VIOMUNDO

Diário da Resistência


Bravatas e ofensas de Bolsonaro deixam gastos com novos médicos para as prefeituras
Agência Brasil
Resistir e Lutar

Bravatas e ofensas de Bolsonaro deixam gastos com novos médicos para as prefeituras


23/11/2018 - 08h52

Bravatas do eleito deixam novos gastos para as prefeituras

por Juliana Cardoso*

Além de deixar órfãos na atenção básica da saúde milhares de brasileiros, as bravatas e impropérios do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL),  vão provocar novos gastos das Prefeituras que pretendem suprir as 8.500 vagas dos médicos cubanos do Programa Mais Médicos.

Esses profissionais presentes em quase 3.000 municípios nas equipes de Estratégia de Saúde em Família (ESF) atendem áreas pobres e remotas do País, além da periferia das grandes cidades.

Implantado em 2013 pela presidenta Dilma Rousseff, o programa garante atendimento médico para maior número da população brasileira em consonância com os princípios da cobertura universal preconizada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Sua importância social é tanta que basta citar que com o programa mais de 700 municípios receberam um médico pela primeira vez em suas histórias, inclusive 34 distritos especiais indígenas, principalmente na região Amazônica.

Ao questionar a qualificação dos médicos, acenar com a exigência de revalidação do diploma no Brasil e sugerir a contratação individual, Bolsonaro inviabilizou a permanência de médicos cubanos.

O pior. Ele transferiu para os municípios um custo que as prefeituras, em sua esmagadora maioria, não terão como arcar para substituir os médicos cubanos.

A cidade de São Paulo não está livre desse impacto.

Na rede municipal 72 médicos de Cuba vão deixar de prestar serviço. O número parece inexpressivo.

Mas é necessário lembrar que cada equipe da ESF é responsável por atender 3.500 pessoas em média. O que totaliza 252 mil pessoas na cidade sob os cuidados dos médicos cubanos.

Pelo convênio que está sendo rompido, o governo federal repassa hoje R$ 11.800,00 por médico. E a Prefeitura de São Paulo arca com R$ 3.000,00 para custear moradia, transporte e alimentação de cada profissional.

No modelo vigente de contratos de gestão para cada médico contratado as Organizações Sociais (OS) recebem repasse de R$ 20.000,00 entre salário, benefícios e encargos.

Diante disso e para manter igual número de médicos na ESF a Prefeitura de São Paulo terá que desembolsar gasto de R$ 1,4 milhão por mês no orçamento de sua Secretaria.

Essa substituição em São Paulo pode até ser viável economicamente, mas fica a pergunta no ar: o que farão os municípios do nosso Brasil afora, principalmente os pequenos diante das promessas de mais cortes sociais do novo governo e do congelamento por 20 anos de investimentos em saúde?

As consequências na área serão trágicas com maior dificuldade de acesso da população aos serviços de saúde e aumento da desassistência.

Não se pode afirmar surpresa nessa maldade que está em curso.

Em 2013, quando era deputado federal Bolsonaro ingressou com ação no STF para acabar com o Mais Médicos.

Nem bem assumiu e com suas declarações e intenções estapafúrdias já conseguiu implantar o Menos Médicos por pura discordância ideológica.

Nestes tempos de extrema intolerância e de ódio aos diferentes, em vez da Escola Sem Partido seria melhor, para o bem da população brasileira, que ele assumisse a Saúde Sem Partido.

Vereadora Juliana Cardoso (PT), integrante da Comissão de Saúde e de Direitos Humanos da Câmara Municipal

Leia também:

José Angel Portal: Cuba não faz política com a saúde de nenhum povo

Pesquisa da UnB mostra que assistência de médicos cubanos melhora adesão ao tratamento, evita complicações e internações

Livro do Luiz Carlos Azenha
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!

A Trama de Propinas, Negociatas e Traições que Abalou o Esporte Mais Popular do Mundo.

Por Luiz Carlos Azenha, Amaury Ribeiro Jr., Leandro Cipoloni e Tony Chastinet



5 comentários

Os comentários aqui postados são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VIOMUNDO. Todos as mensagens são moderadas. Não serão aceitos comentários com ofensas, com links externos ao site, e em letras maiúsculas. Em casos de ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência, denuncie. Leia o nosso termo de uso.

Zé Maria

24 de novembro de 2018 às 19h09

Desgoverno Temer retirou 1.600 vagas de 1.000 municípios que aguardavam reposição de médicos do novo edital do Programa Mais Médicos.

https://www.redebrasilatual.com.br/saude/2018/11/temer-deixa-fora-do-edital-os-municipios-que-aguardavam-reposicao-do-mais-medicos

Responder

Zé Maria

24 de novembro de 2018 às 18h07

Maior nº de inscritos para Seleção
são Robôs de Jaleco Branco

Foram registradas 11.429 inscrições para o edital emergencial, segundo balanço do ministério.
Deste total, porém, apenas 5.212 foram efetivadas.

https://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2018/11/ministerio-da-saude-prorroga-inscricao-e-adia-chegada-de-medicos-a-cidades.shtml

Responder

Slum

23 de novembro de 2018 às 23h09

Não entendi uma coisa, no contrato rompido o governo federal pagava cerca de 11.000 reais aos médicos, e as prefeituras pagavam alimentação, transporte e moradia.

Como ficou isso no novo contrato? As prefeituras arcarão com os salários e auxílios, ou a União continua a pagar os salários e as prefeituras os auxilios?

Responder

Zé Maria

23 de novembro de 2018 às 14h59

“Programa Mais Médicos” provocou a diminuição do nº de internações hospitalares, deixando de despender um terço (1/3) do orçamento para tal fim.

Houve melhora na qualidade do atendimento à população.
Com o aumento das consultas em áreas desassistidas,
foi possível identificar e tratar doenças com agilidade,
evitando internações que poderiam ser de fato desnecessárias.

https://twitter.com/DeputadoFederal/status/1065998411898351616

Responder

Zé Maria

23 de novembro de 2018 às 12h34

O Desgoverno Botsonauro terá só um Programa Social.

É o Mais Menos: Menos Médicos; Menos Saúde; Menos Habitação; Menos Educação Inclusiva; Menos Bolsa-Família…

Responder

Deixe uma resposta

Apoie o VIOMUNDO - Crowdfunding
Loja
Compre aqui
O lado sujo do futebol

Tudo o que a Globo escondeu de você sobre o futebol brasileiro durante meio século!