VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Nosso alerta ao ICIJ: Mídia sonegou informação a leitores

19 de fevereiro de 2015 às 19h21

Captura de Tela 2015-02-19 às 19.13.26

Cara srta. Guevara [vice-diretora do Consórcio Internacional de Jornalistas Investigativos],

Depois de ler sua troca de mensagens com o jornalista Amaury Ribeiro Jr., estou confuso.

O ICIJ escolheu apenas um investigador no Brasil, o muito respeitado jornalista Fernando Rodrigues, e apenas uma empresa de mídia, o UOL-Grupo Folha [para apurar e divulgar as contas do HSBC no caso Swissleaks].

Como estamos falando de mais de 8 mil clientes brasileiros do HSBC, qual será o critério para separar os “relevantes” dos “irrelevantes”?

Eles do UOL sabem antecipadamente quais nomes são de “laranjas” — como chamamos em português as pessoas que deixam usar seus nomes para esconder dinheiro sujo?

Quais são os critérios para priorizar este nome e não aquele outro? Fama?

Não faria mais sentido se o ICIJ tivesse escolhido parceiros múltiplos para a apuração no Brasil, de maneira a evitar os riscos sobre os quais Amaury Ribeiro Jr. alertou?

Por favor, siga a lógica: uma vez que o ICIJ nunca publicará a lista completa de clientes brasileiros do HSBC, como estaremos certos de que nomes não mencionados não escondem segredos sobre os quais a sociedade brasileira tem o direito de saber?

Tenha em mente que há muitos motivos para ceticismo em relação às corporações de mídia brasileiras.

Como o Repórteres Sem Fronteiras relatou, o Brasil é a “Terra dos 30 Berlusconis”. As famílias que controlam a mídia brasileira agem como um partido de oposição. Elas tem uma agenda política e a seguem em suas publicações, mesmo que isso implique em esconder informação.

Um exemplo?

Amaury Ribeiro Jr. escreveu um bestseller sobre as privatizações no Brasil chamado A Privataria Tucana.

Mas o livro foi considerado “não notícia” pela maior parte da mídia brasileira durante semanas. Depois que o livro se tornou um best seller, a mídia passou a dar atenção a ele, mas apenas para atacar o conteúdo.

Outro exemplo?

Foram blogueiros que noticiaram que as Organizações Globo, nosso grande conglomerado de mídia, haviam sido multadas em R$ 600 milhões por sonegar impostos na compra dos direitos de transmissão das Copas de 2002 e 2006.

De acordo com documentos oficiais, a operação foi feita com a criação de uma empresa fantasma nas ilhas Virgens Britânicas, notórias pela lavagem de dinheiro sujo.

Notícia, não? Não, de acordo com a maior parte da mídia brasileira. Outra vez, foram semanas até que a notícia saísse aqui ou ali.

Nos dois casos, o comportamento vergonhoso foi adotado pelos seus parceiros do UOL-Folha.

Nós, no Brasil, já não ficamos tão surpresos com tal comportamento.

As grandes empresas de mídia promoveram e se beneficiaram da ditadura militar que torturou, matou e “desapareceu” com brasileiros.

O Grupo Folha, aliás, teve alguns de seus veículos de distribuição usados por gente ligada à ditadura e emprestou um dos títulos, o da Folha da Tarde, para ser porta-voz da repressão.

Francamente, ficamos surpresos com a decisão do ICIJ de escolher um único parceiro para lidar com informação tão relevante para a sociedade brasileira, considerando o que acabamos de relatar.

Saudações,

Luiz Carlos Azenha

*****

Dear Ms. Guevara,

After reading your exchange with Mr. Ribeiro Jr., I’m confused.

ICIJ has chosen as it’s sole investigator in Brazil a very respected journalist, Fernando Rodrigues, and a sole media company, UOL-Grupo Folha.

Since we are talking about more than 8.000 HSBC client’s, how in the world will they find out which ones are “relevant”or “irrelevant”?

Do they know in advance, for example, which names might have been used as “laranjas” — in portuguese is how we call people that let their names be used to hide dirty money?

What are the criteria to prioritize this name here and not that one over there? Fame?

Wouldn’t make more sense to have multiple partners doing the work in Brazil, in order to avoid the risks that Amaury Ribeiro Jr. alerted you about?

Please, follow the logic: since ICIJ will never publish the full list of brazilian clients of HSBC, how will anyone be sure that the unpublished names don’t hide an important secret that Brazilian society has the right to know?

Bear in mind that there are plenty of motives to be sceptical about the brazilian media corporations.

As Reporters Without Borders has reported, Brazil is the land of the 30 Berlusconis. The families that control the Brazilian media act as an opposition party. They have a political agenda and follow that agenda on their publications even if it means hiding information.

Case in point?

Amaury Ribeiro Jr. wrote a best seller about the privatizations in Brazil, called A Privataria Tucana.

But it was considered NON NEWS by the brazilian media for weeks. AFTER it became hugely sucessful, it finally got coverage in the form of heavy criticism against it’s content.

One more example?

Bloggers broke the news that Globo Network, our huge media conglomerate, had been fined in over U$ 150 million for not paying taxes when it bought the rights for World Cup 2002-2006.

According to official documents, the operation was done with the set up of a fake company in the notorious money laundering British Virgin Islands.

Newsworthy? No, according to most of the Brazilian media. Again, it took weeks until it was mentioned here and there.

In both cases, the shameful behavior included your partners from UOL-Grupo Folha.

We, in Brazil, are not surprised by such behavior.

The big media companies are the same that promoted AND benefited from the military dictatorship that tortured, killed and “disappeared” Brazilians.

Grupo Folha, by the way, had some of its distribution vehicles used by people associated with the dictatorship. It gave one of it’s titles, Folha da Tarde, to be used by torturers to disseminate lies about political repression.

Frankly, it’s a surprise that ICIJ has chosen to embrace a sole Brazilian partner considering such History.

Best Regards,

Luiz Carlos Azenha

Leia também:

Amaury Ribeiro Jr. renuncia ao Comitê de Jornalistas Investigativos

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora online e receba na sua casa!

 

27 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

EDENIR RAMOS

03/04/2015 - 18h52

TODAS AS PRIVATIZAÇÕES NO BRASIL, SÃO 300% ROUBOS. PARTICIPEI DIRETAMENTE DE UMA: BANESTADO.

Responder

FrancoAtirador

20/02/2015 - 23h18

.
.
SWISSLEAKS: LISTA FALCIANI

O Deputado Valmir Prascidelli (PT-SP) protocolou hoje (20)
requerimento na Mesa Diretora da Câmara solicitando a formação
de uma Comissão Externa do Legislativo para investigar a Lista
das Contas de braZilêros com Contas Secretas no HSBC da Suíça:

“Protocolei na tarde desta sexta-feira, dia 20 de fevereiro, requerimento na Mesa Diretora da Câmara solicitando a formação de uma Comissão Externa do Legislativo para investigar SwissLeaks, nome pelo qual ficou conhecido o escândalo de evasão fiscal envolvendo o banco HSBC na Suíça.

O caso veio à tona após trabalho investigativo de jornalistas que localizou, na filial suíça do Banco, contas secretas mantidas por sonegadores, corruptos e outras pessoas envolvidas com ilegalidades, cuja movimentação seria superior a US$ 100 bilhões.

Desse total, 6,6 mil contas atendem 8,6 mil clientes brasileiros, com movimentação superior a US$ 7 bilhões.
E, dentre elas, 11 têm como titulares pessoas envolvidas na Operação Lava Jato.

As autoridades brasileiras já detêm documentos em mãos para apurar responsabilidades e separar o joio do trigo.

Portanto, é obrigação da Câmara dos Deputados integrar essa força mundial no sentido de mostrar as trapaças da filial do Banco HSBC na Suíça que, em conluio com criminosos do mundo todo, sonegam, burlam e usam de suas fortunas para manter a pobreza, a guerra e o tráfico.”

(https://pt-br.facebook.com/valmir.prascidelli)
.
.
Leia também:

MPF anuncia investigação sobre contas do HSBC

(http://jornalggn.com.br/noticia/mpf-anuncia-investigacao-sobre-contas-do-hsbc)
(http://www.redebrasilatual.com.br/politica/2015/02/governo-e-pgr-acenam-para-inicio-de-investigacoes-sobre-caso-hsbc-no-brasil-7285.html)

Responder

Marat

20/02/2015 - 21h27

Não adianta ter sobrenome Guevara e agir como se fosse Bush, Clinton ou Obama!

Responder

FrancoAtirador

20/02/2015 - 19h17

.
.
Jornalistas do Le Monde criticam Postura

de um dos Donos do próprio Jornal Francês

O milionário Pierre Bergé, um dos sócios-proprietários do Le Monde,
desde 2010, criticou o trabalho dos jornalistas do seu jornal
sobre a publicação dos nomes das pessoas envolvidas
no caso de Evasão Fiscal do HSBC na Suíça.

Trata-se, segundo ele, de “populismo”. Esses nomes estariam sendo “lançados aos leões”. “São métodos que eu reprovo”, disse o milionário.

Imediatamente, a “Associação dos Redatores do Monde” reagiu ao que considerou “uma intromissão no conteúdo editorial” do jornal [Leia a nota abaixo].

“Nós condenamos com força, como em outras ocasiões,
essa intromissão no conteúdo editorial.

O papel dos acionários é de definir a estratégia da empresa
e não de tentar intervir [tenter de peser] no sentido da informação [publicada]”.

A direção do jornal também reagiu com força às declarações de Bergé.

“Nós, membros da direção do ‘Monde’, deploramos os ataques feitos por Pierre Bergé contra os jornalista do ‘Monde’.”

A nota da redação é assim concluída:

“As declarações públicas de um dos nossos acionários não saberia pôr em causa a independência editorial da redação, que continuaremos a fazer ser escrupulosamente respeitada”.

(http://jornalggn.com.br/noticia/hsbc-jornalistas-do-le-monde-sob-pressao-dos-proprietarios-por-marlon)
.
.
Curiosidade

Será que algum(a) Jornalista da Mídia-Empresa braZilêra

se disporia a fazer o mesmo que os colegas do Le Monde?
.
.

Responder

JoaoP

20/02/2015 - 18h02

Obrigado Azenha! Pessoal, vamos ajudar o Viomundo e os blogs sujos, porque sem eles só restam …os jornalistas tipo Uol…

Responder

Helena Bastos

20/02/2015 - 14h51

A turBa midiática é isto aí. Tem furor seletivo no caso da Petrobras e silêncio ensurdecedor no caso do HSBC. Este por sinal um ativo que a financia em regime de relações carnais.

Responder

Aracy

20/02/2015 - 14h24

Azenha, por favor divulgue o endereço para endossarmos seu questionamento à Mrs. Guevara. A união faz a força.

Responder

Sta. Catarina

20/02/2015 - 13h34

Acho que se os ministérios da justiça e das relações exteriores embarcassem seriamente neste caso e exigissem do governo Suiço a lista completa, eles conseguiriam para permitir a investigação de todos os listados.

Responder

Julio Silveira

20/02/2015 - 12h25

Será que alertar esse tal ICIJ é de alguma valia? será que já não foram assimilados (como tantas outras instituições pensadas e criadas cheias de boas intenções) pelo patronato midiático mundial e dos interesses de seus proprietários, defensores de seus status e suas posições, neste tabuleiro de interesses “humanos”? Sei não.

Responder

Cesar Augusto M

20/02/2015 - 10h39

simplesmente CAMBADA DE PICARETAS. jornalistas medíocres e safados. SÃO CORRUPTOS COMO QUALQUER LADRÃO SOLTO neste PAIS. VOCÊS NÃO PASSAM DE BANDIDOS da informação. Envergonham a classe, envergonham a mãe, o pai e o filhos, são bestas lambedoras de botas e não passam disso.

Responder

Sidnei Brito

20/02/2015 - 08h21

Tenho um terço de idade a menos que nosso amigo Kotscho, mas também já estou naquela fase de “vida que segue”.
Jornalistas investigativos que só investigam um dos lados.
Delações vazadas só contra um lado.
Juízes severos só para um dos lados.
Preocupações com intimidades só de alguns.
O cuidado para não se cometer injustiças, mas só em favor de uns e outros.
E por aí vai.
Vida que segue.

Responder

Leandro_O

20/02/2015 - 08h07

Shame on Ms Guevara and ICIJ!! Vergüenza señora, vergüenza!!!

Responder

hugo

20/02/2015 - 04h49

http://br29.com.br/primeiro-politico-com-contas-secretas-no-hsbc-deve-ser-o-deputado-robson-tuma/
Primeiro político com contas secretas no HSBC deve ser o deputado Robson Tuma
Na lista do HSBC aparece o endereço Avenida Cauaxi 189, ap 203, Alphaville, Barueri.
Nas ferramentas disponibilizadas pela ICIJ é possível relacionar o endereço com o nome Barkat Sorathia que, por sua vez, remete a um Barso Global Management and Advisory, Inc. Barso, por sua vez, está relacionada com Portcullis TrustNet (BV). Na página do Portcullis (http://offshoreleaks.icij.org/nodes/54662), por sua vez, estão relacionados inúmeros escritórios.
O leitor foi atrás do endereço mencionado. É o Edifício Everest Tower, em Alphaville. E acabou batendo na declaração de bens pública do deputado Robson Tuma (http://migre.me/oF7UI). Ele tem um imóvel no mesmo edifício, ap. 1203. A lista do HSBC fala em 203.

A próxima etapa de pesquisa será buscar outros brasileiros que podem ter recorrido aos trabalhos do mesmo escritório: http://offshoreleaks.icij.org/nodes/54662
(via Luis Nassif)

Responder

FrancoAtirador

19/02/2015 - 23h34

.
.
TOTALITARISMO CORPORATIVO

À Mesa, degustando o Manjar,

o Banqueiro, o Industrial,

o Governante, o Militar,

o Juiz e o Dono do Jornal.
.
.

Responder

    museusp batista neto

    20/02/2015 - 09h25

    FORMAÇÃO DE QUADRILHA?

    FrancoAtirador

    20/02/2015 - 15h30

    .
    .
    Organização Criminosa.
    .
    .

JorgeSP

19/02/2015 - 22h23

parabens Azenha!
o importante e levantar o escandalo da censura da lista na Europa e EUA.
e preciso apoio de entidades que lutam pela transparencia.
vergonha, vergonha, vergonha esse icij. quanto ao uol, normal.

Responder

Francisco

19/02/2015 - 21h34

Azenha este livro não conta a história toda?

http://www.chiarelettere.it/libro/principio-attivo/la-cassaforte-degli-evasori-9788861906075.php

Responder

Luiz - AlphaPlus

19/02/2015 - 21h31

Pois, Azenha, acho ingenuidade acreditar que esse organismo é imparcial e está preocupado com o combate à corrupção. Muito já foi visto de organismos parecidos que serviam de fachada justamente para acobertar as pessoas importantes tinham seus pecados descobertos. O mundo está cheio de ONG´s que somente se prestam a esse serviço.

Responder

Marat

19/02/2015 - 21h13

Surpreso com uma empresa estadunidense??? Ora, aquele país montou no lombo do FHC e ganhou de bandeja uma infinidade de privatizações. Agora, a contrapartida: FHC foi ajudado pelo Clintou, ajudou os EEUU e agora a ICIJ, graciosamente dá os dados para os extremistas do UOL, que são pagos pelo PIG internacional. Qual a surpresa?

Responder

Francisco

19/02/2015 - 21h04

Parabéns Azenha, será que não seria melhor todos nós escrevermos para esta senhora pedindo para liberar esta lista para outros meios como o seu blog? vou fazer isso agora…

Responder

    Morvan

    20/02/2015 - 10h18

    Bom dia.

    Fábio Coelho (qui, 19/02/2015 – 19:33):

    Azenha, Divulgue a petição:
    Marina Walker Guevara, Vice Diretora do ICIJ: Entregar os documentos do Swiss Leaks para outros jornalistas do Brasil
    “.

    Caro Fábio Coelho, obrigado pela ideia de criação da Petição e pela divulgação. Vou divulgar também, via meus contatos e também via meu blogue.

    Saudações “Dilma, Aproveitemos o Suiçalão; Vamos Para Cima Dos Golpistas. Em defesa Da Petrobrás“,
    Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

    FrancoAtirador

    20/02/2015 - 19h27

    .
    .
    APOIADOS!
    .
    .

    Maria Helena Correa

    20/02/2015 - 14h33

    Fabio Coelho, assinei e divulguei!

Deixe uma resposta