VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Mídia patronal foca em multidões que bloqueiam tudo

11 de julho de 2013 às 12h38

post inspirado no Tijolaço

Reprodução da capa de alguns veículos tradicionais por volta do meio-dia de hoje (Folha, Estadão e O Globo).

Notem a ênfase nos transtornos, nenhuma menção à pauta reivindicatória e as fotos de multidões, nunca de “simpáticos manifestantes” como se viu há algumas semanas.

Deixem abaixo suas contribuições críticas à cobertura da mídia patronal.

Leia também:

Rodrigo Vianna: Processo da Globo pode ter “bomba atômica”

Leia os documentos revelados pelo Cafezinho e o livro Afundação Roberto Marinho

Parceiros da Globo preocupados com o ato do dia 11 em São Paulo

Tijolaço: Globo admite que sonegou, mas pagou

 

30 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

anderson

12/07/2013 - 01h54

cabeças vão rolar depois do recesso, já passou da hora da presidenta mandar embora o ministro da globo e da veja embora junto com o tal Helena chagas que da poder a esta mídia bandida.

Responder

Messias Franca de Macedo

11/07/2013 - 19h05

AINDA SOBRE MÍDIA PATRONAL E CORPORATIVISTA! Lá isso é jornalismo, sô?!…

################

Globo versus Receita: um escândalo dentro do escândalo

É abjeto o silêncio da mídia, dos políticos e do governo num caso tão extraordinário.
Por jornalista PAULO OGUEIRA
11 DE JULHO DE 2013

Futebol é um negócio bilionário para a Globo
Existe um escândalo dentro escândalo do caso Globo versus Receita Federal.
É a omissão da mídia, dos políticos e do governo. Todos estão se fazendo de mortos, numa cumplicidade mórbida, como se não estivesse ocorrendo nada.
A tarefa de lutar por um Brasil melhor, neste caso, está limitada, até aqui, a esforços épicos de blogues independentes.
Os fatos são espetaculares.
Vejamos.
A Receita, como primeiro noticiou o blog O Cafezinho, flagrou a Globo numa trapaça fiscal. Documentos vazados por uma fonte da Receita mostram que a Globo tratou a compra dos direitos da Copa de 2002 como se fosse um investimento no exterior para fugir aos impostos brasileiros.
Isso se chama sonegação. E sonegação é corrupção.
A empresa se utilizou, na manobra, de um paraíso fiscal, recurso predileto de sonegadores no mundo todo. Não à toa, os governos dos países adiantados decidiram impor um cerco terminal aos paraísos fiscais, porque o dinheiro sonegado destrói a saúde dos cofres públicos e impõe uma injustiça monstruosa à sociedade.
Em dinheiro de 2006, a Globo devia 615 milhões de reais à Receita. Isso são seis vezes o que a Globo definiu como o maior caso de corrupção da história do Brasil, o Mensalão.
Pressionada, a Globo, depois de tergiversar, admitiu que tivera sim problemas com a Receita. Mas jamais mostrou o darf, o recibo, para comprovar que acertara as contas.
Se o enredo já não fosse sensacional, entrou depois em cena a notícia – confirmada – de que uma funcionária da Receita tentara fazer desaparecer a documentação do caso.
Uma história fiscal passou a ser policial também.
A funcionária escapou da prisão graças a um habeas corpus de Gilmar Mendes. Para quem ela trabalhara? Teoricamente, basta buscar na lista dos beneficiários de um eventual sumiço.
Não são tantos assim.
Estranhamente, ou não estranhamente, pensando bem, a mídia corporativa – que tem exércitos de repórteres – não fez o menor esforço para encontrar funcionária e tentar esclarecer um caso de dimensões extraordinárias.
Isso atesta a miséria do jornalismo investigativo nacional.
Cenas bizarras vão aparecendo: um advogado da Globo disse não se recordar do caso, como se estivesse falando da conta de um restaurante.
Um repórter do UOL entrou no caso, provavelmente sem conhecimento dos donos, extraiu da Globo a admissão da multa e sumiu exatamente no momento em que conseguira mostrar que tinha uma grande história.
O UOL – da Folha, sócia da Globo no jornal Valor – não deu mais nada. O mesmo comportamento teve seu irmão, a Folha, que estampa na primeira página a informação de que é um jornal a serviço do Brasil.
Sim, a serviço do Brasil – mas desde que isso não signifique investigar a Globo.
Fora todos os fatos comprovados, há especulações eletrizantes.
Exemplo: a justiça suíça, ao denunciar no ano passado a rede de propinas comandada por João Havelange e Ricardo Teixeira, denunciou a propina milionária paga num paraíso fiscal para Havelange para que garantisse a uma emissora de televisão que a Fifa venderia a ela, e não à concorrência, os direitos da Copa de 2002.
Quanto a Globo ganha com futebol é uma enormidade: em 2012, foram vendidas seis cotas a patrocinadores por 174 milhões cada. Isso dá mais de 1 bilhão de reais.
O tamanho do negócio do futebol justificaria qualquer coisa?
Esta é uma das questões que deveriam estar sendo discutidas publicamente, num regime de transparência urgente, dado o torrencial interesse público do caso.
Mas não.
Há um silêncio abjeto que paira sobre este escândalo – exceto pela luta heroica e solitária dos bravos Davis da internet contra o Golias e seus amigos, ou cúmplices, se você quiser.

Sobre o autor: Paulo NogueiraVeja todos os posts do autor Paulo Nogueira
O jornalista Paulo Nogueira, baseado em Londres, é fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo.

em http://www.diariodocentrodomundo.com.br/globo-versus-receita-um-escandalo-dentro-do-escandalo/

… E que país é esse?! “É o ‘Brazil’(!) mudado por um menino paupérrimo (idem sic) chamado Joaquim!”
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Sérgio

11/07/2013 - 18h41

Essas verdades superam mil (ou mais) mentiras que o pig possa dizer.
Pela liberdade de expressão nos meios de comunicação!
Por que todas as opiniões sejam ditas e não apenas a dos donos e de seus prepostos!

Responder

FrancoAtirador

11/07/2013 - 17h43

.
.
Por Leandro Fortes, na Carta Capital, via Tijolaço

O povo não é bobo

Enquanto ainda alimenta a fantasia das “manifestações pacíficas” que cobriu, covardemente, do alto dos prédios das cidades, com repórteres postados como atiradores de(a) elite, a Rede Globo se vê, finalmente, diante de uma circunstância que não consegue dominar, manipular e, ao que parece, nem mesmo entender.
Aliás, que jamais irá entender, porque se tornou uma instituição não apenas descolada da realidade, mas também do tempo em que vive.
Ela e a maior parte dos profissionais que nela trabalham, estes que acreditam ter chegado ao topo da profissão de jornalista quando, na verdade, estão, desde muito tempo, vinculados ao que há de mais obsoleto, atrasado e cafona dentro do jornalismo nacional.

O poder da blogosfera progressista e de esquerda, que tanto incomoda, portanto, a conservadores e direitistas (partindo do pressuposto otimista de que há eventual separação entre eles), lançou-se numa organizada empreitada de apuração jornalística que fez a gigante platinada do Jardim Botânico tremer nas bases e, mais de uma vez, colocar pelo menos um dos joelhos no chão.

A partir de um superfuro do jornalista Miguel do Rosário, do site O Cafezinho, estabeleceu-se na blogosfera uma correia de transmissão informal, mas visceralmente interconectada, sobre o megaesquema de sonegação fiscal montado pelas Organizações Globo que resultou, em 2006, numa cobrança superior a 600 milhões de reais — 183 milhões de imposto devido, 157 milhões de juros e 274 milhões de multa. Foi resultado do Processo Administrativo Fiscal de número 18471.000858/2006-97, sob responsabilidade do auditor Alberto Sodré Zile.
Como o auditor constatou crime contra a ordem tributária, abriu a Representação Fiscal para Fins Penais sob o número 18471.001126/2006-14.

Na sequência, outros três dos mais ativos blogueiros do País, os jornalistas Luiz Carlos Azenha, Rodrigo Vianna e Fernando Brito, respectivamente, do Viomundo, O Escrevinhador e do Tijolaço, estabeleceram uma sequência formidável de fatos que deram um corpo sólido à história levantada por O Cafezinho:

1) A multa da Receita, de mais de 600 milhões de reais (1 bilhão de reais, em valores atualizados), de 2006, é referente a sonegação fiscal praticada na compra, pela TV Globo, dos direitos de transmissão da Copa de 2002. Envolve, ainda, ligações com dois criminosos internacionalmente conhecidos: João Havelange, ex-presidente da FIFA, e Ricardo Teixeira, ex-presidente da CBF.

2) Em 2007, uma funcionária da Receita Federal, Cristina Maris Meinick Ribeiro, foi denunciada pelo Ministério Público Federal por ter dado sumiço no processo contra a Globopar, controladora das Organizações Globo, por sonegação fiscal.

3) Como não poderia deixar de ser nesses casos, o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, deu sua contribuição às trevas: foi ele que relatou o habeas corpus que soltou a funcionária da Receita, depois da ação de CINCO advogados junto ao STF.

Sempre tão poderosa e segura de seus privilégios, as Organizações Globo entraram nessa briga mais ou menos como Anderson Silva diante de Chris Weidman, no octógono de Las Vegas. Acharam que estavam diante de adversários menores e insignificantes, mas, como se sabe, a soberba é o sentimento imediatamente anterior à queda.

Em apenas três semanas de contínua e criteriosa apuração da blogosfera, a Globo se perdeu em versões sem sentido e recuos de informação, admitiu a culpa da sonegação e justificou-se com um pagamento alegado, mas nunca provado. Teve, pela primeira vez desde que foi criada no ventre da ditadura militar, que se pronunciar publicamente sobre uma denúncia contra si, desgostosa de que isso tenha acontecido fora de seu espectro de dominação, a velha e reacionária mídia nacional, da qual é líder e paradigma. A poderosa vênus platinada teve que responder, primeiro, ao O Cafezinho, de Miguel do Rosário, e depois às redes sociais, ao País, enfim.

Soubemos, assim, que as Organizações Globo, que vivem de concessões públicas e verbas oficiais, ao serem confrontadas com a informação sobre o roubo do processo pela funcionária da Receita Federal, divulgaram uma nota dizendo terem tido uma “grande surpresa” ao saberem da ação criminosa perpetrada por Cristina Maris Meinick Ribeiro.

Então, está combinado assim:

1) Cristina, funcionária de carreira da Receita, enlouqueceu em uma manhã de 2006 e, do nada, apenas movida pela índole de anjo e pela vontade de ajudar a pobre Rede Globo, decidiu por conta própria roubar e desaparecer com o processo de sonegação fiscal de 600 milhões de reais da família Marinho. Depois, conseguiu pagar, sozinha, cinco advogados para arranjar um habeas corpus com o inefável Gilmar Mendes;

2) Em seguida, o Ministério Público Federal, então comandado pelo procurador-geral da República Antonio Fernando Souza, denunciou Cristina Ribeiro pelo sumiço da papelada, que resultou na condenação da referida servidora a 4 anos e 11 meses de cadeia, segundo sentença da Justiça Federal do Rio de Janeiro. Isso em 2007, tudo na surdina, sem que um único procurador da República tenha se preocupado a vazar um fato grave desse para a imprensa ou, no limite, para jornalistas com atuação independente na blogosfera. Nada comparável à fúria e à disposição do mesmo Antonio Fernando ao dar publicidade à denúncia do “mensalão”, notícia, desde então, incorporada à grade de programação da Globo como um coringa usado tanto em época de eleição como nos espasmos de epilepsia antipetista, aliás, recorrentes na emissora.

Talvez, de tanto viver na dimensão onírica de suas telenovelas, ou na falsa percepção que alguns dos seus sorridentes jornalistas têm do mundo real, a Rede Globo ache, de fato, que é possível fazer o contribuinte acreditar de que ela nada tem a ver com o roubo do processo da Receita Federal. Afinal, somos todos uma nação de idiotas plugados no Caldeirão do Huck, certos de que, ao morrermos, teremos nossas almas levadas ao céu pela nave espacial da Xuxa.

Ou seja, os de lá não aprenderam nada com o debate Lula x Collor, em 1989, nem com a bolinha de papel de José Serra, em 2010, duas farsas desmascaradas, cada qual a seu tempo, pela História. Não perceberam que a internet acabou com a era das fraudes de comunicação no Brasil e no mundo.

Apostam as últimas fichas na manada que reuniram em cinco décadas de monopólio de um império movido a entretenimento e alienação. Mas esse gado que foi alegremente tangido por vinhetas e macacas de auditório ganhou, com o fenômeno da rede mundial de computadores, novas porteiras e, com elas, uma perspectiva real de liberdade.

O silêncio envergonhado e vergonhoso dos tristonhos oligopólios de mídia brasileiros sobre uma notícia tão grave é, antes de tudo, revelador das nossas necessidades.

Fico imaginando qual seria a capa dos jornalões e das revistas coirmãs se fosse Lula a dever mil réis de mel coado à Receita Federal. E se descobrissem, no curso da apuração, que um militante aloprado havia lhe feito o favor de roubar o processo judicial a respeito. As massas seriam, no mínimo, conclamadas a linchar o ex-presidente e pedir as Forças Armadas nas ruas.

Por essa razão, enquanto o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, se dispõe a ir às páginas amarelas da Veja se colocar – e ao governo do PT – de joelhos perante quadrilhas ligadas a bicheiros e a esquemas de sonegação fiscal, a ação periférica da blogosfera rouba o protagonismo que antes era dessa autointitulada “grande imprensa”.

E, para tal, faz apenas o que tem que ser feito: jornalismo.

Leandro Fortes

Por: Fernando Brito

(http://www.tijolaco.com.br/index.php/leandro-fortes-globo-caiu-como-anderson-silva-ante-a-blogosfera)
.
.

Responder

Francisco

11/07/2013 - 17h06

E fotos tiradas tão de longe quanto possível…

Vai que o resto do povo lê os cartazes e faixas?

Responder

Bernardino

11/07/2013 - 16h43

SENSACIONAL esse Texto do Antonio Gramsci,caro ASSALARIADO ele é Pertinente para o Momento e digno de divulgaçao pra todos os BLOGS e pessoas que combatem o PIG e mesmo para aqueles que se iludem com essa imprensa CANALHA!!!

Responder

Messias Franca de Macedo

11/07/2013 - 16h29

TARSO GENRO: SITUAÇÃO LIMITE PODE ‘ESTAGNAR’ DEMOCRACIA

Governador do Rio Grande do Sul, Estado com mais bloqueios de estradas no Dia Nacional de Lutas desta quinta-feira, Tarso Genro diz que “ou nós mudamos e amoldamos as instituições da República para maior participação direta da sociedade e fazemos o atual modelo econômico, que alcançou méritos extraordinários, avançar, ou a nossa democracia nos próximos anos pode estagnar”; segundo ele, “é visível que tem uma maioria conservadora do Congresso que não quer fazer a reforma política, porque quer apenas usar o sistema político para a reprodução dos seus mandatos”
(…)

FONTE: Brasil 247

Responder

    Messias Franca de Macedo

    11/07/2013 - 16h30

    PARECE QUE SOMENTE AGORA, ‘O PT DA GOVERNANÇA’ ENXERGOU O SINAL ‘AMARELÍSSIMO’ DA CONSOLIDAÇÃO DO GOLPE ORA EM CURSO!…

Pedro Lima

11/07/2013 - 16h10

A mídia do Brasil é a única do mundo que é patrocinada para dar porrada.
Só a Lei Maria da Penha salva Dilma.

Responder

Messias Franca de Macedo

11/07/2013 - 15h44

… Alguém tem notícias acerca das legitimas manifestações de protestos ‘das vozes das ruas’ nas portas da TV Bahia, demais afiliadas e sedes das organizações [mafiosas!] Globo?!…
Eu estou perguntando porque “pelo gosto e delinquência contumaz” das organizações(!) referidas, ninguém – absolutamente ninguém(!) – saberá!…

Muito obrigado.

E VAPT VUPT!

República de ‘Nois’ Bananas
Bahia, Feira de Santana
Messias Franca de Macedo

Responder

Carlos

11/07/2013 - 15h27

Mídia ridícula e ridículos os que creem nela.

Responder

Edno Lima

11/07/2013 - 15h04

Com pouquíssimos manifestantes, fechar algumas rodovias foi a única forma do “organizado” movimento chamar a atenção da mídia, caso contrário ninguém tomaria conhecimento do ato em vários estados!

Responder

Rafael

11/07/2013 - 15h01

Concordo plenamente com vosso ponto de vista! Eis a mídia corruptamente sabotadora !!!

Responder

jaime

11/07/2013 - 14h43

Quem quiser saber pela mídia o que está acontecendo será informado de que há um bando de gente bloqueando estradas, mas não se sabe por que. Aparentemente seria pelo prazer de queimar uns pneus, já que estamos em época de festas julinas, mas nem os manifestantes saberiam ao certo e por isso a nenhum foi perguntado absolutamente nada.
É isso.
Mas está sendo mostrado com um aparato gigantesco, com cobertura por todo o país.
Ordem (para os trabalhadores) e Progresso (para o empresariado).
E preservar a todo o custo essa “imprensa livre”.

Responder

Messias Franca de Macedo

11/07/2013 - 14h31

UM POUCO MAIS SOBRE [AS MAZELAS DA] MÍDIA PATRONAL!

A TV BAHIA “da Globo” TEM QUE SER PROCESSADA!…

Confesso que há muitos e muitos anos, não assisto a esse tal ‘Bahia Esporte’… E, aí, “pensei que seria uma coisa e foi a mesma de sempre”! Vamos lá: o programa é iniciado com a simpática – e sorridente – âncora enunciando a primeira manchete, exaltando… Errou feio quem imaginou que a exaltação tivesse sido em relação ao novo e liberto Esporte Clube Bahia! A principal manchete exaltava o ‘Galo Mineiro’! Se eu não tivesse visto a patifaria com “os meus olhos que a terra haverá de comer” [RISOS], não acreditaria!… Em seguida, mais comedido (sic), o âncora do programa encaminhou a manchete seguinte, agora relacionada ao triunfo tricolor!
“Respirei um pouco a ‘RRRAAAIIIIIVVVAAA’”!… E lá vem outra pancada: o programa de esportes [repito, de esportes!] apresentou uma reportagem de rua… De novo, errou feio quem imaginou que a reportagem iria ouvir os eufóricos – e legitimamente sorridentes(!) – torcedores e torcedoras do verdadeiro Esporte Clube Bahia! A repórter “ficou um tempão” usando os verbos no passado! Mais ou menos assim: “Hoje, logo cedo pela manhã, houve muitas manifestações, aqui na capital e também no interior do estado! Algumas rodovias foram interditadas, mas, agora, o tráfego de veículos já está normalizado! Muitos trabalhadores tiveram dificuldades em conseguir um transporte coletivo para irem trabalhar! No entanto, esses trabalhadores e essas trabalhadoras já estão trabalhando normalmente!…” E blábláblábláblá… “Para boi dormir [Mais risos! Ô!] “Pode ‘to be’?!”…
Aí, eu pensei: “eu mato de raiva e pirraça essa dupla de âncoras!” [assim eu morro de rir!] Irei assistir aos dois gols do meu Bahia nessa joça de canal!… E quando eu já me preparava para ver o triunfo do meu Bahia… Pasme, de novo, a mesma repórter falando do passado das manifestações! E o Diabo é que as menções não eram relacionadas às legítimas e sábias manifestações da nação tricolor contra a corja ‘deletora’!..
(… Lá isso é jornalismo, sô?!…)
… Seguiu-se a seção de humor! Em seguida, novos comerciais! E, nos estertores (sic), do tal programa esportivo [esportivo?!] começaram a falar da vitória do E.C.Bahia sobre o São Paulo! Diga-se de passagem, partida de futebol realizada na capital paulista! Para a minha não tanta surpresa (idem sic), a narração que acompanhava os melhores [eu disse ‘melhores’!] momentos do jogo só falava em erros de passes, de posicionamentos, de falhas na defesa, das [supostas] modificações equivocadas do técnico… O(a) leitor(a) está imaginando que a narrativa de um jornalista baiano [eu disse ‘baiano’] fazia referência aos jogadores e ao técnico do derrotado – “de virada e em casa” – São Paulo?! Certamente que a resposta é não! Isso mesmo: o esculacho foi dirigido aos briosos e vitoriosos jogadores do E.C.Bahia…

… E os gols?!… Bom, os gols da vitória histórica do Esporte Clube Bahia da nação tricolor, assistirei acessando algum ‘site’ na internete!…

AH! AINDA SOBRE DESGRAÇAS! É importante registrar que o tal programa “esportivo” é antecedido por um programa noticioso/jornalístico! Sendo que na edição de hoje as tais manifestações contra o governo já tinham sido – exaustivamente [eu disse ‘exaustivamente'(!)] – apresentadas!…

E ALGUÉM ESTÁ PENSANDO QUE A LAMBANÇA TERMINA AQUI?! Ledo engano: nem nos programas “jornalísticos” nem tampouco no tal programa “esportivo” nenhum “pito nem de longe” foi visto e/ou ouvido a respeito das manifestações das ‘vozes das ruas’ nas portas da mesma TV Bahia e demais afiliadas da Rede Globo sonegadora de impostos – e que tenta ludibriar o Fisco, operando contas bancárias em paraísos fiscais!…

RESCALDO: é Verdade: essas emissoras das organizações(!) Globo – império consolidado na espúria e infame ditadura militar – não respeitam minimamente a Lei que regulamenta as concessões públicas na área das comunicações! O que não deixa de ser um risco sempre iminente à nossa subdemocracia de bananas! E a ética jornalística? Que ética, sô?!…

EM TEMPO I: A CPI da Globo Já passou da hora! A cadeia para os crimes do ‘colarinho branco’ talvez [eu disse “talvez no Brasil”!] fique para depois e sempre!…

EM TEMPO II: verdadeiros torcedores tricolores, nunca esqueceis da advertência lapidar, corajosa e sábia do jornalista Casemiro Neto: “[Verdadeiros torcedores tricolores] Não deem ouvidos a essas conversas *fiadas!…”
*Daqueles (abutres) que querem que tudo continue a mesma lambança de sempre! Chega! Adendo nosso! A propósito, quem pagará os sórdidos e indecorosos honorários MILIONÁRIOS desse advogado do Diabo – e dos corruptos -, o tal Kakai?!…

E VAPT VUPT!

AVANTE IMBATÍVEL TORCIDA TRICOLOR!

Messias Franca de Macedo – sempre tricolor! o ‘ex-sempre-tricolor’ é coisa do passado! Passado de lembranças que deverão ser esquecidas no futuro próximo de glórias e legítimas conquistas

Responder

assalariado.

11/07/2013 - 14h31

Este é um texto escrito em 1916 por Antônio Gramsci. Fala sobre como os donos dos meios de produção e seu braço politico, hoje, mais conhecido pela alcunha de PIG, constrói sua hegemonia politica ideológica entre os assalariados e seus aliados políticos. Tudo isso, como meio de sobrevida e como classe exploradora da sociedade e do planeta.

———————— OS JORNAIS E OS OPERÁRIOS ———————-

“É a época da publicidade para as assinaturas. Os diretores e os administradores dos jornais burgueses arrumam as suas vitrines, passam uma mão de tinta pela tabuleta e chamam a atenção do passante (isto é, do leitor) para a sua mercadoria. A mercadoria é aquela folha de quatro ou seis páginas que todas as manhãs ou todas as tardes vai injetar no espírito do leitor os modos de sentir e de julgar os fatos da atualidade política que mais convém aos produtores e vendedores de papel impresso. Estamos dispostos a discorrer, com os operários especialmente, sobre a importância e a gravidade daquele ato aparentemente tão inocente que consiste em escolher o jornal que se pretende assinar?

É uma escolha cheia de insídias e de perigos que deveria ser feita com consciência, com critério e depois de amadurecida reflexão. Antes de mais, o operário deve negar decididamente qualquer solidariedade com o jornal burguês. Deveria recorda-se sempre, sempre, sempre, que o jornal burguês (qualquer que seja sua cor) é um instrumento de luta movido por idéias e interesses que estão em contraste com os seus. Tudo o que se publica é constantemente influenciado por uma idéia: servir a classe dominante, o que se traduz sem dúvida num fato: combater a classe trabalhadora. E, de fato, da primeira à última linha, o jornal burguês sente e revela esta preocupação. Mas o pior reside nisto: em vez de pedir dinheiro à classe burguesa para o subvencionar a obra de defesa exposta em seu favor, o jornal burguês consegue fazer-se pagar pela própria classe trabalhadora que ele combate sempre. E a classe trabalhadora paga, pontualmente, generosamente.

Centenas de milhares de operários contribuem regularmente todos os dias com seu dinheiro para o jornal burguês, aumentando a sua potência. Porquê? Se perguntarem ao primeiro operário que encontrarem no elétrico ou na rua, com a folha burguesa desdobrada à sua frente, ouvirão esta resposta: É porque tenho necessidade de saber o que há de novo. E não lhe passa sequer pela cabeça que as notícias e os ingredientes com as quais são cozinhadas podem ser expostos com uma arte que dirija o seu pensamento e influa no seu espírito em determinado sentido. E, no entanto, ele sabe que tal jornal é conservador, que outro é interesseiro, que o terceiro, o quarto e quinto estão ligados a grupos políticos que têm interesses diametralmente opostos aos seus. Todos os dias, pois, sucede a este mesmo operário a possibilidade de poder constatar pessoalmente que os jornais burgueses apresentam os fatos, mesmo os mais simples, de modo a favorecer a classe burguesa e a política burguesa com prejuízo da política e da classe operária. Rebenta uma greve? Para o jornal burguês os operários nunca têm razão. Há manifestação? Os manifestantes, apenas porque são operários, são sempre tumultuosos, facciosos, malfeitores.

O governo aprova uma lei? É sempre boa, útil e justa, mesmo se não é verdade. Desenvolve-se uma campanha eleitoral, política ou administrativa? Os candidatos e os programas melhores são sempre os dos partidos burgueses. E não falemos daqueles casos em que o jornal burguês ou cala, ou deturpa, ou falsifica para enganar, iludir e manter na ignorância o público trabalhador. Apesar disto, a aquiescência culposa do operário em relação ao jornal burguês é sem limites. É preciso reagir contra ela e despertar o operário para a exata avaliação da realidade. É preciso dizer e repetir que a moeda atirada distraidamente para a mão do ardina é um projétil oferecido ao jornal burguês que o lançará depois, no momento oportuno, contra a massa operária.

Se os operários se persuadirem desta elementaríssima verdade, aprenderiam a boicotar a imprensa burguesa, em bloco e com a mesma disciplina com que a burguesia boicota os jornais dos operários, isto é, a imprensa socialista.

Não contribuam com o dinheiro para a imprensa burguesa que vos é adversária: eis qual deve ser o nosso grito de guerra neste momento, caracterizado pela campanha de assinaturas, feitas por todos os jornais burgueses. Boicotem, boicotem, boicotem!”

Rumo ao Socialismo.

Responder

Mardones

11/07/2013 - 14h27

A mídia tenta manipular, mas, ainda bem, os movimentos mais organizados e acordados há muito tempo não deixaram o trabalho fácil para aqueles que queriam guiar a manifestação do povo. Agora com cara de trabalhador e sem algazarras e idiotices de ‘sem partido’. Agora é a luta mais democrática e com partidos!

Os barões vão engolir e já foram atropelados pela multidão empregada e muito bem alerta. Aqui no Paraná, teve espaço para Reforma Agrária e contra o projeto de terceirização do Sandro Mabel.

Esse movimento, sim, é a vibração do povo. Aquele que não abre mão da representação partidária e do debate democrático.

Responder

Fernandes

11/07/2013 - 14h22

PIG é PIG!

Nós é que fazemos lambanças e parecemos igrejinhas com seu dógmas ultra particulares.

Já o PIG sabem bem o que quer e os métodos para isso. Não dorme no ponto.

Responder

Vanilton Alves

11/07/2013 - 14h09

Na verdade, a cobertura distorcida da mídia conservadora só faz crescer o repúdio por ela. Afinal de contas, o povo nunca foi bobo.

Responder

G.A Almeida

11/07/2013 - 13h29

Mas seguindo a lógica de vocês esta manifestação de hoje foi facista e não politizada, correto?

Responder

    G.A Almeida

    11/07/2013 - 13h30

    Digo não politizada pois só tem a situação, e aí tudo bem né

    Marcio

    11/07/2013 - 15h16

    G.A Almeida a única situação possível é você continuar sendo “Coxinha”!

Carlos

11/07/2013 - 13h21

O PODER INVESTIGATÓRIO DO MP NÃO SÓ PARA INVESTIGAR O BOBO.
TEM QUE INVESTIGAR A GLOBO.

Responder

RONALD

11/07/2013 - 13h08

Esqueçam da mídia televisiva/escrita no BRASIL.
O incentivo que eles deram para as passeatas contra a copa só existiram por causa da eleição do ano que vem e prá derrubar os índices de popularidade da DILMA/PT.
O resto é só conversa fiada.

Responder

Ozzy Gasosa

11/07/2013 - 13h04

O PIG televisivo tá metendo o pau nas manifestações de hoje TAMBÉM .
Não presta, é política, tem bandeiras e partidos políticos, pede melhores salários, coisa de comunista…
Para o PIG manifestação boa e legítima é a sem partido, ops, de preferência contra um só partido, ou seja, contra O PT.
Vamos para as ruas!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

Julio Silveira

11/07/2013 - 13h03

Eu já havia cantado essa pedra. Lá no Rio, quando demoliram a sede da Assembleia Legislativa (aliás, parabéns ao meus conterrâneos cariocas nesse interim, foram o únicos que atingiram o alvo certo. É lá, simbolicamente, que reside a fonte do cinismo e dos caras de pau), o que se viu foi fazerem prosélito contra o vandalismo, sem nenhuma observação quanto aos motivos da cidadania em luta. Essa turma das grandes organizações midiáticas sabem que contam com troca de favores políticos para se manterem onde e como estão. São manipuladores dos sentimentos da cidadania ignorante, não são nada educativos. Fazem o jornalismo de fachada.

Responder

Elize Lima

11/07/2013 - 13h02

Acreditar que o poder midiático está fundamentando seus noticiários sobre
as manifestações DOS TRABALHADORES nos interesses da nação, seria ingenuidade ou limitação.
A mídia conservadora está a favor dos seus próprios interesses.
E quem se colocar inerte diante de um aparelho de TV disponível ao que der e vier corre o risco de destruir sua própria consciência.

Responder

sílvia macedo

11/07/2013 - 13h01

É a mesma mídia apoiada pelo ministro das Comunicações do governo Dilma. Ele cairá em breve, com certeza.

Responder

Deixe uma resposta