VIOMUNDO

Diário da Resistência


Em Belo Horizonte, 77% dos manifestantes dizem que Bolsa Família estimula preguiça
Você escreve

Em Belo Horizonte, 77% dos manifestantes dizem que Bolsa Família estimula preguiça


14/04/2015 - 17h02

Captura de Tela 2015-04-15 às 00.37.22Protesto em BH

por Conceição Lemes

O Grupo de Pesquisa Opinião Pública, Marketing Político e Comportamento Eleitoral e o Centro de Convergência em Novas Mídias (CCNM) da  Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) realizaram no último domingo, em Belo Horizonte, uma pesquisa  sobre “Perfil ideológico e Atitudes Políticas dos Manifestantes em 12 de Abril” .

Das 8 às 17h, 348 pessoas, que participaram dos atos do dia 12, responderam um  questionário de 90 perguntas. Na maioria delas, ao indivíduo foi colocado se ele concordava totalmente com determinada afirmação, concordava em parte, discordava totalmente, discordava em parte.

Entre os ouvidos na pesquisa, 69% também participaram da manifestação de 15 de março; 56% têm curso superior ou pós-graduação.  A margem de erro é de 4,8 pontos percentuais para cima e para baixo.

Alguns valores (tabela completa ao final) desses manifestantes:

*As cotas raciais são um erro, e o governo deveria acabar com isso: 70,1% concordam.

*A maioria penal deve ser reduzida: 81,5% concordam.

* As minorias, como negros, mulheres e homossexuais, têm direitos demais no Brasil:  36,1% concordam.

*Pessoas ajudadas por programas sociais, como o Bolsa Família, ficam preguiçosas: 77,8% concordam.

*Os nordestinos têm menos consciência política na hora de votar do que as pessoas de outras regiões: 57%concordam.

*Os pobres são mais desinformados na decisão de suas decisões políticas: 78% concordam.

“Como o meu grupo monitora a internet, eu já esperava esse perfil”, diz a professora  Regina Helena Alves da Silva,  do Departamento de História e coordenadora  do CCNM da UFMG. “O que ficou claro é que, tirando as baixarias que aparecem na internet, a gente pode cotejar o que se vê nas redes sociais com o que encontramos nas ruas no dia 12. Um perfil ultraconservador, muito mais à direita.”

Até agora se acreditava que as pessoas assumiriam posições ultraconservadoras na internet, mas não falariam pessoalmente. A pesquisa da UFMG derruba essa ideia.

“Que as pessoas  são a favor da redução da maioridade penal não é novidade”, expõe a professora Regina Helena. “O inusitado é elas não terem tido o menor pudor de mostrar a cara [os depoimentos foram gravados] e dizer que são contra as cotas raciais, que as minorias têm direitos demais no Brasil, que os pobres são mais desinformados e os nordestinos têm menos consciência política.”

“Isso assustador e preocupante”, observa a professora. “Mostra que já existe no Brasil uma conformação política que não é liberal. É uma direita mais radical, o nosso Tea Party.”

“Ao rejeitarem as políticas de direitos para as minorias políticas, eles demonstram que gostariam de voltar ao século XIX e acabar com a Lei Áurea, que pôs fim à escravidão em 1888“,  frisa a professora. “É a velha ideologia da Casa Grande X  Senzala.”

Outro dado flagrante é o interesse por política dos manifestantes que foram ás ruas de Belo Horizonte em 12 de abril:

* 69% tiveram a maior parte das informações sobre a manifestação na internet; 15% de familiares e amigos.

* 86% se dizem muito interessados ou interessados em política, assumindo posições bastante claras.

* 46% não tem preferência ou simpatia por nenhum partido.

* 39% tem simpatia ou preferem o PSDB.

* 4% DEM.

* 81% votaram em Aécio Neves no 2º turno das eleições.

Na verdade, são indivíduos anti-Dilma e anti-PT, como mostram os resultados da pesquisa da UFMG.

* 95% acham o governo Dilma ruim ou péssimo.

* 83%  Atribuem nota 0 ao PT.

*  78% acham que o Brasil está pior do que há 10 anos atrás.

* 39% Acham que a vida pessoal piorou nos últimos 10 anos.

* 89% classificam a situação econômica do Brasil como ruim ou péssima.

“Que eles acham que o governo Dilma é uma porcaria, dão nota zero ao PT, a maioria votou em Aécio, a gente já sabe”, traduz a professora.

— Mas por que eles dizem que o Brasil piorou e a situação econômica está péssima, se no governo FHC era pior? — alguns devem estar perguntando.

Acontece que esses dados não podem ser lidos isoladamente. Têm que ser casados com ideologia dos entrevistados.  Daí a avaliação do perfil dos entrevistados ser tão importante para a pesquisa.

— Mas não são pessoas que estão desinformadas… O governo e o PT não deveriam explicar o que fizeram de bom? 

“A pesquisa mostra que não são desinformados. Eles sabem bem das mudanças sociais ocorridas nos governos do PT. Eles são o contra o governo Dilma e o PT também porque sabem o que eles fizeram de positivo para uma parte importante da população que saiu da linha da pobreza. Daí justamente o ódio pelo que o PT fez, e não só pela questão da corrupção, como também ficou claro nos resultados da pesquisa”, esclarece Regina Helena.

“Aliás, muitos especialistas dizem que no Brasil não existe polarização mais ideológica, não tem esquerda, nem direita. Que é um país sem claros posicionamentos políticos a esquerda e a direita. Essa pesquisa indica que no Brasil tem, sim, vários grupos de esquerda e direita. No caso dos que foram às ruas no dia 12 de abril, com claros posicionamentos contra justiça social e direitos”, arremata a professora.

Leia também:

Pesquisa mostra que Sheherazade é a comentarista política preferida dos manifestantes paulistas

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



18 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

MARIA GORETTI AMF13BH

17 de abril de 2015 às 22h13

NÓÓÓSSINHOOORAPRECIDA!
Ô LEO,QUÊQUÊíííssso meu irmão!voce é assim desinformado por conta de ver dilmais da conta a groobbbo,ler istadiminas,extadão,a faia,a óia ?esses trem num presta não!!!MINAS FICOU DANADU DE RUIM COM O PSDB,E SEUS “PREIBOIS”,DE GUVERNADOR,SÊ JÁ SABE DISSO,NÉ?O BRASIL DI EFEAGACÊ,FICOU RUIM DIMAIS….INTÉ FOME EU PASSEI..UMIADO DIMAIS!!!E MI CHAMÔ DI VAGABUNDO,VENDIA TUDIM QUI O PAÍS TINHA DE VALOR,DEU INTÉ DI PRESENTE, DE GRAÇA…AH! LEO!!! SÊ NUM SABI É DI NADA..Ô INOCENTE!!!!
aqui,óia, ocê precisa ser mais informado,inté nesse blog ocê já entra!!
intão sô,miora aí suas referências,viu?
o Brasil tá muito mais mió,faz uns12 aninhos…acho que inté nasceu di novo !!!
SÓ MINAS QUI PIORÔ DIMAISDACONTA…..
PENSA BEM TÁ?

Responder

Elias

15 de abril de 2015 às 13h45

Esse pessoalzinho está p. da vida por estar convicto de que o PT elevou o padrão econômico e cultural de milhões de brasileiros. Não é “mineirinho come quieto”, pelo contrário é mineirinho que “come muito” e não quer ver o pobre comer bem. Não quer ver o pobre nas universidades. Burro! Precisa ser muito burro para afirmar que nordestino “tem menos consciência política na hora de votar”. Esses 398 pesquisados podem ser graduados em qualquer coisa, mas tudo ficou bem claro: não passam de analfabetos políticos.

Responder

    Elias

    15 de abril de 2015 às 14h50

    Aliás, analfabeto político tem até no Congresso Nacional. Nem é necessário citar nomes.

Julio Silveira

15 de abril de 2015 às 12h59

É difícil. Longo foi o trabalho mental feito pelos donos do poder e do cofre nacional, incutindo em boa parte da nossa cidadania essas falacias preconceituosas para, na verdade, os anestesiarem. Tudo com um único objetivo, se apossarem, com exclusividade, dos recursos dos cofres públicos. Numa rotina de desequilíbrio na aplicação desse que devia ser um bem geral, que foi pensado para ser um agente de desenvolvimento e produzir justiça social. Mas, principalmente, que deveria ser usado para elevar os níveis sociais dos mais pobres entre nossa gente, para alcançarmos um status de nação primeiro e desenvolvida depois.
O que se via? Um retrato daquela historia, contada, do inescrupuloso, que explorava os serviços do cego pedinte. Que por ser responsável pelos serviços de sua contabilidade, produzia divisão injusta, fazendo com que, de cada cinco moedas arrecadadas, quatro ficasse para si. Alimentando, em seu interior, a fé de que, pelo fato de alimentá-lo, já se fazia mais que suficiente para atender as suas necessidades e ainda sentir-se no direito de acreditar-se muito generoso.
Nosso povo acredita na construção falaciosa de que são generosos. Eis uma mostra do que são de fato, mesquinhos e ainda por cima ignorantes. Fico com a pergunta, quantos são exclusivamente por si, e quantos por conta da construção cultural?

Responder

Joao Cruz

15 de abril de 2015 às 12h09

Em Belo Horizonte, 70 % votou no Aécio.

Este é o resultado de 12 anos de lobotomia feitos pela Rádio Itatiaia, Jornal o Tempo, Jornal Estado de Minas, TV Alterosa e Globo Minas.

Em MG tem jornalistas, mas não tem jornalismo!!!

A ignorância campea solta no playground do Póecio…

Responder

José

15 de abril de 2015 às 11h46

Os comentários de alguns ‘detonando’ a pesquisa só mostra o quanto ela está certa. A desinformação é a base do discurso dessa parcela da população e o ódio é latente. Não há qualquer posição humanitária, somente egoísmo claro.

Responder

José

15 de abril de 2015 às 11h41

Leo, entendo seu discurso. Desinformado, é isso. Busque, cara, para não ficar no mesmo balaio do discurso de ódio. Você consegue!!!

Responder

Selma

15 de abril de 2015 às 11h31

Engraçado como esses coxinhas se auto-enganam fazendo pesquisas entre si, e divulgando-as como se fossem gerais, de toda a população. Foi em Minas Gerais onde o Aécio Neves perdeu a eleição com uma das maiores margens de diferença, dentre as capitais mais populosas. Foi lá no seu estado que ele perdeu a eleição. Os mineiros o conhecem bem, sabem do mal que ele é capaz.

Responder

José Soares de Carvalho Filho.

15 de abril de 2015 às 10h17

A classe mérdia é a pobreza deste país.

Responder

Leo

15 de abril de 2015 às 10h13

O Brasil não esta pior do que ha dez anos. Muito pelo contrario. Mas o voo que o Cristo Redentor iniciou na década passada foi o “voo da galinha”. A falta de investimento em infraestrutura, a baixa tecnologia e o aparelhamento estatal arrefeceram nossa decolagem e, agora, estamos ladeira a baixo. A solução é o PT? Jamais! O PSDB? Muito menos! Temos que ter sobriedade, profissionalismo, comprometimento e reduzir drasticamente a corrupção. Apenas dessa forma conseguiremos sair da crise que se instalou no país.

Responder

    José

    15 de abril de 2015 às 11h36

    Zero você tira em análise. Estude. Tá cheio de informação disponível na NET, informação com base científica. Especular e formar opinião é muito fácil. Quero ver você embasar cada frase do que diz e depois vir falar, aí sim valerá a pena ter você aqui. A professora fez uma pesquisa. Você tem alguma outra pra dizer que ela fala bobagem?

Leo

15 de abril de 2015 às 10h03

O Bolsa Família, criação do PSDB, é, segundo Jose Dirceu (apud Bicudo), um tremendo atrativo de votos. Não podemos negar o bom objetivo desse instrumento,mas historias (não estórias) confirmam a preferencia de muitas pessoas por não trabalhar formalmente devido ao receio de perder o beneficio. Ou seja é bem possível que nas camadas mais baixas da população, nas quais as expectativas são nulas, o BF estimule a paralisação de procura por empregos formais.

Responder

    Mauro

    15 de abril de 2015 às 15h38

    É mesmo?
    O que é melhor? Receber 70 reais pro mês do Bolsa sem trabalhar ou trabalhar e receber um salário mínimo de 788 reais mais décimo terceiro, mais vale transporte, mais ticket restaurante e férias anuais?

    Será que essas pessoas são doentes mentais ao ponto de preferir os 70 reais pra ficar atoa?

    Socorrooooooooooo!

Mauro

15 de abril de 2015 às 09h27

“Não ao Toffoli”

Hahá. Eles gostam é do Gilmar. Este sim é uma exemplo de imparcialidade.
Não que o Toffoli seja grande coisa, mas se é pra protestar que seja contra o pior juiz que este país já teve, o mais parcial e cínico de todos os tempos : Gilmar Dantas.

Responder

Almir

15 de abril de 2015 às 07h06

Eu quero ver a cara desses coxinhas, quando estiverem trabalhando 5 horas a mais, pra ganhar 40% a menos, sem poder tirar férias, com medo de perder o lugar pra outro terceirizado. Aí eles vão saber quem são os desinformados.

Responder

Marat

14 de abril de 2015 às 23h42

Mas eles se referem à bolsa-madame que a Maitê Proença recebe???

Responder

Laura

14 de abril de 2015 às 17h28

Então estas mulheres que estão na passeata são escravinhas dos machões aí? Parece que elas gostam, né?
Sou mineira e não vejo nada disto aqui em BH. Temos direitos aqui, fui até gerente de banco nos anos 90.
Isto é palhaçada. Querem voltar ao passado? Não tem mais jeito reaças.

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.