VIOMUNDO

No Senado, Fátima Bezerra diz que Veja “tem obsessão em destruir o PT” e que a mídia promove o ódio

03 de março de 2015 às 21h34

03 de março de 2015

Fátima analisa papel da mídia na política brasileira

do Facebook da senadora

A senadora Fátima Bezerra (PT) fez, nesta terça-feira (3/03), no plenário do Senado, um discurso reflexivo sobre o papel da mídia e do Congresso nacional na democracia brasileira.

Segundo a Fátima, o Brasil está passando pelo ápice de um processo de desvirtuamento da política promovido pela mídia hegemônica deste país desde o primeiro mandato do ex-presidente Lula.

“A mídia oposicionista e os políticos que a representam, uma vez que são por ela orientados, estão mais interessados em seguir pura e simplesmente a lógica e o interesse do mercado do que em defender o interesse nacional, que é o interesse do povo brasileiro. A mídia se porta como o maior e verdadeiro partido de oposição do Brasil. Ela quer ser protagonista do país, quer pautar a política e decidir os rumos da nação. Mais do que isso: quer ser orientadora da política e o que há de pior nisso é o fato de que alguns políticos simplesmente conduzem o que ela quer”, disse.

Fátima também fez uma defesa do papel da imprensa nacional.

“A imprensa livre é fundamental à democracia, a quem tem o dever de prestar o maior dos serviços que é bem informar, sem manipular a verdade. Da imprensa não esperamos que seja neutra, imparcial; basta que não imponha sua versão partidarizada com verdades pretensamente absolutas e pensamento único”, declarou.

Corrupção

Para Fátima, o que vemos hoje não é a defesa da ética na política e o sincero desejo de combate à corrupção, mas um discurso em que utiliza-se da moral para destruir o adversário, tratado como inimigo a ser eliminado da cena política.

“O que sido feito é um discurso falso, porque não passa de uma indignação seletiva, onde escândalos com o mensalão mineiro que se arrasta na justiça desde 1998 e até mais recentemente a “operação sinal Fechado”, denúncias que envolvem figuras políticas do  Rio Grande do Norte, são simplesmente tratados como fatos menores e até mesmo aceitáveis aos olhos desses falsos moralistas”, pronunciou.

“Não compactuamos com a corrupção. Devemos sim combatê-la, pois a corrupção na política não se reduz ao desvio do dinheiro público. A corrupção, como apropriação privada do dinheiro público, corrompe a própria ideia de política. Resgatar a dignidade da política passa necessariamente pelo combate à corrupção. Mas não podemos ser ingênuos em achar que todo o problema da política se resolve com o combate à corrupção econômica”, completou.

Fátima defendeu ainda o papel da democracia brasileira. “Nós, representantes do povo, não temos o direito de nos omitir neste momento. Nosso papel, como representantes, não é simplesmente o de defender os mandatos que exercemos, de defender nossos partidos, de defender um governo de uma presidenta eleita através de um processo eleitoral transparente e legítimo. Nem se trata de defender apenas a Petrobras, mas de defender, acima de tudo a democracia. Defender a democracia é defender a soberania popular. E defender a soberania popular é defender a própria política contra seu desvirtuamento”, finalizou.
 
Leia abaixo trechos do discurso da senadora (de escolha do Viomundo):

…O que estamos vendo atualmente é o ápice de um processo de desvirtuamento da política promovido pela mídia hegemônica deste país desde o primeiro mandato do ex-presidente Lula. Uma mídia que se porta como o maior e verdadeiro partido de oposição do Brasil. Uma mídia que quer ser protagonista do país, que quer pautar a política e decidir os rumos da nação. Mais do que isso: quer ser orientadora da política e o que há de pior nisso é o fato de que alguns políticos simplesmente conduzem o que ela quer.

Tomemos um exemplo concreto. Na semana passada o editorial do jornal O Globo desqualificou o manifesto em defesa da Petrobras, assinado por figuras da maior importância nas áreas da intelectualidade, artística, política, sindical, jurídica, enfim, um manifesto legítimo em defesa da maior empresa deste país e sobretudo da democracia.

Desqualificou igualmente o ato que iria acontecer no mesmo dia na sede da Associação Brasileira de Imprensa, no Rio de Janeiro. O escopo do editorial, na verdade, não passava de uma defesa da mudança do regime de partilha do Pré-sal para o regime de concessão para empresas estrangeiras.

Então, senhores senadores e senhoras senadoras, temos de um lado, brasileiros e brasileiras defendendo nosso maior patrimônio, que é a Petrobras, e de outro, um jornal do maior grupo de mídia do Brasil defendendo a entrega de nosso passaporte para o futuro, para empresas estrangeiras.

Não nos enganemos. O referido editorial do jornal da família Marinho deixa muito claro, para os mais atentos, que o interesse maior está longe de ser o efetivo combate à corrupção, de punir os corruptos e os corruptores, mas sim destruir a imagem da Petrobras, desmonta-la a fim de mudar o regime de partilha que vai garantir educação de qualidade, salários mais dignos aos professores e perspectiva de futuro às crianças e aos jovens deste país. A mídia oposicionista e os políticos que a representam, uma vez que são por ela orientados, estão mais interessados em seguir pura e simplesmente a lógica e o interesse do mercado do que em defender o interesse nacional, que é o interesse do povo brasileiro. Pior do que isso: defender interesses estrangeiros em detrimento do povo brasileiro.

[…]

O que vemos hoje não é a defesa da ética na política e o sincero desejo de combate à corrupção, mas um discurso em que utiliza-se da moral para destruir o adversário, tratado como inimigo a ser eliminado da cena política. Um discurso falso, porque não passa de uma indignação seletiva, onde escândalos com o mensalão mineiro que se arrasta na justiça desde 1998 e até mais recentemente a “operação sinal Fechado”, denúncias que envolvem figuras políticas do meu Estado, são simplesmente tratados como fatos menores e até mesmo aceitáveis aos olhos desses falsos moralistas. Assim agem alguns colunistas e órgãos da mídia oposicionista e seus aliados políticos.

Captura de Tela 2015-03-03 às 21.32.54

Quem não se lembra da capa de certa revista que tem obsessão em destruir o PT, na qual figurava o ex-senador Demóstenes Torres como um dos “mosqueteiros da ética”?

Certos colunistas não têm sequer a honestidade intelectual de admitir que a corrupção, por se dar nos subterrâneos da política, só aparece quando investigada.

Ao contrário de governos em que se engavetava os processos de corrupção, fazendo com que o povo acreditasse que desvios do dinheiro público não existiam, e se existiam não eram significativos, nunca a corrupção esteve tão em evidência como a partir dos governos Lula e Dilma, exatamente porque nunca se investigou tanto neste país. Porém, o que a mídia oposicionista trata do tema da corrupção como se esta tivesse sido inaugurada no país a partir dos governos do PT.

A imprensa livre é fundamental à democracia, a quem tem o dever de prestar o maior dos serviços que é bem informar, sem manipular a verdade. Da imprensa não esperamos que seja neutra, imparcial; basta que não imponha sua versão partidarizada com verdades pretensamente absolutas e pensamento único. É neste sentido que falei no início do meu discurso que o que estamos vendo atualmente é o ápice de um processo de desvirtuamento da política.

Desvirtuar a política é desmerecê-la, trata-la como atividade sob eterna suspeita. Isso não significa que a política não deva estar sob o julgamento e escrutínio dos cidadãos e que a classe política não tenha que prestar conta dos seus atos. Isso é respeitar a cidadania, que nos investiu do poder de representa-la. Quando somos eleitos pelo voto para representar o poder do povo não recebemos um cheque em branco, mas a autorização para agir em seu nome.

O que quero dizer quando afirmo que a chamada grande mídia no Brasil de hoje trata da política como atividade sob suspeita é no sentido de que essa mídia, ao invés de denunciar o que ocorre de errado, ou mesmo de ilícito, desempenhando seu papel de informar e formar uma opinião pública qualificada, simplesmente deforma mentes e corações, promovendo o ódio e uma profunda divisão numa sociedade que já é hierarquizada e carece de laços sociais, necessários para o apoio a políticas de estado e de governo voltadas para a redução da desigualdade e promoção de oportunidades para todos os brasileiros, principalmente os mais pobres.

O que desejam os que hoje fazem o discurso contra a corrupção praticada por funcionários da Petrobras? Usar esse fato evidente e que está sendo devidamente investigado, como pretexto para defender a mudança do sistema de partilha para o sistema de concessões, bem como desgastar a imagem da presidenta Dilma a ponto de tentar criar condições sociais para um pedido de impeachment. Ora, senhores, sabemos que o impeachment é um julgamento político, não jurídico. Todavia, há que ter base jurídica para tanto. E esta, como sabemos, não existe.

Íntegra aqui.

Leia também:

Sob investigação, Eduardo Cunha continuará o queridinho da mídia?

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR
28 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

claudecir

05/03/2015 - 07h48

voces viram a cara do coronel agripino maia mas sujo doque pau de galinheiro

Responder

FrancoAtirador

04/03/2015 - 15h51

.
.
Bateu o Desespero na Mídia-EmpreZa “Bitch”, Sabuja Norte-Americana.
.
.
EUA são Vulneráveis a Sistema Financeiro Alternativo da Rússia e China
.
(http://br.sputniknews.com//mundo/20150304/331951.html#ixzz3TRa6csqV)
.
.
Governo Russo diz que assassinato de adversário foi politicamente motivado
Foi uma provocação para alimentar a campanha de descrédito à Rússia
.
“Os extremistas [de Direita] ferem a sociedade com o veneno
do nacionalismo beligerante, a intolerância e a agressão.
O que isso pode provocar, vemos claramente no exemplo
da vizinha Ucrânia”, afirmou Putin, Presidente da Rússia.
.
Fonte: AFP
.
.

Responder

Vicente Jr.

04/03/2015 - 15h50

“Para Fátima, o que vemos hoje não é a defesa da ética na política e o sincero desejo de combate à corrupção, mas um discurso em que utiliza-se da moral para destruir o adversário, tratado como inimigo a ser eliminado da cena política.”

Impossível não lembrar do Bebum de Rosemary, em 2010, falando em “extirpar” o DEM da política…

Responder

abolicionista

04/03/2015 - 10h23

Um pouco tarde para reclamar, mas que seja. Será que o PT percebeu que pra nossa elite política ele sempre vai ter cheiro de pobre? Antes tarde do que nunca.

Responder

    FrancoAtirador

    04/03/2015 - 13h15

    .
    .
    Exatamente.
    .
    Na Monarquia, à Realeza e à Nobreza
    .
    o Maior Crime praticado pelos Petistas
    .
    foi haverem sido eleitos pela Plebe.
    .
    .
    Aliás, no Detrito Fétido da Marginal o Urinoldo Azevedo apontou
    que as primeiras medidas que a Presidente Dilma deveria adotar
    seriam ‘se livrar do PT, montar um ‘gabinete de crise’ [SIC]
    estabelecer prioridades [SIC] para a infraestrutura do país,
    submeter esses projetos a uma ‘comissão de notáveis’ [SIC]
    e tocar o que pode ser tocado [SIC].”
    .
    .

lulipe

04/03/2015 - 01h14

O que diria Freud a respeito dessa fixação dos petistas nas Organizações Globo??

Responder

    Nelson

    04/03/2015 - 11h14

    E eu replico com uma pergunta.

    O que diriam Freud, Jung e outros psicanalistas de ponta sobre a mente de um certo comentarista que insiste em desvirtuar a mensagem dos Três Macacos Sábios?

    Os macacos invocam a necessidade de fecharmos os olhos, os ouvidos e a boca a todo o mal.

    Nosso comentarista usa tal mensagem para se fechar a qualquer argumento que não caiba em sua mente, que ficou restrita aos dotes do papagaio: ele só repete, repete e repete, como sendo a verdade absoluta, o que o monumental aparato de propaganda do sistema diz.

    Wladimir

    04/03/2015 - 14h38

    Bem se você não é capaz de responder a essa pergunta é porque a Globo conseguiu atingir seu objetivo, ou seja, a alienação incondicional de quem a segue.

    abolicionista

    05/03/2015 - 16h59

    Será que é porque os Marinho, donos das organizações Globo, possuem a maior fortuna do Brasil? Será porque a TV Globo, concessão fornecida por um acordo de gaveta da ditadura militar, fazer campanha diária contra o PT? Será?

    Não… provavelmente deva ser algo psicológico.

    (Enquanto isso, Freud se revira na cova…)

Charles Neto

04/03/2015 - 00h55

“A universidade do jovem teve como única preocupação avisar a imprensa que “proíbe o trote e não é permitido o consumo de bebida alcoólica no campus”. Nunca houve um debate sobre o tema nos quatro anos em que frequento o local de ensino.” Debate? local de ensino ( especialmente a universidade, onde o indivíduo já chega adulto ) destina-se á educação formal. Limites e debates a respeito do que pode ou não pode tem que ser feitos em casa, pelos pais e na escola de primeiro e no máximo no segundo grau. Querer que as universidades sirvam de babá a marmanjos é que não dá. Ao proibir o consumo de bebida alcoólica nas áreas de destinadas a ensino, a universidade já está cumprindo seu papel. Morre muito mais gente por overdose de cocaína do que por overdose de álcool , mas naquela não dá pra ficar culpando o fabricante ou a propaganda, né ? Os esquerdistas sempre com essa mania de culpar terceiros, a sociedade ( a nossa, não a deles ) e as elites pelos infortúnios provocados pela infeliz irresponsabilidade das próprias vítimas. Foi uma infeliz fatalidade, mas não se pode atribuir culpa para além da estupidez dos organizadores da tal disputa e dos participantes, pessoas instruídas, com acesso a uma enorme gama de informações e com capacidade de discernimento!

Responder

irineu Almeida Baptista

03/03/2015 - 23h18

Hoje eu não consigo mais separar o que é lixo, o que é imprensa e o que é politico. Se tornaram todos iguais, na forma e no caráter.

Responder

    Nelson

    04/03/2015 - 11h26

    Permita-me discordar, meu caro Baptista.

    Com a tua afirmação, você está caindo justamente naquilo que a propaganda da mídia deseja: que todos passem a acreditar que a política e os políticos são todos podres.

    Num estágio desses, cada um iria olhar só para seu umbigo, cuidar de resolver sua vidinha e mandar uma “banana” para o restante.

    É nesse ponto que o Sistema de Poder que domina os Estados Unidos e grande parte do planeta e tem anseios de dominá-lo por completo quer que cheguemos.

    Como dizia o filósofo espanhol, Georges Santayana, “aqueles que não gostam de política acabam sendo governados pelos que dela gostam”.

    É isso que o sistema de poder que citei quer. As decisões, políticas, que impactam a vida e todos, têm que ficar restritas a poucos; esses poucos deverão pertencer às classes dominantes, obviamente, para que o sistema assim permaneça ad eternum.

    FrancoAtirador

    04/03/2015 - 13h21

    .
    .
    Cabe um antigo mote do Brecht
    sobre o Analfabeto Político:
    .
    “O analfabeto político é tão burro
    que se orgulha e estufa o peito
    dizendo que odeia a política.
    Não sabe o imbecil que, da sua ignorância política,
    nasce a prostituta, o menor abandonado,
    e o pior de todos os bandidos,
    que é o político vigarista, pilantra, corrupto
    e lacaio das empresas nacionais e multinacionais.”
    .
    (http://pensador.uol.com.br/autor/bertolt_brecht)
    .
    .

Apolônio

03/03/2015 - 23h09

Acho que os internautas, deveriam espalhar este vídeo no face e outras mídias sociais. O povo tem saber a verdade.

Responder

Leo

03/03/2015 - 22h58

Com relação à Globo, reservo-me o direito de não comentar, pois minha família não mais assiste ao lixo oferecido pela emissora.

Quanto à obsessão da Veja por destruir o PT, acredito que não podemos ser parciais, já que o partido já tentou literalmente destruir o estabelecimento da revista. Logo, a congressista não tem a mínima moral para falar sobre o assunto, apesar de eu achar algumas reportagens do periódico um tanto quanto tendenciosas.

E quanto a dizer que a mídia promove o ódio, também não podemos ser parciais, pois a segregação que hoje vemos no Brasil foi promovida justamente pelo PT. Todas as vezes que o Lula fala sobre um grupo chamado “eles” ou se refere a uma outra classe, a dos “olhos azuis”, por exemplo, ele está promovendo a discórdia e a balbúrdia, prática que já lhe é característica desde os tempos de sindicalista.

Notamos, portanto, que esse discurso da congressista é o sinal do desespero e do descontrole.

Responder

    Fabio

    03/03/2015 - 23h50

    Na boa, colega. Quem espalha o discurso do ódio e da segregação nunca foi o Lula ou o PT. Alias, desde o começo, o slogan do PT e do Lula era, “um país de todos”. E Lula governou para todos. Quem começou com esse discurso jamais foi o Lula ou o PT. Discórdia e balburdia promovida por Lula e o PT? Foi exatamente o contrário. Ou você não acompanhou o inicio do governo do Lula ou precisa rever seus conceitos. E se você se sente incomodado com essas metáforas sobre a “elite branca” é porque não sabe realmente pra quem elas são direcionadas. E, apesar de afirmar que não assiste a Globo, precisa abandonar de vez a Veja (“um tanto quanto tendenciosas” foi ótima).

    Gilmar Antunes

    04/03/2015 - 08h09

    Ao que parece, vc anda confiando muito na Veja, o “detrito sólido de maré baixa”, como costuma afirma o PHA (Paulo Henrique Amorim). O PT, ao contrário do que vc afirma, não quis dividir o Brasil. É o contrário. Como bem lembrou o Fabio, o lema do PT, desde o primeiro governo Lula foi “Brasil, um país de todos”. Logo, o que esse partido visa é unir o Brasil, não dividi-lo em bons maus, em ricos e pobres. Agora, quem faz tempestade em copo d’água, como tem feito a imprensa, que sempre participou de golpes contra a democracia, como fez em 1964, sobre os desvios de alguns diretores da Petrobras, omitindo as conquistas dessa empresa, como p.ex, os recordes de produção e refino que ela vem produzindo diariamente, é justamente a imprensa covarde que, não raro, com mentiras tumultua, desorienta, desinforma, e com certeza tem dividido o nosso país, açulando o ódio a um partido, pq esse partido não compartilha de suas ideias golpistas e entreguistas.

    Ricardo Edmundo

    04/03/2015 - 08h58

    SÓ UMA BESTA ENXERGA ALGUM CACIQUE POLÍTICO CONDENADO

    Na verdade, VERDADE VOS DIGO:- Todo esse aparato da “lava jato”, todo o imbróglio da mídia em cima dos vazamentos, tudo em tudo lembra a operação BANESTADO, que não deu em nada. Quem acha que o STF vai divulgar os nomes da “lista” vai sofrer uma baita decepção. Ademais, se algum tolinho petista achar que nomes do cacicado tucanalha estará na lista, “céus”, vai cair em prostração cívica. Essa operação “lava jato” é uma mistura de “propaganda eleitoral” e “calúnias” que se viu fracassada. A Dilma ganhou as eleições e frustrou o juiz em cima do moro, e seus delegados companheiros da misogenia demotucanalha. TUDO CAMINHA PARA UMA IMENSA PIZZA. Ou alguem, em sã consciência divisa Aécio Neves, Aloysio Nunes, José Serra, F GAGÁ CÊ, Renam Calheiros e Eduardo Cunha, entre os companheiros CONDENADOS do Agripino Maia? Só se for muito idiota sonhador democrata demente lunático. Toda a “operação eleitoral” lava jato vai dar em um mijo de gato, e o Yussef será “orientado” pelos próprios federais como agir no crime organizado novamente, para ser “delator” em 2.018.

    museusp batista neto

    04/03/2015 - 09h07

    Um problema característico da doença mental é que o paciente desse MAL não se percebe enfermo justamente porque a moléstia afeta o seu poder de percepção. A exposição prolongada às radiações letais (aos neuronios) dos meios de comunicação corruptos está produzindo cada vez com mais frequência o aparecimento desses casos que, conforme é característico, se manifestam com grande desenvoltura, embora absolutamente distantes da realidade factual. É triste ver esse MAL se alastrando.

    Nelson

    04/03/2015 - 11h42

    Meu caro Leo.

    Você já parou, em meio a tanta correria dessa vida que, dizem, moderna, em meio a tanto bombardeio midiático, para se dar conta de quantas vezes as palavras, supostamente incitadoras do ódio, do Lula, são repetidas aos brasileiros?

    Você já parou para se dar conta de que quem tem o poder de repetir uma suposta verdade, de forma exaustiva e insistente, dezenas de vezes em um dia, se for preciso, e se preciso for, durante dias, semanas, meses ou até anos a fio são os órgãos da mídia hegemônica?

    Você já parou para se dar conta de que o espaço que tal mídia concede à política, a gente do PT ou mesmo de outros partidos mais ligados às causas populares, é irrisório, quase inexistente?

    Você já parou para se dar conta de que, ao agir assim, a mídia hegemônica está burlando o cumprimento de suas obrigações constitucionais, de levar a informação, qualquer que seja ela, de forma isenta e imparcial, a todo o povo brasileiro, para que seja o povo a fazer um juízo sobre o que viu, leu ou ouviu?

    Portanto, não há como concordar com a tua afirmação de que “a segregação que hoje vemos no Brasil foi promovida justamente pelo PT”

    Bonobo, Severino de Oliveira

    04/03/2015 - 21h34

    A hegemonia do pensamento único presente na DITADURA imposta pelos controladores dos meios de comunicação, meios de comunicação, esses, CONCEDIDOS pelo Poder Público, com compromisso de servir ao interesse público, como reza a Constituição Federal, diga-se “em passant”, SUBVERTE os pressupostos da DEMOCRACIA!!! É um pressuposto da democracia que o povo tenha o direito de decidir sobre os destinos do seu pais e, para exercer esse direito, precisa conhecer as realidades que o cercam na sua totalidade e pluralidade. Nas atuais circunstancias, as realidades não chegam ao conhecimento das pessoas que recebem apenas as informações e VERSÕES filtradas e manipuladas a critério das preferencias ideológicas de poucas famílias que se apoderaram desses meios, de assalto, ao arrepio das previsões constitucionais. São esses senhores, sim, pregadores e multiplicadores de ódios e preconceitos no seio da sociedade brasileira lesada nos seus direitos ao acesso a informações plurais e confiáveis.

renato

03/03/2015 - 22h30

Ideia de Graziotin…aposentados terão um disque denuncia para o Governo.
Excelente…
Quantos aposentados oprimidos, poderão denunciar as falcatruas
de seus chefes e patrôes..

Responder

renato

03/03/2015 - 22h25

Favores e presentes cegam o sábio: são mordaça na boca, porque impedem a repreensão
Este acima é para a revista VEJA…
Prima irmâ, vassala da Globo..

Responder

Marat

03/03/2015 - 21h56

Os mosqueteiros da “ética” daquele lixo escrito estão todos chafurdando no atoleiro… Eles se merecem!

Responder

    FrancoAtirador

    04/03/2015 - 13h24

    .
    .
    Se banhando nas Águas do Aqueronte,
    .
    conhecido em SP como ‘Volume Morto’.
    .
    .

    Marat

    04/03/2015 - 23h02

    Caro Franco, neste volume (mais que) morto, nem Ulysses poria os pés!

Isaac Júnior

03/03/2015 - 21h43

Começar, ainda tardiamente, rodízio de parlamentares a usar as tribunas para denunciar aos órgãos externos o que a imprensa hegemônica tem feito no Brasil.

Responder

Deixe uma resposta