VIOMUNDO

Rogério Correia: “Se com a delação dos R$ 300 mil da UTC o doutor Janot não abrir inquérito contra o Aécio, o Ministério Público Federal pode fechar a porta”

04 de janeiro de 2016 às 22h50

Janot e Aécio

por Conceição Lemes

Na última quarta-feira de 2015, 30 de dezembro, o repórter Rubens Valente revelou na Folha de S. Paulo duas bombas:

*Em delação premiada homologada pelo Supremo Tribunal Federal, Carlos Alexandre de Souza Rocha afirmou que, no segundo semestre de 2013 (entre setembro e outubro) levou R$ 300 mil a um diretor da UTC Engenharia no Rio de Janeiro, que lhe disse que a soma iria para o senador Aécio Neves (PSDB-MG). O “Ceará”, como é conhecido, era entregador de dinheiro do doleiro Alberto Youssef.

* “Ceará” prestou depoimento em 1º de julho de 2015. Portanto, seis meses atrás.

“A cada dia surge uma nova evidencia do comprometimento do Aécio em esquemas de corrupção”, diz, de saída, em entrevista exclusiva ao Viomundo o deputado estadual Rogério Correia (PT-MG). “Aécio sempre foi patrocinado por grandes empresas, misturando frequentemente a sua vida privada com esses financiamentos.”

“Agora, o senador Aécio quer aparecer como arauto da ética e da moral no Brasil”, prossegue Correia. “Só que  ele não tem a menor condição de sê-lo”.

Rogério Correia tem se dedicado a desmascarar os malfeitos de Aécio Neves.  Após ler a reportagem de Rubens Valente, ele postou no seu twitter alguns dos escândalos denunciados.

Rogério, Aécio e Janot-001

Os valores são da época em que ocorreram os fatos.

A título de curiosidade, nós resgatamos as denúncias mencionadas no twitter do deputado petista.

Depois, atualizamos os valores, utilizando o índice oficial de inflação, o IPCA- IBGE, de novembro de 2015, já que o de dezembro ainda não foi divulgado.

Mensalão tucano – Diz respeito à eleição de 1998. A mídia geralmente omite que o então candidato a deputado federal Aécio estava na lista, como tendo recebido R$ 110 mil reais, e que o esquema extrapolou Minas, irrigando até a campanha de reeleição de Fernando Henrique à presidência (na íntegra, aqui).

aécio e mensalão

Eduardo Azeredo era candidato à reeleição pelo governo de Minas Gerais pelo PSDB. Perdeu para Itamar Franco, na época no PMDB. Há pouco, Azeredo foi condenado a 20 anos de prisão, mas vai recorrer. Tudo indica vai se safar.

Lista de Furnas – Foi o esquema de Furnas que sustentou a campanha eleitoral dos tucanos de 2002. “Aécio amealhou R$ 5,5 milhões apenas para ele. Nas provas, também tem o dinheiro que foi para José Serra e para Alckmin, relembra o deputado petista.

Em 25 de janeiro de 2012, a procuradora criminal Andréa Bayão Pereira, que atuava no Ministério Público do Rio de Janeiro, concluiu o seu trabalho  sobre a Lista de Furnas, comprovando a existência do esquema de caixa 2. Confira no final deste post a íntegra dos dois documentos muito importantes: o DOC Nº4, da Polícia Federal, autenticando a Lista de Furnas; o DOC Nº 5, com a conclusão da doutora Andréa Bayão.

Lava Jato – É a denúncia reportada por Rubens Valente. Segundo delação premiada, “Ceará”, a  mando do doleiro Alberto Youssef, entregou R$ 300 mil entre setembro e outubro de 2013 a um diretor da UTC, no Rio Janeiro. O diretor disse-lhe que o dinheiro era para o senador Aécio Neves.  Para efeitos do cálculo da correção monetária, usamos setembro de 2013.

Rádio Arco-ÍrisEm 17 de abril de 2011, Aécio foi parado pela polícia numa blitz de trânsito no Leblon, cidade do Rio de Janeiro. Convidado a fazer o teste do bafômetro, ele se recusou. A carteira de habilitação, vencida, foi apreendida. Levou duas multas.

O carro que dirigia pertencia à rádio Arco-Íris, localizada na Grande Belo Horizonte (MG), que é do senador e da irmã Andrea Neves.

Durante todo o período em que Aécio governou Minas (janeiro de 2003 a abril de 2010), Andrea comandou o Núcleo Gestor de Comunicação Social da Secretaria de Governo. Uma de suas funções era decidir sobre a alocação de recursos de toda a publicidade do Estado de Minas Gerais. No decorrer das gestões do irmão-governador, o seu núcleo aplicou, a título de publicidade, dinheiro de estatais mineiras e da administração direta estadual na rádio Arco-Íris e em outras empresas de comunicação dos Neves.

“A Andrea injetou milhões lá.  Nós não sabemos quantos exatamente, porque nunca deixaram investigar”, diz Correia. “O máximo que conseguimos apurar foi uma estimativa, em 2010, de R$ 1,4 milhão.”

Cláudio – Aécio fez dois aeroportos em Minas à custa de dinheiro público para beneficiar a família.O de Cláudio, da família da mãe, é o mais conhecido. É aquele que ficava fechado o tempo inteiro e o tio do Aécio guardava a chave para que outros não o utilizem. Mas tem também o de Montezuma na área da fazenda do pai (detalhes aqui e aqui) .

No twitter de 30 de dezembro, Rogério Correia listou apenas o de Cláudio.

Em post publicado em 21 de julho de 2014, Fernando Brito, no Tijolaço, escarafunchou a história e descobriu que o “aecioporto” de Cláudio custou tanto quanto um aeroporto comercial no Ceará:

O “aecioporto” construído no município de Cláudio, junto à fazenda de Aécio Neves, custou, como está publicado, R$ 13,4 milhões, isso na data da licitação, em dezembro de 2008.

Fora o “milhãozinho” que o titio de Aécio achou pouco pelo terreno, sem contar a valorização da área não desapropriada.

O valor, corrigido de janeiro de 2009  para maio de 2012, pelo IGP-M, equivale a R$ 17,9 milhões.

No Ceará, um aeroporto comercial – o de Aracati – voltado para o turismo, com uma capacidade para atender Boeings 737 em até 1200 vôos por ano (o de Cláudio, segundo a Folha, recebe um avião pequeno por semana) custou R$ 19 milhões em obras civis, em valor de 2013.

(…)

O custo total da obra, operada por parceria com a TAM, ficou em R$ 19 milhões, em valores de 2012.

DENÚNCIAS LISTADAS NO TWITTER DE DEPUTADO SOMAM R$ 34, 8 MILHÕES

No período em que ocorreram as denúncias listadas por Rogério Correia no twitter, elas somavam R$ 21.110.000,00.

Nós atualizamos para novembro de 2015, usando o IPCA-IBGE. No aeroporto de Cláudio, optamos pelo preço da licitação em vez dos R$ 14 milhões registrados pelo deputado.

Resultados:

Mensalão tucano — R$ 336.430,28  

Lista de Furnas — R$ 12.252.258,70  

Lava Jato —  R$   358.335,81  

Rádio Arco-Íris — R$  1.961.864,80  

Aeroporto de Cláudio –R$ 19.967.583,88  

Total: R$ 34.876.473,47

Nós mostramos os valores atualizados a Rogério Correia.

“Isso é por baixo, e só a parte do senador”, atenta.

Não estão incluídas nessas contas, por exemplo, a parte da irmã Andrea Neves, as viagens do Aécio e amigos para cima e para baixo, inclusive para o  Rio de Janeiro, sendo senador por Minas, o aeroporto de Montezuma, o nepotismo à custas do povo mineiro, empregando parentes e mais parentes no governo do Estado.

“Quando destampar o superfaturamento na Cidade Administrativa, no Mineirão e o que ele fez para a Andrade Gutierrez na Cemig, esses R$ 34,8 milhões serão um grãozinho de areia perto do mensalão”, previne.

“Agora, de qualquer forma, os R$ 300 mil, recebidos da UTC, no bojo na Lava Jato, é fatal”, avalia o deputado. “Joga por terra o discurso de baluarte da moral e da ética do senador.”

ATÉ AGORA TODOS OS PEDIDOS DE INVESTIGAÇÃO  DE AÉCIO AO MPF DERAM EM NADA

Rogério Correia

O Viomundo é testemunha dos vários pedidos de investigação do senador Aécio Neves feitos pelo deputado Rogério Correia e colegas ao Ministério Público Federal.

Em 31 de maio de 2011, ele e os também deputados estaduais Luiz Sávio de Souza Cruz e Antônio Júlio, ambos do PMDB, e entregaram pessoalmente ao então procurador-geral da República, Roberto Gurgel,  representação denunciando Aécio e Andrea,  por ocultação de patrimônio e sonegação fiscal (detalhes aqui ).

Gurgel fez questão de ir com os parlamentares até o setor de protocolo da Procuradoria Geral da República (PGR). Aí, a representação recebeu o número 1.00.000.006651/2011-19.

Gurgel manteve-a na gaveta por 2 anos e três meses. Na sua saída, em agosto de 2013, abriu inquérito contra deus e o mundo, menos contra os tucanos, em especial o Aécio Neves.

“Foi um ato político dele, partidário, mesmo”, denunciou, na ocasião, Rogério Correia. “Arquivou sem ao menos abrir inquérito para investigar. Agora só falta Gurgel assinar a ficha de filiação ao PSDB.

No início de 2014, Rogério Correia e outros deputados do PT estiveram pela primeira vez no gabinete do atual procurador-geral da República, Rodrigo Janot, entregando os documentos referentes ao envolvimento do senador Aécio Neves (PSDB-MG) na Lista de Furnas.

Assim como Gurgel, Janot não tomou providência.

No final de 2014, em delação premiada da Operação Lava Jato, o doleiro Alberto Youssef tratou do assunto no termo 20 do seu depoimento, cujo tema principal era “Furnas e o recebimento de propina pelo Partido Progressista e pelo PSDB”.

O doleiro Youssef afirmou que o PSDB, por meio de Aécio Neves, dividiria uma diretoria em Furnas com o PP, por meio de José Janene. Afirmou ainda que ouviu que Aécio também teria recebido valores mensais, por intermédio de sua irmã, de uma das empresas contratadas por Furnas, a empresa Bauruense, do empresário Airton Daré, no período entre 1996 e 2000/2001.

Janot divulgou o teor da delação em 4 de março de 2015. Foi ao comentar para o Estadão o pedido de  arquivamento ao STF das investigações envolvendo Aécio Neves, presidente nacional do PSDBna Operação Lava Jato.

Reveja o trecho em que o doleiro Youssef fala do esquema de propina envolvendo Aécio Neves em Furnas:

Janot alegou serem insuficientes as informações fornecidas pelo doleiro Alberto Youssef.  A justificativa principal: os dois citados por Youssef – o ex-deputado José Janene  e empresário Airton Daré tinham morrido– e não poderiam confirmá-las.

Só que, como bem alertou o jornalista Luiz Carlos Azenha, ao livrar Aécio Neves, Janot desconheceu a denúncia feita em 25 de janeiro de 2012  pela promotora da Lista de Furnas.

A promotora é a procuradora Andréa Bayão Pereira, atualmente está no Ministério Público Federal, em Brasília. Ou seja, trabalha com Janot.

Diante da decisão de Janot por “provas insuficientes”, em 31 de março de 2015, Rogério Correia e os deputados federais do PT Padre João (MG), Adelmo Leão (MG), Pedro Uczai (SC) e Fernando Marroni (RS) foram novamente à Procuradoria-Geral da República, em Brasília. Dessa vez, foram recebidos pelo próprio PGR.

Rogério Correia registrou:

Entregamos ao Dr. Janot as provas para abertura do inquérito contra Aécio Neves sobre o caso Lista de Furnas. O Procurador-Geral se comprometeu a fazer o estudo das provas apresentadas e estranhou o fato de que o processo da Lista de Furnas só tenha chegado à PGR agora, a partir de nossa intervenção.

Em um PS do Viomundo, Azenha observou:

Estranho. Afinal, no início de 2014, os deputados estiveram pela primeira vez no gabinete de Janot, entregando os documentos referentes ao envolvimento do senador Aécio Neves (PSDB-MG) na Lista de Furnas. Partindo do princípio de que o procurador-geral falou a verdade, o que aconteceu com eles? Foram para o lixo? Alguém os “guardou”? Estranho. Muito estranho.

Da segunda ida dos deputados do PT ao Rodrigo Janot à denúncia de Rubens Valente se passaram nove meses. E Janot, ao menos pelo que se sabe, não tomou nenhuma medida.

“Se agora, com a delação dos R$ 300 mil da UTC, o doutor Janot não abrir urgentemente inquérito contra o Aécio, o Ministério Público Federal pode fechar a porta”, afirma Correia. “Ficará comprovado o que se denuncia há tempos. O MP tem lado, age ideologicamente, o que inconcebível a quem atua nesse setor.”

O deputado defende, ainda, que o Senado abra procedimento investigativo contra Aécio Neves, assim como o senador se posicionou favoravelmente a fazer contra o colega Delcídio do Amaral (PT-MS). Para ele, Aécio tem de responder às acusações também no Senado.

Correia não é muito adepto da teoria da conspiração. Porém, o fato de a delação premiada de “Ceará” só ter vindo a público agora – o depoimento foi em 1º de julho de 2015 –, graças à reportagem de Rubens Valente, o obriga a considerar a hipótese de conspiração.

“Por que outras delações foram vazadas e esta, envolvendo o senador Aécio Neves, não?”, questiona.

“A preservação do senador Aécio Neves tem a ver com a intenção golpista das elites brasileiras com uma parte da Polícia Federal, da própria Justiça, do Ministério Público.  Se tivesse vazado antes, jogava abaixo qualquer perspectiva golpista que o Aécio negociava com as elites brasileiras”, considera.

“Imagina se em julho ou agosto, essa delação tivesse vazado como as outras, toda essa articulação golpista da direita teria ido para o espaço e nós poderíamos ter tido, durante o segundo semestre, um Brasil mais calmo, tanto do ponto de vista político quanto econômico.”

– O senhor acha que houve um conluio para essa delação não ter sido vazada?”

— Por que outras delações vazaram e esta, não? Insisto. Embora eu não seja muito adepto da teoria da conspiração, esse caso mostra um conluio entre parte da PF, do MPF e do Supremo, pois até agora não sabemos quem vazou as outras delações”.

– E a imprensa?

— Desse conluio golpista faz parte a imprensa, evidentemente.  Da mesma forma que vazaram outras delações para o Estadão, Globo, Veja bandida, Época, TV Globo, quem sabe se essa denúncia do “Ceará” sobre o Aécio não foi vazada e eles esconderam?  Isso gente também pode especular.

— Tem vazamento de tudo quanto é forma. No caso do Aécio, nem quando a gente denuncia, aparece na mídia.  No Brasil, temos um cartel de comunicação que tem intenção golpista também. Eles blindam o Aécio exatamente para manter a perspectiva golpista.

– E agora?

— Foi um tiro de misericórdia nesse golpismo. Com tudo o que já foi denunciado contra o Aécio, o Janot tem condições de abrir não só um, mas vários inquéritos contra o Aécio. E assim que o Ministério Público decidir investigar, o STF vai autorizar a abertura do inquérito, como já aconteceu nos outros casos.

— E quando instalar uma investigação contra o Aécio, outras irão junto. Em outubro de 2014, eu te disse: Quando o Aécio for investigado, ele será preso. Agora, te digo: Essa hora está chegando.

Lista de Furnas – Perícia do Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal by Conceição Lemes

Lista de Furnas – Denúncia da procuradora Andrea Bayão, do MPF-RJ by Conceição Lemes

Leia também:

Amaury Ribeiro Jr.: MP identifica empresas que irrigaram a lista de Furnas

Com medo de morrer, delator do mensalão mineiro se diz perseguido

Rogério Correia: Se tudo for investigado, Aécio Neves acaba preso

Lista de Furnas: Esquema de R$ 39,9 milhões ainda não deu cadeia para tucanos

Deputados pedem inclusão de Cemig e Lista de Furnas no mensalão tucano

 

27 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Antonio

08/01/2016 - 06h29

Fora de Pauta

E aí, Zé Cardoso, como é que fica esta bagunça?

Na PF não faltam peças nem luz; faltam liderança e disciplina.E respeito à lei.

Por Fernando Brito · 07/01/2016, no Tijolaço

Marcelo Auler, em seu blog, mergulha hoje na politicagem que grassa na Polícia Federal “republicana” do diretor Leandro Daiello e do Ministro José Eduardo Cardozo.

Nojento, e peço desculpas por reproduzir na imagem parte das baixarias garimpadas pelo repórter.

Um processo que, embora alimentado pela mídia, jamais poderia ter sido deixado chegar ao ponto em que chegou.

Não apenas por razões administrativas, mas por razões legais.

Porque é a lei que está sendo descumprida por policiais que se transformaram em panfleteiros da oposição, como a reportagem de Auler comprova fartamente.

Não se trata do legítimo direito de pensamento ou de expressão pessoal, mas no disposto nos artigos 42 e 43 da Lei (em vigor) número 4.878/65, que regula disciplinarmente os policiais federais brasileiros.

Art. 42. Por desobediência ou falta de cumprimento dos deveres o funcionário policial será punido com a pena de repreensão, agravada em caso de reincidência.

Art. 43. São transgressões disciplinares:

I – referir-se de modo depreciativo às autoridades e atos da administração pública, qualquer que seja o meio empregado para êsse fim;

II – divulgar, através da imprensa escrita, falada ou televisionada, fatos ocorridos na repartição, propiciar-lhes a divulgação, bem como referir-se desrespeitosa e depreciativamente às autoridades e atos da administração;

III – promover manifestação contra atos da administração ou movimentos de aprêço ou desaprêço a quaisquer autoridades;(…)

Lei, vê-se pela data, que não é nenhum “bolivarianisno” de Lula ou Dilma, mas lei aprovada pelo Congresso e sancionada por ninguém menos que o Marechal Castello Branco, um bom nome para lembrar a este pessoal que pede “intervenção militar”.

E mais, diz que estes três itens aí são considerados faltas graves – que já “pulam”a repreensão e entram direto na suspensão funcional, ou mais ainda. Além disso, se praticados com outro policial federal, são mais agravados ainda. E vale para ativos e inativos, porque o Art. 44, no item VII, prevê como pena a ” cassação de aposentadoria ou disponibilidade.”

Tudo isso foi regulado no ano seguinte, pelo decreto que Auler mostra em seu blog.

A pergunta, óbvia: se é lei, se está valendo, porque não é aplicada?

Os responsáveis por fazê-la ser respeitada são os dirigentes da Polícia Federal e o Ministro da Justiça.

Art. 52. A autoridade que tiver ciência de qualquer irregularidade ou transgressão a preceitos disciplinares é obrigada a providenciar a imediata apuração em processo disciplinar, no qual será assegurada ampla defesa.

Art. 53. Ressalvada a iniciativa das autoridades que lhe são hierarquicamente superiores, compete ao Diretor-Geral do Departamento Federal de Segurança Pública (hoje Polícia Federal), ao Secretário de Segurança Pública do Distrito Federal e aos Delegados Regionais nos Estados, a instauração do processo disciplinar.

O Ministro Cardozo e o Diretor Daiello, não o fazendo, incorrem em prevaricação, deixar de cumprir dever funcional.

E aí não é mais disciplinar, é Código Penal, crime contra a Administração Pública.

Veja, na reportagem de Marcelo Auler, o ponto inadmissível a que as coisas chegaram dentro da PF.

Responder

Messias Franca de Macedo

06/01/2016 - 08h39

… O que o moleque incendiário anda tramando com o restante da oPÓsição ao Brasil – e alimentado pela ração sórdida e acumpliciada oferecida pelo *’Sonso geral da nação [em frangalhos]’
*o atual ‘procurador parcial (sic) da República’ ‘Rodrigo Brindeiro Fernando Barbosa Moro Gurgel’ (idem sic), “um sujeitinho à toa, um ressacado, um fascista da pior extração”, segundo o senador Fernando Collor de Mello, em discurso proferido da tribuna do Senado Federal

(…)
Torcida – Eduardo Cunha tem dito que, com uma votação pouco acima dos 171 votos necessários, o governo “acaba”: continuará sem capital para aprovar medidas que o tirem do sufoco, o que manterá a crise de pé.
Tenho estoque – O peemedebista lembra que ainda há três pedidos de impeachment, com argumentos diferentes do atual, que podem ser deflagrados a qualquer momento.
Pensando no bis – A oposição faz as contas e hoje acredita que Dilma teria votos suficientes para se livrar do impeachment, mas por um placar apertadíssimo. Diante disso, desenha uma nova ofensiva de desgaste permanente da petista.
(…)

CACHOEIRA – perdão, ato falho -, FONTE: http://painel.blogfolha.uol.com.br/2016/01/06/7255/

Responder

Apolônio

05/01/2016 - 22h40

Deputado Rogério Correia, forme uma nova equipe de Deputados e volte ao PGR. Deputado, insista ! Não desanimes !

Responder

Cláudio

05/01/2016 - 19h13

:
.:.
: * * * * 19:13 * * * * .:. Ouvindo A Voz do Bra♥♥S♥♥il e postando:
.:.
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
* * * * * * * * * * * * *
* * * *
.:.
Por uma verdadeira e justa Ley de Medios Já ! ! ! ! Lula 2018 neles ! ! ! !
.:.
* * * *
* * * * * * * * * * * * *
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

Responder

Adilson

05/01/2016 - 16h11

A independência funcional do MP depende do PIG, ou seja, DR. Janot está esperando o PIG conceder o sinal verde para que o MP cumpra o seu dever constitucional. Antes disso o mala sem alça do Aereoneves não vai prestar contas, das suas bandidagens, com o Judiciário.

Responder

Luiz Antonio Barbosa

05/01/2016 - 15h26

Sem nunca ter tido formação policial, o senador e candidato à Presidência da República, Aécio Neves (PSDB), já teve e utilizou carteira da polícia mineira para dar a famosa “carteirada”.

http://limpinhoecheiroso.com/2014/10/23/rei-da-carteirada-aecio-neves-fez-carteira-de-policial-sem-nunca-ter-sido-agente/

Responder

Mineirim

05/01/2016 - 14h40

Rogério Correia, esqueça!
O Janot já avisou ao Aébrio que ele só será investigado após filiar-se ao PT…

Responder

Mineirim

05/01/2016 - 14h38

Rogério Corrêa, esqueça!
O Janot já avisou ao Aébrio que ele será investigado quando se filiar ao PT…

Responder

Messias Franca de Macedo

05/01/2016 - 13h43

…. Atual ‘procurador parcial da nação’ ‘Rodrigo Brindeiro Fernando Barbosa Moro Gurgel’ (sic) ‘O Sonso Geral da Nação’ – “um sujeitinho à toa, um ressacado, um fascista da pior extração”, segundo o senador Fernando Collor de Mello, em discurso proferido da Tribuna do Senado Federal

Responder

Alexandre Tambelli

05/01/2016 - 12h46

Lendo a reportagem da Conceição Lemes acabei pensando no Aécio Neves e a realidade dele nunca ser investigado. Coloco aqui:

POR QUE AÉCIO NEVES NUNCA É INVESTIGADO?

Infelizmente, é preciso dizer que há dois pesos e duas medidas na cobertura da Imprensa brasileira diante de notícias concretas e desabonadoras envolvendo políticos dos mais diversos partidos.

Uma notícia concreta do Senador Delcídio Amaral do PT tentando safar seu nome de uma delação premiada na Lava-Jato, querendo subornar o delator vira manchete garrafal de primeira página de todos os jornais e telejornais da grande imprensa capitaneada pela Rede Globo, Folha, Estadão, Revista Veja, etc. e o Senador vai preso em poucas horas.

Várias notícias concretas do Senador Aécio Neves do PSDB (Tucano) ficam escondidas em pé de página dos jornais da grande imprensa ou são, simplesmente, ignoradas e não levam sequer a uma abertura de inquérito para apuração delas, como são as delações de Youssef e agora dos 300 mil que teria recebido o Senador dito pelo delator Ceará e o Senador sequer é afastado de suas funções, jamais cogitasse, e o Judiciário faz de conta que não houve nenhuma notícia concreta.

Por que esta distinção de postura?

Simples a resposta.

Aécio é aliado da grande imprensa capitaneada pela Rede Globo, trabalha ideologicamente para defender os interesses das elites rentistas e os interesses privados da mídia que o defende.

Interesses que se casam: rentismo (mercado financeiro), Rede Globo (maior fortuna do País, avaliada em 26 bilhões de reais) e PSDB (partido que Governa em aliança com estes dois grupos).

É só pensar nas assinaturas milionárias, por parte dos governantes de Estado aliados da grande imprensa, em São Paulo, das revistas: Veja, Época, dos jornais: Estadão e Folha, depois entregues nas escolas e repartições estaduais e associar o fato a uma outra palavrinha: blindagem.

O Político aliado da grande imprensa faz uma troca: você me preserva de seu noticiário e eu compro suas publicações, anuncio, quando ocupante de cargo do Executivo, com exclusividade em seus meios de comunicação e eu defendo seus interesses.

Blindado até de denúncias inquestionáveis e com comprovação.

Imaginemos esta situação num País onde bem mais de 80% dos meios de comunicação defendem uma mesma Ideologia e tem como aliado central na Política um partido Político chamado PSDB, também conhecido com a alcunha de Tucano.

Há condições de o Judiciário abrir inquérito contra um Tucano graúdo como Aécio Neves?

A resposta está aqui.

Várias denúncias sempre arquivadas, porque o membro do Judiciário teme a grande imprensa!

Imaginemos o Poder de assassinar sua reputação que há na simples ação de mandar apurar uma denúncia contra Aécio Neves?

A insegurança Jurídica é enorme.

Dar uma sentença em favor de uma condenação a Aécio Neves, o candidato com mais votos da Elite rentista e dos meios de comunicação hegemônicos?

O Brasil não deveria ser refém dos meios de comunicação hegemônicos.

Infelizmente, é.

E isto é prejudicial à nossa Democracia e à Justiça.

Por isto que se torna necessário uma quebra do monopólio da informação e comunicação, hoje, nas mãos de não mais que 10 famílias no Brasil e que professam uma mesma Ideologia da qual Aécio Neves é figura central da engrenagem ideológica (modelo de sociedade e economia) que querem impor ao País.

Somente realizando uma Democratização dos meios de comunicação, para retirar estes monopólios, para impedir a propriedade cruzada (que é a presença de jornal, rádio e TV de uma mesma empresa numa mesma cidade – por exemplo: TV Globo, O Globo e rádio CBN e rádio Globo – na cidade do Rio de Janeiro) garantiremos mais Democracia na Imprensa e no Judiciário.

Imaginemos uma cidade onde toda a informação que a população recebe está nas mãos de um único grupo de comunicação? Ele faz o que bem entender certo? Denuncia quem quer, noticia o que quer, até pode blindar acusações concretas contra si (contra o detentor – dono – da propriedade cruzada).

A propriedade cruzada é proibida nas democracias mais avançadas do Mundo. Nos Estados Unidos não existe propriedade cruzada dos meios de comunicação. É considerada uma ameaça à Democracia.

Imaginemos o quão ditatorial é a voz única de um meio de comunicação.

Dois pontos adviriam da Democratização dos Meios de Comunicação:

1) O equilíbrio do noticiário com várias vozes e ideologias, o que daria força (respaldo) para o Judiciário fazer o seu papel sem medo de ter o Magistrado um assassinato de sua reputação e por buscar tornar a Justiça um local de igualdade, onde todos possam ser denunciados, investigados e punidos se comprovada a denúncia.

Afinal, a voz única da grande imprensa se transformaria em muitas vozes.

E a tentativa de assassinato de reputação de um Magistrado, Político ou qualquer cidadão seria bem menor, quase inexistente, pois, outros meios de comunicação dariam voz ao acusado para se defender, expor sua opinião aos fatos relatados. E o cuidado com a informação precisa seria valorizado.

Imaginemos um meio de comunicação ser desmascarado por mentiras constantes. Ele não resistiria por muito tempo, certo?

Haveria opinião pública plural e não opinião publicada e população refém dela.

E adviria:

2) A condição de existir o contraditório, ou seja, todas as vozes da sociedade com direito a falar e ter opinião e esta fala e opinião chegar aos nossos ouvidos.

E no caso das denúncias, via Imprensa, contra um Político, tanto do PT como do PSDB existiria a chance de defesa do acusado, de se ouvir a sua voz na imprensa em situação de igualdade e de formarmos uma opinião pública plural e crítica, capaz de nos levar a um entendimento mais completo dos fatos denunciados e chegarmos a um juízo de valor próprio.

Jamais assistiríamos a esta situação, onde políticos do PT são condenados: previamente, em manchetes garrafais com ou sem comprovação dos fatos noticiados, via meios de comunicação hegemônicos, sem sequer terem o direito de defesa da acusação imputada a eles, de expor sua versão aos fatos e a esta situação, onde, políticos do PSDB, como o Senador Aécio Neves, viram nota de rodapé nos jornais, revistas e telejornais, quando aparece uma denúncia contra eles e se dão os microfones e as páginas impressas da grande imprensa para a sua defesa de imediato e eles dizerem sempre as mesmas versões em relação à denúncia:

É mentira do delator. (Quando o delator fala do PT é tudo verdade)

Tudo não passa de desvio de foco da Lava-Jato.

Denúncia fabricada por petistas para esconder a corrupção do PT, já comprovada como sendo a maior de todas as corrupções.

Etc.

Para terminar.

Pensemos juntos!

Como um Juiz pode se sentir seguro de ir contra os meios de comunicação hegemônicos capitaneados pela Rede Globo & Cia. se estes querem impor uma decisão judicial que seja a mais benéfica para eles e seus aliados na economia e na política e contra seus adversários na Política?

No Mensalão do PT a opinião publicada teve tanta força de atuação, que José Dirceu foi condenado sem provas concretas, importaram até a Teoria do Domínio dos fatos: utilizada apenas para condenação de crimes de guerra (os generais de Hitler), os generais da antiga Alemanha Oriental e de ditadores como Alberto Fujimori do Peru, o que não era o caso, aqui.

A Teoria do Domínio dos fatos foi criada, lá na Alemanha pós Segunda Guerra Mundial para se chegar aos mandantes dos crimes de guerra, afinal, de maneira bem simplória, o soldado (comandado) é quem atira, mas quem manda atirar são os generais; no Peru, quem mandou matar opositores à Fujimori foi o próprio Ditador.

O Poder da opinião publicada dos mais de 80% de meios de comunicação hegemônicos e pedindo a condenação dos petistas 24 horas por dia, que acabou transposta para o brasileiro comum, contribuiu, decisivamente, para que houvesse condenação de José Dirceu sem provas concretas.

24 horas de noticiário, sem contraditório, sem ouvir a voz e defesa dos acusados e dos seus defensores pela condenação, nos mais de 80% de meios de comunicação hegemônicos da grande imprensa capitaneados pela Rede Globo & Cia., não poderiam dar outro resultado:

A condenação.

O que resultou na célebre frase da Ministra Rosa Weber do STF:

Não há provas contra Dirceu, mas vou condenar José Dirceu porque a Literatura Jurídica me permite.

Imaginemos o medo da Magistrada de ir contra a opinião publicada que se misturou com a opinião pública?

Por que foi possível esta célebre frase?

A resposta fica para cada um dar. Faça uma reflexão própria. Sem intermediação de ninguém.

Responder

Re

05/01/2016 - 12h27

O que me deixa indignada é saber que o médico e deputado Carlos Mosconi, amigo do Aécio e envolvido na Máfia dos Transplantes – aquela que tirava órgãos de pessoas vivas – está livre e ganhando dindins por fora como o de Furnas. O dia desse médico-monstro vai chegar, alguns dos seus coleguinhas médicos mafiosos e monstruosos já estão presos.

Responder

Arnaldo Costa

05/01/2016 - 12h05

Máfia demotucana toma órgãos públicos e direita insiste em eleger corruptos como “salvadores”.
Os últimos heróis da oposição foram Demóstenes, Cunha, Aético, Youssef e seu “cumpadre” Álvaro Dias, todos eles criminosos de alta periculosidade. O grande picareta juiz tucano Moro, pelo conjunto da obra, teria que ser afastado. Além de manter estreitas relações e operar para a máfia demotucana, já foi contaminado pela mídia partidária do PIG, tendo a desfaçatez de receber prêmios dessa corja. Dentro de órgãos públicos está “tudo dominado”. Fazem politicagem descarada, são omissos e coniventes com as falcatruas da organização criminosa demotucana, a qual são aliados, e perseguem seus adversários políticos. Tribunais de Contas (como o de Minas, que tem na presidência a esposa do mafioso Clésio Andrade, amigo de Aético), Ministérios Públicos, Polícia Federal, judiciário e imprensa estão infestados de grandes patifes canalhas que usam do cargo para expor suas predileções e se corromperem. Um grande absurdo, vergonha! Caso de polícia e para as instituições máximas resolverem! Espero que o destino desse pulha Moro seja o mesmo do bandido Demóstenes! Cansamos de ser enganados!

Responder

Celso Junqueira

05/01/2016 - 11h58

Janot é outro tiro n’água da Dilma. É claro que ele vai aliviar para o Aébrio, esperando o golpe.
Com o Aébrio nada vai acontecer. Ele é tucano…

Responder

    Julio Silveira

    06/01/2016 - 06h07

    Realmente, mais um erro deste governo de um republicanismo estranho, mas pode ter sido uma deferência ao seu Vice, Temer, o temeroso.

Leleco

05/01/2016 - 09h59

Outra dúvida ( partindo para a manipulação da mídia quanto aos seus interesses e preferências dentro do ninho tucano ): Por que a Folha autoriza a divulgação agora ? Penso que no momento que perder a serventia ( vide Cunha ) , será descartado.
O menino do Rio já era.

Responder

Zé Francisco

05/01/2016 - 09h40

A casa de Janot foi invadida, levaram apenas o controle do portão e uma pistola .40. Um furto estranho e com aspecto de ato intimidatório. O estado de MG, além de berço da corrupção aecista, pode ser o centro da narcocracia brasileira (Parrela). Portanto, o comportamento de Janot pode ser ideológico, ou fruto de coação, ou as duas coisas.

Responder

Julio Silveira

05/01/2016 - 09h09

Esse ministério publico me faz lembrar da piada do cara no deserto, que depois de muito tempo lá, sozinho, se depara com uma camela. E então começa a desenvolver uma sofreguidão para satisfazer seus desejos sexuais com aquele animal. Começa então a sair em seu encalço, e a cada parada que ela fazia ele aproveitava a oportunidade para criar um montinho de areia na intenção de alcança-la. Mas dai ela dava mais uma caminhada e mais uma parada e a cada parada mais um montinho de areia. Passando dias nessa perseguição, eis que um determinado momento ele encontra uma bela mulher, perdida no deserto. Bastante agradecida, por não mais estar só, então toda insinuante ela lhe diz:
– peça o que quiser que lhe dou.
No que o infeliz lhe fala:
– Dá uma segurada naquela camela.
Exatamente como o Ministério publico focados no Lula, enquanto passeiam e se oferecem sôfregos para serem pegos, diversos elementos muito mais óbvios e tentadores.

Responder

Julio Silveira

05/01/2016 - 09h00

Esse ministério publico me faz lembrar da piada do cara no deserto, que depois de muito tempo lá, sozinho, se depara com uma camela. E então começa a desenvolver uma sofreguidão para satisfazer seus desejos sexuais com ela. Começa então a sair em seu encalço, e a cada parada q

Responder

Marcio Ramos

05/01/2016 - 08h24

Muito bom. Aécio precisa ir pra cadeia porque é bandido. Se for vai abrir o bico. Esse canalha precisa ser pautado diariamente, não pode dar trégua para golpista, eles não desistem se não forem barrados.

Responder

José Carlos Vieira Filho

05/01/2016 - 08h21

Se fechar, junto com o judiciário, o orçamento da República passa a se superavitário. Seria possível investir em coisas produtivas.
Afinal, além de crises, o que os parasitas produzem?

Responder

Mauricio Gomes

05/01/2016 - 07h32

É simples, não vai dar em nada…

Responder

Cláudio

05/01/2016 - 04h13

:
.:.
: * * * * 04:13 * * * * .:. Ouvindo A(s) Voz(es) do Bra♥♥S♥♥il e postando:
.:.
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
* * * * * * * * * * * * *
* * * *
.:.
Por uma justa e verdadeira Ley de Medios Já ! ! ! ! Lula 2018 neles ! ! ! !
.:.
* * * *
* * * * * * * * * * * * *
♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

Responder

Francisco

05/01/2016 - 03h46

A razão de existir a Justiça pública é desestimular a Justiça privada.

Quanto mais fica categorizado que a Justiça pública ou é venal, ou é parcial, ou é incompetente, ou é displicente ou, simplesmente, que não é Justiça, mas se cria espaço para a aplicação desarrazoada da Justiça privada.

Quanto tempo o Ministério Público suíço levaria para meter um traficante internacional de cocaína na cadeia?

E se o traficante fosse um senador da república, quanto tempo levaria?

Por mim, Dilma deveria ficar na cela ao lado do seu Ministro da Justiça: é dever deles investigar, levantar provas e prender, se for o caso.

O dever do traficante é se safar.

Dilma (e seu Ministro) correm o sério risco de continuarem a ser apoiados , porque a esquerda é democrática, mas odiados, porque são incompetentes, complacentes ou – talvez – venais.

Responder

jose airton veras carvalho

05/01/2016 - 01h19

Gostaria de entender, delacao em face do PT vazamento on line, delacao em face do PSDB seis meses e nao vai dar em nada isso eh que eh parte da PF,parte do MPF, parte do Judiciario e parte do STF. Por que os partidos politicos nao pedem o impeachment desses ministros.

Responder

Leonel

05/01/2016 - 00h23

Tá aí, agora quero ver o tal de Janot se rebolar, vamos mesmo ver se ele tem lado, tudo indica que sim, é mais um tucano que a nossa Presidenta ajudou a ficar no cargo.

Responder

Ramon

04/01/2016 - 23h55

Será que agora a justiça brasileira irá punir o “Santo” Aécio Neves.

Responder

eto

04/01/2016 - 23h43

Aécio nunca será preso. Com a grana que ele tem, não vai rolar.

Responder

Deixe uma resposta