VIOMUNDO

Diário da Resistência


Você escreve

Quando o genocídio popular em São Paulo vai acabar?


28/09/2012 - 15h59

do Cordão da Mentira, via e-mail

O aumento dos atos de violência policial registrados em 2012, em São Paulo é o mote para o 2º desfile do Cordão da Mentira, que tomará as ruas do centro da capital neste sábado (29).

Com o tema “Quando vai acabar o Genocídio Popular?”, o desfile, que ocorre três dias antes do aniversário de 20 anos do Massacre do Carandiru, passará por lugares que simbolizam a institucionalização de práticas brutais nas forças policiais, como a sede da GCM (Guarda Civil Metropolitana), a Prefeitura, a Secretaria de Segurança Pública e o TJ (Tribunal de Justiça) de São Paulo, assim como pontos simbólicos das políticas de higienização e segregação do Estado e de parte da Sociedade Civil no centro da cidade, como o Projeto Nova Luz e o Viva o Centro.

Em meio à nova onda de chacinas na periferia paulistana, seguida do sistemático aumento de incêndios criminosos em favelas, poucos meses após a barbárie de Pinheirinho, o Cordão da Mentira responderá estética e politicamente ao momento em que vivemos. Cantará nas ruas, aos despejados, aos humilhados, aos encarcerados, aos massacrados, aos chacinados. Aos jovens negros que não tiveram chance; aos que, para a “sociedade”, valem menos do que a bala que os mata.

Em seu desfile anterior, realizado no dia 1º de abril deste ano, o Cordão reuniu cerca de mil pessoas, em desfile contra jornais, empresas e outros apoiadores da ditadura civil-militar iniciada em 1964.

O Cordão vai tomar as ruas de novo! Carnavalizar contra os incêndios nas favelas, contra a política de habitação que promove a segregação, contra a violência em relação aos moradores de rua, contra a política de higienização da Cracolândia, contra a política de transportes que carrega antes funcionários que cidadãos, e contra a política de assistência social que é uma mosca na sopa de muita gente! Com o som de nosso batuquejê, cantaremos à transformação! AS RUAS SÃO PARA LUTAR! (e quem não luta dança).

concentração será às 11h no largo General Osório (próximo à estação Luz do metrô), mesmo local em que o cordão se dispersou em abril. E não poderia haver escolha mais oportuna: entre o primeiro e o segundo desfile, entre a impunidade dos assassinos e torturadores da ditadura e o silêncio diante das chacinas diárias da população pobre, há antes continuidade do que ruptura.

Confira o trajeto do cordão.

 





5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Heitor Costa: Falar em racionamento é “irresponsabilidade” « Viomundo – O que você não vê na mídia

09 de janeiro de 2013 às 14h17

[…] Quando o genocídio popular em São Paulo vai acabar? […]

Responder

Rapper que denunciava violência policial é uma das vítimas de chacina « Viomundo – O que você não vê na mídia

07 de janeiro de 2013 às 17h54

[…] Quando o genocídio popular em São Paulo vai acabar? […]

Responder

Serra: “Eu não respondo pergunta de sem-vergonha” « Viomundo – O que você não vê na mídia

28 de setembro de 2012 às 22h27

[…] Quando o genocídio popular em São Paulo vai acabar? […]

Responder

Jairo Beraldo

28 de setembro de 2012 às 21h42 Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding