VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Você escreve

Márcia Denser: Serra e a direita kamikase


17/12/2004 - 15h19

07/05/2010 – 05h53

Serra e a direita kamikase

Por Márcia Denser*, no Congresso em Foco

“Ao sugerir extiguir o Mercosul, o que Serra propõe é um caminho suicida, desfavorável para o pais como um todo: sair do integrador periférico e submeter-se completamente às turbulências do mercado internacional”

Em nossos dias, optar por correr na contramão da História não leva meramente ao retrocesso – sempre corrigível lá na frente – mas ao suicídio, este sem volta. Porque a megacrise de 2008, que decretou a morte do neoliberalismo global como ideologia e política hegemônica, determinou duas conseqüências importantes:

1) globalmente,forçou os vários países a um movimento autodefensivo integrador-regionalista como estratégia, não só de evasão da crise, mas já apontando, em seus desdobramentos, para um novo realinhamento de forças político-comerciais globais, índice claro do fim dum mundo unipolar comandado pelos EUA;

2) globalmente, deixou como viúvas as chamadas “direitas loucas”, praticantes do kamikazismo histórico, representando setores agora mergulhados numa crise sistêmica que vai jogando-os numa posição caótica, não só no nível econômico, como também no plano psicológico – o que os torna cada vez mais perigosos e imprevisíveis.

Segundo a excelente análise de Jorge Beinstein, economista e professor da Universidade de Buenos Aires (Carta Maior em 02/05/2010), um bom exemplo disto é a proposta de Serra no sentido de revisar, “flexibilizar” e até abolir os acordos do Mercosul, uma posição direitista kamikase que, se mantida, levaria ao suicídio do sistema industrial brasileiro que ficaria exposto à feroz concorrência na América Latina de países desesperados por aumentar suas vendas, a começar dos gigantes econômicos como Alemanha, França, Espanha, na UE, EUA e até China (que acaba de registrar seu primeiro déficit comercial em cinco anos) – todos acossados pela contração do comércio internacional provocada pela crise. Em 2009, as exportações brasileiras caíram cerca de 22% devido à crise,mas essa queda teria sido muito maior sem a existência da retaguarda latinoamericana, sem esses países vizinhos ligados ao Brasil por múltiplos laços econômicos, políticos e culturais. Romper ou “flexibilizar” esses laços em um contexto internacional como o atual, marcado por uma crise que vai se agravando seria uma loucura. O Brasil estaria dando de presente a sua parte dos mercados regionais a competidores de todos os continentes.

A proposta de Serra vai na contramão da tendência global dominante rumo às integrações periféricas em resposta às crescentes dificuldades das economias das potências centrais (EUA, União Européia e Japão). No começo de 2010, a China firmou acordo de integração comercial com os países do Sudeste Asiático, agrupados na ASEAN, um mercado com cerca de 1,9 bilhão de pessoas, e a ASEAN, por sua vez, fez acordo semelhante com a Índia. Somados os dois acordos e as populações envolvidas (China, Índia e países da ASEAN) chega-se a cerca de três bilhões de pessoas, ou seja, quase 45% da população mundial. E esse processo está relacionado com a integração entre China e Rússia que, através da Organização de Cooperação de Shangai, agrupa as ex-repúblicas soviéticas da Ásia Central, devendo também integrar proximamente Índia, Paquistão, Mongólia e Irã.

Este movimento de integração eurasiática incluindo mais da metade da população mundial está mudando não só a estrutura do comércio internacional, mas também suas relações políticas e militares, e é hoje o coração do processo de despolarização mundial, do fim da unipolaridade norte-americana. A outra tendência integradora importante é a da América Latina que, partindo do Mercosul, foi se ampliando, incluindo a Unasul (390 milhões de habitantes) e a recentemente criada Comunidade de Estados Latino-americanos e Caribenhos (CELC).

O vínculo entre esses dois fenômenos regionais é o BRIC – convergência entre Brasil, Rússia, Índia e China, onde o Brasil é precisamente o elo que os articula estrategicamente. O que Serra propõe é um caminho suicida, desfavorável para o pais como um todo (e a médio prazo, desfavorável até mesmo para a elite que ele representa) ou seja: sair do integrador periférico e submeter-se completamente às turbulências do mercado internacional sem nenhum tipo de escudo protetor regional. Assim, o Brasil passaria a fazer parte da estratégia de recomposição geopolítica imperial dos EUA, cujo objetivo principal é a desestruturação das integrações regionais tanto na Eurásia quanto na América Latina.

Beinstein enfatiza: “Serra propõe substituir o Mercosul e as demais alianças periféricas (Unasul, BRIC, etc.) por um conjunto de tratados de livre comércio. A retirada política do Brasil significaria automaticamente um decisivo aumento da influência dos EUA na América Latina, abrindo o caminho para suas estratégias de desestabilização e conquista. O contexto regional de estabilidade obtido na década passada se deterioraria rapidamente, convertendo uma parte importante do entorno geográfico do Brasil numa área caótica, infestada de frentes reacionárias que finalmente conseguiriam afetar nossa estabilidade democrática e dinâmica produtiva.”

No esquema Serra, sem a rede protetora de tais acordos, o Brasil teria só um caminho para continuar se desenvolvendo num mundo cada vez mais hostil: o da competição selvagem respaldada pelo arrocho salarial e impostos reduzidos para os ricos, ou seja, apoiada na miséria crescente do grosso de sua população (começando pelos assalariados e seguindo pelas classes médias), no encolhimento do Estado e, inevitavelmente, na expansão das estruturas repressivas, e assim na rápida deterioração das liberdades democráticas.

Em síntese, é um processo que começa com um discurso comercial e culmina inexoravelmente num modelo político claramente autoritário. Deste modo, Serra passa a formar parte do grupo de políticos latino-americanos de raiz neoliberal, nostálgicos das velhas relações neocoloniais com o Império. Estes políticos, superados pelas tendências integradoras e autonomizantes hoje dominantes, precisam desesperadamente reconquistar o poder, mas a realidade lhes escapa porque agora o momento histórico é seu inimigo.

Cresce assustadoramente a irracionalidade nos sistemas de poder do centro decadente do mundo e, num movimento mimético, também em seus lacaios periféricos. Hoje, as direitas loucas expressam não só o passado (neoliberal) mas, sobretudo, a garantia dum futuro sinistro. Se Serra pretende realmente posicionar-se como o anti-Lula, com o dito no 1º. de maio: “Quem fuma é uma pessoa sem Deus”, ele se define por completo: um composto ruinoso de preconceito, truculência, irracionalidade, excludência burra e, claro, primeiro lugar absoluto em matéria de gafe política.

Só que, na verdade, não foi irracional e muito menos, gafe. Segundo editorial da Carta Maior, o dito condensa mais uma pérola do oportunismo eleitoral tucano: “De um lado, encontra-se aquilo que a Folha denomina como sendo ‘a classe média iluminista’, preocupada com o consumo politicamente correto e a descarbonização do seu almoço sob o capitalismo. Do outro, segmentos da pobreza urbana abandonados pela Igreja Católica e capturados pelo salvacionismo religioso, como o da Assembléia de Deus, de Marina Silva, que patrocinou a pregação de Serra. A operação embutida na frase do tucano busca dar a esse coquetel uma coerência ideológica baseada na idéia de que a questão social no século XXI será resolvida pela ‘técnica’ (agenda verde + ‘gestão eficiente’) e pelo fanatismo religioso.”

Em suma: expressando o pensamento da direita, Serra nunca falou tão sério em sua vida!

*A escritora paulistana Márcia Denser publicou, entre outros, Tango Fantasma (1977), O Animal dos Motéis (1981), Exercícios para o pecado (1984), Diana caçadora (1986), A Ponte das Estrelas (1990), Toda Prosa (2002 – Esgotado), Diana Caçadora/Tango Fantasma (2003,Ateliê Editorial, reedição), Caim (Record, 2006), Toda Prosa II – Obra Escolhida (Record, 2008). É traduzida na Holanda, Bulgária, Hungria, Estados Unidos, Alemanha, Suiça, Argentina e Espanha (catalão e galaico-português). Dois de seus contos – O Vampiro da Alameda Casabranca e Hell’s Angel – foram incluídos nos 100 Melhores Contos Brasileiros do Século, sendo que Hell’s Angel está também entre os 100 Melhores Contos Eróticos Universais. Mestre em Comunicação e Semiótica pela PUCSP, é pesquisadora de literatura, jornalista e curadora de Literatura da Biblioteca Sérgio Milliet em São Paulo.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



65 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Erigutemberg Meneses

10 de maio de 2010 às 08h56

O SERRA SERRA.

O Serra é ferramenta afiada
Que, às mãos destes falsos democratas,
Fará ao povo o que faz com às matas
Maldita serra elétrica endentada.

E o seu discurso é a desafinada
Orquestra de ruídos das ingratas
Engrenagens a dar bem as exatas
Intenções de sua massa perfumada.

– As plantas como o povo não têm alma,
Discursa, e ao governo, que empecilho!
Mas como os terei em minha palma

Não deixarei na terra um só junquilho
E acabarei do povo essa calma
Que lhe deu o PT com tanto brilho.

Erigutemberg Meneses

Responder

Milton Hayek

09 de maio de 2010 às 14h49

Tem até a "mão livre do mercado"…..
[youtube M_4MPn6Wsv8http://www.youtube.com/watch?v=M_4MPn6Wsv8 youtube]

Responder

Milton Hayek

09 de maio de 2010 às 14h49

Tem até a "mão livre do mercado"…..
[youtube M_4MPn6Wsv8http://www.youtube.com/watch?v=M_4MPn6Wsv8 youtube]

Responder

Milton Hayek

09 de maio de 2010 às 14h48

Até os Beatles já viam o significado desse azul dos conservadores:

[youtube M_4MPn6Wsv8http://www.youtube.com/watch?v=M_4MPn6Wsv8 youtube]

Responder

Luís C. P. Prudente

09 de maio de 2010 às 13h30

OS VOTOS DE JOSÉ SERRA NA CONSTITUINTE

1) votou contra o monopólio nacional da distribuição do petróleo;

2) votou contra garantias ao trabalhador de estabilidade no emprego;

3) votou contra a redução da jornada de trabalho para 40 horas;

4) votou contra a implantação de Comissão de Fábrica nas indústrias;

5) negou seu voto pelo direito de greve;

6) negou seu voto pelo abono de férias de 1/3 do salário;

7) negou seu voto pelo aviso prévio proporcional;

8) negou seu voto pela estabilidade do dirigente sindical;

9) negou seu voto para garantir 30 dias de aviso prévio;

10) negou seu voto pela garantia do salário mínimo real.

É trabalhador…. É esse o político que vc quer governando o Brasil?

É por isto que Nosferatu tem que ir para o ostracismo.

Responder

    Carlos

    09 de maio de 2010 às 16h33

    "negou seu voto" = sumiu, escafedeu-se, desapareceu na hora da votação/decisão, uma forma devotar contra sem se comprometer, semmostrar a cara.

    Juros de 12% ao ano: qual a votação do sujeito?

Luís C.P. Prudente

09 de maio de 2010 às 13h13

Definitivamente, Serra é um fascista em pessoa, um asqueroso e nojento sujeito que não liga nada para a questão social, para o povo e para a soliderariedade.

Serra é um mal para o povo brasileiro e por isto temos que derrotá-lo e jogá-lo definitivamente no ostracismo, onde se encontra o outro lesa-pátria, o finado FHC.

Responder

Milton Hayek

09 de maio de 2010 às 13h04

GRANDE DANIEL PEARL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
http://desabafopais.blogspot.com/2010/05/elite-br

"………………….Tenho quase certeza que não viram o mapa acima, em Caras ou na Veja, com dados do ano passado sobre a quantidade de famílias beneficiadas nos estados do país pelo programa do governo federal bolsa família.
Como podemos ver só a região sudeste, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo, chegam a três milhões de famílias, ou seja, 30% do total, que hoje ultrapassa os 12 milhões de famílias atendidas, três vezes mais que um milhão de famílias dos cinco estados do norte juntos.
O três estados do sul do país, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul, têm também um milhão de famílias incluídas no programa bolsa família, números quase idênticos aos cinco estados do norte".

Responder

Milton Hayek

09 de maio de 2010 às 12h52

"http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com/2010/05/por-que-os-serra-alckmin-e-fhc-odeiam.html

Por que os Serra, Alckmin e FHC odeiam tanto os funcionários públicos?

Em entrevista ao Estadão, Geraldo Alckmin (PSDB/SP) se vangloria de fazer hospitais e não contratar nenhum funcionário público, como se isso fosse vantagem. Bem, para quem sucumbiu ao pensamento neoliberal, realmente pensa assim.

Segue o trecho da entrevista:

Estadão: O que considera ser seu maior diferencial em relação ao Mercadante?

Alckmin: Eu vejo a questão da experiência. Nós temos uma experiência bem-sucedida no Estado. Para dar um exemplo, foram 33 hospitais novos. Nenhum funcionário público. E aqui há uma diferença. O PT entende que tem que ser estatal. Nós entendemos que tem que ser público, agora, o gerenciamento você pode ter um parceiro do terceiro setor…….."

Vejam como o DEM/PSDB faz o aparelhamento do Estado pela iniciativa privada.ELES CONSTRÓEM ESTRUTURAS PÚBLICAS COM O DINHEIRO DOS NOSSOs IMPOSTOS E DEPOIS ENTREGAM PARA OS EMPRESÁRIOS AMIGOS,CHAMADOS POR ELES DE "TERCEIRO SETOR".ASSIM,FICA LÓGICO QUE ELE NÃO FAÇAM CONCURSOS PARA EMPREGAR MAIS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS.ESSAS VAGAS JÁ PERTENCEM AOS AMIGOS,PARENTES ,AMANTES E CUPINCHAS DESSES EMPRESÁRIOS QUE NÃO SAEM DA TETA DO ESTADO(NÓS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!).VEJAM!!!ESTÁ NAS ÚLTIMAS LINHAS,DITO PELO PICOLÉ DE CHUCHU.

Esse é o modelo do DEM/PSDB.Capitalismo de compadres,privatização dos lucros e socialização dos prejuízos.Socialismo para os ricos.Aparelhamento do Estado por uma oligarcada empresarial que tem horror ao mercado.Capitalismo,aí no Brasil,é coisa para pobre(vejam os milhares de pequenos empresários nas ruas,como camelôs,sem crédito e apoio do Estado)!!!!
Nunca é demais lembrar das negociatas da Editora Abril(revista VEJA) com o Estado de São Paulo via Paulo Renato e seus amigos do grupo espanhol SANTILLANA:

QUARTA-FEIRA, 5 DE MAIO DE 2010

Editora Abril: outros bons negócios com a educação paulista

http://namarianews.blogspot.com/2010/05/editora-a

Paulo Renato y sus hermanos de España – Relações de um projeto pedagógico
http://namarianews.blogspot.com/2010/05/paulo-ren

Responder

Julio Silveira

09 de maio de 2010 às 12h46

De vez em quando São Paulo inventa uns herois, e quer que o restante do País os adote.
O Serra é a encarnação de macunaima, é o verdadeiro heroi sem carater trazido a vida.
Ou quem sabe a inspiração premonitória do criador do mito.

Responder

    francisco.latorre

    10 de maio de 2010 às 19h48

    opa.

    devagar com macunaíma.

    serra é mau-caráter.

    outro povo.

    ..

Paulo

09 de maio de 2010 às 12h38

Azenha,

Acredito que essa direita que se alinhou ao Serra tem como estratégia principal tomar posse de empresas públicas, e por essa razão, eles vão ter que provocar uma crise para poderem levar o seu plano adiante.

Observe que todas as principais declarações de Serra provocam intervenção no mercado e caso esse mercado tivesse certeza da sua vitóra provocaria essas declarções como a desvalorização do real e a redução dos juros provocariam crise.

Responder

Mc_SimplesAssim

09 de maio de 2010 às 08h51

Olá, Azenha e amigos leitores e comentaristas,

Eu me pergunto como um Estado soberano pode ir à falência.

Quando se trata de um empresa, sabemos que seu patrimônio, após quitados os compromissos trabalhistas, é entregue aos credores como forma de pagamento das dívidas.

Então, no caso de falência do Brasil, que o Serra promete apressar, presumo que a propriedade do nosso território seja transferido para o nome dos credores que também adquirem o direito de escravizar o povo até que todas as dívidas estejam quitadas.

Enquanto isso, nossa elite continua promovendo mega festas e viajando para Miami como se nada tivesse acontecido.

Até que não é má idéia – pelo menos para nossa elite oligárquica.

Abraços

Responder

Elvys

09 de maio de 2010 às 03h56

O que Serra pretende? Extender o cenário do México p/ o restante da América Latina? Olha, se trabalhadores estão de olho no que irá fazer como presidente, com certeza empresários também estão de orelha em pé com suas intenções!!

Responder

M. Iack

08 de maio de 2010 às 22h26

A reportagem citada pelo Marcelo Ramos é de uma excelente repórter, correspondente da Record. Tenho acompanhado o trabalho dela inclusive pelo blog no portal r7. Ela também fez um trabalho muito bom em Honduras.
Com relação à matéria citada, coloco um pequeno trecho e logo abaixo o link para o blog com o vídeo inclusive. Tem tudo a ver com o excelente texto da Márcia Denser.
…. "Com assinatura do Nafta – o acordo de livre comércio com Estados Unidos e Canadá – abriu o mercado mexicano para os produtos agrícolas do vizinho rico do norte. O milho americano, por exemplo, subsidiado pelo governo, é bem mais barato. A competição quebrou muitos agricultores mexicanos, provocou desemprego expulsando do campo muita gente que foi parar na cidade em busca de emprego nas “maquilas”. Mas o projeto não durou muito. Muitas fábricas se mudaram para a Ásia quando ficou mais barato contratar indonésios e chineses. A partir de 2007, com a crise econômica dos Estados Unidos, o modelo que contava com os consumidores gringos para sobreviver, sofreu mais um baque.

O que se vê hoje em Juárez é o resultado desse processo, somado aos efeitos perniciosos das drogas. Corredor cada vez mais importante da distribuição de maconha e cocaína para os Estados Unidos, o México ganhou espaço nesse mercado, e a população passou a consumir drogas como nunca. Há 20 anos, não existe esse problema. Hoje, o número de drogados explodiu. E o número de pequenos traficantes se multiplicou de forma impressionante." ….
http://noticias.r7.com/blogs/correspondentes-inte

Responder

O vice do Lula?

09 de maio de 2010 às 01h11

O capital esta agonizando pelos quatros cantos do planeta,então seria interessante esta analise sobre o kamikaze,José Serra,ser estendida a burguesia neoliberal como um todo.É bom lembrar também que a crise do capital iniciada em 2008,via EUA,continua doente.Não fosse o Estado burguês,capitalista, servir aos seus donos,o "livre mercado" ,já tinha ido pro espaço.Por outro lado,esta claro que não se trata de uma crise de BRICs,ASEAN,NAFTA,MERCOSUL ,enfim… Como disse Marx,o capitalismo monopolista imperialista é o último estágio de "desenvovimento" do capital,e que por isso,ocorreria crises cada vez mais profundas e sequentes,principalmente quando de sua fase de financeirização,onde a lógica é a especulação em detrimento das nações e da classe trabalhadora,que perdem os seus empregos em nome do bem estar das elites,lembrem-se o capital não tem patria,tem sim,lucros.A bola da vez é a Grécia,quem sera o próximo da fila,ou o sistema ira sucumbir de uma vez por todas,assim espero,o socialismo é a opção querendo ou não.

francisco.

Responder

    francisco.latorre

    09 de maio de 2010 às 10h23

    o repique da crise é agora. o ajuste final.

    e é pela europa.

    quebrou o terceiro mundo.. o segundo.. agora o primeiro..

    robert kurz cantava essa bola. desde muito.

    até setembro alivia. na boca da eleição.

    ..

    O vice do Lula?

    09 de maio de 2010 às 15h17

    Xará.latorre,o que mais chama a minha atenção aqui nos comentários é que,no geral,o pessoal não percebe que o PSDB,Dem,PPS,e afins,trazem a reboque os desejos e os valores do capital(lucros,exploração,saques ao Estado,salários miseros,desemprego,definhamento da maquina publica,enfim… O Zé Serra é só mais uma besta do apocalipse,marionete a serviço das elites.O capitalismo esta globalizado,e o BRICs,não esta a margem do sistema,portanto,fazemos parte deste trem chamado economia de mercado,logo,estamos,também sujeitos a uma derrocada economica capitaneada pela locomotiva de nome G7. O Brasil é coadjuvante na história do capitalismo mundial,esta com soluço economico,mais conhecido por nós como marolinha,que a qualquer momento podera ser convocado involuntáriamente a participar deste maremoto,que hora atormenta os kamikazes do capital.

    francisco.

Glecio_Tavares

09 de maio de 2010 às 01h09

É fora de pauta mas achei uns videos interessantes sobre campanha antecipada e uso da maquina para eleger FHC e o Ricupero ainda fala que agindo assim beneficia a globo que não precisa fazer como a ultima ( a do Collor ).

O apresentador é aquele palhaço o Arrelia no SBT :http://www.youtube.com/watch?v=hzYhVbX4OYU&fe
Aqui a continuação com mais detalhes sórdidos ;http://www.youtube.com/watch?v=70eGz3g7h2g&fe
Este é no JN e a parte que fala da globo e do fantastico são cortadas:http://www.youtube.com/watch?v=r_4TtpvkSWE&fe

Responder

francisco p neto

09 de maio de 2010 às 01h01

Pelo o que escreveu, vê-se que Márcia é uma pessoa com grande visão da transformação da política economica que mundo passa no momento.
Infelizmente muitos que vão votar não têm esse diagnóstico e muito menos ler essa matéria.

Responder

parte1

09 de maio de 2010 às 00h45

Em tempos de covardias acomodadas em belos assentos burgueses, é uma delícia saber que alguém, em uma categoria que sempre se fez ouvir mas anda estranhamente calada em um momento tão crucial para o país, manifesta-se com esta coerência e contundência. É animador!

Responder

Guilherme Milani, SP

09 de maio de 2010 às 00h21

O Choque de Gestão direitista tucano eletrocutou todo mundo onde foi implantado, mas poupou os amigos emplumados da Alstom, da Via Amarela, da turma dos pedágios…

Responder

laura

08 de maio de 2010 às 20h45

Até que enfim uma análise interessante sobre o que nos rodeia.
Só faltou assinalar a censura e "ditadura" mirrada e falseada sob a aparência criada como imagens e manipulação midiática e da judicialização da política.É assustador, o processo facista em que estamos mergulhados sob o silencio do videoscape que faz "serra" estar"ganhando da imcompetente Dilma o que é apenas , imagem. E NINGUÉM DIZ NADA>. Estou impressionada com essa imposição midiática de imagens e da censura via judiciário( GILmar Mendes é agora suplente do TSE- imginem o que vai acontecer cesnura ao PT e divulgação de programas ), com a colaboração, inclusive da terrível loira Ministra do Supremo, sempre fazendo os "favores" necessários.

Responder

    beattrice

    08 de maio de 2010 às 23h20

    De fato, essa perspectiva de que "a questão social no século XXI será resolvida pela ‘técnica’ (agenda verde + ‘gestão eficiente’) e pelo fanatismo religioso", é simplesmente perfeita.
    Essa, por exemplo, é a definição por excelência do pensamento al-ckmista.
    Uma falsa gestão eficiente associada ao mais puro fundamentalismo religioso, no caso do opus dei.
    E as conseqüências desse desastre tecno-religioso estão em SP, para quem interessar queira e entender possa.
    Aliás, esse desastre ambulante anunciou hoje que é candidato a destruir o estado, de novo.

    francisco.latorre

    09 de maio de 2010 às 10h26

    mídia e judiciário.

    assusta.

    ..

Glecio_Tavares

08 de maio de 2010 às 21h58

Se falando o Serra faz tanta besteira, imagina dirigindo o país?
Impossível aceitar que alguém como ele não consegue perceber que perdeu o rumo.
O país merece muito mais que Serra, o país merece Dilma.
Até outubro até os filiados ao PSDB estarão votando na Dilma, pois a quantidade de besteiras que ainda vão sair da boca do pré-parado vão conduzi-lo ao abismo que está o FHC.

Responder

    Pedro Miranda

    08 de maio de 2010 às 23h27

    O problema é que a sociedade não vai ter conhecimento dos pensamentos de Serra, muito menos do que ele vai ser capaz de fazer de mal para o País, pois o PIG lhe mostrará como essa candura de pessoa que sabemos não ser. E aí mora todo o perigo!

Carlos

08 de maio de 2010 às 20h37

Flexibilizar quer dizer: enfiar o punhal no coração alheio, mas usando anestesia.

Responder

    Glecio_Tavares

    08 de maio de 2010 às 22h02

    Isso ele disse tentando consertar a besteira que havia dito antes. Segundo o jornal argentino pagina 12, como se flexibiliza uma farsa? Mistério. Mas do PSDB não espero outra coisa que falas bravateiras, o próprio presidente do partido, o senador pernambucano Sergio Guerra, disse que ia acabar com o PAC e no site dele vi as obras do PAC em Pernambuco que ele tratava como conquistas suas. Outros expoentes do mesmo partido disseram que o PAC não existe. E a cada inauguração eles se alucinam.

Urbano

08 de maio de 2010 às 17h12

O pragmatismo do Governo Lula, principalmente na política econômica, não nos permite aventuras nessa área, ademais com promessas vãs vindas de onde vêm, no caso dos ‘demo-tucanos’, que nos jogaram ribanceira abaixo quando de idênticas ações nefastas, ora propagadas pelo candidato da oposição ao Brasil e aos brasileiros, durante o último desgoverno que participou. Temos que ter a convicção permanente de que o zé burranha e seus aliados não são confiáveis, pois sempre se empenharam com unhas e dentes em rifar o país, através de uma jogatina de cartas marcadas, onde só ganham os donos da banca.

Responder

Antonio Leandro

08 de maio de 2010 às 16h35

As direitas neocoloniais não estão nem aí para nada, a não ser enriquecer cada vez mais, aprofundar o pacto neocolonial internacional e não perder o poder, através de uma imagem de gente que faz, de gente preparada e competente, gente universitária, estudada, doutorada – enfim pilantras diplomados e com boa imagem, construída através de seus meios de comunicação.
O Presidente Lula vacilou por não ter criado, de alguma forma, canais de tv que expressem os anseios do povo e mostrem as questões políticas, sociais e econômicas numa ótica que favoreça o povo. Mandei a ele diversos e-mails pedindo isso, mas não aconteceu.

Responder

    Glecio_Tavares

    08 de maio de 2010 às 22h03

    Antonio, tem a TV Brasil. Acho ainda que Lula deveria ter fundado um jornal impresso em varias capitais, mas quem sabe no ano que vem. A noticia do petroleiro lançado ao mar esta semana foi escondida pela midia suína. Quando todos os brasileiros vão saber que podem ter orgulho do Brasil?

    beattrice

    08 de maio de 2010 às 23h21

    O problema Glécio é que a TV BRASIL tem ainda pouca repercussão, embora a programação dela seja muito boa.

    beattrice

    08 de maio de 2010 às 23h51

    Antonio,
    a sintonia do canal TV BRASIL do governo federal encontra-se detalhadamente explicada por um comentarista, o Pape, no link: http://www.tijolaco.com/?p=14061

    beattrice

    08 de maio de 2010 às 23h51

    Antonio,
    a sintonia do canal TV BRASIL do governo federal encontra-se detalhadamente explicada por um comentarista, o Pape, no link: http://www.tijolaco.com/?p=14061

Fernando

08 de maio de 2010 às 19h24

Serra é ser vaidoso sedento de poder, é só ver suas entrevistas quando é contrariado, e que se alia com o CAPETA se isso for para atingir o poder, só uma pessoa muito débil para acreditar em qualquer coisa que ele diga. Uma pessoa com um minimo de discernimento vê que para cada plateia ele diz uma coisa, nem o Maluf é assim. Só precisamos mesmo é de um jornalista de verdade para levantar o tapete e mostrar a sujeira.

Responder

    beattrice

    08 de maio de 2010 às 23h43

    Por essas e por outras que ele é muito pior que o Maluf, mas muito.
    Por essas e por outras que já passou da hora de se criar o verbo, tucanar,
    ou seja mudar conforme a biruta do aeroporto.

    Glecio_Tavares

    08 de maio de 2010 às 22h05

    Fernando é como no caso das pesquisas, só servem para ele pesquisas de determinados institutos. Ele quer escolher quem pode e quem não pode votar no Brasil. Como no caso da globo que só vai mostrar as pesquisas dos institutos serristas.

Aldo Luiz

08 de maio de 2010 às 19h12

“A Comissão Europeia (CE) reconhece que um acordo de associação entre a União Europeia e o Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai) poderia trazer "grandes perdas" para a agricultura comunitária, segundo um documento interno ao que teve acesso a agência EFE.”
A Inglaterra pode se dar ao "luxo" de não usar urnas eletrônicas e contar os votos, pois tanto faz quem ganhe sempre defenderá a eterna realeza e a sua nova (velhíssima) ordem mundial escravagista com seus inatingíveis fiéis banqueiros. No “nosso caso” é importante interromper a qualquer custo "o processo democrático" sustentado a duras penas pelo Lula, e Dilma torna-se um estorvo dentro da urgência dos planos da NWO para a implantação do 4º REich no planeta. A América Latina é seu “back yard”. Sua agenda acelera na medida em que o tempo escoa. José Serra e asseclas há muito venderam suas “almas” ao demônio e têm a missão de fazer ao preço inclusive de sangueira, o que Alkimin e FHC atrapalharam com suas burrices e vaidades. Agora eles, a N W O escravista tem pressa.. Urge interromper e desmontar o processo "lulista" para execução dos planos belicosos e antidemocráticos da gang que se apossou do poder em Washington DC. e segue os ditames da elite no alto da pirâmide para manutenção do poder e definitiva exploração do planeta. O Brasil especialmente, florão da América, é sua terra prometida. Pensemos fora da matrix: se não para que milhões de caixões de plástico para mais de tres cadáveres, mais de oitocentos campos de concentração já construídos desde antes de Bushe (s) e prontos para uso, genocídas vacinações em massa cuidadosamente planejadas e encobertas pela midiocracia de sua propriedade e toda esta decomposição das economias européia e mundial? Estamos preocupados demais com as árvores das eleições e não estamos vendo a sombria floresta. Querem as explosões dos arquitetados "riots", revoltas, para melhor extermínio dos senzalados inssurretos pelas forças repressoras , unificadas., treinadas, uniformizadas e padronizadas em todo o planeta. Priorizam sempre a repressão em detrimento da civilização… Ou não?
Sinto muito, te amo, sou grato

Responder

Lincoln, BHte

08 de maio de 2010 às 18h33

Como o tema é tb a direita algo q julgo ser importante: Juan Arias, 'nosso' velho conhecido, na capa do El Pais online de hoje, sábado: "Detenido en Brasil el supuesto 'número dos' de las FARC" Ele dá como referência da notícia o site Terra do Brasil mas 'incorpora' o seguinte trecho como sendo parte da notícia mas q se trata na verdade, como pode ser checado por qualquer um, de comentário de um 'leitor': 'Según el portal Terra, el primero en dar la noticia, la detención del cabecilla de las FARC podría crear tener repercusión política en el gobierno brasileño, ya que la guerrilla figura oficialmente en el Foro de Sâo Paulo, una institución que reúne a todos los movimientos de izquierdas de América Latina.' Reclamei ao El Pais q nada fez, aí lembrei-me daquela 'licitação' do governo paulista para comprar exemplares só do El Pais para o ensino de espanhol e…'Serrá' q tem a ver?!

Responder

enoque

08 de maio de 2010 às 15h06

Lacáioperiféricovendilhãodapátriasanguessugadossiêpedágioalagão…

Responder

    beattrice

    09 de maio de 2010 às 00h25

    Nome de princípe: compridoooooooooooooo…
    Príncipe das trevas.

Lucas Cardoso

08 de maio de 2010 às 14h49

Não duvido que as conclusões do autor sejam verdadeiras, se (vade retro!) o Serra virá presidente. Mas discordo enfaticamente dos argumentos.

"(…)globalmente,forçou os vários países a um movimento autodefensivo integrador-regionalista como estratégia, não só de evasão da crise(…)"

Você ouviu falar do que tá acontecendo na União Européia? Não apenas o alto grau de integração não ajudou a se proteger da crise como fez com que seus efeitos se espalhassem muito mais rapidamente (tanto que pode ameaçar novas conquistas naquele admirável bloco).

"(…)globalmente, deixou como viúvas as chamadas “direitas loucas”, praticantes do kamikazismo histórico,(…)"

A direita está ganhando força na Europa, e com ela, movimentos anti-integração. A eleição britânica, por exemplo, foi mais entre os Conservatives e os Liberal Democrats. Labour não teve chance (não que, hoje em dia, Labour seja muito esquerdista, mas os Conservatives são muito mais de direita, e contra maiores integrações com a UE).

Não sou contra a Mercosul, na verdade, sou a favor. Mas sou a favor sob uma ótica de integração regional, que traz coisas boas e ruins. Se a Mercosul avançar em seus projetos de integração econômica e futuramente (espero) política, nós vamos ter que prestar bastante atenção nos outros países membros, e mandar ajuda quando precisarem, porque uma crise em um pode virar uma crise em todos.

E a "direita kamikase" sempre se dá bem em crises.

Responder

    Uedden

    08 de maio de 2010 às 16h57

    Legal Lucas Cardoso, díficil mesmo é vc convencer a Europa, a voltar para o passado, ou seja, acabar com a UE. Assim como o sERRA propõe a dar cabo detonar a MERCOSUL.
    Boa Sorte!!!

    Lucas Cardoso

    09 de maio de 2010 às 01h06

    Você devia tentar ler antes de responder. Eu sou a favor da Mercosul. Eu sou a favor da UE. Eu sou a favor de qualquer bloco que vise à integração regional e/ou política. Eu sou contra a NAFTA. Eu sou contra a ALCA. Eu sou contra qualquer bloco que vise à dominação de um país sobre outros.

    Não quero que a Europa volte pro passado. Acho a União Européia a instituição mais promissora da História (se os países europeus, com todas as suas diferenças, conseguirem se unir, então ainda há esperança). Estou preocupado porque aqueles que querem estão ganhando eleições por lá, principalmente agora com essa crise.

    @stadoanarquista

    09 de maio de 2010 às 12h52

    Lucas, de fato. É em épocas de crise que a canalha viceja…

    Glecio_Tavares

    08 de maio de 2010 às 22h10

    La na união européia os países ricos serão obrigados a ajudar os países pobres.
    Lucas voce acha isso errado? Quando a Bolivia deu um basta para a petrobrás e nacionalizou as refinarias, muitos achavam que Lula deveria declarar guerra ao Evo. Com sensatez a petrobrás teve lucros recordes no período. Sendo considerada umas das melhores empresas do mundo. No caso de nossos vizinhos cada vez fica mais claro para eles que nós não somos iguais ao império. Queremos desenvolvimento para o mundo. Queremos acabar com a insanidade do capitalismo selvagem. Vamos ganhar dinheiro, porém sem passar por cima de nenhum cadáver.

francisco.latorre

08 de maio de 2010 às 14h41

a data tá errada.. parece.. 17 de dezembro de 2004 às 15:19

aí não aparece nos recentes. vai sumir o poste.

abs.

..

Responder

    Luiz Carlos Azenha

    08 de maio de 2010 às 15h04

    Latorre, vou verificar o que aconteceu com a data do post. abs

Geloca

08 de maio de 2010 às 14h37

Que beleza de reflexão!

Responder

Renan

08 de maio de 2010 às 14h17

Excelente artigo!

Responder

Marcos de Desterro

08 de maio de 2010 às 17h14

"No esquema Serra, sem a rede protetora de tais acordos, o Brasil teria só um caminho para continuar se desenvolvendo num mundo cada vez mais hostil: o da competição selvagem respaldada pelo arrocho salarial e impostos reduzidos para os ricos, (…) das liberdades democráticas."

Acho que esse é o cerne da questão e da escolha que faremos em outubro. quem quiser esse cenário descrito pela autora, vota "no" Serra". Quem quiser um outro cenário, mais democratico, vota "com" Dilma.

Só acho que o que a autora descreveu acima não é bem definido como 'desenvolvimento"; termos como predação ou canibalismo econômico descrevem melhor a "utopia" do PSDB e da gang a ele atrelada… Com a vitória do Serra, nós arriscamos evoluir para uma cenário muito próximo do que passa hoje a comunidade européia – que corre o risco de se fragmentar -…

Responder

@stadoanarquista

08 de maio de 2010 às 17h01

A besteira foi tão grande que nem o Ubaldo, que defende o indefensável, nem o dvorak, que tegiversa sobre o litoral da Bolívia, tiveram coragem de vir defendê-lo. E o pior que não deu para fazer como no caso de Santa Catarina, simplesmente dizer que não disse…

Responder

francisco.latorre

08 de maio de 2010 às 16h54

méxico. foi ontem quase. 2006.

houve um golpe mão-grande. caradura total.

obrador mobilizou a população. resisitiram meses as manifestações.

mesmo assim o méxico foi pro ralo. através de uma fraude eleitoral.

o fantasma na eleição não é a 'operação honduras'.

é a 'operação méxico'. esse o plano imperial.

ainda bem que o império decadente vai mal das pernas.

e das mentes. os amerikas' não tão entendendo mais nada.. mundo muda. e à revelia. tão tontinhos. pirdidos..

podendo pouco e entendendo menos ainda.

império cadente. o filme. imperdível.

tá em cartaz. a cada segundo na sua/nossa rede mundial.

desconstrução coletiva de 'verdades' cristalizadas. ao vivo. instantâneo.

costume por hábito. hábito por costume. o cimento reacionário. desmancha no ar.

filmão esse. muito bom estar presente.

queria poder contar aos avós que não viram.

aí curto mais. pra chegar mais longe o sentimento bom que o brasil conquistou.

tô aplaudindo. estamos. e participando.

bom da gota.

..

Responder

Daniel Campos

08 de maio de 2010 às 16h13

O Serra têm um plano de governo bem definido: Entregar tudo para os norte-americanos. Talvez em troca de um cantinho em Miami para poder fugir das consequências

Responder

Tweets that mention Márcia Denser: Serra e a direita kamikase - (via -- Topsy.com

08 de maio de 2010 às 12h58

[…] This post was mentioned on Twitter by VIOMUNDO, José Carlos VAZ, Roni Souza, Frederico Maya, Simplicio and others. Simplicio said: O retrocesso do consórcio FHC-SERRA-PSDB-DEM por Márcia Denser: "Serra e a direita kamikase" – http://tinyurl.com/2ezfsob (via @viomundo) […]

Responder

Denise Ribeiro

08 de maio de 2010 às 15h56

Parabéns, Marcia, pela brilhante análise

Responder

francisco.latorre

08 de maio de 2010 às 15h53

Cresce assustadoramente a irracionalidade nos sistemas de poder do centro decadente do mundo e, num movimento mimético, também em seus lacaios periféricos. Hoje, as direitas loucas expressam não só o passado (neoliberal) mas, sobretudo, a garantia dum futuro sinistro. Se Serra pretende realmente posicionar-se como o anti-Lula, com o dito no 1º. de maio: “Quem fuma é uma pessoa sem Deus”, ele se define por completo: um composto ruinoso de preconceito, truculência, irracionalidade, excludência burra e, claro, primeiro lugar absoluto em matéria de gafe política.

Só que, na verdade, não foi irracional e muito menos, gafe. Segundo editorial da Carta Maior, o dito condensa mais uma pérola do oportunismo eleitoral tucano: “De um lado, encontra-se aquilo que a Folha denomina como sendo ‘a classe média iluminista’, preocupada com o consumo politicamente correto e a descarbonização do seu almoço sob o capitalismo. Do outro, segmentos da pobreza urbana abandonados pela Igreja Católica e capturados pelo salvacionismo religioso, como o da Assembléia de Deus, de Marina Silva, que patrocinou a pregação de Serra. A operação embutida na frase do tucano busca dar a esse coquetel uma coerência ideológica baseada na idéia de que a questão social no século XXI será resolvida pela ‘técnica’ (agenda verde + ‘gestão eficiente’) e pelo fanatismo religioso.”

Em suma: expressando o pensamento da direita, Serra nunca falou tão sério em sua vida!

..

foi na veia..

vale repetir.

..

Responder

Gerson Carneiro

08 de maio de 2010 às 15h20

E por falar em "direita kamikase", Miriam Leitão está anunciando no site da CBN:

“Medo generalizado de crise pede muito cuidado com os mercados de capitais”.

Ainda bem que moro no interior (e não em capital), e não faço compras em mercados, apenas na feira. E sou valente, não tenho medo. Estou livre da urucubaca.

Responder

    beattrice

    09 de maio de 2010 às 00h29

    Gerson, miss piggy é uma terrorista econômica.

Jose

08 de maio de 2010 às 14h36

Excelente texto, claríssimo. Eis porque mister serra se comporta como biruta de aeroporto. Sua proposta, como está claro, é para interesses outros, não para nós brasileiros. Não é publicável.

Responder

Arnold Bezerra

08 de maio de 2010 às 14h33

A coisa tá complicada nos EUA e na Europa. Não é hora de aventuras suicidas como estas que o Serra está propondo. Se estas soluções fossem boas o Brasil não teria quebrado treis vezes nas mãos destes Tucanos irrespponsáveis. Então nada de tentar reinventar a Roda!

Responder

Marcelo Ramos

08 de maio de 2010 às 14h01

Galera, vocês viram ontem um programa na Record sobre o México ontem? O país praticamente virou uma grande favela, dominada ou por traficantes ou pelas fábricas americanas que vão atrás dos baixíssimos custos dde mão de obra. Em conjunto com o NAFTA, destruiram a agricultura mexicana, criando um exército de ex-agricultores desocupados. Ficar sob a influência americana é isso aí. O Brasil vai dizer não a essa influência.

Responder

    @rldigital

    08 de maio de 2010 às 15h48

    Putz, não vi programa, mas imagino como deve ter sido.

    O Lula mexicano – Lopez Obrador – perdeu. Ganhou o demotucano de lá, Felipe Calderón. Um verdadeiro calderón de privataria, concentração de renda e subserviência aos EUA. Deu no que deu…

    O México sempre foi usado como exemplo pelas Miriams e Sardenbergs da mídia. O resultado taí.

    beattrice

    09 de maio de 2010 às 00h23

    O documentário foi realmente dramático, mostrando muito bem os riscos dessa opção neoliberal na AL.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.