PATROCINE O VIOMUNDO

SOMOS 31.817 FAÇA PARTE !

No trem lotado, passageira se lembra da propaganda na TV

publicado em 14 de julho de 2010 às 7:40

por Luiz Carlos Azenha

No dia primeiro de julho eram mais ou menos 6 da manhã quando cheguei com um colega de trabalho à estação de Guaianazes, na zona Leste de São Paulo. Conversando com os usuários, ouvi que tem certos dias que a estação fecha, por falta de espaço para acomodar os passageiros. Não aconteceu. Havia muita gente, mas aparentemente cheguei suficientemente cedo para não correr risco de ficar de fora. Porém, não tive chance de entrar no primeiro trem. Quando as portas se abriram a multidão avançou determinada. O vagão à minha frente estava lotado quando os últimos que pareciam ter alguma chance de embarcar iniciaram uma dança que parecia mistura de rap com contorcionismo, na tentativa de se encaixar entre a parede humana e as portas que se fechavam. Feito isso, seguranças e os próprios passageiros que ficaram de fora passaram a manobrar para fechar as portas semi-abertas, à força.

No trem seguinte eu consegui entrar. Quando as portas se abriram meu corpo foi carregado pela massa humana, atravessei o vagão e quase saí pela porta do outro lado. Aprendi uma lição: sua sorte aumenta com o posicionamento estratégico na plataforma. A multidão faz o resto do trabalho. Cuidado para não cair. Não seja miúdo ou muito frágil.

Seguimos adiante, empilhados. Três senhoras conversavam em voz alta sobre o destino do goleiro Bruno. Os passageiros pareciam conformados com a superlotação. De repente, o trem parou. Recebemos a comunicação de que havia um trem quebrado à frente. Voltamos a andar. Na estação seguinte, novo comunicado: o trem em que estávamos seria esvaziado. Fomos informados de que deveríamos passar para a  plataforma do outro lado, que seria utilizada emergencialmente por trens com destino à estação da Luz, no centro de São Paulo. Ficamos por ali, à espera do próximo trem, como muitos dos que estavam conosco no vagão. De novo, não conseguimos embarcar no primeiro trem. A situação era confusa. Ninguém sabia direito se o serviço de emergência rumo ao centro continuaria funcionando ali ou não. Descobrimos, depois de algum tempo, que voltara “ao normal”. Ou seja, mudamos outra vez de plataforma.

Pela terceira vez, foi impossível embarcar no primeiro trem. A essa altura eu já tinha visto dezenas de passageiros usando o celular, para fotografar a cena ou aparentemente para avisar aos chefes que chegariam atrasados ao serviço.

No trem seguinte, enfim conseguimos seguir viagem. Mais uma vez empilhados. Quando digo empilhados quero dizer exatamente isso: não sobra espaço para nada. Você passa a integrar uma massa humana que se move conjuntamente, de um lado para outro do vagão.

Puxei papo. Duas mulheres disseram que eram operadoras de telemarketing e que naquele dia perderiam dinheiro nas vendas e, possivelmente, o ponto, se não chegassem ao destino antes das 9 horas da manhã. Elas disseram que era impossível usar os trens com os filhos durante o horário do rush, por causa da fragilidade das crianças. Os mais velhos dispõem de um vagão especial.

Outros passageiros disseram que é comum testemunhar casos de violência, por causa do empurra-empurra. Uma terceira passageira disse que isso não era comum entre os que estão acostumados a viajar assim todos os dias, mas em geral as brigas acontecem entre os marinheiros de primeira viagem. Por exemplo, aqueles que querem “proteger” as namoradas.

A essa altura eram 8:25 da manhã. Consegui esticar o braço e fazer a foto acima com o meu celular. As pessoas começaram, então, a dizer que aquele aperto não era nada, perto das cenas de horror que elas testemunhavam no fim do expediente, na estação Dom Pedro, na Luz, na Sé… perdi a conta dos lugares onde eu deveria ir urgentemente para, aí sim, ver a verdadeira lotação do sistema de transporte público de São Paulo.

Foi quando uma mulher, que não pude ver por estar localizada em algum ponto atrás da minha cabeça, disse alguma coisa do gênero: “E depois aqueles trens da propaganda aparecem vazios”. Estava, aparentemente, se referindo à propaganda do governo de São Paulo na TV. Ao que outra mulher acrescentou: “É que nem os hospitais sem fila”.

É por isso que tenho dito que, quando aparecer um candidato que genuinamente se importe com a lotação dos trens e com outras questões “prosaicas” para a grande maioria dos paulistanos da periferia — saúde, moradia, educação –, ele tem fortíssimas chances de se eleger. As pessoas sabem discernir perfeitamente o que é propaganda e o que é real quando tratam de questões que dizem respeito diretamente ao seu cotidiano. Temos, em São Paulo, uma mídia que pertence a uma classe, que é feita por uma classe e que serve exclusivamente a uma classe. Os políticos paulistas são reféns ou parceiros dela.

Naquela manhã, cheguei à estação da Barra Funda às 9h15m. Se eu fosse operador de telemarketing na empresa daquelas passageiras, teria perdido o pagamento de um dia de trabalho.

PS: Aqui um dos comerciais do governo paulista, onde tudo vai às mil maravilhas

 

142 Comentários para “No trem lotado, passageira se lembra da propaganda na TV”

  1. qui, 15/07/2010 - 17:08
    Carlos

    (Parte 3/3)

    Também em 1996, sobre a linha norte do metrô paulistano, Biondi escreveu..

    Ah, que delícia de privatização
    (…)
    Nem na China

    O governo paulista foi impecável na privatização da rodovia Bandeirantes/Anhanguera. Mas escorregou feio na retomada da linha norte do metrô. O governo paulista já gastou R$ 200 milhões e vai aplicar mais R$ 130 milhões, totalizando R$ 330 milhões. Três empresas privadas vão gastar R$ 90 milhões na construção de três estações _e ficar com toda a receita das passagens, por 15 anos.
    Faturarão no mínimo R$ 3 milhões por mês. Ou R$ 35 milhões por ano. Os passageiros, obviamente, usarão toda a rede do metrô _em que o Estado investiu bilhões.

    Íntegra em http://www.aloysiobiondi.com.br/spip.php?article8

    “E FICAR COM TODA A RECEITA DAS PASSAGENS, POR 15 ANOS.”
    Contrato vence em 2011?

  2. qui, 15/07/2010 - 17:05
    Carlos

    (Parte 1/3)

    Sobre a privatização da RFFSA, Aloysio Biondi escreveu… em 1996

    Realmente, um país (muito) sem-vergonha

    O presidente da República diz que o problema do Brasil é a falta de vergonha. Desta vez ele tem razão. Veja-se o leilão de privatização do trecho centro-leste da Rede Ferroviária Federal, na última semana. Foi mais um assalto desavergonhado, à luz do dia, contra o patrimônio coletivo, isto é, de empresários, classe média e povão. Assalto e escárnio juntos.

    Com 7.000 quilômetros de trilhos, centenas de locomotivas, estações e sistema de comunicações, o trecho foi arrendado por míseros R$ 320 milhões, a serem pagos em 30 anos, isto é, coisa de R$ 1 milhão por mês.

    Para comparar e avaliar o assalto: no mesmo final de semana, o governo paulista recebeu propostas para privatização de um trecho da rodovia Anhanguera-Bandeirantes, de 250 km. Esperava ofertas de R$ 800 milhões. Recebeu propostas de quase R$ 2 bilhões, para um prazo menor, de 20 anos.

    • qui, 15/07/2010 - 17:06
      Carlos

      (Parte 2/3)

      Repetindo: são R$ 2 bilhões pelo arrendamento de 250 km das rodovias, contra R$ 320 milhões por 7.000 quilômetros e toda a infra-estrutura e material rodante da ferrovia.

      Esses contrastes são suficientes para avaliar as dimensões do assalto. Mas vale a pena dissecar detalhes, para avaliar o grau de deboche com que a equipe FHC/BNDES vem tratando a sociedade brasileira

      Continua em http://www.aloysiobiondi.com.br/spip.php?article7

  3. qui, 15/07/2010 - 19:00
    Alan Roberto

    Infelizmente,devido ao tamanho de nossa cidade e de nossa correria diária,nos tornamos refém da grande mídia,pois naquele momento em desejaríamos colher informações,somos sequestrados pelos nossos cobertores e camas.Espero e torço que tenhamos forças para sairmos desta letargia,caso contrário,cada vez mais GOTHAM CITY é aqui!

  4. qui, 15/07/2010 - 18:51
    Elias São Paulo SP

    Uma camerazinha de celular na mão e um texto na cabeça, pronto, uma excelente reportagem mostrando as mazelas por que passa a população da zona leste de São Paulo, maior cidade da América Latina. Aos midiotas da imprensa servil, almofadinhas bundas de veludo, fica o exemplo.

  5. qui, 15/07/2010 - 14:24
    gomes

    É só mais uma do candidato caô…

    [youtube GyKrvHKxiqg http://www.youtube.com/watch?v=GyKrvHKxiqg youtube]

  6. qui, 15/07/2010 - 13:10

    Espero pelo voto dos paulistas em Outubro. Pq aqui em PE a gente já sabe o que vai fazer. Só olhar as pesquisas.

  7. qui, 15/07/2010 - 13:08
    Henderson_hds

    O que segue abaixo pode causar sanha em quem defende a boataria como forma de proceder. Cuidado.

    Saiu no Estadão:

    Documentos nos anais da Câmara dos Deputados mostram que o candidato à Presidência pelo PSDB, José Serra, foi o autor de proposta constitucional que garantiu os recursos do PIS/Pasep para financiar o seguro-desemprego. Mostram também que o tucano foi um dos parlamentares que propuseram a criação do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

    Durante a Assembléia Constituinte, em 1987, Serra propôs uma emenda ao texto em que se discutia o seguro-desemprego. Nela, especificou que os recursos do PIS/Pasep deveriam financiar o programa, criado em 1986. A emenda foi acolhida e tornou-se texto da Constituição.

    Dois anos depois, Serra apresentou um projeto de lei, de número 2.250, para regulamentar o dispositivo constitucional que tratava do assunto. Nele, propôs a instituição do FAT “para custeio do programa do seguro-desemprego e do pagamento do abono anual”.

    O relator da matéria à época, na Comissão de Trabalho, era o deputado Osmar Leitão (PFL-RJ), que elaborou um texto substitutivo, anexando a ele a proposta de Serra e de outros dois deputados, Jorge Uequed (PMDB-RS) e Paulo Paim (PT-RS).

    O texto substitutivo acabou tramitando com o número 991-A/88, em referência à primeira proposta, que era a de Uequed (991/88). Leitão acabou usando no seu texto final, que deu origem à lei 7.998 de 1990, trechos idênticos à proposta de Serra de criação do FAT.

    No relatório de Leitão, publicado no Diário do Congresso Nacional, em 13 de dezembro de 1989, está escrito que tanto Serra como Paulo Paim propuseram a criação do FAT. “Os projetos de lei dos deputados Paulo Paim e José Serra instituem o FAT e estabelece (sic) que a aplicação dos seus recursos ficará sob a responsabilidade do BNDES. O deputado Jorge Uequed não prevê a vinculação do programa a um fundo.”

    “A criação do FAT já era uma discussão naquele momento. O meu projeto e o do Serra eram muito semelhantes”, disse o hoje senador Paulo Paim. Para Uequed, “ninguém é dono do projeto”.

    • qui, 15/07/2010 - 16:53
      Ed.

      Lá vem o Hend recortar e colar matéria do PIG pra panfletar aqui…
      Tão amestrado que acha que "saiu no estadão"! …Pronto! É a mais pura verdade!
      E o pior é que nem lê direito…
      Se ler vai perceber (no texto) que o seguro desemprego e o abono, as VERDADEIRAS conquistas para os trabalhadores, não são dele, O que ele propôs: apenas emendas à sua OPERACIONALIZAÇÃO, juntamente com outros. Não relatou, não foi autor único, nem assinou (a secretária que redigiu também ajudou).
      Sua propaganda (gravada) é: "fiz o seguro desemprego, o PIS, o FAT… e o trololóloló…"
      Que nem os programas da AIDS (Jatene), dos genéricos (Haddad), etc. Botou uma vírgula, já diz que é dele…
      O lema de campanha de Serra é:
      O candidato que NÃO FAZ o que FALA* e FALA o que NÃO FEZ!
      (*) gravado o assinado…

    • qui, 15/07/2010 - 17:04
      vladimir lacerda

      Trata-se portanto ou de emenda constitucional ou de lei e para tanto precisa da aprovação de uma certa quantidade de deputados e senadores.Índio da costa foi o relator da lei da ficha limpa isto não o torna o criador,pois este projeto chegou a mobilizar parte da sociedade civil e inclusive deputados que eram contra e poderiam ser prejudicados pela lei tiveram que votar a favor.E agora vamos dizer que Índio da Costa é o criador do Ficha limpa? Se for assim Sarney é o criador da constituição de 1988,pois afinal de contas ele era o Presidente e a promulgou.

  8. qui, 15/07/2010 - 10:54
    Paulo Cavalcanti

    Prezado Azenha,

    Sou nascido e morador da Zona Leste – SP, de já sou da 3ª geração da família, que se utiliza dos trens da "Estrada de Ferro Central do Brasil" – hoje CPTM. Quando jovem, nos idos de 1978 – o governo do Estado, fazia uma ação, no sentido da criação dos Metrôs. Fizemos um movimento, mostrando que era ABSURDO, investir numa linha de metrô, que iria correr paralela à linha da CPTM. Que seria muito mais eficiente, aplicar toda aquela dinherama, na modernização dos trens, uma vez que a logística já estava montada. Eles desprezaram nossas reivindicações, sob alegação, de que aquela linha era da RFF (Rede Ferroviária Federal). Passados (+-) 5 anos, o Estado comprou a tal linha da RFF, e ficamos com duas linhas correndo paralelas, e abandonadas por 30 anos. Agora que resolveram melhorar a linha, que ainda opera nas condições que você pode viver por um dia, e nós a vivemos por pelo menos 250 dias/ano.

  9. qui, 15/07/2010 - 10:33
    Carlos

    ( Parte 1 / 2 )

    Já que o assunto é transporte e os barões da mídia ressuscitaram – ou tentam ressuscitar – o "caosaéreo"…

    Em junho de 2000, Aloysio Biondi escreveu…

    Sempre o nosso dinheiro…

    O banqueiro Alcides Tápias, transformado em ministro do Desenvolvimento, diz que o governo não vai interferir na crise das empresas de aviação brasileiras: elas que se entendam, façam acordos para repartir aviões, fundir rotas e reduzir custos etecétera. Com a declaração, o ministro quis reafirmar que o governo FHC confia totalmente na tese de que o ‘‘mercado’’ acaba resolvendo tudo, que o Estado não deve interferir pois estará favorecendo a incompetência e a ineficiência, que acabam sendo pagas por toda a sociedade — essa ladainha toda dos chamados neoliberais.
    (…)
    O ministro sabe, porque surgiu no noticiário dos últimos meses que, no fundo, no fundo, as empresas de aviação já estão sendo sustentadas pelo dinheiro do povo brasileiro — pois elas só sobrevivem porque não estão pagando impostos federais e estaduais, Previdência, FGTS — nem mesmo as míseras taxas para uso dos aeroportos. O povo brasileiro está pagando as conseqüências de uma situação caótica nascida de uma concorrência alucinada, com as empresas partindo para toda a sorte de loucuras, como abertura desenfreada de linhas, manutenção de vôos com aviões vazios (para não deixar a rota para concorrentes), gastos maciços com publicidade, tudo resultando em prejuízos crescentes, bancados pelo dinheiro dos impostos não pagos.

    • qui, 15/07/2010 - 10:34
      Carlos

      ( Parte 2 / 2 )

      Como funcionário pago pela sociedade, o ministro tem obrigação de defender os recursos públicos. Deve coordenar a reorganização do setor, para induzir à racionalidade de operação e redução de prejuízos. Não pode esperar para ver quem vai ‘‘quebrar’’ e quem vai ‘‘sobrar’’ — pois, aí, o dinheiro dos impostos e INSS não pagos pelos falidos estará perdido. E, como sempre acontece no Brasil de FHC, é matemático que as empresas ‘‘sobreviventes’’ acabarão sendo socorridas por empréstimos do BNDES, para ‘‘se reestruturarem’’. Ou o plano do governo é exatamente esse mesmo?

      Íntegra em http://www.aloysiobiondi.com.br/spip.php?article1

      “ELAS SÓ SOBREVIVEM PORQUE NÃO ESTÃO PAGANDO IMPOSTOS FEDERAIS E ESTADUAIS, PREVIDÊNCIA, FGTS — NEM MESMO AS MÍSERAS TAXAS PARA USO DOS AEROPORTOS.”

      Pagaram o que deviam à União e estados, à Previdência, ao FGTS e as taxas aeroportuárias? Qual a situação em 2010? Os barões da mídia quitaram suas dívidas com a Previdência? Devem também para o FGTS?

  10. qui, 15/07/2010 - 11:57
    carlos hely

    Se eu fosse o Mercadante dava uma passada pela manhã em horários diferentes para fazer campanha dentro do carro do metro apertadinho como todos, sentindo o que o povo sente todo dia para ir trabalhar. Infelismente a classe A não usa este tipo de transporte e até eu dei umas risadas na parte que voce disse que se formou uma massa unica de seres humanos sendo levados de um lado para outro. Já pssei pela mesma situação.

  11. qui, 15/07/2010 - 8:42
    José Augusto Filho

    Azenha, parabéns pela matéria. Obrigado por te-la escrito e tão bem.

  12. qui, 15/07/2010 - 7:59
    Bras

    Isto é o resultado de mais de 16 anos de incompetência admistrativa dos governos tucanos que jugam "grandes gestores". È uma vergonha para um estado como São Paulo ter um sistema de transportes pùblico de péssima qualidade. Imaginem este caos no Brasil!!!! Ainda bem que as pessoas estão desmacarando as mentiras eleitoreiras do Serra e de sua turminha de "bons administradores".

  13. qui, 15/07/2010 - 5:47

    A montagem não é lá aquelas coisas mas o clássico q é essa Mùsica, já diz tdo…
    [youtube d5gu8FlDhfs http://www.youtube.com/watch?v=d5gu8FlDhfs youtube]

  14. qui, 15/07/2010 - 4:59
    Éverton Pelegrini

    Excelente pauta. Da pra criar uma série de postagens sobre o assunto. Mobilidade urbana. Aqui, você está relatando a situação dos trens e metros de São Paulo, mas nós sabemos que nenhum meio de transporte, seja público ou particular, consegue funcionar adequadamente em São Paulo. O sistema todo está em colapso. Isso interfere diretamente na vida da maioria da população (e indiretamente na vida de todos).
    O tempo que perdemos em nosso deslocamento, principalmente para ir ao trabalho e a forma a que somos submetidos a perder este tempo, causa não só perdas economicas, mas também de saúde, o que consequentemente nos faz (ou o SUS) gastar mais dinheiro. Menos tempo de lazer, menos tempo com a familia, menos tempo de descanso, menos tempo de estudo e aperfeiçoamento e menos tempo para trabalhar mais, quando se quer ou precisa. Menos tudo, só stress a mais.

    Ai entra aquela questão. Os "caras do BraZil pode mais" estão há 16 anos no governo do Estado de SP, e tudo que conseguiram inauguarar foi a "cratera do metro em Pinheiros". Mas já foi dito que tudo isto é trololó de petista.

    Ah, isso sem falar que desmancharam o serviço de trens de viagens para o interior do Estado. Antes de você ter se mudado do Brasil Azenha, você podia ir de trem visitar sua familia em Bauru. Agora que voltou, você tem que pagar 8 ou 9 pedágios trololó.

    P.S.:Azenha, o trem que você pegou em Guaianazes só tinha petistas.

    • qui, 15/07/2010 - 10:37
      beattrice

      Até porque "só petistas iriam perder tempo enchendo o VAGÂO para o Azenha filmar e fotografar, em detrimento da maravilhosa JESTÃO do Zé Trolloló Biruta + XUXU Al-ckmin & seus tucaninhos amestrados".

  15. qui, 15/07/2010 - 1:49
    Vivi

    Azenha, dia 20 de junho, uma segunda-feira,18:30 h, estação Sé. Escadas rolantes desligadas, plataformas lotadaças. Tive que esperar 5 trens passarem para conseguir ser levada para dentro de um vagão, onde viajei mais apertada que sardinha em lata. Um horror total! Mas quando vejo as pessoas reclamando, vou logo perguntando: "Em quem você votou? Então não reclama!" Aqui em São Paulo é fogo!!!

    • qui, 15/07/2010 - 10:38
      beattrice

      VIVI, como chega em outubro a chance de defenestrar em quem eles votaram, sugiro que vale a pena perguntar em quem eles VÃO votar nas próximas, quem não gostar do MERCA que vote no SKaf, precisamos levar SP ao 2° turno.

  16. qui, 15/07/2010 - 1:08
    Ana Cristina

    Azenha, penso exatamente como você e sei, apenas em parte, o que é o caos do transporte público. Por isso mesmo não consigo entender como a Marta Suplicy, que criou o bilhete único, efetivamente o melhor negócio já feito pelo transporte público de São Paulo, não foi reeleita. Só posso entender que o povo de São Paulo é o menos solidário do mundo, incluindo aí os migrantes, que ao se acharem numa situação miseravelmente superior à de quando aqui chegaram, pensam: se eu me ferrei sozinho, os outros que se virem também. Não sei o que acontece com essa cidade.
    A maioria usa transporte público e não lembrou disso na hora de votar.

    • qui, 15/07/2010 - 10:39
      beattrice

      Infelizmente um grande contingente de migrantes não transfere o título para SP, o que ajudaria e muito a pressionar e defenestrar a dinastia tucana.

      • qui, 15/07/2010 - 21:51
        Gerson Carneiro

        Infelizmente meus conterrâneos entram em uma rotina de trabalhar bastante e o tempo livre que sobre querem descançar, matar a saudade da terrinha, tomar uns pileques, chacoalhar o esqueleto… e acabam não se atendo ao que podem fazer para melhorar a situação deles em Sampa.

        Afora o desinteresse óbvio dos tucanos em incluí-los socialmente. Agora mesmo, com a possibilidade de voto em trânsito, creio que por aí não será muito divulgado.

  17. qui, 15/07/2010 - 0:47
    Eduardo Lima

    Azenha, desculpe comentar algo que não tem nada a ver com este artigo, mas lembrei de um artigo seu sobre Sara Palin e a ascensão do fascismo populista nos EUA e resolvi indicar um video de Noam Chomsky no qual ele também demosntra preocupação com esse assunto.
    http://www.youtube.com/watch?v=ogIxmKcEosY&fe

  18. qui, 15/07/2010 - 3:35

    Azenha, essa sua matéria é da maior importância, não só para desmistificar a falácia serrista de que o des-governo de SP trabalha por nós, porque trabalha de fato para ELE, o Zé Trololó, mas também para deixar claro que esta calamidade pública data de longos anos de falta de políticas públicas de transporte, graças à dinastia tucana que assolou SP.

    • Beattrice, vc tem feito vários comentários alertando sobre o perigo de se achar que todo paulista é preconceituoso, não gosta de nordestino, etc. Que tal fazer um artigo para o Viomundo sobre o assunto? bjs

  19. qui, 15/07/2010 - 3:15
    Elvys

    Azenha, parabéns pela matéria. Uso a Linha 3 do Metrô – a famigerada Linha Vermelha ultrahiperlotada e o panorama não é diferente da linha de trem da CPTM. Interessante que se trata da Zona Leste de São Paulo, a mais populosa (cerca de 50% da população do municipio de SP) e a mais problemática sob vários aspectos. Não sei se você sabe, mas tanto a CPTM quanto o Metrô tem alguns trens novos circulando em suas linhas e salvo engano meu, isso desde quando Serra saiu do governo do Estado para disputar a Presidência do Brasil. Outro fato importante: com a superlotação tem crescido o número de acidentes nas estações envolvendo passageiros. Descobri isso após eu mesmo sofrer um acidente – fiquei com uma das pernas presas no vão entre o trem e a plataforma, na Estação Penha do metrô. No pronto socorro, atendentes e enfermeiros informaram que é comum funcionários do Metrô socorrerem vítimas de acidentes e as levarem ao pronto atendimento médico. Casos como o meu (sofri uma contusão) e até acidentes com paradas abruptas de escadas rolantes tem acontecido com certa frequência nos horários de pico. Isso quando tem aquela parada geral do sistema e anunciam:"intervalos entre os trens e tempo de parada maiores devido à presença de usuário na via na estação tal"!! Ou seja, outra forma de falar que mais um passageiro caiu na linha do Metrô!!
    Uma outra coisa são as especulações sobre o traçado de novas linhas do Metrô. Cito um exemplo que está inclusive no site "expansão São Paulo" do Metrô. A tal linha branca, que ligaria a Vila Prudente à Penha, terminando no Parque do Tiquatira, passando provavelmente pela Vila Formosa, Aricanduva e Anália Franco. Notem que são regiões que vem passando por um boom imobiliário. Agora quanto a linha finalizar no Tiquatira, acredito em outra explicação. Especula-se que o estádio do Corinthians possa ser construído nas proximidades (uns quinze minutos de caminhada rápida). Isso e mais a questão sobre o estádio para a Copa de 2014. O que acham?? Será que estou "viajando"??

  20. qui, 15/07/2010 - 2:53
    Marvin

    Azenha!

    Interessante! Eu sugeri ao site do conversa afiada que fizesse uma reportagem dessa natureza na época em que eu estava trabalhando, so que na linha 12. Esta linha é tudo isso ai que voce viu com a diferença de que os trens não tem sistema de ar como esse que faz a linha guaianazes – luz.

    A linha 12 que liga Calmon Viana – Brás é ainda mais terrivel e o trajeto leva 62 minutos como sempre informa o maquinista.

    abraço!

  21. qua, 14/07/2010 - 23:50
    Ed.

    Parte 2: Esse incrível posicionamento partidário do TSE em não punir as descaradas e milionárias propagandas demotucanas de mais de ano (Sabesp, programa do Demo, etc.), até em horário nobre e continuar multando o presidente e sua candidata por meras referências é puro acúmulo de munição. Estão cerceando e censurando a liberdade de expressão e opinião do Presidente, figura máxima da nação?
    Detesto ser Cassandra, mas acho que estão armazenando pólvora no paiol e podem usá-la em desespero de causa!
    Tomara que seja uma avaliação equivocada, mas a questão que se configura me parece ser:
    O que fazer para evitar que não seja apenas uma avaliação equivocada?!

  22. qui, 15/07/2010 - 2:47
    Ed.

    Parte 1: Ouvi há pouco na CBN (Dora Kramer) e vê-se no site da Veja On-line (Radar), que o MP está avaliando se há “abuso de poder” em declaração de Lula e a “possibilidade” de cassação da candidatura de Dilma.
    Sabemos que animais acuados, ainda que fracos ou covardes, tornam-se perigosos.
    Sabemos também que se configura dia a dia um cenário cada vez mais evidente para uma derrota de Serra.
    Eles, conservadores, demotucanos e seu PIG podem estar chegando à conclusão de que “não há mais nada a perder”…
    Com sua mediocridade e covardia, não é difícil agirem de forma estapafúrdia ou truculenta, onde o respeito à população é o que menos conta. (continua)

  23. qua, 14/07/2010 - 21:28
    jbmartins

    Uma sugestão a Rede Record faça reportagem desses tipo de serviço, para bater a audiência da Globo as concorrentes tem que fazer reportagem verdadeiras, ficar do lado do POVO.

  24. qua, 14/07/2010 - 20:55
    Sônia Bulhões

    Nossa de onde saiu essa coisa chamada Pamplona ?? Misericórdia… Só com espanador de pena de aves para limpar as teias de aranha da mente desse indivíduo. Quão preconceituoso e estreito e tontinho mesmo esse fã do CQC. Me poupe.

  25. qua, 14/07/2010 - 20:48
    Vitor Barbosa

    Só para constar, você não entrou em um vagão! Vagão transporta apenas Bens e Animais, tracionados por locomotivas, enquanto carros transportam passageiros. A situação crítica da L11 se dá as faltas de investimentos há uns 10 anos atrás em novos trens e melhoras na sinalização. Esta é a linha da CPTM que mais sofre com a falta de trens, e em segundo lugar, a Linha 9. Atualmente há novos trens a serem entregues a CPTM, e um deles, que era para ser da L12, foi destinado a fazer parte temporariamente da L11, por motivos óbvios. Porém, com o máximo de trens rodando, a superlotação não será resolvida, devido a demanda crescente, que não acompanha a evolução sobre trilhos.

  26. qua, 14/07/2010 - 20:42
    alexjova9999

    TUDO SOB 'CONTROLE'

    A origem da crise na TV Cultura

    luisnassif, qua, 14/07/2010 – 19:11
    Por Esquemas Táticos

    Estou muito incomodado com essa indicação do Augusto Nunes para o Roda Viva. A TV Cultura é pública. O mínimo que se espera são jornalistas, não tropa de choque Dilmista ou Serrista para comandar o principal programa da emissora. Isso é um absurdo! Quem já leu o blog do Augusto Nunes sabe do que estou falando.

    É um festival de desinformação misturado com falta de educação com os comentaristas e ofensas a qualquer pessoa que apóie Lula ou Dilma. O mais grave, no meu entender, é a maneira de agir de quem comanda.

    E não estou falando da Fundação Padre Anchieta, mas quem manda na fundação. Por isso, fiz uma pesquisa sobre a origem desse imbróglio na TV Cultura

    (leiam post completo no Blog do Nassif)

  27. qua, 14/07/2010 - 20:42

    Parabéns Azenha. Muito importante que este blog tenha colocado o dedo na ferida do transporte público em SP.

    Infelizmente a grande imprensa (PIG) quando toca no assunto dos transportes é pra falar do "apagão aéreo". Nada contra quem usa o transporte aéreo, que também deve oferecer qualidade aos seus usuários, mas um atraso de quinze minutos já vira uma tragédia. Imagino se a situação dos trens metropolitanos fosse relatada por essa imprensa com a mesma dramaticidade: seria o relato da barbárie cotidiana, da violência contra o usuário do transporte público.

    O problema do transporte em São Paulo infelizmente é tratado com descaso. Enquanto se insiste no metrô – que é ótimo, mas muito caro, sendo melhor para as empreiteiras do que para a população -, existem muitas outras cidades que com soluções mais simples melhoraram muito seu transporte público. Tem um documentário muito interessante da Discovery sobre as "Soluções para o Trânsito":

    [youtube FcikkDofkU8 http://www.youtube.com/watch?v=FcikkDofkU8 youtube]
    [youtube yUtTsDkB6hs http://www.youtube.com/watch?v=yUtTsDkB6hs youtube]
    [youtube TEOcGu-xSXo http://www.youtube.com/watch?v=TEOcGu-xSXo youtube]
    [youtube jU44ODRpGuQ http://www.youtube.com/watch?v=jU44ODRpGuQ youtube]
    [youtube kXErxp6z--4 http://www.youtube.com/watch?v=kXErxp6z--4 youtube]

  28. qua, 14/07/2010 - 20:18
    Marcelo

    Morei em Mogi das Cruzes. Pegava trem pra SP todo dia pra trampar. 3 anos seguidos. Vi coisas que desafiavam a lógica e a física. Surrealismo metropolitano: descaso com idosos, falta de segurança, assédio sexual nas mulheres, buraco no piso do vagão.Chegava cansado no serviço. Na volta, retorno em pé. Chegava em casa só no bagaço. O preço da passagem sempre aumenta. O conforto, nunca.
    Isso foi há mais de 10 anos. Como se vê, pouca coisa mudou.

  29. qua, 14/07/2010 - 20:12
    Guilherme Milani, SP

    O conceito de "Estado Mínimo" nunca foi aplicado com tanta "força" pelo PSDB paulista como nesses anos em que Serra foi governador (?) de SP. Sucatear o Estado e abrir as portas para a privatização de tudo o que for possível é o lema desse Nosferatu. E tenham certeza de que as empresas que entram na farra são de pessoas ligadas a ele. Realmente Serra é um "jênio", um Robin Hood às avessas: tira dos pobres pra dar aos ricos. As empreiteiras que formam o grupo CCR, por exemplo, não me deixam mentir. Os caras são donos das concessões rodoviárias mais rentáveis de SP (os filés Anhanguera, Bandeirantes, Dutra, etc), da Via 4 (empresa que vai operar a linha 4 do metrô), da Controlar (empresa que faz a inspeção veicular na capital) e da Via Fácil/Sem Parar (empresa que vende o serviço de pedágio Sem Parar). É MUITA grana para um único grupo empresarial. E quem era a CCR antes do PSDB? NADA! Então, amigos, se há petralhas graúdos na política, eles atendem pelo singelo nome de "tucanos".

    • qui, 15/07/2010 - 0:53
      beattrice

      Sempre lembrando que a CCR é constituída pela Camargo Correa, Andrade Gutierrez e SERVENG, como majoritárias.

  30. qua, 14/07/2010 - 19:29
    marcus

    Bingo!!!! Azenha vc acertou na mosca mais uma vez!!!!
    Putz isto que vc acabou de fazer já era a muito hora de se fazer, não vivo mais em São Paulo, mas já peguei muito trem assim, uma vez peguei um trem e caí na besteira de levantar um braço, não consegui abaixar mais!!! Caótico é pouco. Um grande problema é quando um trem de um determinado horário não vêm, então no próximo vai juntar o pessoal dos dois, então…
    Muito bem dito sobre os candidatos, não digo que vai dar pra fazer uma matéria no trem pq não vai dar pra entrar com uma câmera dentro, mas dá pra tentar…e outra a CPTM não vai autorizar…

  31. qua, 14/07/2010 - 19:28
    Polengo

    Acabei de vir da estação da Luz.

    Às 18h00, os alto-falantes anunciavam: "Senhores passageiros: devido ao excesso de passageiros na plataforma 4, as escadas rolantes foram desligadas".
    É a linha que serve a Guaianazes.

    Na Sé, ontem, uma amiga minha quase caiu nos trilhos, porque quando ela foi passar do "cercadinho" feito para acomodar o Gado humano, a rude plebe a empurrou no espaço entre o cercadinho e o trem, e ela não conseguia entrar, nem voltar…

    E agora, voltando, o mais hilário é que os alto-falantes do trem anunciam: "Senhor usuário: se não for desembarcar na próxima estação, não permaneça no local das portas".
    Isso num trem um pouco pior do que o da foto da postagem acima.

  32. qua, 14/07/2010 - 19:26
    josé fernandes

    Meu caro: e a mais pura verdade, peguei o trem na estação barra funda e descir na estação piqueri, .. passa.. água branca, lapa,.. Piqueri; você não consegue da um passo, dentro do trem, e olha que são só três estações, pensei na propaganda do serra, e me perguntei será que essa gente que está espremida como sardinha em lata está pensando a mesma coisa? será?????? imagina o infeliz que sai da barra funda vai até Francisco mo rato…..e de lascar e de doer…

  33. qua, 14/07/2010 - 19:15
    Renato Sambi Colotto

    Felizmente fui embora de São Paulo… E o fiz por não aguentar mais ve-la sendo destruída pela corja demotucana (sem falar dos malufs da vida). E fico revoltado quando vejo algum engraçadinho vir com aquela bobajada de "e o PT é isso e aquilo, não faz nada"… As únicas vezes que consegui ver algo que realmente prestasse acontecendo na cidade foi nos governos da Luiza Erundina (principalmente na área habitacional – finalmente vi casas populares de qualidade), e da Marta (os CEUs e os corredores de ônibus)… No resto é só horrores como privatizações a rodo, sucateamento de serviços públicos a rodo, rampas e bancos anti-mendigo e uma cidade anti-cidadãos!

  34. qua, 14/07/2010 - 18:51
    Alexandre

    Azenha, sou testemunha ocular das condições do transporte em São Paulo. E posso me considerar privilegiado, pois utilizo apenas a linha azul para trabalhar. Infelizmente, o paulista e o paulistano só irão constatar o quão ruim foi essa sucessão de governos tucanos quando alguém minimamente capaz e bem-intencionado ocupar o Palácio dos Bandeirantes. Até lá, continuaremos vítimas do descaso da propaganda enganosa, da falta de projetos e da politicagem rasteira que impede o Estado de São Paulo de aproveitar devidamente o seu potencial.

    • sex, 16/07/2010 - 0:52
      Gerson Carneiro

      Uma das medidas que poderia ser adotada para acabar com a baderna dentro do metrô era proibir os curintiano de andar de metrô. Quando tem jogo do curíntia é a maior bagunça.

      Ôh Alexandre, cê taí? Bom dia amigão.

  35. qua, 14/07/2010 - 18:48
    Gersier

    Azenha,essa mentira do serra me fez lembrar de uma propaganda mentirosa do fch que,enquanto sucateava e entregava a Rede Ferroviária Federal a "amigos",acabando com os trens de passageiros em várias regiões do Brasil,principalmente nas mais carentes, dizia através de propaganda enganosa que as ferrovias brasileiras eram uma "maravilha".Mentir está no DNA dos emplumados.

  36. qua, 14/07/2010 - 18:24
    antonio rodrigues

    Meu caro Azenha:
    Com todo o respeito pelo seu talento e coragem como jornalista, discordo de sua afirmação quando diz que "quando aparecer um candidato que genuinamente se importe com a lotação dos trens e com outras questões “prosaicas” para a grande maioria dos paulistanos da periferia — saúde, moradia, educação –, ele tem fortíssimas chances de se eleger."

    Nem eu, você ou todo o resto do povo jamais viu alguma campanha eleitoral, da esquerda a direita, que não tivesse o mesmo discurso de acabar com as filas no transporte, nos hospitais e nas escolas.

    O povo já assistiu mil vezes essa repetida lenga lenga e continua nas filas, sejam nas repartições publicas municipais, estaduais e federais administradas por governos de todos os matizes políticos.

    Concordo com você, talvez não pelo mesmo motivo, quando diz que o povo não é bobo. . Para mim o povo não é bobo para se deixar enganar acreditando que alguém ira acabar com o seu flagelo nas filas tão cedo.

  37. qua, 14/07/2010 - 18:18
    JOÃO PROTA

    Ao assistir o comercial dos trens de São Paulo eu quase acreditei que a matéria da superlotação era mentirosa.

  38. qua, 14/07/2010 - 18:17
    doutormario

    É o governo serra mostrando o que será o Brasil caso ele seja eleito.
    Vamos deixar o trator descansar a partir de 3 de outubro.
    Dilma 2010 !

  39. qua, 14/07/2010 - 20:51
    Galves

    Azenha,

    Quando o país vai bem em vários setores, a velha mídia trata de esconder o sucesso do governo em várias áreas, como você bem escreveu em post recente.
    Agora uma forma alternativa surgiu: capitalizar notícias ruins, não importando quão irrelevantes sejam. Veja esta do Estadão.

    Brasil é o 3º pior em ranking de 'qualidade de morte'
    14 de julho de 2010 | 12h 27

    AE – Agência Estado

    O Brasil ficou em 38º lugar em um ranking de 40 países que mede a "qualidade de morte". A lista, elaborada pela Economist Intelligence Unit (EIU), leva em conta itens como o sistema de saúde, os custos, barreiras culturais e o acesso a analgésicos, por exemplo. A lista foi divulgada hoje no site da companhia, integrante do Economist Group, que edita a revista The Economist.

    O país mais bem colocado no quesito "qualidade de morte" foi o Reino Unido. O país obteve uma nota 7,9, a mesma da Austrália. Em terceiro lugar ficou a Nova Zelândia, com 7,7. Os Estados Unidos aparecem em nono lugar, com 6,2. Já o Brasil ficou com 2,2, à frente apenas de Uganda (2,1) e Índia (1,9). A China, com 2,3, e o México, com 2,7, estão logo à frente do País.

    A Economist Intelligence Unit ressalta que, mesmo em alguns países nos quais o sistema de saúde é muito bom, há uma qualidade de morte ruim, por não haver, por exemplo, cuidados paliativos suficientes para os doentes.

    No Reino Unido, entre os destaques estão o sistema de atendimento à saúde mental e o envolvimento institucionalizado dos profissionais com os cuidados no fim da vida. A EIU aponta que o sistema de saúde britânico não é um dos primeiros do mundo, mas o país ganhou pontos em quesitos como atenção pública à questão da qualidade da morte, disponibilidade de treinamento para esses cuidados, acesso a analgésicos e a transparência na relação entre médico e paciente.

    Entre os países ricos que não se saíram bem no ranking estão a Dinamarca (22º), a Itália (24º) e a Coreia do Sul (32º). Nessas nações, a qualidade e a disponibilidade dos cuidados no fim da vida são muitas vezes insatisfatórios e falta coordenação política, segundo o estudo. A EIU ressalta ainda o fato de os membros do grupo BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China), dos emergentes, estarem entre os últimos. O melhor colocado do grupo é a Rússia, em 35º lugar, com nota 2,8. A Lien Foundation, de Cingapura, também participou do trabalho.

  40. qua, 14/07/2010 - 17:37
    Marcos Lopes

    São Paulo, uma cidade com população imensa, tem o menor número de linhas de metrô, em comparação com outras cidades sul-americanas e cidades européias.Eis a razão do transtorno: falta de investimentos em transporte público, mas especificamente em metrô. Não sei dizer o que acontece com o metrô no Japão. Morei em Paris, sempre andei de metrô e nunca me deparei com situações como essas de São Paulo.Os trens são pontuais e mesmo nas horas de pico (quando enchem mais) nunca vivi situação parecida.Além da rede interna em Paris, há os RER que servem o subúrbio.Constatei o mesmo serviço eficiente em Londres, Berlim (em Berlim as pessoas vão para a ópera de metrô). Quanto a Salvador, o problema é que o projeto se arrasta há anos (desde o tempo dos Demo na prefeitura), com desvios de verbas e aumento dos custos.

  41. qua, 14/07/2010 - 17:33
    Beto Crispim - BH

    Morei o ano de 2004 na cidade de Mogi das Cruzes, fazia esse percurso três vezes por semana, retornava no horário de pico, com todo respeito aos usuários, era uma verdadeira visão do inferno. Pegava o trem em Mogi e descia em Guaianazes para o Braz. O descaso dos responsaveis beira a irresponsabilidade e ao desrespeito com a vida humana. São crianças, mulheres, jovens, adolescentes e velhos entulhados nos vagões. É um salve-se quem puder. O risco de de assaltos e assédio é constante. Já presenciei pessoas passarem mal, vomitar, desmaiar e até enfarto. A gente entra no trem sem saber se chega se chega, como chega ao destino final.

  42. qua, 14/07/2010 - 17:30
    O Brasileiro

    O que o Mercadante precisa dizer é O QUE SÃO PAULO SERIA HOJE SE NÃO FOSSEM OS GOVERNOS TUCANO-DEMOS!!!
    Primeiro, comparar! Os 16 anos que antecederam os tucanos e os 16 anos dos tucanos! Quantas estradas construídas antes e quantas construídas agora! Quantos pedágios antes e quantos agora! Quantos hospitais construídos antes e quantos construídos agora! Quantas escolas construídas antes quantas construídas agora! Quantos policiais contratados antes e quantos contratados agora!
    Até mesmo porque comparar o governo dos tucanos com um governo como o de Lula é covardia contra eles!

    • qua, 14/07/2010 - 19:21
      Reinchard

      Você é retardado? pra que partidarismo aqui? Limite-se a comentar a noticia apenas rapaz!

      • qua, 14/07/2010 - 22:56
        O Brasileiro

        Huummm… com tantos comentários sobre os tucano-demos, e um troll aparece para ofender…
        É bom saber que o comentário foi direto nas "feridas" dos tucano-demos!
        O que eles têm a esconder do povo???
        Então… também deve-se comparar também quantos km de metrô antes e quantos km construídos agora!!!

    • qui, 15/07/2010 - 0:57
      beattrice

      O MERCA vai despachar o XUXU OPUS DEI tão logo ele saia debaixo da mesa onde ele se enfiou para evitar que o Serra seja pendurado no pescoço dele.

  43. qua, 14/07/2010 - 17:23
    Carla

    Você é um raio de sol na escuridão.

  44. qua, 14/07/2010 - 20:05

    Já tentei pegar o metrô na República, às 6 da tarde. Passaram dois trens que não pararam, mais dois que não dava pra entrar. Minha sorte é que eu podia pagar um taxi. Fazer o quê? Sampa perde pra Cidade do México! Será que é porque as "pessoas que importam" andam de helicóptero – o 2º maior tráfego do mundo?

  45. qua, 14/07/2010 - 19:58
    Indi Ana Jones

    "Temos, em São Paulo, uma mídia que pertence a uma classe, que é feita por uma classe e que serve exclusivamente a uma classe". perfeito, nada + a acrescentar.

  46. qua, 14/07/2010 - 16:50
    Guilherme Dorneles

    Sou usuário da linha Grajaú-Osasco, a famosa linha que passa pela marginal pinheiros. Quando comento com alguém que pego aquele trem, sempre me falam: "Ah, mas essa linha é muito boa, né? Com trens novos, ar condicionado e música ambiente". Realmente, as pessoas acreditam na propaganda e, como nunca passaram por lá, não imaginam o sofrimento.

    Primeiro problema, o governo se gaba e faz propaganda dos trens novos. Ok, as composições são relativamente novas mesmo. No entanto, têm apenas 4 (QUATRO!) vagões cada. Ou seja, o trem não ocupa nem a metade da plataforma e, com isso, está sempre lotado.

    Tenho que estar em Osasco às 7 da manhã e pego o trem por volta de 5h40 ou 5h50 todos os dias. É impressionante como o trem já chega cheio na estação Jurubatuba. Na estação Santo Amaro, um mar de pessoas entra e o trem fica absolutamente lotada, exatamente como o Azenha descreve a estação de Guaianazes.

    No começo do ano, os passageiros sofreram com diversas instabilidades na linha toda vez que chovia. Um dia, eu fiquei preso na estação Cidade Universitária por mais de duas horas porque a chuva acabou com a luz. E o funcionário da estação ainda teve a cara de pau de andar pela plataforma, onde as pessoas esperavam, dizendo: "Não temos previsão de retorno, é melhor sair e pegar a ponte orca para a estação V. Madalena do metrô". Pera ai, eu moro em Interlagos, o que vou fazer na estação V. Madalena?? Me apertar na linha verde, depois seguir até o Jabaquara e de lá pegar um onibus??? É brincadeira, né? Enfim, depois de muito tempo, os trens voltaram a operar e muito, muito lotados!

    Fora os dias que a chuva inundou o rio e a água cobriu os trilho. Mas tudo bem, com relação à chuva, não há muito o que se fazer, afinal de contas, nunca choveu tanto em São Paulo….. lamentavel..

  47. qua, 14/07/2010 - 16:41
    Carlos

    Do comentário do Hayek: "O esforço da Folha para derrubar as ações da Petrobras"

    Não li o que Nassif escreveu, mas me permito afirmar que a Folha – deliberadamente ou não -serve à especulação: induz eventuais desinformados que tenham ações da Petrobrás a vendê-las aos grandes investidores, ou seja: os bancos.

    • qua, 14/07/2010 - 17:26
      O Brasileiro

      Se as ações estão caindo e você acha que a Petrobrás não vai falir como a Folha, o que você tem a fazer é comprar ações da Petrobrás, e não vender!!!
      O mercado de ações sempre funcionou assim: se compra barato, para se vender mais caro!!!

      • qui, 15/07/2010 - 11:54
        Carlos

        Refiro-me a pessoas que não estejam mui bem informadas e precisem ´fazer´dinheiro de imediato.

      • qui, 15/07/2010 - 13:14
        Carlos

        Em 10 de julho/2000, o BNDES deu a largada na venda de lote de ações da (ordinárias, votantes) da Petrobrás e já no dia seguinte, o banco Chase fez vazar um (deliberadamente confuso) relatório que provocou queda nos preços das ações.
        No dia 14, a Gazeta Mercantil apontou: 'PREVISTO LUCRO DE R$ 10 BILHÕES PARA A PETROBRÁS" – balanço do ano apontou lucro LÍQUIDO de R$ 10,2 bi…
        No dia 16, vazamento de 4 milhões de litros de petróleo na Refinaria do Paraná (REPAR), destaque nos telejornais e rádios a partir da manhã do dia 17, e dos jornais e revistas a partir do dia 18.
        Resultado: sucessivas quedas no preço em função do desgaste da imagem da empresa e das multas anunciadas: 50 milhões, 100 milhões, 200 milhões de reais – uma insignificância ao lucro previsto (e realizado).

  48. qua, 14/07/2010 - 16:39
    vladimir lacerda

    Felizmente não moro neste inferno chamado São Paulo,mas conheço muitos que moram.Agora não entendo a reclamação afinal de contas desde Montoro que o mesmo grupo político está no poder e pior dizendo que farão com o Brasil o que fizeram com São Paulo,cidade e estado.O pior é que o povo acredita,pois o PSDB com certeza vai ganhar de novo e no primeiro turno.E qual é a base da propaganda dos tucanos? a sua eficiênica administrativa.Então Sampa está muito bem obrigado.

    • qua, 14/07/2010 - 19:13
      Haroldo M. Cunha

      Vladimir, venho fazendo esse comentário há muito tempo! Os tucanos de hoje, foram os pemedebistas de ontem, quando Montoro foi eleito governador, depois elegeu Quércia, que elegeu Fleury e por ai em diante. Onde está o erro? No eleitorado paulista! Reclamam, xingam e o escambau de bico o Lula e o governo do PT, mas estão com esses caras desde 1982.

      • qui, 15/07/2010 - 13:18
        Carlos

        Entre 1977 e 1986, por aí, tentei por quatro ou cinco vezes morar em Sampa… Pra quem dependia de transporte coletivo, difícil, insuportável já naquela época.
        Sampa só é generosa pra quem tem grana e mora bem.

      • qui, 15/07/2010 - 16:54

        Carlos, é o próprio inferno. Uso metro toda a semana. Embarcar na Sé às 18h, na Penha às 7h, no Brás, às 8h, por exemplo, ninguém merece, só sendo obrigada mesmo. SE para o Azenha, que tem 1,80 e poucos e porte de atleta, andar no trem da CPTM foi duro, imagine para mim que sou mulher e baixinha. Sentiu o drama? Abs

    • qui, 15/07/2010 - 14:46
      Marat

      Nós que somos inocentes, pagamos pelos que não sabem votar e não aprendem…

  49. qua, 14/07/2010 - 16:38
    Cátaro

    Sinto muita pena do povo simples que vive na Grande São Paulo, porque para a elite aquilo lá é uma festa.

    Ou são alienados e votam nos demotucanos, ou são resignados e não protestam, não reagem. Paulistano atuante só os professores, estudantes e policiais (de quem eu me esqueci?). Mas torço para que se faça a luz em suas mentes.

    Eu, que não sou nenhum dos dois, pulei fora daquela cidade há muitos anos . . .

  50. qua, 14/07/2010 - 16:31
    Mateu O'Paul

    Nazista!!!
    Abraça o DemoTucano e vai pro inferno!!!

  51. qua, 14/07/2010 - 16:24

    Moro em Guarulhos e tenho 02 opções para ir ao trabalho, “enfrentar” o Trem da CPTM ou o transito da Marginal Tietê. Onde moro fica a 10 minutos da Estação Itaim Paulista e a 01 hora do Metrô Armênia. A diferença é que, para o Itaim Paulista, tem que ir de lotação (geralmente Kombi 1976) clandestina, que custa R$ 02,00 ou pagar R$ 04,25 para ir de Ônibus. Que não tem horários fixos, e geralmente fica parado no transito na marginal (a que foi reformada esses dias).

    Mas o tema é a lotação dos Trens e Metrô. Então falo o que paço quando vou de Trem. Como disse o Azenha, o mais difícil é quando está dentro do Trem, pois para entrar é só preciso deixar que te jogue lá dentro. Ficamos todos muito apertados lá dentro. E achamos que não cabe mais ninguém, até chegar as próximas estações. São Miguel, por exemplo, tem muita gente tentando entrar, e acabam entrando nos trens. Geralmente usam um macete, quando as portas abrem e tem uma pequena brecha, vira de costa para ela e empurram quem está na porta para dentro, até conseguir o espaço.

    Vejo muita gente reclamando, falando alto e até brigando por causa do aperto, mas geralmente essa indignação acaba quando sai do trem, ela não vai até as urnas. Tem gente que acha normal, e até já se acostumou, o que acho um erro. Tem aquela frase: Não se acostume com o que não te faz feliz.

    Acho que a solução seria achar um mecanismo que faça com que todos não precisem passar pelo Brás ou pela Sé, independente do lugar que esteja indo. Eu no caso vou até a estação Ana Rosa, mas tem gente que vai para Barra Funda, Jabaquara (Zona Sul), Região Central, Osasco, Barueri e ABCD. Quem sai da zona leste e vai para a Zona Sul deveria ir direto ao Jabaquara ou estação próxima. Na Marginal Tiete um expresso que levasse os guarulhenses até a entrada de Osasco. Um trem parecido com o que já tem na Marginal Pinheiros, que acho que iria custar bem menos que a reforma da Marginal Tiete, que até agora não terminou, e o que foi feita está mal sinalizada.

    As maiorias das pessoas que moram em Guarulhos deveriam trabalhar ali próximo, quem mora no ABCD idem, Osasco também é assim por diante. Vejo muita gente que mora em São Paulo trabalhar em Guarulhos, Osasco, Barueri e ABCD. É falta de planejamento. Na COHAB Itaquera, e a Zona leste em si, abrigam grande quantidade da mão de obra hoje empregada em São Paulo, o mais racional, acho que seria “levar” as empresas para essa região, não só para essa região, mas para as regiões mais populosas, e evitar que tenham que se deslocar mais de 30 km para chegar ao trabalho.

    Sim já perdi a paciência, eu entro no trabalho as 07:00
    http://twitter.com/Mcchoco/status/18107460942

  52. qua, 14/07/2010 - 19:07

    Modestamente, preteendendo ser um leitor diferente do "diferente". gostaria de um adendo, que nao é simples acrescimo portanto..é diferente?
    Pamplona, voce poderia pedir aquele emprego de empurrador de gente no Metrô nipônico, assim a US$ 5000 por mes,pra cima. Depois precisa de uma linha SP,RJ que substitua os avioes de carreira e seu overbooking. e como vc sabe, aeroportos exigem um em cada ponta, bemdimensionados. Dimensionar exige investimentos como que permanentes no chao. Trem não, é so aumentar a frequencia do equipamento rodante e diminuir o head time entre um e outro. Desperdicio diferente?
    Entao minha proposta é novo trem de alta velocidade e mineiridade BH/Juiz deFora/RJ. Trem bão e desde já comercialmente garantido poque mineiros adoram fazer visita rapida a praias fluminenses, no que fazem muito bem.
    Alias a França tem varias, (quatro ou mais?) linhas TGV excelentes. Como nao sou viajado, não sei se tem empurrador de franceses no trem entre Paris e Lille, gritando: Un peu de plus,madame, s íl vous plait! E moças berrando: Mais quelle sakanage, Sarkozy!"

  53. qua, 14/07/2010 - 16:00
    Marcelo de Matos

    Dá gosto vir palpitar aqui: este é um blog de gente fina. Alguém aí já testou a linha de trem de subúrbio, por exemplo, da Barra Funda até Jundiaí, passando por Franco da Rocha, eFrancisco Morato? Cruz credo! Aquilo dá medo. Nas fotos do Azenha a gente vê um povo bem vetido e ataviado, quiçá cheiroso. Por lá a coisa é feia. Você sabe que embarca, mas, não tem certeza se volta. E tem vendedor de tudo: de chiclete a parafuso; de bombom a serra de cano. Certa vez roubaram o carro de minha filha e ele foi parar em uma delegacia não sei de onde. Para chegar lá fui até a estação de Presidente Altino. De lá tomei um trem decente e bem ataviado até a estação Santo Amaro, se não me engano. Aí tomei um metrô para Rio Pequeno: as estações tinham paredes revestidas de inox, muito luxo e quase nenhum passageiro. Fiquei surpreso: o pessoal parecia preferir os ônibus que ficavam no terminal anexo. Talvez a construção daquela linha de metrô tenha sido uma varada n’água. Se alguém for da região, favor explicar.

    • qua, 14/07/2010 - 20:20
      Celso

      Marcelo, boa tarde. Não sou da região mas conheço um pouco sobre transporte da Região Metropolitana de SP. A linha a que voce se refere é a que eles chamam de linha 5 lilás. Foi feita para ser inaugurada às vésperas da eleição de 2002 para eleger novamente o tucanato em SP e liga o Capão Redondo à Sto.Amaro, sem demanda alguma pois liga lugar algum a lugar nenhum, então as pessoas preferem sair do onibus na periferia do que descer em Sto.Amaro e pegar um onibus super lotado para seguir ao centro zona da Faria Lima, Paulista, etc. Agora estão dizendo que vão completar a linha até Chacara Klabin, Vila Mariana fazendo conexão com linha Norte Sul. Absurdo um dinheirão que poderia ser melhor aproveitado com outro tipo de ligação. Essa ligação funcionou até recentemente das 7 horas às 20 horas nos dias úteis não funcionando aos sábados, domingos e feriados justamente por falta de demanda.

  54. qua, 14/07/2010 - 15:43
    Amanda

    O seu comentário é racista! Sinto vergonha alheia de ler algo desse teor. Típico de quem desconhece São Paulo, sua diversidade e seu caos. E no dia que um cidadão não puder reivindicar transporte público de qualidade fecha o congresso, acaba com as eleições, coloca lá um ditador e pronto.

  55. qua, 14/07/2010 - 15:41
    estevan

    As propagandas do governo não são feitas para que já usa os serviços, esses não acreditam pois vivem o dia a dia do serviço público.
    As propagandas são pra quem não usa nada, vai de utilitário blindado, ar condicionado e insulfilm, esses sim frente as propagandas acreditam e defendem, e ainda acabam convencendo a empregada, o porteiro e a babá a votar nesses candidatos, usando de uma retórica do "eu sei porque olha quem eu sou, você não sabe, afinal, olha onde você está"
    E o povo cai na retórica, usando o argumento de quem justamente o explora

  56. qua, 14/07/2010 - 15:38
    ratusnatus

    Gustavo, qual a fonte de tanta inspiração:

    Eu mesmo respondo. Uma pessoa que tem o CQC como fonte de notícias só pode viver em constante estado de graça para escrever essas belas palavras.

    Estive em BH este fim de semana. Belíssima cidade. Mas não deixe uma moeda de 1 Real a vista ao estacionar seu carro porque ao retornar o vidro do mesmo estará quebrado e vc terá o prejuízo de 1 Real.
    Considerando que não há nordestinos em BH concluo que são os próprio belohorizontinos os assaltantes selvagens.

    Como sou carioca, dou graças a Deus pela prefencia dos belhorizontinos pelas praias do ES. Como deve saber, já temos assaltantes suficientes por estas bandas e não precisamos de mais.

    Nas suas férias lembre-se: —— ES!

  57. qua, 14/07/2010 - 15:37
    Priscila

    E quando depois de passar por td isso e chegar atrasado no trabalho onde vc é SERVIDOR PÚBLICO não há justificativa para esse atraso e te descontam? o patrão que te impossibilita de chegar ao trabalho é o mesmo que te desconta por não chegar ao trabalho… chupa essa manga!

  58. qua, 14/07/2010 - 15:22
    Gustavo

    O Governo Federal já enviou muito milhões para ajudar a acabar a obra do metrô de Salvador. Mas quando chega, não é repassado, culpa da má administração da prefeitura e dos desvio do dinheiro que impera na capital baiana.
    Como diz em Salvador: é metrô a metro.

    • qua, 14/07/2010 - 23:17
      Raul

      Olha aqui, ô babaca! Mineiro também é nordestino! Sabias? O nordeste começa no norte de Minas… Por outro lado, para enriquecer um pouco teu pobre conhecimento, fica sabendo que METRÔ não é necessariamente subterrâneo; esse termo é a abreviação de METROPOLITANO! Ele pode ser tanto subterrâneo como de superfície!
      Boa noite, NORDESTINO do centro de minas!!!!!

  59. qua, 14/07/2010 - 15:12
    Fernando

    Bem feito, no Rio o Metrô e a SuperVia são o paraíso na Terra.

    • qua, 14/07/2010 - 16:32
      pr_g2010

      Não são não, mas certamente a qualidade aqui no Rio é bem superior a de SP

      • qua, 14/07/2010 - 21:32
        Bruno

        Nem a pau, sou usuário frequente da CPTM e já usei inúmeras vezes a Supervia. Não dá pra comparar, é como se a CPTM fosse a Holanda e a Supervia, Uganda.

  60. qua, 14/07/2010 - 15:08
    Urbano

    Hen, hein… Estão se deitando na cama que forraram…

  61. qua, 14/07/2010 - 15:05
    Carlos

    Já que assunto é trem…

    Aloysio Biondi escreveu em… 1998

    (…)
    (…)Mais claramente: quem leu – de verdade – a íntegra dos artigos ou discursos descobriu que esses figurões, todos tão caridosos, estão na verdade tentando convencer a humanidade de duas coisas:

    1) A política chamada “neoliberal” imposta ao mundo nos últimos anos está absolutamente certa. A liberdade total para a especulação financeira, a ditadura do sistema financeiro, deve continuar.

    2) As “crises” da Ásia, do Brasil, da Rússia não foram provocadas por esse escancaramento à especulação financeira ou pelo escancaramento às importações, que beneficiaram os EUA.

    As “crises” foram provocadas pela corrupção, pelos erros de governo, pelos "empréstimos" que os bancos locais fizeram, em larga escala, sem pedir garantias, a empresas e empresários de seus países (Krugman afirma isso, em relação aos asiáticos…).

    Em resumo: o neoliberalismo é a religião salvadora. Não deve ser mudado. Não devem existir controles, por parte dos governos – pois eles, diz Camdessus, são um retrocesso, “o demônio”. Os santos são os EUA, o FMI, o Banco Mundial, os agentes da especulação financeira internacional. Só que toda essa hipocrisia é desmentida pela realidade. Nos EUA.
    (…)

    E Covas?
    (…)
    Dentro da política de privatização imposta ao Brasil, o governo Covas entregou a Fepasa ao governo federal, que vai “vendê-la” em leilão. O preço: míseros R$ 230 milhões, com 10% de entrada e o restante em 29 anos, ou 116 prestações trimestrais a menos de R$ 200 mil por mês. São 5.000 quilômetros de ferrovias, milhares de vagões e centenas de locomotivas…

    Negócio da China. Pior: há dez dias, o governo “incluiu” no “negócio” a ponte sobre o rio Paraná, na divisa de São Paulo com Mato Grosso, para o grupo “comprador” – adivinhe – explorar o pedágio. A construção dessa ponte, sozinha, custou R$ 500 milhões ao governo paulista (Cesp) na primeira etapa e algo como R$ 1 bilhão no total. Vai ser doada?

    • qua, 14/07/2010 - 15:50
      Carlos

      Desculpem, faltou o título do artigo: Banqueiros, santos, demônios (e Covas)

      O correto, portanto é:

      Já que o assunto é trem…

      Aloysio Biondi escreveu em… 1998

      Banqueiros, santos, demônios (e Covas)

      (No resto, nada a reparar)

    • qui, 15/07/2010 - 0:45
      beattrice

      Vale a pena lembrar, dada a insistência do moço em destruir o estado de SP, que o responsável por TODAS as privatizações do des-governo Coveiro, tem nome e sobrenome, e é: Geraldo Al-ckmin.

  62. qua, 14/07/2010 - 14:08
    Genghis Khan

    Azenha, pior que isso é ouvir o operador do metrô, certamente um sádico, anunciar, a cada 15 minutos: "embarque melhor na Sé, com conforto e comodidade, das 17:00 às 19:00 horas", no sentido Conrinthians Itaquera". Isso é de doer na alma. Será que esse pessoal não se toca que está falando exatamente para as pessoas que são transportadas como gado e que aquele é justamente o pior horário para qualquer ser humano tentar embarbar naquela estação?

  63. qua, 14/07/2010 - 14:08
    Celso

    Azenha. Dificilmente veríamos um repórter do seu quilate, empregado do PIG, fazendo uma matéria desse jeito. Por essas e outras que continuo indicando a leitura do seu blog.

  64. Vergonhoso isso.

    Já passei sufoco no metrô do Rio, também. Horrível.

    Nessas horas fico feliz de morar em uma cidade pequena (Petrópolis)…

  65. qua, 14/07/2010 - 13:36
    Stela

    Vai a dica de um texto excelente sobre o assunto. Pra rir demais …se não fosse trágico.
    http://luisnassif.com/profiles/blogs/as-desventur

  66. qua, 14/07/2010 - 13:31
    Flavio natacci

    Enquanto isso o Kassab vai fazer um túnel ligando a Sena Madureira com a Ricardo Jafet. Mais dinheiro usado para a circulação dos carros…….

  67. qua, 14/07/2010 - 13:29
    Tiago

    Azenha, parabéns pelo texto. Sou morador de região próxima a que você visitou (moro em Itaquera), e posso atestar que essa de fato é a situação do transporte público em Sao Paulo. As pessoas trabalhadoras dessa cidade, que partem cedo e voltam tarde, são tratadas, literalmente, como gado. É uma vergonha, simples assim. As composições de trem são dignas de um país africano; o metrô, em especial a Linha Vermelha, está totalmente sucateado e insuficiente para nossa cidade. Sugiro que você visite: estação Brás de trem/metrô no horário da manhã, estação Sé as seis da tarde sentido Itaquera, e o terminal Pq. Dom Pedro de ônibus, no centro de SP. E como contraponto, as estações Sumaré, Alto do Ipiranga, Imigrantes, cujas linhas tem os metrôs mais modernos e confortáveis e ESTÃO PERMANENTEMENTE VAZIAS! Não obstante tudo isso, tome propaganda do governo, com direito a violino sendo tocado dentro do vagão. VERGONHA!

  68. qua, 14/07/2010 - 13:28
    Klaus

    Acontece. No ambulatório lotado deve ter gente que lembra da propaganda do SUS também.

    • qua, 14/07/2010 - 16:34
      Carlos

      Exemplo não serve, pois o SUS é nacional com gestão tripartite: municípios, estados, união federal.
      Se cada um dos responsáveis cumprir a parte que lhe cabe, o sistema funciona.

      Não consta que o governo federal tenha responsabilidade pela gestão dos transportes nos municípios.

      • qua, 14/07/2010 - 20:43
        klaus

        Tripartite? só lembram disto na hora dos problemas do SUS. Quando é pra elogiar é tudo obra do Lula.

      • sex, 16/07/2010 - 19:51
        Bruno

        Acontece. Quando demorei duas horas para passar o trecho São Paulo-Guarulhos-Mairiporã da Fernão Dias, também lembrei dos elogios ao modelo de concessão do Lulla.

  69. qua, 14/07/2010 - 13:20
    Bruno

    Em off: caramba Azenha, vc deve ser bem alto…

  70. qua, 14/07/2010 - 13:17
    francisco p neto

    Eu não sei se é só em filmes, mas quando vejo personagens com cenas em NY, Los Angeles, Chicago ou cidades da Europa, se locomovendo através de transportes de massa como metro ou ônibus com toda a tranquilidade e bem acomodados, personagems estes que representam nos filmes papéis de grandes executivos ou pessoas de alto poder aquisitivo, fico pensando: são cenas que retratam a realidade dessas cidades ou são aquelas encenações de ficcção científica.
    Já ouvi dizer que nessas cidades não são iguais aos transportes daqui, mas não precisa ser muito esperto para saber que igual aquí, acho que não existe em lugar nenhum.
    Fica a pergunta:
    Quem é que imita a realidade? Os filmes de Hollywwod ou as propagandas do Serra?
    A senhora que você ouviu reclamando Azenha, tenho certeza que não era ficcção.

    • qua, 14/07/2010 - 20:43
      catarino

      Metrô em Nova Iorque é uma tristeza.

      • qui, 15/07/2010 - 14:07
        francisco p neto

        Catarino
        Não se faça de desentendido.
        Você sabe muito bem o que eu quis dizer.
        Se não sabe, vou dizer:
        O tema da reportagem é sobre transportes de massa. E foi disso que eu falei.
        Eu generalizei as cidades dos países ricos sem entrar no mérito se esses ou aqule transporte é deficiente, mas no contexto geral dá para comparar com os do Brasil?
        Só um perguntinha:
        Você usa transporte de massa?

    • qua, 14/07/2010 - 20:54

      Com pequenas imperfeições (Los Angeles não tem transporte público, aliás, metrô nos EUA é só na Costa Leste, a Costa Oeste/Califórnica é quem presenteou o mundo com o modelo rodoviário de carros e congestionamentos), o cenário desses filmes é correto. Num metrô em Nova Iorque ou nas capitais europeias é muito comum ver gente de todo tipo, dos imigrantes aos engravatados.

      • qui, 15/07/2010 - 14:01
        francisco p neto

        Muito obrigado Patrick pela sua contribuição.
        Ficou claro que vc conhece bem os EUA e deu as devidas explicações.
        Você entendeu o que eu quis dizer no meu comentário.
        Já o Catarino não entendeu nada.

    • qui, 15/07/2010 - 3:41

      O uso do transporte público na Europa é culturalmente assimilado por qualquer extrato social, com exceção dos megamilionários evidente.

  71. qua, 14/07/2010 - 13:09
    José

    O trem bala é realidade, o pré-sal é realidade, o biodiesel é realidade, o H-Bio é realidade, a auto suficiência em petróleo é realidade, o biodiesel de mamona é realidade, a exportação de etanol é realidade, a copa de 2014 é realidade, as olimpíadas são realidade, etc. Só que tudo é realidade no papel. No plano concreto só temos promessas e marketing.

    • qui, 15/07/2010 - 10:38
      antonio

      O biodiesel é realidade sim (menos da mamona) e a produção brasileira está crescendo e muito. Se informe melhor.

  72. qua, 14/07/2010 - 13:08
    Fabiano

    Quem manda votar em tucanos por décadas e achar que está sempre bom… dá nisso, só lamento.

  73. qua, 14/07/2010 - 13:07
    Hans Bintje

    Azenha, essa é a melhor matéria que você já escreveu em 2010.

    Como repercuti-la pela blogosfera?

  74. qua, 14/07/2010 - 13:00
    monge scéptico

    Em caxias, baixada fluminense, depois de deixar passar tres composições, um senhor idoso
    foi levado pela massa para dentro do vagão e, segundos depois, foi "espirrado" pela outra
    porta e, DEU SORTE!; ainda lhe restava nas mãos trêmulas a marmita!. É hilário e triste ver
    um vôvô enfiado naquela muvuca. Dentro do vagão um inferno!.Embarcamos no quinto aos
    tafas e cafungadas no cangote. Vôte!.

  75. qua, 14/07/2010 - 12:52
    jose carlos

    Um slogan pra campanha a governador de são paulo:

    Paulista, vote PSDB e continue a se f……errar.!

  76. qua, 14/07/2010 - 12:48
    Carmen Pires

    Azenha, para com o trololó petista. Isto é coisa deles para conquistar jornalistas incautos e sem experiência, como você. Estas fotos devem ser montagens como as do pedágio, do viaduto do rodoanel, do túnel do metrô etc.
    Tralalala Serra, seu reinado sobre a mídia, em outubro, vai terminar.

    • qua, 14/07/2010 - 14:47
      Anão do Pânico

      Ah sim claro.

      A diretoria do PT sabia que o Luiz Carlos Azenha faria uma reportagem dos trens da CPTM, então resolveu organizar uma mega-passeata pra dentro das estações, a fim de lotar um trem e tirar fotos.

      Vai trollar lá na Daslu que é o seu lugar.

    • qua, 14/07/2010 - 19:45
      Beto Crispim - BH

      Escrota, eu morei em 2004 em Mogi das Cruzes, sei o que é aquilo, que inferno. Além de escrota é burra, dizer que o Azenha é um jornalista sem experiência, ou é muita burrice ou tá de brincadeira.

    • qua, 14/07/2010 - 20:50
      Ed.

      Carmen, sarcasmo ou prá valer? Recomendo o uso de aspas, se a primeira opção… senão, veja as réplicas…

  77. qua, 14/07/2010 - 12:36
    Gerson Carneiro

    No dia da gravação da propaganda o povão ficou isolado na chegada da plataforma (colocaram aquelas fitas amarelas e pretas, de isolamento), e controlava a quantidade de pessoas a ter acesso à plataforma a fim de passar a impressão de que não havia superlotação.

  78. Essa classe exclusiva a qual a mídia paulista serve e pertence, não anda de trem.

    Coincidentemente estou lendo nesse instante a notícia de que o presidente Lula assinou ontem o edital de licitação do TAV – trem bala, cujo trecho de São Paulo a Campinas ficará pronto para a Copa 2014, e que o governador de São Paulo, sr. Goldmann, declarou há tres semanas em Campinas que o TAV não passava de um conto de fadas.

    • qua, 14/07/2010 - 13:17
      Henderson_hds

      Ficará promto em 2014? Não me faça casquinar a bandiras despregadas, amigo.
      o senhor é bobo?

      Guardem esta minha nótula: mais uma mençonha petista, a execução de uma obra como essa leva muito mais tempo, licenças amientais, desapropriações etc.

      Mas a parte mais interessante foi a propaganda com a máquina do Governo feita por Lula: aliás, ele era sabedor disso.Ou seja, ele afrontou a lei sabendo que afrontaria.

      O Presidente da República transgredindo e gostando disso. Haja estômago.

      • qua, 14/07/2010 - 21:10
        Ed.

        La vem o Hend_da_Picada e suas pesquisas de palavras esdrúxulas no VOLP, como se falar palavras pouco difundidads fosse sinal de inteligência (ou de cultura). Não percebe que as palavras devem ser usadas para comunicar. E que qualquer alfabetizado pode pescar em dicionários…on-line…
        Tive muitos funcionários que usavam a famigerada VVP (Vocabulário de Valorização Profissional), para disfarçar suas incompetências desconhecimentos e limitações. Na cabeça mesmo…nada… além da vontade de aparecer e de enganar. Ledo engano, pobrezinhos…
        Quanto às propagandas da Sabesp (até no Acre), do "trabalnando por vc", do "estado cada vez melhor", e outras PROPAGANDAS de verdade, "nada de máquina"… Dinheiro partcular de pedágios, provavelmente…
        Mas Hend "pode mais", e vai acabar acordando e votando na Dilma, hehe

      • qua, 14/07/2010 - 21:58
        Gerson Carneiro

        Nem quis responder porque o português coloquial ele não entende. Por isso fala apenas ilações discordes da realidade fática, ou seja, conversa mole pra boi dormir.

      • qua, 14/07/2010 - 23:42
        Ed.

        Hehe…Pois então, Gerson: ele gostou muito da "octaetéride" do FHC… (Debaldo…)
        Na verdade ele é um "hiputrélico" (do saudoso mineiro do qual furtam-lhe os óculos toda hora…)
        (pronto, já demos algum material de pesquisa pro google do Hend…aguarde…)

      • qua, 14/07/2010 - 22:05
        Gerson Carneiro

        Como é que é Ed. "não me faça perder as bandidas das minhas pregas" ???

    • qua, 14/07/2010 - 14:02
      Marat

      Eles não andam de trem, muito menos de ônibus… ganham o suficiente para terem bons carros. Como a sensibilidade deles é zero, nunca colocam o dedo nessa enorme ferida aqui em SP…

    • qua, 14/07/2010 - 14:49
      Supertramp68

      Esse TAV vai ser igual ao metrô de Vitória-ES , não vai sair do projeto. Ë só pra inglês ver.
      Com uma malha rodoferroviaria pifia como a nossa, vem fazer gracinha com trem bala. A 200 pratas a viagem?
      Vou de avião. No ar não tem vacas.

    • qui, 15/07/2010 - 3:38

      EM SP ocorre um bombardeio diário contra o TAV na mídia conservadora, direta ou indiretamente. Boa pauta para o JR Azenha.

      • É incrível, né. Um mega projeto que São Paulo desfrutará, e eles são contra. É muita arrogância. Aí ficam com aqueles projetinhos medíocres de permanecer fazendo obras na marginal, escavando eternamento o rio Tietê (não sai disso).

        Torcem clareamente pra nada dar certo. Torcem contra o TAV, contra a Copa 2014, contra as Olimpíadas… é triste.

      • qui, 15/07/2010 - 10:42
        beattrice

        Para sorte do Brasil quanto mais eles torcem contra mais tudo dá certo. AMÉM.

  79. qua, 14/07/2010 - 15:21
    Luiz Jornaleiro

    "Ô, vida de gado, povo marcado, povo feliz". O povo de São Paulo só conseguirá recuperar sua verdadeira cidadania quando se livrar da demotucanalha e da rede globo de manipulação.

  80. qua, 14/07/2010 - 15:21
    Milton Hayek

    Isso aí,Azenha,é resultado da incompetência da iniciativa privada em oferecer transporte,saúde e educação via famosas concessões para empresários amigos.
    Quando a iniciativa privada oferece esses serviços com boa qualidade,pode ir atrás que tem a mão do Estado via isenções fiscas,empréstimos dos bancos públicos,privatização de pai pra filho(caso da Vale),etc.
    Outro dia o ministro Temporão afirmou que os hospitais públicos do Brasil foram aparelhados por hospitais privados:
    http://www.vermelho.org.br/noticia.php?id_noticia
    Corporações tomaram conta dos hospitais públicos, diz Temporão

    Então,meus amigos,o que vemos é toda uma construção ideológica para evitar que o Estado crie empresas que permitam que haja verdadeira concorrência no Brasil.Não podemos e não aguentamos mais os péssimos serviços oferecidos pela iniciativa privada, protegida via aparelhamento do Estado, que FHC criou.
    Agora atacam a PETROBRAS:
    O esforço da Folha para derrubar as ações da Petrobras http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-esforc

    É sempre o mesmo jogo.A mídia é associada de empresas privadas parasitas que não querem concorrência para oferecer péssimos serviços e,com isso,auferir lucros gigantescos.
    Olha outro exemplo que explica porque es telefônicas não querem a TELEBRÁS reativada:

    Estudo
    Brasil tem celular pré-pago mais caro da América Latina
    Em mostra ampliada de 62 países, tarifas brasileiras também são as mais altas http://veja.abril.com.br/noticia/economia/brasil-

    Eu coloquei o link da Veja porque só deve ter saído na edição na internet.

  81. qua, 14/07/2010 - 15:12

    Certa vez, na estação Paraíso, tive de esperar até a 8ª composição para embarcar. Tudo bem que era horário de pico, mas, no momento, quando todos reclamavam, lembrei-lhes das propagandas enganosas estampadas em todos os vagões…

Comentar