VIOMUNDO

Diário da Resistência


Hildegard Angel: Marisa Letícia Lula da Silva, palavras que precisavam ser ditas
Você escreve

Hildegard Angel: Marisa Letícia Lula da Silva, palavras que precisavam ser ditas


05/01/2011 - 13h39

lula

por  Hildegard Angel*, no R7, via Pastorador, sugestão do leitor Rios

Foram oito anos de bombardeio intenso, tiroteio de deboches, ofensas de todo jeito, ridicularia, referências mordazes, críticas cruéis, calúnias até. E sem o conforto das contrapartidas.

Jamais foi chamada de “a Cara” por ninguém, nem teve a imprensa internacional a lhe tecer elogios, muito menos admiradores políticos e partidários fizeram sua defesa

. À “companheira” número 1 da República, muito osso, afagos poucos.

Dirão os de sempre, e as mordomias? As facilidades? O vidão?

E eu rebaterei: E o fim da privacidade? A imprensa sempre de olho, botando lente de aumento pra encontrar defeito? E as hostilidades públicas? E as desfeitas? E a maneira desrespeitosa com que foi constantemente tratada, sem a menor cerimônia, por grande parte da mídia? Arremedando-a, desfeiteando-a, diminuindo-a?

E as frequentes provas de desconfiança, daqui e dali? E — pior de tudo — os boatos infundados e maldosos, com o fim exclusivo e único de desagregar o casal, a família?

Ah, meus queridos, Marisa Letícia Lula da Silva precisou ter coragem e estômago para suportar esses oito anos de maledicências e ataques. E ela teve.

Começaram criticando-a por estar sempre ao lado do marido nas solenidades.

Como se acompanhar o parceiro não fosse o papel tradicional da mulher mãe de família em nossa sociedade.

Depois, implicaram com o silêncio dela, a “mudez”, a maneira quieta de ser.

Na verdade, uma prova mais do que evidente de sua sabedoria. Falar o quê, quando, todos sabem, primeira-dama não é cargo, não é emprego, não é profissão?

Ah, mas tudo que “eles” queriam era ver dona Marisa Letícia se atrapalhar com as palavras para, mais uma vez, com aquela crueldade venenosa que lhes é peculiar, compará-la à antecessora, Ruth Cardoso, com seu colar pomposo de doutorados e mestrados.

Agora, me digam, quantas mulheres neste grande e pujante país podem se vangloriar de ter um doutorado?

Assim como, por outro lado, não são tantas as mulheres no Brasil que conseguem manter em harmonia uma família discreta e reservada, como tem Marisa Letícia.

E não são também em grande número aquelas que contam, durante e depois de tantos anos de casamento, com o respeito implícito e explícito do marido, as boas ausências sempre feitas por Luís Inácio Lula da Silva a ela, o carinho frequentemente manifestado por ele.

E isso não é um mérito? Não é um exemplo bom? Passemos agora às desfeitas ao que, no entanto, eu considero o mérito mais relevante de nossa ex-primeira-dama: a brasilidade.

Foi um apedrejamento sem trégua, quando Marisa Letícia, ao lado do marido presidente, decidiu abrir a Granja do Torto para as festas juninas.

A mais singela de nossas festas populares, aquela com Brasil nas veias, celebrando os santos de nossas preferências, nossa culinária, os jogos e brincadeiras.

Prestigiando o povo brasileiro no que tem de melhor: a simplicidade sábia dos Jecas Tatus, a convivência fraterna, o riso solto, a ingenuidade bonita da vida rural.

Fizeram chacota por Lula colar bandeirinhas com dona Marisa, como se a cumplicidade do casal lhes causasse desconforto.

Imprensa colonizada e tola, metida a chique.

Fazem lembrar “emergentes” metidos a sebo que jamais poderiam entender a beleza de um pau de sebo “arrodeado” de fitinhas coloridas. Jornalistas mais criteriosos saberiam que a devoção de Marisa pelo Santo Antônio, levado pelo presidente em estandarte nas procissões, não é aprendida, nem inventada. É legitimidade pura.

Filha de um Antônio (Antônio João Casa), de família de agricultores italianos imigrantes, lombardos lá de Bérgamo, Marisa até os cinco de idade viveu num sítio com os dez irmãos, onde o avô paterno, Giovanni Casa, devotíssimo, construiu uma capela de Santo Antônio.

Até hoje ela existe, está lá pra quem quiser conferir, no bairro que leva o nome da família de Marisa, Bairro dos Casa, onde antes foi o sítio de suas raízes, na periferia de São Bernardo do Campo.

Os Casa, de Marisa Letícia, meus amores, foram tão imigrantes quanto os Matarazzo e outros tantos, que ajudaram a construir o Brasil.

Outro traço brasileiro dela, que acho lindo, é o prestígio às cores nacionais, sempre reverenciadas em suas roupas no Dia da Pátria.

Obras de costureiros nossos, nomes brasileiros, sem os abstracionismos fashion de quem gosta de copiar a moda estrangeira. Eram os coletes de crochê, os bordados artesanais, as rendas nossas de cada dia. Isso sim é ser chique, o resto é conversa fiada.

No poder, ao lado do marido, ela claramente se empenhou em fazer bonito nas viagens, nas visitas oficiais, nas cerimônias protocolares.

Qualquer olhar atento percebe que, a partir do momento em que se vestir bem passou a ser uma preocupação, Marisa Letícia evoluiu a cada dia, refinou-se, depurou o gosto, dando um olé geral em sua última aparição como primeira-dama do Brasil, na cerimônia de sábado passado, no Palácio do Planalto, quando, desculpem-me as demais, era seguramente a presença feminina mais elegante. Evoluiu no corte do cabelo, no penteado, na maquiagem e, até, nos tão criticados reparos estéticos, que a fizeram mais jovem e bonita.

Atire a primeira pedra a mulher que, em posição de grande visibilidade, não fez uma plástica, não deu uma puxadinha leve, não aplicou uma injeçãozinha básica de botox, mesmo que light, ou não recorreu aos cremes noturnos.

Ora essa, façam-me o favor! Cobraram de Marisa Letícia um “trabalho social nacional”, um projeto amplo nos moldes do Comunidade Solidária de Ruth Cardoso.

Pura malícia de quem queria vê-la cair na armadilha e se enrascar numa das mais difíceis, delicadas e técnicas esferas de atuação: a área social.

Inteligente, Marisa Letícia dedicou-se ao que ela sempre melhor soube fazer: ser esteio do marido, ser seu regaço, seu sossego. Escutá-lo e, se necessário, opinar.

Transmitir-lhe confiança e firmeza. E isso, segundo declarações dadas por ele, ela sempre fez.

Foi quem saiu às ruas em passeata, mobilizando centenas de mulheres, quando os maridos delas, sindicalistas, estavam na prisão. Foi quem costurou a primeira bandeira do PT.

E, corajosa, arriscou a pele, franqueando sua casa às reuniões dos metalúrgicos, quando a ditadura proibiu os sindicatos.

Foi companheira, foi amiga e leal ao marido o tempo todo.

Foi amável e cordial com todos que dela se aproximaram. Não há um único relato de episódio de arrogância ou desfeita feita por ela a alguém, como primeira-dama do país. A dona de casa que cuida do jardim, planta horta, se preocupa com a dieta do maridão e protege a família formou e forma, com Lula, um verdadeiro casal.

Daqueles que, infelizmente, cada vez mais escasseiam. Este é o meu reconhecimento ao papel muito bem desempenhado por Marisa Letícia Lula da Silva nesses oito anos.

Tivesse dito tudo isso antes, eu seria chamada de bajuladora. Esperei-a deixar o poder para lhe fazer a Justiça que merece.

*Hidegard Angel é colunista social no Rio de Janeiro, filha da estilista Zuzu Angel e irmã do ex-militante político Stuart Angel Jones; trabalhou como atriz no cinema e na televisão na década de 1970, dedicou-se ao colunismo social no jornal O Globo e desde 2003 no Jornal do Brasil.

Leia também:

Grileiro golpista vai comandar o Senado

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



164 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Bacellar

02 de fevereiro de 2017 às 14h20

RIP

Responder

Maria das Graças Góes

26 de janeiro de 2017 às 17h08

Prezada Sra. Hildegarde,

Foi uma surpresa ler seu artigo em que para felicitar uma ex-primeira dama hospitalizada, tiveste a necessidade de diminuir uma outra já falecida.
Mais ainda porque conheço seu humanismo, a luta da sua mãe Zuzu Angel, famosa e corajosa estilista que lutou até à morte para encontrar o corpo de seu irmão e cunhada.
Dona Ruth Cardoso não merece esse tratamento. Foi uma professora que deixou muitos discípulos em sua vida acadêmica e uma primeira dama que iniciou políticas sociais desenvolvias pelos governos petistas.
Foi uma desilusão para quem, como eu, lia sua coluna e blog.

Atenciosamente,

Maria das Graças Góes

Responder

Dario

21 de fevereiro de 2016 às 10h32

Hilde, muito obrigado.
Sempre tive certeza de como é difícil para d. Marisa ser esposa de um homem que vem sendo perseguido por mais de 30 anos .

Responder

L. Souza

12 de fevereiro de 2016 às 18h07

Marisa Letícia foi uma das melhores primeiras damas que o Brasil e o mundo teve. Sem falar na sua história pessoal de luta contra a pobreza da própria família.

Ruth Cardoso também foi uma grande mulher com muito estudo e dedicação às causas sociais. Mas teve a infelicidade de casar com um homem vaidoso e mulherengo, que não transmitia à esposa um décimo do carinho que Lula repassa à Marisa.

Responder

Sérgio Rodrigues

11 de fevereiro de 2016 às 19h28

MAGISTRAL!…..

Responder

CaRLos

01 de fevereiro de 2016 às 20h44

Pessoal cheio de ódio. Já vi que nunca não irão mudar. Jogarão o Brasil numa gerra civil. É questão de tempo.

Responder

celia miranda

30 de outubro de 2011 às 21h17

Parabéns Hildelgargd
dona MARISA foi o exemplo de ética e dignidade ,adjetivos que poucos destes buscaram incansavelmente tentar humilha-la e ridicularizá-la possuem.

Responder

CELIA MIRANDA

30 de outubro de 2011 às 21h11

PARABÉNS HILDEGARD!

ESSES COLONIZADOS SÓ CONSEGUEM VER IMPORTANCIA NO ESNOBISMO NA MEDIOCRIDADE
E NA DOR DE COTOVELO DE NÃO SUPORTAR VER QUE LULA FOI UM ESTADISTA QUE RECEBEU TÍTULO DE DOUTOR HONORIS CAUSA POR GRANDES UNIVERSIDADES PÚBLICAS BRASILEIRAS E ESTRANGEIRAS

Responder

noemia figue

18 de março de 2011 às 09h48

espero que publiquem o meu comentário.

Responder

noemia figue

18 de março de 2011 às 09h47

essa jornalista é uma traidora. enquanto o seu irmão era vitima da ditadura, assassinado covardemente, e sua corajosa, mãe zuzu angel, ao denunciar o assassinato do filho, também foi assassinada num 'acidente' de transito, a jornalista se juntava aos generais, bajulava costa e silva e principalmente a sua mulher, yollanda costa se silva, oferecendo festinhas e quetais. hilde era a melhor amiga da familia do general figueiredo e da sua mulher.
ridícula, hildegarde angel! traidora! nunca mereceu a mãe e o irmão que teve.

Responder

Antonio C. Neto

11 de janeiro de 2011 às 03h03

Nossa, Hildeggard, que puxação de saco mais desnecessária e mais fora de hora. Tá louca, tá?

Antonio C. Neto

Responder

    Nilton Jr.

    14 de janeiro de 2011 às 17h24

    Se é puxação de saco não sei, mas acho totalmente necessária desmascarar a hipocrisia e o recalque duma imprensa e uma elite de 5ª que não aceitaram no poder um operário e não aceitaram uma dona de casa como primeira dama.

A homenagem a Dona Marisa, esposa do ex-presidente Lula | BLOG DA NÍVIA, uma cachaceira

10 de janeiro de 2011 às 12h38

[…] A jornalista Hildegard Angel, pela repercussão que se observa na blogosfera progressista, talvez tenha prestado a mais bela homenagem a esta importante personagem da vida pública brasileira nos últimos oito anos. Eu não teria uma única vírgula a acrescentar a um texto deste quilate, que também reproduzo, com meus aplausos e toda a emoção. Extraído do Vi o Mundo […]

Responder

Luiz Guilherme

10 de janeiro de 2011 às 10h39

Dona Marisa Lula da Silva uma verdadira dama, sempre discreta nunca veio a público para atrapalhar o mandato do maior lidaer deste país, parabéns Hilde, ela merece.

Responder

Antonio C. Neto

09 de janeiro de 2011 às 23h29

D. Marisa perdeu todas as chances de fazer alguma coisa e de dizer a que veio. O pior dos males é ter a oportunidade de fazer o bem e se omitir. Ficou 8 anos omissa, reclusa, o que é incabível para a esposa do fundador do PT, a quem caberia a missão maior de trabalhar, de lutar, se fazer presente. Foi uma omissa, posando de madame o tempo todo. Dando lições de mal gosto ao se vestir. Lembro da roupa e do chapéu com aquele laço enorme embaixo do queixo que ela teve a coragem de usar no casamento da Marta Suplicy. Me decepcionei muito com o governo Lula, embor reconheça seus poucos méritos. Em breve veremos os seus resultados. E minha decepção se inicia justamente com a perversa omissão da ex-primeira dama.
Sempre tive a Hildegard como uma grande profissional, uma pessoa sensível e inteligente. Não entendi o porque deste puxa-saquismo tolo e desnecessário. Discordo em gênero, número e grau.

Antonio C. Neto

Responder

Marcílio

09 de janeiro de 2011 às 23h24

O problema foi aquela estrela feita por ela lá no palácio no começo do governo. Mostrou bem o caráter dessa gente

Responder

    Dimas

    05 de fevereiro de 2016 às 11h05

    Problemão. Agora, realmente, fiquei sensibilizado.

airam santiago

09 de janeiro de 2011 às 13h00

Impecável!!!!!!!Paabéns.

Responder

    aida santos

    09 de janeiro de 2011 às 17h59

    Marisa Leticia foi a 1a. dama mais mosca morta que eu ja vi. Nao precisava falar muito nao, mas a mulher nao se dedicou nem a caridade so pra disfarçar, Deus me livre.

Priscilla Brito

08 de janeiro de 2011 às 10h22

Gosto muito da D. Marisa e concordo com a homenagem. Mas discordo do final do texto. Eu não conheço o relacionamento do casal, mas sem que tem muitos que por detrás dessa fachada de companheirismo se esconde uma subserviência constante das mulheres. Não sei se é esse o caso, porque há tocantes exceções, mas acho uma conquista a mulher dos dias atuais não ter que necessariamente se colocar nessa posição, de "esteio" do marido. Se é um tipo de casamento raro hoje em dia, talvez seja porque o companheirismo tenha que ser redefinido, de modo a que possa ser celebrado mesmo naqueles casais em que as mulheres também trabalhem, estudem e vão à luta. Nesse sentido, valerá um texto também no final do mandato da nossa Presidenta sobre como é ter que chegar ao mais importante cargo do país e enfrentar tudo sozinha.

Responder

Vera Billie Jean

07 de janeiro de 2011 às 20h26

Obrigada Hildegard , isto precisava ser dito!
Viva Marisa , A CARA!!

Responder

BERTHOLDO

07 de janeiro de 2011 às 16h50

DONA MARISA LANÇOU MODA.
A MODA DA DIGNIDADE
A MODA DE COMPORTAMENTO
A MODA DA LEALDADE
A MODA DA LUTA E PERSEVERANÇA
A MODA DA HUMILDADE
O RESTANTE É APENAS ACESSORIOS E BASTA TER DISCRIÇÃO Q ESTA TUDO BEM.

Responder

    Vera

    12 de fevereiro de 2016 às 22h00

    ‘O amor de um único ser,
    neutraliza o ódio de milhões de seres.”
    (Mahatma Gandhi) — —

pperez

06 de janeiro de 2011 às 22h22

Caramba!outro soberbo artigo capaz de inundar os olhos da gente de lagrimas pelo lirismo,sinceridade e,sobretudo pela capacidade de remeter cada um de nós a refletir em cada uma das suas assertivas.
Dona Marisa, Dilma ,a Hildegard assim como as 11 guerrilheiras que estiveram na posse da presidenta, representam uma parcela do Brasil de vanguarda, que não aceita mais permanecer deitado em berço esplendido.
Essas corajosas mulheres são especiais. Notadamente D.Marisa por representar o esteio, o ombro amigo, as mãos que seguraram as atitudes impensadas ou calar as palavras mais exaltadas. Que carinhosamente passearam pelos cabelos grisalhos nas horas mais agudas das crises.Ou fehadas em prece pediram proteção,orientação e luminosidade aos mentores espirituais para guiar seus caminhos.
Dona Marisa enfim, não precisa caminhar na luz do marido Lula porque tem a sua prórpria e também poderosa.

Responder

José Goes Garção

06 de janeiro de 2011 às 22h12

Sábias palavras, escritas e ditas no momento certo! Por essa dignidade sua, continuarei admirando a linda história de sua mãe e de seu irmão!

Responder

GRAÇA FONTELLES

06 de janeiro de 2011 às 22h10

Puxa vida, finalmente vem alguém defender D. Marisa.
Fiquei esses anos todos, muito revoltada, com os absurdos que fizeram com a D.Marisa.Foi um desrespeito, e uma baixaria da mídia. Alguns "jornalistas" calhordas, faziam questão de humilha-la, era deprimente.Mas graças à Deus, D. Marisa mostrou, que tem caráter, e tb, uma auto-estima maravilhosa. Sinal que foi amada, e continua sendo….
Hildegard Angel, muito obrigada. PARABÉNS!!! Vc fez uma homenagem linda, e merecida.
FINALMENTE MEU DEUS, ALGUÉM DE BOA VONTADE.

Responder

Janes Rodriguez

06 de janeiro de 2011 às 21h05

Realmente, Hildegard, nada mais brega que ser colonizado, ter mente colonizada, ter vergonha do seu país, do seu povo, da sul cultura. Obrigada a você, também, por manter acesa a inteligência do jornalismo brasileiro, por, conhecedora do chique e do sofisticado reconhecer o povo como fonte de arte e moda.

Responder

bento

06 de janeiro de 2011 às 20h50

Alguém precisava ter dito isso. Parabéns Hildegard! Linda, você também!

Responder

iara guerra

06 de janeiro de 2011 às 20h32

Senhora Marisa Letícia merece estas palavras , hoje, Dia de Reis e pela vida afora. Parbéns ,Senhora Marisa Letícia…

Responder

Carlos Marques

06 de janeiro de 2011 às 19h48

O grande Stuart Angel, esteja onde estiver, se estiver, certamente ficaria muito orgulhoso da irmã e seu senso de justiça. Aliás, foi buscando realizar o ideal da justiça que ele morreu e desapareceu nas mãos de militares assassinos, militares sem honra, porque para o militar honrado o prisioneiro é sagrado.

Responder

@Digger_1612

06 de janeiro de 2011 às 19h40

Parabéns Hildegard Angel!

Foi um tapa nos rostos dos hipócritas, ímpios e maledicentes, com luvas de pelica!
Pessoas malévolas, que nunca respeitaram a senhora Marisa Letícia.

"Continuarei sempre…”
“Continuarei a iluminar, mesmo no meio da escuridão.”
“E transmitirei alívio, quando encontrar a dor.”
“E desenharei sorrisos, nos rostos que encontrar em lágrimas.”
“E continuarei a gritar, ainda que os outros se calem ou tentem me calar.”
“Continuarei a semear, ainda que os outros pisem a colheita.”
“Continuarei a acreditar, mesmo que tentem me fazer perder a esperança.”
“Continuarei a amar, ainda que os outros destilem o ódio.”
“Continuarei a construir, ainda que os outros destruam.”
“Porque no meio da desolação, sempre haverá uma criança que nos olhará esperançada, querendo algo de nós, e ainda que no meio de uma tormenta, por algum lado sairá o sol e no meio do deserto crescerá uma planta.”

Responder

Jaylton

06 de janeiro de 2011 às 19h24

Por trás de um Grande Homem, sempre existe uma Grande Mulher !!!….Obrigrado D. Marisa por tudo q vc fez ao lado do nosso Maior Presidente !!!. A senhora pra mim foi a melhor Primeira Dama que o Brasil já teve.

Jaylton

Recife – PE

Responder

    Conceição Lemes

    06 de janeiro de 2011 às 20h10

    Ao lado, Jaylton. Abs

Fátima Oliveira

06 de janeiro de 2011 às 18h33

Excepcionalmente bom, justo e bonito

Responder

jose aparicio correa

06 de janeiro de 2011 às 18h27

Até nisso o pig ta perdendo porque não tem uma profissional do calibre da hildegard angel parabéns o texto é de quem conhece ,e parabéns a dona marisa o brasil tem muito orgulho da ex primeira dama ok.

Responder

Augusto Pinheiro

06 de janeiro de 2011 às 18h20

Bela homenagem da jornalista. Um calaboca nos preconceituosos de plantão. Assino em baixo.

Responder

Gerson Carneiro

06 de janeiro de 2011 às 18h09

Outro fato que me surpreendeu (não ia comentar para não fazer propaganda, mas essa foi demais): a musa da febre amarela lançou um livro sobre o José Alencar! O que é isso? Desce o cacete no Lula, e só porque o ex-vice está nessa batalha de vida, lançou um livro " José Alencar – Amor à vida. A saga de um brasileiro". Caramba, que hipocrisia é essa? Fiquei surpreso e não entendi.

Aproveitei e dei um passeio na livraria e constatei uma variedade grende de livros descendo a pêa no Lula. É como o Lula diz: daqui a 100 anos quando alguém for estudar esse período vai achar que o Lula foi um demônio.

Responder

    Messias Macedo

    06 de janeiro de 2011 às 20h51

    Bravo e prezado Gerson Carneiro,
    Pois bem, só por pirraça, esperarei um escritor ou uma escritora publicar um livro sobre a biografia do conspícuo brasileiro José Alencar!…
    E para não ficar nas entrelinhas: 'a musa da febre amarela' é, apenas, mais uma jornalista-colega dos patrões barões Frias da ditabranda! Além de ser desprovida de confiabilidade e isenção, a arauta dos cheirosos não é escritora: neste tópico se nivela ao Otavinho!…

    … A boçal e pernóstica Eliane Cantanhêde "da Folha" [da ditabranda] deveria ter se ocupado em escrever a biografia do Daniel Dantas ou do Gilmar Mendes ou do José (S)erra… Escrever sobre a vida do ex-vice presidente de Luiz Inácio Brasileiro Lula da Silva foi mais um golpe (sic) de oportunismo e de incoerência da tucana até na família!…

    Felicidades ao amigo! E porrada no [indecoroso e nefasto] PIG!

    Messias Franca de Macedo
    Feira de Santana, Bahia, Transição República de 'Nois' Bananas/Brasil Nação [RISOS]

    Gerson Carneiro

    06 de janeiro de 2011 às 21h29

    Nesse meu passeio pela livraria descobri que o Merdal também escreveu uma bíblia sobre o Lula.

    Messias Macedo

    06 de janeiro de 2011 às 22h22

    Prezado Gerson Carneiro, "por acauso" o MERDAL Pereira é o mesmo pseudo-jornalista cuja a face lembra a de criança chupar pirulito?! Se a resposta for afirmativa. "escuta essa"!: "Antionti" (portanto, terça-feira, 04/01/2011), esta criatura deixou a entender que apesar do (S)erra ter, demagogicamente, prometido na campanha política instituir, "de bate-pronto", um salário mínimo de "seiscentos real" (sic)… Segundo Merdal Pereira [RouboNews], "no exercício da Presidência, o gestor tucano, digamos, tinhoso, experto 'na tarefa 'jenial' do corta ali, corta acolá', talvez, pudesse, sim, por em prática a façanha!…"
    Deste modo – "ao fim da ceia" (idem sic) – podemos depreender que o tal Merdal Pereira é mais um cheiroso a corroborar com a tese de que o DEMotucano José (S)erra é, mesmo, um 'jenio jenial'! 'Coitchado' do Aladim – e da lamprina dele!

    Como se diz aqui no sertão: "Oi, menino, tu me deixa quieto!"

    Felicidades ao amigo – "e sapeca Iaiá" no [horrendo e deplorável] PIG!

    Messias Franca de Macedo
    Bahia, Feira de Santana
    Transição República de 'Nois' Bananas/Brasil Nação [RISOS}

    Gerson Carneiro

    06 de janeiro de 2011 às 22h51

    Pirulito Dip´n Lik (aquele do pozinho azedo de abacaxi, uva…), é esse mesmo.
    E ainda tem um tal de Demérito Magdaoli. Esse é terrível.

    Messias Macedo

    07 de janeiro de 2011 às 03h26

    errata: … – e da lamparina dele! (lamparina, em vez de ' lamprina')

    Cordiais saudações,

    Messias Franca de Macedo
    Bahia, Feira de Santana
    Transição República de 'Nois' Bananas/Brasil Nação [RISOS]

Jocélio

06 de janeiro de 2011 às 18h07

Parabéns pelo belo texto.

Responder

Messias Macedo

06 de janeiro de 2011 às 17h57

Sobre o Vice que nos espera!

O peemedebista Michel TemerOSO deveria se espelhar na postura lapidar do ex-vice-presidente José Alencar: discrição, contundência na hora certa e no lugar adequado, confiabilidade…
E lembrando o que o jornalista Paulo Henrique Amorim afirmou há poucos dias: "Michel Temer é o vice-presidente, e não o co-presidente da República!"

Messias Franca de Macedo
Feira de Santana, Bahia, Transição República de Nós Bananas/Brasil Nação [RISOS]

Responder

Fernando Oliveira

06 de janeiro de 2011 às 17h53

Hildegard Angel deu um tapa na cara (e muito bem dado!) na hipocrisia mesquinha, invejosa, dessas mal amadas, esticadas, múmias imperatrizes da Corte Cagalhufas. Concordo com cada vírgula do que por ela foi dito. Parabéns, mandou muitíssimo bem. E parabéns, Dona Marisa. A nossa ex-Primeiríssima-Dama, digníssima esposa "do cara", cumpriu muito bem e esbanjando talento até a tampa, o seu dificílimo papel…

Responder

Nadja

06 de janeiro de 2011 às 17h18

Texto maravilhoso mas destaco esses dois pedacinhos, parece que "zuns e zoutros" jornalistas não reparam na valorização das nossas tradições e artesanato…. valorizar isso parece ser brega não é?

"Eram os coletes de crochê, os bordados artesanais, as rendas nossas de cada dia. Isso sim é ser chique, o resto é conversa fiada."

Marisa Letícia, ao lado do marido presidente, decidiu abrir a Granja do Torto para as festas juninas. A mais singela de nossas festas populares, aquela com Brasil nas veias, celebrando os santos de nossas preferências, nossa culinária, os jogos e brincadeiras. Prestigiando o povo brasileiro no que tem de melhor: a simplicidade sábia dos Jecas Tatus, a convivência fraterna, o riso solto, a ingenuidade bonita da vida rural. Fizeram chacota por Lula colar bandeirinhas com dona Marisa, como se a cumplicidade do casal lhes causasse desconforto.

A primeira-dama de PE, que sempe usa roupas de estilistas de Pernambuco em ocasiões especiais e sempre valorizando nossas rendas… seria brega também?
E nem pensem que aqui (PE) não tem PIG rs mas o PIG aqui é muiiito interesseiro e como Eduardo Campos está em alta total e tem o tipo, como diria nosso grande presidente Lula, da elite branca dos olhos azuis, eles disfarçam mais ….

E D. Marisa sempre teve o que toda mulher quer ter, um homem que sempre fez demonstrações públicas de carinho e respeito por ela e sempre falava que ela "mandava" rs
Parabéns d. Marisa, a sehora é parte desse grande sucesso que foi o governo do seu companheiro e a senhora é o verdadeiro significado da palavra COMPANHEIRA.

Responder

Sandra Almeida

06 de janeiro de 2011 às 17h01

Emocionei!
Vá falar a verdade assim lá em casa!
É como se diz aqui no Nordeste.
Parabéns por falar tão bem a verdade dessa mulher guerreira e feliz!

Responder

O_Brasileiro

06 de janeiro de 2011 às 16h01

O texto é excelente. Parabéns, Hildegard!
No dia da despedida de Lula fiquei pensando que queria que D. Marisa contasse o que Lula conversava com ela na intimidade, nos momentos difíceis, que o casal enfrentou com sabedoria e paciência.
Quanto ao "papel da mulher", ou "lugar da mulher" como se dizia antigamente, isso vale para o casal Lula da Silva e muitos outros, mas não precisa ser a regra!
Na minha casa, eu e minha esposa sempre dividimos o trabalho doméstico e o cuidado e a criação de nosso filho. Eu também acordava pra fazer mamadeiras, trocar fraldas. Eu o levo na escola, ela o busca.
Hoje em dia os trabalhos do lar são compartilhados. Assim, tanto ela quanto eu podemos trabalhar fora também!
E, se fosse D. Marisa a presidente, e o Lula cuidasse do lar, também não seria nenhuma desonra. Muito pelo contrário.
Há pessoas que são felizes atrás de uma mesa, no topo de um arranha-céu. Outras são felizes cuidando de uma horta. O que vale é o que está dentro da pessoa!

Responder

JC Tavares

06 de janeiro de 2011 às 15h44

Ela possui a delicadeza e meiguice das deusas, a simplicidade dos humildes, a grandeza dos sábios, o que a torna linda. Porisso deu certo com Lula. O PIG, ora o PIG.

Responder

amparo

06 de janeiro de 2011 às 15h27

Dona Marisa precisava ler esse artigo da Hildegard, para que ela soubesse o quanto o povo brasileiro na sua maioria, também a amava e a respeitava tanto quanto gostava e respeitava o seu marido. Parabéns Hildegard, pelo seu artigo. Isso poderia chegar às mãos de Dona Marisa. Parabéns, parabéns, parabéns.

Responder

Abel Botelho

06 de janeiro de 2011 às 15h04

Ah, mas houve compensações: férias em instalação praiana do Exército às nossas custas mesmo após o marido voltar a ser um cidadão comum; renovação "excepcional" do passaporte diplomático de seus filhos, que, segundo a legislação vigente, não teriam direito a tanto, dentre outras…

Responder

    Maria Lucia

    06 de janeiro de 2011 às 17h37

    Prove o que afirma.

    carlos quintela

    06 de janeiro de 2011 às 17h38

    Realmente há compensações, mas entre as da Dna.Marisa não está a aquisição de jóias com a nossa grana, né?

    Nirce

    06 de janeiro de 2011 às 17h48

    Cala boca tucanalha.

    Ivanir

    06 de janeiro de 2011 às 18h10

    O abel eles foram convidados pelo EXÉRCITO, mas vocês na obtusa visão só enxergam o que vocês querem.

    Terezinha

    07 de janeiro de 2011 às 00h39

    Abel,
    Como vc é pequeno! Mesquinho! Tolo!

    Paulo Silva

    07 de janeiro de 2011 às 15h45

    O militar responsável pela instalação praiana do Exército está amparado pelas leis vigentes a convidar ex-presidentes para hospedar-se no local.
    O passaporte diplomático por lei pode ser concedido ou renovado a todos os familiares diretos do Presidente. O pedido de renovação foi feito no prazo.
    Está tudo dentro da lei, segundo estou informado.
    Agora o que se contata é que o ódio ao Lula continua ativo e desembalado.

    Arlete Mineira

    07 de janeiro de 2011 às 17h50

    Concordo com você Paulo, mas este povinho do PIG continua é com muita inveja e medo do Lula, medo de um provável retorno. São uns CANALHAS!!!!!!!

Tiago

06 de janeiro de 2011 às 14h50

Excelente texto. Mas nenhum comentário sobre a cidadania italiana que a ex-primeira-data solicitou "pensando no futuro?"

Responder

    Maria Lucia

    06 de janeiro de 2011 às 17h36

    Era um direito dela, reconhecido pelas leis do Brasil e da Itália.
    Vc não exerce os seus direitos?

    Liduina

    06 de janeiro de 2011 às 18h51

    Você ainda não entendeu o " passaporte italiano"? Já deu uma olhada na história do Brasil?

Giovani

06 de janeiro de 2011 às 14h33

Quando Ruth Cardoso faleceu, um casal apresentador de um jornal fez questão de compará-la com "outras" primeiras-damas. Uma falta de educação e de ética sem tamanho, quase chamando dona Marisa de inútil.

Me lembro muito bem daquela edição do jornal, ridículo!!! Como alguém tem coragem de dizer que é um jornalista e fazer um tipo de comentário daquele? Não perderam a oportunidade de infernizar Lula, Marisa e sua família nem em reportagem sobre um falecimento!!!!

Não vou aqui criticar o trabalho de dona Ruth Cardoso, porque não conheci o trabalho que ela fazia. Também não falo de qualquer trabalho que dona Marisa faz.

Mas acho que a dignidade de uma mãe de família deve ser respeitada. Sendo que a família, curiosamente, foi um assunto tão explorado pela mídia durante as eleições.

Responder

Hildegard Angel: Marisa Letícia Lula da Silva, palavras que precisavam ser ditas « Blog do EASON

06 de janeiro de 2011 às 14h20

[…] Blog Vi O Mundo de Luiz Carlos Azenha […]

Responder

marcos - RS

06 de janeiro de 2011 às 13h36

Marisa, silenciosamente, fez ( e faz) parte do grande time que mudou a cara do brasil ! O resto é intriga dos colonizados !
O PIG não se conforma por ela não ter caído na armadilha que lhe armaram !
Dona Marisa, tenho orgulho da senhora e de sua postura altiva e discreta !

Responder

Paulo Villas

06 de janeiro de 2011 às 13h36

Assisti por mais de uma vêz piadas grosseiras e ofensivas à D. Mariza , pelos caras do Casseta. O sucesso foi tanto que sairam do ar , despejados , desprezados , desmoralizados . Ouvi dizer que, pensam em solicitar o Bôlsa Família.

Responder

ZePovinho

06 de janeiro de 2011 às 13h26

Eles têm vergonha do Brasil.Nós amamos esse país.Hoje é o dia de Santo Reis!!

[youtube MyTCLMRlpR4 http://www.youtube.com/watch?v=MyTCLMRlpR4 youtube]

Responder

Garcia

06 de janeiro de 2011 às 13h17

Marisa Letícia Lula da Silva fez o que tinha de ser feito, primeira dama não é cargo e também não recebe salário cumpriu seu papel perfeitamente.
Minhas homenagens a ela, que foi a conselheira, mulher, amiga, amante e até mãe do melhor, mais querido e inteligente presidente que este país já teve.

Responder

@Dennis_nisde

06 de janeiro de 2011 às 12h25

pq ninguém citou a très très chic Danuza Leão aqui?! Hildergard, sem citar, explanou Danuza na parte do texto q fala sobre festa junina…

Responder

Wilma

06 de janeiro de 2011 às 12h02

Belo texto da Hidelgard. È visível a harmonia entre o casal, e ela soube cumprir com galhardia sua função de primeira-dama. Ela não estava atrás do grande homem Lula, mas ao lado dele.

Responder

Sergio

06 de janeiro de 2011 às 11h59

Se a imprensa teve a intenção de compará-la a D. Ruth (com o mesmo propósito de sempre, né?), essa comparação revela mais um escandaloso contraste. D. Marisa não tinha por que cuidar da área social, afinal no governo Lula isso era política de Estado, com um ministério e boa parte do orçamento dedicado a isso. No governo anterior isso era um espaço vazio, onde a atuação de voluntários como D. Ruth era até muito bem vinda, mas infinitamente menos efetiva do que a política de Estado implantada pelo marido da D. Marisa.

Responder

    Carlos Morales

    06 de janeiro de 2011 às 16h04

    Perfeito!

    ariadnejacques

    06 de janeiro de 2011 às 22h14

    Lindo artigo da Hilde e ótimo comentário do Sergio. É bom saber que não estamos sozinhos no cultivo dos valores humanos. Dona Marisa Letícia merece todo o nosso respeito, pois sempre nos respeitou!

valdeci elias

06 de janeiro de 2011 às 11h43

Ainda bem que foi uma mulher, que escreveu esse texto. Se fosse um homen, Azenha ia ser acusado de divulgar textos machistas.

Responder

    Sílvia Gomes

    06 de janeiro de 2011 às 12h34

    É isso aí.

Geysa Guimarães

06 de janeiro de 2011 às 11h22

Um arraso, este texto da Angel. Só acrescento que dona Marisa é possuidora de uma inteligência acima da média feminina, capaz de ver além do ciúme.
A imensa maioria das esposas não aceita o carinho do marido para com outra mulher, mesmo sabendo que é amizade. A parceria Lula-Dilma deve muito à última moradora do Alvorada.
Fosse outra em lugar de dona Marisa, provavelmente não estaríamos celebrando a chegada da primeira brasileira à Presidência da República.

Responder

Rogério Benevenuto

06 de janeiro de 2011 às 11h10

Homenagem realmente merecida. Certamente, se fosse em contexto distinto, com uma imprensa imparcial e mais voltada para aquilo que deveria fazer (informar e não desinformar), homenagem como esta, explicitada pelo colega Hidegard Angel, teria sido observada muito mais vezes. Espero ainda um dia, ver pessoas desprendiadas das questões materiais e voltadas para as questões sociais, serem mais valorizadas, não só pela imprensa, mas, principlamente, por toda a sociedade.

Responder

JOSE TATAGIBA

06 de janeiro de 2011 às 10h57

Minha nossa!!! Um dos melhores e mais verdadeiros textos que já li em toda a minha vida.
Quem sabe, sabe.

Responder

Antonieta

06 de janeiro de 2011 às 10h16

Hildegard como sempre bajulando bajulando, bajulando….

Responder

    priscila presotto

    06 de janeiro de 2011 às 11h40

    Pois é …E voce sempre amargando…amargando…amargando…..

    Maria Lucia

    06 de janeiro de 2011 às 16h35

    Ela sabe bajular, amore.

    jose medida

    06 de janeiro de 2011 às 16h41

    que beleza, a tonhêta pode exercer o direito do contraditório. duvido que seja possível tal feito nos blogs limpinhos.

    Anderson Vietro

    06 de janeiro de 2011 às 17h13

    Com tanta gente ocupada em difamar nossa Ex-primeira-dama, não vejo problema em pelo menos uma pessoa bajulá-la!!!

    malu

    06 de janeiro de 2011 às 17h31

    Antonieta, você é fã da Danuza?

Waldir Ferreira

06 de janeiro de 2011 às 10h03

esta imprensa brasileira é um lixo!!!!!!!!!!!!!!
ley dos medios já !

Responder

Maria Lucia

06 de janeiro de 2011 às 09h15

Hildegard Angel acertou em cheio, ao fazer essa bela homenagem! E a fez lindamente!
D.Marisa Letícia tem carradas de admiradores em todo o Brasil e mundo afora!
Fidel Castro sempre cita a recepção calorosa que ela lhe deu em sua casa em São Bernardo. Ofereceu-lhe uma polenta inesquecível e uma acolhida fidalga, relata ele encantado,em vídeo que assisti recentemente.
D. Marisa, que teve uma importância política essencial no apoio ao movimento sindical do ABC, na formação do Partido dos Trabalhadores e no apoio essencial que deu como Primeira Dama, sempre honrando o seu papel e o nosso país, sempre se manteve tranquila, serena e amorosa.
Ela poderia agora recitar Mario Quintana: "esses que atravancam o meu caminho, eles passarão, eu passarinho!".
Mas, feliz da vida, curte a volta ao seu aconchego em São Bernardo, onde os amigos e vizinhos adoraram a volta do casal da Silva!
Missão cumprida? Ela sabe que ainda não! O Brasil nem quer saber de viver sem o casal querido! Vamos paparicá-los sempre! E o nosso Melhor Presidente tem demais a fazer pelo Brasil e pelo mundo. Vamos ter que dividí-lo com a humanidade.
Se Deus quiser ainda aprenderemos muito com D. Marisa, que jamais deixou de ser quem era para cumprir modelos bigbrotherizados de ser.
Dela nós brasileiros, mulheres ou homens, temos o maior orgulho. A ela o nosso carinho, admiração e respeito!

Responder

    Diva Gomyde

    06 de janeiro de 2011 às 09h42

    Hildegard e Maria Lúcia disseram tudo! Sensação de justiça feita a essa brava mulher brasileira que é a Marisa Letícia. Sinto-me plenamente representada e honrada por ela.
    Diva

    Denise

    06 de janeiro de 2011 às 13h03

    Tanto Hildegard como Maria Lucia disseram tudo. Também admiro a D. Marisa – ela é aquilo que a Biblia diz da mulher virtuosa – sábia, inteligente, companheira e acima de tudo mulher!
    A imprensa preconceituosa a destrata, os invejosos de plantão que não conseguem a capacidade de manter um casamento de longos anos onde o amor se renova dia a dia, na cumplicidade, na confiança , morrem de inveja.
    Li outro dia um jornalista que entrevistou Lula durante alguns dias , comentar o clima carinhoso entre Lula e D. Marisa, trocando carinhos sempre que passavam um pelo outro.
    Eu fiquei imensamente feliz ao ler isso.
    D. Marisa foi a primeira dama que me encheu de orgulho e fez muito pelo Brasil ao cuidar daquele que foi e ainda é o maior e mais amado Presidente do Brasil – LULA!

    Aline

    06 de janeiro de 2011 às 19h10

    Nunca entendi porque danuzas, emails apócrifos, humoristas sem graça nenhuma etc faziam tanta questão de espezinhar D. Marisa Letícia, uma pessoa tão digna, correta e doce. Perderam seu rico tempo e só se candidataram ao menosprezo geral.
    D. Marisa sempre me pareceu uma pessoa essencial na vida do nosso Melhor Presidente e de toda a sua família e amigos. Tornou-se essencial e muito queridinha pelo menos para os 87% de brasileiros e brasileiras que vibraram com o Governo Lula.
    O carinho e empenho com que se dedicou à campanha da Presidente Dilma bem demonstra o seu alto grau de consciência política.

Jorge

06 de janeiro de 2011 às 08h02

No blog da Familia Sereno ( http://blogdafamliasereno.blogspot.com/ ) dá para ver fotos de Dna. Marisa, Hildegard e Danusa antes deste belo texto dda Hildegard; que CHOQUE

Responder

Haroldo Cantanhede

06 de janeiro de 2011 às 01h45

Mas que beleza de texto. Agradeço à jornalista Hildegard Angel e ao jornalista Luiz Carlos Azenha; Dona Marisa é um exemplo, do mesmo quilate do nosso presidente Lula.

Responder

Diego

06 de janeiro de 2011 às 01h24

Belissimo texto!

Parabens a dona Marisa Letícia!!!

Responder

Regina

06 de janeiro de 2011 às 00h08

Só uma dama prá reconhecer a outra…Parabéns!

Responder

    Eduardo Britto

    06 de janeiro de 2011 às 01h21

    Depois dessa afirmação, não há mais o que se falar.
    Parabéns às três damas.

    edson gomes

    06 de janeiro de 2011 às 04h40

    A imprensa brasileira , nao obstante, só dar valor e notabiliza positivamentea o que é de fora, da mesma forma que Dona Marisa foi criticada, tantas outra as são por mostrar a sua brasilinidade. Viva o Brasil e as suas verdadeiras representantes.

Ceiça Araújo

05 de janeiro de 2011 às 23h52

Valeu, Dona Marisa Letícia. Deus a abençoe, juntamente com sua linda família! Amei saber que seu marido, nosso querido Lula, passou um dos primeiros dias como ex-presidente, comendo pasteis preparados pela senhora. Quanto carinho! Quando se faz isso não por obrigação, mas por amor, torna-se tão significante!
Abraços.

Responder

Nelson Menezes

05 de janeiro de 2011 às 23h43

Mariza Leticia Lula da Silva,UMA GRANDE MULHER
Esposa de um grande Brasileiro,Luis Inacio Lula da silva

Responder

Gerson Carneiro

05 de janeiro de 2011 às 23h01

Taí, não sabia que a galega é de família de agricultores italianos imigrantes, lombardos lá de Bérgamo. Já em relação ao Serra, é alardeado como um "charme" a mais o fato de ser ele descendente de italiano, de um feirante.

O PIG se derreteria todo caso fosse a primeira dama dona Lu, do Geraldo Alckmin, bem como não perdoaria dona Letícia, atacando-a com deboches, caso tivesse sido o Lula pai de um filho fora do casaento.

Responder

OUROPRETANA

05 de janeiro de 2011 às 22h54

DEUS LHE PAGUE!, Sra.JORNALISTA HILDEGARD ANGEL http://www.youtube.com/watch?v=aHyJhC2qVL0

Responder

FACA

05 de janeiro de 2011 às 22h51

Concordo em número género e grau com tudo que essa exepcional jornalista escreveu sobre dona marisa letícia, homenagem das mais justas, acho dona Marisa uma grande dama , elegantérrima, e de uma brasilidade como uma verdadeira silva. E so para relembrar um de seus últimos momento no palacio ao lado do lula, me emocionei com os afagos explicitos nos cabelos brancos desalimhados de LULA, Como Um Misto de CARINHO E CONSOLO , nossa, isso é companherismo puro, amor , coisa dificil de ser vista publicamente. amei de paixão.

Responder

José Silva

05 de janeiro de 2011 às 22h37

Uma mulher de verdade que todo homem de verdade sonha em viver a vida junto. Grande brasileira essa galega (como o próprio Lula gostava de chamá-la em alguns de seus discursos)!!! Abração Marisa e muito obrigado pelo que fez pelo Brasil e seu povo.

Responder

roxane

05 de janeiro de 2011 às 22h30

Hilde,obrigada pela materia sobre a Marisa Leticia que estava faltando.Voce tambem eh muito elegante fisica e profissionalmente.

Responder

Jairo_Beraldo

05 de janeiro de 2011 às 21h56

Por falar em personalidade, acabei de ver no SporTv, anucio do passamento da viúva deRoberto marinho, Da. Lily Marinho, acontecido à 20.04 h. Eu tinha estima por ela, pois era independente, respeitava as diferenças. Deus a tenha em bom lugar.

Responder

ma.rosa

05 de janeiro de 2011 às 21h43

Sim o texto e muito bom, bem escrito e a homenagem e merecida. parabens Hildegard por sua lucidez ! ao casal, Marisa Leticia, Lula da Silva , um sonoro Viva !!!!

Responder

malu

05 de janeiro de 2011 às 21h18

Tinha que ser a Hildegard Angel para escrever essa matéria! Gosto cada vez mais dessa jornalista. Ela sabe o que é ter estômago pois deve, por imposição da profissão, ter que se relacionar com gente tipo Danusa Leão e outras pessoas com complexo de viralatas. Essa gente que não sabe que a felicidade está acima de besteiras materiais. Eu sempre achei uma falta de respeito muito grande o jeito com que a imprensa tratava a Marisa, pois ela não foi eleita, ela era a esposa do presidente e fêz o que tinha que fazer: dar respaldo para ele se tornar o melhor presidente do país. Os holofotes eram para ele, não para a esposa. Parabens a Hildegard e a você Azenha, foi a melhor coisa que eu li sobre a Marisa Letícia.

Responder

Rafael

05 de janeiro de 2011 às 21h17

Só faltou a estrela do PT nos jardins do Alvorada, o que pelo que me consta é dos brasileiros e não do Partido.

Responder

    Gerson Carneiro

    05 de janeiro de 2011 às 22h41

    Exemplo de maledicência está aqui. Criam situações, hipóteses.
    O que esta suposição do Rafael tem a ver com o texto?

    Christiano Almeida

    06 de janeiro de 2011 às 10h39

    Inveja. Nada mais que INVEJA!

    Sandro

    05 de janeiro de 2011 às 23h13

    que colocação babaca, nada a ver.

    rafael

    06 de janeiro de 2011 às 10h09

    Que curioso, esse tipo de reação já vi muito no mídia sem mascára quando defendi em algumas situações o governo que passou. É sempre assim, o modus opernadi dos fanáticos, criam um personagem na cabeça(que lê isso, pensa aquilo) e o combatem. O Alvorada não é do casal é da instiuição, colocar a estrela do partido foi sim um ato de extremo mal gosto, para dizer o mínimo.

    Geysa Guimarães

    06 de janeiro de 2011 às 11h12

    Rafael:
    Sou bem rígida no trato da coisa pública e no entanto acho que decoração deve ficar a cargo do "inquilino". O Alvorada não é o Planalto, é residência. Se dona Marisa se sentia bem visualizando a estrela, tinha todo o direito. Da mesma forma como eu não criticaria uma primeira-dama que tivesse um tucano em casa.
    Nota – Não leve a mal, mas o mal de mau gosto é com u.

    Gerson Carneiro

    06 de janeiro de 2011 às 14h08

    Geysa,

    Já que você, por bem apontou o mau uso da ortografia do Rafael, não me leve a mal, eu também quero apontar: não foi só o "u" na palavra mau que ele errou, a frase inteira está mal construída.

    "Só faltou a estrela do PT nos jardins do Alvorada, o que pelo que me consta é dos brasileiros e não do Partido".

    Da forma como se encontra não temos a certeza o que realmente seria dos brasileiros, como ele quis dizer. Podemos pensar que seria: a estrela; o PT; os jardins (estes até podem ser descartados em função da conjugação do verbo SER antes do substantivo pátreo "brasileiros"); ou finalmente, o Alvorada.

    Eu teria escrito assim:

    Só faltou a estrela do PT nos jardins do Alvorada. Ao que me consta este é dos brasileiros e não do Partido.

    ou ainda:

    Só faltou nos jardins do Alvorada a estrela do PT . Ao que me consta, o Alvorada é dos brasileiros, e não do PT.

    Rafael Andrade

    05 de janeiro de 2011 às 23h46

    O xará, é falta do que dizer?

    Meire

    06 de janeiro de 2011 às 04h36

    Esse aí deve ser mais um dos imbecis que lêem Veja, assistem Globo, admiram a inteligência da Miriam Leitão, defendem a xenofobia e ainda por cima, votaram no Serra. Sai pra lá, belzebu! Me erra!

    Leider_Lincoln

    06 de janeiro de 2011 às 09h30

    Pelo que te conta, é a RESIDÊNCIA oficial da presidência da república, não a prisão deles. Uma residência, para ser chamada LAR, deve ter um pouco da alma de quem a ocupa. Mas pelo jeito você não entendeu que foi justamente ter transformado o Alvorada em LAR um dos grandes méritos da Dona Marisa, não é mesmo? Volta para a Veja e para o seu Nescau, mané!

Maria Thereza

05 de janeiro de 2011 às 21h16

Parabéns a Hildegard. D. Marisa Letícia merecia uma homenagem assim, pela sua simplicidade, simpatia e, acima de tudo, sua verdade como pessoa.

Responder

José Carlos

05 de janeiro de 2011 às 21h05

Muitíssimo obrigado D. Marisa Letícia Lula da Silva, com elegância e discrição, a senhora enxotou e colocou a decadente (invejosa, maledicente e derrotada) elite do país no no seu devido lugar: no Pigueiro. A senhora merece nosso respeito e estima.
Parabéns Hildelgard, bela e justa homenagem. Reverenciamos as belas e guerreiras (e guerrilheiras) brasileiras.

Responder

Angela

05 de janeiro de 2011 às 20h40

Competente análise e homenagem,.Dona Marisa merece.

Responder

Herivelto Canales

05 de janeiro de 2011 às 20h27

Fechô.

Responder

Francisco Nogueira

05 de janeiro de 2011 às 20h13

Sempre as mulheres dando show. Agora, de mulher para mulher. Parabéns a todas as mulheres deste 'mundão'.

Responder

rubem

05 de janeiro de 2011 às 20h08

Belo Texto, como insisto em dizer , Lula venceu a velha mídia e a elite decadente brasileira, Marisa ajudou nesta vitória.

Responder

Ismael

05 de janeiro de 2011 às 19h32

A Hildegard sempre foi muito boa jornalista, inteligente. Quando ela escrevia no Globo, que faz parte do PiG, ela ficava meio engessada. Agora está livre para mostrar a jornalista sensível que sempre foi. Parabens

Responder

Barbara_Luz

05 de janeiro de 2011 às 18h39

Gostei do texto, e também sou da opinião que Marisa Letícia merecia uma homenagem, pela sua postura e por toda onda que segurou ao lado do Presidente.

Responder

Jairo_Beraldo

05 de janeiro de 2011 às 18h32

Da. Marisa foi uma brega mais elegante que todas as peruas do PIG.

Responder

Lidia Maria de Melo

05 de janeiro de 2011 às 18h29

Parabéns pelo texto. Merece ser lido e republicado. Assino embaixo

Responder

MCG

05 de janeiro de 2011 às 17h40

Inteligência, sabedoria e classe. Três grandes qualidades de Marisa Letícia. A senhora também vai deixar saudades! Obrigada.

Responder

glapido

05 de janeiro de 2011 às 17h33

Bela homenagem, sincera e despida, para variar, de quaiquer segundas intenções. Ponto para Hildegard.

Mas reler o texto com as fotos que a Hildegard selecionou torna a homenagem ainda melhor.

Responder

Alexandre

05 de janeiro de 2011 às 17h32

À discreta Marisa um grande abraço por cuidar do nosso maior e melhor presidente.

Responder

El Cid

05 de janeiro de 2011 às 17h17

Eu também sempre fiquei indignado com às críticas à D. Marisa Letícia e sempre admirei sua postura.

Mas esses que a criticavam eram os mesmos que criticavam tudo que envolvia o Presidente Lula. Porque iriam poupar D. Marisa, justamente a sua mulher ?! Fosse quem fosse no seu lugar, não importando seu posicionamento em qualquer situação, seria criticada mesmo. Mas as críticas se tornavam vazias, porque D. Marisa soube ignorá-las e preservou sua dignidade.

Adorei ver sua elegância na cerimônia de posse, mais alegre do que nunca. Cumpriu bem seu papel e parecia feliz em voltar ao aconchego de seu lar…

Responder

    Jairo_Beraldo

    05 de janeiro de 2011 às 20h46

    Pior é ver como se comportam Cristiana Lobo, Fatima Bernardes, Eliane Catanhede, Renata LoPrete, dentre outras peruas do PIG. De uma catiguria impar!

    El Cid

    06 de janeiro de 2011 às 07h46

    são de uma "fineza" só… argh !!!

    Demarchi

    06 de janeiro de 2011 às 18h47

    El Cid,
    Fico contente em ver que você gostou desse meu comentário que postei no Blog do Nassif ( Post do dia 04 às 19:53 : http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/os-ataqu… )
    Obrigada !
    Demarchi

carmen silvia

05 de janeiro de 2011 às 17h06

Hildegard Angel como sempre inteligente,elegante e sensível,não poderia ser outra pra prestar essa homenagem a discretissima ex-primeira dama Dona Mariza Letícia, que tem nome e postura de uma rainha.

Responder

Michael Cerqueira

05 de janeiro de 2011 às 16h59

Belíssimo texto! Nada mais justo para um exemplo de mulher que foi a dona Marisa!

Responder

Apolônio

05 de janeiro de 2011 às 16h51

Parabéns pelo artigo, elogiando a postura de Dona Letícia. Dona Letícia, sempre foi o esteio e o equilíbrio de Lula. Lula foi o maior presidente que este país já teve. Um estadista. Uma grande parcela deste sucesso, ele deve a esta extraodinária mulher. Feliz e oportuno artigo!

Responder

Luciana

05 de janeiro de 2011 às 16h47

Parabens Hildegard!! ADOREI!!! Eu sempre me incomodei demais com o desrespeito da imprensa à D. Marisa. Eu pensava: deixem a mulher, que saco… e admirava a paciencia!! eu ja teria mandado às favas há muito tempo e, lógico, não ganharia um texto desse rsrsrsrsrs

Parabens D. Marisa! Parabens Lula!! Exemplos para a vida.

Responder

Mariana Andrade

05 de janeiro de 2011 às 16h09

Bela homenagem!
Parabéns Hildegard Angel!!!

Responder

    El Cid

    05 de janeiro de 2011 às 17h32

    Parabéns Hildegard!!!

    Após a eleição de Lula grande parte da mídia começou a pregar que a liturgia do cargo é mais importante que os atos de quem o ocupa.

    Tivemos péssimos comentários durante os últimos oito anos, uma famosa jornalista chegou ao ponto de criticar o modo como a primeira dama podou os jardins do Palácio da Alvorada, disse ela: "a Marisa pensa que aquilo é a casa dela, ela não sabe destinguir o público do privado".

    Uma frase agressiva desta apenas porque a poda não lhe agradou? Claro que não, perseguição pura!

    Como se atingir a família do presidente não bastasse, começaram as agressões, desta vez mais em redes sociais, contra nordestinos, trabalhadores braçais, moradores de periferia….

    Um outro famoso jornalista disparou: ""Que merda, dois lixeiros desejando felicidades do alto de suas vassouras. O mais baixo na escala do trabalho."

    A cabeça dessa gente culta e escolada foi preparada para o quê?

    Onde foi forjado o caráter dos nobres jornalistas?

    Por esses exemplos que citei esse belo texto ganha mais importância ainda e deveria ser publicado no maior número possível de perfis em redes sociais (eu farei isso). Tenho certeza que será um poderoso antídoto para combater essa perseguição criminosa que estamos presenciando em todas as partes do Brasil.

    Mais uma vez, parabéns Hildegard!

Marcos AC Lopes

05 de janeiro de 2011 às 16h08

Bela homenagem Hildegard Angel! Ainda bem que temos colunistas como você: sensível e inteligente. A dona Marisa merece nosso respeito e nosso carinho.

Responder

Emília

05 de janeiro de 2011 às 16h06

Puxa, Hildegard que homenagem bonita você fez. Quando Dona Marisa tirou a faixa do Presidente Lula para que ele entregasse a Presidenta Dilma, eu disse: que grande primeira dama nós tivemos. Ela é o porto seguro do marido com certeza. Nunca gostei de primeiras damas que gostam de holofotes, afinal primeira dama não é nada na administração de qualquer governo.

Responder

Carlos

05 de janeiro de 2011 às 15h56

Belíssimo texto. Simples, sincero e contundente.

Responder

dukrai

05 de janeiro de 2011 às 15h45

Marisa não topou brincar de assistente social como primeira dama, a política social do governo Lula foi uma política de estado e não a masturbação mental do casal de ociólogo e ocióloga de não-brancos, uma dupla de tucanos com pose de pavão.

Responder

    Gustavo Pamplona

    05 de janeiro de 2011 às 17h42

    Isto me lembrou uma vez quando li uma bobagem na Veja falando que o FHC era negro e o Lula branco…

    E pessoal… sem "racismos", tudo bem? ;-) O que eu vou dizer abaixo é pura verdade.

    Eles fizeram uma comparação, desde o tom de pele, orelha, nariz… por exemplo… Em brancos as orelhas ficam mais deformadas quando a idade avança enquanto em negros as orelhas são menores e mais arredondadas. Mas em compensação o nariz do negro achata e alarga ainda mais com a idade.

    Isto é porque acho que vocês sabem que narizes e orelhas continuam crescendo após a chamada "fase do crescimento", lentamente, mas crescem…

    E até se vocês notarem bem… o cabelo do Lula é mais liso que o do FHC inclusive o tom de pele do FHC é mais escuro que o do Lula e as orelhas do Lula são mais deformadas que a do FHC.

    O que eu acho interessante nisto tudo é que tirando a Bahia, o nordestino é um cara branco, na realidade é como se fosse um indiano (da Índia), ou seja é apenas um "cabra" que tomou sol demais.

    Gustavo Pamplona

    05 de janeiro de 2011 às 20h38

    Deixa eu só complementar… (eu tinha esquecido de escrever mais um parágrafo).

    O que não dá para entender é o porque alguns paulistas "branquinhos" tem preconceito com nordestinos.

    Jairo_Beraldo

    05 de janeiro de 2011 às 18h30

    E onde estará a ocióloga neste momento?

Hans Bintje

05 de janeiro de 2011 às 15h20

Para entender porque a "gringolândia malvada" – da qual este leitor faz parte – gosta das festas juninas no Brasil, prestigia os shows do Hermeto Pascoal, etc.

Trecho de "O Pensamento Vivo de Michel de Montaigne, por André Gide" ( http://www.consciencia.org/montaigne-gide.shtml ):

"Mas uma irrequieta curiosidade anda ao encalço e, no campo das idéias, comporta-se sempre como nas suas viagens. O secretário que o acompanhou então anotou em seu diário: 'Nunca o vi (a Montaigne) menos cansado, nem menos queixoso do suas dores (sofria de pedras, o que não o impedia de permanecer a cavalo longas horas); por caminhos e pousadas mantinha o espírito atento a tudo o que encontrava e procurava sempre entreter-se com os estrangeiros, o que, creio eu, lhe atenuava os padecimentos'.

Declarava não ter outro projeto em vista senão o de passear por regiões desconhecidas. O mesmo diarista acrescenta: 'Tão grande era – seu prazer de viajar que detestava as vizinhanças dos lugares de pouso obrigatório'. E tinha por hábito afirmar que 'após uma noite agitada, ao lembrar-se pela manhã que devia visitar tal nova cidade, ou região, se levantava cheio de alegria'.

O próprio Montaigne escreve nos Ensaios: 'Bem sei que tomado ao pé da letra esse prazer de viajar revela inquietude e irresolução; em verdade são estas as minhas qualidades dominantes. Confesso que somente no sonho e no desejo encontro algo que me prenda; só o desejo de variedade me satisfaz; e assim também a posse da diversidade'."

Responder

marta

05 de janeiro de 2011 às 15h18

Pobre de dona Ruth que Deus a tenha, mas não soube segurar um marido galinhão que em plena atuação política se meteu com jornalistas, cozinheiras (essas de provas contundentes ) ,mais as que não se tem provas. Ela teve que engolir sapos e aguentar os fatos sob seus olhos, embora a mídia cúmplice escondia. Imaginem se fossem com o Lula e Dona Letícia todas essas novelas de adultérios. As repercurssões e edições na imprensa e outros seriam em forma até de baixarias. Concordo plenamente que Dona Letícia e Lula deram bons exemplos às demais famílias, justamente pelo posto que ocuparam. Não fizeram como muitos que aproveitam o poder para abusar e rolar, pelas vantagens que esse poder lhes oferecem.

Responder

    Silvio

    05 de janeiro de 2011 às 16h07

    Marta:
    Ninguém segura a ninguém! Ninguém sabe o que ocorria dentro de casa. Uma cosa são os homens públicos, e outros os de casa. Tampouco se sabe as relaciones de nenhum casal. Neste caso, se tem que mantiver algumas aparências.

    Jairo_Beraldo

    05 de janeiro de 2011 às 18h31

    Não sei quem era pior…ele ou ela.

Helôashá

05 de janeiro de 2011 às 15h17

Gostaria eu mesma de ter feito uma "Ode à Marisa Letícia"! Porisso, obrigada à Hildegard pela iniciativa muito bem sucedida. O único texto-homenagem que encontrei nesse sentido até agora. Prá mim, a contra parte feminina do Líder, em seu papel gloriosamente simples de inspiradora e guardiã da origem e do bom fluxo das manifestações de um grande projeto. Bela mulher!Casal perfeito. Parceria perfeita!

Responder

Jorge

05 de janeiro de 2011 às 15h08

Bem fizeram, ela Marisa Letícia e Lula, em nunca responderem aos assanhamentos promovidos pelos colunistas vulgares do PiG. Quais seriam as razões para argumentarem com idiotas senão a de se provarem iguais aos mesmos?

Fato é que, hoje e cada vez mais, a sociedade sabe para que servem os colunistas do PiG e em essência, no que se transformaram FSP, Editora Abril, Globo, OESP, etc., apenas mais algumas bocas de esgoto de que se servem os "ávidos" por estes tipos de produtos ou serviços, locais de onde se exala o real perfume da "massa cheirosa".

Espero que os governos, principalmente o Federal, promova reavaliações continuadas dos meios de que utiliza para alcançar e fornecer informação à população; que use cada vez mais de informações atualizadas por institutos de pesquisas, IVC, etc., para ao menos identificar mudanças ocorridas em perfis de audiência na TV, periódicos e revistas lidos e a própria rede.

Sabemos que já foram promovidas mudanças mas, melhorar e cada vez mais fazer bom uso dos recursos obtidos com os impostos, é uma necessidade que não deve parar nunca. As outras áreas de atuação do governo, com certeza, agradecerão e a sociedade estará mais bem servida.

Responder

ruizaltino

05 de janeiro de 2011 às 14h37

a zelite gosta mesmo é do tipo de mulher que aprende a usar talher de peixe, as diferenças de tons da cor azul e dá tudo (literalmente) por dindim. como aquelas tias que se aboletaram nas alcovas de tipos como samuel wainer e roberto marinho e hoje se vangloriam de mandar recadinhos para homens como Lula. mandam recadinhos para que ele leia algum livro depois de deixar o cargo. por Zeus, Minerva deve chorar lágrimas de sangue.

Responder

    Jorge

    05 de janeiro de 2011 às 15h33

    O bom de tudo isto, amigo ruizaltino, é saber e ter certeza de que Marisa e Lula, estão "fazendo um monte" para o que eles dizem e falam e que, com seus exemplos, cada vez mais pessoas deste nosso povo fazem o mesmo em relação às opiniões dos patrões que eles tão bem representam.

Janes Rodriguez

05 de janeiro de 2011 às 14h35

Gosto cada vez mais da Hildegard Angel. A inteligência é sempre bonita de se ver. E ler. E a Marisa Letícia todos os nossos carinhos, afagos e respeito. Muito obrigada a ela também.

Responder

Edson

05 de janeiro de 2011 às 14h31

Ainda ontem conversei com belas mulheres na faixa dos 50/60 anos, tenho 40, admirado com sua destreza e disposição. São corretoras de imóveis. Auton^ônomas e independentes. Divorciadas, livres!
Pois em dado momento comentei que minha esposa atualmente gostaria apenas de ser uma dona de casa.
Não é necessário ser formada, rica, para ser uma mulher feliz. Minha mãe viveu feliz criando 11 filhos e sendo "apenas" dona de casa".
Hoje, minha esposa também quer ter preocupação com filhos, casa e marido. Algum erro? Não
E a Srª. Marisa Letícia mostrou como é ser alguém dedicada ao casamento.
A melhor aula de preservação da família que a imprensa recusou-se a mostrar.
Preferiu, sim, esconder a traição do Sr. Fernando Henrique Cardoso que gerou um filho com uma jornalista da Globo, Miriam Dutra, e anunciou isto após a morte da Srª. Ruth Cardoso. Como se isto mostrasse respeito à 1ª dama que tanto cultuaram. Ao contrário, demostrou uma proteção machista à indole do marido visando interesse político.

Responder

    Gustavo Pamplona

    05 de janeiro de 2011 às 17h29

    Edson… e a traída da Hillary Clinton? (hahahahahahha)

    Sílvia

    06 de janeiro de 2011 às 15h35

    Edson, sou uma mulher profissional, independente e casada. Vivo sonhando em poder ser "apenas dona de casa". Percebo a falta que a presença da mulher faz na criação dos filhos e na administração do lar, tarefas muito complexas e importantes que exigem boa formação e treinamento para serem realizadas a contento.

Silvio

05 de janeiro de 2011 às 14h14

Minhas felicitações a Hidegard Angel por o brilhante artigo. Por fim alguém colocou os pontos sobre os is. Passa que em Brasil acreditam que a mulher do presidente tem alguma obrigação, de aparecer fazendo chás sociais, ou fazer alguma ONG, onde, por o já passado, tem servido para roubar. Ela e a mulher do presidente, e o povo não pode cobrar nada, de ela, porque ela, não foi eleita, em nenhuma eleição, para nenhum cargo.

Responder

priscila presotto

05 de janeiro de 2011 às 14h11

Foi um depoimento mais que merecido ,sempre foi leal ao Lula e sua espinha dorsal.
Angel ,sempre acertando ,fazendo um relatório ,da postura ,da discrição ,da valorização do artesanato brasileiro,em suas roupas ,cores e estilistas.
Parabéns Lula pela sua companheira que costurou a primeira estrela da bandeira do PT.
Angel foi no ponto ,deferentemente da leona que ruge ,mas não diz nada ,só exala amargura.

LIIIIIIIIIDO!

Responder

Roberto

05 de janeiro de 2011 às 14h05

Assino embaixo e dou fé. Abr.

Responder

    Mauro Ramos

    05 de janeiro de 2011 às 15h32

    Eu tambem!!!

ZePovinho

05 de janeiro de 2011 às 13h58

Quem foi aluno de Ruth Cardoso,por favor,pode dizer por aqui como ela era em sala de aula."Simpática",não??

Responder

    Taciana

    05 de janeiro de 2011 às 15h42

    Quando foi minha professora, ela foi muito gentil e atenciosa. Sabia muito e não esnobava como alguns outros professores da sua turminha da USP. Era a primeira vez que vinha ao Nordeste e não caiu na tentação de imitar o nosso sotaque, criticar a nossa universidade e nem dar uma de "boca aberta" para tudo o que via e ouvia. Uma verdadeira professora.

    Abel Botelho

    06 de janeiro de 2011 às 15h05

    tomou, Ze Povinho…


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.