VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Gerson Carneiro: Em Fortaleza, a estupidez nota 1000!

27 de agosto de 2013 às 11h37

por Gerson Carneiro, especial para o Viomundo

Na foto, um médico cubano, chegando em Fortaleza-CE para trabalhar em um dos 701 municípios do Brasil que não atraíram o interesse de nenhum profissional brasileiro, foi hostilizado e vaiado.

Perplexidade. É meu sentimento.

A atitude dessas pessoas (não tenho neste instante a certeza de que de fato são médicas) só depõe contra elas.

Ao menos estimula a reflexão do quanto nosso país é conservador. Como ainda estamos acorrentados ao passado escravocrata.

Talvez explique até o fato de que somos cercados por povos que falam espanhol e não temos no geral o mínimo interesse por eles e pela língua deles.

Viva a ignorância estimulada por essa mesquinha elite. Ainda não me disseram qual prejuízo terão os médicos brasileiros face à vinda dos médicos cubanos. Ouvi, sim, de uma médica que não haverá prejuízo algum.

Presidente de CRM que hostiliza médicos cubanos mas tem filhos formados em Medicina em Cuba. Presidente de CRM que anuncia que irá à delegacia denunciar médicos cubanos mas ignora máfia de transplante em seu Estado.

“Perfeição”, canção de Renato Russo, traduz nossa desgraça.

Aos médicos cubanos eu digo:

“Venha!

Meu coração está com pressa
Quando a esperança está dispersa
Só a verdade me liberta
Chega de maldade e ilusão

Venha!
O amor tem sempre a porta aberta
E vem chegando a primavera
Nosso futuro recomeça

Venha!
Que o que vem é Perfeição!…”

Leia também:

Presidente do CRM/MG vai denunciar médicos cubanos na delegacia, mas nega que sugeriu omissão de socorro

Médico que duvida de estrangeiros tem filhos “importados” de Cuba

Mílton de Arruda Martins: “Elitização brutal” ajudou a concentrar médicos

O mau jornalismo da Folha no caso dos médicos “desistentes”

Juan Carlos Raxach: Carta de um médico cubano

Cebes: O SUS precisa de mais médicos. E muito mais!

Dr. Rosinha: Médicos estrangeiros são bem-vindos

Fátima Oliveira: Quem deve lavar as louças sujas são os governos

 

159 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Uma razão

02/09/2013 - 16h54

A experiência dos milênios, no entanto, pode ser obscurecida até tornar-se invisível e inconcebível. Basta que um povo de mentalidade estreita seja confirmado na sua ilusão materialista por uma filosofia mesquinha que tudo explique pelas causas econômicas. Acreditando que precisa resolver seus problemas materiais antes de cuidar do espírito, esse povo permanecerá espiritualmente rasteiro e nunca se tornará inteligente o bastante para acumular o capital cultural necessário à solução daqueles problemas. O pragmatismo grosso, a superficialidade da experiência religiosa, o desprezo pelo conhecimento, a redução das atividades do espírito ao mínimo necessário para a conquista do emprego (inclusive universitário), a subordinação da inteligência aos interesses partidários, tais são as causas estruturais e constantes do fracasso desse povo. Todas as demais explicações alegadas — a exploração estrangeira, a composição racial da população, o latifúndio, a índole autoritária ou rebelde dos brasileiros, os impostos ou a sonegação deles, a corrupção e mil e um erros que as oposições imputam aos governos presentes e estes aos governos passados — são apenas subterfúgios com que uma intelectualidade provinciana e acanalhada foge a um confronto com a sua própria parcela de culpa no estado de coisas e evita dizer a um povo pueril a verdade que o tornaria adulto: que a língua, a religião e a alta cultura vêm primeiro, a prosperidade depois.

Responder

Aos fatos

02/09/2013 - 16h28

Em Cuba, todo mundo é inteligente, curso de medicina oferece mais 200 vagas, preenche todas e ainda fica gente esperando. No Brasil, o curso quase nunca psasa de 100 vagas e mesmo para preencher esse coisinha é um dor de cabeça. Logo que começar, mais de 20 abandonam por incacidade mental. Além disso, ´a maioria ao invés de medicina para ir trabalhar nas cidades pequenas atendendo pobre, prefere fazer jornalismo para viver em cidade grande e apenas publicando fofocas de madames e ganhando fábulas. Fora o que os corruptos pagam para não publicarem suas bandalheiras e o povo não ficar sabendo. Existe algum caso de corrupção que jornalista não tenah sabido dias antes até de acontecer?

Responder

Em campanha, O Globo do Chile usa o espantalho do chavismo - Viomundo - O que você não vê na mídia

02/09/2013 - 12h03

[…] Gerson Carneiro: Em Fortaleza, a estupidez nota 1000! […]

Responder

Izaías Almada: É doloroso ver médicos guevarianos vaiados por abdelmassihs - Viomundo - O que você não vê na mídia

29/08/2013 - 19h32

[…] Gerson Carneiro: Em Fortaleza, a estupidez nota 1000! […]

Responder

Luís CPPrudente

28/08/2013 - 19h25

Que venham mais médicos cubanos.

Responder

CARLOS ALBERTO ROSSE

28/08/2013 - 18h30

É possível existir em algum outro lugar no mundo seres tão despresíveis e odientos como esses estrumes de jaleco que aparecem na foto. Acho que no inferno, sim, no inferno deve existir. Que voltem para lá.

Responder

    E isso

    02/09/2013 - 16h36

    Aqui é capaz do cara ir ao congresso nacional dizer que recebeu por campanha política lá fora em conta abastecidas pelos maiores corruptos e nacotraficantes e nada acontecer, por quqe querem mesmo a desgraça do Brasil. Enquanto para defender os assassinos castristas, vão as ruas, batem num bloqueira, quebra-lhe os dentes e ainda faz essa prisioneira em porões de livraria.

Juan Delgado: Brasileiros deveriam ir aos lugares mais pobres - Viomundo - O que você não vê na mídia

28/08/2013 - 15h17

[…] Gerson Carneiro: Em Fortaleza, a estupidez nota 1.000! […]

Responder

killimanjaro

28/08/2013 - 13h20

O nosso povo está morrendo e esses coxinhas estão protestando pelo que.

Meu Deus eu queria saber pelo que esses médicos facistas estão protestando. Tem gente no brasil morrendo de fome, morrendo de infecção por causa de um corte na perna. Tem gente pegando hepatite ao fazer exames de rotina em açougues chamados de hospitais.

se protesta por mais empregos, por falta de moradia, pelo fim da tortura e da violencia policial, pelo fim do racismo. Agora esses coxinhas tem tudo, temn dinheiro de sobra, eles protestam pelo que?

não é protesto é uma manifestação facista, de uma burguesia conservadora que tem todo os recursos monetarios enquanto o povo sofre com a falta de recursos básicos.

ninguem precisa da ajuda médica de racistas como vocês, seus porcos descentes de europeus, não vão curar o povo com má vontade nunca, não tem diploma que cure se o médico tem má vontade e menospreza o paciente por causa da cor da pele ou por causa da roupa que ele veste e seu poder aquisitivo. No mato grosso do sul existem hospitais que não atendem Índios, esses vermes que se dizem médicos precisam ser substituidos imediatamente, por pessoas comuns e não-facistas.

o que precisamos de vcs médicos coxinhas, é que dividam o dinheiro seu e da sua familia rica, e comprem alimentos de qualidades para os pobres, banquem algum divertimento para o povo de periferia, comprem roupas para os que tem frio. Assim muita gente não ficara doente e não morrerá na mão de médicos indiferentes pela vida do próximo.

Responder

ricardo silveira

28/08/2013 - 13h04

As pessoas que assim recebem esses médicos que vêm ao Brasil, chamados para ajudar a resolver o problema da miséria do nosso atendimento à saúde, não são só ignorantes, reacionárias e preconceituosas, são, sobretudo, canalhas.

Responder

Elias

28/08/2013 - 12h39

As moças que vaiam o médico cubano, são médicas brasileiras e nem se dão conta que estão doentes. Doentes de uma raiva ignara cuja cura necessita de consciência.

Responder

Elias

28/08/2013 - 12h22

O retrato do artista quando moço
Não é promissora, cândida pintura
É a figura do larápio rastaquera
Numa foto que não era para capa
Uma pose para câmera tão dura
Cujo foco toda lírica solapa

Era rala a luz naquele calabouço
Do talento a claraboia se tampara
E o poeta que ele sempre se soubera
Claramente não mirava algum futuro
Via o tira da sinistra que rosnara
E o fotógrafo frontal batendo a chapa

É uma foto que não era para capa
Era a mera contracara, a face obscura
O retrato da paúra quando o cara
Se prepara para dar a cara a tapa (A Foto da Capa – Chico Buarque)

Responder

Sergio

28/08/2013 - 12h15

Nessa revolta dos médicos, eu vi médicos, CFM e CRMs fazerem barulho, fazerem passeatas, fazerem greve. Eu os vi tentarem negar o problema da falta de médicos desviando o foco para outro problema, que é a falta de equipamentos e material (que sim, também existem) e dizendo que não faltam médicos no Brasil, “apenas” estão mal distribuídos (como se isso não significasse que FALTAM médicos fora das cidades em que eles se concentram). Eu vi os médicos apontarem vários problemas no programa do Ministério da Saúde. E com tanto tempo de debate e conflitos, o que eu não vi ainda, nenhuma vez, é os médicos, CFM e CRMs apresentarem qualquer alternativa que se propusesse a RESOLVER o problema das populações desassistidas em vez de continuar ingnorando ou só aceitar uma solução quando ela for perfeita, quando resolver de uma só vez todos os problemas da saúde no Brasil. Os médicos, CFM e CRMs estão dando um tiro no pé, manchando a própria imagem perante a população brasileira. Não precisavam disso.

Responder

Malvina Cruela

28/08/2013 - 12h08

o que sempre digo: o bom do Brasil é a extensão territorial e o clima: vc pode escapar dos brasileiros facilmente sem ter de ir pra outro lugar onde certamente ia encontrar outros fdap com o agravante de falarem outra língua esquisita..

Responder

edir

28/08/2013 - 11h44

Por favor assinem esse desagravo aos médicos cubanos.

http://www.blogdacidadania.com.br/2013/08/desagravo-aos-medicos-cubanos/comment-page-14/#comments

Responder

edir

28/08/2013 - 11h41

28 de Agosto de 2013•08h13 • atualizado às 08h20

RJ: médicos da rede pública ‘fogem’ para atender em clínicas privadas
Profissionais que deveriam atender no hospital público Cardoso Fontes dificilmente são encontrados no local

Um grupo de médicos e enfermeiros raramente é visto atendendo no hospital público Cardoso Fontes, em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. Praticamente desaparecidos da emergência e dos ambulatórios, onde deveriam trabalhar todas as semanas e têm salários de até R$ 16 mil, os profissionais passam o dia cumprindo extensa agenda de clientes em hospitais e clínicas particulares das zonas sul e oeste da cidade, segundo o jornal O Dia. Na hora de marcar consultas com os profissionais no Cardoso Fontes, a desculpa é sempre a mesma. “Não há vaga e nem previsão” de quando o médico estará disponível. Um dos casos é do urologista André Guilherme Lagreca da Costa Cavalcanti, que no dia 28 de junho atendeu 36 pessoas que esperavam no ambulatório. Foi a única vez naquele mês que os pacientes viram o médico no hospital, onde ganha R$ 9 mil por mês.

Outro exemplo é o do geriatra Paulo Roberto Fernandes, diretor da unidade até outubro. De acordo com o jornal, a agenda de atendimento fica trancada na mesa da enfermeira Vera Lúcia e ninguém consegue marcar uma consulta com o profissional, onde deveria trabalhar 40 horas por semana para ganhar R$ 11 mil. Outro desaparecido é o ex-diretor do hospital, o oncologista José Francisco Ferrão, que recebe quase R$ 16 mil. O nome do médico nem aparece entre os servidores do hospital e os pacientes da unidade não conseguem consulta. Para achá-lo, somente em sua clínica particular, onde a consulta sai por R$ 150. Outra médica com a agenda lotada é Mauricea de Santanna, com carga de 40 horas por semana e salário de R$ 8 mil. Seus colegas mais novos do Cardoso Fontes não a conhecem e os antigos se assustam quando alguém quer saber dela. A ginecologista Magali Luppo Cordeiro, com status de chefia no hospital de Jacarepaguá, onde recebe R$ 16 mil por mês, tem duas matrículas no Ministério da Saúde e total de 60 horas semanais – ou 12 horas por dia, já que não trabalha nos fins de semana. Com a agenda no consultório particular duas vezes por semana, fica difícil atender nos dois lugares.

Terra

Responder

Joselito

28/08/2013 - 11h22

Cautela elevada à enésima potência para os procedimentos (filmados, documentados, testemunhados) dos CRM e CFM contra médicos CRIMINOSOS, ESTELIONATÁRIOS, batem o ponto e vão embora atender em clínicas particulares.
Olhos fechados às denúncias de tráfico de órgãos (de crianças!!!).

Cautela nenhuma em acusar cubanos de feiticeiros, curandeiros, chamar a polícia para os mesmos.

Bom, como advogado posso ver o lado bom. Talvez esse posicionamento coloque os médicos à frente de nós, advogados, no ranking das profissões odiadas no país!

Responder

    Luís CPPrudente

    28/08/2013 - 20h09

    Realmente esses nossos médicos elitistas e racistas brasileiros tão se mostrando uma classe de trabalhadores privilegiada, mesquinha, sacana e corrupta.

    A classe médica brasileira, a que apoia as manifestações contra a presença dos médicos cubanos, tem se mostrado também uma máfia de roupa branca. Pelo jeito essa máfia existe e é forte. Ela quer manter os seus privilégios: bater o ponto no serviço público e não trabalhar. Talvez seja por este motivo que a classe médica não quer a presença de médicos estrangeiros por aqui.

maria de sobral

28/08/2013 - 11h00

É essa a cara que o medico brasileiro precisa ter? Com essa boca de vaias e improperios e este olhar vazio de bons sentimentos, sra. jornalista, miche num sei das quantas? Home qua sio me deixe. Ainda bem que nem este tipo de medico, nem voce jornalista representam a maioria. E, Viva os bons medicos e os bons jornalistas!!!!!

Responder

Rose PE

28/08/2013 - 09h56

Essa gente ainda se acha os benfeitores deste País, não passam de uns calhordas, não querem trabalhar nos rincões desta nação e querem impedir que outros o façam. E os governos que se sucederam aqui contribuíram para isso, pois só elite pode ser médico. E continua…

Responder

anac

28/08/2013 - 09h45

Sou testemunha de que nem todos os médicos aprovam a atitude dos colegas que foram vaiar seus colegas cubanos que vieram ao Brasil prestar serviço por solidariedade ao nosso povo sofrido. Por força do meu oficio atendo a pessoas carentes em outra área. Meu irmão é medico, competentíssimo clinico, concursado e trabalha em hospital publico alem de ter seu consultório privado, como é permitido por lei. Presta serviço igual quando atende seus pacientes, quer seja publico ou privado. Fins de semana está sempre de plantão no Hospital Publico onde cumpre o horário integral. Já atendi pessoas na minha área que foram atendidas por ele que disseram que recebiam visitas dele no Hospital até fora do seu(meu irmão) horário de trabalho. E exagerando o tinham como santo. Portanto, existe muito medico bom que não comunga com a atitude dessas imbecis de jaleco. No fundo acredito que essas senhora estão é com medo de sua incompetência vir a tona e não terem condições de sobreviver de seu oficio.

Responder

anac

28/08/2013 - 09h01

Qualquer medida que favoreça o povo brasileiro roubado por seculos por uma elite predadora ignorante, analfabeta, pervertida, é taxado de populismo eleitoreiro. O correto para essa gente é tungar o povo em bilhões enviados para paraísos fiscais. É manter a taxa de juros em percentual extorsivo para beneficiar os 1% agiotas.

Ricos brasileiros têm quarta maior fortuna do mundo em paraísos fiscais

http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2012/07/120722_ricos_evasao_brasil_rp.shtml
Os super-ricos brasileiros detêm o equivalente a um terço do Produto Interno Bruto, a soma de todas as riquezas produzidas do País em um ano, em contas em paraísos fiscais, livres de tributação. Trata-se da quarta maior quantia do mundo depositada nesta modalidade de conta bancária.

A informação foi revelada no domingo, dia 28, por um estudo inédito, que pela primeira vez chegou a valores depositados nas chamadas contas offshore, sobre as quais as autoridades tributárias dos países não têm como cobrar impostos.

O documento The price of offshore revisited, escrito por James Henry, ex-economista-chefe da consultoria McKinsey, e encomendado pela Tax Justice Network, mostra que os super-ricos brasileiros somaram até 2010 cerca de US$520 bilhões (ou mais de R$1 trilhão) em paraísos fiscais.

O estudo cruzou dados do Banco de Compensações Internacionais, do Fundo Monetário Internacional, do Banco Mundial e de governos nacionais para chegar a valores considerados pelo autor.

Em 2010, o Produto Interno Bruto Brasileiro somou cerca de R$3,6 trilhões.

Responder

anac

28/08/2013 - 08h40

A quase branca que atacou o medico negro cubano deveria estar trabalhando exercendo com dignidade sua profissão. Vagabundagem dá nisso.

Responder

Jose Mario HRP

28/08/2013 - 06h45

Brasil afora o espetáculo ridiculo desses filhinhos de papai, com a barriguinha cheia e mimados tentando justificar o injustificável!
Ao tentar humilhar os cubanos mostram seus verdadeiros caraters!
Se a Dilma fez papel ridiculo ontem ao tentar(sem conseguir, claro) enquadrar o diplomata Sabóia, no caso dos medicos cubanos foi nota mil!
Dilma deixa de puxar o saco dos pseudo esquerdistas bolivianos e vai trabalhar!

Responder

Código de Ética Nêles

28/08/2013 - 06h19

Acabei de assistir, indignado , o “corredor polonês” realizado por duas dezenas de pessoas vestidas com jalecos brancos e com estetoscópios em Fortaleza. Não acredito que sejam médicos. Por isso não os chamo de médicos, embora possam ser. Só tenho uma sugestão: aplicar a todos os envolvidos que forem identificados aquilo que está escrito na Resolução 1931 de 17 de setembro de 2009 do Conselho Federal de Medicina, que estabeleceu o CÓDIGO DE ÉTICA MÉDICA. Todos os que ali forem médicos e forem identificados nas fotografias e vídeos mostrados na internet devem ser denunciados e julgados pelo Conselho Regional de Medicina do Ceará quanto à sua atitude. Qualquer pessoa pode efetuar a representação contra um ou mais profissionais identificados. A ele ou ela será assegurado amplo direito de defesa, na forma da lei.
Veja o vídeo e ajude a identificar as pessoas que cometem vários desvios éticos de conduta neste vídeo. http://www.youtube.com/watch?v=TTJLnl6ZWV4
Depois leia o Código de Ética Médica aqui http://www.cremers.org.br/pdf/codigodeetica/codigo_etica.pdf
É preciso ter extremo cuidado com este tema nos CRMs de todo o Brasil, já que está sendo usado na campanha política para as eleições do conselhos de medicina, com as “chapas” querendo se superar uma às outras, para “mostrar serviço” contra os médicos contratados pelo Mais Médicos, já que o programa na prática, cria um piso salarial de R$ 10 mil que as clinicas e hospitais privados não querem pagar.
Veja isso acontecendo no Ceará, aqui: http://www.cremec.com.br/prov/revalida.pdf

Responder

André

28/08/2013 - 04h03

1. Esse médico cubano hostilizado na foto deveria ser usado pelo governo na campanha de implantação do programa Mais Médicos.
2. Médico brasileiro, salvo raríssimas exceções, é mal preparado e ganancioso. Talvez por isso se explica essa repulsa da parte deles em relação aos médicos cubanos.
3. Médicos brasileiros encontram respaldo nessa mídia capitalista-reacionária, na qual cito um exemplo: João Paulo de Andrade, da Rádio Bandeirantes. Impressionante como seus comentários são partidários e reacionários.

Responder

    Uma razão

    02/09/2013 - 16h48

    isso acontece porque em Cuba até lavandeira prefere estudar para fazer medicina e ajudar os pobres, enquanto por aqui o que mais há é quem acha melhor fazer outras coisas do que estudar, quanto menos medicina

sergio

28/08/2013 - 01h46

Essas senhoras não representam o povo brasileiro.
Existem médicos que na verdade são parasitas do Estado e prestaram juramento ao Deus Níquel no Bolso.

Responder

Marco

28/08/2013 - 01h30

A sordidez da nossa elite médica não tem limites.

Responder

Renato Valle Bittencourt

27/08/2013 - 23h24

Deve fazer parte do combinado com os cubanos que eles não se manifestem sobre estas infâmias das discípulas do Tio Rei – ou serão da Eliane Massa Cheirosa Cantanhede. Tem um olhar de tristeza, é claro, este médico negro. Imagino, ele que nasceu e cresceu num estranho país onde negros aos montes se formam médicos, engenheiros, advogados; o que deve pensar, este senhor, deste bando de idiotas. É provável que até este momento não acreditasse que em algum lugar do mundo ainda existisse gente capaz de cafajestagens do tipo da que foi vítima. Não te conheço, companheiro, mas peço desculpas em nome de uma significativa parcela de brasileiros que aprenderam a respeitar os homens e mulheres independentemente de sua cor. Brasileiros que sonham que, num futuro próximo, teremos uma turma de médicos feito esta sua – esta sua turma com esta cara tão brasileira.

Responder

Denise

27/08/2013 - 23h05

É de vomitar!

Responder

Francisco Miranda

27/08/2013 - 22h54

Espero agora que entendam que é esse mesmo pessoal “revoltadinho” aqui de Fortaleza que organiza protestos contra o governador Cid Gomes, e reproduz as “denúncias” dos “CQCs” da vida contra o governador Cid Gomes. É esse mesmíssimo pessoalzinho aí que gosta de vir com papo furado de “oligarquia Ferreira Gomes” para atacar o Cid. Bobo é quem se engana. O deputado estadual Heitor Ferrer, o maior “opocisionista” a Cid Gomes, vive se rasgando publicamente em elogios a Tasso Jereissati, ex-presidente nacional do PSDB. São direitistas demagogos, isso é o que são, alguns tentando se disfarçar em pele de cordeiro. Contra essa turma eu já estou vacinado. Cid é um bom governador, apóia Dilma, foi receber os médicos cubanos no aeroporto, e é do lado dele que eu estou. O resto é denuncismo barato e demagógico.

Responder

Denise

27/08/2013 - 22h41

Luciana Aquino, mostre os números. Quantos médicos por habitante há em cada município? IBGE faz pesquisa e mostra isso,você não lê? Não conhece a realidade dos municípios e bairros de periferia das grandes cidades onde os cidadãos não encontram médicos para atendê-los? E o INSS? Você conhece? Sabe que faltam médicos lá,para fazerem perícia m[edica?

Responder

Everaldo Costa

27/08/2013 - 22h36

Pergunto – e vou perguntar em todos posts nos blogs progressistas: Não cabe processo contra presidente do CRM de Minas por estimular a quebra do juramento por parte dos médicos que ele representa? Sendo ele presidente do órgão que fiscaliza a ética da profissão, pode o próprio pregar algo que vai de encontro à própria ética?

Responder

sueli gutierrez

27/08/2013 - 22h12

Essa é uma cena vergonhosa para os brasileiros: tratarem médicos profissionais com tanta hostilidade e preconceito.
Depois falam que a imprensa não influencia totalmente a opinião pública. Esse é o exemplo de que ela tem, sim, grande poder de persuasão para incitar um comportamento como esse.
Na velha imprensa só se veem entrevistas com organização de médicos, não entrevistam o que acha a população da cidade que vai ser beneficiada pela chegada dos médicos.
Enquanto a Lei de Medios não sai, vamos continuar presenciando a deturpação e as críticas de tudo o que o governo projeta fazer.

Responder

Rogério Ferraz Alencar

27/08/2013 - 22h09

Sou cearense e peço desculpas pela vergonhosa atitude desses médicos, que chegaram a esse ridículo. Repito o que disse em comentário feito no blog de Eduardo Guimarães: para a elite brasileira, não basta que ela esteja bem; é necessário, sobretudo, que os outros estejam mal. Esse corporativismo dos médicos não é apenas vergonhoso, é, até, criminoso, pois querem deixar os pobres sem qualquer assistência médica.

Responder

Freire

27/08/2013 - 22h01

Médicos cubanos, desculpem esses meus conterrâneos, aliás, nem sei se posso chamá-los de conterrâneos, pois aposto que eles têm vergonha de ser cearenses e até brasileiros.

Responder

Patricio

27/08/2013 - 21h39

Aos meus filhos

Se eu adoecer, me levem a um médico cubano.

Responder

Ana

27/08/2013 - 21h30

como eu disse no blog do Eduardo, educação é uma questão de berço. Quem tem, tem.

Responder

edgar

27/08/2013 - 21h26

Como disse Cristo na cruz:””Pai, perdoai-lhes. Eles não sabem o que fazem”.

Nesta noite fria, chuvosa, com milhares de flagelados nesta grande Porto
Alegre, pergunto se tem alguma associação medica (cheirosinha), atendendo
as dezenas de crianças e idosos atingidos por forças da natureza.

Sinceramente me envergonho de ser brasileiro ao ver este vídeo e em especial pelos nossos irmãos nordestinos.

Responder

Tomudjin

27/08/2013 - 20h48

Não podemos confundir raça pura com pureza racial.

Responder

Fabio Passos

27/08/2013 - 20h33

Que coisa triste.
Um médico vem acudir brasileiros que não tem atendimento digno de saúde… e um bando de imbecis o ofendem.

Que nos perdoe.

Responder

Dinho

27/08/2013 - 20h25

Já que os médicos coxinhas estão esnobando os médicos cubanos que aqui vieram mais por solidariedade do que por dinheiro, que tal tornar pagos os cursos nas universidades públicas? Afinal, o povo banca esses coxinhas que depois querem extorquir seus benfeitores. Deveriam ao menos prestar um período obrigatório de serviços ao povo que pagou pelos seus estudos.

Responder

Eme Gomez

27/08/2013 - 20h09

Essas “medicas” que aparecem na foto vaiando esse profissional cubano, talvez tenham concluído o curso em Juazeiro do Norte, Patos-PB, Sobral ou em uma faculdade de esquina qualquer… onde passou na calçada em época de vestibular tá matriculado (nem que estrebuche !)… vão tomar bem dentro do fundo do olho da beirada do velho… Que falta de educação! Fica a lição do Grande Oscar Niemayer:

“O sujeito que pensa que é importante, para mim, é um débil mental. O homem está num planeta pequenininho, no fim da galáxia, longe de tudo. Isso dá uma ideia da precariedade do ser humano, que é um fodido. Nasce, morre, como outro bicho qualquer, por isso mesmo deve ser mais modesto, ver a vida com paciência, sabendo que estamos no mesmo barco”.

Responder

    Denise

    27/08/2013 - 22h48

    Muito boma lembrança

Marisa

27/08/2013 - 20h04

O que essas médicas, se é que são médicas mesmo, esperam receber ao serem reconhecidas por seus pacientes e provavelmente forem hostilizadas por eles? Como alguém pode pensar em salvar vidas tendo comportamento como esse?

Responder

anderson

27/08/2013 - 19h39

Corporativismo acima da vida
Debate sobre os médicos me dá vergonha

Por Gilberto Dimenstein
O perfil dos médicos cubanos é o seguinte: em geral, eles têm mais de uma década de formados, passaram por missões em outros países, fizeram residência, parte deles ( 20%) cursaram mestrado e 40% obtiveram mais que uma especialização.
Para quem está preocupado com o cidadão e não apenas com a corporação, a pergunta essencial é: essa formação é suficiente?
Aproveito essa pergunta para apontar o que vejo como uma absurda incoerência – uma incoerência pouca conhecida da população – de dirigentes de associações médicas. Um dos dirigentes, aliás, disse publicamente que um médico brasileiro não deveria prestar socorro (veja só) se um paciente for vítima de um médico estrangeiro. Deixa morrer. Bela ética.
Provas têm demonstrado que uma boa parte dos alunos formados nos cursos de medicina no Brasil não está apta a exercer a profissão. Não vou aqui discutir de quem é a culpa, se da escola ou do aluno. Até porque para a eventual vítima tanto faz.
Mesmo sendo reprovados nos testes, os estudantes ganham autorização para trabalhar.
Por que essas mesmas associações, tão furiosas em atacar médicos estrangeiros, não fazem barulho para denunciar alunos comprovadamente despreparados?
A resposta encontra-se na moléstia do corporativismo.
Se os brasileiros querem tanto essas vagas por que não se candidataram?
Será que preferem que o pobre se dane apenas para que um outro médico não possa trabalhar?
Sinceramente, sinto vergonha por médicos que agem colocando a vida de um paciente abaixo de seus interesses.
Gilberto Dimenstein ganhou os principais prêmios destinados a jornalistas e escritores. Integra uma incubadora de projetos de Harvard (Advanced Leadership Initiative). Desenvolve o Catraca Livre, eleito o melhor blog de cidadania em língua portuguesa pela Deutsche Welle. É morador da Vila Madalena.

Responder

Helenita

27/08/2013 - 19h31

Azenha, de tudo isso fica a certeza de que o curículo dos cursos de medicina no Brasil são medíocres e altamente alienantes!
Os ministros da Saúde e da Educação, catedráticos do mais alto gabarito, precisam incluir obrigatoriamente as matérias de FILOSOFIA E SOCIOLOGIA nos cursos de medicina, pois como são hoje nada sabem dos problemas da vida, as razões da pobreza, o controle dos meios de produção que exclui e oprime… Tivessem uma formação humanista, nada disso estaríamos assistindo… Vai-se ver que muitos daqueles vaiadores são frequentadores assíduos de “cultos pela prosperidade financeira”, onde perdem o restinho de sensibilidade, se um dia tiveram.

Responder

    Denise

    27/08/2013 - 22h52

    O que precisa também ser feito é tornar obrigatório que cumpram dois anos de atendimento nas periferias e no interior,para obter diploma

lulipe

27/08/2013 - 18h55

O que deveria estar em debate é o descaso do governo do PT com a saúde pública nos últimos 10 anos,os médicos estrangeiros pouco poderão fazer para melhorar a situação atual.Espero que eles possam, pelo menos, atenuar o sofrimento da população mais carente.

Responder

    demetrius

    27/08/2013 - 19h26

    O Lulipe, tenha pelo menos a dignidade de deixar o ego de lado e assumir que antes desses 10 anos houveram décadas e décadas de descaso com os brasileiros, graças aos entreguistas que você defende.

    Abs.

    Pafúncio Brasileiro

    27/08/2013 - 19h45

    Ô Lulipe,
    Assim você se acusa como um dos que fizeram esta “recepção” vergonhosa, lá em Fortaleza. Você deveria saber que só a presença do médico com orientações e socorros rápidos nas comunidades em que os “médicos brasileiros” se recusam a ir, já aliviaria 90 a 95% dos problemas de saúde por lá. Esta conversa fiada, de que não tem estrutura é para enganar desavisados e ignorantes. É só aguardar e ver os resultados. É uma questão de tempo. Porisso que estão preocupados. A partir de agora a população vai poder fazer comparações e as coisas começarão a entrar no eixo.

    lulipe

    27/08/2013 - 23h24

    Me explique sábio Pafúncio como um médico pode diagnosticar uma fratura se não tem um aparelho de Raio X, só para ficar nesse exemplo.A não ser que esses médicos tenhas os poderes do Superhomem…Se não estruturar os locais de atendimento, será o mesmo que enviar cozinheiros para locais onde as pessoas morrem de fome por falta de comida.

    anac

    28/08/2013 - 08h52

    O lulipe é o exemplo crasso da espécie direitopa imbecil de má-fé. Outros que aqui aportam também.

    Pafúncio Brasileiro

    28/08/2013 - 13h38

    Ô Lulipe,
    Você levantou a bola, agora devemos “chutar”. O caso da fratura, que você mesmo citou está nos 5% dos casos em que não é possível sem os recursos de que falou. Eu informei que não é 100% dos casos e sim de 90 a 95%. Mas em relação a questão da fratura, em muitos casos, ela pode ser diagnosticada sem raio X. E o pessoal, antigamente, colocava uma tala. Mas resumindo tudo: a presença do profissional no local é um enorme diferencial. Primeiro o profissional médico, depois os recursos necessários. O pontapé inicial é o profissional. Isto é mais “veio” do que ver água correndo para baixo. Obs: Não sou médico, sou engenheiro e enfrento concorrência externa, do mundo inteiro.

Ted Tarantula

27/08/2013 - 18h53

o que procurei e não achei nos comentários dos post dessas noticias dos médicos brasileiros pagando mico foi o velho mantra idiota de nossos bem pensantes que repetem sempre como papagaios: a solução de todos os nossos problemas é a educação…que educação o c….o…essa educação?????????????
a desses médicos?? advogados? juízes? jornalistas? políticos e o diabo a quatro…essa “educação” é muito mais parte do problema que da solução, isso sim..

Responder

    Scan

    27/08/2013 - 21h52

    Bingo!

Regina

27/08/2013 - 18h43

Gente, estou morta de vergonha. O que os médicos cubanos vão pensar da gente? Que somos um bando de bestas, cavalos e eguas coiceiros e coiceiras…Que vergonha! Mas daquí digo eu VENHAM MÉDICOS CUBANOS. SEJAM MUITO BENVINDOS. VOCES SÃO A NOSSA SALVAÇÃO. VOCES E OS DEMAIS MÉDICOS, CUBANOS E NÃO CUBANOS. OS BRASILEIROS SÃO BEM MELHORES QUE ESSA CAMBADA. CONFIEM.

Responder

pereira

27/08/2013 - 18h39

Tristeza e tristeza, esse povo não mim representa, sou de outro Brasil

Responder

Haroldo

27/08/2013 - 18h36

Fonte: Observatório da Imprensa

Mídia não explica, demoniza

Por Alberto Dines em 27/08/2013 na edição 761

Há quase dois meses discute-se a implementação do programa “Mais Médicos” para atender as exigências dos manifestantes de junho. Vacilante, o governo foi apresentando uma sucessão de idéias incompletas que as corporações médica e acadêmica foram torpedeando implacavelmente. Com o decidido apoio da corporação jornalística.

O projeto sobrevivente e o mais consistente, apresentado pela própria presidente Dilma Rousseff em seguida às manifestações, previa a importação de médicos do exterior. Inclusive cubanos. Não era novidade: médicos desse país já prestaram serviço em diversos pontos do Brasil, com excelentes resultados.

À medida que a ideia se cristalizava, aumentava a histeria anticubana que se estendia a candidatos de outros países, especialmente Portugal e Espanha.

Acusações primárias se alternavam: ora dizia-se que os cubanos viriam como espiões ou agentes provocadores, ora que chegariam aqui na condição de escravos (ganhando salários irrisórios enquanto o governo de Havana ficaria com a parte do leão dos 10 mil reais mensais pagos pelo governo brasileiro). Alegou-se que cláusulas especiais foram impostas para evitar que os cubanos pedissem asilo político (por isso vinham sozinhos, sem a família). Nenhum editor deu-se ao trabalho de esclarecer, explicar vantagens e desvantagens.

Gestos e opções

Nos últimos dias, em desespero de causa, celebrados opinionistas acusaram os irmãos Castro de converter seus médicos em simples commodities, fonte de divisas para financiar um país falido. Argumento pueril, enganoso: commodities são bens em estado bruto, médicos são bens com alto valor agregado. A Índia estimula a saída dos seus cientistas e especialistas em informática de olho no retorno que trarão ao país; o mesmo acontece com Israel, que há décadas exporta agrônomos para os quatro cantos do mundo.

O exercício da medicina não pode ser examinado sem levar em conta o seu caráter humanitário. Levar médicos aos grotões do país – além de salvar vidas preciosas, contribuirá decisivamente para desmonetizar uma profissão que vem perdendo velozmente o seu caráter original, solidário e altruísta.

Nossa mídia embarcou de corpo e alma nessa cruzada egoísta, antissocial, fomentada primordialmente pela poderosa corporação médica, pelas empresas de ensino superior & adjacências. E isso no pós-junho, quando nas passeatas ainda reverberam referências pouco airosas à insensibilidade de jornais e jornalistas.

Acusa-se o PT de aparelhar o governo, porém a mesma obsessão ideológica domina os mais instintivos gestos e opções da grande e média imprensa brasileira.

Um jornalista que ouve o coração

Neste ambiente ríspido, desprovido de solidariedade, a coluna de Ricardo Noblat (segunda-feira, 26/8, O Globo, pág. 2) funciona como um alento e, talvez, como um divisor de águas.

O experiente repórter, editor e agora bem-sucedido blogueiro não se deixou enredar pelas armadilhas ideológicas, preferiu entregar-se aos valores morais, como se fazia antigamente quando os jornalistas naquelas redações barulhentas ouviam as batidas do coração e a pressão da consciência.

“Só vejo vantagens” – apesar do pragmatismo e objetividade do título, trata-se de uma calorosa convocação para que os jornalistas deixem as trincheiras partidárias que tanto prejudicam os seus dotes narrativos e se entreguem a devoções mais profundas, essenciais.

“Mais Médicos” é um programa da saúde pública. “Mais humanidade” pode ser um projeto de renovação jornalística.

Leia também

Responder

Paulo Brasil

27/08/2013 - 18h16

O preço das consultas dos mercenários brasileiros deve estar caindo.

Responder

jaime silva

27/08/2013 - 18h16

Pessoal,

em vez de atacar os cubanos, esses “médicos” brasileiros deveriam é ficar preocupados com as próximas manifestações pelo país. Diante do desprezo e da falta de atenção pelos mais pobres e necessitados, é bem provável que o povão, que com certeza será melhor atendido pelos estrangeiros, comece a ir para as ruas exigir a troca dos “doutores” daqui por cubanos, argentinos, uruguaios, chilenos etc…..

Responder

    ANA SOUZA

    29/08/2013 - 01h39

    Concordo com você Jaime, e acrescento mais: já que essa turma não gosta
    de atender pobre, se acha o supra sumo da belezura, só pensa no próprio
    bolso e não pretende largar mão do conforto; então sejam coerentes e
    tomem um avião com passagem SÓ DE IDA para lugares chiques e civilizados
    como Miami, Nova York, Los Angeles, Paris etc..Lá podem trabalhar em
    clínicas modernas, atender gente endinheirada e viver no primeiro mundo.
    Pode deixar que a gente se vira com os médicos cubanos e outros estran-
    geiros que estiverem dispostos a prestar serviços aqui.

joão Luiz Brandao Costa

27/08/2013 - 18h12

É triste ver o Ceará, terra de José de Alencar, que enaltecia os índios de nosso país e sua cultura, ser palco dessa cena deprimente, justamente contra aqueles que têm o desprendimento de virem se embrenhar pelas nossas terras para prestar assistência aos descendentes de nossa brava gente.
“Lá, por detrás daquela serra que azula no horizonte – justamente onde os mesquinhos bacanas não querem ir – Nasceu Iracema” O seus filhos choram, virgem do lábios de mel…

Responder

    Luís Carlos

    27/08/2013 - 22h53

    Duvido que elas leiam José de Alencar, Machado de Assis ou Érico Veríssimo. Se tivessem lido provavelmente não teriam esta estatura moral. Irão comprar a Caras na próxima semana para se verem.

ccbregamim

27/08/2013 - 18h12

os médicos brasileiros
oferecem um espetáculo
que consegue ser pior que a novela!

Responder

Fábio

27/08/2013 - 17h44

Um negro passando pelo “corredor polonês” dos branquelos bem nascidos que,
certamente, estudaram em universidades públicas e agora cobram R$ 500,00 por uma consulta.
Também deveriam se submeter a exames obrigatórios no final do curso, como ocorre como os bacharéis em Direito.
Se não estou enganado no exame de final de curso, não obrigatório, o índice de reprovação foi superior a 50%.
Sugiro que também se submetam ao REVALIDA.

Responder

    Denise

    27/08/2013 - 23h04

    Com certeza!

Ana Raposo

27/08/2013 - 17h40

São racistas declaradas. Não fizeram corredor polonês para médicos brancos.

Responder

Alberto Santos Neto

27/08/2013 - 17h38

A xenofobia, o racismo e o preconceito estão tão fortes no Brasil que chega a assustar. Diante das atitudes dos médicos brasileiros em relação aos médicos cubanos, o governo deve se precaver e dar maior segurança aos cubanos, pois pode vir a acontecer o pior. Se este MAIS MÉDICOS, não servir para mais nada, pelo menos está servindo para desmascarar o quão preconceituosa, corporativa e reacionária é a classe médica brasileira que tem no comando de seus órgãos de representações verdadeiros racistas. Os médicos deveriam é se envergonhar dos vídeos que andam rolando por aí, mostrando a barbaridade que fazem quando “trabalham” na saúde pública, todos os vídeos mostram, sem exceção, simplesmente batem o ponto e vão embora cinco minutos depois, e no final do mês recebem um salário de cinco, dez ou até quinze mil reais. Ou seja, boa parte da classe médica, no Brasil, é tão ou mais mercenária que a própria classe política e a elite que compõe este nosso famigerado Judiciário.

Responder

José fernandes

27/08/2013 - 17h38

Sinto vergonha de ser brasileiro nessa hora….

Responder

    Elias

    28/08/2013 - 02h35

    Nunca gostei dessa frase, “tenho vergonha de ser brasileiro”, mas nesse triste momento concordo contigo, José Fernandes.

Aroeira

27/08/2013 - 17h37

E a piada é a seguinte:

Dois médicos brasileiros estão conversando no corredor de um hospital brasileiro, quando passa um sujeito bem vestido, perfumado e usando um relógio rolex no pulso.

Um médico olha para o outro e diz “precisamos internar esse cara imediatamente”

“O que ele tem?, pergunta o outro.

“Dinheiro!”, exclama o primeiro.

Responder

Caracol

27/08/2013 - 17h27

Azenha, peço uma gentileza: quando você ou alguém da equipe do Viomundo conseguir entrevistar o médico cubano da foto, por favor, peço encarecidamente que leve os comentários feitos para esta postagem do Gerson. Diga-lhe que os coxinhas que lhe vaiaram não representam o povo brasileiro, diga-lhe que há muitos que estão mortos de vergonha – como eu estou – e que lhes pedem as devidas desculpas. Que estamos consternados e sofridos diante de tanta sordidez.
Diga-lhe que estamos profundamente agradecidos por sua vinda e que lhe desejamos sucesso nessa empreitada humanitária a que ele está se dedicando.

O mal causado por esses panacas vaiadores nenhum médico é capaz de curar. Mas será certamente amenizado pela atuação dos médicos que aqui chegam e pelos brasileiros que aderiram ao programa. A todos eles as nossas bênçãos e encorajamento.

Responder

    Scan

    27/08/2013 - 22h01

    Caracol, assine o desagravo do Edu:

    http://www.blogdacidadania.com.br/2013/08/desagravo-aos-medicos-cubanos/

    maria ferreira

    27/08/2013 - 23h25

    Eu enviei um e-mail para o Consulado de Cuba aqui de SPaulo me desculpando por esse bando de nojentos de Fortaleza.

    Acho que todos os que estao chocados deveriam enviar e-mails a Embaixada e aos Consulados para mostrar que nós estamos solidários e felizes com a vinda dos médicos cubanos.

João Vargas

27/08/2013 - 17h22

É baixíssimo o número dos alunos formados em Direito que conseguem passar no exame da OAB. Isto nos dá uma amostra do tipo de profissionais que se formam em nossas faculdades. Tenho certeza que isto se repetiria, caso os médicos formados tivessem que prestar uma prova para conseguir o CRM.

Responder

Ted Tarantula

27/08/2013 - 17h21

uai sô…se não viram como eles fazem (ou não fazem) com os pobres nos postos de saúde já devem ter visto o que eles fazem com os próprios colegas no trote ou na festa de formatura..afogar um japonês (não é duplo sentido) é só uma das coisas..então o que me espanta mesmo é ingenuidade e credulidade dos brasileiros em geral sobre o seu próprio caráter..parece que vivem em outro planeta e não sabem que é aqui mesmo no Brasil que brasileiros matam 100.000 conterrâneos por ano todo ano…metade com facas, revolveres e porretes e a outra metado com seus carros..brasileiro é o negocio mais pernicioso do mundo. Cuidado com eles..

Responder

Julio Silveira

27/08/2013 - 17h19

Tenho dito, o Brasil precisa se reinventar. A turma que nos comandou, e ainda comanda pelas beiradas, a cidadania são os responsáveis por essa cultura politica mesquinha de exclusão. Somos governados por carteis, cartórios, e organizações classistas, que se formos observar trabalham da mesma forma e com os mesmo objetivos, criar barreiras ao avanço de conquistas sociais para manter o beneficio exclusivamente para seus pequenos grupos. Tem sido assim secularmente, culturalmente, e eu que pensei que isso seria combatido de alguma forma, para que pelos menos algum tipo de sistema justo fosse instalado no país. Mas não, vivemos ainda o tempo dos cérebros lavados, tornados de minhoca, que não tem qualquer compromisso com a maioria da cidadania, enquanto a vitima não for o próprio, aí é um Deus nos acuda. É triste a mediocridade cultural que faz os egoístas se incrustarem tão fortemente neste país.

Responder

juma

27/08/2013 - 17h04

Repudio com muito desgosto o ato dos médicos brasileiros. Quero deixar aqui o meu apoio e a minha mais franca admiração pelos médicos cubanos, reconhecidos no mundo inteiro por sua competência, e que tiveram a generosidade de vir ao Brasil atender à nossa população pobre, nas regiões mais difíceis e duras do país. Aos médicos cubanos o meu completo reconhecimento e a minha sincera gratidão.

Responder

HEITOR

27/08/2013 - 16h55

Mídia manipuladora!!Cada médico no seu país já!PT CÂNCER BRASILEIRO!

Responder

M D

27/08/2013 - 16h53

Não quero defender os médicos, e concordo com muito do que foi dito sobre eles , aqui e em outros lugares. O que me pergunto é se esses manifestantes são mesmo médicos, ou gente paga, fantasiada de médico, para tumultuar, e desmoralizar o governo.

Responder

Maria Thereza

27/08/2013 - 16h53

Há muita gente irresponsável, acirrando os ânimos. Em 1999, médicos cubanos eram ótimos e foram saudados pela veja, apoiando uma inicitaiva de serra, ministro da saúde no governo fhc. Agora, sob as desculpas mais esfarrapadas, não servem. E só atacam os cubanos, embora haja de outras nacionalidades. Esse ódio ideológico, transformando tudo num fla x flu louco e irracional, está atingindo níveis absurdos. Há médicos/as responsáveis, comprometidos, dedicados. Infelizmente, estão representados por uma escória, eleitos mais por inércia e a parcelinha que vaia e hostiliza bolsistas que vão onde ninguém mais quer ir (inclusive os não cubanos e brasileiros formados no exterior)tem repercussão na mídia antiga e estão servindo a outros interesses. Mais uma vez. Espero que as pessoas onde os médicos cubanos vão atuar sejam mais generosas e acolhedoras, não se deixando contaminar por essa gente estridente, insensível e ignorante.

Responder

Mardones

27/08/2013 - 16h38

Para aqueles que dizem que não somos racistas aí está a negativa. Médicos e advogados são duas classes que representam o pior do brasileiro. Aliás, CRM’s e OAB’s só servem para defender privilégios.

Infelizmente, essa seria uma oportunidade para discutirmos isso, mas estamos dominados por uma máfia nas comunicações que barra qualquer debate sério no país.

Se o governo não advertiu os médicos cubanos, então perdeu uma chande grande de alertar os médicos sobre o clima que eles iam encontrar aqui.

Responder

Gilberto

27/08/2013 - 16h14

Esses médicos brasileiros são uns merdas como pessoas e como profissionais

Responder

Regina Braga

27/08/2013 - 15h41

Com a finalidade de preservar os feudos e clãs,onde tudo pode acontecer,os médicos estão dando uma demostração clara de…violência,arrogância,ignorância,etc…Os cursos de Medicina precisam de uma reciclagem,viu Ministro!

Responder

AlvaroTadeu

27/08/2013 - 15h28

Hoje de manhã desabou um edifício de 2 andares na Zona Leste paulistana, Bairro de São Mateus, lugar sofrido e pobre. O edifício estava em construção. Morreram 7 pessoas até agora, algumas ainda estão desaparecidas. Como não há terremotos no Brasil, sem dúvida foi feita uma engenharia de segunda classe. Nossos engenheiros, médicos,veterinários,enfermeiros, dentistas, farmacêuticos e químicos deveriam fazer um Revalida para saber que tipo de sábios desembarcaram de nossas faculdades, principalmente as privadas, verdadeiras privadas do ensino.

Responder

O JUIZ

27/08/2013 - 15h28

Finalmente os Médicos Brasileiros se mostram.
Essa é a educação que receberam em suas faculdades.
Estão com mêdo de que, afinal?
Há muito mais por trás dessa máfia, do que podemos imaginar.
Estão sendo manipulados por essa direita pôdre que domina nosso País há séculos.
Toda essa reação não passa de um golpe político.
A direita tucana e Demoníaca não quet pobres sendo cuidados, estudando, trabalhando. No conceito dessa raça maldita, pobre deve ser escravo.
Só esquecem que, existem pobres, porque foram roubados durante séculos, em benefício dos ricos que agora gritam.
Sejam benvindo os Médicos de verdade, aqueles que honram o juramento.

Responder

    valcir

    27/08/2013 - 18h12

    viva a revoluçao

Antonio Lyra Filho

27/08/2013 - 15h24

Azenha, localize o médico em primeiro plano da foto e faça uma entrevista com ele. Bom seria se saber qual era o seu sentimento pela atitude que recebe ao desembarcar no Brasil.

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    27/08/2013 - 15h28

    Vamos correr atrás. abs

    Ricardo

    27/08/2013 - 22h47

    Caro Azenha, aproveite também para mostrar que existe uma enorme parcela que apoia a vinda dos médicos cubanos. Mostre pra ele(s) os comentários de agradecimento dos que frequentam sua página.

    E, por favor, peça desculpas em nome de todos que se solidarizam pela causa à qual eles estão dispostos a ajudar. Desculpas em nome dos brasileiros.

    Se precisar, que saiamos as ruas para provar o quão maior é o nosso apreço pela solidariedade do povo cubano, se comparado a histeria de parcela da comunidade médica.

    Abraços!

    Mário Malerba

    27/08/2013 - 21h51

    A cena deprime, confesso que me embrulhou o estômago, fígado e adjacências, mas a altivez do médico na foto também emociona, o cara passando impávido num corredor de intolerância e estupidez é tocante, esperamos ansiosos por essa entrevista e o crédito ao fotógrafo também, foi muito feliz no registro desse momento!

Alexandre Fontenele

27/08/2013 - 15h23

Palhaçada! Que fizeram ontem com os médicos cubanos. Esses “doutores” estão se especializando em medicina do $ dinheiro $. Não se importam com os que clamam por atendimento em lugares que os “DRs” daqui não querem ir. ISSO É DESUMANO! É DEGRADANTE! Sou de Fortaleza e farei tudo para identificar esses criminosos de branco, pois xenofobia é CRIME!

Responder

    edir

    28/08/2013 - 04h07

    Acho que essas “médicas” devem sim responder processo. Quem que combater o mal pela raiz.

Maria Izabel L Silva

27/08/2013 - 15h18

Eu não sou socialista nem apoio o regime cubano, mas tenho que reconhecer: o socialismo cubano tem seus bons momentos. Um destes momentos é produzir profissionais que querem servir a humanidade. Que não estão preocupados em extorquir dinehiro do governo ou dos planos de saude. Que se dispõem a deixar suas familias e trabalhar nos grotões do Brasil. Uma lição que jamais esqueceremos. Bem vindos companheiros cubanos.

Responder

edir

27/08/2013 - 15h06

Antes da chegada da internet, eu achava que o brasileiro era um povo sensível, amoroso, seloso, cuidadoso, amável, receptível e näo täo preconceituoso. Mas descobri que näo é. È um povo extremamente arrogante, frio, calculista, preconceituoso, individualista, aproveitador e se tiver chance dará rasteira num parente, num amigo para levar vantagem. Pisa sem dó nos mais fracos, escravisa quem puder, querem sempre ganhar muito dinheiro com pouco trabalho, engana o cliente no que puder, ludibria. Näo é a toa que: nos anos 90 os descendentes de japosenes quando entrava num supermercado em qualquer cidade no japäo, os funcionários eram avisados pelo alto falante em bom tom para tomar cuidado, pois havia brasileiros na loja. Vergonha, vergonha,vergonha.

Responder

    edir

    27/08/2013 - 15h07

    corrigindo: Zeloso

    M D

    27/08/2013 - 16h55

    Edir,

    não é o povo, mas a parcela elitista da sociedade.

    Gilberto

    27/08/2013 - 16h19

    Por favor não confunda uma parcela babaca e conservadora com o povo brasileiro. O povo está ao lado dos médicos que salvam vidas, sem olhar para o bolso de seu paciente

    anac

    28/08/2013 - 09h12

    Esses mesmos médicos cubanos foram recebidos no aeroporto de Fortaleza com balões e festa de boas vindas. O problema é o Conselho Regional de Medicina que está estimulando uma parcela dos seus médicos imbecis a agirem dessa maneira vergonhosa. Com o beneplácito do PiG que age politicamente e para conseguir o golpe tenta de todas as formas desvirtuar qualquer medida por mais benéfica que seja para o povo do governo de Dilma como fez com o de Lula. Até contra a redução da tarifa de energia elétrica o PiG foi. Pior é que conseguiu convencer os imbecis de má-fé que os segue. Não obstante sejam esses imbecis da classe merdia vitimas da sobrecarga de divida, incluindo o da enorme conta de energia elétrica.

Darci

27/08/2013 - 15h00

Que venham os cubanos. Estamos precisando. E ainda, depois do contrato, façam o revalida e permaneçam entre nós e dispute o mercado também, já que não conheço nenhum médico que além de mais de dois emprego, inclusive público, nos quais pouco ou quase não trabalham, dormem quando comparecem, e pagam a estagiários para tirar o patrão, e ainda tem tempo no consultório particular (como?)Turma de mercenários, salvo as exceções, claro, há muita gente boa sofrendo com visão equivocada da maioria. Revalida nos brasileiros também. Todos devem demonstrar em provas objetivas e práticas a qualificação que os diplomas não podem demonstrar.

Responder

Claudio Freire

27/08/2013 - 15h00

Num episódio como este, sinto vergonha de ser brasileiro.

Responder

Urbulino

27/08/2013 - 14h48

Esses “Maus Medicos” nao dao recibo, para sonegar impostors,
Dao prioridade aos representantes de laboratorios, para faturar comissao,
Indicam exames em laboratorios que lhes dao propina,
Nao respeitam horarios,
Sua razao de Viver eh o dinheiro.

Responder

Maria Izabel L Silva

27/08/2013 - 14h45

É assim que a classe media coxinha opera. Quer ganhar no grito. Gente estupida …

Responder

Paulo Piloto

27/08/2013 - 14h42

Muitos dos médicos brasileiros da rede publica tem nojo de atender seus próprios compatriotas dependendo da cor da pele jé vi isso pessoalmente quando precisei de atendimento publico um vez, essa é a face de nossa classe médica conservadora, se fossem médicos estadunidense vindo em massa para o Brasil os conservadores estariam batendo palmas outra face negra de nossa sociedade conservadora o complexo de vira latas, de só achar o que vem do norte é o melhor, vamos evoluir Brasil combatendo essa classe médica ultrapassada, vigarista, e tudo que é de má índole a eles atubibados.

Responder

silvia macedo

27/08/2013 - 14h42

Como esta foto é emblemática de nossa história. Ela se repete como uma farsa da mais alta crueldade. Me sinto sinceramente partida.

Responder

Lucila

27/08/2013 - 14h42

Sou nordestina. Tenho alguns amigos médicos que fizeram residência em São Paulo que relatavam hostilidade semelhante na saída das provas (sim, corredor polonês de vaiais e uivos, com formados em Medicina) para com candidatos nordestinos. Que coisa absurda saber que médicos no Nordeste repetem as mesmas práticas.

Responder

Ocimar Soares

27/08/2013 - 14h40

Revoltante essa atitude vergonhosa e que envergonha o Brasil que tem o titulo de pais receptivo de povo ordeiro mas provavelmente esse titulo fica para recepção de turistas nas festas de carnaval e de turismo sexual de menores. Por que são contra os médicos Cubanos? São contra os médicos estrangeiros ou contra o povo receber atendimento médico? Não entendo a anarquia dessa gente Médicos cubanos estão na Austrália, Inglaterra e em vários países por que não podem estar no Brasil? Bem vindos todos eles Cubanos, Europeus de onde for sejam bem vindos. Uma outra coisa ainda não vi as senhoras medicas vaiarem e nem, Presidentes de CRM denunciarem os bandidos traficantes de órgãos humanos.

Responder

Geraldo Souza

27/08/2013 - 14h39

Um leitor que me antecedeu chamado Frances disse: ” Sinto uma grande vergonha.Sinto um mal estar que vem das entranhas, sinto uma dor que não é física, é sim uma dor moral que me angustia”. Pior: vaiar alguém que está vindo salvar vidas, falar de saúde, enfim é doloroso.

Responder

Joseph Hill

27/08/2013 - 14h35

Outro pronunciamento do Sen. Mozarildo Cavalcanti (PFL – Partido da Frente Liberal /RR) em 16/11/1999 no Senado elogiando a boa atuação dos médicos Cubanos em Roraima, em 1999.

Também menciona uma matéria publicada no Correio Braziliense de domingo, 14/11/1999 com título “Salva-vidas cubanos em Roraima”. A submanchete tem o seguinte texto: “Grupo de 39 médicos atende, gratuitamente, moradores de 15 cidades. Desde a chegada deles a mortalidade infantil caiu 25%”.

http://www.senado.gov.br/atividade/pronunciamento/detTexto.asp?t=253545

Responder

J Souza

27/08/2013 - 14h33

Quando naquele “post” sobre os médicos sindicalistas que tem filhos formados em Cuba eu falei que a política na medicina é pior do que a política partidária, me referi a este tipo de coisa.
Médicos que têm interesses em assumir postos importantes, seja no sindicato, seja no conselho regional, estimulam atos selvagens como esse.

Os colegas cubanos que trabalham no Brasil geralmente são competentes, e não há motivos para duvidar que os que estão chegando também sejam. E estes também não têm culpa se o governo preferiu passar por cima da medicina brasileira como um rolo compressor, do que dialogar (por mais que diga que o tenha feito!) com a categoria profissional.

Não sei se os manifestantes eram estudantes de medicina ou médicos formados. Nem se eram médicos do sindicato ou de grupos que querem assumir o sindicato. Seja quem for, mostra que adquirir conhecimento técnico não educa necessariamente as pessoas…

O programa “mais médicos” foi muito mal feito, mas, bem-vindos médicos estrangeiros!

Responder

    Mario Silva Lima

    27/08/2013 - 17h26

    O programa pode ter sido mal feito, mas a força de seu objetivo fará dele um programa vitorioso.

Eduardo

27/08/2013 - 14h27

Minhas desculpas aos cubanos que estão aqui para fazer o que milhares de medicos brasileiros não querem fazer!Que não pensem que que esta manifestação é espontânea! Não é!Viva os médicos cubanos e o povo que será beneficiado! Parabéns ao Ministro Padilha e à Corajosa Presidenta do Brasil! Esta é uma reação de elitistas imbecís! Não vai prosperar! ” Mais Médicos” veio para ficar! ” Em 2014 é Dilma outra vez”.

Responder

Joseph Hill

27/08/2013 - 14h26

Reportagem da ISTOÉ Nº 1568 – 20 de outubro de 1999 sobre médicos cubanos atuando em Roraima.

http://www.terra.com.br/istoe-temp/especial/156801b.htm

Responder

Maria Efigênia Costa

27/08/2013 - 14h22

Não me sinto representada por esta comissão de Fortaleza.
Em nome dos brasileiros e brasileiras que defendem a saúde pública, saúdo o o companheiro .
Eu acho bom não confundirmos as coisas.
Nem a classe médica esta comissão de Fortaleza representa.
Existe uma categoria séria trabalhando nos hospitais,que merece todo o nosso respeito e consideração, a despeito desta meia dúzia de gatos pingados que representam a indústria dos medicamentos.
Que nós, brasileiros,enfim, depois de tanto sofrimento, tenhamos um sistema de saúde de qualidade, com médicos humanos, sejam eles brasileiros ou estrangeiros.

Responder

Rui

27/08/2013 - 14h21

Gente, quem protagonizou esse evento deplorável não foram médicos, mas sim os filhotes de umas das elites mais imbecis e arrogantes que há no Brasil, a “elite” fortalezense. Digo não foram médicos, porque foram antes seres egoístas e egocêntricos, que, por um acaso da vida, calharam de poder estudar medicina. Mas, saibam que o bom povo de Fortaleza, os que lutaram na Confederação do Equador, os que seguiram o martírio de Bárbara de Alencar,os que pegaram em armas contra o ditatorial governo Acyoli, os que acompanharam Frei Tito Alencar em sua luta;esses saúdam quem vem em paz e acolhem a todos de peito aberto. Todo nordestino sabe que a falta de hospitalidade e o desrespeito ao visitante são algumas das mais graves faltas cometida contra os costumes regionais. A propósito, quem ficou atendendo os pacientes em seus lugares?

Responder

    renato

    27/08/2013 - 21h42

    Pode ter certeza que elas não vão manchar o nome de
    Fortaleza.
    É muito pouco pó.Nada que um balde de água não lave.

susi lago

27/08/2013 - 14h18

Lamentável a atitude dessas pessoas.Tb cada um só dar o que tem. Mas o que importa mesmo é o serviço que os medicos cubanos vai prestar para a população mais carente desse país.O resto é o resto,deve ser ignorado.

Responder

Francisco do Ceará

27/08/2013 - 14h17

VERGONHA! REVOLTA! Vejam o que uma “preconceituosa social” chamada MICHELINE BORGES postou no “facebook”:
http://br.noticias.yahoo.com/blogs/jornalismo-wando/m%C3%A9dicos-brasileiros-o-orgulho-branco-da-na%C3%A7%C3%A3o-140048876.html#more-id

Responder

Roberto Locatelli

27/08/2013 - 14h10

Estou muito curioso para ver o debate eleitoral de 2014. Quero ver tucanos falando mal dos médicos cubanos.

Programa Mais Médicos será um dos cabos eleitorais de Dilma.

Alstom e Siemens serão cabos eleitorais de Aécio, Alckmin e Serra.

Responder

    Rodrigo Leme

    27/08/2013 - 14h35

    Que o programa é puramente eleotoreiro não ha duvida. Afinal, mais fácil que explicar a perda de 50 mil leitos no SUS, não fazer nada pela saude e aí dizer EMERGÊNCIA, como se tivesse assumido o governo ontem.

    Pafúncio Brasileiro

    27/08/2013 - 19h56

    Rodrigo,
    Voce não sabe, que a própria classe médica, sempre trabalha contra o SUS ? Ele não aceitam saúde pública. Só querem a privada (duplo sentido, não ?). Querem é mais as parcerias usando o patrimônio público de forma vergonhosa (caso do HC em SPO e outros hospitais universitários públicos).

    anac

    28/08/2013 - 08h49

    São tão contra a saúde publica que esses mesmos médicos foram incapazes de se unir contra a tungagem perpetrada contra a saúde publica ao derrubarem a CPMF, criada por um dos médicos mais conceituados do Brasil: Adib Jatene. A direita 1% se uniu uníssona para derrubar a CPMF. E o PiG defensor dos 1% na sonegação de bilhões, tratou de fazer a lavagem cerebral nos imbecis. Os médicos brasileiros são a favor da doença assim faturam mais e ganham ainda mais mimos da bilionária industria farmacêutica. Imbecis de má-fé.

Joseph Hill

27/08/2013 - 14h06

Pronunciamento do Sen Mozarildo Cavalcanti (PFL – Partido da Frente Liberal /RR) em 02/02/2000 no Senado elogiando a atuação dos médicos cubanos em Roraima em 2000.

Menciona uma reportagem do Correio Braziliense de Nov/99 com o título “Salva-vidas cubanos em Roraima”.

Também menciona faz referência ao “Programa Médico em Sua Casa” mencionado dos anos 90.

http://www.senado.gov.br/atividade/pronunciamento/detTexto.asp?t=310734

Responder

marco

27/08/2013 - 13h55

O que?Voces não sabem ainda que existe,mesmo no meio do povo,de quem muitos sentem pena porque sofrem,pessoas com a mentalidade idêntica a dos patrões?Pois tem e muitos.Os exemplos estão aí!Essa gentalha,povoa o território nacional,e elegia durante a última ditadura,candidatos da ARENA!Infelizmente existem e não se prestam nem pra morrer de fome.Aqui como noutros países do mundo afora,essas pessoas existem,infelizmente,e se orgulham disso.Não é falta de conciência não,é falta de vergonha na cara,que exigem dos outros!

Responder

Rodrigo Leme

27/08/2013 - 13h42

Por mais que haja muita coisa errada no programa, ser humano que veio não tem nada a ver com isso. Lamentável a atitude que impede ate mesmo um debate adulto sobre esta estrovenga.

Responder

    renato

    27/08/2013 - 18h08

    Pela foto são casadas, e possivelmente tem filhos.
    Tudo bem se estão ganhando para isto, mas pensem se
    são pediatras.
    Eles eu sei que são médicos, e vão ser avaliados,
    não como alguns hospitais que tem médicos contratados
    que nem médicos são.
    Isto é um atentado ao ser humano.
    De que ódio é este que estas pessoas tem, mesmo sendo
    pagas. Uma Prostituta por menos que uma consulta, trata
    melhor quem a esta pagando.
    Por isto o Médico dos Médicos conhecia bem estas mulheres.

Isabela

27/08/2013 - 13h39

Que show de horrores! Acho que se eu estive lá ia parar na delegacia, pois daria na cara dessas patricinhas de jaleco: que nojo e vontade de pedir desculpas aos cubanos… Fico tão estarrecida, que perco as palavras…Mas uma coisa é certa, a máfia de roupa branca tá mostrando a cara mesmo!

Responder

Luiz Henrique

27/08/2013 - 13h38

Tem de processar essas mulheres que se dizem médicas e o sindicato que representam. São mesquinhas, mau caráter,

Responder

antonio carlos ciccone

27/08/2013 - 13h35

Por causa de imagens e manifestações como essas , nós ,médicos estamos estragando mais nossa imagem perante a sociedade.
É só os Srs entrarem em algum site de noticias na Internet, e lerem os comentários dos internautas a respeito da categoria médica.
Será que nós não conseguimos ser claros , e mostrar para a sociedade que não somos contra médicos estrangeiros, mas somos contra a sua entrada no País sem o Revalida.
Não é a mensagem que a categoria médica tem passado, vide a desastrosa manifestação do CRM de Minas Gerais.
Não temos conseguido passar para a imprensa e sociedade que papel cada ente da federação desempenha no atendimento médico no serviço público.
Temos sido chamados de egoístas, corporativos, filhinhos de papai, mercenários, que queremos reserva de mercado, etc, etc. Abram uma página da Net e leiam.
Não é papel de médico sair às ruas com gritos e frases ofensivas e de baixo nivel ou mesmo palavrões.
Do médico se exige recato, compostura, respeito, ética. Com 35 anos de formado , pela FMUSP, meu segundo lar, sou de um tempo em que seria impensável fotos como essas “patricinhas”ao lado.
Também não é papel de médico derrubar governos.
Manifestações, sim, mas com respeito pela sociedade e por seus colegas.
Contra o trabalho de colegas estrangeiros sem o Revalida , sim .Mas sem ataques à pessoa física desses colegas, que tem sido chamados de “curandeiros”.
Nós podemos sujar nossa imagem com uma frase no jornal, e podemos levar anos para nos recuperar.

dr. antonio c. ciccone

Responder

    Alencar

    27/08/2013 - 14h38

    Não adianta Antônio.
    O estrago está feito.
    Nossas lideranças caíram na armadilha política e protagonizaram declarações e atos constrangedores.
    Perdemos toda a razão, fomos incapazes de demonstrar as imensas falhas desse plano nitidamente eleitoreiro.
    Ficaremos como vilões e quando este castelo de cartas ruir vão colocar a culpa na nossa categoria pelo suposto boicote.
    Tudo que temos de bom ficou oculto e todos os nossos equívocos vieram a tona.
    Agora o governo e a sua ala radical, que aparelhou o CNS, vai atacar a liberalidade da nossa profissão.
    Querem nos enquadrar e de maneira pueril nossas lideranças estão nos levando para o cadafalso.
    Temo que a nossa geração seja a última a exercer a medicina liberal no Brasil.
    Eles querem médicos submissos e vassalos a uma ideologia de botequim.
    Como são limitados, querem limitar o desempenho e o sucesso
    Triste destino da nossa nação, um modelo assistencialista e onde o paciente não terá escolha

    Scan

    27/08/2013 - 17h25

    “Ficaremos como vilões e quando este castelo de cartas ruir vão colocar a culpa na nossa categoria pelo suposto boicote.”

    Gostei.
    Quer dizer então que o governo será responsável pela vossa transformação em vilões? É isso?
    E o comportamento abjeto de representantes de vossa classe perante os médicos cubanos é um “suposto boicote”? É isso?

    Parabéns!
    O fundo do poço não existe.
    O fundo do poço não existe.

    edir

    27/08/2013 - 14h44

    Dr Antonio com muito respeito, recuperar a imagem, acho que näo recuperaräo näo. Quando eu olhar para um médico brasileiro, vou ter sempre a imagem de ver à minha frente um monstro. Estou perdendo pouco a pouco a pouca confianca que eu tinha.

    renato

    27/08/2013 - 18h19

    Sou uma pessoa que precisou e precisa de médicos, eles
    sempre foram meu porto seguro. Sinto isto ainda.
    mas hoje fui a uma Santa casa, me deparei com vários
    médicos no corredor, até entregar meu resultado de exame.
    Sinto muito, mas senti algo diferente, não sei ainda definir.
    Sou a favor dos médicos contratados para atender o Brasil.
    Porque está faltando médicos.
    Aqui onde eu moro, na vila doze consultas na parte da manhã,
    todo dia vilta gente, uma estrutura da UPA esta pronta já a
    seis meses, mas o prefeito não tem verba para agilizar ela.
    Ficam esperando o Governo federal.
    Mas a coisa mudou…pela falta de voz que os médicos não
    tiveram e não vão ter enquanto os sindicatos falarem por eles.
    Sinto muito.. O Sindicato de voces e todos os outros precisam
    de um REVALIDA.

José Ricardo Romero

27/08/2013 - 13h35

Este movimento coordenado da máfia do bisturi é a face mais visível, no momento, das elites brancas de olhos azuis, as massas cheirosas. É bem possível que entre os que protestaram em Fortaleza existam não-médicos. Não é de lá que sistematicamente existe boicote e fraudes aos exames do ENEN? Não é lá que mora o galeguim de zóios azuis? Êta povinho atrasado esse! Mas essas elites estão no desespero da fase de extinção que estão vivendo. Podem ainda causar muitos estragos, porque ainda têm algum poder com a mídia e o judiciário. Mas não duram muito tempo. Justo no nordeste que tanto precisa se desenvolver…

Responder

Leo V

27/08/2013 - 13h33

A questão é, como a direita se utiliza dos sentimentos mais conservadores e elitistas na luta política.
Isso já foi feito na campanha eleitoral.

O fato é que no governo do PSDB um Mais Médicos seria nota de pé de página, como foi. Nenhum alvoroço, mas no governo do PT, cria-se uma narrativa para bater no governo, e para isso desperta-se os piores sentimentos, latentes no conservadorismo que permeia a sociedade.

Responder

Urbano

27/08/2013 - 13h29

A menor cretinice dessa gente é quando abre a boca apenas para vaiar.

Responder

Luís Carlos

27/08/2013 - 13h29

Gérson
Parabéns pelo texto. A falta de respeito e mesquinhes de quem se prestou a fazer esse papel de vaiar e hostlizar pessoas que vem trabalhar no país, em municípios desprezados por mêdicos formados no Brasil, é espantosa. A medicina brasileira, com exemplos como esse e outros das últimas semanas (xenofobia, ameaças de perseguição e omissão de socorro, etc) demonstra ter chegado ao fundo do poço.

Responder

João de Deus

27/08/2013 - 13h18

LINGUAGEM PORNOGRÁFICA: SÓ LEIA SE TIVER MAIS DE 18 ANOS DE IDADE,

Vocês conhecem o ditado que diz NEM FODE NEM SAI DE CIMA. Pois essa é a posição dos médicos brasileiros, que nunca pensaram em trabalhar a mais de 15 minutos de suas residências numa grande cidade, e não se inscreveram e não vão se inscrever nunca para trabalhar lá onde o Diabo perdeu as botas. E a argumentação de que não existe infraestrutura lá onde o Diabo perdeu as botas é a maior cretinice do mundo. Se fosse por falta de uma infraestrutura sofisticada, não haveria um único médico trabalhando na África. E lá os Médicos sem Fronteiras salvam muitas vidas prescrevendo soro caseiro e ácido acetil salissílico. Quando a doença é mais grave, eles enviam o paciente para um centro um pouquinho melhor, já que lá não existe coisa MUITO MELHOR.

É isso aí e o resto é picaretagem.

Responder

FRANCES

27/08/2013 - 12h56

Sinto uma grande vergonha.
Sinto um mal estar que vem das entranhas, sinto uma dor que não é física, é sim uma dor moral que me angustia, pois além do fato em si, foram conterrâneos que encenaram este ato deplorável.

Responder

    susi lago

    27/08/2013 - 14h01

    Frances
    Senti a mesma dor.Que vergonha de ter a mesama nacionalidade que essas pessoas.
    susi

João Paulo Aguiar Bonner

27/08/2013 - 12h46

Precisamos montar um movimento de apoio e solidariedade aos médicos cubanos para nos contrapormos à imbecil hostilização.

Responder

Messias Franca de Macedo

27/08/2013 - 12h46

Corporativismo acima da vida
Debate sobre os médicos me dá vergonha

Por Gilberto Dimenstein

27/08/2013 – 09h01

O perfil dos médicos cubanos é o seguinte: em geral, eles têm mais de uma década de formados, passaram por missões em outros países, fizeram residência, parte deles ( 20%) cursaram mestrado e 40% obtiveram mais que uma especialização.
Para quem está preocupado com o cidadão e não apenas com a corporação, a pergunta essencial é: essa formação é suficiente?
Aproveito essa pergunta para apontar o que vejo como uma absurda incoerência – uma incoerência pouca conhecida da população – de dirigentes de associações médicas. Um dos dirigentes, aliás, disse publicamente que um médico brasileiro não deveria prestar socorro (veja só) se um paciente for vítima de um médico estrangeiro. Deixa morrer. Bela ética.
Provas têm demonstrado que uma boa parte dos alunos formados nos cursos de medicina no Brasil não está apta a exercer a profissão. Não vou aqui discutir de quem é a culpa, se da escola ou do aluno. Até porque para a eventual vítima tanto faz.
Mesmo sendo reprovados nos testes, os estudantes ganham autorização para trabalhar.
Por que essas mesmas associações, tão furiosas em atacar médicos estrangeiros, não fazem barulho para denunciar alunos comprovadamente despreparados?
A resposta encontra-se na moléstia do corporativismo.
Se os brasileiros querem tanto essas vagas por que não se candidataram?
Será que preferem que o pobre se dane apenas para que um outro médico não possa trabalhar?
Sinceramente, sinto vergonha por médicos que agem colocando a vida de um paciente abaixo de seus interesses.
Gilberto Dimenstein ganhou os principais prêmios destinados a jornalistas e escritores. Integra uma incubadora de projetos de Harvard (Advanced Leadership Initiative). Desenvolve o Catraca Livre, eleito o melhor blog de cidadania em língua portuguesa pela Deutsche Welle. É morador da Vila Madalena.

em http://www1.folha.uol.com.br/colunas/gilbertodimenstein/2013/08/1332554-debate-sobre-os-medicos-me-da-vergonha.shtml

Responder

    Isabela

    27/08/2013 - 13h43

    Pois é, pois é… sinto vergonha também…

wagner paulista de souza

27/08/2013 - 12h45

Venham, médicos e médicas cubanas. Esses médicos coxinhas não nos representam. Não representam a alma generosa e acolhedora de nosso povo humilde e mestiço. Essas loirinhas vão se formar em medicina em nosso país e lamentavelmente por elas seremos atendidos. Sejam bem vindos companheiros e companheiras, o Brasil Real não se enxerga nessas manifestações mal educadas que não conseguem disfarçar o ranço de nossas elites pela ascensão social. Um Negro, médico ? Tá difícil pras loirinhas engolirem; talvez nunca o façam. Mas, o trabalho de vocês deixará marcas, tenho a ligeira impressão disso. Sintam-se em casa. Não olhem para as figuras malcriadas aí da foto; são mimadinhas que ganharam o Curso de Medicina de seus papais e não admitem uma medicina comprometida com a SAÚDE do povo. Elas querem é se especializar em lipoaspiração para modelarem os corpos das burguesas decadentes de nosso país. Perdoe-as, vocês são grandes para isso.

Responder

Marcelo Rodrigues

27/08/2013 - 12h40

Farei o possível para me consultar com um médico cubano.

Tenho plano de saúde caro e fui pessimamente atendido por duas endocrinologistas brasileiras que não conseguiram conquistar a minha confiança, uma novinha que não enxergou o paciente que tinha diante de si, via só a apostila, uma outra já madura que fingiu, isto mesmo, fingiu!, que fazia um exame clínico protocolo 171. Sem falar que nenhuma das duas se preocupou em esclarecer minhas dúvidas sobre a doença que tenho de enfrentar.

Responder

Renato

27/08/2013 - 12h38

Se eu estivesse lá, jogaria maçã podre nesse agente a serviço do foro São Paulo.

Responder

    Rodrigo

    27/08/2013 - 15h37

    Seja mais claro. O que disse não faz sentido.

    Renato

    28/08/2013 - 10h39

    Respondendo: Se eu estivesse lá, jogaria maçã podre nesse agente a serviço do foro São Paulo, conhecido como Médicos Cubanos.

    Luiz Fortaleza

    28/08/2013 - 21h58

    Vc é podre assim?

ma.rosa

27/08/2013 - 12h24

Sem palavras, de tanto constrangimento!!!! Me envergonho por este fato, ter acontecido!!! Qdo. visitei Recife, já faz muitos anos, vi muita pobreza e falta de saúde por todo lugar. Será que hoje isto mudou? Acho que não. E mesmo que tivesse mudado, não justificaria este atitude tão discriminatória
e desumana destes senhores pseudos médicos.

Responder

souza

27/08/2013 - 12h18

este clima foi criado pelas entidades de classes da área médica.

Responder

avelina Martinez

27/08/2013 - 11h55

Vergonha é pouco para descrever meu sentimento.
Se fossemos revanchistas, deveríamos ir ao Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo vaiar os médicos cearenses que fazem residência nesse Hospital, mas não somos e não nos igualaremos a esses manifestantes do ódio.
Não se preocupem irmãos nordestinos, continuarei a lutar contra a discriminação e preconceito que vocês sofrem em São Paulo e que os médicos cubanos sofreram em Fortaleza.
Fica claro que não é uma questão de raça ou etnia, é uma questão de classe.
Elite é elite em qualquer lugar.

Responder

Magui

27/08/2013 - 11h54

Não é apenas estupidez, o nome disso é racismo. Por que não fizeram corredor polonês para médicos brancos?

Responder

    E..

    02/09/2013 - 16h39

    Primeiro que Cuba não tem branco

Luiz filosofo

27/08/2013 - 11h52

A canalhice dos médico “rebeldes”, não, é melhor dizer reacionários, de Fortaleza, um pequeno grupo, é de lascar a Ética, o respeito humano. Pior são os comentários ao vídeo que chegou a dizer que uma médica tinha a cara da empregada doméstica dela. Para vc ver como a sociedade ainda é dividida em Casa Grande e Senzala. Ou melhor, uma Casa Grande RACISTA e uma Senzala em contestação… Qdo temos uma mídia pasteurizada, com jornalistas submissos ao patrão, o resultado é o pior possível, uma sociedade decadente civilizatoriamente e precária de informação correta.

Responder

Deixe uma resposta