VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Você escreve

O repúdio às declarações de Alexandre Garcia


09/05/2010 - 10h24

Ativistas repudiam declarações do jornalista Alexandre Garcia na rádio CBN sobre gravidez em mulheres com HIV

da Agência de Noticias da AIDS

08/05/2010 – 15h

O jornalista Alexandre Garcia, do Bom Dia Brasil na TV Globo, disse que é “uma maluquice” uma pessoa com HIV engravidar. A declaração foi ao ar nesta última sexta, 7 de maio, na rádio CBN. Ativistas de luta contra a aids repudiam o comentário e dizem que é “inconcebível” uma afirmação como essa depois de 25 anos de história da epidemia.

“O Ministério da Saúde (MS) está estimulando agora pessoa com HIV a engravidar. Eu duvido que o MS vá fazer uma cesária pela terceira vez numa mulher com HIV e se respingar sangue nele para ver o que vai acontecer. É uma maluquice, estão fazendo brincandeira com a saúde…”, disse Garcia (confira na íntegra o áudio).

Os militantes do movimento de luta contra a aids protestam contra a declaração do comentarista. “É inconcebível observar como se aborda questões do HIV/Aids de forma preconceituosa, sem qualquer rigor científico, o que só favorece o aumento da discriminação às pessoas vivendo com HIV/aids”, critica Betinho, membro do Fórum de ONG/Aids do Estado de São Paulo.

Os ativistas discordam da declaração porque os atuais métodos de tratamento existentes contra o HIV podem garantir até 99% de chances de não transmissão do vírus para o bebê.

“Você fez um desserviço à profissão de jornalista e, pior, expressou uma visão anticientífica e infundada, que incentiva condutas discriminatórias e leva informações errôneas à população em geral”, diz o presidente da ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais), Toni Reis, em carta aberta.

As declarações de Garcia foram ao ar na CBN quando o jornalista criticou também o programa de parto humanizado do Ministério da Saúde.

Nesta última semana, o governo divulgou que estuda desenvolver um plano para ajudar soropositivos a ter filhos e o fato ganhou grande destaque na mídia.

Mas, esta não é a primeira vez que o comentarista diz ser contra a gravidez em mulheres portadoras do HIV. Em 2008, opinou na TV Globo que “quem antes de uma gravidez se identificar como portadora do HIV, melhor que não engravide” – veja a repercussão do caso na época.

Redação da Agência de Notícias da Aids

Leia a seguir os protestos dos ativistas divulgados por e-mail na íntegra.

Carta aberta a Alexandre Garcia – uma carta contra o preconceito

“Em resposta a uma ética da exclusão, estamos todos desafiados a praticar uma ética da solidariedade” (Betinho)

Prezado Alexandre Garcia,

Sou Toni Reis, professor, especialista em sexualidade humana, mestre em filosofia na área de ética e sexualidade, e doutorando na área de educação sexual. Trabalho com HIV/aids desde 1985. Defendo a liberdade, a igualdade e o respeito à diversidade humana. Defendo também a livre expressão da imprensa, desde que não incite preconceito, discriminação e violência.

Você é um dos jornalistas mais renomados do Brasil na área política, reconhecido e premiado nacional e internacionalmente. Você é um grande formador de opinião e com certeza já está na história do jornalismo brasileiro.

Contudo, chegou até mim a sua fala na CBN no dia 7 de maio, aqui transcrita:

“… o Ministério da Saúde está estimulando agora a pessoa com HIV a engravidar. Eu duvido que o MS vá fazer uma ‘cesária’ pela terceira vez em uma mulher com HIV e respingar sangue nele (MS) para ver o que vai acontecer. É uma maluquice, estão fazendo brincadeira com a saúde…” (http://cbn.globoradio.globo.com/colunas/mais-brasilia/MAIS-BRASILIA.htm)

Sinto-me obrigado a escrever esta carta como consequência de suas declarações. Nas palavras da minha falecida mãe, quando eu errava, ela falava para mim “você está jogando água fora da bacia”. No meu entendimento, como pessoa que está trabalhando com a questão do HIV/aids desde 1985, quero dizer que você jogou água fora da bacia e respingou a água suja do preconceito em muita gente. Quero dizer que atitudes como esta reforçam o preconceito e o estigma contra as pessoas que vivem com HIV/aids.

Relembro o Art. 2º do Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros, que diz “a divulgação de informação, precisa e correta, é dever dos meios de comunicação pública.” Com esta frase você fez um desserviço à profissão de jornalista e, pior, expressou uma visão anticientífica e infundada, que incentiva condutas discriminatórias e leva informações errôneas à população em geral, além de ser machista em culpar a mulher e negar-lhe os direitos sexuais e reprodutivos. Infelizmente, não é a primeira vez que você faz esta mesma afirmação.

É preciso se basear em informações atualizadas. Foi implantado em Curitiba há 11 anos (em 1999) o pioneiro Programa Mãe Curitibana, de prevenção à transmissão vertical do HIV (da mãe HIV positiva para o bebê), de modo que caiu para em torno de 1% esta forma de transmissão. E este programa é referência e foi replicado no país inteiro. Assim, com acesso à atenção médica e medicação durante a gravidez e o parto e no período pós-parto, as mulheres HIV positivas podem engravidar e ter filhos HIV negativos. A aids é uma doença crônica que hoje tem tratamento e é um direito das mulheres HIV positivas que assim querem ter filhos. O direito à maternidade deve ser para todas as mulheres, inclusive as mulheres HIV positivas.

Para seu conhecimento, existem normas de biossegurança em todo o Sistema Único de Saúde. Todo profissional de saúde sabe que deve segui-las e utilizar os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) com todos os usuários, de forma indiferenciada. Caso haja um acidente, há tratamento emergencial.

No início dos anos 1980, o preconceito quando a aids surgiu era tanto que foi chamada de “câncer gay” Eu como gay na época me senti o próprio sinônimo da doença. Para vencer minha ignorância, fui me informar, estudar e percebi que eu estava sendo iludido por uma mídia despreparada e preconceituosa. Felizmente, parte da mídia já mudou.

O Ministério da Saúde, através do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, vem cumprindo – sim – seu dever constitucional, e tem sido referência mundial na assistência e na prevenção do HIV/Aids, por ter uma política baseada nos direitos humanos, na dignidade humana e no respeito aos direitos sexuais e reprodutivos.

Sua fala não foi de bom tom. Sério, Alexandre Garcia, profissional que admiro. Sugiro a você buscar informações corretas sobre o assunto.Estamos à disposição. Quero dizer que hoje no Brasil temos em torno de 700 organizações não governamentais que trabalham com o HIV/aids e os direitos humanos das pessoas que vivem com HIV/aids. Queremos contar com você como aliado para defender os direitos humanos, inclusive os direitos sexuais e reprodutivos, de todas as pessoas, em especial as mulheres que vivem com HIV/aids.

As pessoas vivendo com HIV/aids, assim como todo mundo, merecem respeito, dignidade e carinho. Por um mundo sem violência, sem discriminação e sem preconceito.

Nas palavras do Betinho, “a aids não é mortal, mortais somos todos nós. A aids terá cura, e o remédio hoje é a solidariedade.”

Alexandre Garcia, convido você a ser solidário às pessoas que vivem com HIV/aids.

Curitiba, 08 de maio de 2010

Toni Reis
Presidente da ABGLT

Prezados(as) sres(as),

Assim como outros companheiros(as) eu fiquei profundamente indignidado e até mesmo me senti afrontado com a fala do Alexandre Garcia na CBN hoje.

É inaceitável que após 25 anos de epidemia no Brasil um jornalista tão conhecido que é também formador de opinião venha a público manifestar esse desserviço na luta contra aids, e pela segunda vez, a primeira vez foi em pleno jornal Bom Dia Brasil onde afirmava que mulher soropositiva não podia ter filho. É inconcebível observar como se aborda questões do HIV/Aids de forma preconceituosa e destituido de qualquer rigor científico o que só favorece o aumento da discriminação e do estigma às Pessoas Vivendo com HIV/Aids.

Eu tive o cuidado de escrever a fala que diz textualmente:
“…agora também o Ministério da Saúde está estimulando pessoa com HIV engravidar, eu duvido que o MS vai fazer uma cesária pela terceira vez, e se respinga sangue sobre ele (MS)? para ver o que vai acontecer com ele (MS)!. Uma maluquice tão brincando com a saúde…”
http://cbn.globoradio.globo.com/colunas/mais-brasilia/MAIS-BRASILIA.htm

Observa-se o grau de desconhecimento sobre o HIV/Aids e sobre os eficazes métodos de reprodução assistida disponiveis hoje para PVHA que chegam a 99% de chances de NÃO transmissão do HIV para o bebê, mais do que isso, por pior que esteja a saúde pública no país, em um procedimento de cesariana se deve admitir que se tomem todos os cuidados para que não haja contato sanguineo entre paciente e profissionais de saúde, seja a parturiente soropositiva ou não, portanto não se admite que “sangue se respingue” conforme é ilustrado em sua figura de linguagem.

Mais do que uma afronta aos direitos constitucionais, civis e sociais isso se caracteriza como grave violação dos Direitos Humanos uma vez que fere diretamente Direitos inalienáveis a Vida, a Liberdade, a Família e a Reprodução.

Portanto, eu e outros militantes sugerimos aos ativistas do Brasil, especialmente o Movimento Nacional das Cidadãs Posithivas que enviem seus manifestos de desagravo e que os Fóruns Estaduais de ONG/AIDS, as Redes de pessoas vivendo com HIV/AIDS e a Articulação Nacional em HIV/AIDS enviem documentos formais de repúdio a essa equivocada fala.

Vale lembrar que domingo é dia das mães e não poderia ter sido um momento mais infeliz e inoportuno para tecer tal comentário sobre mães e sobre aquelas que sonham ser.

Atenciosamente,
José Roberto Pereira / betinho
Fórum de ONG/AIDS do Estado de São Paulo
Projeto Bem-Me-Quer
Representante na CNAIDS / Região SUDESTE
Coordenador Nacional PRPH www.prph.org

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



107 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

douglas

12 de setembro de 2011 às 21h37

Eu concordo com Alexandre Garcia,o Estado não tem copetencia para prevenir e controlar a doença então não podemos incentivar que uma pessoa sem escolha já nassa com essa doença.

Responder

    José Ruiz

    12 de março de 2015 às 08h03

    falta muita competência ao estado, mas no setor da educação.. seu comentário é prova indiscutível disso..

Elgin

06 de agosto de 2010 às 14h20

Duas coisas viraram moda no mundo. A primeira é o egocentrismo aliada à inveja, um bando de gente que tem no máximo uma graduação e que vive falando mal de gente mais talentosa, competente, inteligente e rica. Já a segunda é o "libera geral", o falso sentimento de "sem-preconceito", o "viva a vida moderna", mas sempre desde que seja com os outros, pois se um dia acontecer com você ou com a sua família ai você muda de opinião.

Quando se quer convencer os outros sempre se diz que "os riscos são de apenas 1%". Tudo é 1% nessa vida, que engraçado. Mas se uma mulher acima de 40 anos engravida ela se apavora quando o médico diz que as chances de ela ter um bebê com síndrome de dawn são de 1 em 10.000 ( 0,0001%). Na visão da maioriade vocês, chances de 1% da criança nascer com Aids são riscos "aceitáveis". Pra mim não são.

Responder

maria

13 de maio de 2010 às 17h41

Gustavo, pode ter certeza q eu (q ñ sou mãe ainda), por uma infelicidade do destino fosse soro positivo, mesmo assim, com toda sinceridade, teria sim um filho. Vc ñ entedeu o q está escrito, ninguem aqui tá fazendo apologia a portadores de HIV. Simplismente repudiamos uma infeliz fala, de um jornalista que tem oportunidade de falar em cadeia nacional,e, solta uma asneira.

Responder

Alexandre Garcia e a “bobagem” do parto humanizado « ANEP Brasil

10 de maio de 2010 às 17h56

[…] * matéria no site Vi o Mundo e emails de repúdio dos representantes da ABGLT e do Fórum de ONG/AIDS… […]

Responder

Najma

10 de maio de 2010 às 16h02

Para quem ouviu a entrevista inteira, Alexandre Garcia também se demonstrou extremamente preconceituoso quando disse que o incentivo ao parto humanizado em hospitais públicos era um absurdo, afinal qual equipe médica seria louca de deixar uma pai todo bêbado e fedido entrar na sala de parto e acompanhar todo o processo junto com a esposa? Será que haveria essa preocupação toda se estivéssemos falando de hospitais particulares… Tavez não… Lá os pais são todos sóbrios, limpinhos e cheirosos…

Responder

Lélio

10 de maio de 2010 às 15h28

Vocês não se lembram que esse senhor foi porta-voz do Figueiredo. Será que ele prefere também o cheiro de cavalos ? Foi demitido depois de uma entrevista a revista Ele e Ela. Arrumou emprego na Bloch Editores em Brasília e tentou um golpe do bau ao querer casar com uma herdeira do grupo. Lélio.

Responder

serragio

10 de maio de 2010 às 11h53

se fosse do governo serragio seria um avanço no mundo moderno, mas fazer o que né….foi do Lula….

Responder

Júlia Matos

10 de maio de 2010 às 11h29

O jornalista tem o apoio incondicional da empresa a qual trabalha. Se ele não fosse da Globo, o fato teria sido abordado no Fantástico. Deixem de dar audiência a estes jornalistas mediocres, preconceituosos e, acima, de tudo: DESATUALIZADOS. Informação combina com atualização e leitura. VIVA A INTERNET!!!!!

Responder

ricardo

10 de maio de 2010 às 13h36

Alexandre "Gracinha" não deveria opinar sobre o que não conhece nem expor seus preconceitos em cadeia nacional.

Ou seja, ele deveria permanecer calado. Para sempre.

Responder

@GriloD

10 de maio de 2010 às 13h09

Esqueci de citar a fonte:http://www.tijolaco.com/?p=13915

Responder

Luiz Jornaleiro

10 de maio de 2010 às 13h02

Alexandre Gracinha? Subserviência e más intenções o caracterizam. Já me livrei desse jornalismo manipulativo. Espero que as pessoas de bem façam o mesmo.

Responder

Rogerio Martins

10 de maio de 2010 às 12h41

A arrogância e a vaidade desses jornalistas, em especial aos da TV Globo, são enormes!

Podem ter conhecimento técnico de jornalismo, mas não sabem usa-lo. O poder, o alcance daquilo que podem dizer, corrompeu-lhes por dentro.

Não gosto de jornalistas. Que me perdoem os bons. Cobrem a conta disso aos seus pares.

Responder

rafael

10 de maio de 2010 às 12h41

Concordo com o Alexandre, é um risco alto demais para a vida humana, e uma brincadeira irresponsável em nome do politcamente correto.Ademais, não existem crianças com hiv para adoção?

Responder

Beto São Pedro

10 de maio de 2010 às 12h28

O agente Garcia,. . . Alexandre Garcia, é um comentarista de tudo, um especialista em generalidades. Só deve ser levado a sério em episódios como este.

Responder

@leumasocsalev

10 de maio de 2010 às 12h13

Esse assunto foi desvirtuado tanto pelo Alexandre Garcia como aqui. O Ministério da Saúde tem a obrigação de fornecer as informações necessárias para a futura mãe com HIV, mas em momento algum o Ministério estaria "incentivando" a reprodução dos portadores do vírus. Foi o que entendi. O Alexandre se posicionou contra a função imanente do Ministério da Saúde (sua obrigação de orientar) e esse foi o erro dele. Não dá pra dizer que é só "ignorância", da qual jornalista (sim, em geral) tá cheio, porque esse assunto gera polêmica inclusive na comunidade acadêmica médica!

Particularmente eu penso que a constituição da família não necessariamente passe pelos 9 meses de gravidez ou um casal "homem-mulher". Medidas que agilizassem a adoção também deveriam ser a obrigação do Estado. Mas eu me pergunto: é fácil para um soropositivo adotar? Qual preconceito é mais evidente? Com a gravidez ou com a adoção?

Não vou fazer prescrições normativas do "como deveria ser", deixo isso pros jornalistas mal formados como o Alexandre. A questão posta requer estudo por especialistas e bom senso.

Abraço.

Responder

    @GriloD

    10 de maio de 2010 às 13h08

    Exatamente: o mais grave é que o comentário é mentiroso! Não há intenção do Ministério da Saúde em incentivar soropositivos a reproduzir, o que seria mesmo irresponsável.
    A ideia em discussão é uma prática de alguns outros países de orientar soropositivos sobre maneiras de reduzir o risco de contágio dos filhos em caso de gravidez. E a ideia foi trazida por técnicos para o MS para discussão, e não proposta por este.
    Vamos arrancar as máscaras desse povo!
    Abraços,
    Grilo D

Andre Carneiro

10 de maio de 2010 às 12h04

Comentário preconceituoso e ignorante. Não conhece nada das mudanças epidemiológica do HIV / AIDS. Claro que ninguém quer se infectar, nem fica feliz com isso. Atualmente a grande maioria dos novos casos são de mulheres heteros, casadas e e "fiéis". Só faltou dizer que Deus trouxe a benção da AIDS para eliminar as impurezas do Mundo.

Responder

Panambi

10 de maio de 2010 às 12h00

Pois acho que o Sr. Toni Reis não deveria reclamar. Uma pessoa que diz que admira "o profissional" Alexandre Garcia não merece minha consideração. Para agradar aos patrões e tentar prejudicar Lula/Dilma ele beberia até o seu sangue, sr. Toni Reis.. Radical, eu? Com relação a esta "raça" de "reaças" da Globo – SIM!!!!!!!!!!!

Responder

De Paula

10 de maio de 2010 às 08h07

Alguem viu ou ouviu algum comentário no Jornal Nacional ou na CBN sobre o lançamento do primeiro petroleiro em Suape? O propósito é um só: Desconstruir Lula para esvaziar a candidatura da Dilma. Na falta de fatos que possam conduzir a esse propósito, cria-se. Prá isso é que existe imprensa; manipular a informação a serviço dos interesses do proprietário.

Responder

Anti-PTSDB

10 de maio de 2010 às 07h33

Caem matando em cima da declaração apenas por ser um jornalista imaginado como fazendo parte do "PIG" (liderado por Emmanuel Goldstein), nessa teoria da conspiração. Continua sendo sim criticável impor a um filho o risco de ter AIDS, por menor que seja, apenas para saciar o desejo egoísta de ter um filho biológico, quando se poderia muito bem adotar.

Responder

Adilson

10 de maio de 2010 às 06h11

Esse sujeito é um rábula, nunca foi jornalista, basta atestar o pronunciamento preconceituoso dele.

Responder

Fernando Antônio

10 de maio de 2010 às 01h30

Para quem está dizendo que 1% de risco é pouca coisa vou fazer aqui um paralelo bem real. A cirurgia de ponte de safena quando realizada por equipe adequadamente treinada e em um hospital de referência, e assim existem muitos serviços de cirurgia cardíaca no Brasil, tem um risco de morte de 1,5 a 3%. Vamos pensar apenas nos 1,5% que são apenas 0,5% a mais que os tais 1% de risco de um bebe ter adquirido o vírus HIV de sua mãe soro positiva durante a gestação, e isto se ela tiver sido 100% fiel ao tratamento e tiver recebido a medicação e o atendimento médico adequado dos serviço de saúde pública brasileiro (e faz-me rir disto!!!). (continua)

Responder

    maria

    13 de maio de 2010 às 17h15

    Mas é justamente isso, Antonio. A mulher agora tem a chance de realizar seu sonho, e, para isto ela deverá cumprir rigorosamente o tratamento. Ela tbm tem q cumprir sua parte, agora insinuar q o MS anda dizendo por aí q as mulheres portadoras de hiv poderá ter filho sem cuidados necessarios, isso sim é um tremendo de um absudo.

Parto do Princípio

10 de maio de 2010 às 04h27

Alexandre Garcia chama Parto Humanizado de "Bobagem"

No dia 07/05/2010, Alexandre Garcia em entrevista à CBN demonstrou ser um
profundo desconhecedor dos benefícios do parto humanizado e do direito ao
acompanhante. A Rede Parto do Princípio redigiu um manifesto de repúdio a
mais esse desrespeito às mães brasileiras.

Leia aqui a Entrevista : http://www.partodoprincipio.com.br/conteudo.php?s

Leia aqui a Carta de Repúdio : http://www.partodoprincipio.com.br/conteudo.php?s

Responder

Gerson Carneiro

10 de maio de 2010 às 00h29

Da sua "verdade" consigo separar pelo menos isso: "Ninguém gostaria de pegar AIDS". Pelo menos nunca vi um soropositivo sequer comemorando "ôôôba, peguei AIDS!".

Agora o que isso tem em sintonia com o proferido pelo Alexandre Garcia em relação ao que tratado neste texto postado, não entendi, além de preconceito e desinformação.

Talvez eu não tenha entendido direito o que você pretendeu dizer, se puder reformule e dê clareza ao texto porque assim seria melhor ter sido vetado (parece que o Aza tem um saquinho de mardade que ele usa de vez em quando).

Responder

    Gerson Pompeu

    10 de maio de 2010 às 10h49

    É isso aí. Só de sacanagem o Azenha não vetou o comentário do mancebo.

    Mas, tá certo. Êle que reflita melhor e se auto-censure.

Fátima carozzi

10 de maio de 2010 às 03h08

Penso que a fala de Alexandre Garcia tem dois propósitos diante das seguintes afirmações: o primeiro é que ele diz que a mulher soro positivo não deve ter filhos, pois corre o risco de ter um filho soropositivo, o segundo é a tentativa de afirmar que o governo está estimulando mulheres soro-positivo a terem filhos. O primeiro é puro terrorismo e o segundo é distorcer e colocar em dúvida a credibilidade do Ministério da Saúde, que por um acaso faz parte do governo Lula. Ou seja, a intenção, doa a quem doer, é de atacar e difamar o governo. Como ele não tem compromisso público algum, só com seu patrão, não faz a menor diferença. Seu emprego está, assim, garantido. Cumpre o mesmo papel que Eliane Cantanhêde quando da febre amarela. Como ela, ele deveria ser processado pelo Estado por aterrorizar, desinformar e desrespeitar os portadores de soro positivo.

Responder

Supertramp68

09 de maio de 2010 às 23h51

Nossa, que gente rancorosa!!! Quer dizer que o Alexandre é um idiota porque tem uma opnião diferente da de voces??? Uma mulher soropositiva, qual sua expectativa de vida? Se ela morrer, quem cuidará da criança? O governo? Teremos uma pensão para essa criança até a maioridade? Realmente temos uma medicina avançada, mas e se algo der errado? Se a criança for infectada? Ou o médico? Voce adota a criança? Cuida das necessidades da familia do médico? Ser portador, tudo bem, aconteceu, coquetel pra dentro e vamos a vida. Mas e a responsabilidade? Vamos defender o direito dos soropositivos, mas não incitá-los em direção do abismo.
Homossexuais não devem adotar crianças, se quisessem ter filhos seriam hetero. A vida é feita de escolhas. Escolhemos e pagamos o preço por isso.

Responder

    Caiçara

    10 de maio de 2010 às 00h28

    Como pode um ser que se diz humano, em pleno século XXI , pronunciar uma opinião tão preconceituosa. Por essa sua postura vc também deve ser contra a transfusão de sangue.

    Hernán

    10 de maio de 2010 às 00h32

    Desculpem meu preconceito, mas, se não for piada, Supertramp68 é quem deveria ser impedido de ter filhos.
    Lamento que seu apelido leve o 68, ano tão caro.
    Meu filho tem um gay como Dindo e espero que algum dia ele também possa ser pai.

    Celso

    10 de maio de 2010 às 00h47

    "Uma mulher soropositiva, qual sua expectativa de vida?"
    "Homossexuais não devem adotar crianças, se quisessem ter filhos seriam hetero".

    O que é isso? De onde tirou essas opiniões "científicas"?
    Vai se informar um pouco antes de escrever tanta bobagem!

    Ramon

    10 de maio de 2010 às 01h03

    Não se trata de rancor, entenda como as suas colocações também estão equivocadas:
    1º Soropositivos não são necessariamente, Homosseuxuais.
    2º Garantir o direito a um parto seguro por um soropositivo é um dever do Estado e um direito do cidadão ( que não deixa de ser cidadão e de pagar impostos, inclusive por ser soroposito). Isso, repito é um dever, e não uma incitação à gravidez por parte dos soropositivos. Ou alguém acha que os soropositovos não fazem mais sexo? Não engravidam antes e/ou após terem o diagnóstico? O ideal seria a castração dos portadores de HIV?
    3ºEste direito é pessoal, sendo vedado ao Estado estabelecer quem deve ou não gerar filhos. Em um Estado Democrático de Direito. Lembro que os filhos de portadores do vírus, se assistidos, não são infectados. É disso que se trata, de garantir a saúde dos filhos. Quanto às questões de quem vai criá-los ou educá-los é um problema de foro íntimo dos pais, não cabendo ao Estado estabelecer limites ou obstáculos às suas decisões de terem filhos.
    4º O portador do vírus HIV, e grávidas, muitas vezes são mulheres que contraíram vírus dos seus maridos que fizeram sexo sem camisinha ou utilizaram drogas injetáveis com seringas contaminadas. Portanto, não foi uma opção, uma escolha, ou algo que o valha… Foi um fato, absolutamente alheio à sua vontade, ou ao seu planejamento. A opção seria o Estado violentar mais uma vez esta pessoa com a imposição de um aborto ou propiciando-lhe um parto com alto risco de contaminação para o nacituro? É disso que se trata. sugiro que aprofunde-se um pouco mais no tema, para não repetir ou apoiar as declarações descabidas do "deformador de opiniões" Alexandre Garcia.

    Gerson Pompeu

    10 de maio de 2010 às 10h42

    É…, realmente. Tem gente que opta pela imbecilidade e divulga o produto dela.

    Andre Carneiro

    10 de maio de 2010 às 11h56

    Até os ignorantes e preconceituosos tem direito a ter filhos. Até você, Supertramp68, mesmo com o enorme risco, que poderá superar o 1%, de disseminar preconceitos odiosos para seus rebentos. A maternidade é uma decisão da mulher. É obrigação do Estado gerar as condições para isso.

    Eu mesmo

    10 de maio de 2010 às 13h41

    Concordo plenamente. Vamos também impedir que judeus, negros, ciganos e eslavos tenham filhos e esterilizar todos os sem teto e sem terra para que essa corja não se multiplique. Vamos criar locais para que possam viver com dignidade (sugiro o nome de gueto) e os obrigaremos a usar um símbolo em suas roupas, para que todos saibam quem são (poderia ser, sei lá, uma estrela de seis pontas). Ah, sim! Já ia me esquecendo dos hemofílicos, esses porcos que passam seus genes, sabendo que os filhos homens herdarão a doença .Porcos tipo o Henfil e o Betinho, que não deram contibuição nenhuma para o nosso País e jamais deveriam ter nascido. E viva a raça superior quatrocentona paulistana! Heil Bornhausen!

    PS: meus caros, com o uso do coquetel durante a gestação e o parto reduz muito a chance de transmissão do hiv para o nenem. Procurem se informar antes de tirarem conclusões medievais sobre o tema.

Debora Regina

10 de maio de 2010 às 02h43

Acho incrível que ainda impere no mundo tanto preconceito e desinformação. É um tal de "ser contra" portador de HIV ter filhos, casais homosexuais terem filhos. Por quê? Para que? Onde estão a humanidade, o colocar-se no lugar do outro, a tolerância? É muito simples julgar, difícil é sentir na pele.
Esse Alexandre Garcia é uma piada, infelizmente uma grande parte da população ainda lhe dá atenção. Que declaração mais infeliz!

Responder

Henrique

10 de maio de 2010 às 02h16

…e se respingar sangue…
Qual formação médico-científica este energúmeno possui para falar uma barbaridade destas.
A turma da Globo é só preconceito.
Aí vai mais um:
– cena de viver a vida de 12/04/2010: …uma mãe não aceita que o filho adote uma criança, dizendo que é impossível amar o 'filho dos outros' e que jamais teria amor a um ser que não fosse do próprio sangue.

O lixo da novela ou do autor dela, não se preocupou com os filhos adotivos do país e nem, pelo menos, se mostrasse no final que o amor por filhos adotivos ultrapassam as fronteiras do sangue e/ou barreiras.

A turma da Globo é só preconceito.

Responder

Fernando Antônio

10 de maio de 2010 às 01h35

CONTINUAÇÃO:
Já que é tão segura assim a gestação para o bebe de uma mãe HIV +, por que será que os adultos que caminham para uma cirurgia de revascularização miocárdica tem tanto medo da morte?? Algum de vocês que está por aí metendo o pau no Alexandre Garcia faz idéia de quanta gente morre por ano no Brasil devido a cirurgia cardíaca mal sucedida?? Garanto que todo mundo conhece alguém que já fez cirurgia cardíaca na sua vizinhança ou na sua família, pois já pararam para pensar em quantos morrerão?? Pois é isto aí, este é o mesmo risco que uma mãe HIV + impõe ao seu filho de nascer HIV + e ter uma vida maravilhosa pela frente com futuro de inúmeros anos felizes e sem restrições. Eu acho que quem engravida sendo HIV + não está verdadeiramente preocupado com o seu filho, seu BEBE, e sim com seu próprio ego.

Responder

Fernando Antônio

10 de maio de 2010 às 01h34

Para quem está dizendo que 1% de risco é pouca coisa vou fazer aqui um paralelo bem real. A cirurgia de ponte de safena quando realizada por equipe adequadamente treinada e em um hospital de referência, e assim existem muitos serviços de cirurgia cardíaca no Brasil, tem um risco de morte de 1,5 a 3%. Vamos pensar apenas nos 1,5% que são apenas 0,5% a mais que os tais 1% de risco de um bebe ter adquirido o vírus HIV de sua mãe soro positiva durante a gestação, e isto se ela tiver sido 100% fiel ao tratamento e tiver recebido a medicação e o atendimento médico adequado dos serviço de saúde pública brasileiro (e faz-me rir disto!!!). (continua)

Responder

baader marx

10 de maio de 2010 às 01h24

Infelizmente, alguns poucos idiotas aqui (ainda) não se deram conta de que a política para as DSTs do Ministério da Saúde é baseada nos Direitos Humanos. Aos que não sabiam, releiam o texto acima (do Toni Reis). Precisa falar mais?

Responder

maconheiro

10 de maio de 2010 às 01h15

O Caetano Veloso ,http://www.flickr.com/photos/boemios_errantes/458… , foi chamar o Lula de analfabeto e ganhou um emprego no Globo de presente .

Responder

duar te

09 de maio de 2010 às 22h10

Este cara já deveria ter saido da TV. Puxa saco, parcial e totalmente amestrado as organizações globo.

Responder

Cecéu

10 de maio de 2010 às 00h54

Este rapaz comeu manga com febre.

Responder

Mah_Zinha

10 de maio de 2010 às 00h47

Uma pessoa falar num boteco sobre assunto que pouco conhece vá lá.
Mas um "jornalista" falar sobre algo que ignora em um veículo de comunicação é triste.
Junte-se a isso uma dose cavalar de preconceito e arrogância e de triste passa a ser nefasto.

É duro ouvir essas mediocridades de ego inflado utilizarem tom professoral em seus comentários sobre diversos assuntos sobre os quais conhecem tanto quanto uma criança. Noticiam com espartana brevidade e comentam aos cântaros…cântaros de abobrinhas, de regra.

Responder

Tania Silva

10 de maio de 2010 às 00h37

Adorei o "acidentalmente" – e mais ainda a explicação de o que é pegar Aids (sic) acidentalmente…
Gustavo: se infectar com o HIV por transfusão não é acidente, não: é crime cometido por quem deveria garantir a qualidade do sangue para transfusão e não garante.
Já se infectar numa relação sexual, em caso por exemplo de um preservativo estourar, isso sim seria acidentalmente.
Mas na sua visão preconceituosa não é, né?
Combina com o Alexandre Garcia.

Responder

Arnold Bezerra

09 de maio de 2010 às 19h49

Eu já autorizei o cancelamento da assinatura da Revista VEJA, mas, eles continuam me mandando (de graça). Mas, nem de graça eu quero! Na edição desta semana na Capa da mesma tem um foto e uma legenda que diz:
Ser jovem e Gay! Vejam os senhores que belo exemplo para nossa juventude. Fazem este tipo de Reportagem com a maior Cara de Pau. Eu não estou discriminando ninguém, mas considero este tipo de coisa indecente. Deveriam gastar suas folhas com coisas que engrandecem os Jovens, tais como: decência, patriotismo, moral, dignidade, respeito etc e etc! mas não! Nossos filhos vendo este tipo de coisa, acharão que isto é uma coisa normal!
AZENHA! NÃO É HOMOFOBIA,MAS SUGIRO PUBLICAR O MEU COMENTÁRIO!

Responder

    Márcio Martins

    10 de maio de 2010 às 01h37

    Hitler diria algo assim.

Robbis Llobet

09 de maio de 2010 às 22h14

Esse "jornalista" lambe botas fala o que fala porquê é o que é.
Não surpreende ninguém por fazer um comentário desse teor, apenas ratifica a quem serve e seu sespreparo.

Responder

italo

09 de maio de 2010 às 21h34

A dias o PIG tenta imputar esta do governo estar "estimulando" a portadores de HIV a engravidar. O que na verdade é apenas uma orientação de como proceder caso o portador queira ter um filho. è um verdaeiro desrespeito a inteligencia do leitor e aos portadores do vírus que já sofrem coma doença e o preconceito

Responder

Roberto A.P.

09 de maio de 2010 às 21h32

Será que esse cara tem algum parentesco com o Bóris Casoy? Estariam ambos lendo publicações neo-nazistas ? Em todo caso,não resta dúvida de que são apenas dois jornalistas no esplendor de sua ignorância.

Responder

Gilson Raslan

09 de maio de 2010 às 20h40

Parece-me que o articulista e os comentaristas não se deram conta de que o tal de alexandre garcia teve como escopo apenas criticar o Governo. Para tanto, sem medir as consequências de sua imbecilidade, se posiciona desta maneira preconceituosa contra portadores do HIV.

O nazismo de Hitler matou dezenas de milhares de portadores de deficiência, para impedir que eles pudessem ter filhos. Ser contrário à maternidade/paternidade de portadora/portador do HIV demonstra o espírito NAZISTA desse imbecil.

Responder

Marcelo

09 de maio de 2010 às 17h34

E estes se acham formadores de opinião, triste fim de quem não teve começo.

Responder

carlos quintela

09 de maio de 2010 às 17h27

Será que ninguem vai desmascarar esse indivíduo. Durante anos foi funcionário fantasma do BB lotado em gabinetes da alta direção, enquanto prestava serviços na rede globo ( ou seria rede bobo?)

Responder

Miguel

09 de maio de 2010 às 17h04

E pouco importa que a opinião, na forma de matéria jornalística, circule nacionalmente e contribua para piorar a vida de gente que já tem bastante problema pra se preocupar?

Se já não conhecesse à exuastão esses seus comentários de troll infantil, até pensaria que você não levou isso em consideração.

eheheheheheh

Responder

carlos quintela

09 de maio de 2010 às 20h01

Seria interessantíssimo pesquisar a vida pregressa desse cara lá em Cacheira do Sul. Tem coisas muito interessantes…

Responder

jotaefe

09 de maio de 2010 às 19h44

Usando a frase de Cícero, "até quando, seu cretino, abusarás da nossa paciência?"
Ele é tão nocivo à sociedade quanto qualquer traficante.
Podemos homenageá-lo com a célebre frase que o Norman Mailer dedicava ao Nixon
quando aquela besta começa a discursar : There is coming a shit storm (vem aí uma tempestade de merda).

Responder

Sebastião Bezerra

09 de maio de 2010 às 19h39

Tem dois assunto polêmicos rodando por ai: Mulher ou casal com Aids ter filhos e Casal Gay ou Lébica adotarem crianças! Sou contra todos dois, pois vejamos: como uma mulher com uma doença grave como esta vai por no mundo uma criança colocando em risco o futuro dela e de sua geração. Nós devemos ter responsabilidades! Estas coisas são indiscutíveis!
O Outro caso: Casal de Gay ou lésbicas poderem adotar criança: Isto é uma vergonha nacional. Acho isto uma irresponsabilidade sem tamanho de um juiz que concorda com este tipo de coisa.
Em ambos caso: Qual ofuturo de uma criança submetida a este tipo de excrecência? Vergona nacional!

Responder

    Gloria Queiroga

    09 de maio de 2010 às 23h11

    Senhor,

    Ter Aids é uma coisa..ser HIV positivo( soropositivo) é outra pra seu esclarecimento.E hoje existem tratamento que se bem conduzidos e com adesao do paciente, a sobrevida é igual a de qualquer mortal.. Nem todo soropositivo desenvolve a doenca.!! E ter filhos é direito de qq.mulher! saiba que o M.saude ira normatizar os cuidados necessarios pra que uma mulher soropositiva possa engravidar sem risco pra ela e pra a criança.Em todo mundo ( EUA, Europa, Brasil) ja acontrece a gravidez de mulheres sorop, risco minimo existe e esta na faixa de 1/%).
    Publicaçoes serias pra quem quiser se aprofundar no assunto existem e disponives na web.Seia muito bom se esse Alexandre Garcia lesse alguma coisa e assim nao falaria tanta besteira. Preconceito joga-se no lixoi!!!!

    Gerson Pompeu

    10 de maio de 2010 às 10h45

    Trrrrrrrrrrriiiiiiiiiimmmmmm!!! ACORDA! Tá na hora!

    Gerson Carneiro

    10 de maio de 2010 às 10h46

    "Casal de Gay ou lésbicas poderem adotar criança: Isto é uma vergonha nacional" – Sebastião Bezerra

    Bom mesmo é a criança que está em um abrigo aguardando adoção ser adotada por gente heterossexual como a ex Procuradora de Justiça, Vera Lúcia Gomes, e depois ser espancada e torturada. Isso não é "vergonha nacional" nenhuma.

    Essa criança teria muito mais chance de ser feliz se tivesse sido adotada por um casal, ou mesmo por uma pessoa, homossexual.

    Preconceito sim é uma excrescência, responsável por esse tipo de violência, e mata (até criança).

Wildner Arcanjo

09 de maio de 2010 às 15h52

Não tem nada a ver com o fato de ser um órgão do governo tem a ver com a civilidade. Ser mãe é algo que muitas mulheres sonham, tenham elas AIDS ou não. Mas, mesmo assimpergunto: se fosse no governo do FHC, ele faria o mesmo comentário? Mas, como já disse antes, é lastimável que um jornalista, venha dar opinião sobre um tema que não lhe cabe. Ele por acaso é médico? Especialista em infectologia?

Na minha modesta opinião (de um zé ninguém): antes tivesse guardado sua opinião para ele mesmo ou seus amigos mais íntimos. Pisou na bola mais uma vez, aliás é so o que ele sabe fazer!

Responder

Hélio Jacinto

09 de maio de 2010 às 18h47

Este cara na época da Ditadura Militar era Porta VOz dos Militares, sendo dispensado porque deu uma de Modelo, posando nu para uma Revista Masculina o que desagradou seus amigos Militares.
Alexandre Garcia é uma figura Patética, que parou no tempo.
Este sujeito deveria se informar melhor antes de destilar seu preconceito enrrustido de moralista sem moral.

Responder

Romério Rômulo

09 de maio de 2010 às 18h44

azenha:
o picareta notório alexandre garcia se entrega por poucos dinheiros. primeiro à ditadura, quando ainda pôs na cabeça que era sensual. sempre quis subir os degraus a qualquer custo. mais uma vez desnudado, mostra a intensidade da sua ignorância e do seu oportunismo.
romério
ps. ele só recebe atenção pelo veículo em que transita. tirado da globo, verá a dimensão que tem.

Responder

américo

09 de maio de 2010 às 18h19

Como esse dvorak é ingênuo,
expressou sua opinião eivada de preconceito desinformação e
irresponsabilidade.

Responder

Alexandre Freitas

09 de maio de 2010 às 17h49

Apenas mais uma opinião infeliz, onde deixa transparecer todo seu preconceito latente. No final do ano passado, Sandra Carvalho da revista Info cometeu a mesma falha ao escolher o título de um artigo publicado no portal da revista. Na época ainda não acompanhava sites como o viomundo, o conversaafiada e o tijolaço, só para citar alguns, mas já ficava indignado com matérias preconceituosas como esta, e uma das formas de protestar era postar comentários mostrar nossa indignação. E foi aí que percebi que não estava só, pois a matéria citada foi uma das mais comentadas e criticadas do portal. Acessando hoje o link, percebi que fizeram uma faxina nos comentários, mas a essência do debate ainda esta lá. Quem quiser conferir: http://info.abril.com.br/noticias/mercado/arromba

Estamos de olho!

Responder

Julio Silveira

09 de maio de 2010 às 14h31

Ainda sou da opinião que responder a agressão com civilidade e jogar perola aos porcos.
Essa gente só entende o poder quando o lado pecuniário lhes atinge, na minha modesta opinião esses grupos agredidos deveriam entrar com procedimento jurídico pedindo o embasamento cientifico do posicionamento político dessa opinião, e, não houvendo, que se buscasse alguma forma de reparo a algo que é irreparável, a pregação da diferença e da indignidade humana.
A arbitrariedade e a arrogância podem ser adquiridas. O poder que alguns despreparados para tal, possam ter em função desse tipo de determinadas atividades, principalmente como essa com grande penetração junto ao publico, exige uma responsabilidade maior. E não devia ser comparada a mera opinião de anônimo ainda que convergente com a do pretenso jornalista.

Responder

    Pedro Miranda

    09 de maio de 2010 às 19h11

    Concordo plenamente! Acho esse o único caminho a seguir em busca da liberdade e do direito à vida. Ele disse isso porque além de preconceituoso faz qualquer coisa para defender a candidatura do Serra, até mesmo praticar crimes como esse. Só a justiça será o caminho a seguir!

    xico barreto

    10 de maio de 2010 às 01h58

    tambem concordo
    greio que se deva buscar indenização por danos moraris e que a emissora seja processada com o objetivo de divulgar o que realmente é ter ads e sua consequencias, positivas e negativas de forma educacional e institucionalizada
    creio que esse deva ser o papel destas entidades publicas
    abs

Julio Silveira

09 de maio de 2010 às 14h31

Esse posicionamento político devia custar caro, para quem se propõe a prestador de informação, mas infelizmente é o afã de produzir critica aos atos da política governamental, qualquer delas. Neste caso puro oportunismo na buscade simpatizantes baseado na falta de esclarecimento de boa parte da população sobre o tema, às vezes, por desinformação que esses mesmos meios propagam outras por preconceito, também fruto dessa associação com a desinformação.

Responder

Glecio_Tavares

09 de maio de 2010 às 17h09

Alexandre Garcia era porta-voz de presidente da república no tempo da ditadura. Ele representa a direita brasileira e como tal é cheio de preconceitos. mesmo que não trabalhasse na globo seria do jeito que é, pois esta em sua natureza ser retrógrado e achar isso bonito. O Arnaldo Jabor é outro representante da elite que se acha superior ao restante. Porém eu pergunto: Que estes senhores fazem, fizeram ou farão para melhorar o futuro do Brasil? Eu sei.
Fazem aumentar o preconceito entre os teleguiados que tem a globo como religião.
Fizeram do Brasil o país mais injusto socialmente falando, uma Bégica misturada com um Haiti.
Farão campanha para o Serra, e o Brasil perceberá o quanto o Brasil perde se eleger o candidato da direita.

Responder

Alexandre Tambelli

09 de maio de 2010 às 14h08

Azenha! Só um desesperado pode tentar este caminho, o do preconceito contra as mulheres portadoras do vírus HIV, para servir de instrumento de ataque ao Governo Federal! Assustador!

Responder

Nazélia

09 de maio de 2010 às 16h47

Dvorak

Alexandre Garcia como jornalista tem o dever profissional de levar a verdade em primeiro plano e sua opinião pessoal em segundo .
A verdade é que a SIDA não se transmite pelo contato na pele e sim se entrar na corrente sanguinea ( toda a torcida do flamengo sabe disso) . Os médicos podem tomar o coquetel anti-sida horas depois se houver uma contaminação intravenosa acidental e estarão imunizados. As mulheres que sofrem violência sexual fazem isso.
Ele demonstrou ignorância alimentada pelo preconceito.
Qualquer manifestação pública com conteúdo preconceituoso é crime .Ele pode ser processado por isso! Nenhum juiz vê esse tipo de manifestação como bons olhos ele prestou um disserviço.

Responder

Farpa

09 de maio de 2010 às 15h51

O porta voz do Maluf de vez enquanto deixa escapar o seu oculto lado fascista. Sua declaração está do tamanho da ética e da dignidade do jornalismo da rede globo.

Responder

Wildner Arcanjo

09 de maio de 2010 às 15h47

Expressar a opinião, em uma concessão pública, provida de preconceitos e sem embassamento algum (só por esse motivos já se comprova o preconceito) não é coisa de jornalista. Triste fim da Velha Imprenza Brasileira…

Responder

    Pedro Miranda

    09 de maio de 2010 às 18h59

    Não é coisa de jornalismo é de preconceito mesmo e contra isso só a justiça poderá corrigir. Quem vai à justiça em busca de reparar os danos causados por esses insanos?

Julio Silveira

09 de maio de 2010 às 15h42

Expressar opinião aqui como você, eu acho valido. Pelo menos você expõe sua opinião a criticas, positiva ou negativa. Mas o pretenso Jornalista, quando opina ele deve fazê-lo de forma bem embasada, afinal aqui é espaço de amadores, aqui as opiniões são pessoais, baseados na cultura da vida, o que as tranforma muitas vezes em passionais. Lá é de um profissional, que atua em um veiculo publico de penetração nacional, e ganha para isso, à responsabilidade é diferente. A liberdade de imprensa, tão lembrada por eles a cada critica ou na busca da equiparação das opiniões como as expressados por ele, é uma jóia que deveria ser valorizada com responsabilidade. Principalmente por que já tivemos momentos de sua ausência. Posicionamentos profissionais são educativos, e não deveriam ser usados para acobertar a hipocrisia e a covardia de posicionamento político partidários camuflados, usando o que pode ser considerado arbítrio, e propagando preconceito.

Responder

manoel rodrigues

09 de maio de 2010 às 15h39

Esse cara é um facista. Não se esqueçam que ele foi porta-voz da ditadura militar no governo do general João Figueiredo. O quê vcs esperariam dos comentários de uma figura como essa.

Responder

josé gilvar gonzaga

09 de maio de 2010 às 15h29

Esse analista político e bajulador do demotucano, PPS e principalmente do SERRA agora,é analista também da vida humana? Como diria outro bajulador BORYS CASOY, que também fez comentário discrinátorio contra os Garis. ISSO É UMA VERGONHA e pseudo-ciêntista, tem que ser processado.

Responder

Gloria Queiroga

09 de maio de 2010 às 15h28

Ignorante..prestando um desserviço a populaçao.Poderia com sua voz a ajudar naa luta contra HIV, sua preveçao, seu controle .LEIA !.tem vasta literatura a respeito de portador de HIV ter filhso sem riscos. Atualize-se , nao ignore o sucesso de novos tratamentos e controle de portadores de HIV. Estamos em 2010!! a ciencia avançou e vc nao sabe de nada!!!
Quem nao conhece a luta, os trabalhos de muita gente..o melhor é: CALA-SE!!!!

Responder

Rui de Gouveia

09 de maio de 2010 às 15h13

Há 4 anos, quando estava na residência médica em Pediatria, tive a oportunidade de atender várias crianças muito especiais. Eram crianças filhas de mulheres portadoras do vírus HIV que, da mesma maneira que milhões de outras mulheres, tinham o desejo de serem mães.
Os avanços da medicina permitiram que elas pudessem engravidar e EVITAR a transmissão vertical do vírus.
O problema é que o Alexandre Garcia não está muito acostumado com essa coisa de "as pessoas poderem decidir sobre suas vidas…". Não é a toa que era porta-voz dos governos da ditadura militar.

Responder

Milton Hayek

09 de maio de 2010 às 15h13

http://www.conversaafiada.com.br/pig/2010/05/09/globo-usa-empresa-da-campanha-de-serra-em-sp-ou-serra-sub-loca-a-globo-e-isso/
Globo usa empresa da campanha de Serra em SP. Ou Serra sub-loca a Globo. É isso ?

Quem manda em quem – a Globo e o Serra ? Quem paga as contas ?

O Conversa Afiada publica interessante e-mail do amigo navegante Marcio:
Oi Paulo!

Estava navegando e olha o que eu encontrei: a Globonews passou a usar a estrutura da GW que, como sabemos, faz TODAS as campanhas do PSDB e TODOS os comerciais do governo de SP e prefeitura, via Lua Branca (que é um braço da GW para essas propagandas oficiais).

É isso aí, a mesma equipe, cinegrafistas etc. da Globonews será a mesma do Serra.

Falta mais o que ???

abração!

Em tempo: essa ligação genética entre a Globo e a empresa que faz a campanha do Serra se materializou, também, na campanha de 2006. A empresa da campanha do Serra chegou à sede de Polícia Federal, em São Paulo (sempre em São Paulo !) para filmar as notas dos aloprados lembram ?) ANTES DA EQUIPE DA GLOBO. E, suspeita-se que tenha convocado a redação da Globo para dar o “furo”: as notas que o delegado Bruno “esqueceu” em cima da mesa. Por falar nisso: onde anda o delegado Bruno, Dr Corrêa ?. Clique aqui para ler “O primeiro golpe já houve; falta o segundo” – PHA

Em tempo2: Num dos últimos atos de seu pálido governo em SP, (segundo a Folha (*), Serra agasalhou um terreno que a Globo invadia há 11 anos e transformou numa escola técnica para formar profissionais da Globo. Clique aqui para ver como se dá essa relação “pai para filho”.

(*) Folha é um jornal que não se deve deixar a avó ler, porque publica palavrões. Além disso, Folha é aquele jornal que entrevista Daniel Dantas DEPOIS de condenado e pergunta o que ele achou da investigação; da “ditabranda”; da ficha falsa da Dilma; que veste FHC com o manto de “bom caráter”, porque, depois de 18 anos, reconheceu um filho; que avacalha o Presidente Lula por causa de um comercial de TV; que publica artigo sórdido de ex-militante do PT; e que é o que é, porque o dono é o que é ; nos anos militares, a Folha emprestava carros de reportagem aos torturadores.

Responder

Adir Tavares

09 de maio de 2010 às 15h12

Esperar o que de um comentarista da rádio CBN? unica que tem barbeiro da notícia! Eu não ouço essa coisa ,minha orelha não é pinico!

Responder

Felipe Amaral

09 de maio de 2010 às 14h51

ESSE CARA ME IRRITA TANTO COM SEU FALSO MORALISMO, QUE SE EU O VIR NA RUA JOGO UM OVO!

Responder

américo

09 de maio de 2010 às 14h46

Quando esta canalhice vai acabar???
Cada vez mais eles chafurdam no esgoto de suas próprias ações.
É a escória do jornalismo tentando criar factóides, a partir da
desinformação e da deformação da verdade.
Os nazistas ficariam envergonhados com a desenvoltura de seus
seguidores na lide de propaganda eleitoral.
CHEGA!!!!
BASTA!!!!

Responder

Urbano

09 de maio de 2010 às 14h45

Essa gente não faz jornalismo e sim prosa maquiavélica.

Responder

Davi dos santos

09 de maio de 2010 às 14h44

Coitado do Alexandre Garcia, é porta voz do que há de pior na imprensa corrupta. As sua verbarrogia preconceituada não merece a nossa atenção.

Responder

Andrea VG

09 de maio de 2010 às 14h43

Em 2007, gravei esta audiência pública sobre o parto humanizado.
[youtube XaljKaONvP4http://www.youtube.com/watch?v=XaljKaONvP4 youtube]

Esse Alexandre Garcia comenta sem ter nenhum embasamento/noção sobre o assunto.
Da outra vez não foi o comentário sobre a internet ilegal em Cuba?

Responder

Marcio Leandro

09 de maio de 2010 às 14h37

Sou favorável a total liberdade de cada pessoa em relação a paternidade ou não. Contudo eu prefiro questionar se não seria mais humano e adequado optar pela adoção. Temos tantas crianças órfãs, inclusive algumas delas estando nessa situação devido ao falecimento dos pais em decorrência do HIV.
Não estou com isso defendendo o comentário inútil de Alexandre Garcia, um dos mais reacionários representantes dentre os jornalistas da grande imprensa.

Responder

felipe

09 de maio de 2010 às 14h28

A CBN devia ser condenada a reparar o dano causado por sua materia. isso sim é democracia.

Responder

    @SAGGIO_2

    09 de maio de 2010 às 23h13

    neste caso, sem dúvidas só um "direito de resposta – esclarecimento científico" não basta. É necessário maior rigor para que fatos deste tipo não sejam recorrentes – coisa que infelizmente, são… vale tudo em nome de cricificar o governo Lula.

pedro - bahia

09 de maio de 2010 às 14h18

O Alexandre Garcia está de plantão para criticar qualquer programa de iniciativa do Governo Federal. Obedece piamente ao seu chefe, o Ali Kamel e não me esforços para emplacar a canditura Serra. Felizmente não ouço essa rácio.

Responder

paulo pavaneli

09 de maio de 2010 às 14h17

Concordo com o que foi dito logo acima, por Laércio Nunes. Confesso que tenho nojo do Alexandre Garcia, é uma das figuras mais repelentes da televisão brasileira. Jornalista medíocre, não tem idéias próprias.

Responder

kleber

09 de maio de 2010 às 14h14

parece valer tudo e vale. vale tudo para quem a vida do outro vale nada. Eugenismo social é pouco. A liberdade de imprensa no liberalismo diz; quem tem mais, fala mais.Valeria talvez o recurso de tapar os ouvidos. A adesão poderia significar uma escuta complacente ao Garcia. Melhor dizer dele o do seu dito. Dizer da sua violência e dos que lhe sustentam. 45 anos! Nos tempos que vivemos, de intensa aceleração da experiência tecnológica, isso é uma ERA. Cuidado!

Responder

Oliveira

09 de maio de 2010 às 14h14

Este jornalista quer atacar o governo de qualquer jeito, mesmo expressando sua ignorância, preconceito e violência para atingir seus objetivos políticos.

Responder

Gerson Carneiro

09 de maio de 2010 às 14h11

É uma maluquice, o Alexandre Garcia está fazendo brincandeira com a comunicação. Sem fundamento científico algum.

Ademais, o que o Alexandre Garcia propõe? Que o Governo Federal abandone ao azar as pessoas soropositivas que engravidam?

Outra: o Alexandre Garcia através desta postura, torce contra, desestimula, e não acredita na excelência dos cientistas brasileiros (que os cientistas brasileiros sejam capazes de desenvolver métodos eficazes no combate e tratamento contra o HIV).

O Alexandre Garcia não assistiu ao vídeo da “Cirurgia do João”.
Alexandre Garcia, por que não te calas?

Responder

jotaí de oliveira

09 de maio de 2010 às 14h02

O negócio do Alexandre Garcia é reverberar a ordem dos patrões no intuito de desvalorizar quaisquer atos do governo. Não poderia perder o mote dessa questão da gravidez de soropositivos. Acho, porém, que o "tiro saiu pela culatra". Em nome da "liberdade de imprensa", eles podem tudo, inclusive disseminar preconceitos. Esta carta aberta é um estímulo para que a sociedade civil não se curve aos desmandos do "quarto poder" e eles não se sintam os donos da verdade.

Responder

Laércio Nunes

09 de maio de 2010 às 13h58

Jornalista renomado? Alexandre Garcia foi porta voz da ditadura militar e é um dos representantes do que há de mais reacionário no PIG. Aliás, o PIG cria um factóide (a absurda manchete da Folha, dizendo que o Ministério da Saúde vai incentivar os portadores de HIV a terem filhos) e ficam repertudindo entre si. Não há ética jornalística nenhuma. Tudo vale, se é para impedir a vitória da Dilma.

Responder

    heraclitus fracus

    09 de maio de 2010 às 14h26

    Ele deveria criticar também a sugestão do Temporão quanto a fazer sexo!! É um abestalhado!
    O pior é que pululam por aí, exemplares do mesmo quilate, espalhando inverdades e ódio: Demétrio Magnoli, Jabor, Casoy, etc….Completos sem-noção dos ares dos novos tempos!
    O cesto do lixo seria um bom lugar para seus pensamentos alienados………..

    Arnold Bezerra

    09 de maio de 2010 às 19h31

    Eu sou frequentador assíduo deste Blog, mas neste ponto de as mulheres com Aids ou um casal com Aids ter filhos, eu sou totalmente contra, Este é um assunto que nem deveria frequentar os o noticiários, deveriam ser reservado. Eu acho um absurdo uma mulher com Aids engravidar! Isto só irá condenar a futura criança, em troco de que finalmente? Nesta parte estou o o Alexandre Garcia, apesar de que divirjo muito de suas outras posições, mas nesta ele tem todo meu apoio!

    Cecéu

    10 de maio de 2010 às 01h01

    Na minha opinião uma aidética que sabe que tem a doença naturalmente não quer engravidar. Mas muitas situações podem levá-la a isso. Não há um exército de aidéticas tresloucadas saindo por aí à procura de deliberadamente engravidar.

    Márcio Martins

    10 de maio de 2010 às 02h09

    Realmente, todos deveríamos ser belos, inteligentes e "cheirosos" num mundo de paz e civilidade…

    Gerson Pompeu

    10 de maio de 2010 às 10h56

    Acorda! Estamos em 2010.

    @rldigital

    09 de maio de 2010 às 14h13

    Pois é, Laércio. Hoje passando por uma banca, vi a manchete da revista Época, da Globo, "denunciando" o suposto aparelhamento da empresas públicas. Nenhuma palavra do panfleto serrista sobre a recuperação da indústria naval brasileira, destruída por FHC. Eles estão unidos para tentar impedir a vitória de Dilma.

    Julio Silveira

    09 de maio de 2010 às 15h13

    Para esses caras, eles prevalecendo, o País e a maioria do povo pode sucumbir, sempre foi assim, e assim eles querem manter.

    V

    09 de maio de 2010 às 15h25

    Alexandre Garcia quem?
    Só conheço o Sargente Garcia, aquele que levava um chute do Zorro e era capacho do Dem, isto é, do Capitão Monastério.
    Ele acha que o telescpectador é mudo como o Bernardo, mas na verdade tem voz.

Tweets that mention O repúdio às declarações de Alexandre Garcia | Viomundo - O que você não vê na mídia -- Topsy.com

09 de maio de 2010 às 10h39

[…] This post was mentioned on Twitter by VIOMUNDO, Jacira, Jacira, Patricia Gurgel, Mariana Dias and others. Mariana Dias said: RT @VIOMUNDO: O repúdio às declarações de Alexandre Garcia – http://tinyurl.com/24fyd76 (via @viomundo) […]

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.