VIOMUNDO

Diário da Resistência

Sobre


Bruno Covas corta verbas do Corpo de Bombeiros e coloca em risco a população de SP
Reprodução de vídeos
Resistir e Lutar

Bruno Covas corta verbas do Corpo de Bombeiros e coloca em risco a população de SP


06/04/2019 - 11h00

por Juliana Cardoso*

Neste domingo (07/04), faz um ano que o tucano Bruno Covas assumiu a Prefeitura da cidade de São Paulo.

Lamentavelmente, uma gestão só preocupada em colocar em prática medidas de austeridade fiscal, embora a arrecadação tenha crescido em 2018.

O que estamos assistindo, portanto, é um processo de fazer caixa.

No momento, todo o esforço de Bruno Covas é para angariar e reservar recursos financeiros para serem usados às vésperas do período eleitoral, em 2020.

Neste ano, o IPTU aumentou quase 50% para 90 mil imóveis.

A redução das integrações de viagens nos ônibus do vale-transporte agora e do bilhete único daqui a três meses é forma de direcionar mais recursos para as empresas operadoras. Às custas do trabalhador.

Em 21 de fevereiro, ele publicou um decreto, estabelecendo cortes nas áreas do lixo, assistência social e saúde, mas não mostrou parâmetros.

Na época, essa falta de transparência já nos fez supor que os  serviços essenciais à população poderiam ser afetados.

Dito e feito. Como não bastasse o desmonte do SAMU, agora o prefeito Bruno Covas resolveu cortar gastos do Corpo de Bombeiros com serviços emergenciais e socorro.

Absurdo! Prova de descaso com a população.

São Paulo é uma cidade bastante complexa e repleta de riscos, com tragédias que atingem principalmente a população mais pobre. E que, portanto, necessita da pronta intervenção dos bombeiros.

Exemplos recentes: a cidade sofreu com as enchentes e mais de 100 famílias foram desalojadas por um incêndio (até agora não esclarecido) na Favela do Cimento, na Moóca, Zona Leste da capital.

Quem não se lembra do incêndio e desabamento do edifício ocupado da Polícia Federal na Largo do Paissandu, centro da cidade.

Ao cortar gastos dos bombeiros,Bruno Covas  está colocando em risco a vida de muita gente.

Aliás, os argumentos do prefeito Covas de crise financeira e severa restrição orçamentária não condizem com a realidade dos números.

Em fevereiro, o saldo em caixa da Prefeitura foi de R$ 10,8 bilhões, o maior valor da série histórica.

Em 2018, a arrecadação alcançou R$ 54,3 bilhões, crescimento de 5%.

Não falta verba.

O que falta, além da capacidade administrativa, é atenção com que mais precisa ANTES da tragédia acontecer. Ou seja, descaso.

Depois não adianta derramar lágrimas, serão de crocodilo.

Últimas unidades

A mídia descontrolada: Episódios da luta contra o pensamento único
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação.

A publicação traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.

Por Laurindo Lalo Leal Filho



Nenhum comentário

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.


Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
A mídia descontrolada

O livro analisa atuação dos meios de comunicação e traz uma coletânea de artigos produzidos por um dos maiores especialistas do Brasil no tema da democratização da comunicação.