VIOMUNDO

Sabesp faz o que condena na população: joga sujeira em córregos

17 de agosto de 2011 às 16h55

por Conceição Lemes

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) costuma relacionar as ligações clandestinas de esgoto à poluição dos rios e córregos da Região Metropolitana de São Paulo. O bode expiatório é a população de baixa renda, que mora em favelas, até porque no imaginário popular ligação clandestina é “coisa de pobre”.

Ao mesmo tempo, exige ligação exclusiva para o esgoto doméstico; ele não pode ser misturado à água pluvial.

Por isso, geralmente saem das residências duas tubulações. Uma, leva a água da chuva (do telhado, quintal, jardim) até o meio-fio, ou sarjeta. Pelas bocas de lobo, essa água segue para as galerias de águas pluviais. Daí, para rios e córregos.

A outra tubulação (chama-se ramal) transporta água de pia, tanque, vaso sanitário, chuveiro, máquina de lavar roupa. Subterrânea, ela sai da calçada e vai até a rede coletora de esgoto, que pode estar no próprio passeio, no meio da rua ou na calçada do outro lado da rua.

Em princípio, essa rede coletora de esgoto deve se ligar a tubulações progressivamente maiores (coletores-tronco e interceptores), que se conectam à estação de tratamento de esgoto (ETE). O destino final dessa água com fezes, urina, sabão e outros detritos deve ser uma ETE, para receber tratamento físico e químico.  Só depois ela pode ser jogada em rio, córrego ou empregada para reuso planejado. Esse é o procedimento adequado tanto do ponto de vista sanitário quanto ambiental.

Só que a Sabesp faz o que condena na população.

“Historicamente boa parte das conexões para jogar esgoto nas galerias de águas pluviais, nos rios e córregos é obra da própria Sabesp”, afirma Ricardo Moretti, professor de Planejamento Urbano da Universidade Federal do ABC.

Em 2010, resolvi investigar isso. Durante dois dias, ambos ensolarados e sem chuva há um bom tempo, participei de um teste. Despejou-se corante (vendido em bisnagas em lojas de material de construção) na caixa doméstica de esgoto (fica na calçada, bem próxima à porta do imóvel, cada um tem a sua) ou no vaso sanitário de residências em quatro regiões da capital paulista, com algum córrego próximo.

Objetivo do teste: verificar se a tintura expelida em meio à descarga doméstica chegaria a pontos de lançamento (canos) em córrego na vizinhança. Nos quatro pontos selecionados, deu positivo.

Uma das áreas escolhidas “pegava” do Palácio dos Bandeirantes para baixo. Engloba as ruas Combatentes do Gueto, Engenheiro Janot Pacheco, José Ferreira Guimarães e Pedro Gomes Cardim, as praças Vinícius de Moraes, Santos Coimbra e avenida Vicente Paiva. Também as ruas Marcelo Mistrorigo, José Pepe, Rafael Ielo e Cordisburgo.

Tinha informações de que durante os 12 anos em que foi ocupado por Geraldo Alckmin(PSDB)  e os quase quatro por José Serra (PSDB), o esgoto do Palácio dos Bandeirantes nunca tinha sido tratado. E que até então a Sabesp jogava os dejetos da sede do governo paulista num córrego próximo (hoje  sei que se chama Coimbra), bem no coração do Morumbi.

O córrego Coimbra passa canalizado sob o Condomínio Edifício Loft São Paulo I, rua  Armando Lombardi, 800, no Morumbi.  Depois corre a céu aberto num pequeno trecho. É paralelo a uma viela, na altura da rua Salim Izar com  Guihei Vatanabe. De carro, fica a uns 5 minutos da sede do governo paulista.

Em 2010, estive lá duas vezes. A primeira, para observar o local. A segunda, para fazer o teste. Fotografei antes e após jogar o corante. Alguns minutos depois, a tinta já aparecia no córrego.

Isso demonstrou que:

1. O esgoto dessa região do Morumbi, incluindo o Palácio dos Bandeirantes era coletado, mas não era tratado. “Se fosse tratado, o corante não iria parar no córrego”, alertou na época o engenheiro Júlio Cerqueira César Neto, que durante 30 anos foi professor de Hidráulica e Saneamento da Escola Politécnica/USP.

2. A Sabesp é que jogava esgoto coletado no córrego Coimbra. Ou alguém acha que os moradores da região, incluindo os governadores paulistas, fizeram “algum gato” nas instalações de esgoto?

3. Lançamento em córregos paulistas de esgoto sem tratamento, portanto in natura, não é “privilégio” da periferia. Os dejetos de moradores de bairros nobres de São Paulo têm o mesmo destino.

Resultado: a reportagem Saneamento básico, esgoto do Palácio dos Bandeirantes é jogado em córrego , publicada no Viomundo em 13 de setembro de 2010.

No dia 20 de julho deste ano, fiz uma via-sacra pelos quatro córregos visitados em 2010. O mau cheiro exalado, sentido à distância, permanecia insuportável.

Inclusive no córrego Coimbra. A cerca viva, que o margeia, cresceu bastante. Em 2010, pegava principalmente o trecho de casas bonitas que existem do outro lado da rua. Agora, arbustos, bambu japonês e folhagens ocupam toda a sua extensão. Mas o fedor trai o paisagismo,  revelando o que corre atrás: água com esgoto.

Outra diferença em relação a 2010 foi esse conjunto de placas da operação Córrego Limpo: Sabesp, Prefeitura, Governo do Estado de São Paulo e Complexa Construções Ltda, empresa contratada para fazer o trabalho.

No próprio site da Sabesp, o  córrego Coimbra já figurava entre os despoluídos. Mas como despoluído se ainda fedia tanto?! Dava pra ver fezes boiando!!!

Quis saber, então, da Sabesp, quais córregos de São Paulo já tinham sido despoluídos pelo Programa Córrego Limpo. Também que ações eram executadas. Como pesquisa no Diário Oficial revelou o contrato abaixo, pedi em seguida mais informações, como data da execução da obra.

19 de novembro de 2009-página 29.

EXTRATO DE CONTRATO

TP MO 39.850/09 – EXECUÇÃO DE OBRAS PARA IMPLANTAÇÃO DE REDES COLETORAS DE ESGOTO, NA RUA GUILHEI VATANABE E OUTRAS, VISANDO A MELHORIA DA QUALIDADE DA ÁGUA DO CÓRREGO COIMBRA, PERTENCENTE AO PROGRAMA CÓRREGO LIMPO – MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, UNIDADE DE NEGÓCIO OESTE, DIRETORIA METROPOLITANA – M. – R$ 1.286.819,13 -18/11/09 – COMPLEXA Construções Ltda. – 180

Domingo retrasado, 7 de agosto, retornei ao Coimbra. O conjunto de placas havia sido retirado. Teste com corante revelou que o esgoto do Palácio dos Bandeirantes já não é mais lançado nesse córrego. Mas por que o seu “perfume” continua  nauseabundo?

Por e-mail, no dia 11 de agosto, assessoria de imprensa da Sabesp respondeu:

O contrato 39.850/09 teve início em agosto de 2010 e foi finalizado em dezembro de 2010, como previsto em cronograma.

Ainda há dois trabalhos a serem concluídos: 1) a ligação de dois prédios de  flats que ainda jogam esgoto no córrego; 2) A correção de um vazamento de esgoto em local de difícil acesso.

À Sabesp [no Programa Córrego Limpo] cabe fazer o diagnóstico das condições das redes coletoras de esgotos, inspecionar imóveis para verificar se estão devidamente ligados à rede coletora, remanejar ligações domiciliares e industriais de esgoto, monitorar a qualidade da água dos córregos e promover a conscientização ambiental da população local. Já a Prefeitura deve promover a limpeza dos córregos (com a retirada de lixo), fazer a manutenção das galerias de águas pluviais e obras de contenção, além da notificação aos proprietários de imóveis que não estiverem devidamente conectados com o sistema público de esgotamento.

“NOSSO ESGOTO CONTINUA INDO PARA O CÓRREGO. A BOLA ESTÁ COM A SABESP”

O Coimbra fede porque esgoto continua sendo lançado lá.  Se só de passar por ele, o estômago embrulha, para quem mora perto não é nada agradável.  Compete em fedentina com vários córregos das periferias das zonas Norte, Sul, Leste e Oeste.

Os motivos estão na própria resposta da Sabesp: a ligação de dois prédios de flats que ainda jogam esgoto no córrego; 2) A correção de um vazamento de esgoto em local de difícil acesso.

Os flats em questão são os do Condomínio Edifício Loft São Paulo I, que ainda lançam esgoto no córrego Coimbra.

“No começo de 2011, a Sabesp esteve aqui e deu um prazo para fazermos uma caixa de extensão para coletar o esgoto e depois ela interligar à sua rede coletores”, conta Ednaldo Oliveira, responsável pela manutenção do condomínio. “A caixa está pronta há uns quatro meses, avisamos, mas até agora nada. O nosso esgoto continua indo para o córrego. A bola está com a Sabesp.”

Quanto ao vazamento de esgoto de difícil acesso, é obrigação da Sabesp resolvê-lo. Ponto.

Sobre as responsabilidades da Sabesp, a assessoria “esqueceu” de mencionar a vital implantação de coletores-tronco e interceptores para levar o esgoto até as ETES. Sem eles, o esgoto não vai para tratamento, é lançado in natura no córrego mais próximo.

No caso do Coimbra, a questão dos coletores está resolvida. Mas ainda faltam a  ligação da  caixa de extensão dos flats e o vazamento de esgoto de acesso difícil. Até lá o córrego, a mil metros do Palácio dos Bandeirantes, seguirá recebendo esgoto — menos, claro que em 2010 — e cheirando mal, em parte por causa da própria Sabesp que ainda não fez todo o serviço  que deveria no local.

Já o  córrego que corta a rua Tomazzo Ferrara, em Itaquera, Zona Leste ( o da região 2 da reportagem publicada em setembro de 2010),  continua a receber esgoto da região por obra da Sabesp. Teste com corante feito nessa segunda-feira, 15 de agosto, comprovou isso.

“Na verdade, a Sabesp é a grande poluidora dos rios e córregos de São Paulo e não a população”, detona o engenheiro Júlio Cerqueira César Neto. Depois, zelosa, ‘vende’ nos comerciais que está preocupada com saúde, bem-estar, qualidade de vida e meio ambiente. Piada total.”

A propósito. Será que se o córrego da rua Tomazzo Ferrara ficasse próximo ao Palácio dos Bandeirantes e não na Zona Leste ele continuaria recebendo esgoto lançado pela própria Sabesp?

Júlio Cerqueira César: 19 anos e 2,8 bilhões depois a qualidade das águas do Tietê está pior

Saneamento básico: Esgoto do Palácio dos Bandeirantes é jogado em córrego

Investigação VIOMUNDO

Estamos investigando a hipocrisia de deputados e senadores que dizem uma coisa ao condenar Dilma Rousseff ao impeachment mas fazem outra fora do Parlamento. Hipocrisia, sim, mas também maracutaias que deveriam fazer corar as esposas e filhos aos quais dedicaram seus votos. Muitos destes parlamentares obscuros controlam a mídia local ou regional contra qualquer tipo de investigação e estão fora do radar de jornalistas investigativos que trabalham nos grandes meios. Precisamos de sua ajuda para financiar esta investigação permanente e para manter um banco de dados digital que os eleitores poderão consultar já em 2016. Estamos recebendo dezenas de sugestões, links e documentos pelo [email protected]

R$0,00

% arrecadado

arrecadados da meta de
R$ 20.000,00

90 dias restantes

QUERO CONTRIBUIR

 

32 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

“Façamos exatamente o contrário do que a Globo e outros inimigos desejam” « Viomundo – O que você não vê na mídia

31/03/2013 - 13h52

[…] Sabesp faz o que condena na população: joga sujeira em córregos […]

Responder

Professor aprova medidas antienchente de Haddad e faz dois alertas « Viomundo – O que você não vê na mídia

03/01/2013 - 14h12

[…] Leia também: Sabesp faz o que condena na população: joga sujeira em córregos […]

Responder

Júlio Cerqueira César: Estadão induz leitor a acreditar em programa que é ficção « Viomundo – O que você não vê na mídia

17/12/2012 - 18h53

[…] Júlio Cerqueira César Neto: Sabesp privilegia acionistas em detrimento de usuários Sabesp faz o que condena na população: joga sujeira em córregos […]

Responder

Júlio Cerqueira César Neto: Governo do Estado de São Paulo e Sabesp, não dá mais! « Viomundo – O que você não vê na mídia

25/07/2012 - 10h30

[…] Leia também: Sabesp faz o que condena na população: joga sujeira em córregos […]

Responder

Alexandre Mattos

23/05/2012 - 00h55

Em São José dos Campos, cidade ainda* com prefeito tucano Eduardo Curi finge que não sabe e a SABESP derrama m**** no Rio Paraíba do Sul e Córrego Vidoca: http://www.youtube.com/watch?v=THuiFuxJci4

*tucano da cidade e do Estado de SP perseguiu, mandou policia bater e desabrigou população pobre do bairro de Pinheirinho para devolver terreno para o banqueiro bandido Naji Nahas condenado.

Responder

Alexandre Mattos

23/05/2012 - 00h47

A SABESP e Cachoeira, tudo a ver! Ambos lavam dinheiro sujo, exala o fedor e fingem que não são corruptos!

Responder

Júlio Cerqueira César Neto: Sabesp privilegia acionistas em detrimento de usuários « Viomundo – O que você não vê na mídia

22/05/2012 - 22h39

[…] Leia também: Sabesp faz o que condena na população: joga sujeira em córregos […]

Responder

Arnaldo

04/02/2012 - 11h36

A SABESP, em Aguas de São Pedro é uma farsa. Há mais de 10 anos joga esgoto coletado e sem qualquer tratamento no Ribeirão Araquá. Agora quer construir uma estação de bombeamento de esgotos em área densamente habitada. E conta para isto com a aquiescencia do poder executivo municipal me da câmara de vereadores. Para construir a estação de bombeamento a SABESP terá de desmatar um a área verde, que é mata ciliar do Ribeirão Araquá. Os moradores estão protestando contra a localização da estação e contra a destruição do verde.

Responder

Além de suas “reporcagens”, revista Veja ameaça jornalistas e atenta con tra a democracia | Paraná Blogs

29/08/2011 - 10h11

[…] Sabesp faz o que condena na população: joga sujeira em córregos […]

Responder

Comprovado: Sabesp joga esgoto sem tratamento nos córregos e rios da cidade de S. Paulo. E tem mais | Paraná Blogs

22/08/2011 - 10h08

[…] PORTAL VIOMUNDO CONFIRMA DENÚNCIA ANTERIOR: SABESP É A GRANDE POLUIDORA DE CÓRREGOS E DO RIO TIETÊ Viomundo – 17/08/2011 – Córrego perto do Palácio dos Bandeirantes continua a receber esgoto; em Itaquera, é a Sabesp que joga – por Conceição Lemes – 1ª Parte Testes feitos recentemente pela jornalista, em quatro áreas da cidade de São Paulo, comprovaram os resultados obtidos nos meses de agosto e setembro de 2010: esgoto sem tratamento, coletado pela Sabesp, vai direto para córregos e daí chega ao Tietê. “Na verdade, a Sabesp é a grande poluidora dos rios e córregos e não a população”, detona o engenheiro Júlio Cerqueira César Neto. Depois, zelosa, ‘vende’ nos comerciais que está preocupada com saúde, bem-estar, qualidade de vida e meio ambiente. Piada total.” Leia a íntegra da 1ª parte da reportagem http://www.viomundo.com.br/denuncias/corrego-perto-do-palacio-dos-bandeirantes-continua-a-receber-es… […]

Responder

Antonio

19/08/2011 - 11h41

Esse nojo que a Sabesp faz em São Paulo pode ser o que faltava para Alckmin privatizá-la. De repente ele acorda e descobre esta excelente matéria, lê, se informa do descalabro e diz não aguentar mais tanta incompetência e privatiza a Sabesp – vende para gringos ou amigos nacionais a preço de banana, pois nada do que ele, Se-erra e Covas mandaram foi feito e ainda sumiu o dinheiro da limpeza dos rios. Ah coitado! Mas dá um nojo.

Responder

Gerson Carneiro

19/08/2011 - 07h36

E lá vem porrada no lombo dos pobres que "descartam lixo irregularmente"

Kassab anuncia no twitter que está treinando a Guarda Metropolitana para essa finalidade.

Parece que o Kassab leu a matéria da Conceição Lemes aqui no Viomundo e anunciou essa:

"Falando de descarte irregular, a fiscalização vai ganhar importante reforço: supervisores da GCM começam a ser treinados" @gilbertokassab_ no twitter em 18/08/2011.
http://g1.globo.com/videos/sao-paulo/v/guarda-met

Será que o Kassab vai encarar a SABESP?

Responder

Policiais federais: Algema em pobre pode | Viomundo - O que você não vê na mídia

19/08/2011 - 00h24

[…] Sabesp faz o que condena na população: joga sujeira nos córregos   […]

Responder

Aline C Pavia

18/08/2011 - 22h57

Promessa de Serra cumprida. Água e esgoto na porta de casa.

Responder

Gerson Carneiro

18/08/2011 - 21h55

"Mais uma ação da Prefeitura contra estabelecimentos que insistem em dar a destinação errada para o lixo que gera" @gilbertokassab_ no twitter em 17/08/2011

Arrisca encarar a SABESP?

Responder

Gerson Carneiro

18/08/2011 - 21h51

"Infelizmente, algumas pessoas insistem em descartar lixo irregularmente"
@gilbertokassab_ no twitter, às 18h50, do dia 18/08/2011

A SABESP por exemplo, prefeito.

Responder

Paulo Chacon

18/08/2011 - 20h59

16 anos de psdb/demo em São Paulo. Esgoto puro, dentro e fora do Palácio dos Bandeirantes e da prefeitura de São Paulo.
Onde está o "eu não sabia" para juntar, o esgoto das suas idéias, aos dejetos do psdb/demo.

Responder

Julio Silveira

18/08/2011 - 20h48

A sabesp é boa para fazer propaganda no Acre por que sabe que dinheiro publico corre sem controle, que nem vala negra.

Responder

Operante Livre

18/08/2011 - 20h21

Como é que é?
Quer dizer que a Sabesp está fazendo merd@?
Não? Então, oquê?
AH!!! Tá escondendo a merd@.

Responder

jaime

18/08/2011 - 20h09

Enquanto uns transformam o esgoto em dinheiro (biodigestores), outros transformam dinheiro, muito dinheiro, em esgoto.

Responder

Operante Livre

18/08/2011 - 19h18

Não entendo muito disso, mas gostaria de saber se alguém sabe onde se enquadra o córrego Pirajussara que corre na na Eliseu de Almeida e está em "obras" eternas e que de vez em quando fede muito.
Esses Tucanos estão conseguindo ganhar do Maluf em Obras.

Responder

Antonio

18/08/2011 - 18h24

Esses tucanos são uns pilantras. A grana que já disseram investir em sanear corregos, riachos e o Rio Tietê é assombrosa. Resta saber para onde foi o dinheiro, porque o esgoto vai para o rio com tudo o que se tem direito. São Paulo tem cheiro de esgoto curtido, a maior obra tucana. E a elite adora morar às margens dos mananciais de dejetos humanos.

Responder

LuisCPPrudente

18/08/2011 - 17h52

Esta é a "jestão de xoque" do PSDB, o partido das propagandas enganosas e que vem enganando os incautos cidadãos de São Paulo há mais de dez anos.

Responder

Jair

18/08/2011 - 13h03

A propósito. Se o problema ocorre numa cidade menor, com menos força política, será que a Sabesp tem o mesmo cuidado que tem com os córregos da capital? Essa Sabesp, heim? Que fanfarrona!

Responder

Elaine

18/08/2011 - 10h27

Aonde moro o esgoto é lançado no córrego que corre a céu aberto, mas não pense que por causa disso não pago por meu ramal estar conectado a coletora, pago sim, é muito triste pagar e saber que tudo vai parar no córego ao lado sem o tratamento adequado.

Responder

Hélio Pereira

17/08/2011 - 18h21

Eu acho isto lamentável,mas não "estranhável".
A Sabesp bombeia água do Rio Pinheiros na Represa Billings direto,se chover ,bombeia pra combater enchentes,se fizer sol,bombeia pra manter o Nível da Represa que mantem a Usina Henry Bordem em Cubatão.
Faça chuva ou faça sol o esgoto do Rio Pinheiros é bombeado pra Represa que abastece 1/3 da população de SP.
Esta é a Sabesp,muito boa de propaganda e só!

Responder

    Antonio

    18/08/2011 - 18h23

    E a água da Represa Billings, naquela região, poderia ser límpida não fosse a Sabesp detoná-la com esgoto de toda sorte. Eles são uns jênios super competentes.

Zé Fake

17/08/2011 - 17h07

Parabéns Conceição Lemes, é de jornalismo assim que precisamos. Infelizmente, além de jornalistas, precisamos de políticos (da oposição, no caso) e MPE que façam o seu serviço, e esses, infelizmente, não são muito fáceis de achar.

Responder

    Silvio I

    18/08/2011 - 18h54

    Zé Fake:
    Políticos de oposição em São Paulo são poucos. Na Câmara de Vereadores é uma minoria. Na Assembléia Legislativa idem. Isso porque o povo de São Paulo sabe eleger seus representantes.

Júlio Cerqueira César:19 anos e R$2,8 bilhões depois, a qualidade das águas do Tietê está pior | Viomundo - O que você não vê na mídia

17/08/2011 - 17h00

[…] PS 1 do Viomundo: No último mês, eu, Conceição Lemes, voltei aos pontos visitados em 2010, inclusive ao córrego Coimbra, que recebia esgoto do Palácio dos Bandeirantes. Desde o final de dezembro, a Sabesp não lança mais lá o esgoto da sede do governo. Mas o córrego, em pleno coração do Morumbi, continua a receber esgoto, constando inclusive como despoluído no site da Sabesp. Leia os detalhes aqui. […]

Responder

Deixe uma resposta