VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.

Memória: Globo ficou com R$ 5,5 milhões do Visanet

16 de novembro de 2013 às 20h42

sugerido pelo leitor Euler, via O Cafezinho

Leia também:

Conceição Lemes analisa documentos de Henrique Pizzolato

 

19 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

irineu

18/11/2013 - 01h16

Azenha e leitores, enviei um e-mail ao programa CQC do PIG e gostaria muito de publica-lo aqui, pois é um manifesto. Obrigado!

Boa noite!
Tass e cia,
Há muito tempo li um artigo seu com o tema sobre “evolução digital” Era um livro da veja com artigos dos mais variados autores, ( tinha ate um
poema do Vinicius de Moraes:(ACONTECIMENTO)ate então eu não tinha a menor ideia de bastidores de jornalismo e nem como funcionava a mídia corporativa que atua a serviço da elite. ( Ate então admirei o seu texto e pensei esse Tass será importante para uma transformação) Admirava você no programa infantil da Tv cultura. Dizia , porque sim não é resposta e explicava as crianças.
O tempo passou, e fui enveredando em bastidores independentes de como funciona a mídia o que a maioria da população não sabe, apenas vão como gados manipulados , enganados com edições enviesadas , mendaz , distorcidas de acordo com o interesse da elite e da grande imprensa que atua de forma ramificada , conchavada ,conveniente e conivente.
Algo triste para um sonho que alimentei e imaginei uma transformação plural e democrática da informação. Hoje nem vejo mais tv pois é um linchamento a quem assiste: Triste isso onde chegamos?
Tass , sei que muitas vezes você e tua equipe segue as pautas da empresa a mídia(PIG=partido da imprensa golpista)
Porque a imprensa é parcial e seletiva?
Porque noticia algo e acoberta outros fatos?
Estamos refém desse sistema de mídia que infelizmente é uma concessão pública onde deveria levar uma noticia correta e imparcial …é totalmente parcial.
Mídia que suga o dinheiro público e ninguém fala nada.
Dinheiro de nossos impostos pagos principalmente a população mais carente, pois muitos “ricos” sonegam, e grandes empresas também vide “grande imprensa”….sem contar a grana que o governo injeta pra salvar quando as mesmas entram em crise e sugam o BNDS.
Essa mesma mídia que pega uma super mesada e faz a farra e não da em nada.
É a mesma mídia que fala mal execrando os 50 reais do bolsa família.
Vimos a condenação recente um verdadeiro teatro ( Se cometeram erros devem sim cumprir as penas)
Porem a mídia Pig fez um super teatro sensacionalista.
E as corrupções anteriores de outros políticos porque não falam?
Um “STF” “vinculado” ao PIG.
Porque não falam dos impostos que a Globo sonega? O terreno doado a Globo?
Não falam do grupo Abril,Band, Folha, Estadão etc.
Tass penso que as coisas deveriam ser em duas vias ouvir os dois lados e não tendênciar de forma manipuladora e torpe, voraz e mendaz.
Porque não falam da privataria tucana?
Porque não falam da corrupção em são Paulo que já dura a quase 30 anos?
As vezes é apenas uma nota sutil ,discreta e implícita.
Porque não falam do Daniel Dantas?
Porque não falam do Cacciola( Banqueiro)
Do mensalão do psdb que brotou em minas?
Tass , é muita coisa. O Brasil não merece a “população” que tem. Honestidade no Brasil é excessao.
Ate quando vamos ficar assim?
Tass você é muito mais do que isso, acredite e saia dessa caverna parcial. Mas infelizmente você é funcionário e tem que seguir nesse jogo do jeito que lhe é imposto.
É uma ramificação estendida de interesses da “elite politica com a mídia”
Jogam no mesmo time.
Tass , muito obrigado!
Foi apenas um e-mail democrático.

Parte do poema Acontecimento ( Vinicius de Moraes)

Muitos não compreenderão
Porque suas inteligências vão somente até os processos
E já existem nos processos tantas dificuldades…
Alguns verão e julgarão com a alma
Outros verão e julgarão com a alma que eles não têm
Ouvirão apenas dizer…
Será belo e será ridículo
Haverá quem mude como os ventos
E haverá quem permaneça na pureza dos rochedos
“No meio de todos eu ouvirei calado e atento, comovido e risonho
Escutando verdades e mentiras
Mas não dizendo nada.”

Abraços a todos!

Irineu

Responder

Maringoni defende exumação de Sarney e fusão PT-PSDB - Viomundo - O que você não vê na mídia

17/11/2013 - 21h37

[…] Globo ficou com R$ 5,5 milhões do dinheiro supostamente desviado do Visanet […]

Responder

FrancoAtirador

17/11/2013 - 18h46

.
.
O FATO DO DOMÍNIO: GLOBO MENSALEIRA

Se houve irregularidade, então a TV Globo

foi a primeira mensaleira da DNA/VISANET.

Folhas 68/69 do Relatório da Polícia Federal
(Fls. 13424/13425 do Inquérito 2474-1/140):

Responder

    FrancoAtirador

    17/11/2013 - 19h15

    27/07/2005
    CPMI DOS CORREIOS

    Documento mostra que a conta [PARTICULAR] 601.999 da DNA Propaganda na agência 3608 do Banco do Brasil recebeu no período analisado (últimos cinco anos) R$ 230 milhões em depósitos.

    A DNA abasteceu a própria conta com depósitos e transferências que somam R$ 71 milhões. Os demais R$ 159 milhões resultam de depósitos de 27 empresas, na maioria identificadas como clientes ou empresas de comunicação, e de órgãos do governo de Minas Gerais.

    A Telemig Celular e a Amazônia Celular, controladas pelo Opportunity, do banqueiro Daniel Dantas, fizeram nove depósitos que somam R$ 61,3 milhões. Outra controlada do Opportunity, a Brasil Telecom, fez um depósito de R$ 823 mil.

    O relatório da CPI identificou dois depósitos da TV Globo,
    somando R$ 3,6 milhões, e dois da Globosat, que somam R$ 180 mil.

    O governo de Minas Gerais [na Administração de Aécio Neves (PSDB-MG/RJ) e Clésio Andrade (então no PL-MG), (http://migre.me/gFtBu e http://migre.me/gFtCX)] fez depósitos na conta da DNA por meio de sua conta única, da Secretaria de Fazenda e da Secretaria de Saúde, no valor de R$ 2,7 milhões. A Subsecretaria de Comunicação Social disse que o governo mineiro tem contrato com a agência DNA, para prestação de serviços de publicidade, desde dezembro de 2003.

    A Editora Abril é identificada como responsável por um depósito de R$ 303 mil.

    O Sistema Pitágoras de Ensino depositou R$ 186 mil. A família do ministro do Turismo [e ex-vice-governador de Minas Gerais na Gestão de Eduardo Azeredo (PSDB-MG), (http://migre.me/gFtBu e http://migre.me/gFu3K)], Walfrido Mares Guia (PTB-MG), é acionista da empresa, que também é cliente da DNA Propaganda.

    A análise inicial mostra que o maior depósito individual de uma empresa [PRIVADA] para a DNA, no valor de R$ 44,217 milhões, tem como origem a Companhia Brasileira de Meios de Pagamento [VISANET], segundo o relatório da CPI.

    Trata-se de uma associação [PRIVADA] criada em 1995 pela Visa Internacional, Banco do Brasil, Bradesco e Banco Real, responsável pelos cartões de pagamento eletrônico Visanet.

    A assessoria de imprensa da DNA informou que a agência detém, desde 1994, a conta publicitária dos cartões de crédito do Banco do Brasil, que operam pelo sistema Visanet.
    .
    .
    27/07/2005 – 20h23
    REUTERS

    Visanet e teles de Dantas fizeram 2/3 de depósitos à DNA no BB

    Ricardo Amaral e Natuza Nery
    Em Brasília

    Três empresas de telefonia ligadas ao Opportunity, de Daniel Dantas, e o consórcio controlador dos cartões Visanet foram identificados pela CPI dos Correios, segundo análise preliminar, como origem de mais de dois terços dos depósitos de terceiros recebidos no Banco do Brasil pela DNA Propaganda Ltda.

    A DNA é uma das empresas com participação acionária de Marcos Valério Fernandes de Souza, acusado de ser operador do suposto pagamento de propinas a políticos conhecido como “mensalão”.

    Um levantamento inicial feito pela CPI foi entregue à Reuters na noite de terça-feira (27) por um parlamentar, com o compromisso de não ser identificado.

    O documento mostra que a conta [PARTICULAR] 601.999 da DNA Propaganda na agência 3608 do Banco do Brasil recebeu no período analisado (últimos cinco anos) R$ 230 milhões em depósitos. A DNA abasteceu a própria conta com depósitos e transferências que somam R$ 71 milhões.

    Os demais R$ 159 milhões resultam de depósitos de 27 empresas, na maioria identificadas como clientes ou empresas de comunicação, e de órgãos do governo de Minas Gerais [na Administração de Aécio Neves (PSDB-MG/RJ) e Clésio Andrade (então no PL-MG), (http://migre.me/gFtBu e http://migre.me/gFtCX)].

    A análise inicial mostra que o maior depósito individual de uma empresa [PRIVADA] para a DNA, no valor de R$ 44,217 milhões, tem como origem a Companhia Brasileira de Meios de Pagamento [VISANET], segundo o relatório da CPI.

    Trata-se de uma associação [PRIVADA] criada em 1995 pela Visa Internacional, Banco do Brasil, Bradesco e Banco Real, responsável pelos cartões de pagamento eletrônico Visanet.

    A assessoria de imprensa da DNA informou que a agência detém, desde 1994, a conta publicitária dos cartões de crédito do Banco do Brasil, que operam pelo sistema Visanet.

    A Companhia Brasileira de Meios de Pagamento (Visanet) informou em comunicado “que os pagamentos efetuados para a agência de publicidade DNA foram aprovados como verba de marketing para o lançamento de novos produtos, incentivo à emissão e ativação de cartões de crédito e débito do Banco do Brasil, principal emissor de cartões do país”.

    Outra operadora de cartões, a Servinet, depositou R$ 6,4 milhões. A Redecard fez dois depósitos que somam R$ 144 mil. Até as 20h20, a Redecard não havia comentado a informação.

    A Telemig Celular e a Amazônia Celular, controladas pelo Opportunity, fizeram nove depósitos que somam R$ 61,3 milhões. Outra controlada do Opportunity, a Brasil Telecom, fez um depósito de R$ 823 mil. Segundo a assessoria de imprensa da Brasil Telecom, a DNA realizou em 2003 uma campanha de utilidade pública, em rádio, em toda a área de cobertura da operadora.

    As duas outras operadoras divulgaram um comunicado conjunto informando que “todos os pagamentos realizados às empresas DNA Propaganda Ltda. e SMP&B Comunicação Ltda. foram decorrentes tão somente de relação estritamente comercial existente entre as partes, fundamentada em efetiva prestação de serviços de publicidade pelas agências às Companhias”.

    Prestação de serviços
    A estatal Eletronorte fez três depósitos que somam R$ 16,5 milhões. Segundo a assessoria de imprensa da Eletronorte, “todos os serviços de publicidade da empresa são contratados via DNA, que foi escolhida por meio de licitação pública em 2001, obedecendo a legislação”.

    O governo de Minas Gerais [na Gestão Aécio Neves/Clésio Andrade] fez depósitos na conta da DNA por meio de sua conta única, da Secretaria de Fazenda e da Secretaria de Saúde, no valor de R$ 2,7 milhões.
    A Subsecretaria de Comunicação Social disse que o governo mineiro tem contrato com a agência DNA, para prestação de serviços de publicidade, desde dezembro de 2003, para atendimento às áreas de saúde e meio ambiente.
    “Portanto, a transferência de recursos à agência destina-se ao pagamento de serviços de produção e veiculação de campanhas publicitárias”, disse a subsecretaria à Reuters.

    A assessoria de imprensa da DNA disse à Reuters que os depósitos correspondem ao pagamento pela prestação de serviços a essas empresas, incluindo criação, produção e veiculação de publicidade. Segundo a assessoria, a DNA tem condições de provar a execução de todos os serviços.

    O levantamento da CPI também inclui três depósitos da Fiat Automóveis, totalizando R$ 4,6 milhões.

    “A DNA foi agência de propaganda da Fiat de agosto de 2000 a abril de 2005 na publicidade de varejo no Estado de Minas Gerais. É uma relação comercial normal e absolutamente transparente”, disse a assessoria da Fiat.

    Os documentos da CPI mostram também dois depósitos da Construtora Norberto Odebrecht totalizando R$ 149 mil. Em um comunicado, a empresa diz que o relacionamento com a DNA começou em 2002.

    “Pelo contrato, que foi rescindido em 15 de julho passado, a construtora obrigava-se, na primeira fase do projeto, a remunerar a agência com um percentual de 0,45% sobre o valor geral das vendas”, o que representou para a DNA “a quantia de R$ 387 mil”, diz a empresa no comunicado.
    A empresa afirma ainda que “uma segunda fase do projeto foi iniciada em abril de 2005″ e tinha a mesma forma de representação da etapa anterior, “o que significaria uma remuneração da ordem de R$ 202 mil” à DNA, se não tivesse havido a rescisão do contrato.

    O Sistema Pitágoras de Ensino depositou R$ 186 mil. A família do ministro do Turismo [e ex-vice-governador de Minas Gerais na Gestão de Eduardo Azeredo (PSDB-MG), (http://migre.me/gFtBu e http://migre.me/gFu3K)], Walfrido Mares Guia (PTB-MG), é acionista da empresa, que também é cliente da DNA Propaganda.

    Empresas de Comunicação
    O relatório da CPI identificou dois depósitos da TV Globo, somando R$ 3,6 milhões, e dois da Globosat, que somam R$ 180 mil.

    Segundo a Central Globo de Comunicação, “como todos os veículos de comunicação que veiculam publicidade, a TV Globo pagou comissão legalizada a uma agência de publicidade regularmente estabelecida”.

    A Editora Abril é identificada como responsável por um depósito de R$ 303 mil. Em nota oficial, o Grupo Abril afirma que “mantém relacionamento comercial com a grande maioria das agências de publicidade do país e que pagamentos de comissões em nome de agências fazem parte das práticas normais da atividade”.

    O relatório da CPI demonstra que a DNA também fez transações bancárias com as empresas de comunicação Folha da Manhã (Folha de S. Paulo), Ogilvy Brasil, Grupo Três (IstoÉ), For Comunicação, Símbolo Editora e Editora JB (Jornal do Brasil e Gazeta Mercantil).

    O relatório informa que a DNA autorizou transferências eletrônicas (TEDs) para a Folha da Manhã, Editora JB e Grupo Três que, por algum tipo de erro, foram devolvidas à conta da agência e contabilizadas como depósitos.
    A assessoria da DNA informou que compra regularmente espaço publicitário dessas empresas para seus diversos clientes.

    (http://noticias.uol.com.br/ultnot/2005/07/27/ult27u50309.jhtm)
    .
    .

    FrancoAtirador

    17/11/2013 - 20h52

    .
    .
    27/07/2005 – 16h26

    Dinheiro foi para ações de marketing, diz Visanet

    Da Redação

    A assessoria de imprensa da Visanet soltou uma nota, em que diz que os depósitos são regulares e legais.

    Leia a íntegra:

    A Companhia Brasileira de Meios de Pagamento, Visanet, esclarece que os pagamentos efetuados para a agência de publicidade DNA foram aprovados como verba de marketing para o lançamento de novos produtos, incentivo à emissão e ativação de cartões de crédito e débito do Banco do Brasil, principal emissor de cartões do País.

    As ações de marketing ficaram a cargo do BB, que dispunha de agência de publicidade integrada às suas estratégias mercadológicas de varejo.

    A cada ano, a partir de 2001, a CBMP destina para os emissores de cartão, acionistas da Visanet, recursos para aplicação em ações de incentivo de marketing com vistas a buscar incremento na emissão e ativação de cartões de crédito e débito.

    Os valores pagos pela Visanet referem-se à cota desse Fundo de Incentivo, que coube ao Banco do Brasil.

    (http://noticias.uol.com.br/ultnot/brasil/2005/07/27/ult2041u70.jhtm)

    (http://migre.me/gFwTx)
    .
    .

    FrancoAtirador

    17/11/2013 - 21h00

    .
    .
    27/07/2005 – 19h22

    Telefônicas dizem que pagamentos são regulares

    Veja a íntegra da nota divulgada pelas operadoras de telefonia Telemig Celular e Amazônia Celular:

    Belo Horizonte, 27 de julho de 2005 – A Telemig Celular S.A. e a Amazônia Celular S.A. (“Companhias”) vêm a público informar ao mercado, nos termos da Instrução CVM 358/2002, que repudiam veementemente as notícias veiculadas na imprensa, citando de forma equivocada o nome das Companhias no relacionamento comercial que têm com a DNA Propaganda Ltda (“DNA”) e SMP&B Comunicação Ltda (“SMP&B”) envolvidas no curso da CPI dos Correios.

    Tais informações, infundadas e distorcidas, trazem prejuízos irreparáveis à imagem das duas operadoras de telefonia celular e podem influir na cotação das suas ações, o que nos obriga a prestar os seguintes esclarecimentos, a respeito dos investimentos em marketing:

    1) A DNA tem contrato com a Telemig Celular desde 1998 e com a Amazônia Celular desde 2001, enquanto a SMP&B foi contratada pelas companhias a partir de 2001.

    2) Dos investimentos em marketing, aproximadamente R$ 112 milhões na Telemig Celular, no período de 2000 até o primeiro trimestre de 2005, e R$ 33 milhões na Amazônia Celular, de 2001 ao primeiro trimestre de 2005, foram contratados via DNA e SMP&B, principais agências de publicidade das Companhias.

    3) Como é de praxe no mercado publicitário, estes pagamentos, por obrigação contratual, são repassados pelas agências aos veículos de comunicação e outros fornecedores, descontadas as comissões das agências.

    4) Os percentuais de comissão pagos à DNA e à SMP&B pelas Companhias foram de 7,5% para produção das campanhas de publicidade e 10% para a veiculação, tendo este último sido reajustado para 13% a partir de 01 de janeiro de 2004 e para 14% a partir de 01 de janeiro de 2005, por determinação do Conselho Executivo de Normas Padrão – CENP, entidade criada para fazer cumprir as Normas-Padrão da atividade publicitária.

    5) Levantamento preliminar feito pelas Companhias indica que, dos pagamentos à DNA e SMP&B realizados pela Telemig Celular, couberam aproximadamente aos veículos de comunicação (entre outros TVs, jornais e rádios) 73%, às produtoras e gráficas 17%, e comissão às agências 10%. Dos pagamentos à DNA e SMP&B realizados pela Amazônia Celular, couberam aproximadamente aos veículos de comunicação (TVs, jornais, rádios, entre outros) 61%, às produtoras e gráficas 27%, e comissão às agências 12%.

    Os veículos que receberam a maior parte da verba são os seguintes:

    Alternativa Painéis,
    Alvorada Mídia Exterior Ltda,
    Aorta Mídia Exterior Ltda,
    Catch Busdoor, Central TVA (MTV),
    Espaço visual Busdoor,
    Iguatemi Belém (contrato com shopping),
    Imagem Comunicação Visual Ltda,
    J. Chebly Empreendimentos e Publicidade Ltda,
    Jornal A Crítica,
    Jornal Diário do Pará,
    Jornal Estado de Minas,
    Jornal Estado do Maranhão,
    MidLux Serviços Ltda,
    PAD – Painéis Andrade Davis,
    Ponto Chic Outdoor,
    Prisma Painéis,
    Rádio 107 FM,
    Rádio 94 FM,
    Rádio 98 FM,
    Rádio Antena 1,
    Rádio Arco Íris (Jovem Pan),
    Rádio Band FM (Pouso Alegre),
    Rádio Bandeirantes,
    Rádio BH FM,
    Rádio Candidés FM,
    Rádio Cidade FM (AC),
    Rádio Difusora,
    Rádio Difusora 104 FM,
    Rádio Extra FM,
    Rádio Galáxia FM,
    Rádio Guarani FM,
    Rádio Imparson FM,
    Rádio Itatiaia,
    Rádio Itatiaia FM (Juiz de Fora),
    Rádio Jovem Pan,
    Rádio Liberal,
    Rádio Por um mundo melhor FM,
    Rádio Solar FM,
    Rádio Sucesso FM,
    Rádio Vanguarda FM,
    Rede Bandeirantes,
    Rede Globo,
    Revista BHS,
    Revista Encontro,
    Revista Pátio Savassi,
    Revista Veja,
    SBT,
    Supermídia Outdoor,
    Vilénemmo Busdoor.

    6) A estratégia de investimento em marketing das Companhias tem proporcionado resultados positivos na contínua construção de sua imagem, com reflexos na manutenção da liderança de marca nos seus respectivos mercados.

    7) Além das informações já prestadas neste Fato, as Companhias estão realizando levantamento detalhado de cada uma das campanhas de publicidade, que, tão logo concluído, será encaminhado à Comissão de Valores Mobiliários – CVM.

    Belo Horizonte, 27 de julho de 2005.

    (http://noticias.uol.com.br/ultnot/brasil/2005/07/27/ult2041u71.jhtm)
    .
    .

Bacellar

17/11/2013 - 16h03

O cinismo dos proprietários e opiniatras das organizações Globo é patológico.

Responder

Mauricio

17/11/2013 - 13h17

Pessoal, olha o português, Está difícil de ler em vários trechos. Trechos:

“…e de prevenir o ministro Barbosa que ele abria brechas para embargos futuros”

Que ele ABRISSE – tempo do subjuntivo. “Abria” é pretérito imperfeito, ou seja, ação que se repetia no passado. “Quando ele abria os processos não deferia”, por exemplo.

“Tanto que ele esconde o inquérito 2474 sobre sigilo de justiça”

É SOB segredo de justiça, e NÃO “sobre”. Sobre = a respeito de. Sob = sob tutela, sob guarda de.

Isso confunde muito a leitura e altera o sentido das frases.

Responder

    Marcilio Serrano

    17/11/2013 - 16h06

    Mauricio,

    Se você observar no final, o texto foi copiado de uma matéria da internet portanto não me preocupei com a língua portuguesa.

    Afinal me preocupo com inocentes que estão sendo presos. Gostaria de saber sua opinião a respeito da matéria e não apenas com o português que neste momento considero secundário.

    Abraços,

Helder

17/11/2013 - 07h26

È caros blogueiros coisas estranhas está acontecendo no “BANCO DO BRASIL”, esse banco descontou durante 10 anos uma tarifa denominada “AUTO ATENDIMENTO”, levando-me a crer, que aquela tarifa significava os serviços bancarios referente ao uso do terminais do banco ou os caixas eletronicos espalhados por todo o Brasil, só vim a descobrir a “ROUBALHEIRA” que o “BANCO DO BRASIL” estava praticando contra a minha pessoa, quando indaguei a um funcionario, que a “CAIXA ECONOMICA FEDERAL” não cobrava essa tarifa, e o funcionario do “BANCO DO BRASIL”, disse-me que a tal “AUTO ATENDIMENTO” não tinha nada a ver com o uso dos caixas eletronicos, e que aquela tarifa era para um outro tipo de serviço, lhe expliquei que “NÃO HAVIA SOLICITADO SERVIÇO ALGUM” referente aquela “TARIFA”, foi “CANCELADO” os descontos da referia “TAXA” E o gerente disse que iria “INVESTIGAR” quando começou os descontos, e quem o solicitou, pediu-me que ligasse 02 dias depois para obter o resultado, telefonei inumera vezes, “E NINGUEM DO BANCO DO BRASIL ATENDIA”, registrei uma queixa no Procon, e nas 03 “AUDIENCIAS” nenhum funcionario do banco do brasil “COMPARECEU”, passado quase 01 ano, o “BANCO DO BRASIL” voltou a min “ASSALTAR”, descontou da minha conta corrente “DESPESA” de cartão de credito, só que, “EU NÃO POSSUO CARTÃO DE CREDITO DO BANCO DO BRASIL NENHUM”, já não sei a quem apelar, pois o “BANCO DO BRASIL” deita e rola em cima dessa “FRAGIL JUSTIÇA BRASILEIRA”.

Responder

Acusados no mensalão tucano tem direito negado a Pizzolato - Viomundo - O que você não vê na mídia

17/11/2013 - 06h49

[…] Memória: Globo ficou com R$ 5,5 milhões do Visanet […]

Responder

Tarso Genro: STF que condenou Genoíno "protege" torturadores - Viomundo - O que você não vê na mídia

17/11/2013 - 06h29

[…] Memória: Globo ficou com R$ 5,5 milhões do Visanet […]

Responder

lukas

16/11/2013 - 23h00

Pizzolato foi condenado por UNANIMIDADE por três crimes, nem o Lewandoviski teve coragem de inocentá-lo diante das provas dos autos (aquelas que vocês dizem não existir).

Pizzolato é o Cacciola do PT.

Responder

    Marcilio Serrano

    17/11/2013 - 07h07

    Lukas,

    Pelo um menos uma vez na vida leia e se instrua meu filho não saia por aí dizendo besteiras.

    O que o Pizolatto fala justamente é que o processo foi viciado na origem com provas ocultadas e sem direito a ampla defesa, portanto os demais juízes julgaram baseados em premissas falsas. Tanto que ele esconde o inquérito 2474 sobre sigilo de justiça, isto facilmente será resolvido na Itália (sem falar que a Direção do colegiado é composta por 3 assinaturas e somente o Pizzolato foi condenado?? Porque será??? dou uma dica já que você tem dificuldades de entendimento…os outros dois diretores são ligados a turma do PSDB …me esqueci por ser do PSDB são inimputáveis

    Ficou fácil de entender ou preciso desenhar??? Pelo que eu vejo é má fé mesmo… No mais tal qual o Rodrigo Leme não vejo comentários seus nos artigos relacionados a roubalheira do PSDB, porque será??? Já sei você sofre de moralidade seletiva.

    Vamos ser de direita mas ser honestos no princípio, afinal não faz mal nenhum…tem conservadores que até leio a opinião mesmo descordando porque são coerentes com o que pregam..como exemplo o Claudio Lembo.

    Agora você e o Leme só reproduzem as idiotices do PIG nem se dão ao trabalho de interpretar.

    De novo afirmo mensalão nunca existiu e sim sobra de campanha portanto deveriam ser julgados por este ilícito.

    Marcilio Serrano

    17/11/2013 - 07h17

    Lukas,

    Apenas para elucidar,,,trechos disponível do diálogo travado entre JB e Mello no decorrer do processo..

    No dia 17 de dezembro, quando o STF fazia as últimas reuniões do julgamento para decidir a pena dos condenados, Barbosa foi obrigado a dar ciência ao plenário de um agravo regimental do advogado de Pizzolato. No meio da sessão, anunciou “pequenos problemas a resolver” e mencionou um “agravo regimental do réu Henrique Pizzolato que já resolvemos”. No final da sessão, voltou ao assunto, informando que decidira sozinho indeferir o pedido, já que “ele (Pizzolato) pediu vistas a um processo que não tramita no Supremo”.
    O único ministro que parece ter entendido que o assunto não era tão banal quanto falava Barbosa foi Marco Aurélio Mello.
    Mello: “O incidente [que motivou o agravo] diz respeito a que processo? Ao revelador da Ação Penal nº 470?”
    Barbosa: “Não”.
    Mello: “É um processo que ainda está em curso, é isso?”
    Barbosa: “São desdobramentos desta Ação Penal. Há inúmeros procedimentos em curso.”
    Mello: “Pois é, mas teríamos que apregoar esse outro processo que ainda está em curso, porque o julgamento da Ação Penal nº 470 está praticamente encerrado, não é?”
    Barbosa: “É, eu acredito que isso deve ser tido como motivação…”
    Mello: “Receio que a inserção dessa decisão no julgamento da Ação Penal nº 470 acabe motivando a interposição de embargos declaratórios.”
    Barbosa: “Pois é. Mas enfim, eu estou indeferindo.”
    Segue-se uma tentativa de Marco Aurélio de obter mais informações sobre o processo, e de prevenir o ministro Barbosa que ele abria brechas para embargos futuros, se o tema fosse relacionado. Barbosa reitera sempre com um “indeferi”, “neguei”. ( Clique aqui e veja trecho da sessão )
    O agravo foi negado monocraticamente por Barbosa, sob o argumento de que quem deveria abrir o sigilo de justiça era o juiz da 12ª Vara. O advogado apenas consegui vistas ao processo no DF no dia 29 de abril do mês passado.

    Disponível em diversos sites não foi inventado por mim…basta deixar a má fé de lado e pesquisar…

    Luís Carlos

    17/11/2013 - 10h18

    Marcílio
    Seus argumentos são irretocáveis e desmascaram as tentativas de tucanos inconfessos como Lukas. Nas verdade Lukas, como alguns outros, torcem para ídolos deles ficarem impunes, como Daniel Dantas, Cachoeira, Demóstenes Torres, Serra e agora, a turma “amiga” do Propinoduto e da máfia dos fiscais. Se regozijam com a fuga de estuprador Abdelmassih ou ainda com o senador boliviano, mas se indignam com Pizzolato.

    Sr_Andante

    17/11/2013 - 10h10

    Provas dos autos ? Que provas ? Poste-as aqui se puder.

Luís Carlos

16/11/2013 - 21h28

Mais uma prova da falcatrua desse julgamento. Luta de classe e a direita usou de todas as armas ao se alcance, principalmente da mentira.
Globo foi receptadora desse dinheiro. Se há crime ela deve ser punida. Se Globo não é punida então não há crime.

Responder

Deixe uma resposta