Flash ad ID:10

PATROCINE O VIOMUNDO

SOMOS 31.817 FAÇA PARTE !

WikiLeaks: O plano de Washington para constranger o governo brasileiro usando a mídia

publicado em 3 de abril de 2011 às 17:19

Tradução do Coletivo da Vila Vudu

WikiLeaks

Viewing cable 09BRASILIA1435 –

Excerto do item CONFIDENCIAL do telegrama 09BRASILIA1435
A íntegra do telegrama não está disponível.
Tradução de trabalho, não oficial, para finalidades didáticas.

ASSUNTO:
Estratégia para Engajar o Brasil na “Difamação de Religiões”[1]

1. (C) RESUMO: A posição do Brasil na questão da “difamação de religiões” na comissão de Direitos Humanos da ONU reflete a conciliação entre as objeções do país à ideia (objeções baseadas num conceito do que sejam Direitos Humanos) e o desejo de não antagonizar os países da Organisation of the Islamic Conference (OIC) com os quais tenta construir relações e que o Brasil vê como importante conjunto de votos a favor de o Brasil conseguir assento permanente no CSONU. À luz da argumentação a favor da abstenção do Brasil, proponho abordagem de quatro braços, envolvendo aproximação com os altos escalões do Ministério de Relações Exteriores; uma visita a Brasília, para pesquisar meios de trabalhar com o governo do Brasil, nessa e noutras questões de direitos humanos; outros governos que possam conversar com o governo do Brasil; e uma campanha mais intensa pela mídia e mobilizando comunidades religiosas a favor de não se punir quem difame religiões . FIM DO RESUMO.

Contexto: “Quando Direitos Humanos e ambição de chegar ao Conselho de Segurança entram em choque”.

2. (SBU) Essa embaixada levantou várias vezes a questão dos votos do Brasil no Departamento de Direitos Humanos e Temas Sociais do Ministério das Relações Exteriores. A última vez foi com a chefe do Departamento Ministra Glaucia Gauch. O Brasil nunca discordou de um único argumento dos que apresentamos em outros encontros.

A resposta sempre foi a mesma: o conceito de difamar religiões é repugnante. Repugna aos valores e princípios do Brasil e é inconsistente com a legislação brasileira e a legislação internacional. Por isso o Brasil não pode aprovar e não votará a favor de resolução que proíbe que se puna quem difama religiões. O Brasil abstém-se de votar.

3. (C) Perguntada sobre por que o Brasil não vota contra a resolução, dado que a considera absolutamente inadmissível, Gauch respondeu que o país entende que a abstenção é suficiente. Na opinião do Governo do Brasil, o país assume posição baseada em princípios, mas também prática, porque não interessa ao país ofender os países da Organização da Comunidade Islâmica, sobretudo os mais poderosos como Iran, Egito, Turquia e Arábia Saudita, países com os quais o Brasil tenta aprofundar relações.

É opinião dessa embaixada que o que mais interessa à política externa do Brasil é conseguir um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU. Como resultado, o Governo do Brasil prefere não antagonizar países e grupos de países cujos votos podem ser valiosos numa futura eleição.

Abordagem de quatro braços

4. (SBU) À luz dessa realidade complicada, proponho abordagem de quatro braços no caso do Brasil, sobre essa questão. Antes de qualquer das etapas e movimentos, deve-se declarar o compromisso dos EUA com o diálogo e a cooperação, e nosso empenhado esforço para manter o Brasil como um líder e um parceiro nessa questão.

Encontros de alto nível: Ao abordar os mais altos níveis do Ministério de Relações Exteriores, é essencial persuadir o Brasil a mudar seu voto e a trabalhar conosco a favor da “Difamação de Religiões”, até chegarmos a uma solução de conciliação. Telefonema da Secretária de Estado dos EUA ao Ministro Amorim das Relações Exteriores, logo depois da recente carta enviada por ela, demonstraria a importância que os EUA damos a essa questão. Também se deve abordar o vice secretário-geral do MRE ministro Antonio Patriota; e o subsecretário Burns deve abordar a subsecretária para assuntos políticos, embaixadora Vera Machado (que supervisiona questões de direitos humanos e política das organizações internacionais), o que muito ajudaria a aumentar a importância do tema na cabeça dos brasileiros (sic).

Só as abordagens nos níveis inferiores dificilmente conseguirão modificar a abordagem “em cima do muro” [orig. Brazilbs hands-off approach] dos brasileiros sobre o assunto.

Um Diálogo sobre Direitos Humanos: Uma visita dedicada exclusivamente a essa questão, seria, na minha opinião, de pouco efeito, porque o Brasil aceita as premissas de nossa objeção. Ao mesmo tempo, uma discussão mais detalhada dos nossos pontos de vista e de nosso plano de ação, com níveis operacionais e político do MRE seria valiosa.

A abordagem mais efetiva (e, no longo prazo, mais valiosa para os interesses mais amplos do Governo dos EUA) poderia incluir a questão atual na pauta de um novo diálogo regular sobre direitos humanos, ideia que o próprio MRE (pelo emb. Patriota) propôs recentemente. O contexto mais amplo de um esforço para trocar ideias e para encontrar vias pra trabalharmos mais próximos do Governo do Brasil no campo dos direitos humanos nas organizações internacionais (tratando também, talvez, de outras das preocupações dos países chaves, incluindo o Irã e a Coreia do Norte, questões sobre as quais o Brasil sempre se abstém) criariam um fórum ideal para discussões e para conseguir que o governo do Brasil apóie o plano de ação proposto pelos EUA. Essa abordagem ampla seria atraente para os brasileiros, interessados em construir parcerias com os EUA, que ajudarão a validar o desejo de que o Brasil passe a ser visto como líder internacional. Essa abordagem seria mais bem recebida que abordagem focada, dirigida só à questão da difamação de religiões.

Abordagem por outros países: Desde que chegou ao cenário internacional, o atual governo do Brasil tem tido grande cuidado para não alinhar suas políticas às políticas dos EUA. O Brasil tem em alta conta o que considera como sua posição “de ponte” entre países em desenvolvimento e países desenvolvidos, por causa de sua disposição de falar com todos os países. Minha opinião é que essa posição tende a limitar o peso das opiniões dos EUA dentro do Governo do Brasil. Porque o Brasil vê-se ele mesmo como se fosse líder no bloco dos países latinoamericanos, esses países pouco conseguirão influenciar as ideias do governo do Brasil. O mais provável é que ouçam outros países que consideram ‘independentes’ [aspas no orig.] dos EUA, como África do Sul, Rússia, China, Índia e França.

Ganhar o apoio para nossa posição de alguns membros da Organização da Conferência Islâmica, especialmente do Egito, Turquia e outros ‘independentes’[aspas no orig.] influentes seria muito importante para que consigamos influenciar o voto do Brasil a favor da difamação das religiões. Em geral, abordagens feitas por qualquer outro país que apóie ação proposta pelos EUA servem como prova da natureza colaborativa de nossos esforços e podem ser úteis.

Aumentar a atividade pela mídia e o alcance das comunidades religiosas parceiras: Até agora, nenhum grupo religioso no Brasil assumiu a defesa da difamação de religiões. Mas o Brasil é sociedade multirreligiosa e multiétnica, que valoriza a liberdade de religião. Um esforço para difundir a consciência sobre os danos que podem advir de se proibir a difamação das religiões pode render bons dividendos. Grandes veículos de imprensa, como O Estado de S. Paulo e O Globo, além da revista Veja, podem dedicar-se a informar sobre os riscos que podem advir de punir-se quem difame religiões, sobretudo entre a elite do país.

Essa embaixada tem obtido significativo sucesso em implantar entrevistas encomendadas a jornalistas, com altos funcionários do governo dos EUA e intelectuais respeitados. Visitas ao Brasil, de altos funcionários do governo dos EUA seriam excelente oportunidade para pautar a questão para a imprensa brasileira. Outra vez, especialistas e funcionários de outros governos e países que apóiem nossa posição a favor de não se punir quem difame religiões garantiriam importante ímpeto aos nossos esforços.

Essa campanha também deve ser orientada às comunidades religiosas que parecem ter influência sobre o governo do Brasil, quando se opuseram à visita ao Brasil do presidente Ahmadinejad do Irã, em novembro. Particularmente os Bahab e a comunidade judaica, expandidos para incluir católicos e evangélicos e até grupos indígenas e muçulmanos moderados interessados em proteger quem difame religiões [sic]. [assina] KUBISKE

[1] Há matéria da Reuters sobre o assunto, de seis meses antes desse telegrama, em http://www.reuters.com/article/2009/03/26/us-religion-defamation-idUSTRE52P60220090326, em que se lê: “Um fórum da ONU aprovou ontem resolução que condena a “difamação de religiões” como violação de direitos humanos, apesar das muitas preocupações de que a condenação possa ajudar a defesa da livre expressão em países muçulmanos (sic)” [NTs].

PS do Viomundo: Na época em que foi feito esse comunicado, a Organização das Nações Unidas (ONU) estava para votar uma resolução condenando a “difamação de religião”. Os EUA eram contra. Defendiam que não deveria ser considerado crime difamar religiões e queriam mudar o voto do Brasil, que era pela abstenção. No dia 26 de março de 2009, a ONU aprovou a resolução condenando a “difamação da religião”, como uma violação dos direitos humanos.  Desde 1999, essa questão vai e volta à pauta da Comissão de Direitos Humanos da ONU.

Leia aqui a entrevista de Julian Assange, fundador do WikiLeaks, aos internautas brasileiros.

Veja aqui Julian Assange explicando o WikiLeaks.

 

193 Comentários para “WikiLeaks: O plano de Washington para constranger o governo brasileiro usando a mídia”

  1. […] de twittes do Malafaia. Há outra coincidência pouco lembrada. Alguém ainda deve se lembrar da revelação do WikiLeaks de que a CIA tentava criar no Brasil um clima de guerra religiosa. E eles encontraram nos […]

  2. [...] Millenium foram aquinhoados, segundo o Wikileaks, com verbas para fomentarem questões religiosas: WikiLeaks: A estratégia dos EUA para mudar o voto do Brasil na questão religiosa. Portanto, a perseguição religiosa, incentivada desde que W. Bush declarou aberta a cruzada [...]

  3. dom, 08/05/2011 - 7:43
    Débora

    Tem mercenário até na internet. Sabem aquleas comunidades pra debater algum assunto? Há cerca de dez anos tem um grupo de vendidos que se ocupa de construir, ou melhor, destruir valores.

    então o campo político é minado, o jornalísitico e o das mídias sociais. É praticamente um "marketing Integrado"

  4. sáb, 07/05/2011 - 9:30
    Jayme V. Soares

    A posição do Brasil, de abstenção, em relação ao assunto "difamação de religiões", na Comissão de Direitos Humanos da ONU, é inaceitável, covarde e não ajuda o nosso País a obter uma cadeia entre os membros com direito a voto naquele Órgão. O que os Estados Unidos querem é que o Brasil sirva aos interesses imperialistas daquele País, contra os povos mulçumanos, islâmicos. A mídia, que compõe o PIG, está a serviço do imperialismo neoliberal e é convocada para trabalhar em favor desta iniciativa. Derrotar os mulçumanos é abrir caminho para o saque das reservas de petróleo e de minerais pertencentes a esses povos pelos Estados Unidos e Países imperialistas do bloco ocidental da Europa, como vem ocorrendo nos últimos anos.

  5. sex, 06/05/2011 - 23:14
    Conservador316

    A Organização da Conferência Islâmica, que compreende 57 países, sendo a maioria de população muçulmana, apresentará mais uma vez a Resolução da Difamação da Religião na Assembleia Geral das Nações Unidas, no final deste ano.

    Essa resolução:
    - dá ao governo o poder para determinar quais visões religiosas podem ou não podem se expressar nesses países;
    - dá ao Estado o direito de punir aqueles que expressam posições religiosas "inaceitáveis", de acordo com o que eles acreditam;
    - torna a perseguição legal;
    - visa criminalizar palavras e ações consideradas contra uma religião em particular, nesse caso, o Islã.
    - tem o poder de estabelecer legitimidade internacional para leis nacionais que punem a blasfêmia ou, por outro lado, proíbem críticas à religião.

    VIDEO QUE MOSTRA O QUE É A DIFAMAÇÃO DAS RELIGIÕES:

    [youtube -nUm6dJZIu4 http://www.youtube.com/watch?v=-nUm6dJZIu4 youtube]

  6. sex, 06/05/2011 - 23:01
    Conservador316

    Digite o texto aqui![youtube EB8vHm2-lYk http://www.youtube.com/watch?v=EB8vHm2-lYk youtube]

  7. sex, 06/05/2011 - 23:00
    Conservador316

    (Parte 2)

    Declaração sobre "Difamação das Religiões"

    A Portas Abertas Internacional (ODI) e mais de 100 ONGs de mais de 20 países assinaram uma declaração protestando contra a aprovação da resolução. A preocupação é que essa resolução seja usada para justificar leis antiblasfêmia e anticonversão e para restringir liberdade de expressão, credo e imprensa.

    A declaração foi liberada oficialmente na terça-feira, 10 de novembro de 2009:

    Uma declaração da Sociedade Civil sobre o conceito da “Difamação das Religiões”

    As resoluções da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre a “difamação das religiões” são incompatíveis com a liberdade dos indivíduos de exercitarem e expressarem seus pensamentos, ideias e crenças.

    Ao contrário das leis comuns de difamação, que punem falsas declarações de fatos que prejudicam os indivíduos, as medidas para proibir a “difamação das religiões” punem a crítica pacífica das ideias. O conceito de “difamação das religiões” é fundamentalmente inconsistente com os princípios universais propostos nos documentos de fundação da ONU, incluindo a Declaração Universal dos Direitos Humanos, que garante a proteção dos direitos do indivíduo acima da proteção das ideias.

    Tais resoluções dão apoio internacional para leis locais contra blasfêmia e “ferem os sentimentos religiosos”, que são frequentemente utilizados pelo governo para punir a expressão de ideias e convicções religiosas e políticas das classes desfavorecidas. Além disso, já existem ferramentas legais internacionais sobre a discriminação e difamação pessoal, focadas em confrontar esses problemas específicos, sem ameaçar os direitos de expressão e liberdade de pensamento, consciência e religião.

    É extremamente importante que o governo combata a violência motivada pelo preconceito e pelo ódio, e encoraje o discurso e o diálogo civilizados, enquanto garante que a liberdade de expressão, pensamento, consciência e religião seja completa para o bem da sociedade e pela dignidade do ser humano.

    Finalmente, somente os esforços legais não podem criar um ambiente de respeito e liberdade religiosa. A diplomacia educacional e pública são ferramentas essenciais na garantia de troca de ideias pacífica e saudável.

    Para ver o documento original e conhecer quais ONGs participaram do protesto, acesse o site: http://whatisdefamationofreligion.com (em inglês).

  8. sex, 06/05/2011 - 22:59
    Conservador316

    (Parte1)

    Creio que antes de se falar em algum assunto, devemos primeiro conhecer, pesquisar sobre o assunto. Saibam que os maiores interessados nisso são os Muçulmanos. E infelizmente,por desconhecer o assunto, muitos estão sendo enganados, opinando sobre um assunto sem conheçe-lo.

    Peço que leiam o texto abaixo e conheçam o verdadeiro significado sobre esse assunto:

    1. O que é a Resolução da Difamação da Religião?

    A resolução foi apresentada e votada de várias formas e sob vários nomes desde 1999. Espera-se que ela seja votada novamente na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas em dezembro de 2010. A primeira campanha da Difamação da Religião realizada pela Organização da Conferência Islâmica (OIC, em inglês), teve como alvo a “Difamação do islã”, mas posteriormente, voltou a ser considerada como “Difamação da Religião” para receber apoio de vários países. Até este ano, o islamismo foi a única fé especificamente mencionada nas resoluções do Conselho dos Direitos Humanos da ONU e que foi aprovada pela Assembleia Geral. Em março de 2010, uma nova versão foi apresentada ao Conselho. Mais uma vez era referente à islamofobia, mas também incluía a menção ao anti-semitismo e cristianofobia e foi votada como lei por uma pequena maioria. Porém, proteger o islã é claramente o foco da resolução.

    2. O que está errado com a Resolução da Difamação da Religião?

    A Resolução da Difamação da Religião busca criminalizar palavras ou ações consideradas contra uma religião em particular, nesse caso, o Islã. Embora os proponentes justifiquem que o conceito da “difamação de religiões” proteja a prática religiosa e promova a tolerância, ela, na verdade, promove a intolerância e viola a liberdade de religião e de expressão para as minorias religiosas – especialmente cristãos.

    Os direitos humanos são exatamente isso – direitos pertencentes a indivíduos – mas essa resolução procura dar esses direitos a uma religião específica. Ela vai contra a lei dos direitos básicos que existem para proteger os seres humanos, não as crenças religiosas ou os sistemas.

    A Resolução da Difamação da Religião tem o poder de dar legitimidade internacional para leis nacionais que punem a blasfêmia ou, por outro lado, proíbem críticas a uma religião. Por exemplo, a lei da blasfêmia em alguns países tem sido usada para justificar ações que restringem seletivamente dissidentes civis, proíbe a critica de estruturas políticas e restringe os discursos religiosos das comunidades de fé minoritárias, afasta membros de crença majoritária e pessoas de fé religiosa. Sob essas leis, acusações criminais foram impostas contra os indivíduos por difamação, insulto, ofensa, afronta e blasfêmia ao islã, que frequentemente acaba em morte . A liberdade de imprensa também é prejudicada!

  9. [...] Para ler o telegrama do WikiLeaks que fala na difamação de religiões, clique aqui   [...]

  10. sex, 15/04/2011 - 21:11
    Nelson Menezes

    Está no blog do Mello:Jornalista Caio Blinder em comentário no Globo News, chama de Piranhas as primeiras Damas da Jordânia,Síria,Egito e Arabia Saudita;Depois tentou consertar dizendo ser critica politica,desculpa esfarrapada hei!

  11. [...] Não, não se trata de fazer o Brasil aderir à posição dos Estados Unidos, que rejeitam a criminalização da “difamação de religiões”, conforme revelou o WikiLeaks. [...]

  12. [...] Não, não se trata de fazer o Brasil aderir à posição dos Estados Unidos, que rejeitam a criminalização da “difamação de religiões”, conforme revelou o WikiLeaks. [...]

  13. seg, 11/04/2011 - 17:45
    LAP

    Mais idiotice pelo Brasil: http://www1.folha.uol.com.br/poder/901045-sarney-

    Por que não começam fazendo um para impedir que eles aumentem os proprios salarios?
    Isso ai é tão chocante e vem acontecendo a mais tempo do que doido saindo atirando em criança.
    Se essa porcaria acontecer, quando é que vamos ter um doido dando uns tiros no congresso?
    Não Sr. Sarney! Eu não largo minha arma porque tenho indole e o Estado não tem competencia para garantir minha segurança em 100%. No dia que começarem a se submeterem aos mesmas obrigações e beneficios dos "assaltalariados" e o Estado tiver presença em 100%, ai sim, eu abro mão de tudo. Eu trabalharia até de graça quando eu ver exemplo dai de cima.

  14. qui, 07/04/2011 - 19:15
    FrancoAtirador

    .
    .
    Jogo online é acusado de incentivar ataque a muçulmanos

    Um jogo online em que o jogador encarna um soldado americano cuja missão é matar o maior número possível de muçulmanos, o profeta Maomé e mesmo Alá tem causado revolta entre muçulmanos de várias partes do mundo.

    O jogo Muslim Massacre foi criado na Austrália por uma pessoa (supostamente um jovem de 22 anos) que adota o pseudônimo de Sigvatr.
    "Por que algumas pessoas precisam inflamar ainda mais uma situação já tensa", pergunta o editor do jornal Gulf News, publicado nos Emirados Árabes Unidos, Nicholas Coates.
    "Ainda há muitos muçulmanos se remoendo a respeito das caricaturas do profeta Maomé publicadas em um jornal dinamarquês", diz Coates.
    Revolta
    O autor do jogo se diz inspirado na guerra contra o terror lançada pelo presidente americano George W. Bush.
    "Seria mera coincidência o jogo ter sido lançado durante o mês santo do Ramadã? Acho que não", diz Coates. "Foi uma ação pensada para coincidir com o aniversário dos ataques de 11 de setembro? Provavelmente."
    Uma associação de muçulmanos britânicos pediu que as autoridades tomem providências que levem ao fechamento do site.
    "Esse jogo glorifica a matança de muçulmanos no Oriente Médio e fazemos um apelo para que os provedores de acesso removam o site já que ele incita a violência contra os muçulmanos e tenta justificar o assassinato de pessoas inocentes", diz um comunicado da Ramadhan Foundation.
    "Encorajar crianças e jovens a matar muçulmanos em um jogo é inaceitável, de mau gosto e profundamente ofensivo", afirma o presidente da associação, Mohammed Shafiq.
    "Se existisse um jogo parecido, mostrando muçulmanos trucidando americanos ou israelenses, a indignação seria mundial", acrescenta o comunicado.
    Retratação
    Na segunda-feira, vários veículos de imprensa noticiaram que o site havia parado de disponibilizar o jogo, exibindo uma retratação no lugar.
    "Gostaria de pedir desculpas publicamente por qualquer ofensa que possa ter causado", dizia a mensagem no site, segundo a mídia australiana.
    "Minhas intenções quando lancei o projeto eram tirar sarro da política externa americana e da percepção comum nos Estados Unidos de que muçulmanos são hostis", acrescentava o texto. "Quero esclarecer que nunca compartilhei dessas crenças."
    Mas nesta quinta-feira, o jogo estava disponível normalmente com os dizeres "Não seja um liberal! Baixe o jogo agora".
    Polêmica
    Embora em menor número, algumas vozes favoráveis ao jogo também se manifestaram. O editor da revista online australiana Tech.borge, Dave Parrack, reconhece que o jogo é de mau gosto, mas questiona aqueles que o desejam proibido.
    "Defendo que, qualquer que seja a mensagem no centro do jogo, ele deve ter respeitado o seu direito de existir, meramente porque, ao pedir para que ele seja proibido, se pede também para que a Internet seja censurada", diz Parrack.
    O vice-reitor da Universidade Internacional do Egito, Hamdy Hassan, aponta, no entanto, o potencial explosivo que o jogo pode ter na mente de muitas pessoas do mundo árabe.
    "Essa é a expressão de um ponto de vista radical", afirma Hassan. "Portanto, não devemos dar ao assunto uma importância maior do que merece, como foi o caso das caricaturas dinamarquesas."
    "Ele (o jogo) mostra a animosidade que alguns ocidentais têm para com os muçulmanos e vai certamente contribuir para o aumento das hostilidades entre os dois lados, ao invés de diminui-las", acrescenta o vice-reitor.

    http://games.terra.com.br/interna/0,,OI3193619-EI…

  15. qui, 07/04/2011 - 17:59
    Maria Dirce

    A Globo News, como verdadeira representante dos Usa no Brasil, disse que o cara é terrorista!!!!!!!!

  16. qui, 07/04/2011 - 16:41
    FrancoAtirador

    .
    .
    ÍNTEGRA DA CARTA DO PSICOPATA RELIGIOSO ("cristão")

    “Primeiramente deverão saber que os impuros não poderão me tocar sem luvas, somente os castos ou os que perderam suas castidades após o casamento e não se envolveram em adultério poderão me tocar sem usar luvas, ou seja, nenhum fornicador ou adúltero poderá ter um contato direto comigo, nem nada que seja impuro poderá tocar em meu sangue, nenhum impuro pode ter contato direto com um virgem sem sua permissão, os que cuidarem de meu sepultamento deverão retirar toda a minha vestimenta, me banhar, me secar e me envolver totalmente despido em um lençol branco que está neste prédio, em uma bolsa que deixei na primeira sala do primeiro andar, após me envolverem neste lençol poderão me colocar em meu caixão. Se possível, quero ser sepultado ao lado da sepultura onde minha mãe dorme. Minha mãe se chama Dicéa Menezes de Oliveira e está sepultada no cemitério Murundu. Preciso de visita de um fiel seguidor de Deus em minha sepultura pelo menos uma vez, preciso que ele ore diante de minha sepultura pedindo o perdão de Deus pelo o que eu fiz rogando para que na sua vinda Jesus me desperte do sono da morte para a vida.”

    "Eu deixei uma casa em Sepetiba da qual nenhum familiar precisa, existem instituições pobres, financiadas por pessoas generosas que cuidam de animais abandonados, eu quero que esse espaço onde eu passei meus últimos meses seja doado a uma dessas instituições, pois os animais são seres muito desprezados e precisam muito mais de proteção e carinho do que os seres humanos que possuem a vantagem de poder se comunicar, trabalhar para se alimentarem, por isso, os que se apropriarem de minha casa, eu pelo por favor que tenham bom senso e cumpram o meu pedido, por cumprindo o meu pedido, automaticamente estarão cumprindo a vontade dos pais que desejavam passar esse imóvel para meu nome e todos sabem disso, senão cumprirem meu pedido, automaticamente estarão desrespeitando a vontade dos pais, o que prova que vocês não tem nenhuma consideração pelos nossos pais que já dormem, eu acredito que todos vocês tenham alguma consideração pelos nossos pais, provem isso fazendo o que eu pedi."

    http://g1.globo.com/Tragedia-em-Realengo/noticia/

    • qui, 07/04/2011 - 17:00
      FrancoAtirador

      .
      .
      .
      .
      IGNORÂNCIA, IRRESPONSABILIDADE OU MÁ-FÉ ?

      Foi daqui que se espalhou a manchete para o mundo inteiro:
      .
      .
      Em entrevista à Globo News, o coronel Djalma Beltrame, comandante do 14º BPM (Bangu), confirmou que Oliveira deixou uma carta que indica que ele tinha intenção de se matar. " Foi um ato premeditado", disse Beltrame.

      Segundo o coronel, a carta era “confusa” e apresenta conteúdo “fundamentalista islâmico”.
      .
      .
      A primeira impressão é a que fica.
      .

  17. qui, 07/04/2011 - 16:04
    Elias dos Santos

    Fato nº 1: este telegrama secreto prova que o governo dos EUA consegue publicar o que quiser na imprensa brasileira.

    Fato nº 2: a Veja tinha acabado de publicar uma matéria sobre "células terroristas" em Foz do Iguaçu, antes desse acontecimento de hoje no Rio de Janeiro.

    Possíveis conclusões:

    - A matéria foi plantada na Veja pela CIA, para ser associada com esse massacre no Rio de Janeiro, onde um maluco que sofreu nítida lavagem cerebral deixou uma carta se declarando muçulmano.

    - Como a matéria foi plantada ANTES do massacre, o massacre já estava planejado pela CIA. Todo mundo sabe que a Al Qaeda é um braço da CIA.

    - Trata-se de uma operação da CIA para jogar a opinião pública brasileira contra o Islã, e a a favor da "guerra ao terror".

    • qui, 07/04/2011 - 18:38
      Mário SF Alves

      Segura essa onda, Elias. Vou te contratar para inspirar o próximo Sherlock, tudo bem?. Estou brincando, desculpe-me. Tudo aí o que você disse faz sentido, mas, ainda assim, seria especular demais, não?

    • seg, 25/04/2011 - 23:05
      Roger

      Suas ideias nao estao fora da realidade. O que os arapongas da CIA aprendem é muito mais que ser um espião em si, metendo a mão na massa. Um "operador" do serviço de inteligência, como eles dizem, é muito mais um sujeito que manipula e conduz indivíduos, até mesmo por intermédio de terceiros, sem chamar a atenção para si e atuando unicamente nos bastidores. A mídia faz o trabalho sujo da desinformação, quando prega a imagem romântica do James Bond… nada a ver com a realidade!!!

      As operações clandestinas são estruturadas dessa forma: Um operador desejável é um americano, com cara de brasileiro e que fale português fluente – muito fluente, diria nativo. Talvez alguém que morou no Brasil por longo tempo. Tem visto permanente no Brasil, pois aqui trabalha em uma das multinacionais falsas que dão guarida às atividades da CIA. Seu disfarce permite se imiscuir em grupos de pessoas, e por meio delas manipular direta ou indiretamente seus alvos. Quando manipula indiretamente, elimina a "ponte", ou seja, mata o indivíduo que usou para manipular seu alvo. A "ponte", via de regra, é recrutada entre criminosos, ex policiais, ex militares e todo aquele com alguma "prática de campo" (tiro, artes marciais, técnicas de combate/guerrilha), que tenha "o rabo preso" (para usar uma expressão nacional) e esteja disponível a tudo por dinheiro. Detalhe: nem "a ponte" sabe que ele é americano!! Mas adora seu dinheiro farto!! (os operadores são bem abastecidos).

      Se ele for pego (muito improvável), pode surgir desde um passaporte diplomático a uma negativa formal do governo americado, pautando-o como um louco de pedra. Ele negará qualquer vínculo.

      Um operador com essas caracteristicas pode, sim, ter induzido e estimulado, direta ou indiretamente, o doido de Realengo a manifestar seus propósitos!!!

  18. qui, 07/04/2011 - 10:19
    ariel irata

    Cia, FBI , interpol, so mudou as letras, AI-5, DOI CODI, o que os americanos querem? implantar a lei anti terror no Brasil,para que? se instalarem de vez,mandar discaradamente em nossas vidas,jornalecos e revistinhas,infelizmente estao servindo de porta de entrada para os verdadeiros terrorristas mundiais USA,Israel e cia ltda

  19. ter, 05/04/2011 - 15:10
    pperez

    Traduzindo para o bom português: Hello Brazil, para assegurar sua cadeira definitiva na ONU você terá de apertar o gatilho junto comigo e comer na minha mão!

  20. ter, 05/04/2011 - 11:43
    edv

    A grande malandragem da mírdia pigalha é que eles se entrincheiram na (por eles prostituída) "liberdade de imprensa" (que eles usam como "DA" imprensa … deles).
    Sendo este um princípio que precisamos de fato preservar (de informação, expressão e opinião), resta a difícil missão de criar um CONTRAPONTO de equiparável poder de informação e disseminação.
    Sabemos ser uma missão ingrata , já que isto exige dinheiro, que eles têm de inúmeras fontes (visíveis e ocultas), mantendo um ciclo vicioso de poder com poder e pelo poder.
    E isto é mundial!
    Hoje, o contraponto é realizado correntemente, de forma "heróica", via Internet.
    Que eles já estão agindo para controlar.
    Esta deve ser, por ora, a nossa trincheira.

  21. ter, 05/04/2011 - 11:21
    joenas

    O conselho de segurança da ONU é uma farsa.
    Todos os paises deveriam ser membros deste tal conselho.

    • dom, 08/05/2011 - 1:54
      Góes

      Se todos fossem membros desse Conselho a ONU não iria funcionar para nada, nem para aquilo que ela funciona hoje. O Conselho Permanente da Liga das Nações não tinha poder de veto e sua falha em funcionar provocou a Segunda Guerra Mundial.

  22. ter, 05/04/2011 - 9:58
    monge, scéptico

    Que adianta esse assento, se quem chega lá é imediatamente desrespeitado pela usa?
    Se embora podendo vetar isso ou aquilo a usa atrpela ou ameaça e faz o que bem en-
    -tende? Estamos cansados de balançar as perninhas em protesto, erguidos do chão
    pelo monstro do norte ou fartos de sermos subalternos e concordar a ferro e fogo c/ o
    dragão de ferro.
    Esse negócio(é negócio sim!) é um saco. Melhor discutir sobre futebol(t porfora desse
    papo ai.

  23. seg, 04/04/2011 - 22:31
    Regina Braga

    Votei na Dilma,por que,adoro o Brasil…com ssss.Presidenta,fazer parte da ONU,já não significa mais nada.Nem aparecer na Ana ou Hebe,vai mudar o seu conceito perante a mídia.Lembre do Alencar,só não quero perder a HONRA.Nossa,como o Patriota é patriota,vai trabalhar na reeleição,do outro presidente,será?

  24. seg, 04/04/2011 - 19:37
    JotaCe

    Caro Mário SF Alves,

    Obrigado pelas suas consderações. Desculpem-me você e os outros que leram o meu texto. Mas sou humano e não dá pra entender a que ponto chegou o governo da Dilma, que se desonra até aos olhos daqueles perante os quais faz a nação se acocorar. Usar o nome do país para difamar religiões e provocar guerras de conquista com elas, a serviço de outros países, é algo que suja, enlameia. Se você ler meu texto com mais vagar, verá que ele contém uma profunda ironia ao caráter pessoal e à política que o cerra representa. Um abraço,

    JotaCe

    • qui, 07/04/2011 - 18:43
      Mário SF Alves

      Ô, JotaCe… Não há do que. E não tem porque se desculpar. Direito a expressão, amigo, é o que há de mais sagrado aqui.
      Abraços, Mário.

  25. seg, 04/04/2011 - 19:18
    Fabio

    Fora Patriota Americano!!!
    Abre os olhos Dilmaaaa.
    Volta Min Amorim.

  26. seg, 04/04/2011 - 18:36
    FrancoAtirador

    .
    .
    Alguns excertos dão a entender que um certo "patriota"

    estava tramando às escondidas do Celso Amorim.

    Será que chegou a este ponto?
    .
    .

  27. seg, 04/04/2011 - 18:04
    Ronaldo

    Tiraram a Folha?

    Por quê?

  28. seg, 04/04/2011 - 15:53
    Jair Almansur

    Meu votos é que a Argentina e não o Brasil consiga assento permanente no CS da ONU. A política externa de nossos irmãos e vizinhos tem tradição de independência em relação aos EU. Coisa que o Brasil não tem. Nossa política externa é marcada por ziguezagues vacilantes, e raros momentos de independência como esse período que vivemos com Lula/Celso Amorim.
    Muito pior do que tirar o sapato para agentes de segurança estadunidenses e votar como o Brasil votou, a favor da invasão 'humanitária' do Irã pelas grandes potências.
    Não sem nem se o FH proferiria voto tão sabujo.

    • seg, 04/04/2011 - 19:02
      Maurício

      Jair, nem tanto…a política externa argentina AGORA é relativamente independente. Lembre-se que nos terríveis anos de Menem, o mesmo chegou a dar as costas para o Mercosul (junto com FHC), tentou fazer parte do NAFTA e dizia que a Argentina possuia "relações carnais" com os EUA…

      • ter, 05/04/2011 - 11:11
        beattrice

        Só para constar, há declarações do "patriota" de que a ALCA não seria carta fora do baralho

      • ter, 05/04/2011 - 14:21
        Mário SF Alves

        Não, Beattice, não … De onde vem isso? Where is the information font?

      • ter, 05/04/2011 - 12:05
        Mário SF Alves

        Maurício,
        "Carnais" pode não ser a expressão certa. Que tal "conjugais" pelo viés "mulher de malandro"?

    • qui, 07/04/2011 - 21:36
      Abel

      Cuméquié? Independência? Não foram os mesmos que mandaram um barco-patrulha para ajudar os Estados Unidos na Guerra do Golfo? E cujo presidente disse que as relações da Argentina com os EUA eram "carnais"?

  29. seg, 04/04/2011 - 15:38
    FrancoAtirador

    .
    .
    "Grandes veículos de imprensa, como O Estado de S. Paulo e O Globo, além da revista Veja, podem dedicar-se a informar sobre os riscos que podem advir de punir-se quem difame religiões, sobretudo entre a elite do país."

    "Essa embaixada tem obtido significativo sucesso em implantar entrevistas encomendadas a jornalistas, com altos funcionários do governo dos EUA e intelectuais respeitados. Visitas ao Brasil, de altos funcionários do governo dos EUA seriam excelente oportunidade para pautar a questão para a imprensa brasileira."
    .
    .
    A ENXOVALHADA DE SÃO PAULO NÃO FOI CITADA PELO DIPLOMATA NORTE-AMERICANO,

    TALVEZ PORQUE ELE ESTAVA SE REFERINDO A "GRANDES VEÍCULOS DE IMPRENSA"
    .
    .

    • seg, 04/04/2011 - 16:48
      Bonifa

      É preciosa demais, o embaixador se resguardou para não comprometer a preciosidade. "Quem sabe amanhã aparece um tal de Wikileaks…" Pensou ele.

  30. seg, 04/04/2011 - 15:33
    FrancoAtirador

    .
    .
    Hipocrisia anglo-saxã revestida de moral calvinista.
    .
    .

  31. seg, 04/04/2011 - 15:06
    ANA

    Falando sério…
    A mídia brasileira a serviço dos Estados Unidos!
    Quem disse que guerra fria acabou?
    Imagine o coiso eleito!
    Se houver ainda algum assinante aqui neste espaço, cancele agora sua assinatura: desemprego já para os ´picaretas das comunicações!

  32. seg, 04/04/2011 - 14:07
    Rogerio

    E o nosso Chanceler Patriota? Um frouxo!?

  33. seg, 04/04/2011 - 13:06
    Célia Vaz

    U.N. Resolution 62/154, 18/12/2007, Defamation of Religions
    (na íntegra em http://www.unhcr.org/refworld/docid/47da45112.htm…. fui conferir. A tradução está CERTA. Os EUA perderam várias vezes essa votação. Os EUA sempre votaram A FAVOR de se difamarem religiões. Os EUA QUEREM CONTINUAR DIFAMANDO RELIGIÕES.

    Viverem lá difamando religiões dá dinheiro e poder: os rabinos fundamentalistas loucos controlam o Congresso dos EUA e decidem quem matam, onde e quando, em que guerra; e os pastores fundamentalistas loucos desejam continuar a ganhar dinheiro ensinando as crianças a queimar livros e fazer guerras. FORA EUA!

  34. seg, 04/04/2011 - 12:26
    helena catin

    O governo Dilma tem que SABER o quanto a populacao esta contente com suas acões!
    Que tal inundar o Blog do Planalto com emails com a singela mensagem: FORA PATRIOT!!!!
    Socorro AMORIM! Volta AMORIM!!

  35. Eu não sei pra que o Brasil quer uma cadeira numa porcaria de uma instituição falsa como essa ONU?

    • qui, 07/04/2011 - 22:35
      Renata

      Cara Vera,
      Falou puco e disse tudo! Entrar na camarilha da ONU pra quê? Lá quem decide tudo ainda é o "Rei"…
      Aliás: UNIFEF, UNESCO, CEPAL, BID…. todos empregadinhos de luxo dos E.U.A.

    • sex, 08/04/2011 - 10:35
      Julio Silveira

      Por que gritar para surdos que algo está errado, não funciona. Eles não te ouvirão. Então torna-se necessário aprender a linguaagem dos surdos, numa instituição de surdos. Numa tentativa de que usando o instrumento certo, a linguagem de sinais deles, possam entender suas criticas e talvez, entendendo-as, quem sabe mudar. Essa é a unica forma de voce mudar coisas, é participando estando dentro. Caso contrário só resta o grito, o berro, a imolação, os atentados, para tentarem se fazer ouvir, e estados não devem agir assim. Agora, observe, onde ações desse tipo acontecem o barrulho ensurdece, as vezes ensurdece até mentes, das mais arrejadas.

  36. seg, 04/04/2011 - 11:52
    Pedro Luiz Paredes

    Ai que o texto se engana.
    Vamos partir de premissas simples.
    A partir do momento que o Brasil conquistar o voto dos outros membros permanentes e posto a posição não tão hegemônica dos EUA neste cenário, será inviável economicamente para eles vetarem o acesso do Brasil à esse acento. Isso se chama mineirismo.
    Estamos chegando em um ponto onde os EUA vão se distinguir cada vez mais dos outros membros, que estão e estarão cada vez mais harmoniosos entre si, e com o Brasil.

    • seg, 04/04/2011 - 16:58
      Bonifa

      Não conte com isso. A França e a Inglaterra alinham-se de corpo e alma aos Estados Unidos. A China continuará sua política de "low profile" com o Ocidente pelos anos próximos e a Rússia terá a tendência de isolar-se até que possa rever toda a sua política de defesa.

    • qui, 14/04/2011 - 23:43
      Tarso H. Oliva

      Pedro,

      espero que esteja correto seu argumento, sinceramente. Mas é sempre bom ficar com os dois pés atrás porque sabemos de quem se trata.

  37. seg, 04/04/2011 - 11:41
    Arthur Schieck

    Se os americanos querem usar a mídia brasileira como ferramenta de manipulação, a primeira preocupação deles deveria ser o resgate da credibilidade dos mesmos.
    Não gosto dessa postura do governo de tentar agradar os abutres. Parece que a nossa presidenta esqueceu o que eles tentaram fazer com ela há alguns meses atrás.

  38. seg, 04/04/2011 - 10:40

    Entao, ja em 2009 toninho patriota propunha -DE SUA PROPRIA iniciativa no MRE – o que mesmo? e amorim sabia ou nao disso?
    E Agora em 2011, nós estamos ou nao estamos, sra. Presidenta, embarcando nos planos patrioteiros so por causa que, Circunstancialmente, uma MULHER é que foi a potencial vitima no Irã??
    E tem mais: uma tal difamaçao de religioes no ano de 2009, objeto de resoluçao da ONU teve tudo isso.
    Esse é um assunto ate SECUNDARIO dentro da estrategia de dominaçao e geopolitica do Império, parece claro isto.
    Se neste item desimportante eles vao atras de implantar materias encomendadas de jornalistas e entrevistas com inteletuais respeitados" para conseguir seus objetivos, o QUE NAO FARÃO quando o assunto for de direto interesse do gates,do pentagono, da cia e dos objetivos proximos e diretos do Imperio do mal sediado ás margens do Potomac?
    Quem tinha alguma duvida, a dulcineia Leporaca inclusive, ainda a tem?

    • seg, 04/04/2011 - 12:51
      Bonifa

      Implantar artigos e entrevistas pode até ter saido barato, ou grátis, dado à indole "colaboracionista" da "imprensa", mas normalmente custa caro. Quanto custará a defesa de um voto sobre assunto de grande importancia?

    • seg, 04/04/2011 - 14:37
      Mário SF Alves

      É esse o raciocínio, Augusto. Brilhante!

  39. seg, 04/04/2011 - 10:32
    lucia

    É preciso que se questione qual o mérito de um país fazer parte do Conselho de ( IN) Segurança da ONU e qual o preço que o governo brasileiro pretende pagar por esta duvidosa honra. Proponho iniciar-se uma discussão pública sobre tal questão. Por favor, me esclareçam, o que significa, além do óbvio, o assento no Conselho de Segurança da ONU?
    Sra Presidenta, nós, povo brasileiro, não queremos o nosso país e nosso exército, fazendo parte de quadrilhas internacionais, atacando países que os EUA queiram espoliar.
    A ONU está desmoralizada e urge redefiní-la ou substituí-la por um organismo efetivamente internacional, para tal , este órgão deve ser financiado por verbas internacionais e não pelos EUA, pois não existe almoço grátis.
    Senhor (IN) Patriota defina -se sobre qual país pretende servir. Volta Amorim!
    Presidenta Dilma, queremos sua justificação sobre o voto pelo envio de um relator internaciopnal para o Irã e sobre as mudanças na orientação da política internacional. Honre o nosso voto. Não votei nos defensores da Teoria da Dependência
    Infelizmente, começo a me preocupar com o direcionamento deste governo.

    • seg, 04/04/2011 - 17:01
      Bonifa

      Ela não dará explicações. Não teriam profundidade necessária, seria pior para o governo.

      • seg, 04/04/2011 - 20:14
        JotaCe

        Caro Bonifa,

        Caro Bonifa,

        De minha parte, acho justo o pedido de explicação que a Lúcia exige em sua brilhante exposição. A Dilma não o atenderá, você está certo, mas se tornará moralmente e publicamente devedora pela conduta rastejante que tem adotado. Tal condtuta, queira ou não o queira ela, ficará registrada na história. Abraços,

        JotaCe

  40. É o fim da picada mesmo. Dou mais alguns anos para toda essa bandalheira PiG ir por água abaixo, junto com seus patrocinadores americanos. Nada irá impedir o Brasil de ser uma das maiores potëncias humanistas
    do planeta,
    Agora, qualquer criança mais crescidinha já conhece a técnica de influenciação da opiniáo pública,
    Só os americanos ainda náo aprenderam, mas com confio na Juventude USA. Eles váo salvar o seu
    povo da grande teia tenebrosa que os mantém atados aos interesses escusos de sua Nação.

  41. seg, 04/04/2011 - 9:57
    José

    Quem lê um pasquim vagabundo como a INVEJA ? sÓ sendo muito reaça ou muito zé mané..

    • seg, 04/04/2011 - 16:02
      Camila

      Por incrível que pareça tenho amigos juízes que só se informam por meio dessa revista, somente ela. É assustador, mas é real. E para piorar, creem no conteúdo das reportagens.

      • seg, 04/04/2011 - 18:52
        Mário SF Alves

        Será que creem mesmo, ou não será isso um claro sinal de simples e conveniente afiar da retórica usualmente empregada no ambiente social daquela ainda tão mui pouco pública condição.

  42. seg, 04/04/2011 - 9:55

    Vou dizer até cansar, O ASSENTO DO BRASIL NA ONU é super importante agora a REFORMA da ONU é mais importante ainda.
    O Brasil jamais se venderá por um assento por várias razões:
    -ECONOMICO( não é bom negocio ficar do lado do IMPERIO DO MAL , nem ontem e muito menos hoje, haja visto o que aconteceu com o pobre MEXICO e o coitado do CANADÁ ). O Brasil do Lula não gostava de rasgar dinheiro só o Brasil do FHC é que fazia isso. O Brasil da Dilminha vai caminhar nesse sentido sempre com um sorriso no rosto para o IMPERIO DO MAL, afinal segundo os cientistas sorrir gasta menos energia vital que uma carranca. Dilma é economista e economizar é preciso.
    - SOCIAL ( é bom viver em paz com os vizinhos e parceiros comerciais, isso melhora a vida das pessoas e promove desenvolvimento tecnologico e economico. O IMPÉRIO DO MAL adora guerra pois só nesses momentos que ele cresce. Isso se chama INCOMPETECENCIA LOGISTICA, coisa que sobra ao Brasil, logicamente que estou me referindo ao Brasil Lulodilmista, o Brasil FHCiano era muiiiiiiiiiiiiiiiito incompetente.
    -ORIGINAIS( somos de origem lusitana, nossos irmão PORTUGUESES sempre foram muito pacificos, é da nossa indole. Pagamos um boi para não entrar em uma briga , pagamos uma boiada para defender um injustiçado. É mais forte do que tudo vide o maior jurista, diplomata, defensor da paz mundial que o Brasil já fez, Rui Barbosa. Adoramos ser assim, não vamos macular nossa memoria, nossos simbolos, mudar nossas convicções só por causa de uma assento.)
    Por mais que o IMPERIO DO MAL venha a acenar o osso do assento permanente do conselho de segurança da ONU jamais o Brasil abdicará do legado ¨ babosiano¨ ou de nossas origens lusitanas. Confio na Dilminha e no Patriota em defender nosso legado de povo pacifico.

    • seg, 04/04/2011 - 11:57
      Mário SF Alves

      Ana,
      Ainda não entendo a importância de tal assento? Seria o equivalente estratégico de uma auto-defesa com armamento nuclear? Seria o contraponto da bomba atômica?

      • seg, 04/04/2011 - 19:30
        Marta

        Não é só o Brasil que quer assento no Conselho de Segurança da ONU. Outros paises em desenvolvimento também devem estar lá para poder influenciar nas decisões sobre segurança do mundo. Atualmente, somente as grande spotências podem fazê-lo.

    • qui, 07/04/2011 - 22:50
      Renata

      Cara Ana, pense bem… não é um tanto ingênuo pensar que a simples presença do Brasil na instituição pode remodelar suas práticas colonialistas e tutelares em relação aos grandes "dilemas" da humanidade; o "povo lá de cima" deu outro nome pra guerra fria: guerra ao terror, ao mal, aos opositores da santa sé…e por aí vai. Esse negócio de ser barrado no baile não dá mais pra engolir…Se um entra todo mundo deve ter direito de entrar, caso contrário perde o sentido. Você disse: defender injustiçado? mesmo que o Brasil o fizesse, seria voto vencido; é por isso que a ONU nada mais é do que um Rotary Club…

  43. seg, 04/04/2011 - 9:42
    Marcelo Fraga

    Bem que o Azenha poderia colocar como capa do Viomundo, ao lado do título desta matéria, a capa da Veja dessa semana. Seria uma ótima ilustração de como os ianques implantam matérias.

  44. seg, 04/04/2011 - 9:19
    Jair

    O Brasil que abra bem os olhos aos grandes eventos esportivos que estão chegando ao país. Para um país hipócrita como os eeuu (e seu serviço secreto) "plantar" (ou implantar) problema onde ele não existe (tipo ataque terrorista) não custa absolutamente nada.

  45. seg, 04/04/2011 - 8:49
    Fernando

    UMA PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR: Ja entrei em varios blogs e todos eles estão repletos de comentários, então pergunto…QUEM É QUE PAGA A CONTA DA INTERNET QUE ESTE BANDO DE VAGABUNDOS ESTA USANDO?? uhauhauhauha.

    • seg, 04/04/2011 - 9:33
      Jocélio

      Fernando,
      Existe varias forma de se paga a hospedagem de site.
      1 – do próprio bolso
      2 – através de publicadade (banner) no site.

    • seg, 04/04/2011 - 9:40
      Marcelo Fraga

      Quem paga a internet de trolls como você deve ser o Çerra, não é?

    • seg, 04/04/2011 - 10:46
      João Grillo

      Fernando,quem paga a conta da internenet não é o pai do boçal vagabundo que caiu aqui por acaso, procurando remédio para diarreia mental provocada pelos Facebook da vida, ou pelo último matador de babaca do mais recente Video-Game.
      Quááááá!!!!!!

    • seg, 04/04/2011 - 10:58
      r godinho

      Deve ser a mesma santa senhora que paga a sua…

    • seg, 04/04/2011 - 13:55
      Leider_Lincoln

      Vagabundo _e acrescente-se covarde, bundão, fracassado e mané, é você meu caro. Tenho meu blogue e trabalho. Com meu salário, pago a hospedagem. Escrevo para menos de 7 mil pessoas por mês, afinal.. Mas muitos têm grande audiência e suponho que os anúncios paguem ao menos parte dos custos. Mas e você, seu filhinho da mamãe inútil, faz trolagem do computador da mamãe ou o Cerra , esta imprensa vendida, ou algum partido a mando dos Estados Unidos te pagam algum, para você ter ao menos o que cheirar, no fim do dia?

  46. seg, 04/04/2011 - 8:22
    Carmem Leporace

    E o mensalão nunca existiu hein gente…. qua qua qua qua qua…..

  47. [...] site do Luiz Carlos Azenha, Viomundo, publicou documento vazado pelo WikiLeaks: WikiLeaks: A estratégia dos EUA para mudar o voto do Brasil na questão religiosa. Do publicado, destaco o que [...]

  48. seg, 04/04/2011 - 7:50
    Marat

    Depois que eu vi a capa daquele lixo de revista, chamada veja, não duvido de mais nada: Uma revista que trabalha de acordo com os interesses estadunidenses, em pleno território brasileiro, coisa boa não é!
    De todo modo, já faz muito tempo que se especulam problemas na região da Tríplice Fronteira.
    Logo logo se inventa uma mentira mais forte e ai os ladrões, assassinos, genocidas e terroristas estadunidenses invadem nosso país!

    • seg, 04/04/2011 - 10:39
      Leandro Barbosa

      Invadir a Tríplice Fronteira para pegar o quê? O "ouro azul", a água doce? Sei… Fico imaginando a água doce do Aquífero Guarani sendo transportada através de aquedutos e navios tanque até a América do Norte. Imagina só o preço que essa água doce chegaria nos EUA, incluindo aí o frete, já que os navios tanques consomem oléo diesel.

      Qualquer pessoa com o mínimo de bom senso sabe que isso é inviável, e que se os americanos construíssem usinas de dessalinização da água do mar tanto na sua Costa Leste como na Costa Oeste, essa água do mar dessalinizada sairia MUITO MAIS BARATA do que qualquer água doce transportada desde o Sul do Brasil em navios tanque e aquedutos.

      Portanto, a idéia de que a Tríplice Fronteira seja invadida para se dominar o "ouro azul" é pura paranóia.

      • seg, 04/04/2011 - 11:33
        Marat

        Prezado Leandro, o pretexto da Tríplice Fronteira, pode ser usado também com relação às supostas armas traficadas ali, que iriam parar nas mãos dos árabes… Agora, se me recordo, os países ladrões de petróleo (EEUU à frente) inventaram que o Iraque tinha armas de destruição em massa… Muitos dos que reagiram negativamente foram taxados de paranóicos e deu no que deu… Leandro, estamos diante de uma nação terrorista, ladra e assassina, portanto, todo cuidado e toda desconfiança são poucos. E, com relação ao Aquífero, sendo viável ou não, eles poderiam dar um jeito de usar a água para seus soldados aqui estacionados, após a invasão. Uma vez que os mercenários deles já possuem imunidade em qualquer parte do globo, por que não também lhes dar (de fato e de "direito") nossos recursos naturais?

      • seg, 04/04/2011 - 17:16
        Beto_W

        Marat, concordo com o Leandro Barbosa. Não vejo nenhum interesse palpável dos EUA em invadir o Brasil, ou a tríplice fronteira. No Iraque foi diferente, o Oriente Médio inteiro é o posto de combustível dos EUA. Mas aqui o lance é diferente. Invadir a tríplice fronteira para usar a água para abastecer as tropas invasoras não me parece muito capitalista. O interesse dos EUA aqui é ter uma base aliada com influência sobre possíveis "inimigos da democracia americana" (Venezuela, Bolívia, Argentina…). E isso eles não conseguem invadindo com tropas, mas sim comprando a mídia, como mostra o documento vazado.

      • seg, 04/04/2011 - 23:01
        Marat

        O PIG, muitos políticos do PSDB/PFL, e muitos empresários. Caro Beto, se os EEUU não tomarem uma invertida numa de suas inúmeras invasões, eles vão se achar invencíveis, e cada vez mais toscos e aventureiros. Vocês podem até ter razão, mas, mesmo que os estúpidos da América do Norte queiram aqui ter "apenas" uma base, já será terrivelmente humilhante para nosso país!

      • sex, 08/04/2011 - 12:37
        wikileaks neles

        A América Latina é um grande mercado consumidor do Coporações Unidas da América.

  49. seg, 04/04/2011 - 7:19
    sandro

    assim a gente percebe como eles (EUA) gostam de ir comendo o mingau pelas beiradas…

    e como é fácil pra eles cooptarem jornalistas no Brasil…

    acredito que esse assento no conselho de segurança seja a maior furada e que a saída seria ajudar a constriuir uma forma de diálogo mais sincera….o Brasil tem a chance de ser revolucionário neste sentido, mostando à comunidade internacional que é possível fazer política externa com SOLIDARIEDADE e RESPEITO…

    e o Patriota hein…. sei não sei não……volta Amorim!!!!!!!!!!!!!!!!!

    aliás, poderíamos lançar a campanha volta Almorim!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! :)

    • seg, 04/04/2011 - 10:41
      Maria José Rêgo

      Sandro, sobre solidariedade e respeito, o Brasil já vem fazendo através da Embrapa e Fiocruz nas comunidades africanas e árabes. A Embrapa já atua até mesmo no Afeganistão, propondo aos plantadores de papoulas trocar esta plantação por geração de alimentos, aprendendo e ensinando o que ela (Embrapa) acumulou em experiência. Para obter melhor informação entre no site oficial da Embrapa e da Fiocruz. Uma outra fonte de informação sobre estes assuntos é a TV Brasil e a TV NBR. Um abraço fraternal.

  50. seg, 04/04/2011 - 7:09
    ana db

    A Igreja Catolica do papa Bento e o PiG aderiram rapidinho ao plano do IV Reich. Os ideais de Hitler estão bem vivos.

    • seg, 04/04/2011 - 17:12
      Bonifa

      O Papa atacou a religião islâmica a pedidos (expande-se pela espada, como se ele não conhecesse a história dos próprios papas) ? Para dar força aos atacantes de religiões?

  51. seg, 04/04/2011 - 5:50
    Fred Oliva

    A grande verdade meus amigos é que o grande eixo da dominação imperialista americana acontece na mídia ocidental. É ela que permite aos USA manipular a opinião pública e criar lógica e racionalidade para atos e medidas que visam apenas preservar os interesses americanos no mundo.

    A lógica do "destino manifesto" não pode mais ser usado em pleno Século XXI (e foi ela que permitiu, por exemplo, que os USA roubassem metade dos territórios mexicanos). A mídia funciona como um legitimador de barbaridades. No Brasil, por exemplo, criaram a Abril (para divulgar os personagens Disney inicialmente) e montaram toda a estrutura da Rede Globo. Na ditadura militar cooptaram a Folha e o Estadão aderiu via sabujice explícita.

    E assim agiram na maioria dos países ocidentais controlando o fluxo de informações (mainstream) global criando filtros poderosos no sentido de segurar, ou distorcer, qualquer tipo de notícia perniciosa aos seus interesses. Por exemplo, "notícias" como o suposto estupro do fundador do Wikileaks na Suécia não só merecem divulgação massiva como, é certo, foi forjada em algum dos "Think Tanks" por eles bancados.

  52. seg, 04/04/2011 - 5:49
    Yarus

    Proteja o Brasil do Bolsonaro.

    ABAIXO-ASSINADO
    Mais de 65 mil já assinaram.
    http://www.avaaz.org/po/homofobia_nao/?vl

    "Vamos erguer nossas vozes mais alto que o Bolsonaro e mostrar que os brasileiros apoiam a lei anti-homofobia que irá ampliar as proteções contra a violência e discriminação para todos os brasileiros! Assine a petição agora, ela será entregue em Brasilia em uma grande manifestação pela lei anti-homofobia!"

  53. seg, 04/04/2011 - 1:36
    José Manoel

    O Brasil não deve barganhar nada para tentar um assento permanente no Conselho de Segurança da ONU! Se der, será pela sua grandeza! Se não, não vamos morrer por isso!!! Negociar com os gringos é se meter em fria!!!!!!!!!!!

    • seg, 04/04/2011 - 8:43
      Mário SF Alves

      Sim, José Manoel. Além do mais o que é que eles podem querer mais do Brasil? Já não chega o "bom comportamento" de tipo pior distribuição de renda do mundo, capitalismo selvagem, manipulação midiática e exclusão social de fazer corar o império romano?

      • seg, 04/04/2011 - 16:38
        Mário SF Alves

        E a lista continua… privatização da CVRD; ensaio técnico, inclusive com direito a tanques nas ruas, pra pricatização da Petrobrás; sucateramento da universidades públicas, e ….

      • seg, 04/04/2011 - 17:15
        Bonifa

        O Império Romano distribua cesta básica digna e suficiente a todos os plebeus e até aos escravos dos plebeus.

    • seg, 04/04/2011 - 8:46
      Odair Novato

      Exatamente! Estou com você. O Povo brasileiro tem de ter muito cuidado com este negócio de Assento no Conselho da ONU: Imaginemos amanhâ (com assento na ONU) Sermos obrigados mandar soldados brasileiros pra combater por interesses de Países como os EUA em lugares como Kosovo somente pra defender os interesses deles. ´Se for para sermos justos e se a opinião do Brasil tiver de valer que seja por uma causa justa, mas nunca que seja mandar nossos filhos e irmão para sustentar vagabundagemm deste pessoal em lugar nenhum . Cuidado Dilma!

      • qui, 07/04/2011 - 22:59
        Renata

        Caro Odair,
        Perfeito! Os EUA estão com a lama até o pescoço nisso (guerras, sangue e usurpação de todos os países mais vulneráveis). Envolver o Brasil nisso é mudar nossa vocação, é destruir nossos princípios de paz. Pense em algo aqui mais por perto; essa camarilha de gringos jogando-nos uns contra os outros aqui no sul; querendo manchar a ótima relação que o Brasil estabeleceu com nossos irmãos latino-americanos. O interesse é deles que entremos na ONU; e o preço para entrar nesse negócio pode ser muito alto….

  54. seg, 04/04/2011 - 0:32
    mac

    De religiões ou de muçulmanos ?

  55. seg, 04/04/2011 - 0:22
    beattrice

    "A abordagem mais efetiva (e, no longo prazo, mais valiosa para os interesses mais amplos do Governo dos EUA) poderia incluir a questão atual na pauta de um novo diálogo regular sobre direitos humanos, ideia que o próprio MRE (pelo emb. Patriota) propôs recentemente."

    Tudo indica que o senhor patriota era muito ativo em propor pautas que interessavam aos EEUU em Washington, mas ele não era embaixador brasileiro à época? Well, tanto quanto é chanceler brasileiro hj.

  56. seg, 04/04/2011 - 0:21
    FrancoAtirador

    .
    .
    Acabamos de ler, mais uma vez,

    O ENTREGUISMO EXPLÍCITO DA MÍDIA OLIGÁRQUICA MERCANTIL "BRAZILEIRA"
    .
    .

  57. dom, 03/04/2011 - 23:38
    francisco p. neto

    Tenho comentado que não me agrada os primeiros passos do governo Dilma.
    Visita à Folha no patético 90 anos de fundação do jornal, aumento da selic, aumento das tarifas de energia e voto contra o Irã na questão dos direitos humanos.
    É só o Irã que desrespeita os direitos humanos?
    EUA vem fazendo isso desde o fim da segunda guerra mundial, provocando guerras contra a Coréia, Vietnã, Iraque, Afganistão, apoiando e participando de golpes de estados na América Latina, praticamente em todos os países e mantem a prisão de Guantânamo, nada diferente das piores prisões do mundo.
    Porque condenar só o Irã?
    Onde está a coerência?
    Acho que nem a Casa Branca imaginaria que fosse tão fácil cooptar a Dilma.
    Só pode ser síndrome de estocolmo.
    Lamentável!!!

    • seg, 04/04/2011 - 6:25
      alex

      Só faltou arrematar. "Agora é aécio 2014!!!"

      • seg, 04/04/2011 - 10:42
        Alberto Cerqueira

        Do jeito que a Dilma vai, Aécio vai ser o vice dela em 2014, na coligação PT-PSDB.

    • seg, 04/04/2011 - 6:34
      Maria Fulô

      De onde você tirou que o governo brasileiro votou contra o Irã na questão dos direitos humanos? Tá me parecendo um tucaninho covarde disfrçado de frango d'água…

      • seg, 04/04/2011 - 13:29
        Bonifa

        É não, Maria. Ele tem razão. Leia o artigo do Celso Amorim postado aquí e você vai entender que votar a favor de investigação da ONU em um país em matéria de direitos humanos é gravíssimo, é meia-licença para atacar o país com mísseis.

      • seg, 04/04/2011 - 13:56
        francisco p. neto

        Maria Fulô
        Bem que o nome seu já diz tudo!
        Não sou tucaninho disfarçado não Maria.
        Apoiei integralmente o governo Lula e votei na Dilma duas vezes, mas só que eu tenho um pouco de massa cinzenta para ter opinião.
        E a minha é essa. Goste vc ou não.
        Quanto ao que falei sobre o Irã, é preciso vc se informar melhor.
        Brasil votou hoje dia 24 de março favoravelmente ao envio de um relator especial do Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) ao Irã.
        Quer apenas um link para se informar Maria?
        Então vai um aí para vc. http://exame.abril.com.br/economia/brasil/noticia

    • seg, 04/04/2011 - 11:44
      Mário SF Alves

      Francisco,
      Sobre o "Acho que nem a Casa Branca imaginaria que fosse tão fácil cooptar a Dilma", entendo que tem uma coisa aí chamada dinâmica do processo. Você já parou para considerar que a estratégia agora pode ser outra, ou seja: viabilizar a reeleição do US President Obama?

  58. dom, 03/04/2011 - 23:33
    Bruno

    Além da descoberta que a embaixada americana publica o que quiser no PIG, temos mais aspectos a considerar.

    Antes porém, algo bem estranho: a tradução está errada. Inverte o sentido de uma frase importante. A frase que esclarece o voto brasileiro.

    Diz o original:
    For those reasons, Brazil cannot and will not support a resolution that purports to punish the 'defamation of religions' instead, Brazil consistently abstains.

    A tradução que estamos lendo diz quase o inverso:
    Por isso o Brasil não pode aprovar e não votará a favor de resolução que proíbe que se puna quem difama religiões. O Brasil abstém-se de votar.

    Uma tradução mais apropriada seria:
    Por essas razões, o Brasil não pode e não apoiará uma resolução que se apresenta como tendo o objetivo de punir a 'difamação religiosa'; ao em vez disso, o Brasil consistentemente se abstém.

    Outra coisa interessante, estamos esquecendo que a posição americana leva em conta que uma professora foi condenada ao açoitamento no Sudão por ter chamado um ursinho de pelúcia de Maomé. A lei sudanesa que permite tal ato é uma lei que agora conta com o aval da ONU (afinal a resolução foi aprovada). A abstenção brasileira nos deixa pelo menos um pouco mais distantes dessa e de outras barbaridades cometidas. Ideal seria ter feito como o Timor Leste, Suécia, Portugal e os EUA entre outros que marcaram posição e se afastaram de querer policiar o livre pensar. Eles também se afastaram das atrocidades cometidas em nome do combate à blasfêmia e à difamação religiosa.

    Sabemos que milhares de pessoas são perseguidas por tais leis que visam impedir a difamação religiosa. Sudão e Paquistão são os exemplos mais contundentes. Essas leis sempre acabarão por coibir nosso direito de expressar nossas ideias e convicções sempre que nosso pensar não estiver estritamente contido no círculo de pensamentos e valores não ofensivos à religião dominante em um determinado país.

    • seg, 04/04/2011 - 12:00
      Otávio Gomes

      É uma questão delicada. É preciso avaliar bem o que significa "difamar a religião". Não se pode criar leis absurdas baseando-se nesse princípio, mas também não se pode permitir que a fé de milhões de pessoas seja impunemente ofendida e insultada de forma ostensiva. Até porque, se isso for permitido, e o Estado não fizer nada, as pessoas vão fazer justiça com as próprias mãos. Lembre-se do episódio do pastor da Universal que "chutou a santa". Ninguém está disposto a aceitar ver a sua fé sendo insultada de forma descarada. Que fique esse aviso para os ateuzinhos que gostam de ofender a fé dos outros. Quer ser ateu? Seja. Mas respeite a fé dos outros.

      E a Lei do Sudão não está amparada pelas resoluções de Direitos Humanos da ONU, pois condenar uma pessoa ao açoite, ou qualquer outro castigo físico, é tortura, e vai contra os princípios de Direitos Humanos da ONU.

      • seg, 04/04/2011 - 19:00
        Mário SF Alves

        Ateuzinhos?!! Essa doeu. Por acaso em "ateuzinhos" se está a respeitar a desfé dos outros?

  59. dom, 03/04/2011 - 23:15
    FrancoAtirador

    .
    .
    Queima do Corão nos EUA continua a fazer vítimas no Afeganistão

    Em 20 de Março, o pastor protestante Wayne Sapp queimou um exemplar do livro sagrado dos muçulmanos numa igreja na Flórida. Estava na presença de Terry Jones, um outro pastor que tinha ameaçado fazer o mesmo a propósito do aniversário do 11 de setembro, e de cerca de cinco dezenas de pessoas.

    A queima do Corão pelo pastor norte-americano motivou protestos violentos em várias cidades do Afeganistão que decorrem há três dias. Só neste domingo, morreu uma pessoa e 18 deram entrada no hospital com ferimentos provocados por balas e pedras.

    O presidente do Afeganistão quer que o congresso dos Estados Unidos condene a queima de um exemplar do Corão pelo pastor Wayne Sapp.

    O pedido foi feito pelo presidente afegão ao embaixador norte-americano em Cabul e ao comandante das forças da OTAN no país.
    Hamid Karzai quer também garantias que não volta a acontecer uma nova queima.

    O CINISMO

    O embaixador Karl Eikenberry aproveitou o encontro para lembrar a condenação pública feita por Barack Obama ao gesto do pastor protestante da Flórida.

    O general Petraeus também criticou o líder religioso e sublinhou que só “uma pessoa” foi desrespeitosa para com o Corão e o Islão.

    O presidente norte-americano classificou a queima do Corão como revelador de "extrema intolerância e fanatismo”. Em comunicado, Barack Obama prestou homenagem às vítimas da violência no Afeganistão, criticou o pastor radical sem referir o seu nome, mas também considerou que a queima não justifica a morte de inocentes. Sobre os ataques que estimularam, Obama considera serem "revoltantes e uma afronta à decência e dignidade humana".

    http://tv2.rtp.pt/noticias/index.php?t=Queima-do-

  60. dom, 03/04/2011 - 23:07
    ZePovinho

    Esse negócio de assento no CS da ONU está começando a ficar parecido com aquele filme(com a Demi Moore e Robert Redford) em que o cara aceita entregar a mulher para um empresário,por uma noite,em troca de 1 milhão de dólares, para que pudesse realizar o projeto da vida dele como arquiteto:construir a casa dos sonhos.
    A mulher voltou para ele depois,mas disse(com aquele jeito que só as mulheres sabem fazer,pisando no coração do cara com salto alto e bem fino) que o cara que tinha dormido com ela era um garanhão.Já viu,né?
    Então,companheiros,se for para entregar o fiofó em troca de assento em um conselho que está ficando insignificante ,com o surgimento da OTAN,melhor continuar como estávamos.

  61. dom, 03/04/2011 - 22:17
    Adriano

    Os americanos tem total poder no PIG. Mas o que mais impressiona é que o Brasil nem é, ainda, um dos países mais influentes do mundo. Imagina a influência dos americanos na Europa.
    Também não confio no Patriota, mas no Irã é igual aos EUA, ninguém pode confiar.

  62. dom, 03/04/2011 - 22:12
    O_Brasileiro

    O feitiço pode virar contra o feiticeiro…
    O maior violador de direitos humanos do Oriente Médio, um estado teocrático não assumido, pode, no futuro, vir a ser a "bola da vez"!
    O grande dilema da humanidade é que os problemas se repetem, por isso acho que está nos genes dos seres humanos, que demoram milênios para evoluir quase nada…

  63. dom, 03/04/2011 - 22:12
    José Medeiros

    Esta, sim, é que uma VERGONHA, seu Casoy. Traição à pátria do repugnante PIG, inimigo maior do nosso povo e de nossa nação soberana . Por Deus, que venha a Ley de Medios e que se casse o direito das pústulas que se auto-intitulam de jornalistas, colonistas isto sim, encastelados na malcheirosa Veja (antro de espionagem estrangeira), Globo, Estadão e Folha, de venderem impunemente a pátria ao diabo, por 30 dinheiros, aliando-se à escória moral que representa o império em decadência. Está na alma do nosso povo(não das zelites) acolher os outros povos (judeus, muçulmanos, africanos com os seus cultos e tradições) e respeitar e tolerar religiões. Parem de tentar impor via PIG este "American Way of Life", uma insanidade, a ponto de insuflarem evangélicos e judeus a demonizarem e odiarem as outras crenças. Um absurdo.

  64. dom, 03/04/2011 - 22:03
    Walter Decker

    Lembram do post " Entenda o que leva a Casa Branca a ser a última a saber das coisas " ?
    Pelo jeito os espanhóis não ficam atrás:

    Do El Pais

    La policía de Brasil tiene pruebas de que Al Qaeda actúa en el país

    La policía de Brasil tiene pruebas de que la organización terrorista islámica Al Qaeda, Hezbollah, Hamás y otros dos grupos extremistas han actuado y lo siguen haciendo en el país. Los explosivos documentos de la policía han sido revelados por LA REVISTA VEJA.La revista se ha servido también para su exclusiva de documentos de la CIA y del FBI… Según REINALDO ECEVEDO, "los terroristas se aprovechan de las brechas que dejan las leyes brasileñas para instalarse en el país" y recuerda que la Constitución brasileña considera al terrorismo como crimen que no prescribe…

    Bom, o povo brasileiro está bem adiantado em relação a imprensa espanhola. A maioria aqui já não acredita na Veja. Será que a imprensa de lá é tão tapada assim ???

    • seg, 04/04/2011 - 0:32
      beattrice

      Refere-se à imprensa espanhola como um todo ou ao EL PAIS? Este é do mesmo naipe da VEJA.

    • seg, 04/04/2011 - 9:00
      Odair Novato

      Tudo isto feito pela "Oia" tem um só intuíto: Arrumar uma grana com o gringos, pois pelo que está se vendo esta revisteca está nos extertores da sua agonia e não demora a falir. Os empréstimos já estão vencidos e eles estão trocando os "papagaios" há muito tempo. E Olha que não é pouco que eles estão devendo e pagar de j"eito maneira." A fonte secou (FHC e ACM)

  65. dom, 03/04/2011 - 21:48
    Marcos

    Não sou ingênuo, sei que "o difamar religiões" para os USA está endereçado a religião mulçumana.
    Só que acho justo o direito de difamar TODAS as religiões.
    Acho que o Ocidente também está certo em se preocupar com o avanço dos valores Islamicos. Pelo menos para 50% da população mulçumana (as mulheres) a idade da pedra ainda não passou.
    A liberdade sexual das mulheres é de longe o maior indicador de civilidade de uma sociedade.

    • Olá, Marcos. Cuidado para não cair na lavagem e enxaguagem cerebral do PIG (Partido da Imprensa Golpista).

      Por exemplo, você sabia que no Irã o número de mulheres cursando ensino superior é maior que o dos homens?

      O meio-oeste dos EUA é um lugar pior para uma mulher viver do que muitos países do Oriente Médio.

      • dom, 03/04/2011 - 23:23
        Marcos

        Meu caro ,não é essa a questão. Sei muito bem que liberdades individuais passam longe da Reapolitik.
        E desculpe a franqueza, mas não dá para comparar a liberdade das mulheres americanas com as mulheres iranianas.
        Tenho sérias dúvidas a respeito da sua afirmação sobreo meio -oeste dos EUA.
        Dá para perceber que sou Ateu. Não nutro qualquer simpatia por religião alguma. E acho sinceramente que
        o mundo ocidental corre perigo se der "mole" para religiões fundamentalistas.
        Religião para mim é sinônimo de trevas.

      • Olha, Marcos, tampouco eu estou defendendo o islamismo. Também não gosto de religiões, nenhuma delas.

        Mas a verdade é a seguinte:
        "Difamar religiões" >>TECLA SAP>> "Combater inimigos políticos dos EUA"

        Numa pequena cidade dos EUA um amigo meu viu, espalhadas por toda a área da cidade, placas colocadas pelo Xerife local, com os seguintes dizeres: "Se você é negro e está na rua após as 9:00 da noite, não nos responsabilizamos pela sua segurança". E eles querem dar lição de moral ao Irã?

        Então, se vamos impor sanções ao Irã, também temos que propor sanções aos EUA. E também à China, que executa opositores ao regime com um tiro na nuca e depois envia pelo correio a fatura da bala à família do executado.

        Não se trata de defender o governo do Irã, muito menos o islamismo. Trata-se de defender o direito do povo do Irã decidir os destinos do Irã, sem ingerência do imperialismo estadunidense.

      • seg, 04/04/2011 - 9:46
        Mário SF Alves

        Roberto,
        É claro que os EUA prefirem o retorno de um xazinho qualquer decidindo os destinos do povo de lá. Afinal, a matriz energética fóssil-dependente continua a mesma e, ainda que a tecnologia de obtenção do hidrogênio estivesse totalmente pronta, esta não poderia ser amplamente usada sob pena de fazer ruir toda a ideologia e a lógica do capitalismo mundial. De mais a mais essa política aí de direito à "difamação de religião" (leia-se: aplicável somente ao islamismo), não passa de pura demagogia e/ou simples estratégia de dominação; mesmo porque se assim o desejassem todo o PIG do mundo estaria a postos para blindar o Ocidente contra qualquer religião que fosse. Portanto, medo de expansão do Islã não faz nenhum sentido.

    • dom, 03/04/2011 - 23:58
      Nanny Pérez

      Ah, pensei que fosse a formação acadêmica, igualdade de condições de trabalho, dentre outras conquistas das mulheres, os indicadores de civilidade de uma sociedade. Afinal se fosse pela liberdade sexual nosso país seria um dos mais "civilizados". Rsrsrsrs

  66. dom, 03/04/2011 - 21:34
    assalariado.

    O poder de fogo do império do capital,capitaneado pelos EUA,vai além de um simples voto no CS da ONU. Vai chegar o dia que estes aventureiros capitalistas vão querer nossas almas em troca do purgatório.Ou seja,é a troca de um voto no assento da ONU,em troca de um lugar de purificação das almas dos brasileiros, antes de admitidos na bem aventurança imperialista,de fazer guerras e tudo o que tiver direito para manter o planeta sobre o seu controle politico e economico e,se não dar certo, tome bombas.Esta é a senha da salvação e da amizade que as elites internacionais nos oferecem.Por favor,sem esta de pensar colonizado… Sr.Patriota.

  67. dom, 03/04/2011 - 20:56
    Julio Cesar

    Esclarecedor o PS do Viomundo! Mas precisamos, de uma vez por todas, quem são os jornalistas de aluguel, pega papéis reveladores sobre esses jornalistas!

    • dom, 03/04/2011 - 22:32
      Ronaldo

      Atenção ao trecho: "sucesso em implantar entrevistas encomendadas a jornalistas".

      Acorda brasileiro! Pelo amor de Deus deixe de ser controlado pelo PIG.

    • seg, 04/04/2011 - 0:30
      beattrice

      Tão relevante quanto é esclarecer a participação especial do senhor embaixador Tony patriota.

  68. dom, 03/04/2011 - 20:55
    Magda Lena

    "O Brasil não tem simpatia por autocratas e nenhuma afinidade com o Irã".
    Adivinha quem falou isso? http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/n

    Portanto, dá um "delete" aí no cérebro bloguiado e achem um novo herói tabajara.

    • seg, 04/04/2011 - 9:56
      Mário SF Alves

      Magna,
      Por gentileza, amplie um pouco mais essa sua percepção. Afinal, você está querendo dizer o quê?
      1) Que o governo está rifado e que, à FHC, aderiu de vez ao Consenso de Washington?
      2) Que o Garcião pirou na batatinha?
      3) Que o Patriota é aquele que reza na cartilha na cartilha da reeleição do Obama?

  69. dom, 03/04/2011 - 20:46
    Ismar Curi

    Impressionante, mas, não pela novidade, nós já a tinhamos em conta sempre, o fato que impressiona é como a realidade estava tão perto do que é considerado como mera suposição, teoria conspiratória, nem estou a me referir ao fato em si da difamação, que já é um absurdo, mas, a afirmação com grande desfaçatez de como o império poderia plantar notícias em suas agências.

  70. dom, 03/04/2011 - 20:40
    Lucas C. Vaz Costa

    O interessante é que a Veja sempre figura como interlocutora dos EUA junto à população brasileira.

    Por isso que tal folhetim repugnante não tem autorização para dar o ar de sua desgraça em minha residência.

    A minha casa é de família, afinal de contas.

    Ou, aproveitando a deixa de Paulo Henrique Amorim, lugar de detrito é no esgoto! Por isso aqui não entra revista Veja.

    Aqui é um lar limpo.

  71. dom, 03/04/2011 - 20:40
    Pedro Francisco

    Para que uma cadeira no Conselho de Segurança, considerando o atual modelo da ONU, que nada mais é do que um defensor dos interesses dos EUA e aliados??

  72. dom, 03/04/2011 - 20:37
    Pedro Francisco

    Resumo: Nada que seja conveniente para o império é crime. Enfim, são sujos até a alma e mais alguma coisa. Faltam adjetivos para DESqualificar esses caras dos EUA.

  73. dom, 03/04/2011 - 20:11
    Eu hoje não tô bom!

    Esse telegrama É PROVA de um escândalo absolutamente sem limites! Será que um diplomata que receba esse tipo de pressão a favor de causa IMUNDÍSSIMA como essa, de praticamente LEGALIZAR a difamação de religiões, não tem a obrigação de chamar a polícia, a imprensa, e denunciar a pressão que o país está sofrendo? Se um embaixador dos EUA pressionar embaixador brasileiro para que vote a favor de distribuição de cocaína para adolescentes, não vai preso? É a mesma coisa.

    Os EUA trabalham aí, de fato, para tentar LEGITIMAR o incêndio e a destruição de mesquitas e a difamação de religiões muçulmanas. Pode ser que, lá, a prática seja ensinada desde o jardim de infância. Aqui, não., violão. Fora EUA!

  74. dom, 03/04/2011 - 19:29
    giovani montagner

    repugnante, não existe melhor definição.
    o brasil tem o dever de não se abster, sim votar contra e de maneira veemente. a abstenção passa a impressão de "em cima do muro", expressa no telegrama.
    também começam a aparecer os motivos para a mudança de postura brasileira, seu alinhamento junto aos estadunidenses nas discussões sobre direitos humano, tendo como ator principal o seu patriota (do brasil e dos eua?). precisamos cobrar mais enfaticamente as posições do ministério das relações exteriores.
    novamente, volta amorim!

    • seg, 04/04/2011 - 0:28
      beattrice

      Volta Amorim enquanto é tempo.
      Porque na velocidade em que este governo deteriora os avanços do governo LULA, podemos chegar às portas da "realidade FHC".

  75. dom, 03/04/2011 - 19:24
    FrancoAtirador

    .
    .
    APARTHEID'S TEA PARTY, A NOVA FACE DO DESTINO MANIFESTO

    http://www.historianet.com.br/conteudo/default.as

    http://www.meuartigo.brasilescola.com/historia-ge

  76. dom, 03/04/2011 - 18:51
    Uélintom

    Difamar religiões não é crime.
    Discriminar a homossexualidade não é crime.

    São as liberdades e os direitos individuais e coletivos que estão se ampliando e incomodando as religiões, ou são as religiões que estão voltando ao poder nos Estados e atacando as liberdades e os direitos individuais e coletivos?

    • dom, 03/04/2011 - 21:07
      assalariado.

      Uélintom,desde as eleições passadas,tenho pensado sobre isto que vc escreveu.Qual é o caldo cultural que as religiões –(se não forem todas,a maioria criadas pelas classes dominantes através dos tempos, para justificar o sofrimento alheio,em beneficio destes mesmos)–,deixam dentro dos cerebros das pessoas? Converso sobre isto em meu trabalho e, há quem diga que as religiões,no geral,são das maiores mentiras já inventadas pela classe dominante para acomodar o povo no sofrimento,e na condição de explorado,com objetivo de poder controla-los,colocando seu imaginário no além,e este sofrendo no aquém.

      OBS: Discriminar homossexual É CRIME,além de ser preconceituoso.

      • ter, 05/04/2011 - 9:58
        Uélintom

        ÊÊÊÊ turminha, é lógico que discriminações contra homossualidade e religião são crimes!

        Prestem atenção ao texto! A não ser que todos os votos negativos que recebi tenham sido votos favoráveis à discriminação, há muita gente levando bomba em interpretação de texto!

        Sim, talvez a colocação de aspas nas duas primeiras frases ajudasse, mas não são necessárias dado o contexto de todo o comentário. Ou será que é preciso também fazer "dois pontos, parágrafo, travessão", como no ensino fundamental, para entender as diferentes vozes do texto?

  77. dom, 03/04/2011 - 18:29
    Silvio I

    Um lugar no Conselho de Segurança da ONU, neste momento me parece que não e interessante para o Brasil. A ONU teria que mudar totalmente atualizar se porque ela já e uma organização velha. Ela foi formada por os países que ganharão a guerra e ainda seu Conselho de Segurança e o mesmo.Ela está a serviço de esses países.

  78. dom, 03/04/2011 - 18:27
    Fabio_Passos

    É o escancarado jogo yankee de demonização dos muçulmanos.
    Ao que parece, com o recente voto contra o Irã, o Brasil aceitou o pacto sujo.

    • seg, 04/04/2011 - 11:14
      Mário SF Alves

      O Mahmoud Ahmadinejad atacou a alma, a essência do sionismo e ó, resultou nisso! É tipo ressaca de whisky vagaba; vem aos poucos, mas quando chega é para detonar.

  79. dom, 03/04/2011 - 18:26
    alex

    Acho esse o vazamento mais monstruoso e mais revelador do que,na verdade, todos sabem. A casa caiu. inclusive pro PIG. Principalmente o tripé folha-globo-veja. O estadão ficou com ciuminho.

  80. dom, 03/04/2011 - 18:20
    Carmem Leporace

    MORTE AO PIGUE.

    • seg, 04/04/2011 - 9:49
      Carmem Leporace

      Ô gente, nem assim eu recebo um dedinho pra cima????

      Peromor de Deus progressistas…. dedinho pra cima vai….

      • seg, 04/04/2011 - 11:28
        Mário SF Alves

        Carmem, quanta insensibilidade, não? Dezesseis horas se passaram e nada de dedinho pra cima. Você tem razão. Sinta-se triste, muito triste. Dolorosa e irremediavelmente triste.

  81. dom, 03/04/2011 - 18:17
    Julio Silveira

    Não sei por que, mas tenho a sensação que com este novo governo eles lograrão exito.

  82. dom, 03/04/2011 - 17:58
    FrancoAtirador

    .
    .
    O Marat tem razão:

    !!! É O IV REICH !!!
    .
    .

    • dom, 03/04/2011 - 18:24
      alex

      só falta o bigodinho.

    • seg, 04/04/2011 - 8:05
      Marat

      É, Franco atirador, cabe a todos nós fazermos nossa parte. Boicote a produtos estadunidenses e trabalho de formiguinha, de mostrar a todos os incautos o que aquele país representa ao mundo: Guerra, destruição, fome e miséria!

      • seg, 04/04/2011 - 10:04
        Mário SF Alves

        Que tal começarmos a jogar no lixo nossos cartões de crédito? Mesmo porque, três coisas podem detonar "nossas" vidas: contar com ovo na oveira da galinha; dívidas com foras-da-lei e os malfadados cartões de crédito.

      • seg, 04/04/2011 - 11:35
        Marat

        É uma boa idéia, Mário.
        Eu já deixo de comprar muitos e muitos produtos estadunidenses, e evito consumir em lanchonetes daquele país. Também não compro jornais nem revistas produzidos por eles.
        O cartão de crédito poderá entrar na minha lista de proibidos. Valeu!

      • seg, 04/04/2011 - 16:22
        Julia

        Eu, além de não ler estes detritos, tenho o prazer, em qualquer banca de revista, livraria, que vou, virar a capa da Óia, que geralmente está ali exposta no caixa. Virem a Óia!!!

        É "bobinho", mas é um prezer imenso!

      • seg, 04/04/2011 - 23:02
        Marat

        É isso ai, Júlia, eu já digo ao jornaleiro e aos circunstantes que aquilo ali é um lixo e é contra os interesses nacionais…

      • ter, 05/04/2011 - 10:57
        Mário SF Alves

        Tudo isso, sem dizer que afeta a mortal e os bons costumes.

  83. dom, 03/04/2011 - 17:48
    Seger

    Como diz o PHA: A loucura do Serra tem lógica. A lógica dos EUA.

    Quem foi que colocou a religião da pior forma possível nas eleições do ano passado? Quem foi que advogou um Brasil contra o Irã baseado em preconceitos? Sem falar em Chevron e o pré-sal, que ele já havia prometido entregar aos brothers.

    Não há dúvidas, o Padim Pade Cerra é um infiltrado estadunidense em nosso país. Deve estar até hoje pagando o diploma que recebeu dos yankees, mesmo sem ter curso superior.

    • dom, 03/04/2011 - 18:44
      FrancoAtirador

      .
      .
      O Serra foi e continua sendo só um testa-de-ferro.

      Até 2014, virão outros testas-de-ferro dos EUA.

      JÁ OS INTERESSES ESTRANGEIROS ESCUSOS,

      POR TRÁS DOS CANDIDATOS DA DIREITA E DA MÍDIA,

      ESSES SÃO CONSTANTES E PERMANENTES.

      E É COM ELES QUE DEVEMOS NOS PREOCUPAR.
      .
      .

      • dom, 03/04/2011 - 19:38
        BrasilSat 2011

        Pra quê?
        Já estão com a Dylma, Tony's e John's que precisavam.
        Bem-vindos de volta à órbita.

      • seg, 04/04/2011 - 11:00
        Mário SF Alves

        BSat,
        Desculpe. Sinto contradizer, porém, parece que você ligou suas antenas óntem. Senão isso, faltou uma indispensável consulta a sua série histórica?

    • dom, 03/04/2011 - 22:24
      JotaCe

      Desculpa, Seger, mas não vejo porque atacar cerra, até porque ele é muito religioso. Ele, de fato, não colocou mal a religião nas eleições. Pois nelas chegou até a contar com o apoio denodado não só do papa, mas do arcebispo de Guarulho que se fizeeram presentes pra ajudá-lo. Seus meritos religiosos são tantos que chega a ser reconhecido mesmo por você como o Padim Pade cerra…Não vamos culpar também os Estados Unidos ou a Chevron pela sujeira. Ela é nossa! Abraços,

      JotaCe

      • seg, 04/04/2011 - 10:11
        Mário SF Alves

        A sujeira é nossa? Nossa?!! Nossa de quem cara pálida? Ê, JotaCe, com todo o respeito, mas generalizastes demais, meu caro. Há que se reconsiderar este seu "nossa", a menos que nos imaginemos ou que sejamos todos um bando de cretinos.

      • seg, 04/04/2011 - 19:43
        JotaCe

        Carro Mário,

        Obrigado pelas suas considerações. Desculpem-me você e os outros que leram o meu texto. Mas sou humano e não dá pra entender a que ponto chegou o governo da Dilma, que se desonra até aos olhos daqueles perante os quais faz a nação se acocorar. Usar o nome do país para difamar religiões e provocar guerras de conquista com elas em benefício de outros países, é algo que suja, enlameia. Se você ler meu texto com mais vagar, verá que ele contém uma profunda ironia ao caráter pessoal e à política que o cerra representa. Finalmente, quis dizer que o ato da Dilma sujou a todos os brasileiros, especialmente os que votaram nela e se dedicaram a propagar as mentirosas promessas que fez.Um abraço,

        JotaCe

      • ter, 05/04/2011 - 11:01
        Mário SF Alves

        Valeu JotaCe. Não tem porque se desculpar; mesmo assim, obrigado. E quanto à ironia eu a tinha percebido desde o início, só que, pensei, se for apenas isso, a dose foi letal, extrapolou o campo.

  84. dom, 03/04/2011 - 17:41
    André

    Como assim?!?
    "Grandes veículos de imprensa, como O Estado de S. Paulo e O Globo, além da revista Veja, podem dedicar-se a informar sobre os riscos que podem advir de punir-se quem difame religiões, sobretudo entre a elite do país.
    Essa embaixada tem obtido significativo sucesso em implantar entrevistas encomendadas a jornalistas, com altos funcionários do governo dos EUA e intelectuais respeitados."

    • dom, 03/04/2011 - 18:21
      Maria Helena

      É isso mesmo, André. Não era mania persecutória nossa, é estratégia do Departamento de Estado americano. De quebra, comunidades religiosas mais tradicionais. SOCOOOORROOOOO!

      • seg, 04/04/2011 - 7:10
        ana db

        A Historia não gena. Vide as CRUZADAS.

      • seg, 04/04/2011 - 7:10
        ana db

        nega

      • qui, 07/04/2011 - 19:07
        Mário SF Alves

        Ana, vi ontem um documentário sobre as Cruzadas, divulgado sob a chancela do History Channel. Sensacional!
        Á época, 1.088 DC (ou quase isso) quem mandava, quem definia, quem articulava tudo eram os papas. Eles eram os "políticos" por excelência. Neste episódio quem entrou para a história foi o Urbano II.

    • dom, 03/04/2011 - 19:33
      Maria Rita

      Pois é, fiquei com náuseas justamente nesse trecho…

    • dom, 03/04/2011 - 19:33
      lgonzales

      É isso mesmo que você leu. Uma prova documental de que o PIG é um PIG.

      • seg, 04/04/2011 - 0:36
        Cristiana Castro

        E se isso não é motivo masi que suficiente para essa organização criminosa, chamada Rede Globo, perder a concessão, eu não vislmbro mais nenhum. O nome disso é traição a pátria e em nenhum país do mundo isso é perdoado. O governo deveria vir a público explicar pq aceita o comando estadunidense, via organização mercenária. Isso é um afronta.

      • seg, 04/04/2011 - 10:15
        Mário SF Alves

        Não nos esqueçamos, Cristiana, que o nome do país onde impera a redePIG Globo é Brasil. E isso, pelo menos por enquanto, faz toda a diferença.

    • dom, 03/04/2011 - 19:35
      Leider_Lincoln

      Ah, os traidores. É tão bom vê-los desmascarados, ver para quem realmente trabalham…

      • seg, 04/04/2011 - 9:25
        Odair Novato

        Só que você esqueceu de citar um elemento que não deve faltar nos meios destes dois traidores : O Padin pade Çerra (UM VERDADEIRO JUDAS)

Comentar