VIOMUNDO

Messias vs. Pizzolato: Visita aos bastidores dos governos Lula e Dilma

02 de agosto de 2013 às 16h42

Roberto Messias, secretário-executivo da Secom-PR, que quer a prisão de Henrique Pizzolato, ex-diretor de Marketing do BB

por Conceição Lemes

Em recente entrevista com a ministra-chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência da República (Secom-PR), a jornalista Helena Chagas, perguntei:

No julgamento do chamado mensalão, o STF julgou irregular, crime, o BV (Bonificação por Volume) da Visanet. Embora já esteja demonstrado que o dinheiro é privado e não público, Henrique Pizzolato corre o risco de ir para a cadeia. Em função dessa decisão, a Secom vai buscar de volta o dinheiro do BV da Globo?

Mal acabara de dizer Pizzolato corre o risco de ir para a cadeia, Roberto Messias, também presente, me cortou:

Roberto Messias — Demorou.

Viomundo – Por quê?

Roberto Messias – Sou o cidadão agora falando. Eu trabalhava com ele…

Viomundo – Por que demorou para ele ir pra cadeia?

Roberto Messias – Ué, porque eu acho que tem um…

Messias é o secretário-executivo da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República. Cuida da publicidade do governo federal: ministérios, órgãos relacionados e estatais. Onde e quanto investir estão principalmente em suas mãos.

Para não desviar o foco, não insisti naquele momento. Testemunharam-no Helena Chagas, que se manteve em silêncio, assim como Fabrício Costa, secretário de Comunicação Integrada da Secom.

Após a entrevista, já fora do gabinete da ministra, voltei a falar com Messias:

-- Você acha mesmo que o Pizzolato tem que ser preso? 

— Acho.

– Por quê?

— Porque sim.

– Vocês trabalharam no Banco do Brasil (BB)?

Movimenta a cabeça afirmativamente.

– Mas por que ele tem de ser preso?

— Porque sim…

Como o segundo da Secom-PR do governo Dilma, de forma intempestiva, comete essa indiscrição?!

“Declaração gratuita, só pode ser rivalidade partidária”, avaliou o próprio Henrique Pizzolato, após ler a reportagem do Viomundo. “Mais do que tudo, ele conhece os documentos, sabe que a utilização do dinheiro do Fundo Visanet não era de minha área de responsabilidade e que estou sendo condenado injustamente.”

PIZZOLATO, AS NOTAS TÉCNICAS CONDENATÓRIAS  E O LAUDO DO PF

Até aqui, nunca havíamos entrevistado Pizzolato. A reação disparatada de Messias nos levou a ir além da repercussão da sua fala, em busca de algum nexo que a justificasse.

De saída, foi necessário pesquisar a Ação Penal 470, o chamado mensalão.  Aí, ficou claro que para se entender a indiscrição de Messias seria indispensável mergulhar um pouco no inquérito.

Henrique Pizzolato, funcionário de carreira do Banco do Brasil (BB), é um dos condenados. De 2003 a 2005, foi seu diretor de Marketing. Atualmente, está aposentado.

Essa denúncia, relembramos, surgiu em 2005 na CPI dos Correios, que teve dois relatórios.

O preliminar, divulgado em 20 de março de 2006, pedia o indiciamento de 126 pessoas, sendo sete executivos do Banco do Brasil. E o relatório final, publicizado em 6 de abril de 2006, que recomendava investigar quatro desses sete executivos:

* O próprio Henrique Pizzolato

* Cláudio de Castro Vasconcelos, gerente-executivo de Propaganda e Marketing

* Fernando Barbosa de Oliveira, diretor de Varejo; concomitantemente, fazia parte do Conselho de Administração da Visanet

* Douglas Macedo, gerente-executivo da Diretoria de Varejo, que também integrava o Conselho de Administração da Visanet

O então procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, não esperou o relatório final ficar pronto para fazer a denúncia ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Em 30 de março — portanto, dez dias após a divulgação do relatório preliminar –, Antonio Fernando concluiu que 40 indiciados eram culpados – número provavelmente escolhido para associar o “mensalão” à  fábula de Ali Babá, e denunciou-os ao STF, entre os quais Pizzolato.

O procurador-geral deixou de fora os executivos Cláudio Vasconcelos, Fernando Barbosa e Douglas Macedo, que também assinaram as notas técnicas usadas para incriminar Pizzolato. Além disso, Macedo e Barbosa integravam o Conselho da Visanet, empresa que era  alvo das acusações.

Explico. A denúncia e condenação de Pizzolato basearam-se em quatro “notas técnicas” (três da quais ele assinou), que propunham campanhas publicitárias dos cartões Visa/BB a serem feitas pela DNA, uma das agências de propaganda que, desde 1994, prestavam serviços ao BB.

No banco, como em outras grandes empresas, para levar adiante ou dar continuidade a ações envolvendo mais de uma gerência ou diretoria, é preciso que elas atuem em conjunto. Nessas horas, frequentemente é feito um documento entre essas áreas.

No BB, esses documentos chamam-se notas técnicas. São de uso interno. Têm o objetivo de formalizar acordos de trabalho entre diversos setores do banco. Não são uma ordem de serviço para a empresa a ou b executar o serviço x ou y.

Mas, como tinham valores referentes ao Fundo Visanet e à DNA, elas se transformaram na peça de acusação contra Pizzolato. O ministro Joaquim Barbosa, relator da Ação Penal 470 no STF, classificou as notas técnicas de “antecipações fraudulentas”, “valor desviado”, “autorização de pagamento ilícito”, entre outros delitos.

O exame das notas técnicas condenatórias revela, no entanto, que Pizzolato não era o único signatário.

Por norma do BB, dois diretores e dois gerentes têm de chancelá-las. No caso em questão,  assinaram também Cláudio Vasconcelos, Fernando Barbosa e Douglas Macedo. Cláudio é o único que assina as quatro notas. Guarde bem o nome dele. Mais adiante vai entender por quê.

 

Abaixo, as quatro notas, num único documento. Levam os números: 1141/2003; 3281/2003; 0251/2004; 1410/2004. Ao final de cada uma, os signatários. Confira você mesmo.

  Notas técnicas do Banco do Brasil by ConceicaoLemes

Outros documentos, aos quais o Viomundo teve acesso, revelam:

1. Apenas Pizzolato era novo no cargo. Assumiu a diretoria de Marketing em 17 fevereiro de 2003, primeiro ano do mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Cláudio Vasconcelos, Fernando Barbosa e Douglas Macedo foram nomeados para esses postos no governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e permaneceram durante o de Lula.

2. O destino de Vasconcelos, Barbosa e Macedo está na nota de rodapé 99 (veja abaixo), página 60, da denúncia que o procurador-geral da República fez ao STF.

 

Ou seja, o procurador-geral decidiu que Pizzolato tinha foro privilegiado, portanto seria julgado pelo STF. Os demais, não; iriam para instância inferior. Juridicamente, porém, nenhum tinha – nem tem – direito a foro privilegiado.

3. Pizzolato não tomou parte da decisão que deliberou a prorrogação do contrato com a DNA, de Marcos Valério.

Por uma simples razão: a reunião foi no dia 4 de fevereiro de 2003; em 11 de fevereiro o Conselho Diretor do BB deu o “de acordo”; e Pizzolato só assumiu a diretoria de Marketing do banco em 17 de fevereiro de 2003.

Atente aos signatários da decisão. Cláudio Vasconcelos assina duas vezes.

 

4. Todos os signatários da prorrogação ocorrida em 4 de fevereiro de 2003  eram remanescentes do governo do PSDB.

5. A prorrogação de  4 de fevereiro de 2003 foi a terceira  entre o Banco do Brasil e as agências DNA, Grotterra e Lowe.  Em 20 de março de 2000, como pode-se comprovar no documento abaixo, foi firmado contrato entre as partes e já previa a possibilidade de três renovações, o que acabou acontecendo. O orçamento de publicidade do BB previsto para 2003: R$ 162.998.000,00.

Renovacao Contrato DNA 04-02-2003 by ConceicaoLemes


6. Para embasar a prorrogação do contrato, o Banco do Brasil fez em 2002 fez uma análise das três agências. O avaliador: Cláudio Vasconcelos. E a DNA, de Marcos Valério, foi a que recebeu a maior nota.

7. Em agosto de 2012, a Procuradoria Geral encaminhou à primeira instância da Justiça de Brasília o caso do gerente Cláudio Vasconcelos, determinando segredo de Justiça.

O inquérito, desconhecido até dos advogados dos réus do “mensalão”, só veio a público em 31 de outubro de 2012, em matéria dos repórteres Matheus Leitão e Flávio Ferreira, da Folha de S. Paulo.

8. Em outubro de 2006, o ministro Joaquim Barbosa, relator da Ação Penal 470, pediu à Polícia Federal uma avaliação das relações comerciais e procedimentos contábeis envolvendo a DNA, o Fundo Visanet e o Banco do Brasil.

O laudo, feito pelo Instituto Nacional de Criminalística da Polícia Federal e concluído em 20 de dezembro de 2006 (a investigação teve início em dezembro de 2005), recebeu o número 2828/2006.

Essa e outras provas colhidas depois de 30 de março de 2006, quando foi feita a denúncia ao STF, foram colocadas por Antônio Fernando e Joaquim Barbosa num inquérito paralelo, o 2474, sob segredo de Justiça, revelou a jornalista Maria Inês Nassif, em reportagem publicada no GGN e em Carta Maior e que reproduzimos. “Pelo menos uma delas, o laudo de número 2828, do Instituto de Criminalística da Polícia Federal, teria o poder de inocentar Pizzolato”, observa Maria Inês.

MIGRAÇÃO:  PARTIDA DO  CCBB-RJ, ESCALA NO BB-BSB,  POUSO NA  SECOM-PR

Antes que alguém pergunte, antecipamos.  Messias não tem nada a ver com o mensalão.

Ao se pesquisar na denúncia do procurador-geral da República ao ministro Joaquim Barbosa, Messias não é mencionado uma vez sequer.

A essa altura muitos devem estar perguntando: Por que Messias quer a prisão de Pizzolato? E por que pedimos lá atrás para guardar o nome de Cláudio de Castro Vasconcelos?

Juntando os dados mostrados acima sobre o inquérito do mensalão com as informações  fornecidas por colegas e ex-colegas de trabalho de Messias, as razões para a reação inoportuna do secretário-executivo da Secom-PR aparecem:

* Assim como Pizzolato, Roberto Messias e Fabrício Costa são funcionários de carreira do Banco do Brasil.

* Pizzolato sempre foi estimado pelos colegas. Tanto que, em 1998, os servidores do BB o elegeram para o cargo de diretor de Seguridade da Previ, a Caixa de Previdência dos Funcionários do banco.

* Pizzolato é PT de carteirinha, não esconde isso de ninguém.

* Messias e Fabrício são originários do governo do PSDB. E PT e PSDB, todos nós sabemos, são adversários ferrenhos.

“Messias nunca trabalhou diretamente com Pizzolato, apenas indiretamente”, abriu o jogo a esta repórter um veteraníssimo do Banco do Brasil, ainda na ativa. “Na época em que Pizzolato ocupou a diretoria de Marketing, o Cláudio Vasconcelos era o gerente-executivo de Propaganda e Marketing e o Messias, gerente de Mídia, subordinado a Cláudio. Foi o Cláudio quem trouxe o Messias do Rio para Brasília. Os dois são amigos e oriundos do Centro Cultural Banco do Brasil — Rio de Janeiro.”

O Centro Cultural Banco do Brasil — Rio de Janeiro (CCBB-RJ) é um dos postos muito cobiçados da máquina pública federal, uma das joias da coroa.

Cláudio de Castro Vasconcelos, Roberto Messias e Fabrício Costa trabalharam juntos lá em fins da década de 1990. Cláudio era o gerente do CCBB-RJ.

Em 1999, Cláudio foi para Brasília ser o gerente-executivo de Propaganda e Marketing do BB, então presidido por Paolo Zaghen, muito ligado a José Serra, do PSDB. O ministro da Fazenda era Pedro Malan. Messias e Fabrício Costa permaneceram no CCBB-RJ.

Para o lugar de Cláudio foi a jornalista Yole de Mendonça, até então gerente de Comunicação da Previ na gestão Jair Bilaqui – envolvido com as privatizações.

Em 2003, mudaram os presidentes do Brasil e do Banco do Brasil, mas Cláudio continuou firme e forte no cargo.

Foi nessa época que Cláudio levou Messias para ser o gerente de mídia do Banco do Brasil, em Brasília. Messias passou a cuidar das verbas de publicidade do banco para TVs e rádios, com os quais mantinha contato permanente.

Algum tempo depois Messias carregou para lá Fabrício Costa.

Em 2005, após as denúncias do mensalão, Cláudio Vasconcelos saiu do BB, para montar a Pax Consultoria em Marketing e Promoções de Eventos Ltda.

Yole  de Mendonça mais uma vez foi para o lugar de Cláudio. Deixou a gerência do CCBB-RJ e foi para Brasília, assumindo o cargo de gerente-executiva de Propaganda e Marketing do BB.

Em 2007, Yole foi para a Secom-PR. O ministro era o jornalista Franklin Martins. Ela assumiu o cargo de secretária de Comunicação Integrada, atualmente ocupado por Fabrício Costa.

Com mudança de Yole para a Secom-PR, Messias ocupou o lugar dela no BB.  Ou seja, tornou-se o gerente-executivo de Propaganda e Marketing.

Algum tempo depois, Yole levou Messias para a Secom. Em seguida, Fabrício foi também.

“Desde o primeiro governo de Fernando Henrique, quando foi recriada a área de Marketing, a Secom sempre teve vários funcionários cedidos do Banco do Brasil”, observa o veteraníssimo do BB. “É um reduto histórico.”

Em 2011, com a posse da presidenta Dilma Rousseff, houve nova dança de cadeiras na Secretaria de Comunicação Social da Presidência República.

Helena Chagas assumiu o posto de ministra-chefe em substituição a Franklin Martins.

Yole de Mendonça, até então secretária de Comunicação Integrada, tornou-se secretária-executiva, no lugar de Ottoni Fernandes Filho, que deixou a Secom junto com Franklin, no final do governo Lula.

Roberto Messias passou a ser secretário de Comunicação Integrada.

Em julho de 2012, Yole aposentou-se, deixando a Secom-PR. Desde abril de 2013, é diretora vice-presidente de Gestão e Relacionamento da Empresa Brasil de Comunicação (EBC). A EBC é a gestora dos canais TV Brasil, TV Brasil Internacional, Agência Brasil, Radioagência Nacional e do sistema público de Rádio – composto por oito emissoras.

Messias foi escolhido pela presidenta Dilma Rousseff como o novo secretário-executivo. Fabrício virou secretário de Comunicação Integrada.

“Eu chamo essas pessoas de ‘aves migratórias’”, observa outro profundo conhecedor do serviço público brasiliense, leitor contumaz de Diário Oficial. “Pulando de galho em galho, elas estão sempre muito bem empregadas, em cargos de poder.”

“As aves migratórias têm uma cartilha bem mastigada de argumentos técnicos”, prossegue. “Como a pessoa que assume um cargo político, normalmente não tem conhecimento da máquina, ela se encanta. No início, as aves fazem de conta que entram na da chefia. Mas dois ou três meses depois passam a dar as cartas.”

[Gostou? Garanta outras pautas exclusivas como esta assinando o Viomundo]

“É COMO SE INSTALASSEM UMA CÉLULA DA KGB NO ESCRITÓRIO DA CIA, OU VICE-VERSA” 

“Na verdade, isso é um modelo de negócio, para beneficiar uma ação entre amigos”, afirma a blogueira NaMaria, do NaMaria News. “Esse sistema, que funciona como uma teia, começou a ser implantado no primeiro ano do governo Fernando Henrique pelo então ministro Paulo Renato de Souza no Ministério da Educação. E, aí, virou praga no serviço público federal, alastrando-se por estados, municípios, secretarias, fundações, órgãos, etc., administrados pelo PSDB.”

Messias era o preferido da ministra Helena Chagas para o posto de Yole. Concorreu com um petista, que teria sido preterido por “ser petista demais”.

Prevaleceu a solução técnica, tão a gosto de Dilma. Só que essa função, vendida como técnica, é, na verdade, política.

Assim, possivelmente sem saber, a presidenta colocou em mãos de gente “herdada” do governo do PSDB a distribuição de R$ 1,8 bilhão de verbas publicitárias do governo federal.

“É como se instalassem uma célula da KGB no escritório da CIA, ou vice-versa”, dispara um atento observador palaciano.

E PSDB e Globo, sabemos, têm tudo a ver.

Será por isso que a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República se recusou a fornecer ao Viomundo o total das verbas publicitárias que  as Organizações Globo, incluindo todos os meios de comunicação, recebeu do governo federal em 2012?

Será por isso que até hoje a Secom-PR não conseguiu implementar uma política de comunicação competente para atingir realmente a população brasileira?

Mas, afinal de contas, por que  mesmo Roberto Messias quer ver Henrique Pizzolato preso?

Na primeira conversa que tivemos, Pizzolato disse que a razão era político-partidária.  Hoje, depois de conhecer um pouco mais os bastidores dessa história, diria que vai bem além. É ideológica. Questão de DNA, está no sangue.

A ascensão de Messias foi por meio de indicações. A de Pizzolato  foi sempre pelo voto direto dos funcionários do BB. Em 1993, Pizzolato foi eleito o primeiro diretor por votação direta. Recebeu mais de 60 mil votos. Depois, foi também eleito o primeiro diretor da Previ. De modo que, durante os governos FHC,  Pizzolato era oposição dentro da diretoria do banco e questionava várias de suas políticas.

“Nos centros culturais do BB, nós criamos programas para as populações de baixa renda. No Rio de Janeiro, nós abrimos as segundas-feiras para os quilombolas e a população de favelas, como a da Rocinha. Foi um escândalo. Assim como foi um escândalo quando levei o João Pedro Stedile e outros dirigentes do MST para almoçar no banco”, exemplificou-me há pouco um Pizzolato mais descontraído do que na nossa primeira conversa. “Para a elite do banco era um absurdo completo eu levar gente não cheirosinha para as nossas atividades.”

“Quando o Lula assumiu, dos 28 diretores do Banco do Brasil, apenas três declaravam-se petistas. Os demais eram tucanos.  Logo, eu continuava sendo a oposição na direção do banco”, atenta Pizzolato. “De maneira que os membros do status quo do banco daquele período não querem me ver apenas preso. Eles gostariam que eu virasse pó. Sou um arquivo vivo de tudo o que aconteceu nas gestões de FHC e começo da de Lula.”

Messias certamente não quer a prisão de Cláudio de Castro Vasconcelos, embora a assinatura do ex-chefe esteja em todos os documentos que condenaram Pizzolato e em muitos outros. Afinal, Cláudio, além de amigo, foi quem possibilitou a Messias alçar vôos mais altos na máquina pública de Brasília, a ponto de hoje ser o segundo da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

Leia também:

Helena Chagas diz que governo desconcentra verbas publicitárias

Miguel do Rosário: Globo cobrada em R$ 615 milhões por sonegação 

Altercom: Relatório da Secom comprova concentração de verbas

Pimenta cobra; Secom diz que faz mídia “técnica”; Globo recebeu R$ 5,86 bi

Renato Rovai: A chamada mídia técnica versus a qualidade democrática

Venício Lima: Por que o governo deve apoiar a mídia alternativa

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR

 

142 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

O futuro da Secom no governo Dilma: Quem não faz, toma | Araraquara News

29/12/2014 - 19h36

[…] Para completar, o atual ministro não mudou a lógica de distribuição de verbas publicitárias, privilegiando aqueles mesmos veículos que dia e noite fazem campanha contra o governo e suas ações. Quem manda na publicidade do governo continua sendo o secretário-executivo da época de Helena Chagas, o “bacaníssimo” Roberto Messias (veja aqui e aqui). […]

Responder

O futuro da Secom no governo Dilma: Quem não faz, toma « Viomundo - O que você não vê na mídia

29/12/2014 - 18h30

[…] Para completar, o atual ministro não mudou a lógica de distribuição de verbas publicitárias, privilegiando aqueles mesmos veículos que dia e noite fazem campanha contra o governo e suas ações. Quem manda na publicidade do governo continua sendo o secretário-executivo da época de Helena Chagas, o “bacaníssimo” Roberto Messias (veja aqui e aqui). […]

Responder

A Bolsa Mídia, em números | Luizmuller's Blog

08/11/2014 - 15h55

[…] “Messias” de que fala o Paulo Henrique Amorim, com acidez, é Roberto Messias, o secretário-executivo da Secom, o homem que comanda, de verdade, a burocracia da […]

Responder

A Itália vai desmoralizar o mensalão. Cadê o 2474 ? | Conversa Afiada

19/11/2013 - 13h01

[…] o site do STF e, na coluna Jurisprudência, buscar Inq2474.Mas muito pouco se sabe sobre ele (aqui e aqui). O ministro Joaquim Barbosa, seu relator até julho de 2013, decretou segredo de justiça […]

Responder

AOS QUE SE FORAM DEVIDO A MINHA DEFESA IRRESTRITA A GENOINO | Maria Frô

16/11/2013 - 13h03

[…] Li as reportagens de Conceição Lemes que mostra que Pizzolato também não poderia ter praticado o…, há documentos, datas, nada bate. […]

Responder

"Segredo no inquérito 2474 vai na contramão da Lei da Transparência" - Viomundo - O que você não vê na mídia

04/09/2013 - 20h19

[…] Messias vs. Pizzolato: Visita aos bastidores dos governos Lula e Dilma […]

Responder

Lei da Mídia Democrática será lançada no Congresso nesta quinta - Viomundo - O que você não vê na mídia

21/08/2013 - 16h23

[…] Messias vs. Pizzolato: Visita aos bastidores dos governos Lula e Dilma […]

Responder

Paulo Moreira Leite: Por que bonzinhos querem acabar logo com o show? - Viomundo - O que você não vê na mídia

19/08/2013 - 14h16

[…] Messias vs. Pizzolato: Visita aos bastidores dos governos Lula e Dilma […]

Responder

Paes debocha, secretário de Cabral ameaça e mídia manipula - Viomundo - O que você não vê na mídia

19/08/2013 - 10h34

[…] Messias vs. Pizzolato: Visita aos bastidores dos governos Lula e Dilma […]

Responder

Maierovitch: "Atribuir a um juiz a chicana vira prevaricação, no mínimo" - Viomundo - O que você não vê na mídia

17/08/2013 - 12h53

[…] Messias vs. Pizzolato: Visita aos bastidores dos governos Lula e Dilma […]

Responder

Joaquim Barbosa não responde a perguntas sobre o inquérito 2474, apelidado de "gavetão" - Viomundo - O que você não vê na mídia

15/08/2013 - 14h23

[…] muito pouco se sabe sobre ele (aqui e aqui). O ministro Joaquim Barbosa, seu relator até julho de 2013, decretou segredo de justiça […]

Responder

Ermínia Maricato: "As cidades estão entregues ao caos" - Viomundo - O que você não vê na mídia

10/08/2013 - 15h43

[…] Messias vs. Pizzolato, uma visita aos bastidores dos governos Lula e Dilma […]

Responder

Fora do Eixo: Revolução ou "empreendedorismo radical"? - Viomundo - O que você não vê na mídia

09/08/2013 - 21h43

[…] Messias vs. Pizzolato, uma visita aos bastidores dos governos Lula e Dilma […]

Responder

Em maio de 2010, denúncia de propina no Metrô: "Não esquece do gambá" - Viomundo - O que você não vê na mídia

08/08/2013 - 14h19

[…] Messias vs. Pizzolato, uma visita aos bastidores dos governos Lula e Dilma […]

Responder

“Porque sim” não é resposta: amnésia na Secom de Dilma – Escrevinhador

07/08/2013 - 14h17

[…] 1.Reafirmamos o conteúdo da reportagem Roberto Messias vs. Henrique Pizzolato: Os bastidores dos gove…. […]

Responder

Denis l Paula Santos

06/08/2013 - 20h18

Só há um culpado para a crise que se instala no governo Dilma, e se alastra sem possibilidade de cura. “Lula” é o culpado. Dilma é um poste mesmo! fora Dilma! Ou o PT arranja um bom candidato “político” para 2014, ou o povo vai votar nulo ou branco. Se Dilma não sabia destes fatos, então a partir de hoje não tem mais desculpa para trabalhar contra o PT e financiar o PIG. Vamos derrotar Dilma em 2014 antes que ela devolva o país aos conservadores e fascistas do PIG.

Responder

    Levy S.

    20/08/2013 - 14h03

    Concordo, a Dil.a demite hoje esses pilantras do PSDB ou o PT tem que procurar outro candidato menos inepto!

A estranha amnésia de Messias | Conversa Afiada

06/08/2013 - 20h07

[…] Saiu no Viomundo resposta de Conceição Lemes a Roberto Messias, sobre o texto “Roberto Messias vs. Henrique Pizzolato: Os bastidores dos governos Lula e Dilma.” […]

Responder

Conceição Lemes: A estranha "amnésia" de Messias - Viomundo - O que você não vê na mídia

06/08/2013 - 19h32

[…] 1.Reafirmamos o conteúdo da reportagem Roberto Messias vs. Henrique Pizzolato: Os bastidores dos gove…. […]

Responder

Roberto Messias desmente tudo, inclusive conversa com repórter Lemes - Viomundo - O que você não vê na mídia

06/08/2013 - 09h05

[…] via Secretário de Imprensa da Presidência da República, a propósito deste texto da repórter Conceição Lemes […]

Responder

Dênis de Moraes: Megagrupos estrangeiros avançam na mídia - Viomundo - O que você não vê na mídia

06/08/2013 - 01h42

[…] Roberto Messias vs. Henrique Pizzolato: Uma visita aos bastidores dos governos Lula e Dilma […]

Responder

Centrais sindicais protestam em todo o país contra terceirização - Viomundo - O que você não vê na mídia

05/08/2013 - 21h06

[…] Roberto Messias vs. Henrique Pizzolato: Uma visita aos bastidores dos governos Lula e Dilma […]

Responder

Jotage

05/08/2013 - 17h35

Vendo tanta sujeira debaixo dos olhos da Dilma e ela inerte, começo a desconfiar que ela não falou nada sob interrogatório na época da ditadura porque ela é muda.

Responder

Josue Almeida

05/08/2013 - 17h27

Eu já passei pela área de publicidade. Atuei como mídia de um conhecido veículo de papel. Depois trabalhei já no meu final de carreira na internet. hoje estou aposentado.

Há um problema na mídia que se chama BV. (bonificação por volume que o CENP chama de plano de incentivo). Ah o presidente atual do CENP já foi da SECOM e seu pai é contador do Zé Dirceu.

O BV é um dinheiro extra que as agências recebem dos veículos. Trata-se de um acordo firmado entre agência e veículo, se a agência comprar uma certa quantidade de mídia em uma escala (5 níveis), ela poderá receber um percentual a mais, podendo chegar no caso da TV a 15% e na internet até 30%. outubro e novembro para o próximo ano.

Assim as grandes agências Young, DPZ, Africa, JWT, Fnazca,Talent, WMcann, PPR, Giacommetti, entre outras além de receberem 20% quando compram mídia em um veículo (chamado desconto padrão) também ganham o BV. A Globo chega mesmo a antecipar o BV para forçar a agência a realmente cumprir o acordo, caso contrário a agência tem de devolver o dinheiro ao veículo.

Nas resoluções do último congresso da ABAP (V congresso) foi tirada uma das teses reafirmando que o BV é um dinheiro legitimo, assim tentando diminuir o peso negativo que o BV carrega.

Façam um teste; liguem para uma agência e peçam o organograma de mídia. A própria telefonista, secretária irá enviar o organograma. Nele constará o nome de toda equipe de mídia e em cada um o aniversário de seus integrantes. é um sistema que colocar qualquer garoto recém saído da faculdade numa posição privilegiada do negócio de mídia no Brasil.

Há agências que até não cobram fee pelos trabalhos realizados desde que o cliente invista xx em mídia por ano.

Responder

marco

05/08/2013 - 13h34

Eu fico pasmo quando vejo manifestações surpresas,com respeito ao comportamento de pequenos-burgueses,os mencionados nessa matéria,embora apoie as denuncias que são feitas contra eles,pessoas de uma classe social cujas aspirações restringem-se a levar seus filhos pra ver bonecos da Disney,arrumar uma bolsa de estudos nos E.Unidos,e com sorte arrumar um curso,pago por outros em Harwald,e que curtem tudo que é produzido naquele país,e cujas aspirações maiores é provar para seus conhecidos,que eles tem razão,nbão com o intuito de provar suas teses senão pra ganhar a discussão,como fazem com seus times de preferência,pessoas que não tem espírito crítico pelas limitações intelectuais,já que os respectivos cérebros não tem quase nenhum QI,e se escondem no velho moralismo com o qual combatem no terreno Político,as teses alheias,por não terem propostas senãp àquelas emitidas ´por seus patrões,e alegam para o desempenho,supostas liberdades tecnocráticas,como usualmente defendem para o dezempenho dos cargos públicos,e não passam de coadjuvantes da Direita,que os utiliza,com suas anuências e os pagam com meros afagos,moeda de troca dessers medíocres.Meros puxa-sacos,que devemos denunciar,contudo não irão mudar suas prática,posto terem o instituto da impunibilidade,garantido pelos Irmãos,que ocupam cargos em todas as instâncias,por serem da mesma classe social,e não temem qualquer obce que se lhes façam!Meros tecnocratas-cúmplices da sociedade de classes!Contudo acho louvável aqueles que se dispõem a denuncia=los,embora ache muito dificil ter-se sucesso!Meus parabém pela ótima matéria!

Responder

POPULARIDADE EM BAIXA: DILMA ROUSSEFF PAGA O PREÇO DE TER TUCANO EM CARGO ESTRATÉGICO DE GOVERNO FEDERAL | Educação Política

05/08/2013 - 12h52

[…] revelação do site Vi o Mundo, de que há um tucano em cargo estratégico da Secom (Secretaria de Comunicação) apontam para as […]

Responder

Escândalo: quem manda na SECOM ? Dilma ou FHC ? | Conversa Afiada

05/08/2013 - 10h39

[…] Roberto Messias vs. Henrique Pizzolato: […]

Responder

FrancoAtirador

05/08/2013 - 10h19

.
.
27/07/2005
CPMI DOS CORREIOS

Documento mostra que a conta [PARTICULAR] 601.999 da DNA Propaganda na agência 3608 do Banco do Brasil recebeu no período analisado (últimos cinco anos) R$ 230 milhões em depósitos.

A DNA abasteceu a própria conta com depósitos e transferências que somam R$ 71 milhões.

Os demais R$ 159 milhões resultam de depósitos de 27 empresas, na maioria identificadas como clientes ou empresas de comunicação, e de órgãos do governo de Minas Gerais.

A Telemig Celular e a Amazônia Celular, controladas pelo Opportunity, do banqueiro Daniel Dantas, fizeram nove depósitos que somam R$ 61,3 milhões. Outra controlada do Opportunity, a Brasil Telecom, fez um depósito de R$ 823 mil.

O relatório da CPI identificou dois depósitos da TV Globo,
somando R$ 3,6 milhões, e dois da Globosat, que somam R$ 180 mil.

O governo de Minas Gerais fez depósitos na conta da DNA por meio de sua conta única, da Secretaria de Fazenda e da Secretaria de Saúde, no valor de R$ 2,7 milhões.

A Subsecretaria de Comunicação Social disse que o governo mineiro tem contrato com a agência DNA, para prestação de serviços de publicidade, desde dezembro de 2003.

A Editora Abril é identificada como responsável por um depósito de R$ 303 mil.

O Sistema Pitágoras de Ensino depositou R$ 186 mil.
A família do ministro do Turismo, Walfrido Mares Guia, é acionista da empresa, que também é cliente da DNA Propaganda.

A análise inicial mostra que o maior depósito individual de uma empresa [PRIVADA] para a DNA, no valor de R$ 44,217 milhões, tem como origem a Companhia Brasileira de Meios de Pagamento [VISANET], segundo o relatório da CPI.

Trata-se de uma associação [PRIVADA] criada em 1995 pela Visa Internacional, Banco do Brasil, Bradesco e Banco Real, responsável pelos cartões de pagamento eletrônico Visanet.

A assessoria de imprensa da DNA informou que a agência detém, desde 1994, a conta publicitária dos cartões de crédito do Banco do Brasil, que operam pelo sistema Visanet.
.
.
27/07/2005 – 20h23
REUTERS

Visanet e teles de Dantas fizeram 2/3 de depósitos à DNA no BB

Ricardo Amaral e Natuza Nery
Em Brasília

Três empresas de telefonia ligadas ao Opportunity, de Daniel Dantas, e o consórcio controlador dos cartões Visanet foram identificados pela CPI dos Correios, segundo análise preliminar, como origem de mais de dois terços dos depósitos de terceiros recebidos no Banco do Brasil pela DNA Propaganda Ltda.

A DNA é uma das empresas com participação acionária de Marcos Valério Fernandes de Souza, acusado de ser operador do suposto pagamento de propinas a políticos conhecido como “mensalão”.

Um levantamento inicial feito pela CPI foi entregue à Reuters na noite de terça-feira (27) por um parlamentar, com o compromisso de não ser identificado.
O documento mostra que a conta [PARTICULAR] 601.999 da DNA Propaganda na agência 3608 do Banco do Brasil recebeu no período analisado (últimos cinco anos) R$ 230 milhões em depósitos.

A própria DNA abasteceu a conta com depósitos e transferências que somam R$ 71 milhões.

Os demais R$ 159 milhões resultam de depósitos de 27 empresas, na maioria identificadas como clientes ou empresas de comunicação, e de órgãos do governo de Minas Gerais.

A análise inicial mostra que o maior depósito individual de uma empresa [PRIVADA] para a DNA, no valor de R$ 44,217 milhões, tem como origem a Companhia Brasileira de Meios de Pagamento [VISANET], segundo o relatório da CPI.

Trata-se de uma associação [PRIVADA] criada em 1995 pela Visa Internacional, Banco do Brasil, Bradesco e Banco Real, responsável pelos cartões de pagamento eletrônico Visanet.

A assessoria de imprensa da DNA informou que a agência detém, desde 1994, a conta publicitária dos cartões de crédito do Banco do Brasil, que operam pelo sistema Visanet.

A Companhia Brasileira de Meios de Pagamento (Visanet) informou em comunicado “que os pagamentos efetuados para a agência de publicidade DNA foram aprovados como verba de marketing para o lançamento de novos produtos, incentivo à emissão e ativação de cartões de crédito e débito do Banco do Brasil, principal emissor de cartões do país”.

Outra operadora de cartões, a Servinet, depositou R$ 6,4 milhões. A Redecard fez dois depósitos que somam R$ 144 mil. Até as 20h20, a Redecard não havia comentado a informação.

A Telemig Celular e a Amazônia Celular, controladas pelo Opportunity, fizeram nove depósitos que somam R$ 61,3 milhões. Outra controlada do Opportunity, a Brasil Telecom, fez um depósito de R$ 823 mil.

Segundo a assessoria de imprensa da Brasil Telecom, a DNA realizou em 2003 uma campanha de utilidade pública, em rádio, em toda a área de cobertura da operadora.

As duas outras operadoras divulgaram um comunicado conjunto informando que “todos os pagamentos realizados às empresas DNA Propaganda Ltda. e SMP&B Comunicação Ltda. foram decorrentes tão somente de relação estritamente comercial existente entre as partes, fundamentada em efetiva prestação de serviços de publicidade pelas agências às Companhias”.

Prestação de serviços
A estatal Eletronorte fez três depósitos que somam R$ 16,5 milhões. O governo de Minas Gerais fez depósitos na conta da DNA por meio de sua conta única, da Secretaria de Fazenda e da Secretaria de Saúde, no valor de R$ 2,7 milhões.

Segundo a assessoria de imprensa da Eletronorte, “todos os serviços de publicidade da empresa são contratados via DNA, que foi escolhida por meio de licitação pública em 2001, obedecendo a legislação”.

A Subsecretaria de Comunicação Social disse que o governo mineiro tem contrato com a agência DNA, para prestação de serviços de publicidade, desde dezembro de 2003, para atendimento às áreas de saúde e meio ambiente.

“Portanto, a transferência de recursos à agência destina-se ao pagamento de serviços de produção e veiculação de campanhas publicitárias”, disse a subsecretaria à Reuters.

A assessoria de imprensa da DNA disse à Reuters que os depósitos correspondem ao pagamento pela prestação de serviços a essas empresas, incluindo criação, produção e veiculação de publicidade. Segundo a assessoria, a DNA tem condições de provar a execução de todos os serviços.

O levantamento da CPI também inclui três depósitos da Fiat Automóveis, totalizando R$ 4,6 milhões.

“A DNA foi agência de propaganda da Fiat de agosto de 2000 a abril de 2005 na publicidade de varejo no Estado de Minas Gerais. É uma relação comercial normal e absolutamente transparente”, disse a assessoria da Fiat.

Os documentos da CPI mostram também dois depósitos da Construtora Norberto Odebrecht totalizando R$ 149 mil. Em um comunicado, a empresa diz que o relacionamento com a DNA começou em 2002.

“Pelo contrato, que foi rescindido em 15 de julho passado, a construtora obrigava-se, na primeira fase do projeto, a remunerar a agência com um percentual de 0,45% sobre o valor geral das vendas”, o que representou para a DNA “a quantia de R$ 387 mil”, diz a empresa no comunicado.

A empresa afirma ainda que “uma segunda fase do projeto foi iniciada em abril de 2005″ e tinha a mesma forma de representação da etapa anterior, “o que significaria uma remuneração da ordem de R$ 202 mil” à DNA, se não tivesse havido a rescisão do contrato.

O Sistema Pitágoras de Ensino depositou R$ 186 mil. A família do ministro do Turismo, Walfrido Mares Guia, é acionista da empresa, que também é cliente da DNA Propaganda.

Empresas de Comunicação
O relatório da CPI identificou dois depósitos da TV Globo, somando R$ 3,6 milhões, e dois da Globosat, que somam R$ 180 mil.

Segundo a Central Globo de Comunicação, “como todos os veículos de comunicação que veiculam publicidade, a TV Globo pagou comissão legalizada a uma agência de publicidade regularmente estabelecida”.

A Editora Abril é identificada como responsável por um depósito de R$ 303 mil. Em nota oficial, o Grupo Abril afirma que “mantém relacionamento comercial com a grande maioria das agências de publicidade do país e que pagamentos de comissões em nome de agências fazem parte das práticas normais da atividade”.

O relatório da CPI demonstra que a DNA também fez transações bancárias com as empresas de comunicação Folha da Manhã (Folha de S. Paulo), Ogilvy Brasil, Grupo Três (IstoÉ), For Comunicação, Símbolo Editora e Editora JB (Jornal do Brasil e Gazeta Mercantil).

O relatório informa que a DNA autorizou transferências eletrônicas (TEDs) para a Folha da Manhã, Editora JB e Grupo Três que, por algum tipo de erro, foram devolvidas à conta da agência e contabilizadas como depósitos.

A assessoria da DNA informou que compra regularmente espaço publicitário dessas empresas para seus diversos clientes.

(http://noticias.uol.com.br/ultnot/2005/07/27/ult27u50309.jhtm)

Responder

Mardones

05/08/2013 - 09h23

Ele está certíssimo em desejar a prisão do Pizolatto. É uma batalha em que importa a aniquilação do oponente. Qualquer outra interpretação é fora de cogitação.

O PT deixou muitos executivos do PSDB atuando em áreas importantes do governo. Acha que vai colher o quê?

A política de comunicação da Dilma é a mesma de FHC: manutenção do PIG como quarto poder.

Responder

    Julio Silveira

    05/08/2013 - 20h55

    Concordo.

...

05/08/2013 - 00h13

A direita loteia não só a secom, mas também as autarquias e empresas de economia mista. Eles indicam aos cargos somente pessoas politicamente afinadas com sua visão. Buscam o tempo todo atacar os trabalhadores. Desgasta-os, ameaça e rebaixa seus rendimentos ao arrepio da lei. Inclusive com leis internas que impedem a divulgação de tais desmandos sob pena de punição administrativa. Estas empresas são verdadeiras fábricas facistas. Seu ambiente de trabalho é adoecedor. Estes pseudo técnicos pensam no processo e em reestruturações. Contudo por trás dos seus atos está a tentativa de diminuir salários e até terceirizar o trabalho, num desrespeito total aos trabalhadores (por que eles não são trabalhadores). Desconhecem o trabalho. Criam cargos para ocupar os que executarão qualquer absurdo comandado (tudo por indicação, com seleções “pró forma”). Poderia falar aqui muito. Mas tenho medo que, expondo situações ridículas como são, caiam em descrédito. Para crescer nestas empresas é necessário ser de direita! Os trabalhadores perguntam o tempo todo do partido que ajudaram a eleger. Enquanto passa o tempo a direita se estrutura dos maiores aos menores cargos criados.

Responder

Brasileiro, o outro

04/08/2013 - 22h50

Bom, certamente a Dilma já sabia de tudo isso que aqui foi exposto.
Até o momento, apesar de toda a grita nos blogs sujos pra que substituísse a máfia da SECOM – Chagas à frente, continua a manter sua amiguinha e a trupe canalha que a acompanha (cujos nomes já foram listados no artigo da Conceição) sem uma admoestação ou crítica.
Quem é Dilma Rousseff, afinal?
De início, imaginei ser uma pessoa de nível intelectual médio, mas que padecia de uma miopia galopante que não lhe permitia identificar claramente os inimigos.
Depois, não sei por que cargas d’agua, imaginei fosse uma pessoa inteligentíssima que resolvera manter perto os inimigos para melhor vigia-los (de acordo com o ditado).
Mais tarde, frente à sua cada vez mais acentuada miopia, imaginei ser apenas uma débil mental que não era capaz de enxergar um palmo à frente do nariz.
Mais tarde ainda, acreditei ser ela apenas uma pessoa medíocre (no sentido exato do termo), mas de uma covardia tão grande que ofuscaria quaisquer atributos positivos que tivesse, se os tivesse.
Atualmente reputo-a como uma traidorazinha barata e covarde que terminará entregando o Brasil e seu povo, novamente, à sanha da extrema direita.
E, ao contrário de muitos, não acho que apenas a extrema direita seja golpista: o epíteto veste muito melhor a Sra. Dilma Rousseff.
Essa mulher nos fará perder a todos; terminará descerrando suas baterias contra o próprio Lula. Questão de tempo apenas.
Assim, em quem votar em 2014?
Olhando para o lado de lá, não vejo ninguém que seja minimamente parecido com algo que se possa reconhecer como um ser humano.
Terei que entregar o voto novamente àquela que hoje sei ser uma traidora: estou entre a cruz e a caldeirinha.
Taparei, pois, o nariz e depositarei meu voto na Sra. Dilma Rousseff, a pusilânime traidora que ora ocupa o Palácio.

Responder

    Brasileira

    05/08/2013 - 09h52

    A melhor análise de Dilma Roussef que eu já li, você conseguiu sintetizar tudo muito bem. Eu também já passei por todas estas fases de pensamento, até débil mental eu já pensei que ela era, mas não e só uma quinta coluna mesmo.

    Domingos Sávio Maia

    08/08/2013 - 13h10

    Sou funcionário do BB desde 1982 e assino embaixo da sua análise. Perfeita. O que estão fazendo com o banco é simplesmente lotear os cargos mais importantes que existem em Brasília, Rio e SP na mão do povo tucano e dos sindicalistas que não sabem de nada vezes nada. Nós que estamos na base é que fazemos o banco dar lucro. Essa turma só quer peitinhos e mais peitinhos. Absolutamente nojento e digno de uma Auditoria Interna que sabemos nunca acontecerá. Dilma sabe e Lula também.

M.Cruz

04/08/2013 - 20h07

Parabéns!
De um resposta típica de criança de 4 ou 5 anos (porque sim), a Conceição Lemes fez uma excelente investigação e MAIS uma reportagem que merecia todos os prêmios de jornalismo investigativo.
Agora está explicado, em boa parte, a destinação preferencial das verbas federais de publicidade para o PIG e a falta crônica de comunicação do governo Dilma.
Continue assim Viomundo, ainda falta muito a ser desvendado.

Responder

Palestina Livre

04/08/2013 - 18h52

E os cara-de-pau ainda têm a coragem de afirmar que o PT “aparelhou” o Estado de Petralhas.

Responder

Liz Almeida

04/08/2013 - 17h01

TROCA, Dilma!

Responder

Marmeladov

04/08/2013 - 16h33

“Para começar, o governo Lula zombou da crise, era uma “marolinha”, e seguiu funcionando, fagueiro, como se nada precisasse ser feito para ajustar o rumo. Houve, portanto, uma avaliação errada da conjuntura. Mas houve outras barbeiragens. O lulopetismo, arrogante, colocou a lanterna na popa do barco e, rumando para o passado, retomou as políticas dos tempos militares geiselianos como se avançasse intrépido para o futuro. Tome subsídios para pobres e ricos. Perceberam tarde que o cobertor era curto, faltaria dinheiro. Se há problemas, tome maquiagem: o Tesouro se endivida, pega emprestado dinheiro no mercado, repassa-o ao BNDES, que fornece os mesmos recursos aos empresários amigos do rei. Toma-se dinheiro a, digamos, 10% e se concede a 5%. Quem paga a farra: eu, você, os contribuintes todos e os consumidores, pois algo dessa mágica desemboca em inflação.”

Responder

Jose

04/08/2013 - 15h56

Sou funcionário do Banco do Brasil e trabalho em Brasília em uma diretoria. Não só o Messias pertence ao PSDB/DEM… existem muitos outros que são ovacionados por Dilma e PT (O que comprova a falta de projeto político de ambos). Atualmente a diretoria de pessoas vem retirando direito dos trabalhadores de forma acintosa e o governo federal finge que não é com ele (parece que o governo do PT não manda em nada, apenas possui a nomenclatura de Presidente do Brasil). Outro fato curioso é que uma colega de Minas Gerais só não foi nomeada em BSB por ter participado de GREVE… incrível. Esse é o GOVERNO do PT de DILMA.
Não dá para acreditar que Dilma seja realmente de esquerda… creio que seja mais uma neoliberal infiltrada na ala progressista.

Responder

    Rodrigo Silva

    05/08/2013 - 18h14

    Na Petrobras acontece o mesmo. Os gerentes trabalham para retirar direitos dos trabalhadores.

Iza

04/08/2013 - 15h53

Preso tem que ser esse covarde, medroso, Roberto Messias!
São esses vigaristas da Secon, que diariamente abrem as perna para a Globo, Folha, Veja, Estadão fuderem o governo Dilma.

Responder

FrancoAtirador

04/08/2013 - 15h49

.
.
Isto está mais para bastidores do Governo FHC…
.
.

Responder

Acássia

04/08/2013 - 15h03

Mais:

Já leu um livro, O Corpo fala?

Responder

Acássia

04/08/2013 - 15h02

Aforismo:

Ae há um PSDBista acusando um pestista, cuide de verificar a causa: há um PSDbista querendo esconder algo do PSDB.

Responder

Ciro Gomes: A militância de esquerda corre o risco de ser engolida pela direita golpista - Viomundo - O que você não vê na mídia

04/08/2013 - 14h42

[…] Roberto Messias vs. Henrique Pizzolato: Uma visita aos bastidores dos governos Lula e Dilma […]

Responder

Arestides Fronza

04/08/2013 - 13h13

Depois de tudo isso explicado e desenhado o que é preciso fazer pra acabar com a farsa do “mensalão”?

Responder

Cabral: Contrato de concessão do Maracanã está "em suspenso" - Viomundo - O que você não vê na mídia

04/08/2013 - 13h10

[…] Roberto Messias vs. Henrique Pizzolato: Uma visita aos bastidores dos governos Lula e Dilma […]

Responder

Kleber

04/08/2013 - 12h22

A revista Retrato do Brasil, ed. 71 de junho/2013, retrata “A trama dos 3 acusadores”: os PGRs, Antônio Fernando de Souza, Roberto Gurgel e do ministro, acusador por escolha, Joaquim Barbosa.
Vale a pena ler!
http://www.slideshare.net/megacidadania/retrato-do-brasil-junho-2013-n71

Responder

Fabio Passos

04/08/2013 - 11h09

Será que roberto messias assiste jn e le revista veja? rsrs
Quer os petistas presos… “porque sim”.
Um boneco do PiG na secom.
E o dinheiro público indo pros bolsos de marinho, civita, frias, mesquita…

Responder

    Marmeladov

    04/08/2013 - 21h51

    É a zelite branca, cumpanhêru.

ted tarantula

04/08/2013 - 09h46

o cristianismo e o marxismo tem muito mais semelhanças que diferenças, percebe-se com facilidade. A principal é sua necessidade de pobres como matéria prima de seu protejo: cristão para fazer caridade e salvar sua alma e comunistas para conquistar e manter o poder. Ambos não podem prescindir dos pobres e assim os cultivam como hortaliças…

Responder

    Mário SF Alves

    04/08/2013 - 13h58

    Tá faltando uma categoria aí, hein, Tarântula?

    ________________________________

    Assim, e ainda que sua generalização corresponda à realidade, faltou esclarecer o que são os pobres para essa tal terceira categoria, não?

marco

04/08/2013 - 08h59

depois dessa acho que a dilma é tucana enrustida…

Responder

Laure

03/08/2013 - 23h44

Jornalismo do mais alto nível. Nota 10 para Conceição Lemes.

Responder

Neotupi

03/08/2013 - 23h02

Conceição, mais uma novidade:

Messias foi multado por irregularidades em R$ 3.000 pelo TCU quando gerente da DIMAC no BB, com relação aos contratos de publicidade incluindo o da DNA Propaganda.

http://www3.propmark.com.br/publique/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?from_info_index=2491&infoid=41842&sid=6

Consta no relatório oficial do TCU item 9.6 no link abaixo:

https://contas.tcu.gov.br/juris/SvlHighLight;jsessionid=C18B93737F5B1A14509D126F86115E47?key=ACORDAO-LEGADO-75965&texto=50524f43253341313230393532303035382a&sort=RELEVANCIA&ordem=DESC&bases=ACORDAO-LEGADO;DECISAO-LEGADO;RELACAO-LEGADO;ACORDAO-RELACAO-LEGADO;&highlight=&posicaoDocumento=0

Responder

    Conceição Lemes

    04/08/2013 - 00h42

    Neotupi, aquele texto que aparece no relatório final da CPI dos Correios é, na verdade, parte dessa investigação do TCU, que logo mais detalharei. Aí, já é decisão final em relação ao Messias. Dos 13 citados no link que vc postou, boa parte foi inocentada pelo TCU, inclusive o Pizzolato. abs

    Kleber

    04/08/2013 - 03h12

    Se o Messias foi multado/punido pelo TCU, isto não é impedimento/inabilitação para exercer um cargo público?

    Conceição Lemes

    04/08/2013 - 10h17

    Kleber, não saberia te informar agora. Até porque pode ter havido recurso também.Além disso não é toda punição que impede o servidor público de continuar trabalhando. Talvez seja o caso em questão. De qualquer forma, consultarei amanhã o TCU para te responder com precisão. abs

    JOTACE

    04/08/2013 - 16h46

    Ora, Kleber, por tudo quanto se denuncia desde há muito tempo, parecem ser até credenciais para que o governo aja sempre em consonância com os preceitos e interesses democutanos. Atendidas ou não as possiblidades levantadas pela Conceição Lemes, pra nomear os antipátrias protetores/associados ao PiG nos cargos mais estratégicos, o governo da Dilma desafiaria qualquer princípio legal, moral ou ético. A necessidade da atuação da Secom no favorecimento à Globo – e a outros componentes do PiG – iria até muito mais longe.

Impeachment de Beto Richa Já!

03/08/2013 - 20h57

Azenha:

No RS, o Tarso Genro também fez uma CU. ( conta única )
E já sacou a grana dos depósitos judiciais e colocou na C.U. dos gauchos!
Como aqui no PR fez o Beto Richa.

Só que lá, o PDT, que tem o presidente do TCE, já pediu o imepachmeant do Governador Tarso à assembléia!

Ou seja, todo mundo fala de gaucho, faz piadas sobre a masculinidade dos nossos irmãos do sul, mas de direita ou de esquerda, parece que lá os caras são muito mais corajosos e corajosas do que aqui. ( lembram o caso da Yeda Crusius?)

Enquanto que aqui, os covardes deputados, inclusive do PT, ( não todos é verdade) , além de não fazerem o mesmo, SE VENDERAM PARA O GOVERNADOR E O PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA, apoiando a eleição do filho deste ultimo, no mais FLAGRANTE CASO DE NEPOTISMO EXPLÍCITO QUE SE TEM NOTÍCIA NO BRASIL, para conselheiro do TCE.

E qual foi a desculpa do presidente do Partido dos Trabalhadores para tamanha MOLECAGEM?

ATENÇÃO PARA ESSA PÉROLA:

“Assim, votando no filho do presidente do TJ para conselheiro do TCE, quando algum prefeito nosso tiver “um problema no TCE”, nós teremos alguém para resolver o problema”…

Outro deputado do PT, preferiu “chorar” depois , lamentando ter feito a mesma MOLECAGEM.

Isso é uma vergonha!
E ninguém faz nada!
O Paraná está virando uma província de quinta categoria!

Qualquer dia, vai mudar de nome e vai se chamar “Alagoas do Sul” !!!

E pensar que no nosso tribunal de justiça, uma maioria de desembargadores ao escolher entre um homem justo e probo e um outro, preferiu o outro, que nos leva a essa situação, junto com um verdadeiro play boy investido em cargo de tamanha relevância como o de Governador de Estado.

Pior ainda é pensar que o Conselho Nacional de Justiça, criado para COIBIR ESSE TIPO DE PRÁTICA NEPOTISTA, finja que não acontece nada…

E mande para cá , para investigar, um velho amigo dos investigados, captado em conversa amistosa com um deles pela Polícia Federal, aconselhando-o a deixar o Paraná e ir atuar em Santa Catarina, para não atrapalhar o negócio que familiares do presidente do Tribunal tem no ramo de síndicos de massas falidas, nomeados pelo próprio TJ-PR.

Isso é uma vergonha!

Onde está o presidente do CNJ?
Onde está o presidente da OAB-PR?
Onde está o presidente do IAB-PR?
Onde está o chefe do Ministério Público Estadual?
Onde está o chefe do Ministério Público Federal no Paraná?
Onde está o Ministro da Justiça?
Onde estão os desembargadores que votaram no homem probo e justo que concorreu ( e perdeu por apenas um voto) contra o praticante do mais abjeto e nojento caso de NEPOTISMO INTER-PODERES QUE SE TEM NOTÍCIA, que haje como se fosse um Conde, um Duque, um Capitão Hereditário, apenas porque covardes pensam que ele possua sobre eles segredos terríveis?

Onde está esse homem probo?

Onde estão os demais desembargadores inclusive os aposentados, que não se unem para livrar o judiciário do Paraná desta situação vexatória?

Onde estão os estudantes de direito, seus Centros Acadêmicos, seus Partidos estudantis? Onde estão os demais estudantes, os demais centros acadêmicos?

ONDE ESTÃO OS MANIFESTANTES DO MES PASSADO QUE NAO PROTESTAM CONTRA ESSE TIPO DE BARBARIDADE?

Onde estão os juízes, os procuradores?
Onde estão os médicos, os engenheiros, os dentistas, os administradores de empresa, farmacêuticos, economistas, arquitetos, metalurgicos, pedreiros, enfermeiros?

Se o nosso judiciário e o tribunal que julga as contas dos administradores públicos tem homens eleitos dessa forma, que confiança podemos ter não só nessas instituições, mas nós mesmos, uns nos outros?

Que tipo de gente somos nós?

Será que todos tem medo de um único homem, só porque até o final do ano que vem ele está presidente do Tribunal de Justiça do Paraná?

Será que todo mundo tem o rabo preso com ele?

Será que todo mundo tem processo no Tribunal e precisa da “ajuda” deste senhor que já incorreu em vários ilícitos perfeitamente caracterizados?

Será que todos tem medo?

A oposição ao PT RS colocou no ar o modelo de pedido de impeachmeant do Governador Tarso genro, num blog de um jornalista de extrema-direita de lá.

Para facilitar aos briosos deputados do PT do PR e de outros de oposição ( será que existe mesmo oposição ao Beto Richa na AL?) , sugiro que V. coloque bem visível esse pedido protocolado na AL-RS no teu site, Esmael :

http://www.polibiobraga.com.br/impeachment.pdf

Vamos ver se tem alguém com coragem no mundo político paranaense, ou se estão todos mesmo é querendo apenas se arrumar, ganhar novos mandatinhos, continuar sua vidinha, enquanto os otários trabalham.

Afinal, como dizem “los hermanos argentinos” : “Los vivos viven de los tontos y los tontos de su trabajo”.

Puta que pariu! Falei. Pronto!

Responder

Francisco

03/08/2013 - 20h00

Dilma é burra.

Responder

    mineiro

    03/08/2013 - 21h34

    so burra nao , traidor , incompetente e pau mandado do pig golpista. ela é a prova viva de como nos fazer de idiota. essa mulher manteve no governo dela gente da pior especie , e o pior de tudo , aceitou tudo e assinou em baixo. se eu tiver um minimo de vergonha na cara , nunca mais voto nessa mulher. o duro disso tudo é do outro lado tem os demonios tucanos e a lacraia falante. ta feia a coisa para nos.

    anac

    04/08/2013 - 03h00

    Voto em Dilma, enquanto tiver do outro lado os tucanos traidores e ladões de bilhão e a marina blablarina da direita

    JOTACE

    04/08/2013 - 16h59

    Caro Anac, será que não te sentes traído (também) pela Dilma, como milhões de outros brasileiros que acreditaram no passado dela dos idos de 64, e nas promessas que fizeram a “Mãe dos Pobres” e Lula, antes das eleições?

jõao

03/08/2013 - 19h56

Documentos revelam participação de FHC e Gilmar Mendes no ‘valerioduto tucano’
Imprimir E-mail
ШАБЛОНЫ YOOTHEME
ШАБЛОНЫ НЕДВИЖИМОСТИ JOOMLA
Publicado em Sábado, 03 Agosto 2013 18:04 Escrito por Daniel Pearl

Documentos reveladores e inéditos sobre a contabilidade do chamado ‘valerioduto tucano‘, que ocorreu durante a campanha de reeleição do então governador de Minas Gerais Eduardo Azeredo (PSDB), em 1998, constam de matéria assinada pelo jornalista Leandro Fortes, na

edição dessa semana da revista Carta Capital. A reportagem mostra que receberam volumosas quantias do esquema, supostamente ilegal, personalidades do mundo político e do judiciário, além de empresas de comunicação, como a Editora Abril, que edita a revista Veja.
Estão na lista o ministro Gilmar Mendes, do STF, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), os ex-senadores Artur Virgílio (PSDB-AM), Jorge Bornhausen (DEM-SC), Heráclito Fortes (DEM-PI) e Antero Paes de Barros (PSDB-MT), os senadores Delcídio Amaral (PT-MS) e José Agripino Maia (DEM-RN), o governador Marconi Perillo (PSDB-GO) e os ex-governadores Joaquim Roriz (PMDB) e José Roberto Arruda (ex-DEM), ambos do Distrito Federal, entre outros. Também aparecem figuras de ponta do processo de privatização dos anos FHC, como Elena Landau, Luiz Carlos Mendonça de Barros e José Pimenta da Veiga.
Os documentos, com declarações, planilhas de pagamento e recibos comprobatórios, foram entregues na véspera à Superintendência da Polícia Federal, em Minas Gerais. Estão todos com assinatura reconhecida em cartório do empresário Marcos Valério de Souza – que anos mais tarde apareceria como operador de esquema parecido envolvendo o PT, o suposto “mensalão”, que começa a ser julgado pelo STF no próximo dia 2. A papelada chegou às mãos da PF através do criminalista Dino Miraglia Filho – advogado da família da modelo Cristiana Aparecida Ferreira, que seria ligada ao esquema e foi assassinada em um flat de Belo Horizonte em agosto de 2000.
Segundo a revista, Fernando Henrique Cardoso, em parceria com o filho Paulo Henrique Cardoso, teria recebido R$ 573 mil do esquema. A editora Abril, quase R$ 50 mil e Gilmar Mendes, R$ 185 mil. Por Redação – de São Paulo e Brasília.

Responder

    Mário SF Alves

    03/08/2013 - 20h43

    “Segundo a revista, Fernando Henrique Cardoso, em parceria com o filho Paulo Henrique Cardoso, teria recebido R$ 573 mil do esquema. A editora Abril, quase R$ 50 mil e Gilmar Mendes, R$ 185 mil.”
    ____________________________________

    Só isso?!! E vale a pena jogar no lixo uma biografia por conta de uma miséria dessa?
    ___________________________________________
    Por biografia, entenda-se: tudo posso naquele EEUU que me fortalece + tudo pelos EEUU + EEUU acima de tudo = tudo pelo subdesenvolvimentismo capitalista naZional = BraZil-eterna-senzala.

Isidoro Guedes

03/08/2013 - 19h48

Quanto mais se vai a fundo em relação a essa indecente e espetaculosa AP 470 (do “mentirão) mais se vê o quanto de indecente e escandalosa foi a condenação de inúmeros de seus réus (sem provas) e apenas por pura motivação política (o fato dos envolvidos serem do PT). Pois não houvesse motivação política o “mensalão” (do PSDB) mineiro já teria sido julgado e os culpados (caso houvesse delito comprovado) punidos. O problema é que para a nossa justiça (pressionada pela mídia de direita) e para o nosso partidarizado M), corrupção é coisa de petista. Se fosse seria muito bom, pois os problemas de corrupção no país se acabariam e pronto.
A questão é que isso é uma deslavada mentira. E ao não se punir políticos (de que partido seja) e corruptores do mundo empresarial a corrupção continua por aí… Lisa, leve e solta!

Responder

Neotupi

03/08/2013 - 19h43

Conceição, só uma correção: Messias foi mencionado na CPI dos Correios, sim, ao lado de Pizzolato, não sei se justa ou injustamente. No Relatório final Vol. II pag. 961. Eis o trecho:

O processo TCU-012.095/2005-8, encontra-se em fase de audiência, uma vez que foram expedidas notificadas as seguintes pessoas: Srs. Henrique Pizzolato, Renato Luiz Belineti Naegale, Cláudio de Castro Vasconcelos, Francícero C. Vieira de Araújo, Luciano de Fries, Carlos Alberto Reis Figueiredo, José Humberto Valentino Vieira, Fabrício Gonçalves Costa, Rodrigo Nunes Gurgel, João Daniel da Silva, Roberto Bocorny Messias e Kadiê Rodrigues de Medeiros por participarem de atos ilícitos e antieconômicos na gestão dos recursos destinados à publicidade e propaganda do Banco do Brasil.

http://pt.wikisource.org/wiki/P%C3%A1gina:Relat%C3%B3rio_Final_da_CPMI_dos_Correios_-_Volume_II.djvu/472

Responder

    Conceição Lemes

    03/08/2013 - 20h14

    Obrigadíssima, Neotupi. Vou checar. abs

    FrancoAtirador

    03/08/2013 - 23h25

    .
    .
    Conceição.

    Roberto Messias também foi citado na AP 470

    por uma ex-funcionária do Banco do Brasil

    que prestou depoimento como testemunha.

    Curiosamente ela foi arrolada pela acusação…

    “A SRA. REPRESENTANTE DO MINISTÉRIO PÚBLICO – Quem do Banco lhe transferia as orientações?
    A SRA. DANÉVITA FERREIRA DE MAGALHÃES – É, vinha orientação do diretor com o gerente e a pessoa era o subgerente, que era o Senhor Roberto Messias…

    A SRA. REPRESENTANTE DO MINISTÉRIO PÚBLICO – O Plano de mídia, a senhora recebeu de quem? Aquele que a senhora recusou a assinar.
    A SRA. DANÉVITA FERREIRA DE MAGALHÃES – O Plano de Mídia vem diretamente da agência. O diretor de mídia da agência confecciona o plano, e o procedimento anterior era: tudo passava pelo núcleo de mídia para que houvesse uma conferência, inclusive de valores, de estratégia, de tática de mídia. Só após essas operações é que o Banco aprovava e liberava a verba para pagamento.

    A SRA. REPRESENTANTE DO MINISTÉRIO PÚBLICO – Do Banco, a quem competia a aprovação?
    A SRA. DANÉVITA FERREIRA DE MAGALHÃES – Senhor Roberto Messias, Senhor Cláudio Vasconcelos e Senhor Henrique Pizzolato.”
    (…)
    “que foi comunicada por Roberto Messias, à época gerente de mídia do
    Banco, que seria demitida…
    (…)
    que não aceitou qualquer pagamento, a não ser seus direitos trabalhistas (…)
    que, desta forma, foi calculado o pagamento de três meses de salário referente aos meses de férias não desfrutados;
    que recebeu esse pagamento por intermédio da DNA Propaganda, perfazendo o total de R$38.188,OO (trinta e oito mil, cento e oitenta e oito reais), que foi depositado em sua bancária no dia 30 de setembro de 2004;
    que foi demitida no dia 06 de setembro de 2004, tendo recebido o valor referente ao aviso prévio;
    que acredita que, como esse pagamento não cabia a ninguém, o mesmo foi assumido pela DNA Propaganda.”

    (Depoimento de fls. 19.158/19.161, confirmado às fls. 20.114/20.128)

    http://www.stf.jus.br/arquivo/cms/noticianoticiastf/anexo/votoap470bb.pdf

    Conceição Lemes

    04/08/2013 - 00h35

    FrancoAtirador, ele é citado por uma pessoa que prestou depoimento,a Danevita Ferreira de Magalhães,mas a AP 470 não faz nenhuma acusação a ele. Sequer foi indiciado.

    É diferente da citação que aparece no relatório final da CPI dos Correios, que o incrimina. Só que, aí, tem uma lambança da CPI, que logo mais explicarei.

    De qualquer forma, cabe uma pergunta: por que apesar do depoimento da Danévita, Messias não foi sequer ouvido? abs

    FrancoAtirador

    03/08/2013 - 23h43

    .
    .
    Os Tucanalhas do Brazilian Banking

    armaram direitinho pro Pizzolato…
    .
    .

    FrancoAtirador

    04/08/2013 - 15h08

    .
    .
    Conceição.

    Chamei a atenção para o fato,
    porque há algo, digamos,
    muito ‘estranho’ nesse depoimento,
    que parece haver sido conduzido
    para incriminar o H. Pizzolato
    e deixar os outros de fora.

    Observa esta matéria da RBA:

    publicado 09/11/2012 12:47, última modificação 09/11/2012 18:22

    por Helena Sthephanowitz

    (…)
    Danevita Ferreira de Magalhães, ex-gerente do Núcleo de Mídia do BB.

    Segundo seu depoimento ao Ministério Público no processo do chamado “mensalão”, ela declarou que teria se recusado a assinar documentos atestando a realização de campanhas publicitárias, pois saberia que eram simuladas para desvio de dinheiro; e disse que quem mandava assinar era Henrique Pizzolato, o então diretor de marketing.

    Esse depoimento foi peça-chave da denúncia pelo Procurador-Geral da República (pags. 162 a 165), e foi citado como prova para condenação dos réus envolvidos no caso da Visanet por diversos ministros do STF.

    Acontece que os doutores Roberto Gurgel e Joaquim Barbosa
    deixaram passar despercebido nos autos [SIC]
    um fato que provoca uma reviravolta nesse testemunho,
    a ponto de perder a credibilidade.

    Está nas páginas de 77 a 83 do Relatório da Polícia Federal [fls. 13433 a 13439] do Inquérito 2474-1/140, inquérito policial 002/2007-FINIDCORIDOF), conduzido pelo delegado PF Zampronha (http://bit.ly/LcxfGH e http://bit.ly/13xPK5d).

    Tal relatório rastreou o caminho do dinheiro do Fundo de Incentivo Visanet para a DNA Propaganda, e para onde foi o dinheiro depois disso.

    Encontrou oito pagamentos da DNA para a empresa Diretorial Planejamento e Representações Ltda, em 2003 e 2004, no total de R$ 2.297.671,18.

    O dono da Diretorial é Domingos Fernando Cavadinha Guimarães Filho, genro do ex-senador Marco Maciel [e Vice-Presidente da República no Governo FHC].

    (…)

    Mas o mais revelador vem a seguir.

    Ao quebrar o sigilo bancário da Diretorial,
    foi encontrada uma transferência de R$ 25 mil,
    no dia 10 de março de 2003,
    para Danevita Ferreira de Magalhães,
    a testemunha-chave citada acima. [!!!]

    Ou seja, parte do dinheiro que saiu do Fundo Visanet,
    liberado com a participação de Danevita,
    acabou caindo na conta dela,
    após passar pela agência de publicidade,
    e depois pela empresa do genro do ex-senador pernambucano.

    Com certeza o depoimento de Danevita
    usado para fundamentar a Ação Penal 470
    fica bastante enfraquecido diante deste fato.

    Esse pagamento também desmonta a estória contada pela revista Veja.

    Na “reportagem” da revista, já dizia que Danevita
    era funcionária naquele cargo do BB desde 1997,
    ano em que o Banco do Brasil estava sob comando
    do governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB),
    cujo vice-presidente era Marco Maciel (PFL, atual DEM).

    E após conhecer o Relatório do delegado Zampronha,
    que evita pré condenar alguém (*),
    seria recomendável maior apuração
    sobre os motivos para aquele pagamento de R$ 25 mil,
    e sobre o que se passava naquela gerência que ela ocupava,
    antes de elevar a ex-funcionária à condição de mártir.

    (http://www.redebrasilatual.com.br/blogs/helena/2012/11/pagamento-suspeito-a-testemunha-chave-pode-causar-reviravolta-no-mensalao)
    .
    .
    (*) Na folha 6 do Relatório da Polícia Federal(fl. 13362 do Inquérito 2474-1/140), o Delegado Zampronha faz questão de frisar o seguinte:

    “Relembre-se, também, que a presente investigação não teve por objeto individualizar a responsabilidade e a participação dos representantes do Banco do Brasil e do FUNDO DE INCENTIVO VISANET nos fatos sob investigação, bem como a possível relação dos mesmos com os diversos investigados já denunciados na Ação Penal nº 470-STF, vez que tal apuração está sendo conduzida por meio do IPL nº 04.555/2006, em tramitação na DELEFAZ/SR/DPF/DF, conforme a estratégia de desmembramento [SIC] das investigações adotada unilateralmente [SIC} pelo Ministério Público Federal.”

    Além disso, na nota 3 do rodapé da mesma folha 6 do Relatório do Inquérito 2474, o Delegado da Polícia Federal fez questão de ressaltar:

    “Ressalte-se que estas análises não ficaram adstritas ao período relacionado aos fatos abordados na ação penal 470-STF, englobando também os repasses do FUNDO DE INCENTIVO VISANET ocorridos durante os anos de 2001 a 2002.”

    10/03/03: Depósito R$ 25.000,00
    Da Diretorial Planejamento
    p/ DANEVITA FERREIRA MAGALHÃES

    (*) Fl. 6 do Relatório do INQ 2474
    e Nota de Rodapé do Delegado da PF

    Conceição Lemes

    04/08/2013 - 15h49

    FrancoAtirador, o depoimento da Danevita é apenas mais um dado “estranho” nesse caso, até porque ela era subordinada ao Roberto Messias e não ao Henrique Pizzolato. Mas o que “embasaram” realmente acusação e condenação de Pizzolato foram as chamadas notas técnicas do BB, assinadas também por outros executivos do BB. abs

    Conceição Lemes

    03/08/2013 - 23h02

    Neotupi, existe, sim, a menção, só que houve lambança da CPI dos Correios, que copiou um relatório preliminar do TCU como se fosse definitivo. Tão logo eu conclua a apuração, posto aqui. Abs

    Conceição Lemes

    04/08/2013 - 10h34

    Neotupi,

    Em 2005, o Tribunal de Contas da União (TCU) realizou auditorias em 17 estatais e empresas de economia mista para investigar questões relativas à publicidade/marketing. É o caso do processo 012.095/2005-8, onde 13 pessoas do Banco do Brasil são citadas.

    O que consta no relatório da CPI dos Correios é o relatório de auditoria PRELIMINAR do TCU.

    Somente no ano de 2011 este processo foi julgado pelo TCU – acórdão 590/2011–, com decisão favorável às pessoas citadas.

    Outro processo, na mesma condição de ser um relatório preliminar, foi utilizado pela CPI dos Correios para acusar. O de número 019.032/2005-0, referente a “bônus de volume”, BV.

    O presidente do TCU encaminhou cópias desses processos à CPI dos Correios, à Controladoria Geral da União (CGU) e à Casa Civil, recomendando discrição e sigilo. É que se tratava de fase preliminar, onde as pessoas e empresas citadas não haviam tomado conhecimento, portanto não haviam apresentado suas defesas.

    O que fez a CPI dos Correios? Tratou relatórios preliminares como conclusivos, copiando-os direto.

    Ou seja, o que consta no relatório final da CPI dos Correios nada mais é do que a transcrição de relatórios preliminares do TCU.

    O que fez o Ministério Público? Utilizou relatórios preliminares e inconclusos para acusar. Denunciou Henrique Pizzolato por desvio de BV dos eventos de publicidade do Fundo Visanet/Banco do Brasil. Os procuradores do MPF consideraram que o dinheiro da multinacional Visanet pertencia ao Banco do Brasil, portanto era público no entendimento deles.

    Só que depois se comprovou o equívoco dos procuradores do MPF. Os recursos do Fundo Visanet não eram públicos e sim privados.

    O próprio TCU concluiu e decidiu que o BV não pertencia ao Banco do Brasil e inocentou Pizzolato por unanimidade.

    Esta decisão do TCU está no acórdão 1716/2012, onde diz que o BV era uma relação privada entre a agência de propaganda e o fornecedor, portanto não pertencia ao contratante e não tinha de ser devolvido para o Banco do Brasil.

    Por ora, Neotupi, foi o que eu consegui apurar. abs

    Kleber

    04/08/2013 - 11h53

    “Os Tucanalhas do Brazilian Banking armaram direitinho pro Pizzolato…” como diz o FrancoAtirador
    Se a ministra diz que tem uma lei que autorizou o BV, Pizzolato é condenado por que, então?
    É muita hipocrisia!
    Roberto Messias (na entrevista) afirmou que o BV continua sendo pago: “não só a Globo que dá”, “Se eles querem pagar BV, o problema é deles.” , “É uma relação da agência com o veículo.”
    Helena Chagas — Veja bem o que acontece. Juridicamente a situação é complicada, porque houve uma lei do José Eduardo Cardozo, a nº 12.332 de 2010, que autorizou o BV.
    Roberto Messias – E mais. Para nós, o BV é invisível. A gente sabe que ele existe, assim como você sabe que ele existe. É uma relação da agência com o veículo. Eu não sei qual o percentual.
    Roberto Messias — Se eles querem pagar BV, o problema é deles. O limite de governo é a gente que estabelece. BV não é só a Globo que dá. Pelo que anda saindo ultimamente parece que é só a Globo que dá BV. E não é. A Record dá BV, a Editora Abril dá BV…

    FrancoAtirador

    04/08/2013 - 15h33

    .
    .
    Não é só isso, Kléber.

    Se houve irregularidade, então a TV Globo

    foi a primeira mensaleira da DNA/VISANET:

    Folhas 68/69 do Relatório da Polícia Federal
    (Fls. 13424/13425 do Inquérito 2474-1/140)

    (http://www.cartacapital.com.br/wp-content/uploads/2011/04/Doc_Parte_1_60WEB.pdf)
    (http://www.cartacapital.com.br/wp-content/uploads/2011/04/Doc_Parte_2_61_100.pdf)

    Conceição Lemes

    04/08/2013 - 15h51

    Na mosca, Franco. abs

Bernardino

03/08/2013 - 18h44

PARABENS,CONCEIÇAO uma materia digna de uma grande JORNALISTA com fundamentos,investigaçao primorosa e coragem.POR tudo isso sempre afirmei aqui a maior TRAIRA chama-se DILMA ROUSSEF que avaliza toda essa gente!!

ESSE governo nao merece um segundo MANDATO pelas covardias,incorerencia e incompetencia!!!!

Responder

Marlo - O Casto

03/08/2013 - 17h50

Limpou a bunda com a marca BB e, tem outros por lá fazendo a mesma coisa. Gerencia de nível médio até ao presidente tem que ter ideologia tucana senão está fora de qualquer concorrência e, se tiver auto critica sobre o fundamentalismo “delles” vc tá lascado, criam um ato de gestão e demitem o indigitado.

Responder

Agora está explicado: secretário executivo da Secom é reaça raivoso! | TIJOLAÇO | “A política, sem polêmica, é a arma das elites.”

03/08/2013 - 16h13

[…] máscaras estão caindo. A editora do blog Viomundo, Conceição Lemes, arrancou a do secretário-executivo da Secom, Roberto Messias. Agora entendemos porque a Secom andou […]

Responder

Maria A

03/08/2013 - 16h06

Quanto mais a gente tem acesso as informações, mais a gente se convence que: 1. O julgamento da ação 470 tem que ser ANULADO ; 2. Os procuradores Antônio Fernando e Gurgel têm que ser responsabilizados pelos atos praticados ; 3. O relator Jbarbosa não percebeu os problemas contidos na denúncia? ignorou laudos da P. F. ?; 4. Dilma não é tão esperta como eu imaginava, considerando a sua história de torturas e interrogatórios violentos sofridos. Ela tb é muito mal assessorada. Colocar raposa para tomar conta do galinheiro é demais! Eu fico boba, a mídia piguenta insiste q existe clamor público para condenar os réus (?) da ação 470,baseada em que essa afirmação. Eu não sou de partido algum, tenho severas críticas ao governo de Wagner que considero fraco, mas nos círculos que frequento ( familiar, profissional e social), todo mundo fala do circo e da marmelada que foi o julgamento. Aliás, muitas vezes assistindo o julgamento tinha vontade de me jogar embaixo da mesa, pela vergonha alheia q Sentia toda vez q joaquim berrava, aires declamava, fux fazia pose, marco e l a b o r a v a, gilmar fazia picos ( aí que vergonha ). Dilma acorda! Faz uma reforma nesse seu governo. Manda os tucanos voltarem p seus ninhos. Tenha uma ABIN Republicana, chama Paulo Lacerda ou outro confiável para lhe prestar informações corretas nz hora da tomada de decisões e pensa bem em quem a sra vai nomear p o lugar de Gurgel. Chega de nomear gente que odeia seu governo.

Responder

RicardãoCarioca

03/08/2013 - 14h07

Já sinto saudades do Jô Gurgel (que vai sair da chefia do MPU daqui a 14 dias), porque a Dilma colocou o Zé Cardoso para entrevistar os candidatos a PGR! É muita vontade de dormir com o inimigo e de dar carona nas costas a escorpião!!!

Responder

    Mário SF Alves

    03/08/2013 - 19h34

    Deve ser parte da regra do jogo jogado por eles, meu caro. Governo e oposição. Só pode ser isso. E isso, meu caro, a gente não alcança. Nunca. Tudo macaca-velha; diante delas, somos meros principiantes.

Gerson Carneiro

03/08/2013 - 13h56

- Você acha mesmo que o Pizzolato tem que ser preso?

– Acho.

– Por quê?

– Porque sim.

“Porque sim” não é resposta de quem tem razão. É resposta de quem não tem fundamentação para calcar um desejo pessoal de vingança.

Responder

    Mário SF Alves

    03/08/2013 - 19h42

    Ou… quem sabe, arrogância ao cubo, prezado Gerson. Arrogância e certeza absoluta de impunidade. Afinal… e ao cabo, e por isso mesmo, sou mais as minhas reticências.
    _______________________________

    Que xadrez! E que falta faz algum temor de ver o velho sol nascendo quadrado!

CUT, dia 6, na Paulista, contra PL de Sandro Mabel, que aniquila direitos - Viomundo - O que você não vê na mídia

03/08/2013 - 12h58

[…] Roberto Messias vs. Henrique Pizzolato: Uma visita aos bastidores dos governos Lula e Dilma […]

Responder

Paulo Moreira Leite: Os ministros do STF vão se render ao medo? - Viomundo - O que você não vê na mídia

03/08/2013 - 12h37

[…] Roberto Messias vs. Henrique Pizzolato: Uma visita aos bastidores dos governos Lula e Dilma […]

Responder

nelc

03/08/2013 - 12h16

Prezado Azenha. São muitos os comentaristas, que consideram o PT, culpado do tal Messias, ser um X9 do PSDB.Certamente no caso dele ser agraciado com uma Medalha de Dedo Duro de Honra, os comentaristas críticos, estarão presentes, e o aplaudirão!

Responder

Gerson Carneiro

03/08/2013 - 11h14

É gratificante ser mensaleiro do VIOMUNDO. Em qual outro lugar você fica sabendo dessas coisas com tanta seriedade?

Responder

    Mário SF Alves

    03/08/2013 - 19h43

    E por falar nisso…

José X.

03/08/2013 - 10h09

Infelizmente o PT no governo tem um problema gravíssimo, que é o de escolher pessoas com base em critérios supostamente “técnicos” ou então apenas para homenagear alguém, quando o exercício do poder, em seus mais altos círculos, é essencialmente político. Caso a escolha “técnica” seja realmente a preferida, então deve se fazer uma investigação rigorosíssima sobre a pessoa escolhida, para não se incorrer novamente nos inúmeros casos de tiro no pé que aconteceram tanto no governo de Lula como no de Dilma. Os casos absurdos são inúmeros: os vários casos no STF e a “dra” Lina na Receita Federal, apenas para começar. No caso de Dilma, aparentemente ela não admite fazer nada sob pressão, e aí os infiltrados e/ou incompetentes ficam lá por muito tempo, causando estragos ao Brasil. (Na quota dos incompententes coloco aquela nulidade que foi a Ana de Holanda, e essa nulidade que é a Helena Chagas).

Responder

Bonifa

03/08/2013 - 07h38

Parabéns. Uma atuação e intervenção jornalística impecável.

Responder

ricardo silveira

03/08/2013 - 00h46

O cara do PSDB ocupa o segundo posto da Secom, controla 1,8 bilhão de reais de verba pública para propaganda e quer ver os petistas na cadeia, mesmo sem provas. O sujeito sabe, portanto, que o “mensalão” é uma farsa. E isso já no terceiro mandato do PT, dizer mais o quê?

Responder

Christiano Almeida

02/08/2013 - 23h50

Quando “estourou” a denúncia inventada pelo Thomas Jefferson vociferando o famigerado mensalão e que, entre os acusados constava o Pizzolato, pensei, estupefato: O Pizzolato, não, não. Tem alguma coisa errada. ‘Jogar’ o Zé Dirceu, o Genoíno na parede. Nada de novo. Agora, envolver nesse rolo o Pizzolato? É vendetta pura e certa. Taí. Minhas certezas num primeiro momento se consagraram. A idéia inicial em catapultar o PT (para não dizer um palavrão), esculachar o Lula, rebobinar o filme de terror vivido pela Dilma, para novamente ver e participar; Genoíno, Sereno, Gushiken, Pizzolato, Delúbio, Dirceu e outros: Código Penal no lombo. Enredo criado, posto a prova e em vias de consagrasse. Falta vontade política e pressão neste sentido para barrá-lo.

Responder

    Mário SF Alves

    03/08/2013 - 19h56

    É isso aí, Christiano. E República que é bom mesmo, nada. Democracia que é bom mesmo, só o espectro; só vestígios.
    _________________________________
    Que lodo. Quanta areia movediça. Quanto apartheid!!!

jõao

02/08/2013 - 23h46

AUG
2
Matéria publicada pelo Brasil 247 levanta debate necessário, veja comentários aqui:

MOREIRA LEITE: “MINISTROS DO STF ESTÃO COM MEDO”
Brasil247

Heraclito Rodrigues 2.08.2013 às 21:59

Vivemos uma crise das intituiç!ões nacionais, talvez inédita em nossa história. Temos hoje um Supremo Tribunal Federal excessivamente politizado; o julgamento de um suposto “Mensalão” que tornou-se um grande espetáculo; uma mídia igualmente partidarizada, pendendo quase toda ccontra os “acusados”. Temos, agora, a crise institucional transbordando para as ruas, prestes a contaminar o processo sucessório de 2014. Pior, o que está em risco mesmo, é a nossa infante democracia, que mal começou a dar seus primeiros frutos, já se vê ameaçada. Parece-me que, em meio a esta crise, e dado o “clamor das ruas”, as condenações dos “mensaleiros” tendem a ser mantidas.

CLEBER 2.08.2013 às 21:37

Notórios e evidentes ERROS e mentiras do mensalão 02/08/2013 – Slider – Seja o primeiro a comentar vontade “Já é mais do que público que o julgamento da AP 470 foi baseado em ilações falsas e no arquivamento de provas que inocentariam os réus. ” Em uma mesma frase o ministro relator Joaquim Barbosa apresentou as três mentiras necessárias para a base de todo o julgamento. “Henrique Pizzolato desviou dinheiro público da Visanet nos contratos com a empresa DNA”. Apenas o primeiro passo *Por Theófilo Rodrigues “Primeiro levaram os negros Mas não me importei com isso Eu não era negro Em seguida levaram alguns operários Mas não me importei com isso Eu também não era operário Agora estão me levando Mas já é tarde. Como eu não me importei com ninguém Ninguém se importa comigo”. (Bertold Brecht) Não, não aceitaremos. Não, não calaremos. O julgamento da AP 470, pejorativamente chamado de “mensalão” pela imprensa estabelecida, foi ele próprio um crime com o qual não podemos concordar. O inacreditável julgamento onde as provas de inocência foram arquivadas inverteu a lógica do Estado de direito com a transformação dos inocentes em réus e dos juízes em culpados. “Não tenho prova cabal contra Dirceu – mas vou condená-lo porque a literatura jurídica me permite”, afirmou a ministra Rosa Weber em um pronunciamento digno de tempos de ditadura que não queremos que volte mais em nosso país. Mas não é a condenação ilegal de um José Dirceu ou de um José Genoíno que mais me preocupa. Estes, heróis nacionais vivos, ainda possuem a enorme solidariedade de milhares de pessoas por todo o país que não concordam com o crime cometido pelo STF. O que me preocupa são os desconhecidos, os pangarés, os carregadores de bandeiras. Aqueles cuja militância a história não registra os nomes em suas páginas. O que me preocupa é ver uma pessoa como Henrique Pizzolato, funcionário de carreira do Banco do Brasil por toda a sua vida, ser condenado à prisão por um crime que jamais cometeu. O que me preocupa é saber que o STF possuía todos os documentos necessários para inocentar Pizzolato e os ter ignorado. Em uma mesma frase o ministro relator Joaquim Barbosa apresentou as três mentiras necessárias para a base de todo o julgamento. “Henrique Pizzolato desviou dinheiro público da Visanet nos contratos com a empresa DNA”. Primeira mentira: a Visanet não é uma empresa pública, mas sim uma multinacional privada que possui como maior sócio o Banco Bradesco, fato que foi ignorado, ou melhor, deturpado pelo STF. Segunda mentira: todos os serviços para os quais a empresa DNA foi contratada foram prestados. Tanto a Visanet quanto o Banco do Brasil apresentaram ao STF documentos que provam que os serviços foram prestados. Hoje a lista de serviços que foram prestados é completamente pública e pode ser acessada facilmente na internet. Terceira mentira: Pizzolato havia acabado de ser nomeado para a diretoria de marketing do Banco do Brasil na época das denúncias. Todos os documentos do contrato entre BB e DNA, que supostamente apontam a culpa de Pizzolato, são assinados por outros 3 diretores do Banco do Brasil que, por coincidência – ou não – foram nomeados no governo de Fernando Henrique Cardoso. Ou seja, Pizzolato não detinha o tal poder que Joaquim Barbosa lhe atribuiu. A única culpa de Pizzolato, portanto, era a de que ele era petista. E isso ele nunca escondeu de ninguém. Já é mais do que público que o julgamento da AP 470 foi baseado em ilações falsas e no arquivamento de provas que inocentariam os réus. Pelo bem da Constituição, da Democracia e do Estado de direito o julgamento da AP 470 precisa ser anulado e uma nova apreciação que considere todas as provas precisa ser realizada. A jurisprudência permite isso. Falta apenas a vontade política e o bom senso dos senhores ministros do STF. Brecht em sua poesia revolucionária que abre esse texto nos mostra os perigos do egoísmo e do individualismo em tempos autoritários. Não sou petista. Mas não é por isso que deixarei de me indignar com a condenação de um inocente. Hoje é Pizzolato, mas amanhã pode ser qualquer um de nós. Fosse vivo, o escritor Émile Zola escreveria J´accuse novamente, sem pestanejar, tal qual já havia feito durante o caso Dreyfus no fim do século XIX. Eu estou com Zola, e você? *Theófilo Rodrigues é cientista político. ELES OCULTAM E NÓS DIVULGAMOS O blog Megacidadania considera muito estranho que TODOS os principais portais da “grande imprensa” na internet NÃO DISPONIBILIZEM a íntegra dos Embargos de Declaração da AP 470 e que serão julgados pelos Ministros do STF. Segue o link com a íntegra de todos os Embargos de Declaração: http://www.megacidadania.com.br/todos-os-embargos-de-declaracao-da-ap-470/

***NADA COMO UM DIA APÓS O OUTRO*** 2.08.2013 às 21:30
E a noite entre eles…

juridico 2.08.2013 às 21:12
jb ja arranjou refugio en miami

Henrique 2.08.2013 às 21:05

Nesse julgamento do Mensalão o STF se equiparou ao STF de Honduras e do Paraguai, Mas no caso do nosso STF este terá a oportunidade de voltar atrás e corrigir as barbaridades que o Joaquim Barbosa, o Aires Brito e o Gilmar Mendes fizeram. Quando o Ministro Marco Aurélio ver que foi enganado e votou confiando no Joaquim Barbosa vai virar um bicho! Esse Ministro pode ser elitista, e é, mas não admite ilegalidades.

Henrique Luz 2.08.2013 às 20:48

Não foi por fata de advertência,a Corte estava caminhando para o abismo,no mais espetacular erro de sua história,contudo,na ânsia de condenar e destruir um partido político,mídia,oposição raivosa e a mão forte do Supremo tornaram-se possíveis estas aberrações,digo,injustiças pra todos os lados e inocentes penalizados sem ter a quem recorrer pq seus algozes,usando de todos os métodos engenhosos e a fúria da vingança,não titubearam pra cometer atrocidades.Não sei se terão ombridade pra voltar atrás,mas a cicatriz permanecer e será difícil ser reparado este grande erro.
Mais:
http://www.brasil247.com/pt/247/poder/110458/Moreira-Leite-Ministros-do-STF-est%C3%A3o-com-medo.htm

Postado há 13 minutes ago por Blog Justiceira de Esquerda

Responder

Zé Brasil

02/08/2013 - 23h35

Parabéns JORNALISTA Conceição Leme!

Uma verdadeira aula de Jornalismo investigativo, como se espera de um Profissional de seu porte e integridade.

Este seu trabalho deveria ser afixado na porta de entrada do STF na altura dos olhos do Ministro Joaquim Barbosa e demais pares acusadores, para que, qual um fantasma, lhes atormentassem suas consciências todos os seus dias lembrando-lhes desse descalabro que foi a condenação de um inocente. Como diria Émile Zola no Caso Dreyfus, J’Accuse!

Interagimos no artigo passado sobre a Helena Chagas, onde solicitei gentilmente um bio da troupe, cujo dna já suspeitava como sendo tucano. Após ler este artigo o pedido caducou!

Espero ver este artigo bombando muito na rede em todos “blogs sujos”, conforme a eles se refere o Nosferatu tucano, que no frigir dos ovos tinha seu dedo nesse fudunço.

Obrigado a Vocẽ e ao Jornalista Azenha por este trabalho em pról da Verdadade!

Responder

Aguiar de Souza

02/08/2013 - 23h34

Isso é que é reportagem investigativa.Ligando lé com cré. Eu também trabalhei em banco público e conheço muito bem essa raça que se perpetua nos altos cargos, nessa ciranda sem fim. Difícil é acreditar em tanta complacência dos governos do PT com esses vigaristas sem compromisso com um governo popular. Por…! dá muita…muita…muita raiva!

Responder

heitor

02/08/2013 - 23h21

A GLOBO de novo e com o PSDB. Troca DILMA.

Responder

PedroAurelioZabaleta

02/08/2013 - 22h46

Troca, Dilma!

Responder

Zé Francisco

02/08/2013 - 22h36

Começo a entender a dimensão social e política de um país que foi o ultimo a extinguir a escravidão. Uma presidenta egressa da Var Palmares mijar pra estes cabras. É pra acaba! Não entendo mais nada, tô pra desistir.

Responder

    Mário SF Alves

    03/08/2013 - 21h44

    Então, somos dois. Eu, de minha parte, já ando entronizando um jegue.
    _______________________________

    Que engenharia política! E haja re-engenharia pra dar conta de tudo isso.

    ____________________________________
    E a dizer que ainda tá cheio de mané por aí acreditando piamente em personalidades salvadoras da pátria. Cara, que doideira! Ora! Se mesmo após mais de dez anos de liderança à frente do Governo Federal nem o “maior partido político do Ocidente” consegue se livrar de tantas amarras, o que dizer de pretensões políticas de políticos isolados, típicos representantes da “política do eu sozinho”?

Panino Manino

02/08/2013 - 22h18

Conceição Lemes, de pé te aplaudo.
O trabalho investigativo, a organização e a serenidade em apresentar seu achados para o público, fantástico.

Responder

Francisco

02/08/2013 - 20h31

Honoré de Balzac pegava isso e escrevia uma Comédia Humana…

É claro que as relações entre os individuoa sempre têm detalhes e nuanças, mas quem conhece a burocracia (de ACM, de tucano, do Kremlin, etc.) sabe: é por ai que as coisas acontecem.

Resumo da tragédia: Pizzolato botou negros favelados para usufruirem do biscoito fino da cultura e quem esta na capa da Time é Joaquim Barbosa…

O mundo é torto, enpenado e pelo avesso.

É amigo, que falta que nos faz um Balzac.

Responder

Mário Malerba

02/08/2013 - 20h27

Ás vezes eu considero a possibilidade de não votar na candidata do meu partido no ano que vem.

Responder

    Sebastião araújo Cavalcanti

    02/08/2013 - 22h18

    Ao ler reportagem como esta, a minha indignação chega às alturas. Tenho a mesma opinião do Mario Malerba: já admito a possibiolidade de não votar na presidenta em 2014. Ainda bem que não estou mais obrigado a votar.

    Fico a pensar: será que a presidenta, com isso, julga cair na simpatia da globo? – Puro engano

    Mário SF Alves

    03/08/2013 - 20h01

    Não, prezado Sebastião. Nada disso. O fato é que entre o céu e a terra da “política”(ou máfio-política?)brasileira há mais mistérios (e pilantragem, e mau mau-caratismo) do que ousa imaginar nossa vã filosofia.
    __________________________
    Deve ser isso. Só pode ser isso.

    simas

    03/08/2013 - 23h25

    Pois, é. Esses fantasmas vivem me assombrando… Mas, diga o q fazer? Votar em quem? A Presidenta, afinal, é de confiança. O ex-Presidente já provou q merece tda a nossa confiança… Ele participou, em Washington, das reuniões, onde se debatia neoliberalismo e deu vida ao famoso Consenso… Tdo às expensas do Congresso, americano. No final, quem coordenou a grade, nefasta, foi o próprio, prof cardoso… O Lula participou, até ser obrigado a abandonar, pra concorrer às eleições. Contudo, mais tarde, qdo conseguiu se eleger, mostrou e provou a q veio… Fez o possível; comeu o pudim, pelas bordas, como se fala por ai.
    O grde problema, ao q vejo, é a correlação de forças, pendendo para o retrocesso… Essa manifestações de junho quebraram o equilíbrio. Parece q a incompetência das oposições, partidárias e midiáticas, foi substituída por um ordenamento, direto, do capital, transnacional, via internet. Como não persistir, agora? O perigo é mto grde. Corremos o risco de uma ruptura, grave. Qq ruptura significará anos de retrocesso. Mta determinação seria o antídoto.

Rasec

02/08/2013 - 20h26

EBC Tv Brasil e Agência Brasil tudo nas mãos do tucanos? Agora, em mais uma excelente reportagem, Conceição nos fez ver pq a Agência Brasil de vez em quando tá dando notícia de manifestações, antes mesmo que elas aconteçam. Parece até chamada!

Responder

    Neotupi

    03/08/2013 - 03h12

    Não exagera, senão vai detonar os bons que devem permanecer e serem fortalecidos. A EBC é presidida pelo Nelson Breve, que fazia um bom trabalho como secretário de imprensa do Franklin Martins no governo Lula. Se a ministra não fosse Helena Chagas, provavelmente ele teria condições de dar um jeito para a TV Brasil ter mais expressão no jornalismo. Essa Yole Mendonça, não faço a menor idéia de seu trabalho e de suas posições políticas, mas foi levada pelo Franklin. O problema parece ser esse Messias e a Helena Chagas que deu muito poder a ele.

Roberto Brant Campos

02/08/2013 - 19h11

Realmente esta explicado o porque da camunicacao social do governo ser tao ruim! Tah na mao do inimigo!!! E tambem o porque da incriminacao do Pazzinato! Esse mensalao foi um engodo! E a Dilma esta cercada de inimigos no campo mais sensivel: a comunicacao social!

Responder

Roberta Ragi

02/08/2013 - 19h04

Não é uma questão de que Roberto Messias, Helena Chagas e Paulo Bernardo trabalham “contra” o governo. Eles são o governo, certo?

Responder

jõao

02/08/2013 - 19h02

Alckmin, não se esconda atrás da memória de Covas
2 de Aug de 2013 | 14:14

Ridícula a defesa do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, de mandar um secretário dizer à imprensa que as denúncias do caso Siemens são “pura calúnia” para “enxovalhar” a memória do ex-governador Mario Covas.
Muito menos dizer que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) está sendo usado de forma política.
Investigar a formação de cartéis é não apenas tarefa do Cade, é sua própria razão de existir.
Ninguém acusou Mario Covas de organizar a tramóia, poucos meses antes de seu afastamento do governo, por doença.
Mas a tramóia certamente seguiu debaixo do nariz de Geraldo Alckmin nos quase seis anos que passou no Palácio dos Bandeirantes.
O que Alckmin deveria estar fazendo, se acha tudo uma “calúnia” é mandar investigar e apontar os responsáveis pelo incêndio, ocorrido no dia 9 de junho de 2012 – em sua gestão, portanto – que destruiu uma montanha de papéis referentes a contratos antigos do Metrô.
Não é nenhum “blog sujo” ou adversário político que está dizendo que houve o propinoduto. É a Siemens, uma imensa multinacional com quem seu governo manteve muitos e milionários negócios.
Ou será que o crime não é o cartel, o superfaturamento e a corrupção, mas a sua divulgação ao público?
Por: Fernando Brito

Responder

    Mário SF Alves

    03/08/2013 - 21h17

    “…se acha tudo uma “calúnia” é mandar investigar e apontar os responsáveis pelo incêndio, ocorrido no dia 9 de junho de 2012 – em sua gestão, portanto – que destruiu uma montanha de papéis referentes a contratos antigos do Metrô.”
    ______________________________
    E mais, e pior: nem uma palavra sobre intenção de investigar responsáveis nem nesse e nem nesse outro, o mais recente, provocado pela Siemens junto ao CADE.
    ____________________________________
    Bom, pelo menos foi isso o que ouvi agora há pouco no “jornal (anti)nacional”.

sergioa

02/08/2013 - 18h37

Olha acho que fui enganado.

Eu tenho votado sempre no PT, mas a cada dia que passa, parece que eu
votei no PSDB (partido ao qual não tenho a menor simpatia).

Vou ter que começar a repensar o meu voto … quando leio uma matéria desta, com tanta riqueza de detalhes me sinto enganado.

Na SECOM e no ministério das Comunicações só temos tucanos e petistas que plimplam.

A DILMA do jeito que vai, o ano que vem nem voto da família dela vai ter.

Porque esta dificil para um petista votar nela (isto se ele for petista de verdade).

Responder

    Alexandre Maruca

    02/08/2013 - 20h21

    Confesso que também me sinto engandado

    FRANCISCO

    02/08/2013 - 22h52

    Amigo tenho a mesma sensação. como pode a Dilma manter na SECOM uma tucana rodeada de petucanos?? juro que não entendo?? porraaaa!! será que a Dilma é idiota?? não é o que parece né. Então porque não muda???

    Rui Rômulo Gaspar

    04/08/2013 - 17h46

    Sergioa,tenho essa mesma certeza,aí temos que colocar o LULÃO de volta se não…

Mariana

02/08/2013 - 18h32

Uma reflexão urgente que o PT precisa fazer é sobre os critérios de escolha de suas equipes. Foram 10 ótimos anos de governo PT para o Brasil, com muito avanço social, mas é preciso fazer ainda mais.
Os maiores entraves que o PT vem enfrentando são fruto de suas próprias escolhas: os ministros do STF Barbosa, Eros Grau, Fux, Toffoli; o Paulo Bernardo e a equipe técnica da SECOM, e também os dois juízes do TCU, José Jorge e José Múcio, que estão trabalhando para atrasar as obras do PAC (de acordo com denúncia do PHA), foram TODOS colocados nesses cargos pelo Lula e pela Dilma.
Nesse momento de 10 anos de governo, o PT precisa refletir sobre suas escolhas.

Responder

Silvia Lopes

02/08/2013 - 18h17

Conceição a pergunta que tá queimando a minha língua: O QUE HELENINHA RESPONDEU SOBRE O BV DA GLOBO? VAI COBRAR? Essa resposta dela não aparece cadê Conceição? E parabéns pelo Jornalismo padrão Pulitzer que vc faz, dizer padrão Fifa é desmerecer sua competência, vcs abrem os olhos, cabe a quem de direito enxergar e agir.

Responder

    Conceição Lemes

    02/08/2013 - 19h15

    Oi, Silvia, está na matéria anterior. Ela já está na lista abaixo, mas o melhor é linká–la já aí. Voce vai descobrir rsrsr. Obrigada pelo alerta e pelas palavras generosas. bjs

J Souza

02/08/2013 - 17h58

Eu Viomundo! E a Dilma não vê nada…

Responder

J Souza

02/08/2013 - 17h54

É tão hilário a “propaganda do PT” estar nas mãos do PSDB, que este “post” poderia estar na seção de humor.
Realmente, tudo muito “técnico”…

Responder

    J Souza

    02/08/2013 - 21h17

    Essa superou até o Henrique Meirelles “fiscalizando” os bancos!
    Quem sabe o próximo passo da Dilma seja convidar um americano ou um espanhol, que são “técnicos” em índios, para cuidar da FUNAI…

    JOTACE

    03/08/2013 - 02h15

    Caro J Souza,

    Nunca duvide da capacidade da “Mãe dos Pobres”. .. Quando da proximidade das eleições, ela dará um pirulito tentando enganar o povo. Quem viver, verá… Jotace

    Mário SF Alves

    03/08/2013 - 20h12

    E a ideia não é exatamente essa? A de manter o inimigo o mais próximo possível?
    ______________________________
    Fato I: Votamos na presidenta Dilma;
    Fato II (e consequência disso): o Governo é dela; a responsabilidade é dela, e só nos resta confiar nela.
    ______________________________________
    E qual o nosso problema? Será que realmente estamos em condição de aconselhá-la? Faríamos melhor do que ela?
    ________________________________________________
    A não ser por aí, a não pela relação de confiança depositada nela, volto a dizer, só a radicalidade democrática muda o Brasil. Muda… só não sei se seria pro bem ou se pro mal.

    J Souza

    02/08/2013 - 21h23

    Me perdoem pelas ironias. Mas, se a gente não levar esse governo “na esportiva”, a gente “fica grilado” demais!

Nana

02/08/2013 - 17h43

Caramba! A Dilma colocou a SECOM no colo dos tucanos.Parabéns Conceição Lemes,isso que eu chamo de investigação jornalística.

Responder

edir

02/08/2013 - 17h38

Que máfia. Como lidar com isso ? O Carlinhos Cachoeira perdeu feio para essa turma.

Responder

guilherme biserra

02/08/2013 - 17h29

Não é por outra razão que o projeto do PT será varrido.Amadorismo pequeno burguês x profissionalismo articulado da VELHA DIREITA.Os caras assumen o governo e acham que tomaram o poder,e pior ainda são tolos.

Responder

Saçuober

02/08/2013 - 17h25

Estes infiltrados, trabalham contra, mentem e difamam o governo.
Existe em todos os escalões, dificilmente deixarão os cargos, dizem-se técnicos, tem muito papo furado e fazem parte da oligarquia doente.

Responder

Rui

02/08/2013 - 17h22

Dilma poe as raposas para tomar conta do galinheiro. Assim não há controle remoto que aguente. Se quizer ter alguma chance poe Helena , Messias e Bernardo para fora Dilma

Responder

    JOTACE

    03/08/2013 - 02h31

    Ora, Rui, expulsá-los do governo e substituí-los é tão necessário quanto vestir uma roupa limpa, mas depois de um banho. É disto que o governo em que votamos está mesmo a precisar: de um banho, mas de vergonha frente à política de terra arrasada da mais vil entrega do Brasil através da Globo e demais integrantes do PiG.

Rasec

02/08/2013 - 17h19

Tá explicado por que a Agência Brasil da EBC é tucanésima. Eles sempre acham especialistas contrários aos programas de Dilma. Dia desses vi Miguel do Rosário reclamando no twitter de uma das manchetes da Agência! Que vergonha!

Responder

trombeta

02/08/2013 - 17h15

Esquisito um governo de esquerda dar emprego para esse almofadinha traíra, coisas da administração Dilma.

Responder

    lulipe

    03/08/2013 - 11h38

    É esquisito apenas para os ingênuos…

    Mário SF Alves

    03/08/2013 - 20h30

    Disse tudo, Lulipe. Ingenuidade. Só pode ser isso. Agora, aproveita o embalo e explica aí pra nós, os ingênuos, esse inalcançável universo da política naZional.
    ____________________________
    Na certeza de que sua genialidade tem muito a contribuir no sentido de nos desasnar, agradeço desde já.

Deixe uma resposta