VIOMUNDO

Diário da Resistência


Você escreve

Governo Lula comprou no Congresso a aprovação da reforma tributária e da Lei de Falências, diz Gurgel


03/08/2012 - 19h58

Roberto Gurgel, durante sua arguição no STF (foto Fellipe Sampaio/SCO/STF)

por Luiz Carlos Azenha

Carros fortes. O uso de carros fortes por envolvidos no esquema do mensalão chama a atenção na denúncia do procurador Roberto Gurgel, apresentada ao Supremo Tribunal Federal (STF). Imaginar que carros fortes eram utilizados para transferir os valores no esquema captura a imaginação do público.

Porém, os fatos mais graves dizem respeito a uma acusação frontal, a de que o governo Lula teria comprado a aprovação pelo Congresso de importantes leis: a reforma tributáriaa Lei de Falências e a PEC paralela da Reforma da Previdência, entre outras.

“Cito apenas a título de exemplo, em primeiro lugar, a votação da reforma tributária no dia 24 de setembro de 2003. Em 17 de setembro de 2003, sete dias antes, João Cláudio Genú [ex-assessor do PP na Câmara], a mando de parlamentares do Partido Progressista, sacou R$ 300 mil da conta de Marcos Valério no banco Rural. No dia da votação, 24 de setembro, João Cláudio Genú sacou mais R$ 300 mil. E, no dia 8 de outubro, 14 dias após a votação, sacou mais R$ 100 mil”, disse Gurgel (transcrição do UOL).

E mais: “No período precedente à votação da lei de falências, Simone Vasconcelos sacou R$650 mil no Banco Rural, provavelmente aqueles levados no carro forte”.

Segundo o procurador, o apoio do PTB teria sido comprado pelo PT por R$ 20 milhões, dos quais Roberto Jefferson recebeu R$ 4 milhões.

Provavelmente para se desculpar antecipadamente pela falta de provas materiais contra alguns dos acusados, Gurgel disse que uma quadrilha não age deixando provas e valorizou as provas testemunhais.

Como observou o professor Claudio Pereira, no site da CartaCapital:

17h13 – Roberto Gurgel sustentou a acusação de formação de quadrilha, a principal, com base em testemunhas de réus. Para Claudio José Langroiva Pereira, professor-doutor em Direito Processual da PUC-SP, isso pode fragilizar a acusação contra José Dirceu, considerado o “chefe da quadrilha” pela PGR. Para Pereira, sem provas provas documentais, a argumentação da PGR pode ser rejeitada pelo STF.

Em texto divulgado por e-mail, antes da apresentação de Gurgel, a defesa de José Dirceu alega:

“Sem fatos, sem provas e confuso, o Ministério Público alegou que, em algumas votações, alguns parlamentares votaram em datas próximas a alguns saques, mas ressalvando que alguns ‘traíram o acordo’ e votaram contra o governo. Nenhum deputado foi nomeado, nenhum ‘traidor’ foi listado e nenhuma votação foi relacionada. E não houve demonstração de vínculo com as datas dos saques. Integrantes da CPI dos Correios e da CPI da Compra de Votos fizeram um cruzamento de dados e concluíram que não havia nenhuma coincidência entre os saques e a votação. Pelo contrário: após ‘dois repasses elevados em 2004, caiu o apoio ao governo nas votações'”.

A tese de Gurgel é de que o PT promoveu negócios fraudulentos envolvendo órgãos públicos, as agências de publicidade de Marcos Valério e o Banco Rural. Destes negócios, tirou o dinheiro vivo para pagar pelo apoio parlamentar.

O Banco Rural tinha interesse em levantar a liquidação extrajudicial do Banco Mercantil de Pernambuco, o que dependia do Banco Central.

“Segundo o PGR, o Banco Rural tornou-se peça chave no processo delituoso, financiando parcialmente o esquema, mediante a simulação de empréstimos bancários no valor de R$ 32 milhões; permitindo a mistura dos recursos obtidos via empréstimos com dinheiro público desviado por meio de contratos de publicidade com órgãos públicos; viabilizando a segura distribuição de recursos em espécie, sem comunicar aos órgãos de controle o destinatário final; e, por fim, não comunicando as operações suspeitas de lavagem de dinheiro aos órgãos de controle” (do site do MPF).

Gurgel argumentou que nem Marcos Valério, nem as empresas dele, nem o PT tinham condições de dar garantias para receber os empréstimos.

“Ressalte-se que o ganho pretendido pelo Banco Rural superava em muito o dispêndio que fez em benefício do esquema criminoso. Conforme documento apresentado pelo Banco Central do Brasil, o ganho do Banco Rural com o levantamento da liquidação extrajudicial do Banco Mercantil de Pernambuco superaria a casa do bilhão de reais”, afirmou.

Quanto às provas que sustentam a acusação contra José Dirceu, Gurgel disse que “não há como negar que, em regra, o autor intelectual nos chamados crimes organizados age entre quatro paredes, em conversas restritas com os demais agentes do crime, quando dita os comandos que guiam as ações dos seus cúmplices. O autor intelectual, quase sempre, não fala ao telefone, não envia mensagens eletrônicas, não assina documentos, não movimenta dinheiro por suas contas, agindo por intermédio de ‘laranjas’ e, na maioria dos casos, não se relaciona diretamente com os agentes que ocupam os níveis secundários da quadrilha. Lida apenas com um ou outro que atua como seu interlocutor, não deixando rastros facilmente perceptíveis da sua ação. Assim, nesses casos, a prova da autoria do crime não é extraída de documentos ou de perícias mas essencialmente da prova testemunhal, que tem, é claro, o mesmo valor probante das demais provas”.

Ao final, Roberto Gurgel denunciou que em nenhum outro caso anterior sofreu tantas pressões, sem ser específico.

O procurador terminou sua apresentação com duas citações, uma do padre Vieira (perde-se o Brasil, senhor, porque alguns ministros de Sua Majestade não vêm cá buscar o nosso bem, vem buscar os nossos bens) e outra extraída da letra de “Vai Passar”, que Chico Buarque escreveu durante a ditadura militar (Dormia a nossa pátria mãe tão distraída, sem perceber que era subtraída, em tenebrosas transações).

A partir de segunda-feira os advogados dos réus começam a apresentar a defesa.

Para saber mais, vá ao site do MPF ao do STF no You Tube.

Leia também:

Collor acusa Roberto Gurgel de prevaricar

Paulo Teixeira: Gurgel sentou sobre a Operação Vegas





167 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Ssbastião

25 de agosto de 2012 às 15h26

“De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto” ( Um “tal” de Rui Barbosa ).

Responder

velhinha de taubaté

16 de agosto de 2012 às 20h09

Reforma tributária e Lei de falências…se é necessário criar um esquema de propinas e corrupção para aprovar esse tipo de texto, para que serve o congresso? Para dar emprego de assessora parlamentar para periguetes que fazem vídeos caseiros safadinhos?

Responder

João Pedro

13 de agosto de 2012 às 06h39

Na minha opinião Lula tem muito mais o que fazer ao invés de ficar envolvendo em mensalão,e também Se Lula comprou esses votos, comprou o que já era seu.Eu gosto do PT e acusações sem provas pra mim não fazem diferença nenhuma.Não sei de que compra de votos é essa em que as principais votações o governo perdeu e se de fato aconteceu, o que não fica provado, foi pra beneficiar o pais e não o governante.

Responder

    João

    17 de agosto de 2012 às 17h31

    sua teoria é q corrupção “para o bem do povo” pode?

    estarrecedor!

Go Oliveria

08 de agosto de 2012 às 10h38

O herdeiro de jô soares, Alexandre Gurgel é um fenômeno de inteliligência às aveças!

Do que ele nunca se preocupou: “FERNANDO HENRIQUE COMPROU A APROVAÇÃO DA REFORMA ELEITORAL que lhe deu (a Fernando Henrique) o direito à REELEIÇÃO” DILATANDO O PRAZO PARA A PRIVATARIA TUCANA.

Responder

Defesa diz que prova testemunhal será decisiva e que depoimentos absolvem José Dirceu « Viomundo – O que você não vê na mídia

06 de agosto de 2012 às 16h51

[…] Leia também: Governo Lula comprou votações no Congresso, diz Gurgel. […]

Responder

Daniel

05 de agosto de 2012 às 11h11

Uma coisa é certa, havendo ou não mensalão, se os acusados fossem pessoas idôneas não estariam passando por esse mico.

Responder

    Jose

    23 de agosto de 2012 às 11h29

    Luiz Gushiken, considerado inocente. Como voce diz “pagou este mico” durante sete anos. E agora, como é que fica? Alguem vai lhe pedir desculpas? A sua imagem associada a mensaleiros e quadrilheiros durante todos estes anos pela mídia, foi engano?

    Daniel

    27 de agosto de 2012 às 20h29

    Ele sabia no que estava se metendo.

    Jose Carlos

    31 de agosto de 2012 às 16h55

    Quem envolveu Gushiken neste caso foi a imprensa, pois era o secretário de comunicações do governo. Responsável pela distribuição de verbas publicitárias do governo, Gushiken reformulou este processo. Os grandes não gostaram e queriam sua cabeça. Procure informar-se melhor, e se possível de outras fontes.

Wildner Arcanjo

05 de agosto de 2012 às 09h39

Que papelão…

Responder

nilcemar

05 de agosto de 2012 às 09h14

Se Lula comprou esses votos, comprou o que já era seu. Essa acusação afirma que Lula é burro. Mas, os fatos todos comprovam que ele não o é, e todo mundo sabe disso.

Responder

    Daniel

    06 de agosto de 2012 às 11h57

    Burros são os seus defensores incondicionais.

Antônio

05 de agosto de 2012 às 08h55

GURGEL: UMA VERSÃO 2.0 DO ROBERTO JEFFERSON, PIORADA

Da Carta Maior eu fisguei este trecho da peça acusatória do GURGEL:

Para se contrapor às alegações da defesa de Dirceu de que não existem provas contra o ex-ministro, (GURGEL, GRIFO MEU) se fiou em uma série de teorias jurídicas que apontam as dificuldades de se obter provas periciais contra mandantes de crimes ou chefes de organizações criminosas. “Como quase sempre ocorre, os chefes das quadrilhas não aprecem na execução dos crimes”, ressaltou. Para Gurgel, Dirceu foi o líder, o mentor, o autor intelectual, a figura central da organização criminosa. “É autor aquele que tem o domínio final do fato”, afirmou.

Ué, mas essa foi a argumentação utilizada por Roberto Jefferson quando da denúncia do que ele batizou de mensalão: “eu não tenho como provar, mas tenho certeza que aconteceu”.

A diferença é que o Roberto Jefferson, quando da denúncia, atuou com um excelente ator de uma peça shakespeareana. E agora o Gurgel admite a sua incompetência para reunir provas contra os acusados.

Um outro trecho que mostra similaridade entre o que o ator representou e o que o que aparece na peça acusatória é o seguinte: Para Gurgel, Dirceu foi o líder, o mentor, o autor intelectual, a figura central da organização criminosa. “É autor aquele que tem o domínio final do fato”, afirmou.

De onde se conclui que esse tal de Dirceu é o verdadeiro cão chupando manga. Nunca deixa rastro (dá sempre descarga) e é muito mais inteligente de que o Carlinhos Cachoeira e sua excelsa esposa. Basta dizer que o Carlinhos Cacheira se deixou apanhar por escutas telefônicas autorizadas pela justiça, e contra o Dirceu “não existe nada, absolutamente nada, mas eu teho certeza que ele fez muita coisa ruim”.

É risível.

Responder

MARCOS

05 de agosto de 2012 às 08h34

Olha, eu estou acompanhando o Viomundo desde as eleiçoes de 2010, e sinto que nas ultimas semanas o viomundo esta se comportando de forma estranha. Esta com medo de ser taxado pelo nosso detestavel Serra de blogs sujos ou nazistas. Acho que o blog não deveria retroceder nos posicionamentos, afinal, ir muitas vezes de encontro com Dilma,Lula e o PT e na maioria das vezes, é escrever verdades irrefutáveis sobre o pais e administração publica. Nao vou separar textos pra comprovar isso, mas sinto o viomundo OBJETIVAR demais os textos com “medo” de consequentemente ficar parecendo um blog “comprado pelo PT”, como diria o nosso odiavel JOSE SERRA.

Responder

Moacir Moreira

05 de agosto de 2012 às 08h24

Esse tipo de espetáculo visa deslegitimar ainda mais o nosso Poder Judiciário perante o público consumidor.

Nós acabamos acreditando que são todos iguais, sejam integrantes do executivo, do legislativo e do judiciário.

O que comumente se diz é que os verdadeiros culpados pela corrupção no país são os políticos e não há justiça porque os juízes de maneira geral são igualmente corruptos.

Até carros-fortes são utilizados para transportar o dinheiro sujo que irá bancar esses vendilhões da pátria.

E assim o crime organizado internacional, servindo-se da imprensa hegemônica, vai preparando um terreno fértil para um novo golpe de estado.

Quem haverá neste país de ser contra uma intervenção militar para acabar com a corrupção?

Responder

Jose Mario HRP

05 de agosto de 2012 às 07h22

Gurgel gastou cinco horas esbravejando contra o PT e não disse nada, e muito menos , não mostrou prova alguma.
Só vituperou!
E o CNMP está prestes a investigá-lo por suspeita de prevaricação!

Responder

José Antônio

04 de agosto de 2012 às 22h50

O prevaricador Gurge sabe muito bem que o maior escândalo da política brasileira foi a privataria tucana, mas ele, insiste na condenação de um mensalão que a CPMI do Cachoeira deixou claro é fruto da chantagem do PIG.

Responder

patricia de souza

04 de agosto de 2012 às 22h03

cade a o rei da OAB pra falar dessa falta de prova

Responder

Geysa Guimarães

04 de agosto de 2012 às 20h53

E provou?
Não tem nenhuma fotinha ao menos dos carros-fortes?
Se denúncia hipotética vale, eu TENHO MUITAS A FAZER!

Responder

Gerson Carneiro

04 de agosto de 2012 às 20h41 Responder

Gerson Carneiro

04 de agosto de 2012 às 19h08

Ao invés de citar Chico Buarque o “prevaricador” da República Gurgel, deveria cantar para o PIG: “Diga onde você vai, que eu vou varrendo”!

@Enio_PTrem, no twetter

Responder

Gerson Carneiro

04 de agosto de 2012 às 19h07

Gurgel, cadê as provas?

– Num sei. É melhor o sr. perguntar lá no posto Ipiranga.”

Responder

Melinho

04 de agosto de 2012 às 18h56

OS CAIXAS DOIS DO PSDB

Noto que está havendo uma certa confusão entre o chamado Mensalinho e a Lista de Furnas por parte de alguns internautas. A revista Carta Capital desta semana explica tudo bem direitinho nas páginas 34-37. O nome do Gilmar Mendes aparece como beneficiário do chamado MENSALINHO, que é o esquema de caixa 2 que teria sido deesenvolvido na tentativa de reeleger o governador Eduardo Azeredo, do PSDB de Minas Gerais, em 1998. O total movimentado teria sido de R$ 104,3 milhões de reais.

A Lista de Furnas é um esquema de caixa 2 do PSDB montado durante o governo de FHC, particularmente no ano eleitoral de 2002. Foram movimentados 39,9 milhões de reais.

Segundo a “Lista” (http://caixadoistucanodefurnas.blogspot.com.br/),o dinheiro do PSDB não teria sido distribuido por igual. O grosso foi para três candidatos, que disputavam os três cargos mais importantes do esquema eleitoral tucano em 2002: José Serra, que pleiteava a Presidência, Geraldo Alckmin, candidato a governador de São Paulo, e Aécio Neves, que concorreu ao governo de Minas. Os três, conforme a “Lista”, teriam ficado com mais da metade do dinheiro do esquema de Furnas. Os demais 153 políticos que constam na “Lista” teriam dividido os 45,4% que restaram. Roberto Jefferson foi um dos beneficiados pelo esquema. Ele confirmou o recebimento de R$ 75.000,00.

O PSDB contratou um perito americano para demonstrar que a Lista de Furnas é falsa. E ele “demonstrou”. É a avaliação do perito contra a palavra do Roberto Jefferson. O PIG, que sempre acreditou na palavra do Jefferson no escândalo do mensalão, desconfia da palavra do Jefferson com relação à Lista de Furnas. Engraçado, não?

Ver lista completa dos beneficiários em http://caixadoistucanodefurnas.blogspot.com.br/.

Responder

Paciente

04 de agosto de 2012 às 18h48

Mudar a Lei de Falência e fazer um remendo na Lei Tributária foi a causa disso tudo?

Se fosse a aprovação da Lei da Reforma Agraria, da Lei de Mídia, do Imposto sobre fortuna ou da reeleição infinita, eu ficaria desconfiado, mas… disso?

O governo Lula iria acabar se não fossem essas duas coisicas?

Esse Gurgel precisa ser instruído sobre o básico: cadê o motivo?

Responder

Vlad

04 de agosto de 2012 às 17h33

Não se preocupem !!
O mensalão está com os dias contados…vão proibir o uso do termo.

Responder

Se Gurgel disse que Lula comprou o Congresso, ele tem de provar « novobloglimpinhoecheiroso

04 de agosto de 2012 às 16h56

[…] Luiz Carlos Azenha em seu Viomundo […]

Responder

Edson Augusto

04 de agosto de 2012 às 16h54

Não me surpreenderia se descobrissem que o texto lido por Gurgel tivesse sido redigido a quatro mãos por ele próprio, Demóstenes Torres, Ali Kamel e Álvaro Dias (esse, por motivos óbvios, com o auxílio de algum jornalista da Veja ou Folha de São Paulo).

Responder

Gerson Carneiro

04 de agosto de 2012 às 16h52

Aí se você pergunta, “Cadê as provas?”, o Gurgel responde:

– Sei não. É melhor você perguntar lá no Posto Ipiranga.

Responder

    Willian

    04 de agosto de 2012 às 18h22

    Sempre engraçado, hein Gérson…rs

Mário SF Alves

04 de agosto de 2012 às 16h31

Estou muito enganado, ou alguém andou lendo os alfarrábios da Máfia:

“O autor intelectual, quase sempre, não fala ao telefone, não envia mensagens eletrônicas, não assina documentos, não movimenta dinheiro por suas contas, agindo por intermédio de ‘laranjas’ e, na maioria dos casos, não se relaciona diretamente com os agentes que ocupam os níveis secundários da quadrilha. Lida apenas com um ou outro que atua como seu interlocutor, não deixando rastros facilmente perceptíveis da sua ação. Assim, nesses casos, a prova da autoria do crime não é extraída de documentos ou de perícias mas essencialmente da prova testemunhal, que tem, é claro, o mesmo valor probante das demais provas”.

E, afinal, se está falando de quem? Do C. Cocheira, do Demo(óstenes), do Pirigo?

Seja como for, ainda bem, ainda que por linhas tortas, depois de tão surrado, de tão desacreditado pelas estripulias apocalípticas do farol, o termo intelectual anda vindo à tona.

Responder

Gerson Carneiro

04 de agosto de 2012 às 16h25

“Num sei, só sei que foi assim” – CHICÓ, Gurgel

Responder

    Mário SF Alves

    04 de agosto de 2012 às 17h50

    Observação perfeita, bem no cerne espiritual da coisa. Valeu, Gerson.

José BSB

04 de agosto de 2012 às 15h30

Dos 38 réus citados na denúncia, figuram somente 12 deputados.
Como um esquema de compra de votos funcionaria com número tão exíguo de parlamentares? Nenhum senador é citado. Curioso. A aprovação de emendas constitucionais exige o quorum de 3/5 em cada Casa, em 2 turnos de votação.
É bom lembrar que a PEC encaminhada pelo governo Lula para tomar dinheiro de aposentados e pensionistas foi aprovada com grande entusiasmo pela oposição.

Responder

    Mário SF Alves

    04 de agosto de 2012 às 18h20

    Caro José, seu comentário fez-me lembrar a crítica de um ex-integrante do PCB. Um certo camarada que, muito convictamente, dizia que povo era nada mais, nada menos que massa de manobra. Pois bem, à época, disse-me ele, referindo-se ao dito mensalão: esse escândalo é a cara do PT, um partido politicamente frágil, que, para governar, se misturou ao que há de mais podre no Congresso.

    Pois é… passados tantos anos, quem sabe, talvez, com tal “análise”, com tal tirocínio, estivesse ele sugerindo que o melhor para o PT teria sido uma aliança com o PPS. O mesmo PPS que hoje encontra-se reduzido a mera sigla de aluguel do PSDB. Esse sim, a “banda limpíssima” do Congresso.

Julio Silveira

04 de agosto de 2012 às 14h22

Se for verdade o Lula deve entrar no Procon por ter comprado e não ter recebido. Ou então na própria justiça por ter sido enganado e caido no conto do vigário que os 300 vigarios picaretas do congresso lhe aplicaram, já que até hoje não saiu nada dessas reformas vitais para o Brasil.

Responder

André Dantas

04 de agosto de 2012 às 13h28

Uma pessoa em cargo tão importante para a República e para a democracia não pode ter uma postura tão irresponsável e parcial sem sofrer qualquer sanção.
O cidadão é Procurador Geral da União! Tanta gente excepcional no Ministério Publico e temos que passar por isso…

Responder

    Mário SF Alves

    04 de agosto de 2012 às 15h17

    Vai passar companheiro, vai passar.

silvinho

04 de agosto de 2012 às 13h23

Com a bandidagem do Cachoeira, Demóstenes, Veja e cia, Gurgel é um gatinho pra lá de manso, mas com os petistas, aí o procurador vira um leão.

Engraçado,né.

Responder

    Mário SF Alves

    04 de agosto de 2012 às 15h20

    É nisso que dá conjugar bem os verbos democratizar/dialogar/descentralizar/pluralizar/desconcentrar/desenvolver/libertar.

paulo roberto

04 de agosto de 2012 às 13h16

Dado o seu envolvimento com a quadrilha de Cachoeira/Demóstenes, o prevaricador geral não teve outro opção senão obedecer ao PIG e denunciar os réus mesmo sem ter uma única prova objetiva. É vergonhoso que o chefe do MP aja dessa forma.

Responder

Sagarana

04 de agosto de 2012 às 13h10

Puxa, nem mesmo um contratinho de gaveta, tipo compromisso de compra e venda de voto de algum parlamentar? Que decepção!

Responder

    Willian

    04 de agosto de 2012 às 14h44

    Nada registrado em cartório, nada!

mfs

04 de agosto de 2012 às 12h49

Torço pela absolvição dos reus. Acredito na seriedade da esquerda. Mas todos (nós e eles) sabemos que na verdade há em curso dois julgamentos mais importantes do que o mensalão: 1) O do PT 2) o do PIG. Se houver condenação, ficará comprovado que os petistas em geral são petralhas, e que o PIG na verdade fazia mesmo jornalismo isento e investigativo. Cassação do PT, do MST e da CUT poderiam ser consequências obvias. É por isso que o julgamento atrai tanta atenção e por isso o PIG se esmera tanto em pressionar o Supremo. Porque no caso da absolvição, as teses da esquerda e dos progressistas se confiremarão: o PT foi caluniado pela direita, o PIG é o PIG mesmo. Embora, admitamos, o PIG já tenha convencido muita gente de que a alternativa é condenação dos bandidos ou pizza, com exclusão de qualquer terceiro.

Responder

    Mário SF Alves

    04 de agosto de 2012 às 15h25

    Sem terceira opção?!! Fala sério, cara! Não sei porque mas estou começando a admirar a inteligência desse PiG. Inimigo bom é inimigo esperto, o resto é mera diversão.

    mfs

    04 de agosto de 2012 às 19h04

    Eu não disse que é unânime que não haveria uma terceira opção. Disse que muitas pessoas estão convencidas disso. Entre elas, os jornalistas e patrões do PIG. E parcela notável da classe media.

Tiao Macal´

04 de agosto de 2012 às 12h34

A tese da imprensa, de que o governo Lula fez repasses a deputados, para garantir votações favoráveis na Câmara em 2003 e 2004 não encontra nenhum respaldo financeiro. O argumento, da velha mídia, usado para sustentar a existência do chamado mensalão é derrubado pelos números.

O cruzamento entre os repasses feitos por Marcos Valério (aos partidos/deputados) e as votações na Câmara mostra que não existe relação direta entre as duas coisas. Ou seja, reforça a tese de que o dinheiro tinha relação com o caixa dois entre os partidos, sem nenhuma ligação com o governo.

Levando em conta as ocasiões em que o governo deu orientação sobre como os partidos deveriam votar, foram 238 votações entre 2003 e 2004.

De acordo com a tese da imprensa, sobre a existência do mensalão, o governo Lula teria mais votos nos meses em que os repasses foram feitos. Mas isso não ocorreu !!!

Percebe-se que, por serem da base governista, os partidos têm alto índice de apoio ao governo nas votações. Ao analisar os meses em que houve repasses, não é possível encontrar um aumento desse apoio.

Pelo contrário: no mês do maior repasse – agosto de 2004, com R$ 4,268 milhões – , o índice fica abaixo da média geral, de 86,7%. Em meses sem nenhum repasse, há expressiva votação favorável ao governo, como em julho de 2003 ou junho de 2004.

Além disso, embora em quase todo o período analisado haja repasses aos quatro partidos, a tendência geral de apoio ao governo tem queda, como mostra este gráfico:

Os gráficos também revelam que há um forte crescimento do apoio ao governo entre abril e junho de 2003, quando os repasses são bem menores que os dos outros meses.

É possível verificar que, se houvesse alguma influência dos repasses nas votações, ela seria negativa. Ou seja, quanto maior o repasse, menor o apoio ao governo.

Veja mais dados em: http://tudosobreomensalao.com.br

Responder

Jacó do B

04 de agosto de 2012 às 12h31

Eu vou cronometrar o tempo que o JN vai disponibilizar para os advogados dos réus. O Jô Gurgel ficou quase as cinco horas acusando e o Pig mostrou. O prevaricador não provou a culpa de ninguém. Ficou fácil para a defesa, mas o Pig não vai querer mostrar, pois isso seria informação, artigo que eles não “vendem”!

Responder

    Tanuri

    04 de agosto de 2012 às 12h49

    Lembre-se que o tempo do procurador é para acusar 38 réus (sim, Gérson, réus) e o tempo de cada advogado é para defender cada cliente.

mello

04 de agosto de 2012 às 12h22

Inépcia ou má fê? Vpu marcar duplo !

Responder

BEN

04 de agosto de 2012 às 11h53

Caro Azenha,
Com um judiciário destes (Gilmala, Peludo e Roberto Pastel)o Brasil não precisa de inimigos. Vários miunistros envolvidos em corrupção e não podemos fazer nada? São maiores que Deus?
Estam,os f……
Ben

Responder

&duardo

04 de agosto de 2012 às 11h48

Vamos aonde tudo começa. A Globo corrompeu e agora manda no futebol, corrompeu e agora manda no carnaval, pressionou e agora comanda nosso judiciário. É fácil provar, tenho as testemunhas. Não precisa Lei de Medios, bastaria disponibilizar a transmissão do campeonato brasileiro para todas as emissoras. Aí começa a cair a casa.

Responder

    Mário SF Alves

    04 de agosto de 2012 às 15h37

    Impagável. O melhor do futebol na terra brasilis é ver os simpsons da Globo com “cara de quem comeu e não gostou” sendo obrigados a se curvar à preferência esportiva do povão e se fazer de simpáticos quando têm de informar detalhes dos infindáveis campeonatos nacionais.

Gerson Carneiro

04 de agosto de 2012 às 11h44


Fonte: facebook e twitter. Autor: até o momento, desconhecido.

Responder

José X.

04 de agosto de 2012 às 11h38

Uma coisa é certa: quando é que esse pessoal do judiciário/mp vai deixar de ser invulnerável perante a “lei” apesar de seu comportamento escandalosamente irresponsável, para dizer o menos ? O exemplo de Gilmar Dantas e do prevaricador geral é uma coisa de fazer subir o sangue à cabeça…precisamos de uma revolução para acabar com essa aristocracia medieval que é o judiciário (e correlatos) brasileiro, essa podridão que se vê a olho nu, que age com a maior desfaçatez possível por ter certeza da impunidade. Em vez de perder tempo com a tal reforma política precisamos mesmo é de uma revolução no judiciário, caso contrário corremos o risco de acontecer a mesma coisa que aconteceu em Honduras e agora no Paraguai, um “golpe jurídico” contra o povo.

Responder

Vieira

04 de agosto de 2012 às 11h33

O discurso do “Jô Soares Gurgel” só pode ter sido escrito pelo Merval idiota Pereira, o acadêmico que nunca escreveu um livro.

Responder

    Mário SF Alves

    04 de agosto de 2012 às 15h44

    E isso sem dizer da citação absurda/bizarra de um trecho da Vai Passar, escrita justamente para denunciar/fazer-nos refletir sobre a podridão política que nos tem sido imposta pelos mesmos que ora (ou desde sempre) condenam o PT.

Luciana

04 de agosto de 2012 às 11h22

Com esses argumentos de que quadrilheiro não deixa provas, a defesa vai massacrar o procurador.

Quanto ao Barbosa, pra mim está fazendo encenação pra mídia.
Mas, na hora certa deve votar com o cérebro e não com o ego.

Responder

    Mário SF Alves

    04 de agosto de 2012 às 15h47

    É… Barbosa anda mais pra “decifra-me ou te devoro” do que pra “expoente máximo” das leis do Brasil.

Eduardo

04 de agosto de 2012 às 11h13

Que eu saiba, quando falamos em matéria de Direito, que o tal “jus esperniandi” fica adstrito ao réu/acusado, de tudo fazer para defender-se das acusações que lhe são imputadas, mas confesso que nunca tinha visto situação como esta em que parte do próprio acusador, o tal PGR, se utilizar do “direito de espernear”. Ele literalmente se comportou como um réu que tudo faz, atabalhoadamente, para tentar fundamentar, sem fundamentos, defender sua tese.
Eu gostaria que ele apresentasse suas contudentes e irrefutáveis provas contra os réus, mas o que ficou patente foi o seu despreparo e inabilidade, deixando patente que o lhe move o ânimo é simplesmente o desejo, pessoal e de inconfessáveis outros desejos quanto mesquinhos e de comprometimento, que nunca esteve à altura do cargo que ocupa, e mais, que é tendeciosa e maliciosamente abraçado a causas políto-partidárias, sem esquecer das condutas que, em países sérios, o remetaria à cadeia por concluio criminoso.

Responder

Burrinho

04 de agosto de 2012 às 11h01

Entendi tudo!!! Como o mensalão foi descoberto, então até 2005 o Governo Lula aprovava ABSOLUTAMENTE TUDO. Depois de 2005, o governo Lula não aprovou ABSOLUTAMENTE NADA no Congresso. Quaisquer derrotas até 2005 ou vitórias depois evidenciam que as aprovações não dependiam do pagamento das despesas de campanha (caixa 2). Se isso aconteceu, então a tese central do “mensalão” desaparece. É isso mesmo?

Responder

    assalariado.

    04 de agosto de 2012 às 12h13

    Caro Burrinho, minha culta ignorância juridica diz que: voce mostrou um dos ‘x’ da questão no que se refere a questão mensalão, que poderá ser revertida para o nome de caixa 2 de campanha. Seu argumento/ tese, de repente, poderá quebrar as pernas do porta voz tribuneiro do capital dentro da casa grande juridica, e desta quadrilha Estado burguês/ PIG. Eles são pessoas diferentes, são dois, ou mais, em um só. Percebe?

    Pelo que observo até aqui nos comentários é que, a grande maioria dos internautas analisam cada ator desta estória de forma fragmentada/ separada, e não como pessoas de uma mesma ideologia, que trabalham tempo inteiro em nome de uma causa politica ideologica, e assim se locupletam. Portanto, isso passa longe de ser conluio, é sim, a ditadura do capital e seus lacaios, travestidos de Estado de direito. Sem direito a provas materiais.

    Abraços Fraternos.

Herivleto Pardales

04 de agosto de 2012 às 10h09

O que me estranha é a mudança de postura do ministro Joaquim Barboza… Antes, tão governista, agora… Será que ele viu algo nos autos que mexeu com a cabeça dele?

Responder

    Mário SF Alves

    04 de agosto de 2012 às 15h51

    Não teria sido nos altos?

José Tadeu

04 de agosto de 2012 às 09h43

Caro Azenha;

Quanto ao interesse do Banco Rural na liquidação extra judicial do Banco Mercantil de Pernambuco: O presidente do BC era Henrique Meireles, Por que o Gurgel não o indiciou, ou sequer o convocou para um depoimento???

É muita palhaçada, o gurgel além de parcial, desonesto é um tremendo de um incompetente.

José Tadeu

Responder

    Mário SF Alves

    04 de agosto de 2012 às 15h54

    Kkkkkkkkkkkkk…. bem lembrado J. Tadeu. Bem lembrado. A não ser assim, só admitindo a tese de que o Gurgel possui razões que a própria razão desconhece. O que não é de todo improvável.

O_Brasileiro

04 de agosto de 2012 às 09h36

É assustador saber que as mais altas instâncias do sistema judiciário brasileiro podem ignorar o devido processo legal, modificando-o conforme as circunstâncias.
Se isso acontecer na frente das câmeras de televisão, e talvez até por causa dessas, imaginem o que acontece nas instâncias inferiores.
O certo é que a confiança no sistema judiciário pode ficar abalada se os doutos ministros não exigirem apresentação de provas para condenarem alguns dos réus, já que para outros parece haver provas, embora somente para algumas das acusações.
Teremos que viver nesse país sem poder confiar em Justiça!?

Responder

adão gonçalves peixoto

04 de agosto de 2012 às 08h59

Decepção total com este judiciário.

Responder

    lulipe

    04 de agosto de 2012 às 11h58

    Bom é na Venezuela onde o chapolim manda prender juízes que não seguem sua cartilha, não é Adão???

Willian

04 de agosto de 2012 às 08h43

Bem, uma vitória os mensaleiros já conseguiram: Peluso, muito provavelmente, já está fora do julgamento. Viram como os ricos e poderosos, que podem contratar advogados caros, conseguem, dentro da lei, se safar? Entendem agora porque, ao chegar ao poder, ninguém quer mudar efetivamente as coisas? Pra que mudar se, um dia, o sistema pode ser usado a seu favor?

Responder

    lulipe

    04 de agosto de 2012 às 12h00

    Talvez não, caro William, veja só:

    “O STF (Supremo Tribunal Federal) pode alterar seu cronograma original e aumentar o número de sessões de votação do julgamento do mensalão para evitar o risco de o ministro Cezar Peluso não votar na ação penal. ”
    (Fonte:UOL)

    Bonifa

    04 de agosto de 2012 às 14h34

    Lulipe e Williams: estão achando que nem tudo está perdido? Que o ilustre ministro Peluso é voto certo pelo desejo midiático? Terão uma surpresa.

Ana Cruzzeli

04 de agosto de 2012 às 08h09

kkkk

Isso deve ser piada, a acusação dizer que não há provas documentais , afinal esse tipo de bandido não deixa provas e irá usar só provas testemunhais ?
Que testemunhas ó cara pálida? Roberto Jefferson? Aquele que disse lá mesmo no Supremo que mensalão era trololó?

Por essa eu não esperava. Não vejo outra saida para os probos ministros que não seja a absolvição dos réus principalmente depois dessa

Responder

    Tanuri

    04 de agosto de 2012 às 12h53

    Ana, conhece a história do marido que seguiu a mulher e o amante até a porta do quarto de motel, ficou olhando pelo buraco da fechadura e quando os pombinhos apagaram a luz ele disse:

    -Meu Deus, agora nunca vou ter certeza da traição.

    É, faltou a prova documental, mas as evidÊncias são fortes.

Jair Orichio

04 de agosto de 2012 às 07h43

ONtem, 03/08/12, vi no Jornal das Dez, um professor de Direito da UERJ, sacanear o Merval Pereira, fazendo uma analoia, bem Olímpica… O Merval, praticamente já concluiu a decisão que o STF tomará…acho que eles se comunicaram em alguma sala secreta…O professor da UERJ, falou para o Merval: Merval, esse processo não é uma corrida de 100 metros… mas uma Maratona de 42 km…ainda tem muita estrada… E o PR não ter apresentado provas, corre o risco de ter suas testemunhas verbais impunadas, por diversas razões… O Merval, teve que entubar ao vivo!!!

Responder

Jose Mario HRP

04 de agosto de 2012 às 05h53

Do Gurgel eu não preciso falar, o discurso do Collor na CPMI já diz tudo!
http://www.youtube.com/watch?v=AEjqXkgo5gE&feature=player_embedded

Responder

Paciente

04 de agosto de 2012 às 05h51

Roberto Jefersson deixará de ser considerado um demente no exato minuto em que devolver os quatro milhões que ele afirma ter recebido do esquema que ele alega existir.

Ele guardou o dinheiro em casa, não tem comprovante de depósito bancario? Ok, gastou aos poucos? Então que apresente as notas fiscais dos iates, mansões e demais “mimos” que ele certamente teria comprado com o tal dinheiro.

Ah, não gastou o dinheiro? Então devolve. Devolve, Jefersson. Cadê?

Responder

    Mário SF Alves

    04 de agosto de 2012 às 16h10

    Êeepa! Tô começando a gostar desse outro STF aqui, esse do Vi O Mundo.

SILOÉ-RJ

04 de agosto de 2012 às 03h33

…”Seus filhos
Erram cegos pelos continentes
Levaram pedras feito penitentes
Erguendo estranhas catedrais
E um dia afinal
Tinham direito a uma alegria fugás
Uma estranha epidemia
Que se chamava “carnaval”, “carnaval”.
Vai passar…

…Ai que vida boa o lerê
ai que vida boa o lará
o estandarte do “sanatório” geral
Vai passar”…

VAI PASSAR- música de:
CHICO BUARQUE DE HOLANDA:

Responder

Marcio H Silva

04 de agosto de 2012 às 03h07

Vergonhoso para o país, termos um Procurador deste. Incompetente e prevaricador……….

Responder

Sérgio

04 de agosto de 2012 às 02h38

Agora que o nobre Procurador já se manifestou, e muito, sobre o processo do mensalão, poderia começar a discorrer sobre o tema prevaricação.

Responder

SILOÉ-RJ

04 de agosto de 2012 às 02h19

Näo é de praxe o partido receber ministérios, cargos, e apoios do governo para formar a base aliada e votar junto com o governo???
Entäo qual a necessidade de se comprar de novo os votos dos aliados e de parlamentares do próprio partido do governo???
Näo seria mais lógico tentar cooptar dessa forma parlamentares de outros partidos???
Como que uma “atrevida e escandalosa quadrilha” compra votos da sua própria base aliada para votar leis que beneficiam o povo???
Näo seria mais fácil e bem menos escandaloso, essa “quadrilha” privatizar uma grande estatal e dividir o lucro entre si como fizeram INÚMERAS VEZES,FHC e PSDB, com a anuência da PGU do MP e do JUDICIÁRIO???

Responder

    Mário SF Alves

    04 de agosto de 2012 às 16h19

    Brilhante a sua tese, Siloé, brilhante.

Scan

04 de agosto de 2012 às 02h17

“…o autor intelectual nos chamados crimes organizados age entre quatro paredes.”

Pronto, Gurgel, chame as paredes pra depor.
Idiota…

Responder

nilcemar

04 de agosto de 2012 às 01h58

Não entendi como é que o “chefe da quadrilha” se comunicava com os “quadrilheiros” menores, eles falavam em sânscrito ? eles falavam em português correto ? ou seria por telepatia ? Também não ficou claro em qual das contas desse “chefe” foi localizada essa dinheirama toda, após esse verdadeiro golpe de mestre, e como aumentaram suas fortunas pessoais. Afinal, por que ele gastou tanto dinheiro, pagando seus próprios aliados. Não entendi nada desse filme.

Responder

valmirdias

04 de agosto de 2012 às 01h21

Por favor, gostaria de ouvir comentarios do Chico à repeito da atitudo do maldito usando trecho de sua musica.

Responder

    Antonio Morais

    04 de agosto de 2012 às 06h40

    Eu também gostaria muito de ouvir comentários do Chico.

nilcemar

04 de agosto de 2012 às 01h14

Ainda não entendi quem foi que enriqueceu com tal negociata, e, exatamente, como o “chefe da quadrilha” se comunicava com quadrilheiros de menor escalão, seria telepaticamente ?

Responder

Mancini

04 de agosto de 2012 às 01h12

E também a reforma da Previdência, 900 mil segundo o mesmo. http://refazenda2010.blogspot.com

Responder

Márcio Gaspar

04 de agosto de 2012 às 00h55

“O autor intelectual, quase sempre, não fala ao telefone, não envia mensagens eletrônicas, não assina documentos, não movimenta dinheiro por suas contas, agindo por intermédio de ‘laranjas’ e, na maioria dos casos, não se relaciona diretamente com os agentes que ocupam os níveis secundários da quadrilha. Lida apenas com um ou outro que atua como seu interlocutor, não deixando rastros facilmente perceptíveis da sua ação. Assim, nesses casos, a prova da autoria do crime não é extraída de documentos ou de perícias mas essencialmente da prova testemunhal, que tem, é claro, o mesmo valor probante das demais provas”.

De duas uma,ou isso parece discurso de político de oposição ou é retórica jurídica de botequim. Jamais poderia ser proferida por um PGR. Este discurso retórico de botequim mostra claramente que o Gurgel está lidando mais com questões partidárias de partidos que andou ajudando ao não dar proceguimento a processo, conforme a lei determinava, quando chegou em suas mãos. Com esse discurso feito, ele certamenta está acreditando que o julgamento no supremo será político e não baseado em provas, talvez para determinados juizes(Mello, Gilmar, Peluzo e Barbosa), que todos sabem mais ou menos que há uma propensão a votar pela condenação do Dirceu. Eu acho que o Dirceu ganha por 7×4. Depois virão nos jornais do PIG o placar estampada nas capas do PIG, dizendo que o placar foi apertado, vai querer marcar um novo jogo, pois não engolirá a derrota. Vai dizer que foi roubo, típico de quem participa de quadrilha. Efim. Aguardemos.

Responder

    Bonifa

    04 de agosto de 2012 às 12h21

    A bem da verdade, digamos que boa parte da retórica de botequim devemos ao procurador anterior, Antonio Fernando de Souza.

    Marta

    04 de agosto de 2012 às 20h11

    O caso Cachoeira desmente totalmente este argumento infantil do Prevaricador geral Gurgel: ” O autor intelectual nos chamados crimes organizados age entre quatro paredes, em conversas restritas com os demais agentes do crime, quando dita os comandos que guiam as ações dos seus cúmplices. O autor intelectual, quase sempre, não fala ao telefone, não envia mensagens eletrônicas, não assina documentos, não movimenta dinheiro por suas contas, agindo por intermédio de ‘laranjas’ e, na maioria dos casos, não se relaciona diretamente com os agentes que ocupam os níveis secundários da quadrilha….”

Bonifa

04 de agosto de 2012 às 00h35

Há uma boa possibilidade de que o Gurgel esteja apenas atacando para tentar se defender previamente do que o aguarda com o aprofundamento da CPMI do Cachoeira. Sim, porque a CPMI vai pegar o Gurgel inapelavelmente e, pela gravidade e clareza de seus próprios crimes, não haverá salvação para ele.

Responder

Fabio Passos

04 de agosto de 2012 às 00h22

Responder

Shirley

04 de agosto de 2012 às 00h11

Esse prevaricador da república, fala po experiência própria. Ele deve está nadando na cachooeira, mas não deixou nenhum rastro.

Responder

Sônia Bulhões

03 de agosto de 2012 às 23h58

Eu penso que quem escreveu o discurso dele, foi o Maynard….. Cruzes. Não foi o Kamel não foi mesmo o Maynard com todo esse ódio, só pode.

Responder

    Fabio Passos

    04 de agosto de 2012 às 00h17

    gurgel é como o maynard, famoso pilantrinha que vivia no bolso do daniel dantas… fala muito mas não apresenta prova nenhuma.

    gurgel vai pedir emprego na veja.

Alberto

03 de agosto de 2012 às 23h53

E a Dilma rec onduziu este sujeito ao cargo de Procurador Geral dá República. Agora aguentem, o estrago vai ser maior do que em 2005, quando o PSDB quase provoca a destituição do Lula.

Responder

    Fabio Passos

    04 de agosto de 2012 às 00h15

    viajou.
    Por toda a rede só rola chacota com o prevaricador gurgel.

    eu eu eu o PIG se… deu mal. rsrs

Fabio Passos

03 de agosto de 2012 às 23h25

O prevaricador gurgel já está treinando para virar colunista da veja. rsrs

Responder

Abelardo

03 de agosto de 2012 às 23h17

O Brasil está pior do que eu imaginava. Ter um cara como esse no cargo de PGR e ter um judiciário como o nosso, que fecha os olhos para os desmandos da mídia, para os malfeitos da oposição e não investiga nada, não pune ninguém (exceto o pobre) e ainda se acha um judiciário moderno, imparcial e eficiente é uma grande piada.

Responder

    Fabio Passos

    03 de agosto de 2012 às 23h54

    Creio que o prevaricador gurgel surtou porque ficou sabendo que cachoeira vai fechar acordo de delação premiada. rsrs

    O prevaricador não consegue apresentar uma prova sequer.
    gurgel defende condenação baseada em que? Em ilações nível “reportagens” da quadrilha veja? rsrs

    [email protected]_2

    04 de agosto de 2012 às 01h06

    é TENEBROSO um elemento de quilate tão baixo como este PREVARICADOR geral da republica em cargo tão importante.
    Se nossa República for digna desta alcunha, certamente este desclassificado será o novo integrante da quadrilha PIGuista, quem sabe, até mesmo (ó, suprema glória!) um “menino do Jô” ?

    Alvíssaras!

    ;)

    Mário SF Alves

    04 de agosto de 2012 às 16h40

    É. Não tem nada de mensalão. Aquilo tá mais pra circão!

Arnaldo Costa

03 de agosto de 2012 às 23h15

Quanta fantasia, quanto delírio… “Demostenes Gurgel no país das fantasias do PIG.” Vai procurar um psiquiatra seu louco. Nós,sociedade, não temos tempo para perder com tanta balela, tanta babozeira. Denúncias totalmente vazias de uma mente doutrinada e dominada pelo PIG. Deu pena. Só mesmo os Homes Simpsons do Bonner para participarem da platéia desse circo. Por isso volto a repetir: acompanhar essa imprensa suja pode fazer mal para à saúde mental.
P.S.: A propósito: peçam para a revista espia recolher a cela que deixaram na frente do STJ. Civita deverá precisar dela…
P.S.: Se fosse assim, Governo Lula teria sido camarada. Já estava prevendo a falência demotucana.

Responder

José Neto

03 de agosto de 2012 às 23h12

Dilma, por favor faça como Rafael Correa presidente do Equador, corte todos os anúncios do governo com a mídia golpista e os deixe fazer seus negócios com quem desejarem, pois temos uma certeza continuarão metendo o pau no governo, então é merlhor meterem o pau sem o dinheiro do povo em seus cofres dos paraisos fiscais.

Responder

José Antônio

03 de agosto de 2012 às 23h08

Nas primeiras aulas de direito processual,qualquer estudante de direito aprende que a “testemunha” é a prostituta das provas, numa demonstração inequívoca de que a credibilidade da prova testemunhal é muito ínfima. O Gurgel parece querer desconhecer essa realidade, pois quer condenar só com base em provas testemunhais. Vamos ver se o Ministro Gilmau, agora defende a tese da banalização das provas, como ele defendeu a banalização do uso das algemas contra o Daniel Dantas.

Responder

Arnaldo Costa

03 de agosto de 2012 às 22h53

Quanta fantasia. Demostenes Gurgel no país das fantasias do PIG. Quanto delírio… Vai procurar um psiquiatra seu louco. Nós,sociedade, não temos tempo para perder com tanta balela, tanta babozeira. Só mesmo os Homes Simpsons do Bonner para participarem da platéia desse circo.

Responder

Arnaldo Costa

03 de agosto de 2012 às 22h46

Qualquer um sabe que Gilmar é totalmente tucano, não só por convicção mas por rabo preso também. Aproveitam para tentar colocá-lo como isento. Vão se catar bando de hipócritas, sujos, imorais. Quanta sem vergonhice. Não têm vergonha na cara?

P.S.: Tanto Gilmar Dantas quanto esse procurador Demostenes Gurgel já deixaram claro que não têm envergadura moral para ocuparem esses postos. Onde está as autoridades competentes para denunciar isso? Gurgel defende bandidos tucanos com unhas e dentes antes mesmo de saber da acusação. Ao mesmo tempo, persegue seus adversários de partido. Tenha dó.

Responder

Arnaldo Costa

03 de agosto de 2012 às 22h43

Vamos ter que escutar muita balela e manipulação de informações do PIG nesses dias. Haja paciência! Só mesmo os Home Simpsons do Bonner para aguentar. Quanto partidarismo, exagero e hipocrisia…

P.S.: Quanto a indagação do presidente do STJ em relação ao porquê do revisor não ter pedido o desmembramento do inquerito anteriormente, é simples: porque esta questão só foi levantada agora, por um dos advogados de defesa. Fácil, não?

Responder

Arnaldo Costa

03 de agosto de 2012 às 22h42

Só os Home Simpsons do Willian Bonner para acreditarem em tanta balela. A denúncia apresentada não tem pé nem cabeça. Está parecendo reporcagem da revista semanal Espia. Quanta babozeira… O circo está armado. E parece que está cheio de palhaços na platéia. É de embrulhar o estômago tamanha farsa e manipulação de fatos e informações.

Responder

Emanoel C Neto

03 de agosto de 2012 às 22h41

Franco Atirador: Se eu um levar uma tapa de uma pessoa, dois dias depois faço uma reunião com meus dois irmãos no outro dia o sujeito é encontrado morto. Serei condenado sem provas nenhuma apenas por um depoimento de dez testemunhas que me viram organizar a reunião com os meus irmãos sem saber o conteúdo da conversa. POR FAVOR, TIRE ESTA DUVIDA.

Responder

    Bonifa

    04 de agosto de 2012 às 00h17

    Se as testemunhas forem o Roberto Jefferson, ninguém acreditaria nelas.

    FrancoAtirador

    04 de agosto de 2012 às 10h21

    .
    .
    Caro Emanoel C Neto.

    De acordo com a tese do Gurgel,

    se a reunião ocorreu entre 4 paredes

    e ninguém soube do que foi nela tratado,

    certamente você deve ser condenado

    como chefe de quadrilha.
    .
    .

Arnaldo Costa

03 de agosto de 2012 às 22h37

“Dizer que o mensalão é o maior escândalo de corrupção da história do país é corromper a própria história da corrupção do Brasil. É um favor que se faz a uma legião de notórios corruptos e corruptores de tantas épocas que jamais foram devidamente investigados, indiciados, julgados, muito menos condenados.”

É também nos chamar de idiotas, já que os grandes ladrões de nosso país atualmente estão em suas mansões, usufruindo do nosso dinheiro e, muitos deles, continuam ainda atuando na política, em sua maioria, na coligação demotucana. Para refrescar a memória aí temos alguns: transamazônica, concessões de radiodifusão, indústria da seca, “milagre econômico” e dívida externa, licitações ilícitas (mendes junior, andrade, camargo, odebrechet, OAS (ACM), Covan, Melo Azevedo,…), Privatarias, compra de votos para reeleição, aviões abarrotados de dinheiro, mesadas para 45 deputados federais por construtora, festas e orgias para politiqueiros, coronelismo, oligarquias, compra de votos, rodoanel, pedágios, merendas escolares, ambulâncias, furnas, banestado, e por aí vai. Isso foi criado há décadas por esses políticos da direita e vem sendo aperfeiçoado até os dias atuais. Estão realmente querendo nos chamar de idiotas ao mencionar isso como o maior escândalo. Está aí a olhos vistos as fortunas dos grandes algozes de nosso país. Cansamos de ser enganados por esses caras-de-pau, hipócritas. Temos que passar o Brasil a limpo e imputar a culpa por nossa miséria e décadas de retardo do nosso desenvolvimento aos verdadeiros culpados por isso: os demotucanos e seus aliados (ex-PFL, ex-PDS e aliados). Não preciso dar nomes aos bois. Como disse, está aí para quem quiser ver. Aqui em Minas e São Paulo, estão fazendo escola.

Responder

    maria olimpia

    04 de agosto de 2012 às 14h23

    Arnaldo Costa,
    Plenamente de acordo com você, além disso o pgr não poderia ser mais subjetivo nas acusações.

CarmenLya

03 de agosto de 2012 às 22h29

Eu não compraria um carro usado do Gurgel!!!!!!

Responder

FrancoAtirador

03 de agosto de 2012 às 22h28

.
.
” Se a compra de votos para a reeleição do Presidente Fernando Henrique Cardoso — que certamente ocorreu à revelia do beneficiário —
tivesse a mesma cobertura insistente da mídia
e se os processos investigativos tivessem a mesma profundidade das investigações do chamado “mensalão”,
a eleição que sucedeu aqueles eventos poderia ter sido inclusive anulada
e um mar de cassações de mandatos e de punições pela Justiça
poderia ter ilustrado, ali sim, o maior escândalo institucional da República.
Tratava-se da nulidade de um mandato presidencial,
cuja viabilidade teria sido literalmente comprada.”

(Tarso Genro)

https://www.viomundo.com.br/politica/tarso-genro-o-que-nao-e-aceitavel-e-o-massacre-midiatico.html

http://www.cartamaior.com.br/templates/materiaMostrar.cfm?materia_id=20653

Responder

Maria Dirce

03 de agosto de 2012 às 22h24

A Globo, Globo News especialmente que esta de plantão para mostrar e denunciar e intimar o STF a condenar os réus, qdo o prevaricador acabou seu discurso sem provas( o que ja é vergonhoso) os jornalistas do PIG ja estavam-0 entrevistando na porta do STF.O prevaricador mostrou que tb é um partido político, militante, na Procuradoria Geral da república o que é inadimissível para um procurador da república que tem que ser isento de partidos.

Responder

João Grillo

03 de agosto de 2012 às 22h17

OLHA, O GURGEL VAI SE SUICIDAR! …FOI RIDÍCULO O ESTADO DE NERVO FALANDO EM HIPÓTESES, CONJECTURAS, SEM APRESENTAR NENHUMA PROVA!!! DURANTE 5 HORAS!… ZÉ DIRCEU DEVE ESTAR RINDO E JÁ PROVIDENCIANDO SUA CANDIDATURA… O GURGEL ESTÁ SE BORRANDO DE MEDO E DE ÓDIO! A TECLA “SAP” TRADUZIA O ENGAVETADOR PEDINDO POR AMOR DE DEUS PRA PRENDEREM O TRIO DE PETRALHAS … SÓ FALTOU PEDIR PRISÃO PARA O COLLOR… AGORA ESTOU MAIS TRANQUILO PORQUE O JULGAMENTO AGORA SIM VAI COMEÇAR NO SÉRIO.

Responder

denis dias ferreira

03 de agosto de 2012 às 22h16

Se raspassem a barba e o cabelo do Procurador ele ficaria a cara do Demóstenes.Quanta pegajosa bravata, quanta elementar hipocrisia, quanto fácil arroubo, quanto falso apego à moral e aos bons costumes!

Responder

    Zéck

    03 de agosto de 2012 às 23h09

    Permissão para discordar. Ele é a cara do Jô Soares.

rita

03 de agosto de 2012 às 22h15

nao é esse o procurador geral da republica? affffffffffffffffffffffffff

Responder

Hildermes José Medeiros

03 de agosto de 2012 às 22h15

Esse ridículo e prevaricador Procurador Geral da República, Roberto Gurgel, quer vender a ideia de que políticos de mesmo partido ou de partidos coligados, quando atuando no mesmo interesse, existindo algum ilícito praticado em alguma fase, na realidade são membros de uma quadrilha. Como quadrilheiros encastelados no aparelho de Estado, na falta de documentos e outros recursos que possam comprovar os mal feitos, porque gente desse tipo, assegura o procurador, não costuma deixar rastros, por isso vale o testemunho de pessoas envolvidas, que de alguma forma possa ter interesse na condenação ou absolvição dos acusados. Outra coisa, pegue qualquer votação, em qualquer período próximo de eleições, sendo possível abrir os pagamentos e os recebimentos de recursos de campanha, certamente existirão coincidências entre esses movimentos financeiros e as votações realizadas no mesmo período, ainda mais com a defasagem de dez dias. É uma afirmação no mínimo ridícula sem nada mais que comprove tais ilações. Esse procurador é curioso. Quando decide atuar, nesse caso do 470, fez questão, lutou para ficar diante dos ministros do STF para lançar um verdadeiro libelo acusatório vazio.

Responder

Joel Miranda

03 de agosto de 2012 às 22h14

Azenha, talvez o nome de Zé Dirceu tenha aparecido no relatóriodo do PGR Roberto Gurgel, umas mil vezes, pra poder impressionar os juizes, visto não existirem provas nos autos, segundo os advogados!!!

Responder

Walter Cesar

03 de agosto de 2012 às 22h11

Meu Desus! Que coisa horrível ter que ver isso acontecendo… Esse homem mentiroso me fazendo de imbecíl. Meu país precisa ter fé que isso vai passar.

Responder

    Jurema Raposo

    03 de agosto de 2012 às 23h45

    …O estandarte do sanatório geral vai passar
    Ai que vida boa, ô lerê
    Ai que vida boa, ô lará
    O estandarte do sanatório geral vai passar.

    Vai passar, meu amigo Walter.
    A propósito, que sacrilégio, essa “coisa” citar Chico Buarque!!! Credo!!

    Mário SF Alves

    04 de agosto de 2012 às 16h53

    Sacrilégio, mesmo. Querem nos usurpar até nossa mais idônea e generosa fonte de informação. O Chico.

Maria Thereza

03 de agosto de 2012 às 22h01

Triste papel do judiciário como um todo. Se é com esse tipo de “jurista” que contamos para zelar pela constiuição, estamos fritos.

Responder

assalariado.

03 de agosto de 2012 às 21h59

Sim, é a luta de classes, de forma camuflada com ideologia ocultada. Com direito a tribuneiro neutramente de direita, aos olhos nada cegos das leis. Das leis, dos olhos vendados mas que, sempre enxergou e enxerga, e está sob o comando de uma classe, a classe corruptora capitalista, e seus agregados, escondidos em suas várias instãncias de decisões politico juridica. Sim, as letras e as peças do jogo do capital são todas viciadas, não por acaso! Em que mesmo? Claro, tudo escrito e ao som de seu braço politico classista, o circo midiático burgues, apresentados pelos seus piguinhos falantes.

Abraços Socialistas.

Responder

joão33

03 de agosto de 2012 às 21h56

o gurgel esta sentado em cima do inquérito contra o agripino do dem do rio grande do norte , entre tantos outros , amenizou para o arruda enviando um inquérito cheio de falhas para ele ser absolvido , deixou espacar muitos outros do mensalão do arruda , até quando a sociedade vai silenciar , parece que a sociedade esta sendo indimidada por uma milicia , como a dos morros cariocas , todo mundo sabe e não faz nada , gurgel /demostenes / gilmar mendes/ sergio guerra / jose serra / aécio estão todos juntos ESTA É A VERDADEIRTA QUADRILHA .

Responder

Marcio Leandro

03 de agosto de 2012 às 21h52

“não há como negar que, em regra, o autor intelectual nos chamados crimes organizados age entre quatro paredes, em conversas restritas com os demais agentes do crime, quando dita os comandos que guiam as ações dos seus cúmplices.”
“Assim, nesses casos, a prova da autoria do crime não é extraída de documentos ou de perícias mas essencialmente da prova testemunhal, que tem, é claro, o mesmo valor probante das demais provas”.”

Me senti chocado ao ler essa parte da denúncia do Procurador Geral, isso é um perigo para os direitos individuais, caso os réus sejam condenados sem provas pela Suprema Corte.

Responder

arlene

03 de agosto de 2012 às 21h44

Nossa! A cara dele diz tudo: É DO PIG
PS: Judeus e mulçumanos não podem olhar essa foto aí, heim!

Responder

Micuim

03 de agosto de 2012 às 21h41

E enquanto o Prevaricador Geral fazia seu delírio acusatório sem provas – na caso de Dirceu, nem mesmo indícios materializáveis – sai a nova pesquisa CNT/Sensus: PT bombando! Se Lula fosse candidato teria 70% dos votos, Dilma, 59. E 3 em cada 4 brasileiros aprovam a Presidenta. Chupa, tucanalha golpista! Chora PIG!

Responder

Alex Herren

03 de agosto de 2012 às 21h32

Vou requisitar um carro forte para sacar R$10,00 (dez reais) no BB. Agora que fez a acusação, que tal o gurgel explicar por que escondeu por quase tres anos a operação vegas?

Responder

Ary

03 de agosto de 2012 às 21h32

Então o Arruda fez tudo errado, pois conversou, foi filmado, grampeado, etc. Que peça ordinária o gordinho pregou no STF!

Responder

mfs

03 de agosto de 2012 às 21h28

A primeira materia de debate é o que significa o “importante” numa votação. Porque o Congresso vota o tempo inteiro. OK, essas votações são notáveis. Mas há prova de que a oposição era totalmente contrária? De que dificilmente passariam? E outras votações polêmicas, houve também caminhão de dinheiro? Ou a definição de votação importante é: “trata-se da votação em que houve coincidência dos saques nos bancos”? Há mais, a coincidência pode ser apenas coincidência. Por exemplo, durante muito tempo se observou, em alguns lugares, que a época migratória das cegonhas acontecia junto com o a maior frequencia de nascimentos de bebês. Mas essas repetidas coincidências não permitem afirmar que houvesse causa e efeito. Na verdade, existe instrumental matemático para saber isso, relativamente simples para quem conhece matemática superior mas provavelmente ignorado por quase todos (se não todos) os promotores, juízes, jornalistas e politicos. E, pombas, que sofisma é esse de que bandidos não deixam provas materiais? É parecido com o sofisma de que o criminoso nega a autoria do crime e portanto se acusado afirma inocência então isso prova que é culpado…

Responder

Fabio Passos

03 de agosto de 2012 às 21h25

Que acusação vagabunda…
O prevaricador gurgel precisava mostrar provas.

O prevaricador gurgel parece apenas mais um cão de aluguel do PIG… difamando pessoas sem mostrar provas.

Responder

Paulo César

03 de agosto de 2012 às 21h18

Agora eu sei quem elaborou a prova de redação da Universidade ´Federal do Ceará de 1994. Quando fiz o vestibular, o examinador pedia que a partir desse trecho da música de Chico Buarque nós fizéssemos uma relação com o momento da política nacional. Nem nisso ele foi original, à época estávamos em plena CPI do Orçamento

Responder

trombeta

03 de agosto de 2012 às 21h17

Gurgel é um procurador-geral que quis ser maior do que sua estatura, sob forte suspeita de prevaricar seu futuro pertence ao conselho nacional do MP que investigará sua “dedicação profissional” e suas relações perigosas.

Corre o sério risco de entrar para a história de sua instituição mas não pela virtude.

Responder

Marcelo Lemos

03 de agosto de 2012 às 21h12

Olha, não sou muito esperto. O fosse e talvez estaria em melhores condições financeiras. Mas tenho algumas questões e, quem souber, por favor me esclareça:

1°: É impressão minha o cara está acusando sem provas?
2°: Estes saques que a acusação demonstra foram feitos, comprovadamente. Se não foi para comprar votos, foi para quê?
3°: Pelo que escutei, o réu João Pulo Cunha levou R$ 50.000,00. O acusador disse que foram R$ 32 milhões que rolaram. Este réu é um otário?
4°: Se foi demonstrado nas CPIs da matéria que não há coincidência entre os saques e as votações, para que eram então os saques?
5°: Para que serve este circo todo?

A cada dia eu fico mais cabreiro…

Responder

    FrancoAtirador

    03 de agosto de 2012 às 22h12

    .
    .
    Caro Marcelo Carneiro.

    Preliminarmente:

    Se você está pensando em enriquecer, trabalhando honestamente,
    realmente não está sendo muito “esperto” mesmo.
    Honestidade e riqueza são antônimos.

    No mérito:

    1º: Está.
    2º: Para pagar dívidas de campanhas eleitorais.
    3º: Não diria um otário, mas um inocente útil.
    4º: Para custear campanhas eleitorais.
    5º: Para comer pipoca, lendo a Veja e assistindo ao Jornal Nacional.

    Não fique cabreiro.
    Enquanto não cair a lona em cima da Máfia Midiática,
    os calunistas palhaços e os articulistas malabaristas
    estarão protagonizando esses factoides tragicômicos.
    .
    .

    &duardo

    04 de agosto de 2012 às 11h12

    O dinheiro foi “captado” para custear a campanha, na verdade um caixa 2, de vários partidos, inclusive o PT. E não para comprar votos de deputados.

    http://www.conversaafiada.com.br/brasil/2012/08/02/cartilha-para-acompanhar-o-mensalao/#.UBrVl42-33c.facebook

Paulo Cesar

03 de agosto de 2012 às 21h01

Pegunto aos mais esclarecidos:
-Mensalão não significa uma grande soma que alguém paga para alguém mensalmente para que lhe preste um serviço, seja ou não legal, com dinheiro limpo ou não? Se esta suspeita se deu faz sete anos e se fosse fato e tendo “secado” os pagamentos por motivo óbvio: a denúncia, como é possível este governo ter maioria na câmara no senado até hoje?

Responder

denis dias ferreira

03 de agosto de 2012 às 20h55

O Procurador expôs os argumentos de sua acusação tendo em mente o Jornal Nacional.

Responder

    FrancoAtirador

    03 de agosto de 2012 às 21h30

    .
    .
    E A REVISTA VEJA.
    .
    .

Álvares de Souza

03 de agosto de 2012 às 20h54

Vamos ver até quando essa farsa perdurará? Tanto esforço para desviar o foco da CPMI que, sem dúvida alguma, denunciará o Cachoeiro e seus cúmplices atucanados, demoníacos e midiáticos, desvendando com provas materiais, periciais, irrefutáveis, a prática criminosa de fazer política que é a marca desses delinquentes, em conluio permanente para desmoralizar as instituições republicanas do nosso País, e a situação dos canalhas, se for verdade que o Cachoeira fará acordo para delação premiada, se complicará definitivamente. É só aguardar!

Responder

oziel f. albuquerque

03 de agosto de 2012 às 20h50

Esse Gurgel é um cara de pau, afirmar que Lula comprou parlamentar para aprovar lei. Até porque, quem comprou voto para se eleger foi FHC, que é do mesmo partido do Gurgel.

Responder

Apavorado por Vírus e Bactérias

03 de agosto de 2012 às 20h49

Gurgel é um rato da direita travestido de Procurador Geral da República. É triste ver um sujeito tão importante no cenário nacional se prestar a um papel tão ridículo de tentar incriminar alguém sem provas. Ele era pelo menos amigo de Demostenes, o demo que perdeu o mandato de senador por estar intimamente ligado à máfia de Cachoeira. Será que o Procurador também está? Desconfiança não falta, já que o sujeito, o procurador rato, sentou sobre o processo de Cachoeira e Demostenes e está respondendo por prevaricação. Será que sua fala, suas acusações têm alguma legitimidade?

Responder

Bonifa

03 de agosto de 2012 às 20h48

Evidente que o Gurgel exorbitou. Falar que o Chico Buarque, quando versejou que a “Pátria Mãe dormia sem saber que estava sendo subtraída em criminosas transações”, não se referia à Privataria Tucana, mas sim ao Mensalão, é por sí só um atrevimento e um escândalo. Com a palavra o poeta.

Responder

NãoDesistoNunca

03 de agosto de 2012 às 20h46

Correto mesmo seria dizer: “…para votar questões de interesse do País”, não do governo. Eu espero, sinceramente, que a defesa, na segunda, lembre isso. E lembre também que a circunstância deste caso ser classificado pelo MP como o maior escândalo, como afirmou o pgr, decorre dos casos que merecem especial zelo do parquet no cuidado em preservar certas reputações Demóstenes, por exemplo; Privataria Tucana, outro). Vejam que, mesmo alegando que M Valerio integrou esquema anterior, teve o cuidado de não mencionar partido ou pessoas a ele ligadas. Sei que é uma ação penal, mas o pt precisa, urgentemente, emitir nota de esclarecimento à população porque o propósito ali de qualificá-lo como partido de bandidos é incontroverso.

Responder

    Mário SF Alves

    04 de agosto de 2012 às 17h46

    É não é que é mesmo. Mesmo porque se o estigma pega, e se o PT – a exemplo de um certo partido privata que existe por aí – tivesse vocação pra vende-pátria, iria deitar e rolar no erário público. Quem iria reclamar?

Joe

03 de agosto de 2012 às 20h43

Risível, com certeza. Mas não sei, não corre o risco de condenação geral, ou pelo menos do Dirceu. O PIG é forte, muito forte, e sabe “jogar” nos bastidores como ninguém. Se o Lula estivesse no poder ,o pedido de Impeachment já tava pronto. A comparação da mídia com o caso Watergate, traça a idéia que querem colocar.

Responder

JORGE

03 de agosto de 2012 às 20h40

Azenha

Que palhaçada. Mais absurda, impossível. O senso mediano de um homem comum não engole essa tese.

Não confio no Judiciário e principalmente nos tribunais superiores, incluído o STF e até o Ministério Público, após 1964, uma vez que, os democratas dessas carreiras foram aposentados e/ou silenciados e, assim, acredito serem ainda todos essas instituições contaminados pela ditadura udenomilitar que enlameou esse país.

Um abraço.

Responder

Angela Liuti

03 de agosto de 2012 às 20h37

A casa do Gurgel vai cair junto com Cachoeira e Gilmar Mendes –

Responder

    FrancoAtirador

    03 de agosto de 2012 às 21h46

    .
    .
    E NESTA CASA, ISTO É, NESTE CASO,

    HÁ PROVA DA MATERIALIDADE DO CRIME.
    .
    .

    Mário SF Alves

    04 de agosto de 2012 às 19h06

    Cuidado, aí, Franco. Ficou demonstrado no líbelo acusatório do PGR que as quatro paredes têm ouvidos. E pior, servem de testemunho, hein!

JULIO/Contagem-MG

03 de agosto de 2012 às 20h33

Esse engavetador geral da republica, sr. roberto cachoeira gurgel, é um
brincalhão e falso paladino da moral, pau mandado da direita neo-liberal.
Prevaricador de quinta categoria !!!!!

Responder

FrancoAtirador

03 de agosto de 2012 às 20h29

.
.
O FACTÓIDE DO SÉCULO

NADA DE NOVO DEBAIXO DO SOL OU DA LUA.

NA AÇÃO PENAL 470, NÃO HÁ PROVA MATERIAL CONTRA JOSÉ DIRCEU.

E MUITO MENOS HÁ PROVA DE COMPRA DE VOTOS DE PARLAMENTARES.
.
.

Responder

edson

03 de agosto de 2012 às 20h24

Gurgel, na tentativa de buscar fatos, trouxe valores desviados no caso Banestado (arquivado pelo DEM/PSDB)… e o mais interessante do jogo midiático: A acusação na sexta feira onde levará as mídias (PIG) bombardear os leitores e tele-espectadores com as manchetes criadas por Gurgel…

Responder

edson

03 de agosto de 2012 às 20h20

Gurgel estava tão confuso que chegou a falar que o Banco Central possuía Offshores nas Ilhas Cayman… talvez queria dizer Banco Rural… mas como não tinha certeza…

Responder

Luiz Antonio

03 de agosto de 2012 às 20h14

A copia do Jô Soares, é um tremendo BRINCALHÃO, seu pau mandado da PORCA REDE GLOBO, tem que ser preso, MENTIROSO, MONSTRO, MALDITO !!!!!!!!

Responder

Márcio Carneiro

03 de agosto de 2012 às 20h11

E a blogosfera progressista entra em pânico, ao perceber que a dita “tentativa de golpe” na verdade é o dizem o que é mesmo, um caso de corrupção ativa.

Responder

Sandra

03 de agosto de 2012 às 20h11

A placa dos carros fortes? As datas em que foram utilizados? Ele tem? E as
provas testemunhas contra o Zé Dirceu? Chamam-se Roberto Jefferson essas provas testemunhais?
O procurasentador sobre geral da república praticamente confessou não ter provas contra o “chefe da quadrilha”. Risível. Risível também o final de sua acusação quando tenta usar a peça acusatória e por consequência o julgamento para se defender das graves acusações de prevaricação, entre outras, na CPI do Cachoeira.

Responder

    Bonifa

    03 de agosto de 2012 às 20h52

    Falar em carro forte é um típico recurso midiático. É como arrumar um montinho de dinheiro para uma foto, para que pareça uma montanha. Talvez tenha sido bolada pela assessoria de imprensa oposicionista, useira e vezeira em apelar para tal recurso.

    Apavorado por Vírus e Bactérias

    03 de agosto de 2012 às 20h53

    Só para começar, esse Roberto Jefferson é um louco que diz, desdiz e diz de novo. Não pode ser levado a sério.

    lulipe

    04 de agosto de 2012 às 11h56

    Teria que saber também a calibragem dos pneus do veículo, aí sim, seria uma prova válida, não é Sandra???


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding