VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Jair de Souza: Por que os ricos não pagam quase nada de impostos no Brasil?
Reprodução twitter
Você escreve

Jair de Souza: Por que os ricos não pagam quase nada de impostos no Brasil?


01/08/2020 - 20h00

Por que os ricos não pagam quase nada de impostos no Brasil?

Por Jair de Souza*

Nenhuma sociedade pode existir dignamente sem a existência de impostos. Todos os serviços públicos dependem de impostos para funcionar.

De nossas inúmeras necessidades, todos aspiramos a uma escola pública de qualidade, a um atendimento médico público eficiente, a um transporte público digno e a um sistema de segurança que realmente nos proteja.

Mas, como ter acesso a isso sem recursos para bancar os custos?

Os ricos só se preocupam com os serviços públicos de repressão policial e com o judiciário, porque são os que lhes servem melhor para conter a rebeldia popular e os protestos dos trabalhadores e dos pobres em geral.

Porém, eles não dão a mínima para as necessidades básicas do povo trabalhador.

Como os ricos têm dinheiro, eles preferem pagar escolas particulares para seus filhos a contribuir para manter escolas públicas de qualidade para os filhos dos trabalhadores.

O mesmo se dá em relação com a saúde, pois, como os ricos têm como pagar por clínicas e hospitais particulares, estão contra o financiamento público da assistência médica destinada ao povo.

Por isso, eles não querem pagar impostos.

Mas, para angariar simpatia e apoio político na sociedade, tratam de fazer com que os pobres e a classe média também acreditem que o pagamento de impostos são ruins para a sociedade como um todo.

Nada disso! Os impostos são fundamentais.

No entanto, quem deveria arcar com o maior peso dos impostos são aqueles que ganham mais, e não os que ganham pouco.

No Brasil, os ricos quase não pagam impostos.

São os trabalhadores os que arcam com a maior parte da carga tributária.

Enquanto nos países desenvolvidos da Europa, nos Estados Unidos e no Japão, por exemplo, a carga tributária direta é muito mais rigorosa e vai se elevando conforme o nível dos rendimentos, chegando a ultrapassar os 50%, no Brasil a alíquota máxima se congela em 27,5.

Ou seja, um assalariado de classe média que ganhe R$ 15.000,00 por mês, vai pagar os mesmos 27,5% que um super-executivo que receba R$ 500.000,00.

Precisamos acabar com isto.

O exemplo dado a seguir tem a intenção de expor a injustiça da tributação existente no Brasil, onde o imposto direto sobre a renda dos ricos é insignificante, ao passo que o grosso da arrecadação se dá através do imposto sobre os bens de consumo.

Para tornar mais inteligível a questão da tributação injusta, elaborei um cálculo tomando um Brasil hipotético onde existem 100 milhões de pessoas contribuintes.

Destes, 80 milhões são trabalhadores que recebem em média 2500 reais por mês, e outros 20 milhões de ricos que ganham em média 40.000 reais.

Estou fazendo também a suposição realística de que os trabalhadores gastam todo seu rendimento em bens de consumo, e que cada rico gasta em bens de consumo uma média 10 vezes maior do que a de cada trabalhador.

Além disso, vamos imaginar que neste Brasil hipotético toda a tributação se faça apenas através da taxação dos bens de consumo e que a alíquota média cobrada seja de 25% sobre seu valor de mercado.

Este é um exemplo simplificado, só para facilitar sua compreensão, ainda que bem ilustrativo da essência do problema.

Na realidade, a situação é ainda pior.

— Renda total do país = R$ 1.000.000.000.000,00, sendo R$ 200.000.000.000,00 (trabalhadores) + R$ 800.000.000.000,00 (ricos).

— 80.000.000 trabalhadores x 2.500 reais = R$ 200.000.000.000,00.

— Gastos no consumo por trabalhador = R$ 2.500,00. Imposto por trabalhador (25% de 2.500) = 625,00. Total de impostos = R$ 50.000.000.000,00,

Ou seja, os trabalhadores pagam de impostos 25% do que ganham, que significa R$ 50.000.000.000,00.

— 20.000.000 de ricos x 40.000 reais = R$ 800.000.000.000,00.

— Gastos de consumo por rico = R$ 6.250,00. Imposto por rico (25% de 6.250,00) = 1.562,50. Total de impostos = R$ 31.250.000.000,00

Ou seja, os ricos pagam de impostos 3,9% do que ganham.

No final, da carga tributária total (R$ 81.250.000.000,00), o conjunto dos trabalhadores arcam com 61,54%, enquanto que os ricos somente com 38,46%.

É por isso que os ricos só aceitam sem reclamar a tributação em cima dos bens de consumo, e não a tributação direta em cima dos rendimentos.

Acabar com esta tremenda injustiça não vai ser tarefa fácil.

Devemos nos preparar para desmascarar aqueles que desejam manter os privilégios dos eternos apaniguados e tratam de fazer terrorismo toda vez que se levanta a necessidade de taxação sobre os mais ricos.

Precisamos nos esforçar para que o conjunto do povo trabalhador (incluindo a classe média) venha a entender que para haver justiça social que beneficie a todos (inclusive aos próprios ricos), é fundamental que seja feita uma profunda reforma tributária que obrigue aos mais privilegiados a cumprir com seus deveres sociais.

*Economista formado pela UFRJ; mestre em linguística também pela UFRJ.



Ajude o VIOMUNDO a sobreviver

Nós precisamos da ajuda financeira de vocês, leitores, por isso ajudem-nos a garantir nossa sobrevivência comprando um de nossos livros.

Rede Globo: 40 anos de poder e hegemonia

Edição Limitada

R$ 79 + frete

O lado sujo do futebol: Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

R$ 40 + frete

Pacote de 2 livros - O lado sujo do futebol e Rede Globo

Promoção

R$ 99 + frete

A gente sobrevive. Você lê!


5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Henrique Martins

03 de agosto de 2020 às 12h47

https://br.sputniknews.com/russia/2020080315899004-russia-analisa-producao-de-vacina-contra-covid-19-no-brasil/

Eles estão certos. A vacina russa será padrão no mundo simplesmente porque é a vacina que vai funcionar.

Responder

Zé Maria

02 de agosto de 2020 às 17h24

E para se fazerem de bonzinhos com os pobres,
os Ricaços, fazendo-se de generosos e bonzinhos,
ainda criam umas tais Fundações supostamente
Filantrópicas que, realizam doações aos pobres
para depois as deduzirem na Declaração Anual
do Imposto de Renda que já pouco contribuem.

Responder

Henrique Martins

02 de agosto de 2020 às 11h49

URGENTE

A Fiocruz

Sobre os casos de pessoas que estão apresentando Covid algum tempo depois de curadas, soube agora de um médico que está apresentando novamente a doença três meses depois de curado.

Pois bem. Sugiro que os cientistas pesquisem se o vírus eventualmente fica no organismo em carga viral mínima não detectável por exames após a fase aguda que seria 14 dias.

Digo isso porque com os tratamentos mais modernos o HIV não é detectado por exames. O vírus da herpes zoster também pode ficar camuflado no organismo.

Tudo indica que não se trata de re-infeccao.

Responder

Mancini

02 de agosto de 2020 às 10h16

Até na tributação, o nosso modelo econômico é altamente concentrador de renda. Há quantos anos a tabela do IR não é atualizada? https://refazenda2010.blogspot.com/

Responder

Marco Vitis

02 de agosto de 2020 às 01h09

Penso que rico não paga o imposto socialmente justo por duas razões:
(1) a elite econômica não tem compromisso com a Nação. Para eles o Brasil é um espaço geográfico a ser dilapidado para enriquecê-los
(2) os políticos progressistas têm medo de enfrentá-los. O PT passou 12 anos no poder e manteve a injusta regressividade no imposto e manteve a desigualdade social (IDH).

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!