VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Você escreve

Serra, sobre a greve dos professores: “Trololó”


19/03/2010 - 14h40

deu no Estadão

por Clarissa Oliveira, Silvia Amorim, Paulo Saldaña e Carolina Stanisci

No mesmo dia em que o governador de São Paulo, José Serra, descreveu as sucessivas manifestações de professores do Estado como um “trololó”, a Justiça negou o pedido do Ministério Público Estadual (MPE) de proibir a segunda assembleia dos docentes, que ocorrerá hoje, na Avenida Paulista, a partir das 14 horas. O MPE entrou com recurso.

Insinuando que os protestos têm objetivo eleitoral, o governador disse que nem sequer há um movimento grevista. “Não tem greve. Só tem marketing para a imprensa noticiar”, declarou Serra, virtual candidato à Presidência da República pelo PSDB, sem disfarçar a irritação com o assunto. Questionado sobre quem estaria por trás do movimento, Serra retrucou: “Vocês sabem. São suficientemente inteligentes e observadores.”

Uma parcela dos professores está em greve desde o dia 8. Segundo o governo, apenas 1% da categoria aderiu à paralisação. De acordo com o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo (Apeoesp), ligado à Central Única dos Trabalhadores (CUT), mais de 60% dos docentes estão parados.

Serra cancelou ontem, de última hora, sua participação em uma inauguração onde professores em greve fariam um protesto. O evento, na capital paulista, que teve a presença do prefeito Gilberto Kassab (DEM), virou palco de bate-boca entre autoridades e manifestantes.

O governador disse que não teve “tempo” de comparecer ao evento. De acordo com os assessores, a presença de Serra não estava sequer confirmada, embora um aviso da Secretaria de Comunicação indicasse o evento como o primeiro compromisso público da agenda do governador.

Com apitos, vaias e faixas, cerca de 30 manifestantes tumultuaram a inauguração do segundo viaduto do Complexo Viário Jaraguá, na zona oeste. Em alguns momentos foi difícil ouvir os discursos das autoridades. Ontem, pela segunda vez consecutiva, professores da rede estadual foram a compromissos públicos de Serra para protestar.

Passeata. Na semana passada, cerca de 12 mil docentes se reuniram no vão livre do Masp e foram em passeata até a Praça da República, prejudicando o trânsito no centro.

Ontem, o MPE tentou proibir o ato agendado para hoje, mas o juiz da 20.ª Vara Cível, Flávio Abramovich, extinguiu o processo porque o pedido não teria sido feito de modo adequado. Na sentença, o juiz diz que a Polícia Militar e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) devem tomar providências para evitar transtornos à população.

O autor da ação, promotor José Carlos de Freitas, rebateu os argumentos. “A PM e a CET solicitaram que o MP interviesse desta vez e em 2008, pois os professores estão extrapolando o direito de se manifestar.”

A GREVE

Reivindicações
Os professores querem reajuste salarial de 34% para compensar perdas relativas à inflação e o fim das provas dos temporários e do programa de promoção.

Quem lidera a classe
Apeoesp, Centro do Professorado Paulista (CPP), Sindicato dos Especialistas do Magistério Oficial de SP (Udemo).



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


94 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Najla Bayoud

23 de março de 2010 às 04h55

Como ficam os Professores Aposentados que estão há mais de quinze anos sem aumento e sem bonus ? Senhor Governador é inadimissível o tratamento que está sendo dado aos Professores Aposentados, passando por cima de todos os direitos e conquistas ao longo dos anos em que exerceu sua profissão. Podemos considerar que foram anos de luta e trabalho consciente, que dedicaram no exercício do Magistério. Neste momento, em que a classe está empenhada nas reivindicações de melhores salários e de um interesse maior voltado para a Eduçação do ensino público, aproveitamos pedir ao Senhor Governador José Serra, aumento salarial aos Professores Aposentados e que sejam respeitados nos seus direitos, para que possam ter uma vida digna . É lamentável chegar a esta situação, e mais lamentável ainda, pedir às autoridades competentes o reconhecimento do aumento salarial ( defasado há anos) que é de direito e legal a todo funcionário da ativa e aposentado.

Responder

Luis Roberto

22 de março de 2010 às 16h56

ATENÇÃO: MENSAGEM DO MP PARA JOSÉ SERRA……

MINISTÉRIO PUBLICO DE SÃO PAULO: TRABALHANDO POR VOCÊ….

Responder

Alex Gonçalves

20 de março de 2010 às 23h17

Em homenagem ao Trololó:

http://www.trololololololololololo.com/

Responder

Guilherme Milani, SP

20 de março de 2010 às 19h30

Com esse jeito escroto de ser, o careca vai tomar "a maior carcada" de sua vida em Outubro próximo. Perder pro peão Lula já o deixou suficientemente irritado. Imagina tomar outra rasteira, e dessa vez de uma mulher… ele corta os pulsos. Ah, corta!
Corta, corta, corta, faz esse favor pra nós. Corta, corta, cortaaaaaaaa…
Ah, ah, ah, eu SE divirto.

Responder

rinaldo ribeiro

20 de março de 2010 às 13h03

Diante da tentativa de impedir a manifestação dos professores, o ministério público mostra a quem serve: ao PSDB.. Parcialidade ou crime?

Responder

italo

20 de março de 2010 às 11h36

A incapacidade de Serra dialogar é incrivel. Taí um coisa que Lula sabe fazer…

Responder

Giovani Avila

20 de março de 2010 às 11h24

Azenha, seria interessante investigar pela blogosfera quem são os cidadãos que afastam as vozes contrárias durante comícios do Serra. No interior de SP um inconformado reclamou dos pedágios de Serra e foi afastado de maneira bruta por pessoas sem identificação, uniformes, isso em via pública e sem a presença do estado oficial para regular isso. Quem sabe de alguma coisa poderia informar, ou será que o Zé Serra trabalha com milícias ou capangas? Isso é muito grave!

http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2010

Responder

Guerra

20 de março de 2010 às 11h12

Fizeram um "mapa do cérebro" com o José Serra e descobriram que o cérebro dele e o do Homer Simpson são iguaizinhos, daí a preferência do Serra em dar declarações ao JN, editado pelo William Homer Bonner. Essa birra dele(Serra) com qualquer coisa que passe perto da palavra cultura, é patológica. Lembra bem o Goering("Quando ouço a palavra cultura, me dá vontade de puxar o revólver", dita pelo marechal quando Ministro da Polícia Prussiana). Lembra também o Fester Adams, lembra tanta gente boa, né mêrmo?

Responder

@ehnoisnaweb

20 de março de 2010 às 06h20

“Não tem greve. Só tem marketing para a imprensa noticiar” – Serra. Verdade… a Imprensa, também conhecida como PT Press

Responder

Daniel

20 de março de 2010 às 02h48

Eu gostaria e entender, tecnicamente, como é que se extrapola o direito de se manifestar.

Responder

Luís C. P. Prudente

20 de março de 2010 às 01h29

A grande imprensa tá fazendo o papel que o Serra, o que foge dos professores em greve, pediu: não divulgar nenhuma notícia sobre a greve dos professores, afirmar que esta greve é de apenas 1% da categoria. Que estes professores fazem uma greve política, pois não tem motivo para fazerem greve.

José Serra e Rede Globo assinam um acordo, onde o Estado oficializa a invasão pela Globo de um terreno. Neste terreno invadido pela Globo, o Estado vai criar uma escola técnica que beneficiará quase que exclusivamente a Rede Globo, pois é nela que a maioria dos estagiários e formandos trabalharão durante e após os estágios. Quanto ao Ministério Público Estadual, nada disse sobre esta negociata entre dois desonestos, Serra e Rede Globo.

Responder

João H. Venturini

20 de março de 2010 às 04h07

Eu estava na manifestação hj e percebi q a gde imprensa simplesmente boicotou e fez pouco caso do evento. Qdo descemos a Consolação em direção a praça da república, não tinha fim o mar de gente q tomou conta da avenida. E vem a PM dizer q só tinha 8 mil/?? Ridiculo, pois no mínimo umas 30 mil pessoas tinha lá. As poucas chamadas sobre a passeata tiveram o foco somente no trânsito. É a mídia trabalhando por José Serra.

Responder

Fulvio Godoy

20 de março de 2010 às 03h42

ATENÇÃO!!!

Na comunidade da APEOESP, no orkut, professores estão denunciando casos de caravanas de ônibus que estavam à caminho da Capital para participarem da manifestação na Paulista e foram impedidas pela Polícia Rodoviária Estadual. Vejam:
http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=8324046

ViNy PaTrIcK
Hoje a Apeoesp Ribeirão Preto mandou vários ônibus para Manifestação no Masp, Mas no meio do caminho a Polícia Rodoviária parou os ônibus e fez com que eles Voltassem para Ribeirão Preto. Pessoal do interior, alguém sabe se este mesmo fato ocorreu em outras regiões?

Dalva
Eu estava na manifestação e realmente fizeram a denuncia de que a policia rodoviaria estava parando vários ônibus que vinham para a Paulista. Não sabíamos que foram obrigados a voltar!!!!!!!!!!! Meus Deus!!!!!!!!!!!!!!

Eliane
Um onibus de Hortolândia foi parado pela policia rodoviária e os policiais tiraram fotos de todos os passageiros e alegaram procedimento interno. A DITADURA VOLTOU!!!

Responder

Dodi

20 de março de 2010 às 03h12

Vídeo da passeata do dia 19 de março de 2010 na avenida paulista:

http://www.youtube.com/watch?v=RAFSM-Gzd88

Responder

O Brasileiro

20 de março de 2010 às 00h11

Esse é o Serra, o fujão!
Foge das críticas! Foge das discussões!

Mas o que chama a atenção mesmo são os "promotores" de SP.
Quanto eles ganham para ser "advogados" do governo do estado?
O que houve com os advogados do Estado? Serra os demitiu?

Responder

Donizeti

20 de março de 2010 às 01h55

Com esse linguajar " trololósistico " que o José Serra usa, ele tá mais para candidato a governador da Província de São Paulo no século XIX.
Trololó é termo popular do século XIX e do interior do Estado no começo do Século XX. O moderno "jestor" tucano Serra está atrasado apenas em 1 século ao usar esse termo arcaico, que apenas reflete sua mentalidade tacanha e atrasada.

Aliás, trololó é o que o governador Serra mais faz na vida. Esse sujeito não trabalha, somente se preocupa em saber o que sua midia amestrada publica sobre ele.

No interior de São Paulo, quando se quer dizer que uma pessoa não está fazendo nada ou está enganando, então se diz que ela está de trololó. José Serra é especialista em fazer trololó (nada!), porisso usa o termo com pleno conhecimento de causa.

Responder

Elias São Paulo SP

20 de março de 2010 às 01h10

Filmete de 29 segundos, no UOL mostra Datena em entrevista com Serra. No texto, UOL fala da entrevista mas não cita Datena, cita a TV Bandeirantes, para anunciar que Serra admite ser candidato. Ao ver o filme, nota-se um repórter cobrando a candidatura de Serra e Serra quase constrangido dizendo um "sim" meia-boca. Leia a transcrição da fala de Datena e Serra:

Datena – (inaudível)

Serra – Não, não, não tô negando, apenas tô dizendo que nesse momento, enquanto eu estiver no governo, eu não vou fazer campanha, só isso.(inaudível)

Datena – É, não, não vai fazer campanha mas já é o candidato, e, e, eu acho que o sr. já devia falar como candidato, porque senão a Dilma cresce mais nas pesquisas.

Serra – É…eu acho que vai ter muito tempo pela frente, esse efeito vai passar e…faltam poucos dias.

Datena – É, é…quantos dias?…o sr. deve lançar a candidatura?

Serra – Ah…no começo de abril, né?

Datena – No começo de abril tá definido, então, né?

Serra – Tá.

Responder

jose fernandes

20 de março de 2010 às 00h06

assistir o jn, não deram nem uma notinha da greve dos Professores, protesto na Paulista,congestionamento de mais de 200 km de congestionamento, porque será????

Responder

luiz r pereira

20 de março de 2010 às 00h01

O Ministério Público Paulista é uma vergonha, além de não fiscalizar absolutamente nada, participa ativamente no governo do SERRA mantendo procuradores e promotores de justiça na gestão de secretarias,órgãos e fundação mantidas pela fazenda pública. È lamentável que no regime democrático seja mantido um Estado da Federação arrasado há anos pela incompetência administrativa, a improbidade, violações dos direitos individuais e a dignidade humana seja apoiada incondicionalmente por uma Instituição que tem por dever Constitucional garantir os direitos da sociedade e assegurar a manutenção das leis, se curve de maneira vergonhosa e subserviente ao governador SERRA, atuando de forma lesiva aos interesses do bem comum. Espero que o Conselho Nacional do Ministério Público esteja atento aos acontecimentos de São Paulo através da imprensa falada,escrita e fiscalize de acordo com o ordenamento jurídico o funcionamento do Ministério Público de São Paulo. Infelizmente se já não bastasse a incapacidade do legislador Constituinte de criar o Ministério Público que funcione de forma independente, tiveram uma segunda chance para criar um Conselho que fiscalize os Ministérios Públicos e certamente em São Paulo existem muitas ilegalidades que no mínimo requerem uma intervenção, só espero que este dito Conselho funcione em contraposição aos resultados funestos ocasionados aos cidadãos pelo funcionamento ilegal do Ministério Público Paulista.

Responder

anesiolima

19 de março de 2010 às 23h17

AZENHA: alguma coisa ta errada. Estiveno interior de São Paulo, região de Marilia, Bauru e numa enquete de botequim, professor/professor, pelas minhas contas 60% deles votarão em Serra. Não entendi essa simpatia pelo Serra dos professores…. Não entendi….

Responder

    Marlene

    20 de março de 2010 às 12h13

    Anesiolima entenda de uma vez por todas: o voto é secreto!

    sergio ribeiro

    24 de março de 2010 às 19h37

    Tenho um primo que é professor em Indaiatuba. Diz que odeia Lula e o PT, mas com Serra candidato faz campanha para a Dilma.

Bruno

19 de março de 2010 às 23h05

Dizer que a greve dos professores é trololó é, no mínimo, falta de prioridade com a educação.
Mas sinceramente não esperaria nada diferente do Serra.
Quando ele fala, tá certo.
Quando são os professores, eles estão errados.
Deve estar havendo algum equívoco na matemática do governador.
Espero que a sociedade apoie essa importante paralisação dos professores para que nossos filhos tenham escolas melhores e professores motivados.
Todos nós sairemos ganhando.

Responder

mac

19 de março de 2010 às 22h53

Serra, presidente ???? é o fim da internet !!!

Responder

Angelo E N Nanni

19 de março de 2010 às 22h43

O sr. José Luiz Datena conseguiu ignorar o fato mais relevante do dia 19/03, sexta-feira, ao fingir que não existia a greve dos professores de São Paulo.Falou de maníacos, cobras, pedagio parado no Rodonael e crianças cantando para Zé Alagão.
O helicoptero da Band mostrou rapidamente o grande número de participantes quando o caminhão de som chegava à praça da República e a passeata ainda descia a Consolação.O significado e a importância desta imagem foi solenemente ignorado para sermos brindados com uma longa e tediosa entrevista com Zé Alagão

Responder

Luiz Jornaleiro

19 de março de 2010 às 22h15

Finalmente nosso grande "jestor" falou de um aspecto que ele entende muito bem: marketing!
Sem os marqueteiros do "estado cada vez melhor" (kkkkkk), seu "governo" seria considerado, na melhor das hipóteses, regular ou péssimo.

Responder

Carlão

19 de março de 2010 às 22h14

Para o Serra, tudo aquilo que não lhe agrada é trololó. Segue o mestre fhc, para quem as críticas que lhe eram feitas, não passavam de blá-blá-blá da oposição. A primeira vez em que isso é proferido, até que tem alguma graça. A repetição contínua transforma a novidade em afirmação chata e enfadonha. Tá na hora de o serra arranjar outro mote. Este já está muito desgastado.l

Responder

Genghis Khan

19 de março de 2010 às 19h03

É muito fácil criticar os professores e chamar o movimento de 'eleitoreiro'. Vá ficar 12 anos sem reajuste ou aumento salarial e tentar durante meses conversar com essa múmia do zé alagão, sem sucesso. Tente se colocar no lugar desse pessoal que são pais e mães de familias e estão sendo massacrados há mais de dez anos pela política nefasta que o psdb implantou em São Paulo. Antes de criticar. Pare e pense. Ponha-se no lugar dos professores. Se é certo que a greve 'causa transtornos', não é menos certo que essa greve não surgiu da noite para o dia. Há meses, talvez anos, os professores tentam uma negociação, sem sucesso. Assim, a exemplo da polícia civil, não lhes restou outra alternativa. Só lamento a falta de unidade do professorado. Deveriam parar tudo, até que o Dom José Chirico I resolvesse negociar.

Responder

Jaum

19 de março de 2010 às 22h02

Caro Azenha, o discurso do José Serra para 2010 já esta no Youtube. É um primor: http://www.youtube.com/watch?v=pYU7oG2V7uc

Responder

mano

19 de março de 2010 às 21h36

Este descaso com os professores é bem analisado por Max Weber. O profeta ou o professor, não pode ganhar bem pois se isto ocorrer ele será ouvido e reconhecido. Karl Marx já dizia que nosso valor na sociedade capitalista é determinado pelo valor do nosso salário. Imaginem professores valorizados, que mau exemplo: a compreensão e o conhecimento em primeiro lugar. Qualquer professor, pode até ser um tradicionalista autoritário, vibra quando um aluno aprende , é o seu maior prêmio. Mas ganhar bem é um pré-requisito para oferecer mais qualidade aos alunos, independência financeira faz bem para a saúde.

Responder

V

19 de março de 2010 às 21h28

Trololó? Será que milhares de Professores estão errados?

Responder

rafael

19 de março de 2010 às 21h14

Observadoro,

Noblat dando o furo?Do Serra? Já tinha visto promiscuidade na politica, mas isso já é demais.

Em tempo, nunca vi greve de professor por mais livros, por falta de agua nas escolas etc, no discurso tem tudo isso, mas resolvida a questão salarial, bye bye movimento grevista.

Responder

Rodrigues

19 de março de 2010 às 20h59

Enquanto isto Serra gasta dinheiro público para criar escolta técnica de mídia exclusivamente para formar mão-de-obra barata pra trabalhar na Globo.

Responder

Eudes H. Travassos

19 de março de 2010 às 20h50

sergio · 1 dia atrás

extrapolando o direito de se manifestar! que pérola, esse promotores paulistas estão de rabo preso com os tucanos, quando esse caldeirão explodir aí sim a mídia vai mostrar o descalabro que é o governo tucano.

Qual mídia? O PIG? É ruim hein, se eles fossem um pouquinho só menos inescrupulosos já teriam feito o que o Azenha, PHA , Nassif e outros poucos têm feito constantemente.

Responder

trombeta

19 de março de 2010 às 20h47

Módestia à parte, mas já venho denunciando há muito tempo a cooptação dos MPs estaduais pelos executivos.

No RS, o MP ingressou com uma ação em que buscava a extinção do MST, servindo de departamento jurídico para o governo da tucana Yedinha detran e à FARSUL, entidade de orientação direitista que congrega os ruralistas do pedaço.

Agora, em SP, o MP se rebaixa virando braço jurídico do governo Serra judicializando o discurso do compadre.

Isto é um escândalo, um órgão republicano partidarizado, fazendo um pedido surrealista, totalmente inconstitucional e porque não dizer idiota, digno de advogado "foca", uma aventura jurídica!

Atenção conselho nacional do MP, hora de agir.

Responder

    Edinho

    19 de março de 2010 às 22h07

    Sem contar que até o CNMP tem se revelado um mero conselho corporativo de classe. De acordo com o entendimento daquele conselho, tem procuradores e pensionistas do MP ganhando mais de R$ 40 mil (acima do teto – subsídio de ministro do STF: R$ 26.500), com base no princípio da "irredutibilidade salarial" (como se isso valesse em relação a modificações de norma constitucional). Já o CNJ manda aplicar o teto em qualquer situação.

    Com a palavra os membros do MP que acessam este blog.

Daniel Weber

19 de março de 2010 às 20h43

Dos profesores que conheço, assim como eu, querem ou se aposentar se estão em fim de carreira, ou mudar de profissão, se estão no início. Ser professor é indigno. Todos od dias quando tenho que ir para a escola eu fico desesperado. Quando chego em casa me sinto um lixo.

Responder

Eudes H. Travassos

19 de março de 2010 às 20h37

Eu lamento muito pelas pessoas que residem em São Paulo, mas esta greve me traz um profundo incomodo, a lembrança dos 8 anos de FHC no governo marcado por greves de toda natureza.
Solidariedade aos professores e alunos do Estado de São Paulo que submetidos à politica insensível dos demotucanos ssão desrespeitados como indivíduos, seres humanos e profissionais.
P.S bastou FHC falar em fazeer campamnha tucana sem candidato prá o Serrágio assumir mesmo que indiretamente, será que FHC tem força sobre este rapaz?

Responder

Mauro

19 de março de 2010 às 20h10

Azenha, essa merece destaque!
Ainda mais depois do lema de campanha do Serra: “A defesa do emprego”…
Nunca vi baterem tanto a cabeça…!!!

Tucano defende desacelerar emprego

Publicado em 19-Mar-2010

“É preciso uma sensível desaceleração do crescimento do emprego para evitar o aumento de pressões inflacionárias”. O trecho com que abro essa nota é de artigo do economista tucano Luiz Carlos Mendonça de Barros – ministro das Comunicações do presidente Fernando Henrique Cardoso – publicado hoje na Folha de S.Paulo sob o título “Copom: decisão política ou técnica?” Reproduzo trechos porque vale a pena ler o artigo para entender como um economista tucano, ex-ministro de FHC, vê a economia brasileira no momento e os riscos de inflação. Mendonça de Barros diz que se a geração de empregos não for contida “a taxa de desemprego poderia chegar a 5% ao final de 2010, nível nunca visto no país”

“É preciso uma sensível desaceleração do crescimento do emprego para evitar o aumento de pressões inflacionárias”. O trecho com que abro essa nota é de artigo do economista tucano Luiz Carlos Mendonça de Barros – ministro das Comunicações do presidente Fernando Henrique Cardoso – publicado hoje na Folha de S.Paulo sob o título “Copom: decisão política ou técnica? ”

Reproduzo trechos porque vale a pena ler o artigo para entender como um economista tucano, ex-ministro de FHC, vê a economia brasileira no momento e os riscos de inflação. Mendonça de Barros diz que se a geração de empregos não for contida “a taxa de desemprego poderia chegar a 5% ao final de 2010, nível nunca visto no país”

“Como considero o canal dos salários um dos mais importantes mecanismos de aumento dos preços de mercado, teremos nos próximos meses uma forte pressão sobre a inflação. Os economistas da Quest trabalham com uma variação do IPCA de até 5,4% para 2010″, avisa o economista tucano.

“Além desse mecanismo interno – prossegue – outra ameaça de inflação começa a desenhar-se no horizonte. Caso realmente aconteça uma estabilização do crescimento econômico no mundo desenvolvido, podemos viver uma nova rodada de alta dos preços das matérias-primas. No caso do minério de ferro, especula-se reajuste entre 60% e 80% já em abril”, continua o ex-ministro.

Não elevar os juros pode custar caro ao BC, diz economista

“O preço do petróleo também está em alta e pode chegar a mais de US$ 90 o barril ainda neste ano. Faço votos de que o Copom tenha razão em sua paciência, mas temo que a eventual sincronia entre um choque externo de preços das commodities e um mercado interno pressionado por forte crescimento do consumo e do emprego custe caro ao Banco Central” , conclui ele.

Mendonça de Barros usa tudo isso para chorar porque o Comitê de Política Monetária (COPOM) do Banco Central (BC) não elevou os juros na reunião encerrada ontem. Ele faz uma veemente defesa do aumento das taxas, como se uma inflação de 5,4% em 2010 fosse uma ameaça à estabilidade ou ao equilíbrio fiscal, sem considerar as outras opções para contê-la como a ampliação da produção interna e a substituição de importações, o aumento dos investimentos e a redução dos custos financeiros e tributários.

Não podemos imaginar ou projetar o crescimento de um país como o Brasil e de uma economia como a nossa sem pressões inflacionárias. E aí, não devemos reduzir ou imaginar que a única saída para contê-las – como sugere o tucano em seu artigo – seja cortar empregos e elevar os juros, valorizando o real e aumentando o serviço da dívida interna, reduzindo os investimentos públicos ou aumentando o déficit nominal.

É muita falta de imaginação e de criatividade! É reduzir e pior equiparar o Brasil a economias desenvolvidas que não tem a necessidade e a urgência de crescer e distribuir renda como tem a nossa.

Responder

    Christian Schulz

    19 de março de 2010 às 21h36

    É o famoso Mendonça de BURROS.

    Azenha, esse artigo pinçado pelo Mauro (xará da minha mãe!) merece primeira página!

    O Mendonção é burro demais para ser cara-de-pau!

Luís C. P. Prudente

19 de março de 2010 às 20h00

José Serra, o governador que foge dos professores em greve, nunca se dispos a conversar com os sindicatos dos servidores das diversas categorias.

José Serra transformou o emprego dos servidores públicos de São Paulo em sub-empregos. Esse governador que beneficiou os amigos através das privatarias e negociatas, não quer obedecer uma lei da Assembleia Legislativa que colocou o mês de março como data-base dos servidores da Educação, no entanto, esse Nosferatu nunca obedeceu a data-base, sempre ignorou isto. E cadê o tal do MPE para pressionar o Zé Alagão a cumprir com a lei?

O governador Zé Pedágio criou centenas de pedágios no estado de São Paulo, que arrecadam fortunas e mais fortunas que beneficiam somente os amigos de Nosferatu. Enquanto isto ele diz que melhorou os salários dos servidores do Estado, o pessoal da Saúde pensa em decretar uma greve, como já vem fazendo os servidores da Educação.

Responder

Sandro

19 de março de 2010 às 19h47

Greve política, então porque o pessoal do PSDB que está co TCU não faz uma "greve política"? Será que é porque quem ganha bem não faz "greve política"?

Responder

Luis Armidoro

19 de março de 2010 às 19h41

Azenha, tudo bem? Nem o PiG aguenta mais a educação neanderthal de Herr Serra. Temos uma oportunidade de dar um bico neste sujeito e livrar o Brasil e SP do maior artciculador do Fascimo entre nós

Responder

Danilo Morais

19 de março de 2010 às 19h37

A partidarização do MP em São Paulo é flagrante. Ele age como uma equipe de advogados de defesa do governo estadual tucano e como linha de frente na criação de acusações à aposição.
È uma situação insustentável, pois um órgão que deveria ser de defesa do interesse público, faz sistematicamente a defesa dos interesses de um grupo político partidário e de seu governo.

Depois é o PT que aparelha o Estado….

Responder

    nelson araçatuba

    19 de março de 2010 às 22h52

    É isso mesmo o MP em São Paulo é tucano, se não for tucano de carteirinha não passa na prova oral, ademais, tem que ter foto sentado no colo do FHC e ter sangue de barata, são uns vermes esse pessoal do MP tucano aqui de São Paulo.

José Cabudo

19 de março de 2010 às 19h24

Falando em greve, em professores, em governador e em alguém que queria ser presidente do Brasil, quem aí teve notícia da manifestação de iniciativa dos professores, na Cidade Administrativa de Minas Gerais (novo templo em memória do Faraó Aecinho I)? Alguém já está sabendo que eles foram recebidos com ônibus carregados de policiais militares, cavalarias, perto de uma dezena de viaturas do GATE (que é o BOPE de Minas), entradas e saídas bloqueadas e até com relatos de atiradores de elite apontando suas armas em direção à multidão? Pra quem tem saudade da ditadura, foi um momento nostálgico.

Responder

Carlos Ribeiro

19 de março de 2010 às 19h23

Não teve tempo. Pra quem inaugura até projeto de maquete…É mesmo um desequilibrado. Não serve nem pra ser vereador na pequena Quixelô(centro sul do CE), quanto amais presidente. Se toca careca.

Responder

Gerson Carneiro

19 de março de 2010 às 19h22

Mas também, querer "o fim do programa de promoção" nessa altura do campeonato é chorar o leite derramado. O projeto PLC 29/09 que instituiu esse programa foi aprovado na madrugada de 20 de outubro de 2009. É muito tarde para querer reinvindicar isso agora. A greve deveria ser deflagrada antes da aprovação do projeto. No mínimo faltou inteligência das lideranças sindicais.

Responder

    Jedeão

    19 de março de 2010 às 20h09

    A qualquer momento pode se exigir ou o fim de qualquer programa. Nada deve ser eterno só porque foi aprovado. Sempre que se perceber que uma medida aprovada está sendo prejudicial, pode se exigir a extinção dela.

    Gerson Carneiro

    19 de março de 2010 às 20h54

    Concordo. Mas não podemos deixar de considerar que cobrar algo que já foi aprovado, ainda mais quando se trata da Assembléia Legislativa de São Paulo, torna-se muito mais difícil a reversão. Não foi hoje que as lideranças sindicais tomaram conhecimento que o PLC 29/09 era prejudicial à classe. Eles sabiam desde antes da aprovação. Deixaram sim escapar uma ótima oportunidade de impedir a aprovação do projeto.

    Professora

    19 de março de 2010 às 22h07

    Gerson, teve a presença dos professores e do sindicato durante a votação da PLC, entretanto, os deputados enrolaram o máximo avotação, até que a mesma se deu durante a madrugada, após a saída dos exauridos presentes.

    Jedeão

    19 de março de 2010 às 23h44

    É do conhecimento até do mundo mineral, que o Serra tem um rolo compressor na Assembleia Legislativa de São Paulo. Quem disse que os professores podem impedir que algo seja aprovado lá? Veja que nem uma CPI lá foi aprovada. Já foram mais de 70 pedidos. Acho legítima a manifestação dos professores, independente do tempo decorrido.

    Gerson Carneiro

    20 de março de 2010 às 03h23

    Não estou dizendo que a manifestação dos professores é ilegítima e intempestiva. Não é isso. Estou dizendo que falta nos sindicatos um "Lula líder sindicalista". Urge a necessidade de alguém cabra da peste tanto quanto o Lula (que realizou assembléia com helicópteros do exercito raspando a sua (dele)cabeça). Tá na hora de alguém se rebelar, caramba! Chega de ficar esperando milagre! Chega de conformismo! Admitir que a categoria é impotente, dá nisso! Se tivermos que "reinventar", que copiar, vamos fazer. Mas precisa de gente que tenha coragem. Que tenha culhão!

    Gerson Carneiro

    20 de março de 2010 às 09h24

    Na época da aprovação do PLC 29/09 nem sequer ouvimos falar em greve. Os sindicatos e alguns professores compareceram à Asssembléia, e segundo o relato da professora foram vencidos pelo cansaço. Hoje o José Serra debocha do movimento dos professores (há de se admitir a vulnerabilidade a esse tipo de ridicularização de um movimento capaz de mobilizar apenas 1% da categoria). Naquele momento, antes e até outubro, era para acontecer uma paralização geral no Estado, não arredar pé. Desafiar o “rolo compressor do Serra”. Queria ver ele aprovar. Era o que o Lula fazia em plena ditadura militar. É a carência dessa capacidade de mobilização eficaz que eu critico.

    Gerson Carneiro

    21 de março de 2010 às 01h27

    Peço desculpas por minha exacerbação. No calor do debate acabo chutando o "barde". Mas vocês estão aí para colocar me nos trilhos.

    ROGERIO CHAVES

    21 de março de 2010 às 00h47

    Houveram paralisações desde 2008!!!!
    O governo ameaçou quem parasse e o movimento fracassou, não podemos ficar com sentimento derrotado!

Leider_Lincoln

19 de março de 2010 às 19h19

“A PM e a CET solicitaram que o MP interviesse desta vez e em 2008, pois os professores estão extrapolando o direito de se manifestar.” Ohhh… O grande MP paulista! Vigas caindo? MP não se pronuncia. Alston agindo? MP enrola. São Paulo alagada? Senão existisse a Defensoria Pública, o povo ficava a ver navios… Agora se a PM e a CET solicitam, se alguém argumentam que os professores estão atrapalhando o tráfego, aí o MP reage, vigoroso! Quem é esta gente? Quem eles acham que paga o salário deles e para quem eles acham que "trabalham"?
Em relação ao Serra e ao seu "trololó", bom, dizer que é "trololó" é a resposta do Serra para quaisquer contrariedades, é o que ele sabe fazer. É como o "hehehehe" do Dvorak. Não sabe ou não tem o que dizer? É trololó!
E isto quer ser presidente do país! Trololó dele, decerto…

Responder

    Tavares

    19 de março de 2010 às 22h59

    Acho que voce matou a charada. o Dvorak é o alter ego do (S)erra.
    Valeu Leider.
    Trololó é bosta?

Gerson Carneiro

19 de março de 2010 às 19h01

Como somos inteligentes e bons observadores, ficaremos atento à liberação do bônus para os professores referente à "melhora generalizada" resultante da avaliação do Saresp. Se atrasar (se não for liberado em tempo), então poderá significar que para o José Serra existe sim a greve, e sua afirmação trata-se apenas de um "Trololó".

Responder

@rodrigoprado

19 de março de 2010 às 18h58

Dar entrevista na tv para comunicar que é candidato a presidente é legal ou antecipação de campanha? Importante comparar o viés democrático de cada pré-candidato. A Dilma "oficializou" a candidatura na convenção do partido, com direito a discurso do líder. O Serra "oficializa" para um reporter de um canal "amigo".

Responder

matheusnahkur

19 de março de 2010 às 18h57

Extrapolar o direito de se manifestar? Ninguém rebateu essa colocação absurda?

Responder

    Bruno

    19 de março de 2010 às 20h54

    jogar ovos no carro do governador, como eles fizeram na quarta, é extrapolar o direito de se manifestar. fechar uma das 3 avenidas mais importantes da cidade é extrapolar o direito de se manifestar.

    Tavares

    19 de março de 2010 às 22h57

    O problema do brasileiro é que só pensa em si mesmo. Deixe o carro em casa. Use para passeios, conheça o povo, se emocione. acorde mais cedo, participe das manifestações, as vezes é melhor do que ir a uma academia.

    @ehnoisnaweb

    20 de março de 2010 às 06h26

    Jogar ovos em governador tucano é uma tradição paulista. heheheh

    Agora, falando sério. Fechar uma avenida para protestar não é extrapolar o direito de se manifestar. Como é que se vai colocar 50 mil pessoas embaixo do vão do MASP? rs Não cabe.

    E quem reclama pq o trânsito engarrafou, um dia estará na mesma situação… fechando ruas, colocando os seus lá etc. Isso é normal. Faz parte da democracia.

    matheusnahkur

    22 de março de 2010 às 18h25

    Cara, a forma que o protesto é realizado pode ser questionado. O "direito de se manifestar", jamais.

    francisco.latorre

    22 de março de 2010 às 20h44

    tem gente que prefere intrapolar.

    que aproveite.

Zeca

19 de março de 2010 às 18h51

Quando se está em um ano não eleitoral, greves têm sua importância minimizada pelo governo com a alegação de que são tentativas de desestabilizar a administração.
Em anos eleitorais, são sempre , para o governo, orquestradas por setores ligados a interesses e partidos políticos.
Que sao politicas se sabe, pois todo ato reivindicatório é politico, mas dizer que a todo momento e em qualquer circunstancias não são frutos de necessidades e desejos de compensação e valorização profissional isso sim…é tró-ló-ló
Obs.: absolutamente normal que se acentuem em períodos eleitorais, fruto da inteligencia de seus líderes, que vêem no período uma questão estratégica para atingir os objetivos propostos.

Responder

    José Silva

    19 de março de 2010 às 19h41

    Quer saber Zeca, acho que no Brasil deveria ter eleição todo ano, pois assim esses politiqueiros (como o zé economista sem diploma) teriam mais respeito com o eleitor, porque com o povo nós sabemos que eles não têem, nunca tiveram e nunca terão!!!

Paulo Oliveira

19 de março de 2010 às 18h51

E a foto que o uol publicou. É o senhor Burns!

Responder

Bene

19 de março de 2010 às 18h49

Caro Marcelo,

Por 20 horas-aula semanais um professor da rede estadual ganha 1.000 reais. São 20 horas em pé, falando, para 40 ou 50 adolescentes, deles muitos delinquentes juvenis. Não dá tempo de dar uma entradinha na internet, como você fez no seu horário de expediente, nem dá tempo de tomar um cafézinho com os colegas de trabalho. Aliás, o cafézinho e a ÁGUA não são dados pelo ilustre governador, mas tem que ser comprados com o dinheiro do bolso dos professores.

Realmente os interesses deles devem ser mesquinhos mesmo.

Responder

@HeLLWAR

19 de março de 2010 às 18h47

Serra cantando trololo com uma peruca "indefectível" http://www.youtube.com/watch?v=oavMtUWDBTM

Responder

Paulo Oliveira

19 de março de 2010 às 18h47

Dúvida número 2: Não confio nesse senhor Chalita. Se bem que não vo to em SP, né. Será?

Responder

Paulo Oliveira

19 de março de 2010 às 18h45

Dúvida número 1: A quem serve o MPE de SP?

Responder

Pall Kunkanen

19 de março de 2010 às 18h44

AZENHA vc viu ontem no estadão caderno 2 que o MINC lançou um edital para destinar verbas para revistas culturais. Adivinha quem se candidatou a receber estas verbas? O PIG meu amigo, o PIG. Não bastasse este absurdo foram selecionadas as revistas PIAUI (revistinha pobre e coitadinha) Rolling Stone, speak up, Caros Amigos (correto) e Brasileiros. Ficaram de fora dezenas de revistas de cunho realmente cultural que penam pelo Brasil a fora para serem publicadas, qdo são.
O que eu não consigo entender é o governo Lulla cometer um absurdo desses.

Responder

marcelo arruda

19 de março de 2010 às 18h24

A incompetência administrativa do Serra salta aos olhos. Contudo, não se pode negar que grande parte dos professores não aceita nada que contrarie seus interesses mais mesquinhos, ainda que sejam medidas que aprimorem a prestação do serviço público de educação. Também não se pode deixar de destacar que, ainda que se diga o contrário, trata-se de movimento marcadamente eleitoreiro. Algumas pessoas se indignam com a imprensa golpista. Eu não, acredito que cada um usa aquilo que tem a seu favor. Se é condenável o papel dos barões da imprensa, não menos reprovável é o papel a que se prestam alguns sindicatos. Tudo isso, entretanto, faz parte do jogo político. E é bom que seja assim.

Responder

    Kinnara

    19 de março de 2010 às 20h19

    Marcelo, não confunda o sindicato com os professores. Sou professora e não me considero representada por nenhum dos 2 sindicatos, e creio q a maioria dos professores pensa do mesmo modo. Não aceito poder fazer uma prova para aumento só daqui a 3 anos, (SIM, SÓ É PERMITIDO FAZER A PROVA DE MÉRITO QUEM TEM 4 ANOS NA MESMA ESCOLA, E O SINDICATO…), pq mudei ano passado de cidade; não aceito ter perdido uma gratificação de 20% ano retrasado (SIM, OS SALÁRIOS ABAIXARAM E O SINDICATO…), o tal do ALE; e tb não aceito passar aluno q sequer vai à escola para q tenhamos os bônus (um dos critérios é aprovação dos alunos, independente do aprendizado, notas ou faltas E O SINDICATO…).

    Kinnara

    19 de março de 2010 às 20h19

    (cont.) Estou em greve e como pode ver, nem um pouco a favor do desserviço a q se prestam os sindicatos. Aprimorar a prestação do serviço público de educação? Não é por aí. O PIG está enganando vc tb. Duvida? Confronte os dados do Saresp com os da Prova Brasil. Simples assim. Vc terá q acreditar ou em um ou em outro, pq são absolutamente discrepantes. Só q as redações do Saresp quem corrige são os próprios professores da escola… sabia disso? Só a parte dos testes é q é corrigida por órgão independente. Por isso as notas em Português são tão boas…

    Paulo

    19 de março de 2010 às 20h34

    Desculpa, Marcelo. a educação brasileira é uma das piores da américa latina e a paulista é a terceira pior do Brasil.
    A reivindicação é para lá de justa e eles estão nessa luta faz tempo. Tapar os olhos a isto é promover subdesenvolvimento.
    Considerar uma perda de 34% algo como "interesses mais mesquinhos", quando 90% dos demais trabalhadores tiveram ganhos salariais reais, é,no mínimo achicalhar a categoria trabalhadora mais importante do mundo que é a educação.
    Condenar um sindicato por isso é ser, no mínimo, facista.

    Tavares

    19 de março de 2010 às 22h53

    Meus filhos estudam em escola da prefeitura e estão aprendendo bem. tenho 4, acompanho suas lições de casa e as materias dadas, eles acertam todas as questões nas provas.
    Arruda, meu filho, não generalize, qq categoria tem direito a reivindicar reposição salarial, a democracia é para isso.
    Precisamos investir em educação mas os educadores são a educação. o PSDB/DEM esta preocupado em dar leite ninho, quanto eles não faturam por fora? Aumento ja e melhores condições para o futuro do país.
    Eu acho que os professores merecem muito mais que 34%, esta profissão deveria ser ambição dos formandos.
    Agora dizer que as greves são eleitoreiras é a pior coisa que voces poderiam fazer. a revolta dos professores é antiga e acredito que imaginaram que em ano de eleição o Zé Alagão ia dar o aumento para não polemizar, mas aquilo é uma anta então ja viu né.

    francisco.latorre

    22 de março de 2010 às 20h47

    besteirinha.

robledo

19 de março de 2010 às 18h23

Péssima postura para quem quer se candidatar a presidente, fugir do povo, aliás esta é a cara do psdb, fugir do povo.

Responder

Paulo Oliveira

19 de março de 2010 às 18h12

Serrágio anuncia que é candidato(?) e, as 14h05mim aqui em Campo Grande-MS, vejo que a bovespa cai e o dolar sobe! Que coisa! Brincadeirinha morador da Transilvania. Acho que ofendi o pobre Drácula! Daqui a pouco vem a mãe Diná, digo, Regina Duarte anunciar que está com medo da Dilma! Acho que a cada dia que passa a vaca tuicana vai pro brejo. Como disse um "nobre" Senador "vamos ficar livres dessa raça"!

Responder

Feriz

19 de março de 2010 às 17h51

Nem os paulistas merecem o Serra.

Responder

    sonia

    19 de março de 2010 às 20h50

    Merecem sim, afinal o elegeram e ainda acham otimo ! O Brasil é que não merece. Eu não mereço!!

    Tavares

    19 de março de 2010 às 22h45

    Eu sou paulistano e nunca votei no PSDB nem no maluf.
    Não generalizem. A classe merdia de são paulo é quase exclusivamente formada por Homer Simpsons.
    A tv globo é a igreja deles.
    Mas ja elegemos Marta e Erundina. O problema pior é no interior.

Roberto Locatelli

19 de março de 2010 às 17h50

Os professores do estado de SP estão entre os mais mal pagos do Brasil.
Segundo o ex-tucano Gabriel Chalita, o vereador mais votado do Brasil, "Serra não gosta de professor".

Responder

    Oliveira

    19 de março de 2010 às 18h46

    Ah, agora o Chalita gosta de professor… isso é novidade. Quando ele era Secretário de Educação a situação não era muito melhor…

    Leider_Lincoln

    19 de março de 2010 às 20h06

    E de quem o Serra gosta? Não é de professores, nem de policiais, nem de pobres, nem de nordestinos, nem de motoristas, nem de universitários, nem de repórteres, nem de sindicalistas, nem de lideranças populares, nem dos que discordam dele, nem de mineiros, nem de secretários competentes, de oposicionistas…
    Enfim, se ele depender dos votos das pessoas de quem ele gosta, está lascado.

Observadoro

19 de março de 2010 às 17h47

O Noblat acabou de dar o furo do Serra assumindo a candidatura no progama do Datena!!!

Não sei o que é pior: o Serra ter dado o furo ao Datena ou o Noblat querendo "roubar" o furo do Datena ao postar a entrevista como algo inédito…

Responder

    Marcio Cruzeiro

    19 de março de 2010 às 19h22

    Ambos se merecem em dar o ¨furo ¨, dessa candidatura natimorta .

    francisco.latorre

    22 de março de 2010 às 20h49

    furo?..

    furo n'água.

sergio

19 de março de 2010 às 17h46

extrapolando o direito de se manifestar! que pérola, esse promotores paulistas estão de rabo preso com os tucanos, quando esse caldeirão explodir aí sim a mídia vai mostrar o descalabro que é o governo tucano.

Responder

    Kinnara

    19 de março de 2010 às 20h21

    A gde mídia não vai mostrar nunca. Não tenhamos ilusões.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!