VIOMUNDO
O VIOMUNDO só é possível também através de anunciantes, e detectamos que você utiliza um AdBlock, bloqueador de anúncios.
Por favor considere ajudar o VIOMUNDO desativando o bloqueador para este site.
Cartas de Minas
Cartas de Minas

Jorge Viana: Desembargadora que difamou Marielle não tem condições de julgar ninguém

20 de março de 2018 às 16h10

Foto Mídia Ninja

O CNJ tem sido muito condescendente em relação à punição de magistrados. O corregedor declarou que estava na corregedoria para blindar juízes. Se ele continuar assim, ela não será punida. Se for ouvir a opinião pública, ela vai ser punida. Eliana Calmon, ex-corregedora geral de Justiça

Jorge Viana cobra do CNJ punição à desembargadora que atacou Marielle

da assessoria do senador

Senador alerta para clima de ódio no país e lamenta ataques à vereadora assassinada no Rio e caluniada por desembargadora.

“Há um protagonismo perigoso do Judiciário”, alertou

O senador Jorge Viana (PT-AC) criticou duramente autoridades do Judiciário e do Legislativo por mergulharem numa campanha de ódio, disseminando conteúdo preconceituoso e difamatório nas redes sociais.

Ele cobrou do Conselho Nacional de Justiça uma punição à desembargadora federal Marília Castro Neves, Rio de Janeiro, que acusou Marielle Franco de manter um vínculo com o crime organizado.

Viana fez um duro pronunciamento na tarde desta segunda-feira, 19 de março, a propósito da execução da vereadora Marielle Franco, do PSOL, assassinada na quinta-feira, no Rio de Janeiro, junto com o seu motorista, Anderson Gomes.

Ele alertou para a escalada de ódio no país.

“Do mesmo jeito que tivemos uma comoção, uma união de ideias, pensamentos, orações e rezas pela memória dessa Marielle Franco, começamos a ver nas redes sociais uma campanha de ódio”, lamentou.

“Ela [a desembargadora Marília Castro Neves] é uma das personagens do que chamam de juízes Free Facebook, pessoas do Judiciário que estão livres nas redes sociais, fazendo esse tipo de barbaridade, cometendo todo tipo de crime”, denunciou.

“Será que não era aí a manifestação da ministra Carmen Lúcia, presidente do STF, dos ministros dos tribunais superiores?”, cobrou.

O senador defendeu que a desembargadora renuncie ao cargo.

“Ela deveria pedir para sair da função de juíza, renunciar à função”, disse.

Viana cobrou rigor do CNJ e criticou o protagonismo perigoso que pessoas do Judiciário vêm assumindo, falando fora dos autos.

“Faço um apelo ao CNJ: façam o controle externo do Judiciário. Essa injustiça que a desembargadora e outros colegas dela cometeram contra a memória da Marielle, de sua família, de sua filha, de sua irmã não pode ficar impune”.

“Fico muito triste quando vejo esse perigoso protagonismo, esse criminoso protagonismo de componentes do Judiciário. Acho uma barbaridade, uma loucura um país como o nosso botar câmera ao vivo, sessão transmitida ao vivo dos tribunais, das audiências, no Supremo Tribunal, no STJ. Nenhum país do mundo tem isso”, lembrou.

“Não conheço a desembargadora e não posso fazer nenhum julgamento, mas ela não tem condição moral ou mental de julgar qualquer pessoa”, criticou Viana.

“Queria ver uma demissão por justa causa de uma pessoa que tem a prerrogativa constitucional de nos julgar a todos, mas que não está à altura de julgar ninguém. Ela estava condenando uma alma”.

Leia também:

Com apoio da Globo, Cármen Lúcia não convoca reunião de ministros do STF

 

4 Comentários escrever comentário »

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

maria do carmo

21/03/2018 - 08h23

Debiu concordo principalmente com a presidente Carmem Lucia no CNJ, a sesembargadora, nao respeitou nem a professora Debora com Sindrome de Down, preconceituosa dra Marilia lembra a que se dizia socielite Day McCarty, infelize e cheias de odio, Rodrigo Viana esta certo, desembargadora nao tem condicoes de julgar ninguem!

Responder

deblu

20/03/2018 - 22h05

O CNJ faz parte da panela do judiciário. Na atualidade não tem sentido sua existência.

Responder

    maria do carmo

    21/03/2018 - 08h04

    Debiu concordo principalmente com a presidente Carmem Lucia…

FrancoAtirador

20/03/2018 - 16h25

A “Embargadora” Marília Pertence a um Grupo Fechado
para “Participação Exclusiva de Magistrados” na Internet
https://pbs.twimg.com/media/DYiwT1hWkAA9s59.jpg

Responder

Deixe uma resposta