Fátima Oliveira: O fechamento em copas de católicos praticantes

Tempo de leitura: 3 min

`Kyrie eleison´ diante dos conflitos da Santa Sé e do Vaticano
AS FORÇAS OCULTAS QUE LEVARAM BENTO XVI À RENÚNCIA

Fátima Oliveira, no Jornal OTEMPO
Médica – [email protected] @oliveirafatima_

“Kyrie eleison”, que, em grego, quer dizer “Senhor, tende piedade”, é uma alocução penitencial, uma oração cristã, quase um mantra, usada em atos penitenciais desde as comunidades cristãs de Jerusalém, e integra liturgias das igrejas Católica Apostólica Romana, anglicana, ortodoxa e luterana, além de constar em um dos salmos penitenciais: o Salmo 51, conhecido por “Miserere” (“Miserere mei, Deus”/”Senhor, tende misericórdia de mim”).

Com mais de 2.000 anos no cenário religioso e político do mundo, a Igreja Católica Apostólica Romana detém experiência política invejável depois de 265 papas, cujo tratamento é Sua Santidade – figura sem similar no poder secular ou em qualquer outra religião, pois é cognominado Bispo de Roma, Vigário de Jesus Cristo, Sucessor do Príncipe dos Apóstolos, Sumo Pontífice da Igreja Universal, Primaz da Itália, Arcebispo Metropolitano da Província Romana, Soberano do Estado da Cidade do Vaticano e Servo dos Servos de Deus. Possui outros títulos não oficializados: Santo Padre, Beatíssimo Padre e Santíssimo Padre.

O papa simboliza um poder singularíssimo, mitológico e místico, que usa como achar conveniente, ora como religião, ora como Estado; logo, quando ele morre, o mundo fica de olho na fumaça da Capela Sistina. Muito mais pelo poder do qual se arvora do que por poder concreto: o desejo de impor seus dogmas a Estados laicos, como o Brasil, legislando sobre os corpos das mulheres de todo o mundo, como se proprietário deles fosse. Pura misoginia.

Aos 59 anos, lembro-me de “Sé vacante” e “Habemus papam” cinco vezes, de João XXIII (260º papa) a Bento XVI (264º papa) – eleito em 19.4.2005, renunciou em 28.2.2013 e é, hoje, o papa emérito Bento XVI, um prisioneiro do Vaticano. Negócios são negócios. Ele optou por ficar vivo.

Quando João XXIII morreu (1963), a notícia chegou pelo rádio. A “Sé vacante” era um período de rezas e entoação de benditos e ladainhas que culminava com explosões de alegria após a fumaça branca da Capela Sistina e o “Habemus papam” do cardeal carmelengo. Comoção igual, só com João Paulo I, cujo pontificado durou apenas 33 dias devido à sua morte, para a qual cogita-se a hipótese de assassinato pela mesma máfia católica e outras forças ocultas do Vaticano que levaram Bento XVI à renúncia…

Chama a atenção o fechamento em copas de católicos praticantes. Bem diferente da eleição de Bento XVI, quando havia esperança de um papa brasileiro, dom Cláudio Hummes. Parecia que a Seleção Brasileira estava em campo, pois o Vaticano e a Santa Sé ainda não haviam chegado ao fundo do poço da amoralidade, como hoje. A dita esquerda católica brasileira, completamente iludida, via possibilidades de mudanças no Estado teocrático e de banimento do fundamentalismo católico.

Sob o manto da pedofilia clerical e da lavagem de dinheiro no Banco do Vaticano, difícil defender tal mangue pútrido.

Mesmo com possibilidades reais de um papa brasileiro, há um silêncio sepulcral. Falo de dom Odilo Pedro Scherer, cardeal brasileiro descendente de alemães, um dos três papáveis ungidos pelos cardeais alemães, inegavelmente fazedores de papas, no conclave que definirá o sucessor de Bento XVI.

Cantei tal pedra e tuitei @DomOdiloScherer: “estão falando pelos becos que o cardeal dom Odilo Pedro…” (10h34, de 11.2) e “Dos cinco cardeais brasileiros para o conclave da Capela Sistina, só dom Odilo Pedro Scherer atende ao quesito idade ideal” (10h38, de 11.2). É esperar a fumaça branca, sem sonhos bons…

Leia também:

Urariano Mota: O Papa antes de Bento XVI

Apoie o jornalismo independente


Siga-nos no


Comentários

Clique aqui para ler e comentar

simas

Hummmm… Uma coisa é certa. Naqueles tempos, mal havia aprendido a ler; resolveram q eu deveria me preparar pra Primeira Comunhão… Uma tia, então, Franciscana e q até havia feito voto de pobreza, apresentou-se pra me dar as aulas, necessária. Lembro q fiquei mto feliz…e tranquilo, com a situação, q se configurou, naquele momento. Explico: com mto pouca idade, eu já ouvia falar em mulher do padre… Eu não entendia, nada de nada. Porém, uma coisa já era definitiva; não queria ser mulher do padre. Verdadeiramente, não tinha a menor… aptidão. Então, aprender o catecismo com minha tia, foi uma saída, supimpas. Até meu Pai, q curtia uma diferença com minha tia, Franciscana, aprovou a ideia.
Então, o q eu quero dizer é q, desde mto, essa coisa de pedofilia já existia ou parecia existir… O fato é q estranho, somente agora, no século XXI, as pessoas se dão aos cuidados… Antes, ninguém se dava conta do problema e o fato, parece, nem era crime, constante dos Códigos. Penso. Pq será q, só atualmente, o crime de envolvimento sexual, de adultos com menores de idades, vieram à tona? Esses crimes sempre existiram e conviveram com todas as atividades e amplitudes sociais; e nunca os protetores dos bons e saudáveis costumes se deram conta disso? Mto interessante… A falha de caráter, me parece, ser perseguida, atualmente; perseguida, até com prazer, idêntico, ao do desvio de comportamento, em jogo, em parte da sociedade… Poxa!… Eu adoro crianças. De uns tempos, pra cá, parei de apreciar as crianças e, até, de dar-lhes maiores atenções, com medo se ser estigmatizado. Note, gente: está, mesmo, um desvario.
Outra coisa: a Igreja Católica Romana… Ela tem uma coleção de defeitos e virtudes, iguais aos das demais religiões. Não estou, aqui, defendendo a Igreja, em si. Até, faz algum tempo, estou em crise com Ela. Mas, não é por isso, q vou ficar, aqui, esculhambando – por q tem gente q o faz, sem o menor pudor e consistência. Parecem-me mordidos, mtos.
Eu não sei em q o texto, acima, se baseou, pra afirmar q os Católicos se fecharam em copas… Eu não acho q isso possa ter ocorrido. O q eu presenciei foi um silêncio da mídia, maldita e sem Deus. Qdo, pela manhã, alguém me assoprou o fato da renúncia do Papa; achei estranho e fui obrigado a procurar a TV… E não vi, nada; apenas q um cantor, de nome Chorão, havia sido encontrado morto, de forma inusual… Passei pra internet e, tudo igual… O assunto, importante, era o tal do Chorão, q nunca havia ouvido falar… Eu acho q a máfia, midiática, foi quem se fechou em copas…
Agora, o q é importante, de tudo, e q diz respeito à Igreja: Nós fomos criados à imagem e semelhança de Deus. Está escrito. Acontece q não nos encontramos, perfeitamente, acabados… Talvez, por preguiça; ou, quem sabe, ignorância, nos distanciamos da Verdade, da Plenitude de Vida. Pq Deus nos amou, tanto, q nos deu um Filho à nossa semelhança; isso, pra nos demonstrar e ensinar a viver, em plenitude, amando nossos semelhantes, a nós mesmos e a Ele. Ou Jesus Cristo não nos revelou essa Verdade e não nos deu o sentido correto da Liberdade, com Responsabilidade? Pois a Igreja é o Lugar onde se procura ensinar a viver em plenitude.

La Fontaine

Alguém poderia me dizer qual a lógica por trás dos seguintes número?

População católica:
– Brasil 123 milhões
– Argentina 36 milhões
– México 83 milhões
– EUA 70 milhões
– Canadá 14 milhões

Número de cardeais no conclave:
– Brasil 5
– Argentina 2
– México 4
– EUA 11
– Canadá 2

Como diria De Gaulle, isso não é sério!!!

    FrancoAtirador

    .
    .
    Caro La Fontaine.

    Racionando em termos de representatividade,
    não há realmente nenhum sentido democrático.

    Mas não é só isso:
    A estrutura hierárquica da Igreja Católica
    é ainda a de uma Monarquia Absolutista.

    Observe que, mesmo em termos percentuais,
    os 10 países com maior população católica
    não estão proporcionalmente representados:

    1 – Itália (96,55%);
    2 – Polônia (94,34%);
    3 – Paraguai (91,56%);
    4 – Portugal (90,41%);
    5 – Equador (89,6%);
    6 – Argentina (89,2%);
    7 – Venezuela (87,8%);
    8 – Espanha (87,8%);
    9 – Peru (87,8%);
    10 – México (86,%).

    O Brasil ocupa o 31º lugar,
    com 78,95% de católicos.
    .
    .

Francisco

Só vou pretar a mínima atenção a essa papagaiada egótica do vaticano, no dia que elegerem um franciscano radical.

O resto é umaça…

Magda Viana Areias

Igreja comprou apartamentos de luxo em prédio que abriga sauna gay
Yahoo! Notícias – 1 hora 25 minutos atrás.. .

Com apenas um dia para o início do conclave, onde será definido o nome que assumirá o posto de Bento 16 após sua renúncia, foi descoberto um investimento um tanto incomum da Igreja Católica. De acordo com o portal “The Independent”, a instituição religiosa gastou 23 milhões de euros em apartamentos de um prédio que abriga nada menos que a maior sauna gay da Europa.

O cardeal que mais deve suar devido à proximidade com o local é Ivan Dias, chefe da Congregação para Evangelização dos Povos, de 76 anos de idade. O religioso, que participará do conclave a partir de terça-feira (12) ao lado de seus colegas, mora no mesmo andar onde funciona a sauna.

A descoberta aparece em um momento delicado para a Igreja, que ainda se recupera de especulações a respeito da renúncia de Bento 16. Chegou a ser dito que a saída do teólogo alemão ocorreu devido à presença de cardeais homossexuais dentro do Vaticano. O prédio abriga pelo menos 18 apartamentos resididos por cardeais, responsáveis pela escolha do novo papa.

A imprensa local ainda apurou que o investimento no imóvel, realizado em 2008 pelo cardeal Tarcisio Bertone, foi feito graças a generosos benefícios fiscais recebidos pela Igreja Católica durante o governo de Silvio Berlusconi. A propriedade é reconhecida como parte da Cidade Santa.

http://migre.me/dDdKn

Mari

A expectativa para o conclave
por Frei Evaldo Xavier Gomes

Com o anúncio da realização do conclave na próxima terça-feira (12), a Igreja de todo o mundo sente mais próximo o momento da escolha do novo Papa, sobretudo os cardeais eleitores.

Nada muda até o início do conclave. Tudo permanece como é, ou seja, está mantido o período de Sé Vacante. A única alteração existente não é de ordem jurídica, nem de ordem administrativa, mas sim no sentimento nos corações, devido à expectativa pelo momento que se aproxima.

Certamente, ao longo desses dias, cada um dos cardeais eleitores irá refletir mais profundamente sobre o nome em que vai votar.

Serão dias de intensa espera e de preparação humana. Isto significa obter um maior conhecimento das qualidades, da história pessoal e das virtudes de cada um dos membros do conclave. Ao mesmo tempo, é também o momento de preparação espiritual.

Não podemos esquecer que a Igreja é uma instituição religiosa e a eleição de um Papa é a eleição de um líder religioso, e não de um líder político. Sendo isso, os eleitores devem ter diante dos olhos os valores da religião e devem se tornar, mais do que nunca agora, pessoas de oração.

No que diz respeito à população em geral, não há dúvida que a partir de terça-feira todo o mundo católico (e não católico), permanecerá com a respiração em suspenso. Todos na expectativa de saber qual nome será anunciado pelo cardeal-diácono no balcão da Basílica de São Pedro após o término do conclave.

O sigilo impede que acompanhemos as votações, os debates e tudo aquilo que diz respeito à eleição. Tudo isso faz com que a expectativa e a surpresa sejam ainda maiores.

Paulo

É claro que existem problemas na Igreja e é importante que todos os erros, como os casos de pedofilia, sejam investigados e os culpados condenados. Acho que não exista um só católico que pense que se deva fazer de conta que isto não acontece na Igreja.
Porém, deve-se entender que isto representa uma pequena parcela do grande número de padres e bispos que existem em todo o mundo. Condenar toda a instituição e atribuir a todos os seus fiéis os mesmos erros é também uma injustiça. Quantas padres e bispos são dignos do respeito de todos nós?
É legítimo esta indignação, sejam de católicos ou não. Porém, deve-se buscar os culpados e não achar que deve-se acabar com a Igreja. Sem querer fazer analogia, mas é como pensar que a única maneira de acabar com a corrupção seria acabar com todos os partidos políticos, pois, se não todos, a grande maioria, já teve casos de corrupção denunciados entre seus integrantes. Isto resolveria? É claro que não.
A Igreja Católica representa uma grande parcela de brasileiros. Nem vou discutir se é maioria ou não, pouco me importa, mas é fato que muitos brasileiros são católicos praticantes. Sendo assim, não há nada de errado que a Igreja Católica, através da CNBB, querer influenciar em decisões que afetam a vida dos brasileiros. Afinal, o que fazem outras agremiações, sejam religiosas ou não? Lutam por suas idéias. Isto é a democracia. Não estou me referindo a escolhas políticas, como aconteceu em algumas dioceses (só em algumas) nas últimas eleições presidenciais, mas em tantos assuntos do dia a dia do brasileiro. Por que eu, como católico, não posso lutar pelos valores que considero importante, mas outros podem fazer valer seus ideais?
Por último, é totalmente descabida esta ideia que todos os católicos são da direita e conservadores. Como um espelho da sociedade, é certo que entre os católicos há pluralidade política e de costumes.
Infelizmente, quando o assunto é religião, existe muita falta de respeito, principalmente por aqueles que pregam um país de tolerância e igualdade.

    agostinho

    parabéns pelo seu comentário Paulo. Vc. colocou exatamente
    o pensamento e o sentimento do católico. Está na hora de reagirmos
    pois se calarmos estarão achando que somos coniventes. Os culpádos deverão ser presos e julgados (sem TV) e punidos com rigor (não o rigor da nossa lei)

Sara Bentes

Os grandes eleitores do conclave
seg, 11/03/13
por Gerson Camarotti |

CIDADE DO VATICANO – Nesses últimos dias, todas as atenções da mídia estão voltadas para os papáveis. Ou seja, os favoritos para substituir o Papa Emérito Bento XVI. Mas tão importante quanto os papáveis, são também os grandes eleitores do conclave, conhecidos como kingmakers , que numa tradução livre seriam os “fazedores de papas”.

O Blog fez um levantamento sobre os cardeais que terão um papel de destaque neste conclave. Alguns aparecem pelo poder de articulação, e outros pela influencia direta num grupo de eleitores. Mas, geralmente, eles tem poucas chances de serem eleitos.

Entre os kingmakers, um já não tem idade para participar do conclave: é o decano do Colégio de Cardeais, Angelo Sodano, 85 anos. Ele foi secretário de Estado no pontificado de João Paulo II. Diplomata de carreira, ele tem muito trânsito com cardeais mais antigos.

Sodano é adversário de outro influente cardeal: o carmelengo Tarcisio Bertone, 78 anos. Bertone foi secretário de Estado no pontificado de Bento XVI, e conseguiu fazer grandes inimigos, mas também, seguidores fiéis entre os purpurados.

Outro nome influente é o cardeal italiano, Giovanni Battista Re, prefeito emérito da Congregação para os Bispos e presidente emérito da Pontífícia Comissão para a América Latina. Ele é o principal cabo eleitoral do brasileiro Odilo Scherer.

Na Europa, outro nome que surge com poder de articulação é o do jovem cardeal Péter Erdo, arcebispo de Budapeste, 60 anos. Ele já comandou as conferências episcopais da Europa, e conseguiu manter bom contato entre os purpurados.

O experiente cardeal alemão Walter Kasper, 79 anos também é muito ouvido pelos purpurados. Na América Latina, dois nomes são consultados frequentemente pelos cardeais: o arcebispo de Buenos Aires, Jorge Mário Bergoglio, e o arcebispo de Aparecida, dom Raymundo Damasceno, ambos com 76 anos.

Bergoglio foi bem votado no último conclave, enquanto Damasceno presidiu a conferência episcopal do continente. Muito articulado entre os bispos da América Latina e da África, o cardeal brasileiro costuma ser muito ouvido pelos colegas.

Publicada às 7h24

    Mari

    Quer dizer que o Espírito Santo não baixa em ninguém, não é? ahahahhahaha

    DOM ODILO< O MAIS CONSERVADOR DE TODOS!!!
    Principais jornais italianos apostam em três candidatos

    Vaticano – Os principais veículos da imprensa italiana, como os jornais Corriere Della Sera e o La Republica, apostam em três candidatos como os mais prováveis entre os 115 cardeais a suceder o papa emérito Bento XVI. Na relação estão o arcebispo de São Paulo, dom Odilo Scherer, de 63 anos; o cardeal canadense Marc Oullet, de 68 anos, e o italiano Angelo Scola, de 69 anos. Mas também são apresentados nomes alternativos.

    Tradicionalmente, os principais veículos de imprensa na Itália mantêm vaticanistas – especialistas em temas da Igreja Católica Apostólica Romana – entre seus comentaristas e consultores. No Corriere Della Sera, a reportagem principal faz um perfil dos três cardeais, apontados como prováveis candidatos à sucessão de Bento XVI. O canandense é descrito como o mais aberto.

    O brasileiro dom Odilo é definido como o candidato que conta com o apoio de um elevado número de cardeais, principalmente da América do Sul. O arcebispo de Milão, Angelo Scola, é apoiado pelos europeus e, naturalmente, pelos italianos que têm mais votos no conclave, segundo o Corriere Della Sera.

    O jornal também apresenta como candidatos paralelos o mexicano Francisco Robles Ortega, o húngaro Péter Erdo e o austríaco Christoph Schönborn. O La Republica menciona a pressão feita por norte-americanos por um nome oriundo dos Estados Unidos. O nome que tem o apoio dos norte-americanos é Timothy Dolan, o arcebispo de Nova York.

    Porém, para o La República o nome que reúne mais votos é o do italiano Angelo Scola. Ele, segundo o jornal, é considerado um cardeal moderado e sua escolha pode representar a abertura da Igreja, na busca por mudanças internas, no momento de denúncias de casos de pedofilia e desvio de recursos no Vaticano.

    Um nome que também surge no cenário é o do cardeal francês, arcebispo de Lyon, Philippe Barbarin. Dom Odilo é mencionado como o cardeal que tem o respeito da Cúria da Igreja, embora não conte, segundo o jornal, com votos entre os outros cardeais brasileiros. O La Republica lembra que, em 2011, o escolhido para presidir a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil foi dom Raymundo Damasceno Assis, arcebispo de Aparecida.

    http://www.ebc.com.br/noticias/internacional/2013/03/principais-jornais-italianos-apostam-em-tres-candidatos

FrancoAtirador

.
.
Após séculos de expansionismo, conquistas, derrotas e reconquistas,

o Império Romano teve seu território reduzido de três continentes

à área da Cidade-Estado do Vaticano, meros 44 hectares (0,44 km²).

Porém essa retração de espaço territorial não resultou em maior prejuízo

ao predomínio moral e, pois, cultural sobre a maioria dos povos latinos,

que, por sinal, são originários da Península Itálica, núcleo do Império.

No início do século IV, Constantino I foi o primeiro imperador a associar,

por conveniência política e econômica, a mitologia politeísta Greco-Romana

à doutrina monoteísta da Igreja que tempos depois se denominaria Católica:

Com a decretação do Édito de Milão, no ano 313, Constantino I (272-337)

permitiu aos cristãos a promoção de cultos públicos, concedendo-lhes,

inclusive, a retomada dos templos que, antes, haviam sido expropriados

nos períodos de perseguições, torturas, assassinatos e genocídios;

e anulou o caráter religioso oficial até então atribuído ao paganismo.

Nos 67 anos seguintes, houve efetivamente ampla liberdade de religião.

E foi assim que Constantino I conseguiu reunificar todo o Império Romano,

claro que depois de matar o próprio filho e mandar estrangular o sobrinho,

e, pelo Édito que leva seu nome, decretar o domingo como dia do repouso,

exceção feita aos lavradores, já que não podiam repousar nem no domingo:

Lucrum unibus est alterius damnum;
Pauper dominum, non sortem mutat;
Laborum tripalium est’.

Porém, em 380, o imperador Teodósio I publicou o Édito de Tessalônica,

concedendo ao catolicismo a condição de religião oficial do Estado Romano.

Com tal édito, depois de menos de 70 anos de liberdade de culto religioso,

os povos pagãos deveriam prestar culto exclusivo a uma religião dogmática

e em obediência estrita às normas morais ditadas pelos Bispos Católicos.

Dizia o Édito:
“Ordenamos que tenham o nome de cristãos católicos quem sigam esta norma, enquanto os demais os julgamos dementes e loucos sobre os quais pesará a infâmia da heresia.
Os seus locais de reunião não receberão o nome de igrejas e serão objeto, primeiro da vingança divina, e depois serão castigados pela nossa própria iniciativa que adotaremos seguindo a vontade celestial.”

Foi precisamente aí, nesse momento, que a história começou a se inverter:

os religiosos perseguidos de outrora, agora, eram os perseguidores da hora.

Um ano depois da oficialização da Igreja, o imperador Teodósio I

estaria convocando o Primeiro Concílio Ecumênico de Constantinopla

com o objetivo de tentar conciliar o dogma católico com o arianismo,

bem como resolver a problemática das acusações de heresia macedônica,

assim também confirmar o Credo Niceno como doutrina oficial da Igreja.

As teses contrárias à Igreja Católica foram todas recusadas no Concílio.

Foi emitido, então, outro édito imperial dando aspecto legal às posições

unilaterais impostas pelo catolicismo às demais denominações religiosas.

No ano de 388, ocorre a perseguição e a violência contra os não-cristãos,

em Tessalônica, que resultou na morte de aproximadamente 6 mil pessoas.

Dois anos após o Massacre de Tessalônica, como o episódio ficou conhecido,

o Imperador Romano, que havia tornado o catolicismo religião estatal,

foi excomungado pela Igreja por ordem de Ambrósio, Bispo de Milão,

por quem Teodósio foi até proibido adentrar no templo católico.

Após uma longa penitência e para se redimir, o imperador decretou, em 392,

a proibição dos sacrifícios nos ritos dos pagãos, obrigando-os a professar

exclusivamente os rituais católicos e a praticar a doutrina da Igreja.

Com amparo nessa proibição iniciou-se a repressão contra a população pagã,

que culminou com a segunda destruição da biblioteca de Alexandria

e do grande templo de Serapis por uma multidão liderada pelo patriarca Teófilo.

Daí em diante, os católicos incendiaram sinagogas, destruíram mesquitas,

torturaram ‘bruxas’ e ‘feiticeiras’, queimaram na fogueira Giordano Bruno

e colocaram Galileu Galilei em prisão domiciliar pelo resto da vida.

Na Idade Média, as reformas religiosas protestantes consolidaram-se na Europa.

A partir do início do século XVI, importantes teólogos doutrinadores,

com destaque para o alemão Martinho Lutero e o francês João Calvino,

calcados em fundamentos morais, mas com bases político-econômicas e sociais,

quebraram a hegemonia da Igreja Católica Romana no continente europeu.

Porém as reformas não tiveram repercussão na Itália, na Espanha e em Portugal,

os principais Estados que constituíam o núcleo da Igreja Católica,

devido à censura imposta pela Inquisição da Santa Sé com sede em Roma.

Por ironia da História, Portugal e Espanha foram os colonizadores

dos países da América Latina e de parte do continente africano…

E a Santa Inquisição continua com a mesma atuação, desde a Sede em Roma,

só que hoje sob o sublime nome de “Congregação para a doutrina da Fé”…

http://www.paideamor.com.br/catolicos_mundo/mundo1.bmp

(http://pt.wikipedia.org/wiki/Imp%C3%A9rio_Romano)
(http://pt.wikipedia.org/wiki/Imp%C3%A9rio_Romano_do_Ocidente)
(http://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_Igreja_Cat%C3%B3lica#O_Imp.C3.A9rio_Romano_Crist.C3.A3o)
(http://pt.wikipedia.org/wiki/Constantino_o_Grande)
(http://pt.wikipedia.org/wiki/Edito_de_Mil%C3%A3o)
(http://pt.wikipedia.org/wiki/Teod%C3%B3sio_I)
(http://pt.wikipedia.org/wiki/Arianismo)
(http://pt.wikipedia.org/wiki/Credo_Niceno)
(http://pt.wikipedia.org/wiki/T%C3%ADtulos_do_Bispo_de_Roma#Papa)
(http://pt.wikipedia.org/wiki/Inquisi%C3%A7%C3%A3o)
(http://pt.wikipedia.org/wiki/Latinos)

(http://pt.wikipedia.org/wiki/Reforma_Protestante)

(http://pt.wikipedia.org/wiki/Santa_S%C3%A9)

    FrancoAtirador

    Vinícius

    A Biblioteca de Alexandria não foi destruída “pela segunda vez” no século IV. Na verdade, ninguém sabe quem a destruiu.

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Biblioteca_de_Alexandria#Destrui.C3.A7.C3.A3o_da_biblioteca

    A versão mais popular, e hoje questionada, é que ela teria sido destruída pela PRIMEIRA vez no século VII. De uma forma ou de outra não é nenhuma evidência de envolvimento de cristãos.

    Como você conseguiu destruir a Biblioteca 400 anos antes, e ainda por cima duas vezes, eu não sei.

    FrancoAtirador

    .
    .
    Prezado Vinícius.

    Preliminarmente,
    grato pela leitura do comentário.
    Achei que ninguém iria lê-lo.

    No mérito, devo dizer que realmente o uso do termo ‘destruição’
    para se referir à Biblioteca foi realmente inadequado.

    Na verdade, o que houve foi a depredação, pelos cristãos, sim,
    do prédio do Museu que abrigava a Biblioteca de Alexandria,
    porque tal edificação ficava próxima ao Templo de Serápis,
    divindade greco-egípcia, que efetivamente foi destruído, em 391,
    por uma multidão liderada pelo patriarca católico Teófilo.

    E esta foi, sim, a segunda destruição do Templo de Serápis.

    A primeira, ocorreu no século II, sob o império de Trajano (98–117),
    quando houve uma revolução de judeus na cidade de Alexandria.

    Mais tarde, foi reconstruído à época do imperador Adriano (117–138),
    que mandou esculpir a estátua de Ápis reerguendo-a no Templo.

    O primeiro templo consagrado a Serápis foi construído na Antiguidade
    por Ptolomeu I Sóter (305aC-285aC), ex-general de Alexandre Magno.

    Seu filho Ptolomeu II Filadelfo (285aC-246aC) construiu o Museu
    e a Biblioteca que guardava livros recolhidos de todo o mundo.

    A Biblioteca de Alexandria era dividida em duas grandes bibliotecas.
    A biblioteca externa contava com 42.800 volumes
    e a interna tinha 400.000 volumes misturados
    e 90.000 não misturados.

    Calímaco (310aC-240aC) catalogou as obras existentes na Biblioteca.

    “Alexandria foi uma cidade opulenta.
    Os Ptolomeus construíram um palácio de mármore
    com um grande jardim no qual havia fontes e estátuas.
    Do outro lado desse jardim havia outro edifício também em mármore
    a que se chamava Museu (em grego: μυσειoν).
    Foi uma inovação, pois nele se reunia todo o saber da época.
    O Museu tinha uma grande biblioteca.
    Perto do edifício erguia-se o Templo de Serápis, divindade greco-egípcia.
    No centro da cidade encontravam-se a Assembléia,
    as praças, os mercados, as basílicas, os banhos, os ginásios, os estádios
    e demais edifícios públicos necessários para os costumes da época.”

    (http://pt.wikipedia.org/wiki/Alexandria#Antiguidade)
    (http://pt.wikipedia.org/wiki/Dinastia_Ptolomaica)
    (http://pt.wikipedia.org/wiki/Ptolemeu_I_S%C3%B3ter)
    (http://pt.wikipedia.org/wiki/Ptolemeu_II_Filadelfo)
    (http://pt.wikipedia.org/wiki/Cal%C3%ADmaco)
    (http://pt.wikipedia.org/wiki/Ser%C3%A1pis)
    (http://pt.wikipedia.org/wiki/Templo_de_Ser%C3%A1pis)

E. S. Fernandes

Rezo para que o papa seja um outro alemão qualquer, chato e insosso como esse. Já pensaram um papa brasileiro, na época da eleição em 2014.
Ele e o tal bispo de Guarulhos de mãos dadas com o Never buscando desconstruir o (pouco)de bom que Lula e Dilma fizeram. Já pensaram no trio: pig, papa e psdb/dem. Aí, caros leitores, quero ver eu convencer minha mãe a ignorar o papa e votar na Dilma.

Por falar nisso, tem algum cardeal lá que é da Venezuela? Hummmmm!!!

Jane

Ao fim e ao cabo estamos percebendo que alguns carolas vieram aqui defender pedofilia, lavagem de dinheiro e outras quebradas. Triste. Ridículo. Quem quer acobertar crimes é também criminoso. E não t~em um pingo de vergonha na cara. Quem acoberta e defende vendilhões do templo é safado também.Não há outro nome. E com certeza desvios sexuais, violência sexual e roubalheira não é coisa de Deus.Quem cultua Deus condena tantos comportamentos cruéis, safados e malditos. O Vaticano e a Cúria Romana não podem continuar falando em nome de Deus e agindo como o diabo.

Gerson Carneiro

Bento XVI chegou a dizer que enquanto ele enfrentava os lobos Deus parecia dormir.

O homem que se arvora ser o mensageiro direto de Deus na terra, e único, não aguenta o tranco e ainda culpa Deus?!

Imagino que ser mensageiro direto de Deus, e único, em um mundo cada vez mais complicado como este, terá muito trabalho sim. É preciso ser forte, ser sertanejo, para se declarar mensageiro de Deus e dar conta do recado.

No mais, Deus não estava dormindo. Deus virou as costas e caiu fora mesmo propositalmente. Aliás, Deus nem entrou nessa. Deus é Pai, não é otário.

Deus lá quer saber de Política? Deus mandou o recado via menino Jesus há dois mil anos: “Dê a Cesar o que é de Cesar”. Traduzindo: quem pariu o Papa que balance.

Eu até fiquei contente com a declaração do Bento XVI porque se Deus é brasileiro, e dorme enquanto o Papa se lasca (porque Deus não é besta), é sinal que Deus não é só brasileiro. Deus é é baiano.

Mário SF Alves

Pegando um gancho aí no que disse o Jorge,

“O problema não é se padre ou qualque um é pedófilo ou misógeno ou homossexual ou qualque coisa, pois, infelizmente, a Igreja, santa e pecadora, é uma imagem MUITO nítida e realista da sociedade em que está organizada. Os escândalos na Igreja não deveriam preocupar ninguém, pois estes estão revelados a Luz, e são mais sofrimentos a dores de Cristo na Cruz, mas, portanto, pelas suas Chagas, suas Santas Chagas, estes poderão ser remidos e os sofrimentos que eles causaram terão consolo. Mas, se a Igreja é o espelho da sociedade, esta está revelada a Luz?”

_____________________________________
Esse é o problema, prezado Jorge. O problema é essa dialética capada; ou seja: a dialética que jamais admitiu ou admitirá síntese [e quando muito, no máximo, no máximo, um mea culpa]
_______________________________________________________
Então, como assim SANTA e a um só tempo PECADORA? Desse conflito tinha de surgir necessariamente uma síntese, não?

__________________________________________________________
Ouvi hoje, 08 de março de 2013, de um dos poucos e raros heróis brasileiros; refiro-me a um desses heróis que prisão nenhuma os conterá, posto que ainda não inventaram prisão de almas; desses que jamais serão assassinados moralmente, posto que já não morrem; refiro-me ao José Dirceu. Disse ele: o problema atual da ICAR é ter cuidado muito de dogmas e muito pouco de evangelização.
Quem sabe… talvez assim, ela, a ICAR, resistisse ainda por um tempo mais à tal dialética que não admite síntese? Quem sabe?

Jorge Andrade

Em minha opinião o mal feito é da conta de todo mundo. Quem não quiser cair na boca do povo que ande na linha.
A Igreja Católica se acha no direito de querer ditar regras para todo mundo. Como qualquer pessoa não tem o direito de se pronunciar sobre ela quando bem quiser.
Outra coisa é que a Igreja não paga impostos de nada, nem de escolas, nem de hospitais e nem de quaisquer outros serviços que instalar no Brasil. Recentemente foi assinada uma Concordata vergonhosa que dá direito à Igreja a um monte de benefícios fiscais. Em outras palavras são os impostos de todo o povo quem sustentam a boa vida da Igreja Católica no Brasil. Ou os católicos que aqui se manifestaram são tão inocentes que fazem de conta que não sabem.

Conheça a íntegra do acordo Brasil-Vaticano
http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/conheca-a-integra-do-acordo-brasil-vaticano/
,,,,,,,
Casas de apostas mostram dom Odilo Scherer como um dos favoritos a suceder Bento 16

“Não é apenas nas análises de vaticanistas e em informações de bastidores do conclave que o nome do arcebispo de São Paulo, cardeal Odilo Scherer, aparece bem cotado para ser eleito próximo papa.
Escolha do novo papa
Nas bolsas de apostas de Londres, dom Odilo aparece como o quarto nome mais cotado para assumir o trono de Pedro. Nesta sexta-feira (8), os apostadores que acreditaram no cardeal brasileiro de descendencia alemã levariam de 8 a 12 libras a cada libra apostada -a depender da casa de apostas – caso fosse ele o eleito”.

http://migre.me/dAVjo

Roberto Locatelli

Brasileiro ou não, ao próximo Papa caberá uma missão impossível: frear a Revolução na América Latina e Caribe.

    Mário SF Alves

    E não terá sido a primeira investida. Salvo engano aconteceu nos idos do maldito março de 64, e nas eleições de 2010. Lá, não tenho como dizer, mas, em 2010, a coisa só esfriou quando o ocorrido deu com os costados no Chile. Aí, pra não espirrar contradição pra tudo quanto era lado, preferiu-se, deixar o dito pelo não dito.
    _____________________________
    Política, enfim.
    ________________________________________
    Proteger a vida só dentro do útero dos outros é refresco. Quero ver é depois que o bicho homem vem ao mundo. É… e ainda têm a pachorra de criticar a Política Nacional de Direitos Humanos.

    Roberto Locatelli

    É isso aí, Mário, já há precedentes no passado e no passado recente. A hierarquia da Igreja é linha de defesa da direita.

Mariana

Como diriam os árabes: OS CÃES LADRAM E A CARAVANA PASSA.
É assim há 2.020 anos.

Por que Fátima, vocês não deixam a Igreja em paz?
Ela é um problema só dos Católicos.

E ao contrário do que vocês pensam não é nenhum problema não ser católico.
Deixe essa preocupação para nós.

Não precisa se sentirem incomodados por ela existir e vocês não estarem lá.
E a única pessoa a quem a Igreja deve respeito e obediência é ao seu Fundador.
Deve respeito e proteção espiritual ao seu povo.
E deve respeito à sociedade.
O resto é exigência descabida de um bando de preconceituosos que afrontam a Lei para bater numa preferência religiosa.

Nem é preciso dizer nada: se o jornalista não tiver o que escrever, bate na Igreja!

    Elton

    Não Mariana, ela NÃO é um problema só dos católicos. Com as influências políticas nefastas, indevidas, atrevidas que possui, ela é um problema de TODOS! Com as articulações que não envolvem só a fé e sim o PODER e as FINANÇAS, ela é um problema (com um pouco, mas só um pouco de exagero…)de todo o mundo.

    Mariana

    Ah! Então Ela é importante?
    Por que será?

    Sara Bentes

    Senhoooooooooooooooooora, um pouco mais de senso e vergonha sempre faz bem. defender ladrões e gente que come criancinhas, sexualmente falando, é safadeza demais. E tudo em nome de Deus? Mas qual Deus. E todo brasileiro tem direito de falar o ue acha do carolicismo pois o sustentamos em nosso país, com nossos impostos.

Concílio Constantinopla

Tudo está baseado no poder e consequentemente no dinheiro. Tudo gira em torno disso. A religião é uma ilusão bem planejada para desviar a atenção das pessoas. Nada cai do céu. Tudo que se consegue aqui é pelo esforço honesto ou não. Cansei de mentiras, de escutar baboseiras. Nasci católico e já fazem muitos anos que não pratico nenhuma religião. Definitivamente não preciso disto.

    Mário SF Alves

    Prezado Constantinopla, essa sua observação faria esvaziar até o Concílio de Nicéia.
    ______________________________
    Somos juntos na trincheira pela verdade.

kalifa

Para desacreditar de vez o fiéis só falta eleger um pedófilo ou um corrupto!Daí é o fim!Deus nos acuda!

    Marcio Wilk

    …ou um africano

Lenir Sacramento

Lamentavelmente a Igreja Católica Apostólica Romana não é santa e nem aspira a santidade. Culpa de quem? Da Cúria Romana que nunca deu importância aos problemas e muito menos em punir os sacerdotes criminosos. Nada a ver com as pessoas leigas que são católicas. Os católicos têm de saber separar o que é uma vida dedicada a Deus e o que é uma vida de safadeza, ladroagem, que são os problemas que estão infestando a Igreja, ao ponto que um Papa se viu obrigado a renunciar para não correr o risco de ser assassinado como João Paulo I.
,,,,,
A misteriosa morte do Papa João Paulo I

A brevidade de seu pontificado suscita até hoje especulações a respeito de que teria sido vítima de uma conspiração, algo nada novo na tradição do Vaticano.

Enfarto do miocárdio ou assassinato?

As suspeitas de envenenamento são amplificadas pelo fato de o Vaticano jamais permitir uma autópsia no corpo santo de um Papa. Sua saída repentina do cenário daria espaço a setores da Igreja ligados à Cúria Romana, mais empenhados em combater as tendências socialistas então emergentes no clero em vários países. Essa tese ganhou força com a eleição de João Paulo II, um pontífice conservador em relação a diversas questões, como aborto, contracepção e política. De fato, o ainda bispo Luciani desejara ao menos uma revisão das posições tradicionais da Igreja Católica sobre estes temas, consultando-se com especialistas em reprodução humana e com filósofos e pensadores de distintas religiões….

A versão oficial da morte

A versão oficial divulgada pelo Vaticano, contudo, diz que o corpo de João Paulo I teria sido encontrado pelo padre Diego Lorenzi, um de seus secretários, enunciando a morte como “possivelmente associada com infarto do miocárdio”. Para alguns, João Paulo I teria sido vítima das terríveis pressões características de seu cargo, e que não tendo suportado-as, veio a perecer.

Outra hipótese levantada foi a de que o Papa Sorriso teria sido vítima de embolia pulmonar. De qualquer maneira, sua morte provocou enorme consternação entre os católicos; mesmo sob chuva torrencial, a Praça de São Pedro esteve totalmente lotada quando de seus serviços funerais. Em sua homenagem, seu sucessor adotaria seu nome papal ao ser eleito, em 16 de outubro de 1978.

http://www.universitario.com.br/noticias/n.php?i=3248

Mardones

Espécie em extinção:

1 – Católico praticante.

2 – Petista de esquerda.

3 – Direita nacionalista brasileira.

4 – Mídia privada isenta.

    Julio Silveira

    Foi no ponto.

    Mário SF Alves

    Menos no 3, e isso com toda a certeza.

Francisco

Dom Odilo é, entre os cardeais não-romanos, dos mais romanos que se possa imaginar. Entre ele e Ratzinger, fico com o segundo, que cumpre o papel colonizador sem ser colonizado; a perseguição às áreas sociais da Igreja e aos “intelectuais da Igreja” em São Paulo são exemplos cabais.

Uma correção: a Igreja não é romana há mais de 2000 anos, mas há quase 17 séculos, desde 372 d.c., com Constantino. Ela não é nem Igreja há 2000 anos, mas há pouco menos de 2000 anos (em torno de 1970) – o movimento pós-assassinato de Jesus, na cruz, nas comunidades periféricas datam dos anos 40 d.c.; o primeiro escrito, por exemplo, é paulino e data de meados dos anos 50 do primeiro século.

    Francisco

    Onde escrevei 372, com Constantino – leia-se: 312…, que é quando Constantino atribuiu uma sua vitória à Cristo, segundo uma visão que ele supostamente teria tido, depois do quê liberou o cristianismo como religião entre as demais romanas; passou a adorar ao deus cristão, e não mais a Júpiter; perdoou supostas dívidas dos cristãos etc.

    Some-se a isso o fato de que em 380, com Teodósio I, a Igreja tornou-se, de fato e de direito, religião oficial romana, com o Édito de Tessalônica.

Vilma Brandão

07/03/2013 22h00- Atualizado em 07/03/2013 22h00

Jornal publica novas denúncias sobre vazamento de documentos da Santa Sé

Uma semana depois de o papa Bento XVI ter deixado o cargo, ainda não foi marcada a data do início do conclave que vai eleger o novo líder da igreja católica.
Uma semana depois de o papa Bento XVI ter deixado o cargo, ainda não foi marcada a data do início do conclave que vai eleger o novo líder da igreja católica. Em meio a essa expectativa, um jornal italiano publicou novas denúncias sobre o vazamento de documentos secretos da Santa Sé.
O ex-mordomo de Bento XVI, Paolo Gabriele, não era o único corvo, como ficou conhecido o homem que vazou os documentos secretos do papa. A revelação foi feita ao jornal La Repubblica por uma fonte anônima. Junto com o mordomo, estavam outras 20 pessoas, entre elas religiosos e laicos, publicou o jornal.
O porta-voz da Santa Sé, padre Federico Lombardi, questionou a credibilidade da fonte não identificada e encerrou o assunto. Mas, na cobertura dos fatos vaticanos, muito se escreve a partir da indiscrição de cardeais que querem ficar na sombra.
Os americanos, nesta quarta, culparam os italianos pelo vazamento de notícias das congregações. No jornal L’Osservatore Romano, a voz não oficial da Santa Sé, o vice-diretor Carlo Di Cicco esclarece que Tarcisio Bertone foi uma vítima dos documentos roubados.
Nas cartas, Bertone é acusado de afastar pessoas que queriam investigar supostos casos de corrupção dentro do Vaticano.
“Pode se dizer tudo de Bertone, menos que não seja um pastor”, disse ele. Sobre o desvio das cartas secretas, comentou: “A parte da cúria que não é boa é minoritária. A maioria faz corretamente o seu trabalho”, assegurou.
Mas nem as fontes anônimas conseguem confirmar a data das eleições do novo papa. Os 115 eleitores já chegaram a Roma. Nesta sexta, é possível que os cardeais decidam a data do conclave.

http://migre.me/dzV6D

Mário SF Alves

Fátima,

Você tem razão. Lembro de minha mãe que era devota do papa João XXII. Lembro também que até a eleição do João Paulo I, a fumaça branca, o “Habemus papam”, era aguardado em uníssono ato de contrição. Enfim, o que mudou de lá pará cá, além do vir a publico da pedofilia, dos escândalos finaceiros/lavagem de dinheiro e da misoginia, claro?

______________________________
É… parece que o mundo está ficando cada vez menor. Mais fácil entendê-lo, portanto.

Mario Nhardes

Olá Fátima Oliveira, quando imaginamos algo não significa que sejam assim. Imaginar e ser, compreende-se numa distancia abismal. Vi no seu texto muito mais emoções do que razões e uma distância enorme da realidade. Mas está em linha com a Globo e mídias impressas e escritas…

Stella Mares Colla

Sou católica paraticante, você nos ofende, nos denigre, quer nos desqualificar, e ainda almeja que nos pronunciemos? Nem você, quero crer, é tão dissimulada!!! Respeite nos!!! Exigimos que você, Fátima, nos respeite, como respeita os pares da sua religião.Chega, nós CATÓLICOS LEGÍTIMOS, EXIGIMOS RESPEITO!!!

    Vilma Brandão

    Sra. Stella Mares Colla, sabe o que é DENEGRIR? Uma palavra racista. DENEGRIR é tornar NEGRO, no sentido de que negro é “algo” ruim. Se acalme senhora, racismo no Brasil é CRIME! Quanto ao artigo nele não há nenhuma mentira e a senhora sabe muito bem que é assim;, não adianta ficar nervosinha, talvez rezando se acalme e não cometa mais crimes. Se a senhora se acalmar vai ver que tem de pedir respeito aos padres pedófilos,aos padres ladrões que roubam o Vaticano, etc. E toda a gang que leveou Bento 16 a renunciar. Tudo isso está em milhões de publicações respeitáveis da mídia mundial. Até Bento 16 falou dessa coisas. A senhora não lê nada?

    Mariana

    Senhora Vilma que se acha tão sabida, que é tão arrogante e preconceituosa quanto quem escreveu o post.
    Bater na Igreja Católica é um esporte tão na moda que esse post não teve nem aquilo que se aprende na escola fundamental: toda redação tem começo, meio e fim.
    Esse não teve nada.
    Quando pensei que ia revelar alguma coisa, lá estava terminando.
    Sem ao menos mostrar a que veio: somente fazer o esporte favorito do capitalismo, bater na Igreja.
    Esse comentário nem sei se será publicado.
    Já estou acostumada a ter os meus comentários censurados quando falam sobre a Igreja.
    Pena que não tenho mais tempo para ver vocês ganharem e os evangélicos dominarem tudo.
    Kkkkkkkkkkkk
    Aí nesse dia quem viver verá.

    Jorge

    Como católico praticante gostaria de pedir aos que não são católicos que se manifestassem dentro da ordem legal das coisas, ou seja, vamos separar as instituições de suas pessoas físicas. O problema não é se padre ou qualque um é pedófilo ou misógeno ou homossexual ou qualque coisa, pois, infelizmente, a Igreja, santa e pecadora, é uma imagem MUITO nítida e realista da sociedade em que está organizada. Os escândalos na Igreja não deveriam preocupar ninguém, pois estes estão revelados a Luz, e são mais sofrimentos a dores de Cristo na Cruz, mas, portanto, pelas suas Chagas, suas Santas Chagas, estes poderão ser remidos e os sofrimentos que eles causaram terão consolo. Mas, se a Igreja é o espelho da sociedade, esta está revelada a Luz? Não! Vivemos em uma sociedade doente, pecadora, desumana, idólatra, voltada aos prazeres que conduzem a morte, rediviva em rituais de sacrifício humanos, onde pessoas se acham, mesmo na sua limitação, donas de suas vidas e que não devem nenhuma explicação a ninguém ou nada, ou seja, como deuses donas de seu próprio destino! Isto sim que deve preocupar as pessoas, pois, o ato profético já denunciou os membros da Igreja e os lançou na rua para pedir perdão pelos seus erros. Mas, e a sociedade humana, na qual a Igreja reflete suas vidas, está coberta de sacos ou com cinzas na cabeça em sinal de penitencia pelos seus graves pecados? Não! Mas se acham no direito de julgar os membros da Igreja. Juizes corruptos, que negam aos órfãos e as viúvas seu pão cotidiano, como ousam falar da Igreja, estando os seus próprios olhos cheios de opróbio e vergonhas? Portanto, não se preocupem com o que acontece com a Igreja, mas sim com o que ela está refletindo a partir da própria sociedade. “17 Cães numerosos me rodeiam, e um bando de malfeitores me envolve, furando minhas mãos e meus pés (Salmo 22/21)” “22 Aconteceu com eles o que diz o provérbio: «O cão volta ao seu próprio vômito»; e ainda: «A porca lavada torna a revolver-se na lama (Segunda Carta de São Pedro, 2-22)”

    Alexandre Aguiar

    Curioso. Quem está DENEGRINDO (para usar o mesmo termo racista) a igreja é a própria igreja e seus supostos mandantes. Os fiéis e carolas do lado de fora, os que realmente crêem em alguma coisa, estão sendo enganados e tendo que engolir miudinho. E a autora do artigo é quem DENIGRE a imagem da igreja? Vai entender!

    Willian

    Ah o politicamente correto… Prevejo nuvens negras no horizonte para todos nós.

    Paulo Figuiera

    Por favor, você como católica praticante, procure em sua militância dentro da instiutição, cobrar das autoridades da igreja que dêem-se ao respeito.

    kalifa

    Com pedófilo e corrupto e tudo como papa!rsrsrsrsrssr

flavio jose

Haja especulação. Vamos deixar a mediocridade de lado e esperar a realidade dos fatos.

    Mari

    Mas a realidade está aí no artigo e até em pinceladas bem suaves. As falcatruas materiais e morais do Vaticano são um “mangue pútrido” como disse Fátima. Não é o desejo ou a carolice de qualquer pessoa que mudará a realidade. Católico consciente trabalha com a realide. E sente vergonha. Porque dá vergonha realmente. Contra fatos, argumentos carolas não resolvem. Quem cala consente. Quem faz de conta que não vê, consente.

    Ernê

    A REALIDADE:
    Cardeais examinam em segredo as controversas finanças do Vaticano

    Os 150 cardeais reunidos nesta quinta-feira no Vaticano para preparar o conclave examinaram a portas fechadas as controvertidas finanças da Santa Sé, num momento em que a imprensa italiana publica mais revelações quentes sobre o escândalo Vatileaks.

    LEIA NOTÍCIA NA ÍNTEGRA: http://migre.me/dzQr1V

    Jane

    Moço deixe de aceitar ser otário. Há fatos deplo´raveie não especulação. Há um covil de ladrões no Vaticano, há um bando de pedófilos falando em nome de Deus. Isso não te incomoda?

Deixe seu comentário

Leia também