VIOMUNDO

Governo Dilma e PT perderam a batalha da comunicação. Agora, é tentar evitar o impeachment

24 de fevereiro de 2015 às 11h48

chavez

por Luiz Carlos Azenha

No dia em que Hugo Chávez foi derrubado, na Venezuela, em 2002, um episódio foi decisivo. Uma falsa notícia disseminada pelos meios de comunicação locais, que repercutiu em todo o mundo e deixou os próprios venezuelanos em choque. Mesmo eleitores de Chávez, aqueles que acompanhavam a crise à distância, ficaram sem ação.

A falsa notícia era de que chavistas haviam atirado contra uma manifestação de oposicionistas que estava a caminho do Palácio Miraflores. Havia imagens para comprovar. Lá estavam eles, sobre a Ponte Llaguno, disparando suas armas. As imagens viriam a ser desmentidas, mais tarde, pelo documentário A Revolução Não Será Televisionada.

Na verdade as emissoras venezuelanas haviam suprimido um dos ângulos do episódio. Por este ângulo, era possível ver que os chavistas, na verdade, eram alvo de franco atiradores e disparavam aleatoriamente. Eles não atiravam contra uma passeata, que nem havia passado por perto daquele lugar.

Porém, a falsa notícia já havia feito o estrago. Chávez salvou-se por vários motivos: apoio popular, lealdade entre os militares e um esquema que permitiu a ele comunicar-se indiretamente com a população. Além, é lógico, das besteiras feitas por Pedro Carmona, o empresário escolhido para substituí-lo, que ao assumir fechou o Parlamento!

Através da rede CNN, partidários de Chávez conseguiram superar o bloqueio informativo para dizer que o presidente não havia renunciado. Fizeram o mesmo através de meios comunitários para levar a mensagem aos morros de Caracas, onde ainda vive a grande maioria dos chavistas. Os morros desceram para diante do Palácio Miraflores para defender Chávez, que acabou reinstalado no poder.

O episódio deixou marcas profundas no chavismo. A partir de então, uma das prioridades do governo foi equilibrar o jogo no campo das comunicações. Ao contrário do que diz nossa imprensa, nunca houve censura na Venezuela.

Houve, sim, investimento em desenvolver meios através dos quais o governo pudesse falar diretamente à população. Além de um acerto de bastidores com o principal empresário do ramo, Gustavo Cisneros, que comandava então a principal emissora golpista.

O Brasil, obviamente, nunca enfrentou um episódio tão dramático. No auge do assim chamado escândalo do mensalão, com várias CPIs instaladas ao mesmo tempo, o ex-presidente Lula decidiu ir às ruas se defender. Politicamente, virou o jogo. Obteve a reeleição, mas nunca saiu da defensiva. Já são 13 anos de noticiário desequilibrado, que poupa tucanos e criminaliza petistas.

Lula optou, sempre, pela composição. O quadro econômico positivo permitiu que ele elegesse a sucessora, que se reelegeu pela menor das margens.

Hoje, além do desgaste natural de três mandatos no Planalto, o projeto petista na economia dá sinais de esgotamento e o escândalo na Petrobras detonou a boa vontade da população com aqueles que promoveram a ascensão social de milhões de brasileiros. O desgate do PT ficou óbvio nas eleições mais recentes, quando as bancadas do partido encolheram.

Como escreveu Valter Pomar, petista histórico, o governo Dilma enfrenta a “tempestade perfeita”, também por conta dos próprios caminhos que escolheu:

Implementar mesmo que parcialmente o programa dos derrotados na eleição contribui para confundir e desorganizar as forças que venceram as eleições presidenciais de 2014, facilita as operações de sabotagem implementadas pela oposição de direita e também por setores da base do governo, não ajuda a bloquear eventuais tentativas de interromper nosso mandato, além de criar um ambiente favorável aos que desejam nos derrotar nas eleições de 2016 e 2018.

É nestas circunstâncias que o governo Dilma e o PT poderiam tirar proveito, mais que nunca, de um esquema de comunicação que permitisse a eles falar diretamente à população, sem passar pelos intermediários da grande mídia corporativa.

Este esquema não existe. De maneira um tanto caricata, isso ficou demonstrado num episódio recente envolvendo o ministro da Justiça. José Eduardo Cardozo, todo pimpão, deu uma entrevista à TV Veja, crente de que estava abafando. Passaram-se alguns dias e lá estava ele, denunciado na capa da revista à qual deu a credibilidade de sua presença física! O governo Dilma continua hoje sendo o principal financiador da mídia que pretende não só derrubá-lo, mas salgar a terra por onde passaram petistas.

O partido vai enfrentar uma eleição de vida ou morte em São Paulo, em 2016, quando Fernando Haddad tentará se reeleger para dar sustentação a um eventual retorno de Lula em 2018.

Por causa da própria incompetência e mediocridade no campo das comunicações, o PT e Dilma estão perdidos diante da grande revolução que se deu nos últimos anos com o surgimento e fortalecimento das redes sociais. Mesmo a blogosfera, aos poucos, vai ficando com cheiro de naftalina. A comunicação instantânea e pessoal, especialmente via Facebook e whatsapp, equivale a um tsunami.

O governo e o PT não estão preparados para esta disputa, que pressupõe que ambos deveriam estar em um dos polos da geração de conteúdo bombardeado e contra-bombardeado nas redes sociais. Esta disputa exige competência e rapidez, que são a antítese do comportamento que vemos vindo do Planalto ou de petistas com posições de poder.

Exige uma atitude guerrilheira, como a demonstrada pelo senador Roberto Requião, armado com sua conta no twitter, um blog dinâmico e a TV 15, que transmitiu ao vivo os acontecimentos recentes no Paraná.

Enquanto isso, a oposição nada de braçada, agora que conta com alguns milhares de militantes digitais dispostos a disseminar qualquer informação para minar as bases do governo.

Recentemente, fui procurado pela minha diarista, que estava assustada: “É verdade que a Dilma vai confiscar a poupança?”.

Respondi que havia acabado de publicar um desmentido do Ministério da Fazenda. Um desmentido, aliás, chocho, que duvidava da própria veracidade dos boatos que pretendia desmentir.

Segundo a minha diarista, o boato era tema de discussão dentro do ônibus, com a maioria dos presentes desancando a presidente. Há dezenas de outros relatos a respeito no Facebook. Deixam claro que foi um boato de forte circulação via whatsapp. Que pode ter chegado a milhões de pessoas.

É esse tipo de boato, que toca diretamente a vida das pessoas — o confisco, afinal, é uma ameaça! — que vai minando aos poucos o que resta da credibilidade do governo com aqueles que ainda não foram convencidos pelo Jornal Nacional de que o mundo vai acabar por culpa de petistas. Vai criando, silenciosamente, o caldo de cultura que alimenta a campanha do impeachment.

Leiam o relato de Maria Luiza Quaresma Tonelli, no Facebook:

A diarista que presta serviços em minha casa me perguntou hoje se eu estava sabendo sobre “um negócio muito grande que vai acontecer nas ruas”. Perguntei: quando? Ela: no dia 15 de março. Então falei para ela que se trata de uma manifestação que estão organizando para tirar Dilma da presidência da república. Perguntei para ela como ficou sabendo disso e ela disse que as duas filhas e um genro receberam o “convite” pelo WhatsApp e que hoje no ônibus o assunto era esse. Disse que muitas pessoas falavam no ônibus coisas assim: “precisamos tirar Dilma de lá, ela quer acabar com a gente”. “Dilma é uma ladra”. Outros diziam: “Lula também”. Daí para pior.

Enfim, é assustador o poder e a capacidade da direita em atingir a classe trabalhadora com propaganda contra um governo que justamente beneficiou a classe trabalhadora, que majoritariamente é conservadora e despolitizada. Por isso não é capaz de pensamento crítico e cai no moralismo barato da oposição. Tem gente que diz que a massa trabalhadora não tem tempo para ficar vendo TV nem no Facebook, por isso não há perigo de ser influenciada pela extrema direita. Concordo. Mas pelo tal do WhatsApp a oposição está fazendo um trabalho e tanto. Vamos aguardar o dia 15 para ver qual será o tamanho da coisa.

A batalha da comunicação, em nossa modesta opinião, está perdida. Talvez só mesmo uma grande derrota eleitoral seja capaz de provocar o despertar dos burocratas.

PS do Viomundo: Recentemente, o prefeito Haddad deu uma entrevista à rádio Jovem Pan, que só repercutiu de fato depois de ir parar nas redes sociais! Sinal dos tempos.

Leia também:

Beto Richa sabia que o Paraná estava falido, mas escondeu durante a campanha

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR

 

100 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Guilherme Pinto

26/02/2015 - 15h24

Simplesmente, o ilustre resumiu todo o problema e o objetivo do PT no último parágrafo!!! Massa de manobra!!! É isso que acham da classe trabalhadora! E achavam que a classe trabalhadora não ia evoluir culturalmente nunca??? Que bastava pão e circo??? E olha que a classe trabalhadora manobrada como gado ainda nem começou o processo de evolução…imaginem quando eles realmente estudarem história e entenderem o mínimo o que é o flagelo do comunismo????? E pior ainda quando descobrirem que nem comunistas são, mas simplesmente um bando de ladrões oportunistas de primeira classe. Perceberem que o “pai” dos pobres atual vive como um monarca… Ah! e antes que vocês respondam meus comentários me xingando de coxinha, classe sei lá o que, só queria deixar claro que fui nascido e criado em São Paulo, na Vila Brasilândia, mas preciso no Jd. Elisa Maria. Sempre estudei em escola pública, vi, e vivi todo tipo de miséria e degradação que se possa imaginar…mas…graças a Deus, sempre tive “inteligência” e discernimento, onde estudei muito sobre história. Portanto, podem mandar suas ofensas, que para mim é indiferente, pois não sou esquerdista nem direitista…sou simplesmente…estudado. E não se esqueçam, que o comunismo sempre é excelente para os companheiros de ponta, do comando, e funciona bem até que se socialize e se acabe o dinheiro dos outros. E por último, lembrem-se que seus filhos e netos estarão aqui no futuro, no tipo de nação que os PTistas querem construir, e não haverá espaço e nem recursos para tantos companheiros de ponta, então, adivinhem o que acontecerá com os seus descendentes????

Responder

    Luciana de Lima Carezzato

    02/03/2015 - 14h08

    Se você estudou, minimamente deveria saber que o PT não é comunista e que comunistas não comem criancinhas.

Carlos Hums

25/02/2015 - 18h07

A presidente Dilma Rousseff telefonou agora há pouco para o senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB), quando em seu gabinete, recebia o presidente da Fiesp, Paulo Skaf.
::: Caminhoneiros: senador Luiz Henrique da Silveira tenta solução com o governo federal
Dilma queria mais informações sobre o relato que o senador catarinense fez ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, sobre as origens da queda do governo Salvador Allende, no Chile, exatamente com uma greve de caminhoneiros.
Luiz Henrique ofereceu mais detalhes deste marcante evento histórico e depois transmitiu dados sobre as consequências da greve em Santa Catarina e no sul do Brasil.
Segundo assessores, a presidente Dilma cumprimentou o senador, que hoje está completando 75 anos de idade.

http://wp.clicrbs.com.br/moacirpereira/2015/02/25/caminhoneiros-dilma-telefona-para-luiz-henrique/?topo=67,2,18,,,67

Responder

O Mar da Silva

25/02/2015 - 14h39

Azenha, vc e o Rodrigo Vianna são excelentes analistas da nossa situação no tocante à questão da Comunicação dos governos do PT.

Muito já se escreveu sobre isso. E fica complica do saber as razões para tanto financiamento do PIG via SECOM e para a cegueira total em relação à comunicação do governo para a população.

O PIG nadando de braçado na manipulação.

Hoje, por exemplo, li que o Brasil já o 11º na produção de energia eólica. Putz! Ultrapassando países com histórico invejável nesse campo, como a Alemanha. (http://blogdeumsem-mdia.blogspot.com/2015/02/energia-eolica-capacidade-nacional.html).

E quem sabe disso nos ônibus da vida? Que benefício isso trará em tempos de crise hídrica em Sampa?

Nada disso é passado para a população. E olha que é realização do governo. Logo, o mesmo deveria ter todo prazer em mostrar o que tem feito pelo país.

Mas parece pecado.

Eu também só acredito que o PT vai acordar quando estiver fora de Brasília pregando no deserto ou perto disso.

E mais: o PT só não está numa situação pior porque a PSDB e o PMDB ficaram tão inúteis que são incapazes de ‘roubarem’ propostas do PT que não precisariam de reformas e nem de transformações: como uma reforma tributária mínima para desafogar o aperto no bolso dos mais pobres e cair nas graças da classe média.

Responder

    Alex Back

    25/02/2015 - 15h05

    Vitória do governo seria a CHESF entregar as linhas de transmissão para escoar a energia dos complexos eólicos que você menciona.

    A energia eólica no Brasil poderia ser ainda muito mais.

Vicente Jr.

25/02/2015 - 14h35

O PT perdeu a “batalha da comunicação” porque se afastou progressivamente da classe média, que é formadora de opinião. O PT nasceu no seio das grandes metrópoles e hoje se mantém no poder graças aos rincões. Não é para ficar surpreso.

Responder

Jadson Oliveira

25/02/2015 - 13h53

Caro Azenha, vc sempre bem antenado. Não há propriamente uma batalha da comunicação, há um massacre diário, escrevi há um mês ou dois atrás um artigo no meu blog mais ou menos com este título. Sem a construção duma mídia contra-hegemônica não há saída, é bastante estudar o exemplo da Venezuela, muito bem citado por vc. Abraços, Jadson Oliveira

Responder

foo

25/02/2015 - 12h25

“A batalha da comunicação, em nossa modesta opinião, está perdida.”

Batalha da comunicação?

Que batalha???

Batalha só existe se dois lados entrarem em disputa.

No caso do Governo, a derrota foi por WO.

Responder

Carlos

25/02/2015 - 10h51

Isso, eu já avisava a mais de 5 anos, no melhor momento que o Brasil atravessou no governo Lula era o momento das reformas de base. O PT preferiu trazer a direita para seu lado, apenas para evitar o golpe no momento e postergou o golpe para o futuro.

Responder

Joana Gomes

25/02/2015 - 10h03

Senhores,

Li um trabalho científico interessante que tinha como objetivo descobrir se existe componentes genéticos na opção política independente da influência do meio, identificou-se que os indivíduos de esquerda tem um fator psicológico em comum, todos possuem uma verdadeira aversão a concorrência, precisam de um Estado protetor para se sentir Feliz e aqueles os lideram, ( Lula, Chaves Evo Morales e seus partidos) não possuem o mesmo componente genético que os seus liderados, são mercenários, o que eles fazem a manipular estas pessoas em beneficio próprio, o objetivo é o Puder.

Entende-se a razão que leva indivíduo pobre sem acesso a informação sem educação e sem perspectivas a apoiar um partido como o PT é a possibilidade de ver sua vida melhorar independente do que exista por traz daquele partido, já um indivíduo com informação e educação que se diz uma pessoa do bem e não tem nenhum interesse direto com o PT do ponto de vista racional é injustificável seu apoio ao PT e seus vermes.

Esquerdistas por genética, tentem superar esta limitação, comecem a pensar em alternativas para virar este jogo o Capitalismo em uma Democracia forte com instituições fortes é o caminho mais seguro para o bem estar geral, não tenham medo de concorrer, a concorrência e saudável e proporciona desenvolvimento.

A Esquerda e a Direita são mera justificativa para se chegar ao Poder e controlar os fracos do ponto de vista social e genético.

Responder

    O Mar da Silva

    25/02/2015 - 14h27

    Leu na Nature ou na Scientific American?

    Sorry! Where did you read that?

    Can you mention the authors?

    Pelo visto. vc deve ser gringa.

    k k k k k k k

    Andre

    25/02/2015 - 15h57

    Para mim essas explicações biológicas lembram o nazismo.

    Nelson Ribeiro

    26/02/2015 - 15h25

    No capitalismo até a psicologia tem que ser comportamentalista. Ela ensina o patrão a manipular o empregado o político manobrar as massas e os cientistas a enganar a sociedade.

Godinho

25/02/2015 - 09h30

Com o PT já não podemos contar. Quem então fará o enfrentamento necessário com a direita?
Me pergunto onde anda o PSOL, que deveria estar ocupando o vácuo na esquerda produzido pela conversão do PT ao direitismo (só posso pensar que é isso, ou terei que admitir que TODOS os grandes nomes do partido, que respeitava pela sagacidade política, são beócios). Onde anda o PSOL, que não está no whatsapp, no face, em parte alguma, disseminando contra-boatos, divulgando a sujeirada da direita, seus roubos e desmandos?
As duas maiores forças da esquerda estão paralizadas!
E eu, que pensava que ia viver minha velhice num país grande, rico e independente… doces sonhos! Vou morrer à mingua, como bem merece alguém que se preocupou mais com mover o mundo do que com a própria vida. Ô desilusão! Ô tristeza!

Responder

    Alex Back

    25/02/2015 - 15h42

    O PT apenas se deu conta de que não existe presidência da república no Brasil… apenas a gerência dos interesses da elite, que a patrocina (na forma de doação de campanha).

    Há os trouxas que acreditam que o PT é intrinsecamente diferente do PSDB. Ai, ai… eu dou risada.

    Já dizia o velho Brizola:

    “O Lula é a espuma da história, ele nunca mergulhou em águas mais profundas. O Lula está dentro do sistema, sua mente está dentro do modelo econômico. Como a do FHC. Só que o Lula vem por baixo e o FHC vem por cima. Eles estão se acotovelando, as duas equipes, pra executar o mesmo programa Neoliberal.”

    Fiquem aí, discutindo o sexo dos anjos…

    FONTE: http://youtu.be/K-gVK84Rpic

Henrique

25/02/2015 - 03h14

Lula e Dilma só buscam falar para os seus fantoches manipulados. Não tem coragem de falar com quem tem opiniões divergentes, até porque eles costumaram fugir da verdade. Mentirosos. Nunca se houve corrupção de tal magnitude, igual a que ocorreu na Petrobrás em nenhum outro país do planeta. Acordem pessoas a favor do PT. Não joguem seus pensamentos e esforços com pessoas que não buscam o bem estar futuro de seus filhos e deste país. Cadê a Dilma agora para falar alguma verdade, não estão a encontrando não é mesmo? E a grana que pagam para algumas pessoas falarem bem deles na Web. E a consciência de pessoas que se submetem a isto? Parecem já não terem resquícios de uma consciência sadia e justa. Pois é, ela não sabe o que é verdade, fugiu da verdade há tempos.

Responder

    Alex Back

    25/02/2015 - 15h21

    Gostei do seu comentário.

    luciano

    25/02/2015 - 22h20

    Gostei do seu comentário. 2

    Maeth Boff

    25/02/2015 - 23h35

    Henrique, o escândalo da Petrobrás tem pouco a ver com o PT (o PT é um dos que pegaram grana) e muito menos com a Dilma. Em tamanho se equipara ao Trensalão de S. Paulo. Só que ninguém fala mais do trensalão porque saíu da grande midia. Você parece acreditar que os que fizeram o golpe de 1964 ficaram bonzinhos atualmente. Leia um pouco como foi o golpe de 64 e porque Getúlio resolveu se matar. Ou leia como a CIA preparou o golpe no Chile. Até a greve confusa dos caminhoneiros foi usada lá. A receita é a mesma!

Nelson

25/02/2015 - 01h51

Na noite de 11-04-2002, o Sr Arnaldo Jabor, sabujo de alto coturno dos governos dos EUA, apareceu perante as câmeras tomando vinho e comendo uma banana a comemorar o golpe contra Hugo Chávez.

Veja bem. Jabor, um dos que se mostram campeões da defesa da democracia, da liberdade e dos direitos humanos, fez isso

Porém, a justiça se fez e, dois dias depois, Chávez voltava ao poder nos braços do povo venezuelano.

Saber que, ao tomar conhecimento do retorno de Chávez, Jabor deve ter tido a maior indigestão de vinho e de banana de toda a sua vida, é como aquele comercial da MasterCard: NÃO TEM PREÇO!

Responder

Alexandre Tambelli

25/02/2015 - 01h05

Estava com este texto que escrevi esses dias e corrobora com o excelente artigo do Azenha. Deixo aqui postado.

O GOVERNO FEDERAL PERDEU A BATALHA DA COMUNICAÇÃO?

Todos nós temos alguns grupos de contatos sociais e diferenciados. Família, amigos de infância e escola, amigos da faculdade, amigos do trabalho, da Igreja, etc.
Percebo no universo das minhas amizades que há, atualmente, uma impossibilidade de convivência, crescente a cada dia, entre um grupo de contatos sociais mais crítico e consciente politicamente e menos teleguiado da mídia hegemônica (Globo, Band, Folha, Estadão, Veja, Jovem Pan, etc.) dos outros grupos.
Antigamente chamavam os “petistas” de violentos, radicais e de todos os adjetivos mais que ligassem ao radicalismo das ideias e ações, até nos colocavam como favoráveis às ditaduras “as de sempre” e tudo mais que se possa enxergar como extremista e autoritário.
Porém, percebo que o momento atual do Brasil midiático fez um processo impensado, os mais radicais não são da esquerda (seja qual for o matiz), mas são as pessoas mais à Direita nas ideias político-sociais e individuais, muitas daquelas pessoas susceptíveis à manipulação da mídia hegemônica. Neles se encontram as sementes plantadas pela mídia hegemônica e seus aliados políticos no rompimento do processo Democrático com argumentos nada louváveis como “Golpe de Estado”, “Ditadura Militar” e o que valha para tirar a Presidenta Dilma e o PT do Poder.
Hoje somos nós da Esquerda, petistas ou não que colocamos um freio nas discussões sobre Política e mantemos o equilíbrio para preservar amizades e relacionamentos familiares.
Parece que sempre que a Direita e sua mídia ficam desesperadas por anos a fio longe do Poder se repete: a raiva, o ódio, o desespero, os gritos dos indivíduos que acreditam nos seus discursos (dos políticos da Direita) e nas notícias que a mídia aliada (ou o contrário, Políticos da Direita aliados da mídia) promove. É uma avalanche diária de vídeos, imagens, mensagens de voz anti-petistas, que chegam as raias do absurdo, quase uma doença ou já um sintoma doentio. É um processo que aceita, sem nenhum apreço com o resultado das urnas, a ruptura da Democracia via “golpe branco”.
É interessante.
Já não mais existe uma simples luta de classes e o constante individualismo da classe média tradicional. O tema da perda de exclusividade, do custo de vida mais oneroso diante de uma sociedade que ampliou direitos trabalhistas (carteira assinada, Estatuto das Domésticas, etc.) e que fez com que essa classe social se visse ameaçada em suas “conquistas” perde espaço para todo e qualquer preconceito contra o PT e só se enxerga o “mar de lamas” lacerdista e a necessidade de impeachment da Presidenta Dilma.
A Imprensa cartelizada no Brasil, onde quase toda informação é dada com um mesmo enfoque e praticamente só notícias negativas contra o PT e seus políticos + aliados e o Governo Federal (já sem nenhum pudor em esconder tal intento) cria esse estado de separação petistas e anti-petistas; cria, também, o rompimento com qualquer possibilidade de a razão e reflexão se fazer presente em parcelas inteiras da sociedade diante de uma notícia, estas repetem sem nenhuma reflexão o noticiário hegemônico e dizem: – está tudo um caos neste País. País onde o desemprego é um dos menores do mundo e o salário mínimo subiu mais de 75% acima da inflação nos últimos 12 anos de Governo Petista. País, onde as pessoas consomem, se divertem, viajam, etc. com frequência considerável.
O fato é que ferve os olhos da quase totalidade da classe média tradicional da qual pertenço com palavras contra a Presidenta Dilma, o Lula e o PT, associados à maior roubalheira de todos os tempos (Petrobrás) e que desemboca no tema, recorrente e sem tréguas, como falei acima, do impeachment, da volta dos militares ao Poder e até de um Golpe de Estado. Muitas pessoas falam desses temas com tanta desenvoltura e como sendo algo inadiável.
O fato é que parcelas inteiras da sociedade falam disto atualmente e com uma voracidade descomunal e sem tréguas. Bem sabemos que não adianta qualquer diálogo com a turba dos teleguiados midiáticos, pois, nem a primeira palavra será ouvida, nenhum contraponto será aceito e tudo se movimenta na direção de saber: – você ainda é petista?
Este processo tem se alastrado sobremaneira e provoca uma separação social irreversível, onde, a sociedade se divide entre favoráveis ao Governo Dilma e oposicionistas.
Tenta e tem conseguido a velha mídia associar toda a investigação de corrupção da Petrobrás ao PT, o que se sabe não ser verdadeiro com seu noticiário de mão-única e apenas contrário a tudo o que faz o Governo Federal e o PT.
Noticiário que se baseia em vazamentos seletivos de “delações premiadas”, o que é crime, porque muitas das delações são em segredo de Justiça.
Noticiário que poupa as ilicitudes de políticos aliados da imprensa hegemônica na própria Petrobrás, parar ficar a impressão de uma única verdade: – tudo o que ocorre de corrupção na Petrobrás é culpa do PT.
O e-mail da Diretora de Jornalismo da Rede Globo mandando os jornalistas da casa não citarem o FHC e seu Governo nas reportagens sobre a Operação Lava-Jato é ilustrativo demais do momento vivido no Brasil e a intencionalidade de colocar a quase totalidade da opinião pública contra o Governo Federal e o PT para ensaiarem a possibilidade de apoio popular ao impeachment da Presidenta Dilma, legitimamente eleita e sabidamente uma pessoa honesta.
Um parêntese.
Infelizmente, o Governo Federal ajuda a formar uma Esquerda crítica à ele, que parece entediada com a ausência de comunicação do Governo Federal. Governo Federal que ensaia se comunicar melhor com a população. E tem colocado a voz no microfone da mídia hegemônica. Vide entrevistas de José Eduardo Martins Cardozo à Veja on-line e do Prefeito Haddad à Rádio Jovem Pan.
Trazendo para a Política partidária e tentando entender a demora em compreender a importância da Comunicação em um Governo, onde a mídia hegemônica (oligopólica) faz 24 horas diárias de oposição destrutiva e violenta ao Governo Federal, sem nada ressaltar de positivo nele.
Por que esta demora e acomodação em relação à Comunicação governamental?
Aconteceu que a batalha pela comunicação do Governo Federal foi em bom tempo pensada como uma batalha de votos (o PT tinha mais votos) e a (velha mídia e sua oposição menos). Isto posto, junto à má-qualidade do Jornalismo e a incapacidade da oposição política de apresentar projetos para um novo Brasil, fazia o Governo petista crer que o PT venceria por pontos, numa hipotética data não muito distante todos os seus adversários, vencendo a contenda da comunicação pela prática e fraqueza política dos oposicionistas e seu resultado: respeitá-lo e vê-lo como um Partido que fez grandes coisas pelo Brasil. E, talvez, crendo que a velha mídia e seus aliados dentro da Política tivessem algum apreço pela Democracia e soberania popular do voto.
Passados os anos e o silêncio da comunicação governamental (viviam os Governos petistas dos famosos trackins diários) presente em tamanho impensado veio no meio de 2013 as jornadas de junho, e ali, tudo se reverteu. A velha mídia apoderou-se sabiamente dos protestos por 20 centavos de “jovens idealistas” e conseguiu uma reversão na popularidade do Governo Dilma e do PT, que não mais se mostrou com os índices pré-junho de 2013. Lembram-se dos famosos Trackins diários do PT, onde foram parar?
Uma juventude nas ruas alicerçada pelos 11 anos seguidos de ataques frontais ao Governo Federal e ao PT, com a velha mídia privilegiando o tema corrupção e sem respostas adequadas das autoridades do Governo e do partido. Juventude que não se pode colocar como capaz de diferenciar como era a realidade brasileira antes e pós-PT porque não vivenciou outro partido no Poder Federal.
Uma constatação.
O silêncio na comunicação criou um hiato com o passado, este fica esquecido da memória dos brasileiros que acabam colocando os governos petistas como os mais corruptos da História, sem o ser. É só lembrar-se dos escândalos bilionários e nunca investigados e das privatizações fraudulentas a “preço de banana” dos tempos de FHC para não ter dúvidas da irrealidade dessa opinião que se generalizou (viralizou) na cabeça de milhões de brasileiros. Governo petista que mais criou mecanismos de combate à corrupção, que mais investigou e puniu e que deu autonomia ao MPF, à PF, à CGU, à PGR para investigar até o próprio Governo.
O que mais chama atenção é que o Governo Federal não disputou a batalha da comunicação, mesmo de 2013 para cá, mantendo a mesma crença da sabedoria do povo em todos os momentos da vida Política do Brasil, o que não é possível, certo? O que é uma fantasia. E quer agora, numa corrida contra o tempo, se comunicar, sem ter os meios de comunicação capazes de alcançar a imensa maioria do povo brasileiro, estes estão nas mãos da velha mídia oposicionista radical aliada dos políticos golpistas capitaneados por PSDB e DEM.
Quase o fanfarrão Senador Aécio Neves venceu, candidato do PSDB que é do partido que havia quebrado o Brasil por 3 vezes menos de duas décadas atrás.
Desde 2003 o PT está no Poder e quase nada fez para mudar o quadro da Comunicação no Brasil. Continuou refém da Rede Globo e seus bajuladores e vive de dar ouro ao bandido, anúncios polpudos e diários nesses meios de comunicação e que são oposicionistas ao Governo, como já disse, 24 horas por dia; anúncios que dão verbas extras de bilhões de reais aos inimigos maiores do Governo: a velha mídia.
A ação continuada desses meios de comunicação sem contrapontos, só detonando a sigla PT, seus políticos, vez ou outra aliados e seus Governos: em especial o Executivo Federal levou ao quadro atual da separação e que se torna irreconciliável dos brasileiros pró-governo e os anti-PT.
Não sei o que pode ser feito para minorar esta separação social e que pode pender para a vitória da velha mídia e oposição golpista. O Governo precisa urgentemente se comunicar com a população e mostrar os fatos reais do Brasil, o quanto antes. E mostrar o constante seletivismo dos noticiários e como está em curso um novo “golpe midiático/do judiciário” na opinião pública via Operação Lava-Jato, como ocorreu com o “Mensalão”.
Sabemos, para além da corrupção temos a questão dos aumentos da energia elétrica e dos combustíveis que a Direita e sua mídia deitam e rolam na cabeça do brasileiro, que pode até tomar as dores do portador de um veículo por um sujeito que não possui carro e dizer que o Governo está aumentando tudo, até a gasolina.
A moça/diarista que trabalha em casa disse: – a Dilma está aumentando tudo e que irá aumentar a gasolina; e ela utiliza apenas trem e ônibus para locomoção diária. Não tem aqui um alastramento da influência da velha mídia sobre os posicionamentos, entendimentos da realidade no seio da classe C? “A menina dos olhos” nos governos petistas.
E tem a inflação visível nos alimentos, que não podemos negar. A velha mídia deita e rola com esses temas de Economia e o Governo fez de conta que é como a mídia diz já que não contradisse o noticiário por anos a fio.
O que nós das Esquerdas podemos fazer diante de um quadro de insatisfação generalizada e radical contra o Governo Dilma dessa parcela que a velha mídia cooptou e coopta a cada dia mais?
Um parêntese.
Até a impensada ideia da Presidenta Dilma corrupta passa a ser possível, o que seria improvável num Governo que se comunica com seus governados.
Hipóteses há para as esquerdas:
1) Vamos radicalizar e sair às ruas, também?
2) Esperaremos a poeira baixar para evitar confrontos violentos entre esquerda e direita?
3) Vamos manter total apoio ao Governo Dilma em prol da Democracia?
4) Tentaremos dialogar com os cooptados da velha mídia? (Aqui a tarefa é árdua – sequer sabem que existe proposta da sociedade civil para uma Reforma Política Democrática e sequer sabem da existência de projetos em prol de uma Mídia Democrática) – afinal o que esses indivíduos sabem e querem?
etc.
Será que vale a pena nós, também, ficarmos radicais frente ao Governo Dilma?
Como criar caminhos para frear essa separação radical a que se submete a sociedade brasileira (principalmente no Sudeste e Sul) diante do Governo Dilma?
Qual a comunicação institucional que trará resultados satisfatórios?
Eu sei de uma coisa:
Sequer está possível de argumentar com uma única frase com parcelas inteiras da sociedade. Elas entraram num processo, onde se consideram as maiores entendedoras dos assuntos relacionados à Política e que não há argumentos capazes de refutá-las, sabendo-se que sequer abrem espaço para qualquer diálogo, porque suas convicções (argumentos e opiniões) são irrefutáveis. Não tem diálogo. Tudo está resolvido, é impeachment e pronto. E quase toda conversa e postagem virtual gira em torno da corrupção e enriquecimento ilícito dos petistas. Não sabem argumentar, falta-lhes opinião, sobre a maioria dos temas outros, que são necessários para um Brasil desenvolvido, porém, creem ter sabedoria e a verdade nas mãos.
Corre nas redes sociais a data de 15/03, data sonhada para existir grandes manifestações Brasil afora: para o FORA DILMA, FORA PT! É impressionante como circula esta informação e milhões de postagens anti-petistas e de gozação e xingamentos à Dilma, ao Lula, ao PT e os petistas nas redes sociais, no Whatsapp, Twitter, e-mail, etc. Não há nenhum respeito à figura institucional da Presidenta da República. A falta de civilidade (no duplo sentido) é assustadora.
E o Governo Federal em suas diversas instâncias pouco faz para punir os excessos: o que for mentira, ameaça à Democracia e à Ordem Social (vide os boatos do fim do Bolsa Família e do confisco da poupança). O que cresceu lá em 2010 com o Guru indiano contratado pelo candidato José Serra, hoje é uma corrente para frente de milhões e milhões de brasileiros furiosos, defendendo Golpe de Estado, Ditadura e o que mais valha para tirar o PT do Poder.
O que será colocado no lugar do PT no Governo: pouco importa!
Para a classe média tradicional e todos os teleguiados da mídia hegemônica importa mesmo é varrer o País da corrupção petista! E todos os problemas sociais, econômicos, políticos, educacionais, na saúde, de corrupção, etc. se resolvem do dia para noite.
E nós vemos o discurso de que se a Direita tentar colocar o bloco na rua haverá contrapartida do PT. Desanimando a militância, apanhando calado, como faz atualmente não sabemos se o PT e o Governo Federal serão capazes de levar às ruas muitos petistas ou simpatizantes do Governo Dilma, mesmo que em prol da Democracia.
Não é mais fácil se comunicar do que ter de enfrentar a fúria dos teleguiados da velha mídia se manifestando nas ruas pelo Impeachment da Presidenta da República, Presidenta democraticamente eleita e uma mulher corajosa e honesta, que está na comissão de frente do combate à corrupção no País? Justamente, a bandeira pela qual querem tirá-la do Poder.
Enfim, São mais de 12 anos de Governo petista. Já se podiam ter Jornais diários pró-Governo, concessões de rádios e TVS para empresários e organizações sociais pró-Governo ou ao menos legalistas, uma excelente equipe de comunicação, etc. Qual o medo de assim proceder? Todos os governos de Direita fazem concessões. E o Governo do PT teve aliados (maioria em muitas votações de interesse dele) no Congresso Nacional esses anos todos para garanti-las.

Responder

FrancoAtirador

25/02/2015 - 00h44

.
Abaixo-Assinado
.
EM DEFESA DA PETROBRAS E DA DEMOCRACIA
.
Assine aqui: (https://secure.avaaz.org/po/petition/Presidencia_da_Republica_Defesa_da_Petrobras_e_da_Democracia_1)

Responder

amilcar

25/02/2015 - 00h36

Nesse tempo todo no poder nem Lula nem Dilma fizeram reformas institucionais. Apenas vem gerenciando o espólio deixado pelos demotucanos. A maior prova disso é que Dilma já falou em privatizar a Caixa, ou seja, a agenda do PSDB. Não dá mais pra ter ilusões. O governo petista não tem nada de esquerda, infelizmente.

Responder

    Alex Back

    25/02/2015 - 15h17

    Concordo.

    Nesse jogo não há santos.

Jorge Jaba

25/02/2015 - 00h36

No fim das contas só tenho questões simples para levantar :

Por quê o governo e o PT , mesmo alertado diariamente sobre a perda de espaço na comunicação , não toma uma atitude ? Por quê não entra no jogo com a mesma definição de objetivos ?
Por quê é tão complicado para o PT dar um passo à frente no sentido de ir para o corpo a corpo ?
Por quê tanto silêncio diante do bombardeio da mídia e da oposição ?

Todo dia , aqui onde vivo , ouço opiniões do tipo : “Tú viu , Jorge ? Os bolivarianos estão dominando tudo ? ” E eu pergunto : “Como assim ?” ; “É só o que se fala .
Outra disse : “Mas tú pelo menos admite que eles roubaram muito , que a corrupção foi muito grande ” . E eu : “Vc está falando do Lava Jato ? Eles ainda estão investigando , não provaram nada .” ; E a pessoa : ” Mas já está tudo provado . Vi na Veja . ”

Ou seja , claramente percebe-se que falta , de fato , apenas rebater intempestivamente , usando os mesmos meios . O povo segue a cartilha do “ouvi falar” , “li na Veja” , “vi na Globo” , “recebi no Whatsapp” , “é só o que se fala” , e tudo isso fica valendo , porque o governo não se defende . Assimila a pancada e segue em frente . Só que cada pancada tem o efeito de uma tatuagem . Não sai fácil.

Não é a tarefa mais difícil do mundo . Mas o PT reage , como disse o blogueiro , de forma chocha ,desinteressada , formalmente . Essa covardia de atitude é a pior das escolhas.

Cansei de tentar contra argumentar . A onda da tsunami ultra direitista e anti PT é imensa . Além disso , do exército digital sempre disposto a jogar baixo , eles ainda contam com a providencial ajuda da mídia e da oposição , além do papel dúbio da justiça.

O governo conta com a máquina administrativa , com uma militância disposta a brigar , com a blogosfera , que sempre oferece ótimas sugestões e ótimas cabeças , que o governo muito bem poderia usar no corpo a corpo da comunicação. mas não mexe um dedo.
Isto é incompreensível , inaceitável e extremamente desanimador.
A gente não vê aquela atitude , tipo ” Aqui começa minha reação” . Pensei , com toda minha fé , que a partir da entrevista de Dilma , teríamos uma onda de reação do governo . Mas morreu por ali.

Responder

Roberta Delmondes

24/02/2015 - 23h13

Minha dúvida é: Para onde vai tanto dinheiro devolvido, se a nossa educação,saúde e demais é uma negação?

Responder

Andre

24/02/2015 - 22h15

Há algo que me preocupa muito mais do que a disputa no céu da politica. Me preocupa a disputa na terra da sociedade civil. E essa é uma disputa de atitudes, ideias, posturas de esquerda e de direita antes de se identificar com partidos. Nessa disputa a esquerda está perdendo e de lavada. Há uma hegemonia crescente de posições ultradireitistas na sociedade. Com ou sem impeachment isso é devastador para a esquerda, mesmo para aqueles setores que se tornaram só um espectro de esquerda, dos quais só restam palavras e uma estrela vermelha(ainda é vermelha?). O desastre pode perdurar por décadas. É essa a batalha que está sendo perdida e no mundo todo, pois parece que o Syriza hoje capitulou as ‘instituições'(eufemismo para troika; propaganda só não adianta!).

No governo do PT uma grande parte dos movimentos sociais ou aderiu mesmo abandonando a postura de independencia ( e de esquerda) ou ficou esperando que o governo fizesse uma politica comprometida com suas pautas. O que restou de esquerda embarcou no fraticidio suicida. OS novos movimentos de esquerda são minoritários, carecem de estratégia política e muitos embarcaram na luta por espaço político com o que sobrou da ‘velha’ esquerda que parece ter sido eleita sua maior inimiga ( e não é ao PT que me refiro). O vácuo foi ocupado por uma atitude de direita raivosa, irracional e protofascista. Essa postura está começando a falar alto para os abandonados pela esquerda; e quem conhece a história sabe no que isso pode dar.

Não tem rede social que dê jeito nisso; até porque os compromissos politicos e envolvimentos financeiros e organizacionais dos donos das grandes redes sociais com a extrema direita pseudolibertária são conhecidos para quem investiga o assunto – Peter Thiel, um dos diretores do Facebook, por exemplo financia a editora dos livros de Olavo de Carvalho (informação constante da dissertação de mestrado em História da UNIOESTE “OS litores da Burguesia: o mídia sem máscara em atuação partidária(2002-2011)”, disponível na internet). Precisa dizer mais alguma coisa? Então tá: é no mínimo estranho que uma empresa capaz de fazer um ‘experimento’ para manipular as reações das pessoas (para mim isso soa como um experimento de Goebbles) seja incapaz de identificar discursos de ódio e neonazistas.

Acredito que a pior coisa que a esquerda ( e não me refiro ao governo) pode fazer para vencer a batalha de hegemonia na sociedade é ir para a armadilha das redes; é preciso tirar a mente das pessoas de lá! Acho que o momento exige o paciente, longo e tortuoso trabalho da militancia por atitudes, ideias e posições de esquerda. A maior parte de nossa comunição é não-verbal, pode se dizer muito mais coisas no cara a cara do que pelas tais redes. Novos partidos e movimentos de esquerda (Syriza, Podemos, O Occupy Wall Street, o movimento pela elevação do salário minimo nos EUA,etc.) surgiram em movimentos de ruas, em assembléias populares, a partir da militancia cotidiana e não nas ‘redes’ como a midia quer fazer crer. Não adianta ficar esperando que o governo nomei o ministro da propaganda para desfazer o estrago.

Responder

Luiza

24/02/2015 - 22h05

Pena.., mas acho difícil, hoje, o governo reverter a desinformação que tomou conta do povo e retomar o entendimento e o apoio dos movimentos sociais. È a omissão cobrando seu preço.

Também não vejo nenhuma vontade ou atitude concreta por parte do governo em reverter a situação. O resultado está aí..

Dizer o que? de um governo que excluiu o povo do debate político e se afastou dos movimentos sociais? Suicídio político? Pode ser..

Enquanto isso… a campanha do impeachment toma forma, se organiza e vai para as ruas dia 15. Será um ensaio e tanto para a oposição testar o seu poder de convencimento e apostar em novas manifestações, com toda certeza. Agora, se a coisa vingar já no dia 15, aí Dilma cai antes do esperado e nem o Lula segura.

A ver..

Responder

Leandro_O

24/02/2015 - 21h56

Que tal fazer um omelete na Ana Maria Braga? Quem sabe dá certo…

Responder

Leandro_O

24/02/2015 - 21h53

” a massa trabalhadora não tem tempo para ficar vendo TV ” – Ah não, pára que vou descer. Como assim não tem tempo???? E todos esses programas boçais acham que são feitos para quem?? Desde os jornalões, que prometem trazer o melhor da notícia do dia do Brasil inteiro (ainda que fique só no eixo SP-RJ), até os lixos BBB, Panico na TV, etc. etc. fora aquela programação tosca dos domingos.

Responder

Pascoal do Vale

24/02/2015 - 21h50

Dilma e PT não perderam batalha alguma. Perderam sim, a vergonha na cara, a desfaçatez, a ética, a decência a dignidade, o pudor, o descaramento, o pejo, o acanhamento, a falta de constrangimento, etc.

Responder

Roberto

24/02/2015 - 21h45

Não entendi uma coisa no texto: se os antigos meios de comunicação são porta vozes da elite, como que agora, com o advento da internet e das redes sociais, que justamente estão tornando estes antigos meios obsoletos, o governo está perdendo a batalha da comunicação? Me corrijam se estiver errado, mas as redes sociais não são formada por pessoas normais, como eu e você? Que eu saiba todos podem ter facebook e Whats, correto? Isso não é o que de mais democrático possa existir? E não é justamente neste meio, mais democrático, que o PT está perdendo?

Responder

    Rafael

    25/02/2015 - 08h38

    Perfeito seu comentário.

    Alex Back

    25/02/2015 - 15h32

    Esperando contra-argumentos da turma dos blogues…

    Afinal, as pessoas comuns são apenas influenciadas por interesses externos ou são elas que escolhem o que querem que as influenciem?

    Existe, de fato, a possibilidade de uma democracia? Ou tudo não passa de uma guerra de informação?

    Winston Churchill estava certo ao decretar que vivemos no “império da mente”?

renato

24/02/2015 - 21h43

Penso que ninguem tem o direito, de colocar nas ruas, pessoas de pensamentos contrários.
Penso que nossas vozes, que ocorrem atraves dos jornais, Tvs, Blogs..etc..não podem esconder a irresponsabilidade de tal ato…
Penso que votei na vencedora das eleições, a pessoa que eu queria.
A ELA minha confiança total nos rumos do Brasil, e se assim não o fosse, por que então votaria?
Ela conta com meu voto, que não foi nulo, nem voto de cagaço.
Como diz Estadile,- para o que der e vier!
Mas sem mostrar as armas antes que o outro saque.

Responder

    Luiza

    25/02/2015 - 07h03

    Renato, voce está na contramão do Estado Democrático de Direito, pois se voce afirma que ” ninguem tem o direito, de colocar nas ruas, pessoas de pensamentos contrários”, entao voce é contra o direito a liberdade de expressao e livre manisfestaçao do pensamento garantidos pela constituiçao, é isso mesmo? Seu pensamento é antidemocrático e aponta para o autoritarismo.

    O que o artigo discute nao é o direito a livre manifestaçao daqueles contrários ao governo democraticamente eleito, aliás o admite explicitamente, mas sim as consequencias desastrosas da falta de uma política de comunicaçao do governo capaz de defende-lo politicamente de um noticiário desequilibrado que poupa a oposiçao, principalmente tucanos, e criminaliza petistas, além de criticar, também, adoçao de medidas em contradiçao ao programa de governo defendido em campanha.

    Uma coisa é povo se manifestar contra a Dilma por nao concordar com a mudança do programa de governo defendido por ela e eleito nas urnas, outra bem diferente é pessoas irem para as ruas, inflamadas e com muito ódio, com base em boatos e mentiras impostas como verdade pela oposiçao pela mídia e fazer julgamento antecipado de lideranças do PT que sequer foram declaradas culpadas.

    A verdade é uma só – se o governo tivesse tido a preocupaçao em dialogar com os movimentos sociais e adequado as suas decisoes o mais próximo possível do programa defendido em campanha e, também, tivesse um canal de comunicaçao para desfazer boatos e mentiras o povo estaria apoiando o governo e nao se organizando para derruba-lo.

    Mas sem mostrar as armas antes que o outro saque.

    Como assim[?], “mas sem mostrar as armas sem o que outro saque”???
    A oposiçao vem monstrando as sua armas faz um saco de tempó

    Alex Back

    25/02/2015 - 15h27

    Daqui a pouco quem não concorda com a ideologia petista vai precisar de um passaporte pra andar nas ruas então, amigo.

    Teve um sujeito que fez algo parecido num passado não muito distante: decretou que quem seguisse uma determinada religião devia ter uma estrela costurada em suas roupas.

    Sem mais.

Marat

24/02/2015 - 21h26

Infelizmente os petistas são incompetentes, pusilânimes e morrem de medo da impren$$$a e da burguesada tola e estúpida que faz os pobres de bobos…
Há a necessidade premente de nascer um partido de ESQUERDA, mas uma esquerda verdadeira, com pessoas inteligentes, articuladas e antenadas com todas as tecnologias!!!
A direita brasileira é ladra, ignorante, estúpida, serviçal do EEUU, e está montada na grana. Não é necessário ser muito inteligente para desmontá-los e desmontar suas farsas, mas é preciso trabalho árduo…

Responder

Edgar Rocha

24/02/2015 - 21h15

Com todo o respeito que tenho pelo Azenha, definir a falha governamental como uma crise de comunicação é de um reducionismo e tanto. Dilma e Lula não foram só inertes e condescendentes. Sou mais o que disse o Safatle: “Por estas e outras, o sonho de consumo atual de todo petista é ser tratado como um tucano.”

Trata-se de querer fazer a diferença fazendo o mesmo. Os limites impostos pela direita foram respeitados integralmente. Conquistas reais foram tratadas como concessões do conservadorismo e direitos adquiridos tomaram contornos quase que de licença poética (falar em direitos indígenas, reforma agrária ou meio ambiente com Kátia Abreu no Governo, poeticamente falando, é de cair o c* da bunda). Não se trata de ter a sensação – supostamente falsa, na visão do Azenha – de terem sido enganados. A concretude dos fatos prescinde de interferências globais: nós fomos enganados!

E eu não esperava grande coisa. Na últia eleição, por exemplo, tudo que desejava era a continuidade dos projetos sociais e o compromisso real de se evitar retrocessos. Todos sabiam que seria muito difícil avançar com as pernas bamabas do governo e com a bancada federal eleita. Mas, nem isto. Exige-se agora, que a militância – mais até que o trabalhador em geral – corte na própria carne, abra mão definitivamente de ideais, submeta-se à “realidade”. espera-se também que, apesar disso, todos se coloquem prontamente nas ruas em defesa de um governo que só terá por bem, manter o grupo seleto do alto clero petista com a posse do executivo. Pra quê?! Pra pedir mais caldo do bagaço que se esvai em nome da governabilidade?

Estamos na era do contrassenso, não tenho dúvidas. Quem há de botar tudo nos trilhos de novo serão os primeiros a demonstrar irreverência às regras do jogo torto da política e do poder. Aí então, veremos Dilma, Aécio, Alckmin, aquela peste da Bahia que não lembro o nome, todo mundo unido como nos tempos da ditadura, em defesa das instituições e contra quem se rebelar. Já começou no Rio (vide Maré). Em São Paulo, o pavio é um pouco mais longo, mas vai explodir a qualquer hora. Aí, todo mundo, “esquerda” e “direita”, em respeito às leis, formará um só partido. O partido de sempre, o Partido do Deixa Disto.

Responder

    Luiza

    25/02/2015 - 10h57

    Edgar, nao se trata mais de apoiar a oposiçao , ser contra/defender o governo ou PT ou qualquer outro partido político na atualidade, porque a encruzilhada que estamos vivendo vai além e é uma só – O INTERESSE DO ESTADO BRASILEIRO NO DESTINO DO PETRÓLEO DO PRÉ-SAL. Por que?? Porque só há 2 modelos de exploraçao – que sao diferentes entre si – e que estao em jogo hoje.
    SE CAIR O GOVERNO – a oposiçao que assumirá o poder SE OPÕE ao modelo de exploraçao vigente que é Regime de Partilha e adotará no lugar o sistema ou regime de concessao fazendo cair por terra também a política de Conteúdo Nacional.
    SE O GOVERNO CONTINUAR – o sistema de exploraçao continuará o mesmo, o governo brasileiro continuará controlando as reservas e recebendo os royalties destinados a saúde e educaçao previstos em Lei, além da manutencçao da política Conteúdo Nacional que privilegia a “prata da casa”. Nao vou entrar em detalhes do quanto é mais vantajoso para os interesses brasileiros a manutençao do regime de Partilha, porque eles já sao bem conhecidos e vc pode pesquisar a vontade no google para ver todas as vantagens.
    Pode acreditar, o modelo adotado pelo governo petista é muito mais vantajoso para nós brasileiros, por isso nao vejo vantagem que a oposiçao assuma o poder. Nao se trata de optar por derrrubar ou nao o governo – a discussao continua sendo o Petróleo, ponto final.
    Edgar, se conseguirem derrubar o governo, entregar do pré-sal é ferir de morte a economia do país[aliás, os bancos públicos entrarao na lista também] nada e ninguém conseguirá colocar o país nos trilhos, pois nao sobrará patrimonio para garantir soberania economica para o Brasil, pode acreditar.
    Entao, quando voce terminou o seu comentário com “Quem há de botar tudo nos trilhos de novo serão os primeiros a demonstrar irreverência às regras do jogo”, SINTO EM DIZER, mas
    entrando a oposiçao nao sobrará desse jogo nada que possibilite reerguer a economia do país. Esse é que é a realidade. Irreverencia nao faz milagre.

    É verdade, o PT podia e teve tempo para “romper” e partir para um embate político consistente, inclusive já teve em seu favor alta popularidade e apoio dos movimentos sociais, só que nao – adotou uma política de barganhas e concessões em nome da governabilidade. Teve, sim, tolerancia com o sistema corrupto que já estava estabelecido e se acovardou diante do 4° poder, que é a mídia, apostando numa estratégia de “boa vizinhança” quando, na verdade, deveria é ter ido prá cima com a constituiçao embaixo do braço e o povo ao seu lado. A AP470 foi um erro do PT em nao ir prá cima e enfrentar a luta. Concordo.
    Mas, mesmo assim,Edgar, nao menos verdade também é que conseguimos avançar mais do que em qualquer outro governo recente anterior ao do Lula, tanto em direitos quanto em conquistas sociais.

    Nao sou petista. A minha análise é sobre o que é ou nao melhor para nós, simples assim.

    .

Edinho

24/02/2015 - 21h01

Um governo que se diz de esquerda, em um país reacionário como o Brasil, pode ser tudo, menos covarde. E o governo petista tem se caracterizado, antes de tudo, pela covardia…

Responder

Messias Franca de Macedo

24/02/2015 - 20h22

Juiz também está com Land Rover de filho de Eike, dizem advogados

SAMANTHA LIMA
MARCO ANTONIO MARTINS
DO RIO
FELIPE DE OLIVEIRA
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA, DO RIO

24/02/2015 17h46

(…)

FONTE: http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2015/02/1594137-juiz-tambem-esta-com-land-rover-de-filho-de-eike-dizem-advogados.shtml

Responder

Mauro

24/02/2015 - 19h57

A vitoria de Dilma com uma margem pequena e anova representacao congresso da veracidade ao texto.

Responder

Fabio Passos

24/02/2015 - 19h51

Parabéns pelo novo formato do blog.
Ficou muito bom.

Responder

Fabio Passos

24/02/2015 - 19h49

Sustentar o PiG é injustificável.
Qual o sentido em gastar rios de dinheiro público com organizações que trabalham todo-dia-o-dia-todo contra a democracia e o país?

Quanto as mentiras e difamações que os golpistas divulgam nas “redes sociais”… é incompreensível a passividade do governo.
Não há melhor forma de desqualificar os golpistas do que combater e divulgar os absurdos e infantilidades que a direita golpista inventa e que muitos tomam como verdade.

Responder

Messias Franca de Macedo

24/02/2015 - 19h47

o vivo: ato em defesa da Petrobras

TER, 24/02/2015 – 17:46 ATUALIZADO EM 24/02/2015 – 17:54

FONTE: http://jornalggn.com.br/luisnassif – See more at: http://www.ocafezinho.com/2015/02/19/emergindo-mais-forte/comment-page-1/#comment-68229

Responder

Messias Franca de Macedo

24/02/2015 - 19h10

… Se a covardia do ‘[tíbio] PT da Governança’ é uma estratégia…

E não entrando no mérito da discussão…

A verdade é que a covardia do ‘[tíbio] PT da Governança’ contribuiu para a instalação do fascismo em nosso meio, nesta atual quadra histórica!

A covardia do ‘[tíbio] PT da Governança’ permitiu a instalação do ódio seletivo no Brasil!

O Brasil forjado no ódio e na intolerância odeia o Brasil real!

O Brasil fascista X o Brasil que teima(va) em avançar!

Na falta do legítimo contraditório, o Pizzolato de ‘ontem’ é o *Mantega de ‘hoje’!

Transformaram o Brasil numa bagunça!

Ah se a covardia do ‘[tíbio] PT da Governança’ lamentássemos junto a nós!

Leia-se a [lídima] reação tão esperada!

Enquanto isto…

A *barbárie é aqui!

*https://www.youtube.com/watch?v=fukG9vx9gHE

Responder

Gerson Carneiro

24/02/2015 - 17h31

Azenha chutou a canela da blogosfera agora.

A blogosfera está tão enfadonha. Outro dia, não muito longe, vi um blogueiro dizer o seguinte:

“Silêncio de Dilma tem lógica. Não direi qual penso ser porque posso atrapalhar a estratégia, mas, se você confia em mim, peço sua paciência”.

Haja confiança.
Haja paciência.
Mais que isso, haja fé.

Responder

    Sidnei Brito

    25/02/2015 - 00h25

    O maior erro de parte da blogosfera progressista foi ter dado razoável guarida à “marcha da família com deus” em sua versão contemporânea: as ditas “jornadas de junho de 2013″. Foi lá que a direita percebeu que tinha espaço para ampliar as ondas nos lagos, após uma ou duas pedras neles jogadas.
    Entendo que faz parte de um certo romantismo esquerdista: “ora, como criticar o povo nas ruas?”.
    Só o que se via – e ouvia – eram cartazes contra ProUni, bolsa-família, depredação da sede do PT, discursos antipolítica (falsos, pois seus enunciadores são politizados pra caramba.). E mesmo assim, lá estavam alguns blogs progressistas até mesmo apoiando aquela gororoba.
    Em vez de agirem como um Arnaldo Jabor às avessas, muitos ainda insistem que ainda houve algo de bonito, de libertário ou sei lá o que naquela desgraça.
    Aquele MPL (que fala grosso com o Haddad e fino com o Alckmin e com o Kassab) ganhou até que um espacinho mais ou menos aqui no Vi o Mundo e outros blogs. E onde estavam eles, pergunto, quando da discussão sobre o IPTU do Haddad, que, além de fazer justiça social, mirava justamente em formas de se obter meios para financiar o transporte público?

    abolicionista

    25/02/2015 - 01h26

    Eles vivem penando aqui na terra, esperando o que jesus prometeu….

Fabio

24/02/2015 - 17h16

Como que um milatante vai defender uma presidenta covarde, bundona e um partido que não existe mais.
Infelizmente em 2016 e 2018 não voto mais PT.
Jamais voto na direita suja e golpista.
Vou anular meu voto, pois o que percebo que o PT se tornou pior do que os malditos tucanos.

Responder

    Alex Back

    24/02/2015 - 22h39

    Até que em fim um comentário sensato.

    De resto, só vejo essas opiniões do tipo “não podemos perder o poder, não podemos perder o poder”.

    Estão cegos.

Makário

24/02/2015 - 17h03

Fora de Pauta, mas engraçadíssimo, ou melhor, desgraçadíssimo

Fora de Pauta

A degradação do poder judiciário brasileiro:

Juiz do caso Eike é flagrado usando o Porsche do empresário
ter, 24/02/2015 – 12:38
Atualizado em 24/02/2015 – 12:40
Luiz de Queiroz, no Blog do Nassif

Jornal GGN – De acordo com o advogado de Eike Batista, Sergio Bermudes, alguns dos bens do empresário – um Porsche e um piano – estão sendo utilizados pelo magistrado que determinou sua apreensão, o juiz titular da 3ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, Flávio Roberto de Souza.

O advogado disse à reportagem do Estadão que o automóvel, um Porsche Cayenne, placa DBB 0022, estaria estacionado na vaga do edifício onde mora o juiz.

A equipe do jornal foi conferir. E flagrou o juiz dirigindo o carro no centro do Rio, próximo à sede do Tribunal Regional Federal.

Ele determinou, e a Polícia Federal cumpriu, a apreensão de bens que incluíram seis carros, 16 relógios, uma escultura e um piano.

Ainda não o flagraram, no entanto, tocando o piano.

O Jornal GGN já havia denunciado conduta questionável de Flávio Roberto de Souza.

O juiz é um tipo midiático, orgulhoso por ser o responsável pelo processo de Eike Batista. Já deu declarações para o periódico carioca Extra de que o empresário “vai ficar sem nada no Brasil”. “Vou esmiuçar a alma dele”, chegou a dizer.

Responder

eduardo Albuquerque

24/02/2015 - 16h47

Então em caso de impitiman a gente vai ficar alisando celular, vendo TV ou vamos pras ruas pro que der e vier?

Responder

    Luciana de Lima Carezzato

    24/02/2015 - 20h38

    Até com relação a isso, tinha que já haver um posicionamento Eu sugeri que fôssemos para rua, antes dos Babacas On Line, mas tinha que ser todo mundo na rua mesmo, esvaziar a manifestação deles, dar um recado que estamos vivos. O diretório achou melhor não aceitar provocação e permanecer inertes … Não podemos deixá-los crescer. A única sorte, é que são muito sem noção mesmo, eles não têm um projeto, não querem o bem do país , o foco é o impeachment (palavras do próprio Marcelo Reis) mas não podemos abusar dessa sorte!

    Roberto

    24/02/2015 - 21h57

    Vamos pra rua festejar!!!

Francisco

24/02/2015 - 16h24

Quanto valia a marca “PT” há dez anos? E a marca “PSDB”?

Quanto vale a marca “PT” hoje? E a marca “PSDB”?

O PT vai ter que fazer a marca “PT” valer mais ou a “PSDB” valer menos.

Simples assim.

A Presidente é ignorante de Comunicação, logo, não vai conseguir nem uma coisa e nem outra.

É provável que consiga o inverso…

É preciso pensar no day-after: qual será o partido dos nacionalistas e/ou dos trabalhistas brasileiros a partir de 2018?

Responder

    Luciana de Lima Carezzato

    24/02/2015 - 18h05

    A criação e fortalecimento “marca” PT contou com um brilhante publicitário chamado Carlito Maia. O PT precisa encontrar outro Carlito Maia…

ana s.

24/02/2015 - 16h19

“O partido vai enfrentar uma eleição de vida ou morte em São Paulo, em 2016, quando Fernando Haddad tentará se reeleger para dar sustentação a um eventual retorno de Lula em 2018.”

Azenha, sua análise é, como sempre, muito boa. Mas discordo do trecho acima. Haddad, é claro, vai perder, pro azar de São Paulo. Mas essa derrota não significará a perda de sustentação a um eventual retorno de Lula em 2018. Veja bem: não é que eu considere que essa sustentação está garantida. Muito pelo contrário. Mas vcs, paulista, precisam parar de pensar que São Paulo – o estado – é decisivo para uma eleição presidencial. Não é! Vimos isso na recente reeleição de Dilma, que, afinal de contas, não foi tããão apertada assim, embora a derrota em São Paulo tenha sido acachapante. Sim, digo que a derrota não foi tão apertada pq essa foi a diferença nas últimas eleições presidenciais norte-americanas, francesas etc. E nem por isso se questionou a legitimidade dos eleitos. Não estamos ferrados por causa da derrota em São Paulo ou da “diferença apertada” a que essa derrota levou. Estamos ferrados pq perdemos a guerra – não a batalha – da comunicação no pós-eleição. É incrível, pois a campanha no 2º turno foi linda – vcs que vivem em SP nem imaginam! E a virada do 2º turno se deveu a uma incrível vitória na – esta sim – batalha da comunicação via João Santana (programas de Dilma na TV e no rádio), redes sociais, Muda Mais etc. Não estamos conseguindo reagir ao tiroteio, como vc bem registrou. Temo pelo 15 de março.

Responder

    Luciana de Lima Carezzato

    24/02/2015 - 20h43

    Sou Paulista, mas graças a Deus São Paulo definitivamente não é decisivo na eleição Presidencial, se não, colocariam o Alckmin na Presidência, creeedooo!!!!

    Alex Back

    24/02/2015 - 22h45

    Claro que é, colega. Quanta inocência!

    São Paulo tem, disparado, o maior orçamento municipal do Brasil, maior até do que vários Estados.

    Toda campanha, para ser vitoriosa, precisa de gordos doadores.

    E esses doadores precisam ser afagados.

    Tem que desenhar?

Messias Franca de Macedo

24/02/2015 - 16h19

AINDA SOBRE *”EMERGIR MAIS FORTE”!…

*Emergindo mais forte

Por Miguel do Rosário, postado em fevereiro 19th, 2015

FONTE: http://www.ocafezinho.com/2015/02/19/emergindo-mais-forte/comment-page-1/#comment-68214

################

PETRÓLEO QUE GLOBO DIZ ESTAR “NO FUNDO DO MAR” JÁ ENCHE 700 MIL BARRIS/DIA

“O ‘editorial’ de O Globo insulta intelectuais de projeção mundial ao tratá-los como estafetas ‘do PT’, apesar de grande parte deles não ter filiação partidária alguma nem obedecer a decisões do partido. Tudo para negar que o objetivo dos ataques à Petrobrás é nada mais, nada menos do que entregar a corporações estrangeiras o produto do esforço brasileiro para detectar essa riqueza imensurável em nossas águas territoriais”, diz Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania; em editorial, os Marinho defenderam a abertura do pré-sal a firmas internacionais

24 DE FEVEREIRO DE 2015 ÀS 15:26

(…)

FONTE: http://www.blogdacidadania.com.br/2015/02/petroleo-que-globo-diz-estar-no-fundo-do-mar-ja-enche-700-mil-barrisdia/

#######################
… Viva o Brasil!

Viva o honesto, leal, sapiente e impávido povo trabalhador brasileiro!

Responder

Bertold

24/02/2015 - 16h08

Há com certeza desconforto na militância e nos eleitores progressistas com as feições do “novo” governo da Dilma. Há também, sem duvida, um clima político acirrado pela oposição com suporte da mídia para acelerar o desgaste e, quem sabe, obter o resultado de um ponto de não retorno que não seja a deposição do governo. O que eu acho disso Azenha? Que o apocalipse não ocorrerá. Para o apocalipse da oposição e dos progressistas contrariados e assustados ocorrer, precisa muito mais do que crise econômica (que não é tão crítica assim como pintam por ai) e política. Teria de haver uma crise institucional aguda (nem de longe isso está colocado, pois trata-se de um governo republicano, respeitador e apaziguador dos demais poderes). Falta o povo, o povão nessa história toda. Olha, não tenho carro, ando de ônibus e nas ruas e escuto sem intervir nas conversas aqui e ali, tem divisão sim mas os que apoiam a Dilma pelo que vi estão muito dispostos a impedirem sua queda… então, só se o diabo existir e for maluco de entrar num jogo desse.

Responder

Maria Amélia Martins Branco

24/02/2015 - 16h01

Leiam essa matéria, o Juiz Sérgio Moro quando trabalhou pro PSDB ajudou a desviar R$ 500 milhões da Prefeitura de Maringá-PR.

http://limpinhoecheiroso.com/2015/02/23/parana-quando-moro-trabalhou-para-o-psdb-ajudou-a-desviar-r500-milhoes-da-prefeitura-de-maringa/

Att: não consigo comentar pelo Facebook…

Responder

    Roberto

    24/02/2015 - 21h54

    Entre o Juis Moro e os corruptos que estão sendo presos por ele você fica de que lado? Ou ele está prendendo inocentes iguais a você?

    Alex Back

    24/02/2015 - 23h05

    Nossa! Sério!

    Então o culpado pelos crimes na Prefeitura de Maringá é do ESTAGIÁRIO DO ADVOGADO DO LADRÃO, que foi um depoentes pelo habeas corpus do advogado (liberdade provisória, muito diferente de absolvição)???

    Com uma lógica elástica dessas, sobra algum incorruptível no Brasil?

    Lula e Dilma, talvez, que nunca sabem de nada… os eternos mal informados.

Barros

24/02/2015 - 15h18

Neste contexto, o que achei impressionante, foi as chamadas do PMDB na televisão para seu programa para o dia 26 proximo, o tom é de ameaça, mas posso está confundindo com chantagem!

Responder

    Ralph Panzutti

    24/02/2015 - 18h20

    De fato . eu percebi um tom de deboche , pois a última fala é que estão a favor do Brasil. Me poupe. A oposição também está a favor do Brasil.

Messias Franca de Macedo

24/02/2015 - 15h17

… Realmente,

há muito tempo ‘o [tíbio] PT da Governança’ necessita de um Roberto Requião!

E de um Ciro Gomes!

Um Requião ou um Ciro não seria suficiente!

A oPÓsição radicalizou a guerra,

e ‘o [tíbio] PT da Governança’ segue enebriado;

enquanto a nossa (sub)democracia de fachada e o nosso republicanismo de araque

forjam o golpe,

agora,

apelando para a política de terra arrasada,

via destruição da Petrobras!

Responder

    Messias Franca de Macedo

    24/02/2015 - 15h56

    Safatle: “Nada melhor no Brasil do que ser tucano”

    Postado em 24 de fevereiro de 2015 às 11:06 am

    De Vladimir Safatle, na Folha:

    (…)
    Nada melhor no Brasil do que ser tucano. Como acontece hoje no Paraná, você pode quebrar seu Estado, colocar quatro de suas universidades públicas em risco de fechamento por falta de repasse e, mesmo assim, irão te deixar em paz. Nenhuma capa de revista sobre seus desmandos nem sobre seus casos de corrupção.
    Por estas e outras, o sonho de consumo atual de todo petista é ser tratado como um tucano. Eles até que se esforçaram bastante.
    (…)

    FONTE: http://www.diariodocentrodomundo.com.br/essencial/safatle-nada-melhor-no-brasil-do-que-ser-tucano/

Sidnei Brito

24/02/2015 - 15h07

Nas eleições de 2016, lá estará Haddad costurando alianças com o diabo e todo mundo, para conseguir um tempo de TV para mostrar alguma coisinha que tenha feito, bem como, principalmente, para se defender de ataques injustos que sofreu durante todo esse período – único jeito de furar o bloqueio midiático, podem perguntar pra Dilma e pro João Santana.
Sua popularidade, graças à propaganda eleitoral, vai aumentar, e as intenções de voto nas pesquisas já vão indicar a garantia de sua ida ao segundo turno, atraindo mais apoios esquisitos e, claro, dinheiro de interesseiros, necessário para alimentar nosso sistema de financiamento de campanhas.
Reeleito (sim, amigos, Haddad será reeleito), vê-lo-emos vítima de uma Câmara Municipal conservadora, fisiológica, e de grupos econômicos esfregando-lhe no rosto o apoio que lhe ofereceram.
Mais uma vez em dívida com Kotscho (tomara que ele nunca venha a cobrar direitos autorais), vida que segue!

Responder

    edna

    24/02/2015 - 17h36

    Parece que o Kotscho agora virou “troll”

Fabio Silva

24/02/2015 - 14h49

Ainda que não haja a menor comparação com o que os industriais da informação estão fazendo com o Governo Federal, tenho notado que críticas ao Governo Alckmin têm surgido com mais frequência do que há alguns meses.

Fico pensando se, para evitar a ideia de que “um lado” está golpeando o “outro lado”, não estão se preparando para deixar levar Alckmin junto com Dilma. Afinal, Globo, Folha e Estadão são imparciais, não?

Apostariam num tsunami pró Aécio – para a presidência – que levaria o PSDB de volta ao poder em São Paulo mesmo que o Picolé de Chuchu derretesse? Para os industriais da imprensa golpista, seria uma mão na roda um “Volta, Serra! Vem Aécio!” (FHC, não, muito tucano tem medo dele transmitir o mal que o acomete).

Responder

Morvan

24/02/2015 - 14h12

Boa tarde.

[email protected] [email protected] deste prestimoso espaço:
Pressupondo que, no tangente à batalha comunicativa, a Opinião do Blogue está absolutamente certa, sabem o que mais me dói? É Dilma, a “Coração Valente”, ter perdido sem ter lutado. Ser tombado sem oferecer resistência é indigno, é vil. Ghandi venceu os ingleses, sem dar um pio, mas não capitulou (eu, particularmente, os teria trucidado, incontinente). Dilma, não. Ela, seus eminentes pardos, seus ‘republicanos’ empedernidos, podem ter jogado fora um futuro que não aproveita só a eles. É aí onde a Política é a mais nobre, sublime, das atividades genitalmente humanas: [ela] permite que se favoreçam (ou se dizimem) a muitos, dentro de seu âmbito!
Com relação ao Impeachment, não creio. Seria suicídio dos golpistas, pois até 2018 eles “entregariam” tanto da carenagem do Estado brasileiro que, com ou sem redes sociais, eles se desnudariam. É bem mais producente (não para o Brasil) ir minando Dilma e seus “republicanos” até a eleição majoritária (não se confunda, aqui, com a teoria do sangramento, de D. Corneone. Os contextos são bem diferentes).

Saudações “Dilma, Vamos De Coração Valente; Enfrentar Os Golpistas E Defender A Petrobrás“,
Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

Responder

Leo V

24/02/2015 - 14h05

A diferença entre o Chavez e a Dilma é que a Dilma manda o exército atirar em povo pobre da favela que se manifesta.

ENCONTROS QUE DEIXAM MARCAS. UM RELATO SOBRE O ATO DA MARÉ

Por Priscila Pedrosa Prisco

Um pouco mais recuperada do choque que tive hoje ao acompanhar o ato da população em favor da vida, na Maré, em mais uma missão pela Comissão de Direitos Humanos da OABRJ, eis que me sinto no dever cidadão de contar o que testemunhei. Estou transbordando coisas que não cabem mais em mim.
Demorei a escrever tentando me acalmar primeiro, mas só agora estou consciente e tenho uma pequena dimensão da nossa realidade de guerra.
Contudo, queria dizer que me deixa um pouco envergonhada escrever sobre o que vi, já que minha mediocridade da zona sul é mantida às custas do sangue do povo que vive nas favelas. Sou ridiculamente ignorante sobre a realidade. Vi isso ao me deparar com a guerra de verdade na (mesma cidade?) onde eu moro.
Bom é até ridículo eu falar que conheço a realidade do local, porque apesar de trabalhar com Direitos Humanos, me deparei com a realidade de que não tenho noção do que acontece nos bastidores do poder para que se mantenha aquele cenário, eu só acompanhei 3 horas do terror de uma ocupação militar, chamada de “pacificação”, que já dura 11 meses, com o risco de ser prorrogada.
Ao chegar ao local de concentração do ato, em uma das entradas do complexo da Maré, por volta das 18horas, vi muitos profissionais de mídia independente, mídia corporativa, advogados, vereadores e ativistas que foram apoiar a manifestação na tentativa de garantir que ela fosse respeitada pelas autoridades.
Já senti uma tensão inicial: muitos carros da PM, tanques do exército, muitos oficiais da PM a nossa volta tirando fotos e filmando todos que ali estavam.
Em meio a este jogo de paixões e incertezas, típicos de uma guerra, vi uma tentativa doce e corajosa, cerca de 130.000 pessoas tentam levar uma vida “normal”. Uma tentativa corajosa de ir e vir, de sair de casa, de tomar uma cerveja no bar, de pegar um mototaxi, enfim, uma tentativa absolutamente corajosa de viver e ser feliz em meio a uma contradição.
Por volta das 19 horas o ato sai em marcha com cerca de 700 cidadãos pelo direito de viver. Fui acompanhando o ato e fechamos uma pista da Avenida Brasil, com faixas, cartazes, lágrimas e gritos que expressavam a dor de muitas mães que tiveram seus filhos mortos pela guerra.
Fomos em direção à linha amarela, ato pacífico, bonito, emocionado, forte e o clima muito tenso.
Chegando na linha amarela houve uma tentativa de se fechar as pistas nos dois sentidos, mas foi imediatamente reprimida pelos militares com uma rajada de spray de pimenta que já tirou quase metade das pessoas das ruas.
O ato segue mais uns 200 metros e, ao passar em frente à uma passarela, perto de outra entrada que dá acesso ao complexo, vejo uma barricada com MENINOS do exército atentos para o combate a qualquer momento. Eles estavam estrategicamente posicionados perto de uma árvore de forma que os carros que passavam pela via não pudessem ver.
Vou seguindo o ato, atrás, com alguns companheiros mais um pouco e escuto um tiro. Era um policial militar que tinha dado um tiro para cima, outro tanto que estava na manifestação dispersou.
Boa parte seguiu corajosamente pela linha amarela, mas agora não tinha saída. Com medo de ficar encurralada eu e meus companheiros voltamos e nos aproximamos da PM e das barricadas com os MENINOS do exército.
Eles também pareciam estar com medo. Ao mesmo tempo que pareciam estar temendo de alguma forma pela nossa segurança ali. Realmente eu não os vi como homens maus com prazer de matar. Vi pessoas tensas, estressadas, assustadas, apreensivas e com uma arma na mão.
Dava mesmo para sentir a tensão de todos os lados: dos policiais, da população, dos motoristas parados na linha amarela, minha, dos meus companheiros, da imprensa, enfim, todos ali tinham a sensação de que qualquer coisa podia acontecer.
Sem saber o que fazer: se ficava, se voltava ou se ia atrás de outros companheiros que acompanharam o ato, vi o céu ficando vermelho. Vários tiros, traçantes cruzavam o céu mais ou menos em nossa direção.
Eu, estática, sem saber o que fazer, ouvia gritos dos policiais e dos militares do exército: “deitem no chão” e outro “encoste na parede”. Um senhor, morador da região, passava ao meu lado como se aquilo fosse apenas fogos de artifício e dizia calmamente: “ vai por aqui que não tem perigo”. Então fiz o que ele me falou.
Seguimos atônitos para o ponto de concentração, certos de nossa mais absoluta insignificância diante da guerra, muito preocupados com as pessoas que foram acompanhando o ato até o batalhão.
Recebíamos mensagens dos companheiros dizendo que a policia militar estava dando tiros de metralhadora para cima, que estavam com medo, que a polícia estava soltando muitas bombas. Ficamos no posto de gasolina esperando notícias e, literalmente, administrando vários sentimentos de uma só vez: o medo, a indignação, a raiva, a impotência, a solidariedade etc. A única certeza que tínhamos era que nada daquilo ali fazia sentido algum, que aquela não podia ser uma realidade para ninguém.
Os cidadãos que habitam as favelas do Rio convivem com isso todos os dias. Por que alguém acharia que eles não teriam coragem de seguir no ato até o final? O que mais eles poderiam perder?
Os cidadãos das favelas sabem que não é preciso apenas coragem, é preciso ter instinto de sobrevivência para chamar atenção da sociedade sobre a guerra que acontece nas nossas barbas, chamar a atenção da sociedade sobre o fato de que eles também tem o direito de viver. Ou isso, ou aceitar a morte! A morte é seletiva, só eles morrem. Por isso talvez eu tenha tido coragem de ir até um certo ponto, mas talvez não tenha tido o instinto porque no meu mundo da fantasia as balas são de borracha.
A brava revolta dos cidadãos que habitam as favelas se canaliza, inevitavelmente, contra aqueles que sujam as mãos de sangue, todos os dias, mas os verdadeiros culpados não são os que apertam o gatilho. Uma sucessão de erros! Uma hipocrisia colocar pessoas pobres para matar pessoas pobres e fazer com que todos acreditem que isso é um problema individual do policial “mau” ou do policial “bom” só para desviar o foco do verdadeiro problema estrutural, ao qual serve esse tipo de política de segurança pública.
Enquanto isso, deixamos que os verdadeiros articuladores da guerra sejam considerados vítimas de um suposto “golpe”.
Quem é o inimigo? A guerra é de quem contra quem?
A guerra é do governo (Estadual – Federal-Municipal) contra a população pobre.
A guerra em nome da manutenção da politica de proibição às drogas na nossa cidade mata e tortura mais que todos os casos de morte por overdose no mundo, somados.
Volto, então, ao local de onde saímos e vejo um desfile de tanques, uns 6 passando em fila, passando de um beco para o outro.
A esta altura estávamos procurando o carro que foi estacionado pelo Alexandre Mendes em algum lugar que ele já não lembrava mais.
Eis que estávamos perdidos e andando no cenário mais estranho que já tinha visto: de um lado bares e restaurantes abertos, com música ao vivo e, de outro, tanques de guerra. Fomos salvos pelo registro do local do estacionamento no GPS.
Então, de repente, uma pessoa grita dentro de uma casa e corre para a rua. Nos assustamos, mas dessa vez era uma lagartixa. Tudo então parece normal.
Nós que temos a sorte de não termos que ficar lá, voltamos para o mundo da fantasia da Zona Sul, porém eu não sou a mesma pessoa de antes.
Já os cidadãos da Maré continuam lá, lutando pelo direito de existir.

PRISCILA PEDROSA PRISCO

Responder

    Véio Zuza

    25/02/2015 - 07h48

    Eh, bom mesmo era quando não tinha exército, nem polícia… só os “manos”, os “soldados” da “comunidade”, desfilando com AR-15 e AK-47…
    Gozado, não me lembro de nenhuma passeata dos “direitos dos manos” da sacrossanta OAB – tal golpista quanto o PIG – contra a “justiça do micro-ondas”…

Antonio

24/02/2015 - 14h04

Concordo integralmente com a opinião do blog e acrescento que essa falta de comunicação não vem de hoje.
No primeiro mandato, a presidente manteve em sua assessoria uma jornalista oriunda das Organizações Globo.
E depois das eleições quando o movimento capitaneado, inicialmente, pelo Aécio começou a por as mangas de fora, onde estava a presidente que não convocou uma cadeia nacional para pedir respeito ao mandato que havia recebido em eleições limpas. Mandato com uma maioria pequena, mas legítimo?
Por que as medidas que devem ser tomadas não foram precedidas de explicações dadas pela própria presidente em cadeia de teve e rádio?
Por que até agora, a presidente que em campanha afirmou em tom emocionado que iria tomar as providências cabíveis contra a Veja não divulga o que de fato está fazendo?
Infelizmente, o golpe está nas ruas, ajudado pela imprensa canalha como o artigo do Alberto Goldman na Folha de hoje.

Responder

Plutarco

24/02/2015 - 13h56

Uma coisa era levar os mais humildes no beiço quando o juro era baixo, a economia crescia, a gasolina era barata… agora, com o músculo a R$ 23,00/kg, fica difícil levar a galera na base do gogó, a golpes de barriga.

Responder

ZePovinho

24/02/2015 - 13h51

O site MUDA MAIS seria uma forma genial de criação e disseminação de memes pelo WhatsApp.Foi desativado pela burocracia petista de gabinete.

Hoje faz uma falta enorme,porque argumentos racionais não são nada contra imagens.

Responder

Ivanisa Teitelroit Martins

24/02/2015 - 13h50

O FrancoAtirador está francamente detonando? rsrsrs…. as perspectivas de um programa desenvolvimentista no atual mandato. Ele está nos deixando concluir que a força política hegemônica no Congresso é uma sigla partidária já há muito conhecida que se denomina PMDB. Já ouviram falar no besouro que devasta plantações?

Responder

    FrancoAtirador

    24/02/2015 - 22h28

    .
    .
    Perdão, Ivanisa. Não houve intenção de detonar. É Tão-Somente Mera Constatação.
    .
    Na verdade, quem detonou “as Perspectivas de um Programa Desenvolvimentista no Atual Mandato”, por Força da Hegemonia Política Conservadora no Congresso, foi quem nomeou o Joaquim, a Katia, o Gilberto, o Hélder, o Eliseu, o Zé…, desagregando a Esquerda, atirando-a para a Extrema, e jogando o Centro para o lado da Direita Fascista, e frustrando a esperança de milhões de [email protected]
    .
    Prato Feito para a Mídia-Empresa Oligopólica AntiNacional destruir a Petrobras e, por consequência, liquidar com a Economia do Brasil, e entregar o Pré-Sal às Petrolíferas Estrangeiras, em especial à Chevron-Texaco e à Exxon Mobil.
    .
    Um Abraço Camarada e Libertário.
    .
    .

Leo V

24/02/2015 - 13h50

Enquanto isso, os moradores do Complexo da Maré se revoltam contra a ocupação militar do exército sob as ordens dessa mesma Dilma.

Mas eles são “favelados”. Importa mais é saber se vai ser ela ou o Temer que vai comandar a ocupação militar.

Responder

Sérgio

24/02/2015 - 13h43

Realmente quase todo mundo sabe que as redes sociais hoje exercem grande influência.
Só o governo e o PT parece que nem desconfiam, ou não agem de acordo com os novos
tempos nas comunicações.

Responder

Flavio Marcio

24/02/2015 - 13h36

A turBa midiática está apostando todas as fichas dela dia 15.
Ainda está em tempo de deter o linchamento/impeachment.
Depende dos movimentos sociais e dos ativistas nos locais de moradia, trabalho e estudo do povo.
O apoio à permanência da Dilma no exercício do poder, todavia, passa à condição de apoio crítico.
Ela deve ser cobrada até às últimas consequências.
Deve reestabelecer o programa para a qual foi eleita no último minuto do jogo eleitoral.
A direita age por espasmos, é preguiçosa e indolente, não faz trabalho de base. Aciona as redes sociais para estes momentos espasmódicos
Urge que os ativistas progressistas retomem o contato com as bases, além de usarem redes sociais. Para renovar o estado nascente que deu origem ao ciclo de lutas sociais por justiça no Brasil.

Responder

Romanelli

24/02/2015 - 13h16

Azenha, bem que eu tento ..mas o RAW me pegou outra vez ..se der, fala com ele vai ??!!

Responder

FrancoAtirador

24/02/2015 - 13h13

.
.
Condsef/CUT
.
Lançamento da Campanha Salarial Unificada dos Servidores Públicos Federais
.
Dia: 25/2/2015 = Quarta-Feira.
.
(http://www.cut.org.br/noticias/servidores-federais-lancam-campanha-salarial-unificada-f170)
(http://condsef.org.br/notas-topmenu-27/noticias-da-condsef)
.
.

Responder

Romanelli

24/02/2015 - 13h12

desculpe ..não se trata de “comunicação”, mas de capacidade de gestão ..LULA 1o tinha o que mostrar, o resto é que foi de matar, um verdadeiro fiasco

Aliás, hoje, falamos de CRIMES, de omissão, conivência, partido de diversas instanciais do Poder

..falamos de cinismo, do rouba e deixa roubar, de DESVIOS BI-BI-BI-BIlionários, de aparelhamento comprovados, um escárnio

..falamos até do crime de responsabilidade, por exemplo, pelo NÃO cumprimento do orçamento de 2014 que exigiu toda sorte de casuísmo e remendo ..fora a trairagem do que se prometia em campanha e o que se entregou logo em seguida

Convenhamos, com a Dama, o BRASIL retrocedeu 12 anos em inúmeros pontos, e ela tem muita, muita culpa nisso

e sobre Haddad, já disse, nem as 6 bolsas assistencialistas como as pros viciados, estrangeiros, travesti, graviteiros, família, aluguel serão suficiente pra dar conta das políticas públicas SECTÁRIAS e populistas IMPOSTOS pelo alcaide (ciclovias desertas, faixas despadronizadas, fiasco da cracolândia e na mobilidade, tarifa de ônibus caras, INCAPACIDADE ao não se impedir a deterioração de inúmeros espaços públicos e o conluio CRIMINOSO tido com INVASORES ditos de movimentos populares – como aconteceu com o meu bairro)

Responder

    Alex Back

    25/02/2015 - 00h01

    É muito bom ler alguma coisa sensata por aqui.

    Gente que não tem medo de botar o dedo na ferida.

    O resto é uma cacofonia só: “Não podemos perder o poder! Não podemos perder o poder! O PSDB é imundo e ninguém fala nada.” Não podemos perder o poder!”

    Cegueira. Surdez.

    Quem tem um mínimo de bom senso está FARTO. O saco encheu. Mas é lógico, não é…

    Liga a TV, é o PT metendo a mão grande na Petro.
    Lê o jornal… PT metendo a mão grande na Petro.
    Acessa a internet… PT metendo a mão grande na Petro.
    Pega o celular… PT metendo a mão grande na Petro.
    Troca duas ou três palavras com alguém… PT metendo a mão grande na Petro.

    Mas o pior não é isso.

    O pior é que está tudo fartamente documentado. Indefensável. Inegável.

    Solução seria a Dilma permitir a faxina… melhor não!
    Afinal, aquele lindo pescocinho também já foi…
    + presidentA do Conselho de Administração da Petro.
    + Ministra de Minas e Energia.
    + presidentA da República pela segunda vez.
    Ela não sabia de nada, afinal só frequentava estes locais por causa do chazinho que servem pela tarde.

    Ninguém mais quer posar na foto do lado do PT… a não ser que pague MUITO bem.
    À vista, por favor.
    Quais serão as concessões que terão quer feitas desta vez?
    A Dilma vai chegar aos 100 ministérios?
    A Dilma vai privatizar o edifício do Palácio do Planalto, pra poder alugar de volta em seguida?

    Mas nem tudo está perdido.
    Os empreiteiros doadores de campanha já mandaram entregar o recado.
    “Lula, providencie a solução política* ”

    * “Solução Política” = “Barbudo, te coça. Ou vai faltar ventilador pra tanta bxstx.”

    abolicionista

    25/02/2015 - 01h31

    Romanelli, me desculpe, mas seu comentário mostra que você não tem a menor ideia do que é o Brasil. Meu caro, vou te dar um conselho sincero, o Brasil não é para principiantes. Isso aqui é terra de coronéis, onde quem pode mais chora menos. Um entreposto comercial, é isso o que somos, abandone esses fumos de grandeza e caia na real.

    Maguineto

    25/02/2015 - 20h21

    Olha classificar e crucificar o governo do PT como o unico governo corrupto e hipocrisia pura. Concordo que o governo Dilma foi um fracasso, foi confiado de mais em pessoas erradas, isso se chama ma administração, falta de pulso. Mas os melhores anos desse Pais se deve ao Cidadão Luiz Inacio Lula da Silva…. O erro que a Dilma cometeu geralmente e cometido pela maioria dos Subordinados que são apoiados pelo seu superior para ocupar o seu lugar, eles se elegem e dão as costas ao que os colocou la dentro…. O impeachment não passa de um atraso para para o Pais e isso ~e oq menos precisamos agora….. Temos sim que ir pra Rua e reivindicar os nossos direitos…. como os caminhoneiros estão fazendo… Sigamos o exemplo dos americanos que qdo os Estados Unido quebrou não trocou o presidente mas fez valer os seus direitos…..

Gilson Raslan

24/02/2015 - 13h02

Você tem toda razão, Azenha. Os militantes estão esmorecendo face à apatia do governo.

Responder

Rafael

24/02/2015 - 12h32

Acho que há um grande exagero nessa questão do impeachment. Tão histérico quanto a imprensa. Esse texto faz acreditar que a solução dos problemas do atual governo é como seguir uma receita de bolo. Me parece um texto ausente de informações que sejam realmente importantes, informações que só quem está no bastidor sabe que não é que a globo diz. Dizer que o governo Dilma é ameaçado por impeachment é que nem dizer que dois mais dois é quatro, muito mais fácil abater Dilma agora do que concorrer com Lula em 2018. Dizer que as mídias sociais exercem forte influência todo mundo já sabe. Isso já é pacífico. Não é novidade alguma.

Responder

    jaide

    25/02/2015 - 12h14

    Com comunicação deficiente desde sempre, Dilma ganhou a eleição. E mais. Tinha altos índices de popularidade até as tais jornadas de junho/13, que muitos intelectuais e blogueiros reverenciaram. Ninguém, naquele momento, foi capaz de identificar o “DNA” daqueles movimentos, similares a outras ocorrências desestabilizadoras pelo mundo. Ali começou uma guerra (até com morte em ‘acidente aéreo’). Os golpistas nativos são meros soldados. Não estão no comando. No momento, o que vemos? Coletiva de imprensa da Presidente, com pífia cobertura da blogosfera progressista, é de pronto desqualificada e distorciada em editoriais. A tropa de choque da oposição ocupa as telinhas com seu discurso padrão. Como se comunicar com a sociedade se os meios de comunicação estão na linha de frente do golpe? Não vale cadeia de rádio e tv, que não pode ser usada para esse enfrentamento. E pelo poder do TSUNAMI que nos ameaça, muitas articulações não devem ser alardeadas.
    É um momento extremamente grave. Perigosíssimo. E está faltando avaliações com mais abrangência.

FrancoAtirador

24/02/2015 - 12h14

.
.
O Lula já deu a Dica pra evitar o Impíxi:

Fazer Concessões ao Premiê Ed Cunha.
.
.
Mas não se preocupem com o Haddad:

Ele volta pra ser Governador em 2018.
.
.

Responder

Deixe uma resposta