VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Professor foi ver ato pró-impeachment, acabou xingado e espancado por fascistas: “Um me aplicou choque, como os torturadores do DOI-CODI. A PM nada fez”

23 de outubro de 2015 às 14h19

Natal 4

Na foto à direita, o fascista que aplicou o choque em Daniel Valença, carregando a arma

O dia em que vi o fascismo de perto

por Daniel Valença

Fui ver com meus próprios olhos o ato em Natal pró-impeachment. Eram cerca de 15 manifestantes e mais 10 “seguranças” contratados para “proteger” os bonecos de Dilma e Lula. Como em todo o Brasil, novamente a UJS rasgou os bonecos – o fizeram, aliás, em São Paulo, no Recife e em João Pessoa.

Corri para acalmar a confusão e impedir que os jovens fossem agredidos fisicamente. No meio do caminho, um dos organizadores do ato me aplicou um mata-leão, hora em que perdi meus óculos e celular. A PM assistiu a tudo e nada fez, exceto deter os jovens da UJS que, já algemados, continuaram sendo agredidos física e verbalmente.

Fui cercado por todo esse grupo que berrava “petista!”, “comunista!”, “bandido filho da puta”. Respondi insistentemente que era petista e comunista com muito orgulho e que tinha o direito de sê-lo. Foi então que um manifestante fascista veio por trás e me aplicou um choque elétrico, prática comum aos torturadores do DOI-CODI. Resisti para não cair. E me vi sendo chutado e agredido por pessoas que teoricamente eram jornalistas, até que um amigo finalmente conseguiu me retirar do cerco.

Pela primeira vez, vi o fascismo de perto. Ao contrário daquele das décadas de 1920-1940, não havia uma multidão, contavam-se nos dedos. Mas eram pessoas com muito recurso financeiro, com armas proibidas, com ódio estampado na face, não contra um sujeito, mas contra Ideias, e contavam com a cumplicidade do aparelho coercitivo do Estado.

Há meses, quando tudo isto começou, não faltavam setores no governo e na sociedade para advogar que os atos puxados por “movimentos” pró-impeachment eram democráticos: seriam as inúmeras ocorrências de violência coletiva apenas excessos individuais. Agora que tais “movimentos”, sem identidade nem história, não conseguem mobilizar trinta pessoas para subsidiar o golpe intentado por Eduardo Cunha, o rei se revela nu: é quem lidera tais atos que são os proponentes da violência legitimada, do ódio de classe e preferência política. Eles refletem na sociedade civil o que intentam na política; a retirada do artigo que protegia os movimentos sociais da tipificação do crime de terrorismo por parte do relator do PSDB é um exemplo. O projeto de lei do PSDB que criminaliza a liberdade de cátedra dos docentes, outro.

Marx denunciava que as pessoas aceitam viver numa ordem desumana porque a realidade lhes aparece invertida. Em situações específicas da história, como a que estamos vivendo, isso toma contornos ainda mais intensos. O incipiente fascismo atual transforma o crime em manifestação democrática, o violento agressor em “democrata”, a vítima em “bandido”. Com a cumplicidade dos meios empresariais de comunicação e das forças coercitivas do Estado.

Por fim, gostaria de fazer um apelo. Aqueles que, como eu, têm inúmeras críticas e estão descontentes com a política do segundo mandato da presidenta, ou até mesmo os que defendem o impeachment: não se deixem envenenar. Não se deixem envenenar, porque nas ruas e no parlamento, os que lideram essa tentativa de golpe, usando dos instrumentos mais desonestos, ilegais e violentos possíveis, buscam um projeto de sociedade muito distante do  país soberano, justo e solidário que a maioria dos brasileiros compartilha.

Às dezenas de pessoas que prestaram solidariedade, minha sincera gratidão.

Daniel Valença é professor licenciado do curso de Direito, da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), onde leciona  Ciência Política, Trabalho e Ética. Está fazendo doutorado em Direitos Humanos na Universidade Federal da Paraíba (UFPB).

Leia também:

Assessores de deputados do DEM e PSDB organizam ato contra Dilma e Lula em Natal 

O livro da blogosfera em defesa da democracia - Golpe 16

Golpe 16 é a versão da blogosfera de uma história de ruptura democrática que ainda está em curso. É um livro feito a quente, mas imprescindível para entender o atual momento político brasileiro

Organizado por Renato Rovai, o livro oferece textos de Adriana Delorenzo, Altamiro Borges, Beatriz Barbosa, Conceição Oliveira, Cynara Menezes, Dennis de Oliveira, Eduardo Guimarães, Fernando Brito, Gilberto Maringoni, Glauco Faria, Ivana Bentes, Lola Aronovich, Luiz Carlos Azenha, Maíra Streit, Marco Aurélio Weissheimer, Miguel do Rosário, Paulo Henrique Amorim, Paulo Nogueira, Paulo Salvador, Renata Mielli, Rodrigo Vianna, Sérgio Amadeu da Silveira e Tarso Cabral Violin. Com prefácio de Luiz Inácio Lula de Silva e entrevista de Dilma Rousseff.

Compre agora online e receba na sua casa!

 

37 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

lulipe

24/10/2015 - 16h32

Eu sou contratado pelo PSDB mesmo para postar mensagens na internet, e daí? Cada um tem seu trabalho, não vejo nada de errado com isso.

Responder

marcio ramos

24/10/2015 - 15h55

… sociedade que aceita Policia Militar nao precisa de “ditador”.

Responder

nelson aida

24/10/2015 - 14h25

O que mais a rancorosa direita brasileira quer de nós? Não temos outro Vlademir Herzog para ser imolado em dependências como DOI-CODI. Minha solidariedade ao prof. Daniel Valença e parabéns pela corajosa demonstração de indignação,sentimento compartilhado por grande parcela dos brasileiros, com certeza.

Responder

Urbano

24/10/2015 - 13h44

A base de dados de argumentação da claque de oposição ao Brasil é restrita, e mesmo assim cretina.

Responder

elisa

24/10/2015 - 11h21

Eu fico a 500 quilômetros de qualquer manifestação dessse tipos se eu sei de antemão que vai acontecer, não dou ibope para uma coisa dessas.

Responder

Julio Silveira

24/10/2015 - 00h04

Taí uma coisa que concordo com os reaças. O professor não pode pensar, que só por que os meliantes estão sendo escoltados pela PM que dá para ir lá e lhes dizer verdades. Tem que ter cuidado, a marginalia é perigosa, e do jeito que o Tucanistão anda, tão virando maioria. Melhor ficar em casa gradeado, tomando uma cerva gelada, mas pede delivery.

Responder

FrancoAtirador

23/10/2015 - 23h57

.
.
Contra o Veneno do Fascismo
.
o Movimento Social Orgânico:
.
(https://twitter.com/MST_Oficial/status/657606406426775552)
.
.

Responder

André Morais

23/10/2015 - 22h46

MENTIRA DESLAVADA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Você foi pra lá intencionalmente pra ajudar a furar o pixuleco e pegou carona com o deputado Mineiro quando devia estar em João Pessoa fazendo seu doutorado(risos). E arma do choque não era proibida.

VAI TER PIXULECO, E SE RECLAMAR VAI TER BONECO DE OLINDA!!!!!

Responder

    Joca de Ipanema

    24/10/2015 - 12h52

    Arma de choque não proibida? É sim, e privativa das forças de ordem. Gostaria de ver se tivessem te dado um choque no pé da orelha.

Svibra

23/10/2015 - 22h23

Parabéns Professor Daniel, parabéns pela sua coragem e honradez. Sentimo-nos ultrajados com esta provocação fascista e vc e seus companheiros tiveram a coragem que, ou todos ainda não temos ou estamos preparando para reagir a esta corja que quer ganhar no grito defendendo causas de salafrários que vêm usando o estado brasileiro para se enriquecerem, provocando a mais vergonhosa concentração de rendas para um país que chega a ser um dos líderes econômicos mundiais.

Não é difícil adivinhar o que dirão estes fascistas ou sua imprensa, quando esta violência toda se voltar contra eles – também não é difícil de adivinhar para onde vão correr quando isto acontecer – debaixo da saia da mamãe, claro.

Uma pena que estejam provocando uma cisão odiosa na nossa sociedade – sem argumentos, sem propósitossem consciência social, sem consciência política e econômica. Um banco de Zumbís que acham que estão corrigindo os malfeitos no Brasil, enquanto seus estimuladores e beneficiado$$$$ gargalham de suas babaquices.

Responder

Gersier

23/10/2015 - 21h18

Enquanto isso, estou assistindo pela NBR as solenidades de abertura dos Jogos Indígenas e ouço um cacique dar uma lição de moral nos coxinhas que ensaiaram vaiar a Presidenta Dilma. Claro que houve reação dos presentes que começaram a cantar Dilma… Dilma.
Disse ele que os povos indígenas respeitam as autoridades e a democracia e que aquela solenidade era um momento de celebração e de alegria e não um comício.
Como se nota, esses perdedores, todo santo dia se mostram e se portam como verdadeiros idiotas. Acreditam eles que são “superiores”. E realmente são, na babaquice, na imbecilidade e na cafajestagem.
Ou não são eles “ todos cunha”?
Até a comunidade indígenas os desprezam.
Vão ter o troco.

Responder

Francisco

23/10/2015 - 20h48

A pergunta é: e se a policia segurasse um tucano para um petista aplicar um choque?

Responder

Apolônio

23/10/2015 - 20h37

Esse pessoal precisa de parar de falar em comunismo. Isso não faz mais sentido. Não estamos mais na década de 1950 e 1960. Comunismo praticamente já acabou. Comunismo hoje é só na Coreia do Norte. O governador do Maranhão é do PC do B, pelo que me consta Ele não desapropriou e nem expropriou nenhum bem de quem quer que seja. Na Europa existem vários partidos comunistas em diversos países europeus. Eles apenas disputam as eleições democraticamente, fazem parte de coalizam com outros partidos para governar seus países e nunca implementaram nada de estatização, nem expropriações, respeitam as regras do jogo democrático e nesses países os milionários continuam com suas fortunas e com suas propriedades privadas. Hoje a China, é tão capitalista, como qualquer país, dito capitalista. Temos é que parar com essa bobagem de comunismo. Vamos arejar nossas cabeças !

Responder

    Fernando

    24/10/2015 - 17h10

    Cara, que comentário ingênuo. Os políticos do PC do B, do PT, da esquerda, não tiram as propriedades de ninguém porque esão atuando em um país ainda democrático, e a democracia não permite o comunismo, não permite com que se cabem as propriedade privadas. São comunistas eleitos de forma democrata atuando em uma democracia capitalista; por enquanto eles tem que seguir as regras da democracia. Acabar com as propriedade ó será possível quando eles conseguirem erguer um governo comunista aqui no Brasil, seja por meio do populismo (doutrinação por meio do feminismo, movimento negro, etc) ou por meio de um golpe como já tentaram aqui no Brasil na Levante Comunista de 1935, e por meio dos grupos terroristas Colina, VPR e VAR-Palmares. Vai estudar…

    Marlene

    24/10/2015 - 19h12

    É verdade Apolônio, até na dita maior economia do mundo, os EUA, tem partido comunista, apesar que é inexpressivo, lá só se pensa no lucro e nada mais.

Joca de Ipanema

23/10/2015 - 17h57

E vcs. vão fazer o que, lamber as feridas? Se tem fotos, podem identificar o agressor e levá-lo a justiça. Mesmo na terra dos Maias, eu acho que vale a pena.

Responder

lulipe

23/10/2015 - 16h33

Na próxima oportunidade em vez de tentar defender baderneiros que não sabem conviver com manifestações democráticas e cheias de humor e ironia (bonecos de Lula e Dilma), fique em casa tomando uma boa cerveja ou lendo um bom livro, vai ganhar muito mais do que quinze minutos de fama em algum blog progressista, seja lá o que isso signifique.

Responder

    Mauricio Gomes

    23/10/2015 - 19h04

    Manifestações democráticas cheias de humor e ironia são seus comentários patéticos. Quer dizer que se alguém fantasiar seus pais de presidiários e chamá-los de ladrões e outros adjetivos impublicáveis você iria tomar uma cerveja ou ler um bom livro? Tem que ser muito idiota para escrever uma asneira dessas….

    Gersier

    23/10/2015 - 21h24

    Pois é, aqueles bonecos nas manifestações em São Paulo, um deles o chuchuleco, também deve ser pura ironia dos que defendem a educação, e as escolas paulistas que o tucanato tá afim de acabar, para sobrar mais grana para aplicar na revista de fofocas “vesga”, no pasquim “fôia” e no câncer da democracia brasileira, a “rola bosta” mafiosa globo.

    lulipe

    23/10/2015 - 23h18

    Gente, não percam tempo com lulipe, é fascista rematado, já defendeu estuprador e torturador, é um rastaquera que vem descarregar sua frustração na internet.
    .
    A direita está desmoralizada, esse tipo de violência que a matéria denuncia (com uso de armas de choque) revela que na verdade os fascistas detestam a democracia.

    lulipe

    24/10/2015 - 00h19

    Não sabia que Lula e Dilma eram os pais do autor do texto, agora tá explicado!!

    Marcos Souza

    24/10/2015 - 12h14

    É que os militontos petistas , consideram Lula e Dilma como pai e mãe dos brasileiros !

Jair Fonseca

23/10/2015 - 16h05

O fascismo é a violência como política do ódio. Não dá pra aceitar isso. E temos aceitado.

Responder

Evaristo

23/10/2015 - 15h45

Turma de fascistas covardes. Quem acha que isso é manifestação democrática está totalmente enganado. São psicopatas fascistas da classe média que estão incomodados com a ascensão do povo brasileiro e querem barrar. Sofreram lavagem cerebral da Globo, Veja, Estadão, Folha & CIA. A democracia brasileira precisa barrar essas fascínoras ou então corremos o risco de implantação de um estado nazista no Brasil.

Responder

Arnaldo Costa

23/10/2015 - 15h34

Ontem assisti a um filme da tomada nazista da Áustria. Foi exatamente isso que fizeram com os judeus, os agrediram física e verbalmente. Parabéns imprensa tucana corrupta, parabéns direita fascista, vocês conseguiram disseminar o ódio e intolerância em nossa sociedade! Ainda por cima, aqueles que vocês apoiam, os demotucanos, continuam com o direito de roubar e praticar outros crimes.

Responder

Lukas

23/10/2015 - 15h33

Ele acha que tem o direito de ser petista ou comunista mas acha que seus adversários não tem o direito de execrar a Dilma e o Lula.

Uma noção peculiar de democracia.

O que esperar de um comunista?

Responder

    Mário SF Alves

    23/10/2015 - 22h26

    Engano seu. A fala dele foi clara: petista E comunista. E não petista ou comunista como você – talvez maledicentemente – faz supor.

    Adma Viegas

    23/10/2015 - 23h45

    O cara foi fisicamente agredido. levou choques elétricos, sua anta. Para antas como você isso é “manifestação democrática”.

    Adma

    24/10/2015 - 10h40

    Lukas, democracia para você é agredir fisicamente as pessoas no meio da rua, aplicando-lhes choques elétricos. Pra você isso parece ser muito normal. Essa é a concepção de democracia da direita coxinha.

Vicente

23/10/2015 - 15h30

Professor de Direito na Federal Rural???? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Responder

Eridan

23/10/2015 - 14h55

É sempre muito bom, muito fácil quando se está na vantagem. É típico dos covardes se aproveitar do maior número.
Ah, e contar com a polícia… tisc… tisc… Ela faz parte dos covardes.

Responder

Mauricio Gomes

23/10/2015 - 14h26

Absurdo, revoltante e indecente essa agressão COVARDE feita por esses fascistóides adoradores de milicos. Sou totalmente contra a violência, mas que bem que esses animais poderiam provar do próprio “remédio” para ver se esses animais aprendem a conviver com as diferenças e serem mais tolerantes, ao invés de portarem-se como mulas midiotizadas e cheias de ódio.

A propósito, e a PF do Zé, vai deixar por isso mesmo?

Responder

    lulipe

    23/10/2015 - 19h41

    O que a PF tem a ver com esse caso, meu caro Maurício, seria por causa dos bonecos???

    Mauricio Gomes

    23/10/2015 - 21h27

    Talvez pelo uso de uma arma PROIBIDA para dar choque em um professor. Mas é pedir demais que um néscio como você entenda isso……

    lulipe

    23/10/2015 - 22h39

    Se fosse o caso a polícia judiciária para tal seria a Polícia Civil não a PF, procure estudar um pouco antes de escrever tolices..

    lulipe

    24/10/2015 - 00h17

    A polícia judiciária competente para o caso em questão é a Civil não a PF, entendeu????

Deixe uma resposta