha: um pouco mais de militância na rua e menos na frente do pc vai ajudar e muito.

Responder

Daniel Gibrail

04/10/2010 - 00h15

Tentando clarear um pouco o que levou a onda verde, chego a algumas conclusões:

1. A campanha de difamação religiosa, que conseguiu atrair muitos evangelicos e catolicos das classes mais humildes e menos esclarecidas;

2. Uma insatisfação da classe media tradicional (não a nova classe media), em relação a polarização PT X PSDB. O que levou a um voto de protesto e não programatico na Marina.

3. Uma onda de modismo na juventude das grandes metropolis, a Marina representaria a vanguarda de pensamento para esses jovens.

4. O voto da esquerda insatisfeita.

5. A campanha de denuncismo da midia, quem verdadeiramente se beneficiou foi a Marina e não o Serra.

No primeiro turno, a campanha do PT teve que aliviar, pois se particisse para a desconstrução do Serra, seria grande o risco de pegar a Marina num eventual segundo turno. E, se isso acontecesse o resultado seria imprevisivel.

No segundo turno, acredito que a campanha sera mais facil, pois basta unicamente partir para a campanha comparativa e propositiva do PT e do PSDB. Finalmente, partindo para a desconstrução do candidato Tucano.

Veremos a repetição de 2006. Uma lavada da Dilma no segundo turno.

Responder

priscila presotto

04/10/2010 - 00h12

São Paulo merece o governador que foi eleito,viu elite reacionária,soberba ,hipócrita!

Responder

    Armando do Prado

    04/10/2010 - 10h47

    Não, Priscila. O povo não merce o chuchu. Nós precisamos entender de uma vez por todas (e no nós estão os que pensam a política no campo democrático) do porquê os tucanos são hegemônicos em SP. É a partir de SP que a reação movimenta seus cordéis.

pereira

04/10/2010 - 00h12

Azenha do mesmo jeito que o eleitor jovem votor na marina ele é livre para votar, nesse segundo turno, só que o Pt tem que ser inteligente apresentar prosposta para os jovens, Também houve uma confussão na hora do voto devido os documentos, a abstenção também foi um fator, Eu já estava cheio da quele trem da campanha da Dilma, o serra vai tentar de tudo, mentir e mentir, mas suas mentiras não surgiram tanto efeito, o que fez a Dilma ir também foi a falta de um confronto com a própria marina e com o serra nos dois últimos debates, agora a direita saiu arrebentada , olhe o quadro dos senadores, só o alúisio nunes em São Paulo e aécio neves em minas. Dilma tem que rebater todas as acusações no ato que surgir.

Responder

Fernando

04/10/2010 - 00h11

Votei na Dilma e briguei muito no primeiro turno, colocando em risco inclusive meu emprego.
Mas, agora é momento de reflexão, as pessoas aprovam o governo Lula, mas a classe média não tolera Lula e o PT, várias vezes ouvi de pessoas que nunca votaram no Lula , dizer "na Dilma não, mas se fosse o Lula agora eu votaria".
Outra coisa, a Dilma em minha opnião era dos quatro candidatos a com maior conteúdo, mas, a pior na oratória.
Uma coisa é não ir para a briga sendo lider nas pesquisas, algo que eu concordo, outra é a falta de emoção em suas falas, e as paradas como se tivesse perdido a linha de raciocinio. Teve a sorte no debate da Globo de falar depois da Marina e do Serra, mas foi a mais sem emoção, meu deus, pq não dizer um simples "Viva o Brasil". Depois do debate deu uma entrevista para o jornal da Globo (com as tradicionais paradinhas em sua fala) e falou algo bem mais bonito.

Responder

    ValmontRS

    04/10/2010 - 10h47

    Concordo que o excesso de marketagem e de cautela terminou produzindo vacilação na candidata. Parece que a ordem era: "nunca reaja, não se exponha". Porra, não pode ser assim, krai! Em certos momentos tem que mostrar indignação, tem quer mostrar que tem sangue nas veias, principalmente diante de falsidades flagrantes.
    Dutra e seu marketeiro precisam confiar mais em Dilma, afinal ela não é essa songa-monga que tentam fazer dela. Muitas vezes Dilma demonstrou sua presença de espírito, como no confronto com Agripino no Senado.
    Parece que o medo de perder o controle terminou inibindo demais a Dilma. Faltou a confiança da equipe. Amarelaram demais. Cá pra nós, simbolicamente essa idéia de "onda vermelha" é uma furada. Péssima imagem.

adilson (E agora)

04/10/2010 - 00h10

Caro Azenha, a Marina se projetou no buraco negro mas, como os outros, tb não politizou, seu discurso tava muito genérico e pro futuro..

postei texto lá no blog:

"Marina leva eleição para segundo turno.."
..Serra agradece de coração.

Responder

Angela

04/10/2010 - 00h09

O chacal cantando vitória na TV, como se o mérito de ter ido pro segundo turno fosse dele.

Ele é de dar pena…

Responder

uli2ses

04/10/2010 - 00h08

Os jovens; os religiosos; os que eram contra à polarização entre serra e dilma; os ambientalistas (dogmáticos); os que achavam presunção demais o PT levar de primeira; os que queriam Dilma no segundo turno para negociar apoios…
São muitas as razões para explicar Marina com 20%.
Na boa, acho q a maior parte desses votos vão para Dima. Serra já chegou no seu máximo.
Agora é ressaca. Depois que sair a 1a. pesquisa ela cura.

Responder

M Peres

04/10/2010 - 00h06

Concordo que Marina foi subestimada nesta campanha. Ela representou uma válvula de escape para a baixaria que assolou que a companha de Dilma e Serra. Enquanto a troca de baixarias se dava, o eleitor ficou farto do mar de lama e buscou um voto de protesto na forma de alguém que não foi teve essa baixaria sobre as costas. Tentaram usar contra Marina a tática da baixaraia na reta final, mas já era tarde e soou artificial.
Enquanto as campanhas forem dominadas por marketeiros e calcadas em pesquisas falhas de institutos imparciais e sem nenhuma seriedade, as surpresas vão se tornar uma coisa comum.

Responder

Rodrigo Carvalho

04/10/2010 - 00h05

Postei ontem aqui dizendo da percepção da elevação de votos em Marina, inclusive na classe média baixa. Esperava a subida dela, mas o que me causou estranheza foi o Serra ter tido cerca de 3% a mais de votos do que demonstravam as pesquisas. E achei estranho que Globo, Veja, Folha, Estadão e outros abaixaram as críticas à Dilma cerca de 3 dias antes das eleições, diminuiram a agressividade. Achei estranhos os resultados de MG e SP…curiosamente, dominados pelo PSDB. E mais será muito difícil para Dilma. Enquanto a imprensa ataca, achincalha, derramam vídeos falsos e o PT dorme em berço esplêndido, fazendo campanha bonita enquanto o advbers´pario com a imprensa junto passa uma rasteira a cada minuto.

Responder

Renato Lira

04/10/2010 - 00h04

O que me tranquiliza é que Serra não saiu do lugar.

É um zero a esquerda.

Tanto que até agora (meia-noite) não deu declaração nenhuma.

Acho que nem ele acredita na mãozinha que Marina lhe deu.

Tá meio desorientado.

Responder

    Armando do Prado

    04/10/2010 - 10h45

    Não, Renato. Pelo contrário, durante o dia teve várias inserções na CBN e direito a discuso na Globo, sem a recíproca para Dilma. Não se engane, a campanha do PIG começou ontem mesmo.

Fabricio

04/10/2010 - 00h03

Agora o PT tem que se organizar para a guerra cibernetica e nunir a todos com material contrapondo os boatos e fazendo comparações dos governos.

Vamos combatê-los com as mesmas armas sem intimidação!

Responder

Aldo Monteiro

04/10/2010 - 00h03

Fernando, parceiro, frases como "devo confessar que não estou me sentindo bem", Aécio ( acha que ele vai se empenhar 100% para Serra?), pessoal da Marina em São Paulo, etc, é a cartilha para se perder uma eleição: o medo. Que é isso?, temos tudo para vencer, precisamos de mais 4% dos votos válidos, vencemos em 18 estados, temos muito mais palanques, governadores, deputados e senadores que agora podem pensar exclusivamente na campanha presidencial, pessoas ( Ciro Gomes, por ex.) que não participaram mas sabem o perigo que o Serra representa vão participar, o presidente Lula acostumado a enfrentar um 2o.turno, temos discurso e bandeira, a militância agora vai despertar, as explicações que ficaram faltando agora virão, colocaremos Fhc na campanha, ficaremos de olho nos spams via net, enfim, vamos corrigir o que falta e partir para a vitória como fez Lula em 2006, desmascarando a direita. Se não é simples, não é tb tão difícil, o PT havia se preparado para um 2o.turno. Vamos lá, confiança, é assim que se ganha!

Responder

Marcelo

04/10/2010 - 00h02

Concordo no geral, discordo nos detalhes. A possibilidade de vencer no 1º turno me parece que foi perdida principalmente por conta do enfrentamento que o Lula fez à imprensa, a partir do comício de Campinas. Embora service para animar a militância, deu margem a reação alarmista que lançou no ar as teses de que caminharíamos para um "chavismo", o controle da imprensa, etc… o que arrastou um tanto de votos à Marina.

Responder

kali, a negra

03/10/2010 - 23h59

Retificando

Ao menos para o senado o PSDB/DEM foi surrado

PMDB: 14

PT: 12

PSDB: 5

PRB: 4

PSB e PR: 3

PSol, DEM, PP: 2

PRM, PPS, PTB, PSC, PC do B e PRM: 1

Falta o PDT=1

Responder

Renato Lira

03/10/2010 - 23h59

Azenha, não concordo não.

Acredito mais na falta de politização dos jovens, que são levados por modismos, como por exemplo, essa "onda verde" criada pela mídia.

Farto estou eu pela alienação de parte da classe média e de nossa juventude.

Pois, como Serra, também Marina não tem projeto e não politizou a campanha. Serra recorreu ao promessômetro e Marina ao discurso monotemático.

Dilma apresentou projeto, buscou o confronto de propostas. Mas isso não interessou à juventude e a alguns ditos "politizados", que preferiu se deixar levar pela baixaria, pelo denuncismo sem prova e pelo modismo Marina.

Não me venha com essa de que nossa juventude é politizada, Azenha. Pois não é.

Responder

El Cid

03/10/2010 - 23h59

Será ??? http://maureliomello.blogspot.com/2010/10/teoria-

Vamos supor que um "software malicioso" inocule no processo de apuração, ou seja, enquanto os dados da urnas eletrônicas são totalizados, no computador central do TSE, a informação que faça o sistema expurgar um de cada dez votos recebidos pela candidata A. Isso quer dizer que, de cada cinquenta votos que ela viesse a receber, perdesse cinco. Com quantos votos ela ficaria? 45, certo? Suponhamos agora que esse mesmo sistema distribuísse esses votos de forma rigorosamente proporcional entre os candidatos B, C, D, E, F, G, H, I, os brancos e nulos. Para a grande maioria dos eleitores a manobra seria absolutamente imperceptível, certo? O candidato B, que tivesse recebido 30 votos ficaria portanto com mais três; a candidata C, que tivesse recebido 18 votos, receberia mais dois e assim sucessivamente. Ao final da apuração teríamos uma situação inquestionável. Se considerarmos que apenas um instituto punha em cheque a decisão em primeiro turno e todos os outros não, incluindo-se aí pesquisas de boca de urna divulgadas minutos antes do início da apuração, a teoria conspiratória acima ganha mais contornos de veracidade. Como não acredito no processo eleitoral brasileiro e desconfio de parte da elite (golpista) e seus prepostos, fico sinceramente em dúvida. Esta talvez seja a razão pela qual há dez anos votar ou não, no meu caso, deixou de ser relevante. Hoje, por exemplo, justifiquei porque estava fora do meu domício eleitoral. Nessas horas me lembro do bom e velho Brizola: – Cadê o papelzinho ??

Responder

ricardo silveira

03/10/2010 - 23h57

Não acho que o que alimentou a “onda verde” tenha sido a falta de politização da campanha. Se assim fosse Marina teria tirado votos de Serra, o que não aconteceu e, também, não me parece que os eleitores da Marina sejam jovens politizados, mais me parecem “igrejeiros” que são dopados com uma moral religiosa anacrônica. Acredito que a “sórdida campanha movida por religiosos” tenha sido mais decisiva.

Responder

Hudson Luiz

03/10/2010 - 23h55

Azenha,

Sinceramente acho que foi amdorismo do PT deixar a Erenice Guerra no comando da Casa Civil. Desde a estória do dossiê contra FFHH que essa mulher já era visada pela mídia oligopolizada. Depois ainda teve o caso da Lina Vieira e de novo o nome da Erenice apareceu. Como ela é mulher, próxima de Dilma e ocupa que a presidenciavel ocupou por anos 5 anos, foi muito facil para a mídia oligopolizada ligá-la a Dilma. Mais, a Casa Civil deveria ter sido ocupada por um petista de peso, Marco Aurélio Garcia ou então pelo José Eduardo Cardozo que nem foi candidato a reeleição. Esses nomes são apenas exemplos.

Responder

Carlos N Mendes

03/10/2010 - 23h54

Netinho de Paula pesou muito contra o PT. Sempre apoiando candidatos de qualidade, o PT conseguiu criar uma base de apoio sólida, mesmo em SP. Mas quando se propôs entrar no obscuro mundo dos "puxadores de voto", onde a fama vem à frente de outras qualidades do candidato, quando não a única. Faltou também visão de eleitor: em vez de se sujeitar a um segundo turno apenas para votar em uma candidata que passou 95% de sua vida política no PT, poderia ter liquidado a fatura na primeira e votado na Dilma. Bem feito, paulistanada limítrofe, um domingo a menos em suas vidas. Vamos lá bater barriga em urna mais uma vez.

Responder

cantacantos

03/10/2010 - 23h54

Eu proponho a campanha #sai_do_muro_Jão para quem votou na Marina Silva e só agora descobriu que o PV está do lado do Serra. #Sai_do_muro_Jão!

Responder

gustavo

03/10/2010 - 23h53

Acho que vale a pena lembrar que a Marina saiu do governo por causa da Dilma. Quanto ressentimento há entre as duas? Marina seria capaz de superar isso tudo e declarar apoio a Dilma? Por outro lado, seria capaz de negar sua história e seus verdadeiros eleitores e aderir aos tucanos? O que pesará mais na sua decisão? Aderir aos tucanos será a prova de ausência de qualquer vestígio de coerência. Expressão de puro oportunismo político e de ressentimento. Acho que o psdb pagará qualquer preço para ter o apoio da Marina. Prometerão até o Ministério da Fazenda, a presidência da petrobras ou o banco central. Sinto grande tristeza e lembro do todos sofremos nos anos FHC.

Responder

Marcio Gaspar

03/10/2010 - 23h53

A grande impressa estah tentando a qualquer custo colocar como derrota da Dilma, por nao ter ganho no primeiro turno, e colocar como vencedores a Marina e o Serra. Isso eh uma verdadeira farsa, pois Dilma teve 14 milhoes de votos a mais do que Serra. Eh muito voto para descontar no segundo turno. Ainda acredito na Dilma presidente, apesar que serao 4 semanas de ataques, mentiras e partidarismo da imprensa. Levar o Serra para o segundo turno conseguiram, mas para presidente, duvido.

Responder

cesar

03/10/2010 - 23h52

Acho que a onda verde só ocorreu pq a campanha da Dilma Amarelou e não soube responder rapido as varias acusações no curso do processo eleitoral.E olha não se deve minorar as igrejas não. Só para saber dias antes da eleição, em reunião de setores da igreja catolica o voto no PT era considerado pecado mortal, e com varios participantes com formação universitaria.Vai ser muito dificil ganhar no 2° turno

Responder

    ValmontRS

    04/10/2010 - 10h02

    Aqui em Salvador eu também percebi uma forte atuação de católicos na campanha anti-Dilma. Talvez por isso, Dilma tenha obtido menos votos do que se esperava (Wagner teve mais votos que Dilma, quando se esperava o contrário).
    Cheguei a denunciar um padre que, após a missa, fazia campanha aberta contra a candidata do PT.
    Nunca vi tamanha prevalência do pensamento obscurantista de direita na Igreja Católica como agora.
    As idéias medievais estão grassando a olhos vistos em nossa sociedade.

vania maria

03/10/2010 - 23h51

com a marina acontecera o mesmo que aconteceu com a heloisa helena, se perdera na sua insignificancia agora que ja serviu de joguete da midia…

Viva o Brasil!!!
viva o Lula!!!
Viva a Dilma!!!

Responder

lucia

03/10/2010 - 23h49

Creio que o clima de já ganhou arrefeceu a onda vermelha. É preciso cuidado no segundo turno pois o PIG realmente é uma força que não pode ser ignorada, tenho receio quanto á continuidade da campanha difamatória do PIG.
Muitos e-mails difamatórios foram encaminhados aqui no Nordeste com divulgação boca a boca entre o povão. Ouvi muitos comentários de que Dilma teria matado pessoas , que era lésbica, que estava envolvida em falcatruas etc.
O argumento mais interessante que ouvi foi na feira durante uma discussão em que diversos feirantes repetiam as difamações sobre Dilma, um cidadão que diante das acusações a Dilma disse que votaria nela por ser a candidata de Lula que tinha aumentado a renda de sua família e assim sua mulher agora estava mais cheirosa,pois agora podia usar shampoo e desodorante

Responder

Renato Lira

03/10/2010 - 23h49

Resumindo.

Quem votou em Marina, votou em Serra.

Serra não saiu do lugar, só Marina cresceu.

Serra vai precisar de mais que uma Marina e renovar o arsenal de baixarias para tentar virar essa.

Tá com um cheiro de 2006.

Responder

El Cid

03/10/2010 - 23h48

Tiririca: 1.352.147 de votos até agora… – http://divulgacao.tse.gov.br/#

"enquanto existirem cavalos, São Jorge não andará a pé…"

Responder

    Taques

    04/10/2010 - 07h46

    Pois é e o palhaço é da coligação petista. Tá rindo do quê ???

    El Cid

    04/10/2010 - 16h17

    …acho que o trollzinho não entendeu (ou finge que não entende, que o mais provável): ele tinha todo o direito de candidatar-se, mas quem viu a sua propaganda, deveria ter o mínimo de senso, se ele deveria ser levado a sério ou não… e pouco me importa se ele é de qualquer coligação, o que mostra o perfil de quem são os que elegeram, trollzinho…

    … agora, se você enxergou-se no provérbio acima, vá mascar um pouco de alfafa ! e continuarei sorrindo…

lucia

03/10/2010 - 23h47

Infelizmente a campanha do PIG reduziu os votos em Dilma que teve uma votação inferior que a prevista , na última semana eu já percebia muitas pessoas que passaram a declarar o voto em Marina, achando que era uma terceira via.
A militância do PT não foi para as ruas e não fez campanha para Dilma, aliás os candidatos a governadores centraram suas campanhas nos candidatos a senadores, claramente dando a vitória de Dilma como certa
. O caso da Erenice refletiu-se nas intenções de voto.

Responder

Dirval

03/10/2010 - 23h46

Azenha,
Discordo dessa tal "onda verde" que é inexistente. É simples modismo. O que aconteceu REALMENTE foi a "onda púlpito", tanto católica quanto evangélica. O líderes religiosos ainda têm muito poder sobre corações e mentes. As pessoas morrem de medo de desobedecer seu pastor ou padre e atrair maldição sobre suas vidas. Daí o crescimento do Aloysio Nunes e da Marina. Mas esse mesmo povo não quer o Serra. Vamos para a batalha e venceremos com a Dilam. Força, companheiro, nada de ressaca.

Responder

    Euclides

    04/10/2010 - 20h28

    perfeita análise… foi isto que levou para o 2º turno. Agora tem que utilizar um antídoto para desfazer os boatos com terrorismo religioso.

A. R. Carvalho

03/10/2010 - 23h44

Caros companheiros,

De fato, houve falta de politização na campanha. Pessoalmente, porém, entendo que, apesar de não descartar totalmente, ela não foi projetada visando uma vitória no primeiro turno das eleições. Isso surgiu recentemente como conseqüência do crescimento da Dilma nas pesquisas. Também me parece que a tese do plebiscito somente teria aplicabilidade no segundo turno, quando a disputa deveria ser travada entre Dilma e Serra, ou entre as experiências de governo de Lula e FHC, quando deveria ocorrer a comparação. Partindo desses pressupostos, vejo esse resultado com certa naturalidade. Acho mesmo bastante parecido com o que ocorreu em 2006: foi no segundo turno que se pode verificar a diferença entre os dois estilos de governo, o que pode e deve acontecer também agora no segundo turno de 2010. Todavia, uma coisa é certa: não se pode ingenuamente imaginar que o sucesso do governo do presidente Lula seja suficiente para não se dar satisfação à população diante de denúncias de corrupção, e muito menos não ter em conta questões de ordem moral, como se fez durante a campanha quando, em nenhum momento se utilizou o programa eleitoral na TV para que a candidata falasse à grande massa de eleitores que, o caso de sua sucessora e ex-colaboradora no ministério, teria que ser apurado e punido, caso ficassem comprovadas irregularidades. Limitou-se a fazer por meio de entrevistas coletivas que nem de longe atinge a grande massa dos eleitores. Ficou a impressão de que a demonstração do que se fez de bom e o que se pretende continuar fazendo seria capaz de demover o cidadão da sua preocupação com a corrupção, ou com malfeitos, no dizer da nossa candidata. No que se refere a questões morais ou religiosas, não se procurou demonstrar, por exemplo, que as conquistas sociais aproximam muito mais o governo da esquerda da doutrina da Igreja, tanto católica quanto evangélica. A primeira, por exemplo, fez uma opção pelos pobres e é defensora intransigente da família. Ora, o principal programa do governo de combate à pobreza se chama exatamente bolsa-família. Salvo melhor juízo, todas essas questões me parecem relevantes e haverão de ser (re)pensadas e consideradas nessa nova etapa da campanha.

Responder

Henderson Sousa

03/10/2010 - 23h43

Vamos casquinar juntos?

Com 99% das urnas apuradas, Aloysio Nunes teve 11.180.362 de votos.

Com 99 % das urnas apuradas, Mercadante teve 8.005.736 de votos.

Que feio Mercadante. Que feio

Adendo: Aloysio se tornou o Senador mais votado da história desta plaga.

Saudações.

Responder

    Renato Lira

    04/10/2010 - 04h06

    Paulista é assim mesmo.

    Olha o Tiririca aí.

    Já teve Enéas, Clodovil… e por aí vão os "politizados" paulistas.

    alexis

    04/10/2010 - 07h37

    Os senadores, nesta ocasião, recebem 2 votos, sendo assim, é mais fácil atingir altas votações algum deles.
    O voto de governador é apenas 1 e, desta vez, quase deu 2o turno

lucia

03/10/2010 - 23h43

Os jovens de classe média votaram em Marina em Aracaju e Salvador,parece que era " in" votar em Marina, creio que a Globo e os artistas fizeram a cabeça dos jovens alienados, bem como dos religiosos, muitos pastores fizeram campanha contra Dilma.
No nordeste a compra de votos é que define as eleições, observei muitas pessoas humildes com pesca relacionando candidatos do DEM com Marina na cabeça. A doméstica da minha casa recebeu 100 reais para votar nos candidatos do Dem com Marina na cabeça, pois ela disse que não votaria em Serra, disseram-lhe que Marina também era candidata do Lula. Ela me declarou que embora tenha recebido o dinheiro votou em Dilma.
.

Responder

Cássio

03/10/2010 - 23h41

Caroa Azenha, a proposta é a da continuidade. Vamos com ela e vamos passar como um rolo compressor sobre a cabeça do Serra, pois agora não vai ter a Blablarina está ecocapitalista travestida de coitadinha que no fundo e a maior oportunista traidora, para tirar voto dos que são facilmente influenciados pela grande mídia.

#Dilma13

Abraços

Responder

    Fabricio

    03/10/2010 - 23h57

    Proposta.

    Que cada um procure convencer pelo menos um eleitor da Marina a votar em Dilma.

    mariazinha

    04/10/2010 - 00h11

    Parabéns, Cássio, até que enfim alguém reconhece que, segundo turno não é o bicho. Vamos vencer! DILMAIS!

Paulo

03/10/2010 - 23h38

Aqueles que simplesmente desmerecem a Marina nao entenderam bem as propostas que ela traz e a aceitação por parte de 20 milhoes de brasileiros desta proposta. Azenha, jogar os 3,5% perdidos em funçao do caso Erenice também é meio balela, porque os casos e erros do proprio Serra também jogaram contra ele.
Simplesmente desmerecer a Marina e a sua proposta é um erro muito grave. Pessoalmente, sou um dos eleitores do Lula em 1002 e 2006. E entre os primeiros a reconhecer uma distancia gigantesca entre Lula e Fhc, desde a politica externa, até a valorização do funcionalismo público (com os concursos, etc), a valorização da PF, a busca de uma nova justiça na distribuição de renda, etc…. Mas, no meu entendimento, felizmente existe Marina….
Aqueles que simplesmente jogam Marina "na direita" estão enganados… Marina não é da "direita", assim como Lula, que trabalhou com o capital e com os grandes empresários, com o grande agro-negócio, não é de direita, tb Marina não é de direita. Direita é o Serra, o FHC, o Arthur Virgilio, o DEM e o Psdb… Até o PV pode nao ser de esquerda, mas Marina não é da direita… Quem viu a coletiva da Marina, ainda hoje, dia 03, sabe muito bem… ou pelo menos, deveria saber.
Dizer que Marina ''faz o jogo'' da direita, é a mesma crueldade que dizer que Dilma foi guerrilheira…
Devemos eleger Dilma e será (poderá ser…) um ótimo governo. Terá o meu voto, porque Serra é de direita e, de qualquer maneira, é um desastre.
Vamos dar atenção ao pensamento da Marina?

Responder

    Lucio

    04/10/2010 - 00h00

    ok.

    mariazinha

    04/10/2010 - 00h09

    Não! Marina é sinônimo de traíra, como muitos, só pensa nela. Por trás daquela face simples rolou a campanha mais cara com os donos do capital gringo e os que querem a Amazônia para eles. Nunca terá minha aceitação. http://www.sejaditaverdade.net/

    Ciro

    04/10/2010 - 00h28

    Paulo, o que você vai fazer se a Marina declarar apoio ao Serra? Aí ela vai ser "de direita" finalmente?

    A Marina se vingou. Ela quebrou a estratégia do Lula de transformar essa eleição num plebiscito exatamente como ela queria e veio dizendo desde o início. Agora Lula, Dilma e o PT vão ter que partir para outra estratégia, pois a polarização com o PSDB não foi o suficiente, afinal de contas existiu realmente uma onda verde que não se importou em deixar Serra no segundo turno.

    Danilo

    04/10/2010 - 01h06

    Ao contrário de você Paulo, eu não acho que Marina apresentou propostas. Eu sou universitário e vi o "fenônimo" da onda verde se espalhando entre os jovens, pura ilusão. A maioria do eleitorado que a Marina conquistou são jovens de classe média, na sua maioria universitários, que achavam inocentemente que Marina era "diferente" dos demais políticos, a salvadora da pátria, de caráter, vinda de origem pobre e etc. Criou-se uma imagem platônica em torno dela, sustentada pelos discursos bonitos de "desenvolvimento sustentável", até tinha uma frase do tipo "se você tem cerébro e sabe usá-lo, vote em Marina".

    Danilo

    04/10/2010 - 01h06

    Marina não apresentou nenhuma proposta concreta, muitas vezes foi incoerente criticando os escândalos do governo Lula (por que não saiu do governo na época dos escândalos então?), só sabia "falar bonito e rebuscado", e encantava os universitários. Ela apontava os problemas, mas trazia soluções vagas, "desenvolvimento sustentável" é solução? tornar a previdência social superavitária é uma ótima proposta para os oposentados, mas como? mágica? reveja os discursos dela, são emocionantes, mas vazios, abstratos, nada de concreto. O pensamento de Marina é perfeito, poético, concordo plenamente, mas não é o bastante, ele não mostrou nenhuma solução diferente das que já existem para os nossos problemas.

    simas

    04/10/2010 - 01h15

    A marina é de direita, típica. Olha o trajar da mulher; sinta o cheiro q exala seus acompanhantes; avalia suas propostas vazias, q não alcançam o povo. Ela faz a defesa do meio ambiente, em conformidade com os interesses dominantes do Primeiro Mundo. Ela faz o tipo da coitadinha… pobrinha, q nasceu no fim do mundo e foi alfabetizada, tarde e cresceu, intelectualmente. Mas, ela foi alfabetizada por freiras e teve a sorte de conviver com o Chico Mendes… E experimentou o PT e se converteu, finalmente. Como ministra, conviveu com a corrupção do ministério, coisa sempre reconhecida e nunca colada à sua testa… Nem deu trela pro tal do mensalão do PT. Conviveu com tudo, mto bem e, agora, é pura, sempre pura… Até jogou na cara da Dilma, mil coisinhas…. .Só q não explica, direitinho, pq deixou o Ministério e o PT… Ela é de direita; igual ao gabeira… ao zé serra… ao cesar maia, Só não entrou pro Green Peace, pra vender, coisinhas e promover…. espetáculos.

    Andre Luis

    04/10/2010 - 01h33

    Paulo, espero que você tenha votado na Marina, pois agora, pelo que vejo, é +1 pra Dilma. E, quero crer que, a grande maioria destes 20 milhões que votou com a Marina pensa como você. O que não podemos é deixar eles levarem o Brasil, pois levaram São Paulo de novo. E, se existe corrupção no Governo Lula, os tucanos paulistas conhecem todos os sinônimos. Retorna, agora, o Governador que engavetou 69 CPIs, de uma linhagem que nunca investigou nada e conta com a conivência da grande mídia. A nossa "ditadura das formigas" parece que nunca vai acabar. Não há como falar em meio ambiente sem visão ética e, queira ou não, Lula investigou 15 vezes mais que os anos FHC. Sem contar o excelente trabalho da CGU. Acho que, ainda, nossa democracia democracia é verde, e para que possa pensar verde, deve amadurecer. E isso não irá acontecer com os tucanos.

Taciana

03/10/2010 - 23h38

Alguém vai ganhar muito dinheiro nesse segundo turno. Mais do que no primeiro. As adesões! Ah! As adesões…Santa indústria!

Responder

José

03/10/2010 - 23h36

Abaixo o coronelulismo! O voto deve ser com a própria consciência, não porque alguém mandou.

Responder

    kali, a negra

    03/10/2010 - 23h57

    O Serra não passa dos 30% no segundo turno

    priscila presotto

    04/10/2010 - 00h10

    Quem entede disso é o psdb

    Gersier

    04/10/2010 - 00h32

    Se vc prestou bem atenção no que aconteceu ao Brasil nesses últimos oito anos,vc com certeza estaria lamentando o que aconteceu nessas eleições.Foi o coronelulismo que acabou com a famigerada "indústria da seca" que era usada só para ganhar votos no nordeste pelos verdadeiros coronéis da política.Foi o coronelulismo que acabou com a migração de nordestinos rumo a São Paulo.Foi o coronelulismo que fez o salário mínimo saltar de 79 dolares para quase trezentos.E é graças ao coronelulismo que vc hoje pode viajar pelas estradas recuperadas que antes totalmente abandonadas,eram temas de reportagens dariamente.Quem vota na Dilma não é porque o Lula mandou,como os paulistas fazem com o alkmin a mando de serra e do PIG,mas porque quer ver o Brasil ser um grande País e não apenas um pais grande como querem os que votam contra a Dilma.Só tenho pena das gerações mais novas que irão pagar o preço dessa burrice.

    Renato Lira

    04/10/2010 - 01h33

    Quem vota em Serra tem consciência?
    E em Marina? A maiori são teleguiados, simples assim.
    Ainda tenho que ler um reaça, saudoso do coronelismo, falando bobagem.

M_Lucia

03/10/2010 - 23h35

Foi muito válida e ética a opção da campanha de Dilma pela agenda positiva.
Porém, isso engessou Dilma em um discurso técnico e dificultou a empatia com muitas pessoas.
O discurso de mãe não convenceu.
E o bom-mocismo exagerado também não, ainda mais com a campanha negativa.
Soou falso.
É o que tenho ouvido de muita gente.
Tinha que ter dado umas cutucadas nos podres, apesar das vacinas, mas sem cair na baixaria da oposição mais à direita. Só para mudar o rumo da conversa que eles acabaram conduzindo como queriam.
Dilma só reagiu um pouquinho no final, mas apenas contra Marina e de maneira bem vaga.
Também não foi feita uma defesa convincente dos ataques, para a maioria.
Talvez Plinio é que tenha feito, involuntariamente, melhor defesa ao explicitar que corrupto é o sistema.
Além disso, apesar do papel que Marina acabou representando para levar ao 2º turno (potencial naturalmente explorado pela direita) foram excessivos os ataques à ela por parte da militância, uma vez que muitos de seus eleitores são anti-tucanos.
Enfim, é preciso reavaliar tudo com muita consciência mesmo para que o 2º turno não seja outra decepção.

Responder

João de Lima Braga

03/10/2010 - 23h35

Na minha modesta opinião, o que levou a disputa para o segundo turno foi, sim, a religião.
Conheço muitas, mas muitas pessoas mesmo, que votariam em Dilma e que, na hora H mudaram o voto.
A questão do aborto pesou, e muito.
Se não for discutida essa questão de frente, com clareza, a 'vaca vai pro brejo'.
Não adianta a Dilma ir pra imprensa dizer que é contra. Tem que dizer que é contra e lutar para mudar isso no PNDH.
Caso contrário, os oito anos de sucesso do Governo Lula vão entrar para a história, mas não faz o sucessor.

Responder

    Francisco

    04/10/2010 - 00h12

    Então melou. porque se ela desrespeitar a vontade popular alí expressa, eu é que não voto nela. Seria anti-democrático.

    lucia

    04/10/2010 - 00h17

    entendo esta posição, mas se ela lutar para mudar isso na PNDH perde o meu voto

    Mauro

    04/10/2010 - 03h40

    Sou ateu e sou contra o aboirto, tenho valores morais e éticos que não dependem de religião mas de um livre pensar. Aborto, pena de morte e eutanásia se igualam na questão moral, é assassinato na minha opinião. Teria dificuldade de votar em um candidato que proponha isso como projeto de governo, sou de esquerda, mas penso que essas questões envolvem valores morais, éticos e religiosos e não valores políticos. A questão do número de abortos no Brasil tem a ver com questões sociais, culturais e econômicas além de falta de informação sobre o assunto e educação pública de qualidade. É como a proposta absurda de legalizar a maconha pois não se consegue controlar o uso.

Guanabara

03/10/2010 - 23h34

Marina vai mostrar sua face na hora de dizer: no 2º turno eu apoio ____________.

a) Se disser Serra, vai jogar no lixo toda sua biograifa. E o crescimento que acabou de ter em seu capital político pode virar pó (basta ver a eleição para o Senado agora como foi).

b) Se disser Dilma, será apedrejada pela imprensa no futuro. Mas mostrará alguma coerência política (sem cuspir no prato em que comeu, como fez o demitido, por sua vez, ressentido, Cristovam Buarque).

Responder

Fulano de Tal

03/10/2010 - 23h30

3/3
3. Senti falta durante a campanha de material de divulgação da campanha de Dilma aqui no Nordeste. Cidades pólo, como Campina Grande, uma das maiores do interior da região, não chegaram a receber uma visita da Dilma. Não se via quase adesivos nos automóveis. Parece que a coordenação considerou que, como as pesquisas dava muita vantagem, não precisava fazer nem gastar com campanha. Na hora da necessidade de mobilização de última hora, faltou militância na rua e motivação política.

Responder

Fulano de Tal

03/10/2010 - 23h30

2/3
2. Fenômeno parecido, mas não com o mesmo apelo, ocorreu entre jovens universitários. Trabalho numa universidade aqui no Nordeste e vi a mobilização dos alunos, no boca a boca e na internet, fazendo segundo eles mesmos me disseram "um movimento para botar a Marina no segundo turno". Não parecia nada politizado, nada de sensibilidade ecológica ou coisa que o valha. Era mais para provar para si msmos que eram capazes de se mobilizar e interferir nas eleições. Recebi e-mails deles, onde demonstravam desconfiança em Dilma e em Serra. Só num desses e-mails constava envio de cópias para TODOS os alunos de um curso e seus professores. Obviamente essas pessoas não votariam na Marina apenas por causa desses e-mails. Mas, faltava a contra argumentação para o teor dessas mensagens, e a simples existência desse "movimento", já era suficiente para animar pessoas a fazerem parte de uma ação, não política, mas com efeito político, e se sentirem unidas por uma causa. . E isso para um jovem pode ser algo atrativo. Acho que existe um vácuo aí entre esses jovens universitários, historicamente reduto do PT, a ser entendido e melhor aprofundado;

Responder

edwifeitoza

03/10/2010 - 23h30

E a maioria destes jovens que estão de saco cheio da polarização PT vs PSDB vislumbram novas perspectivas de renda e vida! São pessoas beneficiadas com o ensino superior possível agora, já que grande parte ingressou em universidades e faculdades pelo ProUni. E parte destes tem familiares que se libertaram de coronéis através do Bolsa Família. Programas importantes que deram nova visão de futuro para estes jovens. Criados por quem? Pela Marina? Logo se vê o quanto se pode ser mal agradecido, cuspir no prato que comeu e não se ter idéia do que é o conceito de moral que vemos até entre os animais. Mas a vida anda. O planeta gira. Tudo o que se faz volta…

Responder

    Arlete

    04/10/2010 - 00h21

    Eu concordo com você. Votei em Dilma, admiro o governo de Lula pelo que ele fez para os mais desfavorecidos/malagradecidos também.
    Fiz faculdade às minhas custas porque o governo do PSDB na época cancelou o financiamento, e quem já estudava por ele teve que se virar para pagar a CF. De meus 3 filhos neste ano forma o caçula, nunca pude contar com ajuda de financiamento estudantil para eles – para isto tenho uma jornada tripla de trabalho. E hoje vejo como é fácil estudar, não faz um curso superior quem não quer e as pessoas que mais usufruem deste benefício são mal agradecidas. Inclusive, tenho uma colega de trabalho que já formou um filho em Medicina e outro que está cursando ( tudo ás custas do FIES, e na família dela todos votam no PSDB, pode?
    A Marina tro-ló-ló não é traira sozinha. Sou Dilma 13!!!!!!!

Fulano de Tal

03/10/2010 - 23h29

1/3
Azenha,
Concordo que a ida para o segundo turno tem explicação múltipla. Contudo, creio que na reta final surgiram os fatores decisivos, pelo menos aqui no Nordeste, onde Dilma tinha uma grande vantagem até uma ou duas semanas antes do dia D:
1. Realmente surtiu efeito essa onda verde de boatos de cunho religioso. Foi trabalho subterrâneo, no boca a boca, nos cultos e na internet. Mexeu com os mais profundos e arraigados dos temores dos evangélicos, misturando uma suposta conspiração satanista com professias de perseguição religiosa, liberação do aborto, do casamento gay, etc. Isso somado ao conservadorismo de setores católicos, tem-se uma parcela considerável dos eleitores. É claro que não são os 18 milhões mas, com certeza, são milhões. Recebi e-mail de evangélicos nos quais constavam centenas de outros endereços eletrônicos aos quais já haviam sido distribuídos em correntes virais;

Responder

    Arlete

    04/10/2010 - 00h23

    Fico horrorizada com o falso moralismo de alguns brasileiros. É brincadeira, num país em que Sodoma e Gomorra perdem para o Brasil, ou melhor este país é a própria Sodoma.
    DILMA 13!!!!!!!!!!!!!!

Benedita da Silva

03/10/2010 - 23h27

Azenha. Os pastores fizerem a campanha. Serra repercutiu. Marina é evangélica. Os votos caíram no colo dela. Nada há de política. Foi Deus. O fanatismo. Como fazer no 2º turno com a mesma camarilha?
Não concordo que a campanha não foi politizada. Falar em pobres contra ricos já é politização. São lados opostos que se combatem ainda que implicitamente. Qd os despossuídos lutam para subir, no capitalismo, não é apenas uma opção econômica. A política está em reconhecer nosso algoz. Ia tudo muito bem até o despertas dos medos e do fanatismo religioso. Como lidar com isto no 2º turno contra a mesma camarilha???

Responder

    Lucio

    03/10/2010 - 23h57

    Seu nome me fez lembrar que Brizola Neto no Rio parece não ter conseguido.Se alguém puder confirmar agradeço.Confesso que a se confirmar profundamente consternado. Extremamente combativo e merecedor de aplausos.Coisas do eleitor.

    Renato Lira

    04/10/2010 - 04h10

    Infelizmente, a princípio, o Brizola Neto não se reelegeu, apesar da excelente votação que teve.

    Porém, se o Garotinho rodar, será que ele ganha uma vaga?

    Aguardemos.

Marina Serette

03/10/2010 - 23h26

Esqueci de dizer que minha decepção é maior ainda com o povo de São Paulo. Perdemos um senador para a direita e o segundo turno não veio. Por que o povo desse país é tão cauteloso quando se trata do PT? Qualquer denúncia contra seus candidatos vira sentença judicial, enquanto as denúncias aos candidatos do PSDB são toleradas e muitas vezes desconsideradas. O PSDB governa São Paulo há 16 anos e o paulista sequer quis dar um susto neles e dizer "olha melhora sua proposta, não estamos dando um cheque assinado em branco para vocês não". Uma coisa é certa, não é fácil ser "de esquerda", tudo para nós é mais difícil, as conquistas, quando ocorrem, são sempres muito sacrificadas. Boa noite a todos, se for possível dormir…

Responder

    Lucio

    03/10/2010 - 23h52

    Se você raciocinar em cima de suas próprias questões (muito relevantes) terá a resposta. Não tem segredo.

kimparanoid

03/10/2010 - 23h23

Eu sei que vai parecer discurso de time que reclama da arbitragem, mas o fato é que eu simplesmente não consigo confiar nessa tal urna eletrônica.
Como diz o engenheiro Amílcar Brunazzo, nosso grande especialista na questão, sem a materialidade do voto – o "papelzinho" – não dá pra afirmar que não há manipulação do resultado de uma eleição, tampouco dizer o contrário.
E é nas sombras dessa incerteza, avançando um pouquinho sobre as margens de erro das pesquisas eleitorais (todas erraram?), que o resultado de uma eleição pode mudar.
Seja qual for o resultado desta eleição, a prioridade da agenda política da sociedade civil brasileira deve ser a luta pela materialidade do voto e consequente auditabilidade do processo eleitoral. A democracia não pode ser uma questão de fé no TSE.

Responder

    mariazinha

    03/10/2010 - 23h59

    APOIADO!

    Rennan

    04/10/2010 - 01h51

    É,pô,foi isso. Os tucanos tomaram de assalto o TSE!

    Rodrigo Carvalho

    04/10/2010 - 05h50

    Muito estranho: crescimento do Serra e a diminuição da agressividade da mídia em seus ataques contra Dilma, parece que já sabiam que teria segundo turno e os institutos de pesquisa erraram…também desconfio.

emerson

03/10/2010 - 23h22

Acho que Dilma vence o segundo turno, mas será fortemente atacada por Serra e pela mídia. Serra está em uma situação muito ruim porque sai do primeiro turno muito menor do que entrou. Se continuar poupando DIlma, não mudará de patamar mas se atacar Dilma não conquistará nenhum voto. A incógnita é Marina. Em uma situação menos conflitante, seria normal declarar apoio a Dilma assim como Covas apoiou Lula em 89, mas se declarar apoio a Serra decepcionará sua base mais a esquerda e jogará fora seu trunfo eleitoral. Se permanecer neutra será interpretado como apoio a Dilma.

Responder

Claudio Lopes

03/10/2010 - 23h22

Minha análise é a seguinte:
Dilma teve 14 milhões de votos a mais que o Serra.
Marina teve 19 milhões de votos.
Logo, o Serra teria que herdar 17 milhões dos votos da Marina pra vencer o segundo turno e isso é muito difícil.
Considero que a maior parte dos votos do plínio serão pra dilma ou nulos.

Responder

yeda lima

03/10/2010 - 23h21

Azenha

Nesse momento, não consigo ver com muita clareza, no entanto concordo com parte de sua análise. Minha expectativa era encerrar no primeiro turno. Principalmente porque não suporto mais a baixaria/boataria que despolitiza a discussão. E não sei se este mes não será apenas mais do mesmo. Só espero que aqueles que se colocam mais à esquerda do espectro político se unam em torno de projetos mais progressistas para que não venha a se repetir o que aconteceu no Chile nas últimas eleições. Agora, é curtir a ressaca de hoje e recomeçar a militância amanhã. Com coragem e força.

Responder

Fabrício

03/10/2010 - 23h21

Estou profundamente depcionado com o poder da blogosfera, ela é um tiro de 38 comparado a um canhão disparado pela grande mídia.

Responder

    kali, a negra

    03/10/2010 - 23h40

    Cê já viu as eleições para o Senado???

    E o Serra teve 30% da votação. O que é normal quando se trata de PSDB.

    Lucio

    03/10/2010 - 23h58

    Não exagere.

    Lucio

    03/10/2010 - 23h59

    Ainda tem força e merece atenção , mas está longe de ser o que já foi um dia.

Fernando

03/10/2010 - 23h21

Acho que ainda não caiu a ficha do que realmente aconteceu, mas o que acredito é que não é apenas Marina que decide o segundo turno, mas é também Aécio Neves. Os votos que Marina teve no Rio (31%) dificilmente vão para o Serra, mas tudo o que o pessoal da Marina em São Paulo precisa pra votar no Serra é de um simples "ok". Junto com este "ok" pode vir também o trabalho do Aécio em Minas, com isto, Serra ganha Minas e São Paulo. Não fiz as contas, mas acho que vencendo nestes estados com, desde que com larga vantagem, ele leva a eleição. Devo confessar que não estou me sentindo bem…

Responder

mariazinha

03/10/2010 - 23h19

Estou decepcionada. Não com o resultado das eleições; mas com a choradeira que vejo por aqui. Onde estão as pessoas corajosas e prontas para o que der e vier? Onde estão os que defendem LULA e Dilma até debaixo dágua? Muita choradeira dá munição ao inimigo! Se não deu no primeior, vamos para o segundo pois essa atitude derrotista só faz ajudar o chirico; já esqueceram como ele é detestável?
Sinto discordar de VC, caro Azenha. Não acho que houve onda verde coisa nenhuma pois marina é um zero à esquerda, houve sim,uma abstenção enorme que não contavam: Abstenção: 24.389.948 (18,08%), ainda apura-se votos, fora os nulos e brancos. É preciso por a cabeça no lugar e não dar trégua ao inimigo que já deve estar planejando maldades. À luta, companheiros, nem LULA ganhou no primeiro.

Responder

    Lucio

    03/10/2010 - 23h39

    Cuidado com a idéia errada de que o voto em Dilma é ideológico. Esqueça. Quem acha que o eleitor de Dilma tem conceitos definidos sobre "esquerda" ou "direita" se engana. Para isso acontecer será necessário um trabalho sistemático, planejado e exaustivo.Não é tão fácil. E convenhamos, o PT – maior partido que representaria essa "esquerda" – deixa muito a desejar.

    mariazinha

    03/10/2010 - 23h56

    Nesse momento quem está com LULA tem que tratar com naturalidade o fato do segundo turno; agora quem é do outro lado, vai fazer a sua parte que é achar um absurdo um segundo turno. Ninguém, aqui, fala de esquerda ou direita; fala-se em barrar o chirico pois se ele ganhar será a derrota do Brasi, será o atraso, a miséria que voltará a toda força. l Esse negócio de esquerda direita, está fora de moda; o que se quer é o bem estar do Brasil e dos brasileiros. DILMAIS!

    Lucio

    04/10/2010 - 02h29

    Ôpa, vi "lado" demais. rsrs Desculpe-me. Então vai outro "cuidado" : Cuidado ao pensar que "este" ou "aquele" esteja deste ou daquele "lado". rsrs Tem muito eleitor simpatizante mas que não defende Dilma ou Lula "até debaixo d´água". No entanto, esses votos são importantes.

    Arlete

    04/10/2010 - 00h30

    É isso aí Mariazinha, perdemos uma batalha, mas não a guerra. Também acho que miss coquinho não tá com esta bola toda, se ela se vender para o PSDB bom para nós, é a munição que precisamos para desmascará-la. AVANTE COMPANHEIROS!!!!!!!!!!

    mariazinha

    04/10/2010 - 11h15

    AVANTE, SEMPRE!
    Sds.

    @gssaraujo

    04/10/2010 - 03h00

    Mariazinha, concordo totalmente com você. Fiz um comentário abaixo comparando Lula em 2006 e Dilma em 2010. A votação dela, candidata de 1a viagem, com toda a mídia contra, todos – inclusive os Serristas – pedindo voto em Marina (porque o Serra não dava mais) pra ter 2o turno, foi excepcional. O sabor de derrota não se deve a uma derrota. Ao contrário: foi a maior vitória do PT em todas as eleições. Nós é que, pelos motivos que explico abaixo, estávamos criando falsas expectativas.

    mariazinha

    04/10/2010 - 11h14

    Foi isto, caríssimo!
    Agora é arregaçar as mangas e partir para cima do chirico com tudo. Ele continua sendo o vampiro sanguessuga que nós detestamos. Vamos cravar a estaca derradeira em seu coração.
    Saudações cordiais.

Mah_Zinha

03/10/2010 - 23h19

Pelo que eu observei à minha volta nestas últimas semanas, a explicação está quase toda no 5º parágrafo do lúcido texto do Azenha.

Responder

Metheoro

03/10/2010 - 23h19

Azenha o Caso aqui é se debruçar um pouco sobre os números e a história também, vamos la?

Em 2002 tinhamos o segundo quadro no primeiro turno:

1°) Luís Inácio "Lula" da Silva – PT – 39.443.765 votos – 46,479% dos votos válidos
2°) José Serra – PSDB – 19.700.395 votos – 23,196% dos votos válidos
3°) Anthony Garotinho – PSB – 15.175.729 votos – 17,868% dos votos válidos
4°) Ciro Gomes – PPS – 10.167.597 – 11,972% dos votos válidos
5°) Zé Maria – PSTU – 402.040 votos – 0,473% dos votos válidos
6°) Rui Costa Pimenta – PCO – 38.608 votos – 00,045% dos votos válidos

Em 2010 o Quadro ficou assim:

113DILMAPT – PRB / PDT / PT / PMDB / PTN / PSC / PR / PTC / PSB / PC do B47.262.695 (46,79%)
245JOSÉ SERRAPSDB – PTB / PPS / DEM / PMN / PSDB / PT do B32.995.765 (32,66%)
343MARINA SILVAPV19.593.255 (19,40%)
450PLÍNIOPSOL885.131 (0,88%)
527EYMAELPSDC89.010 (0,09%)
616ZÉ MARIAPSTU84.298 (0,08%)
728LEVY FIDELIXPRTB57.745 (0,06%)
821IVAN PINHEIROPCB38.888 (0,04%)
929RUI COSTA PIMENTAPCO12.155 (0,01%)

Com a abstenção de 2002 em 17% e a de 2010 com 19%

O que aconteceu?

Não é que teve um crescimento da Marina, o voto "evangélico" que era do Garotinho em 2002… simplesmente migrou em parte para ela. Isso eu já esperava, aqui em Pernambuco cerca de metade dos candidatos a deputado federal e estadual do PV eram pastores ou evangelistas da Assembléia de Deus, que tem uma força incrível em camadas mais populares, tanto que ela ficou em segundo lugar aqui, a frente do Serra.

Junte a isso outros dois fatores:

O voto dos "moderninhos", aqueles que Hildegard Angel tão bem se referiu no twitter como "voto de modismo" e que em 2002 vinham com Ciro Gomes (apoiados pelo modernismo de ter uma primeira Dama bonita, como a Patricia Pilar, pois é esse povo é movido por isso).

Pensando assim, essas pessoas qeu em parte votavam no Garotinho e em parte votavam no Ciro, simplesmente estão votando na Marina agora. Claro, o momento é outro. Dilma é apoiada por um governo que tem mais de 80% de aprovação positiva e a falta de politização e até um calçar o salto alto do PT (e até de todos nós mesmo)… mas estou bem tranquilo quanto ao que representa o TETO alcançado por Marina… e o quanto representa o TETO alcançado por SERRA.

Fora que podemos ter aqui uma outra leitura, TODOS… EXATAMENTE TODOS os candidatos pequenos de 2002, que até manteram uma mesma votação em 2006, diminuiram muito de tamanho nessa eleição.. incluindo aí o PSOL.

Responder

    @gssaraujo

    04/10/2010 - 02h56

    Gostei muito da sua análise. Fiz abaixo um comentário – sem tanta precisão – comparando 2006 a 2010. Vai na mesma linha, creio eu. Abs.

Sergio

03/10/2010 - 23h17

Endosso o comentário do chanceLer.

O que se vê nas redes sociais é um verdadeiro festival de desinformação, que deve ser combatido no mesmo nível, não da mesma forma, para isso é preciso municiar e se possível organizar a militancia.

Responder

kali, a negra

03/10/2010 - 23h15

Azenha, gostaria que você comentasse as eleições para governadores e senadores.

Responder

Fátima Sousa

03/10/2010 - 23h13

PCC venceu em SP! Que bom !!!

Responder

    kali, a negra

    03/10/2010 - 23h41

    São Paulo todos sabiam que seria isso mesmo.

Sandra Caballero

03/10/2010 - 23h12

Há algumas questões sobre o futuro de Marina que devem ser pensadas. Ela ficará dois anos, pelo menos, sem mandato, e a disputa seguinte para prefeitura e vereadores talvez não a interesse, o que daria quatro anos sem mandato. Agora que cumpriu o papel que a direita queria, forçar um segundo turno, será jogada no limbo do esquecimento. Com certeza, o PV apoiará o Serra, que dano isso causará a sua imagem, já que uma parte significativa de seus votos são de eleitores mais a esquerda? A Heloisa Helena que se apresentou como terceira via, tudo bem que muito a esquerda para a classe média moderninha, sequer foi eleita para o Senado. Temo que a Marina vire uma nova Soninha (pra quem tem a felicidade de não ser de SP, essa figura já foi eleita pelo PT e hoje é coordenadora de campanha de Serra na internet). Apesar da votação expressiva, acho que foi o fim de sua carreira política.

Responder

    Ed Döer

    03/10/2010 - 23h35

    A outra alternativa é ela trilhar um caminho similar ao do Al Gore, que continua fazendo política sem votos.

Ed Döer

03/10/2010 - 23h11

Eu acredito que parte da onda verde seria uma onda religiosa, principalmente evangélica.
Ninguém aqui nasceu ontem. A gente sabe que os líderes desse meio tem grande influência sob seus seguidores. Se conseguem tirar dinheiro do pessoal, conseguir um voto contra um candidato ou a favor de outro é moleza. Agora, a questão é porque fizeram isso?
Foram vítimas dos boatos propagados por e-mail ou simplesmente estão impondo sua preferência no rebanho? E se tal ação se deu nos últimos dias (nos cultos), explicaria porque TODOS os institutos de pesquisa não notaram. Uma parte específica do eleitorado migrou em massa (quase em sua totalidade) da Dilma para Marina, e Serra também.
E ainda sobre Marina, foram poucos os estados que sua votação foi expressiva, mas entre eles temos SP, RJ e MG. Foram milhões de votos que fizeram a diferença e que não eram esperados. Se fosse um fenômeno jovem (como alega o Azenha), teria se repetido em outros estados.

Responder

    Edmilson

    04/10/2010 - 01h48

    Concordo. São Estados onde há muitos evangélicos. SP e RJ principalmente.

    Cris

    04/10/2010 - 06h59

    Meu amigo, desde o tempo de Jesus Cristo, que os religiosos são faceis de serem manipulados e dificeis de verem a verdade, crucificaram Jesus. e vão crucificar Dilma, em nome de uma mentira. na minha cidade houve reunião de pastores para combater a Dilma, teve gente que disse que até viu um vídeo de Dilma dizendo que nem Jesus tirava a vitória dela. SINCERAMENTE, tô envergonhado de pertencer a essa classe.

Thaís Freitas

03/10/2010 - 23h11

O que levou a eleição para presidente ao segundo turno foi em parte a onda de notícias desfavoráveis e parciais sobre escândalos do PT, a blindagem sobre os escândalos do PSDB. Entretanto, na minha opinião a própria esquerda é imediatista e não apoiou o governo do PT, não foi pragmática o suficiente para aceitar o tempo de reformas e preferiu atacar o governo Lula e seus aliados a fim de massagear o próprio ego e limpar a própria consciência dando espaço à direita!!! Que raiva! Queria não pensar do jeito que eu penso, queria ser burra e manipulada pelos emails falsos, pela mídia golpista… mas eu não consigo!! Quero justiça para o povo!! Quero um Brasil melhor para todos os brasileiros!!!

Responder

Manoel R.Mello JR

03/10/2010 - 23h10

Artur Virgilio – FORA
Heráclito Fortes – FORA
Cesar Maia – FORA
Tasso Jereissati – FORA
Gustavo Fruet – FORA
Marco Maciel – FORA
José Carlos Aleluia – FORA
Heloisa Helena – FORA

Alguém lembra de mais algum.

A MARINA ESTA FORA
O JOSÉ SERRA FICARA FORA.

PERDEMOS UMA BATALHA DEMOCRATICA , NÃO A GUERRA,AVANTE DILMA PRESIDENTA NO SEGUNDO TURNO.
GENTE VAMOS TRABALHAR EM DOBRADO E ESPERO QUE O PT E DILMA DE AS DEVIDAS RESPOSTAS AS INSINUAÇÕES A RESPEITO DE NOSSA CANDIDATA , E QUE SEJA RESPONDIDA A ALTURA .

Responder

    José

    03/10/2010 - 23h32

    Mercadante!

    Stefano

    04/10/2010 - 00h23

    RS
    Yeda Crusius (tucana gov do RS) FORA -> TARSO GENRO 13 faturou
    GERMANO RIGOTTO (ex gov ) candidato ao Senado pelo PMDB _RS FORAAAAA (nao ganha mais nem a eleiçao de sindico de predio)

    A Dilma Ganhou do Serra no RS

    Renato Lira

    04/10/2010 - 01h25

    Cesar Borges, Itagiba, Raul Jungmann, Jarbas Vasconcelos, Yeda Crusius, Luciana Genro…

Uélintom

03/10/2010 - 23h10

Marina não vai decidir nada. Ela não é nada. Com quatro dias de manchetes, o PiG descarta Marina. Ela não interessa mais à Direita. Já cumpriu seu pequeno papel de dar fôlego às trevas. E o pior é que ela se acha mesmo o máximo.

Responder

    CC.Brega.mim

    03/10/2010 - 23h55

    Não acho não.
    A Marina tem o poder que ela quiser ter agora.
    Não tá feito. Se ela quiser botar pra quebrar,
    tem milhoões de votos nas costas
    pra levar onde ela quiser.
    Tem poder e se ceder à direita
    é porque é direita.

M.A.P

03/10/2010 - 23h09

Prezado Azenha
Puxa,que "ressaca"!
E se a Marina sair de vice do Zé Serra?
Aí embola o meio de campo.

Responder

    Rabuja

    03/10/2010 - 23h38

    Vou dar meu palpite. Por maior que seja a mágoa e o ressentimento dela com o governo, seria suicídio político aceitar isto. Isto é onda do PSDB para começar a pescar os eleitores dela. Nem eles acreditam nisto.
    Ela não vai apoiar ninguém, vai ficar na dela comemorando sua vingança, ops, vitória pessoal.

    Fabricio

    03/10/2010 - 23h59

    Não acredito que a maioria dos eleitores da Marina esteja disposto a votar no Serra.

marina

03/10/2010 - 23h08

Acho que a questão religiosa pesou sim, vi muitos amigos votarem na última hora em Marina por conta dos emails caluniosos sobre aborto, blá, blá, blá…
Mas tenho absoluta certeza que Dilma ganha no segundo turno, porque essas mesmas pessoas não votam em Serra em hipótese nenhuma!

Responder

    simas

    04/10/2010 - 01h41

    Hummmmmm…. Isso, se a mídia, maldita, não trabalhar, direitinho. Tá?

Marina Serette

03/10/2010 - 23h08

Estou chocada, desolada e decepcionada com o povo desse país. Não sei quem está certo na análise se o Azenha ou o "Chanceler", talvez os dois tenham razão, em parte. Só sei que a campanha da Dilma precisa fazer uma avaliação séria e mudar o rumo. Detalhe deu no IG que o sr. José Serra está articulando para mudar o seu vice. Os cotados? Pasmem… Marina Silva ou Aécio Neves. Caríssimos a batalha será duríssima.

Responder

    Arlete

    04/10/2010 - 00h37

    Duvido que o sr Aécio aceite, ele ´se acha muito acima para ser vice.

silvio

03/10/2010 - 23h08

Azenha, como sempre você demonstra capacidade analítica pertinente. As análises que tenho visto nos últimos dias na blogosfera dilmista são todas muito simplistas. Considero-me uma pessoa com uma capacidade razoável de antecipar os movimentos políticos e desde que iniciei minha campanha pelo voto em Marina detectei uma parcela considerável de eleitores de Dilma que gostariam de votar na minha candidata, mas tinham medo de Serra ser eleito. A maioria dos blogs independentes tem resumido o voto em Marina como uma consequência de campanha midiática (desqualificação do voto), das igrejas evangêlicas, anti-pt, etc. Talvez por conta da experiência do próprio umbigo, identificam a tendência sudestina como sendo a do Brasil e pensam que todo eleitor de Marina o faz de forma gabeiral. Não acredito nisso. Acho que uma parte considerável do eleitor de Marina irá votar em Dilma, pois sabe que Serra é passado e Dilma é pelo menos o presente. Se não dá para ficar com o futuro que pelo menos não voltemos ao passado. É erro de estratégia do PT e de Lula. A gente não quer só comida. E eu não sou tão jovem assim. Avalie os que têm menos de 30 anos que veem a cada dia suas perspectivas de vida na Terra se tornarem turvas? Há que se politizar essa discussão. Pebliscito é pouco. Quem tinha menos de 12 anos antes do plano real, não avalia tão bem o que significam os anos lula. Pense em quem tem hoje 25. Em 2000, antes da crise de energia de FHC, tinha 15. Foi um erro de arrogância solapar a candidatura de Ciro Gomes. É um erro escolher alguém sem carisma por mais competente administrador que possa ser. Agora, a batalha vai demonstrar quem sabe realmente usar as armas do diálogo e do convencimento. Vou votar em Dilma. Vamos ver como se manifestará o povo brasileiro.

Responder

    jussara

    04/10/2010 - 00h34

    Achei que a campanha da Dilma deveria, mostrar que se preocupa com o meio ambiente, apontando ações que foram feitas no governo. As acusações falsas que circulavam na internet precisavam de respostas rápidas e divulgação pela rede num local específico. Acredito que o que mais tirou votos foi o fundamentalismo das igrejas. Mas precisamos arregaçar as mangas e partir para eleger a DILMA no 2ºturno!

CC.Brega.mim

03/10/2010 - 23h07

a classe média
prefere votar na dilma e no pt no segundo turno

Onda Verde tem nome: classe média https://vaiencarar.wordpress.com/wp-admin/post.ph

Responder

Maria 1

03/10/2010 - 23h07

Vc está subestimando, e muito, o poder disseminador de boatos dos púlpitos. Padres e pastores mentiram descaradamente, com a quase cumplicidade de seus superiores. As igrejas, em especial as evangélicas neopentecostais e suas "trocentas" denominações, estão em todos os rincões do país. E tal qual os barões da mídia, também temem perder privilégios nessa área comum. Então agiram. Lançaram o vírus, a bala de prata que provocou uma migração de votos que nem mesmo os institutos de pesquisa foram capazes de captar. A onda verde esteve sempre com a Marina e não passava de 8% a 9%. Os agregados de última hora vieram da debandada do rebanho católico, em menor escala, e do evangélico, em sua maioria. O programa da Marina nem de longe representa uma terceira via. Ao genérico desenvolvimento sustentável, nunca devidamente explicitado, está associado um projeto econômico neoliberal em nada divergente daquele do PSDB.

Responder

    Euclides

    03/10/2010 - 23h43

    Perfeita análise… a onda verde não passou dos 9% … os boatos de terrorismo religioso é que contribuiram para a subida da Marina nas duas últimas semanas. E a subida da Marina e do Serra no domingo foram decorrentes dos milhares de cultos evangélicos realizados na 6ª feira à noite e no sábado, de forma que as pesquisas não alcançaram/captaram o pessoal que participou destes cultos.
    Infelizmente o crescimento da Marina não se deu por suas idéias e propostas, mas sim por conta dos boatos rasteiros el mentirosos que envolvem o emocional das pessoas com fé e religião: estes sim mudam a opinião das pessoas.

Maria Clara.

03/10/2010 - 23h07

Parabéns! Acho que se os "intelectuais" brasileiros passassem mais tempo combatendo o fundamentalismo religioso ao invés de só atacar a Igreja Católica, a pedofilia e pela inquisição, seria bem mais proveitoso.A cegueira é tão grande, que como diz a Bíblia, não se vê uma trave no próprio olho.

Responder

pauloMSM

03/10/2010 - 23h05

Também me preocupei com a estória do Jesus com a Dilma, pois religião é ainda um assunto muito delicado no Brasil, e vi muitas pessoas desistindo de votar na Dilma facilmente, inclusive em comentários de blogs, sem nem comprovarem a veracidade do fato. E embora Lula e mesmo Dilma tenham reagido, não houve tempo para que a população percebesse a tempo. Nesse sentido (o religioso) as pessoas ainda são muito manipuláveis nesse país. Então o que fazer? Ser mais agressivo, reagir mais rapida e incisivamente.

Responder

Rogeiro

03/10/2010 - 23h03

A CNBB que acoberta seus pedófilos vai fazer o que agora?

Responder

    Maria Luiza

    03/10/2010 - 23h33

    Quer dizer que a culpa foi da CNBB? Me poupe! Cegueira tem limite!

    scan

    04/10/2010 - 00h44

    Em parte foi sim. Não há como negar.
    Negar isso é burrice.
    Os padrecos de m(*) ajudaram, e muito, a direita.
    Estude história e veja ao lado de quem essa maldição chamada Igreja Católica esteve desde que foi criada.

Roger

03/10/2010 - 23h03

Lula vai ter que entrar duro!!! massivamente!!

Responder

    Rabuja

    03/10/2010 - 23h41

    Só espero que ele não expresse mais a mesma soberba que andou expressando nos últimos tempos. Aliás, não somente ele…

Ernesto Aguiar

03/10/2010 - 23h02

Além das questões enumeradas, faltou principalmente militância, e eu me incluo nessa acomodação. Agora, após esse momento de auto-crítica, temos que arregaçar as mangas e intensificarmos o trabalho de conscientização. Até porque o jogo vai ser muito mais pesado.

Responder

Alcimar Fernando

03/10/2010 - 23h02

O Governo saiu vitorioso, afinal, a base aliada elegeu mais de 50 senadores, a grande maioria da câmara, enfim, em qualque país isso seria encarado como um massacre eleitoral.

Responder

joão

03/10/2010 - 23h01

O seu comentário está aguardando moderação.
3 de outubro de 2010 às 22:42

os evangélicos estão se tornando um problema muito serio
muito perigoso para o pais é triste ver uma coisa dessa
se José Serra ganhar o banco do Brasil e caixa vai ser privatizada quero ver como você vai comprar uma casa uma maquina agrícola desemprego total
Você vai ver navios trens sendo feitos na china
o Bradesco comprando esses bancos ai já é tarde para chorar

Responder

    Fabio

    03/10/2010 - 23h25

    vamos só deixar uma coisa clara: foram tanto evangélicos quanto católicos que migraram pra marina a partir do medo propagado pelos sacerdotes.

    scan

    04/10/2010 - 00h47

    Correto, Fábio.
    A Santa Igreja Católica, esse amontoado de lixo, sempre esteve do lado da direita.

    Taciana

    04/10/2010 - 01h08

    Desculpe Fábio, mas não foi na mesma proporção, não. Eu sou professora e convivo com a juventude e com os "evangélicos". Só conheci uma que me disse na sexta que votaria em Dilma. O resto era tudo igual: contra satanismo, contra aborto, contra o fato que Dilma ia obrigar todos ao casamento gay.

ednaldo torres

03/10/2010 - 23h00

houve salto alto. simples assim. da candidata, do presidente e de nós, militantes. no twitter a tag #ondaverde ficou dias nos tts, isso só pra dar exemplo.
achamos que ganharíamos. foi isso.

Responder

kali, a negra

03/10/2010 - 23h00

Ao menos para o senado o PSDB/DEM foi surrado

PMDB: 14

PT: 12

PSDB: 5

PRB: 4

PSB e PR: 3

PSol, DEM, PP: 2

PRM, PPS, PTB, PSC, PC do B e PRM: 1

Responder

    Fabio

    03/10/2010 - 23h27

    realmente, foi uma derrota e tanto,mas falta 1 senador na sua conta. quem é?

    Renato Lira

    03/10/2010 - 23h46

    Vamos procurar?

    kali, a negra

    04/10/2010 - 00h35

    PDT

    Das 54 vagas para senadores disputadas, 44 ficaram com os partidos da base aliada ao governo Lula.

tarcio Oliveira

03/10/2010 - 23h00

Em conversa com muitos dos eleitores que votaram em Marina, nesta pequena cidade do interior de PE onde vivo, durante todo o dia de hoje, duas constatações: a maioria são jovens na sua 1ª ou 2ª eleição, grande parte mora fora e faz faculdade beneficiados pelo PRO-UNI… Explicações? Pra mim uma boa resposta é essa sua observação: " Por dados anedóticos, colhidos aqui e ali, é possível notar que Marina respondeu a uma aspiração dos jovens, que se mostraram fartos com a polarização PT/PSDB."

Responder

    Fabio

    03/10/2010 - 23h30

    o problema de Marina é que ela alia esta insatisfação justa ao fundamentalismo religioso bisonho alimentado por mentiras.

    Tomara que ela seja realmente uma boa 3a via para o futuro.

luiz

03/10/2010 - 23h00

assino embaixo…
com um adendo, os votos de Marina, pelo menos aqui em SP, foram de jovens, na sua maioria…

Responder

luiz

03/10/2010 - 23h00

Amanhã, grande parte dos votos da Marina já migraram para o Serra e para a Dilma, independentemente da pirotecnia que ela possa fazer. Segundo pesquisas já realizadas, 9 pontos percentuais iriam para o Serra, 7 para a Dilma e os outros 4 seriam nulos ou abstenções. A Dilma precisa de 4 pontos percentuais desses votos da Marina. Existe um plano B, da Dilma,que não foi acionado: o PT.

Responder

Luciene

03/10/2010 - 22h59

O que está em jogo é se vamos seguir em frente ou engatar a marcha a ré. Quando a ficha cair, acredito que os eleitores de Marina migrarão para Dilma.
Gente, a coisa é séria: nós não vamos deixar que o Pré-sal vá parar em mãos estrangeiras ou que o processo de mobilidade social seja brecado.
Então vamos parar de tanta teoria e vamos à luta!
Vocês "Bolgueiros Progressistas" também têm uma parcela de culpa. Aqui mesmo nesse espaço tantas pessoas perceberam a onda verde, mas você preferiu ignorar e cantar vitória. A militância saiu das ruas e fingiu não ver o que era evidente.
Há inúmeras pessoas acostumadas a pensar pela cabeça das elites. Elas reproduzem discursos de Veja, Globo, seja lá do que for, caso contrário teriam de admitir que fizeram papel de bobas por anos e não é fácil admitir-se boba.
Vai levar algum tempo para que elas façam a passagem para a cidadania de fato.

Responder

Alder L. e Silva

03/10/2010 - 22h59

Azenha, além desses fatores citados por você, é preciso que se diga que não foi apenas " a onde verde" que levou esse eleição para o segundo turno, foi também a Erenice Guerra e seus filhos, o diretor dos Correios que cobrava comissão, etc. A campanha do Serra conseguiu incutir em muitas pessoas que o governo do PT é um governo que compactua com a corrupção, com a bandalheira. Em nenhum momento se viu o governo ou o PT vir a público no horário eleitoral rebater essas denúncias e provar o contrário. Ficou parecendo para muita gente, que esse governo chafurda na lama, enquanto os tucanos são as "vestais" os paladinos da moralidade pública.
Se o PT quiser eleger a Dilma no segundo turno, vai ter de rever sua propaganda e cuidar do seu próprio quintal para que não surjam outras Erenices Guerras. Precisa estancar esses boatos plantados por religiosos, precisa, mostrar que o PSDB de volta ao governo pode ser um passo atrás em quase tudo que o país conquistou e, principalmente, que eles não são os "paladinos" da moralidade pública.

Responder

    Lucio

    03/10/2010 - 23h47

    As eventuais "respostas" jamais tiveram o mesmo tratamento. A mídia sabe fazer isso como ninguém.Eles são bons nisso.Muito bons.

    Arlete

    04/10/2010 - 00h47

    Concordo com você, não só as sujeiras do governo, mas também de alguns prefeitos do PT, aqui em minha cidade, por exemplo, a maior parte das pessoas não quer nem ouvir falar no PT, por causa de uma prefeita e sua corja que estão acabando com a cidade. E por causa disto as pessoas não discernem a má gestão de um prefeito com a gestão de sucesso do presidente. Lula precisa se reunir com estes prefeitos incompetentes que estão queimando o filme do partido e dar-lhes um ultimado. Ou trabalha direito ou dá o lugar para quem sabe trabalhar.

    simas

    04/10/2010 - 02h13

    Boa!… O zé serra e a marina castigaram o PT, impunimente. Não sei como pode. A Dilma tem de responder, na bucha. Tem de botar o dedo, na cara, mesmo… No fim, fica passando por grossa, durona e tudo mais e não passa de uma frouxa. Frouxa! O Partido é cheio de frouxas… Onde anda o Dutra q não cria o ambiente de revolta. Não foi, só no debate… A mídia, maldita, agrediu o PT e a Dilma, e o Presidente, qdo quis e desejou… Quem não responde; concorda. Eu li, q a PF está nos finalmentes da investigação do caso Erenice e, pasmem, não está encontrando, nada, q possa qualificá-la e aos outros… Já imaginaram? Tem de fazer zueira…. Tem de perseguir, igual os adversários fazem…. O governo ou alguém do governo tem de chegar às lideranças religiosas e colocar o q quer e pronto. Tem de fazê-lo, em tom firme…. Eu imagino q uma Igreja se proponha a não ser desonesta…. Então, q o seja, em tudo. Pronto!!!… Urge agir com autoridade, firmeza. Caceta! Eu vivo escutando esse pessoal do PSDB impor o tal do mensalão do PT… Q diabo; esse mensalão AINDA existe? O q existe, me parece, em toda a sua extensão, são os mensalões de Minas e do DF… As ligações do Valério, do Dantas com os políticos da chamada oposição não existe… Ninguém toca. Qual é? É proibido? Eu, volta e meia, vejo o…. pres da CPI do Banestado, falando sobre o caso… Só ele se manifesta; mais ninguém… Qual é?…. afinal.

Fernando

03/10/2010 - 22h58

Azenha, não se perca em tentar ver o óbvio: Marina tem história de vida e política, lembra a história do Presidente e não sofreu ataques pesados. Isto é a verdade. Porém, no segundo turno é Dilma.

Responder

Pafúncio Brasileiro

03/10/2010 - 22h58

Azenha,
A Marina, espertamente usa a franquia sustentabilidade (que é uma bandeira de todos) para sí. Os Pafúncios entram nesta conversinha mole. Se a Dilma quiser ser presidente, ela precisa ser muito didática e mostrar aos Pafúncios e Pafúncias nacionais que esta bandeira é de todos. Outra questão é desarmar esta bomba da religião, misturada com a palavra aborto. Mostrar a questão de modo sincero e como de saúde pública. Quantas mulheres morrem nestas "clinicas" clandestinas?. Desvincular isto da questão religiosa. A conferir.

Responder

Cesar Augustos

03/10/2010 - 22h58

Azenha,
acho que mais de 24 milhões de Abstenção ( quase 19 %) teve peso siguinificativo no resultado final. Talvez aí uns 3,5 %
que faltaram para a vitoria no primeiro turno…não sei, achei um percentual muito alto.

Responder

    Camila Fasolo

    03/10/2010 - 23h11

    Agora imagina um segundo turno no meio de um feriadão…

    scan

    04/10/2010 - 00h49

    As abstenções estão dentro da margem. Em 2002 foi perto disso aí também.

    simas

    04/10/2010 - 02h25

    Meu caro, não foram essess 19% de abstenção q fizeram a diferença…. Foram os 20% da marina. Essa tal de onda verde q falam, tanto, pra mim não existiu… Foi um modismo, de classe média… A classe média tem dessas frescuras. Às vezes, até, resolve votar no candidato, oposto… q não diz, nada. Mas…. é alto, forte, jovem e bonitão… Então, votam no tipo. Com a marina foi o mesmo: os do contra q não votam nos PSOL PSTU, etc… cansados de ouvir de corrupção, votaram na marina; e os, tbm, em especial, jovens… q viram a marina como uma coisa nova, fora do esquadro imposto. Se não houvesse a marina, toda pura, seria o Plínio…. o da vez. Modismo, meu caro.

João Carlos

03/10/2010 - 22h58

Os paulistas se acham o máximo, mas elegeram um Opus Dei para o governo de SP e um truculento como este Aloísio Nunes para o Senado. E de lambugem, o Tiririca!
Qual será a razão de em SP gostarem tanto de direitistas e de maus administradores?

Responder

    Fabricio

    03/10/2010 - 23h08

    É o "Paulistismo" a doença que assola boa parte dos paulistas.

    Lucio

    03/10/2010 - 23h14

    Tentar entender o estado de São Paulo é um exercício penoso. Quase ninguém acerta quanto tenta.Já li várias tentativas. Pode acreditar meu caro, a maioria que vota no `PSDB em todos esses anos é a mesma que vive reclamando da educação, segurança e saúde pública. Não me peça para explicar.Eu não ousaria. Tenho um palpite mas vou me abster antes que alguém me imagine paranoico. hehehe

    scan

    04/10/2010 - 00h51

    São Paulo merece esta m(*) toda. Vão se afogar, contentes, nessa imundicie.

    Sou paulista e tenho asco desse povo.

Lucio

03/10/2010 - 22h58

Gostei da análise. Eu discordo em alguns pontos mas no geral é o que eu sinto. Quanto a Marina nada me tira da mente que ela é produto da mídia. Eles a criaram, alimentaram e conseguriam dela o que queriam: A eleição foi para o segundo turno. Vitória da mídia. A grande vencedora até aqui. Fez o que quis , não sem protestos de parte de internet e tentativas concretas e admiráveis de pessoas como o Sr. Eduardo Guimarães.Infelizmente não foi o suficiente. Essa mídia ainda tem força suficiente para fazer estragos consideráveis. Repito : No meu entendimento o voto em Marina nada tem a ver com algum discurso dela ou proposta que tenha apresentado. Até porque não houve.Nem a desculpa de que as pessoas estão preocupadas com o meio ambiente justifica. Aliás, essa visão foi do Sr. José Anibal. Diz ele que o voto em Marina foi a demonstração dessa preocupação. Então tá.

Responder

    Lucio

    03/10/2010 - 23h06

    A não ser que acreditem que Marina só "com todo aquele seu tempo de TV" foi capaz de obter a votação que teve.Ela teria que ter um discurso muito eficiente para que os seus eleitores fossem instigados a querer "saber mais" sobre ela. E isso definitivamente não existiu.Sinto muito, mas não : O voto em Marina foi vitória da mídia e só. Ela é página virada agora. Novamente a mídia está com o poder. Dilma vence? Provavelmente, mas a força da mídia se mostrará nos números. A chamada "velha mídia" tem fôlego. Quem acha que ala vai repensar qualquer coisa sobre si mesma se engana. Está mais viva do que nunca. Mas…. Espero muito estar enganado.

Eduardo do E S Prado

03/10/2010 - 22h57

Eu só chamaria de onda ver de se os quase vinte milhões de votos da Marina representassem alguma preocupação ecológica. Claro que tem isso também, mas acho que esse resultado impressionante tem outras explicações:

1 – Escandalos de corrupção explorados por jornais e revistas, dia sim e o outro também.
2 – Uma ondas de boatos, muito bem plantados, acusndo Dilma e o PT de:
a) serem defensores do aborto, o que equivale a dizer que seriam contra a vida.
b) serem anti-evangélicos: "Dilma vai perseguir os evangélicos"; ou "Dilma disse que nem Jesus tira ela do poder".

As duas frases acima eu ouvi muito, principalmente no dia da eleição, e tem muita gente que acredita.

A Dilma tem grandes chances de vencer o 2o turno, é a franca favorita, mas sua campanha precisa tomar muito cuidado para não substimar o inimigo. Um dado perigoso é que entre os mais religiosos a rejeição à Dilma está aumantando, é preciso dar atenção a esta parcela do eleitorado, poia a oposição vai apostar todas as fichas neles, nos evangélicos.

Responder

easonnascimento

03/10/2010 - 22h57

Eu sei que em se tratando de segundo turno, nem sempre todos os eleitores que fizeram uma opção no primeiro turno, repetem no segundo. Se assim fosse, Dilma precisaria crescer pouco mais de 5%. Serra precisaria conseguir agregar por volta de 19%. Seria mais fácil para Dilma. Continua sendo, embora seja uma outra eleição e a lógica possa não ser essa. Por isso vai existir muita tensão nesses próximos 30 dias e as alianças serão fundamentais. A militância que tinha se acomodado vai ter que trabalhar mais para consolidar a vitòria de Dilma. Começamos na manhã desta segunda. Ao trabalho.
http://easonfn.wordpress.com

Responder

paulo sergio

03/10/2010 - 22h56

Poxa cara , fazer essa reflexão assim no frigir dos ovos … Basta olhar aqui à nossa direita a resenha , depois que o tiro é dado fica fácil achar culpado . Porque isso agora … que conversa é essa ? A direita conseguui seu objetivo exatamente porque consegue ser unida , coesa .Vc passou o tempo todo falndo coisa bem diferentes , mostrando o jogo sujo da midia , está aí do lado direito de onde te escrevo e agora vem com essa prosa? Esqueceu da ultima eleição , sangraram o Lula com denuncismo e quase tiraram dele uma vitória que se tinha como certa . Ei , atenção aí , vamos manter a coerência se não eu volto prá tv , se for prá compartilhar conversa mole .
Paulo

Responder

Janes

03/10/2010 - 22h55

Resposta à pergunta 1: salto alto; resposta à pergunta 2: salto alto; resposta à pergunta 3: salto alto. Acho que estavam eles, o partido, e nós, eleitores de Dilma, achando que já ganhamos. A sua lembrança da análise que remete à promoção social de um eleitorado conservador, também tem todo sentido. Mas tudo bem, prefiro conservadores que têm condições de discutir de igual para igual com liberais do que conservadores humilhados pela fome, as condições indignas, a esmola e o desespero.

Responder

Gerson Carneiro

03/10/2010 - 22h54

Do texto, concordo plenamente com as questões levantadas em torno da campanha da Dilma.

Porém, quanto a existência da onda verde, se eu pensar que houve uma onda verde, também pensarei que houve uma onda multicolorida em torno do Tiririca, tão colorida quanto os trajes dele. Então, a explicação para a existência das duas ondas seria a mesma: pouco caso com a seriedade da eleição.

Tenho dificuldade em aceitar uma existência da onda verde em função do discurso da Marina Silva. Por isso, concordo com a explicação do Aldo Rabeleo, que disse:

"Esse resultado não é nem 'onda verde' nem 'fenômeno Marina'. É o resultado da parcela de eleitores que inicialmente estavam indecisos, depois se decidiram pela Dilma ou pelo Serra, e com o embate entre os dois, com as acusações que surgiram, viram na Marina uma terceira opção. Com o segundo turno, não havendo a terceira opção, acredito que metade desses votos irão para um candidato, e a outra metade para o outro".

Responder

Marcelo Vasco

03/10/2010 - 22h54

Penso que um dos problemas de Dilma é a oratória, especificamente, a falta de firmeza nas falas acompanhada de uma gagueira devastadora. Além disso, sua cara de cansaço – e seu reconhecimento de que efetivamente estava – passou-me uma péssima impressão ao final do debate da Globo. Serra é antipático, mas há de se reconhecer que Dilma não é nenhuma "Miss Simpatia", por isso, o apoio de Marina é fundamental. Que o PT tenha certeza disso ao negociar com o PV.

Responder

ruypenalva

03/10/2010 - 22h54

A fraqueza da resposta midiática do PT para responder às acusações de corrupção, o alinhamentto acintoso da grande mídia à campanha de Serra/Marina, a pouca politização da campanha televisiva, a menos que desejável exposição de Lula afirmando que o voto em Dilma era o voto nele, a campanha difamatória via internet, todos esses fatores contribuíram para Dilma não ser eleita no primeiro turno. Mas devemos lembrar, nem Lula o foi. Mas houve recompensas: A derrota de Jereissati, de Artur Virgílio, de Marcos Maciel, de Heloísa Helena. O PT saiu forte em relação ao PMDB e fez uma campanha apertada em São Paulo, estado feudo do PSDB. Agora é ver o resultado das pesquisas e calibrar a campanha. Eu tenho em mente que cerca de 30%, no mínimo, do eleitorado de Marina migra pra Dilma. Dilma só vai precisar consquistar certa de 3.5% de eleitores para ganhar, a tarefa de Serra é mais árdua. Tem de mudar a equipe de marketing de Dilma, tirando intelectuais sem experiência em campanha, como meu amigo Risério. Tem de colocar gente mais esperta e menos intelectual. João Santana precisa esquecer o estético e aprofundar no extático, foi mal do meio pro fim a campanha televisiva dele.

Responder

Ricardo Corrêa

03/10/2010 - 22h53

Azenha, é preciso olhar esses números com calma, mas essa onda não parece ser tão verde assim. Veja os casos do RJ e DF. No RJ, a Marina teve muito mais votos que o Gabeira! Não há a menor dúvida que essa diferença não é verde. Isso dá 1 milhão de votos fluminenses que não foram para o candidato ligado à classe média que, pela lógica, deveria se beneficiar da suposta onde verde. E por que não foram? Não teria a ver com o fato de o Gabeira ter (justa ou injustamente) a imagem ligada à maconha, entre outras teses "liberais demais"? E qual parcela do eleitorado teria resistência a esse tipo de imagem? Certamente não seria o da onda verde… É claro que tudo isso é suposição, mas foi visível o efeito nas pessoas mais humildes e religiosas dessa campanha de difamação da última semana de campanha. Pelo menos no RJ e no DF.

Responder

alexandre

03/10/2010 - 22h53

Importante notar que o serra subiu ,proporcionalmente menos que a marina,mas os mesmos cinco por cento nos ultimos tres dias. O crescimento da marina foi lento e constante. quando acelerou,o serra acelerou junto. Foi o Spam a massaroca de SPAMS mAS ,SOBRETUDO o o do"Nem jesuspode me impedir". Foi o que potencializou todos os outros spams . Existe muita gente desprovida de autoproteção e crítica. Se informa por spam ,manchete da veja-folha e conversa superficial de fila de banco.
outra coisa que pode ter feito o serra subir. Os 600 merréis de salário. recuso-me a crer.

Responder

NELSON

03/10/2010 - 22h52

Azenha, perfeito, irretocável.

Responder

Horridus Bendegó

03/10/2010 - 22h52

O grande adversário sempre foi o PIG.

Responder

Elton Ribeiro

03/10/2010 - 22h52

A Onda verde na verdade é fruto das inverdades publicadas na mídia sobre Dilma, como o povo é muito influenciado pela memsa e por ainda lembrar dos oito anos de FHC migraram para Marina. Simples Assim…

Responder

Leonardo

03/10/2010 - 22h52

Incompetência pura, Azenha!!! Amadorismo mesmo.
O PT não aprendeu com 2006. Um erro que pode custar muito caro.

Responder

Jadir Filho

03/10/2010 - 22h50

Caro Azenha!
A explicação não estaria também no alto número das "abstenções" , em torno de 18%? Isso é normal? Sem contar com os "brancos e nulos", quase 9%.

Responder

Leonardo

03/10/2010 - 22h50

Foi isso mesmo que aconteceu. Na sexta-feira após dar aulas o dia inteiro para várias turmas de jovens do terceiro ano e do cursinho pré-vestibular, percebi que eles eram a verdadeira onda verde. Fiquei impressionado e comentei com um outro professor. Naquelas turmas, Dilma e Serra praticamente não existiam. Marina era maioria.

Responder

    Fabio

    03/10/2010 - 23h37

    Gostaria de crer que a Marina pudesse responder aos anseios destes seus alunos. Tomara que eles estejam certos e ela venha com uma política mais limpa.

CC.Brega.mim

03/10/2010 - 22h49

Onda Verde tem nome: classe média
https://vaiencarar.wordpress.com/wp-admin/post.ph

Responder

Klaus

03/10/2010 - 22h48

Dilma tem 80% de chance de se eleger no segundo turno, Serra 20%. Ontem eu achava que a chance de segundo turno era Zero. Para que Serra vença, terá que fazer com que Dilma tenha MENOS votos no segundo turno em diversos estados. Em Minas e São Paulo isto poderá ser obtido com um engajamento maior dos governadores eleitos. Posso garantir: Aécio não fez nada por Serra aqui em Minas. Difícil ver uma foto dele aqui em Minas. Agora, com Anastasia eleito, veremos o que fará Aécio. Se entrar forte na campanha, corre o risco de Dilma ter menos votos. Em São Paulo é a mesma coisa. Comenta-se que Gabeira poderia ser o novo vice de Serra. Com isto, abre a possibilidade de uma maior votação serrista no Rio de Janeiro e Brasilia, onde Marina e, menor escala Gabeira, tem força.

Responder

    Klaus

    03/10/2010 - 22h48

    Desta forma, Dilma não tem que se preocupar apenas em ganhar os poucos votos que faltaram para se eleger, mas impedir que perça muitos que teve no primeiro turno. Sua grande chance está no norte, nordeste e centro-oeste, mas a votação de Marinha surpreendeu nestas regiões. As chances de Serra são diminutas, mas muito maiores do que vinte quatro horas atrás.

    P.S como pagar um mínimo de R$600,00? Promessa é dúvida, quer dizedr, dívida.

    Maria

    03/10/2010 - 23h02

    Quanto foi o percentual de Aécio na eleição?

    Cesar Augustos

    03/10/2010 - 23h44

    Klaus,
    para o Serra ter mais votos no Rio ´não seria com Gabeira como vice, talvez com a propria Marina que obteve mais votos que o Gabeira,mas tem uma outra questão: O que fazer o Indio de Costa? Como Ele ficaria com o cacique Cesar Maia? Acho que a Dilma tem que prestar mais atenção nos 'Xiitas' religiosos (Pastores e Padres) e dedicar uma programa eleitoral pra falar da questão do Aborto. Diga que é contra o Aborto e tambem contra a pedofilia!
    É simples,o PT reduziu a mortalidade infantil ,logo é favor da vida.

    Arlete

    04/10/2010 - 00h55

    Não acredito que o Aécio esteja interessado no sucesso de serra, esqueceram que ele foi preterido pelo partido. Imagine o ego de uma estrela ferida? Ele não conseguiu negociar para ser o presidente com a turma do psdb, a vitória de seu sucessor é tudo o que ele precisa para criar o seu partido. Minas "aécio" não quer perder para SP, lembram-se da república café-com-leite?O tempo passa , os atores mudam, mas a história continua……

Ronaldo Rezende

03/10/2010 - 22h46

Azenha,

Moro em BH e aqui os impactos dos boatos (aborto, casamento gay, satanismo, etc.) são muito mais importantes que as questões políticas. Sou professor em um curso técnico e meus alunos (jovens em sua maioria) anunciavam o voto em Marina usando motivos morais e religiosos como razões pela escolha.

Responder

    Rafaelrss

    03/10/2010 - 23h03

    Aqui em salvador digo o mesmo.

    Minha mãe me perguntou várias veses sobre essa história de Dilma dizer que nem jesus tira essa eleição dessa, que tinha pacto com o coisa ruim entre outras.

    e o pior é que ela sempre vinha com essa informação do trabalho, da Igreja que frequenta.

    Logo esse boato detonou mesmo a Dilma.

    Euclides

    03/10/2010 - 23h52

    Foi isto mesmo… aconteceu também aqui em Brasília e em Goiânia…. também respondi comentário acima da Maria.
    Se a Dilma quiser a vitória no 2° turno terá que aplicar um antídoto a estes boatos… terá que desfazer todas estas mentiras sorrateiras junto aos evangélicos e católicos.

Marcos Alonso

03/10/2010 - 22h45

nenhum politico falou do custo de vida, impostos, que é altissimo aqui no Brasil.. realmente ninguém falou de politica.. foi muito escandalo e pouca discussao de ideias

Responder

Marat

03/10/2010 - 22h45

Azenha e amigos, se não fosse a internet, Serra seria eleito em primeiro turno. Proponho a você, Azenha e aos demais blogueiros progressistas, que se reúnam cada vez mais, e que desenvolvam idéias com vistas a melhorar as capacidades das verdadeiras esquerdas desse país. Não é possível que em pleno sécuylo XXI pessoas retrógradas e caudatárias dos EEUU ainda tenham tanta força… Reitero: é ncecessário a discussão contínua com vistas a reforçar as forças progressistas desse país!!!

Responder

João Carlos

03/10/2010 - 22h43

Acho que houve também uma acomodação da campanha e da militância quando começou a ser acenada a possibilidade de Dilma vencer já no 1º turno.
Atingimos o ápice antes da hora certa e não soubemos administrá-lo.

Responder

    Fabio_Passos

    03/10/2010 - 22h59

    Não vi militância alguma do PT em Curitiba.
    Zero. Nada.

    E durante a campanha também não vi uma proposta sequer da Dilma para melhorar a vida do povão.
    É preciso adimitir que um salário mínimo de R$600,00 e 10% de aumento para os aposentados é uma coisa muito boa… quem está aposentado e ganha salário mínimo gostaria. Ou não?

    CC.Brega.mim

    03/10/2010 - 23h03

    só que isso é planejado por eles e executado com campanhas midiáticas
    a questão é ficarmos espertos
    por que deixamos que eles ditassem o rtimo?
    de qualquer modo isso aqui tudo cresceu muito
    e podemos potencializar ainda mais agora…

    lucila

    03/10/2010 - 23h10

    Concordo com a acomodação do 'já-ganhou', mas acho que a falta de politização foi mesmo o maior fator, tanto é que todos os candidatos – exceto o histriônico Plínio – se lançaram como agentes do continuísmo do governo atual, todos iam potencializar os feitos alcançados, o que pode ter criado em muitos eleitores um sentimento de que não faria tanta diferença e 'liberado' o voto, não? Aliado ao fato de que não houve explicitação de novas propostas programáticas, isso talvez explique a dispersão dos votos daqueles que aprovam o gov. Lula. Isto é: quero mais do mesmo, qualquer um dos três dará o que quero.
    O segundo turno tem que mostrar que uma coisa é uma coisa, já outra coisa…

Fabio_Passos

03/10/2010 - 22h42

19% não é só classe média.

Marina, assim como Lula, tem a cara do nosso povo e uma história de vida belíssima.

Como serão as negociações programáticas da coalizão governista com o PV para uma eventual união no segundo turno?

Responder

    L.Mauro

    03/10/2010 - 22h49

    Conrcordo com o George, creio que o segundo turno será terrível. Se o Aécio decidir entrar de vez na campanha, a coisa vai por agua abaixo.

    Fabricio

    03/10/2010 - 22h49

    Pelo amor de Deus Fábio.

    Os eleitores que votaram na Marina foram feitos de otários, pois na verdade votaram no Serra. Além disso, a maioria se deixou levar pelos boatos de casamento gay, aborto etc. Tem gente já chamando a Dilma de "sapatã…". A Marina pode ter uma bela história de vida, mas nesse caso ela e seus seguidores foram usados pela direita. Quero acreditar que ela se prestou a isso por ingenuidade ou como uma forma de punição ao governo do qual participou porque de outra forma, vou pensar que ela é uma grande pilantra e aproveitadora.

    Fabio

    03/10/2010 - 22h53

    exatamente, 19% é muito mais que as classes A e B, classes altas do Brasilmas chamadas de classe média.

    tem muita gente contra a corrupção, que não é exculsividade do PT como o PiG finge ser, mas é parcialmente do PT também. tem muita gente que acha terrível o PT ser aliado de escroques históricos.

    Esses 19% são pessoas contrárias ao elitismo neoliberal do PSDB, mas ao mesmo tempo contra o jeito que o PT faz política. Eu tb não gosto dos dois Pena que escolheram uma 3a via que eu não boto fé: nasce meio aliada à direita religiosa, meio queridinha da mídia podre.

    Dilma é a melhor opção, na minha opinião. Mas precisamos de uma alternativa melhor ainda.

    Fabio_Passos

    03/10/2010 - 23h20

    Agora só tem duas alternativas: Dilma e serra.

    Não acredito que o PT seja tão inábil a ponto de não conseguir um apoio negociado com a Marina.

RJP

03/10/2010 - 22h40

Azenha, os evangélicos são 20% da população, e a maioria votou em Dilma. Já foi o tempo em q "evangélico vota em evangélico" (e a Marina é da Assembléia de Deus, cuja liderança declarou apoio à Dilma). Mas eu vi muita gente q odeia o Lula, n gosta da direita e c/ isso, vota na Marina, e a maioria n é evangélica. Ouvi muita gente cantando vitória da Marina (alguns chegaram ao cúmulo de dizer q ela é linda). Acho q a boataria entre o meio cristão ajudou, mas n foi o fiel da balança.

O PT n percebeu esses boatos a tempo, foram lentos p/ rastrear isso (ô Marcelo Branco, atenção!). Acho q os escândalos fabricados pela mídia pesaram +… Se bem q o Serra tem uma rejeição altíssima… Bem, vamos ver, o DataChute (meu instituto de pesquisa) aponta Dilma no dia 31/10, e tb o fim do feriadão de Finados. Mas a briga vai ser boa.

Responder

    Maria Luiza

    03/10/2010 - 23h09

    Desculpe, mas eu não vi isso. Dos que conheço – sou professora universitária – somente uma votaria em Dilma.Nem sei se votou realmente. Eram os mesmos argumentos de aborto, satanismo e casamento gay (obrigatório por "emenda" que nem sabiam o que queria dizer).

Pojuca

03/10/2010 - 22h37

Olha, se fosse esse tal de Aécio, eu ainda ficava com um pé atrás.

Responder

Almerindo

03/10/2010 - 22h37

Só falta a Malarina declarar apoio ao Zé sERRA Abaixo… Vai jogar no lixo TODA sua história. Não consigo entender como o povo brasileiro engole com tanta inocência tantos engodos.

Responder

George de Souza

03/10/2010 - 22h37

Estou pessimista quanto ao segundo turno. A revista do polvo terá mais tempo de fabricar novos escândalos, repercutidos à exaustão nos telejornais e que, somados aos spammers a espalhar boatos, o risco de vermos Serra se eleger não pode ser descartado.

Responder

    Marat

    03/10/2010 - 22h53

    A coligação unidos pela mentira (PSDB/PFL/PPS/PIG) realmente virá muito forte… cada um de nós tem a obrigação de fazer os "verdes" votar na Dilma!

    CC.Brega.mim

    03/10/2010 - 23h00

    sem pessismismo!
    estamos caminhando para a vitória
    precisamos de mais votos.
    só.
    vamos consegui-los mostrando quem somos
    e qual é a alternativa que se apresenta.

Claudio Ribeiro

03/10/2010 - 22h35

Para o plano “B” da coligação midiática/oposição conservadora dar certo: Serra renuncia?
http://palavras-diversas.blogspot.com/2010/10/2-t

O voto pró-Marina, foi claramente inflado por um movimento acintoso da imprensa. Voto que no segundo turno, tendem a migrar, em maior escala, para Dilma Roussef…

A onda verde foi a “foto do dinheiro de 2006″ da mídia nas eleições 2010…

Responder

    priscila presotto

    03/10/2010 - 22h54

    Pode migrar tb para Serra,quem votou em Marina ,vai votar no Serra.

    Renato Lira

    04/10/2010 - 00h01

    Nem todos, nem todos.

    Alguins poucos, acredito.

    Mas muitos anularão.

    E outros tantos votam em Dilma.

    Linda

    03/10/2010 - 22h59

    Claro que não! ele tá comemorando no twitter! A não ser que le fique doente.

    Renato Lira

    03/10/2010 - 23h51

    Já conversei com 2 amigos hoje, que votaram em Marina e agora irão votar em Dilma.

    Perguntei a eles: precisava disso?

    Bem, menos mal que votarão em Dilma, pois, segundo os próprios, detestam o Serra.